Vous êtes sur la page 1sur 29

Ventilação – Ventilação natural e forçada.

• Renovação do ar;
• Ventiladores: tipos e características.

43
Ventiladores – tipos e características

• Ventiladores são máquinas que produzem


fluxos de ar ou outros gases, com vazões
relativamente altas e pressões baixas. A
utilização é ampla. Há uma variedade de
aplicações domésticas, comerciais e
industriais.
• A energia mecânica (rotação) é fornecida por
um motor elétrico, com eixo de transmissão
de movimento acoplado às palhetas do
ventilador.

Projeto de Condicionamento de Ar

44
Ventiladores – tipos e características

• O motor e o ventilador podem ser ligados


diretamente, ou seja, utilizando o mesmo
eixo do motor (utilizado em pequenas
instalações, ou por meio de correias
(instalações de maior porte).

Projeto de Condicionamento de Ar

45
Ventiladores – tipos e características

• O ventilador centrífugo é usado em


instalações de ar condicionado. O nome
centrífugo se dá porque o fluxo entra
axialmente e sai na direção da força
centrífuga (sentido radial).

• O ventilador axial ou tipo hélice tanto


entrada quanto saída do fluxo de ar, se dá de
maneira axial. É utilizado geralmente em
sistemas de exaustão.

Projeto de Condicionamento de Ar

46
Ventilador centrífugo – componentes

Projeto de Condicionamento de Ar

47
Ventilador axial – componentes

Projeto de Condicionamento de Ar

48
Ventilador centrífugo – saída de ar

• Os ventiladores centrífugos são fabricados


de modo que a descarga pode ser feita em
qualquer direção.

Projeto de Condicionamento de Ar

49
Ventilador centrífugo – tipos de rotores
• A (pás radiais planas): para trabalho pesado,
com partículas em suspensão e abrasivas. O
rendimento é baixo.
• B (pás curvas para trás): vazão média, ar
limpo, baixo nível de ruído, alta pressão,
rendimento médio.
• C (pás curvas para frente): alta pressão, tem
maior capacidade exaustora a baixas
velocidades, rendimento médio. Permite
vazões mais altas com diâmetros menores.
Não adequado para abrasivos e materiais
pegajosos.

Projeto de Condicionamento de Ar

50
Ventilador centrífugo – tipos de rotores

• Pás radiais retas: São constituídos de 6 a 20


pás radiais retas. São barulhentos, com
características de baixa eficiência e de
rotação, com alta pressão.
• Trabalham com ar ou gases contaminados.
• Vazões da ordem de 500 a 150.000 m³/h.
• Pressões estáticas da ordem de 30 a 600
mmca.
• Suas aplicações são: exaustão de pós, gases,
fumaças, vapores, exaustão de detritos de
máquinas, entre outros.

Projeto de Condicionamento de Ar

51
Ventilador centrífugo – tipos de rotores

• Pás curvadas para frente (Siroco): Possuem


mais de 60 pás curvadas para frente, cujas
características são a movimentação de
grande volume de ar em baixa pressão. Seu
emprego é limitado à movimentação de ar
ausente de impurezas. Operação silenciosa
em instalações de ventilação e exaustão.
• Vazões da ordem de 200 a 200.000 m³/h.
• Pressão estática entre 5 a 80 mmca.
• Utilizados em ar condicionados, câmaras
frigoríficas, torres de resfriamento, entre
outros.

Projeto de Condicionamento de Ar

52
Ventilador centrífugo – tipos de rotores
• Pás curvadas para trás: Possuem normalmente 12
pás curvadas para trás, no sentido contrário à
rotação do rotor. Apresentam baixo nível de ruído,
com movimentações de médio a elevados volumes
de ar. São bastante utilizados em situações onde há
grandes variações de fluxo de ar, como em sistemas
de aeração. Movimentam-se a aproximadamente 2
vezes a rotação dos ventiladores Sirocco.
• Vazões da ordem de 700 a 350.000 m³/h.
• Pressão estática entre 10 e 450 mmca.
• Aplicações: Estufas, secadores, ventilação e
exaustão industrial, comercial e doméstica.

Projeto de Condicionamento de Ar

53
Ventilador axial – tipos de rotores

• Ventilador axial propulsor: É o ventilador


mais utilizado, sendo usado na circulação de
ar ambiente, movendo grandes volumes de ar
a baixa pressão estática. A foto ao lado
apresenta a versão aplicada no resfriamento
de radiadores de transformadores de energia,
com acabamento galvanizado à fogo.
• Vazão de ar: 600 a 200.000 m³/h.
• Pressão estática entre: 2 a 100 mmca.

Projeto de Condicionamento de Ar

54
Ventilador axial – tipos de rotores
• Ventilador tubo-axial: O rotor do ventilador é
colocado no interior de um tubo, permitindo a
conexão direta com o duto de aeração. O motor
elétrico pode ser instalado diretamente ao eixo do
rotor ou instalado sobre o tubo. Têm como
características mover médios volumes de ar a baixa
pressão estática. Possuem pás fixas em perfil
aerofólio, projetadas de modo a obter um elevado
rendimento aliado a excelentes características de
desempenho.
• Vazões da ordem de 1.000 a 80.000 m³/h.
• Pressão estática entre: 2 a 90 mmca.

Projeto de Condicionamento de Ar

55
Ventilador axial – tipos de rotores

• Ventilador vanaxial: Difere do ventilador


tubo-axial pela presença de um aerofólio
instalado após o rotor, com lâminas guias que
retificam o fluxo de ar, reduzindo as
turbulências e as perdas de energia.
Possibilita o emprego em situações que
requerem pressões mais elevadas, com alta
vazão de ar. O ângulo de ataque das pás da
hélice é ajustável em repouso, possibilitando
a seleção do ventilador no melhor ponto de
operação.
• Vazões da ordem de 1.000 a 80.000 m³/h.
• Pressão estática entre 2 a 90 mmca.

Projeto de Condicionamento de Ar

56
Ventilador - comentários
• Pode-se dizer que os ventiladores axiais são mais adequados para maiores
vazões e menores pressões e o contrário para os radiais. Algumas vezes, a
forma física define o tipo. Exemplo: para exaustores de parede, os axiais são
mais adequados.
• Os ventiladores axiais têm em geral rendimentos maiores que os radiais.
Valores típicos estão perto de 80% ou acima. Isso ocorre porque a direção
do fluxo de saída é a mesma da do fluxo de entrada, ou seja, não há o
desvio de 90° dos radiais. Entretanto, os ventiladores radiais são mais
usados.
• Algumas desvantagens dos axiais: se montados em dutos, a manutenção é
mais trabalhosa. O nível de ruído é maior. Embora possam ter motores
externos e acionamento por correia conforme já mencionado, os mancais e
parte da correia estão em contato com o fluxo. Por melhores que sejam as
proteções, isso é sempre uma limitação nos casos de partículas abrasivas,
gases corrosivos e altas temperaturas.
• Nos ventiladores radiais, a forma construtiva permite que os mancais sejam
externos ao fluxo. Isso dá uma efetiva proteção e, no caso de altas
temperaturas, o eixo pode ser prolongado ou dispor de discos para dissipar
o calor. A forma construtiva também dá uma maior facilidade no trabalho
de montagem ou desmontagem do conjunto.

Projeto de Condicionamento de Ar

57
Ventilação
• É comum em muitos imóveis brasileiros problemas
como: umidade, mofo, proliferação de ácaros,
acúmulo de partículas de sujeira e insuficiência
térmica. Derivados de construções sem
planejamento que não tiram proveito do vento, um
recurso natural e renovável, para garantir ambientes
saudáveis.
• Ao realizar a troca de ar, os ventos levam consigo
micro-organismos prejudiciais à saúde humana,
odores indesejados e gases tóxicos, deixando o
ambiente fresco e arejado, melhorando a qualidade
do ar.
• Outra vantagem de uma casa bem ventilada é a
redução dos gastos energéticos com
condicionamento de temperatura e umidade, já que
a ventilação natural pode ser utilizada para o
controle térmico, dispensando o uso de aparelhos
de ar condicionado que consomem muita energia.

Projeto de Condicionamento de Ar

58
Ventilação

• A ventilação nada mais é do que a combinação dos


processos destinados a fornecer o ar fresco e
extrair o ar viciado de um espaço ocupado. Ela
consiste em realizar a renovação de ar ambiente de
forma a retirar elementos poluidores que
prejudiquem a saúde dos ocupantes.
• Ou ainda, é o processo de renovação do ar de um
recinto. O objetivo fundamental da ventilação é
controlar a pureza e o deslocamento do ar em um
ambiente fechado, embora, dentro de certos
limites, a substituição do ar também possa
controlar a temperatura e a umidade do ambiente
(COSTA, 2005).

Projeto de Condicionamento de Ar

59
Ventilação – Classificação

Ventilação natural ou espontânea;


Ventilação artificial ou forçada;
• Ventilação geral diluidora por insuflamento;
• Ventilação geral diluidora por exaustão;
• Ventilação local exaustora.

Projeto de Condicionamento de Ar

60
Ventilação natural e ventilação forçada
• A ventilação natural pode ser definida pela movimentação
do ar no interior dos edifícios sem que haja a indução por
sistemas mecânicos. Esta movimentação ocorre na presença
de diferentes pressões de ar, seja por influência dos ventos
ou por temperaturas distintas de densidades diferentes.

• Dentre as características físicas que influem na ventilação de


uma edificação podemos citar:
-Ventos dominantes locais (frequência, direção e
velocidade);
-Radiação solar, de acordo com cada ambiente;
-Umidade relativa do ar.

Projeto de Condicionamento de Ar

61
Ventilação natural – por diferença de temperatura

• É fato conhecido que o ar quente sobe, pois é


mais leve, e o ar frio, mais pesado, desce.
Sistemas de indução térmica podem ser
elaborados a partir desta premissa. Entradas
de ventilação próximas ao piso permitem a
entrada de ar fresco, que empurra o ar
quente para cima, onde deverão estar
localizadas saídas para o ar quente, na
parede ou no teto.

Projeto de Condicionamento de Ar

62
Ventilação forçada

• A ventilação forçada consiste na utilização de


dispositivos próprios como exaustores,
ventiladores, entre outros, que provocam o
movimento do ar entre o interior e o exterior do
local a ser ventilado.

Projeto de Condicionamento de Ar

63
Ventilação forçada – geral diluidora por insuflamento

• A ventilação geral diluidora é o método de insuflar


ar em um ambiente ocupacional, de exaurir ar
desse ambiente, ou ambos, a fim de promover uma
redução na concentração de poluentes nocivos.
Essa redução ocorre pelo fato de que, ao
introduzirmos ar limpo ou não poluído em um
ambiente contendo certa massa de determinado
poluente, faremos com que essa massa seja
dispersada ou diluída em um volume maior de ar,
reduzindo, portanto, a concentração desses
poluentes. A primeira observação a ser feita é a de
que esse método de ventilação não impede a
emissão dos poluentes para o ambiente de trabalho,
mas simplesmente os dilui.

Projeto de Condicionamento de Ar

64
Ventilação forçada – geral diluidora por exaustão

• A ventilação geral diluidora, além de não


interferir com as operações e processos
industriais, é mais vantajosa que a ventilação
local exaustora, nos locais de trabalho sujeitos a
modificações constantes e quando as fontes
geradoras de poluentes se encontrarem
distribuídas no local de trabalho; contudo, seu
custo de instalação é relativamente baixo quando
comparado com o da ventilação local exaustora.
• É conveniente a instalação de sistemas de
ventilação geral diluidora quando há interesse na
movimentação de grandes volumes de ar.

Projeto de Condicionamento de Ar

65
Ventilação forçada – local exaustora

• A ventilação local exaustora tem como objetivo


principal captar os poluentes de uma fonte
(gases, vapores ou poeiras) antes que os mesmo
se dispersem no ar do ambiente de trabalho, ou
seja, antes que atinjam a zona de respiração do
trabalhador.

• De forma indireta, ela contribui para o bem-estar,


na eficiência a na saúde do trabalhador.

Projeto de Condicionamento de Ar

66
Renovação de ar

• Vazão: É um volume de ar que se deslocou


num ambiente ou numa tubulação na
unidade de tempo, sendo v o volume medido
em: Q = V/ t.
• Entende-se por taxa de renovação ou
número de trocas de ar num ambiente o
número de vezes que o volume de ar desse
ambiente é trocado na unidade de tempo.
T = Q/V. Sendo Q a vazão e V o volume.

Projeto de Condicionamento de Ar

67
Renovação de ar

68
Renovação de ar - exemplo

• Uma sala de conferência possui 32 metros de comprimento, 27 metros de largura e altura (ou pé
direito) de 4 metros. Calcule quantos condicionadores de ar o local necessita para que a taxa de
renovação de ar seja alcançada. O modelo do condicionador de ar tem capacidade de 20.000
m³/h.

Projeto de Condicionamento de Ar

69
Renovação de ar - exemplo

• Calcule quantos condicionadores de ar uma igreja com 15 metros de comprimento, 8 metros de


largura e altura de 5 metros necessita para que a máxima taxa de renovação de ar recomendada
seja alcançada. Sabe-se que o modelo do condicionador de ar tem capacidade de 2.000 m³/h.

Projeto de Condicionamento de Ar

70
Renovação de ar - exemplo

• Uma cozinha industrial com 7 m de largura, 15 m de comprimento e 3,5 m de altura, deve ser
condicionada para que a taxa de renovação de ar seja alcançada. Há possibilidade de se usar três
modelos. O exaustor 1 (modelo E1) tem diâmetro de 30 cm e possui vazão de 1.200 m³/h (custa
R$ 450,00) ; o exaustor 2 (modelo E2) tem diâmetro 40 cm e possui vazão de 4.000 m³/h (custa
R$ 850,00); e o exaustor 3 (modelo E3) tem diâmetro de 50 cm e possui vazão de 6.000 m³/h
(custa R$ 1.400,00). Calcule o número de exaustores e defina o modelo considerando o menor
custo possível. Aplique uma segurança (FS) de 1,5.

Projeto de Condicionamento de Ar

71