Vous êtes sur la page 1sur 6

Escola Básica dos 2º e 3º Ciclos com Ensino Secundário de Sobral de Monte Agraço

Geografia – 8º ano (PCA) Ano lectivo 2011/2012 A Professora: Sandrina


Gomes
Lição nº _________ Data: _____/_____/_____
Tema C – A população e o povoamento
Áreas de fixação humana
Nome: _______________________________________ Nº: _____ Turma: _____
A Professora: __________________ Apreciação:
____________________________
(Sandrina Gomes)

1. “Existem diferenças substanciais entre os modos de vida rural e urbano. Essas diferenças fazem-
se sentir nos mais variados domínios como, por exemplo, no tipo de actividade profissional exercida
pela população, na forma de ocupação dos tempos livres, no tipo de habitação, etc.
1.1 Observa atentamente as figuras 1 e 2, relativas a dois espaços diferentes.
Figura 1 Figura 2

1.1.1 Associa cada uma das figuras (1 e 2) ao respectivo espaço que representam (rural ou
urbano).
Figura 1 - Espaço Rural
Figura 2 - Espaço Urbano (3% x 2 = 6%)

1.1.2 Apresenta duas características de cada um dos espaços mencionados na questão anterior.
Os alunos deverão apresentar duas das seguintes características do espaço rural:
 Ambientes tranquilos;
 Pequenas povoações dispersas no território, com uma população pouco numerosa;
 Domínio de actividades agrícolas, da pastorícia, da exploração florestal e outras ligadas à
Natureza.
Os alunos deverão apresentar duas das seguintes características do espaço urbano:
 Edifícios mais ou menos altos e compactos (grande densidade de construção);
 Forte concorrência na utilização do solo (o que torna o solo urbano muito caro);
 Intensa actividade comercial (grande nº de lojas comerciais);
 Movimento constante de pessoas e veículos;
 Grande diversidade de serviços (escritórios, repartições públicas, bancos, etc.);
 Numerosos equipamentos sociais (hospitais, escolas), culturais, desportivos e ligados ao
lazer (cinemas, teatros, museus, parques, jardins);
 Sedes do poder administrativo nacional, regional e local (tribunais, Câmaras Municipais …).
(4% x 2 = 8%)

2. “O crescimento urbano das cidades deve-se ao processo de urbanização que se foi desenvolvendo
ao longo de séculos. A urbanização de um determinado território e cada vez maior e exerce uma
forte influência sobre o espaço circundante.”
2.1 Observa atentamente o quadro 1, relativo à evolução da população urbana nas diferentes
regiões do globo, entre os anos de 1950 e 2005

Quadro 1

2.1.1 Identifica a(s) área(s) do globo que mais contribuiu (contribuíram) para o aumento da
população urbana no mundo, entre 1950 e 2005 (não te esqueças de utilizar os valores do quadro
1).
As áreas do globo que mais contribuíram para o crescimento população urbana no mundo, entre
1950 e 2005 foram:
 Ex-URSS - 37% ou 174 milhões de habitantes
 América Latina – 33% ou 397 milhões de habitantes
 Ásia Oriental – 31% ou 539 milhões de habitantes
 África – 24% ou 284 milhões de habitantes. (2% x 3 = 6%)

2.1.2 Identifica o grau de desenvolvimento dessa(s) região(ões).


A América Latina, a Ásia Oriental e a África são regiões em desenvolvimento.
A ex-URSS é composta maioritariamente por países desenvolvidos (6%)

2.1.3 Justifica os valores de crescimento da população urbana nos países em desenvolvimento.


Os alunos deverão apresentar dois dos seguintes argumentos:
O êxodo rural que ocorre pelas seguintes razões:
 redução dos rendimentos agrícolas;
 insegurança associada aos conflitos armados;
 deterioração generalizada das condições de vida nas áreas rurais;
 expectativa de arranjar emprego nas cidades;
 perspectiva de acesso a mais e melhores serviços e comodidades;
 progressos do sector agrícola nos países mais desenvolvidos;

2
 O crescimento natural, uma vez que as cidades atraem a população jovem em idade de procriar,
à procura de melhores oportunidades de emprego, o que contribui para que a fecundidade seja
mais elevada nas áreas urbanas. (4% x 2 = 8%)

2.2 Lê atentamente o texto nº 1.


Texto nº 1 - A Urbanização e a Pobreza
Pode encontrar-se a pobreza em cidades de todo o mundo. Mas nas cidades do mundo em
desenvolvimento, é mais profunda e mais generalizada. Uma criança nascida numa cidade de um
dos países menos avançado tem 22 vezes mais possibilidades de morrer antes dos cinco anos de
idade do que uma criança nascida numa cidade de um pais desenvolvido.
Nos países mais ricos, menos de 16% do total das famílias das zonas urbanas vive na pobreza. Mas
nas zonas urbanas dos países em desenvolvimento, 36% das famílias e 41% dos agregados familiares
cujo chefe é uma mulher, vivem com rendimentos que se situam abaixo do limiar de pobreza
definido a nível local. A urbanização e feminização da pobreza fizeram com que mais de 1000
milhões de pobres vivam em zonas urbanas sem habitação adequada nem acesso aos serviços
básicos.

2.2.1 Identifica o problema abordado no texto nº 1, e que é comum a muitos países, sobretudo
em desenvolvimento.
O problema abordado no texto nº 1 é a pobreza que existe nas cidades de todo o mundo, mas
sobretudo nas cidades dos países em desenvolvimento. (6%)

2.2.2 Menciona dois outros problemas existentes nas cidades (quer dos países desenvolvidos,
quer dos países em desenvolvimento).
Os alunos deverão mencionar dois outros dos seguintes problemas:
 Poluição (sonora, visual, do solo, atmosférica, das águas, lixo…);
 Caos (congestionamento de trânsito);
 Corrupção;
 Desemprego;
 Desigualdade social;
 Violência;
 Miséria.

2.3 Observa atentamente a figura 2.

Figura 2 – Esquema estrutural de uma cidade

2.3.1 Identifica as áreas das cidades assinaladas com as letras A, B, C e D.


A – Área residencial da classe baixa (bairro de lata) B – Centro, CBD ou Baixa
C – Área industrial D - Área residencial da classe média

3
2.3.2 Menciona duas características presentes na área assinalada com a letra B.
Os alunos deverão mencionar duas das seguintes características:
 Zona de forte concentração das actividades terciárias;
 Zona de forte acessibilidade;
 Área de negócios, onde se concentra um grande número de actividades ligadas ao sector
terciário (comércio, serviços da administração pública; sedes de grandes empresas, bancos,
bolsas de valores , consultórios de médicos especialistas …).
 O preço do solo é muito elevado, o que, conjugado com a falta de espaço, levou a que se
aproveitasse ao máximo a área do terreno, construindo em altura;

2.3.3 Justifica a localização da área assinalada com a letra C.


A área assinalada com a letra C localiza-se nos subúrbios ou em pequenas aglomerações afastadas
das cidades, mas com boas acessibilidades, onde há abundância de espaço, a baixo preço.

2.4 Completa as palavras-cruzadas, utilizando as indicações dadas.

Horizontais
3. Urbanização
5. Ortogonal
6. Cidade.
7. Campo
9. Complementaridade
10. Irregular
12. Conurbação

Verticais
1. Função urbana.
2. Radioconcêntrica.
4. Megalópolis.
8. Aldeia.
11. CBD.

2.5 Observa atentamente as figuras 3, 4 e 5, representativas de três tipos de plantas.

Figura 3 Figura 4

4
Figura 5

2.5.1 Assinala com uma cruz (x) a figura (3, 4 ou 5) a que corresponde cada uma das seguintes
características:
Fig. 3 Fig. 4 Fig. 5
a) Adapta-se a uma topografia irregular, pelo que o traçado das ruas
teve de resolver as dificuldades de terreno, quase sempre muito X
acidentado.
b) Grande número de obstáculos a transpor (escadarias, ruas
X
íngremes e com traçado sinuoso).
c) As ruas mais importantes partiam do centro e dirigiam-se
X
radialmente para as portas do recinto fortificado.
d) As ruas são estreitas e terminam, por vezes, em becos e pátios. X
e) As ruas secundárias apresentam-se, frequentemente em círculo à
X
volta do centro, ligando as principais entre si.
f) Facilita a circulação dos transportes modernos e a expansão das
X
cidades.
g) Dificulta a fluidez do tráfego devido ao excesso de cruzamentos. X
h) O edificado agrupa-se em quarteirões. X
i) Os cruzamentos formam ângulos rectos. X
j) Facilita o acesso ao centro da cidade. X

2.5.2 Identifica os tipos de planta representados nas figuras 3, 4 e 5.


Figura 3 – Planta ortogonal
Figura 4 - Planta irregular
Figura 5 - Planta radioconcêntrica

5
2.6 Explica a seguinte frase: “Entre o campo e a cidade estabelecem-se relações de interacção e de
complementaridade”.
Significa que ambos os espaços não podem sobreviver isoladamente, uma vez que o que um produz
o outro necessita e vice-versa.