Vous êtes sur la page 1sur 17

Método de contabilidade emergética

Prof. Dr. José Wildes Barbosa dos Santos


UESB/DCEN
Diagrama energético de uma cidade em seu contexto regional
Sistema de produção de biocombustíveis convencional

Déficit de serviços Populaçao


ambientais Escoamento ausente
superficial de Processos Combus- Bens
econômicos excluída
água geológicos tíveis
Erosão
Chuva biológica e
do solo

Mata Serviços
nativa
água $
reduzida
Transferência
$
Vento Bens de recursos ao
Solos
exterior
Trabalho
transporte, $ escravo
Sol atividades
processa- Processamento
agrícolas
mento Biocombustível

Resíduos,
Resíduos emissões,
efluentes

Poluição
Indicadores de desempenho
Razão de saldo emergético (EYR). Emergia total usada por unidade de emergia investida. O índice é uma medida
que serve para entender em que medida um investimento permite a um processo exportar recursos locais, a fim de
contribuir ainda mais para a economia.

Taxa de carga ambiental (ELR). Emergia total de origem não-renovável e de recursos provenientes da economia a
usada por unidade de recursos locais renováveis. É um indicador da pressão do processo de transformação sobre o
ambiente e pode ser considerada uma medida do stress do ecossistema devido a uma atividade de transformação.

Índice de Sustentabilidade Emergética (ESI). Mede a taxa de sustentabilidade. Valores maiores indicam
sustentabilidade por períodos de tempo maior. Um sistema para ser considerado sustentável por longo prazo deve ter
uma baixa carga ambiental e alto rendimento em emergia.

Investimento em emergia (EIR= F/R+N). É uma relação entre recursos provenientes da economia e os recursos
gratuitos. Um índice baixo indica que o ambiente provê mais recursos para o processo que a economia (materiais e
serviços).

Intensidade de potencia emergética pó unidade de superfície. É a relação do total de emergia utilizada na


economia de uma região ou nação por a área total da mesma. A densidade emergética renovável e não-renovável é
calculada dividindo o total de emergia renovável ou não-renovável pela área.

Renovabilidade emergética (%Ren). A relação de emergia renovável e o uso total de emergia. Em longo prazo,
apenas processos com alta Ren% são sustentáveis. É a razão de energia renovável usada em relação à energia total
Esquema de organização de uma tabela de cálculo dos fluxos de emergia
Nota Nome das contribuições Números Unidades Transformidade Fluxo de emergia
R: Recursos da natureza renováveis

N: Recursos da natureza não-renováveis

M: Materiais da economia

S: Serviços da economia

A coluna 1 fornece a nota de pé de página onde se dão os detalhes do cálculo.


Na coluna 3 estão os valores numéricos de cada fluxo de entrada. Estes inputs são colocados nas suas unidades
usuais para materiais (gramas ou quilogramas), para energia (Joules), para dinheiro ($), etc. Na avaliação de um
sistema em estado estacionário (equilíbrio dinâmico), são necessários os valores anuais das contribuições da
natureza e da economia humana. Na coluna 3 devem incluir-se os fluxos necessários para manter as estruturas e
armazenamentos internos de recursos.

A coluna 4 contém o valor da transformidade ou valor unitário de emergia, [sej/(unidade)]. A fonte de informação
deste valor deve citar-se na nota ao pé da página.

Na coluna 5 são colocados os fluxos de emergia.


(a) São os produtos da multiplicação dos fluxos de entrada (em unidades/área/tempo) da coluna 3, pelos valores
de emergia/unidade da coluna 4.
(b) O valor obtido corresponde ao fluxo de emergia em em Joules solares por ano.
(c) No caso dos serviços, acostuma-se colocá-los em dinheiro/área/tempo. O dinheiro é convertido em
dólares segundo a taxa de câmbio em dólares do país, depois este valor é multiplicado pela proporção de
emergia/dólar [sej/US$] da economia do país para o ano considerado.

Na coluna 6 são colocados os fluxos de emergia, obtidos multiplicando os fluxos de entrada (em
unidades/área/tempo) da coluna 3, pelos valores de emergia/unidade da coluna 5. O valor obtido corresponde ao
fluxo de emergia ou potencial emergético, que é expresso em em joules solares por ano. No caso dos serviços,
colocam-se em unidades de dinheiro/área/tempo. O dinheiro é convertido em dólares segundo a taxa de câmbio
em dólares do país, depois é multiplicado pela razão emergia/dinheiro [sej/$] da economia do país para o ano.
AVALIAÇÃO DE DOIS SISTEMAS DE GEREÇÃO DE ENERGIA UTILIZANDO
RESÍDU0S

Comparação de duas realidades distintas, uma que utiliza um sistema de


geração de energia instalado em uma usina autônoma no Estado de São
Paulo e outra em uma Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) situada em
Uppsala, Suécia. Os sistemas foram mensurados através de indicadores
que indicam a carga ambiental.(Corsine et al, 2011)
Avaliação da emergia do sistema da usina autônoma

Fonte: Corsine et al, 2011


Avaliação da emergia da ETE

Fonte: Corsine et al, 2011


Comparação entre as transformidades e custos dos biossistemas

Fonte: Corsine et al, 2011


RESUMO DOS INDICES DE EMERGIA

Fonte: Corsine et al, 2011


Discuta os resultados encontrados na
avaliação dos dois sistemas!
Atividades

Avaliação Emergetica dos sistemas de produção de suínos,


aves(frango e pato), leite e cunicultura!

Grupos: I, II III, IV, V

Environmental Accounting;
Emergy and Environmental Decision Making;
Tabelas de transformidades do Laboratório de Engenharia Ecológica da UNICAMP