Vous êtes sur la page 1sur 22

Filme “Motivação”

1º) satisfação de necessidades sociais


. comunicação adequada (evitar ambiguidades, dúvidas e boatos)
. trabalho em equipa (equipas autogeridas, decisões participadas, etc)

2º) satisfação de necessidades de reconhecimento


. saber ouvir e criticar construtivamente
. dar feedback positivo e elogiar

3º) satisfação de necessidades de auto-realização


. enriquecimento da função
. alargamento da função
. rotação da função
. oportunidades de formação e aprendizagem
. oportunidades de promoção

(estratégias de motivação não são receitas)


Teoria de Maslow
Teorias de Maslow e de Herzberg
Teoria X e Y de McGregor
. Motiva• ‹o intr’nseca (no ‰mbito da Teoria da Motiva• ‹o Intr’nseca de
Deci):
As actividades motivadas intrinsecamente s‹o aquelas para as quais n‹o h‡ recompensa
aparente para alŽm da actividade em si mesma. As actividades s‹o mais fins em si mesmas
do que meios para alcan• arum fim (Deci, 1975, 23).
Na base da motiva• ‹o intr’nseca est‡ a necessidade de compet• ncia e de auto-determina• ‹o
(Deci & Ryan, 1985).

As investiga• ›es t• mdemonstrado que os sujeitos com maior motiva• ‹o intr’nseca para a
realiza• ‹o de certas tarefas s‹o aqueles que obt• mmelhores resultados nessas tarefas.
T• m-se verificado que a introdu• ‹o de recompensas externas, ap—s a realiza• ‹o bem
sucedida de tarefas realizadas com elevada motiva• ‹o intr’nseca, faz diminuir o interesse
pela realiza• ‹o dessas tarefas quando a recompensa Ž retirada.
Como criar oportunidades de crescimento para empregados?
. Treino cruzado
(para desenvolvimento de competências e ajudar a compreender trabalho
dos outros)

. Rotação de postos
(noutras áreas da empresa para desenvolver competências)

. Participação
(na tomada de decisão e sua implementação)

. Delegação e enriquecimento do posto


(para aumentar autonomia e responsabilidades)

Outras estratégias para motivar empregados?


. Aceitar sugestões

. Eleger empregado do mês

. Criar oportunidades de formação


Líder facilitador (e não controlador)
. Procura aprender com a experiência

. Ajuda os membros da equipa a desenvolver competências

. Cria um clima de aprendizagem

. Partilha as informações

. Procura resolver problemas (e não encontrar os culpados)

. Antecipa as dificuldades para saber lidar com elas

. Estimula a criatividade

. Centra-se no processo e não no conteúdo

. Delega a responsabilidade e a autoridade

. Desenvolve a confiança e o optimismo


. Possíveis respostas de aprovação
(exercício: dar e receber elogios)
Equipas com empowerment

Equipas com empowerment são grupos de trabalho em que os membros são


responsáveis por um produto ou serviço, partilham a liderança, planeiam e
tomam decisões, bem como as concretizam
Importância do
trabalho em equipa

(Devillard, 2001)
Atitudes a evitar no trabalho em equipa
Regras que podem ser seguidas
para um melhor trabalho em equipa
1) Todos os profissiona is devem estar motivados para o
trabalho em equipa e p ara o alcance dos objectivos a atingir
com esse trabalho;
2) Para uma maior produtividade, as interven• ›e s devem ser
claras e orient adas para o alcance dos objectivo s a atingir;
3) Para um melhor clima relacional, devem ser valorizadas e
aproveitadas as ideias dos colegas;
4) Para diminuir a impu lsividade, o e spa• o f’sico deve ser
adequado;
5) O coordenador deve apresent ar previame nte a
docum ent a• ‹o necess‡ria e deve procurar encontrar
cons ensos.
Situações de trabalho em equipa e consequências
EXERCêCIO DE RESOLU‚Ì O DE PROBLE MAS
E TOMAD A DE DECISÍE S EM EQUIPA

Princ’pios: Cada me mbro do grupo deve apresenta r qualqu er ideia


que lhe ocorra, sem preconce itos; os out ros elemento s do grupo (Jesus, 1998)
devem aceitar qualquer ideia apresentada e nenhum a deve ser
rejeitada ˆ partida; as ideias apresentadas podem ser aproveitadas
por outros elemento s do grupo, sendo ampliadas ou organiz adas.

Etapas:
1») Apresenta • ‹o do problema a re solver (este deve ser
signi ficativo para os me mbros do g rupo de forma a qu e se
envolvam na sua an‡lise e resolu• ‹o; por exemplo: "como fazer
para É ");
2») Apresenta • ‹o de solu• ›es (as ideias apresentadas devem ser
registadas por dois ou tr• s observadores) (regras: o memb ro do
grupo que quiser apresenta r a sua ideia deve levanta r primeiro a
m‹ o; se a ideia vier na continu idade de uma ideia j‡ apresentada,
devem ser levantad as as duas m‹ os; quando Ž pedid a a palavra por
mais do que um participante, tem prioridade aquele que f or tenta r
aproveitar ideias ante riormen te apresentadas por out ros memb ros
do grupo ; o s ujeito que criticar ou julgar qualque r ideia
apresentada de ixa de pode r participar);
3») Exa me cr’tico de todas as ideias (os critŽrios para a selec•‹o
das melho res solu• ›es s‹ o: a origina lidade, o realismo e a
possibilidade de s er aplicada em pouco tempo ).

(Exercício de resolucão de problemas em equipa: “Como fazer para…?”)


(Exercício de confiança no outro - “de olhos vendados”)