Vous êtes sur la page 1sur 7

'«**

"¦ '- - T5-'®^


¦r-•*-
'
S V ¦¥¦'¦ 'x .:-':', - . »-¦- - -v---- - --\ •'.-•¦ #•¦*<,- ¦-¦¦¦¦'¦¦ T^^^-Xr. . \'X jf^^Ac'^yj: ü »
"Sctió '^:*SBtgMra______j____9__0 ' &'
i I i AnNO^ Iíl - DE^-AN^I^),. Vg , g(Sl^<<? NuM. 229 (!

Periódico, Bi-SemaUai, Cáustico^ Hamoristic» e illustrad) Preço pira a venda a*zulsa :\


As pésst>as'd(5'infei'ior que Na CAPITAL FEDERAL
REDACÇAO, ESCRI^f^^-E OFFICINl,, RUA DA ASSEMBLÉA ~73,
desejarem ser assiguantes 100 réis
Numero avulso
d'0 ÍÜotAtú, podem enviar ^DÈreeg&çi^ffosé Mnc £ 3. Cépè Numero atrazauo.. 200 réis <Z\
pelo correio em vales pos-
toes a quantia de 13$ para <Acceita-se'teda«e qualquer collaboração que (tie enviada, promettenuo-se publicar
desde que tenha graça e nãoj|ffenda a mor.il. iNOS E ...DOS E NO INTERIOR
j ura, anno ou 7$ para 6 mezes, qualquer mez.
As asignaturaa sio sempre feitas com o pagamento adiaiiMii, iiodeiidn jiriuripiar em uumiir.ssuri. Numero avul- o.... 200 réis
qíie serão logo attendidas. Acceita-se agentes >jait* venda avulsa, em ijualquef^arle, dinSálae vtmtajoaa
-i
*

IWfODMti

s/f/LC- *s<v ,—-... ' \M


E esses tafues e clássicos senhores, Tanto assim, que esse tnl, t[iie utua careta,
Ahi têm um modelo de esculptura, I No fuudo esse painel mostrando a brecha
Ahi nciSgfaz, que inspira omp-iixãi,
Em caprichosa e linda posição ; I Que a setta abrio n'aquelle coração, Que ahi mirando essa deidade estão,
Estimariam maU outros favores Vai de certo iazerurna vinheta
Aos amantes da brocha e da pintura, I Faz-nos pensar na poderosa mecha, 'tal -P'ranão perder a bella oceasião...
Dj tine o favor de exhibição.
I De que ha de ter bastante precisão.

I
Oflerccendo esplendida lição.
José IFi*a.o.

Wâ.
mSÊMsiãmwmami

~.j O
\ RIO NU- i5 DE SETEMBRO _ _ (',^ j
j
lhes sejam úteis, são poucas e bem
PELA POLÍTICA Bois póde-se acaso, acreditar
em tal cousa? Não faltava ..mais
CONTOS DA BAHIA pouras
Não ha muito tempo que - uma se-
nhora acompanhando uma formosa
nada... Ah! se fosse assim. . . se EM CONSULTA filha, dirigiu se ao consultório de um
fosse assim e si eu, por uma des- A vida é real- distineto clinico, com o fim de obter
Ando ha dias, meus caros ami- algum allivio a > soffrimento que pare-
'gos, como aquella viuvinha da sase"s1;upendas cambalhotas, que o mente cuusa pre-
ciosa, quand) a cia minar a existência do frueto dos
mundo ás vezes dá, viesse a dirigir saúde não nos seus amores.
anedocta : chorando por um olho Recebidas ambas com muita genti-
a fazenda dèijaiguma pasta,quando abandona.
¦ e rindo pelo outro. E si tenho num' Vivermos a eus- leza, começou a senhora a descrever
houvesse necessidade de fazer uma ta de sacrifícios, minuciosamente tortos cs symptomas
olho a expressão triste do chô-:o, é do mal suspeito, que tanto aterrori-
emissão de cédulas. .. (o supremo lutarmos pela
porque esse mesmo olho, por mais vida, fatigando- sava a filha, porém que ella julgava
requinte de gentileza!) mandaria nos noite e dia, de pjuca importância, attribuindo tudo
que procure iodos os dias, em to_ mMÈmw%\ semanas e sema- ao medo e ao costume em que se pou-
dos os jornaes, nlo encontra o meu pôr, n'um dos lados das ditas cedu- nas, em trabalho zera de consultar-se freqüentemente.
'nome iüustre entre os d'aquelles los uma s-empre-viva, circundada _. 'incessante, na un- Tomou então a palavra a gentil me-
ciedade justificável de ajuntar magros nina e narrou com bastante senti-
de outras flores miúdas; e, no ou- mento os males que a cpprimiam,
felizardos que vão na comitiva do vinfetts, sempre receiosos do presente
tro, o retrato dl minha querida efaltos de esperanças no futuro, para acabando por confessar que sentia-se
Homem, gozar os bitenos aj-res de um bello dia irmos á força paraa cama bem quando estava em uso de reme-
Pulchsria!... A sempre-viva, sym- di) e que a presença de qualquer me-
ilaPlata y otras cositas más... e atirarmos o nosso dinheiro á gaveta
'Gusta a crer! Pois então eu, bolisando o amor eterno do meu de um b ticario ou á bjlsa de me- dico exercia nella um efíeito moral
que coração «hei de amar-te ale mor- dico ? 1 admirável, por menores que ftíssem
itaJito\eJtão incondicionalmente te- Na verdade, é bem cruel. os seus incommodos.
rer...» ea Pulcheria, a minlia A saúde é melhor do que o prazer, — Minha filha é assim,— atalhou a
nho apoiado a política" em vigor; do que a fortuna, do que as grandezas; senhora mãe, com qualquer cousa pc-
muito amada Puleheiia Anastácia
eu, que soli um amigo do Homem, do (|ue a própria vida. quena quer logo doutor ; eu não— só
da Purificação, symbolisando, não Um individm não supportará longas1 chamo o medico com cousa grande.
<j.ues^gSstosiS"Elle, qus taiito O ad- as instituições, não a lavoura ou a horas de_ trabalho, qualquer que seja
rmfo— eu, o grande Sancho, não industria^ mas sim uma ouiracou a applicaçãj da sua- actividade e o
Vou,?. trabalho lhe revigorará o c rpo, dan-
, sa muito melhor, muito mais cara doJheconjunctarrjente alegria á alma. Ò illustre clinico mal poudeuconter '
Náp:.se atura uma cousa tal,! Ter porém, de recorrer ao medico, o riso e voltou-se para receitar. ¦
e mais fina: a formosura...
ingerir quanta droga medicinal, usando Lobo Maia.
Com'certezJ, isso é grossa intriga de artifícios para aparentar saúde e
Sancho.
que pôr ahi armaram ; e, pelo' sim, ainda em cima pagar... e pagar bem
caro, ás vezes, em bom dinheiro,
pelo não''vsi houver por essa terra, Cumulo da carpintaria :
alguém que esteja « dando o" des- Beij os de f rade quando não paga com ávida ? 1
JE' realmente cruel"dizia * l Preparar taboas de logarithmos
icom a Serra da Mantiqueira:
espero », por igual, motivo, enfie No morro do Castello Õ" velho líorTmàn :
— Foge dos médicos e dos medica-
cá o seu braço e—allons enfants,au residia em uma pequena e mentos, se queres gosar saúde e se
elegante casa o velho Com-
desespoirl... |^
Porém, como tristezas nao pa-
mendador Pantaleão^ho-
tens amor á vida.
Se muita gente soubesse disto, disto Modinhas Populares
mem já enírãtíjj em ifiíios dito por um sábio medico, não se ve-
ggorém, bem conservado. xaria tanto em tomar remédios e em
gam dividas, deixemos o tal olho consultar-se a médicos.
macambuzio e vejamos quaes são Alli vivia'em companhia de suas
tres galantes filhinhas: frueto do
Em mssa opinião a primeira cousa Não cores
as cousas, que tanto alegram o que deve fazer uma pessoa, bem avi- Nesse teu olhar tão puro,
seu amor, conforme elle mesmo sada, é nâo adoecer... e isto £stáp nas
ÔUtro. dizia. mãos çíé qualquer... *. Tão meigo, tão seduetor
Entre ellus havia a Mariquinhas, Livra-te dos ares que te livrarei dos Em vejo brilhar, Amélia,
Em primeiro logar, a fertilidade O santo fogo do amor I
a mais moça, que na opinião do; males...
íâeassumptos destes últimos dias, entendidos' eru, -belleza"' fjifiininrf, Tudos nós sabêrKos o que nos ftz Mas se uma vez, por acaso,
de alegrar o era a rapariga mais linda do quar- mal e é justamente o que preferimos, Ergues os olhos do chão, .
que é cousa mesmo conhecemos o perigo e a ti ram o nos a Procuras logo occultar
: olho de
qualquer chronista; depois, teirão. elle, temos certeza de que o mal que Esse divino clarão 1
Freqüentava a casa, com m.iita
a contradança prefeitura]; depois, assiduidade, o reverendo Ireijere- praticamos lv-je recahe amanhã sobre P'ra que procuras, creança,
nós, e no emtanto praticamol-o na es- O teu amor occultar ?
finalmente, uma porção de loi-ç, mias, velho sacerdote que possuía perança de alcançar o bem, esquecen- acaso que é crime,
uma verve impagável. Quando elle do nos de que arvore ruim não dá bom 'endo
ras muito loiras Íulgas coração, amar ?
perspectivas, al.i estava era um constante garga- frueto e amparando-nos quasi sempre
mesrríó—da côr dos floridos tri- lhar, uma verdadeira fátnca dj no «ba males que vem para bem». Não ! o amor não é crime,
ditos chis- Sentimjs gastar inutilmente as nos- Quando é puro como o teu :
gaes, que tem andado ultimamente gargalhadas. Anedoctas, sas f rças e a nossa actividade, con-
— E' uma virtude sublime,
tosos, cpigrammas, casos do seu Que dimana lá do ceu I ,
a acenar-lhe, atravez de uma nu- bom tempo de estudante, tudo elle fiados sempre no acaso e nos reconsti-
tuintes, rias autosuggestões e na ca- Não tornes, pois, a occultar
vem de cinzentas pellegas... contava con uma graça indiscri- tiiàba. Esse nobre sentimento;
Eu vou contar-vos essa historia; ptivel. Podemos affirmar que, em qualquer Vê que um amor que s6tocculta
A única pessoa que sustentava accepção, a economia é a providencia Produz um duplo tormçhto!
e não vos assusteis amigos, por- do gênero humano.
espirito com o frade era a galante .Nao cores, mais, oh-! creança,
que serei breve: Mariquinhas. *jrf' Quando moços, gastamos metade Ergue a cabeça, orgulhosa, s
Um domingo sentiu-se ella ata- da nossa velhice e depois queixamo- Que eu jamais, sem ter M/ÍMe,
Quando li, ha dias, nos jornaes, nos^da sorte.
cada de fojrte dór de dentes que a .Tenho encontrado uma rosá;;*""'*"-
,que aquelle representante da nação Só adoece quem quer/,..
nada cedia. Não tornes,*p'6Íâ;;>a córar,: Çr^a '
. dissera cum todo o fausto, do alfti Cocaína, essência de cravo, em- Deixa á largaío coração, .'s^-fil
.da tribuna da Câmara, aquellas fim mil outras drogas applica a Ha pessoas qne tornam-se verda- Se não querey.qüeo teu ainijíí:,,-
moça ho maldicto. -dente, porém, deiramente maníacas, quando não, Não passa d^mãiiüusão.TVíj-f
cousas pavorosas, de que deveis pelo, niedico» ao menos pelas mediei-
sem resultado algum. ElpiíiôIT. dsíSòúÍ&
ter tido noticia, o que foi que Frei Jeremias que^ajii estivera de nas. Conhecemos um cidadão casado,
manhã, ao voltar á noite, vendo a que sòflria de pertínaz constipação de
eu fiz ? ventre e tinha a mania de usar de to- . .. Cumulo. ;da*"iibilidadè'*:r ;'
;;*0 mesmo que, provavelmente, menina com a mão no rosto.inter- dos qs purgativos e drasf-os, cujoáT ¦"£¦ Enfeitar-se.^-noiva.ferrrTr véo
rogou-a ,.¦ reclames lia nos jornaes diários. da hypocrísííií
alguns dentre vós outros, também —Então náo está melhor? Isto Remédio *novj, n|o havia duvida, --*+-
;'fizeram: Tratei de cavar uma das parece que são saudades ? experiência nova... porém, senhores,
[ taes cinzentas de XX, para
ver...
—Ora, reverendo, eu não enou
melhor porque o senhor, apesar de
a victima era a esposa.
Esta era obrigada a tornar a pri- ESTEREÔSiQFIO
se era verdade... -¦-" ser nosso amigo,não me trouxe um meira dose, para que elle, de relógio
em punho, marcasse precisamente o
Confesso que achei bonita — a remédio 1
^MAEIAXINÓ. .
—Remédio ! Oh ! eu tenho um tempo que levava o remédio para pro- Tt/po — Recolhida das irmtô^aè' caridade.
duzir efíeito !
vjipellcga, que eu aliás ja tinha visto, infallivel 1 ¦ - O caso é, que a dita senhora estava
Extravagância — Desertar/para reonga»;:
iporémde relance... Achei a —Qual é ? jitr-se,.
'¦¦*- .'5'i''
fi- enormemente gorda e elle, cada vez Vocação Pontas e mnsixea.
bonita; agora, si —Não digo, porque, com certe- mais, com a tripa secca. Meio de vida— Cabo de machado,
gura igualmente za, não o faz. Ha também quem tenha horror ao xxiv _w .
é mesmo... ou si não é—não sei.
*e —Foco 1 Juro ! medico e a botica e que recorra con- 'joão xbs',0"'7' '*'¦•¦.
os amigos examinar de- —Pois então : use beijos de fra- fiantemente ás beatas, aos caboclos e
Queiram Tapo — Tocadofde yÍoI&o da Cidade Nova
pois fazer lá o seu juizo. de!
—Ora muito obrigado, replica a
ao pae ójò ; que prefira rezar-se de
quebranto, máo olhado, ou feitiço e
25
tfrtravauancia r^Berdo «Quizera amar*
tc»,e* cant&r o «Bem Be!
uma vez por outra tornar ventura* que
Arrisco-me porém a desconfiar, menina, isto só é bom para hemor- Pessoas sensatas, que c insultem ao
tu me desprezas.» já
Vocação — Versos eçònveysQB. .-y!
augusto representante,
que o tal rhoides ! medico quando seja de absoluta ne- Meio dc vida — Peãando^"i.;
"¦*¦ -•"¦•,'•
Didico. cessidade e que usem remédios que x-.'> Zr/T. •;.
esteve cacoand^ com a gome.

>*-,
- ————— "Ml
O RIO-NU'—15 DE SETEMBRO
Ali ápreta, a revista de sandices;e|
Theatro d'0 Rio- Etcetera e tal ? (bis)
Aôh ! AòhI
Disse elle a me abraçar:
Mb 3__. fadinhos, continua a enriquecer o..ejni|
prezario, o ricaço que aizem'{ttCda/
c.mprar ..até opiniões. _S_s
Isto é bem fácil de saber,.. Partio para Lisboa,
Então eu pude çpmprehender. Que lhe faça bom proveito. >*?_Si
no O.ráilliêre a compa-
Etcetera e tal Etcetera e tal (bis) nhia que aqui trabalhou '"T
no Lucinda sob a direc-
CANÇONETA
Repertório de Edmundo André
Eu vinha de London a Suez.
=—a—»-£s—°
Cumulo de oculistica :
Proceder operação nas cata-
ratas do Nilo.
È3Í ção dos artistas Gil e Al-
fredo Santos.
Foi pena!
Menos felizes do que_
Continua fechado o Variedade.. J3í-
zem que alguém paga tres-contos; de
réis mensaes, de aluguel, para qt__.<-u.|
não funecione um boliche,
Amor pela arte?
yi-*'.
A bordo um joven francez a gente do Apollo que" Não; officiaLdo mesmo officio.
Me olha e diz: Mademoiselta para aqui veio consigna-
A senhora é muito bella, ¦*-"¦"' da exclusivamente para Cascarino.
Tem um rosto encantador ; Duas por uma negocio, tal como os vinhos, os -__=- _e_-
Seu meigo olhar me faz mal artistas que se foram não levaram
Tem um pé.inho seductor, — Tens ahi «ãda laranja ! Cumulo de temperança :
Etcetera e tal (bis),
Aôh 1 Aôh ! Aôh!
Quem t'as deu ? Onde as furtaste
Eu furtal-as í Nunca, nanja 1
D'esta bez tu te enganaste...
?
do Rio de Janeiro as patacas que os
outros talvez levem; mas, em com-
pen=ação tiveram a consagração de
um publico illustrado. que os vio
8 — Ter sangue frio e bebar
aguardente.
Lhe disse eu a corar : Nãon'as roubaste, que importa ? partir cem saudades.
O senhor está enganado, Mas antão, onde as achas te ? Parece-nos que esta moeda vale
Eu disse tudo tal e qual, Já tu 'stás, c'o a bista lorta... para o verdadeiro artista, mais do qne
Aluga-ss
Mas não tenho, não (bis) Ora, foi como paxaste 1 a outra. Está vasio meu coração^
Etcetera e tal. Binha a passo uma moçoila, O Rio Nú, despedindo se d-~-s artis- Já mandei annunçiàív,
Vossa excellericia vae no trem! Uma cachopa de truz, tas que souberam honrar o theatro e Quem tiver suaprétènção
Yes, lhe rospondi com desdém. Quando eu bestia a ciroiU. a sua pátria, põe á sua disposição as \'enha logo s'in_òrmar.
Eu estava muito furibunda. E loi. .. bumba ! Catrapuz ! suas columnLS, pequenas, sim, mas Examine com cuidado ' ^-1 .
Tornei um carro de segunda.
Elle então veiu-se assentar
Fiz le eu lá do'stáquarto : — Psio !
O' madama I na hora !
E ella antão, quando me bio,
indepeadentes e verdadeiras. A divisão principal, -y
Onde tenho reservado
Ü
. Junto a mim com ar natural,_ Foi entrando sem demora! Não escapamos d,a Dalila, no Lu- Meu affecto pessoal.
Quiz-me beijar o rosto, as mãos, Deu-t'as ella ó tu tirasflas ? cinda. Quando chegar á disj>^a'sa;
- ;
Etcetera e tal (bis) H'ra amor de que quer sabere ? O Sr. Christiano quiz por força mos- Cuidado na.arrumação-
¦ Aòh.' Aòhl Ai, taens medo? E' que rou- trar-se no CarnioU, para convencer a Quem nãoreflecte. não pensa, .•
bast.as... este publico idiota que não lhe liga Nada faz com perfeição.
O senhor exige demais.
Pode beijar, pois, não faz mal, Qnae anão pôde assim tere ? importância alguma.
E fez o publico engulir aquella ce -
Na cosinha encontrará
A mão canhota, p'ra contentar Anda cá : tu não n'as queres? bolada.
De affeição grande calor,
Mas não beijará, (bis) Quero sim, mas se m'as dás.,. Si não supporta não vá, - \
Da tal Dalila só salvou-se a Sra; Si querer, tenha valor.
Etcetera e tal. Não s u como outras mulheres Lucinda e o Sr. Eugênio,.
* Depois^âe tudo avi. tado
Elle me disse : eu sou solteira Que...
— Ora ! Isso lá tant • faz ! Os mais... livra !; ¦
-T* Com ardor e sentimento,
E já lhe amo por demais ; Custam-te pouco, — ahi as tães... # Ainda exijo attestado|JÍA K
Também tenho muito dinheiro, Tira a mão I De seu bom comportam^t^i^s.
E além d'isso sou capaz O Sr. Celestino jornalista-empre-
São ambas tuas... zario brigeu com A. A; e ligou-se ao
De lhe offerecer meu coração. Si de tudo resultar #-
Quanto custam? ; *
Um maridinho sem igual. Tres bintãees... poeta feio. Ser fiel o candidato,
Eu lhe dou tudo que quizer 1 E em bez de uma .. dou-te duas I Que dirá agora o A. A. ? M arcarei dia e logar... ;jj
Para assignar o contracto. «^ ;..
Etcetera e tal (bis) Tatu' Canastra.
Aôh / Aòh 1 CoiSwa.
Chegou a companhia de zarzuelas - •*-.-
O senhor é muito gentil Concepcion Aranaz. *-í.
Eu acceito seu real, c—x Cumulo da engenharia : Parece que fomos vicümas de uma Cumulo de precauçãcfH-'"^
Seu nome e a sua mão ; WJ Fazer uma ponte metallica hespanholada. Abrigar-se do sol em chapéCN'
Kas não acceitarel (bis) ^ sobre o Rio Nú. Estamos de alcatéa e promptos para d'uvas rúM
Etcetera e tal. mostrar que já não somos os maca~
quilos de outros tempos.
Tanto fez o tal maganão, Temos sempre a vendo, em nosso escri- Uma velha beijocava
Que conquistou meu coração, ptorio, bellas modinhas, cançonetas e mo- Sem das cãs terpSjo;
Mas depois de casada nologos a 200 réis cada um, pelo correio A Pepa suspendeu os espectaculos Encheu-me a cara de baba,v
Quiz ter 500 réis. da companhia até principiar a Via- Querendo-me dar um beijo:
gemdeSiizette. O effeito bom ou nocivo-^,
A curiosidade de saber, t Uma suspensão tão súbita, quando Dos beijos, é mui notório ;s-
Esta palavra original Cumulo de carpintaria : Das moças — é nutritivo, ^
— Bater uma cabeça de prego chega outra companhia, é mal grave.
Que me dizia o tal senhor: Cuidado I Das velhas - é vomitorio!
Que quer dizer, faça o favor', com um marteílo de aguardente.

I- ^FOLHETIM 14 Eo rr.e ico cumprimentou também


a I.uizinho e sahiu om companhia
vestes feminis. A um lado, junto a
parede, via-se unia vistosa e com-
mentação romanticamente caprichò^|i\;'
sti que transformara aquelle qüànf .,"*
do capitão Tabyra... moda banheira, embutida em uma tinho em um bijou tinha sido éfflfij
Como os nossos leitores presen- caixa, da^madeira envernisada. Duas ctuada pelo genio caprichosamente^;'
ciaram, o joven Lui-iuho prestara nicftoladas torneiras que havia a excêntrico de uma mulher formp'sá^|.:'
muita aUenção á conversa dos dois seu hido, jorravam-lhe no interior EíTectivameiito assim aconteci^S
homens principalmente no ponto re- grossos fios do água crystalina, que Dona Julinha, dotada, como qüââjl
lativo a icalor», «banhou etc. iam-n'a enchendo compassadamente toda a mulher bonita, -de sentimèn- ..
AOVELLA
Puis bem, inal o capitãoe o me- produzindo um murmúrio suave. tos poéticos, dera aquelle comparti-
A um canto achavam -se uma eleganto mento uns tonsde requintada p.oesiay. >/:
dico, tinham voltado ás costas, elle banquinha estufada de velludo azul não só attendendo ao conjunctp^ífl^^
disfarçou nm pouco, aflm de uâocau- e um custoso tapete, de onde se des- cioso dos moveis que o ornamenta .an. a
___.rd.-__i__.© Pimentel sar suspeitas á tia, e, dirigindo-so tacava o grupo encantadoramente como também ã trescalenci_;|5r^fflfflB
a sou quarto praticou a operação da
poético de Paulo e Virgínia, enlaça- ptuosamente ostonteadora que;ídf^^Hv
!'.•' '!fp_ véspera, isto é : subiu ao forro da
casa, dirigiu-se ao furo que fizera
dos ambos, amorosos ambos, e am-
bus a fitai em-se reciprocamente na
se exalava... ¦ ¦
&ÈWÊÊ-
, /'Alli não havia ninguém; frç||§|||sfe
~J& ò: militar .'dirigiu-se ao interior sobre o banheiro, onde natural- expressão sacrosanta e dulcida do porem, do alguns minutos, LuiziiiííóJ
da_casa, de onde voltou minutos mente dona Julinha iria banhar-se amor puro,—que só brota uma única sentiu rumor do passos que se aprova
apôs,—trazendo oomsigo uma barre- e, uma vez alli, se collocou em po- voz no coração humano !... Enfren- ximavam, e esperou. Brevemente^
tina vermelha encimada per duas sição quo podesse observar o quo por tando a banquinha estava um gné- _,passádos instantes p porte amojtos!'Jí
espadas cruciformes, ladeando o ai- baixo se passasse. Assim collocado ridon de ébano incrustado de ma- da formosa creoulà.assomóuápS?.,
garismo 16. começou de esquadrinhar minuncio- drepcrola; viam-se sobre elle diver- do banheiro. E pomo estava forínos.1
Foce demora? inquiria dona samente todos os ângulos daquelle sos frascos de perfumarias, um n'aquelie penteei dor- azul-clarò :>JÍue|
Dorothóa, vendo o marido predis- quarto do hanh.o. sabonete, uma tesourinha e um lhe desenhava üiaràvilhosamenè-
poí-se a sahir. Era um elegante compartimento espelho de minúscula dimensão Em perfil.delicioso ! - .-";.-. $¦££
Não ; aqui estarei íi hora do de tres a quatro metros de largo, outro angulo, em perfeita symetria Entrou no quartinho, lançou ^ain:!|
almoço. ;„._ • do cujas paredes, com barra de azu- com o mais,notava-se um chistoso e olhar prescrutador.êm." deríedòr dò; 1
Eerfeitamente... lejo branco, se salientavam dois mi- rico lavatorio de madeira preta, si, e, num gracioso*enflòrar. do íatgM
Atélogó, minha senhora,disse mosos etageres de charão, estylo bios coralinos, deixou antever dU-sMa
guarnecido de explendido espelho de 'fj
o medjâj dirigindo-se á dona Do- japonez, alguns quadros dc fanta- christal bisauté. filjirinhas de pérolas de fieilão. j
rothéa. .. sia, e um extenso cabide de metal " * iGoniinúa.) i&n
Até logo, doutor.., branco, do qual pendiam algumas , Era portanto evidente que a orna-

ú
í>t .nsgjti*.,**!-! íaWf.-* Tf^-J-^^l Wv- ?.
ÍIPI
O KIO UKTU ' - 15 PB SETEMBRO

«»-CUBAS E COLLABORABOEAS DO 6EILL0", OEOÃO^ DA lULlM


bieüc: •
j| " .1
QUE APPARECEl|CÁ BREVEMENTE

&W0
mÊÊÊ-
'&r J<. ^^.^^Wny^O D. Plácida Anachro- D. Marocas Funduras ^^ZL~\^-*f . .- :_à Wm
~~*fT; —' NICA •*$&
ÍNNOCBNCIA RlBALTA. WS
Sj \ D- Máscula Telhuda d. Geker sa Poupança D. Fina
Encarregada dos ar- D. Philomeka Mappa-Mundi
í -V (DirectcraJ I Directora das finanças d' «O Grillo» Êrectora da secção theatral B". .Silenciosa Tagarela Chronista ligeira tigs de fundo e dos
! ' -.ncarregaía D. Virgínia Immacilada fundos dos artigos.
•'" das esm ias Directora do serviço telegraphico estrangeiro-
..':, e Pernalia, Fecre-" Pará enorme suecesso c au Directora da secção «Vida Alheia» Para fazer uma chie- |
D. .Mínima aos pobres d'.<0 Grillo..
». Esta
garante
senhora muito conhecida no mundo financeiro Autora de bellos artigos que serão a habilidade que tem de nica, dizem que não Ha quem diga que é
M
taria, muito entendida e-n ao- ' que ninguém lhe dá..-. lições em finanças Ha publicados n' «O Grillo» sob o titulo tter o nariz em todas as Esta senhora além de excellente ha igual, aquillo é zás- bem bóa na sua espe- Receberá por todos os paquetes grossa cones-
sumptos secretjs. entretanto quem affirme o contrario «Para que servem os homens ?» bichas. jornalista, toca rabeca admirável- traz... nó cego I pondencia, com a qual «0 Grillo. ha dé darmoitàí
cialidade. sorte... tfS*?»»». •'
mente.


%A mammadeira A crista do peru tirou-se para o quarto afim de mudar
a roupa.
Um cacete implacável foi vi-
sitar uma senhora, e, depois de
Cumulo de mathematica :
Resolver os cálculos da be- Geoueira -Oh! Então um par de mancitias
Uma senho- Baby, era um in- Baby tendo procurado o avó por tres quartos de hora decide-se a Prompto ? Montaste ? Lep I Lep / A brida corresponde.. -Wy i
Ioda aparte, en barafustou Ttigrt. A um par de
teressante menino de ) sahir. Tem graça I pistolas.
ra, conduziu- t.i_, mal fechado, exaçtamentepelo quar-
H- Solta, bambea; c agora que estribado
cio um filho ao quatro para cinco
annoF, uma tressâs
na ocea-
r.swo-c~i iiYic w velhote-'•ipp.nag de ca-
- Que visita deliciosa, minha/
senhora I Quando cheguei tinha
Já tens o pé, subtü, mignon, rosado,
Faze uma prodigiosa c audaz sortida !
Ora imagina tu-que
o Fm é'tí Êyf.
K"i
coi,'n »;•.-. n"a fm misetn, fazia com perfuniosa esponja' uma lornjiâaveí dor. de cabeça e Gravuras, Vende-se pela 4.* parte zangaram-se um dia seriameato,_jái|
uma fabrica de crianças adoráveis, a sua toilette intima. já do custo, os oliohís, publicados a'0 RioNd, um botequim da rua Pfechlllí^ffltep
que parecem fugidas desappareceu. prestam-se para livros de anedoctas, con- Como a serpente em ancias, mal ferida,
malas e per- de um quadro dos Mal teve tempo de esconder-se atraz — Não creia nisso I... Não desap- . tos, illustrnções, aliuanaclis, jornaes do in- Vibra dos nervos teus todo o teclado kin, e chegaram a vias dtffàW'"''*^*!?
de um movei e de pedir ao pequeno Então estavam bebedos? 'íS
guntn a um dos mestres da pintura pareceu... passou para mim. . terior, eto. E em contorsões de goso sublimado Parece-me que sim.
Ciiiiíeircç : antiga, um d'esses que esperasse um pouco. Suspira, chora. , assim,., assim... querida 1- ~'~S
— O' ll.OÇO, rhc-nsbins que rodeiam as madonas de Baby retirou-se logo que o avô O Fu estava com um par de manja
¦Tftl\l^rrWaMríW mandou, e como nm doido correu §sS8<Piitís5$r«» | ^ Cumulo de cirurgia denta.-._ mas novas em folha, e ncaúge do^niP;
c no sobrado
que tem con_
sultorio o Dr.
Rapbael.
E como.era esperto o Düby, gabava
o vHho conunendador Pynduca, avó
do gentil menino.
o salão. para
Os convivas na aristocrática varan-
da recebiam o especial moka, quan-
m^^ Arrancar um dente da boc- J
' c,7 da noite.
Ai ! que delicia ! Ai! que praser supino I
Vê como em ancias o cavallo empino
E elle sacode o artístico chocalho !
sesperp... ^í-1*!!? •
...Arremessou com 6^^js__fflÉ
mammas,,. no... outrríí""' '/'^iss^ap'-
rJíll
1
§^n_SHoí do Baby appareceu bradando: Exaçtamente.' -'vJiá; "^H^'
O cointriCndador fstfmava em extre- Mas já não posso mais... Páral Eis-me

ii' Sim, minha senhora, mo aquelle neto, rebento fcrte e moço
—Mama, mama. vòvò não comeu
exangue ! '¦¦"$ÊÊÊ0tír
,-
—Fntão
queira ter a bondade de
consentir que eu deixei esla mam-
de sua geiação, que pelo seu lado não
a crista do peru, elle escondeu a
brincar commigo, na barrica... eu paravi I -A.±íia,zon.a, Já do corcel na bocea vejo sangue * fé
madeira aqui-no caminho Jo bul-
cão.
judia c-fittibuir para atigmental-a,
não obstante as a|.plirações liygieni-
cas a que se subnrie-ttia regularmente.
D. Adão.. i
Em vez de espuma.Tregoas ao trabalho!
Tatu' Canastra
I|if
—A' vontade, minha senhora. O r. enino nào p^sfava^ge^o avó, e V --H-- Eu rosldla na Real Grandeza.
;;• Por mais que por modéstia te retraias, Por tilta noite, ti ininba
a moça suL.io a escada eondu- quando o commend; der estava em Tu has de ser a minha tentaçJo I Cumulo de condescenden- l__que belleza damnada 1 Arruluado marquoz, sem porta, um gaga.v.„.
1 fí*-
!";•JE

I
casa, '^ao o deixava um instante, acom- Se uma mulher ausente do QuesíperfeiçSo de contornos I mais nm baío;-:4íÍÍS8 S í5--*t
iSorio, pedin-me nm; canto'9a marqueza,¦"'%?.?&
jjíindo o filho nos braç«'.s. ^. marido A's vezes penso que através das saias, >cia :
.: Meia hora depois cila voltou á patinando-• por toda a parle a encher ^_^. por mais de um anno dá Vejo em teu corpo o meu ideal vulcão.. Trazer para casa o amante
Si fosses, moça casada,
cornos seus infantis sorrises os dias ¦*- á luz um filho, quem é o pae Ai do marido ! qug adornos I Como chovesse e a ma fosse ain lAgo.--'-'-•'at^Sra
vendo a iranimadeira oh- de inrerno do feliz velhote, da criança ? e da mulher para vel-a satisfeita. Usando requintada gentileza, ^--vj"Jí£
— 'Sabem se lá estas cousas I... Será vis^o? Será verdade? Espouca Que cabelleira, essa tua I Cedi meu leito 6. perStlã'nobreza,' :&ÍMã
fede à deixara, inqueriu o caixeiroa
H» -
Um dos seus passeios mais favoritos, A' flor dos lábios um sorriso assim 1 Sedosa, basta, comprida, Roproaeiitndu a'trm.martriíe< tito rtsotr' 'i'?S
Ftjúfm pedira permissão para pru- "era ao
gàilinheiro, onde Baby, t xta-
siava-se aiante de um nedio peru que
iM LsT £ já que a beijos me queimaste a.boajtó, Assim pra traz descabida, B fui dormir, sòrul-deitado e calmo- -^ú
j|ji|S||l|SQbre o balcão.
Ífò|oji,enão Volve a cratera do vulcão p!r.Èjnim'Í^H_ Ao longo da espadua nú»l.,, Por cima de cadeiras arrnmàaas, ãIfi»sS
Sij^_£^|Rxeiro, um tanlo embaraça- engordado a nozes, esperava o dia dos Gravuras, vende-se pela 4.a porte '-j'íi5-'«r Distantes do Sdalgo, mais àV nm

Jj||íiijP||Jn'giu--se
a um companheiro : annos do menino, para ser sacrificado. do custo, os clichês publicados n'l) Eiolfú,- Vamos, morenaI 0 meu desejo euthronn!
Nao mintas, nüo ! So o tfôínçllo te pede
' Atnar .íquollo quo te estima tanto,
E's de belleza notável
Da f Ttnosura és emblema ;
pataoíSÍí_|g
Snbito, o somno em meio - ono eitranh;íiSÍ3!
U:
prestara-se para livros de anedootas, con-
lÉáÍ^^u -'uca' n*° viu a-iui "ma Baby. gostava de vêr o peru fazer
roda e apreciava-lhe a purpurea cris-
tos, ülustraçõea, ai manaclis, jornaes do in- Com que pra2er elle fala Tu deves ser' explendida amazona :
Monta, partamos 1 Vais tio bem commigo..
Fnzo n vontade d'osao louco. E o pranto
Dos olhos tona onsnga. Sim, concede! Hei de fazer-te um poema,
Bella odalisca adorável I
Ouoo uns gemidos, yoses abafadas...
—Era o marques sÍWM
em cima da marquesa ,vfl_ã||! ri
ta, cabida como um penacho, bambo- terior, etc. Mesmo ao ouvido da bella !
Tj|pM-_N'esse logar vi uma mala. Ergue do chão a bengalai Nao fujns da rSifio — Ningncm te Impede TlBEB.O- ifiÚZA.. _íV
leande-se aos menores mtvimentos- ;-'Diabiniio. ' H quando tiprfín. desta jornada fores, De, {irooedcr colijjjiiQalzerufi — Santo Mas se esse espelho tem aço ?
um mammal-a e não disse Arrima-se ao hombro d'ellã..". Seja este amor, tra^o mala temo encanto
ÍM3a?-5-
da ave; -¦j.! A conversinha pachola
Eu hei de te'- adòfnar de brancas flores. Muito me enleva t^aSáien sentir excede...
Não vès a cara de lesma ?
E vendo assim esse braço,
^^-Qt&s que eu havja de dizer?
No dia do festim, o Baby foi cha-
v E os meus cavallos, dividir comtigo I 3 Está distribuidouò>*|^_^
"gnantes
ffeSrrVia
J£,Q caíxeiro, muito desapontado,
mado á mesa para ouvir os brindes;
exaçtamente no jjiomento em que o NA pIlklRA Não se-me dava de ouvil-a...
Que phrases lá nSo burila II
Vae 1 £ qne nm dia no&íoT- dus festas,
"Em melo á.íebre de aoo»âi_^go3os1
Não tens medo de ti mesma ? e acha-se á^SfiaSa
n. 33 do irhportahte-jci^^
iPív,qtfDn-^ejpara a senhora e disse- peru reluzent6j£?pfí||Êi peito estufado Fai o Manoel rt maPa Rosa i\ festa Esse galante-farçolà ?... Quero que tu, morena petulante,
Nunca te.esqueças das pdíxols modestas,* sss. Andre' VI11- de modas La VraièkMddeii
^ÀSmam madeira foi...
perdoe-
de farofa fa__(ÍlalSüa"êhtrada solernne.
O meninÕKdépofcsr^de :obaex:y^,r por
Aiiiboíos doí.i aos irnncose nos linrríincop,
Ello ile jaquotinhn n-nAs mudestíi, -^
Ella de ehaiU novo o üe taji_.anoos^ '. J-fesQ*,
Doces palaVras^aè sala
Ellè, poi certo,-articnlâ, .
De inveja a todoomundo, todo — rales
E todo o fausto levnntiao escales,
E, quando algucm, cm coiifissfies ereravos,
Do
"6)1! Amor,
falfr-te, em martrirraes qiielxoeo<,
nao dlga«, por Deus quo nao "damarasl, Negócios dà^ftina
MÊM
alguns minutos o seu am)j_ír_^ue^go. N'um frenesi de goso delirante I
i.ií4'VÍiícíaro. a distracção... Foi ra desafiava .tf appetite dofc'coiÍYivas, Form.1 í foiia, „,„b„, „, *i.,^r_i_li____|5^_
P'ra que ella. a ^rrií/«engula-
Pensando ser uma bala .'. tyffi?*'jc'*i&8rú* Plik-Plok. —Sabes que estive aa China ? -E_x:E)lei3.caid.eiís i||
Jitthtàffac bllo do i»io na mao a dljji'<lo^Cas'"'^ '•-^jS* Sei, Por signal que- estiveste lá.
notou muito jüdiciosamente: ;.?*?
Mama"onde está a crista^&perú? Convcrsi, ri. ello fioilo^eirti^feBèitóS^S- E si no fim da novella-" "í'\
Quando em ginete meu, bello, arquejante, Funccões, diariamenté^'nõ-CfÍlK
lu augiuentando o lioj© & maííarôCãV^»' Tu fores percorrer montes e valles, com os amigos F» e Ku, tendo até cul- seu Boliche á Praça Onze-"dé^S
A mãe <do.interessante anjinho, riso- A moça treme evacilIa-P-J--
Quero que nos pás o Preconceito estales Cumulo da intimidade: tivado com este relações muito inti- nh_p. Uma infinidade de nóyitfScS
POETARIA nha, com .aquella dnteUigente observa- Ao, vfir mimí&k-jí*'
lingüiça poridurada, - Perdida toda essa ttelai Beijos soltando dessa bocea Manto 1 EstarümWiwo /Kentre mas,,, .
•Dáròvjimior 1... ção respondeu:
felrft ¦*" BO v^^ ffosca rflcfièirnsa..
Eo com certeza om.-tAttto ãvormwIhBâa,- Que a sua bocea distilla 1... moças:1 «j«... Mas não sabes de uma' novidade jpara ver-se quasi de"graça,- aÍ_tiíi_t^B
Foi vovô que a comeu, meu filho. t-Alil quem me dára !» oublçou-a Rosa, 0 teu corpeto rubro £ dcsajtula que te vou dar.
disputadas partidas jogadas' gpf
\ Baby lançou ao ¦ velho - .um olhar «-Nunca te fnrUa I T'arrenego, dlantio !r —"
_'. Arnoio. E as multidões dispepticas at-susta, E' provável; d'ahi, talvez,,. excellentes. artistas.
Cumulo da herculísmo i
alheio de reprovação e retlroü-se amua-
do.
Diz-o Manoel, perdendo aa citribelras,
*—Ah : (jae se a» pilho do tao bom tamanho,' Cumulo de medicina Fazendo traquinadas mil, oternas-^^v. *' Ollolitisliumoritioos om püo-
to-üinco. Vende-se pelfi'*iia parte do
Sabes, jior ventura, a
que palavra lm i_9
.oculista : casto, os ohicbés publicados n'0 Rio JVií, portugueza conesponde a palavra cMY
Levantar #em kilos com Findo o banquete e como o com- Jntí fazia deltas... mammaJtirjs ! * - Vamos, morena 1 alarga esse decote
preatom-fle para livros de contos, anedoctas,
neza Mamma ) Cumulo do somno i ..•??_
«.força do Dfttino. mendador sentisse a camiii.suada.re- Descobrir- uma cata- Tira o calção, empunha o meu chicote, Não. Dormir ím úma csms-ydtv
Tatd' CaxasiRa. racta n um olho dágua. almanaks illustrndoB, jornaes do interior,
Enflao pénoostriboe...abre essas pernas], eto., etc. ¦¦ÉSsW" ^ -*jA pistola i vento. *
-ry :ili
.'finl

fe;«-ífíí-:j--,çf!-.,;',ssi('y . iflKffitlfaaBíio^n r^.ií^V^^.fe^llr-i., 5tfC


^i^^,^iwp^pi ip®^^»^ |rp^psw,w^" ^iffSSP^
IIF-Ff
O RIO NU'-15 DE SETEMBRO

,>J. •]', ,.|i. .,¦¦¦»


A
^„ „¦.. ^w -]>? ^p, ^,-
->|M"yr*,-
— Posso entrar?... Diz o Camacho
—Não senhor I... Diz a morena,
E p'la't porta da pequena
Andou de cima p'ra baixo, rr-.' .*T*» -d4* «-T-. "-T* **T*. *T* **T** **T-* **T** **|**'''»p.'
Para aaabar
(Ao Du. Sello)
tu não gt. stas, ó meu Sellinho,
Estava sarro o Camacho 1 coisa velha
P'ra fazer com ella... um trecho Resolvemos adoptar esta secção que eue que eu já sabia.,,
f, Continua aberta esta secção. Da- Ai 1 tu, meu Sello, já estás no fim...
remos em cada numero dois versos Ao que a bella diz : «Eu deixo, alcançará talvez o suecesso do Motte
,qué devem ser glosados pelos con- Mas. só co'esta condição,..» a Concurso. Formularemos em cada Não tens carinho ^
cuxrerites,, para os quaes fica estabe- ArV-- it-o*a-a o maganão, numero uma pergunta em verso, que Nem alegria,
«lécido um premio mensal. i Ej.: .utrando de queixo. deve ser respondida, também em E's um pudim...
verso, pelos nossos leitores As res-
H O resultado deste concurso será Frei Cornelio. Pobre doutor I como eu te choro !
Ssèmpre publicado com intervallo de postas não devem conter mais de oito Estás, coitado, qual bananeira
;;um numero, sendo as glosas recebi- versos nem menos de dois, e podem
Tinha a Marocas um tacho... ser feitas em quadras», sexülhas, ou Que já deu cacho, que nada vai,,.
. dás até a véspera da publicação do Da mãe saudoso presente, Nem um namoro !.,,
i,numero anterior. oitavas, á vontade.
Atraz d'elle... muita gente
Para a pergunta : Que desgraceira I
;íi{. Para o motte: Andou de cima p'ra baixo... Sorte fatal!
Só Symphronio do Cartaxo Annunciaste, meu pobre Sello,
§& Andou de chnafra baixo Rapaz duro como um seixo, Para a pergunta :
||. ,, E foi entrando de queixo. Um dia, no remeleixo... Com uma pequena, meu caro amigo, Que precisavas de um bom remédio...
Ninguém mandou-fo, ninguém! ninguém,
Entre trocas e baldrocas Se um taljoguinho bem bom fizeres t
Poude embrulhar a Marocas A escolha tendo moderno e antigo, Esse ílagello,
}. Recebemos as seguintes glosas : E,foi entrando de queixo... Meu Deus, que tédio 1
• Abre, meu bem, que eu encaixo. Qual o systema que tu preferes ? Termo não tem...
5 Dizia Jucaá Roupa Velha. Recebemos as seguintes respostas : Descrente agora, tu vens dizer-me
Jusüna,
.Que p'ra tirar-lhe... a botina
O Conegundes Camacho Eu bem sei que o moderno é -supimpa, Que já não gostas... eu acredito...
,-Andou de cima p'ra baixo; é de luxo, da moda, e gos ,oso, Ai I sim I eu creio, caro doutor!
"Nesse Na noite do casamento, ue se encontra no cujo outro goso
pequeno rebaixo Não parou um só momento eue Audas inerme,
J-Qnde é bom o remeleixo Diííerente do antigo... mas ai ! Nem um apito
Andou de cima p'ra baixo. E'de estrondo esse tal grande invento,
l E por onde agita se escoa, Do amor, accendeu o facho Tens por favor f
;;Àçhcu a cousa bem bôa Mas não acertando o eixo, Do qual tremo, deveras, com medo,
/Efoi entrando de queixo... Pois além de sujar o grão dedo Creio, portanto, bem alto o digo,
P'ra fazer o remeleixo, Inda esfolla-se o dito Papai. Que tu não gostes do tal brinquedo,
%¦ K. FlFE. Por já ser um tanto brocha, Fulano de Tal. O' meu Sellinho, meu Tubarão I
Largou a sua cabrocha
Cornelio Cosme Camacho E foi entrando de queixo. Ma?, sou amigo,
Querendo metter no bucho O Dr. Sello dirá, sem duvida, Ouve um segredo,
"'Uma Deisóziniio.
pequena de luxo Que o tal moderno prefere logo ; E' uma lição:
Atlmu de cimap'ra baixo. Mas elle é carta fora do jogo,
Para o próximo numero offerecemos Pois, como sabem, deu em pintor. Tens um collega que estimas muito,
Mandou-lhe mais de um despacho, o seguinte motte: De velhos tempos, amigo velho,
Fez da menina o seu eixo, Mas eu que forte, de sangue calido,
P'ra fazer economia Sou, como sabem também, amigos, A quem te liga do amor o nó;
E do negocio o desfecho
Foi que o damnado do bicho Contava as taboas do tecto. Prefiro sempre gosos antigos, E' bem gratuito
Susteve sempre o capricho Glosas até terça-feira. E pelo antigo voto em amor. O meu conselho :
Efoi entrando de queixo. Arnold. Vae ao Deiró I
Arnsld. Tenho certeza do que garanto;
Temos sempre a venda em nosso escri- Ora bolas, cebolorio I Se o que te digo logo fizeres
ptorio, bellas modinhas, cançonetas e mo- O que eu prefiro é o antigo; Terás de sobra força e valor
A tâWSBHalra Barbaxo
"-.— nologos a 200 réis cada um, pelo correio Tem por certo mais perigo,
Um mulherão de espavento — 500 réis. Mas eu cá não sou gregorio /... Para no canto,
No dia do casamento Entre mulheres,
Andou de cima p'ra baixo. TlPINIQUIM. Fazer furor I
O casotetrico eu acho ú
E embasbacado me deixo;...
Ingenuidade Em declaral-o não tenho escrúpulo, Vae, meu Sellinho, que Deus te ajude!
Julinha que estás fazendo Embora digam não ter bom gosto : Eia 1 coragem, que não é tarde ;
.Eis a razão : o tal Rocha Gostando immenso de ver o rosio Não levo nada pela lição:
Que é delia esposo e que é brocha, Tão calada na cosinha ?
'Stou deitando Durante a grossa, boa, funeção, - Cria saúde
Não supportando o repucho água no fogo
'Metteu a historia no bucho Para o café, avósinha. Desprezo, é claro, moderno péssimo E Deus te guarde,
E foi entrando de queixo E busco logo systema antigo, Meu Tubarão I
Julinha tu não me embaças, Co'o qual eu sinto, cá pelo umbigo,
Jacomo Menino. Com alguém estás conversando; Coisas gostosas, de sensação. Arnold.
Não estou : avósinha. é água
:, Ria rua andando, um borracho André' VIII.
: Sujo qual «homem do lixo» Que no fogo está chiando 1
(Ai! que per pouco me espicho I)
j¦Andou
décima p'ra baixo,
¦>Çahiu ao chão,
E esse grito que tu deste ?
Anda... responde bregeira !
Avósinha, assei o braço
Não sendo dos condemnados
De Sodoma ou de Gomorra.—
Eu respeito os predicados
GAVAÇIO...
foi capacho
..Dos transeuntes, qualseixo, Nesta maldita chaleira. Com indolente pachorra.
E sempre no remeleixo Vèlhaquinha ?... deste um beijo;
Foi carregado pVo arrocho Mas se, amuada a pequena,
I¦;Do
xadrez brutal e chocho,
E foi entrando de queixo
O Louro.
Estarei pois enganada?
Avósinha são estalos
Da lenha que está molhada.
Me nega o sorriso terno
E me vira a contra scena,
Vou mesmo pelo moderno.
37 Mm^ 437
E a velhinha desconfiada, Photus .
Isto que eu aqui encaixo D'essa innocente «santinha» .
Disse-me o Zé em segredo; Cá na minha opinião
Resolveu ir vagarosa, ~* Gosto mais é pelo antigo,
«Que com a Fituca Azevedo Surprehendel-a na cosinha.
Andou de cima p'ra baixo Pois, não sou lá muito amigo
-Alegre, feliz, coütente Ao chegar lá a «velhota» Da panella do feijão !
Até que a vio de repente
¦ Cahir n'um bom remeleixo ;
: Elle então inebriado
-A vergonha poz p'ra o lado
Se benzeu embasbacada:
Nos braços do primo Zéca'
Era a neta reclinada I
Deiró inho.
Qual eu prefiro?-pois já lhe digo:
Prefiro sempre dos taes systemas
55 A Ó5Í'] .
Vejam só que desaforoI... O que merece grandes poemas
j.Efoi entrando de queixo.» — Systema antigo,
&" Alfeniii. Grita a velha impertinente,
Avósinha que tem isso?... O Louro.
Diz a neta ingenuamente :

66 *"|J|
.'Muito triste e cabisbaixo,
r A soífrer O moderno, eu agora confesso,
grande repuxo/ Avósinha não lhe abraço,
--¦Queimando
[Andou
;';«?alavra
ainda um cartucho.
de cima P'ra baixo.
que eu não relaxo !»
-Jurava comsigo Aleixo,
Não lhe beijo com fervor t
Que eu abrace e beije o primo,
Não faz mal ,. «E' tudo amor...»
Preferia... por esta razão ««3;
São melhores asleisdoPrògréso...
E,o antigo é mais velho, .«que Adão.* 466
Ro.upa Veli
:.«I*alavra que eu não a deixo!» • J. Baptista Nunes.
E não é que o tal gorducho — • ¦*¦• — Dois systemas eu tendo a meu ladçj£>
Venceu da menina o luxo Minha escolha bem podes prever --;V
,'JS-foi entrando de queixo !,.. í.^ àkS Um rapaz vai, confessar-se Si o antigo estiver carregado,
Akdre' viu. <r-~***%, para casar e recebe a absol-
^i^ x
viçSo da*'padre, depois do Vou no outro meu jogo fazer."
*!¦¦" acto de contricção. Frei Cornelio.
Certa noite D. Camacho, Então, meu padre, não me dá
, Cò'um morenão mui chibante, nenhuma penitencia ? p Fará o próximo numero offerecemos
Sem nunca levar avante . * Para que filho ? Pois queres maior, a seguinte
Andou de cima p'ra baixo : não te vais. casar? ,-v-r
De fogo, qual novo facho, PERGUNTA:
Já sentia um remeleixo Se uma bella rapariga
Nos arredores do eixo ; Ollcliós liumortstlcos om plio-
to-zinco. Vende-se pela 4,a parte tio Deixa ver a perna, agente ;
De repente o caradura Preciso que alguém me diga
Deu certo na embocadura custo, oa clichês publicados u'0 Rio Nú,
Efoi entrando di nufixo. pmtain-se para livros, de contos, anedectaa, Qual i a cousa que sente i
almauaclis íllustrados, jornaes i> interior
LuruMACA. etc. etc % Respostas até sexta feira. Chico Ficha. | ffe|'
**—— i .,<;}

_ ?35=aiB¥ -w *r ¦: ~- . •,;:U*4:„iJ«:3^ -i:,i -Iss^&sisá.


¦WH.ij».i.ja|ji|.i.|.i-'

O R10-NU'—15 DE SETEMBRO

ROSSA ADIVINHA
far Colosso O
TORNEIO DE SETEMBRO
PremiaremoB- os dois primeiros.
°—3 H-A. 5»-»
1
51
3o
ENIGMA P.TTORESC0
FAMILU PG4lf.4IMIGANA
Attençâo
h Solteirão
Capas forrada i
r—H
ÁLBUM DE CALIBAN, contos alegres
grandes riquissi- por Coelho Netto. 6 laaciculos publicados
mas enfeitadas cau- tjue se vendem separadamente a 1S500.
— É mna edição nitida e de luxo.
sar inveja custitram
758550 vende-se
'
I

CONTOS PICANTES, leitura para o la-


LIQriDAResco- verno. Contos escolhidos de Catulle rten-
dês, Armand Silvestre, J.Gayda eoutrns,
lhei- 30» até 356 ; traduzidos do francez. Ha 13 fascicnlos
blusas, casacos, ma- publicados que se vendem separadamente

BÊÈi tinées senhoras mo- a 8500.


çns3S5ooaté48500; FILHOTADAS, casos d'0 Filhote, por
ruge; gase; crepe Plerrot. 1 vol. com capa colorida 2S000.
enfeitar vestidos CONTOS PARA VELHOS por Bob. 1 vol.
18500 até 2*500; cassas biancas com capa colorida 18000.
PiNTAMOXOS.
3t largas, bordadas salpieos #5oo ; NOVELLAS AMOROSAS. Contos alegres.
tesouras unhas custuras, tesouras 1 vols. publicados a ISOOO.
CHARADA NOVÍSSIMA
• i-rrEste pintor isolado faz moeda pequenas para trabalhos finos, PIMENTÕES. Rimas d'0 Filhote, por PaiH
& Puck. 1 bonito vol. com capa Ultirtrada
Setepilho . pedras louzas para crianças colle- 2(5000. Pütf & Puck, os distinctoB poetas
32., gios livros, papel, tinta, para que abrilhantaram as colwnnas do bregeiro
cartas. Filhote, reuniram neste volume as suas
CHARADA BISADA
melhores poesias que certamente serão
3—Montanha-BA=Homen. 2.
Sottam A. ' BOM CALÇADO apreciadas pelos amadores, mormente en-
faixadas num livro elegante e bonito como
V Botinas bezerro sola forte ho-
ax£__l é a presente edição. Qnem bSo Ptjff &
Puck o leitor saberá melhor que nós com-
CHARADA CL0VIS (*)
mem 7$; chinellos liga 22 até 27 prando o bonito volume. O certo é que
crianças 18(300; borzeguis melho- são dois pândegos que se propuzeram des-
[Aps colkgas) res pelica preta senhoras 98 são enrugar a carranca mais tristonha nestes
tempos em qae a libra anda pela hora da
E' lettra e lago também garantidas sola,- chinelos liga ra- morte.
Que no começo verás, pazes senhoras 28; sapatinhos
Pessoa tola, armadura, LILI. Romance realista por Elyslarlo da Silva
crianças 3$; chinellos cara gato 1 vol. I$000.
E planta nas horizontaes.
melhor qualtdade que pôde ha-
JORGE DO BARRAL, por Emmanuel
JuUo e feio animal ver para homem senhoras 38500; Guimarães. Romance naturalista. 1 voL
Em seguida encontrarás sapatinhos brancos com salto 18
Para cá ou por aqui, de 301 pags. 3S000.
Multidão, nas verticaes.
í
até 24 58, sapatinhos lã crianças
800; sapatos xadrez
Estes livros acham-se á venda na Í~IX3
senhoras
Bebida e bello legume, - moças -48900; botinas amarellas, Livraria de LAEMMERT 8 C.
Neste animal tu terás,
homens 98500, botinas bezerro
Um páu será esta agora
Da esquerda ás transversaes. preto ponto primeira grande sal- PQ 66, RIO DE JANEIRO
• nas suas Uliaes em S. FÀUL0 • RECIFE.
do fresco custavam i8$5oo ven-
Quem gosta sempre venera,
Eeste animal sempre espreita. de agora II8000 quem vier de
Pois é frueta ao terminar, * [onge ao bazar lucra todas des-
Nas transversaes da direita.
pezas.
Aymoré'.
34
PERGUNTA BNIGSUTICA

Qual a mulher que é bebida vene-


nosa ?... - 3.
Deiró Júnior.
Ferros de Ciigomar limpos pa-
recém prata grelha segura tama-
nhos escolher 385oo; chinelos
courinho senhoras 38; galão seda
GrONORRHEAS
todas cores ; rendas todas cores «3i333096r^H^HK-»J>3íiD9GGGe -ÍGG GGGS
EXPLICAÇÃO C) g€»é»G<iG<3

Charada Clovis — E' mais uma en-


valencianas preços sempre difíç.-
renças talheres 48.X10 meia dúzia; Antigas ou recentes, | lOQ I Evita os estrei-
genliosa e bella invenção que hoje
pratos só fundos granito 385oo
¦<

apparece graças aos esforços do nosso


apreciado e .Ilustre collega Aymoré' dúzia, i89oo meia dúzia: set - curam-se
-cujo mérito já é conhecido nas lides netas escolher 85o ; metim tran- tamentos
charadisticas. çado escolher 540; escossia barra rapidamente sem
A figura e oaneio de decifrar acham- e as operações
se n'este escriptorio a disposição dos 5oo ; cordão barra saia 140; co-
illustres collegas, pos òem pé 28 meia dúzia; até injecção consecutivas
sabbado desia semana entram
Decifrações do n. 226 :
Ártica, Aleorána, Entalha-Entalho ,
Sarasa-Sala-Sacala. Aço-Oça, Horas-Ho-
para bazar louças brancas pinta-
das oxinóes granito tijeias chica-
ras pires ca.ler^uinhas café appa-
somente com o oi 1 A' venda em todas as dro-
vas Ateu (não decifrada). í garias e pharmacias «Si-
reinos granito pintados tudo tor-
Decifradores:
A-meré6, Sottam A 4, De«jBalqaor-
lado 4, Zeze 3, P. Nico 3, Setepilho 3,
K. Mello 3, Assim 3, Dr. Tréporaba 3,
te miinoso.ria barateza è esperar
para na';barateaa,.comprar no Ba-
zár Colosso da família Pernam-
O DEPOSITO GERAL
"'

Chuchanodedo 3, Manebocó 3, D. Ml-


nhoca 3, Zé Raspado 3, Peralte. 3.
bucana rua Hãddock Lobo n. 4,
em frente igreja largo Estado Sá D:', Caetano da Silva \ Rua da Quitanda\~4f
CORRESPONDÊNCIA
Aymoré — O felicitamos pela enge-
nhosa invenção é~ pena que o Ülustre
junto açougue e previnimos que
parede meia n. (5 tem uma loja
que pertence a outros nós só ga- Medicamento purameulo vegetal
O
collega tenha escolhido um titulo tão rantnnos estes preços no bazar.
immerécido. Summanente agrade- ÍMíDEQMSB c«S5 (X™*"
cidos. Rogamos o obséquio de compa-
recer nesta redacção.
Matttboco c Çhupanodedo—Sempre ás
ordens dos illustres collegas.
"";.;' 'Clòvis.
RUA HADDOCK
(Largo do Estacio de Sá)
LOBO
GONORRF
~*m^j* ,-Cl
/ ;<-;'.•<•"•;'¦ ?;.-Jt\-->--t'-' ¦'J:.'.''-.'ii.'..::t:*3:..-^.ií-. .-V_
jHX=

O RIO NU*—15 DE SETEMBRO

EU ERA ASSIM
Contra lados mio ha ni-ijuiiieiilos I * : IOín as pnovas !
J5U I «A ASSIH EU XüR \ ASSIM
O Sr. Pctrnliillio Manoel do Olivoiru, A Exmu. Sru. D. Amin Aurora, resi-
residente na Kaij da Serra da Estrella, dente á rua doa Arcos n. TI, ha imiis de
Boffria febre, tosse pertinoz, pontadas e dois turnos nüo podia dormir com uma
vômitos, ficando ourado cora moio vidro
O mais popular remédio até hoje conhecido d« Xarope do Alcclrâo c Jatuky de Hoqo-
tosse horrível, muitas dores no peito e
espinha e falta de appctite. SÓ com o uso
O Xarope AA.aa.trao e Jatalay rio do Prado, que lhe foi offerecido
por de um vidro de Alcatrão e Jatahy já dor-
empréstimo pelo seu amigo o Sr. Luiz
de Honorio do Prado Gonçalves, padeiro da visinuança.
me a noite inteira, nao tosse e acha-se
contentissima.
Cura .tosses, bronchites, asthma, c oqueluche, escarros
Gorai Aceitação lllm. Sr. Honorio do "Prado
de sangue, etc., etc. Uma gentil e innocente filhinha do Sr. Luciano Pereira dos Passos, piloto hono-
Depositários Geraes: J. M. Pacheco & C.-Rua dos Andradas, Joaquim X. Baptista, residente & rua rario da armada nacional, atteata
59 D. Marciana n. lá ourou-ae de coque- que,
soffrendo de bronchite chronica, curou-se
"J'%llrica; luche oom dois vidros de xarope de Alça- eom o xorope de Alcatrão e Jatahy,
HUna -â-® kawa-àto, 111 - VIDRO 2$000 trão e Jatahy, io pharmaceutico Honorio
do Prado.
—Lr/ciAKo dos Passos.
Rua do Riacfiuelo n, 201.

COMPANHIA DE LOTERIAS NACIONAES 00 BRAZIL


DlB
5DE: CAPITAL
FMRAL-Rua Mova do Ouvidor ns. 9 e 29 A-Caiia do correio n. 4i-Mereço Telegraphico-Loterias
ERNESTO SOUZA = : GRANDE LOTERIA DA^CÃPITAL FEDERAL : =
CURAM EXTRACÇÃO INTRANSFERÍVEL
SalotoõLcio—15 do corrente-Sabbado
A'S 3 HORAS
4í — 13a

Em todas as
Ê m • m mm mm Ivi mm mmm
Ithartnacfas «
drogarias.
Em bilhetes inteiros a 6:$000 e em oitavos a 750 réis
DEPOSITO GERAL •—»» ¦¦»¦+»» -» ¦*¦» ,—
á ™d1„n,M •«•Mi«» de Luiz Velleio 4 C, rua Nova do Ouvidor n. 10 endereço°aixa
DROGARIA
*" Mm!10 817' e 6/m3e8 g"*»
.Mm rnzlríír68™^"'?6 * °-> bte™ daa Caneallaa n 2 A, endereço telegrephioo plÊlN
teleira
tSZaW^&JZL m™"<"S™™ quaesquer pedidos, rogaudo.se a maior clareza nos direoçSes! AcoeSseZtí dó
rTtaterírfr' fZTS Je
B>*xmmco T'",tSJ0S<, c°mmi8«i'>* °* «¦»»- ««ae. -o reeebem e pagam bilhetes
£\. RUA
Cjta tc&mLÇA^?™

fiOHORRHEAS £ STPHIL1S
prcnüXd»

.DOS
CURAM-SE RADICALMENTE COM A
Grande
ANDRAJMS
I IT DO DR. EDUARDO FRANÇA eCollecção
[¦! A il Adoptado
na Europa
e)
REMÉDIO
«iSSULBH SEU G-OBiST/RA IXE

ERNESTO DE SOUZA
r oneiiitcs,
Asthma,
31000
PREÇO

GO

DEPOSITÁRIOS tb"
. m -.
cura erncaz jas rriolestias
de pelle, feridas, empi-

-w pés. assaduras,
a, 200 lE-òéis
gens frieiras, suor dos Cada uma no escriptorio
I

LI
Rouquidão do

Tuberculose
Tosses,
NO BKAZtL
ARAÚJO FREITAS & C,
manchas, tinha,
sarnas e bro-
mo XI?
pulmonar 114, Rua dos Ourives, 114 Frontao V. Fluminensf}
E S. PEDRO, 80 toejas.
Medicamento sem. rival,
E na Europa CARLOS ERBA 104 MAM LAVRADIÕ

NA
que por seus effeitos tem 104^
o cognome de MILÃO (antigo Polytheama)
A VIDA EM VIDROS Vende-se em todas as pharmacias (ZRANbÇS
PREÇO 5$000 e drogarias
ÍIMIE]
Drogaria
Andradas 59.
Pa-
checo, rua dos
Bazar CoIIoSsb DA gf" X>vijpla,s e
" Simplas
FAMÍLIA PERNAIBDCMÍ EUNCÇAO DIÁRIA
MUSICA KMBANDEIBAMENTO
Mais populares
4 — RUA DO HADDOCK LOBO — 4
fr-orgo do Entaolo d* Si») . J*fe
"im mais suecesso tem causado OS MELHORES
'*«os theatrosi Fazend3fs,armarinho,ferragens, lot*ça,sapataria,perfumaria etc.
poi
PEL0TARIS DO BRAZIL
PREÇOS SEM RIVAL SP0RT ATHLETIC0
'iptorio Ninguém u? illuda, barato e bom só no BAZAR COLOSSO da Ao Frontão Fluminense
Família Pernambucana. .04, Rua do Laradio, 104
"T

fà.» »**»^R*t».-
J
-¦»*,-*

Centres d'intérêt liés