Vous êtes sur la page 1sur 4

EFÉSIOS 6:10-20 (18-19)

ORAÇÃO

A oração deve assegurar todas as demais partes de nossa armadura cristã.

Devemos orar com todos os tipos de orações: pública e secreta; comunitária


e solitária; solene e súbita. Também devemos orar de modo que
mencionemos todas as partes da oração: confissão de pecados, petições de
misericórdias e ação de graças pelos favores recebidos. - Matthew Henry

FOCO:

1. Orando todo tempo no Espirito


2. Toda perseverança
3. Por todos os santos
4. E também por mim (Paulo)

ORAÇÃO É COMUNHÃO COM DEUS!

Confissão de Fé de Westminster XXI


III. A oração com ações de graças, sendo uma parte especial do culto
religioso, é por Deus exigida de todos os homens; e, para que seja aceita,
deve ser feita em o nome do Filho, pelo auxílio do seu Espírito, segundo a
sua vontade, e isto com inteligência, reverência, humildade, fervor, fé,
amor e perseverança. Se for vocal, deve ser proferida em uma língua
conhecida dos circunstantes.

Fil. 4:6; I Tim. 2:1; Col. 4:2; Sal. 65:2, e 67:3; I Tess. 5:17-18; João 14:13-
14; I Ped. 2:5; Rom. 8:26; Ef. 6:8; João 5:14; Sal. 47:7; Heb. 12:28; Gen.
18:27; Tiago 5:16; Ef. 6:18; I Cor. 14:14.

John Bunyan – Um tratado sobre oração

“A oração é uma ordenança de Deus para o uso tanto público como


privado: Mais ainda, é uma ordenança que coloca aqueles que têm o
espírito de súplica em estreita relação com Ele, e também possui efeitos
tão notáveis que alcançam grandes coisas de Deus, tanto para uma pessoa
que ora, como para aqueles por quem ela ora. Abre, por assim dizer, o
coração de Deus, e, através dela, a alma mesmo quando vazia, é
preenchida. Através da oração o cristão também pode abrir seu coração a
Deus como o faria com um amigo, e obter um renovado testemunho de Sua
amizade.”

1.De modo sincero;


2. De modo consciente;
3. De modo afetuoso, derramando a alma diante de Deus, por meio de
Cristo;
4. No poder ou ajuda do Espírito Santo;
5. Buscando as coisas que Deus prometeu, ou que estão que estão em
conformidade com a Sua Palavra;
6. Para o bem da igreja;
7. Com submissão fiel à Vontade de Deus.

Oramos para falar com Deus sobre ele mesmo, nós, nosso relacionamento
com ele e tudo o que existe e acontece na sua criação – Genebra

A oração é parte do exercício sarcedotal na administração do bem comum –


Paulo Borges Jr

A verdade é que Deus sempre responde à oração que se harmoniza com a


sua vontade revelada nas escrituras, contanto que aquele que ora seja
obediente e confiante. Além disto não nos atrevemos a ir. A. W. Tozer

178. Que é oração?


Oração é um oferecimento de nossos desejos a Deus, em nome de Cristo e
com o auxílio de seu Espírito, e com a confissão de nossos pecados e um
grato reconhecimento de suas misericórdias.
Sl 32:5,6;62:8; Dn 9:4; Jo 16:23,24; Rm 8:26; Fp 4:6.

183. Por quem devemos orar?


Devemos orar por toda a Igreja de Cristo na terra, pelos magistrados e
outras autoridades, por nós mesmos, pelos nossos irmãos e até mesmo
pelos nossos inimigos, e pelos homens de todas as classes, pelos vivos e
pelos que ainda hão de nascer; porém, não devemos orar pelos mortos, nem
por aqueles que se sabe terem cometido o pecado para a morte.
Gn 32:11; II Sm 7:29; Sl 28:9; Mt 5:44; Jo 17:20; Ef 6:18;Sl 28:9; I Tm
2:1,2; II Ts 1:11;3:1; Cl 4:3; Tg 5:16; I Jo 5:16.

184. Pelo quê devemos orar?


Devemos orar por tudo quanto realça a glória de Deus e o bem-estar da
Igreja, o nosso próprio bem ou o de outrem; nada, porém, que seja ilícito.
Sl 51:18;122:6;125:4; Mt 6:9;7:11; I Ts 5:23; II Ts 3:16; I Jo 5:14; Tg 4:3.
Fortalecidos pela Oração - David Martyn Lloyd-Jones

Também devemos considerar a oração. A oração não é senão outro modo


de receber sustento, força, vigor e poder. A oração não é só feita de
petições; a oração é, primariamente, amizade e comunhão com Deus. Cristo
diz: "Eis que estou à porta, e bato; se alguém ouvir a minha voz, e abrir a
porta, entrarei em sua casa, e com ele cearei, e ele comigo" (Ap 3:20). Não
é uma declaração evangelística, é dirigida à Igreja, aos cristãos autênticos.
Ele se dispõe a entrar e cear conosco. É esse o significado da oração. Não é
apenas elevar as nossas petições e fazer os nossos pedidos a Deus. Significa
abrir a porta, Cristo entra, toma assento no outro lado da mesa e fala com
você durante a refeição. Amizade e comunhão! E quando você conversa
com Ele e com Ele ceia, você recebe dEle força e poder. Você Lhe faz
pedidos, e Ele fala com você sobre Ele e sobre o Seus interessa por você e
sobre como Ele cuida de você. Oração é comunhão, é Ter comunhão, é
manter uma conversação com Deus o Pai, Deus os Filho e Deus o Espírito
Santo. É assim que a gente se fortalece.

Ao maios santos sempre foram homens de oração, e passavam muito tempo


em oração. Os crentes do Novo Testamento, quando em dificuldade,
sempre buscavam a Deus em oração. E quando oravam não começavam
falando da sua dificuldade; começavam adorando, prestando culto e
louvando a Deus. Sempre começavam apercebendo-se da Sua presença e
tomando consciência da Sua presença. Um dos maiores homens de oração
do século passado foi o piedoso George Muller, de Bristol. Era
experimentado na oração; e ele ensinava que a primeira coisa que se deve
fazer na oração é dar-se conta da presença de Deus. Você não deve
começar falando imediatamente. Você pode proferir muitas frases, mas será
melhor não fazê-lo se não tiver se apercebido da presença de Deus. É
preciso haver amizade, esta comunhão, esta conversação. E a percepção de
que você está em Sua presença é infinitamente mais importante do que
qualquer coisa que você possa dizer. Quando a temos, enchemo-nos de
energia e poder.

Outra vez é óbvia a analogia humana. Quando você está na presença de


uma pessoa piedosa, sempre você se sente melhor, você se sente mais forte.
Multiplique isso pelo infinito e verá que a percepção da presença do Deus
Triúno é a maior fonte possível de poder, vigor e energia.
2. A diversidade da oração

Estes quatro termos são os pilares em que a oração está construída; estas
palavras formam a oração. Sendo assim, vejamos, pois, o significado de
cada um deles:
2.1. Súplicas
Este substantivo grego – (deesis) – “deriva de uma raiz que significa
carecer, estar desprovido ou estar sem. Esse tipo de oração é motivado por
uma necessidade”.11 É uma oração feita com insistência e submissão; “é um
pedido feito com humildade”12 “em que se solicita favor ou graça”.13 Em
outras palavras, este sentimento que leva a súplica “surge de necessidades
especificas e urgentes”.14 Súplicas são orações específicas em ocasiões de
imprevisto nem sempre presentes em nossa vida, tais como a cura para uma
enfermidade, o desemprego, um momento de fraqueza espiritual, dentre
outras coisas.
2.2. Orações
Esta palavra tem um sentido mais amplo, geral. “A diferença básica entre
súplicas (deesis) e orações (proseuche), é que a primeira pode ser dirigida
tanto ao homem como a Deus, enquanto a segunda nunca se usa para outra
coisa senão para uma aproximação a Deus”.15
2.3. Intercessões
No grego, “o verbo da qual deriva este substantivo, tem o significado de ter
audiência com o rei, ter a sorte de ser admitido a uma audiência para
apresentar um pedido”.16 “O verbo da qual deriva essa palavra é usado em
referência à intercessão de Cristo e do Espírito Santo pelos cristãos (Rm
8.26; Hb 7.25)”.17 Em outras palavras, “uma tradução mais adequada para
intercessões seria petições.18

2.4. Ações de graças


Deve-se ter em mente que não só é preciso recorrer às súplicas, orações e
intercessões, mas, também, às ações de graças em favor de todos os
homens.21 A expressão ação de graças (eucharistias), significa
“demonstração de gratidão, confirmação de gratidão”.22Esta mesma
expressão também é usada como referência à comunhão entre os irmãos na
ceia do Senhor.

Vous aimerez peut-être aussi