Vous êtes sur la page 1sur 15

RMT II Circulação vertical I

Representação Manual Técnica II


Escadas I Lances retos

Professora:
Juliane Figueiredo Fonseca

Ufjf_2013_2
RMT II
Representação Manual Técnica II
Circulação Vertical

A circulação vertical tem função de


vencer os desníveis em geral e/ou
entre pavimentos consecutivos,
possibilitando o livre acesso e circulação
entre estes.

Algumas possibilidades de circulação


vertical são as ESCADAS, as
RAMPAS e os
ELEVADORES.
A partir do levantamento
RMT II
Representação Manual Técnica II
algumas considerações...

 A altura ideal para um degrau é entre 16 a18cm.

A profundidade ideal para um degrau é entre 28 a 32cm.

A altura do degrau é proporcional a sua profundidade, de acordo com uma


fórmula que veremos mais tarde.

A largura de uma escada para a passagem de uma pessoa deve ser de


no mínimo 80 cm. Dependendo da necessidade, esse valor pode ser
muito pequeno, então pode-se adotar 120 cm como valor mínimo.

O vão da escada deve estar posicionado corretamente para que ninguém bata a
cabeça no teto. Quando a altura do degrau até o teto começar a ficar menor que
aproximadamente 2 metros, deve-se começar a abrir o vão.
A partir do levantamento
RMT II
Representação Manual Técnica II
algumas considerações...

O comprimento da escada (d) corresponde ao valor da profundidade do piso


x n°de pisos.
O número de pisos é sempre 1 a menos que o número de alturas ou degraus,
pois o primeiro não conta por ser a rés do chão.

piso superior 7
7 66
6 5
5
5 44
33
4
22
3
2 11
piso inferior
1

d
RMT II
Representação Manual Técnica II
Cálculo da escada I Lances retos

Fórmulas:
Fórmula de Blondel 2e + p = 64 cm (largura do piso)
Quantidade de espelhos n=h/e
Quantidade de pisos np = n – 1
Comprimento c = p (n – 1) escada sem patamar (n menor ou igual a 19)
Comprimento c = patamar + p (n – 2) escada com um patamar
Onde:
h é a altura do desnível (PD + hlaje);
c é o comprimento da projeção horizontal;
p é a profundidade do piso;
e é a altura do espelho;
n é o número de espelhos;
np é o número de pisos.
RMT II
Representação Manual Técnica II
Cálculo da escada I Lances retos

Saber o desnível a ser vencido...

• Medida do pé-direito (a altura entre os dois pavimentos);


• Espessura da laje do teto.

hd = PD + hlaje
Exemplo:
Calculando as dimensões de uma escada para cobrir um desnível de 3,00 m
RMT II
Representação Manual Técnica II
Cálculo da escada I Lances retos

Altura do degrau e número de espelhos:


Calculando as dimensões de uma escada para cobrir um desnível de 3,00 m

Espelho e = 17 cm (valor arbitrário)


Para definirmos e, precisamos encontrar o número de espelhos n.
Lembre-se que o número de espelhos n é sempre um valor inteiro.
n=h/e
n = 300 / 17
n = 17,64
Como o número de espelhos n é sempre um valor inteiro, arredondamos n = 17
Utilizando novamente a fórmula n = h / e chegamos ao valor definitivo de e = 17,64
cm
RMT II
Representação Manual Técnica II
Cálculo da escada I Lances retos

Profundidade do degrau
Calculando as dimensões de uma escada para cobrir um desnível de 3,00 m
Sendo e = 17,64 cm utilizamos a Fórmula de Blondel para acharmos a
dimensão do piso.
2 e + p = 64 cm
2 x 17,64 + p = 64 cm
p = 28,72 cm

Sendo o número de espelhos n = 17, o número de pisos np é dado pela fórmula


np = n – 1 (um a menos que o número de espelhos)
np = 17 – 1
np = 16
RMT II
Representação Manual Técnica II
Cálculo da escada I Lances retos

Comprimento da escada:
Calculando as dimensões de uma escada para cobrir um desnível de 3,00 m
(Para calcular o comprimento, apenas multiplique o valor da profundidade
pelo número de pisos. Lembrando que o número de pisos é sempre 1 a
menos que o de espelhos.)

Sendo uma escada reta e h < 3,20 m, de acordo com a NBR 9050/04, não há
necessidade de patamar.
Assim, o comprimento da escada (sem patamar) é dado pela fórmula
c = p (n – 1)
c = 28,72 (17 – 1)
c = 28,72 x 16
c = 4,5952 m
RMT II
Representação Manual Técnica II
Cálculo da escada I Lances retos

Exemplo:
Calculando as dimensões de uma escada para cobrir um desnível de 2,90 m

Resumindo...

Altura dos espelhos e = 0,1764 m


Número de espelhos n = 17
Profundidade dos pisos p = 0,2872 m
Número de pisos np = 16
Comprimento da escada sem patamar c = 4,5952m
RMT II
Representação Manual Técnica II
Elementos básicos I escada

(MONTENEGRO, 2001, p. 108)


RMT II
Representação Manual Técnica II
Representação gráfica _ projeções
RMT II
Representação Manual Técnica II
Representação gráfica _ Planta baixa
e corte

Linhas traço I dois pontos – elementos


situados além do plano do desenho
Indicação dos níveis – início e término

Indicação do sentido de subida – início e


fim

Linhas de corte

Numeração dos espelhos

Indicação dos níveis – início e término

Representação do material em corte

Linhas tracejadas – elementos situados


atrás do plano do desenho
RMT II
Representação Manual Técnica II
Representação gráfica _ Planta baixa
RMT II
Representação Manual Técnica II
Referências Bibliográficas

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS (ABNT). NBR 9050:


Acessibilidade a edificações, mobiliário, espaços e equipamentos urbanos.
2004. Rio de Janeiro: ABNT, 2004.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS (ABNT). NBR 9077:


Saídas de emergência em edifícios. 2001. Rio de Janeiro: ABNT, 2001.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS (ABNT). NBR 6492:


Representação de projetos de arquitetura. 1994. Rio de Janeiro: ABNT, 1994.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS (ABNT). NBR 10898:


Sistema de iluminação de emergência. 1999. Rio de Janeiro: ABNT, 1999.

FERREIRA, P. Desenho de arquitetura. Rio de Janeiro: Ao Livro Técnico, 2004.

http://www.arquitetonico.ufsc.br/como-projetar-escadas-tutorial. acessado 12/04/2013

Centres d'intérêt liés