Vous êtes sur la page 1sur 11

EQUILIBRIO E CONTROLE POSTURAL

C.L. Teixeira

Faculdade Ingá - Maringá, PR

Resumo

O controle postural é a base do sistema de controle motor humano, produzindo estabilidade e


condições para o movimento, como a habilidade de assumir e manter a posição corporal
desejada durante uma atividade quer seja essa estática ou dinâmica. O equilíbrio é um
componente necessário para o controle postural que por sua vez depende de informações
visuais, do sistema vestibular, proprioceptivo e cutâneo. Este estudo realizou uma revisão
sobre o controle postural com o objetivo de verificar o direcionamento das atuais pesquisas. O
tema foi desenvolvido a partir dos seguintes tópicos: controle postural; orientação postural e
equilíbrio (estático e dinâmico); avaliação e análise do equilíbrio e do controle postural.
Observou-se que as atuais pesquisas têm investigado as variáveis de controle postural e
equilíbrio em situação ou condições do cotidiano, procuram associar e relacionar variáveis e
condições diversas para entender como se da à influência dessas sobre o equilíbrio, avançam
na direção de futuras investigações sobre o controle da postura corporal e equilíbrio durante
execução de tarefas mais complexas e também em situações de execução de habilidades
motoras esportivas.

Palavras chaves: Controle postural; Equilíbrio, Controle motor.

Abstract

Posture control is the foundation of the system of human motor control, producing stability and
conditions for the movement, such as the ability to assume and maintain the desired body
position during an activity that is either static or dynamic. The balance is a necessary
component to postural control which in turn depends on visual information, vestibular system,
proprioceptive and skin. This study aims at a review of postural control and check the direction
of current research. The theme will be developed based on the following topics: Postural
control; orientation and postural balance (static and dynamic), Evaluation and analysis of
balance and postural control. It was observed that current studies have investigated the
variables of postural control and balance in a situation or conditions of daily life, seek to
associate and relate different variables and conditions to understand how the influence of these
on balance; advance toward future research on control of posture and balance during
performance of complex tasks and also in situations of execution of motor skills and sports.

Key words: Postural control, balance, motor control..

30
Brazilian Journal of Biomechanics, Year 2010, vol 11, n.20
Equilibrio e Controle Postural

1. INTRODUÇÃO examinam possíveis mudanças


desenvolvimentais no controle postural em
crianças com e sem o uso da visão, no qual
Dentre os componentes do concluiu que informação visual não pode ser
comportamento motor que são mais considerada como fonte predominante de
estudados está o controle postural com informação sensorial para o controle postural.
pesquisas que abrangem desde a primeira Em recente estudo, Barela et. al. (2009),
infância até a velhice. O controle postural é observaram que os participantes de ambos os
parte integrante do sistema de controle motor grupos testados, foram influenciados pelo
humano, produzindo estabilidade e condições estímulo visual e que a solicitação para
para o movimento, definido por Cupss (1997), resistir às influências visuais diminuíram a
como a habilidade de assumir e manter a oscilação corporal, concluindo que a intenção
posição corporal desejada durante uma da pessoa pode ter um papel nos estímulos
atividade seja ela estática ou dinâmica. que influenciam a oscilação corporal, porém é
Bankoff (1996), observa que a um estimulo dependente. Para Teixeira et. al.
postura corporal envolve equilíbrio, (2007), mesmo com o sistema de controle
coordenação neuromuscular e adaptação que postural já desenvolvido em adultos quando a
representa um determinado movimento informação visual é retirada tanto crianças
corporal, e as respostas posturais quanto adultos apresentam aumentos na
automáticas são dependentes do contexto, ou oscilação corporal, concluindo que a visão é
seja, são ajustadas para ir ao encontro das uma informação importante mesmo para
necessidades de interação entre os sistemas indivíduos jovens e normais praticantes de
de organização postural (equilíbrio, atividades físicas regulares.
neuromuscular e adaptação) e o meio Considerando que o estudo do
ambiente. Sobre o sistema de controle controle postural é importante não só para se
postural, Frank e Earl (1990), afirmam que os saber como esse se desenvolve e é
ajustes para manter a postura ereta controlado, mas também para encontrar
dependem de feedback sensorial (vestibular, soluções e estratégias para a prevenção de
visual, proprioceptivo e cutâneo) e estratégias quedas e outras enfermidades relacionadas
associadas com movimentos voluntários. Isso aos idosos, (REBELATTO et al., 2008;
acontece porque as informações sensoriais RUWER et al., 2005), e para a melhora no
serão a base para a produção das contrações desempenho físico (ALVES et al., 2008;
musculares apropriadas e necessárias para BARCELLOS e IMBIRIBA, 2002) esse estudo
garantir a posição corporal desejada. realizou uma revisão sobre o controle postural
Duarte (2000), afirma que o sistema com o objetivo de verificar o direcionamento
visual fornece informações ao cérebro quanto das atuais pesquisas. Para tanto o tema foi
à posição e movimentação de um objeto no desenvolvido a partir dos seguintes tópicos:
espaço, e a posição e movimentação dos controle postural; orientação postural e
membros ao ambiente e ao resto do corpo. equilíbrio (estático e dinâmico); avaliação e
Para o autor, dentre os sistemas envolvidos análise do equilíbrio e do controle postural.
no controle postural, a visão é o sistema
sensorial que o corpo mais confia nas tarefas 2. CONTROLE POSTURAL
de manutenção da postura e do movimento.
Os sistemas proprioceptivos e cutâneos, O inicio do controle postural, visando
denominados de sistema somatossensorial, a posição vertical, se dá por volta do primeiro
são responsáveis por fornecer informações ano de vida quando a criança descobre que
sobre a posição do corpo no espaço relativo à pode ficar em pé independentemente de
superfície de suporte, informações da posição apoio. As primeiras tentativas são realizadas
e velocidade relativa entre os segmentos do com movimentos simples e ainda
corpo e informações sobre as pressões desorganizados, mas que irão se aperfeiçoar
agindo na interface segmento/base de no decorrer da vida (BARELA et al. 2000;
suporte, sendo este o mais efetivo para FEITOSA et al. 2008). Calve e Castro (2005),
perturbações rápidas. O sistema vestibular acrescentam que em cada fase da vida,
fornece informações sobre a posição e diferentes mecanismos são utilizados na
movimento da cabeça em relação à força da obtenção da informações contidas no
gravidade e forças de inércia. ambiente para auxiliar no controle postural e
Barela et. al. (2002), comentam que locomotor.
embora estudos tenham investigado o YI et al. (2008), comentam que a
controle postural, é necessário mais partir do momento que a criança inicia a
informações a respeito, pois pesquisas têm utilizar a posição bípede até
resultados contraditórios. Os autores
31
Brazilian Journal of Biomechanics, Year 2010, vol 11, n.20
C. L. Teixeira

aproximadamente o quinto e o sexto ano de cada nível etário dependem de vários fatores,
vida, ocorrem adaptações posturais para a e que a idade e o gênero podem não ser os
manutenção do equilíbrio frente à ação da mais importantes.
gravidade, e essa manutenção leva as Investigação sobre o efeito da visão
crianças adotarem preferências de no equilíbrio corporal em crianças, também
recrutamento de um determinado sistema que entre 6 e 10 anos de idade, foi realizada por
dependerá da idade da criança e da natureza Zernicke et al. (1992), em cinco condições
do desafio postural (HADDERS-ALGRA et al. experimentais diferentes: posição normal em
1996; VAN DER FITZ et al. 1999; HEDBERG pé; posição com os pés juntos e com olhar
et al. (2005). Um adequado controle postural fixo em um alvo estático; posição com os pés
é pré-requisito para um apropriado juntos sem alvo; posição monopodal com
desenvolvimento dos movimentos voluntários, olhar fixo em um alvo estático; posição
comunicação e interação social. (VAN DER monopodal sem alvo. Os autores
FITZ et al. 1999). encontraram diferenças entre as idades com
Para Graaff-Peters et al. (2007), relação ao movimento anteroposterior quando
existe uma transição de três meses, após a a criança se mantém na posição em pé
idade de desenvolvimento neural principal, na estática e com os olhos fixos num ponto
capacidade para adaptar-se a atividade específico, sendo que as crianças, tanto as
postural aos constrangimentos ambientais de 6 anos de idade como as de 10 anos não
emergentes. Somente próximo à utilizaram efetivamente um alvo estático para
adolescência as adaptações semelhantes aos melhorar a oscilação corporal na direção
adultos irão ocorrer. Durante a infância o que anteroposterior, tanto na posição bipodal
ocorre é um aprimoramento dos padrões de como monopodal. Figueiredo e Iwabe (2007)
controle postural, para a realização das consideram a visão como fator importante no
atividades da vida diária. Nesse sentido, controle de equilíbrio de crianças pequenas,
concordam Gallahue e Ozmun (2003), que entretanto, na ausência de referência visual,
indicam que a maturação dos sistemas os demais sistemas responsáveis pelo
controladores da postura atinge o estagio final equilíbrio (somatossensorial e vestibular) irão
por volta de oito a 12 anos de idade. melhorar sua capacidade de respostas de
Gobbi et al. (2007), acrescentam que modo a auxiliar no controle do equilíbrio. Lee
para a manutenção da posição em pé são & Lishman (1975), citam que os adultos são
necessários ajustes corporais constantes e capazes de reduzir a oscilação
coerentes com objetivo de manter os anteroposterior do tronco, mantendo os olhos
segmentos corporais alinhados e orientados fixos em um objeto estático.
apropriadamente. Sendo que os adultos Aproximadamente por volta dos 7
mantêm a posição bípede com desenvoltura e anos ocorre um período de transição, onde,
naturalidade, as crianças realizam um esforço de acordo com Shumway-Cook & Woollacott,
considerável para solucionar a complexa Debú & Mowatt (1987), o sistema de controle
tarefa de manter o corpo na posição vertical. postural deixa de ser estritamente
Estudo realizado por Figura et al. (1991), dependente da visão e passa a integrar as
analisou o equilíbrio postural em crianças, de informações provenientes dos demais
ambos os gêneros, de 6 a 10 anos e adultos, sistemas sensoriais para o controle da
também de ambos os gêneros de 22 a 28 postura, assumindo, então, uma estratégia
anos, através dos testes de Romberg, semelhante à verificada no funcionamento do
Tandem e monopodal e verificaram que sistema de controle postural em adultos.
houve diferença significativa entre as idades Riach & Starkes (1993), verificaram que os
(não entre os sexos), ao realizar equilíbrio principais fatores determinantes para o
postural. Os autores sugerem que há um controle postural em crianças são os fatores
relacionamento não linear entre a idade e a físicos como o peso corporal e o tamanho dos
capacidade de equilíbrio. O desempenho pés e não a presença ou não da visão. Assim,
postural durante os testes melhorou os pés menores da criança dão uma base
significativamente das crianças de 6 anos menor de suporte e ainda uma oscilação
para as de 8 anos, diminuindo entre crianças postural muito maior do que os adultos,
de 8 anos para as de 10 anos. Esta resultando numa estabilidade postural menos
diminuição pode ser explicada pelo fato de eficiente. Verificaram, ainda, que adultos e
que por volta dos 8 anos de idade a crianças usam apenas uma porção da
capacidade de equilíbrio já tenha sido superfície dos pés para se manterem em pé.
adquirida, e que aos 6 anos esta capacidade As crianças com menos de 7 anos utilizam 44
ainda esteja em desenvolvimento. a 53% da base de suporte, já as crianças
Consideram que os parâmetros posturais em

32
Brazilian Journal of Biomechanics, Year 2010, vol 11, n.20
Equilibrio e Controle Postural

acima de 7 anos utilizam 70%, porcentagem de entender quando o controle postural se


semelhante a dos adultos. inicia e quando determinado comportamento
se manifesta e se desenvolve ao longo da
Figura er al. (1991); Cama et al. (1991); Riach vida. Interessante observar, o que Duarte
& Starkes (1993), verificaram que com o (2000), também fez, que apesar de passados
aumento da idade a variabilidade da mais de um século dos estudos de Romberg
oscilação do centro de pressão ou do centro e a criação de seu teste para avaliar a
de massa diminui, indicando correspondente habilidade de que ainda irão ser tema de
diminuição da oscilação do centro de muitos estudos futuros.
pressão. Isto se revela um indicador de Os estudos apresentaram a
desenvolvimento do controle postural, importância do controle postural não só para
refletindo numa melhora na manutenção da a manutenção da postura ereta como sua
posição ereta. Soames & Atha (1982), associação com as demais habilidades
verificaram que a oscilação corporal em motoras necessárias para atender as
adultos varia numa frequência entre 0,25 e demandas da vida cotidiana.
0,45 Hz, para ambas as direções, Um aspecto, que pode ser visto tanto
anteroposterior e médiolateral, e Riach e como positivo como negativo, é o grande
Hayes (1987), observaram que as crianças numero de pesquisas. Positivo porque
mais jovens oscilavam numa frequência entre explora ao máximo o assunto e da uma base
0,8 e 1,0 Hz e crianças mais velhas com ampla e sustentável para varias hipóteses e
frequências entre 01, e 0,8 Hz. Indicando que teorias. Por outro lado ao que se observa,
tanto a frequência de oscilação quanto a como no caso da analise da base de apoio
variabilidade muda desenvolvimentalmente e em situação bipodal com os pés juntos e
os adultos oscilam com frequências mais afastados e unipodal relacionando-as com a
baixas que as crianças. situação olhos abertos e olhos fechados, são
Barela (1997), discorre que mudanças diversamente diferentes na metodologia
desenvolvimentais no controle postural empregada ora apresentando resultados
estariam diretamente relacionadas ao uso da semelhantes ora diferentes o que pode
informação sensorial para a produção de dificultar o processo de se determinar a
atividade motora suficiente para manter uma metodologia de pesquisa a ser adotada, para
determinada posição corporal. Ou seja, um estudo, e se os resultados que serão
mudanças desenvolvimentais no controle encontrados terão validade e aceitação pela
postural seriam decorrentes da aquisição de comunidade cientifica. Apesar dessa
uma coordenação coerente e estável entre consideração acredito que esse processo foi
informação sensorial e ação motora. necessário principalmente para formação da
Décadas de estudo, revelaram e vasta base teórica destacada anteriormente
concluíram principalmente que a postura como aspecto positivo nos anos de estudo
ereta estática, não é tão estática como se relacionados á investigação do
acreditava e que apesar de permanecer desenvolvimento do controle postural.
“imóvel o corpo continua oscilando. As
oscilações corporais sofrem influência de 3. ORIENTAÇÃO POSTURAL E
vários fatores entre os quais os mais EQUILÍBRIO
importantes estão a visão, sistema vestibular
e propriocepção, sendo que Carvalho e Almeida (2008); citam dois
aproximadamente aos 7 anos de idade a componentes comportamentais do sistema de
criança já possui um padrão de controle controle postural; orientação e equilíbrio
semelhante ao de um adulto. Essas postural. A orientação postural é o
conclusões permitiram formar a base do posicionamento relativo do corpo aos demais
conhecimento sobre o controle postural e segmentos e o meio ambiente. Para os
permitiram a continuidade dos estudos humanos, durante a manutenção da postura
explorando outras variáveis associadas e ereta, isso significa: orientar o corpo para a
situações mais próximas da realidade e das manutenção vertical (perpendicular a terra) e
condições cotidianas. alinhar os segmentos em relação aos demais
Ao revisar o que a literatura apresenta segmentos para manutenção da posição
sobre o controle postural e as pesquisas ereta.
relacionadas em verificar como esse se da na Já o equilíbrio postural é referente à
criança, no jovem e no adulto, através dos habilidade de manter a posição do corpo (do
textos estudados onde os autores citam centro de massa) dentro dos limites de
referencias de vinte, trinta anos ou mais no estabilidade através da inter-relação das
passado, verifica-se que o interesse inicial era varias forças que atuam sobre o corpo,

33
Brazilian Journal of Biomechanics, Year 2010, vol 11, n.20
C. L. Teixeira

incluindo a força da gravidade, dos músculos acordo com as mudanças na base de


e inércia. Em resumo pode-se considerar sustentação. Portanto, a função do sistema
como tarefa básica do equilíbrio a nervoso é emitir impulsos nervosos para as
manutenção da estabilidade corporal tanto fibras musculares, estimulando contrações
em condição estática quanto dinâmica. que complementam e coordenam todas as
Gallahue e Ozmun (2003), conceituam outras forças que atuam sobre o corpo
equilíbrio estático como a capacidade de fazendo que aposição do centro de massa
manter o próprio equilíbrio enquanto o centro seja controlada eficientemente mantendo o
de gravidade permanece estacionário, e, equilíbrio (WOOLLACOTT et al, 1998).
definem equilíbrio dinâmico como a Uma das variáveis mais importantes é
capacidade de manter o próprio equilíbrio a orientação do tronco, uma vez que irá
conforme o centro da gravidade se desloca. determinar o posicionamento dos membros
Manter o equilíbrio postural é uma com relação aos objetos com os quais
habilidade que esta relacionada tanto ao podemos interagir. Os ajustes posturais que
desenvolvimento das habilidades motoras contribuem para um eficiente desempenho
como ao controle motor voluntario. O nas tarefas motoras ocorrem primeiramente
desenvolvimento da capacidade de manter o nos músculos da cabeça, tronco e dos
equilíbrio corporal é fundamental para o ser membros envolvendo complexas excitações e
humano, pois sem seria impossível realizar inibições musculares. (VAN DER FITZ et al.
tarefas cotidianas como correr, chutar, saltar, 1999). A posição combinada do pescoço e do
arremessar, etc., e, ajustamentos posturais tronco determina a posição da cabeça no
adequados são mecanismos necessários espaço, que é importante para a interpretação
para a realização destas atividades. Ervilha et da informação sensorial a partir dos sensores
al. (1997), comenta que o corpo humano é baseados na cabeça. O controle da posição e
fisicamente um complexo sistema de da velocidade do tronco no espaço, como na
segmentos articulados em equilíbrio estático orientação postural pode ser a meta principal
e dinâmico. Movimentos do corpo são do sistema de equilíbrio postural, uma vez
causados por forças internas atuando fora do que a maior parte da massa corporal esta
eixo articular, provocando deslocamentos localizada no tronco (HORLINGS et al. 2009;
angulares dos segmentos, e por forças VAN DER FITZ et al. 1999). Portanto, as
externas ao corpo. Para tanto, o sistema de informações sensoriais e a atividade motora
controle postural precisa atuar para manter ou trabalham de forma coordenada com o
alcançar uma posição corporal desejada. objetivo de atingir ou manter o equilíbrio e a
A postura bípede humana é orientação postural.
relativamente instável, porque a estabilidade As forças que atuam no corpo, durante a
na postura é uma função que envolve vários posição ereta incluem forças resultantes da
fatores devido a sua base de suporte ser gravidade, da fricção e forças externas
pequena e o centro de massa ser alto (no relacionadas à superfície de apoio. O ponto
nível do quadril). A postura quadrúpede no qual toda a massa corporal é equilibrada é
possui a base de suporte maior e o centro de conhecido como centro de gravidade
massa mais próximo da superfície de apoio. corporal, e também o ponto resultante das
Quanto maior for a base de suporte, maior forças externas agindo sobre o corpo,
será a área que o centro de massa poderá se (VUILERM et al. 2007). Uma segunda força
movimentar sem perda do equilíbrio, atuando no centro de gravidade que é igual
(ALMEIDA, 2007). ou oposta à força de gravidade fazendo com
As informações sobre a posição que o corpo encontre seu equilíbrio na
relativa dos segmentos corporais e sobre as posição ereta é representada pela força de
forças internas e externas, que estão atuando reação do solo com os pés. Quando o corpo é
nestes segmentos são fornecidas pelos segmentado, a posição do centro de massa
sistemas sensoriais, oriundos de quadros de pode mudar bruscamente, devido à mudança
referencias, dependendo da tarefa e do de configuração corporal (a posição relativa
ambiente. O quadro de referencia pode ser dos segmentos) então, o centro de massa
visual, baseado nas dicas externas do pode ser localizado fora do corpo,
ambiente ao redor; somatossensorial, dependendo da orientação postural
baseado na informação do contato com (GALLAHUE e OZMUN, 2003; BRENIERE e
objetos externos e segmentos corporais; ou BRILL, 1998).
vestibular, baseado nas forças gravitacionais, Barela (2000), descreve situações em
(FREITAS e BARELA, 2006). Ajustamentos que ocorre uma dependência mutua entre a
nos sistemas sensoriais são necessários para percepção e a ação de modo continuo,
manter o centro de gravidade do corpo de denominada pelo autor como ciclo percepção-

34
Brazilian Journal of Biomechanics, Year 2010, vol 11, n.20
Equilibrio e Controle Postural

ação. Esse evento ocorre na manutenção da Esse sistema utiliza transdutores do tipo
posição ereta, durante um período de tempo, strain gauge, que permite medir os três
onde o relacionamento entre informação componentes da força, Fx, Fy e Fz, e os três
sensorial e atividade motora ocorre de forma componentes do momento de força, Mx, My e
continua, ou seja, a informação sensorial Mz (x, y e z são as direções anteroposterior,
estimula a realização das ações motoras mediolateral e vertical, respectivamente) que
relacionadas ao controle postural e, agem sobre a plataforma. O dado do CP
simultaneamente, a realização destas ações refere-se a uma medida de posição definida
motoras estimula a obtenção de informação por duas coordenadas na superfície da
sensorial. Como por exemplo, durante a plataforma. Estas duas coordenadas são
manutenção da posição ereta, uma oscilação identificadas em relação à orientação do
para frente é detectada pelos sistemas sujeito: direção anteroposterior (a-p) e direção
sensoriais resultando numa contração dos mediolateral (m-l). A grandeza física força
músculos posteriores afim de que esta captada é transformada em sinais elétricos
oscilação seja corrigida. Porem, assim que a pela plataforma de força, que por sua vez
oscilação é corrigida, agora para trás, uma serão transformados, através de
nova informação faz-se disponível, indicando amplificadores e filtros em sinais digitais para
a nova direção da oscilação, resultando numa que os dados possam ser armazenados e
nova contração, agora dos músculos analisados posteriormente em sistemas de
anteriores e assim sucessivamente computadores.
(LIPSHITS e KAZENNIKOV, 2008). As medidas e registros das oscilações
As conclusões apresentadas acima anteroposterior e mediolateral, os seja, a
são encontradas principalmente em estudos analise do equilíbrio postural por meio da
posteriores aos que investigavam o “quando” quantificação das qualificações do corpo é
surgiam os comportamentos de controle chamada de estabilometria, também
postural, e iniciaram estudos em “como” se denominada de estalilografia, ou ainda
dava o processo de controle. As metodologias estatocinesiografia, (MOCHIZUKI e AMADIO,
empregadas utilizaram principalmente a 2003; DUARTE, 2000; OLIVEIRA et al. 2000).
eletromiografia para verificar quais músculos O estatocinesigrama é o mapa do CP na
eram solicitados a contraírem-se e direção anteroposterior (Cp -p) versus o CP
principalmente a dinâmica da relação inter na direção mediolateral (CP m-l), enquanto
muscular nos membros inferiores e desses que o estabilograma é a série temporal do CP
com o tronco. Verificou-se que o equilíbrio é em cada uma das direções: anteroposterior e
conseguido por múltiplas contrações mediolateral, (FREITAS e DUARTE). Neste
musculares, desses segmentos estimulados ponto é necessário fazer uma observação. As
por solicitações dos sistemas sensoriais definições acima se encontram publicadas em
(visuais, vestibulares e proprioceptivos). artigo online, possivelmente preparado para
publicações em futuro próximo. Porém, a
definição que o próprio Duarte (2000), em sua
4. AVALIAÇÃO E ANÁLISE DO tese para estabilograma, é a que aparece
EQUILÍBRIO E DO CONTROLE POSTURAL nesse texto como estatocinesigrama, sendo
estabilograma, o mapeamento do COP
Freitas et al. (2009); Vuillerm et al. anteroposterior versus o COP mediolateral,
(2007), comentam que a maioria dos estudos representativo durante a postura ereta quieta.
sobre controle postural tem se centralizado na Independente da definição correta, à
capacidade de permanecer na postura ereta aplicação dessas análises é utilizada nas
(a posição em pé), e a mensuração mais áreas da avaliação clínica, reabilitação e
comum da oscilação postural na posição treinamento desportivo.
ereta (estática) é a variação no centro de Mochizuki e Amadio (2003) e Duarte
pressão (COP ou CP) na plataforma de força. (2000), comentam que alem do COP (ou CP),
A plataforma de força tem sido o instrumento existe outra grandeza chamada por Mochizuki
utilizado amplamente em vários estudos, Van e Amadio (2003) de COM e por Duarte
Den Heuvel et al. (2009); Wade e Davis (2000), de COG, que é definido por esse
(2009); Freitas et al. (2000); Banckoff et al. autor como o centro das forças gravitacionais
(2007); Vuillerm e Nafati (2007) e schmit et al. agindo sobre todos os segmentos do corpo
(2005). humano movendo-se como se a força
Esse equipamento consiste em duas gravitacional sobre todo o corpo agisse
superfícies rígidas entre as quais se apenas nesse ponto e é um conceito análogo
encontram, geralmente, quatro sensores de ao centro de gravidade. Os autores lembram
força do tipo célula de carga ou piezoelétrico. que muita confusão é feita com as duas

35
Brazilian Journal of Biomechanics, Year 2010, vol 11, n.20
C. L. Teixeira

grandezas devidas suas relações nos estudos Para essa verificação foram
do controle postural e citam que a oscilação selecionados cinco artigos, um publicado em
do COG (COM) é a grandeza que realmente 2008 e os outros quatro em 2009, e revisados
indica o balanço do corpo e a grandeza COP quanto seus objetivos e metodologia para
é resultado da resposta neuromuscular ao apontar as tendências, e buscando explorar
balanço do COP. aspectos que poderiam ser observados como
As observações realizadas, na sugestão de ausência de estudos na área.
revisão apresentada acima, são referentes Barela et al. (2009), examinaram
aos equipamentos utilizados. Aqui é recentemente a influencia do estimulo de
apresentada unicamente a plataforma de fluxo ótico e a intenção (do sujeito) nas
força do tipo piezoelétrico, entretanto, esse respostas do controle postural. A hipótese
não é o único equipamento disponível e dos pesquisadores era que a intenção em
utilizado em pesquisas relacionadas ao resistir aos estímulos tem participação em
controle postural. Uma plataforma de força reduzir as forças associadas, porém é
semelhante, de cristal artificial, também é dependente do estimulo característico, nesse
muito utilizada, porém, ao invés de células de caso ótico. O experimento foi conduzido com
carga utiliza transdutores de força de quartzo sujeitos postados numa sala móvel,
que possuem a propriedade de gerar sinal consistindo num ambiente de três paredes e o
elétrico quando submetida a uma carga teto montado sobre uma armação metálica
mecânica. Laessoe e Voigt (2008), utilizaram que desliza sobre trilhos para frente e para
uma plataforma de força móvel. Bankoff et al. trás movida por um mecanismo motor e com
(2004), utilizou um baropedômetro eletrônico, velocidade controlada por computador. Para
composto por uma plataforma modular da captação das oscilações corporais e os
Physical Support Italy, formando por sensores movimentos da sala os autores utilizaram o
eletrônicos de platina, revestido de captor em OPTOTRAK 3020 – 3D Motiom Measurement
cacho alveolar. Horlings et al. (2009) e System, NDI) com emissores IRED colocados
Horlings et al. (2009), utilizaram um aparelho, na parede frontal da sala, e também afixados
SwaySatr, que contém dois giroscópios em nas costas dos sujeitos, entre as escapulas.
para verificar os desvios laterais e outro para Observa-se nesse estudo a associação da
os movimentos para frente e para trás variável sensorial visual com a vontade do
produzido pela Balance International sujeito, com evidente pressuposto da teoria
Innovation Gmbh – Switzerland. O aparelho de percepção-ação.
foi montado sobre um cinto e preso em volta Outro estudo conduzido por Horlings
do tronco entre os ombros dos sujeitos et al. (2009), teve como objetivo examinar o
avaliados. Barela et al. (2000), utilizaram um equilíbrio durante (perante) uma realidade
emissor infravermelho (OPTOTRAK 3020 -3D virtual, para determinar como a realidade
Motion Measurement System, NDI) afixado virtual influencia a estabilidade durante a
nas costas, na posição estimada do centro de postura quieta sob diferentes condições de
massa. postura, sobre diferentes condições de
A variedade de instrumentos também superfícies (firme e macia) em comparação a
possui aspectos negativos e positivos. duas influencias visuais (olhos abertos ou
Negativos porque os resultados nem sempre fechados). O interesse dos autores foi
podem ser comparados e positivos porque determinar se o desequilíbrio também pode
instrumentos diferentes podem propiciar a ocorrer durante a imersão em realidade
avaliação de diferentes variáveis que nem virtual. O instrumento utilizado para verificar
sempre é obtida por um único aparelho. Outro as solicitações corporais, foi um transdutor
aspecto positivo é o fato da plataforma de angular de velocidade, citado anteriormente
força, apesar de amplamente utilizada, com o nome de SwayStar (composto por dois
continua em uso em estudos recentes giroscópios) montados sobre os ombros dos
associada a outros instrumentos e condições sujeitos. Estudos utilizando realidade virtual
da postura corporal e também já é produzida foram desenvolvidos anteriormente, porém o
no Brasil o que favorece sua aquisição pelos que este estudo traz como inovação é a
centros de pesquisas e instituições de nível associação entre as diferentes condições de
superior. posição de base de sustentação, da
superfície de apoio e estímulos visuais, que
em estudo anteriores foram verificados
5. DIRECIONAMENTO DAS PESQUISAS isoladamente.
ATUAIS O principal objetivo do estudo de
Mallau e Simoneau (2009), foi determinar se
levantar um objeto na posição ereta poderia

36
Brazilian Journal of Biomechanics, Year 2010, vol 11, n.20
Equilibrio e Controle Postural

alterar a habilidade de adultos mais velhos Observa-se por esses cinco recentes
para mudar a força dos dedos (ao pegar o estudos que tanto instrumento como foco de
objeto) ou os comandos do controle do pesquisa diferem, sugerindo ainda uma ampla
equilíbrio, principalmente quantificar a possibilidade de pesquisa na área.
habilidade em estabilizar o equilíbrio
enquanto levantavam um objeto estando na 6. CONCLUSÕES
posição ereta. Os sujeitos foram testados na
posição sentada e em pé. Quando da posição As pesquisas, sobre controle postural
em pé estavam sobre uma plataforma de detectaram os períodos de mudança no
força. Nas duas condições o objeto foi desenvolvimento e do comportamento da
colocado numa distância e altura suficiente postura ereta, identificou os sistemas que
possível de ser alcançado. Nesse estudo o atuam no controle postural e as condições
diferencial esta presente na execução de uma que influenciam o equilíbrio quase estático.
tarefa em diferentes condições posturais e Outra importante observação é que as
sua possível influência no controle do pesquisas têm investigado as variáveis de
equilíbrio na postura ereta, ou seja, é um controle postural e equilíbrio em situação ou
estudo sobre o controle do equilíbrio condições do cotidiano, como no caso do
dinâmico. estudo sobre o efeito da permanência em
Estudo semelhante foi desenvolvido superfície inclinada e do movimento de
por Feitosa et al. (2008), onde investigaram alcançar um objeto, indicando uma tendência
as mudanças no controle postural durante o em analises do controle postural e equilíbrio
desenvolvimento em tarefa de equilíbrio dinâmico.
dinâmico. A tarefa experimental foi Os estudos atuais incrementam em
permanecer sobre uma plataforma de força, associar e relacionar variáveis e condições
de frente para o experimentador, durante 30 diversas buscando entender como se dá a
segundos, mantendo a postura ereta, com os influência dessas variáveis sobre o equilíbrio
pés alinhados com a largura do quadril e as respostas dos sistemas de controle
(alargando a base) e braços estendidos ao buscando manter a postura, indicando o
longo do corpo, nos primeiros 15 segundos, entendimento da importância em se
após esse período e ao sinal do considerar o máximo possível de fatores
experimentador a criança alcançava e pegava intervenientes.
um brinquedo sobre uma mesa (movimento Esses estudos avançam na direção
mediolateral esquerdo) e trazia-o junto ao de futuras investigações sobre o controle da
tórax, nos 15 segundos finais. A amplitude postura corporal e equilíbrio durante
média de oscilação (AMO) no sentido execução de tarefas mais complexas e
mediolateral foi estabelecida como variável também em situações de execução de
dependente em cada fase da tarefa. Efeitos habilidades motoras esportivas.
principais de grupo etário foram observados
no movimento de trazer o brinquedo junto ao 7. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
peito.
Atentos à questão dos acidentes com
trabalhadores da construção civil, norte 2. Almeida ST. Analise da estabilidade
americana, que estão sujeitos a sofrerem postural de idosos sedentários,
quedas de telhados inclinados, Wade e Davis praticantes de exercício físico regular
(2009), desenvolveram estudo para e atletas. RBCEH, Passo Fundo, v. 4,
determinar se a instabilidade postural n. 1, p. 39-47, jan/jun. 2007.
encontrada aumentava após exposição
prolongada sobre superfície inclinada. O 3. Alves RF, Teixeira CS, Mota CB.
experimento consistia em uma pré-avaliação Equilíbrio corporal de crianças
sobre plataforma de força e imediata praticantes de futebol.
passagem para a superfície inclinada, onde o http://www.efdeportes.com/ Revista
sujeito poderia andar e descansar durante um Digital – Buenos Aires – Año 13 – Nº
período de tempo que variou de 20 minutos a 127 – Deciembre de 2008.
2 horas, em seis tentativas diferentes que
aumentavam de 20 em 20 minutos, e logo 4. Bankoff ADP. Postura corporal:
após cada período de exposição sobre a fatores biológicos da postura ereta:
superfície inclinada cada sujeito ia direto dela causas e conseqüências. Brasília:
para a plataforma de força para a realização Ministério da Saúde: Ministério da
de um pós-teste. Educação e do Desporto, 1996.

37
Brazilian Journal of Biomechanics, Year 2010, vol 11, n.20
C. L. Teixeira

5. Barela JA. Estratégias de controle em de Biodinâmica do Movimento do


movimentos complexos: ciclo Corpo Humano. São Paulo, 2000.
percepção-ação no controle postural.
Revista Paulista de Educação Física, 16. Ervilha UF, Amadio AC, Duarte M.
São Paulo, supl. 3, p. 79-88, 2000. Estudos sobre procedimentos de
normalização da intensidade do sinal
6. Barela JA. Aquisição de habilidades eletromiográfico durante o movimento
motoras: do inexperiente ao humano. In: CONGRESSO
habilidoso. Motriz –volume 5, numero BRASILEIRO DE BIOMECÂNICA., 6.
1, junho/1999. 1997, Campinas. Anais... Campinas:
Editora Novagráfica, 1997. p. 169-74.
7. Barella AJ, Polastri PF, Godoi D.
Controle postural em crianças: 17. Feitosa EA, Rinaldi NM, Gobbi LTB.
oscilação corporal e freqüência de Controle postural dinâmico em
oscilação. Rev. Paul. de Educ. Fís. crianças de dois a seis anos de
São Paulo, 14 (1): 55-64, jan/jun. idade. Rev. Brás. Educ. Fis. Esp. São
2000. Paulo, v. 22, n. 4, p. 285-291,
out/dez. 2008.
8. Barella AMF, Barella AJ, Rinaldi NM,
Toledo DR. Influence of imposed optic 18. Figura F, Cama G, Capranica L,
flow characteristics and intention on Guidetti L, Pulejo C. Assessment of
postural responses. Motor Control, static balance in children. The Journal
2009, 13, 119-129. of Sport Medicine and Physical
Fitness, Italy, v.31, n.2, p.235-242,
9. Barcellos C, Imbiriba LA. Alterações 1991
posturais e do equilibrio corporal na
primeira posição em ponta do balé 19. Frank JS, Earl M. Coordination of
clássico. Rev. Pau. Educ. Fís. São posture and movement. Physical
Paulo, 16 (1): 43-52, jan/jun. 2002. Therapy, Alexandria, v. 70, p. 855-
863, 1990.
10. Brenièré Y, Bril B. Development of
postural control of gravity forces in 20. Freitas- Junior P, Barella AJ.
children during the first 5 years of Alterações no funcionamento do
walking. Exp. Brain Res. (1998) sistema de controle postural de
121:255±262. idosos: uso da informação visual.
Rev. Port. Cien. Desp. Jan. 2006,vol.
11. Calve T, Castro EM. Contribuição da 6, nº 1, p.94-105. ISSN 1645-0523.
percepção háptica no controle
postural de crianças. Motriz, Rio 21. Freitas PB, Freitas SMSF, Duarte M,
Claro, v.11 n.3 p.199-204, set./dez. Latash ML, Zatsiorky VM. Effects of
2005. joint immobilization on standing
balance. Humam Movement Science
12. Carvalho RL, Almeida GL. Aspectos (2009) in press.
sensoriais e cognitivos do controle
postural. Revista Neurociências, 22. Freitas SMSF, Duarte M. Métodos de
2008. analise do controle postural.
Laboratório de Biofísica, Escola de
13. Cupps B. Postural Control: a current Educação Física e Esporte,
view. Neuro Developmental Universidade de São Paulo. Artigo
Treatment, online. Disponível em:
14. p. 3-8, jan/fev. 1997. http://lob.incubadora.fapesp.br/portal/
p/nec05.pdf. Acessado em: 14/05/09.
15. Duarte M. Análise estabilográfica da
postura ereta humana quasi-estática. 23. Gallahue DL, Ozmun JC.
Tese apresentada à Escola de Compreendendo o desenvolvimento
Educação Física e Esporte da motor: bebes, crianças, adolescentes
Universidade de São Paulo, como e adultos. São Paulo: Phorte Editora,
requisito parcial para concurso de 2003.
livre docência na área de
Biomecânica, junto ao Departamento

38
Brazilian Journal of Biomechanics, Year 2010, vol 11, n.20
Equilibrio e Controle Postural

24. Gobbi LTB, Silva JJ, Paiva ACSP, 32. Lee DN, Lishman R. Visual
Scabello PE. Comportamento proprioceptive control of stance.
locomotor de crianças e adultos Journal of Movement Studies, 1: 87-
jovens em ambiente doméstico 95, 1975.
simulado. Psicologia: Teoria e
Pesquisa. Jul-set 2007, vol. 23 n. 3, 33. Mallau S, Simoneau M. Aging reduces
pp. 273-278. the ability to change grip force and
balance control simultaneously.
25. Graaf-Peters VB, Blauw-Hospers CH, Neuroscience Letters 452 (2009) 23-
Dirks T, Bakker H, Bos AF, Hadders- 27.
Algra M. Development of postural
control in typically developing children 34. Mochizuki L, Amadio AC. Aspectos
and children whit cerebral palsy: biomecânicos da postura ereta: a
possibilities for intervention? relação entre centro de massa e o
Neuroscience Behavioral Reviews, centro de pressão. Revista
San Antonio. N. 31, p. 1191-1200, Portuguesa de Ciência do Desporto,
2007. 2003, vol. 3, [77-83]

26. Hadders-Algra M, Brogen E, 35. Morris A, Williams J, Atwater A,


Forrsberg H. Ontogeny of postural Wilmore J. Age and sex differences in
adjustments during sitting in infancy: motor performance of 3 through 6
variation, selection and modulation. year old children. Research Quarterly,
Journal of Physiology, Oxford, n. 493, London, v. 47, p. 246-59, 1982.
p. 273-288, 1996.
36. Oliveira LF, Imbiriba LA, Garcia MAC.
27. Hedberg A, Carlberg EB, Forssberg Índice de estabilidade para avaliação
H, Hadders-Algra M. Development of do equilíbrio postural. Revista
postural adjustments in sitting Brasileira de Biomecânica. Ano 1, n.
position during the first half year of 1, nov 2000, 33-38.
life. Developmental Medicine & Child
Neurology, Sheffield, n. 47, p. 312- 37. Oliveira TP, Santos AMC, Andrade
320, 2005. MC, Avila AOV. Avaliação do
equilíbrio postural de crianças
28. Horlings CGC, Küng M, Honnegger F, praticantes e não praticantes de
Van Engelen BGM, Van Alfen N, atividade física regular. Brasilian
Bloem BR And Allum JHJ. Vestibular Journal of Biomechanics, São Paulo,
proprioceptive influences on trunk v. 9, n. 16, p. 41-46, 2008.
movements during quiet standing.
Neuroscience 161 (2009) 904-914. 38. Rebellato JR, Castro APC, Sako FK,
29. Horlings CGC, Carpenter MG, Küng Aurichio TR. Equilíbrio estático e
UM, Honnegger F, Wiedrhold B, And dinâmico em indivíduos senescentes
Allum JHJ. Influence of virtual reality e o índice de massa corporal. Fisioter.
on postural stability during Mov. 2008 jul/set; 21 (3):69-75.
movements of quiet stance.
Neuroscience letters 451 (2009) 227- 39. Riach C, Hayes K. Maturation of
231. postural sway in young children.
Developmental Medicine and Child
30. Laessoe U, Voigt M. Antecipatory Neurology, London, v. 29, p. 650-8,
postural control strategies related to 1987.
predictive perturbations. Gait &
Posture 28 (2008) 62-68. 40. Riach CL, Starkes JL. Stability limits
of quiet standing postural control in
31. Lipshis MI, Kazennikov OV. The role children and adults. Gait & Posture,
of proprioceptive information in Amsterdam, v. 1, p. 105-111, 1993.
programming of anticipatory postural
components of voluntary movements. 41. Ruwer SL, Rossi AG, Simon LF.
Human Physiology, 2008, Vol. 34, nº Equilibrio no idoso. Rev. Bras.
1, pp. 73-78. Otorrinolaringol. V. 71, n. 3, 298-303,
mai/jun. 2005.

39
Brazilian Journal of Biomechanics, Year 2010, vol 11, n.20
C. L. Teixeira

42. Schimit JM, Regis DI, Riley MA. during quiet standing. Exp Brain Res
Dynamic patterns of postural sway in (2007) 181:547-554.
ballet dancers and track athletes. Exp
Brain Res (2005) 163: 370-378. 50. Vuillerm N, Nafati G. How attentional
focus on boddy sway affects postural
43. Schmidt A, Bankoff ADP, Beckdorf control during quiet standing.
RG, Ciol P, Zamai CA. Estabilometria: Psychological Research (2007) 71:
estudo do equilibrio postural atraves 192-200.
da baropodometria eletrônica. In: 51. Yi LC, Jardim JR, Inou DP, Pignatari
CONGRESSO BRASILEIRO DE SSN. The relationship between
CIENCIAS DO ESPORTE, 13, 2003, excursion of the diaphragm and
Caxambu. 25 anos de história: o curvatures of the spinal column in
percurso do CBCE na educação física mouth breathing children. Jornal de
brasileira. Anais. Caxambu: Colégio pediatria, Porto Alegre, v. 84, n. 2, p.
Brasileiro de Ciências do Esporte, 171-177, 2008.
2003. 52. Wade C, Davis J. Postural sway
following prolonged exposure to an
44. Shumway-Cook A, Woollacott M. The inclined surfaced. Safety Science 47
growth of stability: postural control (2009) 652-658.
from a developmental perspective.
Journal of Motor Behavior, 53. Woollacott MH, Burtner P, Jensen J,
Washington, v.17, n.2, p.131-147, Jasiewicz J, Roncesvalles N,
1985. Sveistrup H. Development of postural
responses during standing in healthy
45. Soames RW, Atha J. The spectral children whit spastic diplegia.
characteristics of postural sway Neuroscience and Biobehavioral
behavior. European Journal of Reviews, Vol. 22, nº 4, pp. 583-589,
Applied Physiology, Berlin, v. 49, 1998.
p.169-177, 1982.
54. Woollacott M, Debú B, Mowatt M.
46. Teixeira CS, Lopes LFD, Mota CB, Neuromuscular control of posture in
Rossi AG. utilização da visão para the infant and child: is vision
manutenção do equilíbrio estático em dominant? Journal of Motor Behavior,
jovens. The FIEP Bulletin. Volume: 77 Washington, v. 19, p. 167-186, 1987.
ano de publicação: 2007 pagina: 636-
639. Foz do Iguaçu/Paraná. 55. Zernicke RF, Gregor RJ, Cratty BJ.
Balance and visual propioception in
47. Van Den Heuvel MRC, children. Journal of Human Movement
Balasubramaniamb R, Daffershofera Studies, Los Angeles, v.8, p.1-13,
A, Longtinc A, Beeka PJ. Delayed 1982.
visual feedback reveals distinct time
scales in balance control. ENDEREÇO PARA CONTATO
Neuroscience Letters 452 (2009) 37-
41. Cesar Luis Teixeira
E-mail: cltpersonal@hotmail.com
48. Van Der Fits IBM, Otten E, Klip AWJ, http://lattes.cnpq.br/1583375801927470
Van Eykern LA, Hadders-Algra M.
The development os postural
adjustments during reaching in in 6 to
18 month old infants evidence for two
transitions. Experimental Brain
Research. Groningen, v. 126, n. 4, p.
517-528, 1999.

49. Vuillerm N, Pinsault N, Chenu O,


Boisgontier M, Demongeot J, Payan
Y. How a plantar pressure-based,
tongue-placed tactile biofeedback
modifies postural control mechanisms

40
Brazilian Journal of Biomechanics, Year 2010, vol 11, n.20