Vous êtes sur la page 1sur 1

Nome: Henrique Emiliano dos Santos RA: 2015.2.24.

059

RESENHA AULA 9

Há um debate sobre o significado de feudalismo, e os usos do termo têm sido contraditório


e variados. Basicamente tem diversificado entre a terra sido usada como poder político ou
como pelo exercício de direito sobre pessoas.
Tem evidências suficiente para sugerir que os mercados e a moeda desempenharam um
papel mais destacado na Idade média do que se costumava supor partilhando no debate
sobre o significado de feudalismo puramente jurídica e afetando a visão como forma de
servidão e apresentando a visão contratualista em termos monetários à medida que o
comércio e a produção para troca num mercado amplo se desenvolviam no final da idade
média.
Para o autor a ênfase da definição de feudalismo não está baseada na relação jurídica entre
vassalo e suserano, nem na relação entre produção e destinação do produto, mas sim “ na
relação entre o produtor direto (seja ele artesão em alguma oficina ou camponês cultivador
de terra) e seu superior imediato, ou senhor, e no teor sócio econômico da obrigação que
os liga entre si”, de forma que a definição de feudalismo está caracterizada como “modo
de produção” e isso embasa a essência da definição para o autor, de forma análoga esse
modo de produção é similar a servidão com definição que a servidão: uma obrigação
imposta ao produtor pela força e independentemente de sua vontade para satisfazer certas
exigências tomem a forma de serviços a prestar ou de taxas a pagar em dinheiro ou em
espécie, baseando nesses pressupostos que definem o feudalismo.
Para o autor o declínio do feudalismo se dá pelo surgimento e pelo desenvolvimento da
moeda como a principal ferramenta de troca e subsequente o trabalho assalariado. Porém
não é a regra sendo que partes da Europa não aderiram ao fato do fim do feudalismo, pelo
fato da moeda.