Vous êtes sur la page 1sur 2

AMÉRICA CENTRAL (INSULAR E CONTINENTAL)

CARACTERÍSTICAS
A América Central é uma região continental limitada ao norte pela Península de Iucatã, no México, e
ao sul pela Colômbia. A região é dividida em América Central continental, que compreende uma faixa de terras
emersas em uma posição entre a América do Norte e a América do Sul (Belize, Guatemala, Honduras, El
Salvador, Nicarágua, Costa Rica e Panamá); e insular, formada por um grupo de ilhas localizadas no Mar do
Caribe (Cuba, Jamaica, Haiti, República Dominicana e Porto Rico).
Um dos principais argumentos usados para designar a América Central como um continente é que a
mesma está situada em uma placa tectônica diferente da placa norte-americana: a placa caribenha. Grande parte
do continente é marcada por intensa atividade vulcânica, além de uma quantidade significativa de terremotos.
O clima predominante no continente é o tropical; regiões situadas em maiores altitudes são mais
chuvosas. De fato, os índices pluviométricos na América Central são influenciados diretamente pela direção dos
ventos e pela posição das zonas de convergência tropical.
GEOGRAFIA
América Central é dividida em trecho continental e insular. A América Central Continental corresponde
à uma restrita faixa de terras emersas que liga a América Central à América do Norte e à América do Sul. Nesse
istmo estão estabelecidos sete países: Belize, Guatemala, Honduras, El Salvador, Nicarágua, Costa Rica e
Panamá.
A América Central Insular (ou formado por ilhas) corresponde a um grupo de ilhas localizadas no Mar
das Antilhas conhecido como Mar do Caribe, que é ramificada em Grandes Antilhas, Pequenas Antilhas e
Bahamas. Na primeira Antilha estão presentes as nações mais importantes do Caribe tais como Cuba, Jamaica,
Haiti, República Dominicana e Porto Rico, que faz parte do controle dos Estados Unidos, apesar disso não
possui representantes no congresso.
As Pequenas Antilhas são compostas por oito nações autônomas: Antígua e Barbuda, Barbados,
Dominica, Granada, Santa Lúcia, São Cristóvão, Nevis, São Vicente, Granadinas e Trinidad e Tobago, além de
cinco possessões do Reino Unido: Anguilla, Ilhas Cayman, Ilhas Turks e Caicos, Ilhas Virgens Britânicas e
Montserrat. Existem ainda duas possessões da Holanda, as Antilhas Holandesas e Aruba; duas possessões da
França: Guadalupe e Martinica; e uma possessão dos Estados Unidos: as Ilhas Virgens Americanas.
RELEVO
A região possui basicamente dois grandes sistemas de montanhas. Ao norte, o relevo é mais complexo,
em consequência da ação erosiva, tendo o embasamento cristalino, que o constitui, sofrido também a influência
de dobramentos posteriores, de que resultaram as cadeias de montanhas de Honduras e da Guatemala, os
elevados planaltos de Chiapas e a plataforma de Yucatán. Ao sul, o arco montanhoso é mais pronunciado,
apresentando-se o embasamento cristalino com enrugamentos mesozoicos e cenozoicos, mais abruptos a leste,
no Panamá, o que constitui traço característico do relevo centro-americano.
A vertente ocidental, com suas cadeias dobradas e antigos maciços cristalinos, cujas altitudes variam de
2.000 a 3.500m, possui forma tabular, tanto nos altos como nos baixos planaltos, onde as erupções vulcânicas
são frequentes desde o norte da Guatemala ao sul da Costa Rica.
CLIMA
As características climáticas da região são condicionadas pelas diferenças de altitudes, que vão desde o
nível do mar até 4110m, no monte Tajumulco. A América Central apresenta quase todas as modalidades de
clima tropical, com temperaturas elevadas e pluviosidade abundante no verão. Nas áreas mais elevadas, a
temperatura média anual aproxima-se de 10 °C. Já nas regiões de altitude intermediária (1000 a 1800 m), as
médias térmicas oscilam entre 18 e 23 °C, com precipitação pluviométrica mais intensa. Nas áreas situadas
entre 600 e 1000 m, o clima é de transição, entre o tropical e o subtropical. E nas terras baixas, a menos de 600
m, a temperatura média varia entre 23 e 26 °C, sendo as chuvas abundantes na vertente oriental e mais escassas
na costa do Pacifico.
VEGETAÇÃO
Nas áreas montanhosas mais elevadas, além de uma vegetação herbácea gigante, dominam ciprestes,
juníperos e pinheiros (araucária). A floresta subtropical, muito rica em formações arbóreas, onde predominam
as lianas, bromeliáceas e orquídeas, é típica das terras situadas a altitudes médias (1000 a 1800m). Nas regiões
de transição entre a floresta tropical e a subtropical crescem associações vegetais dos dois tipos, enquanto nos
planaltos áridos da Guatemala, Honduras e El Salvador a cobertura florística compõe-se principalmente de
arbustos raquíticos, plantas xerófitas e cactos.
TURISMO

CANAL DO PANAMÁ

AS GUIANAS
A palavra Guiana deriva do indígena guyana, que significa “terra de muitas águas”, maneira como os
indígenas chamavam a área onde se localizam atualmente a Guiana, o Suriname (ex-guiana holandesa) e a
Guiana Francesa.
Os três territórios, no norte da América do Sul, são banhados pelo Oceano Atlântico e se diferenciam
pelo fato de sua historia colonial estar associada a ingleses, holandeses e franceses e pelo tardio processo de
independência politica.
Até a década de 60, todas as guianas ainda se mantinham como colônias dos países europeus. A Guiana
Inglesa tornou-se independente em 1966, adotando o nome de Republica Cooperativa da Guiana. A Guiana
Holandesa conquistou sua independência em 1975, passando a ser chamada de República do Suriname. A
Guiana Francesa continua vinculada á França.
O relevo da região é constituído por planaltos no centro-sul e por planícies no norte. O clima é o
equatorial, quente e úmido. As florestas dominam a paisagem natural.
Seus territórios são poucos povoados, e a população concentra-se no norte, onde o relevo formado por
planícies e as condições de acesso ao oceano facilitaram a ocupação humana. As principais atividades
econômicas são as culturas voltadas para exportação: cana-de-açúcar, banana e arroz. Também exportam o
minerais como Alumina(óxido de alumínio) e Ouro.