Vous êtes sur la page 1sur 8

Universidade de Brasília

Departamento de Matemática

Álgebra Linear - Turma A – 1o/2017


6a Lista de Exercícios – Transformações Lineares
Prof. José Antônio O. Freitas

1. Prove que cada uma das funções abaixo é uma transformação linear.
(a) D : P(C) → P(C) dada por

D(a0 + a1 x + a2 x2 + · · · + an xn ) = a1 + 2a2 x + · · · + nan xn−1 .

(b) T : C([a, b], R) → R dada por


∫ b
T (f (x)) = f (x)dx.
a

(c) F : P2 (R) → P2 (R) dada por F (p(t)) = t2 p′′ (x).

(d) G : M2 (R) → M2 (R) dada por G(X) = M X + X onde


( )
1 0
M= .
0 0

(e) H : M2 (R) → M2 (R) dada por H(x) = M X − XM onde


( )
1 2
M= .
0 1

(f) T : P3 (R) → R2 dada por


(∫ 0 ∫ 1 )
T (p) = p(x)dx, p(x)dx .
−1 0

(g) T : C3 → C dada por T (x, y, z) = x + 2y + iz.

(h) F : P3 (R) → P4 (R) dada por (F p)(x) = xp(x + 1).

(i) G : R2 → P2 (R) dada por T (a, b) = ax2 + bx + (a + b).


2. Consideremos uma transformação linear T : V → W , onde V e W são K-espaços vetoriais
tais que dimK W < dimK V < ∞.
(a) Prove que existe um elemento não nulo u ∈ V tal que T (u) = 0W .

(b) Se B é uma base arbitrária de V , existe sempre um vetor u ∈ V tal que T (u) = 0W ?
Prove ou dê um contra-exemplo.
3. Considere a função T : C → M2 (R) dada por
( )
x + 7y 5y
T (x + yi) = .
−10y x − 7y

Considerando C como um espaço vetorial sobre R:


(a) Prove que T é uma transformação linear.

(b) Prove que T (z1 · z2 ) = T (z1 ) · T (z2 ) para todos z1 , z2 ∈ C.


4. Sejam T : V → W e S : W → W1 transformações lineares. Mostre que S ◦ T : V → W1 é
uma transformação linear.
5. Determine uma transformação linear T : R3 → R3 tal que:
(a) dimR ker T = 0;

(b) dimR ker T = 1;

(c) dimR ker T = 2;

(d) dimR ker T = 3.


6. Considere R4 e seus subespaços V = [(1, 0, 1, 1); (0, −1, −1, −1)] e W = {(x, y, z, t) ∈ R4 |
x + y = 0, t + z = 0}. Determine uma transformação linear T : R4 → R4 tal que ker T = V
e Im T = W .
7. Determine o núcleo e a imagem das seguintes transformações lineares:
(a) T : R2 → R2 dada por T (x, y) = (x − y, x + y).

(b) T : C2 → R2 dada por T (x + yi, z + ti) = (x + 2z, −x + 2t).


8. Seja T : R2 → R2 uma transformação linear tal que T (1, 1) = (1, 0) e T (1, −1) = (0, 1).
Encontre T (1, 0) e T (1, 2).
9. Ache uma transformação linear T : R4 → R4 tal que

ker T = [(1, 0, 0, 1); (−1, 0, 0, 1)]


Im T = [(1, −1, 0, 2); (0, 1, −1, 0)].

10. Seja V um espaço vetorial de dimensão n sobre K.


(a) Se n for ímpar, prove que não existe nenhuma transformação linear T : V → V tal
que Im T = ker T .

(b) Mostre que a afirmação (a) é falsa se n for par.


11. Sejam V , W espaços vetoriais sobre K e T : V → W uma transformação linear.
(a) Prove que T é injetora se, e somente se, T leva cada subconjunto L.I. de V em um
subconjunto L.I. de W .

(b) Prove que se conjunto {T (u1 ), . . . , T (un )} for L.I. em W , então {u1 , . . . , un } é L.I. em
V.
12. Dada uma transformação linear T : U → U , considere a seguinte afirmação:
(⋆) se {u1 , . . . , ur } forma uma base de ker T e {w1 , . . . , ws } for uma base de Im T , então
{u1 , . . . , ur , w1 , . . . , ws } será uma base de U .

(a) Dê um exemplo de uma transformação linear T que satisfaça a condição (⋆), com
dimK ker T ̸= 0 ̸= dimK Im T .

(b) Mostre que nem toda transformação linear T satisfaz (⋆).

13. Sejam V um espaço vetorial sobre K e T : V → V uma transformação linear. Prove que
as seguintes condições são equivalentes:

1. ker T ∩ Im T = {0V }.

2. Se (T ◦ T )(u) = 0V para u ∈ V , então T (u) = 0V .

Nos exercícios (14) à (17), encontre uma base e a dimensão de:

(a) ker F

(b) Im F

14. Seja F : R4 → R3 a transformação linear definida por

F (x, y, s, t) = (x − y + s + t, x + 2s − t, x + y + 3s − 3t).

15. Seja F : R3 → R3 a transformação linear definida por

F (x, y, z) = (x + 2y − z, y + z, x + y − 2z).

16. Seja F : M2 (C) → M2 (C) a transformação linear definida por

F (A) = M A,
[]
1 −1
onde M = e M2 (C) é um C-espaço vetorial.
−2 2

17. Seja F : M2 (C) → M2 (C) a transformação linear definida por

F (A) = AM − M A,
[ ]
1 2
onde M = e M2 (C) é um C-espaço vetorial.
0 3

18. Encontre uma transformação linear F : R3 → R4 , cuja imagem é gerada por w1 =


(1, 2, 0, −4) e w2 = (2, 0, −1, −3).

19. Encontre uma transformação linear T : R3 → M3×1 (R), cuja imagem é gerada por
   
1 4
v1 = 2 , v2 = 5 .
3 6

20. Encontre uma transformação linear T : M1×4 (R) → R5 , cujo kernel é gerado por
[ ] [ ]
v1 = 1 2 3 4 , v2 = 0 1 1 1 .
21. Nos casos abaixo construa uma transformação linear T : V → W satisfazendo as condi-
ções dadas:
(a) V = R3 , W = R2 , K = R, dimK ker T = 1, dimK Im T = 2

(b) V = R3 , W = M3×1 (C), K = R, dimK ker T = 2, dimK Im T = 1

(c) V = R3 , W = M3×1 (R), K = R, dimK ker T = 0, dimK Im T = 3

(d) V = R3 , W = M3×1 (R), K = R, dimK ker T = 3, dimK Im T = 0

(e) V = M3×1 (C), W = R3 , K = R, dimK ker T = 3, dimK Im T = 3

(f) V = P5 (R), W = R4 , K = R, dimK ker T = 4, dimK Im T = 2

(g) V = P5 (C), W = C5 , K = C, dimK ker T = 1, dimK Im T = 5

(h) V = P5 (C), W = M3×2 (C), K = C, dimK ker T = 2, dimK Im T = 4

(i) V = P4 (C), W = M2×2 (C), K = C, dimK ker T = 3, dimK Im T = 2


√ √
22. Sejam B = {(1, 0); (0, 1)}, B1 = {(−1, 1); (1, 1)}, B2 = {( 3, −1); ( 3, 1)} e B3 =
{(2, 0); (0, 2)} bases ordenadas de R2 .
(a) Quais são as coordenadas do vetor v = (3, −2) em relação à base:

(i) B
(ii) B1
(iii) B2
(iv) B3

(b) Ache a matriz de mudança de base nos seguintes casos:

(i) [I]B,B1
(ii) [I]B1 ,B
(iii) [I]B2 ,B
(iv) [I]B3 ,B

(c) As coordenadas de um vetor v ∈ R2 em relação à base B1 são dadas por


[ ]
4
[v]B1 = .
0

Quais as coordenadas de v em relação à base:

(i) B
(ii) B2
(iii) B3

23. Se  
1 1 0
[I]B1 ,B2 = 0 −1 1
1 0 1
encontre
 
−1
(a) [v]B1 onde [v]B2 = 2 
3
 
−1
(b) [v]B2 onde [v]B1 = 2

3

24. Seja T : R2 → R2 uma transformação linear definida por

T (x, y) = (−y, x).

(a) Qual é a matriz de T em relação à base ordenada canônica de R2 ?

(b) Qual é a matriz de T em relação à base ordenada B1 = {w1 = (1, 2); w2 = (1, −1)}?

(c) Exiba a matriz P tal que [T ]B = P −1 [T ]B1 P .

25. Seja T : V → W um isomorfismo, onde V e W são K-espaços vetoriais. Seja G : W → V


definida por: G(w) = v se, e somente se, T (v) = w, para todo w ∈ V . Mostre que:

(a) G é uma transformação linear.

(b) T ◦ G = IdW , onde IdV : W → W tal que IdW (x) = x, para todo x ∈ W .

(c) G ◦ T = IdV , onde IdV : V → V tal que IdV (y) = y, para todo y ∈ V .

A transformação linear G é chamada de inversa de T e será denotada por G = T −1 .

26. Seja T : R3 → R3 uma transformação linear cuja matriz com relação à base canônica
seja  
1 1 0
−1 0 1 .
0 −1 −1

(a) Determine T (x, y, z).

(b) Qual é a matriz de T com relação à base B = {(−1, 1, 0); (1, −1, 1); (0, 1, −1)}?

(c) A transformação T é invertível? Justifique.

27. Sejam V e W dois espaços vetoriais sobre K tais que dimK V = dimK W = n ≥ 1 e
considere B1 e B2 bases ordenadas de V e W , respectivamente. Mostre que:

(a) Se uma transformação linear T : V → W é um isomorfismo, então a matriz [T ]B1 ,B2 é


invertível.

(b) Se uma transformação linear T : V → W tal que a matriz [T ]B1 ,B2 é invertível , então
T é um isomorfismo.

(c) Mostre que se T é um isomorfismo, então

([T ]B1 ,B2 )−1 = [T −1 ]B1 ,B2 .

28. Mostre que cada uma das transformações lineares de R3 em R3 a seguir é invertível e
determine a transformação linear inversa:
(a) T (x, y, z) = (x − 3y − 2z, y − 4z, −z)
(b) T (x, y, z) = (x, x − y, 2x + y − z)
29. Seja K um corpo e T : K2 → K2 a transformação linear dada por T (x1 , x2 ) = (x1 +x2 , x1 )
para todo (x1 , x2 ) ∈ K2 . Prove que T é um isomorfismo e exiba T −1 .
30. Seja T : C3 → C3 a transformação linear definida por T (1, 0, 0) = (1, 0, i), T (0, 1, 0) =
(0, 1, 1) e T (0, 0, 1) = (i, 1, 0). Decida se T é invertível.
31. Seja T : R3 → R2 e S : R2 → R3 transformações lineares.
(a) Prove que S ◦ T não é invertível.
(b) Achar um exemplo em que T ◦ S não é invertível e um outro em que T ◦ S é invertível.
32. Seja V um K-espaço vetorial de dimensão 2 e seja B uma base ordenada de V . Se
T : V → V é uma transformação linear tal que
[ ]
a b
[T ]B = ,
c d

mostre que T 2 − (a + d)T + (ad − bc)I = 0.


33. Seja T : R3 → R3 uma transformação linear definida por
T (x, y, z) = (3x + z, −2x + y, −x + 2y + 4z).
(a) Qual é a matriz de T em relação à base ordenada canônica de R3 ?
(b) Qual é a matriz de T em relação à base ordenada B1 = {w1 = (1, 0, 1); w2 =
(−1, 2, 1); w3 = (2, 1, 1)}?
(c) Exiba a matriz P tal que [T ]B = P −1 [T ]B1 P .
(d) Mostrar que T é invertível e achar uma expressão para T −1 .
34. Sejam T, S : V → W duas transformações lineares, onde V e W são K-espaços vetoriais
de dimensão finita. Sejam B e C bases de V e W , respectivamente e λ ∈ K. Mostre que
(a) [T + S]B,C = [T ]B,C + [S]B,C .
(b) [λT ]B,C = λ[T ]B,C .
35. Seja T : R3 → R3 uma transformação linear tal que em relação à base canônica B =
{(1, 0, 0); (0, 1, 0); (0, 0, 1)}:  
1 2 1
[T ]B =  0 1 1 .
−1 3 4
Ache uma base de Im T e uma base de ker T .
36. Seja T : M2 (C) → M2 (C) uma transformação linear dada por
( ) ( )
x y 0 x
T = ,
z w z−w 0
onde M2 (C) é um C-espaço vetorial e
{ [ ] [ ] [ ] [ ]}
1 0 0 1 0 0 0 0
B1 = u1 = , u2 = , u3 = , u4 =
0 0 0 0 1 0 0 1
(a) Determine a matriz de T com relação à base canônica B1 .

(b) Determine a matriz de T com relação à base


{( ) ( ) ( ) ( )}
1 0 0 1 1 0 0 1
B2 = ; ; ;
0 1 1 0 1 1 0 1

de M2 (C).

(c) Exiba a matriz P tal que [T ]B2 = P −1 [T ]B1 P .


RESPOSTAS

8 T (1, 0) = (1/2, 1/2) e T (0, 2) = (1, −1).

14 (a) dimR Im F = 2

(b) dimR ker F = 2

15 (a) dimR Im F = 2

(b) dimR ker F = 1

16 (a) dimR Im F = 2

(b) dimR ker F = 2

17 (a) dimR Im F = 2

(b) dimR ker F = 2