Vous êtes sur la page 1sur 12

3545- Higiene da pessoa idosa no

domicílio

O idoso dependente e independente

Formadora: Tânia Silva


Formandas: Carla Araújo
Cláudia Gomes
Cristina Santos
Mariana Vieira
É importante não confundir um idoso dependente e um idoso com depressão
consegue, do ponto de visita físico e funcional, realizar suas atividades sozinho.
Não as faz porque psicologicamente não está bem e não encontra motivação
para realizá-las isso não significa queda seja dependente.

Cuidados a ter com o idoso: Higiene oral, Limpeza conforto e umidificação das
estruturas da boca e os micro-organismos da pele.
Banho parcial:
Lavagem das áreas do corpo sujeitas a maior sujidade ou fontes de mau
cheiro.

Cabelos:
Os cabelos devem ser penteados, e escovados diariamente. Tendo tratamento
com o champô tal como o utente fazia. Utilizando o champô para remover
sujidades e podendo prevenir irritações de pele.

Cuidar dos cabelos inclui fazer penteados, escovar, ao pentear o cabelo


fazemos com que a circulação do couro cabeludo faça libertar células e mortos
com que fique saudável. Em geral, os cabelos devem ser penteados
diariamente.

Ouvidos:

Manter uma higiene adequada não utilizar objetos como tampas de canetas, clipes,
lápis ou até mesmo os cotonetes, porque não conhecemos o interior do ouvido,
porque podemos perder audição.

Boca:
A higiene oral é muito importante e devera ir regularmente ao dentista para
que se possa ter uma boa alimentação. Devemos escovar bem os dentes,
passagem de fio dental na boca este procedimento remove depósitos
existentes nos dentes provocando infeções.

Pés e unhas

A lavagem dos pés devera ser feita diariamente e o corte da unhas feito
regularmente para remover odores e resíduos de ambos e prevenir infeções. O
corte das unhas dos pés a idosos com diabetes mellitus, problemas
neurológicos, insuficiência renal ou doença vascular periférica deverá ser feito
por pessoal especializado.

Vestuário:
Deve-se usar roupas mais largas, práticas e confortáveis tendo em atenção
as condições climáticas. Devemos barbear o idoso com laminas comuns ou
com máquina de barbear. Ao remover os pelos do idoso damos-lhe melhor
conforto e evitamos irritações e uma aparência descuidada.

Banho:
- redução do potencial de infeção

- estimulação da circulação

- proporcionar conforto

- melhorar a auto-imagem

- eliminação de odores desagradáveis

Banho na cama:
Um banho na cama permite :

 Estimular a circulação

 Proporcionara um exercício brando

 Promover conforto

 Avaliação da condição da pele verificando a mobilidade das articulações


e a força dos musculos.
Deve-se ter em conta o seguinte:

 Verificar a dependência do utente

 Consultar o utente sobre o horário frequência e perferências.

 Reunir o material necessario

o Roupa da cama e do utente;

o Toalhas de banho;

o Esponjas e gel de banho;

o Bacia;

o Creme hidratante

o Conjunto de higiene oral.

Banho total:
Lavagem do utente com a utilizacao de uma bacia com água e sabão, para
remever o sour, a oleosidade e os microonganismos da pele.

 Lavar as mãos;
 Utilizar cortina ou biombo;
 Explicar o procedimento ao utente;
 Elevar a cama a uma altura adequada;
 Ajudar o utente a assumir uma posição confortável (decúbito dorsal);
 Retirar a roupa da cama deixando o utente protegido com o lençol de cima;
 Retirar a almofada e elevar a cabeceira a 30º-45º.
 Retirar pijama ou roupa de dormir;
 Se um dos lados estiver lesado ou com mobilidade reduzida, começar pelo lado
não afetado;
 Encher a bacia com àgua à temperatura adequada, de acordo com a preferência
do utente e colocar na mesa de cabeceira; colocar a toalha de banho sobre o
peito do utente, junto ao queixo, dobrada em V;
 Prestar cuidados à boca e dentes;
 Lavar os olhos de forma individualizada;
 Lavar o rosto, perguntar se quer usar sabão;
 Levantar o braço e lavar com àgua e sabão (iniciar pelo braço mais distante),
fazendo movimentos longos e firmes, partindo da área distal para a proximal
(pulso para a axila), dando especial atenção á região axilar;
 Secar o braço e axila cuidadosamente;
 Repetir o procedimento para braço proximal;
 Lavar o tórax e abdómen (estender a toalha sobre o peito e abdómen, puxando
simultaneamente o lençol para baixo até à anca);
 Tomar especial cuidado com as pregas inframamárias nas mulheres;
 Lavar cada uma das pernas e os pés, seguindo as etapas prescritas para os
membros superiores (mergulhar os pés na bacia e secar bem);
 Trocar a àgua;
 Com o utente em decúbito dorsal, pedir para fletir as pernas e estender a toalha
sob as nádegas;
 Lavar os genitais e ânus, caso o utente não possa, do meato para o ânus. Secar
bem;
 Retirar a toalha deixando o utente coberto com o lençol;
 Mudar agua, trocar as luvas e as esponja;
 Auxiliar o utente a colocar-se em decúbito lateral;
 Lavar as costas do pescoço para as nádegas, secar;
 Oferecer uma massagem, nas costas e observar proeminências ósseas
(omoplatas, sacrococcígea e trocânteres);
 Ajudar a vestir o pijama ou substituir o utente a fazê-lo;
 Pentear os cabelos do utente, colocando uma toalha sob a cabeça;
 Fazer a cama, caso seja um utente acamado
 Despejar a àgua;
 Providenciar a limpeza e arrumação do material;
 Lavar as mãos (técnicos).

Cuidados com a movimentação do


idoso:
 Inclui cuidar da higiene do paciente, arrumar a cama para que fique limpa e
confortável, bem como garantir a segurança.
 Por exemplo, a elevação dos protetores laterais pode evitar que pacientes
sedados ou entorpecidos caiam da cama.

 Por outro lado, o cuidado ineficiente pode contribuir para a insônia, o que
pode intensificar a ansiedade do paciente e interferir com o tratamento e a
recuperação.

Transferência cadeira de rodas para a cama e vice-versa com uma pessoa

A cadeira de rodas deve estar:

1. Travada;

2. Os pedais devem ser retirados ou rodados lateralmente;

3. O mais perto possível da cama;

4. O braço mais próximo da cama deve ser retirado.

O paciente deve estar:

1. Sentado à beira da cadeira de rodas, com os pés apoiados no chão e rodados para o lado
contrário da cama.

2. O lado melhor deve estar ao lado da cama.

Como transferir:

1. O paciente inclina o seu tronco para a frente;


2. Agarre-o pela cintura, pelas axilas ou pelos cotovelos e nunca pelo ombro do lado lesado. Caso
seja ele muito pesado e tenha necessidade de o transferir sozinho, também pode usar um cinto de
transferência.

3. O cuidador encosta os pés e joelhos aos seus pés e joelhos, até o paciente se endireitar e ficar
de pé;

4. O cuidador ajuda o paciente a rodar, posicionando-se para se sentar na cama.

Todos estes passos podem ser invertidos para se transferir o doente da cama para a cadeira de rodas.
O cuidador deve sempre posicionar o doente de maneira confortável e segura depois da transferência.

SEQUÊNCIA DA TRANSFERÊNCIA
Pôr a cadeira de rodas ao lado da cama, bem travada e com os pedais levantados ou rodados para fora.
Calçar o doente com sapatos de borracha ou com calçado anti-derrapante.
1.

Sentar o doente à beirinha da cama (ou cadeira de rodas).


2.

Travar os pés e os joelhos do doente com os pés e joelhos do cuidador, até que o doente fique de pé.
3.
Transferência da cadeira de rodas para a cama com 2 pessoas

• Uma pessoa deve colocar-se atrás da cadeira de rodas e agarrar o doente pelos antebraços. A pessoa a
transferir deve colocar as mãos conforme o desenho;

• A outra pessoa deve segurar as pernas do paciente pela parte de trás dos joelhos e pés,
• Combinar quem dá o comando e em conjunto devem elevar o paciente e transferi-lo para a cama.
Todos os outros princípios da transferência da cadeira de rodas para a cama apenas com 1 cuidador se
mantêm. Para ser mais fácil a transferência deve-se retirar o braço da cadeira de rodas do lado da cama.