Vous êtes sur la page 1sur 91
UNIMAX – CADERNO DE EXERCÍCIOS DE FILOSOFIA – 1º SEMESTRE/2012 CADERNO DE EXERCÍCIOS DE FILOSOFIA

UNIMAX – CADERNO DE EXERCÍCIOS DE FILOSOFIA – 1º SEMESTRE/2012

CADERNO DE EXERCÍCIOS DE FILOSOFIA

Professor Admilson Prates

a) apenas II, III e IV

d) apenas III e IV.

b)

apenas I, III e IV c)

II, III e IV d) apenas III e IV. b) apenas I, III e IV c)

1

I, II, III e IV

Conteúdo: Mito e Filosofia: funções do mito. Condições históricas para o nascimento da Filosofia. A filosofia e o Filosofar.

QUESTÃO 01 Sobre a dimensão cultural do homem, atente ao texto a seguir:

O homem, dizia Schelling, tem, profundamente escondida em si, uma ‘cumplicidade com a criação’, pois que lhe assistiu as origens. Seja de onde for que tenhamos vindo, estamos aqui. Encontramo-nos no mundo, em meio a outros homens. A natureza é muda. Embora pareça estar expressando algo através de suas formas, suas paisagens, suas tempestades tumultuosas, suas erupções vulcânicas, sua brisa ligeira e seu silêncio – a natureza não responde. Os animais reagem de maneira que tem sentido, mas não falam. Só o homem fala. Só entre os homens, existe essa alternância de discurso e resposta continuamente compreendida. Só o homem, pelo pensamento, tem consciência de si.

(JASPERS, Karl. Introdução ao pensamento filosófico, São Paulo: Cultrix, 1999, p. 46)

Com relação a esse contexto, analise os itens a seguir:

I. O ser humano é um agente transformador e não se submete

inteiramente às forças da natureza, mas é capaz de ampliar os limites

que ela lhe impõe. II. A pessoa desenvolve a consciência de si mesma com base na

integração entre o plano individual e o sociocultural, nas diferentes relações com a natureza, com os semelhantes, com o transcendente e consigo mesma.

III. A solidariedade do homem com o mundo não confunde o homem com

o mundo. Graças à sua racionalidade, o homem se conhece distinto do mundo e, numa situação de alteridade com relação ao mundo, ele tem consciência de que é uma coisa e o mundo, que é sua casa, outra. IV. O processo de humanização, realizado com base no conhecimento, na linguagem e na ação, produz um certo conhecimento que se situa nas condições materiais de produção da vida e dos valores como também no sentido que se atribui à existência.

Estão CORRETOS:

QUESTÃO 02

Que representa a Filosofia? É uma das raras possibilidades de existência criadora. Seu dever inicial é tornar as coisas mais refletidas, mais

profundas (Heidegger, Martin).

Nessa perspectiva, é CORRETO afirmar que a Filosofia

a) é uma atividade de crítica e de análise dos valores de uma dada sociedade, na perspectiva de reorientação dos sentidos/significados da vida e do mundo.

b) começa dizendo sim às crenças e aos preconceitos do senso comum e, portanto, começa dizendo que sabemos o que imaginávamos saber.

c) não se distingue da ciência pelo modo como aborda seu objeto em todos os setores do conhecimento e da ação.

d) é a impossibilidade da transcendência humana, ou seja, a capacidade que só o homem tem de superar a situação dada e não-escolhida.

QUESTÃO 03 Sobre a Reflexão Filosófica, coloque V nas afirmativas verdadeiras e F nas falsas.

( ) Na origem, na raiz do perguntar, encontramos, portanto, a ruptura, a cisão, a contradição. Não sei, preciso saber e porque sei que não sei, pergunto, na expectativa de que a resposta possa trazer-me o conhecimento que não tenho e preciso ter.

( ) Essa dialética do perguntar e do responder, na qual o conhecimento consiste, torna-se plenamente consciente no homem, pois o homem, antes de conhecer, não apenas ignora, mas sabe que ignora.

( ) A capacidade de perguntar, o direito de perguntar, quer dizer, de

romper o monólogo e instaurar o diálogo, implícito na racionalidade humana, é historicamente uma conquista da própria razão.

( ) A reflexão filosófica propriamente dita tem condições de surgir no momento em que o pensar é posto em causa, tornando-se objeto de reflexão.

UNIMAX – CADERNO DE EXERCÍCIOS DE FILOSOFIA – 1º SEMESTRE/2012 2 ( ) A reflexão

UNIMAX – CADERNO DE EXERCÍCIOS DE FILOSOFIA – 1º SEMESTRE/2012

CADERNO DE EXERCÍCIOS DE FILOSOFIA – 1º SEMESTRE/2012 2 ( ) A reflexão filosófica é radical,

2

( ) A reflexão filosófica é radical, porque é um movimento de volta do pensamento sobre s i mesmo, para conhecer-se a si mesmo, para indagar

c)

A religião narrava teogonias (do grego: theos, deus; gonia, geração) isto é, a geração ou o nascimento dos deuses, semideuses e heróis.

como é possível o próprio pensamento.

d)

O

tempo sagrado não é uma narrativa.

Assinale a alternativa que apresenta a sequência CORRETA.

a)

V, V, V, F, V

b)

V, F, V, F, F.

c)

F, F, V, V, V

d)

V,

V, V, V,

V.

QUESTÃO 04

 

A atitude filosófica inicia-se dirigindo indagações ao mundo que nos rodeia e às relações que mantemos com ele. Pouco a pouco, porém, descobre que essas questões se referem, afinal, à nossa capacidade de

conhecer, à nossa capacidade de pensar (CHAUÍ, Marilena. Convite à Filosofia, 1996, p. 14).

Sobre isso, é CORRETO afirmar que a Filosofia

a) pode ser entendida como aspiração ao conhecimento sensível, lógico

QUESTÃO 06 Porque a religião liga humanos e divindades, porque organiza o espaço e o tempo, os seres humanos precisam garantir que a ligação e a organização se mantenham e sejam sempre propícias. Para isso são criados os ritos. Sobre as afirmativas abaixo acerca de rito e rituais marque a incorreta:

a) No entanto, uma vez fixada a simbologia de um ritual, sua eficácia dependerá da repetição minuciosa e perfeita do rito, tal como foi praticado na primeira vez, porque nela os próprios deuses orientaram

gestos e palavras dos humanos.

b) O ritual deve repetir um acontecimento essencial da história sagrada, por exemplo, no cristianismo, a eucaristia ou a comunhão, que repete

a Santa Ceia.

c) O rito não é uma cerimônia em que gestos determinados, palavras determinadas, objetos determinados, pessoas determinadas e

e

assistemático da realidade natural e humana.

emoções determinadas adquirem o poder misterioso de presentificar

b) uma forma crítica e incoerente de pensar o mundo, produzindo um

é

o

laço entre os humanos e a divindade.

entendimento de seu significado e formulando uma concepção específica desse mundo.

c) designava, desde a Grécia Antiga, a particularidade do conhecimento sensitivo, desenvolvido pelo homem.

d) como forma consciente e crítica de compreender o mundo e a realidade não se confunde, de maneira alguma, com o fato de estar ‘investida’ inconscientemente de valores adquiridos com base no ‘senso comum’.

QUESTÃO 05 Analise as afirmativas abaixo e marque a incorreta:

a)

A

história sagrada ou mito narra como e por que a ordem do mundo

existe e como e por que foi doada aos humanos pelos deuses.

b)

A

narrativa sagrada é a história sagrada, que os gregos chamavam de

mito. Este não é uma fabulação ilusória, uma fantasia sem consciência, mas a maneira pela qual uma sociedade narra para si mesma seu começo e o de toda a realidade, inclusive o começo ou nascimento dos próprios deuses.

d) O rito é a rememoração perene do que aconteceu numa primeira vez

e que volta a acontecer, graças ao ritual que abole a distância entre o

passado e o presente.

QUESTÃO 07 Sobre o sagrado podemos afirmar:

I. O sagrado é a experiência simbólica da diferença entre os seres, da superioridade de alguns sobre outros, do poderio de alguns sobre outros, superioridade e poder sentidos como espantosos, misteriosos, desejados e temidos. II. Em regiões desérticas, a sacralização concentra-se nas águas, raras e necessárias. III. O sagrado opera o encantamento do mundo, habitado por forças maravilhosas e poderes admiráveis que agem magicamente. Criam vínculos de simpatia-atração e de antipatia-repulsão entre todos os seres, agem à distância, enlaçam entes diferentes com laços secretos e eficazes.

Marque a opção correta.

a) I, II, III UNIMAX – CADERNO DE EXERCÍCIOS DE FILOSOFIA – 1º SEMESTRE/2012 b)

a)

I, II, III

UNIMAX – CADERNO DE EXERCÍCIOS DE FILOSOFIA – 1º SEMESTRE/2012

b)

I, II

c)

III

d)

I

a)

I, II, III

b)

II

c)

I

SEMESTRE/2012 b) I, II c) III d) I a) I, II, III b) II c) I

d)

III

3

QUESTÃO 08 Analise as proposições abaixo sobre religião:

I. A palavra religião vem do latim: religio, formada pelo prefixo re (outra

vez, de novo) e o verbo ligare (ligar, unir, vincular). II. A religião não transmuta apenas o espaço. Também qualifica o tempo,

dando-lhe a marca do sagrado.

III. No cristianismo a religio é explicitada por um gesto de união. No Novo

Testamento, Jesus disse a Pedro: “Tu és Pedro e sobre esta pedra edificarei a minha igreja e as portas do inferno não prevalecerão contra ela. Eu te darei as Chaves do Reino: o que ligares na Terra será ligado no Céu; o que desligares na Terra será desligado no Céu”.

Marque a opção correta.

a) I, II, III

b )

I, III

c) II, III

d) I, II

QUESTÃO 09 Analise as proposições abaixo sobre religião:

I. As religiões reveladas – diferentes, portanto, das religiões extáticas –

realizam a revelação de duas maneiras: numa delas, como é o caso da

judaica e da cristã, aquele que recebe a revelação deve escrevê-la, para que integre os textos da história sagrada e seja transmissível; na outra, como é o caso da grega, da romana, das africanas, das indígenas, o vidente é levado perante os deuses e vê a totalidade do tempo e dos acontecimentos, devendo, após a visão, dizê-la, para integrá-la à memória religiosa oral.

II. Há religiões em que os deuses se manifestam: surgem diante dos

homens em beleza, esplendor, perfeição e poder e os levam a ver uma

outra realidade, escondida sob a realidade cotidiana, na qual o espaço, o tempo, as formas dos seres, os sons e as cores, os elementos encontram- se organizados e dispostos de uma outra maneira, secreta e verdadeira.

A

divindade, levando um humano ao seu mundo, desvenda-lhe a verdade

e

o ilumina com sua luz.

III. Há religiões em que a divindade usa intermediários para revelar a lei.

É o caso da religião judaica, em que Jeová se vale, por exemplo, de Noé, Moisés, Samuel, para dar a conhecer a lei.

Marque a opção correta.

QUESTÃO 10 Sobre as religiões da transcendência analise as proposições abaixo:

I. A formação de uma autoridade que detém o privilégio do saber, porque conhece a vontade divina e suas leis. Com ela, surge a instituição sacerdotal e eclesiástica. Não por acaso, Cícero dirá que a palavra religião vem do verbo legere, ler.

II. A formulação de uma doutrina religiosa baseada na idéia de

hierarquia, isto é, de uma realidade organizada sob a forma de graus superiores e inferiores onde se situam todos os seres, por vontade divina.

III. O privilégio do uso da violência sagrada para punir os faltosos ou

pecadores. Inicialmente, exigia-se que todos os membros da comunidade fossem piedosos, isto é, respeitassem deuses, tabus, rituais e a memória dos antepassados.

Marque a opção CORRETA

a) I, II, III

b) I, II

c) II, III

d) I, II

QUESTÃO 11 Sobre a mitologia afro-brasileira analise as afirmativas abaixo:

I. Eshu/Exu é, sem duvida, a figura mais controvertida dos cultos afro- brasileiros. Para alguns, uma figura brincalhona, associada à imagem de um menino irresponsável, divertindo-se com as confusões que consegue armar entre os seres humanos e entre os próprios orishas/orixás; para outros uma figura temível, perigosa, voltada exclusivamente para o mal.

II. Xangô é a divindade masculina de caráter forte e temperamental. Senhor da justiça. É viril, violento e justiceiro. Castiga os mentirosos.

III. Ogum é a divindade das guerras e dos metais, seu caráter é serio e

violento. Agressivo e guerreiro. Divindade masculina, protetor dos

ferreiros e das estradas, especialmente as de ferro.

Marque a opção correta.

a)

I, II, III

b)

I

c)

II

d)

III

QUESTÃO 12 Coloque V nas afirmativas verdadeiras e F nas falsas, referentes ao pensamento mítico.

UNIMAX – CADERNO DE EXERCÍCIOS DE FILOSOFIA – 1º SEMESTRE/2012 4 ( ) Os relatos

UNIMAX – CADERNO DE EXERCÍCIOS DE FILOSOFIA – 1º SEMESTRE/2012

CADERNO DE EXERCÍCIOS DE FILOSOFIA – 1º SEMESTRE/2012 4 ( ) Os relatos míticos firmam os

4

( ) Os relatos míticos firmam os elos entre os homens entre si e com o seu meio ambiente. Um povo sem mitos, por suposição, é um povo que perdeu o senso concreto.

( ) A mitologia grega, embora não se tenha desenvolvido nos mesmos

esquemas lógico-racionais da filosofia posterior ocidental, não deixou de

explicitar uma rica significação lógica, embutida em formas alegóricas de pensar.

( ) O pensamento mítico está muito ligado à magia, ao desejo, ao querer que as coisas aconteçam de um determinado modo. O mito nasce do desejo de poder dominar o mundo para afugentar o medo e a insegurança.

( ) Em todos os povos, o mito sempre teve (e ainda tem em muitas

culturas) um papel muito importante ao transmitir o conhecimento de pais para filhos, ao garantir a segurança dos indivíduos e a continuidade dos valores sociais, unindo as pessoas de um mesmo grupo.

( ) O mito explica a origem do mundo; é, portanto, uma compreensão reflexiva da realidade.

Assinale a alternativa que apresenta a sequência CORRETA.

a) F, F, F, F, V b) V, V, V, F, F V, V, F, F, F

c) F, F, F, V, Vd) V, V, V, V, F

e)

QUESTÃO 13 Dentre os muitos modos da consciência, existe a Consciência mítica. Sobre ela, leia o texto abaixo:

Na verdade, os mitos não são apenas narrativas sobre a origem do homem, das coisas da natureza, do mundo. Eles também falam sobre aspectos da condição

humana, como o fato de ser mortal e sexuado, de viver em sociedade e de ter de trabalhar para sobreviver e da necessidade de regras de

Dessa forma, são parte da história de todos os povos, por

convivência

todo o planeta. (CHALITA, Gabriel. Vivendo a Filosofia. São Paulo, 2002, p. 23.)

Com relação a essa Consciência, assinale com V as afirmativas verdadeiras e com F as falsas.

( ) O termo mito tem diversos significados. Pode significar: uma ideia

falsa, como quando se diz “o mito da superioridade racial dos germânicos

difundido pelos nazistas”.

( ) Quando falamos em mito num sentido antropológico, queremos nos

referir às narrativas e aos ritos tradicionais, integrantes da cultura de um

povo, principalmente entre as populações primitivas e antigas, que utilizavam elementos simbólicos para explicar a realidade e dar sentido à vida humana.

( ) Os meios de comunicação utilizam a palavra mito com um significado

diferente do que se entendia na cultura greco-romana, ao passo que hoje se referem a artistas que ganham destaque por causa de um filme ou de

uma música de sucesso.

( ) O mito, entre os povos primitivos, privilegia o fato positivo, ou seja, o fato objetivo, que pode ser medido e controlado pela experimentação.

( ) O mito é uma narrativa, que explica alegoricamente as situações da existência dos homens.

Assinale a alternativa que apresenta a sequência CORRETA.

a) V, V, V, V, V

d) F, F, F,

F, V

b) V, V, V, F, V

c) F, F, V, F, V

e) V, V, F, F, V.

QUESTÃO 14 Atente ao texto a seguir sobre o pensamento mítico:

Os mitos, efetivamente, narram não apenas a origem do mundo, dos animais, das plantas e do homem mas também de todos os acontecimentos primordiais em consequência dos quais o homem se converteu no que é hoje – um ser mortal, sexuado, organizado em sociedade,obrigado a trabalhar para viver, e trabalhando de acordo com

determinadas regra”s (Mircea Eliade, Mito e realidade. 2010).

2

Sobre as funções do mito, coloque V para verdadeiro e F para falso nas afirmativas abaixo:

( ) Acomodar e tranquilizar o homem em face de um mundo assustador,

dando-lhe confiança de que, por meio de suas ações mágicas, o que acontece no mundo natural depende, em parte, dos atos humanos.

( ) Fixar modelos exemplares de todas as funções e atividades humanas.

( ) Apresentar uma primeira atribuição de sentido ao mundo, sobre a qual a afetividade e a imaginação exercem grande papel.

( ) Ensejar uma primeira leitura do mundo, uma primeira situação no espaço e no tempo. Dar um sentido do mundo humano.

( ) Explicar a realidade e não acomodar o homem ao mundo.

Assinale a alternativa que apresenta a sequência CORRETA.

UNIMAX – CADERNO DE EXERCÍCIOS DE FILOSOFIA – 1º SEMESTRE/2012 5 a) V, V, V,

UNIMAX – CADERNO DE EXERCÍCIOS DE FILOSOFIA – 1º SEMESTRE/2012

CADERNO DE EXERCÍCIOS DE FILOSOFIA – 1º SEMESTRE/2012 5 a) V, V, V, F, V V,

5

a) V, V, V, F, V

V, F

b) V, V, F, V, V

e) F, F, F, V, V.

c) V, F, V, F, F

d) V, V, V,

QUESTÃO 15 É CORRETO afirmar que o mito no mundo atual

a) Ainda tem força para inflamar paixões, como no caso dos artistas, políticos e esportistas, quando transformados em modelos exemplares, pois não se apresenta mais com o caráter existencial que tinha o mito primitivo.

b) É utilizado para explicar o início da história de uma comunidade ou como fundamento da origem do mundo e da espécie humana sobre a face da terra.

c) Expressa a capacidade inicial do homem de compreender o mundo.

d) É a repetição dos atos dos deuses que foram executados no início dos tempos e que devem ser imitados e repetidos, para que as forças do bem e do mal se mantenham sob controle.

e) Surge como modelo explicativo para satisfazer a curiosidade e as exigências da mente primitiva. Embora desprovido de conteúdo, é passível de convencer a razão humana.

QUESTÃO 16

O homem é naturalmente filósofo, ‘amigo da sabedoria’. E é verdade.

Ávido de saber, não se contenta em viver o momento presente e aceitar passivamente as informações fornecidas pela experiência imediata, como fazem os animais. Seu olhar interrogativo quer conhecer o porquê das coisas, sobretudo o porquê da própria vida

(MONDIN, B. Introdução à Filosofia. São Paulo, 1981, p. 5).

Com relação a esse assunto, analise as proposições a seguir:

I. Movido pelo espanto e pela admiração, o homem abandona o senso comum e faz despertar uma consciência crítica, que o afasta da ignorância e busca, na filosofia, uma nova forma de conhecimento, que tem, “no saber pelo saber”, seu fundamento primordial. II. A filosofia é procura e não posse, definindo o trabalho filosófico como um trabalho de reflexão. Definir a filosofia como reflexão é concebê-la como um conhecimento do conhecimento, um saber do saber. III. A filosofia é, de imediato, algo que o homem faz, que o homem tem feito. O que primeiro devemos tentar, pois, é definir esse ‘fazer’, que chamamos filosofia.

IV. A filosofia não é uma simples abstração independente da vida. Ela é,

ao contrário, a própria manifestação da vida humana e a sua mais alta

expressão.

V. A filosofia é uma atitude acrítica que o ser humano assume no

enfrentamento da realidade que o cerca, tendo em vista a posse de um saber sobre essa realidade.

Estão CORRETAS:

a)

apenas I, II, III e V

b) apenas II, III, IV e V

c)

apenas I, III e IV

d) apenas I, II, III e IV

e) I, II, III, IV e V.

QUESTÃO 17 Sobre o conhecimento filosófico, atente ao texto que se segue:

“Seja a filosofia o que for, está presente em nosso mundo e a ele necessariamente se refere. Certo é que ela rompe os quadros do mundo para lançar-se ao infinito. Mas retorna ao finito para aí encontrar seu fundamento histórico sempre original.”

(JASPERS, Karl. Introdução ao pensamento filosófico, 1999, p. 138.)

Coloque V para verdadeiro e F para falso nas afirmativas a seguir, referente ao conhecimento filosófico.

( ) Muito longe de ignorar o mundo material, a filosofia reflete sobretudo, a começar por este mundo que condiciona todos os nossos pensamentos.

( ) A filosofia pode ser entendida como aspiração ao conhecimento

racional, lógico e sistemático da realidade natural e humana, da origem,

das causas e transformações do mundo, das ações humanas e do próprio pensamento.

( ) O conhecimento filosófico não é ‘eu acho que’ nem é pesquisa de

opinião à maneira dos meios de comunicação de massa. A filosofia exige

a fundamentação racional do que é enunciado e pensado.

( ) O conhecimento filosófico substituiu os mitos e as crenças religiosas na tentativa de conhecer e compreender o mundo e os seres que nele habitam.

( ) A filosofia tem um objetivo puramente prático; é um exercício acadêmico.

Assinale a alternativa que apresenta a sequência CORRETA.

a) V, V, V, F, F d) V, V, F, F, F

b) V, V, V, V, F

c) V, V, V, V, V

QUESTÃO 18

UNIMAX – CADERNO DE EXERCÍCIOS DE FILOSOFIA – 1º SEMESTRE/2012 6 “ A filosofia se

UNIMAX – CADERNO DE EXERCÍCIOS DE FILOSOFIA – 1º SEMESTRE/2012

CADERNO DE EXERCÍCIOS DE FILOSOFIA – 1º SEMESTRE/2012 6 “ A filosofia se dirige ao indivíduo.

6

A filosofia se dirige ao indivíduo. Dá lugar à livre comunidade dos que, movidos pelo desejo de verdade, confiam uns nos outros.”

(JASPERS, Karl. São Paulo, 1999, p. 138).

Nessa perspectiva, é CORRETO afirmar que a filosofia

a) é uma forma de compreender o dia a dia da história, a cotidianidade do mundo, os seres humanos com suas aspirações, desejos, grandezas e misérias.

b) é uma simples abstração dependente da vida. A filosofia não traduz o sentir, o pensar e o agir do homem.

c) aspira à verdade parcial, a que o mundo quer. A filosofia não se destina ao homem como ser humano, mas apenas a uma elite fechada em si mesma.

d) é um conjunto de conhecimentos prontos, um sistema acabado, fechado em si mesmo. Ela é, antes de mais nada, uma prática de vida que procura pensar os acontecimentos na sua pura aparência.

e) está aquém daquilo que é, para propor como poderia ser. É, portanto, dispensável para a vida de todos nós, que desejamos ser seres humanos completos, cidadãos livres e responsáveis por nossas escolhas.

e) A verdade do mito obedece a regras universais do pensamento racional, tais como a lei de não-contradição.

QUESTÃO 20 (UEL) - Sobre a passagem do mito à filosofia, na Grécia Antiga, considere as afirmativas a seguir.

I. Os poemas homéricos, em razão de muitos de seus componentes, já

contêm características essenciais da compreensão de mundo grega que, posteriormente, se revelaram importantes para o surgimento da filosofia.

II. O naturalismo, que se manifesta nas origens da filosofia, já se

evidencia na própria religiosidade grega, na medida em que nem homens

nem deuses são compreendidos como perfeitos.

III. A humanização dos deuses na religião grega, que os entende movidos

por sentimentos similares aos dos homens, contribuiu para o processo de racionalização da cultura grega, auxiliando o desenvolvimento do pensamento filosófico e científico.

IV. O mito foi superado, cedendo lugar ao pensamento filosófico, devido

à assimilação que os gregos fizeram da sabedoria dos povos orientais, sabedoria esta desvinculada de qualquer base religiosa.

Estão corretas apenas as afirmativas:

QUESTÃO 19

(UEL)

Zeus ocupa o trono do universo. Agora o mundo está ordenado. Os deuses disputaram entre si, alguns triunfaram. Tudo o que havia de ruim no céu etéreo foi expulso, ou para a prisão do Tártaro ou para a Terra, entre os mortais. E os homens, o que acontece com eles? Quem são

eles?” (VERNANT, Jean-Pierre. O universo, os deuses, os homens. Trad. de Rosa Freire d’Aguiar. São Paulo: Companhia das Letras, 2000. p. 56.)

O texto acima é parte de uma narrativa mítica. Considerando que o mito pode ser uma forma de conhecimento, assinale a alternativa CORRETA.

a) A verdade do mito obedece a critérios empíricos e científicos de comprovação.

b) O conhecimento mítico segue um rigoroso procedimento lógico- analítico para estabelecer suas verdades.

c) As explicações míticas constroem-se de maneira argumentativa e autocrítica.

d) O mito busca explicações definitivas acerca do homem e do mundo, e sua verdade independe de provas.

a) I e II

b) II e IV

QUESTÃO 21

(UEL)

c) III e IV

d) I, II e III.

Os poemas de Homero serviram de alimento espiritual aos gregos, contribuindo de forma essencial para aquilo que mais tarde se desenvolveria como filosofia. Em seus poemas, a harmonia, a proporção, o limite e a medida, assim como a presença de questionamentos acerca das causas, dos princípios e do porquê das coisas se faziam presentes, revelando depois uma constante na elaboração dos princípios metafísicos da filosofia grega.

(Adaptado de: REALE, Giovanni. História da Filosofia Antiga. v. I. Trad. Henrique C. Lima Vaz e Marcelo Perine. São Paulo: Loyola, 1994. p. 19. )

Com base no texto e nos conhecimentos acerca das características que marcaram o nascimento da filosofia na Grécia, considere as afirmativas a seguir.

I. A política, enquanto forma de disputa oratória, contribuiu para formar

um grupo de iguais, os cidadãos, que buscavam a verdade pela força da argumentação.

UNIMAX – CADERNO DE EXERCÍCIOS DE FILOSOFIA – 1º SEMESTRE/2012 7 II. O palácio real,

UNIMAX – CADERNO DE EXERCÍCIOS DE FILOSOFIA – 1º SEMESTRE/2012

CADERNO DE EXERCÍCIOS DE FILOSOFIA – 1º SEMESTRE/2012 7 II. O palácio real, que centralizava os

7

II. O palácio real, que centralizava os poderes militar e religioso, foi

substituído pela Ágora, espaço público onde os problemas da polis eram

debatidos.

III. A palavra, utilizada na prática religiosa e nos ditos do rei, perdeu a

função ritualista de fórmula justa, passando a ser veículo do debate e da discussão.

IV. A expressão filosófica é tributária do caráter pragmático dos gregos,

que substituíram a contemplação desinteressada dos mitos pela técnica

utilitária do pensar racional.

Estão CORRETAS apenas as afirmativas:

a) I e III

b) II e IV

c) III e IV

d) I, II e III.

QUESTÃO 22

(UEL)

“A filosofia grega parece começar com uma idéia absurda, com a proposição: a água é a origem e a matriz de todas as coisas. Será mesmo necessário deter-nos nela e levá-la a sério? Sim, e por três razões: em primeiro lugar, porque essa proposição enuncia algo sobre a origem das coisas; em segundo lugar, porque faz sem imagem e fabulação; e enfim, em terceiro lugar, porque nela, embora apenas em estado de crisálida, está contido o pensamento: ‘Tudo é um’. A razão citada em primeiro lugar deixa Tales ainda em comunidade com os religiosos e supersticiosos, a segunda o tira dessa sociedade e no-lo mostra como investigador da natureza, mas, em virtude da terceira, Tales se torna o primeiro filósofo grego”.

Fonte: NIETZSCHE, F. Crítica Moderna. In: Os Pré-Socráticos. Tradução de Rubens Rodrigues Torres Filho. São Paulo: Nova Cultural, 1999. p. 43.

Com base no texto e nos conhecimentos sobre Tales e o surgimento da filosofia, considere as afirmativas a seguir. I. Com a proposição sobre a água, Tales reduz a multiplicidade das coisas e fenômenos a um único princípio do qual todas as coisas e fenômenos derivam. II. A proposição de Tales sobre a água compreende a proposição ‘Tudo é um’. III. A segunda razão pela qual a proposição sobre a água merece ser levada a sério mostra o aspecto filosófico do pensamento de Tales. IV. O Pensamento de Tales gira em torno do problema fundamental da origem da virtude.

A alternativa que contém todas as afirmativas

a) I e II b) II e III

c) I e IV

d) I, II e IV

QUESTÃO 23 (UEL) - Leia o texto a seguir:

“Sim bem primeiro nasceu Caos, depois também Terra de amplo seio, de todos sede irresvalável sempre dos imortais que têm a cabeça do Olimpo nevado e Tártaro nevoento no fundo do chão de amplas vias e Eros: o mais belo entre Deuses imortais.”

Fonte: HESÍODO. Teogonia. Tradução de Jaa Torrano. 3ª ed. São Paulo: Iluminuras, 1995, p.

111.

Sobre o exposto acima, podemos afirmar que se trata de um texto:

I. Do período cosmológico, que compreende as escolas pré-socráticas, cujo interesse era perseguir a unidade que garantia a ordem do mundo e a possibilidade do conhecimento humano. II. De caráter ético, cuja narrativa revela a preocupação com a conduta dos homens e dos deuses. III. De caráter cosmogônico, cuja reflexão busca tornar concebível a origem das coisas e a força que as produziu. IV. Anterior à cosmologia filosófica, cuja narrativa reflete ainda a mentalidade mítica.

Estão corretas apenas as afirmativas:

a) I e III

b) III e IV

QUESTÃO 24

(UEL)

c) II e IV

d) I, II e III

“Há, porém, algo de fundamentalmente novo na maneira como os Gregos puseram a serviço do seu problema último – da origem e essência das coisas – as observações empíricas que receberam do Oriente e enriqueceram com as suas próprias, bem como no modo de submeter ao pensamento teórico e casual o reino dos mitos, fundado na observação das realidades aparentes do mundo sensível: os mitos sobre o nascimento do mundo.”

Fonte: JAEGER, W. Paidéia. Tradução de Artur M. Parreira. 3.ed. São Paulo: Martins Fontes, 1995, p. 197.

Com base no texto e nos conhecimentos sobre a relação entre mito e filosofia na Grécia, é correto afirmar:

UNIMAX – CADERNO DE EXERCÍCIOS DE FILOSOFIA – 1º SEMESTRE/2012 8 a) Em que pese

UNIMAX – CADERNO DE EXERCÍCIOS DE FILOSOFIA – 1º SEMESTRE/2012

CADERNO DE EXERCÍCIOS DE FILOSOFIA – 1º SEMESTRE/2012 8 a) Em que pese ser considerada como

8

a) Em que pese ser considerada como criação dos gregos, a filosofia se origina no Oriente sob o influxo da religião e apenas posteriormente chega à Grécia.

b) A filosofia representa uma ruptura radical em relação aos mitos, representando uma nova forma de pensamento plenamente racional desde as suas origens.

c) Apesar de ser pensamento racional, a filosofia se desvincula dos mitos de forma gradual.

d) Filosofia e mito sempre mantiveram uma relação de interdependência, uma vez que o pensamento filosófico necessita do mito para se expressar.

e) O mito já era filosofia, uma vez que buscava respostas para problemas que até hoje são objeto da pesquisa filosófica.

QUESTÃO 25

(UNIMONTES)

A filosofia é a disciplina que permite que o indivíduo tenha uma atitude de admiração. Por que admiração? Por que estranhamento? Admiração é a categoria que nos possibilita tomar consciência da nossa própria ignorância. Ignorância entendida aqui como ausência de conhecimento. É essa categoria que estimula a abertura para o saber, o conhecer.

(PRATES, Admilson Eustáquio. O Fazer Filosófico. Montes Claros: Unimontes, 2006.)

Aristóteles, no início da Metafísica, lembra-nos que, “Na verdade, foi pela admiração que os homens começaram a filosofar tanto no princípio como agora”.

Das afirmativas abaixo, assinale a CORRETA.

a) A admiração conduz ao devaneio e à distância da filosofia.

b) A admiração liga-se aos sentidos e é falsa em sua origem.

c) A admiração é enganadora e confusa na constituição do conhecimento.

d) A admiração constitui possibilidade ímpar para o ato de filosofar.

Sobre a Filosofia, é INCORRETO afirmar que

a) Filosofia é uma reflexão crítica sobre o conhecimento, sobre a ação

a

e sobre o Ser.

b) ciência atual superou completamente o pensamento filosófico.

c) Filosofia pode ser considerada a superação do pensamento mítico.

d) Filosofia nasceu na Grécia do século VI a.C.

e) Filosofia sofreu mudanças desde seu surgimento.

a

a

a

a

QUESTÃO 27

(UNIOESTE) - “A ignorância mais condenável não é essa de supor saber

o que não se sabe? É talvez nesse ponto, senhores, que difiro do comum

dos homens; se nalguma coisa me posso dizer mais sábio que alguém, é nisto de, não sabendo o bastante sobre o Hades, não pensar que o saiba”. (Platão) Neste texto, Platão apresenta a concepção socrática de Filosofia. Sobre ela, seguem as seguintes afirmações:

I. A verdade torna o homem melhor, pois tem como resultado ultrapassar

o homem comum.

II. Saber que nada se sabe é o primeiro passo para se atingir a verdade.

III. O método socrático (a maiêutica) é irônico, porque pressupõe saber

que nada se sabe. IV. O saber que nada se sabe permite ao indivíduo livrar-se dos preconceitos e abrir caminho até o conhecimento verdadeiro.

V. O constante questionamento deve ser a atividade fundamental do

filósofo. Das proposições feitas acima

a)

apenas II e IV são corretas

b) I, II e V são corretas

c)

II, III e IV são corretas

d) todas elas são corretas

e)

todas elas são incorretas.

QUESTÃO 26 (UNIMONTES) - “A filosofia nasceu como uma forma de pensar específica, como interrogação sobre o próprio homem como ser no mundo, quando o homem passou a confrontar-se com as entidades míticas e religiosas e procurou uma explicação racional para a sua existência e a existência das coisas”. (A. A. P. Mendes)

QUESTÃO 28

(UNIOESTE)

Reflexão significa movimento de volta sobre si mesmo ou movimento de retorno a si mesmo. A reflexão é o movimento pelo qual o pensamento volta-se para si mesmo, interrogando a si mesmo. A reflexão filosófica é radical porque é um movimento de volta do pensamento sobre si mesmo

UNIMAX – CADERNO DE EXERCÍCIOS DE FILOSOFIA – 1º SEMESTRE/2012 9 para conhecer-se a si

UNIMAX – CADERNO DE EXERCÍCIOS DE FILOSOFIA – 1º SEMESTRE/2012

CADERNO DE EXERCÍCIOS DE FILOSOFIA – 1º SEMESTRE/2012 9 para conhecer-se a si mesmo, para indagar

9

para conhecer-se a si mesmo, para indagar como é possível o próprio pensamento. Não somos, porém, somente seres pensantes. Somos

também seres que agem no mundo. [

volta para essas relações que mantemos com a realidade circundante, para o que dizemos e para as ações que realizamos nessas relações.” (M. Chauí)

A reflexão filosófica também se

]

seguintes

afirmações:

I. Independentemente de seu conteúdo ou objeto, uma característica

fundamental da Filosofia é a indagação, a interrogação.

II. A Filosofia direciona perguntas como “o que é?”, “por que é?” e

“como é?” ao mundo que nos cerca, ao próprio homem e às relações que

o homem estabelece.

III. A Filosofia não é algo importante porque não somos apenas seres

pensantes. IV. A reflexão sobre o conhecer e o agir humanos fazem parte da reflexão filosófica. V . A reflexão filosófica é radical porque é feita sem nenhum tipo de objetivo.

Das afirmações feitas acima

a) apenas as afirmativas I, II e IV estão corretas.

b) apenas as afirmativas I, II e III estão corretas.

c) apenas as afirmativas I, II, III e V estão corretas.

d) todas as afirmativas estão corretas.

e) todas as afirmativas estão incorretas.

Sobre

a

Filosofia,

conforme

o

texto

acima,

seguem

as

Gabarito: Assunto: Mito e Filosofia: funções do mito. Condições históricas para o nascimento da Filosofia. A filosofia e o Filosofar.

01

02

03

04

05

06

– C

07 –

08

09

– A

C

A

D

D

D

A

A

10

11

12

13

14

15

– A

16 –D

17 –

18

– A

A

A

D

B

D

B

19

20

21

22

23

24

– C

25 –

26

27

– D

D

D

D

A

B

D

B

28

A

 

EXERCÍCIOS

 

Assunto: Ética: Conceito. Concepções éticas. Autonomia. Livre Arbítrio e liberdade.

QUESTÃO 01

“A liberdade natural do homem deve estar livre de qualquer poder superior na terra e não depender da vontade ou da autoridade legislativa do homem, desconhecendo outra regra além da lei da natureza. A liberdade do homem na sociedade não deve estar edificada sob qualquer poder legislativo exceto aquele estabelecido por consentimento na comunidade civil ”

(LOCKE, John. Segundo Tratado sobre o governo civil. Trad. de Magda Lopes e Marisa Lobo da Costa. Petrópolis, RJ: Vozes, 1994. p. 95.)

Com base no texto e nos conhecimentos sobre o tema da liberdade em Locke, considere as seguintes afirmativas:

I. No estado civil as pessoas são livres porque inexiste qualquer regra que limite sua ação. II. No estado pré-civil a liberdade das pessoas está limitada pela lei da natureza. III. No estado civil a liberdade das pessoas edifica-se nas leis estabelecidas pelo conjunto dos membros dessa sociedade. IV. No estado pré-civil a liberdade das pessoas submete-se às leis estabelecidas pelos cidadãos.

Quais

liberdade?

sobre

das

afirmativas

representam

o

pensamento

de

Locke

a)

Apenas as afirmativas I e II.

c)

Apenas as afirmativas II e III.

e)

Apenas as afirmativas III e IV.

b) Apenas as afirmativas I e IV. d) Apenas as afirmativas II e IV.

QUESTÃO 02 Leia o texto, que se refere à idéia de cidade justa de Platão.

“Como a temperança, também a justiça é uma virtude comum a toda a cidade. Quando cada uma das classes exerce a sua função própria,

‘aquela para a qual a sua natureza é a mais adequada’, a cidade é justa. Esta distribuição de tarefas e competências resulta do fato de que cada um de nós não nasceu igual ao outro e, assim, cada um contribui com a sua parte para a satisfação das necessidades da vida individual e

Justiça é, portanto, no indivíduo, a harmonia das partes da

coletiva. (

)

UNIMAX – CADERNO DE EXERCÍCIOS DE FILOSOFIA – 1º SEMESTRE/2012 10 alma sob o domínio

UNIMAX – CADERNO DE EXERCÍCIOS DE FILOSOFIA – 1º SEMESTRE/2012

CADERNO DE EXERCÍCIOS DE FILOSOFIA – 1º SEMESTRE/2012 10 alma sob o domínio superior da razão;

10

alma sob o domínio superior da razão; no estado, é a harmonia e a concórdia das classes da cidade.”

(PIRES, Celestino. Convivência política e noção tradicional de justiça. In: BRITO, Adriano N. de; HECK, José N. (Orgs.). Ética e política. Goiânia: Editora da UFG, 1997. p. 23.)

Sobre a cidade justa na concepção de Platão, é correto afirmar:

a) Nela todos satisfazem suas necessidades mínimas, e inexistem funções como as de governantes, legisladores e juízes.

b) É governada pelos filósofos, protegida pelos guerreiros e mantida pelos produtores econômicos, todos cumprindo sua função própria.

c) Seus habitantes desejam a posse ilimitada de riquezas, como terras e metais preciosos.

d) Ela tem como principal objetivo fazer a guerra com seus vizinhos para ampliar suas posses através da conquista.

e) Ela ambiciona o luxo desmedido e está cheia de objetos supérfluos, tais como perfumes, incensos, iguarias, guloseimas, ouro, marfim, etc.

QUESTÃO 03

“A virtude é pois uma disposição de caráter relacionada com a escolha e ”

consiste numa mediania

(ARISTÓTELES. Ética à Nicômaco. Trad. de Leonel Vallandro e Gerd Bornheim. 4 ed. São Paulo: Nova Cultural, 1991. p. 33.)

a) Privilegia os interesses particulares em detrimento de leis que valham universal e necessariamente.

b) Ajusta os interesses egoístas de uns ao egoísmo dos outros, satisfazendo as exigências individuais de prazer e felicidade.

c) É determinada pela lei da natureza, que tem como fundamento o princípio de autoconservação.

d) Está subordinada à vontade de Deus, que preestabelece o caminho seguro para a ação humana.

e) A máxima que rege a ação pode ser universalizada, ou seja, quando a ação pode ser praticada por todos, sem prejuízo da humanidade.

Leia o texto a seguir sobre o tema genoma humano e responda às questões 10, 11.

“Aproximadamente 5% do orçamento norte-americano para o Projeto Genoma Humano foi dedicado ao estudo das questões éticas, legais e sociais decorrentes do conhecimento do nosso genoma. Por que tanto investimento nessa área não-tecnológica? Todo novo conhecimento confere à humanidade um grande poder, que pode ser utilizado para melhorar nossa qualidade de vida ou como forma de abuso.”

(PEREIRA, Lygia. Seqüenciaram o genoma humano

E agora? São Paulo: Moderna, 2001. p.

98.)

Com base no texto e nos conhecimentos sobre a virtude em Aristóteles, assinale a alternativa correta.

a) A virtude é o governo das paixões para cumprir uma tarefa ou uma função.

b) A virtude realiza-se no mundo das idéias.

c) A virtude é a obediência aos preceitos divinos.

d) A virtude é a justa medida de equilíbrio entre o excesso e a falta.

e) A virtude tem como fundamento a utilidade da ação.

QUESTÃO 04

“O imperativo categórico é portanto só um único, que é este: Age apenas segundo uma máxima tal que possas ao mesmo tempo querer que ela se torne lei universal.

(KANT, Immanuel. Fundamentação da metafísica dos costumes. Trad. de Paulo Quintela. Lisboa: Edições 70, 1995. p. 59.)

Segundo essa formulação do imperativo categórico por Kant, uma ação é considerada ética quando:

QUESTÃO 05 Os resultados recentes das pesquisas sobre o genoma humano provocam uma polêmica discussão sobre os desafios moral, social e legal postos à humanidade pela ciência. Sobre o tema, é correto afirmar:

a) O conhecimento científico sobre o genoma humano orienta-se por regras científico-tecnológicas livres de quaisquer valorações.

b) Os avanços científicos sobre o genoma humano exigem princípios normativos que permitam tanto a continuidade das pesquisas como a proteção aos direitos dos indivíduos.

c) Os estudos sobre o genoma humano orientam-se pelas leis da neutralidade da ciência e desconsideram a reflexão ética, tida como privada e subjetiva pelos cientistas.

d) Os princípios éticos e as legislações atuais dos países estão adaptados às possíveis conseqüências geradas pelas recentes descobertas sobre o genoma humano.

UNIMAX – CADERNO DE EXERCÍCIOS DE FILOSOFIA – 1º SEMESTRE/2012 11 e) Há consenso quanto

UNIMAX – CADERNO DE EXERCÍCIOS DE FILOSOFIA – 1º SEMESTRE/2012

CADERNO DE EXERCÍCIOS DE FILOSOFIA – 1º SEMESTRE/2012 11 e) Há consenso quanto ao fato de

11

e) Há consenso quanto ao fato de que o conhecimento sobre o genoma humano, por sua natureza racional, esteja livre dos efeitos nocivos aos seres humanos.

QUESTÃO 06 O texto alerta para o fato de que os conhecimentos sobre o genoma humano conferem

“à humanidade um grande poder, que pode ser utilizado para melhorar nossa qualidade de vida ou como forma de abuso”.

Avalie os diferentes usos que podem ser feitos do saber sobre o genoma humano:

I. Mecanismo de dominação e de controle social.

II. Instrumento para identificar a paternidade.

III. Critério seletivo de acesso ao emprego e ao seguro de saúde.

IV. Recurso para a prevenção de possíveis patologias.

V. Método para identificação de cadáveres.

Quais dentre os usos acima configuram abuso na utilização do código

genético dos indivíduos?

a) Apenas I e III.

b) Apenas II e III.

c) Apenas I e IV.

d) Apenas II e V.

e) Apenas IV e V.

QUESTÃO 07

“A idéia ilusória da vontade livre deriva de percepções inadequadas e confusas; a liberdade, entendida corretamente, no entanto, não é o estar livre da necessidade, mas sim a consciência da necessidade.”

(SCRUTON, Roger. Espinosa. Trad. de Angélica Elisabeth Könke. São Paulo: Unesp, 2000. p.

41.)

Com base no texto e nos conhecimentos sobre liberdade em Espinosa, considere as afirmativas a seguir. I. A liberdade identifica-se com escolha voluntária.

II. A liberdade significa a capacidade de agir espontaneamente,

segundo a causalidade interna do sujeito.

III. A liberdade e a necessidade são compatíveis.

IV. A liberdade baseia-se na contingência, pois se tudo no universo fosse

necessário não haveria espaço para ações livres.

Estão corretas apenas as afirmativas:

b) I e IV

a) I e II

c) II e III

d) I, III e IV

e) II, III e IV

QUESTÃO 08

“Quando a vontade é autônoma, ela pode ser vista como outorgando a si mesma a lei, pois, querendo o imperativo categórico, ela é puramente racional e não dependente de qualquer desejo ou inclinação exterior à

Na medida em que sou autônomo, legislo para mim mesmo

razão. [

exatamente a mesma lei que todo outro ser racional autônomo legisla para si.”

(WALKER, Ralph. Kant: Kant e a lei moral. Trad. de Oswaldo Giacóia Júnior. São Paulo:

Unesp, 1999. p. 41.)

]

Com base no texto e nos conhecimentos sobre autonomia em Kant, considere as seguintes afirmativas:

I. A vontade autônoma, ao seguir sua própria lei, segue a razão pura

prática.

II. Segundo o princípio da autonomia, as máximas escolhidas devem ser

apenas aquelas que se podem querer como lei universal.

III. Seguir os seus próprios desejos e paixões é agir de modo autônomo.

IV. A autonomia compreende toda escolha racional, inclusive a escolha

dos meios para atingir o objeto do desejo.

Estão corretas apenas as afirmativas:

e) II, III e

IV.

a) I e II.

b) I e IV.

c) III e IV.

d) I, II e III.

QUESTÃO 09

“- O que significa exatamente essa expressão antiquada: ‘virtude’? – perguntou Sebastião.

- No sentido filosófico, compreende-se por virtude aquela atitude de, na

ação, deixar-se guiar pelo bem próprio ou pelo bem alheio – esclareceu o

senhor Barros.

- O bem alheio? – perguntou Sebastião.

- Sim – disse o senhor Barros. – É verdade que a coragem e a moderação são virtudes, em primeiro lugar, para consigo mesmo, mas também há

UNIMAX – CADERNO DE EXERCÍCIOS DE FILOSOFIA – 1º SEMESTRE/2012 12 outras virtudes, como a

UNIMAX – CADERNO DE EXERCÍCIOS DE FILOSOFIA – 1º SEMESTRE/2012

CADERNO DE EXERCÍCIOS DE FILOSOFIA – 1º SEMESTRE/2012 12 outras virtudes, como a benevolência, a justiça

12

outras virtudes, como a benevolência, a justiça e a seriedade ou confiabilidade, ou seja, a qualidade de ser confiável, que são disposições orientadas para o bem dos outros.”

(TUGENDHAT, Ernst; VICUÑA, Ana Maria; LÓPES, Celso. O livro de Manuel e Camila: diálogos sobre moral. Trad. de Suzana Albornoz. Goiânia: Ed. da UFG, 2002. p. 142.)

Com base no texto, é correto afirmar:

a) As ações virtuosas são reguladas por leis positivas, determinadas pelo

direito, independentemente de um princípio de bem moral.

a) Definição de ser humano na qual se desconsidera a dimensão da corporeidade.

b) Comprovação da superioridade do corpo frente à alma.

c) Indagação humana acerca da dualidade entre corpo e alma.

d) Defesa da noção de ser humano como substância unitária, portanto, indivisível.

e) Idéia de que a alma é menos real que o corpo, porque ela exclui a possibilidade de experimentações.

b) virtude limita-se às ações que envolvem outras pessoas; em relação

A

a

si próprio a ação é independente de um princípio de bem.

c) ação virtuosa é orientada por princípios externos que determinam a

A

qualidade da ação.

d) Ser virtuoso significa guiar suas ações por um bem, que pode ser tanto em relação a si próprio quanto em relação aos outros.

e) As virtudes são disposições desvinculadas de qualquer orientação, seja para o bem, seja para o mal.

QUESTÃO 10 Na sociedade feudal, as atitudes frente ao corpo eram governadas pela concepção dualista sobre a qual se construía toda a representação do mundo. De um lado o perecível, o efêmero; de outro, o imortal. Sobre o corpo no Medievo, é correto afirmar:

a) Por ser menos fechado, o corpo masculino era mais permeável à corrupção, requerendo uma guarda mais atenta e cabendo à mulher a sua vigilância.

b) Os traços específicos do corpo, tais como a cor dos cabelos e a tez, nada revelavam das particularidades da alma.

c) O corpo desnudo, espontaneamente exibido em público, era a condição ideal para deixar transparecer a alma.

d) Os castigos físicos tinham a função de limpeza corporal, a fim de preparar os corpos para o ato sexual.

e) O corpo era considerado perigoso, o lugar das tentações, nele se manifestava o mal, pela corrupção, doença e purulências

QUESTÃO 12

De acordo com a ética kantiana, o homem, e, de uma maneira geral, todo

o ser racional, existe como fim em si mesmo e não como meio para o uso arbitrário desta ou daquela vontade.

(Adaptado de: KANT, Immanuel. Fundamentação da metafísica dos costumes. Lisboa:

Edições 70, 1995. p. 68.)

No Brasil contemporâneo persiste a existência de trabalhadores em situação análoga à escravidão.

Sobre a exploração do trabalho humano, a partir da perspectiva kantiana,

é correto afirmar:

a) Todas as coisas têm um preço, podendo ser trocadas ou compradas, inclusive o ser humano.

b) Em certas circunstâncias, o ser humano pode ser entendido como meio submetido à vontade de outros homens, considerados superiores.

c) A apropriação de um ser humano por outro é possível, uma vez que um pode renunciar e alienar sua vontade em favor do outro.

d) A dignidade é um atributo do ser humano, o que assegura idêntico valor e um mínimo de direitos a todos os homens.

e) Em situações extremas, a escravidão é a única garantia da produção dos bens necessários à sobrevivência do homem, sendo, portanto, legítima.

QUESTÃO 11 Desde a Antigüidade até os dias atuais, a relação entre o corpo e a alma (mente) tem sido problematizada. A frase “você precisa cuidar mais do corpo ou da alma?” remete à:

QUESTÃO 13

“- Mas a cidade pareceu-nos justa, quando existiam dentro dela três espécies de naturezas, que executavam cada uma a tarefa que lhe era

UNIMAX – CADERNO DE EXERCÍCIOS DE FILOSOFIA – 1º SEMESTRE/2012 13 própria; e, por sua

UNIMAX – CADERNO DE EXERCÍCIOS DE FILOSOFIA – 1º SEMESTRE/2012

CADERNO DE EXERCÍCIOS DE FILOSOFIA – 1º SEMESTRE/2012 13 própria; e, por sua vez, temperante, corajosa

13

própria; e, por sua vez, temperante, corajosa e sábia, devido a outras disposições e qualidades dessas mesmas espécies.

- É verdade.

- Logo, meu amigo, entenderemos que o indivíduo, que tiver na sua alma estas mesmas espécies, merece bem, devido a essas mesmas qualidades, ser tratado pelos mesmos nomes que a cidade”.

(PLATÃO. A república. Trad. de Maria Helena da Rocha Pereira. 7 ed. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 1993. p. 190.)

Com base no texto e nos conhecimentos sobre a justiça em Platão, é correto afirmar:

a) As pessoas justas agem movidas por interesses ou por benefícios pessoais, havendo a possibilidade de ficarem invisíveis aos olhos dos outros.

b) A justiça consiste em dar a cada indivíduo aquilo que lhe é de direito, conforme o princípio universal de igualdade entre todos os seres humanos, homens e mulheres.

c) A verdadeira justiça corresponde ao poder do mais forte, o qual, quando ocupa cargos políticos, faz as leis de acordo com os seus interesses e pune a quem lhe desobedece.

d) A justiça deve ser vista como uma virtude que tem sua origem na alma, isto é, deve habitar o interior do homem, sendo independente das circunstâncias externas.

e) Ser justo equivale a pagar dívidas contraídas e restituir aos demais aquilo que se tomou emprestado, atitudes que garantem uma velhice feliz.

QUESTÃO 14

“A busca da ética é a busca de um ‘fim’, a saber, o do homem. E o empreendimento humano como um todo, envolve a busca de um ‘fim’:

‘Toda arte e todo método, assim como toda ação e escolha, parece tender para um certo bem; por isto se tem dito, com acerto, que o bem é aquilo para que todas as coisas tendem’. Nesse passo inicial de a Ética a Nicômacos está delineado o pensamento fundamental da Ética. Toda atividade possui seu fim, ou em si mesma, ou em outra coisa, e o valor de cada atividade deriva da sua proximidade ou distância em relação ao seu próprio fim”.

(PAIXÃO, Márcio Petrocelli. O problema da felicidade em Aristóteles: a passagem da ética à dianoética aristotélica no problema da felicidade. Rio de Janeiro: Pós-Moderno, 2002. p. 33-

34.)

Com base no texto e nos conhecimentos sobre a ética em Aristóteles, considere as afirmativas a seguir.

I. O “fim” último da ação humana consiste na felicidade alcançada mediante a aquisição de honrarias oriundas da vida política. II. A ética é o estudo relativo à excelência ou à virtude própria do homem, isto é, do “fim” da vida humana. III. Todas as coisas têm uma tendência para realizar algo, e nessa tendência encontramos seu valor, sua virtude, que é o “fim” de cada coisa. IV. Uma ação virtuosa é aquela que está em acordo com o dever, independentemente dos seus “fins”. Estão corretas apenas as afirmativas:

e) I,

II e IV.

a) I e IV

b) II e III

c) III e IV.

d) I, II e III

QUESTÃO 15

“Poder-se-ia [

]

acrescentar à aquisição do estado civil a liberdade

moral, única a tornar o homem verdadeiramente senhor de si mesmo, porque o impulso do puro apetite é escravidão, e a obediência à lei que

se estatui a si mesma é liberdade”.

(ROUSSEAU, Jean-Jacques. Do contrato social. Trad. de Lourdes Santos Machado. São Paulo:

 

Nova Cultural, 1987. p. 37.)

Com base no texto e nos conhecimentos sobre a liberdade em Rousseau,

é correto afirmar:

a) As leis condizentes com a liberdade moral dos homens devem atender aos seus apetites.

b) A liberdade adquire sentido para os homens na medida em que eles podem desobedecer às leis.

c) O homem livre obedece a princípios, independentemente de eles também valerem para a sociedade.

d) O homem afirma sua liberdade quando obedece a uma lei que prescreve para si mesmo.

e) É no estado de natureza que o homem pode atingir sua verdadeira liberdade.

UNIMAX – CADERNO DE EXERCÍCIOS DE FILOSOFIA – 1º SEMESTRE/2012 14 QUESTÃO 16 “Se todos

UNIMAX – CADERNO DE EXERCÍCIOS DE FILOSOFIA – 1º SEMESTRE/2012

CADERNO DE EXERCÍCIOS DE FILOSOFIA – 1º SEMESTRE/2012 14 QUESTÃO 16 “Se todos os homens são,

14

QUESTÃO 16

“Se todos os homens são, como se tem dito, livres, iguais e independentes por natureza, ninguém pode ser retirado deste estado e se sujeitar ao poder político de outro sem o seu próprio consentimento. A única maneira pela qual alguém se despoja de sua liberdade natural e se coloca dentro das limitações da sociedade civil é através do acordo com outros homens para se associarem e se unirem em uma comunidade para uma vida confortável, segura e pacífica uns com os outros, desfrutando com segurança de suas propriedades e melhor protegidos contra aqueles que não são daquela comunidade”.

(LOCKE, John. Segundo tratado sobre o governo civil. Trad. de Magda Lopes e Marisa Lobo da Costa. Petrópolis: Vozes, 1994. p.139.)

Com base no texto e nos conhecimentos sobre o contrato social em Locke, considere as afirmativas a seguir. I. O direito à liberdade e à propriedade são dependentes da instituição do poder político. II. O poder político tem limites, sendo legítima a resistência aos atos do governo se estes violarem as condições do pacto político. III. Todos os homens nascem sob um governo e, por isso, devem a ele submeter-se ilimitadamente. IV. Se o homem é naturalmente livre, a sua subordinação a qualquer poder dependerá sempre de seu consentimento.

Estão corretas apenas as afirmativas:

d) I, III e IV

a) I e II. e) II, III e IV.

b) I e III

c) II e IV

QUESTÃO 17

“O direito de natureza, a que os autores geralmente chamam de jus naturale,

é a liberdade que cada homem possui de usar seu próprio poder, da maneira

que quiser, para a preservação de sua própria natureza, ou seja, de sua vida;

e conseqüentemente de fazer tudo aquilo que seu próprio julgamento e razão lhe indiquem como meios adequados a esse fim.”

(HOBBES, Thomas. Leviatã.Trad. João Paulo Monteiro e Maria Beatriz Nizza da Silva. São Paulo: Abril Cultural, 1974. p. 82.)

Com base no texto e nos conhecimentos sobre o Estado de natureza em Hobbes, considere as afirmativas a seguir.

I. Todos os homens são igualmente vulneráveis à violência diante da ausência de uma autoridade soberana que detenha o uso da força.

II. Em cada ser humano há um egoísmo na busca de seus interesses

pessoais a fim de manter a própria sobrevivência.

III. A competição e o desejo de fama passam a existir nos homens quando

abandonam o Estado de natureza e ingressam no Estado social.

IV. O homem é naturalmente um ser social, o que lhe garante uma vida

harmônica entre seus pares.

Estão corretas apenas as afirmativas:

e

a) I e II

b) I e IV

IV.

QUESTÃO 18

c) III e IV.

d) I, II e III.

e)

II,

III

é preciso que examinemos a condição natural dos homens, ou seja, um

estado em que eles sejam absolutamente livres para decidir suas ações, dispor de seus bens e de suas pessoas como bem entenderem, dentro dos limites do direito natural, sem pedir autorização de nenhum outro homem nem depender de sua vontade.”

“[

]

(LOCKE, John. Segundo Tratado sobre o governo civil. Trad. Magda Lopes e Marisa Lobo da Costa. 2. ed. Petrópolis: Vozes, 1994. p. 83.)

Com base no texto e nos conhecimentos sobre o estado de natureza em Locke, é correto afirmar:

a) Os homens desconhecem a noção de justiça, pelo fato de inexistir um direito natural que assegure a idéia do “meu” e do “teu”.

b) É constituído pela inimizade, maldade, violência e destruição mútua, características inerentes ao ser humano.

c) Baseia-se em atos de agressão física, o que gera insegurança coletiva na manutenção dos direitos privados.

d) Pauta-se pela tripartição dos poderes como forma de manter a coesão natural e respeitosa entre as pessoas.

e) Constitui-se de uma relativa paz, que inclui a boa vontade, a preservação e a assistência mútua.

Leia os textos a seguir e responda às questões 19 e 20.

UNIMAX – CADERNO DE EXERCÍCIOS DE FILOSOFIA – 1º SEMESTRE/2012 15 em princípios a priori

UNIMAX – CADERNO DE EXERCÍCIOS DE FILOSOFIA – 1º SEMESTRE/2012

CADERNO DE EXERCÍCIOS DE FILOSOFIA – 1º SEMESTRE/2012 15 em princípios a priori da razão e

15

em princípios a priori da razão e é,

portanto, cognoscível a priori pela razão de todo o homem, enquanto que o direito positivo é estatutário e procede da vontade do legislador. O primeiro há de servir como critério racional do segundo, já que é mister buscar na razão o critério do justo e do injusto, enquanto que o direito positivo diz o que é direito.”

“O direito natural se embasa [

]

(KANT, Immanuel. La metafísica de las Costumbres. 2. ed. Trad. Adela Cortina Orts e Jesús Conill Sancho. Madri: Tecnos, 1994. p. XLIII.)

c) Coincide com a vontade do legislador, a partir da qual são definidos os parâmetros racionais de gestão dos Estados.

d) Ampara-se em parâmetros racionais a priori que embasam o direito natural e que devem se converter em leis públicas de coerção.

e) Configura-se com base em valores comuns partilhados tradicionalmente em cada ordenamento jurídico-político.

“Para Estados, em relação uns com os outros, não pode haver, segundo a razão, outro meio de sair do estado sem leis, que contém pura guerra, a não ser que eles, exatamente como homens individuais, desistam de sua liberdade selvagem (sem lei), consintam com leis públicas de coerção e assim formem um (certamente sempre crescente) Estado dos Povos (civitas gentium), que por fim viria a compreender todos os povos da terra.”

(KANT, Immanuel. A paz perpétua. Trad. Marco Antônio Zingano. Porto Alegre: L&PM, 1989. p. 42.)

QUESTÃO 19 Com base nos textos e nos conhecimentos sobre o Direito Natural em Kant, é correto afirmar:

a) Modifica-se conforme as diversas compreensões de cada época histórica e de acordo com a variabilidade dos arranjos sociais.

b) A semelhança entre direito natural e direito positivo reside no fato de que ambos se fundamentam no direito estatal.

c) É constituído pela liberdade e serve de critério racional para o direito positivo, o qual deve efetivá-lo na forma da lei.

d) É descaracterizado de sentido, pois todo direito é positivo e tem sua origem na vontade do legislador.

e) Sujeita-se ao direito positivo e dele extrai a sua legitimidade, modificando-se com o passar do tempo.

QUESTÃO 20 Sobre a concepção de justiça em Kant, é correto afirmar:

a) É definida pelo direito positivo e nele encontra sua fonte, prescindindo de qualquer outro parâmetro de legitimidade.

b) Resulta da definição estatutária do direito, sob a forma da lei estabelecida nos códigos jurídicos e é confirmada pelas ações dos Estados.

QUESTÃO 21

“[

somente eles têm necessidade de legitimação. [

toma a si a tarefa de impedir a desintegração social por meio de decisões obrigatórias, liga-se ao exercício do poder estatal a intenção de conservar a sociedade em sua identidade normativamente determinada em cada

oportunidade concreta. De resto, é esse o critério para mensurar a legitimidade do poder estatal, o qual – se pretende durar – deve ser reconhecido como legítimo.”

(HABERMAS, Jürgen. Para a reconstrução do Materialismo Histórico. 2. ed. Trad. Carlos Nelson Coutinho. São Paulo: Brasiliense, 1990. p. 219-221.)

dado que o Estado

]

Somente ordenamentos políticos podem ter legitimidade e perdê-la;

]

Com base no texto, é correto afirmar que a legitimidade do Estado em Habermas:

a) É uma necessidade que se impõe por meio da vontade do soberano, pois este é o único capaz de dispor de garantias sociais para todos.

b) Reside na preservação da identidade da sociedade como forma de assegurar a integração social.

c) É uma exigência que, uma vez conquistada, adquire perenidade sem se exaurir ao longo da história.

d) É atingida pelo uso do poder econômico ou da força bélica, elementos esses que podem se perder facilmente.

e) Conta de forma imprescindível com os parâmetros da vontade divina no estabelecimento de valores comumente vivenciados.

QUESTÃO 22

uma pessoa age injustamente ou justamente sempre que pratica

tais atos voluntariamente; quando os pratica involuntariamente, ela não age injustamente nem justamente, a não ser de maneira acidental. O que determina se um ato é ou não é um ato de injustiça (ou de justiça) é sua

“[

]

UNIMAX – CADERNO DE EXERCÍCIOS DE FILOSOFIA – 1º SEMESTRE/2012 16 voluntariedade ou involuntariedade; quando

UNIMAX – CADERNO DE EXERCÍCIOS DE FILOSOFIA – 1º SEMESTRE/2012

CADERNO DE EXERCÍCIOS DE FILOSOFIA – 1º SEMESTRE/2012 16 voluntariedade ou involuntariedade; quando ele é

16

voluntariedade ou involuntariedade; quando ele é voluntário, o agente é censurado, e somente neste caso se trata de um ato de injustiça, de tal forma que haverá atos que são injustos mas não chegam a ser atos de injustiça se a voluntariedade também não estiver presente.”

(ARISTÓTELES. Ética a Nicômaco. São Paulo: Nova Cultural, 1996. p. 207.)

c) A validade universal das normas pauta-se no conteúdo dos valores, costumes e tradições praticados no interior das comunidades locais.

d) A positivação da lei contida nos códigos, mesmo sem o consentimento da participação popular, garante a solução moral de conflitos de ação.

e) Os parâmetros de justiça para a avaliação crítica de normas pautam- se no princípio do direito divino.

Com base no texto e nos conhecimentos sobre a concepção de Justiça em Aristóteles, é correto afirmar:

a) Um ato de justiça depende da consciência do agente e de ter sido praticado voluntariamente.

b) A noção de justo desconsidera a discriminação de atos voluntários e involuntários quanto ao reconhecimento de mérito.

c) A justiça é uma noção de virtude inata ao ser humano, a qual independe da voluntariedade do agente.

d) O ato voluntário desobriga o agente de imputabilidade, devido à carência de critérios para distinguir a justiça da injustiça.

e) Quando um homem delibera prejudicar outro, a injustiça está circunscrita ao ato e, portanto, exclui o agente.

QUESTÃO 23

“Uma moral racional se posiciona criticamente em relação a todas as orientações da ação, sejam elas naturais, auto-evidentes, institucionalizadas ou ancoradas em motivos através de padrões de socialização. No momento em que uma alternativa de ação e seu pano de fundo normativo são expostos ao olhar crítico dessa moral, entra em cena a problematização. A moral da razão é especializada em questões de justiça e aborda em princípio tudo à luz forte e restrita da universalidade.”

(HABERMAS, Jürgen. Direito e democracia: entre facticidade e validade. v. I. Trad. Flávio Beno Siebeneichler. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1997. p. 149.)

Com base no texto e nos conhecimentos sobre a moral em Habermas, é correto afirmar:

a) A formação racional de normas de ação ocorre independentemente da efetivação de discursos e da autonomia pública.

b) O discurso moral se estende a todas as normas de ações passíveis de serem justificadas sob o ponto de vista da razão.

QUESTÃO 24 “Desde o final do século XIX, impõe-se cada vez com mais força a outra tendência evolutiva que caracteriza o capitalismo tardio: a cientificação da técnica. No capitalismo sempre se registrou a pressão institucional para intensificar a produtividade do trabalho por meio da introdução de novas técnicas. As inovações dependiam, porém, de inventos esporádicos que, por seu lado, podiam sem dúvida ser induzidos economicamente, mas tinham ainda um caráter natural. Isso modificou-se, na medida em que a evolução técnica é realimentada com o progresso das ciências modernas. Com a investigação industrial de grande estilo, a ciência, a técnica e a revalorização do capital confluem num mesmo sistema. Entretanto, a investigação industrial associa-se a uma investigação nascida dos encargos do Estado, que fomenta em primeiro lugar o progresso científico e técnico no campo militar. Daí as informações refluem para as esferas da produção civil de bens.”

(HABERMAS, Jürgen. Técnica e ciência como ideologia. Trad. Artur Morão. Lisboa: Edições 70, 1987. p. 72.)

Com base no texto e nos conhecimentos sobre o capitalismo tardio,

considere as afirmativas a seguir. I. A espontaneidade e naturalidade dos inventos esporádicos bloquearam a produtividade no capitalismo.

II. No capitalismo tardio, há uma junção sistêmica entre a técnica, a

ciência e a revalorização do capital. III. No interior do capitalismo tardio, a técnica e a ciência são

independentes e se desenvolvem em sentidos opostos.

IV. A produção civil de bens se apropria das informações geradas pela

investigação industrial no campo militar.

Estão corretas apenas as afirmativas:

a) I e II

b) II e IV

QUESTÃO 25

c) III e IV

d) I, II e III

e) I, III e IV

UNIMAX – CADERNO DE EXERCÍCIOS DE FILOSOFIA – 1º SEMESTRE/2012 17 “Aristóteles foi o primeiro

UNIMAX – CADERNO DE EXERCÍCIOS DE FILOSOFIA – 1º SEMESTRE/2012

CADERNO DE EXERCÍCIOS DE FILOSOFIA – 1º SEMESTRE/2012 17 “Aristóteles foi o primeiro filósofo a elaborar

17

“Aristóteles foi o primeiro filósofo a elaborar tratados sistemáticos de Ética. O mais influente desses tratados, a Ética a Nicômaco, continua a ser reconhecido como uma das obras-primas da filosofia moral. Ali nosso autor apresenta a questão que, de seu ponto de vista, constitui a chave de toda investigação ética: Qual é o fim último de todas as atividades humanas?”

(CORTINA, Adela; MARTÍNEZ, Emilio. Ética. Trad. Silvana Cobucci Leite. São Paulo: Loyola, 2005. p. 57.)

Com base no texto e nos conhecimentos sobre a ética aristotélica, é correto afirmar:

a) É uma ética que desconsidera os valores culturais e a participação

discursiva dos envolvidos na escolha da concepção de bem a ser perseguida.

b) É uma ética do dever que, ao impor normas de ação universais,

transcende a concepção de vida boa de uma comunidade e exige o

cumprimento categórico das mesmas.

c) É uma ética compreendida teleologicamente, pois o bem supremo,

vinculado à busca e à realização plena da felicidade, orienta as ações humanas.

d) É uma ética que orienta as ações por meio da bem-aventurança

proveniente da vontade de Deus, porém sinalizando para a irrealização

plena do bem supremo nesta vida.

e) É uma ética que compreende o indivíduo virtuoso como aquele que já

nasce com certas qualidades físicas e morais, em função de seus laços sanguíneos.

QUESTÃO 26

Sobre ética podemos afirmar:

I. Sócrates no sentido de se contrapor à posição dos sofistas, buscando os fundamentos da moral não nas convenções, mas na própria natureza humana.

I. Podemos dizer que a reflexão ética se inicia no mundo ocidental na Grécia antiga, no século V a.C., quando se acentua o desligamento da compreensão de mundo baseada nos relatos míticos.

II. Os sofistas rejeitam o fundamento religioso da moral e consideram que os princípios morais resultam das convenções sociais.

Marque a opção correta.

a) I

b) I, II, III

c) III

d) I, II

QUESTÃO 27

Analise as afirmativas abaixo e marque F para falsas e V para Verdadeira.

a) Para Epicuro, todas as atividades humanas aspiram a algum bem, dentre os quais o maior é a felicidade; mas para ele a felicidade não consiste nos prazeres nem na riqueza: considerando que o pensar é o que mais caracteriza o homem, conclui que a felicidade consiste na atividade da alma segundo a razão.

b) Para os hedonistas (do grego hedoné, "prazer"), o bem se encontra no prazer. Em um sentido bem genérico, podemos dizer que a civilização contemporânea é hedonista quando identifica a felicidade com a aquisição de bens de consumo: ter uma bela casa, carro, boas roupas, boa comida, múltiplas experiências sexuais. E, também, na incapacidade de tolerar qualquer desconforto, seja uma simples dor de cabeça, seja o enfrentamento sereno das doenças e da morte.

c) O principal representante do hedonismo grego, no século III a.C, Aristóteles, considera que os prazeres do corpo são causa de ansiedade e sofrimento, e, para que a alma permaneça imperturbável, é preciso, portanto, desprezar os prazeres materiais. Essa atitude o leva a privilegiar os prazeres espirituais, dentre os quais destaca aqueles referentes à amizade.

d) O estoicismo foi retomado em Roma por Sêneca e por Marco Aurélio, imperador e filósofo. O ideal ascético, que foi muito bem aceito pelo cristianismo medieval, deriva desse modo de pensar. A ascese consiste no aperfeiçoamento da vida espiritual por meio de práticas de mortificação do corpo como jejum, abstinência, flagelação.

Marque a opção correta.

a) V, V, V, V

b) F, V, F, V

c) V, V, V, F

d) F, F, F, F

QUESTÃO 28 Numere a segunda coluna de acordo com a primeira

1. Estóico Zeno de Cítio

2. Santo Tomás de Aquino

3. Nietzsche

( ) Orienta-se no sentido de recuperar as forças inconscientes, vitais e instintivas subjugadas pela razão durante séculos. Para tanto, critica Sócrates por ter encaminhado pela primeira vez a reflexão moral em direção ao controle racional das paixões. Segundo ele, nasceu aí o

UNIMAX – CADERNO DE EXERCÍCIOS DE FILOSOFIA – 1º SEMESTRE/2012 18 homem desconfiado de seus

UNIMAX – CADERNO DE EXERCÍCIOS DE FILOSOFIA – 1º SEMESTRE/2012

CADERNO DE EXERCÍCIOS DE FILOSOFIA – 1º SEMESTRE/2012 18 homem desconfiado de seus instintos, e essa

18

homem desconfiado de seus instintos, e essa destruição culminou com o cristianismo, acelerando o processo de "domesticação" do homem.

( ) despreza os prazeres em geral, ao considerar que muitos males

decorrem deles. Busca eliminar as paixões, que só produzem sofrimento,

( ) Os costumes dos ancestrais têm raízes no sobrenatural; as ações

humanas são determinadas pelos deuses; em consequência, não se pode falar propriamente em comportamento ético, uma vez que falta a dimensão de subjetividade que caracteriza o ato livre e autônomo.

e

considera que a vida virtuosa do homem sábio, que vive de acordo com

(

) No século XIX, o filósofo francês Taine, discípulo de Augusto Comte,

a

natureza e a razão, consiste em aceitar com impassibilidade o destino e

considerava que o homem não é livre, mas determinado pelo momento,

o

sofrimento.

pelo meio e pela raça. Essa concepção influenciou bastante os

(

) defende a transmutação de todos os valores, superando a moral

intelectuais do século XIX, e a literatura naturalista é uma expressão de

comum para que os atos do homem forte não sejam pautados pela mediocridade das virtudes estabelecidas. Para tanto é preciso recuperar

tal concepção. Basta lermos O cortiço e O mulato, de Aluísio de Azevedo, para identificarmos as "forças in-controláveis" do meio e da raça agindo

o

sentimento de potência, a alegria de viver, a capacidade de invenção.

de forma inexorável no comportamento das pessoas.

( ) a felicidade plena só se encontra na vida futura, realizando-se em Deus.

( ) A moral cristã é a moral do rebanho, geradora de sentimentos de culpa e ressentimentos, e fundada na aceitação do sofrimento, da renúncia, do altruísmo, da piedade, típicos da moral dos fracos.

Marque a opção correta.

a) 2,1,3,2,2

b) 1,1,1,2,3

c) 3,1,1,2,1

d) 3,1,3,2,3

QUESTÃO 29

Analise as afirmativas abaixo e enumere adequadamente.

1 . Destino

arbítrio

2. Determinismo

3. Liberdade

4.

Livre-

( ) O princípio segundo o qual tudo que existe tem uma causa vale para

as ciências da natureza.

( ) Nela conta-se que Laio, senhor de Tebas, soube pelo oráculo que seu

filho recém-nascido haveria um dia de assassiná-lo, casando-se em seguida com a própria mãe. Por isso, Laio antecipa-se ao destino e manda matá-lo, mas suas ordens não são cumpridas, e a criança cresce em Lugar distante. Quando adulto, Édipo consulta o oráculo e ao tomar conhecimento do destino que lhe fora reservado, foge da casa dos

supostos pais a fim de evitar o cumprimento daquela sina. No caminho desentende-se com um desconhecido - e o mata. Esse desconhecido era, sem que Édipo sonhesse, seu verdadeiro pai. Entrando em Tebas, casa com Jocasta, viúva de Laio, ignorando ser ela sua mãe.

( ) Faculdade que tem o indivíduo determinar, com base em sua

consciência apenas, a sua própria conduta; (

determinar que consiste numa decisão indepentemente de qualquer constrangimento externo mas de acordo com os motivos e intenções do próprio indivíduo.

( ) Watson e Skinner, psicólogos contemporâneos pertencentes à corrente comportamentalista, consideram que o homem tem a ilusão de que é livre, quando na verdade apenas desconhece as causas que agem sobre ele. Com o desenvolvimento da ciência do comportamento seria possível conhecer de tal forma as motivações que daria para prever e portanto planejar o comportamento humano. Aliás, é esse o tema de um romance de Skinner, Walden II, onde uma equipe de cientistas do comportamento dirige uma cidade utópica.

( ) Na Grécia Antiga, falava-se em moira, e muitos gregos se dirigiam a

liberdade de auto-

)

Delfos para consultar o oráculo no templo de Apolo. Essas praticas se diversificaram até hoje em consultas a cartomantes, especialistas em tarô, quiromancia, compondo leituras as mais diferentes, por meio das quais as pessoas buscam orientação para problemas financeiros, familiares e amorosos.

( ) Doutrina filosófica que implica a negação do livre-arbítrio e segundo a qual tudo, no universo, inclusive a vontade humana, está submetido à

necessidade.

( ) Necessário: diz aquilo que não pode ser de outra maneira.

Marque a opção correta.

a) 2, 1, 1, 2, 3, 2, 1, 2, 2 c) 2, 1, 1, 2, 4, 2, 1, 2, 2

b) 1, 1, 1, 2, 3, 2, 1, 2, 2 d) 2, 1, 1, 2, 4, 2, 1, 2, 1

QUESTÃO 30

UNIMAX – CADERNO DE EXERCÍCIOS DE FILOSOFIA – 1º SEMESTRE/2012 19 Analise as afirmativas abaixo

UNIMAX – CADERNO DE EXERCÍCIOS DE FILOSOFIA – 1º SEMESTRE/2012

CADERNO DE EXERCÍCIOS DE FILOSOFIA – 1º SEMESTRE/2012 19 Analise as afirmativas abaixo e marque V

19

Analise as afirmativas abaixo e marque V para Verdadeiras e F para Falsas.

( ) A teoria da liberdade incondicional - ser livre é decidir e agir como se quer, sem qualquer determinação causal, quer seja exterior (ambiente em que se vive), quer seja interior (desejos, caráter). Mesmo admitindo que tais forças existam, o ato livre pertence a uma esfera independente em que se perfaz a liberdade humana. Ser livre é, portanto, ser incausado.

( ) Bossuet (séc. XVII). no Tratado sobre o livre-arbítrio, diz o seguinte:

"Por mais que eu procure em mim a razão que me determina, mais sinto que eu não tenho nenhuma outra senão apenas a minha vontade: sinto aí claramente minha liberdade, que consiste unicamente em tal escolha. E isto que me faz compreender que sou feito à imagem de Deus".

( ) A transcendência é a ação pela qual o homem executa o movimento

de se ultrapassar a si mesmo. E a sua dimensão de liberdade. A liberdade

não é uma dádiva, algo que é dado, nem é um ponto de partida, mas é o resultado de uma árdua tarefa, alguma coisa que o homem deve conquistar. ( ) A facticidade é a dimensão de "coisa" que todo homem tem, é o conjunto das suas determinações. São os "fatos" (donde facticidade) que estão aí, tais como são e sem possibilidade de ser de outra forma.

Marque a opção correta.

a) V, V, V, V

b) F, V, F, V

c) V, V, V, F

d)

F,

F,

F,

F

QUESTÃO 31 Analise as afirmativas abaixo e enumere adequadamente.

1.

Freud

2. Santo Agostinho

3. Karl Marx

4.

Platão

5. Aristóteles

6. Kant

7.

Sartre

8. Kierkegaard

9. Jurgen Habermas

10. Espinosa

11.Nietzsche

( ) A ética discursiva é uma teoria da moral que recorre à razão para sua fundamentação. Embora sofra a influência de Kant, não se fundamenta no conceito de razão reflexiva, mas de razão comunicativa. Ou seja, enquanto na razão kantiana o juízo categórico está fundado no sujeito e supõe a razão monológica (do monólogo), o sujeito em Habermas é

descentrado, porque a razão comunicativa supõe o diálogo, a interação entre os indivíduos do grupo, mediada pela linguagem, pelo discurso.

( ) descobre o mundo oculto da vida das pulsões, dos desejos, da energia primária da sexualidade e agressividade que se encontram na raiz de todos os comportamentos humanos, mesmo daqueles que à primeira vista não aparecem como sendo de natureza sexual.

( ) O dever, afirma Kant, não se apresenta através de um conjunto de

conteúdos fixos, que definiriam a essência de cada virtude e diriam que

atos deveriam ser praticados e evitados em cada circunstância de nossas vidas. O dever não é um catálogo de virtudes nem uma lista de “faça

isto” e “não faça aquilo”. O dever é uma forma que deve valer para toda

e

qualquer ação moral.

(

) somos seres naturalmente passionais, porque sofremos a ação de

causas exteriores a nós. Em outras palavras, ser passional é ser passivo,deixando-se dominar e conduzir por forças exteriores ao nosso corpo e à nossa alma. Ora, por natureza, vivemos rodeados por outros seres, mais fortes do que nós, que agem sobre nós. Por isso, as paixões não são boas nem más: são naturais. Três são as paixões originais:

alegria, tristeza e desejo. As demais derivam-se destas. Assim, da alegria nascem o amor, a devoção, a esperança, a segurança, o contentamento,

a misericórdia, a glória; da tristeza surgem o ódio, a inveja, o orgulho, o arrependimento, a modéstia, o medo, o desespero, o pudor; do desejo provém a gratidão, a cólera, a crueldade, a ambição, o temor, a ousadia,

a luxúria, a avareza.

( ) Do ponto de vista do inconsciente, mentir, matar, roubar, seduzir, destruir, temer, ambicionar são simplesmente amorais, pois o inconsciente desconhece valores morais. Inúmeras vezes, comportamentos que a moralidade julga imorais são realizados como autodefesa do sujeito, que os emprega para defender sua integridade psíquica ameaçada (real ou fantasmagoricamente).

( ) evita oferecer um quadro de valores ou de vícios e virtudes,

distanciando-se de Aristóteles e da moral cristã, para buscar na idéia

moderna de indivíduo livre o núcleo da ação moral. Em sua obra, Ética, Espinosa jamais fala em pecado e em dever; fala em fraqueza e em força para ser, pensar e agir.

( ) Nossa psique é um campo de batalha inconsciente entre desejos e

censuras. O id ama o proibido; o superego quer ser amado por reprimir o id, imaginando-se tanto mais amado quanto mais repressor. O id desconhece fronteiras; o superego só conhece barreiras. Vencedor, o id é violência que destrói os outros. Vencedor, o superego é violência que

UNIMAX – CADERNO DE EXERCÍCIOS DE FILOSOFIA – 1º SEMESTRE/2012 20 destrói o sujeito. Neuroses

UNIMAX – CADERNO DE EXERCÍCIOS DE FILOSOFIA – 1º SEMESTRE/2012

CADERNO DE EXERCÍCIOS DE FILOSOFIA – 1º SEMESTRE/2012 20 destrói o sujeito. Neuroses e psicoses são

20

destrói o sujeito. Neuroses e psicoses são causadas tanto por um id extremamente forte e um superego fraco, quanto por um superego

extremamente forte e um id fraco. A batalha interior só pode ser decidida em nosso proveito por uma terceira instância: a consciência.

( ) afirmava que os valores da moral vigente – liberdade, felicidade,

racionalidade, respeito à subjetividade e à humanidade de cada um, etc.

– eram hipócritas não em si mesmos (como julgava Nietzsche), mas

porque eram irrealizáveis e impossíveis numa sociedade violenta como a

nossa, baseada na exploração do trabalho, na desigualdade social e econômica, na exclusão de uma parte da sociedade dos direitos políticos

e culturais. A moral burguesa, dizia Marx, pretende ser um racionalismo humanista, mas as condições materiais concretas em que vive a maioria

da sociedade impedem a existência plena de um ser humano que realize os valores éticos. Para Marx, portanto, tratava-se de mudar a sociedade para que a ética pudesse concretizar-se.

( ) A psicanálise mostra que somos resultado e expressão de nossa

história de vida, marcada pela sexualidade insatisfeita, que busca satisfações imaginárias sem jamais poder satisfazer-se plenamente. Não somos autores nem senhores de nossa história, mas efeitos dela. Mostra- nos também que nossos atos são realizações inconscientes de motivações sexuais que desconhecemos e que repetimos vida afora. ( ) O ideal ascético nega a alegria da vida e coloca a mortificação como meio para alcançar a outra vida num mundo superior, do além. Assim, as práticas de altruísmo destroem o amor de si, domesticando os instintos e produzindo gerações de fracos. O ressentimento nasce da fraqueza e é nocivo ao fraco. Marque a opção correta.

a) 02-03- 04-10- 05- 10- 01- 06- 01- 07

b) 10-01- 06-10- 09- 10- 11- 03- 01- 11

c) 09-08- 07-10- 01- 10- 01- 03- 01- 07

d) 09-01- 06-10- 01- 10- 01- 03- 01- 11

( ) O ser humano está sempre avaliando, mas só avalia quando tem consciência desse fato.

( ) Os valores são da mesma maneira que as coisas são.

A alternativa correta é:

a) V V F V

b) F F V V

c)V V F F

d)F V V V

QUESTÃO 33

Relacione a primeira coluna a segunda.

( ) Refere-se ao bem em si, o belo em si e o

verdadeiro em si, a partir dos quais podemos

reconhecer quando as ações são boas, quando há beleza no que fabricamos.

( ) Refere-se ao sujeito universal, afirmando que não podemos conhecer o ser profundo das coisas.

Se o ser não é mais o fundamento das nossas apreciações, cabe ao sujeito assumir o peso e a responsabilidade dos seus valores.

( ) Refere-se a natureza como um processo em

que todos os seres buscam atualizar aquilo que

são em potencia, visando à plena realização das virtualidades inerentes à sua natureza.

( ) Refere-se a transvaloração dos valores, ao

afirmar que a humanidade, a caridade, a resignação, a piedade são valores dos fracos e vencidos, próprios de uma “moral de escravos” intimamente ligada às necessidades dos que vivem em rebanho. Diferentemente, a “moral dos senhores” que é positiva, porque baseia-se no sim à vida. A seqüência correta é:

a) 2 4 3 1

4 - Kant

3 – Nitzsche

2 – Platão

1 – Aristóteles

b) 1 2 4 3

c) 2 4 1 3

d) 1 2 3 4

QUESTÃO 32 Analise as proposições a baixo e marque V para verdadeira e F para falsa.

( ) Sempre que formulamos juízos de realidade, é inevitável que façamos juízos de valor.

( ) O objetivo de qualquer valoração é orientar a ação prática.

QUESTÃO 34 Analise as proposições abaixo e marque a alternativa incorreta.

UNIMAX – CADERNO DE EXERCÍCIOS DE FILOSOFIA – 1º SEMESTRE/2012 21 a) A teoria do

UNIMAX – CADERNO DE EXERCÍCIOS DE FILOSOFIA – 1º SEMESTRE/2012

CADERNO DE EXERCÍCIOS DE FILOSOFIA – 1º SEMESTRE/2012 21 a) A teoria do emotivismo defende que

21

a)

A

teoria do emotivismo defende que os juízos éticos e estéticos têm

origem na emoção.

b)

A

verdade objetiva defende que a mente humana tem a capacidade

de espelhar a natureza e atingir a sua representação precisa.

c)

Não é possível refutar racionalmente um juízo de valor. O que é possível, é o debate com os opositores sobre os motivos das escolhas

e

das rejeições.

d)

O pluralismo democrático nos diz que devemos respeitar as pessoas que têm opiniões diferentes da nossa, logo estamos impossibilitados de discordar dela.

QUESTÃO 35 Entende-se por moral heterônoma, exceto :

a) comportamento que é regulado pelo meio social

b) comportamento que é regulado pelos pais

c) comportamento que é regulado pelo professor

d) comportamento que é regulado pela consciência do individuo

o

o

o

o

QUESTÃO 36

Analise as proposições abaixo e marque V quando verdadeira e F quando falsa.

( ) No senso comum, os conceitos de ética e de moral são usados como sinônimos.

(

) Autonomia não é o mesmo que individualismo.

(

) A moral proporciona a humanização e por conseqüência um mundo

mais justo.

( ) A moral é um movimento constante entre o que é bom para nós e o compromisso que temos com os outros.

A seqüência correta é:

a) V F V V V F

d) V F

b) V V V V

c) V V F V

QUESTÃO 37 Entende-se por moral constituída:

a) criação de novos valores pelas experiências.

b) modificação autônoma dos valores.

c) formação de valores pelo passado.

d) Os valores herdados da sociedade.

A

A

A

QUESTÃO 38 Analise as afirmativas abaixo e assinale a correta.

a) A ética nos oferece receitas para o bem agir.

b) O ato moral é o que permite a realização de todos os desejos.

c) O ato moral é um ato de vontade de um sujeito livre.

d) A moral anula o poder de escolha do sujeito.

QUESTÃO 39 Relacione a primeira coluna à segunda.

1 – Nível pré-

convencional

2 – Nível convencional

3 – Nível pós- convencional

( ) Predomínio das expectativas interpessoais

e, em estágio mais avançado, as relações

individuais são consideradas do ponto de vista

do sistema.

( ) Percebe-se os conflitos entre as regras e os

sistemas, entre o direito e os princípios morais.

( ) Ne ste nível encontramos os santos, os heróis e os a tivistas que lutam por uma sociedade mais justa.

( ) Moral heterônoma: tem em vista evitar

punição e merecer recompensas, prevalecendo o ponto de vista egocêntrico.

A seqüência correta é:

a) 3 2 3 1

b) 2 2 3 1

c) 2 3 3 1

d) 1 3 3 2

QUESTÃO 40 Analise as proposições abaixo e assinale V quando verdadeira e F quando falsa.

( ) O caráter consciente e livre da ação refere-se à responsabilidade moral que é assumido de forma livre.

( ) A ampliação da esfera moral acontece quando certos atos, antes

garantidos por constrangimento social, força legal ou por imposição religiosa, passam a ser praticados por exclusiva obrigação mora autônoma.

UNIMAX – CADERNO DE EXERCÍCIOS DE FILOSOFIA – 1º SEMESTRE/2012 22 ( ) O grau

UNIMAX – CADERNO DE EXERCÍCIOS DE FILOSOFIA – 1º SEMESTRE/2012

CADERNO DE EXERCÍCIOS DE FILOSOFIA – 1º SEMESTRE/2012 22 ( ) O grau de articulação entre

22

( ) O grau de articulação entre interesses coletivos e interesses pessoais está diretamente ligado as sociedades contemporâneas que, assim como as tribos, privilegiam o coletivo.

( ) Fazer o bem tendo em vista a recompensa indica elevação da esfera moral, pois o que motiva a ação é a obrigação moral.

A seqüência correta será:

a) V V F F

b) V V V F

c) V F V V

d) F V F V

QUESTÃO 41 Relacione a primeira coluna à segunda.

1.

Moral

6. Estrutura do ato

2.

Ética

moral 7. O ato voluntário

3.

Caráter histórico e social da moral

8. O ato responsável

4.

Caráter pessoal da moral

9. A virtude

5.

Caráter social e pessoal da moral

(

) O comportamento moral varia de acordo com o tempo e o lugar,

conforme as exigências das condições nas quais os homens se organizam

ao estabelecerem as formas efetivas e práticas de trabalho. Cada vez que as relações de produção são alteradas, sobrevêm modificações nas exigências das normas de comportamento coletivo.

( ) Etimologicamente, vem da palavra latina vir, que designa o homem,

o varão. Virtus é "poder", "potência" (ou possibilidade de passar ao "ato).

) (

está ligada à idéia de força, de poder.

( ) A consciência moral, como juiz interno, avalia a situação, consulta as normas estabelecidas, as interioriza como suas ou não, toma decisões e julga seus próprios atos. O compromisso humano que daí deriva é a obediência à decisão.

( ) No entanto, a moral não se reduz à herança dos valores recebidos

pela tradição. À medida que a criança se aproxima da adolescência,

aprimorando o pensamento abstrato e a reflexão crítica, ela tende a colocar em questão os valores herdados. Algo semelhante acontece nas sociedades primitivas, quando os grupos tribais abandonam a abrangéncia da consciência mítica e desenvolvem o questionamento racional.

( ) é constituído de dois aspectos: o normativo e o fatual.

( ) O comportamento moral é consciente, livre e responsável. É também

obrigatório, cria um dever. Mas a natureza da obrigatoriedade moral não

reside na exterioridade: é moral justamente porque deriva do próprio sujeito que se impõe a necessidade do cumprimento da norma. Pode parecer paradoxal, mas a obediência à lei livremente escolhida não é prisão; ao contrário, é liberdade.

( ) O desejo surge em nós com toda a sua força e exige a realização; é

algo que se impõe e, portanto, não resulta de escolha. Já a vontade consiste no poder de parada que exercemos diante do desejo. Seguir o impulso do desejo sempre que ele se manifesta é a negação da moral e da possibilidade de qualquer vida em sociedade.

A seqüência correta é:

a) 3-2-8-1- 6-8-9

3-9-8-4- 7-7-7

b) 3-9-8-4- 6-8-7

c) 1-2-8-3- 6-8-7

d)

QUESTÃO 42

“È importante não confundir moralidade –certo e errado – com lei. È claro que a moralidade e a lei muitas vezes coincidem. Por exemplo, roubar e matar é moralmente errado. Também é contra a lei. Mas a moralidade e a lei não precisam coincidir.”

LAW, Stephen. Os arquivos filosóficos. São Paulo: Martins Fontes, 2003. p. 147-148.

Com base nesse texto, é possível afirmar:

I. devemos obedecer a uma lei porque estamos de acordo com ela.

II. A moralidade somente diz respeito ao que alguém aceita como correto.

III.

Só porque algo é ilegal não significa que é moralmente errado.

IV.

Há coisas que são moralmente erradas, mas não são contra nenhuma

lei.

Estão corretas as afirmativas

a) I e II

b) I e III

c) II e III

d) II e IV

e) III e IV

QUESTÃO 43 No Brasil, ainda é conhecida a popularizada Lei de Gérson que dizia o seguinte: “O importante é levar vantagem em tudo”. Essa lei, baseada na vantagem particular, traz consigo um conceito de “bom”, que é equivalente a uma prática especialmente observada nos paises de capitalismo mais avançado. Tal conceito de “bom” pode ser assim expresso:

UNIMAX – CADERNO DE EXERCÍCIOS DE FILOSOFIA – 1º SEMESTRE/2012 23 I. “Bom” é aquilo

UNIMAX – CADERNO DE EXERCÍCIOS DE FILOSOFIA – 1º SEMESTRE/2012

CADERNO DE EXERCÍCIOS DE FILOSOFIA – 1º SEMESTRE/2012 23 I. “Bom” é aquilo que beneficiará socialmente

23

I. “Bom” é aquilo que beneficiará socialmente todos.

II. “Bom” é o que se identifica com o bem comum.

III. “Bom” é o que possibilita meu progresso econômico em particular, sem levar em conta os outros.

IV. “Bom” é o que me leva a alcançar fins justos em conformidade com interesses coletivos.

V. “Bom” é o que conduz ao meu sucesso pessoal, não importando os meios utilizados.

Estão corretas as afirmativas:

a) I,II

b) III, V

c) II, III

d) I, II, III, IV, V

porque o primeiro recobre todo o gênero humano, incluindo homens e mulheres, jovens e velhos, amigos ou não.

b) Dá-se o nome de conhecimento à relação que se estabelece entre um sujeito cognoscente (ou uma consciência) e um objeto.

c) O conhecimento pode ser abstrato, quando o sujeito estabelece uma relação com um objeto individual. Por exemplo, o conhecimento que temos de um amigo determinado, com todas as suas características individuais.

d) E pode ser abstrato, quando estabelece uma relação com um objeto geral, universal. Por exemplo, o conhecimento que temos de homem, como gênero.

Gabarito: Assunto: Ética: Conceito. Concepções éticas. Autonomia. Livre Arbítrio e liberdade.

01

– C

02 – B

03

4 – E

5 – B

06 – A

07 – C

08 – A

09 – D

 

D

10

– E

11 – C

12

13

14

– B

15

16 – C

17 – A

18 – E

 

D

D

D

19

– C

20

21 – B

22 – A

23 – B

24 – B

25 – C

26 – B

27 – B

 

D

28

29 – C

30 – A

31

32

– C

33 – C

34

35

36 – B

D

D

D

D

37

38 – C

39 – C

40 – A

41 – B

42 – E

43 – B

 

D

EXERCÍCIOS

Assunto:

Conhecimento:

O

problema

do

conhecimento.

Formas

de

conhecimento.

Crise

da

razão.

QUESTÃO 01 Sobre conhecimento analise as afirmativas abaixo e marque a incorreta.

a) No processo de abstração, o conceito torna-se mais extenso à medida que o conteúdo intuível (imediato) se torna mais pobre. O conceito de homem, por exemplo, é muito mais extenso que o conceito de amigo,

QUESTÃO 02 Sobre conhecimento abstrato analise as afirmativas abaixo e marque a

incorreta.

a) Abstrair significa "isolar", "separar de". Fazemos uma abstração quando isolamos, separamos um elemento de uma representação, elemento este que não é dado separadamente na realidade (representação significa a imagem, ou a idéia da "coisa" enquanto presente no espírito).

b) A lei científica é abstrata. Quando concluímos que o calor dilata os corpos, fazemos abstração das características que distinguem cada

corpo para considerar apenas os aspectos comuns àqueles corpos, ou seja, o corpo em geral" enquanto submetido à ação do calor.

c) O conhecimento concreto nos ajuda a organizar e compreender um número imenso de acontecimentos, por outro ele nos afasta da realidade abstrata.

d) O conceito ou idéia de cinzeiro, que é a representação intelectual de um objeto e, portanto imaterial e geral. Ou seja, a idéia de cinzeiro não se refere àquele cinzeiro particular, mas a qualquer objeto que sirva para recolher cinzas. Da mesma forma, podemos abstrair do cinzeiro a forma ou a cor, que de fato não existem fora da coisa real.

QUESTÃO 03 Sobre conhecimento intuitivo analise as afirmativas abaixo. I. intuíçao sensível - é o conhecimento imediato que nos é dado pelos órgãos dos sentidos: sentimos que faz calor; vemos que a blusa é vermelha; ouvimos o som do violino.

UNIMAX – CADERNO DE EXERCÍCIOS DE FILOSOFIA – 1º SEMESTRE/2012 24 II. intuíçao sensível é

UNIMAX – CADERNO DE EXERCÍCIOS DE FILOSOFIA – 1º SEMESTRE/2012

CADERNO DE EXERCÍCIOS DE FILOSOFIA – 1º SEMESTRE/2012 24 II. intuíçao sensível é a que se

24

II. intuíçao sensível é a que se esforça por captar diretamente a essência do objeto. Por exemplo, a descoberta de Descartes do cogito (eu pensante) enquanto primeira verdade indubitável. III. intuição inventiva - é a do sábio, do artista, do cientista, quando repentinamente descobrem uma nova hipótese, um tema original. Também na vida diária, enfrentamos situações que exigem solluções criativas, verdadeiras invenções súbitas.

Marque a opção correta:

a) I, III

b) I, II, III

c) I, II

d) II, III

( ) a verdade de uma proposição se estabelece a partir de seus efeitos, dos resultados práticos.

( ) o critério da verdade é a evidência. Evidente é toda idéia clara e

distinta, que se impõe imediatamente e por si só ao espírito. Trata-se de

uma evidência resultante da intuição intelectual.

( ) é verdadeiro tudo o que contribui para fomentar a vida da espécie e falso tudo o que é obstáculo ao seu desenvolvimento.

Marque a opção correta

a) 4 3 2 1

b) 1 2 3 4

c)

4 2 1 3

d) 3 1 4 2

QUESTÃO 04 Analise as afirmativas abaixo e marque a incorreta.

a) A falsidade ou veracidade não estão na coisa mesma, mas no juízo, e portanto no valor da nossa afirmação. Há verdade ou não dependendo de como a coisa aparece para o sujeito que conhece. Por isso dizemos que algo é verdadeiro quando é o que parece ser.

b) A razão supera as informações concretas e imediatas que recebe, organizando-as em conceitos ou idéias gerais que, devidamente articulados, podem levar à demonstração e a conclusões que se consideram verdadeiras.

c) Diferentemente da intuição, a razão é por excelência a faculdade de julgar.

d) Chamamos conhecimento discursivo ao conhecimento imediato, isto é, aquele que se dá por meio de conceitos. É o pensamento que opera por etapas. por um encadeamento de idéias, juízos e raciocínios que levam a determinada conclusão.

e) O matemático reduz as coisas que têm peso, dureza, cor, para só considerar a quantidade. Por exemplo, quando dizemos 2, consideramos apenas o número, deixando de lado se são duas pessoas ou duas frutas.

QUESTÃO 05 Analise as afirmativas abaixo e enumere adequadamente.

1.

William James, Dewey, Peirce

3. Os escolásticos (filósofos medievais)

2.

Nietzsche

4. Descartes

(

) "a verdade é a adequação do nosso pensamento as coisas".

QUESTÃO 06 Sobre ceticismo marque a proposição incorreta.

a) Skeptikós, em grego, significa "que observa", "que considera". O cético tanto observa e tanto considera que conclui, nos casos mais radicais, pela impossibilidade do conhecimento; e nas tendências moderadas suspensão provisória de qualquer juízo.

b) "Nada existe. Mesmo se existisse alguma coisa, não poderíamos conhecê-la; concedido que algo existe e que o podemos conhecer, não o podemos comunicar aos outros." Essas três proposições, atribuídas a Parmênides (séc. IV a.C.), um dos representantes da sofística, exemplificam a postura conhecida como ceticismo.

c) O filósofo renascentista Montaigne retoma os temas do ceticismo. Contrapõe-se às certezas da escolástica decadente e à intolerância de um período de lutas religiosas, analisando nos Ensaios a influência de fatores pessoais, sociais e culturais na formação das opiniões.

d) Para outros moderados, mesmo que seja impossível encontrar a certeza, não se deve abandonar a busca. Mas para o ceticismo radical, como o pirronismo, se a certeza é impossível, é melhor renunciar ao conhecimento, o que traz como consequência prática, a indiferença absoluta em relação a tudo.

QUESTÃO 07 Sobre dogmatismo marque a proposição incorreta.

a) Quando transpomos a idéia de dogma para o campo não-religioso, ela passa a designar as verdades não-questionadas e inquestionáveis. Só que, nesse caso, não se estando mais no domínio da fé religiosa, o dogmatismo torna-se prejudicial.

UNIMAX – CADERNO DE EXERCÍCIOS DE FILOSOFIA – 1º SEMESTRE/2012 25 b) Filosoficamente é a

UNIMAX – CADERNO DE EXERCÍCIOS DE FILOSOFIA – 1º SEMESTRE/2012

CADERNO DE EXERCÍCIOS DE FILOSOFIA – 1º SEMESTRE/2012 25 b) Filosoficamente é a atitude que consiste

25

b) Filosoficamente é a atitude que consiste em admitir que a razão humana tem a possibilidade de conhecer a realidade, do ponto de vista religioso, chamamos dogma a uma verdade fundamental e indiscutível da doutrina. Na religião cristã, por exemplo, há o dogma da Santíssima Trindade segundo o qual as três pessoas (Pai, Filho e Espírito Santo) não são três deuses, mas um. Deus é uno e trino.

c) Dogmatíkós, em grego, significa" que se funda em princípios" ou "relativo a uma doutrina". Dogmatismo é a doutrina segundo a qual o homem pode atingir a certeza.

d) O homem dogmático não teme o novo e raro se torna intransigente e prepotente.

QUESTÃO 08 A crítica ao racionalismo, em especial a sua forma idealista e ao primado da razão, começa a se delinear já no século XIX, nas obras de filósofos como Sôren Kierkegaard (1813-1885) e Friedrich Nietzsche (1844-1900). Sobre a crise da razão podemos analise as afirmativas abaixo e marque a incorreta.

a) Kant opera mais um deslocamento do problema do conhecimento, alterando também o papel da filosofia. Para ele, o conhecimento não

passa de uma interpretação, de uma atribuição de sentidos, sem jamais ser uma explicação da realidade. Ora, o conferir sentidos é, também, o conferir valores, ou seja, os sentidos são atribuídos a partir de uma determinada escala de valores que se quer promover.

b) Nietzsche mostra as origens extra-racionais da razão. Para ele, o conhecimento é resultado de uma luta, de um compromisso entre instintos. O conhecimento aproxima-se do objeto, mas não se identifica a ele, conserva-o à distância, diferenciando-se dele e podendo até destruí-lo.

c) Kierkegaard recusa todo o projeto da filosofia moderna. Anti- hegeliano feroz, para ele o saber não é um bem absoluto e, por isso, não procura a verdade, mas um centro para sua própria vida. Torna-

só a subjetividade é verdade; o

se o pensador da subjetividade. "

seu elemento é a interioridade.

d) Nietzsche propõe, como método de decifração, a genealogia, que consiste em colocar em relevo os diferentes processos de instituição de um texto, mostrando as lacunas, os espaços em branco mais significativos, o que não foi dito ou foi recalcado e que permitiu erigir determinados conceitos em verdades absolutas e eternas.

QUESTÃO 09 Sobre Nietzsche e a crise da razão analise as afirmativas abaixo e marque a incorreta.

a) Em A Gaia ciência afirma que o conhecimento é um jogo entre três paixões: o rir, o deplorar e o detestar, que se encontram em estado de guerra. O conhecimento, então, é tão-somente a estabilização momentânea desse estado, não havendo adequação ao objeto, só domínio.

b) Nietzsche destrói, dessa forma, a noção deque há uma identidade entre sujeito e objeto, uma semelhança através da racionalidade. O real deixa de ser racional.

c) Ao apreender o caráter histórico dos conceitos, bem como dos códigos, esclarecendo sua relação com outros, a genealogia mostra o que eles excluíram para poder chegar à "intemporalidade" da tradição, da autoridade ou da lei. Ao expor a inexistência de significados estáveis, isoláveis, expõe também também a ausência de qualquer fundamento rigoroso da verdade metafísica.

d) O homem tem de viver em dois mundos que se contradizem (

O

espirito afirma o seu direito e a sua dignidade perante a anarquia e a brutalidade da natureza à qual devolve a miséria e a violência que ela

o faz experimentar. Mas esta divisão da vida e da consciência cria para a cultura moderna e para a sua compreensão a exigência de resolver uma tal contradiçao.

)

QUESTÃO 10 A fenomenologia surgiu no final do século XIX, com Franz Brentano, cujas principais idéias foram desenvolvidas por Edmund Husserl (1859-1958). Outros representantes foram: Heidegger. Max Scheler, Hartmann, Binswanger, De Waelhens, Ricoeur, MerleauPonty, Jaspers, Sartre.

Sobre

incorreta.

a) A fenomenologia, como Comte, critica a filosofia tradicional por desenvolver uma metafísica cuja noção de ser é vazia e abstrata, voltada para a explicação. Ao contrário, a fenomenologia tem como preocupação central a descrição da realidade, colocando como ponto de partida de sua reflexão o próprio homem, num esforço de encontrar o que realmente é dado na experiência, e descrevendo "o que se passa" efetivamente do ponto de vista daquele que vive uma

a fenomenologia

analise as proposições abaixo

e marque

a

UNIMAX – CADERNO DE EXERCÍCIOS DE FILOSOFIA – 1º SEMESTRE/2012 26 determinada situação concreta. Nesse

UNIMAX – CADERNO DE EXERCÍCIOS DE FILOSOFIA – 1º SEMESTRE/2012

CADERNO DE EXERCÍCIOS DE FILOSOFIA – 1º SEMESTRE/2012 26 determinada situação concreta. Nesse sentido, a

26

determinada situação concreta. Nesse sentido, a fenomenologia é uma filosofia da vivência.

b) Com o conceito de intencionalidade a fenomenologia se contrapõe à filosofia positivista do século XIX, presa demais à visão objetiva do mundo. A crença na possibilidade de um conhecimento científico cada vez mais neutro, mais despojado de subjetividade, mais distante do homem, a fenomenologia contrapõe a retomada da "humanização" da ciência, estabelecendo uma nova relação entre sujeito e objeto, homem e mundo, considerados pólos inseparáveis.

c) Heidegger (1889-1976) faz também a critica do pensamento analítico que procede por decomposição, enumeração e categorízação dos objetos, fragmentando-os. Para recuperar a integridade e a compreensão do Ser, propõe uma relação poética, extra-racional, até mesmo irracional.

d) Se examinarmos o próprio conceito de fenômeno, que em grego significa "o que aparece", podemos compreender melhor que a fenomenologia aborda os objetos do conhecimento tais como aparecem, isto é. como se apresentam à consciência. Isso significa que deve ser desconsiderada toda indagação a respeito de uma realidade em-si, separada da relação com o sujeito que a conhece.

QUESTÃO 11 Os representantes da Escola de Frankfurt, fundada em 1923 sob o nome de Instituto para a Pesquisa Social, Theodor Adorno, Marx Horkheimer, Herbert Marcuse e Walter Benjamin localizam a origem do irracional, representado por todas as formas de totalitarismo, no exercício de um determinado modo de racionalidade, a saber, a razão instrumental. Trata- se do exercício da racionalidade científica, típica do positivismo, que visa a dominação da natureza para fins lucrativos, colocando a ciência e a técnica a serviço do capital. Sobre a crise da razão e a Escola de Frankfurt analise as proposições abaixo. I. O indivíduo autônomo, consciente de seus fins, deve ser recuperado, Sua emancipação só será possível, no nível individual, ao se resolver o conflito entre a autonomia da razão e as forças obscuras e inconscientes que invadem essa mesma razão. II. Criticam a razão de dominação, controle da natureza exterior e interior, esta representada pelas paixões, pois sabem que aquilo a que se renuncia continua a ser desejado. III. Os frankfurtianos, tendo lido Nietzsche, Freud, Heidegger, sabem que não podem aderir à razão inocentemente. Sabem que a razão não

ilumina, não revela a natureza que se emancipa do mito através da ciência. Afastam-se do cientificismo materialista, da crença na ciência e na técnica como condições da emancipação social, pois sabem que o progresso se paga com o desaparecimento do sujeito autônomo, engolido pelo totalitarismo uniformizante da indústria cultural ou da sociedade unidimensional. Marque a opção correta:

a) I, III

b) I, II, III

QUESTÃO 12

c) I, II

d) II, III

Sobre senso comum analise as afirmativas baixo e marque V para Verdadeiras e F para Falsas.

a) conhecimento espontâneo o saber resultante das experiências levadas a efeito pelo homem ao enfrentar os problemas da existência. Nesse processo ele não se encontra solitário, pois tem o concurso dos contemporâneos, com os quais troca informações. Além disso, cada geração recebe das anteriores a herança fecunda que não só é assimilada como também transformada.

b) É um tipo de conhecimento empírico, porque se baseia na experiência cotidiana e comum das pessoas, distinguindo-se por isso da experiência científica, que exige planejamento rigoroso.

c) É também um conhecimento ingênuo: ingenuidade aqui deve ser entendida como atitude não-critica, típica do saber que não se coloca como problema e não se questiona enquanto saber.

d) A utilização de métodos rigorosos permite que o senso comum atinja um tipo de conhecimento sistemático, preciso e objetivo segundo o qual são descobertas relações universais e necessárias entre os fenômenos, o que permite prever acontecimentos e também agir sobre a natureza de forma mais segura.

e) Presa às aparências. Em comparação com a ciência, o conhecimento espontâneo é fragmentário, pois não estabelece conexões onde estas poderiam ser verificadas. Por exemplo: não é possível ao homem comum perceber qualquer relação entre o orvalho da noite e o "suor" que aparece na garrafa que foi retirada da geladeira.

f) Conhecimento particular restrito a pequena amostra da realidade, a partir da qual são feitas generalizações muitas vezes apressadas e imprecisas.

UNIMAX – CADERNO DE EXERCÍCIOS DE FILOSOFIA – 1º SEMESTRE/2012 27 g) é freqüentemente conhecimento

UNIMAX – CADERNO DE EXERCÍCIOS DE FILOSOFIA – 1º SEMESTRE/2012

CADERNO DE EXERCÍCIOS DE FILOSOFIA – 1º SEMESTRE/2012 27 g) é freqüentemente conhecimento subjetivo, o que

27

g) é freqüentemente conhecimento subjetivo, o que ocorre, por exemplo, quando avaliamos a temperatura ambiente com a nossa pele, já que só o termômetro dá objetividade a essa avaliação.

h) Enquanto o senso comum é o conhecimento espontâneo tal como foi descrito, no seu caráter acrítico, difuso, fragmentário, dogmático, é possível transformá-lo em bom senso ao torná-lo organicamente estruturado, coerente e crítico. Para o filósofo italiano Gramsci, o bom senso é o núcleo sadio do senso comum.

Marque a opção que apresente a afirmativa falsa.

a) D

b) A, H

c) B

d) E, F, G

Gabarito: Assunto: Conhecimento: O problema do conhecimento. Formas de conhecimento. Crise da razão.

Em tese, o método experimental se caracteriza pelas seguintes etapas, EXCETO:

a) Observação

Generalização

b) Afirmação

c) Experimentação

d)

QUESTÃO 03 Analise as proposições que seguem:

I – É bem verdade que a formulação da hipótese aproxima o cientista do artista, pois existe intuição e iluminação súbita nas descobertas científicas.

II – A verificação da hipótese pode ser feita de inúmeras maneiras,

dependendo das técnicas disponíveis e também do tipo de ciência.

III – A objetividade da ciência resulta do julgamento feito pelos membros

01

– C

02 – C

03 – A

04

05

06 – B

07

08 – A

09 – D

da comunidade científica que avaliam criticamente os procedimentos

 

D

D

D

utilizados e suas conclusões.

10

– A

11 – B

12 – A

IV

– Na ciência, o método consiste na estrutura racional que permite a

 

formulação e verificação das hipóteses.

EXERCÍCIOS

Assunto: Filosofia e ciência: conhecimento científico e conhecimento filosófico. Método científico. Ciência e ética.

QUESTÃO 01 O método científico exige que o cientista, ao deparar-se com o problema, elabore hipóteses e estabeleça condições para seu controle para confirmá-la ou não. A conclusão a que o cientista chega é considerada:

a) Específica, sendo considerada válida para cada fase a que o experimento foi submetido.

b) Única, sendo considerada apenas para o experimento em questão, desconsiderando outras similares.

c) Generalizada, sendo considerada válida não só para aquela situação, mas para outras similares.

d) Característico, sendo considerada válida não só para aquela situação, mas para outras que se identificam com ela.

QUESTÃO 02

Estão corretas as proposições:

a) I, II, III

b) II, III

c) I, II, III, IV

d) III, IV

QUESTÃO 04 São características do método científico, EXCETO:

a) Busca pelo conhecimento sistemático, preciso e objetivo.

b) Utilização de métodos rigorosos.

c) Compreensão da realidade de maneira subjetiva.

d) Avaliação crítica dos procedimentos e resultados.

QUESTÃO 05 Sobre as generalizações empíricas é correto afirmar:

a) Resultam da observação de casos particulares.

b) É a união de diversas leis específicas.

c) Resultam da união de duas teorias similares.

d) É a união de teorias similares.

QUESTÃO 06 Sobre as teorias é correto afirmar:

a) É a afirmação obtida em observações de casos particulares.

UNIMAX – CADERNO DE EXERCÍCIOS DE FILOSOFIA – 1º SEMESTRE/2012 28 b) São resultados da

UNIMAX – CADERNO DE EXERCÍCIOS DE FILOSOFIA – 1º SEMESTRE/2012

CADERNO DE EXERCÍCIOS DE FILOSOFIA – 1º SEMESTRE/2012 28 b) São resultados da individualização dos

28

b) São resultados da individualização dos experimentos.

c) Resultam da observação de casos particulares.

d) São leis que reúnem as diversas leis particulares sob uma perspectiva mais ampla.

QUESTÃO 07 Assinale a alternativa INCORRETA:

a) No método científico, sempre, a conclusão é imediata, sendo desnecessário repetir as experiências.

b) A experimentação é a verificação dos fenômenos em condições determinadas pelo experimentador.

c) Se de início a hipótese orienta a seleção dos fatos, em outro momento, ela tem o papel de reorganizar os fatos.

d) Método é o percurso que se segue na investigação da verdade.

QUESTÃO 08 As ciências da Natureza desenvolveram-se graças ao papel conferido à observação controlada, ou seja, a experimentação. Sobre a experimentação é INCORRETO afirmar:

a) A experimentação permite ao cientista formular hipóteses sobre o fenômeno.

b) A experimentação é a decisão do cientista de intervir no curso de um fenômeno.

c) A experimentação busca encontrar invariantes e constantes que definam o objeto como tal.

d) A experimentação não permite a modificação das condições de aparecimento e desenvolvimento de um fenômeno.

QUESTÃO 09 Sobre o método hipotético-indutivo é CORRETO afirmar:

a) O cientista observa inúmeros fatos em mesma condição de observação; elabora uma hipótese não sendo necessário novos experimentos ou induções para confirmar ou negar a hipótese, chegando-se, assim, à lei do fenômeno estudado.

b) O cientista observa inúmeros fatos variando as condições da observação; elabora uma hipótese e realiza novos experimentos para confirmar ou negar a hipótese; se esta for confirmada, chega-se à lei do fenômeno estudado.

c) O cientista observa inúmeros fatos variando as condições da observação; elabora uma hipótese para confirmar ou negar a hipótese; se esta for negada, chega-se à lei do fenômeno estudado. d) O cientista observa o fato e suas condições de observação; elabora uma lei e realiza novos experimentos. Se esta os experimentos repetirem a lei elaborada e esta for confirmada, chega-se à lei do fenômeno estudado.

QUESTÃO 10 Analise as alternativas que seguem:

I – A hipótese não é confirmada ou verificada por meio de novas

observações e experimentos. II – Uma teoria científica permite construir objetos tecnológicos para novas pesquisas III – Os objetos técnicos que usamos em nossa vida cotidiana são ciência aplicada ou resultado prático de ciências naturais teóricas. IV – A experimentação permite ao cientista formular hipóteses sobre o fenômeno.

Estão corretas as alternativa:

a) I, III, IV

b) II, III,

IV

C) I, II, III

D) I, II, III, IV

QUESTÃO 11 Assinale V para verdadeira e F para falsa

( ) A previsibilidade dos fenômenos permite a criação da ciência natural

aplicada. ( ) Ônibus, lâmpada, relógios digitais, detergente, tecidos sintéticos e

vacinas, são exemplos do resultado prático das ciências naturais teóricas.

( ) A lei é uma das maneiras pelas quais o ideal moderno da ciência se manifesta e se realiza no ideal moderno da ciência.

( ) A experimentação permite ao cientista formular hipóteses sobre o fenômeno.

A sequência correta será:

a) V F V F

b) V V F F

c) F V V V

d) V V F V

QUESTÃO 12 No que se refere à previsão nas ciências da natureza, pode-se afirmar:

UNIMAX – CADERNO DE EXERCÍCIOS DE FILOSOFIA – 1º SEMESTRE/2012 29 a) A previsibilidade dos

UNIMAX – CADERNO DE EXERCÍCIOS DE FILOSOFIA – 1º SEMESTRE/2012

CADERNO DE EXERCÍCIOS DE FILOSOFIA – 1º SEMESTRE/2012 29 a) A previsibilidade dos fenômenos consiste em

29

a) A previsibilidade dos fenômenos consiste em adivinhar o resultado das pesquisas, uma vez que são previsíveis.

b) A previsibilidade dos fenômenos permite empregar as tecnologias com fins práticos, criando a ciência natural aplicada.

c) A previsibilidade dos fenômenos torna a pesquisa irrelevante por ter seus resultados previstos.

d) A previsibilidade dos fenômenos permite a utilização de técnicas praticas facilitando a realização dos experimentos.

QUESTÃO 13 Sobre o método hipotético-dedutivo é CORRETO afirmar:

a) Chegando a uma hipótese, o cientista pode formular novas leis, e com elas prover novos fatos, ou formular novas experiências, que o confirmem os conhecimentos adquiridos.b) Chegando à lei, o cientista pode formular novas hipóteses, e com elas prever os fatos estudados, possibilitando maior veracidade à lei encontrada.

b) Tendo chegado à lei, o cientista pode seguir o caminho inverso da pesquisa, encontrando, assim, o fenômeno que motivou o estudo. Com isso, confirma-se os resultados obtidos.

c) Tendo chegado à lei, o cientista pode formular novas hipóteses, e com elas prever novos fatos, ou formular novas experiências, que o levam a conhecimentos novos.

QUESTÃO 14 No que se refere às ciências da natureza, analise as afirmativas que seguem e assinale a alternativa INCORRETA:

a) Buscam as inconstância, regularidades, freqüências e variantes dos fenômenos naturais.

b) Estabelecem leis que exprimem relações necessárias e universais entre os fatos investigados e que são de tipo causal.

c) Estudam fatos observáveis que podem ser submetidos aos procedimentos de experimentação.

d) Seus modos de funcionamento e de relacionamento estabelecem os meios teóricos para a previsão de novos fatos.

QUESTÃO 15

Por meio dos estudos de Heisenberg foi possível perceber o princípio da indeterminação. Sobre o princípio da indeterminação, assinale a alternativa CORRETA.

a) A união de todas as informações possíveis retiradas de um corpúsculo produz a hipótese do experimento.

b) Conhecendo a massa e a temperatura de um corpúsculo, conheceremos o peso aproximado dele.

c) Se conhecemos as propriedades atômicas de um objeto, conheceremos as suas proporções geométricas de forma imprecisa.

d) Quando conhecemos perfeitamente as propriedades geométricas de um átomo, não conseguimos conhecer suas propriedades físicas dinâmicas e vice-versa.

QUESTÃO 16 Quanto ao determinismo universal, pode-se afirmar:

a) Determinismo universal é a afirmação do princípio da razão suficiente.

b) Determinismo universal e a afirmação da idéia de imprevisibilidade absoluta.

c) Determinismo universal é o responsável pelo acaso no universo.

d) Determinismo universal é a confluência da imprevisibilidade com os fenômenos naturais.

QUESTÃO 17 Sobre o determinismo é correto afirmar:

a) Mesmo que desconhecido o estado atual de um conjunto de fatos, sempre será possível conhecer o estado subseqüente, que será seu efeito necessário.

b) O determinismo afirma que não podemos conhecer as causas de um fenômeno atual

c) Dado um fenômeno, sempre será possível determinar sua causa

d) O estado anterior de um conjunto de fatos e o estado posterior de um conjunto de fatos é determinado pelo homem.

QUESTÃO 18 O princípio da razão suficiente exige que seja mantida a idéia de substância. Entende-se por idéia de substancia:

a) Uma massa constante que possa ser estabelecida.

b) Uma realidade que permaneça idêntica a si mesma.

c) Um líquido com propriedades determináveis.

UNIMAX – CADERNO DE EXERCÍCIOS DE FILOSOFIA – 1º SEMESTRE/2012 30 d) Um sólido que

UNIMAX – CADERNO DE EXERCÍCIOS DE FILOSOFIA – 1º SEMESTRE/2012

CADERNO DE EXERCÍCIOS DE FILOSOFIA – 1º SEMESTRE/2012 30 d) Um sólido que não muda de

30

d) Um sólido que não muda de forma.

QUESTÃO 19 Analise as afirmativa que seguem.

I – Nossa ciência da Natureza não é universal e necessária em si mesma, mas exprime o ponto de vista do sujeito do conhecimento terrestre. II – Einstein demonstrou que nossa física é tal como é porque depende do sujeito do conhecimento, porque o espaço é relativo ao observador.

III – A microfísica é a única ciência capaz de determinar a trajetória de

corpúsculos individuais.

IV - O determinismo baseava-se no pressuposto de que o conhecimento

físico causal exige que um fenômeno físico deva ser conhecido a partir de um critério: suas propriedades geométricas.

Estão incorretas as alternativas:

a) I e II

b) II e III

c) III e IV

d) II e IV

QUESTÃO 22 A formulação do determinismo como princípio universal e como uma doutrina sobre a Natureza foi feita, pela primeira vez, pelo astrônomo e físico Laplace, que afirmava:

a) Devemos considerar o estado futuro do Universo como efeito de seu estado passado e como causa daquilo que acontece no presente.

b) Devemos considerar o estado passado do Universo como efeito de seu atual estado e como causa daquilo que virá a seguir.

c) Devemos considerar o estado presente do Universo como efeito de seu estado passado e como causa daquilo que virá a seguir.

d) Devemos considerar o estado presente do Universo como efeito relativo da causa daquilo que virá a seguir.

QUESTÃO 23 São exemplos de ciências humanas, EXCETO:

QUESTÃO 20 Entende-se por teoria científica:

a) Uma explicação global para um conjunto de fatos naturais aparentemente diferentes, mas, na realidade, submetidos às mesmas leis e aos mesmos princípios.

b) Uma explicação global para um conjunto de fatos naturais aparentemente diferentes, mas, na realidade, submetidos às leis e princípios individualizados.

c) Uma explicação global para um conjunto de fatos naturais aparentemente idênticos, mas, na realidade, submetidos às mesmas leis e diferentes princípios.

d) Uma explicação empírica para um conjunto de fatos naturais aparentemente idênticos, mas, na realidade, submetidos às mesmas leis e aos mesmos princípios.

QUESTÃO 21 Na teoria científica da Natureza, a física nos oferece três teorias simultâneas. São elas:

a) A gravitação universal, a kepleniana, a queda dos corpos.

b) O determinismo, a newtoniana e a da relatividade.

c) A quântica, a heisenbergniana e a da relatividade.

d) A quântica, a newtoniana e a da relatividade.

a)

Sociologia, história, antropologia.

b) Psicologia, quimica, filosofia.

c)

Linguística, geografia humana, economia.