Vous êtes sur la page 1sur 6

PU!:fl,,~CADO NO 0:.

'\:1'0 DA JUSTIÇA
o@",R?é......0,.a..;...:L1..... P. ~b \
I

Em,,,ri..:..,_..Q5.......5._L~
'l'"
i
~ ,
e 7

PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DE MATO GROSSO

ACÓRDÃO N° 11.671/97

PROCESSO N° 02/96 - CLASSE" VI"

PROCESSO CRIME ELEITORAL - NOVA XAVANTINA

AUTOR: MINISTÉRIO PÚBLICO ELEITORAL

RÉUS: SEBASTIÃO CARLOS TOLEDO, EDGAR HONORATO DE


SOUSA e ROBISON APARECIDO PAZETTO.
(ADV. DR. PAULO DE TOLEDO RIBEIRO JUNIOR)

RELATOR: EXMO. SR. DR. IVAN SZELIGOWSKI RAMOS

EMENTA: AÇÃO PENAL ELEITORAL - ARTIGOS 107, V, DO


CÓDIGO PENAL E 260, DO CÓDIGO ELEITORAL -
PRESCRIÇÃO.

Antes de julgada ação penal eleitoral, fulcrada no artigo 260


do Código Eleitoral, e se decorrido mais de 04 (quatro) anos
da data da prática dos atos e fatos geradores daquela, é de
se declarar a extinção da punibilidade, com a liberação
processual dos acusados.

.~~~~~________________________J
BIBLIOTECA
TRE/MT
------------------------.~

r.. I

."

ACORDAM os Excelentíssimos Senhores Juízes do Tribunal


Regional Eleitoral de Mato Grosso, à unanimidade, em declarar a
extinção da ação penal, determinando seu arquivamento, de acordo com
as notas taquigráficas em apenso, que ficam fazendo parte integrante da
decisão.

SALA DAS SESSÕES do Tribunal Regional Eleitoral.

Cuiabá, 21 de agosto de 1997.

Des. SAL

Relator

~,
Dr. ROBERTO CAVALCANTI BATISTA
Procurador Regional Eleitoral
:

TRIBlJiVAL REGIONAL ELEITORAL

DE lf,lATO GROSSO

1VOTAS T.4QUIGR4FICAS

(19.08.97)

PROCESSO N° 02/96 - CLASSE VI


ASSUNTO: PROCESSO CRIM:E ELEITORI\L - NOVA XA VA..l\ITINA.
AUTOR: lvílJ."\iiSTÉRIO PúBLICO ELEITORAL
RÉUS: SEBASTI..\O C.t\RLOS TOLEDO, EDIG.A..R HONORI\TO DE SOUSA E
ROBISON APARECIDO P AZETTO.
RELATOR: EXMo SR. DR. IVAN S. RAMOS

RELATÓRIO

o EXl"fo SR. DR. IVAN S. RAl\10S (REL.)


Trata=sc dc ação pcnal proposta pela ilustrada Procuradoria
Regiona1 Eleitom1 contra SEBASTIÃO CART .OS TOI.EDO, EDTGAR
HONORATO DE SOUZA e ROBISON APARECIDO PAZETTO, como
incursos nas sanções previstas no Artigo 290, do Código Eleitoral, cuja
retrospectiva encontra-se relatada às fls. 295 e 296, através do f. parecer de
lavra do eminente e operoso Dl'. Roberto Cavalcanti Batista, 1\IID. Procurador
Regional Eleitoral, cujos tennos assim adoto:

iilnicialmente. a Representação feita


pelo Partido da Frente Liberal contra os réus,
junto ao Juízo da 26 a Zona Eleitoral, gerou a
instalação do inquérito Policial e
encaminhamento do processo a esta
Procuradoria em. razão da competência por
prerrogativa de função, visto que um dos réus,
o Sr. Sebastião Carlos Toledo, passou a
exercer o cargo de Prefeito do J'vfunicípio de
~l\fova X avantina.

Feita a Denúncia por este Órgão,


posto que os réus induziram eleitores para
transferirem seus títulos eleitorais, os autos
entraram na pauta de julgamento da Sessão
Ordinária do e. TRE, sendo posteriormente
retirado por solicitaçtio da i. Dra DaiS)!
Aparecida Tessaro, então Relatora, que, em
razão da pena rmnmUl, abriu vista à
Procuradoria para eventual formulação de
proposta de suspensão condicional do
processo.

Às fls. 265 e 266 o e. Tribunal


Regional Eleitoral recebe a Denúncia
oferecida, diante da suspeita de autoria e
prova de materialidade dos fatos e concede o
heneficio da suspensão condicional do
processo.

Às fls. 285 a 289, os réus alegam a


prescnçao da pretensão punitiva in li

abstrato" (art. 109, f~ do c.p, aplicação


subsidiária), e, como conseqüência, o
arquivamento dos autos. "

Em seu parecer, o órgão ministeriaí, verificando a procedência da


alegada prescriçãü, manifestüu-se pelü acülhimentü dü pedidü fünnuladü
pelos acusados, com o arquivamento do processo.

É ü relatórÍü.
.,
"

o Exr"fO. SR. DR. ROBERTO CAVALCÁi~TTI BATISTA (PRE)


Ratifico o entendimento.

VOTOS

o EXMo SR. DR. IVAN S. P~l\10S (RELATOR)


S1'. Presidente, Eminentes Pares.

Estabelece o Artigo 1.07, IV do Código Penal, aplicável


subsidiariamente à ação penal eleitora! que extingue-se a punibilidade pela
prescrição, sendo certo que nos termos do Artigo 109, V, antes de transitar
em julgado a sentença final, a prescrição verifica-se em 04 anos, se o máximo
da pena é igual a 1 ano ou, sendo superior, não excede a 2. Por outro lado, a
pena capitulada no Artigo 290, do Código Eleitoral, é a de 2 anos de recÍusão.

Examinados os presentes autos, verifica-se que, efetivamente, de


fato e de direito, encontra-se extinta a pretensão punitiva do Estado, na
medida em que a presente ação se reporta a fatos ocorridos em 1992,
impondo-se a liberação processual aos acusados.

Desta forma, evidenciada a prescrição pela pena fixada em


abstrato, cumpre-me declarar a extinção da presente ação penal, o que ora
fuço para todos os fins e efeitos de Direito, com o seu conseqüente
arquivamento e integral liberação processüal dos acüsados, mediante as
devidas e necessárias anotações nos registros competentes.

É como voto.
· "

o EXMo SR DR. ALEXANDRE VIDIGAL DE OLIVEIRA


De acordo com o Relator.

o EXl\1° SR. DES. JOSÉ TADEU CURY


De acordo.

o EXMü SR. TlR. RUBENS DE O. SANTOS FILHO


De acürdü.

" E,r1ll
U C" ..........
ArO
A1\'1. ~K.. uC"
lJ.r.,~.
JOSE~ LI"'f'" T1I
l4'C"
1n1-\. ROD KlulJ.LI~
Tr"<
TT

De acordo.

o EXJVr SR. DR. EVANDRO STABILE


De acordo