Vous êtes sur la page 1sur 37

NORMAS PARA O SISTEMA OPERACIONAL DE

POLICIAMENTO PM – NORSOP

Diretriz nº PM3-008/02/06, de 01AGO06


NORSOP

FINALIDADE

Definir e normalizar (padronizar) as atividades


dos Órgãos de Execução e Especiais de Execução,
estabelecendo conceitos básicos para disciplinar o
funcionamento e operação das OPM territoriais e
especializadas, inserindo-as num Sistema Operacional
Único.
NORSOP

OBJETIVOS
1. Integrar as estruturas, para obter
funcionamento harmônico e eficiente dos sistemas de
policiamento.
2. Permitir o acompanhamento das atividades
de policiamento pelo estabelecimento de padrões.
3. Facilitar e harmonizar o planejamento.
4. Sedimentar a doutrina de atuação da PMESP.
ESTRUTURAÇÃO
NORSOP
Filosofia Básica do Sistema
1. Polícia Comunitária: é uma filosofia e uma estratégia institucional.

2.Compromisso de Atuação Profissional: compromisso com a vida,


integridade física e dignidade da pessoa humana o policial militar deve estar
consciente de que é um profissional a serviço da sociedade e que deve agir
estritamente dentro legalidade e sempre de forma imparcial, evitando
qualquer tipo de preconceito ou discriminação.

3. Ênfase à Ação Preventiva: ações destinadas a evitar ou reduzir a ocorrência


e a intensidade de infrações penais e perturbações da ordem.

4. Busca da Gestão pela Qualidade: emprego técnico dos meios e pelos


procedimentos operacionais direcionados para a excelência na prestação dos
serviços (lembrar do Art 37 CF Princípios da Adm Pública).
NORSOP
Diretrizes Básicas
1. A PMESP é um sistema global: Cada setor da Organização deve ajustar,
então, suas metas particulares de maneira a adequá-las aos objetivos
organizacionais e aos Planos Estratégicos de Comando.
2. Proximidade da Administração ao usuário: próximo e participar
ativamente da comunidade a que serve, dialogando com as lideranças locais.
3. Multi-atendimentos secundários: um dos princípios básicos da polícia
ostensiva é a universalidade (PRONTA PARA – EM CONDIÇÕES DE...)
4. Organização sistêmica da Pol. Ostensiva: todos os tipos, processos e
modalidades de policiamento ostensivo estejam interligados por radiocomunicação e
dispostos no terreno para apoio efetivo (permanente) e eficaz (que apresente o
resultado desejado)
5. Acessibilidade: O público deve ter facilidade de acesso ao sistema
policial, pelo 190 ou pessoalmente.
NORSOP
6. Responsividade (tempo resposta):a pronta resposta aumenta no público
a confiança e a certeza no atendimento da Polícia, e a possibilidade de detenção.

7. Economia de meios: otimização de recursos, particularmente humanos.

8. Equidade: Os recursos da PMESP devem ser distribuídos por todas as


localidades do Estado na conformidade da demanda de serviços de polícia ostensiva.

9. Flexibilidade: As adaptações para o enfrentamento de situações


contingenciais, sazonais ou emergenciais devem ser previstas, evitando-se a
ocorrência de improvisações.

10. Independência do Sistema Operacional.: O sistema operacional tem a


característica de funcionar 24 (vinte e quatro) horas por dia, o ano todo.
NORSOP

11. Informação como insumo essencial: A operação do sistema é


dependente não apenas de informações de natureza administrativa, mas sobretudo,
de natureza policial.

12. Unicidade de Comando: eficácia do emprego operacional pressupõe a


integração dos diversos tipos e processos de policiamento sob comando único.

13. Divisão da área em Subsetores: referência para a correta


administração das ações de polícia ostensiva.

14. Integração com outros órgãos: As ações de polícia ostensiva,


manifestas no exercício do Policiamento Comunitário, devem contar também com o
envolvimento dos demais órgãos públicos, ainda que não diretamente relacionados à
segurança pública.
NORSOP
Estrutura Fundamental de polícia

Polícia Ostensiva:
Conceito abrangente, que envolve atividades de prevenção
primária e secundária, as quais são executadas para
consecução da segurança pública, tais como policiamento
comunitário, radio patrulhamento e todas as demais que
são levadas a efeito pela Polícia Militar a fim de prevenir o
cometimento de ilícitos penais ou de infrações
administrativas sujeitas ao controle da Instituição
NORSOP

Estrutura Fundamental de polícia

Polícia de Preservação da Ordem Pública


- É a atividade cometida à Polícia Militar de restauração da ordem pública,
envolvendo a repressão imediata às infrações penais e administrativas e a
aplicação da lei.

Policiamento Ostensivo
- Compõe-se das ações de fiscalização de polícia, sobre matéria de segurança
pública, em cujo emprego o policial militar ou a fração de tropa é identificado de
relance, quer pela farda, pelo equipamento, armamento ou vtr.
- É modo de atuar do Poder de Polícia dividido em:
NORSOP

Policiamento Ostensivo Geral e Urbano: OPM Territoriais, objetivando satisfazer as


necessidades básicas de segurança pública inerentes a qualquer comunidade ou a
qualquer cidadão.

Policiamento Ostensivo de Trânsito: executado em vias terrestres abertas à livre


circulação, com o objetivo de prevenir e reprimir atos contrários à segurança pública
e de garantir obediência às normas relativas à segurança de trânsito, assegurando a
livre circulação e evitando acidentes

Policiamento Ostensivo Ambiental: executado para a preservação da ordem pública


em ações de policiamento relacionadas com a salvaguarda dos recursos naturais do
Estado e pela prevenção e repressão das infrações cometidas contra o meio
ambiente.
NORSOP
Policiamento Ostensivo de Choque: executado por força reserva do Comando Geral
para emprego em missões extraordinárias de polícia ostensiva e de preservação da
ordem pública no território estadual.

Policiamento Velado: complementar e em apoio ao policiamento ostensivo, com o


emprego de policiais militares em trajes civis, possuindo características, princípios e
variantes próprias.

Policiamento Comunitário: Conjunto de todas as ações e medidas táticas ou


operacionais voltadas à consecução dos objetivos estratégicos delineados pela
Instituição Policial-Militar, no sentido de preservar a ordem pública, obter o nível de
segurança pública desejado e aceitável, bem como proporcionar a melhoria da
qualidade de vida, levadas a efeito em conjunto com as comunidades em que se
desenvolve, por meio do respaldo, cooperação, parceria, participação e informações
nelas angariados.
NORSOP
Matriz Operacional : É o conjunto de Programas de
Policiamento empregados pela Polícia Militar visando à eficácia
das ações de polícia ostensiva e de preservação da ordem
pública.

Programas de Policiamento: Subdivisões do policiamento


ostensivo, voltadas para determinados objetivos, constituídos
por conjuntos de diretrizes e projetos de implantação
duradoura, ajustáveis ao longo do tempo. Definem melhor os
padrões de execução e facilitam o planejamento orçamentário.
NORSOP

Programas:
Policiamento Escolar: atividade policial ostensiva está voltada à segurança
dos estabelecimentos de ensino, de modo a satisfazer as necessidades de
segurança da comunidade escolar.
Policiamento Integrado: atua básica e eminentemente, de forma preventiva,
em pontos de estacionamento determinados em um subsetor de baixa
expectativa de ocorrências e numa faixa de horário considerada adequada
para sua finalidade preventiva(objetivo organizacional de acessibilidade e
visibilidade).
Forças Táticas: cujo efetivo é fixado em QPO em razão de certas
peculiaridades da região onde atua e do índice de criminalidade,
considerados os homicídios e os roubos.
NORSOP
Programas:
Policiamento Comunitário: objetivo organizar o policiamento realizado
mediante o uso de BCS, PPM, BCSD, B Op e BCM, considerando ainda as
viaturas de apoio a este Programa (destinadas às BCS e às BCSD).
Radiopatrulha – Atendimento “190”: Programa de policiamento que tem
por finalidade realizar patrulhamento nos subsetores determinados e dar
atendimento à demanda do telefone 190.
ROCAM: voltado ao aprimoramento do emprego desse processo de
policiamento na prevenção de ilícitos penais, principalmente nos grandes
corredores de trânsito dos municípios mais populosos, bem como nas Áreas
de Interesse de Segurança Pública
Policiamento de Trânsito: Policiamento ostensivo executado em vias
terrestres abertas à livre circulação, com o objetivo de prevenir e reprimir
atos contrários à segurança pública e de garantir obediência às normas
relativas à segurança de trânsito, assegurando a livre circulação e evitando
acidentes.
NORSOP
Conceitos de divisão geográfica:

Área de Interesse de Segurança Pública: Região, município, distrito, bairro ou secção


menor de área, abrangida por uma ou mais OPM territoriais, que possui características que a
tornam foco de ação criminosa
Região – Comando Regional: Espaço físico atribuído à responsabilidade de um comando
regional, denominado Comando de Policiamento do Interior (CPI) ou Comando de Policiamento
de Área (CPA).
Área – Batalhão: Espaço físico atribuído à responsabilidade de uma OPM de escalão
Batalhão de Polícia Militar Subárea – Companhia.
Subárea: É o espaço físico atribuído à responsabilidade de uma OPM de escalão Companhia
PM (Cia PM).
Setor - Grupo de Patrulhas: É a menor fração de espaço físico na qual se subdividem os
setores, atribuída patrulha policial-militar (Ptr PM)
Subsetor – Patrulha: menor fração de espaço físico na qual se subdividem os setores,
atribuída no tempo a uma patrulha policial-militar (Ptr PM), em que se presume seja capaz de
cumprir suas missões dentro do padrão ideal.
NORSOP
Conceitos de divisão operacionais:

Patrulha: É a fração elementar de efetivo que executa as ações de polícia ostensiva e de


preservação de ordem pública num determinado espaço físico, normalmente um subsetor.

Grupo de Patrulhas: É o conjunto de patrulhas que executa as ações num setor.

Força de Patrulha de Área: É o conjunto de forças policiais-militares de uma determinada


Área. É dividida pelas Subáreas, onde executa as missões de polícia ostensiva e de preservação
da ordem pública nos seus vários processos e modalidades, normalmente sob comando do
Cmt F Ptr.

Patrulhamento: Ação de fiscalização de polícia ostensiva executada rotineiramente por uma


patrulha por meio da observação atenta em relação ao ambiente patrulhado, visando,
primordialmente, pela simples presença, interferir positivamente para a prevenção de ilícitos
penais e infrações administrativas.
NORSOP

Ação Integrada: é o funcionamento integrado daquelas


instituições com a responsabilidade pela segurança pública

1. Ação Coordenada por Cooperação: Entre órgãos públicos


que possuem competência para atuar no setor de interesse
2. Ação Coordenada por Colaboração: Entre órgão público e
entidade privada de qualquer natureza.
NORSOP
Ponto de Estacionamento
Principal: policiamento preventivo de caráter mais
permanente, deve ser comunicado ao CAD/COPOM.

Secundário: tem caráter transitório – demanda


ocasional, não necessita ser comunicado ao
CAD/COPOM.

Observação: em princípio, não são estacionados com


prejuízo do atendimento de ocorrência.
NORSOP

Posto Policial-Militar: Edificação policial-militar fixa e simples, instalada em


local de grande movimento de pessoas, segundo os critérios de
acessibilidade e visibilidade, visando atender ao público que a ela se dirige,
inclusive lavrando BO/PM-TC.

Base Comunitária de Segurança: Edificação policial-militar fixa, instalada


segundo os critérios de acessibilidade, visibilidade e existência de
comunidade que necessite de atendimento diuturno, servindo como ícone
de referência da Polícia Militar para prestação do policiamento comunitário.

Base Comunitária de Segurança Distrital: aplicável aos Distritos Municipais,


constituindo em 01 (um) PM que reside no local e presta atendimento ao
público, a partir de sua residência.
NORSOP
Base Comunitária Móvel: um trailer ou Vtr tipo perua “VAN”, com adaptação para
emprego no policiamento comunitário, visando fazer frente a circunstâncias que
necessitem de presença policial não permanente, onde haja necessidade ocasional
ou transitória, ainda que periódica com guarnição básica de 03 (três) PM, que pode
ser reforçada em casos de cobertura de eventos.

Base Operacional: típica das OPM subordinadas ao CPRv ou ao CPAmb, cujas


características de funcionamento atendam, respectivamente, às peculiaridades do
policiamento ostensivo rodoviário ou ambiental.

Escolta Armada de Presos: excepcionalmente executadas pela Polícia Militar e


voltadas à proteção do agente público responsável pela vigilância e transporte de
pessoa à disposição da Justiça ou à vigilância e transporte dessa pessoa em viatura
da Polícia Militar, respectivamente.
NORSOP
Policiamento
- com motocicletas: viaturas de duas rodas, em apoio aos demais processos
de policiamento ostensivo.
- com bicicletas ou quadrículos: a finalidade é aumentar a cobertura
territorial e mobilidade do policiamento ostensivo a pé onde o local seja
propicio.
- hidroviário: policiamento com emprego de embarcações em braços de
mar, enseadas, rios, canais, diques, represas, reservatórios, estuários e
demais coleções de água .

Forças de Patrulha Especializadas


- possui circunscrição superposta às das F Ptr e competência diferenciada
- Policiamento Rodoviário
- Policiamento Ambiental
NORSOP
Forças de Patrulha Táticas: São F Ptr cujos efetivos possuem treinamento
específico, além de equipamentos especiais, sendo empregadas em missões
táticas de maior amplitude, isoladas ou em apoio às F Ptr .

- Polic. Ostensivo de Choque: Missões extraordinárias de polícia ostensiva e


de preservação da ordem pública .

- Patrulhamento Tático: Ações táticas de policiamento ostensivo que


possuem características peculiares de planejamento e emprego e objetivos
específicos(vtr de grande porte e armamento e equipamento diferenciado).
NORSOP
- Operações Táticas Especiais (COE)

- Ações Táticas Especiais (GATE): Ações específicas de polícia, relacionadas a


sequestros, ameaças com explosivos, resgates de reféns .

- Polic. Praças Desportivas e Eventos: Desenvolvidas em locais de eventos


desportivos, culturais, artísticos e outros.

- Polic. com Cães: Ações táticas e de policiamento ostensivo em que são


utilizados cães regularmente adestrados para missões típicas.

- Polic. Montado: Ações táticas e de policiamento ostensivo com o uso de


solípedes.

- Patrulhamento Aéreo: policiamento ostensivo empregado em ações táticas que


demandem o uso de aeronave .
NORSOP
Operações Policiais-Militares

Combinada (Cmdo próprio): OPM especializada, de apoio de


ensino ou administrativa. Ações rotineiras de polícia ostensiva.

Apoio (Cmdo próprio) - OPM especializada atua em área de


OPM territorial – exerce atividades de sua especialidade.
Reforço.
NORSOP
Operações Policiais-Militares

Combinada (Cmdo próprio): OPM especializada, de apoio de


ensino ou administrativa. Ações rotineiras de polícia ostensiva.

Apoio (Cmdo próprio) - OPM especializada atua em área de


OPM territorial – exerce atividades de sua especialidade.
Reforço.
NORSOP
Operações Policiais-Militares – classificação

Quanto ao Gênero:
- Presença: presença física (ostensividade) do policial militar
ocupando espaços em determinada área.
- Fiscalização: extrapolam a presença física envolvem algum tipo
de atitude pró-ativa.
- Restabelecimento da Ordem: prevalência da atitude de
contenção.
 Quanto à espécie:
- Bloqueio de vias de fuga:
- Saturação por Tropas Especiais:
- Reintegração de Posse:
NORSOP

Mecanismos de Controle Operacional

Plano de Policiamento Inteligente

- Diretriz n° PM2-001/91/07, de 27JUN07


É confeccionado semanalmente pelo Estado-Maior do Batalhão, em
conjunto com o Coord Op Btl e os Cmt Cia PM, com base nas informações obtidas nos
Sistemas Inteligentes (COPOM ON-LINE, INFOCRIM e FOTOCRIM) e outras fontes
peculiares da área, composto pelo conjunto dos Cartões de Prioridade de
Patrulhamento (CPP) e das operações policiais a serem desenvolvidas pelos Cmt F Ptr
ou Cmt Pel PM, visando ajustar (obter) a melhor distribuição das Ptr no território e
proporcionar (atingir) maior eficácia e eficiência dos Programas de Policiamento;
NORSOP

Mecanismos de Controle Operacional

Cartão de Prioridade de Patrulhamento

É a representação gráfica ou descrição dos subsetores, com seus limites, indicação


legendada dos vários itinerários designados para as patrulhas, horários de
estacionamento, indicação dos PEP e PES e orientações sobre as atividades a serem
desenvolvidas.
NORSOP

Normas Gerais de Ação para os Níveis de Comando


- Coord Op PM
- Cmt Pol G Cmdo e CPA
- Cmt Btl
- Coord Op Btl
- Cmt Cia PM
NORSOP

Normas Gerais para os Escalões de Supervisão


-Responsabilidades gerais – Apoio às Ptr nas
ocorrências graves e/ou complexas
 Oficial Superior de Sobreaviso
- Coordenar ocorrências graves
 Supervisor Regional
- Coordenar ocorrências graves
- Triagem ocorrências – Juizados Especiais
ou Distrito Policial
NORSOP

Cmt Pel de Policiamento (Cmt F Ptr)

- Controle total das Vtr


- Instrução
- Comparecer – revistas rendição turno
- Intervir, de imediato - ocorrências graves
- Triagem ocorrências – Juizados Especiais
ou Distrito Policial
NORSOP

Cmt Pel de Policiamento (Cmt F Ptr)

- Comparecer – Locais de Crime


- Comparecer – Locais de Acidentes de Vtr
-Excepcionalmente – Primeiro
atendimento às ocorrências
NORSOP

Procedimentos Gerais em Ocorrências Graves, nas


que exijam emprego conjugado de meios ou nas
passíveis de repercussão:

- Presença de Oficial
- Emergencial = primeiro Oficial
- Coordenação efetiva (escalão superior)
- ação a ser realizada (especializada ou
territorial) determina a OPM
- missão/efetivo define nível comando
NORSOP

CAD/COPOM
- Apoios – consulta Cmt F Ptr
- Ocorrências a serem resolvidas/telefone
- Locais de crime – responsabilidades
administrativa e/ou penal.

BO/PM-TC
- registro dados – ocorrências atendidas,
inclusive sobre preservação de direitos
NORSOP

Patrulhamento
- Status Vtr – Codificação – M-16-PM
- Deslocamento da Vtr de 01 Subárea/outra
- Atendimento de ocorrências
- Em princípio Fixar PMs/subsetores e Vtrs
- Finalização da ocorrência
- Vtr operacional – não empregar administ.
NORSOP

Patrulhamento
- Procedimentos ocorrências mais graves
- missões do encarregado/motorista

Assumpção de Serviço Operacional


- Início turno – Guarnição/CAD-COPOM
- Trocas Sv – Cmt F Ptr - CGP
NORSOP

Assumpção de Serviço Operacional


- Trocas de Turnos
 Evitar pendência e área desguarnecida
 RP – Município com mais de 05 Vtr –
pelo menos 02 horários distintos p/ troca.

Regime e Horário de serviço


- Regimes diferentes – autorização Cmdo G