Vous êtes sur la page 1sur 2

Proposta de resolução dos exercícios Domínio 2

(E) A partícula NH3(aq) é uma base segundo 23. 39. 19. 12.
Subdomínio 1 Brönsted-Lowry, mas também pode ser um ácido, 23.1. pOH ≈ 11 39.1. (B), (D), (F) e (G). 19.1. Mg > Pb > Cu 12.1. (B).
por exemplo, quando cede um ião H+ e se 23.2. Ka ≈ 1,0 * 10- 5 39.2. SO3(g) + H2O(L) ⇌ H2SO4(aq) ⇌ Mg reduz os iões Cu2+ e Pb2+; 12.2. Apenas os compostos em que o átomo de Cr
A vossa vez! Páginas 93-112 transforma em NH-2 (aq). É uma partícula anfotérica. 23.3. [CH3COO-(aq)] = 1,0 * 10- 3 mol dm- 3 = ⇌ SO2- 4 (aq) + 2 H (aq)
+
Pb reduz o ião Cu2+. tem número de oxidação +6 é que são
1. pH = 2,0 2. (B). 3. (A). (G) Para que uma solução seja ácida a qualquer = [H3O+(aq)] 2 NO2(g) + H2O(L) ⇌ HNO2(aq) + HNO3(aq) 19.2. Pb é um redutor mais forte do que Cu. potencialmente cancerígenos: (2), (4) e (5).
4. temperatura, deve verificar-se: pH < pOH. retanoato ≈ 5,9 * 10- 2 g dm- 3 SO2(g) + H2O(L) ⇌ H2SO3(aq) 20. A – O zinco reduz os iões Fe2+: 13.
4.1. Ácido – NH+4 (aq); Base – H2O(L) 11. (D). 12. (D). 24. Solução 2, porque quanto mais elevado é pKa, CO2(g) + 2 H2O(L) ⇌ H3O+(aq) + HCO-3 (aq) Zn(s) + Fe2+(aq) → Zn2+(aq) + Fe(s). 13.1. (B). 13.2. n.o. (Si) = +4
4.2. (I) HCN/CN- e H3O+/H2O menor é Ka e mais fraco é o ácido. A extensão da 39.3. H2SO4(aq) – ácido sulfúrico
H2SO3(aq) – ácido sulfuroso
13. (D). 14. Falsas: (B) e (E). B – Não há reação, porque Zn é um redutor mais 14. (B) e (C), porque há transferência de eletrões:
(III) NH+4 /NH3 e H2O/OH- ionização do ácido da solução 2 é menor e o pH é – Em (B) o n.o. de CL varia de 0 (zero) para + 1 em
HNO2(aq) – ácido nitroso
forte do que Fe.
15. (A) F- – ião fluoreto.
4.3. Em (II), H2O comporta-se como base e em (III)
(B) H2CO3 – ácido carbónico (ácido conjugado) e
mais elevado. HCLO e de 0 (zero) para - 1 em HCL.
HNO3(aq) – ácido nítrico
C – Não há reação, porque Fe é um redutor mais
– Em (C) o n.o. de Cu varia de + 2 para 0 (zero) e o
3 – ião carbonato (base conjugada).
como ácido. Tem um comportamento anfotérico.
H2CO3 (CO2 + H2O) – ácido carbónico
25. forte do que Cu.
n.o. de C varia de + 2 para + 4.
CO2-
5. pH = 12,0 25.1. C6H5NH2 – apresenta o grupo característico de D – O ferro reduz os iões Cu2+:
Fe(s) + Cu2+(aq) → Fe2+(aq) + Cu(s).
(C) HBr – ácido bromídrico.
6. 10 iões Na+(aq), 8 iões Y-(aq) e 2 iões OH-(aq). (D) NH3 – amoníaco (ácido conjugado). uma amina primária: – NH2 40. (A).
15.
16. NH3(aq) + H2O(L) ⇌ NH (aq) + OH (aq)
+ - 25.2.1. (A). 41. 15.1. Esquema 1 – está certo.
7. [C6H5NH+3 (aq)] e * [OH-(aq)] e 41.1. H2SO4(aq) + CaCO3(s) ⇌ Esquema 2: 2 CaSO3 + O2 → 2 CaSO4
7.1. C6H5COOH(aq) + H2O(L) ⇌ 25.2.2. Kb =
4

[C6H5NH2(aq)] e ⇌ CaSO4(s) + CO2(g) + H2O(L)


NH3 é a base e H2O é o ácido. ;
⇌ C6H5COO-(aq) + H3O+(aq) HCL(aq) + H2O(L) ⇌ CL-(aq) + H3O+(aq)
+ Questões + Problemas​ Páginas 161-169 15.2. Apenas na equação 2 há variação de n.o. de
CaSO4(s) – sulfato de cálcio duas partículas: n.o. de O varia de 0 (zero) para - 2;
[C6H5COO ] e * [H3O ] e
- + constante de basicidade. 1. Redução: (C); Oxidação (A).
n.o. de S varia de + 4 para + 6.
H2O é a base.
Ka = NH3(aq) + CO2-
3 (aq) ⇌ NH2 (aq) + HCO3 (aq)
- - 41.2. O ácido sulfúrico é um ácido muito forte, está
[C6H5COOH] e
26. 2. Oxidação: (A); Redução (D).
26.1. H2CO3(aq), ácido carbónico – ácido conjugado
ionizado muito extensamente, originando uma 15.3. SO2 é um gás resultante, entre outras
elevada quantidade de iões H+(aq) e um valor baixo
NH3 é o ácido.
7.2. [OH-(aq)] < [H3O+(aq)] =
3.
3 (aq), ião carbonato – base conjugada.
reações, da combustão de combustíveis fósseis
17. e CO2-
26.2. pH = 7,1 (Kw = 2,2 * 10- 14)
de pH. Pelo contrário, o dióxido de carbono é pouco 3.1. (A).
= [C6H5COO (aq)] < [C6H5COOH(aq)]
com enxofre. Na atmosfera provoca chuvas ácidas,
-
17.1. CH3COOH(aq) + HCO-3 (aq) ⇌ solúvel em água e origina um ácido fraco e, 3.2. CO2(g) + 2 H2O(L) ⇌ HCO-3 (aq) + H3O+(aq) pelo que é muito importante evitar que se liberte
8. (D). ⇌ CH3COO-(aq) + CO2(g) + H2O(L)  (1) 27. portanto, um valor de pH da chuva mais alto. para a atmosfera, devendo-se sujeitar os efluentes
CLO-(aq) + HCO-3 (aq) ⇌ HCLO(aq) + CO2- 3 (aq)
4.
27.1. Camarão: o pH é mais alto e, portanto, [H3O+] 41.3. H2SO4(aq) + Ca(OH)2(aq) ⇌ CaSO4(s) + 2 H2O(L) gasosos a uma operação de dessulfuração.
17.2. HCO-3(aq) + OH-(aq) ⇌ CO2- 3 (aq) + H2O(L)  (2)
4.1. Verdadeiras: (B), (C) e (E); Falsas: (A), (D) e (F).
41.4. m (Ca(OH)2) = 7,55 g
9. (A) a; (B) c; (C) e; (D) b; (E) d ou e.
é mais baixa.
HCO-3 (aq) + H+(aq) ⇌ CO2(g) + H2O(L) 27.2. [H3O+] = 1,0 * 10- 5 mol dm- 3
4.2. (D). 16.
10.
10.1. Solução de pH = 7. 10.4. Solução de pH = 5. 17.3. Na equação (1), HCO-3 (aq) comporta-se como 27.3. V = 0,15 dm3
42. (B). 5. 16.1. Verdadeiras: (C), (D), (E) e (G);
10.2. Solução de pH = 4. 10.5. Solução de pH = 9. base e, na equação (2), como ácido. 43. 5.1. A – 2 C(s) + O2(g) → 2 CO(g) Falsas: (A), (B), (F) e (H).
10.3. Solução de pH = 12.
28. Verdadeiras: (A), (B), (E), (F) e (G);
43.1. SO2(g) + CaO(s) ⇌ CaSO3(s) B – CuO(s) + H2(g) → Cu(s) + H2O(L) 16.2. 1.ª etapa: Cálculo da quantidade química de
C – 2 CO(g) + O2(g) → 2 CO2(g)
É uma partícula anfotérica. Falsas: (C), (D) e (H).
17.4. Em 17.1. CH3COOH(aq)/CH3COO-(aq). 43.2. 1.ª etapa: Cálculo da massa molar de CaSO3 Cr2O3 disponível
M (Cr2O3) = 152 g mol- 1; n = ⇔ n = ⇔
15,2
D – PbO2(s) → Pb(s) + O2(g)
m
Em 17.2. HCO-3 (aq)/CO2- M (CaSO3) = 120 g mol- 1
3 (aq)
29.
⇔ n = 0,100 mol
M 152
+ Questões + Problemas​ Páginas 125-135 29.1. (C). 2.ª etapa: Pela estequiometria da reação química, 5.2.
29.2. HNO2/NO-2 e H3O+/H2O 1 mol de SO2(g) origina 120 g de CaSO3
18.
1. Não podiam ser consideradas bases de Brönsted 2.ª etapa: Cálculo da massa de Cr obtida
1 mol (SO2) x mol (SO2)
Espécie Espécie Espécie Espécie
[NO-2 ] * [H3O+ ] h (%) = ⇔ nreal = 0,75 * 0,200 ⇔
18.1. nreal
(A) HNO3(aq) + H2O(L) → H3O+(aq) + NO-3 (aq) = ⇔
oxidada reduzida oxidante redutora
29.3. Ka =
e Lowry: (B), (C), (E), (G), (H) e (J).
[HNO2 ] 120 g (CaSO3 ) 9,0 * 106 g (CaSO3)
nteórica
(B) HNO3(aq) + NH3(aq) ⇌ NH+4 (aq) + NO-3 (aq)
A C O2 O2 C
⇔ nreal = 0,150 mol
As partículas consideradas ácidos de Brönsted e
(C) NH3(aq) + H2O(L) ⇌ NH+4 (aq) + OH-(aq) ⇔ x = 7,5 * 104 mol (SO2) m (Cr) = 0,150 * 52 ⇔ m (Cr) = 7,80 g
29.4. Kb =
Kw B H2 CuO CuO H2
Lowry também eram consideradas ácidos por
(D) HNO2(aq) + H2O(L) ⇌ H3O+(aq) + NO-2 (aq) A quantidade de SO2 é de 7,5 * 104 mol.
teorias anteriores, como a de Arrhenius. Ka C CO O2 O2 CO

2. HCN(aq) cede um ião H+ (protão) ao ião SO2-


17.
18.2. (A) HNO3/NO-3 e H3O+/H2O
17.1. Cu(s) → Cu2+(aq) + 2e- – semiequação de
D O em PbO2 Pb em PbO2 Pb em PbO2 O em PbO2
4 , que 30. (B) e (C). 44. (C).
se transforma em HSO-4 . HCN(aq) é o ácido e SO2- (B) HNO3/NO-3 e NH+4 /NH3
45. O efluente X tem pH = 3; o efluente Y tem
4 é 31. (A), (D) e (E). oxidação;
(C) NH+4 /NH3 e H2O/OH-
Ag+(aq) + 1 e- → Ag(s) – semiequação de redução.
Variação do número
pH = 4; o efluente Z tem pH = 6.
a base.
(D) HNO2/NO-2 e H3O+/H2O 32. Verdadeiras: (C) e (D); Falsas: (A), (B), (E) e (F). de oxidação dos elementos
3. (D). 4. (D). 5. pH = 3,0 O depósito acinzentado é de prata (Ag).
[NH+4 ] e * [NO3 ] e
- Apenas o efluente Z satisfaz as condições exigidas. C O Cu H Pb
17.2. Cu(s) + 2 Ag+(aq) → Cu2+(aq) + 2 Ag(s)
33. (A), (B) e (D).
6. pH = 6,8 ⇒ [H+(aq)] = 1,58 * 10- 7 mol dm- 3 18.3. (B) Kc =
17.3. Espécie oxidante – Ag+(aq);
A 0 → + 2 0 → - 2
Como [H+(aq)] = [OH-(aq)] ⇒ [HNO3 ] e * [NH3 ] e 34.
B + 2 → 0 0 → + 1
⇒ Kw = (1,58 * 10- 7)2 ⇔ Kw = 2,5 * 10- 14 [NO-2 (aq)] e * [H3O+(aq)] e
Subdomínio 2
34.1. Verdadeiras: (B) e (C). Espécie redutora – Cu(s).
(D) Ka = 34.2. (A) HInd(aq)/Ind-(aq). + 2 → + 4 0 → - 2
em O2:
C
[HNO2(aq)] e
18.
7. - 2 → 0 + 4 → 0
[Fe3+(aq) + 3 e- → Fe(s)] * 2
(B) Em algumas situações, o equilíbrio evolui para a
7.1. pH = 6,5
D
19. A vossa vez! (A)
[2 CL-(aq) → CL2(g) + 2 e-] * 3
Páginas 142-156
7.2. Sim, porque [H+(aq)] = [OH-(aq)].
esquerda e prevalece a cor A (depende de pKInd).
19.1. (A) … altera … mantém … aumenta … 11. (C). 6.
2 Fe3+(aq) + 6 CL-(aq) → 2 Fe(s) + 3 CL2(g)
(C) KInd relaciona as concentrações das espécies
7.3. pOH = 1,08 e pH = 11,92
12. n.o. (Cr) em Cr O = + 6; n.o. (Cr) em CrO = + 6
(B) … altera … mantém … diminui … 6.1. Reagentes: O2 e NO; Produto: NO2.
6.2. 2 NO(g) + O2(g) → 2 NO2(g)
químicas intervenientes no equilíbrio.
[NH (aq)] e * [OH (aq)] e
2- 2-
+ -
CL2(g) + 2 e- → 2 CL-(aq)
2 7 4

19.2. Kb = 6.3. O n.o. de N varia de + 2 em NO para + 4 em NO2.


8. (D) Nem todos os átomos de hidrogénio se libertam (B)
2 I-(aq) → I2(aq) + 2 e-
4

na forma de H+(aq).
13.
[NH3(aq)] e 13.1. n.o. (C) = + 4 13.2. n.o. (C) = + 3 O n.o. de O varia de 0 (zero) em O2 para - 2 em NO2.
8.1. Como o valor de Kw aumenta com o aumento
da temperatura, [H+(aq)] e [OH-(aq)] também 20. (E) Faz evoluir o sistema para a direita porque CL2(g) + 2 I-(aq) → I2(aq) + 2 CL-(aq)
aumentam. Pelo Princípio de Le Châtelier, a reação 20.1. [H3O (aq)] = 3,2 * 10- 11 mol dm- 3 e
+
neutraliza iões H+(aq). 14. Como há transferência de eletrões, a reação é de
[OH-(aq)] = 3,2 * 10- 4 mol dm- 3 14.1. C em CO 14.2. Fe em Fe2O3 oxidação-redução. (C) AL(s) → AL3+(aq) + 3 e-
[Ag+(aq) + 1 e- → Ag(s)] * 3
evoluiu no sentido direto que contraria a alteração
20.2. H3O+(aq) + OH-(aq) ⇌ 2 H2O(L). Os iões OH-
35. As soluções A e B são alcalinas, mas a
solução C apresenta 6,2 < pH < 8,0.
introduzida. Assim, a reação de autoionização da 14.3. CO 14.4. Fe2O3 6.4. O2 é o oxidante e NO é o redutor.
água é endotérmica no sentido direto. provenientes de Mg(OH)2 reagem com os iões H3O+ 15. 7. (C). AL(s) + 3 Ag+(aq) → AL3+(aq) + 3 Ag(s)
8.2. Kw ≈ 2,2 * 10-14 15.1. 2 Ag+(aq) + Cu(s) ⇌ 2 Ag(s) + Cu2+(aq) [AL(s) → AL3+(aq) + 3 e-] * 2
em excesso no estômago, neutralizando o seu efeito. 36. (B).
8. (C). (D)
8.3. O valor de Kw (60 °C) > Kw (25 °C). 21. 37. 15.2. 2 AL(s) + 6 H+(aq) ⇌ 2 AL3+(aq) + 3 H2(g) [Pb2+(aq) + 2 e- → Pb(s)] * 3
Assim, [H3O+(aq)] 60 °C > [H3O+(aq)] 25 °C e o pH 37.1. n (Na2CO3) = 3,75 mol 9.
2 AL(s) + 3 Pb2+(aq) → 2 AL3+(aq) + 3 Pb(s)
9.1. Oxidação: Mg → Mg2+ + 2 e-;
21.1. NaCL
37.2. m (NaF) = 240,3 mg
16. (A). 17. (D).
21.2.1. pH (NaOH) > pH (Ba(OH)2) [AL(s) → AL3+(aq) + 3 e-] * 2
Redução CL2 + 2 e- → 2 CL-
diminui com o aumento da temperatura.
21.2.2. Igual valor de pH (= 1,0) 37.3. A pasta de dentes tem carácter alcalino. F- e 18. (E)
9. (A). 18.1. Espécie oxidada: Ni; n.o. (Ni) varia de 0 para + 2 [2 H+(aq) + 2 e- → H2(g)] * 3
21.2.3. pH (H2SO4) < pH (HCL)
9.2. Oxidante – CL2; Redutor – Mg
2 AL(s) + 6 H+(aq) → 2 AL3+(aq) + 3 H2(g)
CO2-
3 são bases conjugadas de ácidos fracos, pelo
que em solução aquosa libertam iões OH-(aq). 9.3. n.o. de Mg varia de 0 (zero) para + 2:
21.3. pH = 1,0
10. Espécie reduzida: Cu em CuSO4;
10.1. Verdadeiras: (A), (D) e (F); Falsas: (B), (C), (E) e (G). n.o. (Cu) varia de + 2 para 0 n.o. de CL varia de 0 (zero) para - 1. 19.
38.
HQEN11 © Porto Editora

10.2. (B). Os ácidos de Brönsted-Lowry são 22. 18.2. S e O 9.4. (C). 19.1. (A). 19.2. (B).
moléculas ou iões que podem ceder iões H+. 22.1. Verdadeiras: (D); Falsas: (A), (B), (C) e (E). 38.1. (B). 19.3. A equação iónica correspondente é:
38.2. Porque o ião Na+(aq) é neutro e o ião CL-(aq)
18.3. A equação está acertada quanto às massas e
Zn(s) + 2 H+(aq) → Zn2+(aq) + H2(g)
22.2. (A) … ácido monoprótico forte… 10. (C).
(C) A soma do valor de pH com o valor de pOH para quanto às cargas elétricas.
uma mesma solução depende do valor de pKw, que (B) … 100 vezes.    (C) … H2PO-4 . é a base conjugada de um ácido muito forte e,
Cu2+ + 2 e- → Cu (redução); 11. Verdadeiras: (B), (E), (F), (G) e (H); Semiequação de redução: 2 H+(aq) + 2 e- → H2(g)
Ni → Ni2+ + 2 e- (oxidação).
(E) … é um ácido muito fraco. assim sendo, neutro. Falsas: (A), (C) e (D). 19.4. (D).
varia com a temperatura.

HQEN11_20153551_DesdSol_P001_008.indd 3 8/7/16 1:56 PM


Domínio 2
20. 23. (B). 24. (D). 7. 15. 27.
20.1. A e E – Bico de Bunsen; B e F – Tripé;
Subdomínio 3 7.1. t = 80 °C 15.1. É um sal muito pouco solúvel porque o valor 27.1. [Mg2+] = 2,0 * 10- 3 mol dm- 3
25.
C – Copo ou gobelé; D – Vareta de vidro; 7.2. m (KCL) = 80 g; n (KCL) = 1,07 mol de solubilidade (s = "4,0 * 10- 52 = 27.2. pH = 9,6
A vossa vez! 7.3. t = 80 °C = 2,0 * 10- 26 mol dm- 3) é muito baixo. 27.3. Ks = 5,0 * 10- 10
Páginas 181-200 25.1.1. (D). 25.1.2. (B).
G – Triângulo de cerâmica; H – Cápsula de
cristalização; I – Caixa de Petri. 21. 26. (B).
8. 15.2. V = 83,06 dm3 27.4. Ks = 3,20 * 10- 8, a 25 °C. Como o valor de Ks
27. [SO2-
4 ] = 1,0 * 10
60,00
-7
20.2. Em I – O zinco reagiu com o ácido sulfúrico, tendo 21.1. mol dm- 3 15.3. Não. Seria preciso um volume de água de aumenta com a diminuição da temperatura, a

Abundância de iões (% m/m)


8.1. Pontos A e C, porque os valores das ordenadas
5,0 * 1025 dm3.
50,00

(solubilidade) são superiores ao da solução


o aquecimento acelerado a reação. Um dos produtos da dissolução de Mg(OH)2 é um processo exotérmico
(Princípio de Le Châtelier).
40,00 28. Verdadeiras: (A) e (F); Falsas: (B), (C), (D) e (E).
reação ficou em solução e o outro, gasoso, escapou
30,00 29. (A) Falsa – a dissolução de KNO3 é um saturada. Assim, para que as soluções A e C sejam 16.
para o exterior. Em II – Evaporou-se, por aquecimento, 27.5. Pela adição de ácido nítrico ocorre a reação
processo endotérmico e a de MnSO4 é um processo homogéneas, devem ser sobressaturadas. 16.1. As duas linhas paralelas ao eixo das abcissas
uma grande parte do solvente. Em III – Passou-se a 20,00 traduzida pela equação
H+(aq) + OH-(aq) → H2O(L), que consome os iões OH-
exotérmico. 8.2. Pontos A e C. Não sendo sobressaturadas, o indicam que a concentração dos iões se mantém
solução ainda quente, mas saturada, para a caixa de 10,00

(aq), baixa a respetiva concentração e altera o


(B) Verdadeira – a solução de KNO3 está saturada a excesso de soluto, relativamente à solubilidade, constante a partir de um instante t, ou seja, a solução
Petri, onde se deixou evaporar completamente o 0,00 ficará como depósito no fundo do recipiente. está saturada e o sistema está em equilíbrio.
16.2. Ks = 6,9 * 10- 33
solvente, ficando no fundo o sólido formado. CL - Na+ SO42- Mg2+ Ca2+ K+ Outros 56 °C e com 10 g de soluto/100 mL de solução. equilíbrio de solubilização de Mg(OH)2. Este vai evoluir
8.3. Ponto B. Esta solução tem menos soluto do que
21.2. CO2(g) + 2 H2O(L) ⇌ HCO-3 (aq) + H3O+(aq) o valor correspondente à solubilidade (que estaria
20.3. Sulfato de zinco – ZnSO4 30. para a direita, aumentando a solubilidade do hidróxido.
20.4. Zn(s) + H2SO4(aq) → ZnSO4(aq) + H2(g) 30.1. PbF2(s) ⇌ Pb2+(aq) + 2 F-(aq)  (1) 28. Ca3(PO4)2(s) + 2 H3O+(aq) ⇌
17. (A).
O n.o. do zinco variou de 0 (em Zn) para +2 (em ZnSO4); HCO-3 (aq) + H2O(L) ⇌ CO23 - (aq) + H3O+(aq) sobre a linha do gráfico, para a mesma temperatura).
30.2. A adição de ácido origina o seguinte 18. ⇌ 3 Ca2+(aq) + 2 HPO24 - (aq) + 2 H2O(L)
o n.o. de H variou de +1 (em H2SO4) para 0 (em H2). equilíbrio: F-(aq) + H+(aq) ⇌ HF(aq), diminuindo
8.4. Uma solução saturada.
HPO24 - (aq) + H3O+(aq) ⇌ H2PO-4 (aq) + H2O(L)
22. 18.1. (C).
[F-(aq)] e alterando o equilíbrio (1) que, pelo 18.2. Pb3(SbO4)2(s) ⇌ 3 Pb2+(aq) + 2 SbO3-
4 (aq)
20.5. Espécie oxidada – Zn; 8.5. Agitar e fazer “scratching”, ou seja, raspar a
22.1. Situação I – Estado de divisão do soluto
Espécie reduzida - H em H2SO4. A) Material/equipamento
parede do recipiente que contém a solução com
Ks = [Pb2+]3 * [SbO3-
4 ] ⇔ Ks = (3s) * (2s) ⇔
2 29.
29.1.1. Cu2+(aq) + 2 OH-(aq) ⇌ Cu(OH)2(s)  (1) e (4)
3 2
Princípio de Le Châtelier, evolui no sentido direto,
⇔ Ks = 33 * s3 * 22 * s2 ⇔
uma vareta de vidro – algumas pequenas
A equação NH3(aq) + H2O(L) ⇌ NH4+ (aq) + OH-(aq)
21. (C). – Três rebuçados iguais: um inteiro, outro partido em aumentando a solubilidade de PbF2.
⇔ Ks = 33 * 22 * s 5 ⇔ Ks = 108s 5
esquírolas de vidro que se libertam, servem de
22. Mg2+< Pb2+ < Cu2+ < Ag+ evidencia que a solução aquosa de NH3(aq) contém
três pedaços e o terceiro triturado num almofariz
31. núcleos de cristalização e o precipitado forma-se.
31.1. Adição de HNO3 – Os iões H3O+(aq), iões OH-(aq), que irão reagir com o ião Cu2+(aq)
– Três copos com cerca de 100 mL de água
23. Ca > Na > Mg > AL
18.3. (D).
provenientes da ionização de HNO3(aq), vão reagir
– Três varetas ou colheres, para agitar 9.
19. (C). pelo que a reação (4) é traduzida pela mesma
com os iões OH–(aq), diminuindo a sua concentração.
24. – Relógio 9.1. 1,8
24.1. Cu2+(aq) + Zn(s) → Cu(s) + Zn2+(aq)
Cálculo de Qs e comparação com Ks:

(g de soluto/10 g de água)
equação que a reação (1).
Qs =[Ca2+] * [CO2-
3 ] ⇔ Qs = 6,0 * 10 * 2,0 * 10- 4
1,6
29.1.2. Em (5): Cu2+(aq) + 4 NH3(aq) ⇌ [Cu(NH3)4]2+(aq)
B) Procedimento -4
24.2. [Cu2+(aq)] = 0,030 mol dm- 3
O equilíbrio evolui no sentido de os regenerar, ou 1,4

⇔ Qs = 1,2 * 10 > Ks-7


– Começar a medir o tempo no momento em que,

Solubilidade
1,2
seja, no sentido direto, dissolvendo o precipitado, de Em (3), a adição de NaOH(aq) faz evoluir o
Qs = [Mg2+] * [CO2-
3 ] ⇔ Qs = 4,0 * 10 * 2,0 * 10
1,0
25. (B). 26. (C). em simultâneo, se adicionou cada um dos -3 -4
acordo com o Princípio de Le Châtelier. 0,8 sistema (1) para a direita, pelo efeito do ião
Adição de NaOH(conc.) – Os iões OH–(aq), ⇔ Qs = 8,0 * 10 < Ks-7
rebuçados a cada um dos copos com água. 0,6
27. comum, aumentando a quantidade de precipitado.
27.1. Mg2+< AL3+ < Cr3+ < Ni2+ Qs = [Fe2+] * [CO2-
3 ] ⇔ Qs = 8,0 * 10 * 2,0 * 10 29.1.3. Na solução de HCL existem iões H+(aq) que
0,4
– Agitar de igual modo os três copos. -7 -4
provenientes da dissociação de NaOH, vão reagir com 0,2
27.2. Ni < Cr < AL < Mg os iões Zn2+(aq) para formar os iões complexos ⇔ Qs = 1,6 * 10 > Ks- 10
– Observar e anotar o instante em que cada
0 reagem segundo a equação:
[Zn(OH)4]2+, estáveis. A concentração de iões Zn2+(aq) H+(aq) + OH-(aq) → H2O(L). Esta reação consome
rebuçado se dissolveu totalmente. 10 20 30 40 50 60 70 80
28. Temperatura / °C Precipitam CaCO3 e FeCO3.
20. (C), porque [SO2-
4 ] deve satisfazer a expressão
os iões OH-(aq), baixa a respetiva concentração e
– Construir uma tabela com o registo das
9.2. Sim, porque a t = 80 °C a solubilidade do
28.1. (B). diminui e o equilíbrio evolui no sentido de os
observações.
28.2. Só não houve reação no copo em que o metal regenerar, ou seja, no sentido direto, dissolvendo o de Ks. faz evoluir o equilíbrio (1) para a esquerda
dissolvendo o precipitado de Cu(OH)2(s).
Situação II – Agitação da mistura soluto é de 1,70 g/10 g de água, ou seja, 3,40 g em
21. Para Ag2SO4: Qs = [Ag+]2 * [SO2-
4 ] ⇔
estava em contacto com os seus próprios iões. O precipitado, de acordo com o Princípio de Le Châtelier.
20 g de água. Apenas se dissolveram 2,0 g de
29.2. Pb2+(aq) + SO2-4 (aq) ⇌ PbSO4(s)  (1)
A) Material/equipamento
⇔ Qs = 1,0 * 10- 7 < Ks – a solução não está
metal que é o redutor mais forte é o magnésio, que 3.1.2. (A).
– Três rebuçados iguais no mesmo estado de divisão soluto, logo a dissolução é total.
reduz todos os catiões dos outros metais. 9.3. Cerca de 55 °C. A esta temperatura a solubilidade saturada e não precipita Ag2SO4. Com a adição de NaOH(aq) dá-se a reação química
– Três copos com cerca de 100 mL de água
29. + Questões + Problemas​ Páginas 210-218 é de, aproximadamente, 1,00 g/10 g de água. Para AgCL: Qs = [Ag+] * [CL-] ⇔ traduzida ela equação química
4 OH-(aq) + Pb2+(aq) ⇌ [Pb(OH)4]2-(aq).
– Três varetas ou colheres, para agitar
29.1. A molécula da água é fortemente polar e a do 9.4. m = 1,70 g ⇔ Qs = 1,6 * 10- 10 = Ks – a solução está
Esta reação diminui [Pb2+(aq)] que altera o equilíbrio
– Relógio 1.
clorofórmio é praticamente apolar. Assim as interações saturada em AgCL. O precipitado branco é de AgCL.
(1) fazendo-o evoluir para a esquerda (Princípio de
B) Procedimento 1.1. (C). 10.
22. [PO3-
4 ] = 3,54 * 10
-9
mol dm- 3
são do tipo dipolo permanente-dipolo induzido, muito – Começar a medir o tempo no momento em que, 1.2. Hidratação dos iões. 10.1. (B).
fracas, pelo que a miscibilidade é quase nula. Le Châtelier), dissolvendo o precipitado.
29.2. CL2 < Br2 < I2
em simultâneo, se adicionou cada um dos 1.3. Interação ião-dipolo. 10.2. A dissolução de KNO3 é endotérmica e a 23.
rebuçados a cada um dos copos com água. dissolução de Ca(OH)2 é exotérmica. 30. (C) e (D).
2. (A) Ião-dipolo; (B) Dipolo instantâneo-dipolo 23.1. (C).
30. – Proceder da seguinte forma: agitação nula num 31.
30.1. AL(s) + 3 Ag+(aq) → 3 Ag(s) + AL3+(aq)
induzido; (C) Ponte de hidrogénio. 11. 23.2. Como a solução está saturada em brometo de
dos copos; agitar 1 min, de 10 em 10 min, noutro (B) < (C) < (A). 11.1. O terceiro aluno. No teste I, as duas soluções 31.1. Ca2+(aq) + CO2-
3 (aq) ⇌ CaCO3(s)
30.2. Redutor: AL; Oxidante: Ag+ 31.2. m (Na2CO3) = 53,0 kg
prata, a adição deste sal não provoca qualquer
copo; agitação contínua no terceiro copo. não estão saturadas e não se forma precipitado.
3. (A) e (E). efeito. Deposita-se no fundo.
32. [Fe3+] = 6,0 * 10- 29 mol dm- 3
31. Zn e Mg, porque são redutores mais fortes que – Observar e anotar o instante em que cada No teste II, as duas soluções estão saturadas, mas
o ferro, ou seja, têm maior tendência para se rebuçado se dissolveu totalmente. 4. 24.
4.1. Com 2 g/L (1 colher de café de sal) a solução
sem precipitado. No teste III, apenas precipita NaCL 24.1. Sim. Existe um equilíbrio dinâmico entre o 33. O agente precipitante mais eficaz é o PbS,
oxidarem do que o ferro. – Construir uma tabela com o registo das e a solução de KCL não está saturada.
não está saturada; e 10 g/L de glucose também sólido e os iões em solução, ou seja, as reações de ocorrendo a reação traduzida pela equação
química: S2-(aq) + Pb2+(aq) ⇌ PbS(s),
32. observações. 11.2. (C).
não saturam a solução. dissociação e de precipitação continuam a dar-se
para a qual Ks = [Pb2+(aq)] * [S2-(aq)].
32.1. (D), (E) e (F). 22.2. Situação I – Variáveis a controlar
4.2. A agitação facilita a dissolução e aumenta a 12. (D). Mg(OH)2, porque é o que tem menor valor com igual velocidade.
de solubilidade (s = 3,46 * 10- 6 mol dm- 3). 24.2. Ca(OH)2(s) ⇌ Ca2+(aq) + 2 OH-(aq)
32.2. O cobre não é tão facilmente oxidado como o – Temperatura da água – Massa do rebuçado
velocidade de dissolução. A precipitação inicia-se a partir de
24.3. Momentaneamente [Ca2+] aumenta, o sistema [Pb2+] = 7,0 * 10- 29 mol dm- 3, e termina quando
– Volume de água – Tipo de agitação
4.3. m (NaCL) = 18 g; m (C6H12O6) = 235 g
ferro, visto se encontrar abaixo do ferro na série
[Pb2 + (aq)] = "Ks ⇒
eletroquímica. Situação II – Variáveis a controlar 13. (B).
4.4. (C). deixa de estar em equilíbrio e evolui no sentido
inverso para formar mais precipitado (Princípio de ⇒ [Pb2+(aq)] = 8,4 * 10- 15 mol dm- 3
33. – Temperatura da água 14.
33.1. É uma reação de oxidação-redução porque o – Volume de água 5. 14.1. AgI(s) ⇌ Ag+(aq) + I-(aq)
CaCO3(s) ⇌ Ca2+(aq) + CO2- 3 (aq)
Le Châtelier). Também poderia ser o fosfato de chumbo, pelo que
n.o. de Cr varia de + 6, em Cr2O2-
7 , para + 3,
– Estado de divisão dos rebuçados 5.1. X, porque a solubilidade diminui com o
AL(OH)3(s) ⇌ AL3+(aq) + 3 OH-(aq)
se tem de efetuar cálculos para os dois:
– Massa do rebuçado aumento da temperatura, sendo, portanto, uma 25.
recebendo, cada átomo, 3 eletrões – redução;
Ag2CrO4(s) ⇌ 2 Ag+(aq) + CrO24 - (aq)
– Para PbS:
7,0 * 10- 29
22.3. A – inteiro; B – partido aos pedaços; dissolução exotérmica. 25.1. Ao adicionar solução de KI(aq), ou seja, ao
aumentar [I-], Qs > Ks, logo, forma-se precipitado, [Pb2+ ] = 2- ⇔ [Pb2+ ] = ⇔
por outro lado, o átomo de C em C2H5OH tem
14.2. Ks = [Ag+] * [I-] ⇒ Ks = s2
Ks
n.o. = - 2 e em C2H4O2 tem n.o. = 0, cedendo, C – triturado.
[S ] 1 * 10- 2
5.2. (A).
5.3. Z. À temperatura de 10 °C a solubilidade é de (s é a solubilidade do sal tendo um valor igual à traduzido pela equação química
⇔ [Pb2+ ] = 7,0 * 10- 27 mol dm- 3
22.4. A – sem agitação; B – agitação por intervalos;
I-(aq) + Pb2+(aq) ⇌ PbI2(s) (1) – efeito do ião comum.
cada átomo, 2 eletrões – oxidação.
20 g/100 g de água; à temperatura de 30 °C a concentração de cada um dos iões, atendendo à
– Para Pb3(PO4)2:
33.2. 9,2 mg/100 mL de sangue C – agitação contínua.
solubilidade é de 45 g/100 g de água. estequiometria.) 25.2. Continuando a adição de KI(aq) altera-se o
22.5. Na estrutura da molécula da sacarose existem
Ks = [Ca2+] * [CO2-
3 ] ⇒ Ks = s 3,0 * 10- 44
34. equilíbrio (1) que evolui no sentido direto para uma
[Pb2+ ] = ⇔ [Pb2+ ] =
2
Ks
nova situação de equilíbrio (Princípio de Le
vários grupos –OH que podem estabelecer ligações 6.
(s é a solubilidade do sal sendo igual à
34.1. (B). 3 3

34.2. Fe(s) + 2 HCL(aq) → FeCL2(aq) + 2 H2(g) ou por pontes de hidrogénio com as moléculas de 6.1. IV. Å [PO ] 3- 2 Å (1 * 10- 2)2
Fe(s) + 2 H+(aq) → Fe2+(aq) + 2 H2(g) 6.2. Aproximadamente, s = 20 g de soluto/100 g de ⇔ [Pb ] = 6,69 * 10 mol dm- 3
concentração de cada um dos iões, atendendo à Châtelier). Assim, a solubilidade de PbI2 diminui por 4
- 14
efeito da adição do ião comum I-(aq).
água. Estas interações são suficientemente fortes 2+

34.3. Fe – redutor; H+ – oxidante; para igualarem ou superarem as interações soluto- solvente e t = 40 °C. estequiometria.)
Como [Pb2+ ] é menor em PbS do que em Pb3(PO4)2,
agente reduzido – H+; agente oxidado – Fe. -soluto e solvente-solvente. Assim, há solubilidade 6.3. II. Ks = [AL3+] * [OH-]3⇔ Ks = s * (3s)3 ⇔ Ks = 27 s4 26.
Ks = [Ag+]2 * [CO2-
4 ] ⇔ Ks = (2s) * s ⇔ Ks = 4 s
fica provado que é na forma de sulfureto que o
34.4. 2 H+(aq) + 2 e- → H2(g)
2 3
muito elevada da sacarose em água. 6.4. III. 26.1. (D). 26.2. (B). 26.3. (B). catião Pb2+ é mais eficazmente removido.

HQEN11_20153551_DesdSol_P001_008.indd 4 8/7/16 1:56 PM