Vous êtes sur la page 1sur 73

Contabilidade

de Custos

111
Contabilidade de Custos
6E
Desenvolvimento de conteúdo, Monitor Editorial Ltda.
mediação pedagógica e Rua dos Timbiras, 257/263 – São Paulo – SP – 01208-011
design gráfico Tel.: (11) 33-35-1000 / Fax: (11) 33-35-1020
Equipe Técnico Pedagógica atendimento@institutomonitor.com.br
do Instituto Monitor www.institutomonitor.com.br

Impresso no Parque Gráfico do Instituto Monitor


Av. Rangel Pestana, 1105/1113 – São Paulo – SP – 03001-000
Tel./Fax: (11) 33-15-8355
comercial@graficamonitor.com.br

Todos os direitos reservados


Lei nº 9.610 de 19/02/98
Proibida a reprodução total ou parcial, por qualquer meio,
principalmente por sistemas gráficos, reprográficos, fotográficos,
etc., bem como a memorização e/ou recuperação total ou parcial,
ou inclusão deste trabalho em qualquer sistema ou arquivo
de processamento de dados, sem prévia autorização escrita
da editora. Os infratores estão sujeitos às penalidades da lei,
respondendo solidariamente as empresas responsáveis pela
6ª Edição - Maio/2009 produção de cópias.
Índice
Apresentação........................................................................................................... 07

Lição 1 - Introdução à Contabilidade de Custos


Introdução........................................................................................................... 09
1. Histórico da Contabilidade de Custos.......................................................... 09
2. Definição de Custo.......................................................................................... 09
3. Classificação dos Custos................................................................................ 10
3.1 Quanto ao Uso.......................................................................................... 10
3.2 Quanto ao Comportamento..................................................................... 11
4. Contabilidade de Custos e os Métodos de Custeio...................................... 11
4.1 Custeio por Absorção.............................................................................. 11
4.2 Custeio Variável....................................................................................... 12
4.3 Custeio por Atividades (ABC)................................................................. 13
5. Comparações e Limitações entre os Métodos de Custeio............................ 13
Exercícios Propostos............................................................................................... 14

Lição 2 - Custos e Legislação Brasileira


Introdução........................................................................................................... 15
1. Custo da Matéria-Prima................................................................................ 15
2. Matéria-Prima e Estoques............................................................................. 15
2.1 Avaliação de Estoques da Matéria-Prima............................................. 16
2.2 Avaliação pelo Inventário Periódico...................................................... 16
3. Custo da Mão-de-Obra.................................................................................. 17
4. Custos Indiretos de Fabricação..................................................................... 18
4.1 Custos Indiretos e Impostos.................................................................... 18
4.2 Custos Indiretos e Critério de Rateio..................................................... 19
5. Cálculo do Custo Total de Produção............................................................ 20
Exercícios Propostos............................................................................................... 21

Lição 3 - Custeio por Absorção


Introdução........................................................................................................... 25
1. Conceitos Básicos do Custeio por Absorção................................................ 25
1.1 Critério de Rateios................................................................................... 25
2. Sistema Básico de Custeio por Absorção..................................................... 25

111/
3. Departamento e Centro de Custo.................................................................. 34
3.1 Departamento Produtivo........................................................................ 34
3.2 Departamento de Serviços...................................................................... 34
3.3 Centro de Custo........................................................................................ 34
3.4 Exemplo de Distribuição de Custos....................................................... 35
Exercícios Propostos.......................................................................................... 38

Lição 4 - Custeio Variável


Introdução........................................................................................................... 49
1. Considerações Iniciais.................................................................................... 49
2. Sistemática do Custeio Variável................................................................... 49
3. Alguns Comentários sobre o Custeio Variável............................................. 51
Exercícios Propostos............................................................................................... 52

Apêndice - Custeio por Atividades (ABC)


Introdução........................................................................................................... 53
1. Custos e Atividades........................................................................................ 53
2. Atividades e Direcionadores de Custos........................................................ 53
3. Exemplo Prático de Custeio Baseado em Atividade................................... 53

Respostas dos Exercícios Propostos...................................................................... 57

Bibliografia.............................................................................................................. 68

111/
Apresentação
Neste fascículo você conhecerá a Contabilidade de Custos que, ao
longo do tempo, sofreu alterações impostas pela necessidade de um
melhor e maior controle contábil.

Inicialmente, a contabilidade comercial apenas registrava o es-


toque inicial, do qual se deduziam as vendas e chegava-se assim ao
estoque atual. Esse procedimento, na atualidade, não supre mais a
necessidade de um controle rígido e minucioso. Inúmeras variáveis
são necessárias para se controlar toda a movimentação contábil das
empresas.

Nasceu então a Contabilidade de Custos, conferindo maior com-


plexidade à área, mas sendo de extrema necessidade, uma vez que, a
cada momento, as empresas vão se tornando tão complexas como a
própria sociedade.

Vale ressaltar que, mesmo com a alteração da Lei das Sociedades


Anônimas nº 6.404/76, alterada pela Lei nº 11.638/07, essas modifica-
ções não refletiram no tratamento da Contabilidade de Custos.

Bom estudo!

111/
lição

Introdução à
1 Contabilidade de Custos

Introdução de custos. Além disso, de um modo geral, a


indústria perdeu espaço na economia para
Esta lição é o primeiro contato com a as empresas prestadoras de serviços. Assim,
Contabilidade de Custos, portanto, faremos todas as pesquisas sobre custos começaram a
um breve relato histórico e uma apresentação abranger esse setor também.
de todos os componentes de custos de uma
empresa industrial. No Brasil, a metodologia de custos foi im-
portada pelas empresas multinacionais e rapi-
1. Histórico da Contabilidade de damente incorporadas à legislação contábil e ao
Custos Regulamento do Imposto de Renda.

A partir da Revolução Industrial, os gastos 2. Definição de Custo


para manufatura de um produto obrigaram as
indústrias a desenvolver procedimentos de con- Custo é um gasto relativo a um bem ou
tabilidade interna. Em 1925, a ênfase da Conta- serviço utilizado na produção de outros bens
bilidade de Custos estava voltada para a deter- ou serviços. Ou seja, é tudo o que é utilizado ou
minação do custo do estoque, em que a avaliação consumido para produzir um bem ou serviço.
dos custos de produção consistiria em determinar
o valor correto dos estoques e assim, consequen- Para a fabricação de um produto ou a
temente, o custo dos produtos vendidos. prestação de um serviço, são necessários
materiais, mão-de-obra, energia elétrica,
Esse método era útil e não havia outras combustível, etc. Assim, o custo é a junção de
metodologias mais eficazes. A não existência todos os gastos para a produção de um bem
de sistemas computacionais e a obtenção de ou a prestação de um serviço.
altos lucros não motivavam os administra-
dores e contabilistas a encontrarem outros O custo difere da despesa já que se trata
métodos mais eficazes. de um gasto usado na produção e a despesa é
usada direta ou indiretamente para a obtenção
Após os anos 70, o cenário industrial mu- de receitas. Por exemplo, o gasto usado na
dou drasticamente: as recessões econômicas administração de uma empresa não pode ser
nos anos 80 e 90, a evolução da informática, considerado como custo e sim como despesa. A
a globalização e o aumento da concorrência comissão paga a vendedores são despesas, por
fizeram com que os contabilistas encontrassem se tratar de um gasto utilizado sem envolver
metodologias melhores para o cálculo do custo a produção e, sim, as vendas.
de produção. Nesse período foi grande o movi-
mento acadêmico com pesquisas sobre gestão

111/
Instituto Monitor

3. Classificação dos Custos


Os custos podem ser classificados de duas maneiras: quanto
ao uso e ao comportamento.

3.1 Quanto ao Uso

Podem ser classificados em diretos e indiretos, e esta classifica-


ção dependerá do tipo de produto fabricado e os gastos específicos
na fabricação.

Vejamos os seguintes gastos usados na fabricação de livros:

Depreciação R$ 500,00
Aluguel R$ 1.000,00
Matéria-prima e Embalagens (papel) R$ 2.000,00
Tinta R$ 500,00
Mão-de-obra (produção) R$ 1.000,00
Materiais auxiliares R$ 400,00
Energia elétrica R$ 600,00
Água e telefone R$ 120,00
Mão-de-obra (supervisão) R$ 800,00
Total Gasto R$ 6.920,00

São impressos e encadernados três diferentes livros1.

Vamos analisar todos os gastos da produção quanto ao uso, ou


seja, quais gastos estão diretamente associados à fabricação dos
livros? Podemos dizer que a matéria-prima e a mão-de-obra da
produção são gastos diretamente relacionados a cada produto ela-
borado. Assim, chamamos de Custos Diretos, pois têm uma forma
de mensuração direta para cada tipo de produto. Geralmente, esses
custos possuem uma característica de medição (quantidade, quilos,
litros, etc.). Em muitas fábricas, a energia elétrica possui parcela
de custo direto, pois as máquinas utilizam relógios medidores.

Todos os demais custos são indiretos, já que são gastos gerais


utilizados para vários produtos diferentes e sua alocação a cada
produto é de difícil mensuração. A depreciação, materiais auxi-
liares, mão-de-obra da supervisão, etc. são exemplos de gastos
gerais e estão indiretamente ligados ao produto.

1. Não incluímos no exemplo os gastos com direitos autorais, que


são gastos da editora para publicar o livro.

111/10
Instituto Monitor

3.2 Quanto ao Comportamento

Quanto ao comportamento, os custos assumem outra classifi-


cação. Vejamos o mesmo exemplo apresentado anteriormente:

Depreciação R$ 500,00
Aluguel R$ 1.000,00
Matéria-prima e Embalagens (papel) R$ 2.000,00
Tinta R$ 500,00
Mão-de-obra (produção) R$ 1.000,00
Materiais auxiliares R$ 400,00
Energia elétrica R$ 600,00
Água e telefone R$ 120,00
Mão-de-obra (supervisão) R$ 800,00
Total Gasto R$ 6.920,00

São impressos e encadernados três diferentes livros.

Ao analisar os gastos, vejamos quais os custos que variam de


acordo com a produção: obviamente, a matéria-prima, a mão de
obra da produção, a tinta e os materiais auxiliares, pois quanto
maior o volume de livros produzidos, maior será o gasto da pro-
dução. Ou seja, nessa abordagem o custo varia de acordo com a
produção. Assim podemos chamar de custos variáveis, pois o total
gasto será de acordo com o volume de produção.

Os demais gastos independem de produção, ou seja, se não


houver produção, os gastos existirão. Assim chamamos de custos
fixos, pois independem de produção para a sua existência.

4. Contabilidade de Custos e os Métodos de Custeio


Mundialmente, no meio acadêmico, diversos métodos de cus-
teio foram desenvolvidos para determinação do valor correto do
custo de cada unidade produzida. Essa dificuldade em apurar o
valor do custo se dá pela existência de custos indiretos, que em
uma produção com diversos produtos diferentes necessitam de um
tratamento adequado. Já foram desenvolvidos diversos métodos
de custeio, mas, efetivamente, somente três são usados: custeio
por absorção, custeio variável e custeio por atividades.

4.1 Custeio por Absorção

Consiste na utilização de todos os custos de produção (diretos


e indiretos) na alocação do estoque, ou seja, o estoque “absorve”

111/11
Instituto Monitor

todos os custos da produção, em que os custos diretos são lançados


diretamente aos produtos e os indiretos são definidos aos produtos
por meio de rateios baseados em critérios pré-estabelecidos. Esse
método é aceito pela legislação do Imposto de Renda.

4.2 Custeio Variável

Esse método reconhece que somente os custos variáveis são


destinados aos produtos e formam o custo do estoque. Os custos
fixos serão lançados diretamente ao resultado da empresa.

111/12
Instituto Monitor

4.3 Custeio por Atividades (ABC)2

Esse método reconhece que cada produto fabricado exige


um certo número de atividades diferentes. Os custos diretos são
lançados diretamente aos produtos e os indiretos são lançados aos
produtos, de acordo com as atividades exercidas. O custeio por
atividades é muito semelhante ao custeio por absorção, havendo
apenas a existência do critério “atividade”.

5. Comparações e Limitações entre os Métodos de


Custeio
A legislação do Imposto de Renda reconhece apenas o custeio
por absorção como ideal para o uso das empresas; os demais mé-
todos podem ser utilizados para fins gerenciais. O custeio variável
é usado na Europa e em alguns países da América (Argentina e
Chile). Nos Estados Unidos, há uma liberdade para as empresas
optarem por qualquer modelo. O baseado em atividades é um
modelo contábil, mas enfocado para a gestão de custos, pois pos-
sibilita a verificação de quais as atividades são necessárias e quais
são desnecessárias, reduzindo, assim, o custo de produção.

A limitação do custeio por absorção deve-se à época de sua


criação, quando os custos diretos correspondiam a quase 90% dos
custos de produção. Atualmente, essa proporção está em torno
de 30% para custos diretos e 70% para indiretos. Esse aumento
deve-se à automatização das fábricas, devido à substituição da
mão-de-obra pelas máquinas. No entanto, o custeio baseado em
atividades tenta reduzir esta diferença.

2. A sigla ABC significa “Activity Based Costing”, ou seja, custeio


por atividades.

111/13
Exercícios Propostos
1) O que é custo? Diferencie de despesa. _________________________________________
_________________________________________ _________________________________________
_________________________________________ _________________________________________
_________________________________________ _________________________________________
_________________________________________
_________________________________________ b) Custeio variável
_________________________________________ _________________________________________
_________________________________________
2) Como os custos podem ser classificados? _________________________________________
_________________________________________ _________________________________________
_________________________________________ _________________________________________
_________________________________________ _________________________________________
_________________________________________
c) Custeio por atividades
3) O que é custo direto e custo indireto? _________________________________________
_________________________________________ _________________________________________
_________________________________________ _________________________________________
_________________________________________ _________________________________________
_________________________________________ _________________________________________
_________________________________________ _________________________________________
_________________________________________
_________________________________________ 6) Classifique os gastos em custo fixo ou vari-
_________________________________________ ável, direto ou indireto.

4) O que é custo fixo e custo variável? Aluguel__________________________________


_________________________________________ Depreciação______________________________
_________________________________________ Matéria-prima____________________________
_________________________________________ Embalagem_ _____________________________
_________________________________________ Mão-de-obra (supervisão)_________________
_________________________________________ Mão-de-obra (produção)_ _________________
_________________________________________ Energia elétrica_ _________________________
Materiais auxiliares_______________________
5) Explique:
a) Custeio por absorção
_________________________________________
_________________________________________

111/14
lição

Custos e
2 Legislação Brasileira
Introdução Frete R$ 200,00
Seguro R$ 150,00
Nesta lição estudaremos todos os custos Valor Total da Nota Fiscal R$ 3.500,00
segundo a legislação brasileira, quais impos-
tos e encargos sociais implicam no custo da Assim, como o comprador é uma indústria,
produção, e como a empresa pode se beneficiar e essa recupera o IPI e o ICMS, deveremos
com a sua contabilização. destacar esses impostos; o frete e o seguro
integram o custo da matéria-prima. Assim, o
1. Custo da Matéria-Prima valor de custo ficará:

O custo da matéria-prima e demais ma- Valor total da nota fiscal R$ 3.500,00


teriais diretos (embalagens) é determinado ( - ) IPI R$ 150,00
por: ( - ) ICMS R$ 360,00
Valor total de custo
• Custo original (valor de aquisição) da matéria-prima R$ 2.990,00
• Frete (se houver)
Se no exemplo anterior o comprador fosse
• Seguro (se houver)
uma empresa prestadora de serviços, não ha-
• Impostos não recuperáveis veria nenhum destaque no valor da nota fiscal,
pois ela não recupera nenhum dos impostos.
Neste momento, é importante salientar
que para uma indústria, o IPI e o ICMS são As alícotas dos impostos podem variar de
impostos recuperáveis, assim, deverão ser acordo com o produto e com o Estado onde
destacados do valor do material. Por exemplo, a operação é realizada. Em nosso exem-
para o caso de uma empresa de prestação de plo, usamos essas alíquotas apenas para
serviço, o IPI deve incorporar o preço de custo demostração de cálculo.
do material, pois a empresa não recupera esse
imposto. O ICMS é um imposto que já está 2. Matéria-Prima e Estoques
embutido no preço de compra, assim não há
a necessidade de somá-lo. Obviamente, nem todo material adquirido
é colocado para a fabricação no momento de
Exemplo: uma indústria comprou couro sua compra. Assim sempre existirá um período
para a fabricação de calçados. Os detalhes da em que a matéria-prima permanecerá em esto-
nota fiscal são: que. Para determinarmos o custo da matéria-
prima, podemos utilizar dois critérios: avalia-
Valor total da matéria-prima R$ 3.000,00 ção de estoques e inventário periódico.
ICMS (12%) R$ 360,00
IPI (5%) R$ 150,00

111/15
Instituto Monitor

2.1 Avaliação de Estoques da Matéria-Prima

A avaliação da matéria-prima ocorre no momento em que há


aquisições de materiais a preços diferentes.Utilizaremos o crité-
rio PEPS (primeiro que entra, primeiro que sai), assim temos um
critério de qual matéria-prima sai primeiro do estoque para ser
fabricada. Vamos apenas exemplificar esse processo:
3 Compra de 10 unidades a R$ 200,00 cada
3 Consumo de 7 unidades
3 Compra de 15 unidades a R$ 210,00 cada
3 Consumo de 17 unidades
3 Compra de 5 unidades a R$ 230,00 cada
3 Consumo de 4 unidades
3 Estoque inicial: 8 unidades a R$ 190,00 cada
3 Os valores já estão sem os impostos recuperáveis

ENTRADAS SAÍDAS SALDO


Data preço preço preço
quantidade total quantidade total quantidade total
unitário unitário unitário
EI 8 190,00 1.520,00
1 10 200,00 2.000,00 10 200,00 2.000,00
7 190,00 1.330,00 1 190,00 190,00
2
10 200,00 2.000,00
1 190,00 190,00
3 10 200,00 2.000,00
15 210,00 3.150,00 15 210,00 3.150,00
1 190,00 190,00
10 200,00 2.000,00
4
6 210,00 1.260,00
17 3.450,00 9 210,00 1.890,00
9 210,00 1.890,00
5
5 230,00 1.150,00 5 230,00 1.150,00
4 210,00 840,00 5 210,00 1.050,00
6
5 230,00 1.150,00
30 6.300,00 28 5.620,00 5 210,00 1.050,00
Total 5 230,00 1.150,00
10 2.200,00

2.2 Avaliação pelo Inventário Periódico

Nesse modelo, o foco do consumo está na matéria-prima.


Vejamos:
Estoque Inicial de
Matéria-prima: R$ 12.000,00

111/16
Instituto Monitor

Compras de
Matéria-prima: R$ 240.000,00
Estoque Final de
Matéria-prima: R$ 26.000,00

Assim, o consumo de matéria-prima pode ser alcançado por:

CMP = EI + C – EF
CMP = Consumo de Matéria-prima
EI = Estoque Inicial
C = Compras
EF = Estoque Final
Aplicando a fórmula, o consumo de matéria será de:
CMP = EI + C – EF
CMP = 12.000 + 240.000 – 26.000
CMP = 226.000

3. Custo da Mão-de-Obra
O custo da mão-de-obra é composto por:
3 Salário nominal do funcionário
3 Encargos sociais
3 Férias
3 13° salário
3 Benefícios
3 Etc.

Vejamos um exemplo sobre o custo da mão-de-obra. O salário


nominal de um operador de empilhadeira é de R$ 950,00. A empresa
concede benefícios de R$ 200,00 com seguro saúde e vale-alimenta-
ção. Os encargos sociais que a empresa paga sobre o salário nominal
do funcionário são de 36,8%, de acordo com a tabela3.

INSS 20,0%
FGTS 8,0%
SAT 3,0%
Salário Educação 2,5%
SESI ou SESC 1,5%
SENAI ou SENAC 1,0%
INCRA 0,2%
SEBRAE 0,6%
Total 36,8%

3. Tabela referente aos encargos sociais do período de setembro de


2007. É importante consultar a atualização no site www.previden-
ciasocial.gov.br.

111/17
Instituto Monitor

O 13° salário é um salário a mais por ano que o trabalhador


recebe. Assim, mensalmente um funcionário custa 1/12 de um
salário nominal, mais encargos sociais correspondentes. As férias
são 1/3 de um salário mensal que o trabalhador recebe. Assim, o
custo de um funcionário pode alcançar o seguinte valor:

Salário Nominal 950,00


Benefícios 200,00
Encargos Sociais (36,8%) 349,60
13° Salário 108,30
Férias 36,10
Total 1.644,00

Estamos considerando esse valor como um exemplo básico, pois


se levarmos em conta feriados, tempos parados para o café, ausên-
cias no trabalho por justa causa (licença médica, etc.), o custo da
mão-de-obra será muito maior. Essa análise dependerá do tipo de
contrato de trabalho e da empresa onde está o empregando. Cabe
ao contabilista analisar e apresentar o custo da mão-de-obra.

4. Custos Indiretos de Fabricação


Os custos indiretos de fabricação são todos os que não podem
ser determinados a cada produto de maneira precisa ou, em outras
palavras, que servem para a produção de mais de um produto, im-
possibilitando, assim, a determinação de custo de cada produto.

A solução encontrada pelo método de custeio por absorção


é a utilização do rateio, que é um critério pré-estabelecido para
dividir todos os custos indiretos aos produtos. As medidas são as
mais variadas possíveis: horas de mão-de-obra, tempo total de
produção, kw de energia, etc.

4.1 Custos Indiretos e Impostos

Alguns custos indiretos são dotados de impostos recuperá-


veis, como a energia elétrica. Se a empresa conseguir separar o
que é utilizado para a produção e usado para consumo, o ICMS
da parcela usada para produção pode ser recuperado. Os gastos
com materiais auxiliares também sofrem o mesmo processo. Nas
empresas prestadoras de serviço, isso não ocorre devido à não
recuperação de impostos.

111/18
Instituto Monitor

4.2 Custos Indiretos e Critério de Rateio

Os critérios de rateio serão determinados pela empresa, com


base em algum índice que determine o uso destes custos a cada
produto elaborado. Vejamos um exemplo:

Os custos indiretos de fabricação alcançaram o valor de R$


90.000,00 em determinado período. Eles devem ser rateados aos
produtos (copo, prato e taça), de acordo com o tempo de produção,
que é dado por:

Copo 100 h
Taça 170 h
Prato 450 h
Total 720 h

Assim, os custos indiretos para cada produto serão determi-


nados pelo valor por hora de produção, da seguinte maneira:

Custos Indiretos
Valor por hora de produção =
Tempo total de produção
90.000
Valor por hora de produção =
720
Valor por hora de produção = 125,00 por hora de produção

Para determinar o custo direto para cada produto, usaremos o


tempo gasto na elaboração daquele produto multiplicando-o pelo
valor por hora de produção:

Copos
Custos Indiretos = Tempo de Produção x Valor por
hora de produção
Custos Indiretos = 100 h x 125,00
Custos Indiretos = 12.500,00

Taça
Custos Indiretos = Tempo de Produção x Valor por
hora de produção
Custos Indiretos = 170 h x 125,00
Custos Indiretos = 21.250,00

Prato
Custos Indiretos = Tempo de Produção x Valor por
hora de produção
Custos Indiretos = 450 h x 125,00
Custos Indiretos = 56.250,00

111/19
Instituto Monitor

5. Cálculo do Custo Total de Produção


O custo total de produção será a soma de todos os custos diretos
com os indiretos da seguinte maneira:

Custo total de produção = CMP + Mão-de-Obra + Custos Indiretos

CMP = Consumo de matéria-prima


Vejamos o seguinte exemplo:
Uma empresa teve os seguintes custos de produção:
Compras de matéria-prima R$ 12.000,00
Mão-de-obra R$ 32.000,00
Custos indiretos R$ 48.000,00

As compras de matéria-prima tiveram um gasto adicional de


R$ 500,00 por fretes e seguros. O estoque final de matéria-prima
foi de R$ 4.000,00 e o estoque inicial de R$ 14.000,00. Para a mão-
de-obra, a empresa paga R$ 8.000,00 de benefícios.

Com esses dados, vamos determinar o custo total de produção:

Consumo de Matéria-prima

CMP = EI + C + Fretes – EF
CMP = 14.000,00 + 12.000,00 + 500,00 – 4.000,00
CMP = 22.500,00

Custo da Mão-de-obra

Salário Nominal 32.000,00


Benefícios 8.000,00
Encargos Sociais (36,8%) 11.776,00
13° Salário 3.648,00
Férias 1.216,00
Total 56.640,00

Custo Total de Produção

Custo total de produção = CMP + Mão-de-obra + Custos indiretos

Custo total de produção = 22.500,00 + 56.640,00 + 48.000,00


Custo total de produção = R$ 127.140,00

111/20
Exercícios Propostos
1 - Calcule o custo da matéria-prima, com os dados abaixo:

Valor de compra da matéria-prima R$ 15.000,00


Frete e seguros R$ 600,00
ICMS (12%) R$ 1.800,00
IPI (3%) R$ 450,00

2 - Com os dados abaixo, calcule o consumo de matéria-prima, por meio do in-


ventário periódico.

Estoque Inicial de matéria-prima R$ 3.000,00


Valor de compra da matéria-prima R$ 6.000,00
Fretes e seguros R$ 300,00
ICMS (18%) R$ 1.080,00
IPI (5%) R$ 300,00
Estoque Final R$ 2.500,00

111/21
Instituto Monitor

3 - Dada o total da folha de pagamento, calcule o custo total da mão-de-obra,


de acordo com a legislação vigente:

Valor total da folha de pagamento R$ 27.000,00


Benefícios concedidos aos funcionários R$ 11.000,00

4 - A empresa Valas utiliza um sistema de rateio utilizado pelo número de fun-


cionários em cada linha de produtos. A empresa fabrica móveis plásticos:
cadeiras, mesas e bancos. Se 6 funcionários trabalham na linha de cadeiras,
9 de mesas e 5 de bancos, calcule o custo indiretos de cada produto, sendo
que o total destes custos foram de R$ 12.000,00.

111/22
Instituto Monitor

5 - Com os dados abaixo, calcule o custo da matéria-prima, pelo inventário


permanente:

Estoque Inicial de matéria-prima: 15 unidades a R$ 10,00 cada


3 Consumo de 12 unidades
3 Compra de 20 unidades a R$ 12,00 cada
3 Consumo de 7 unidades
3 Consumo de 12 unidades
3 Compra de 9 unidades a R$ 15,00 cada
3 Consumo de 6 unidades

6 - Com os dados abaixo, calcule o custo total de produção:

Estoque Inicial de matéria-prima R$ 12.000,00


Compra de matéria-prima R$ 18.000,00
Frete sobre compra R$ 200,00
IPI 5%
ICMS 7%
Valor da folha de pagamento R$ 25.000,00
Benefícios concedidos R$ 6.000,00
Encargos sociais 36,8%
Custos indiretos R$ 25.000,00

111/23
lição

Custeio por
3 Absorção

Introdução A unidade de medida do rateio varia de


empresa para empresa e de setor para setor.
Nesta lição estudaremos o método de Assim, o contabilista deve estudar todo o
custeio por absorção, que é a metodologia processo de produção antes de definir quais
adotada pelas empresas brasileiras, por força critérios adotar. Um bom critério muito uti-
do regulamento do Imposto de Renda. lizado pelas empresas é o tempo de produção,
pois podemos dimensionar o custo por tempo
1. Conceitos Básicos do Custeio por efetivo produzido, além de determinar algu-
Absorção mas variáveis gerenciais importantes, como
tempo perdido com paradas involuntárias
O custeio por absorção determina, a prin- (quebra de máquina), pausas para reuniões,
cípio, a classificação dos custos em diretos e tempo desperdiçado, etc.
indiretos, que deve ser dada pela Contabili-
dade em estudo do processo de produção. A 2. Sistema Básico de Custeio por
partir disso, a contabilidade deve classificar os Absorção
custos diretos a cada produto fabricado, e os
custos indiretos devem ser rateados de acordo No sistema básico de custeio por absorção,
com algum critério pré-determinado. devemos adotar cinco passos necessários:
1° Separar os custos e despesas.
1.1 Critério de Rateios
2° Separar os custos diretos e custos indi-
O critério de rateio deve tentar traduzir retos.
da maneira mais realista possível o consumo
3° Lançar os custos diretos aos produtos.
de cada produto fabricado, apesar de que, na
maioria das vezes (se não em sua totalidade), o 4° Lançar os custos indiretos aos produtos, de
método de rateio não consegue apresentar um acordo com o critério de rateio.
custo real. O grande problema desse método é
que, atualmente, os custos indiretos represen- 5° Calcular o custo de produção, custo unitário
tam a maior parte do custo total de produção. e o custo dos produtos vendidos e contabi-
Assim, se o método de rateio estiver errado, o lizar o resultado.
custo de um produto estará errado também. E
as decisões gerenciais poderão estar erradas Para entendermos melhor cada passo, ve-
com a utilização desse método. jamos o seguinte balancete de verificação:

111/25
Instituto Monitor

Contas Débito Crédito


Caixa 1.000,00
Máquinas e Equipamentos 10.000,00
Duplicatas a Pagar 2.500,00
Duplicatas a Receber 3.600,00
Impostos a Pagar 1.500,00
Banco conta Movimento 2.400,00
Matéria-prima Consumida 3.000,00
Energia Elétrica Consumida 1.500,00
Depreciação das Máquinas 500,00
Depreciação dos Equipamentos - Escritório 300,00
Mão-de-obra - Produção 6.000,00
Aluguel - Fábrica 1.500,00
Aluguel - Escritório 700,00
Despesas Financeiras 400,00
Gastos Gerais - Fábrica 600,00
Gastos Gerais - Escritório 200,00
Despesa de Vendas 400,00
Vendas 15.000,00
Mão-de-obra - Supervisão 900,00
Capital Social 14.000,00
Total 33.000,00 33.000,00

1° Passo: Separar os Custos de Despesas

Como vimos anteriormente, os custos são gastos usados na


produção de um bem e as despesas são gastos que visam direta ou
indiretamente a obtenção de receitas. Vamos separar os gastos com
a produção como custos e os gastos com vendas, administração e
financeiros como despesas. Assim, teremos:

Custos Gastos
Matéria-prima Consumida 3.000,00
Energia Elétrica Consumida 1.500,00
Depreciação das Máquinas 500,00
Mão-de-obra - Produção 6.000,00
Aluguel - Fábrica 1.500,00
Gastos Gerais - Fábrica 600,00
Mão-de-obra - Supervisão 900,00
Total 14.000,00

111/26
Instituto Monitor

Despesas Gastos
Depreciação dos Equipamentos - Escritório 300,00
Aluguel - Escritório 700,00
Despesas Financeiras 400,00
Gastos Gerais - Escritório 200,00
Despesa de Vendas 400,00
Total 2.000,00

Vejamos que todos os custos e despesas foram separados. As-


sim, os gastos de produção foram de R$ 14.000,00 e as despesas
de R$ 2.000,00.

2° Passo: Separação de Custos Diretos e Custos Indiretos

Os custos diretos são aqueles de fácil determinação pela produ-


ção. Assim, nesse caso, os gastos com mão-de-obra e matéria-prima
serão considerados como diretos. Dessa forma, classificaremos os
custos da seguinte maneira:
Custos Diretos Gastos
Matéria-prima Consumida 3.000,00
Mão-de-obra - Produção 6.000,00
Total 9.000,00

Custos Indiretos Gastos


Energia Elétrica Consumida 1.500,00
Depreciação das Máquinas 500,00
Aluguel - Fábrica 1.500,00
Gastos Gerais - Fábrica 600,00
Mão-de-obra - Supervisão 900,00
Total 5.000,00

O total da produção é a soma dos custos diretos com os indi-


retos, que será de R$ 14.000,00.

3° Passo: Distribuição dos Custos Diretos aos Produtos

A empresa fabrica roupas jeans e possui três tipos de produtos:


jaquetas, camisas e calças. A matéria-prima consumida foi dada
pela seguinte planilha de requisições:
Produto Consumo (kg)
Calça 2000
Camisa 1200
Jaqueta 2800
Total 6000

111/27
Instituto Monitor

A mão-de-obra foi determinada pelo número de funcionários


que trabalhou em cada produto, durante o período, da seguinte
maneira:

Produto Nº de funcionários
Calça 6
Camisa 4
Jaqueta 5
Total 15

Com esses dados, podemos determinar os custos diretos de


cada produto, conforme tabela a seguir:

Custo da Matéria-prima:
Custo da Matéria-prima (R$) 3.000,00
Consumo de Matéria-prima (kg) 6.000
Custo Unitário da Matéria-prima 0,50

Produto Calça Camisa Jaqueta Total


Quantidade Consumida (kg) 2000 1200 2800 6000
Custo Unitário da Matéria-Prima 0,50 0,50 0,50 0,50
Custo Total da Matéria-Prima por 1.000,00 600,00 1.400,00 3.000,00
Produto

Custo da Mão-de-obra:

Custo da Mão-de-Obra 6.000,00


Número de Funcionários 15
Custo de Funcionários 400,00

Produto Calça Camisa Jaqueta Total


Número de Funcionários por Produto 6 4 5 15
Custo por Funcionários 400,00 400,00 400,00 400,00
Custo Total da Mão-de-Obra por 2.400,00 1.600,00 2.000,00 6.000,00
Produto

Para determinarmos o total dos custos diretos aos produtos,


ficará mais fácil se juntarmos todos esses dados em uma única
tabela, da seguinte maneira:

Produto Calça Camisa Jaqueta Total


Custo Total da Matéria-Prima por Produto 1.000,00 600,00 1.400,00 3.000,00
Custo Total da Mão-de-Obra por Produto 2.400,00 1.600,00 2.000,00 6.000,00
Total dos Custos Diretos 3.400,00 2.200,00 3.400,00 9.000,00

111/28
Instituto Monitor

Essa etapa é simples, pois significa apenas distribuir os custos


unitários ao consumo de matéria-prima. Para o nosso exemplo,
esses custos já estão com todos os encargos e impostos da nossa
legislação.

4° Passo: Rateio dos Custos Indiretos aos Produtos

A Contabilidade, juntamente com a Engenharia de Produção,


verificou que a maneira mais próxima de determinar os custos
indiretos aos produtos seria por meio do rateio por período de
produção na fábrica. Assim, segundo o apontamento de ordens
de produção, o período de utilização da fábrica por produto foi
dado por:
Produto Calça Camisa Jaqueta Total
Tempo de Produção (horas) 80 60 110 250

Os custos indiretos por hora de produção serão de:

Total dos Custos Indiretos 5.000,00


Tempo de Produção (horas) 250
Custo Indireto por hora de produção 20,00

Assim, da mesma maneira feita para os custos diretos, rate-


aremos os custos indiretos para cada produto, com base no custo
indireto por hora de produção, conforme tabela abaixo:

Produto Calça Camisa Jaqueta Total


Tempo de Produção (horas) 80 60 110 250
Custo Indireto por hora de produção 20,00 20,00 20,00 20,00
Total dos Custos Indiretos 1.600,00 1.200,00 2.200,00 5.000,00

5° Passo: Calcular o Custo de Produção, o Custo Unitário e o Custo


dos Produtos Vendidos e Contabilizá-los.

Com todos os dados apresentados, podemos calcular o custo


total de cada produto, somando os custos diretos com os custos
indiretos, conforme a tabela:

Produto Calça Camisa Jaqueta Total


Custo Total da Matéria-prima por Produto 1.000,00 600,00 1.400,00 3.000,00
Custo Total da Mão-de-obra por Produto 2.400,00 1.600,00 2.000,00 6.000,00
Total dos Custos Diretos 3.400,00 2.200,00 3.400,00 9.000,00
Total dos Custos Indiretos 1.600,00 1.200,00 2.200,00 5.000,00
Custo Total por Produto 5.000,00 3.400,00 5.600,00 14.000,00

111/29
Instituto Monitor

Se desejarmos saber o custo unitário de cada produto, basta


dividir o custo total pelo total produzido, conforme tabela:

Produto Calça Camisa Jaqueta Total


Custo Total da Matéria-prima por Produto 1.000,00 600,00 1.400,00 3.000,00
Custo Total da Mão-de-obra por Produto 2.400,00 1.600,00 2.000,00 6.000,00
Total dos Custos Diretos 3.400,00 2.200,00 3.400,00 9.000,00
Total dos Custos Indiretos 1.600,00 1.200,00 2.200,00 5.000,00
Custo Total por Produto 5.000,00 3.400,00 5.600,00 14.000,00
N° de Produtos Elaborados 250 170 140 -
Custo Unitário do Produto 20,00 20,00 40,00 -

Para determinarmos o custo dos produtos vendidos, precisare-


mos saber qual é o volume de vendas de cada produto, de acordo
com a seguinte tabela:

Produto Calça Camisa Jaqueta Total


Quantidade Vendida 180 110 90 -
Preço de Venda 35,00 30,00 60,00 -
Receita de Vendas por Produto 6.300,00 3.300,00 5.400,00 15.000,00

Com a tabela acima, conseguiremos determinar o custo dos


produtos vendidos. Com base na quantidade vendida, a porção
restante será pertencente ao estoque:

Produto Calça Camisa Jaqueta Total


Custo Unitário do Produto 20,00 20,00 40,00 -
Quantidade Vendida 180 110 90 -
Custo dos Produtos Vendidos 3.600,00 2.200,00 3.600,00 9.400,00

Produto Calça Camisa Jaqueta Total


N° de Produtos Elaborados 250 170 140 -
(-) Quantidade Vendida 180 110 90 -
(=) Quantidade em Estoque 70 60 50 -
Custo Unitário do Produto 20,00 20,00 40,00 -
Valor do Estoque 1.400,00 1.200,00 2.000,00 4.600,00

Poderíamos chegar ao valor do estoque se diminuíssemos o


valor total do custo de produção pelo total dos custos dos produ-
tos vendidos.

111/30
Instituto Monitor

Contabilização dos custos em livro diário e livro razão

A contabilização dos custos deverá obedecer aos padrões de


débito e crédito. Assim, o procedimento correto para fazer a con-
tabilização é:
1° Lançar todos os custos (diretos e indiretos) para uma conta
chamada “custo de produção”.
2° Lançar todos os custos de produção aos estoques de cada
produto.
3° Lançar todos os custos dos produtos vendidos de cada
produto.

Essa maneira é mais eficaz e evita problemas na contabilização.


Vejamos a contabilização para nosso exemplo:

1° Passo: lançamento de todos os custos para a conta “custos


de produção”.

Diário:

Custos de Produção
a Diversos
a Matéria-Prima Consumida R$ 3.000,00
a Mão-de-Obra - Produção R$ 6.000,00
a Energia Elétrica Consumida R$ 1.500,00
a Depreciação – Máquinas R$ 500,00
a Aluguel – Fábrica R$ 1.500,00
a Gastos Gerais – Fábrica R$ 600,00
a Mão-de-Obra – Supervisão R$ 900,00

Razonetes

Energia Elétrica Depreciação das


Matéria-Prima Consumida Mão-de-Obra - Produção
Consumida Máquinas
3.000,00 1.500,00 500,00 6.000,00
3.000,00 1.500,00 500,00 6.000,00

Gastos Gerais - Mão-de-Obra -


Aluguel - Fábrica Custo Total de Produção
Fábrica Supervisão
1.500,00 600,00 900,00 14.000,00
1.500,00 600,00 900,00

111/31
Instituto Monitor

2° Passo: lançar todos os custos de produção aos estoques de


cada produto.

Diversos
a Custos de Produção
Estoque – Calças R$ 5.000,00
Estoque – Camisas R$ 3.400,00
Estoque – Jaquetas R$ 5.600,00

Razonetes

Estoque - Calças Estoque - Camisas Estoque - Jaquetas Custo Total de Produção


5.000,00 3.400,00 5.600,00 14.000,00
14.000,00

3° Passo: lançar o Custo dos Produtos Vendidos

Custo dos Produtos Vendidos


a Diversos
a Estoque – Calças R$ 3.600,00
a Estoque – Camisas R$ 2.200,00
a Estoque – Jaquetas R$ 3.600,00

Estoque - Calças Estoque - Camisas Estoque - Jaquetas Custo dos Produtos Vendidos
5.000,00 3.400,00 5.600,00 9.400,00
3.600,00 2.200,00 3.600,00
1.400,00 1.200,00 2.000,00

Assim, poderemos calcular o resultado do período:

Resultado
a Diversos
a Custo dos Produtos Vendidos R$ 9.400,00
a Despesas de Depreciação
Escritório R$ 300,00
a Aluguel – Escritório R$ 700,00
a Despesa Financeira R$ 400,00
a Gastos Gerais – Escritório R$ 200,00
a Despesas de Vendas R$ 400,00

Vendas
a Resultado R$ 15.000,00

111/32
Instituto Monitor

Depreciação dos Equip.


Aluguel - Escritório Despesas Financeiras Gastos Gerais - Escritório
Escritório
300,00 700,00 400,00 200,00
300,00 700,00 400,00 200,00

Despesa de Vendas Vendas Resultado Custo dos Produtos Vendidos


400,00 15.000,00 11.400,00 15.000,00 9.400,00 9.400,00
400,00 15.000,00 3.600,00

O lucro líquido será de:

Resultado
a Lucros Acumulados R$ 3.600,00
Resultado Lucros Acumulados
11.400,00 15.000,00 3.600,00
3.600,00
3.600,00

O Balanço Patrimonial e a Demonstração de Resultados do


Exercício serão dados por:
BALANÇO PATRIMONIAL
Ativo Passivo
Circulante Circulante
Caixa 1.000,00 Duplicatas a Pagar 2.500,00
Banco Conta Movimento 2.400,00 Impostos a Pagar 1.500,00
Duplicatas a Receber 3.600,00 Total Circulante 4.000,00
Estoques
Calças 1.400,00 Patrimônio Líquido
Camisas 1.200,00 Capital Social 14.000,00
Jaquetas 2.000,00 4.600,00 Lucros Acumulados4 3.600,00
Total Circulante 11.600,00 Total Patrimônio Líquido 17.600,00
Não-Circulante
Máquinas e Equipamentos 10.000,00
Total Não-Circulante 10.000,00
Total do Ativo 21.600,00 Total do Passivo 21.600,00

Demonstração de Resultados do Exercício


Vendas 15.000,00
(-) Custo dos Produtos Vendidos (9.400,00)
(=) Lucro Bruto 5.600,00
(-) Despesas Operacionais (2.000,00)
(=) Lucro Operacional 3.600,00

4. A conta Lucros Acumulados só poderá existir no Balanço Patrimonial das


empresas que não sejam denominadas “Sociedades por Ações”.

111/33
Instituto Monitor

3. Departamento e Centro de Custo


Custo departamental é um sistema de
atribuição dos custos indiretos de fabricação
aos produtos por departamento.

Departamento é a menor unidade admi-


nistrativa de uma empresa, para efeito de acu-
mulação dos custos indiretos de fabricação.

A atividade administrativa, comercial e de


produção de uma empresa industrial poderá
estar estruturalmente dividida nas seguintes
seções:

• Administração geral
• Ambulatório médico
• Almoxarifado Os custos diretos são atribuídos aos pro-
• Conservação e manutenção dutos sem maiores complicações e os custos
indiretos, embora necessitem de critérios
• Controle de qualidade
estimados e arbitrados, são rateados para
• Recrutamento, seleção e treinamento de cada produto diretamente, já que os produtos
pessoal passam por esses departamentos.
• Estudos e projetos
• Corte 3.2 Departamento de Serviços
• Usinagem
O departamento de serviços é composto
• Montagem por pessoas e máquinas que prestam serviços
• Acabamento, etc. para toda a empresa industrial, inclusive para
os departamentos produtivos.
Para efeito de Custo Departamental, cada
uma dessas seções é considerada como sendo 3.3 Centro de Custo
um departamento.
Centro de custo é a uni-
Na empresa industrial existem basica- dade mínima utilizada para
mente dois tipos de departamentos: o produ- acumulação dos Custos
tivo e o de serviços. Indiretos de Fabrica-
ção (CIF).
3.1 Departamento Produtivo

É composto por pessoas e máquinas res-


ponsáveis pela fabricação dos produtos. Nesse
departamento, são gerados custos diretos e
indiretos em relação aos produtos.

111/34
Instituto Monitor

3.4 Exemplo de Distribuição de Custos

Suponhamos que uma empresa, produzindo três produtos, X,


Y e Z, tenha já alocado a eles os seguintes custos diretos:

Produto X . ...............................R$ 500,00


Produto Y .................................R$ 300,00
Produto Z .................................R$ 450,00
TOTAL .....................................R$ 1.250,00

A composição dos custos indiretos que deverão ser apropriados


é a seguinte:

Depreciação de
equipamentos . .........................R$ 200,00
Manutenção de
equipamentos . .........................R$ 350,00
Energia elétrica .......................R$ 300,00
Supervisão de fábrica .............R$ 100,00
Outros custos indiretos ...........R$ 200,00
TOTAL .....................................R$ 1.150,00

O que predomina nesses itens são os custos ligados a equipa-


mentos (depreciação, manutenção e energia). Decide-se fazer a
apropriação aos diversos produtos com base no tempo de horas-
máquina que cada produto leva para ser feito.

Feito o levantamento foi verificado:


Produto X 400 horas-máquina 40%
Produto Y 200 horas-máquina 20%
Produto Z 400 horas-máquina 40%
TOTAL 1.000 horas-máquina 100%

Desse modo, a atribuição dos custos indiretos e o cálculo do


custo total ficam assim:

R$ 1.150,00 dividido por 1.000 hm = 1,15 por hora-máquina

que é o custo indireto médio por hora-máquina = total do custo


indireto dividido pelo total de horas-máquina.

Indireto Direto Custo Totais


% R$ R$ R$
Produto X 40 460,00 500,00 960,00
Produto Y 20 230,00 300,00 530,00
Produto Z 40 460,00 450,00 910,00
Total 100 1.150,00 1.250,00 2.400,00

111/35
Instituto Monitor

Ao se analisar o processo de produção verifica-se que, apesar


de os totais de horas-máquina consumidas serem os mesmos,
existe uma grande disparidade entre os produtos. Isso acontece
porque o produto X gasta um total de 400 hm, mas distribuídas
nos setores de corte, montagem e acabamento, enquanto que o
produto Y só passa pelo corte, não necessitando nem de montagem
nem de acabamento, e o produto Z só passa por esses dois últimos
setores, não precisando passar pelo corte.

A distribuição total ficaria assim:

Produto h.m. Corte h.m Montagem h.m. Acabamento Totais


X 100 50 250 400
Y 200 - - 200
Z - 250 150 400
Total 300 300 400 1000

Completando essa investigação inicial, verifica-se também que


o gasto com os custos indiretos de produção não é uniforme entre
os setores, distribuindo-se:

Custos Indiretos Corte Montagem Acabamento Totais


Depreciação 100,00 30,00 70,00 200,00
Manutenção 200,00 30,00 120,00 350,00
Energia 60,00 40,00 200,00 300,00
Supervisão 50,00 20,00 30,00 100,00
Outros Custos Indiretos 40,00 30,00 130,00 200,00
Total 450,00 150,00 550,00 1.150,00
Custos 450,00 150,00 550,00 1.150,00
Médio 300 hm 300 hm 400 hm 1.000 hm
Por hora/máquina 1,5/hm 0,5/hm 1,375/hm 1,15/hm

A partir dessas informações podemos efetuar uma apropriação


dos custos indiretos de forma mais adequada, levando em conta o
tempo de cada produto em cada departamento.

Produto No Corte Na Montagem No Acabamento Totais


100 hm x 1,5/hm 50 hm x 0,5/hm 250 hm x 1,375/hm
X
= 150,00 = 25,00 = 343,75 518,75
200 hm x 1,5/hm
Y
= 300 300,00
250 hm x 0,5/hm 150 hm x 1,375/hm
Z
= 125,00 = 206,25 331,25
Total 450,00 150,00 550,00 1.150,00

111/36
Instituto Monitor

Vamos fazer uma comparação entre os valores dos custos indi-


retos alocados a cada produto sem a departamentalização (uso de
uma única taxa horária para todos) e com a departamentalização
(uma taxa para cada departamento):

Diferença
Produto Sem departamentalização Com departamentalização
em R$ em %
X R$ 460,00 R$ 518,75 R$ 58,75 12,77 %
Y R$ 230,00 R$ 300,00 R$ 70,00 30,43%
Z R$ 460,00 R$ 331,25 (R$ 128,75) -27,99%
Total R$ 1.150,00 R$ 1.150,00

Analisando a coluna das diferenças, verificamos o grau de


distorção existente ente as duas formas e, apesar de quaisquer
arbitrariedades ocorridas na forma de apropriação por hora-má-
quina, é claro que na alocação com base na departamentalização
estarão sendo cometidas menos injustiças e diminuídas as chances
de erros mais graves.

Se a empresa fixasse seus preços de venda com base nos custos


de produção, verificaria então que, com base na departamentaliza-
ção, precisaria aumentar os custos dos produtos X e Y e diminuir
os de Z.

Sérios problemas podem ocorrer na empresa em função da


concorrência pelo inadequado processo de custeamento.

Anotações e Dicas

111/37
Exercícios Propostos
1 - Em 31 de dezembro, o balancete da Cia. ABC era formado pelas seguintes
contas e respectivos saldos:

Compra de matérias-primas................................... 12.000,00


Vendas...................................................................... 15.500,00
Mão-de-obra indireta................................................ 3.000,00
Fretes s/ vendas............................................................ 200,00
Despesas administrativas......................................... 1.800,00
Materiais diversos consumidos na fábrica.............. 4.000,00
Despesas com material de escritório.......................... 240,00
Equipamentos de entrega......................................... 1.000,00
Duplicatas a receber................................................. 2.500,00
Depreciação de equipamentos de entrega.................. 100,00
Depreciação de equipamentos de produção............... 300,00
Caixa........................................................................... 1.500,00
Despesas financeiras.................................................... 260,00
Depreciação acumulada de
equipamento de entrega............................................... 100,00
Depreciação acumulada de
equipamento de produção........................................... 300,00
Empréstimos.............................................................. 4.000,00
Capital social........................................................... 15.000,00
Equipamentos de produção...................................... 2.000,00
Mão-de-obra direta................................................... 6.000,00

A empresa fabricou os produtos A, B e C nas seguintes quantidades:

A = 50.000 kg
B = 30.000 kg
C = 20.000 kg

A matéria-prima é a mesma para cada produto. O apontamento da mão-de-obra


direta mostrou que se gasta o mesmo tempo tanto para produzir 1,00 kg de A
como 0,50 kg de B ou 0,40 kg de C. Os custos indiretos são alocados proporcio-
nalmente à matéria-prima.
Dados adicionais:

111/38
Instituto Monitor

- O estoque inicial de matérias-primas é zero.


- O estoque final de matérias-primas foi avaliado em R$ 5.000,00.
- O estoque final de produtos acabados era igual a 40% do total fabricado de
cada um.
a) Determine o valor de produção de cada um dos três produtos.
b) Determine o valor do estoque final e o lucro bruto para cada um dos três pro-
dutos, sabendo-se que as vendas foram:
R$ 8.500,00 para o produto A
R$ 4.000,00 para o produto B
R$ 3.000,00 para o produto C

111/39
Instituto Monitor

2 - No mês de janeiro de 2001, na empresa ABC, foram produzidas 20.000 cai-


xas de sabão em pó e 14.800 litros de sabão líquido. Para essa produção foram
utilizados 12.000 kg e 7.400 kg, respectivamente, de matéria-prima, no valor
global de R$ 485.000,00. Sabe-se que para produzir 20.000 caixas de sabão em
pó gasta-se o dobro de mão-de-obra direta do que para produzir 14.800 litros
de sabão líquido.

O total de mão-de-obra direta foi de R$ 34.500,00. Essa empresa utiliza uma má-
quina que, por problemas de corrosão, tem sua depreciação alocada em função
da matéria-prima utilizada: foi adquirida por R$ 456.960,00 e tem sua vida útil
limitada ao processamento de 268.800 kg de matéria-prima. Existem ainda os
seguintes custos indiretos de fabricação:
- R$ 11.100,00 são da supervisão de fábrica no mês
- R$ 144.000,00 são do consumo de energia elétrica
- R$ 140.000,00 são da depreciação de outras máquinas
- R$ 161.860,00 são os custos diversos

Todos esses custos indiretos são apropriados de acordo com as horas dispensadas
na fabricação de um e outro produto, sabendo-se que são necessários 36 minutos
para produzir uma caixa de sabão em pó e 24 minutos para produzir um litro
de sabão líquido.

Faça um quadro de apropriação dos custos totais aos produtos.

111/40
Instituto Monitor

3 - (CRC-2001) Assinale a alternativa correta.

Uma empresa registrava em seu Balancete de 31 de janeiro a seguinte posição:

Aluguel de fábrica............................................... R$ 20.000,00


Compra de matéria-prima.................................. R$ 60.000,00
Consumo de matéria-prima................................ R$ 50.000,00
Custos diversos ................................................... R$ 30.000,00
Despesas administrativas................................... R$ 60.000,00
Despesas de vendas............................................. R$ 40.000,00
Mão-de-obra da fábrica...................................... R$ 40.000,00

No mês de fevereiro foram fabricadas 200 unidades do produto Ômega e vendi-


das 160 unidades por R$ 3.250,00 cada. Quais são respectivamente, o custo dos
produtos vendidos e o saldo de estoques de produtos acabados?
a) R$ 112.000,00 e R$ 10.000,00
b) R$ 112.000,00 e R$ 28.000,00
c) R$ 140.000,00 e R$ 10.000,00
d) R$ 140.000,00 e R$ 28.000,00

111/41
Instituto Monitor

4 - (CRC-2001) Assinale a alternativa correta.

Uma empresa, ao adquirir 10 t de soja ao preço total de R$100.000,00, incorre


nos seguintes gastos por tonelada:

Frete = R$ 4.000,00
Seguro = R$ 1.600,00
IPI = Isento
ICMS = Zero

O valor a ser debitado no estoque é:


a) R$ 100.000,00
b) R$ 116.000,00
c) R$ 140.000,00
d) R$ 156.000,00

5 - (CRC-2001) Assinale a alternativa correta.

Considerando que os custos a seguir referem-se à produção de 20 unidades, qual


é o custo unitário na produção de 20 e 25 unidades do produto?
Aluguel do prédio ............................................... R$ 14.000,00
Depreciação dos equipamentos . ....................... R$ 3.000,00
Energia elétrica .................................................. R$ 4.000,00
Mão-de-obra direta ............................................ R$ 40.000,00
Matéria-prima direta ......................................... R$ 30.000,00
Telefone ............................................................... R$ 1.000,00

Os custos diretos são variáveis proporcionais.


a) R$ 4.600,00 e R$ 3.680,00
b) R$ 4.600,00 e R$ 4.380,00
c) R$ 3.500,00 e R$ 2.800,00
d) R$ 3.500,00 e R$ 3.500,00

111/42
Instituto Monitor

6 - (CRC-2001) Assinale a alternativa correta.

Considerando os dados abaixo, calcule o custo unitário de produção e o custo da


matéria-prima na produção total do mês:

Estoque inicial de matéria-prima ................ R$ 300.000,00


Estoque final de matéria-prima ................... R$ 360.000,00
Produção em andamento inicial .................. R$ 0,00
Produção em andamento final . .................... R$ 0,00
Produtos acabados inicial ............................ R$ 160.000,00
Produtos acabados final . .............................. R$ 1.200.000,00
Custos dos produtos vendidos ...................... R$ 320.000,00
Custos de mão-de-obra direta . .................... R$ 400.000,00
Custos indiretos de fabricação ..................... R$ 360.000,00

Produção do mês ................................................. 32 unidades


a) R$ 42.500,00 e R$ 600.000,00
b) R$ 40.625,00 e R$ 540.000,00
c) R$ 10.000,00 e R$ 600.000,00
d) R$ 10.000,00 e R$ 540.000,00

111/43
Instituto Monitor

111/44
Instituto Monitor

7 - (CRC-2001) Assinale a alternativa correta.

Com base nos dados, calcule o Custo das Mercadorias Vendidas:

Compra de material de
escritório ........................................................... R$ 12.115,00
Compra de material para
revenda .............................................................. R$ 342.000,00
Devolução de compras ..................................... R$ 33.700,00
Devolução de vendas . ...................................... R$ 29.760,00
Estoque final ..................................................... R$ 78.550,00
Estoque inicial .................................................. R$ 62.200,00
Fretes sobre compras ....................................... R$ 15.800,00
Fretes sobre vendas .......................................... R$ 14.290,00
ICMS sobre compras ........................................ R$ 23.940,00
ICMS sobre vendas . ......................................... R$ 46.200,00
Vendas ............................................................... R$ 385.000,00
Compra de material de
limpeza .............................................................. R$ 9.550,00
Outros impostos incidentes
sobre vendas ..................................................... R$ 14.052,00

a) R$ 250.110,00
b) R$ 259.870,00
c) R$ 269.758,00
d) R$ 283.810,00

111/45
Instituto Monitor

8 - A Cia. Industrial adquiriu matérias-primas para serem industrializadas como


segue:

Valor das matérias-primas ................................. R$ 1.000,00


IPI .......................................................................... R$ 200,00
Valor total da nota fiscal ..................................... R$ 1.200,00
ICMS . .................................................................... R$ 170,00

Assinale a alternativa que contém o valor que poderá ser computado no custo
das referidas matérias-primas:
( ) a) R$ 630,00
( ) b) R$ 830,00
( ) c) R$ 1.030,00
( ) d) R$ 1.170,00

9 - Assinale a alternativa correta:

É conta de resultado para a empresa industrial:


( ) a) IPI a Recolher
( ) b) Dividendos a Pagar
( ) c) Prejuízos Acumulados
( ) d) Despesas Pagas Antecipadamente
( ) e) Comissões Ativas

10 - Assinale a alternativa correta:

Em se tratando da Estrutura do Balanço Patrimonial, os produtos acabados em


estoque são:
( ) a) Custos dos Produtos Vendidos
( ) b) Ativos
( ) c) Gastos Gerais de Fabricação
( ) d) Custos de Transformação

11 - Assinale a alternativa correta:

Em um determinado mês, a empresa industrial ABC registrou os seguintes da-


dos:

Estoque inicial de
matéria-prima .................................................. R$ 60.000,00
Compras ............................................................ R$ 120.000,00
Estoque final de
matéria-prima .................................................. R$ 120.000,00
Produção em andamento
no final do mês .................................................. R$ 34.000,00
Produção em andamento no
início do mês ..................................................... R$ 24.000,00

111/46
Instituto Monitor

Gastos com mão-de-obra


direta ................................................................. R$ 40.000,00
Gastos gerais de fabricação . ........................... R$ 50.000,00

O custo é de:
( ) a) R$ 60.000,00
( ) b) R$ 140.000,00
( ) c) R$ 150.000,00
( ) d) R$ 174.000,00
( ) e) R$ 180.000,00

Para responder os exercícios 12, 13 e 14, observe os seguintes dados da empresa


ABC:

1 - Matérias-primas compradas
no início do período ...................................R$ 24.000,00
2 - Depreciação de equipamentos
de produção ................................................R$ 400,00
3 - Despesas de entrega . .................................R$ 400,00
4 - Depreciação do veículo de
entrega.........................................................R$ 200,00
5 - Despesas financeiras . ................................R$ 520,00
6 - Estoque final de
matéria-prima.............................................R$ 10.000,00
7 - Mão-de-obra direta ...................................R$ 12.000,00
8 - Materiais indiretos
consumidos na fábrica . .............................R$ 8.000,00
9 - Despesas
administrativas ..........................................R$ 3.600,00
10 - Despesas de material
de escritório . ..............................................R$ 480,00
11 - Mão-de-obra indireta .................................R$ 6.000,00
12 - Vendas...........................................................R$ 31.000,00
13 - Estoque final de produtos
acabados......................................................R$ 16.160,00
14 - Não há outros estoques.

111/47
Instituto Monitor

12 - Observando os dados anteriores, podemos afirmar que o total dos custos


indiretos é:
a) R$ 14.400,00
b) R$ 14.000,00
c) R$ 6.400,00
d) R$ 8.400,00

13 - Observando os dados anteriores, podemos afirmar que o total dos custos


diretos é:
a) R$ 36.400,00
b) R$ 36.000,00
c) R$ 32.000,00
d) R$ 26.000,00

14 - Admitindo que a empresa ABC, com base nos itens fornecidos, produziu
20.200 unidades, o custo unitário de produção é:
a) R$ 1,00
b) R$ 2,00
c) R$ 3,00
d) R$ 4,00

111/48
lição

Custeio
4 Variável
Introdução seu comportamento, ou seja, em custos fixos
e variáveis e, de certa maneira, tenta corri-
Nesta lição estudaremos os detalhes do gir algumas falhas do método do custeio por
método de custeio variável e sua diferença absorção. Vale a pena lembrar que o método
para o custeio por absorção. não é aceito pela legislação brasileira, por
ferir o regime de competência. Mas em mui-
1. Considerações Iniciais tos países da Europa e alguns da América do
Sul (Argentina e Chile), são métodos bastante
Na lição anterior, vimos a metodologia empregados.
de custeio por absorção, a qual mostra o cus-
to unitário do produto, observando todos os 2. Sistemática do Custeio Variável
gastos utilizados pela produção. Essa determi-
nação do custo de um produto existe com base O custeio variável trata os custos com base
no rateio, que é um critério pré-estabelecido em seu comportamento, ou seja, em custos fi-
pela Contabilidade para a atribuição de custos xos e variáveis, no qual o custo fixo é um gasto
indiretos aos produtos. existente que não depende da produção para
ser incorrido. Por exemplo: aluguel, mão-de-
O grande problema é que esse critério, mui- obra, energia elétrica, etc. são gastos que serão
tas vezes, não representa a realidade de proces- incorridos, mesmo não havendo a produção.
so produtivo, ou seja, o custo determinado pelo No caso dos custos variáveis, são gastos que
método por absorção, na maioria das vezes, não variam de acordo com a produção, ou seja, são
mostra o custo real de um produto. gastos com matéria-prima, materiais auxilia-
res, embalagens, etc.
Outra abordagem está na classificação
dos custos, em que se ignora a existência dos No método do custeio variável somente
custos fixos mesmo sem haver produção. Por serão integrantes do custo das mercadorias
exemplo: o aluguel do prédio de uma fábrica, vendidas os custos variáveis, sendo o custo
havendo ou não produção, deverá ser pago e fixo tratado como despesa e assim debitado
assim será uma despesa incorrida. A depre- do resultado.
ciação tem a mesma característica e assim
por diante. Vejamos um exemplo prático:

Para tentar corrigir essas falhas, o método A indústria Veredas produz triciclos, apre-
do custeio variável trata os custos com base em sentando os seguintes dados de custos:

111/49
Instituto Monitor

Custos variáveis: R$ 16,00 por unidade produzida


Custos fixos: R$ 10.000,00 por mês
Preço de venda: R$ 40,00 por unidade vendida

Durante os três meses a seguir as vendas foram de:


Meses Vendas
1 1000
2 700
3 1200

Assim, temos dados suficientes para apresentar o resultado


com base no custeio variável:

1° Mês
Vendas 1.000 unidades x R$ 40,00 R$ 40.000,00
Custos Variáveis 1.000 unidades x R$ 16,00 R$ 16.000,00
Custos Fixos R$ 10.000,00
Lucro Bruto R$ 14.000,00

2° Mês
Vendas 700 unidades x R$ 40,00 R$ 28.000,00
Custos Variáveis 700 unidades x R$ 16,00 R$ 11.200,00
Custos Fixos R$ 10.000,00
Lucro Bruto R$ 6.800,00

3° Mês
Vendas 1.200 unidades x R$ 40,00 R$ 48.000,00
Custos Variáveis 1.200 unidades x R$ 16,00 R$ 19.200,00
Custos Fixos R$ 10.000,00
Lucro Bruto R$ 18.800,00

Veja como seria a demonstração de resultados:

1° Mês 2° Mês 3° Mês Total


Vendas 40.000,00 28.000,00 48.000,00 116.000,00
(-) Custo dos Produtos Vendidos (16.000,00) (11.200,00) (19.200,00) (46.400,00)
( = ) Margem de Contribuição 24.000,00 16.800,00 28.800,00 69.600,00
(-) Custos Fixos (10.000,00) (10.000,00) (10.000,00) (30.000,00)
(=) Lucro Bruto 14.000,00 6.800,00 18.800,00 39.600,00

111/50
Instituto Monitor

3. Alguns Comentários sobre o Custeio Variável


O custeio variável apresenta algumas informações importan-
tes. A primeira delas está na tomada de decisões, quando podemos
verificar se a empresa está aproveitando os custos fixos de manei-
ra eficaz, pois quanto maiores forem a venda e a produção, mais
baratos serão os custos fixos. Outra importante consideração está
no fluxo de caixa da empresa, no qual os custos fixos geralmente
representam gastos que a empresa paga rotineiramente, sem poder
negociar prazo de pagamento.

Um exemplo é o aluguel, pois deve ser pago todos os meses,


sem concessão de um prazo para pagamento. A mão-de-obra é
outro exemplo, pois todos os meses a empresa tem de pagar seus
funcionários e assim por diante. Se verificarmos essa ótica sobre
o custeio por absorção, muitos gastos que a empresa faz rotinei-
ramente são jogados aos produtos e eles se encontram no estoque,
e não no resultado. Assim, podemos dizer que, de certa maneira,
o custeio variável é mais realístico que o custeio por absorção,
porém, não pode ser utilizado no Brasil.

Anotações e Dicas

111/51
Exercícios Propostos
1 - Diferencie custo fixo de custo variável.
......................................................................................................................................
......................................................................................................................................
......................................................................................................................................
......................................................................................................................................

2 - Como é a metodologia do custeio variável?


......................................................................................................................................
......................................................................................................................................
......................................................................................................................................
......................................................................................................................................

3 - Com os dados abaixo, calcule o lucro do período:

Custo variável: R$ 45,00 por unidade


Custo fixo: R$ 1.200.000,00 por mês
Preço de venda: R$ 85,00 por unidade

Foi vendido tudo o que foi produzido, sendo as unidades vendidas:

1° mês: 35.000
2° mês: 45.000
3° mês: 32.000
4° mês: 48.000

111/52
Apêndice

Custeio por
Atividades (ABC)

Introdução O ABC é cada vez mais utilizado de ma-


neira gerencial em empresas que possuem
O custeio baseado em atividades é uma uma parcela muito grande de custos indiretos
metodologia recente, de característica similar nos custos totais. Atualmente, quase todas as
ao custeio por absorção, mas que tenta deter- empresas estão nessa situação, já que a auto-
minar o custo do produto de forma mais real. matização das indústrias aumentou significa-
Nesta lição veremos os principais pontos sobre tivamente esses custos. Além disso, o ABC é
o custeio por atividades. usado em empresas com processos produtivos
complexos e em prestadoras de serviço, nas
1. Custos e Atividades quais a atividade exercida é mais facilmente
reconhecida.
O custeio por atividades tem muitas diver-
gências sobre seu surgimento. Muitos dizem 2. Atividades e Direcionadores
que pesquisas acadêmicas em universidades de Custos
norte-americanas, durante os anos 70 e 80,
determinaram o surgimento desse método. Uma atividade exercida consome recursos
Há outros registros de companhias de grande que devem ser determinados por cada dire-
porte como a DuPont, por exemplo, que já cionador. Trata-se de uma forma de rateio,
usavam métodos similares durante os anos 60. mas baseada no consumo da atividade. Va-
Mas uma coisa sobre o custeio por atividades mos supor um exemplo: em uma indústria, a
deve ser esclarecida: além de ser um método atividade de um supervisor de fábrica será a
de custeio, o ABC5 é um método de gerencia- de orientar cada equipe de trabalho de cada
mento de custos, que atrelado a outros méto- linha de produto. Assim, o tempo que o super-
dos de gestão, (ABM e Balanced Scorecard), visor passa orientando será um direcionador
é uma ferramenta muito utilizada na gestão de custos.
de grandes companhias.
3. Exemplo Prático de Custeio
O ABC parte do pressuposto de que toda Baseado em Atividade
a produção da empresa é um conjunto de
diferentes atividades e que cada atividade Para entendermos melhor o ABC, vejamos
consome recursos. Assim, no ABC são criados um exemplo prático aplicado em uma grande
direcionadores de custos de acordo com cada universidade. Determinaremos o custo por
atividade exercida. serviço prestado.

Uma universidade ministra quatro cursos


diferentes na área de Ciências Sociais: Histó-
ria, Geografia, Filosofia e Sociologia.
5. ABC significa Activity Based Costing, que nada mais é do que
Custeio Baseado em Atividades.

111/53
Instituto Monitor

A contabilidade observou todos os gastos do departamento


pedagógico durante um mês de trabalho e chegou aos seguintes
valores:

Salários dos funcionários R$ 10.000,00


Energia elétrica R$ 3.000,00
Gastos com telefonia e internet R$ 1.000,00
Gastos com materiais (papel, caneta, etc.) R$ 1.500,00
Gastos gerais R$ 2.500,00

Os custos com o salário dos professores são da ordem de R$


35,00 por hora de trabalho.

As atividades executadas pelo departamento são:


3 Atendimento a alunos
3 Elaboração de documentos
3 Elaborar diplomas
3 Arquivo e lançamento de notas

O tempo ocupado por estas atividades está na seguinte pro-


porção:

Atividade Tempo (hs)


Atendimento a alunos 15
Elaboração de Documentos 13
Elaboração de Diplomas 17
Arquivo e Lançamento de 15
Notas
Total de horas 60

Essas atividades possuem os seguintes direcionadores:

Atividade Direcionador
Atendimento a alunos número de atendimentos
Elaboração de Documentos número de documentos
Elaboração de Diplomas número de diplomas
Arquivo e Lançamento de Notas número de avaliações aplicadas

111/54
Instituto Monitor

Dessa maneira, a contabilidade apurou, durante o período, os


dados destes direcionadores para cada curso ministrado:

Direcionador Geografia História Filosofia Sociologia Total


Número de atendimentos 12 10 7 21 50
Número de documentos 45 17 52 13 127
Número de diplomas 23 45 13 22 103
Número de avaliações 45 73 17 44 179
aplicadas

Com estes dados, podemos determinar o custo de cada ativi-


dade e o custo da atividade. Determinaremos o custo para cada
curso por meio dos direcionadores:

1° Passo: saber o custo por hora de trabalho.

Total de custos indiretos R$ 18.000,00


N° de horas de atividade 60 horas
Custo por hora R$ 300,00

2° Passo: saber o custo de cada atividade.


Atividade Tempo (hs) Custo por hora Custo da Atividade
Atendimento a alunos 15 300,00 4.500,00
Elaboração de Documentos 13 300,00 3.900,00
Elaboração de Diplomas 17 300,00 5.100,00
Arquivo e Lançamento de Notas 15 300,00 4.500,00

3° Passo: alocar os custos por atividades aos cursos, segundo o


direcionador de custos.

Custo da Total do Custo Unit.


Atividade Direcionador
Atividade Direcionador Direcionador
Atendimento a alunos Número de atendimentos 4.500,00 50 90,00
Elaboração de Documentos Número de documentos 3.900,00 127 30,71
Elaboração de Diplomas Número de diplomas 5.100,00 103 49,51
Arquivo e Lançamento de Número de avaliações
4.500,00 179 25,14
Notas aplicadas

111/55
Instituto Monitor

Aplicação do Direcionador aos cursos:

Custo Unit.
Direcionador Geografia História Filosofia Sociologia Total
Direcionador
Número de atendimentos 90,00 1.080,00 900,00 630,00 1.890,00 4.500,00
Número de documentos 30,71 1.381,95 522,07 1.596,92 399,23 3.900,17
Número de diplomas 49,51 1.138,73 2.227,95 643,63 1.089,22 5.099,53
Número de avaliações
25,14 1.131,30 1.835,22 427,38 1.106,16 4.500,06
Aplicadas
Total de Custos por
- 4.731,98 5.485,24 3.297,93 4.484,61 17.999,76
Curso

Supondo que estudam 45 alunos no curso de Geografia, 39 em


História, 17 em Filosofia e 26 em Sociologia, o custo por aluno
seria de:

Custo Unit.
Direcionador Geografia História Filosofia Sociologia Total
Direcionador
Número de atendimentos 90,00 1.080,00 900,00 630,00 1.890,00 4.500,00
Número de documentos 30,71 1.381,95 522,07 1.596,92 399,23 3.900,17
Número de diplomas 49,51 1.138,73 2.227,95 643,63 1.089,22 5.099,53
Número de avaliações
25,14 1.131,30 1.835,22 427,38 1.106,16 4.500,06
aplicadas
Total de Custos por Curso - 4.731,98 5.485,24 3.297,93 4.484,61 17.999,76
N° de alunos - 45 39 17 26 127
Custo unitário por curso - 105,16 140,65 193,99 172,49 141,73

Vejamos que o custo apresentado é proporcional ao trabalho


desenvolvido para cada curso. Essa ferramenta é muito impor-
tante para a gestão da empresa. Enquanto o custeio por absorção
apresenta o custo por critérios supostos pela contabilidade, o
ABC demonstra, por meio das atividades desenvolvidas, quais são
originárias dos custos.

111/56
Respostas dos Exercícios Propostos
Lição 1
1 - Custo é um gasto relativo a um bem ou serviço utilizado na
produção de outros bens e serviços e a despesa é usada direta ou
indiretamente para a obtenção de receitas.

2 - quanto ao uso (diretos e indiretos) e quanto ao comportamento


(fixo e variáveis).

3 - Custos diretos são custos que têm mensuração direta para cada
tipo de produto, ou ainda estão diretamente ligados à produção.
Custos indiretos não têm uma relação proporcional pré-estabele-
cida, ou seja estão indiretamente ligados à produção.

4 - Custo variável é o gasto que aumenta ou diminui de acordo


com a produção, ou seja, havendo aumento da produção os custos
variáveis aumentam. Os custos fixos independem da produção, ou
seja, mesmo não havendo produção, os custos fixos existem.

5-
a) Custeio por Absorção utiliza todos os custos de produção para
compor o estoque, em outras palavras, o estoque absorve todos
os custos de produção.
b) Custeio Variável utiliza somente os custos variáveis para compor
o estoque, os custos fixos servirão como despesas.
c) Custeio por Atividades os custos são lançados aos produtos de
acordo com as atividades exercidas.

6 -
Aluguel Fixo e Indireto
Depreciação Fixo e Indireto
Matéria-prima Variável e Direto
Embalagem Variável e Direto
Mão-de-obra (supervisão) Fixo e Indireto
Mão-de-obra (produção) Fixo e Direto
Energia elétrica Fixo e Indireto
Materiais auxiliares Variável e Indireto

111/57
Instituto Monitor

Lição 2
1 - Valor total da Nota Fiscal = R$ 16.050,00 (15.000 + 600 +450)A
(-) ICMS (12% de 15.000,00) = (R$ 1.800,00)
(-) IPI (3% de 15.000,00) = (R$ 450,00)
R$ 13.800,00 é o custo da matéria-prima
A O ICMS (1.800) já está dentro do valor de compra da Matéria-Prima

2 - Valor total da Nota Fiscal = R$ 6.600,00 (6.000 + 300 + 300)B


(-) ICMS (12% de 15.000,00) = (R$ 1.080,00)
(-) IPI (3% de 15.000,00) = (R$ 300,00)
R$ 5.220,00 é o custo da matéria-prima

CMP = EI + C - EF
CMP = R$ 3.000,00 + R$ 5.220,00 - R$ 2.500,00
CMP = R$ 5.720,00
BO ICMS (1.080) já está dentro do valor de compra
da Matéria-Prima

3 - Salário Nominal = R$ 27.000,00


Benefícios = R$ 11.000,00
Encargos Sociais (36,8%) = R$ 9.936,00 (27.000 x 36,8%)
13º salário = R$ 3.078,00 (9.936 + 27.000) x 1/12
Férias = R$ 1.026,00 (3.078 / 3 )
R$ 52.040,00

4 - número de funcionários na linha de cadeiras = 6
número de funcionários na linha de mesas = 9
número de funcionários na linha de bancos = 5
20
custo por funcionário = R$ 12.000,00 / 20 = R$ 600,00

Custo Indireto cadeiras = R$ 600,00 x 6 = R$ 3.600,00


Custo Indireto mesas = R$ 600,00 x 9 = R$ 5.400,00
Custo Indireto bancos = R$ 600,00 x 5 = R$ 3.000,00
R$ 12.000,00

111/58
Instituto Monitor

5-
ENTRADAS SAÍDAS SALDO
Data preço preço preço
quantidade total quantidade total quantidade total
unitário unitário unitário
EI 15 10,00 150,00
1 12 10,00 120,00 3 10,00 30,00
2 3 10,00 30,00
20 12,00 240,00 20 12,00 240,00
3 3 10,00 30,00
4 12,00 48,00
7 78,00 16 12,00 192,00
4 12 12,00 144,00 4 12,00 48,00
5 4 12,00 48,00
9 15,00 135,00 9 15,00 135,00
6 4 12,00 48,00
2 15,00 30,00
6 78,00 7 15,00 105,00
Total 29 375,00 37 420,00 7 15,00 105,00

6 - IPI = 18.000,00 X 5% = R$ 900,00


ICMS = 18.000,00 X 7% = R$ 1.260,00

Valor total da Nota Fiscal = R$ 19.100,00 (18.000 + 200 + 900)C
(-) ICMS (12% de 15.000,00) = (R$ 1.260,00)
(-) IPI (3% de 15.000,00) = (R$ 900,00)
R$ 16.940,00 é o custo da matéria-prima

CMP = EI + C - EF
CMP = R$ 12.000,00 + R$ 16.940,00 - R$ 0,00

CMP = R$ 28.940,00

C
O ICMS (1.260) já está dentro do valor de compra da Matéria-Prima

Salário Nominal = R$ 25.000,00
Benefícios = R$ 6.000,00
Encargos Sociais (36,8%) = R$ 9.200,00 (25.000 x 36,8%)
13º salário = R$ 2.850,00 (9.200 + 25.000) x 1/12
Férias = R$ 950,00 (2.850 / 3 )
R$ 44.000,00

Consumo de Matéria-prima R$ 28.940,00
Custo da Mão-de-obra R$ 44.000,00
Custos Indiretos R$ 25.000,00
Custo Total da Produção R$ 97.940,00

111/59
Instituto Monitor


Lição 3
Exercício 1)
a) D C

Compras de matérias-primas 12.000,00


Vendas 15.500,00
Mão-de-obra indireta 3.000,00
Frete s/ vendas 200,00
Despesas administrativas 1.800,00
Materiais diversos
consumidos na fábrica 4.000,00
Despesas com material de escritório 240,00
Equipamentos de entrega 1.000,00
Duplicatas a receber 2.500,00
Depreciação de equipamentos
de entrega 100,00
Depreciação de equipamentos
de produção 300,00
Caixa 1.500,00
Despesas financeiras 260,00
Depreciação acumulada de
equipamentos de entrega 100,00
Depreciação acumulada de
equipamentos de produção 300,00
Empréstimos 4.000,00
Capital social 15.000,00
Equipamentos de produção 2.000,00
Mão-de-obra direta 6.000,00
Total 34.900,00 34.900,00

Custos de Produção
Mão-de-obra direta 6.000,00
Depreciação na fábrica 300,00
Mão-de-obra indireta 3.000,00
Materiais diversos consumidos
na fábrica 4.000,00
Total 13.300,00

Despesas administrativas 1.800,00


Despesas com material de escritório 240,00
Despesas de vendas/frete 200,00
Despesas financeiras 260,00
2.500,00

111/60
Instituto Monitor

Vamos calcular a matéria-prima:


Produto Produção Matéria-prima
A 50.000 Kg 3.500,00
B 30.000 Kg 2.100,00
C 20.000 Kg 1.400,00
Total 100.000 Kg = 100 % 7.000,00
Vamos calcular a mão-de-obra direta:
Produto MP/ Mão-de-obra
A 50.000/1 Kg = 50.000 = 31,25% 1.875,00
B 30.000/0,5 Kg = 60.000 = 37,50% 2.250,00
C 20.000/0,4 Kg = 50.000 = 31,25% 1.875,00
Total 100.000 Kg = 160.000 = 100% 6.000,00
Vamos calcular os custos indiretos:
Produto M.P. % Depreciação MOI Materiais Diversos Custos Indiretos
A 3.500,00 50 150,00 1.500,00 2.000,00 3.650,00
B 2.100,00 30 90,00 900,00 1.200,00 2.190,00
C 1.400,00 20 60,00 600,00 800,00 1.460,00
Total 7.000,00 100 300,00 3.000,00 4.000,00 7.300,00
Resumo:
Custos Diretos A B C Total
Matéria-prima 3.500,00 2.100,00 1.400,00 7.000,00
Mão-de-obra 1.875,00 2.250,00 1.875,00 6.000,00
Total 5.375,00 4.350,00 3.275,00 13.000,00

Custos Indiretos A B C Total


Depreciação 150,00 90,00 60,00 300,00
Mão-de-obra Indireta 1.500,00 900,00 600,00 3.000,00
Materiais diversos 2.000,00 1.200,00 800,00 4.000,00
Total 3.650,00 2.190,00 1.460,00 7.300,00
Total Geral 9.025,00 6.540,00 4.735,00 20,300,00
Custo Unitário 0,1805 0,218 0,23675 0,203

Estoque Final
Produzidas Estoque Final
A = 50.000 x 40% = 20.000 x 0,1805 = 3.610,00
B = 30.000 x 40% = 12.000 x 0,218 = 2.616,00
C = 20.000 x 40% = 8.000 x 0,23675 = 1.894,00
Total 8.120,00
b)
CPV VENDAS LUCRO BRUTO
A 30.000 x 0,1805 = 5.415 8.500,00 3.085,00
B 18.000 x 0,218 = 3.924 4.000,00 76,00
C 12.000 x 0,23675 = 2.841 3.000,00 159,00
Totais 15.500,00 3.320,00
111/61
Instituto Monitor

Exercício 2)
Custo da matéria-prima:
Custo da matéria-prima (por quilo) 485.000,00 ÷ (12.000 + 7.400) = 25,00
Sabão em pó 12.000 kg x 25,00 = R$ 300.000,00
Sabão líquido 7.400 kg x 25,00 = R$ 185.000,00
Total R$ 485.000,00

Custo da mão-de-obra:

Mão-de-obra direta:

2x + x = 3x a 3x = 34.500,00
x = 34.500,00 ÷ 3
x = 11.500,00
Sabão em pó = 2x a = 2 x 11.500,00 = R$ 23.000,00
Sabão líquido = x a 11.500,00 = R$ 11.500,00
Total = R$ 34.500,00
Depreciação = Custo Máquina ÷ Vida Útil
R$ 456.960,00 ÷ 268.800 = R$ 1,70 / kg
Sabão em pó 12.000 x R$ 1,70 = R$ 20.400,00
Sabão líquido 7.400 x R$ 1,70 = R$ 12.580,00
Total R$ 32.980,00
Horas Trabalhadas:
Sabão em pó 20.000 x 36 min = 720.000 min / 60 = 12.000 h
Sabão líquido 14.800 x 24 min = 355.200 min / 60 = 5.920 h
Total de Horas 17.920 h

C.I.F. Custos Indiretos ÷ Horas Utilizadas =


R$ 456.960,00 ÷ 17.920 = R$ 25,50 / kg

Sabão em pó 12.000 h x R$ 25,50 = R$ 306.000,00


Sabão líquido 5.920 h x R$ 25,50 = R$ 150.960,00
Total R$ 456.960,00

Resumo:
Sabão em Pó Sabão Líquido
Matéria-prima 300.000,00 185.000,00 485.000,00
Mão-de-obra 23.000,00 11.500,00 34.500,00
Depreciação 20.400,00 12.580,00 32.980,00
Custos indiretos 306.000,00 150.960,00 456.960,00
Total 649.400,00 360.040,00 1.009.440,00

111/62
Instituto Monitor

Exercício 3)
Em primeiro lugar, vamos separar os custos das despesas. (Obs.:
as despesas não nos interessam).

Custo
Direto Indireto

Aluguel de fábrica 20.000,00


Consumo de matéria-prima 50.000,00
Custos diversos 30.000,00
Mão-de-obra da fábrica 40.000,00
90.000,00 + 50.000,00 = 140.000,00

140.000,00 (custo da produção) ÷ 200 (quantidade produzida) =


700,00 (preço unitário)

700,00 x 160 (quantidade vendida) = R$ 112.000,00 =


= CPV (custo dos produtos vendidos)

De 200, foram vendidos 160; portanto, sobraram em estoque 40


unidades, ao preço de custo unitário de R$ 700,00. Logo, 40 x
700,00 = R$ 28.000,00.

Alternativa B

Exercício 4)
10 toneladas = ................................................ 100.000,00
Frete: 4.000,00 por tonelada
4.000,00 x 10 = ................................................. 40.000,00
Seguro: 1.600,00 por tonelada
1.600,00 x 10 = ................................................. 16.000,00
......................................................................... 156.000,00

Alternativa D

Exercício 5)

Custos fixos Custos variáveis


Aluguel do prédio 14.000,00
Depreciação dos
3.000,00
equipamentos
Energia elétrica 4.000,00
Mão-de-obra direta - 40.000,00
Matéria-prima - 30.000,00
Telefone 1.000,00
Totais 22.000,00 + 70.000,00 = 92.000,00

111/63
Instituto Monitor

Total para 20 unidades: 92.000,00


92.000,00 ÷ 20 = R$ 4.600,00 (preço unitário)

Observe que os custos acima são referentes à produção de 20 uni-


dades. Se desejamos produzir 25 unidades, há um aumento de 25%
nos custos variáveis, permanecendo iguais os custos fixos. Logo:

Mão-de-obra direta:
40.000,00 + 25% = 50.000,00
Matéria-prima:
30.000,00 + 25% = 37.500,00
+ custos fixos = 22.000,00
109.500,00

109.500,00 ÷ 25 unidades = R$ 4.380,00 (preço unitário)

Alternativa B

Exercício 6)

MP
EIMP 300.000,00
(-) EFMP 360.000,00

CPP
MOD 400.000,00
CIF 360.000,00

CPV
EIPA 160.000,00
EFPA 1.200.000,00

Onde:

EIMP = Estoque Inicial de Matéria-prima


EFMP = Estoque Final de Matéria-prima
CPP = Custo da Produção do Período
EIPA = Estoque Inicial de Produtos Acabados
EFPA = Estoque Final de Produtos Acabados
CPV = Custo dos Produtos Vendidos

Para calcularmos o custo unitário, vamos dividir o custo dos pro-


dutos acabados (CPA) pelo número de produtos processados no
mês; em nosso caso, 32 unidades. Mas qual é o custo dos produtos
acabados? Vamos recordar a equação do CPV:

CPV = EIPA + CPA – EFPA

111/64
Instituto Monitor

Substituindo os valores temos:

320.000,00 = 160.000,00 + CPA – 1.200.000,00


CPA = 320.000,00 + 1.200.000,00 – 160.000,00
CPA = 1.360.000,00
1.360.000,00 ÷ 32 unidades = R$ 42.500,00 (custo unitário).

Como não há nem estoque inicial nem final em elaboração, isto


significa que todas as unidades iniciadas foram acabadas no pe-
ríodo. Se CPA é igual a 1.360.000,00, que é igual ao CPP, então:

CPP = MOD + CIF + MPC


1.360.000,00 = 400.000,00 + 360.000,00 + MPC
MPC = 1.360.000,00 – 400.000,00 – 360.000,00
MPC = R$ 600.000,00 (matéria-prima consumida)

Alternativa A

Exercício 7)

CMV = EI + CL – EF

Vamos primeiramente encontrar as compras líquidas (CL):

COMPRAS
342.000 compras
(33.700) devolução de compras
15.800 frete sobre compras
(23.940) ICMS sobre compras
300.160 CL = compras líquidas
CMV = EI + CL – EF
CMV = 62.200,00 + 300.160,00 – 78.550,00
CMV = R$ 283.810,00
(Custo das Mercadorias Vendidas)

Alternativa D
Exercício 8)
Matérias-primas = 1.000,00 – 170,00 (ICMS) = R$ 830,00
Alternativa B
Exercício 9)
A única conta de resultado é Comissões Ativas (que é uma re-
ceita). As demais são contas patrimoniais (figuram no Balanço
Patrimonial).
Alternativa E

111/65
Instituto Monitor

Exercício 10)

Os produtos acabados que não forem vendidos ficam em Estoque,


que é uma conta de Ativo.

Alternativa B

Exercício 11)

Custo é tudo aquilo que se gasta na fabricação do produto. Vamos


achar a matéria-prima consumida:

MP = EI + C – EF
MP = 60.000,00 + 120.000,00 – 120.000,00
MP = 60.000,00

MOD = 40.000,00
GGF = 50.000,00
MP = 60.000,00
CPP = 150.000,00

CPA
EIPE 24.000,00
+ CPP 150.000,00
- EFPE 34.000,00
CPA = 140.000,00

Alternativa B

Exercício 12)

Nesta questão, temos apenas três contas de custos indiretos:


- Depreciação de equipamentos
de produção..................................................400,00
- Materiais indiretos consumidos
na fábrica.................................................. 8.000,00
- Mão-de-obra indireta...............................6.000,00
Total: .................................................. R$14.400,00

Alternativa A

Exercício 13)

Temos como custo direto: MOD e MP

111/66
Instituto Monitor

Então, vamos achar o custo das matérias-primas consumidas:

MP = EI + C – EF
MP = 0 + 24.000,00 – 10.000,00
MP = 14.000,00

Logo:

12.000,00 (MOD)
14.000,00 (MP)
26.000,00

Alternativa D

Exercício 14)

Custos indiretos: 14.400,00


Custos diretos: 26.000,00
40.400,00

40.400,00 (custo) 20.200 (quantidade produzida) = R$ 2,00 (custo


unitário).

Alternativa B

Lição 4
1 - Custo variável é o custo que tem seu valor determinado pela
produção, o custo fixo existe por si só, independentemente de
haver produção.

2 - O sistema de custeio variável considera custo dos produtos


vendidos apenas os custos variáveis, sendo que os custos fixos são
tratados como despesas.

3 - Resultado:
Período 1° Mês 2° Mês 3° Mês 4° Mês Total
Vendas 2.975.000,00 3.825.000,00 2.720.000,00 4.080.000,00 13.600.000,00
(-) Custos Variáveis (1.575.000,00) (2.025.000,00) (1.440.000,00) (2.160.000,00) (7.200.000,00)
(=) Margem de Contribuição 1.400.000,00 1.800.000,00 1.280.000,00 1.920.000,00 6.400.000,00
(-) Custos Fixos (1.200.000,00) (1.200.000,00) (1.200.000,00) (1.200.000,00) (4.800.000,00)
(=) Lucro Bruto 200.000,00 600.000,00 80.000,00 720.000,00 1.600.000,00

111/67
Instituto Monitor

Bibliografia
BRUNI, Adriano Leal; FAMÁ, Rubens. Gestão de Custos e For-
mação de Preços. 3° ed. São Paulo: Atlas, 2004.

HANSEN, Don R.; MOWEN, Maryanne M. Gestão de Custos. São


Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2003.

MARTINS, Eliseu. Contabilidade de Custos. 9° Ed. São Paulo:


Atlas, 2003.

MOURA, Herval da Silva. O Custeio por Absorção e o Custeio Va-


riável: Qual Seria o Melhor Método a Ser Adotado Pela Empresa.
Sitientibus, Feira de Santana, n. 32, p. 129-142, jan/jun. 2005.

OLIVEIRA, Luís Martins. PEREZ JR, José Hernandez. Contabili-


dade de Custos Para Não Contadores. São Paulo: Atlas, 2000.

NAGATSUKA, Divane Alves. Análise de Custos e Contabilidade


Gerencial. São Paulo: Editora Mackenzie, 2003.

111/68
Instruções:

• Para os alunos matriculados nos cursos oficiais, estes exercícios simulados são opcionais. Caso
deseje, eles podem ser enviados aos nossos professores de plantão, que farão a correção e
os devolverão com as devidas observações.
• Para os alunos matriculados nos cursos livres, estes exercícios simulados terão o valor de
provas, realizadas a distância, e devem ser obrigatoriamente enviados para correção. Sua
aprovação lhe conferirá seu Certificado de Conclusão.
• O endereço para envio dos exercícios simulados em ambos os casos é:
Caixa Postal 2722
01009-972 - São Paulo - SP
Atenção
• Para questões de múltipla escolha, existe apenas UMA alternativa correta em cada uma.
• Este Simulado contém questões também em seu verso.

111 – Contabilidade de Custos

Nome:.........................................................................................................................................................................................

Nº de Matrícula: . ............................................................... Nota:............................................

1 - Diferencie Custo e Despesas, usando exemplos.


_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________

2 - O que significa o custeio por atividades?


_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________

3 - Classifique estes custos como Diretos e Indiretos e justifique


Custos Classificação Justificativa
Gastos com matéria-prima
Aluguel
Mão-de-obra direta
Contas de telefone e Internet
Energia elétrica geral
Materiais secundários
Gastos com supervisão da fábrica

/5
4-O
�������������
desembolso � vista
��������������������������������������������������������������������������������������������������
ou a prazo para obtenção de bens ou serviços, independentemente de sua destinação dentro da
empresa, denomina-se:
a) Gasto.
b) Investimento.
c) Despesa.
d) Custo.

5 - Os
���������������������������������������
gastos com bens de uso denominam-se:
a) Desembolso.
b) Investimentos.
c) Custos.
d) Despesas.

6 - Os gastos com bens ou serviços aplicados diretamente na produção denominam-se:


a) Desembolso.
b) Investimentos.
c) Custos.
d) Despesas.

7 - Os gastos decorrentes do consumo de bens e da utilização de serviços nas áreas administrativa, comercial e financeira,
que direta ou indiretamente visam à obtenção de Receitas, denominam-se:
a) Desembolso.
b) Investimentos.
c) Custos.
d) Despesas.

8 - Somente deverão ser excluídos do custo dos materiais adquiridos:


a) Os impostos incidentes sobre as compras, desde que não sejam recuperados pela empresa.
b) Os impostos incidentes sobre as compras, desde que sejam recuperados pela empresa.
c) O ICMS e o IPI sobre faturamento.
d) As taxas aduaneiras quando não forem recuperadas.

9 - Devem integrar o custo de aquisição:


a) Os valores dos impostos e das taxas que incidirem sobre as compras dos materiais e que sejam recuperados no
momento da venda.
b) Os valores dos impostos e das taxas que incidirem sobre as compras dos materiais e que não sejam recuperados
no momento da venda.
c) Os impostos de competência municipal.
d) O Imposto de Renda e o IPI.

10 - Os impostos ICMS e IPI, pagos nas operações de compras:


a) São sempre recuperados nas vendas.
b) Somente apresentarão saldo devedor.
c) São recuperados no momento da venda, em se tratando do setor industrial.
d) Todas as alternativas estão corretas.

/5
11 - O custo de matéria-prima é composto por somatória de:
a) Custo de aquisição, frete, seguro e impostos não-recuperáveis
b) Custo de aquisição, frete, seguro e impostos recuperáveis.
c) Custo de aquisição, frete, seguro e despesas comerciais.
d) As respostas A e C estão corretas.

A empresa Roupa Bonita Ltda. fabrica Calças (C1), Camisas (C2) e Camisetas (C3), nestas condições:

Contas Valor (em reais)


Mão-de-obra direta 12.000
Computadores e Internet 4.500
Mão-de-obra indireta 4.100
Aluguel 1.500
Despesas 4.300
Matéria-prima 2.500
Capital 25.000
Material secundário 800
Outros custos indiretos 890
Vendas 20.000
Veículo 19.410
Outras dívidas 5.000
Quantidade produzida:
C1= 1.200; C2 = 900; C3 = 1.100
Os custos diretos são rateados, proporcionalmente, à quantidade produzida.

Pede-se:

12 - O custo total de produção para C1, C2 e C3, pelo custeio direto.


_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________

13 - O custo total de produção para C1, C2 e C3, pelo custeio indireto (absorção), sabendo que os custos indiretos são
rateados, proporcionalmente ao consumo da matéria-prima.
_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________

14 - O critério de avaliação dos estoques que consiste em atribuir aos produtos estocados o seu custo de aquisição e sua
saída de estoque será dada pelo preço dos produtos mais antigos, denomina-se:
a) Preço específico
b) PEPS
c) UEPS
d) Preço médio

/5
15 - O critério de avaliação dos estoques que consiste em atribuir aos produtos estocados o seu custo de aquisição e sua
saída de estoque será dada pelo preço dos produtos mais recentes denomina-se:
a) Preço específico
b) PEPS
c) UEPS
d) Preço médio

16 - A Empresa Industrial Caçapava Velha Ltda., para apurar o Custo de Fabricação de seus produtos, considera apenas
os Custos Diretos agregando os Custos Indiretos à apuração do Resultado do Exercício. O método de custeio adotado por
essa empresa é:
a) Custeio por absorção.
b) Custeio Direto.
c) Custeio por inventário periódico.
d) Custeio por inventário permanente.

17 - A Empresa Industrial Quiririm S/A., para apurar o Custo de Fabricação de seus produtos, considera todos os custos
incorridos na produção, sejam eles Diretos ou Indiretos. O método de custeio adotado por essa Empresa é:
a) Custeio por absorção.
b) Custeio Direto.
c) Custeio por Inventário Periódico.
d) Custeio por Inventário Permanente.

Com as informações a seguir, responda às questões de 18 a 20

Produto Custo Direto (em reais) Custo Indireto (em reais)


A 6.000
B 4.500
C 5.200
Depreciação 2.500
Manutenção 1.200
Supervisão 1.800
Internet e Telefone 220
Outros custos 620
Horas trabalhadas: Depreciação: Manutenção:
A= 400 horas A= 30% A= 45%
B= 520 horas B= 35% B= 25%
C= 395 horas C= 35% C= 30%

18 - Qual é o Custo Total dos três produtos, rateando o custo indireto em função dos gastos com a manutenção:

Produto Custo Direto Custo Indireto Custo Total


A
B
C
Total

/5
19 - Qual é o Custo Total dos três produtos, rateando o custo indireto em função da depreciação:

Produto Custo Direto Custo Indireto Custo Total


A
B
C
Total

20 - Qual é o Custo Total dos três produtos, rateando o custo indireto em função dos gastos com horas de atividades:

Produto Custo Direto Custo Indireto Custo Total


A
B
C
Total

/5
Pesquisa de Avaliação

111 - Contabilidade de Custos

Caro Aluno:

Queremos saber a sua opinião a respeito deste fascículo que você acaba de estudar.

Para que possamos aprimorar cada vez mais os nossos serviços, oferecendo um
material didático de qualidade e eficiente, é muito importante a sua avaliação.

Sua identificação não é obrigatória. Responda as perguntas a seguir assinalando


a alternativa que melhor corresponda à sua opinião (assinale apenas UMA
alternativa). Você também pode fazer sugestões e comentários por escrito no
verso desta folha.

Na próxima correspondência que enviar à Escola, lembre-se de juntar sua(s)


pesquisa(s) respondida(s).

O Instituto Monitor agradece a sua colaboração.

A Editora.

Nome (campo não obrigatório): _______________________________________________________________


No de matrícula (campo não obrigatório): _____________________
Curso Técnico em:
Eletrônica Secretariado Gestão de Negócios
Transações Imobiliárias Informática Telecomunicações
Contabilidade

QUANTO AO CONTEÚDO

1) A linguagem dos textos é:


a) sempre clara e precisa, facilitando muito a compreensão da matéria estudada.
b) na maioria das vezes clara e precisa, ajudando na compreensão da matéria estudada.
c) um pouco difícil, dificultando a compreensão da matéria estudada.
d) muito difícil, dificultando muito a compreensão da matéria estudada.
e) outros: ______________________________________________________

2) Os temas abordados nas lições são:


a) atuais e importantes para a formação do profissional.
b) atuais, mas sua importância nem sempre fica clara para o profissional.
c) atuais, mas sem importância para o profissional.
d) ultrapassados e sem nenhuma importância para o profissional.
e) outros: ______________________________________________________

3) As lições são:
a) muito extensas, dificultando a compreensão do conteúdo.
b) bem divididas, permitindo que o conteúdo seja assimilado pouco a pouco.
c) a divisão das lições não influencia Na compreensão do conteúdo.
d) muito curtas e pouco aprofundadas.
e) outros: ______________________________________________________
QUANTO AOS EXERCÍCIOS PROPOSTOS

4) Os exercícios propostos são:


a) muito simples, exigindo apenas que se decore o conteúdo.
b) bem elaborados, misturando assuntos simples e complexos.
c) um pouco difíceis, mas abordando o que se viu na lição.
d) muito difíceis, uma vez que não abordam o que foi visto na lição.
e) outros: ______________________________________________________

5) A linguagem dos exercícios propostos é:


a) bastante clara e precisa.
b) algumas vezes um pouco complexa, dificultando a resolução do problema proposto.
c) difícil, tornando mais difícil compreender a pergunta do que respondê-la.
d) muito complexa, nunca consigo resolver os exercícios.
e) outros: ______________________________________________________

QUANTO À APRESENTAÇÃO GRÁFICA

6) O material é:
a) bem cuidado, o texto e as imagens são de fácil leitura e visualização, tornando o estudo bastante agradável.
b) a letra é muito pequena, dificultando a visualização.
c) bem cuidado, mas a disposição das imagens e do texto dificulta a compreensão do mesmo.
d) confuso e mal distribuído, as informações não seguem uma seqüência lógica.
e) outros: ______________________________________________________

7) As ilustrações são:
a) bonitas e bem feitas, auxiliando na compreensão e fixação do texto.
b) bonitas, mas sem nenhuma utilidade para a compreensão do texto.
c) malfeitas, mas necessárias para a compreensão e fixação do texto.
d) malfeitas e totalmente inúteis.
e) outros: ______________________________________________________

Lembre-se: você pode fazer seus comentários e sugestões, bem como apontar
algum problema específico encontrado no fascículo. Sinta-se à vontade!

PAMD1

Sugestões e comentários