Vous êtes sur la page 1sur 150

Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

Anexo A - Ementário

Código da Disciplina: 0132


Nome da Disciplina: Ciências Sociais e História
Carga Horária: 60 h/a
Número de créditos: 04
Categoria: Obrigatória
Pré-requisito: não há

EMENTA

Abordagens sobre a sociedade brasileira elaborada pela tradição do


pensamento social brasileiro e as intersecções com a produção das ciências
sociais e sua configuração histórica. Pensamento social: perspectivas teóricas
e metodológicas; Marcos interpretativo das ciências sociais no Brasil; A
recepção de tradições intelectuais americanas e europeias; As continuidades
e controvérsias nas leituras sobre as relações entre ciências e história;
Desigualdades, mudança social e desenvolvimento.

OBJETIVOS

O curso tem por objetivo analisar as interpretações da vida social ancoradas


em discursos e teorias científicas, notadamente as que se referem ao campo
das ciências sociais e da história. Versar sobre as relações entre intelectuais,
pensamento social e interpretações da história das ciências sociais.
Compreender a partir tanto de uma perspectiva teórica quanto histórica as
relações entre sociedade, economia, política, e cultura.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

ARON, Raymond. As etapas do pensamento sociológico. Trad. Sérgio


Bath. 4ª ed. São Paulo: Martins Fontes, 1993.

BOTELHO, A. Sequencias de uma sociologia política brasileira. Dados.


Rio de Janeiro, v. 50, p. 48-82, 2007.

CARNEIRO DA CUNHA, Manuela (org.) Introdução a uma História Indígena.


In: História dos Índios no Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 1992.

CHATELET, François e outros. História das idéias políticas. Rio de Janeiro,


Zahar Editores, 1985.

CHAUÍ, M. Conformismo e resistência: aspectos da cultura popular no


Brasil. São Paulo: Brasiliense, 1980.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

CUCHE, Denys. A noção de cultura nas ciências sociais. Bauru: EDUSC,


1999.

DA MATTA, Roberto. Relativizando: Uma Introdução à Antropologia


Social. Petrópolis: Vozes, 1983.

______. Você tem cultura?. In: Explorações. Rio de Janeiro: Rocco, 1986.

EVANS-PRITCHARD, Edward E. História do Pensamento Antropológico.


Lisboa: Ed. 70, 1989.

GEERTZ, Clifford. A Interpretação das Culturas. Rio de Janeiro: Zahar,


1978.

GONDIM, Neide. A invenção da Amazônia. São Paulo: Marco Zero, 1994.

GOHN, Maria da Glória. História dos movimentos sociais: a construção da


cidadania dos brasileiros. São Paulo: Loyola, 1995.

HELLER, Agnes. Sobre os preconceitos. In: _____. O cotidiano e a história.


São Paulo, Paz e Terra, 1990, p. 43-63.

LALLEMENT, Michel. História das idéias sociológicas: de Parsons aos


contemporâneos. Petrópolis, RJ: Vozes, 2004.

LANNA, Marcos. Sobre Marshall Sahlins e as cosmologias do capitalismo.


Mana Estudos de Antropologia Social vol.7 no.1 Rio de Janeiro Apr., 2001.

MARTINS, José de Souza. As hesitações do moderno e as contradições da


modernidade no Brasil. In: _____, A sociabilidade do homem simples.
Cotidiano e história na modernidade anômala. São Paulo, Hucitec, 2000, p.
17-54.

MICELLI, Sergio (org.). História das Ciências Sociais no Brasil. São Paulo:
Sumaré, 1995.

MINER, Horace. Ritos Corporais entre os Nacirema. In: ROMNEY, A. K. e DE


VORE P. L. (ed.) Introductory Anthropology. Cambridge: Winthrop
Publishers, 1973. (trad. Selma Erlich)

OVERING, Joanna. Mito como História: um problema de tempo, realidade


e outras questões. Mana. Estudos de Antropologia Social, 1 (1): 107-40,
1995.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

PERROT. Michele. Os excluídos da história: operários, mulheres e


prisioneiros. Trad. Denise Bottmann. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1988.

WAGNER, Roy. A Invenção da Cultura. São Paulo: Cosac Naify, 2010.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

WOOD, Ellen Meiksins. A origem do capitalismo. Trad. Vera Ribeiro. Rio de


Janeiro: Jorge Zahar, 2001.

WOLF, Eric R. A Europa e os Povos Sem História. São Paulo: Editora da


Universidade de São Paulo, 2005.

SAHLINS, Marshall. Ilhas de História. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor,


1999.
SANTOS, W. G. dos. “Paradigma e história: a ordem burguesa na imaginação
social brasileira”. In: Ordem burguesa e liberalismo político. São Paulo:
Duas Cidades, 1978, pp. 15-63.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

Código da Disciplina: 1929


Nome da Disciplina: Informática Aplicada ao Ensino de História
Carga Horária: 60 h/a
Número de créditos: 04
Categoria: Obrigatória
Pré-requisito: não há

EMENTA

Fundamentos de informática. Sistema Operacional. Editores de texto. Planilha


Eletrônica. Software de Apresentação, Papel da informática no ensino
aprendizagem. Ferramentas de informática na educação. Oficina das Novas
Tecnologias do Ensino de História.

OBJETIVO GERAL

Refletir e construir instrumentos que facilitem a incorporação e adoção das Novas


Tecnologias em sala de aula levando em consideração a interatividade e a
conectividade na qual os alunos estão submetidos no mundo contemporâneo.
Pensar e fabricar instrumentos a partir do uso da informática no contexto da sala de
aula, considerando a reflexão, compreensão e construção do conhecimento histórico.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

ALCADE, E. et al. Informática básica. São Paulo: Makron Books, 1996.


ALMEIDA, Fernando José de. Educação e Informática: Os computadores
na Escola. São Paulo: Cortez, 1984.
BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares
Nacionais: História. 5ª a 8ª série. Brasília: MEC/SEF, 1998.
FRANÇA, Cyntia Simioni/ SIMON, Cristiano Biazzo. Como conciliar ensino
de História e novas tecnologias?. In http//WWW.uel.br/eventos/sepech
FIGUEIREDO, Luciano. Historia e Informatica: o uso do computador. In
CARDOSO, Ciro F. e VAINFAS, Ronaldo (Orgs.) Dominios da História:
Ensaios de Teoria e Metodologia. Rio de Janeiro. Campus, 2007.
MILLER, M. Internet. Rio de Janeiro: Campus, 1998
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

SILVA, Marcos. Ensino de História e Novas Tecnologias. In


htttp//WWW.ducadores.diadia.pr.gov.br/arquivos/.pdf

Word 2010
Autor: Issa, Najet M. K. Iskandar
Editora: Senac São Paulo
Microsoft Excel 2010 - Passo a Passo
Autor: Frye, Curtis D.
Editora: Bookman
Microsoft Power Point 2010 - Passo a Passo
Autor: Lambert, Joan; Cox, Joyce
Editora: Bookman
Microsoft Office 2010 - Para Todos Nós
Autor: Sousa, Maria Jose; Sousa, Sergio
Editora: Lidel - Zamboni
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

Código da Disciplina: 0248


Nome da Disciplina: Introdução aos Estudos Históricos
Carga Horária: 60 h/a
Número de créditos: 04
Categoria: Obrigatória
Pré-requisito: Não há

EMENTA

A formação da disciplina História e o seu estatuto cientifico. As várias


correntes historiográficas: a historiografia de inspiração Rankeana, a Escola
Metódica e o Positivismo; o Materialismo Histórico e o Marxismo; a Escola
dos Annales e a história-proble-ma. As tendências interdisciplinares. Os
debates contemporâneos e o paradigma da Pós-Modernidade.

OBJETIVO GERAL

 Ampliar as concepções de História e historicidade dos alunos.


 Possibilitar o acesso aos instrumentos conceituais manejados pelos
historiadores, bem como ao debate teórico e metodológico sobre o ofício do
historiador.
 Traçar um amplo panorama das principais correntes de análise no campo
da História e de seu impacto para a produção do campo historiográfico entre
meados do século XIX e inícios do século XXI.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA
BLOCH, Marc. Apologia da História ou o Ofício do Historiador. Tradução
de André Telles. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2001.
BOURDÉ, Guy & MARTIN, Hervé. As Escolas Históricas. Tradução de Ana
Rabaça. 2º ed. Lisboa: Europa-América, 2003.
BOUTIER, Jean & JULIA, Dominique. Passados Recompostos: campos e
canteiros da História. Tradução de Marcella Mortara e Anamaria Skinner. Rio
de Janeiro: UFRJ, 1998.
BRAUDEL, Fernand. Escritos sobre a História. Tradução de J. Guinsburg e
Tereza Cristina Silveira da Mota. São Paulo: Perspectiva, 1992.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

BURKE, Peter (org.). A Escrita da História: novas perspectivas. Tradução de


Magda Lopes. São Paulo: Unesp. 1992.
MALERBA, Jurandir (org.). A história escrita: teoria e história da
historiografia. São Paulo: Contexto, 2006.
Bibliografia complementar
ABREU, Martha; SOIHET, Rachel & GONTIJO, Rebeca (org.). Culturas
políticas e leituras do passado: historiografia e ensino de história. Rio de
Janeiro: Civilização Brasileira, 2007.
AZEVEDO, Cecília [et. al.]. Cultura Política, Memória e Historiografia. Rio
de Janeiro: FGV, 2009.
BRAUDEL, Fernand. História e Ciências Sociais. Tradução de Carlos Braga
e Inácia Canela. Lisboa: Editorial Presença, 1972.
BURGUIÈRE, André (org.). Dicionário das Ciências Históricas. Tradução de
Henrique de Araújo Mesquita. Rio de Janeiro: Imago, 1993.
BURKE, Peter. A Escola dos Annales (1929-1989): a Revolução Francesa
da historiografia. Tradução de Nilo Odalia. São Paulo: Unesp, 1990.
CAIRE-JABINET, Marie-Paule. Introdução à Historiografia. Tradução de
Laureano Pelegrin. Bauru: Edusc, 2003.
CARDOSO, Ciro Flamarion. Introdução à Historia. São Paulo: Brasiliense,
1982.
_______ & VAINFAS, Ronaldo (org.). Domínios da História. Rio de Janeiro:
Campos, 1997.
CERTEAU, Michel de. A escrita da História. Tradução de Maria de Lourdes
Menezes. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1982.
CHARTIER, Roger. À beira da falésia: a história entre certezas e inquietude.
Tradução de Patrícia Chittoni Ramos. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2002.
CHAUVEAU, Agnes & TÉTART, Philippe (org.). Questões para a história do
tempo presente. Tradução de Ilka Stern Cohen. São Paulo: Edusc, 1999.
DOSSE, François. A História em Migalhas: dos Annales à nova História.
Tradução de A. Silva Ramos. São Paulo: Unicamp, 1992.
______. História e Ciências Sociais. Tradução Fernanda Abreu. Bauru:
Edusc, 2004.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

FERREIRA, Marieta de Moraes & AMADO, Janaína (org.). Usos e Abusos da


História Oral. Rio de Janeiro: FGV, 1996.
FURET, François. A Oficina da História. Tradução de João Jarro. Lisboa:
Gradiva, 1986.
HARTOG, François. Evidências da História: o que os historiadores veem.
Tradução de Guilherme J. de Freitas Teixeira. Belo Horizonte: Autêntica, 2011.
HOBSBAWN. Eric. Sobre História: ensaios. Tradução de Cid Knipel Moreira.
São Paulo: Companhia das Letras, 1998.
HUNT, Lynn (Org.). A Nova História Cultural. Tradução de Jefferson Luiz
Camargo. São Paulo: Martins Fontes, 1993.
LANGLOIS, Charles Victor & SEIGNOBOS, Charles. Introdução aos Estudos
Históricos. Tradução de Laerte de Almeida Moraes. São Paulo: Renascença,
1944.
LE GOFF, Jacques. Reflexões sobre a História: entrevista de Francesco
Maiello. Lisboa: Edições 70, 1986.
______ & NORA, Pierre. História: Novos Problemas, Novos Objetos e Novas
Aborda-gens. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1979.
______ (org.) A História Nova. Tradução de Eduardo Brandão. São Paulo:
Martins Fontes, 1993.
MALERBA, Jurandir (org.). A velha história: teoria, método e historiografia.
Campinas: Papirus, 1996.
______ & ROJAS, Carlos Aguirre (org.). Historiografia Contemporânea em
perspectiva crítica. Bauru: Edusc, 2007.
______ (org.). Lições de história: o caminho da ciência no longo século XIX.
Porto Alegre: EdiPUCRS; Rio de Janeiro: FGV, 2010.
PALLARES-BURKE, Maria Lúcia Garcia. As muitas faces da história: nove
entrevistas. São Paulo: Unesp, 2000.
RANKE, Leopold von. Leopold von Ranke: história. Organização de Sérgio
Buarque de Holanda. São Paulo: Ática, 1979. (Coleção Grandes Cientistas
Sociais, 8).
REIS, José Carlos. A história, entre a filosofia e a ciência. São Paulo: Ática,
1996.
______. Annales: a renovação da História. Ouro Preto: EdUFOP, 1996.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

______. História da Consciência Histórica Ocidental Contemporânea.


Hegel, Nietzsche, Ricoeur. Belo Horizonte: Autêntica, 2011.
RICOEUR, Paul. Tempo e Narrativa. Tradução de Constança Marcondes
Cesar. Campinas: Papirus, 1994.
SARLO, Beatriz. Tempo passado: cultura da memória e guinada subjetiva.
Tradução de Rosa Freire d’Aguiar. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.
THOMPSON, E. P.. A Miséria da Teoria. Tradução de Waltensir Dutra. Rio
de Janeiro: Zahar Editores, 1981.
WHITE, Hayden. Metahistória: a imaginação histórica do século XIX.
Tradução de José Laurêncio de Melo. São Paulo: Edusp, 1992.
_______. Trópicos do discurso: ensaios sobre a crítica da cultura. Tradução
de Antonio de Pádua Danesi. São Paulo: Edusp, 1994.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

Código da Disciplina: 0112


Nome da Disciplina: Comunicação e Expressão
Carga Horária: 60 h/a
Número de créditos: 04
Categoria: Obrigatória
Pré-requisito: Não há

EMENTA
Estrutura da Língua Portuguesa. Leitura e interpretação de textos. Revisão
da gramática portuguesa através de leitura. Produção de textos.
Apresentação de textos.

OBJETIVO GERAL
Desenvolver as habilidades de comunicação oral e escrita dos acadêmicos,
procurando orientá-los, não só para desenvolver a escrita e a leitura, mas
também para aprender pensar com objetividade e eficácia e expressar com
precisão e clareza.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA
ACADEMIA BRASILEIRA DE LETRAS. Vocabulário ortográfico da língua
portuguesa. Rio de Janeiro: Bloch, 1981.
CÂMARA JR., Joaquim Matoso. Dicionário de lingüística e gramática.
Petrópolis: Vozes, 1984.
————. Princípios de lingüística geral. Rio de Janeiro: Acadêmica, 1965.
CUNHA, Celso. Gramática da língua portuguesa. Rio de Janeiro: MEC /
FENAME, 1975.
CUNHA, Celso & CINTRA, Lindley. Nova gramática do português
contemporâneo. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1985.
FERNANDES, Francisco. Dicionário de regimes dos substantivos e
adjetivos. Porto Alegre: Globo, 1967.
————. Dicionário de verbos e regimes. Porto Alegre: Globo, 1967.
FIORIN, José Luiz & SAVIOLI, Francisco Platão. Para entender o texto:
leitura e redação. São Paulo: Ática, 1998.
GERALDI, João Wanderley. O Texto na sala de aula. Leitura & produção.
São Paulo: Assoeste, 1984.
GOMES, Heidi S. Análise de texto: teoria e prática. São Paulo: Atual, 1991.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

INFANTE, Ulisses. Curso de gramática aplicada aos textos. São Paulo:


Scipione, 1996.
————. Do texto ao texto. São Paulo: Ática, 1996.
KURI, Adriano da Gama. Ortografia, pontuação e crase. Rio de Janeiro:
FENAME, 1982.
LIMA, Rocha. Gramática normativa da língua portuguesa. Rio de Janeiro:
José Olympio, 1978.
LUFT, Celso Pedro. Dicionário prático de regência verbal. Porto Alegre:
Globo, 1980.
————. Moderna gramática brasileira. Porto Alegre: Globo, 1971.
MELO, Gladstone Chaves de. Gramática fundamental da língua
portuguesa. Rio de Janeiro: Ao Livro Técnico, 1980.
NASCENTES, Antenor. Nomenclatura gramatical brasileira. Rio de Janeiro:
Acadêmica, 1976.
PRETI, Dino. Sociolingüística: os níveis da fala. São Paulo: Nacional, 1982.
SACCONI, Luiz Antônio. Nossa gramática: teoria e prática. São Paulo: Atual,
1986.
WALDECK, Sérgio & SOUZA, Luiz de. Roteiros de comunicação e
expressão. Rio de Janeiro: Eldorado Tijuca, 1980.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

Código da Disciplina: 0168


Nome da Disciplina: Metodologia do Trabalho Científico
Carga Horária: 60 h/a
Número de créditos: 04
Categoria: Obrigatória
Pré-requisito: Não há
EMENTA
Universidade e pesquisa científica. Método. O conhecimento. A ciência e suas
características. O método científico e suas aplicações. Organização dos
estudos na Universidade. Leitura e estudo. O estudo do texto. A documentação
pessoal. A preparação da comunicação. A técnica de redação. Diretrizes para
elaboração de um seminário. Diretrizes para elaboração de uma monografia

OBJETIVO GERAL
Possibilitar ao aluno obter conhecimentos sobre os métodos necessários
ao desenvolvimento de um trabalho de pesquisa, com o objetivo de utilizá-
los na introdução de trabalhos de pesquisas cientificas.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA
BEAUD, Michel. Arte da Tese. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1996.
CERVO, Armando Luiz & BERVIAN, Pedro Alcino. Metodologia Científica.
São Paulo: McGraw-Hill do Brasil, 1978.
ECO, Umberto. Como se Faz uma Tese. São Paulo: Perspectiva, 1980.
FACHIN, Odília. Fundamentos de Metodologia Científica. São Paulo: Atlas,
1993.
FREITAS, Helena C. L. de. O Trabalho como Princípio Articulador na
Prática de Ensino e nos Estágios. Campinas: Papirus, 1996.
GALLIANO, A. Guilherme (org.). O Método Científico: Teoria e Prática. São
Paulo: Harper & Row do Brasil, 1979.
LAKATOS, Eva Maria & MARCONI, Maria de Andrade. Fundamentos de
Metodologia Científica. São Paulo: Atlas, 1995.

BIBLOGRAFIA COMPLEMENTAR
LUCKESI, Cipriano Carlos. Fazer Universidade: Uma Proposta Metodológica.
São Paulo: Cortez, 1991.
RUIZ, João Álvaro. Metodologia Científica: Guia para Eficiência nos Estudos.
São Paulo: Atlas, 1993.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

SEVERINO, Antônio Joaquim. Metodologia do Trabalho Científico:


Diretrizes para o Trabalho Acadêmico na Universidade. São Paulo: Cortez,
2000.

Código da Disciplina: 0208


Nome da Disciplina: História e Antropologia
Carga Horária: 60 h/a
Número de créditos: 04
Categoria: Obrigatória
Pré-requisito: Não há

EMENTA

A construção do conhecimento antropológico. O objeto de estudo e métodos


em Antropologia: noções fundamentais. Resgate dos períodos e dos autores
da tradição historiográfica que usufruíram da teoria antropológica criando, a
partir dessa interação, novas escolas de pensamento. Analise de problemas
sociais existentes na sociedade atual, sob a perspectiva da Antropologia e
suas interfaces históricas.

OBJETIVO GERAL

Apresentar ao aluno um panorama da formação e consolidação da


Antropologia por meio de seus principais conceitos e teóricos. Refletir acerca
da fronteira entre a Antropologia e a História recuperando os momentos de
diálogo entre as mesmas. Sensibilizar o aluno a perceber e valorizar a
diversidade cultural, afirmando o sentido positivo da diferença e da identidade
cultural, contribuindo para evitar manifestações etnocêntricas, racistas e/ou
discriminatórias.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

AUGÉ, Marc. Por uma Antropologia dos Mundos Contemporâneos. Rio de


Janeiro: Bertrand Brasil. Edusp/Perspectiva, 1997.

CUCHE, Denys. A noção de cultura nas ciências sociais. Bauru: EDUSC,


1999.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

CUNHA, Manuela Carneiro da. Antropologia do Brasil – Mito, História e


Etnicidade. São Paulo: Brasiliense, 1982.

DA MATTA, Roberto. Relativizando: Uma Introdução à Antropologia


Social. Petrópolis: Vozes, 1983.

ELIAS, Norbert. O processo civilizador: uma história dos costumes. Rio de


Janeiro: Jorge Zahar, 1990.

EVANS-PRITCHARD, Edward E. História do Pensamento Antropológico.


Lisboa: Ed. 70, 1989.

GEERTZ, Clifford. A Interpretação das Culturas. Rio de Janeiro: Zahar,


1978.

LANNA, Marcos. Sobre Marshall Sahlins e as cosmologias do capitalismo.


Mana vol.7 n..1 Rio de Janeiro Apr., 2001.

LINTON, Ralph. O HOMEM: uma introdução à antropologia. Tradução de


Lavínia Vilela. Ed. Martins Fontes, 2000.

MAIO, Marcos Chor e SANTOS, Ricardo Ventura (orgs.). Raça, Ciência e


Sociedade. Rio de Janeiro: Fiocruz/ CCBB, 1996.

OLIVEIRA, João Pacheco de. Ensaios em Antropologia Histórica. Rio de


Janeiro: Editora UFRJ, 1999.

OVERING, Joanna. Mito como História: um problema de tempo, realidade


e outras questões. Mana. Estudos de Antropologia Social, 1 (1): 107-40,
1995.

WAGNER, Roy. A Invenção da Cultura. São Paulo: Cosac Naify, 2010.

WOLF, Eric R. A Europa e os Povos Sem História. São Paulo: Editora da


Universidade de São Paulo, 2005.

GOLDMAN, Marcio. Lévi-Strauss e os Sentidos da História. Revista de


Antropologia, 42(1-2): 223-238, 1999.

SAHLINS, Marshall. Ilhas de História. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor,


1999.

VIVEIROS DE CASTRO, Eduardo B.; CARNEIRO DA CUNHA, Manuela.


Amazônia: Etnologia e História Indígena. São Paulo: Editora da USP, 1993.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

Código da Disciplina: 0337


Nome da Disciplina: História Antiga
Carga Horária: 60 h/a
Número de créditos: 04
Categoria: Obrigatória
Pré-requisito: Não há

EMENTA

Antiguidade Clássica: porque e como estudá-la no Brasil. Poder e ideologia na


Antiguidade Oriental. Grécia: configurações políticas, cidadania e matrizes do
pensamento ocidental. A síntese Helenística. Roma: das origens à república,
diferenças sociais e a conquista de direitos em meio à dinâmica das lutas
políticas. A crise da república romana, dos Gracos à ascensão de Otávio
Augusto. Alto império da Pax romana à crise do século III. O Baixo Império: as
reformas de Diocleciano e Constantino.

OBJETIVO GERAL

Compreender os principais processos históricos da Antiguidade oriental, grega


e latina.
Proporcionar elementos necessários para formular reflexões críticas sobre os
processos históricos nas sociedades da Antigüidade Oriental e Ocidental;
Analisar diacronicamente os processos históricos mais importantes do
período;
Refletir criticamente acerca de questões como identidade, historicidade e
memória.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

CLINE, E. e GRAHAM, M. Impérios antigos. São Paulo: Madras, 2012.


SILVA, G. e MENDES, N. Repensando o Império Romano. Rio de Janeiro:
Mauad, 2006.
VERNANT, J.P. Entre Mito e Política. São Paulo: Edusp, 2002.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR
MOSSÉ, C. Dicionário da Civilização grega. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2004.
GRIMAL, Nicolas. História do Egito Antigo. Rio de Janeiro: Forense
Universitária: 2012.
FUNARI, Pedro Paulo. Antiguidade Clássica. Campinas: Unicamp. 2003.
VEYNE, P. (org.). História da vida privada I: do império romano ao ano mil.
São Paulo: Companhia das Letras, 2000.

Código da Disciplina: 0172


Nome da Disciplina: Psicologia da Educação I
Carga Horária: 60 h/a
Número de créditos: 04
Categoria: Obrigatória
Pré-requisito: Não há

EMENTA
Conceitos de desenvolvimento humano. Fatores determinantes do processo
de desenvolvimento. Principais teorias. O desenvolvimento da criança e do
adolescente no contexto sócio-cultural (físico, cognitivo e sócio-emocional).
Tarefas de desenvolvimento na infância e adolescência. Tarefas de
desenvolvimento e interesse na vida adulta.

OBJETIVO GERAL

Proporcionar e garantir aos alunos do curso de licenciatura uma formação


técnica-pedagógica com os principais paradigmas educacionais e
psicológicos.
BIBLIOGRAFIA BÁSICA
ARIÉS, P. História Social da Criança e da Família. Rio de Janeiro: Zahar,
1981.
AJURIAGUERRA, J. Manual de Psiquiatria Infantil. Rio de Janeiro:
Masson/Atheneu, 1988.
ALENCAR, Eunice Soriano de. Psicologia e Educação do Superdotado.
São Paulo: EPU, 1986.
BALDWIN, A .L. Teorias de Desenvolvimento da Criança. São Paulo:
Pioneira, 1973.
BEE, Helen. A Criança em Desenvolvimento. São Paulo: Harbra, 1983.
BEYER, Otto Hugo. O Fazer Psicopedagógico. Porto Alegre: Mediação,
1996.
BOCK, A. B. M. et al. Psicologias: Uma Introdução ao Estudo da Psicologia.
São Paulo: Saraiva, 1996.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

BORDIN, Jussara & GROSSI, Esther. Construtivismo Pós-Piagetiano: Um


Novo Paradigma sobre Aprendizagem. Rio de Janeiro: Vozes, 1993.
CAMPOS, Dinah Martins de Souza. Psicologia da Aprendizagem. Petrópolis:
Vozes, 1986.
CARRAHER, Terezinha. Aprender Pensando: Contribuição da Psicologia
Cognitiva para a Educação. Petrópolis: Vozes, 1991.
DAVIS, Cláudia. Psicologia na Educação. São Paulo: Cortez, 1993.
ERICKSON, Erik. Identidade, Juventude e Crise. Rio de Janeiro: Zahar,
1976.
___________. Infância e Sociedade. Rio de Janeiro: Zahar, 1972.
FERREIRO, Emília (org.). Piaget-Vygotzky: Novas Contribuições para o
Debate. São Paulo: Ática, 1995.
GARRISON, Karl C. et al. Psicologia da Criança. São Paulo: IBRASA, 1979.
PENNA, Antônio Gomes. Aprendizagem e Motivação. Rio de Janeiro: Zahar,
1980.
RAPPOPORT, C.R. et. al. Psicologia do Desenvolvimento. São Paulo: EPU,
1981.
TELES, Maria Luiza Silveira. Introdução à Psicologia da Educação.
Petrópolis: Vozes, 1985.
WALTER, Stephen. Aprendizagem e Reforço. Rio de Janeiro: Zahar, 1977.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

Código da Disciplina: 0369


Nome da Disciplina: Metodologia da História
Carga Horária: 60 h/a
Número de créditos: 03
Categoria: Obrigatória
Pré-requisito: 0248

EMENTA

Discussões sobre a natureza, os limites e possibilidades do conhecimento


histórico. Explicação e narrativa histórica. A construção dos campos e objetos
de estudo da História. Modelos e métodos de investigação histórica. A
questão das fontes na História.

OBJETIVO GERAL

 Identificar e refletir sobre as principais questões envolvendo a produção do


conhecimento histórico.
 Elucidar a construção dos percursos e dos métodos da pesquisa história,
tendo em vista a formação de um professor pesquisador.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

BARROS, José D’Assunção. O campo da História: especialidades e


abordagens. Petrópolis: Vozes. 2008.
BLOCH, Marc. Apologia da História ou o Ofício do Historiador. Tradução
de André Telles. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2001.
BURKE, Peter (org.). A Escrita da História: novas perspectivas. Tradução de
Magda Lopes. São Paulo: Unesp. 1992.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

CARDOSO, Ciro Flamarion & VAINFAS, Ronaldo (org.). Domínios da


História. Rio de Janeiro: Campos, 1997.
HARTOG, François. Evidências da História: o que os historiadores veem.
Tradução de Guilherme J. de Freitas Teixeira. Belo Horizonte: Autêntica, 2011.
LE GOFF, Jacques & NORA, Pierre. História: Novos Problemas, Novos
Objetos e Novas Aborda-gens. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1979.
BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR
AZEVEDO, Cecília [et. al.]. Cultura Política, Memória e Historiografia. Rio
de Janeiro: FGV, 2009.
BOURDÉ, Guy & MARTIN, Hervé. As Escolas Históricas. Tradução de Ana
Rabaça. 2º ed. Lisboa: Europa-América, 2003.
BOUTIER, Jean & JULIA, Dominique. Passados Recompostos: campos e
canteiros da História. Tradução de Marcella Mortara e Anamaria Skinner. Rio
de Janeiro: UFRJ, 1998.
BRAUDEL, Fernand. História e Ciências Sociais. Tradução de Carlos Braga
e Inácia Canela. Lisboa: Editorial Presença, 1972.
______. Escritos sobre a História. Tradução de J. Guinsburg e Tereza
Cristina Silveira da Mota. São Paulo: Perspectiva, 1992.
BURGUIÈRE, André (org.). Dicionário das Ciências Históricas. Tradução de
Henrique de Araújo Mesquita. Rio de Janeiro: Imago, 1993.
CARDOSO, Ciro Flamarion & PÉREZ BRIGNOLI, Héctor. Os Métodos da
História. Rio de Janeiro: Graal, 1982.
______. Ensaios Racionalistas. Rio de Janeiro: Campus, 1988.
CERTEAU, Michel de. A escrita da História. Tradução de Maria de Lourdes
Menezes. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1982.
CHAUVEAU, Agnes & TÉTART, Philippe (org.). Questões para a história do
tempo presente. Tradução de Ilka Stern Cohen. São Paulo: Edusc, 1999.
DAUMARD, Adelini. História Social do Brasil: Teoria e Metodologia. Curitiba:
Universidade Federal do Paraná, 1984.
______. Cinco Aulas de História Social. Salvador: UFBA, 1978.
DOSSE, François. A História em Migalhas: dos Annales à nova História.
Tradução de A. Silva Ramos. São Paulo: Unicamp, 1992.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

______. O Império do sentido: a humanização das Ciências Humanas.


Tradução de Ilka Stern Cohen. Bauru: Edusc, 2003.
DUBY, George. A História Continua. Tradução de Clovis Marques. Rio de
Janeiro: Zahar Editor: UFRJ, 1993.
FEBVRE, Lucien. Combates pela História. Tradução de Leonor Martinho
Simões e Gisela Moniz. 3º ed. Lisboa: Editorial Presença, 1989.
FERREIRA, Marieta de Moraes & AMADO, Janaína (org.). Usos e Abusos da
História Oral. Rio de Janeiro: FGV, 1996.
FONTANA, Josep. La Historia Después del fin de la Historia. Barcelona:
Critica, 1992.
FURET, François. A Oficina da História. Tradução de João Jarro. Lisboa:
Gradiva, 1986.
GINZBURG, Carlo; CASTELNUOVO, Enrico & PONI, Carlo. A Micro-História
e outros ensaios. Tradução de Antonio Narino. Lisboa: Difel; Rio de Janeiro:
Bertrand Brasil, 1989.
______. Mitos, Emblemas e Sinais: morfologia e história. Tradução de
Tradução de Frederico Carotti. São Paulo: Cia das Letras, 1999.
GEERTZ, Clifford. A interpretação das culturas. Tradução de Fanny Wrobel.
Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1978.
GODOFRE, Gilbert. Certezas e Incertezas da História. Lisboa: Pensamento
Editores, 1988.
HUNT, Lynn (Org.). A Nova História Cultural. Tradução de Jefferson Luiz
Camargo. São Paulo: Martins Fontes, 1993.
KULA, Witold. Problemas y Métodos de la Historia Economica. Barcelona:
Península, 1977.
______. Reflexiones sobre la Historia. México: Fondo de Cultura Popular,
1984.
LE GOFF, Jacques. “Memória”. Tradução de Bernardo Leitão e Irene Ferreira.
In: Enciclopédia Einaudi. 1. Memória-História. Porto: Imprensa Nacional:
Casa da Moeda, 1984. pp. 11-50.
______. “Documento-Monumento”. Tradução de Suzana Ferreira Borges. In:
Enciclopédia Einaudi. 1984. op. cit. pp. 95-106.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

MALERBA, Jurandir & ROJAS, Carlos Aguirre (org.). Historiografia


Contemporânea em perspectiva crítica. Bauru: Edusc, 2007.
REIS, José Carlos. A história, entre a filosofia e a ciência. São Paulo: Ática,
1996.
RICOEUR, Paul. Tempo e Narrativa. Tradução de Constança Marcondes
Cesar. Campinas: Papirus, 1994.
THOMPSON, E. P.. A Miséria da Teoria. Tradução de Waltensir Dutra. Rio
de Janeiro: Zahar Editores, 1981.

Código da Disciplina: 0482


Nome da Disciplina: Filosofia e Sociologia da Educação
Carga Horária: 60 h/a
Número de créditos: 03
Categoria: Obrigatória
Pré-requisito: não há

EMENTA

Estudo da História da Filosofia na perspectiva de compreender o processo de


formulação do pensamento racional e de suas rupturas epistemológicas.
Análise histórica do nascimento da Sociologia e seu desenvolvimento
enfatizando a essência de suas abordagens. Os processos educativos por
meio de seus condicionantes filosóficos e socilógicos.

OBJETIVOS

Fomentar a percepção da natureza do pensamento filosófico e sociológico.


Compreender o conteúdo epistemológico e sociológico inscrítos em diversas
abordagens didático-pedagógicas.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

ARANHA, Maria Lúcia de Arruda. Introdução à Filosofia. São Paulo:


Moderna, 1986.
BAUMAN, Zygmunt; MAY, Tim. Aprendendo a pensar com a Sociologia. Rio
de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2010.
BUZZI, Arcângelo R. Filosofia para Principiantes. A Existência Humana no
Mundo. Petrópolis: Vozes, 1996.
CHAUI, Marilena. Convite à Filosofia. São Paulo: Ática, 1983.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

COSSUTA, Frederic. Elementos para a Leitura de Textos Filosóficos. São


Paulo: Martins Fontes, 1994.
GIDDENS, Anthony. Sociologia. 4. Ed. Porto Alegre: Artmed, 2005.
LALLEMENT, Michel. História das Ideias Sociológicas: das origens a Max
Weber. Petrópolis, RJ: Vozes, 2003.
LEÃO, Emmanuel Carneiro. Aprendendo a Pensar. Petrópolis: Vozes, 1991.
LUCKESI, Cipriano C. & PASSOS, E. S. Introdução à Filosofia. São
Paulo:Cortez, 1996.
MONDIN. Introdução à Filosofia: Problemas, Sistemas, Autores, Obras.
São Paulo: Paulinas, 1980.
PILETTI, Nelson; PRAXEDES, Walter. Sociologia da Educação: do
positivismo aos estudos culturais. São Paulo: Ática, 2010.
RODRIGUES, Alberto Tosi. Sociologia da Educação. Rio de Janeiro:
Lamparina, 2011, 6 ed, I reimp.
SÁNCHES, Antônio Hernandez. Sociologia da Educação; tradução de
Gilmar Saint’Clair Ribeiro. – Rio de Janeiro: Thex Ed., 2001.
TELES, Antônio Xavier. Introdução ao Estudo de Filosofia. São Paulo: Ática,
1997.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

Código da Disciplina: 0486


Nome da Disciplina: Teoria e Prática da Investigação Histórica
Carga Horária: 60 h/a
Número de créditos: 03
Categoria: Obrigatória
Pré-requisito: 0369 (Metodologia da História)

EMENTA
Teorias e Metodologias: as abordagens interdisciplinares e os domínios da
História. Etapas de elaboração de um projeto de pesquisa histórica.
Discussão sobre as fontes e sobre a construção da narrativa historiográfica.

OBJETIVOS

 Propiciar ao aluno uma compreensão mais rigorosa e científica do social,


levando-o a uma reflexão sobre a construção dos objetos históricos.
 Exercitar a elaboração de projeto de pesquisa, refletindo sobre temática,
recortes abordagens e métodos utilizados pelos historiadores.
 Construção de pré-projetos, nos quais já deverão constar o tema da
pesquisa, a justificativa, os objetivos e fundamentação teórica e
metodológica.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA
BARROS, José D’Assunção. O campo da História: especialidades e
abordagens. Petrópolis: Vozes. 2008.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

BLOCH, Marc. Apologia da História ou o Ofício do Historiador. Tradução


de André Telles. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2001.
BURKE, Peter (org.). A Escrita da História: novas perspectivas. Tradução de
Magda Lopes. São Paulo: Unesp. 1992.
CARDOSO, Ciro Flamarion & VAINFAS, Ronaldo (org.). Domínios da
História. Rio de Janeiro: Campos, 1997.
HARTOG, François. Evidências da História: o que os historiadores veem.
Tradução de Guilherme J. de Freitas Teixeira. Belo Horizonte: Autêntica, 2011.
LE GOFF, Jacques & NORA, Pierre. História: Novos Problemas, Novos
Objetos e Novas Aborda-gens. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1979.
Bibliografia complementar
AZEVEDO, Cecília [et. al.]. Cultura Política, Memória e Historiografia. Rio
de Janeiro: FGV, 2009.
BOURDÉ, Guy & MARTIN, Hervé. As Escolas Históricas. Tradução de Ana
Rabaça. 2º ed. Lisboa: Europa-América, 2003.
BOUTIER, Jean & JULIA, Dominique. Passados Recompostos: campos e
canteiros da História. Tradução de Marcella Mortara e Anamaria Skinner. Rio
de Janeiro: UFRJ, 1998.
BRAUDEL, Fernand. História e Ciências Sociais. Tradução de Carlos Braga
e Inácia Canela. Lisboa: Editorial Presença, 1972.
______. Escritos sobre a História. Tradução de J. Guinsburg e Tereza
Cristina Silveira da Mota. São Paulo: Perspectiva, 1992.
BURGUIÈRE, André (org.). Dicionário das Ciências Históricas. Tradução de
Henrique de Araújo Mesquita. Rio de Janeiro: Imago, 1993.
BURKE, Peter. O mundo como Teatro: Estudos da Antropologia Histórica.
Tradução de _. Lisboa: Difel, 1992.
______ & PORTER, Roy (org.). Linguagem, Sociedade e Indivíduo.
Tradução de _. São Paulo: Unesp, 1993.
CARDOSO, Ciro Flamarion & PÉREZ BRIGNOLI, Héctor. Os Métodos da
História. Rio de Janeiro: Graal, 1982.
______. Ensaios Racionalistas. Rio de Janeiro: Campus, 1988.
CERTEAU, Michel de. A escrita da História. Tradução de Maria de Lourdes
Menezes. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1982.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

CHARTIER, Roger. História Cultural. Tradução de _. Lisboa: Difel; Rio de


Janeiro: Bertrand Brasil, 1982.
CHAUVEAU, Agnes & TÉTART, Philippe (org.). Questões para a história do
tempo presente. Tradução de Ilka Stern Cohen. São Paulo: Edusc, 1999.
DARTON, Robert. O Grande Massacre dos Gatos. 4º ed. Tradução de Sonia
Coutinho. Rio de Janeiro: Graal, 2001.
DAUMARD, Adelini. História Social do Brasil: Teoria e Metodologia. Curitiba:
Universidade Federal do Paraná, 1984.
______. Cinco Aulas de História Social. Salvador: UFBA, 1978.
DOSSE, François. A História em Migalhas: dos Annales à nova História.
Tradução de A. Silva Ramos. São Paulo: Unicamp, 1992.
______. A história à prova do tempo: da história em migalhas ao resgate do
sentido. Tradução de Ivone Castilho Benedetti. São Paulo: Unesp, 2001.
______. O Império do sentido: a humanização das Ciências Humanas.
Tradução de Ilka Stern Cohen. Bauru: Edusc, 2003.
DUBY, George. A História Continua. Tradução de Clovis Marques. Rio de
Janeiro: Zahar Editor: UFRJ, 1993.
FEBVRE, Lucien. Combates pela História. Tradução de Leonor Martinho
Simões e Gisela Moniz. 3º ed. Lisboa: Editorial Presença, 1989.
FERREIRA, Marieta de Moraes & AMADO, Janaína (org.). Usos e Abusos da
História Oral. Rio de Janeiro: FGV, 1996.
FONTANA, Josep. La Historia Después del fin de la Historia. Barcelona:
Critica, 1992.
FURET, François. A Oficina da História. Tradução de João Jarro. Lisboa:
Gradiva, 1986.
GINZBURG, Carlo; CASTELNUOVO, Enrico & PONI, Carlo. A Micro-História
e outros ensaios. Tradução de Antonio Narino. Lisboa: Difel; Rio de Janeiro:
Bertrand Brasil, 1989.
______. Mitos, Emblemas e Sinais: morfologia e história. Tradução de
Tradução de Frederico Carotti. São Paulo: Cia das Letras, 1999.
GEERTZ, Clifford. A interpretação das culturas. Tradução de Fanny Wrobel.
Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1978.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

GODOFRE, Gilbert. Certezas e Incertezas da História. Lisboa: Pensamento


Editores, 1988.
HUNT, Lynn (Org.). A Nova História Cultural. Tradução de Jefferson Luiz
Camargo. São Paulo: Martins Fontes, 1993.
KULA, Witold. Problemas y Métodos de la Historia Economica. Barcelona:
Península, 1977.
______. Las Medidas e Los Hombres. México: Siglo XXI, 1980.
______. Reflexiones sobre la Historia. México: Fondo de Cultura Popular,
1984.
LE GOFF, Jacques. “Memória”. Tradução de Bernardo Leitão e Irene Ferreira.
In: Enciclopédia Einaudi. 1. Memória-História. Porto: Imprensa Nacional:
Casa da Moeda, 1984. pp. 11-50.
______. “Documento-Monumento”. Tradução de Suzana Ferreira Borges. In:
Enciclopédia Einaudi. 1984. op. cit. pp. 95-106.
______. Reflexões sobre a História: entrevista de Francesco Maiello. Lisboa:
Edições 70, 1986.
MALERBA, Jurandir & ROJAS, Carlos Aguirre (org.). Historiografia
Contemporânea em perspectiva crítica. Bauru: Edusc, 2007.
REIS, José Carlos. Tempo, História e Evasão. Campinas: Papirus, 1994.
______. A história, entre a filosofia e a ciência. São Paulo: Ática, 1996.
______. História da Consciência Histórica Ocidental Contemporânea.
Hegel, Nietzsche, Ricoeur. Belo Horizonte: Autêntica, 2011.
RICOEUR, Paul. Tempo e Narrativa. Tradução de Constança Marcondes
Cesar. Campinas: Papirus, 1994.
THOMPSON, E. P.. A Miséria da Teoria. Tradução de Waltensir Dutra. Rio
de Janeiro: Zahar Editores, 1981.
VILAR, Pierre. Desenvolvimento Econômico e Análise Histórica. Tradução
de _. Lisboa: Presença, 1982.
______. Iniciación al Vocabulario del Analisis Historica. Barcelona: Critica,
1980.
VOVELLE, Michel. Ideologias e mentalidades. 2º ed. Tradução de Maria Julia
Goldwasse. São Paulo: Brasiliense, 1991.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

______. Imagens e Imaginário na História: fantasmas e certezas nas


mentalidades desde a Idade Media ate o século XX. Tradução de Maria Julia
Goldwasser. São Paulo: Ática, 1997.

Código da Disciplina: criar


Nome da Disciplina: História da Antiguidade Tardia
Carga Horária: 60h/a
Número de créditos: 04
Categoria: Obrigatória
Pré-requisito: 0337 (História Antiga)

EMENTA

Antiguidade Tardia: surgimento e autonomia do campo de estudos. O


Dominato: configuração político-institucional do baixo império. A consolidação
do Cristianismo no marco da dinastia constantiniana. Movimentos
populacionais e etnicidade nos séculos V ao IX: germânicos, eslavos e
nórdicos. Os primeiros reinos germânicos da Europa. Nascimento e expansão
do Islã da Arábia à Europa. Império Bizantino e o legado do mundo clássico.
O Reino franco e a civilização da Europa carolíngia.

OBJETIVOS

Compreender os processos históricos nas sociedades mediterrâneas durante


a Antiguidade Tardia
Identificar e discutir os processos históricos que interagiram para a
fragmentação e desaparecimento do Império Romano do Ocidente;
Perceber as principais linhas de força nos processos de consolidação do
cristianismo, institucionalização da Igreja e aproximação desta com o estado
romano;
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

Compreender os movimentos populacionais e a etnogênese no contexto dos


povos germânicos, eslavos e nórdicos;
Compreender os principais processos históricos das sociedades islâmica,
bizantina e dos primeiros reinos germânicos na Europa.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

BLOCKMANS, W. e HOPPENBOUWERS, P. Introdução à Europa Medieval.


Rio de Janeiro: Forense, 2012.
FONTANA, Josep. A Europa diante do espelho. Bauru: EDUSC, 2005.
GEARY, Patrick. O Mito das nações. São Paulo: Conrad, 2005.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR
BARBERO, Alessandro. 9 de agosto de 378: O dia dos bárbaros. São Paulo:
Estação Liberdade, 2010.
FRIGHETTO, Renan. Antiguidade Tardia: Roma e as monarquias romano-
bárbaras numa época de transformações. Curitiba: Juruá, 2012.
LE GOFF, Jacques. As Raízes medievais da Europa. Petrópolis: Vozes,
2007.
____________. Para uma nova Idade Média. ONONONONONONONONN.
VAUCHEZ, André. A Espiritualidade na Idade Média Ocidental. São Paulo:
Companhia das Letras, 1995.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

Código da Disciplina: criar


Nome da Disciplina: Historiografia Brasileira
Carga Horária: 60 h/a
Número de créditos: 04
Categoria: Obrigatória
Pré-requisito: Não há

EMENTA

História, historicidade, historiografia. Rupturas, permanências: Interpretações


do Brasil inscritas no contexto da Colonização e do Império. Sob à égide e o
legado do Intituto Histórico e Geográfico Brasileiro (IHGB). À identidade do
Brasil nas Interpretações de Caio Prado Junior, Gilberto Freyre e Sérgio
Buarque de Holanda. A missão francesa no Brasil e o nascimento da História
Acadêmica. Novos temas, problemas, abordagens e perspectivas da e na
Historiografia Contemporânea. Historiografia na Amazônia: momentos
decissivos.

OBJETIVO GERAL
Conhecer a diversidade das interpretações da História do Brasil considerando o
contexto socioeconomico, politico e cultural no qual seus interpretes estão inscritos.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA
BOTELHO, Adré e SCHWARCZ, Lilia Moritz (orgs..). Um enigma chamado Brasil:
29 interpretes e um país. – São Paulo : Companhia das Letras, 2009.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

CASTRO GOMES, Ângela de. História e Historiadores: a política cultural do Estado


Novo. 2ª Ed. Rio de Janeiro: FGV, 1999.
CLAIRE-JABINET, Marie-Paule. Introdução à Historiografia. Bauru – SP: Edusc,
2001.
DIAS, Maria Odila Leite da Silva (Org). Sérgio Buarque de Holanda. São Paulo:
Ática, 1985.
DIEHL, Astor Antônio. A Cultura Historiográfica Brasileira: Do IHGB aos anos
1930. Passo Fundo: Ediupf, 1998.
FREITAS, Marcos César (Org). Historiografia Brasileira em Perspectiva. São
Paulo: Contexto / USF, 1998.
IGLÉSIAS, Francisco. Historiadores do Brasil. Rio de janeiro: Nova Fronteira; Belo
Horizonte: Editora da UFMG/IPEA, 2000.
LAPA, José Roberto do Amaral. Historiografia Brasileira Contemporânea: A
História em Questão. 2ª ed. Petrópolis: Vozes, 1981.
MOTA, Carlos Guilherme. Ideologia da Cultura Brasileira. São Paulo: Ática, 1977.
MOTA, Lourenço Dantas (org.). Introdução ao Brasil: um banquete no trópico. V1
e 2. 4ª edição. – São Paulo : Editora Senac São Paulo, 2004.
ODÁLIA, Nilo. As Formas do Mesmo. São Paulo: UNESP, 2001.
SAMARA, Eni de Mesquita (Org). Historiografia Brasileira em Debate: olhares,
recortes e tendências. São Paulo: Humanitas/USP, 2002.
SCHWARCZ, Lilia Moritz. O Espetáculo das Raças. São Paulo: Cia. das Letras,
1993.
SILVA, Rogério Forastieri da. História da Historiografia: capítulos para uma história
das histórias da historiografia. Bauru – SP: Edusc, 2001.
WEHLING, Arno. Estado, História, Memória: Varnhagen e a Construção da
Identidade Nacional. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1999.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

Código da Disciplina: 0284


Nome da Disciplina: Psicologia da Educação II
Carga Horária: 60 h/a
Número de créditos: 04
Categoria: Obrigatória
Pré-requisito: 0172 (Psicologia da Educação I)

EMENTA
Psicologia da aprendizagem. Conceituação. Teorias: comportamentista,
psicanalítica, cognitivista e sócio-histórica. Psicopedagogia: conceito e
contribuições

OBJETIVOS
Conhecer os aspectos históricos e atuais que norteiam a psicologia da
aprendizagem
Analisar os conceitos básicos de motivação, retenção, transferência e
esquecimento da aprendizagem

BIBLIOGRAFIA BÁSICA
ARIÉS, P. História Social da Criança e da Família. Rio de Janeiro; Zahar,
1981.
AJURIAGUERRA, J. Manual de Psiquiatria Infantil. Rio de Janeiro:
Masson/ Atheneu, 1988.
ALENCAR, Eunice Soriano de. Psicologia da Educação do Superdotado.
São Paulo: EPU, 1986.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

BALDWIN, A. L. Teorias de Desenvolvimento da Criança. São Paulo:


Pioneira, 1973.
BEE, Helen. A Criança em Desenvolvimento. São Paulo: Harbra, 1983.
BEYER, Otto Hugo. O Fazer Psicopedagógico. Porto Alegre: Mediação,
1996.
BOCK. A. B. M. et al. Psicologias: Uma Introdução ao Estudo da
Psicologia. São Paulo: Saraiva, 1996.
BORDIN, Jussara & GROSSI, Esther. Construtivismo Pós-Piagetiano: Um
Novo Paradigma Sobre Aprendizagem. Rio de Janeiro: Vozes, 1993.
CAMPOS, Dinah Martins de Souza. Psicologia da Aprendizagem.
Petrópolis: Vozes, 1986.
CARRAHER, Terezinha. Aprender Pensando: Contribuições da Psicologia
Cognitiva para a Educação. Petrópolis: Vozes, 1991.
CORREL, Werner. Distúrbios da Aprendizagem. São Paulo: EPU, 1974.
DAVIS, Cláudia. Psicologia na Educação. São Paulo: Cortez, 1993.
ERICKSON, Erik. Identidade, Juventude e Crise. Rio de Janeiro: Zahar,
1976.
_____________. Infância e Sociedade. Rio de Janeiro: Zahar, 1972.
FERREIRO, Emília (org). Piaget-Vygotzky: Novas Contribuições para o
Debate. São Paulo: Ática, 1995.
GAGNÉ, Robert M. Como se Realiza a Aprendizagem. Rio de Janeiro:
Livros Técnicos e Científicos, 1974.
GARRISON, Karl C. et al. Psicologia da Criança. São Paulo: IBRASA,
1979.
PENNA, Antônio Gomes. Aprendizagem e Motivação. Rio de Janeiro;
Zahar, 1980.
PIKUNAS, Justin. Desenvolvimento Humano: Uma Ciência Emergente.
São Paulo: MgGraw-Hill, 1979.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

Código da Disciplina: 0323


Nome da Disciplina: Estrutura e Funcionamento do Ensino Básico
Carga Horária: 60 h/a
Número de créditos: 04
Categoria: Obrigatória
Pré-requisito:

EMENTA
Educação, trabalho e cidadania. O sistema educacional brasileiro: concepção,
legislação e operacionalização. Ensino público e privado. O Ensino Básico:
situação atual e perspectivas

OBJETIVOS
Capacitar os alunos na compreensão dos fundamentos da estrutura e
funcionamento da educação básica, a fim de lhes proporcionar
conhecimento sobre a políticas Educacional do país e seus sistemas de
ensino

BIBLIOGRAFIA BÁSICA
BERGER, Manfredo. Educação e Dependência. São Paulo: Difel, 1980.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

BRANDAO, C. A. A Questão Política da Educação Popular. São Paulo:


Brasiliense, 1979.
CUNHA, Luís Antônio. Educação e Desenvolvimento Social no Brasil. Rio
de Janeiro: Francisco Alves, 1986.
__________________. Uma Leitura da Teoria da Escola Capitalista. Rio de
Janeiro: Achimé, 1980.
FREIRE, Paulo. Educação e Humanização. Rio de Janeiro: Civilização
Brasileira, 1979.
KUENZER, Acácia Zeneida. Educação e Trabalho no Brasil. Brasília:
REDUC, 1987.
NIDELCOFF, Maria Tereza. Uma Escola para o Povo. São Paulo:
Brasiliense, 1980.
SAVIANI, Dermeval. Da Nova LDB ao Novo Plano Nacional de Educação:
Para uma outra Política Educacional. São Paulo: Cortez Autores Associados,
1998.
________________. Escola e Democracia. São Paulo: Cortez Autores
Associados 1983.
________________. Educação: Do Senso Comum à Consciência Filosófica.
São Paulo: Cortez Autores Associados, 1985.
TORINO, M. T. Educação e Estrutura da População: Estudos das
Desigualdades Regionais. São Paulo: Cortez A. A., 1982.
WARDE, M. J. Educação e Estrutura Social: A Profissionalização em
Questão. 3ª ed. São Paulo: Morais, 1983
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

Código da Disciplina: 0446


Nome da Disciplina: História Medieval
Carga Horária: 60/h/a
Número de créditos: 04
Categoria: Obrigatória
Pré-requisito: criar (História da Antiguidade Tardia)

EMENTA
A fragmentação e o parcelamento dos poderes; a dinâmica feudal;
crescimento econômico, desenvolvimento urbano e comercial; as monarquias,
o papado e o sacro Império; A Igreja no mundo feudal; os domínios da cultura:
as artes, as letras e as oralidades; o fim da Idade Média: crises e continuidades
do mundo feudal.

OBJETIVOS

Compreender os processos históricos nas sociedades Europeias durante a


Idade Média Central e a Baixa Idade Média.
Distinguir os elementos formadores e o funcionamento do sistema feudal;
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

Identificar as linhas de força do processo de crescimento da Europa partir do


ano 1000;
Compreender a dinâmica das relações sociais e das instituições na Europa
dos séculos XII e XIII;
Estabelecer relações entre os principais processos de crise e transformação
do final da Idade Média.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

BASCHET, Jerôme. A Civilização Feudal. Rio de Janeiro: Globo: 2006.


BLOCKMANS, W. e HOPPENBOUWERS, P. Introdução à Europa Medieval.
Rio de Janeiro: Forense, 2012.
LE GOFF, Jacques. As Raízes medievais da Europa. Petrópolis: Vozes,
2007.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR
ARIÈS, P. e DUBY, G. (orgs.). História da Vida Privada, v.2: da Europa feudal
à Renascença. São Paulo: Companhia das Letras, 1990.
BARTHELEMY, Dominique. A Cavalaria. Campinas: Unicamp, 2010.
DUBY, Georges. As Três ordens ou o imaginário do feudalismo. Lisboa:
Estampa, 1994.
LE GOFF, Jacques. A Civilização do Ocidente Medieval. Bauru: EDUSC,
2005.
LE GOFF, Jacques e SCHMIDT, Jean-Claude. Dicionário Temático do
Ocidente Medieval. Bauru: EDUSC, 2002.
LE GOFF, Jacques Para uma nova Idade Média. Petrópolis: Vozes, 2013.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

Código da Disciplina: 0527


Nome da Disciplina: História da África e da Cultura Afro-Brasileira
Carga Horária: 60 h/a
Número de créditos: 03
Categoria: Obrigatória
Pré-requisito: Não há

EMENTA

Estudo das propostas para o ensino de História da cultura Afro-brasileira e


História da África previstas pela Lei 10639/2003. Estudo das diferentes
estruturas sócio-políticas da África entre os séculos XVI e XX, os processos
de constituição dos sistemas coloniais e de descolonização. Estudo das
manifestações das culturas Afro-Brasileiras, das resistência escrava no Brasil
escravista, das associações negras e das lutas do negro no Brasil. Estudo da
historiografia sobre o tema.

OBJETIVOS

Trazer a baila as abordagens didático-pedagógicas acerca da História da


África e da cultura Afro-brasileira.
Apresentar a variedade cultural e religiosa das sociedades africanas das
quais se originavam os escravos do Brasil;
Analisar as manifestações culturais afro-brasileiras;
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

Discutir formas africanas e afro-brasileiras de interpretar a escravidão e a


sociedade escravista entre os séculos XVI e XIX no Brasil e seus reflexos na
sociedade atual
Investigar as diferentes manifestações de resistência escrava às formas de
dominação no Brasil.
Analisar a África brasileira no pensamento social desenvolvido no Brasil.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA
APPIAH, Kwame Anthony. Na casa de meu pai: a África na filosofia da
cultura. Rio de Janeiro:Contraponto, 1998.
BARRY, Boubacar. Reflexão sobre os discursos históricos das tradições
orais em Senegâmbia, in:Senegâmbia: o desafio da história regional.
Rio de Janeiro: SEPHIS/UCAM, 2000.
COSTA E SILVA, Alberto da Costa. A enxada e a lança: a África antes
dos portugueses. Rio deJaneiro: Nova Fronteira, 1996.
FERRO, Marc (org). O livro negro do colonialismo. Rio de Janeiro:
Ediouro, 2004.
GOMES, Flávio dos Santos; REIS, João José (org). Liberdade por um fio:
história de quilombos no Brasil. São Paulo: Cia das Letras, 1996.
HERNANDES, Leila Leite. África na sala de aula. São Paulo: Summus
Editorial/Selo Negro, 2005.
KI-ZERBO, Joseph (org). História Geral da África. São Paulo: Ática, 1988.
____________________. História da África negra. Lisboa: Europa-
América, 1998.

Bibliografia Complementar

L’ESTOILE, Benoit (org). Antropologia, Impérios e Estados Nacionais.


Rio de Janeiro: RelumeDumará, 2002
LOVEJOY, Paul. A escravidão na África: uma história das suas
transformações. Rio de Janeiro:Civilização Brasileira, 2003.
MINTZ, Sidney & PRICE, Richard. O nascimento da cultura afro-
americana. Rio de Janeiro:Pallas/CEAB-UCAM, 2003.
OLIVER, Roland. A experiência africana: da pré-história aos dias atuais.
Rio de Janeiro: JorgeZahar, 1988.
PANTOJA, Selma. NzingaMbandi: mulher, guerra e escravidão. Brasília:
Thesaurus, 2000.
SANTIAGO, Theo. Descolonização. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1977.
SANTOS, Patrícia Teixeira. D. Comboni: profeta da África e santo no
Brasil. Rio de Janeiro:Mauad, 2002.
SCHERMANN, Patrícia Santos. Dimensões da História da África
contemporânea. Rio de Janeiro:FEUC, 2002.
THORTON, John. A África e os africanos na formação do mundo
atlântico (1400-1800). Rio deJaneiro: Elsevier, 2004.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

YOUNG, Robert. Desejo colonial: hibridismo em teoria, cultura e raça.


São Paulo: perspectivas,2005.
WESSLING, Henry. Dividir para dominar: a partilha da África (1880-1914).
Rio de Janeiro:Editora da UFRJ/Revan, 1998.

Código da Disciplina: criar


Nome da Disciplina: História e Cultura Indígena
Carga Horária: 60 h/a
Número de créditos: 03
Categoria: Obrigatória
Pré-requisito: Não há

EMENTA

História, Cultura e identidade indígena brasileira e participação destes como


sujeitos na História do Brasil, manifestações e construções históricas.
Presença indígena na Amazônia. A Lei nº 11.645/08 e demandas na sua
implementação. Pressupostos para História e cultura indígena na sala de aula:
processos históricos da construção das sociedades indígenas; as diversidades
socioculturais; a participação dos povos indígenas contemporâneos nos
diversos espaços da sociedade brasileira.

OBJETIVO GERAL

Possibilitar o estudo da História, Cultura e identidade indígena brasileira na


sala de aula, discutindo a presença e representação destes na História do
Brasil demonstrando os avanços da Lei nº 11.645/08, diante dos processos
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

históricos da construção das sociedades indígenas; as diversidades


socioculturais; a participação dos povos indígenas contemporâneos nos
diversos espaços da sociedade brasileira.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

ALMEIDA, Maria Regina Celestino de. Metamorfoses indígenas: identidade


e cultura nas aldeias coloniais do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Arquivo
Nacional, 2003.
ALMEIDA, Maria Regina Celestino de. Os Índios na História do Brasil. Rio
de Janeiro: Editora FGV, 2010.
BERGAMASCHI, Maria Aparecida. Educação Escolar Indígena: Um Modo
Próprio de Recriar A Escola nas Aldeias Guarani. Campinas, vol. 27, n. 72, p.
197-213, maio/ago. 2007. Disponível em http://www.cedes.unicamp.br
BITTENCOURT, Circe; BERGAMASCHI, Maria Aparecida (orgs). Dossiê
Ensino de História Indígena. Revista História Hoje, v. 1, nº 2, 2012.
CUNHA, Manuela Carneiro da. História dos Índios do Brasil. São Paulo:
Cia das Letras; Secretaria Municipal de Cultura, FAPESP, 1992.
FAUSTO, Carlos. Inimigos Fiéis. História, guerra e xamanismo na
Amazônia. São Paulo: EDUSP, 2001.
FAUSTO, Carlos. Os índios antes do Brasil. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed.,
2000.
GALVÃO, Eduardo. Encontro de sociedades: índios e brancos no Brasil. Rio
de Janeiro: Paz e Terra, 1979.
FUNARI, Pedro; SILVA, Noelli. Pré-História do Brasil. São Paulo : Editora
Contexto, 2005.
FUNARI, Pedro Paulo; PIÑÓN. Ana. A temática indígena na escola:
subsídios para os professores. São Paulo: Contexto, 2011.
GRANDO, Beleni Saléte; PASSOS, Luiz Augusto (Orgs.). Eu e o Outro na
Escola: contribuições para inserir a história e a cultura dos povos indígenas
na escola. Cuiabá: EdUFMT, 2010.
LÉVI-STRAUSS, C. Tristes trópicos. Trad. Rosa Freire D'Aguiar. São Paulo:
Cia. das Letras, 1996.
LUCIANO, Gersem José dos Santos. O Índio Brasileiro: o que você precisa
saber sobre os povos indígenas no Brasil de hoje. Brasília: Ministério da
Educação, Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade;
LACED/Museu Nacional, 2006. (Coleção Educação para Todos).
MESGRAVIS, Laima; PINSKY, Carla B. O Brasil que os europeus
encontraram. São Paulo: Contexto, 2000.
MONTEIRO, John Manuel. Tupis, tapuias e historiadores: estudos de
história indígena e do indigenismo. 2001. Tese (Livre Docência em
Antropologia) – Universidade Estadual de Campinas. Campinas, 2001.
NEVES, Eduardo Góes. Arqueologia da Amazônia. Rio de Janeiro: Jorge
Zahar Ed. 2006.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

OLIVEIRA, João Pacheco de; FREIRE, Carlos Augusto da Rocha. A presença


indígena na formação do Brasil. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria
de Educação Continuada: LACED/Museu Nacional, 2006.
PORRO, Antonio. O Povo das Águas: ensaios de etno-história
amazônica. São Paulo: Vozes / Edusp,1996.
RODRIGUES, Isabel Cristina. A temática indígena nos livros didáticos de
História do Brasil para o ensino fundamental. In: ARIAS NETO, José Miguel
(org.). Dez anos de pesquisas em ensino de História. Londrina: AtritoArt,
2005. p. 287-296.
SAMPAIO, Patrícia Melo; ERTHAL, Regina de Carvalho (org.). Rastros da
memória: história das populações indígenas na Amazônia. Manaus:
EDUA, 2006.
SILVA, Aracy Lopes da; GRUPIONI, Luís Donisete Benzi (org.). A temática
indígena na escola: novos subsídios para professores de 1º e 2º graus.
Brasília: MEC/MARI/UNESCO, 2004.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

AZEVEDO, João Lúcio de. Os Jesuítas no Grão-Pará: suas missões e a


colonização. Edição Fac-símile. Belém: Secult, 1999.
CARDOSO, Ciro Flamarion S. Economia e sociedade em áreas coloniais
periféricas: Guiana Francesa e Pará, 1750-1817. Rio de Janeiro: Graal,
1984.
DEL PRIORE, Mary e GOMES, Flávio dos Santos (Orgs.). Os Senhores dos
Rios – Amazônia, Margem e Histórias. Rio de Janeiro: Campus, 2003.
DOMINGUES, Ângela. Quando os Índios eram Vassalos: colonização e
relações de poder no Norte do Brasil na segunda Metade do Século
XVIII. Lisboa, Comissão Nacional para as Comemorações dos
Descobrimentos Portugueses, 2000.
FAUSTO, Carlos. Os Índios Antes do Brasil. Rio de Janeiro: Jorge, 2000.
FAULHABER, Priscila; MONSERRAT, Ruth. Tastevin e a Etnografia
Indígena. Rio de Janeiro: Museu do Índio/FUNAI, 2008.
FLORES, Moacyr (org.). Negros e Índios: história e literatura. Porto Alegre:
EDIPUCRS, 1994.
LEONARDI, Victor Paes de Barros. Entre árvores e esquecimentos: história
social nos sertões do Brasil. Brasília: Paralelo 15 Editores, 1996.
MONTEIRO, John M. Negros da terra. São Paulo: Cia. das Letras, 1995.
OLIVEIRA FILHO, João Pacheco de (Org.) Sociedades indígenas &
indigenismo no Brasil. Rio de Janeiro: Universidade Federal do Rio de
Janeiro/Editora Marco Zero, 1987.
REIS, Artur Cezar Ferreira. História do Amazonas. 2.ª edição. Manaus /
Belo Horizonte: SCA / Itatiaia,1989.
RIBEIRO, D. Os índios e a civilização: a integração das populações
indígenas no Brasil moderno. 5.ed. Petrópolis : Vozes, 1986.
SAHLINS, Marshall. Metáforas históricas e realidades míticas. Rio de
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

Janeiro: Jorge Zahar editor, 2008.


SANTOS, Francisco Jorge dos. Além da Conquista: guerras e rebeliões
indígenas na Amazônia pombalina. 2.ª edição. Manaus: Edua, 2002.
SAMPAIO, Patrícia Maria Melo. Espelhos partidos: etnia, legislação e
desigualdade na Colônia – Sertões do Grão-Pará, c.1755 - c. 1823. 2001. Tese
(Doutorado em História). Instituto de Ciências Humanas e Filosofia,
Universidade Federal Fluminense, Niterói.
VAINFAS, Ronaldo. A Heresia dos Índios: catolicismo e rebeldia no Brasil
colonial. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.

Código da Disciplina: 0319


Nome da Disciplina: Didática Geral
Carga Horária: 60 h/a
Número de créditos: 04
Categoria: Obrigatória
Pré-requisito: 0284

EMENTA
A didática e o processo de ensino–aprendizagem. Teoria de planejamento: o
planejamento do ensino (conceituação, fases, níveis e tipos). Objetivos educacionais.
Conteúdo. Procedimentos e recursos de ensino. Procedimentos e instrumentos de
avaliação. Planejamento de Ensino: elaboração de planos de curso e de aula.

OBJETIVO GERAL
Oportunizar momentos de ação e reflexão sobre a importância da didática no
processo de ensino aprendizagem priorizando o planejamento como uma
atividade humana importante para a construção da aprendizagem

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

ANDRÉ, Marli. Emografia da Prática Pedagógica. São Paulo: Papirus, 1995.


APPLE, Michael & NÓVOA, Antonio (orgs.). Paulo Freire: Política e Pedagogia.
Porto Alegre: Editora, 1998.
CANDAU, Vera Maria (org). A Didática em Questão. Petrópolis: Vozes, 1996.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

DALMÁS, Ângelo. Planejamento Participativo na Escola. Petrópolis: Vozes, 1994.


ESTRELA, Albano. Pedagogia: Ciência da Educação. Porto Alegre: Editora, 1992.
FLEURY, Reinaldo Matias. Educar para Quer? Uberlândia, UFU, 1987.
FREIRE, Paulo. A Pedagogia da Autonomia: Saberes Necessários à Práticas
Docente. São Paulo: Paz e Terra, 1996.
____________ . Pedagogia do Oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1992.
FREITAS, Luiz Carlos de. Crítica da Organização do Trabalho Pedagógico e da
Didática. Campinas: Papirus, 1995.
GANDIN, Danilo & CRUZ, Carlos H. Carrilho. Planejamento na Sala de Aula. Porto
Alegre: La Salle, 1996.
GANDIN, Danilo. Planejamento como Prática Educativa. São Paulo: Ática, 1991.
____________ . A Prática do Planejamento Participativo. Petrópolis: Vozes, 1995.
GHIRALDELLI JR. Paulo. O que é Pedagogia. São Paulo: Brasiliense, 1996.
GIROUX, Henry. Os Professores Intelectuais: Rumo a uma Pedagogia Crítica da
Aprendizagem. Porto Alegre: Artes Médicas, 1997.
HAYDT, Regina Célia Casaux. Curso de Didática Geral. São Paulo: Ática, 1997.
JESUS, Antônio Tavares de. Educação e Hegemonia no Pensamento de Antonio
Gramsci. Campinas: Cortez, 1989.
LIBÂNEO, José Carlos. Democratização da Escola Pública: A Pedagogia Crítico-
Social dos Conteúdos. São Paulo: Loyola, 1986.
___________________ . Didática. São Paulo: Cortez, 1994.
LUCKESI, Cipriano Carlos. Avaliação da Aprendizagem Escolar. São Paulo:
Cortez, 1994.
MARTINS, José do Prado. Didática Geral: Fundamentos, Planejamento,
Metodologia, Avaliação. São Paulo: Atlas, 1990.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

Código da Disciplina: criar


Nome da Disciplina: Educação Patrimonial e Ambiental
Carga Horária: 60 h/a
Número de créditos: 04
Categoria: Optativa
Pré-requisito: Não há

EMENTA
Educação, meio ambiente e patrimônio histórico-cultural: aportes teóricos. As
relações entre patrimônio, memória, história, meio ambiente, educação,
pesquisa, ensino e cidadania. Conhecimento histórico, meio ambiente e
patrimônio: a interdisciplinaridade como prática educativa. Metodologia da
Educação Patrimonial e Ambiental.

OBJETIVOS

 Apresentar as concepções atuais de Educação Ambiental e Educação


Patrimonial, bem como o histórico das discussões acerca dos conceitos e
práticas envolvidos nesses campos do saber.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

 Subsidiar – teórica e mitologicamente – pesquisas e de ações


interdisciplinares que articulem saberes ligados às noções de patrimônio,
memória, história, meio ambiente, educação, pesquisa, ensino e cidadania.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

ABREU, Regina & CHAGAS, Mário. Memória e Patrimônio. Ensaios


contemporâneos. Rio de Janeiro: DP&A, 2003.
ARANTES, Antonio Augusto. Produzindo o nosso passado: estratégias e
construção do patrimônio cultural. São Paulo: Brasiliense, 1984.
AZEVEDO, Flávia Lemos Mota de; CATÃO, Leandro Pena & PIRES, João
Ricardo Ferreira (org.). Cidadania, Memória e Patrimônio: as dimensões do
museu no cenário atual. Belo Horizonte: Crisálida, 2009.
BARRETO, Euder Arrais (et. al.). Patrimônio Cultural e Educação: artigos e
resultados. Goiânia: UFG: UCG: Museu Antropológico: IPHAN, 2008.
CHUVA, Márcia. A Invenção do Patrimônio: continuidade e ruptura na
constituição de uma política de preservação no Brasil. Rio de Janeiro:
IPHAN, 1995.
BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR
ALMEIDA, Marco Antonio & PAOLI, Maria Celia. “Memória, cidadania e
cultura popular”. In: Revista do Instituto Histórico e Artístico Nacional.
Brasília: IPHAN, n. 24, 1996.
ARÉVALO, Márcia da Massena. Patrimônio Imaterial: os debates, os
critérios e o histórico de uma política cultural. 2007. Monografia
(Bacharelado em História). Mariana: UFOP, 2007.
BENJAMIN, Walter. Magia e Técnica, Arte e Política: Obras escolhidas
(vol.1). Tradução de Sérgio Paulo Rouanet. São Paulo: Brasiliense, 1993.
BESSA, Altamiro Sérgio Mol (coord.). Preservação do Patrimônio Cultural.
Nossas casas e cidades. Uma herança para o futuro. Belo Horizonte: CREA-
MG, 2004.
BO, João Batista Lanari. Proteção do Patrimônio na UNESCO: ações e
significados. Brasília: UNESCO, 2003.
BOSI, Ecléa. Memória e Sociedade. Lembranças de velhos. 7. ed. São
Paulo: Cia das Letras, 1994.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

______. O tempo vivo da memória: ensaios de psicologia social. São


Paulo: Ateliê Editorial, 2003.
BRANDÃO, Carlos Rodrigues (org.). As faces da Memória. Campinas: Centro
de Memória da UNICAMP, 199_.
______. Aqui onde eu moro, aqui nós vivemos: escritos para conhecer,
pensar e praticar o município educador sustentável. Brasília: MMA,
Programa Nacional de Educação Ambiental, 2005.
BRASIL. Constituição, 1988. Constituição da República Federativa do
Brasil: promulgada em 05 de outubro de 1988. 2º ed. (rev. e amp.). São Paulo:
Saraiva, 2002.
______. Lei nº 9.795, 27 de abril de 1999. Dispõe sobre a educação
ambiental, institui a Política Nacional de Educação Ambiental e dá outras
providências.
______. Ministério da Educação. Parâmetros Curriculares Nacionais. 3º ed.
Brasília: MEC, 2001 (Volumes: 1. Introdução, 5. História e Geografia, 8.
Pluralidade Cultural e Orientação Sexual e 10. Temas Transversais e Ética).
______. Ministério do Meio Ambiente. Diretoria de Educação Ambiental.
Ministério da Educação. Coordenação Geral de Educação Ambiental.
Programa Nacional de Educação Ambiental - ProNEA. 3. ed. Brasília: MMA,
2005.
BRAYNER, Natália Guerra. Patrimônio cultural imaterial: para saber mais.
Brasília: IPHAN, 2007.
BRÜGGER, Paula. Educação ou adestramento ambiental? 3. ed. Chapecó:
Letras Contemporâneas, 2004.
BOURDIEU, Pierre. Os usos sociais da ciência: por uma sociologia clínica
do campo cientifico. Tradução de Denice Barbara Catani. São Paulo: Unesp,
2004.
CERTEAU, Michel de. “A beleza do morto”. In: A cultura no plural. Tradução
de Enid Abreu Dobranszky. Campinas: Papirus, 1995. pp. 55-85.
CORTELLA, Mario Sergio. A escola e o conhecimento: fundamentos
epistemológicos e políticos. 12. ed. (rev. e amp.). São Paulo: Cortez, 2008.
pp. 47-130.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

CURY, Carlos R. Jamil & TOSTA, Sandra de F. (org.). Educação, cidade e


cidadania. Leituras de Experiências Socioeducativas. Belo Horizonte:
Autêntica: PUC-Minas, 2007.
DAMATTA, Roberto. O que é o Brasil? Rio de Janeiro: Rocco, 2003.
DIAS, Reinaldo. Turismo e Patrimônio Cultural – recursos que acompanham
o crescimento das cidades. São Paulo: Saraiva, 2006.
FALCÃO, Joaquim Arruda. “Política cultural e democracia: a preservação
do patrimônio histórico e artístico nacional”. In: MICELI, Sérgio (org.).
Estado e cultura no Brasil. São Paulo: Difel, 1984.
FERNANDES, José Ricardo Oriá. “Educação Patrimonial e cidadania: uma
proposta alternativa para o ensino de história”. In: Revista Brasileira de
História. São Paulo: ANPUH. v. 13, n. 25/26, 1993. pp. 265-275.
FERRARO JUNIOR, Luiz Antonio (org.) Encontros e caminhos: formação
de educadoras(es) ambientais e coletivos educadores. Brasília: MMA,
Diretoria de Educação Ambiental, 2005.
FONSECA, Maria Cecília Londres. O patrimônio em processo. Trajetória da
política federal de preservação no Brasil. Rio de Janeiro: UFRJ: IPHAN,
2009.
FUNDAÇÃO JOÃO PINHEIRO. Pesquisa Educação Patrimonial: subsídios
para a elaboração de proposta alternativa para o ensino de história. Belo
Horizonte: Fundação João Pinheiro, 2001.
FUNARI, Pedro Paulo & PELEGRIN, Sandra de Cássia Araujo. O que é
Patrimônio Cultural Imaterial. São Paulo: Brasiliense, 2008.
______ & PINSK, Jaime (org.). Turismo e Patrimônio Cultural. 4º ed. (rev. e
amp.) São Paulo: Contexto, 2005.
GABRIEL, Carmem Teresa. “Escola e cultura: uma articulação inevitável e
conflituosa”. In: CANDAU, Vera Maria (org.). Reinventar a Escola. 3º ed.
Petrópolis: Vozes, 2002. pp. 17-46.
HALBWACHS, Maurice. A Memória Coletiva. São Paulo: Centauro, 2004.
HORTA, Maria de Lourdes Parreira; GRUMBERG, Evelina & MONTEIRO,
Adriane. Guia Básico de Educação Patrimonial. Brasília: IPHAN: Museu
Imperial, 1999.
JEUDY, Henri-Pierre. Memórias do Social. Tradução de Marcia Cavalcanti.
Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1990.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

LAYRARGUES, Philippe Pomier (org.). Identidades da educação ambiental


brasileira. Brasília: Ministério do Meio Ambiente, 2004.
LE GOFF, Jacques. “Memória”. Tradução de Bernardo Leitão e Irene
Ferreira. In: Enciclopédia Einaudi. 1. Memória-História. Porto: Imprensa
Nacional: Casa da Moeda, 1984. pp. 11-50.
______. “Documento-Monumento”. Tradução de Suzana Ferreira Borges.
In: Enciclopédia Einaudi. 1984. op. cit. pp. 95-106.
LEMOS, Carlos. O que é patrimônio histórico. São Paulo: Brasiliense, 1982.
LOUREIRO, Carlos Frederico (et. al.) (org.). Pensamento complexo,
dialético e educação ambiental. São Paulo: Editora Cortez, 2006.
LOUREIRO, Carlos Frederico; LAYRARGUES, Philippe Pomier & CASTRO,
Ronaldo de Souza (org.) Sociedade e meio ambiente: a educação
ambiental em debate. 4. ed. São Paulo: Cortez, 2004.
______ (org.). Repensar a educação ambiental, um olhar crítico. São Paulo:
Cortez, 2009.
MAGALHÃES, Aloísio. E triunfo? A questão dos bens culturais no Brasil.
2. ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira: Fundação Roberto Marinho, 1997.
MINISTÉRIO DA CULTURA (org.). A invenção do patrimônio: continuidades
e rupturas na constituição de uma política oficial de preservação no Brasil. Rio
de Janeiro: IPHAN, 1995.
______. Plano Nacional de Cultura. Diretrizes Gerais. 2º ed. (rev. e
atualizado). Brasília: MINC, 2007.
MORIN, Edgar. “Inter-poli-transdiscipliridade”. In: A cabeça bem-feita.
Repensar a reforma, reformar o pensamento. 15º ed. Tradução de Eloá
Jacobina. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2008. pp. 105-116.
NEVES, Joana. “A História local e a construção da identidade social”. In:
Saeculum. Revista de História. João Pessoa: UFPB, n. 03, 1996/1997. pp. 13-
27.
NORA, Pierre. “Entre memória e história: a problemática dos lugares”. In:
Projeto História. São Paulo: PUC-SP. n. 10, 1993.
PELEGRINI, Sandra C. A. “Cultura e natureza: os desafios das práticas
preservacionistas na esfera do patrimônio cultural e ambiental”. In:
Revista Brasileira de História. São Paulo: ANPUH, vol. 26, n. 51, janeiro-
junho, 2006. pp. 115-140.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

POLLAK, Michael. “Memória, Esquecimento, Silêncio”. In: Estudos


Históricos. Rio de Janeiro: FGV, v.2, nº 3, 1989. pp. 03-15
REIGOTA, Marcos. O que é educação ambiental. São Paulo: Brasiliense,
1994.
______. Meio ambiente e representação social. São Paulo: Cortez, 1995.
______. A floresta e a escola: por uma educação ambiental pós-moderna.
2. ed. São Paulo: Cortez, 2002.
RIBEIRO, Wagner Costa & ZANIRATO, Silvia Helena. “Patrimônio Cultural:
a percepção da natureza como um bem não renovável”. In: Revista
Brasileira de História. São Paulo: ANPUH. v. 26, n. 51, 2006. pp. 251-262.
SANTOS, Afonso Marques dos. “Memória-cidadã: história e patrimônio
cultural”. In: Anais do Museu Histórico Nacional. Rio de Janeiro: MINC,
1997.
SATO, Michele & CARVALHO, I. C. M. (org.) Educação Ambiental: pesquisa
e desafios. Porto Alegre: Artmed, 2005.
______. Educação ambiental: a formação do sujeito ecológico. 2.ed. São
Paulo: Cortez, 2006.
SAUVÉ, L. ; ORELLANA, I. & SATO, Michele (dir.). Textos escolhidos em
educação ambiental: de uma América à outra. Tomo I. Montreal: ERE-UQAM,
2002.
SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO. Reflexões e contribuições
para a Educação Patrimonial. Belo Horizonte: SEE/ MG, 2002.
TOJI, Simone. “Patrimônio Imaterial: marcos, referências, políticas
públicas e alguns dilemas”. In: Patrimônio e Memória. Assis: UNESP:
CEDAP, v. 05, n. 02, 2009. pp. 01-16.
UNESCO. Declaração dos princípios da cooperação cultural
internacional. Paris, 1966.
______. Convenção sobre a proteção do patrimônio mundial. Paris, 1972.
______. Recomendações sobre a salvaguarda da cultura tradicional e
popular. Paris, 1989.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

Código da Disciplina: 0531


Nome da Disciplina: História Moderna
Carga Horária: 60 h/a
Número de créditos: 03
Categoria: Obrigatória
Pré-requisito: 0446 (História Medieval)

EMENTA

Desestruturação da sociedade feudal e instalação e novas relações


econômicas, políticas e sociais. As transformações na Religião e Ciência.
Reforma Protestante e Reforma Católica. Formação do Estado Moderno.
Mercantilismo e Capitalismo. A expansão europeia e a formação do mundo
Atlântico. As instituições políticas e ideológicas liberais. Formação da
burguesia e a vida nas cortes. Revoluções: Inglesa, Americana e Francesa.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

OBJETIVOS
 Apresentar alguns aspectos da cultura e da sociedade dos séculos XVI a XVIII no
mundo ocidental e discuti-los do ponto de vista historiográfico e conceitual, em um
quadro de referência que articula mudanças e permanências.
 Elucidar as formas pelas quais a época denominada moderna apresenta novas
maneiras de organizar o tempo e a produção material, originando também novas
modalidades de narrativa histórica.
 Evidenciar as novas concepções mentais/estéticas do Renascimento, a formação
dos Estados com uma nova noção de poder e a abertura do Atlântico como
momento de maior mutação no espaço humano e as transformações econômicas
proveniente da expansão dos territórios conhecidos.
BIBLIOGRAFIA BÁSICA
ANDERSON, Perry. Linhagens do Estado Absolutista. Tradução de João R.
Martins Filho. São Paulo: Brasiliense, 1988.
ARIÉS, Phillipe & CHARTIER, Roger (org.). História da Vida Privada: da
Renascença ao Século das Luzes. Tradução de Hildegard Feist. São Paulo:
Companhia das Letras, 1991.
CHAUNU, Pierre. A Civilização da Europa das Luzes. Tradução de Manoel
João Gomes. Lisboa: Editorial Estampa, 1985.
CORVISIER, André. História Moderna. Tradução de Rolando Roque da Silva.
Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1995.
HOBSBAWM, Eric. Da Revolução Industrial Inglesa ao Imperialismo. 3º ed.
Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1983.
Bibliografia complementar
ALBERIGO, Giuseppe (org.). História dos Concílios Ecumênicos. Tradução
de José M. de Almeida. São Paulo: Paulus, 1995.
ANDERSON, Perry. As origens da pós-modernidade. Tradução de Marcos
Penchel. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 1999.
ARIÉS, Phillipe. História Social da Criança e da Família no Ocidente. 2. ed.
Tradução de Dora Flaksman. Rio de Janeiro: Guanabara, 1981. pp. 165-194.
BAKHTIN, Mikhail. A Cultura Popular na Idade Média e no Renascimento:
contexto de François Rabelais. Tradução de Yara Frateschi Vieira. São Paulo/
Brasília: Hucitec/ Editora da UnB, 2008.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

BAKHTIN, Mikhail. A Cultura Popular na Idade Média e no Renascimento:


contexto de François Rabelais. Tradução de Yara Frateschi Vieira. São Paulo/
Brasília: Hucitec/ Editora da UnB, 2008.
BAUMAN, Zygmunt. Modernidade Líquida. Tradução de Plínio Dentzien. Rio
de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2001.
BERGER, Peter Ludwig. O processo de secularização. In: _ O dossel
sagrado: elementos para uma teoria sociológica da religião. Org. Luiz
Roberto Benedetti. Trad.: José Carlos Barcellos. São Paulo: Paulus, 1985. pp.
117-138.
BERMAN, Marshal. “Introdução: Modernidade – ontem, hoje e amanhã”.
In: Tudo que é sólido desmancha no ar. Tradução de Carlos Felipe Moisés.
São Paulo: Companhia das Letras, 1986. pp. 15-36.
BERNAND, Carmen & GRUZINSKI, Serge. História do Novo Mundo. As
mestiçagens. Tradução de Mary Amazonas Leite de Barros. São Paulo: USP,
v.2, 2006.
BOSSY, John. A Cristandade no Ocidente (1400-1700). Tradução de Maria
Amélia Silva Melo. Lisboa: Edições 70, 1990.
BRAUDEL, Fernand. A dinâmica do capitalismo. Tradução de Álvaro Cabral.
Rio de Janeiro: Rocco, 1987. pp. 98-108.
BURCKHARDT, Jacob. A cultura do Renascimento na Itália: um ensaio.
Tradução de Sérgio Tellaroli. São Paulo: Companhia das Letras, 1991.
BURKE, Peter. Cultura Popular na Idade Moderna. Tradução de Denise
Bottmann. São Paulo: Companhia das Letras, 1993.
CHAUNU, Pierre. A Civilização da Europa Clássica. Tradução de Tereza
Rodrigues. Lisboa: Editorial Estampa, 1983.
______. Conquista e Exploração dos Novos Mundos (século XVI).
Tradução de Maurílio José de Oliveira Camello. São Paulo: Pioneira: EDUSP,
1984.
______. “Para compreender as Luzes”. In: A Civilização da Europa das
Luzes. Tradução de Manoel João Gomes. Lisboa: Editorial Estampa, 1985.
pp. 17-44.
______. O Tempo das Reformas (1250-1550). História religiosa e sistemas
de civilização. Tradução de Cristina Diamantino. Lisboa: Edições 70, 1993.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

CHESNEAUX, Jean. Modernidade Mundo. Tradução de João Da Cruz.


Petrópolis: Vozes, 1995. pp. 17-62.
CIPOLLA, Carlo M. “A alvorada da Idade Moderna”. In: História Económica
da Europa Pré-Industrial. Tradução de Joaquim João Coelho da Rosa.
Lisboa: Edições 70, 1984. pp. 247-275.
CONNOR, Steven. “Pós-Modernidades”. In: Cultura Pós-Moderna. 4º ed.
Tradução de Adail Sobral e Maria Stela Gonçalves. São Paulo: Loyola, 2000.
pp. 29-56.
CROUZET, Maurice (dir.). História Geral das Civilizações. São Paulo: Difel,
s/d. (volumes IX a XII).
DAVIS, Natalie Z. Culturas do Povo. Tradução de Mariza Corrêa. Rio de
Janeiro: Paz & Terra, 1990. pp. 129-185.
DELUMEAU, Jean. La Reforma. Barcelona: Editorial Labor, 1967.
______. El Catolicismo de Lutero a Voltaire. Tradução de M. Candel.
Barcelona: Labor, 1973.
______. A Civilização do Renascimento. Tradução de Manuel Rua. Lisboa:
Editorial Estampa, 1984.
______. A confissão e o perdão. As dificuldades da confissão nos
séculos XIII a XVIII. São Paulo: Companhia das Letras, 1991.
______. História do medo no Ocidente (1300-1800). Tradução de Maria
Lucia Machado. São Paulo: Companhia de Bolso, 2009.
DOBB, Maurice. A evolução do Capitalismo. Tradução de Manuel do Rego
Braga. Rio de Janeiro: LTC, 2009.
DOMINGUES, José Mauricio. “Modernidade global e análise civilizacional”.
In: Do Ocidente à Modernidade: intelectuais e mudança social. Rio de
Janeiro: Civilização Brasileira, 2003. pp. 231-261.
EAGLETON, Terry. As ilusões do pós-modernismo. Tradução de Elisabeth
Barbosa. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 1998.
ELIAS, Norbert. “A civilização e as transformações no comportamento
humano”. In: O processo civilizador. Tradução de Ruy Jungman. Rio de
Janeiro: Zahar, 1990.
______. A sociedade de corte. Tradução de Pedro Sussekind. Rio de Janeiro,
Zahar, 2001.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

ENGLES, Friedrich. As Guerras Camponesas na Alemanha. São Paulo:


Grijalbo, 1977.
FALCON, Francisco José C. Mercantilismo e transição. São Paulo:
Brasiliense, 1981.
_______. Iluminismo. São Paulo, Ática, 1986.
FEBVRE, Lucien. O problema da incredulidade no século XVI: a religião de
Rabelais. Tradução de Maria Lucia Machado. São Paulo: Companhia das
Letras, 2009.
______. Martinho Lutero, um destino. Tradução de Dorothee de Bruchard.
São Paulo: Três Estrelas, 2012.
FRANK, Andre Gunder. "A expansão do século XVI". In: Acumulação
Mundial (1492-1789). Tradução de Hélio Pólvora e Carlos Nelson Coutinho.
Rio de Janeiro: Zahar, 1977. pp. 83-97.
GIDDENS, Anthony. “Capítulo I: Introdução”. In: As consequências da
modernidade. Tradução de Raul Fiker. São Paulo: Unesp, 1991. pp. 11-60.
______. “A vida em uma sociedade pós-tradicional”. In: GIDDENS, Anthony;
BECK, Ulrich & LASH, Scott. Modernização reflexiva: política, tradição e
estética na ordem social moderna. Tradução de Magda Lopes. São Paulo:
Unesp, 1997. pp. 73-133.
GREENE, Theodore M. Liberalismo: teoria e prática. Tradução de Leonidas
Gontijo de Carvalho. São Paulo: Ibrasa, 1968.
GRUZINSKI, Serge. O pensamento mestiço. Tradução de Rosa Freire
d'Aguiar. São Paulo: Companhia das Letras, 2001.
GUINZBUG, Carlo. O Queijo e os Vermes. Tradução de Maria Betânia
Amoroso. São Paulo: Companhia das Letras, 1989.
HALL, A. Rupert. A Revolução na Ciência: 1500-1750. Lisboa: Edições 70.
HARTOG, François. “Tempo e Patrimônio”. Tradução de José Carlos Reis. In:
Varia História. Belo Horizonte: UFMG, 2006. vol. 22, nº 36, jul-dez. de 2006.
pp. 261-273.
HARVEY, David. “Passagens da modernidade à pós-modernidade na cultura
contemporânea”. In: Condição pós-moderna. Tradução de Adail Sobral e
Maria Stela Gonçalves. São Paulo: Loyola, 1992. pp.13-113.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

HELLER, Agnes. O Homem do Renascimento. Tradução de Conceição


Jardim e Eduardo Nogueira. Lisboa: Presença, 1982.
HENRY, John. A Revolução Científica e as Origens da Ciência Moderna.
Tradução de Maria Luiza Borges. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 1998.
HILL, Christopher. O Mundo de Ponta Cabeça. Ideias radicais durante e
Revolução Inglesa de 1640. Tradução de Renato Janine Ribeiro. São Paulo:
Companhia das Letras, 1989.
HILL, Christopher. O Mundo de Ponta Cabeça. Ideias radicais durante e
Revolução Inglesa de 1640. Tradução de Renato Janine Ribeiro. São Paulo:
Companhia das Letras, 1989.
______. As Origens Intelectuais da Revolução Inglesa. São Paulo: Martins
Fontes, 1992.
HOBBES, Thomas. Leviatã ou matéria, forma e poder de um Estado
eclesiástico e civil. São Paulo: Abril Cultural, 1974. (Coleção Os
Pensadores).
HOBSBAWM, Eric. A Era das Revoluções (1789-1848). Rio de Janeiro: Paz
& Terra, 1977.
IANNI, Octavio. Os enigmas da modernidade-mundo. Rio de Janeiro:
Civilização Brasileira, 2000. pp. 09-64.
KOSELLECK, Reinhart. “Modernidade – Sobre a semântica dos conceitos
de movimento na modernidade”. In: Futuro Passado. Contribuição à
semântica dos tempos históricos. Tradução de W. P. Maas e Carlos Almeida
Pereira. Rio de Janeiro: PUC-Rio: Contraponto, 2006. pp. 267-303.
KOYRÉ, Alexandre. Do mundo fechado ao universo infinito. Tradução
Donaldson M. Garschagen. 4. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2006.
LADURIE, Emanuel Le Roy. O Estado Monárquico. São Paulo: Companhia
das Letras, 1994.
LEBRUN, François. “As Reformas: devoções comunitárias e piedade pessoal”.
In: ARI-ÉS, Phillipe & CHARTIER, Roger (org.). História da Vida Privada: da
Renascença ao Século das Luzes. Tradução de Hildegard Feist. São Paulo:
Companhia das Letras, 1991. Volume 3.
LEFEBVRE, George. 1789 – O Surgimento da Revolução Francesa. Rio de
Janeiro: Paz & Terra, 1989.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

LYOTARD, Jean-François. O Pós-Moderno. Tradução de Ricardo Correa


Barbosa. Rio de Janeiro: José Olympio Editora, 1986.
MANFRED, A. Z. Do Feudalismo ao Capitalismo. Tradução de . São Paulo:
Global, 1990.
MANTOUX, Paul. A Revolução Industrial no Século XVIII. São Paulo:
Hucitec, s/d.
MAQUIAVEL, Nicolau. O Príncipe. Tradução de Claudia Warrak e Raul
Loureiro. São Paulo: Penguim/ Companhia das Letras, 2010.
MARAVALL, José Antônio. A cultura do barroco. São Paulo: EdUSP, 1997.
MAURO, Frédéric. Expansão Europeia (1600-1870). Tradução de Maria
Luiza Marcílio. São Paulo: Pioneira: EdUSP, 1980.
MENDONÇA, Maria Aparecida M. “Barroco: teorias genético-formal e
genético-social”. In: Revista de História. São Paulo: USP, v. 55, n. 109, 1997.
pp. 81-147.
MOLIÈRE. O burguês fidalgo (texto sem referência).
MORSE, Richard M. O espelho de próspero. Cultura e ideias nas Américas.
Tradução de Paulo Neves. São Paulo: Companhia das Letras, 1988.
MULLET, Michel. A Contra-Reforma. Tradução de J. Santos Soares. Lisboa,
Gradiva, 1985.
OZOUF, Mona. “Descristianização”. In: FURET, F.; OZOUF, M. (ed.)
Dicionário crítico da Revolução Francesa. Rio de Janeiro: Nova Fronteira,
1989.
PAIM, Antonio. Evolução Histórica do Liberalismo (em colaboração com
Francisco Martins de Souza, Ricardo Vélez Rodríguez e Ubiratan Borges de
Macedo). Belo Horizonte: Itatiaia, 1977.
POLANKI, Karl. A Grande Transformação. Rio de Janeiro: Campus, 1980.
POLANKI, Karl. A Grande Transformação: as origens da nossa época.
Tradução de Fanny Wrobel. Tradução de _. Rio de Janeiro: Campus, 1980.
ROSSI, Paolo. O nascimento da ciência moderna na Europa. Tradução de
Antonio Angonese. Bauru: Edusc, 2001.
ROTTERDAM, Erasmo de. Elogio da Loucura. Tradução de Paulo Sergio
Brandão. São Paulo: Martin Claret, 2008.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

SANTIAGO, Théo (org.). Capitalismo - Transição. Rio de Janeiro: Eldorado,


1975.
SANTIAGO, Théo (org.). Capitalismo - Transição. Rio de Janeiro: Eldorado,
1975.
SOARES, Luiz Carlos. Do novo Mundo ao universo Heliocêntrico: Os
Descobri-mentos e a Revolução Copernicana. São Paulo: Hucitec, 1999.
STAROBINSKI, Jean. A invenção da liberdade. Tradução de Fúlvia M. Luiza
Moreno. São Paulo: UNESP, 1994.
THOMAS, Keith. Religião e Declínio da Magia. Mudanças de Atitude em
Relação às Plantas e aos Animais (1500-1800). Tradução de João Roberto
Martins Filho São Paulo: Companhia das Letras, 1991.
THOMAS, Keith. Religião e Declínio da Magia. Mudanças de Atitude em
Relação às Plantas e aos Animais (1500-1800). Tradução de João Roberto
Martins Filho São Paulo: Companhia das Letras, 1991.
THOMPSON, E. P. A Formação da Classe Operária Inglesa. Rio de Janeiro:
Paz & Terra, V. 3, 1987.
TODOROV, Tzwetan. “Viajantes e Indígenas”. In: GARIN, Eugenio (org.). O
Homem Renascentista. Lisboa: Presença, 1991.
_____. A Conquista da América: A Questão do Outro. Tradução de Beatriz
Perrone Moisés. São Paulo: Martins Fontes, 1999.
TOURAINE, Alain. Crítica da Modernidade. 5º ed. Tradução de Elie Ferreira
Edel. Petrópolis: Vozes, 1998. pp. 15-209.
TREVOR-ROPER, H.R. Religião, Reforma e transformação social.
Tradução de Maria do Carmo Cary. Lisboa: Editorial Presença/ Martins Fontes,
1981.
VOVELLE, Michel. As almas do purgatório ou o trabalho de luto. Tradução
de Aline Meyer e Roberto Cattani, São Paulo: UNESP, 2010.
WEBER, Max. A Ética Protestante e o Espírito do Capitalismo. Tradução
de José Marcos Mariani de Macedo. São Paulo: Companhia das Letras, 2004.
WOLFFLIN, Heinrich. Renascença e Barroco. São Paulo: Perspectiva, 1989.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

Código da Disciplina: 0527


Nome da Disciplina: História da América I
Carga Horária: 60 h/a
Número de créditos: 04
Categoria: Obrigatória
Pré-requisito: Não há
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

EMENTA

Realizar uma reflexão sobre os principais temas da história da América


Espanhola tais como: as características gerais das sociedades da América
Pré-Colombiana e sua diversidade cultural. A conquista e colonização das
Américas; as reformas bourbônicas; a crise do sistema colonial. O rompimento
político das Treze Colônias Inglesas. A organização política, econômica,
social, cultural das novas nações americanas. A crise do Antigo Regime e os
movimentos de independência.

OBJETIVOS

 Analisar as características políticas, econômicas, sociais e culturais das


sociedades e culturas Pré-Colombianas.
 Refletir sobre as principais discussões presentes na historiografia
acerca da conquista e colonização da América
 Identificar e refletir sobre as mudanças históricas nas sociedades
americanas ao longo do período colonial, relacionando a crise do Antigo
Regime ao processo de Independência das Américas.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

SCHWARTZ, Stuart; LOCKHART, James. A América Latina na época


colonial. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2002.
BETHELL, L. (org.). História da América Latina: a América Latina Colonial,
volume I. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo; Imprensa Oficial
do Estado; Brasília, DF: Fundação Alexandre de Gusmão, 1998.
BETHELL, L. (org.). História da América Latina: a América Latina Colonial,
vol. II. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo; Imprensa Oficial do
Estado; Brasília, DF: Fundação Alexandre de Gusmão, 1999.
BETHELL, L. (org.). História da América Latina: da Independência a 1870,
vol. III. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo; Imprensa Oficial do
Estado; Brasília, DF: Fundação Alexandre de Gusmão, 2001.
KARNAL, Leandro et. al. História dos Estados Unidos: das origens ao
século XXI. São Paulo: Contexto, 2007.
TODOROV, Tzvetan. A Conquista da América. São Paulo: Martins Fontes,
1988.
WASSERMAN, C. (org.) História da América Latina: cinco séculos. Porto
Alegre: UFRGS, 2010.
Bibliografia complementar
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

ARENDT, Hannah. Da Revolução. São Paulo: Ática/UnB.


BERNAND, Carmen & GRUZINSKI, Serge. História do Novo Mundo. São
Paulo: Edusp, 1997.
CARDOSO, Ciro F. S. A Afro-América: A Escravidão no Novo Mundo. São
Paulo: Brasiliense, 1982.
_________________. América Pré-Colombiana. São Paulo: Brasiliense,
1986.
_________________. Escravo ou Camponês? São Paulo: Brasiliense, 1988.
_________________. O Trabalho na América Latina Colonial. São Paulo:
Ática, 1988.
CARDOSO, Ciro F. S. & PÉREZ BRIGNOLI, Héctor. História Econômica da
América Latina. Rio de Janeiro: Graal, 1983.
COLL, Josefina. A Resistência Indígena. Porto Alegre: L & PM, 1986.
FAVRE, H. A Civilização Inca. Rio de Janeiro: Ed. Jorge Zahar, 1987.
FLORESCANO, E. (Org.). Origenes y Desarrollo de la Burguesia en
América Latina (1700-1955). México: Nueva Imagem, 1985.
FONER, Eric. Nada Além da Liberdade. Rio de Janeiro: Paz & Terra, 1988.
GENDROP, P. A Civilização Maia. Rio de Janeiro: Ed. Jorge Zahar, 1987.
GENOVESE, E. Economia Política da Escravidão. Rio de Janeiro: Pallas,
1976.
____________. Da Rebelião à Revolução. São Paulo: Global, 1989.
GERAB, Kátia & RESENDE, Andréa. A Revolta de Tupac Amaru. São Paulo:
Brasiliense, 1987.
GONZÁLES CASANOVA, Pablo. (Coord.). América Latina: História de Meio
Século. Brasília: Vols. 1 e 2, UnB, 1990.
HALPERÍN-DONGUI, Túlio. Reforma y Disolución de los Imperios Ibericos.
Madrid: Alianza, 1985.
____________________. História da América Latina. Rio de Janeiro: Paz &
Terra, 1989.
HUBERMAN, Léo. História da Riqueza dos Estados Unidos. São Paulo:
Alfa-Ômega, 1986.
KARNAL, Leandro. Estados Unidos: da Colônia à Independência. São
Paulo: Contexto, 1992.
LEÓN-PORTILLA, Miguel. A Conquista da América Vista pelos Índios.
Petrópolis: Vozes, 1984.
POMER, Leon. As Independências na América Latina. São Paulo:
Brasiliense, 1995.
___________. História da América Hispano-Indigena. São Paulo: Global,
1993.
MÄDER, M.; PAMPLONA, M. (orgs.). Revoluções de independências e
nacionalismos nas Américas, 3 v. São Paulo: Paz e Terra, 2007.
MORALES PADRÓN, F. História de América. VI. Madrid: Espasa-Calpe.
PRADO, M. L. C. América Latina no século XIX: trama, telas e textos. São
Paulo: Edusp, 2004
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

PRADO, Mª Lígia. A Formação das Nações Latino-Americanas. Campinas:


Atual, 1985.
ROMANO, Ruggiero. Mecanismo da Conquista Colonial. São Paulo:
Perspectiva, 1973.
SANTIAGO, Théo. (Org.). América Colonial (Ensaios). Rio de Janeiro:
Pallas, 1975.
SCOTT, Rebeca. Emancipação Escrava em Cuba. Rio de Janeiro: Paz &
Terra, 1991.
SCHWARTZ, Stuart; LOCKHART, James. A América Latina na época
colonial. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2002.
SOUSTELLE, Jacques. Os Astecas às Vésperas da Conquista Espanhola.
São Paulo: Companhia das Letras, 1990.
SPALDING, Karen. De Índio a Campesino. Peru: Instituto de Estúdios
Peruanos, 1974.
STAVENHAGEN, Rodolfo. Classes Rurais na Sociedade Agrícola. São
Paulo: Edições Loyola, 1979.
VAINFAS, Ronaldo (Org.). América em Tempo de Conquista. Rio de Janeiro:
Ed. Jorge Zahar, 1992.
____________________. Economia e Sociedade na América Espanhola.
Rio de Janeiro: Graal, 1984.

Código da Disciplina: 0529


Nome da Disciplina: História do Brasil I
Carga Horária: 60 h/a
Número de créditos: 03
Categoria: Obrigatória
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

Pré-requisito: Não há

EMENTA

Brasil: seus primeiros habitantes. A Conquista. Período colonial. A


organização da conquista. As relações de trabalho. Dinâmica e contradições
da sociedade colonial: relações de poder e conflitos. As instituições coloniais.

OBJETIVOS

Considerar a Historiografia acerca da História do Brasil Colonial e sua relação


com a História Geral, procurando romper com explicações deterministas.
Analisar as especificidades do período colonial na História do Brasil,
verificando a contribuição de sujeitos históricos existentes na história, porém,
“invisíveis” na Historiografia.
Analisar novos paradigmas interpretativos sobre o Brasil Colonial,
principalmente, as novas tendências, metodologias, fontes, objetos.
Instrumentalizar a produção do conhecimento histórico acerca de temas
pertinentes à disciplina.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA
ABREU, Capistrano de. Capítulos de história Colonial. Brasília : Edunb,
1982.

BARROS, José D’Assunção. A construção social da cor: diferença e


desigualdade na formação da sociedade brasileira. – Petrópolis, RJ :
Vozes, 2009.

BOTELHO, André e SCHWARCZ, Lilia Moritz (organizadores). Um enigma


chamado Brasil: 29 interpretes e um país – São Paulo : Companhia das
Letras, 2009.

CALMON, Pedro. História Social do Brasil, volume 1: espírito da sociedade


colonial. São Paulo : Martins Fontes, 2002.

CARNEIRO, Edison. O quilombo dos Palmares; prefácio de Flávio dos


Santos Gomes. – São Paulo : Editora WMF Martins Fontes, 2011.

CASTELNAU, Francis de. Entrevista com escravos africanos na Bahia


oitocentista; tradução Marisa Murray. – Rio de Janeiro : José Olympio, 2006.

COSTA, Emília Viotti da. Da senzala à colônia. – 4ª ed. – São Paulo :


Fundação Editora da UNESP, 1998.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

CUNHA, Manuela Carneiro da (org.). História dos índios no Brasil. São


Paulo : Companhia das Letras, 1994.

DEL PRIORE, Mary. Festas e utopias no Brasil colonial. – São Paulo :


Brasiliense, 2000.

DEL PRIORE, Mary e VENANCIO, Renato. Uma breve história do Brasil. –


São Paulo : Editora Planeta do Brasil, 2010.

FERLINI, Vera L. A. Terra, Trabalho e Poder. São Paulo : Brasiliense, 1988.

FREYRE, Gilberto. Casa-Grande & Senzala: formação da família brasileira


sob o regime da economia patriarcal; apresentação de Fernando Henrique
Cardoso. 5ª ed. revisada. – São Paulo : Global, 2005.

GORENDER, Jacob. O escravismo Colonial. São Paulo : Ática, 1982.

HOLANDA, Sérgio Buarque de. Visão do Paraíso : os motivos edênicos no


descobrimento e colonização do Brasil – São Paulo : Companhia das
Letras, 2010.

________________________ Raízes do Brasil. 26. ed. – São Paulo :


Companhia das Letras, 1995.

________________________. História Geral da Civilização Brasileira. A


Época Colonial. São Paulo : V. 2, Difel, Tomo I, 1985.

LAPA, José Roberto do Amaral. Modos de Produção e Realidade Brasileira.


Petrópolis: Vozes, 1980.

LIBBY, Douglas Cole e PAIVA, Eduardo França. A escravidão no Brasil:


relações sociais, acordos e conflitos. 2ª ed. – São Paulo : Moderna, 2005.

LINHARES, Maria de Yedda (org.). História Geral do Brasil – 9ª ed. – Rio de


Janeiro: Elsevier, 1990. 20ª reimpressão.

LINHARES, Maria Yêda L. & SILVA, Francisco C. História da Agricultura


Brasileira. São Paulo : Brasiliense, 1981.

_____________________. História Política do Abastecimento. Brasília :


Binagri, 1979.

LUSTOSA, Isabel. A História do Brasil explicada aos meus filhos. – Rio de


Janeiro: Agir, 2007.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

MARTINS, Oliveira. O Brasil e as Colônias Portuguesas. Lisboa: Guimarães


& Cia Editores, 1978.

MATTOSO, Kátia. Ser Escravo no Brasil. São Paulo : Brasiliense, 1982.

MAXWWELL, Kenneth. Chocolate, piratas e outros malandros: ensaios


tropicais; tradução de Irene Hirsch, Lólio Lourenço de Oliveira ... [et. al] – São
Paulo : Paz e Terra, 1999.

MONTEIRO, Jonh Manuel. Negros da terra: índios e bandeirantes nas


origens de São Paulo : Companhia das Letras, 1994.

NOVAIS, Fernando. Estrutura e Dinâmica do Antigo Sistema Colonial. São


Paulo : Brasiliense, 1986.

PRADO JR, Caio. Formação do Brasil Contemporâneo. São Paulo :


Brasiliense, 1972.

_______________. História Econômica do Brasil. São Paulo : Brasiliense,


1982.

PIERINI, Geraldo e DENIPOTI, Cláudio (orgs.). Saberes brasileiros: ensaios


sobre identidades: séculos XVI a XX. – Rio de Janeiro : Bertrand Brasil,
2004.

RAMINELLI, Ronald. Imagens da Colonização. Rio de Janeiro: ed. Jorge


Zahar, 1996.

REIS, João José e GOMES, Flávio dos Santos. Liberdade por um fio :
história dos quilombos no Brasil. – São Paulo : Companhia das Letras,
1996.

SAMPAIO, Patrícia Melo. Espelhos Partidos: etnia, legislação e


desigualdade na colônia. – Manaus : EDUA, 2012.

SCHWARTZ, Stuart. Segredos Internos. São Paulo : Companhia das Letras,


1992.

SILVA, Eduardo. Negociação e conflito: a resistência negra no Brasil


escravista. – São Paulo : Companhia das Letras, 1989.

SOUZA, Laura de Melo e. O Diabo e a Terra de Santa Cruz. São Paulo :


Companhia das Letras, 1986.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

VAINFAS, Ronaldo. Trópico dos pecados: moral, sexualidade e inquisição


no Brasil. – Rio de Janeiro : Civilização Brasileira, 2010.
________________ (org.). América em tempo de conquista. – Rio de
Janeiro : Jorge Zahar Ed.

________________. A Heresia dos Índios. São Paulo: Companhia das


Letras, 1996.

VILHENA, Luís Rodolfo. Ensaios de antropologia. – Rio de Janeiro :


EdUERJ, 1997.

WEHLING, Arno; WEHLING, Maria José C. M. Foramação do Brasil


Colônia; prefácio de José Luiz Weneck da Silva. [5ª.ed.]. – Rio de Janeiro :
Nova Fronteira, 2012.

Código da Disciplina: 0525


Nome da Disciplina: História da Amazônia I
Carga Horária: 60 h/a
Número de créditos: 03
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

Categoria: Obrigatória
Pré-requisito: Não há

EMENTA

Estudo da história da Amazônia pré-colonial através da transdisciplinaridade.


As transformações históricas advindas do processo de ocupação européia na
Amazônia. Organização, montagem das estruturas coloniais. Tensões sociais,
econômicas e culturais entre políticas indigenistas e indígenas. Os agentes da
colonização. A questão da mão-de-obra. A expansão da ocupação portuguesa
e conflitos coloniais. As missões na Amazônia como instituições de fronteira.
O projeto pombalino na Amazônia. Resistência indígena no século XVIII.

OBJETIVOS

Compreender as dinâmicas de ocupação e de vida dos povos amazônicos no


período pré-colonial. Entender os processos de colonização implementados
na região amazônica, a partir de seus elementos articuladores e como isso
possibilitou o desenho de uma Amazônia, que foi tornada “estranha” aos seus
sujeitos nativos. Perceber o mundo das relações de vida, religiosidade e de
trabalho como elementos ligados ao sistema de colonização dos espaços
físicos e humanos à Amazônia. Refletir sobre os processos sociais, políticos,
econômicos, culturais, mentais que configuraram a Amazônia nos períodos
pré-colonial e colonial. Ponderar sobre o projeto pombalino para Amazônia.
BIBLIOGRAFIA BÁSICA

AZEVEDO, João Lúcio de. Os Jesuítas no Grão-Pará. Coimbra: Imprensa da


Universidade, 1930.

BAENA, Antônio Ladislau Monteiro. Compêndio das Eras da Província do


Pará. Belém: Universidade Federal do Pará, 1969.

BARATA, Manoel. Formação Histórica do Pará. Belém: UFPA, 1973.

BEOZZO, Oscar. Leis e Regimentos das Missões. São Paulo: Loyola, 1983.

CARDOSO, Ciro Flamarion S. Economia e sociedade em áreas coloniais


periféricas: Guiana Francesa e Pará, 1750-1817. Rio de Janeiro: Graal,
1984.

DEL PRIORE, Mary e GOMES, Flávio dos Santos (Orgs.). Os Senhores dos
Rios – Amazônia, Margem e Histórias. Rio de Janeiro: Campus, 2003.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

DOMINGUES, Ângela. Quando os Índios eram Vassalos: colonização e


relações de poder no Norte do Brasil na segunda Metade do Século
XVIII. Lisboa, Comissão Nacional para as Comemorações dos
Descobrimentos Portugueses, 2000.

FAUSTO, Carlos. Os Índios Antes do Brasil. Rio de Janeiro: Jorge, 2000.

FREIRE, José Ribamar B. (Coord.). Amazônia Colonial (1616-1798). 4ª ed.


Manaus: Metro Cúbico, 1991.

HOORNAERT, Eduardo (Org.). História da Igreja na Amazônia. Petrópolis:


Vozes, 1992.

LATHRAP, Donald. O Alto Amazonas. Lisboa: Verbo, 1975.

NEVES, Eduardo G. Arqueologia da Amazônia. Rio de Janeiro: Jorge


Zahar Editores, 2006.

NEVES, Luiz Felipe Baeta. O Combate dos Soldados de Cristo na Terra


dos Papagaios. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1971.

__________. Vieira e a Imaginação Social Jesuítica. Maranhão e Grão-Pará


no Século XVII. Rio de Janeiro: Topbooks, 1997.

NEVES, Walter. Origens, Adaptações e Diversidade Biológica do Homem


Nativo da Amazônia. Belém: MPEG, 1991.

PORRO, Antônio. As Crônicas do Rio Amazonas. Petrópolis: Vozes, 1992.

___________. O Povo das Águas. Ensaios de Etno-História Amazônica. Rio


de Janeiro: Vozes, 1995.

REIS, Arthur C. Ferreira. A Conquista Espiritual da Amazônia. 2ª ed.


Manaus: Ed. Universidade do Amazonas, 1997.

___________. A Política de Portugal no Vale Amazônico. Belém: 1940.

___________. O Processo Histórico da Economia Amazonense. Rio de


Janeiro: Imprensa Nacional.

__________. História do Amazonas. 2.ed. Manaus / Belo Horizonte: SCA /


Itatiaia,1989.

RIBEIRO, Berta.(Org.). Suma Etnológica Brasileira. Rio de Janeiro: Vozes,


V.3, 1986.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

THOMAS, Georg. Política Indigenista dos Portugueses no Brasil (1500-


1640). São Paulo: Loyola, 1982.

SANTOS, Francisco Jorge dos. Além da Conquista: guerras e rebeliões


indígenas na Amazônia pombalina. 2.ª edição. Manaus: Edua, 2002.

Código da Disciplina: 0414


Nome da Disciplina: Metodologia do Ensino de História
Carga Horária: 60 h/a
Número de créditos: 03
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

Categoria: Obrigatória
Pré-requisito: 0319 (Didática Geral)

EMENTA

Discussões teóricas e metodológicas sobre o ensino e aprendizagem da


História na perspectiva da autônima intelectual e crítica. A constituição da
História enquanto disciplina escolar. Transposição do conhecimento histórico.
As relações entre História, Educação, Cultura e áreas afins. A cultura
imagética, o livro didático e o ensino de História. Tecnologias no ensino de
História. A pesquisa no ensino de História.

OBJETIVO GERAL

Fornecer subsídios teóricos e metodológicos para a reflexão e o exercício


autônomo do pensar, fazer e ensinar História enfatizando múltiplos saberes,
utilizando, diversificando recursos e fontes.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA
BITTENCOURT, Circe M. Fernandes (Org.). O Saber Histórico na Sala de
Aula. São Paulo: Contexto, 1997.
_____________. Ensino de história: fundamentos e métodos. São Paulo:
Cortez, 2004.
BLOCH, Marc. Apologia da história, ou, O ofício do historiador. Rio de
Janeiro: J. Zahar, 2001.
BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares
Nacionais: História. Terceiro e Quarto Ciclos do Ensino Fundamental.
Brasília: MEC/SEF, 1998.
CHERVEL, André. História das disciplinas escolares: reflexões sobre um
campo de pesquisa. Teoria & Educação. Porto Alegre, n. 2, 1990, p. 177-229.
EDUCAÇÃO & SOCIEDADE. Dossiê Saberes Docentes. São Paulo, n. 74,
abril 2001.
FERRO, Marc. A Manipulação da História no Ensino e nos Meios de
Comunicação. São Paulo: Ibrasa, 1993.
FONSECA, Selva Guimarães. Caminhos da História Ensinada. Campinas:
Papirus, 1996.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

______________. Didática e prática do ensino de história. Campinas, SP:


Papirus, 2003.
FONSECA, Thais Nivia de Lima e. História & Ensino de História. Belo
Horizonte: Autêntica, 2003.
FRANCO, Maria Laura. O Livro Didático de História no Brasil. São Paulo:
Global, 1982.
JOANILHO, André Luiz. História e prática: pesquisa em sala de aula.
Campinas: Mercado de Letras, 1996.
KENSKI, Vani Moreira. Tecnologia e ensino presencial e a distância. 5ª
edição Campinas, SP: Papirus, 2003.
___________. Tecnologias e tempo docente. Campinas, SP: Papirus, 2013.
MONTEIRO, Ana Maria F.C; GASPARELLO, Arlette Medeiros; MAGALHÃES,
Marcelo de Souza. (org). Ensino de História: sujeitos, saberes e práticas.
Rio de janeiro: Mauad X: FAPERJ, 2007.
MONTEIRO, Ana Maria. Professores de História: entre saberes e práticas.
Rio de Janeiro: Mauad, X, 2007.
_______________; MAGALHÃES, Marcelo de Souza; GASPERELLO, Arlette
(orgs.). Ensino de História: sujeitos, saberes e práticas. Rio de Janeiro:
Mauad X; FPERJ, 2007.
NIKITIUK, Sônia L. (Org.). Repensando o Ensino da História. São Paulo:
Cortez Editora, 1996.
NÓVOA, Antônio (org.). Profissão professor. Porto: Porto Editora, 1995.
PINSKY, Jaime et alii. O Ensino da História e a Criação do Fato. São Paulo:
Contexto: 1988.
SCHMIDT, Maria Auxiliadora; CAINELLI, Marlene. Ensinar história. São
Paulo, Scipione, 2004.
SILVA, Marcos A. da. (Org.). Repensando a História. São Paulo: Marco Zero/
ANPUH, 1984.
SILVA, Thelma N. M. Bittencourt; RABELLO, Heloísa de J. O Ensino da
História. Niterói: UFF, 1992.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

TARDIF, Maurice. Saberes docentes e formação profissional. 7. ed.


Petrópolis: Vozes, 2006.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

BARROS, J. D’assunção. O projeto de pesquisa em história: da escolha do


tema ao quadro teórico. Petrópolis: Vozes, 2005
BESSEGATO, Mauri Luiz. 2. ed. O patrimônio em sala de aula: fragmentos
de ações educativas. Porto Alegre: Evangraf, 2004.
BOUTIER, Jean; JULIA, Dominique (orgs.). Passados recompostos:
campos e canteiros da História. Rio de Janeiro: Editora UFRJ: Editora FGV,
1998.
CAIMI, Flávia Eloisa; MACHADO, Ironita A. P.; DIEHL, Astor Antônio (orgs.).
O livro didático e o currículo de história em transição. Passo Fundo:
Ediupf, 1999.
LOPES, Alice Casimiro; MACEDO, Elizabebh (orgs.). Disciplinas de
integração curricular: história e políticas. Rio de Janeiro: DP&A, 2002.
OLIVEIRA, Margarida; STAMATTO, Maria Inês (orgs.). O livro didático de
história: políticas educacionais, pesquisas e ensino. Natal: EDUFRN,
2007.
OLIVEIRA, Margarida Maria Dias de; STAMATTO, Maria Inês Sucupira (orgs.).
O livro didático de história: políticas educacionais, pesquisas e ensino.
Natal: EDUFRN, 2007.
ROCHA, Helenice; REZNIK, Luís e MAGALHÃES, Marcelo de Souza (orgs.).
A história na escola: autores, livros e leituras. Rio de Janeiro: Editora da
FGV, 2009.
SILVA, Marcos; FONSECA, Selva Guimarães. Ensinar história no século
XXI: em busca do tempo entendido. São Paulo: Papirus, 2007, p. 13 - 41.
ZAMBONI, Ernesta (org.). Digressões sobre o Ensino de História: memória,
história oral e razão histórica. Itajaí: Maria do Cais, 2007.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

BITTENCOURT, Circe. Livros didáticos entre textos e imagens.


BITENCOURT, Circe (Org.). O saber histórico na sala de aula. 8. ed. São
Paulo: Contexto, 2003, p. 69-90.
MUNAKATA, Kazumi. O livro didático e o professor: entre a ortodoxia e a
apropriação. In: MONTEIRO, Ana Maria F.C; GASPARELLO, Arlette Medeiros;
MAGALHÃES, Marcelo de Souza. (org). Ensino de História: sujeitos, saberes
e práticas. Rio de janeiro: Mauad X: FAPERJ, 2007.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

Código da Disciplina: 0733


Nome da Disciplina: História Contemporânea
Carga Horária: 60 h/a
Número de créditos: 04
Categoria: Obrigatória
Pré-requisito: 0531 (História Moderna)

EMENTA

As transformações sociopolíticas, socioeconômicas e ideológicas trazidas pela


revolução francesa e industrial. Cidade, especificidades do mundo do trabalho,
classes sociais no século XIX. A formação do capitalismo monopolista por
meio da expansão da sociedade liberal. Imperialismo e I Guerra Mundial. O
significado histórico da Revolução Russa. As condições de possibilidade para
o advento dos totalitarismos e seus resultados. O contexto da II Guerra
Mundial e do pós-guerra.

OBJETIVOS

Problematizar o processo de consolidação e expansão do sistema capitalista


na Europa e suas contradições internas da primeira metade do século XIX
até a primeira metade do século XX.
Ponderar sobre as tensões sociais, econômicas, ideológicas e políticas
inscritas no contexto recortado.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

HOBSBAWM, Eric & Ranger, Terence. A Invenção das Tradições. Rio de


Janeiro: Paz & Terra, 1997.
HOSBAWM, Eric. Era das Revoluções. Rio de Janeiro: Paz e Terra. 1980.
_____________. Era dos Impérios. Rio de Janeiro: Paz e Terra. 2007.
_____________. A Era do Capital (1848 - 1875). Rio de Janeiro: Paz & Terra,
1977.
_____________. O Mundo do Trabalho. Rio de Janeiro: Paz & Terra, 1987.
_____________. Os Trabalhadores. Rio de Janeiro: Paz & Terra, 1991.
REIS, Daniel Aarão et al. (orgs). O Século XX. O tempo das Certezas: da
formação do capitalismo à Primeira Guerra. Rio de Janeiro: Civilização
Brasileira, 2000. vol. 1.
ARIES, Philippe (org). História da Vida Privada: da Revolução Francesa à
Primeira Guerra. Companhia das Letras, 1991. vol 4.
MAGNOLI, Demétrio. História das Guerras. São Paulo: Contexto, 2009.
FALCON, Francisco. A Formação do Mundo Contemporâneo. Rio de
Janeiro: Campus. 1989.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

PERROT, Michelle. Os Excluídos da História. Rio de Janeiro: Paz e Terra.


1988.

Bibliografia Complementar:
ARENDT, Hannah. A Condição Humana. Rio de Janeiro: Forense
Universitária, 1983.
BERMAN, M. Tudo que é Solido Desmancha no Ar: a Aventura da
Modernidade. São Paulo: Cia das Letras, 1986.
BRUNSCHWIG, H. A partilha da Africa Negra. 2. ed. São Paulo: Perspectiva,
2001.
DARNTON, Robert. O beijo de Lamourette: mídia, cultura e revolução. São
Paulo: Cia das Letras, 1990.
ENGELS, Friedrich. A Situação da Classe Trabalhadora na Inglaterra. São
Paulo: Boitempo, 2010.
FILHO, Daniel; FERREIRA, Jorge; ZENHA, Celeste (Org.) O Século XX. O
tempo das incertezas: da formação do capitalismo à primeira guerra
mundial. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003.
FURET, François. A ideia de Revolução Francesa – Bauru, SP: EDUSC,
2001.
HOBSBAWM, Eric J. A Era das Revoluções, 1789 – 1848. Rio de Janeiro:
Paz e Terra, 1996.
_______________ A Era do Capital (1848-1875). Rio de Janeiro: Paz e Terra,
1977.
_______________ A Era dos Impérios. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1992.
_______________O Mundo do Trabalho. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.
LEFEBVRE, Georges. 1789: o surgimento da Revolução Francesa. Rio de
Janeiro: Paz e Terra, 1989.
MARX, Karl e ENGELS, F. Manifesto do Partido Comunista. Rio de Janeiro,
Zahar, 1978.
MARX, Karl. O 18 Brumário de Luis Bonaparte. Lisboa: Edições Avante,
1985.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

MAYER, Arno J. A Força da Tradição: a Persistência do Antigo Regime


(1848-1914). São Paulo: Cia das Letras, 1987.
PERROT, Michelle (Org.). História da Vida Privada: da Revolução Francesa
à Primeira Guerra Mundial. São Paulo: Cia das Letras, 1991.
PERROT, Michelle. Os Excluídos da História. Rio de Janeiro, Paz e Terra.
1988.
POMER, Leon. O surgimento das nações. São Paulo. Atual; Campinas:
Editora da UNICAMP, 1985.
REMOND, René. O século XIX – 1815-1914. São Paulo: Ed. Cultrix, 1976.
RUDÉ, George. Ideologia e Protesto Popular. Rio de Janeiro: Zahar, 1982.
SMITH, Adam. A riqueza das Nações. Investigação sobre sua natureza e
suas causas. São Paulo: Nova Cultural, 1988.
STAROBINSKI, Jean. 1789: Os Emblemas da Razão. São Paulo: Cia. das
Letras, 1988.
THOMPSON, Edward P. A Formação da Classe Operária Inglesa. Rio de
Janeiro: Paz e Terra, V. 1, 2 e 3.
VOLVOLLE, Michel. A Revolução Francesa 1789 – 1799 – São Paulo: Editora
70, 2007.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

Código da Disciplina: 0630


Nome da Disciplina: História da América II
Carga Horária: 60 h/a
Número de créditos: 04
Categoria: Obrigatória
Pré-requisito: 0527 (História da América I)

EMENTA

A formação dos Estados Unidos da América e a expansão para o Oeste. A


guerra civil norte-americana. O modelo político adotado pelos novos Estados
independentes. As heranças coloniais; tensões sociais e barreiras étnicas
existentes nas sociedades americanas. A consolidação do modelo oligárquico
na América Latina. Os processos de produção e afirmação das identidades
nacionais. A modernização conservadora das elites dirigentes. A revolução
mexicana. Os Estados Unidos da América em princípios do século XX: a “era
progressista”, a crise e a “nova era” norte-americana. A industrialização na
América Latina. Crise dos anos 30.

OBJETIVO GERAL
 Identificar e compreender os debates historiográficos sobre a América entre
os séculos XVIII e parte do XX.
 Destacar e analisar a crise do colonialismo e o processo de independência;
a formação dos Estados nacionais; bem como as rupturas e permanências
nas organizações políticas, econômicas, social das sociedades das
Américas.
Analisar o processo de expansão norte-americana para o oeste. Entender
e caracterizar o modelo de dependência econômica na América Latina.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

BETHELL, L. (org.). História da América Latina: da Independência a


1870, vol. III. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo; Imprensa
Oficial do Estado; Brasília, DF: Fundação Alexandre de Gusmão, 2001.
BETHELL, L. (org.). História da América Latina: da Independência a
1870, vol. IV. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo; Imprensa
Oficial do Estado; Brasília, DF: Fundação Alexandre de Gusmão, 2002.
BETHELL, L. (org.). História da América Latina: de 1870 a 1930, volume
V. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo; Imprensa Oficial do
Estado; Brasília, DF: Fundação Alexandre de Gusmão, 2008.
KARNAL, Leandro et. al. História dos Estados Unidos: das origens ao
século XXI. São Paulo: Contexto, 2007.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

PRADO, M. L. A formação das nações latino-americanas: anti-


colonialismo, anti-imperialismo. São Paulo: Atual.

Bibliografia complementar
ACCIOLY, H. Limites do Brasil: fronteira com o Paraguai. São Paulo:
Nacional, 1938.
AGUILAR CAMÍN, Héctor; MEYER, Lorenzo. À Sombra da revolução
mexicana: história mexicana contemporânea, 1910-1989. São Paulo:
EdUSP, 2000.
ANDREWS, G. R. América Afro-Latina, 1800-2000. São Carlos: EdUFSCar,
2007.
ANNINO, A. Leiva, L. G. & GUERRA, F. (Orgs.). De los Imperios a las
Naciones: Iberoamerica. Zeragoza: Ibercaja Obra Cultural, 1994.
BERLIN, I. Gerações de cativeiro: uma história da escravidão nos
Estados Unidos. Rio de Janeiro: Record, 2006.
BLACKBURN, R. A queda do escravismo colonial (1776-1848). Rio de
Janeiro: Record, 2002.
Revolução Cubana: de José Martí a Fidel Castro (1868 – 1959). São Paulo:
Brasiliense, 1982.
CASTAÑEDA, Jorge. Utopia Desarmada. São Paulo: Companhia das Letras,
1994.
DAYERELL, Eliane & YOKÓI, Zilda (Orgs.). América Latina Contemporânea:
Desafios e Perspectiva. São Paulo: Edusp/ Expressão e Cultura, 1996.
GOES, S. Navegantes, bandeirantes, diplomatas: aspectos da
descoberta do continente, da penetração do território brasileiro extra-
Tordesilhas e do estabelecimento das fronteiras da Amazônia. Brasília:
IPRI, 1991.
GOLIN, T. A fronteira: governos e movimentos espontâneos na fixação
dos limites do Brasil com Uruguai e Argentina. v. 1. Porto Alegre: L&PM,
2002.
GONZÁLES CASANOVA, Pablo (Coord.). América Latina. História de Meio
Século. Brasília: UnB, Vols 3 e 4, 1990.
GUERRA, François-Xavier. Modernidad e independencias: ensayos
sobre las revoluciones hispánicas. México: Fondo de Cultura Económica,
1993.
HALPERÍN DONGUI, T. História da América Latina. São Paulo: Paz e
Terra, 1989.
HOORNAERT, Eduardo (Org.). História da Igreja na América Latina e no
Caribe (1945 – 1995). Petrópolis: Vozes, 1995.
JUNQUEIRA, M. Estados Unidos: a consolidação da nação. São Paulo:
Contexto, 2001.
KLEIN, H. S. Historia de Bolivia. La Paz: Editorial Juventud, 2001.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

KNAUSS, P. (org.). Oeste americano: quatro ensaios de história dos


Estados Unidos da América de Frederick Jackson Turner. Niterói:
EdUFF, 2004.
MARTIN, A. R. Fronteiras e nações. São Paulo: Contexto, 1992.
IANNI, Otávio. A Formação do Estado Populista na América Latina. São
Paulo: Ática, 1989.
MEIHY, José Carlos Sebe B. & ARAGÃO, Maria Lúcia (org.). América: Ficção
e Utopias. São Paulo: Edusp/Expressão e Cultura, 1996.
MORSE, Richard. O Espelho de Próspero: Cultura e Idéias na América. São
Paulo: Companhia das Letras, 1988.
PINTO, J. P. O caudilhismo. São Paulo: Editora Brasiliense, 1987.
PINSKY, J. et. al. História da América através de textos. São Paulo:
Contexto, 1994.
SADER, E. A Revolução Cubana. São Paulo: Moderna, 1985.
SELLERS, Charles et. al. Uma reavaliação da História dos Estados Unidos.
Rio de Janeiro: Zahar, 1990.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

Código da Disciplina: 0632


Nome da Disciplina: História do Brasil II
Carga Horária: 60 h/a
Número de créditos: 03
Categoria: Obrigatória
Pré-requisito: 0529 (História do Brasil I)

EMENTA

Refletir sobre os principais temas da História do Brasil Império tais como: a


crise do Antigo Sistema Colonial; as Revoltas coloniais. A emancipação
política, a construção do império brasileiro e o período regencial. O Segundo
Reinado e as transformações, econômicas, sociais e políticas. A Escravidão
e o processo de abolição.

OBJETIVO GERAL

 Interpretar o processo político de formação do Estado imperial, o conflito


entre centralizadores e descentralizadores.
 Analisar a estrutura sócio-econômica e política do Brasil durante o Império.
 Traçar um panorama da crise política do Império e da transição para a
República.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA
CARVALHO, José Murilo de; NEVES, Lucia. M. B. (Org.). Repensando o
Brasil do Oitocentos: cidadania, política e liberdade. 1. ed. Rio de
Janeiro: Civilização Brasileira, 2009.
CARVALHO, José Murilo de. (Org.). Nação e cidadania no Império: novos
horizontes. 1. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2007.
CARVALHO, José Murilo de. A construção da ordem e Teatro de
sombras. Rio de
Janeiro, Relume Dumará, 1996.
COSTA, Emília Viotti da. Da Monarquia à República. São Paulo,
Brasiliense, 1994.
HOLANDA, Sérgio Buarque de. História Geral da Civilização Brasileira,
volumes 3, 4, 5, 6 e 7. São Paulo, Bertrand, 1997.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

GRINBERG, Keila; SALLES, Ricardo. O Brasil Imperial, Rio de Janeiro,


Civilização Brasileira, 2009. 3 Volumes.
LINHARES, Maria Yeda (org.). História geral do Brasil. Rio de Janeiro,
Campus, 2000.
MATTOS, Ilmar R. O tempo saquarema. São Paulo, Hucitec, 1987.
Bibliografia complementar
ALENCASTRO, Luís Felipe de. (Org.). História da Vida Privada no Brasil. O
Império. A Corte e a Modernidade Nacional. São Paulo: Companhia das
Letras, 1997.
BETHELL, Leslie, “A independência do Brasil”, in: História da América
Latina III: Da independência até 1870. São Paulo, Edusp, 2001.
BOSI, Alfredo, “A escravidão entre dois liberalismos”, in: Dialética da
colonização. São Paulo, Companhia das Letras, 1992.
BOXER, Charles. A Idade do Ouro no Brasil. São Paulo: Cia Ed. Nacional,
1963.
CARVALHO, José Murilo de. Dom Pedro II. 1. ed. São Paulo: Companhia
das Letras, 2007.
CARVALHO, José Murilo de. Cidadania no Brasil: o longo caminho. 1. ed.
Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2001.
CARDOSO, Ciro F. Santana (Org.). Escravidão e Abolição: Novas
Perspectivas. Rio de Janeiro: Ed. Jorge Zahar, 1988.
CARVALHO, José Murilo de. A Construção da Ordem. Rio de Janeiro:
Campus, 1980.
CASTRO, Hebe Mª Mattos Gomes de. Das Cores do Silêncio. Rio de Janeiro:
Arquivo Nacional, 1993.
CHALHOUB, Sidney. Visões da Liberdade. São Paulo: Companhia das
Letras, 1990.
COSTA, Emília Viotti da, Da senzala à colônia. São Paulo, Ciências
Humanas, 1982.
DEBES, Célio, “A propaganda republicana em São Paulo (1872-1889)”, in:
José Roberto do Amaral Lapa (org.), História política da República. São
Paulo, Papirus, 1990.
FERNANDES, Florestan. A revolução burguesa no Brasil. Rio de Janeiro,
Zahar, 1975.
FERREIRA, Gabriela Nunes. Centralização e descentralização no
Império: o debate entre Tavares Bastos e visconde de Uruguai. São
Paulo, 34, 1999.
FRANCO, Maria Silvia de Carvalho. Homens livres na ordem
escravocrata. São Paulo, Ática, 1976.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

FLORENTINO, Manolo. Em Costas Negras. São Paulo: Companhia das


Letras, 1997.
FRAGOSO João Luís R. & FLORENTINO, Manolo. O Arcaísmo como
Projeto. Rio de Janeiro: Diadorim, 1993.
KOWARICK, Lúcio, “A imigração em massa: produção de homens livres
enquanto mercadoria para o capital”, in: Trabalho e vadiagem: a origem do
trabalho livre no Brasil. São Paulo, Brasiliense, 1987.
LEITE, Beatriz W. de Cerqueira. O Senado nos anos finais do Império:
1870-1889. São Paulo, UnB, 1978.
MAXWELL, Kenneth. A Devassa da Devassa. Rio de Janeiro: Paz & Terra,
1977.
MATTOS, Ilmar R. “Do Império à República”, Estudos Históricos, Rio de
Janeiro, v. 2, n 4, 1989.
NOVAIS, “A crise do colonialismo mercantilista”, in: Estrutura e dinâmica do
Antigo Sistema colonial. São Paulo, Brasiliense, 1993.
NOVAIS, Fernando. Portugal e Brasil na Crise do Antigo Sistema Colonial
(1777 – 1808). São Paulo: Hucitec, 1986.
PRADO, Maria Emília (org.). O Estado como vocação. Rio de Janeiro,
Access, 1999.
REIS, João José & GOMES, Flávio. Liberdade por um Fio. São Paulo:
Companhia das Letras, 1996.
REIS, João José & SILVA, Eduardo. Negociação e Conflito: A Resistência
Negra no Brasil Escravista. São Paulo: Cia das Letras, 1989.
SCHWARZ, Roberto, “As idéias fora do lugar”, in: Ao vencedor as batatas.
São Paulo, Duas Cidades, 1981.
STOLCKE, Verena. Cafeicultura: homens, mulheres e capital (1850-
1980). São Paulo, Brasiliense, 1986.
SOUZA, Francisco Belisário Soares de. O sistema eleitoral no Império,
Brasília, UnB, 1979.
SPINDEL, Cheywa R. Homens e máquinas na transição de uma economia
cafeeira. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1979.
SILVA, Maria Beatriz Nizza da. (Org.). O Império Luso-Brasileiro (1750 –
1822). Lisboa: Ed. Estampa, 1986. Coleção Nova História da Expansão
Portuguesa, V. VIII.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

Código da Disciplina: 0628


Nome da Disciplina: História da Amazônia II
Carga Horária: 60 h/a
Número de créditos: 03
Categoria: Obrigatória
Pré-requisito: 0525 (História da Amazônia I)

EMENTA

Estudo da inserção da escravidão negra na economia da Amazônia. Processo


de fuga de escravos, formação, consolidação e especificidade dos quilombos
e mocambos na Amazônia. A peculiaridade da Cabanagem. Condição política
e econômica para a criação da Província do Amazonas. Transformações
socieconômicas e culturais advindas com a Belle Époque Amazônica. A crise
da economia borracheira.

OBJETIVO GERAL

Compreender como ocorreu o processo de implementação da política


pombalina na Amazônia. Destacar as conseqüências e as resistências ao
processo de administração européia na Amazônia

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

ACEVEDO, Rosa & CASTRO, Edna. Negros do Trombetas: Os Guardiões


das Matas e Rios. Belém: UFPA, 1993.
ALDEN, Dauril. O Significado da Produção de Cacau no Região
Amazônica no Fim da Período Colonial: Um Ensaio da História Econômica
Comparada. Belém: NAEA/UFPA, 1974.
CARDOSO, Ciro Flamarion S. Economia e Sociedade em Áreas Coloniais
Periféricas: Guiana Francesa e Pará (1750 – 1817). Rio de Janeiro: Graal,
1984.
DAOU, Ana Maria. A Belle Époque na Amazônia. Rio de Janeiro: Jorge
Zahar, 2000.
DIAS, Edinea Mascarenhas. A Ilusão do Fausto – Manaus 1890-1920.
Manaus: Valer 1999.
LEONARDI, Vitor. Os Historiadores Rios: Natureza e Ruína na Amazônia
Brasileira. Brasília: Paralelo 15, 1997.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

MARTINELLO, Pedro. A Batalha da Borracha na Segunda Guerra Mundial.


Rio Branco: EDUFAC, 2004.
MARIN, Rosa Acevedo (Org.). A Escrita da História Paraense. Belém:
NAEA/UFPA, 1997.
SALLES, Vicente. O Negro no Pará. Rio de Janeiro: FGV, 1971.
SAMPAIO, Patrícia Maria Melo. Os Fios de Ariadne. Manaus: EDUA, 1997.
SANTOS, Roberto. História Econômica da Amazônia (1800-1920). São
Paulo: T. A. Queiroz, 1980.
WEINSTEIN, Bárbara. A Borracha na Amazônia: expansão e decadência
(1850-1920). São Paulo: HUCITEC/ EDUSP, 1993.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

Código da Disciplina: 0751


Nome da Disciplina: Prática do Ensino de História e Estágio Supervisionado I
Carga Horária: 180 h/a
Número de créditos: 08
Categoria: Obrigatória
Pré-requisito: 0414 (Metodologia do Ensino de História)

EMENTA

Aspectos teórico-práticos do planejamento de ensino da História, em seus


componentes básicos, no Ensino Fundamental: objetivos, conteúdos,
metodologias, recursos e estratégias de avaliação. Estágio Supervisionado:
observação, participação e regência.

OBJETIVOS

Apontar os aspectos teórico-práticos do planejamento de ensino da História,


descrevendo seus componentes básicos no Ensino Fundamental e, a
articulação destes às concepções de ensino e aprendizagem refletidas nos
recursos e estratégias de avaliação, superando as dicotomias forma/ conteúdo
do Estágio Supervisionado (observação, participação e regência) junto à
escola, disciplina história e contexto sócio- cultural dos alunos.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA
ABUD, Kátia Maria; SILVA, André Chaves de Melo; ALVES, Ronaldo Cardoso.
Ensino de História. São Paulo: Cengage Learning, 2010.
ANDRÉ, Marli. O papel da pesquisa na formação e na prática dos
professores. Campinas, SP: Papirus, 2001.
BITTENCOURT, Circe (Org.) O Saber Histórico na Sala de Aula. São Paulo:
Contexto, 1997.
CAIMI, Flávia Eloísa. Aprendendo a ser professor de história. Passo Fundo:
Editora Universidade de Passo Fundo, 2008.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

CANDAU, Vera Maria (org). Didática, currículo e saberes escolares. Rio de


Janeiro: DP&A, 2002.
______________(org.). Cultura, linguagem e subjetividade no ensinar e
aprender. Rio de Janeiro: DP&A, 2000.
______________. Cotidiano escolar e cultura(s): encontros e desencontros.
In: CANDAU, Vera Maria (org.). Reinventar a escola. Petrópolis, RJ: Vozes,
2000.
CARDENOS CEDES. A Prática do Ensino em História. 4ª Ed. Campinas:
Papirus, 1994.
CARVALHO, Anna Maria Pessoa de. Os estágios nos cursos de
licenciaturas. São Paulo: Cengage Learning, 2012.
Educação & Sociedade. Dossiê Saberes Docentes. São Paulo, n. 74, abril
2001.
FERRO, Marc. A Manipulação da História no Ensino e nos Meios de
Comunicação. São Paulo: Ibrasa, 1993.
FONSECA, Selva Guimarães. Caminhos da História Ensinada. Campinas:
Papirus, 1996.
______________. Didática e prática do ensino de história. Campinas, SP:
Papirus, 2003.
______________. Ser professor no Brasil. Campinas, SP: Papirus, 1997.
FRANCO, Maria Laura. O Livro Didático de História no Brasil. São Paulo:
Global, 1982.
GAUTHIER, Clermont et al. Por uma teoria da pedagogia. Pesquisas
contemporâneas sobre o saber docente. Ijuí, RS: Ed. Unijuí, 1998.
GERALDI, Corinta; FIORENTINI, Dario e PEREIRA, Elisabete (orgs.).
Cartografias do trabalho docente: professora(a)-pesquisador(a). Campinas,
SP: Mercado de Letras, 1998.
GRINBERG, Keila; LAGÔA, Ana Maria Mascia; GRINBERG, Lúcia. Oficinas
de história: projeto curricular de Ciências Sociais e de História. Belo
Horizonte: Dimensão, 2000.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

JENKINS, Keith. A História repensada. Tradução de Mario Vilela. Revisão


Técnica de Margareth Rago. São Paulo, Contexto, 2001.
JOSSO, Marie-histine. Experiências de vida e formação. São Paulo: Cortez,
2004.
KARNAL, Leandro (org). História na sala de aula: conceitos, práticas e
propostas. São Paulo: Contexto, 2008.
LÜDKE, M. (coord.). O professor e a pesquisa. Campinas, Papirus, 2001.
MIRANDA, Sonia Regina. Sob o signo da memória. Cultura escolar, saberes
docentes e história ensinada. São Paulo: Editora da UNESP; Juiz de Fora:
EDUFJF, 2007.
MONTEIRO, Ana Maria; MAGALHÃES, Marcelo de Souza; GASPARELLO,
Arlette (orgs). Ensino de História: sujeitos, saberes e práticas. Rio de Janeiro:
Mauad X; FAPERJ, 2007.
NEVES, Maria Aparecida M. Ensinando e Aprendendo História. São Paulo:
EPU, 1985.
NIKITIUK, Sônia L. (Org.). Repensando o Ensino da História. São Paulo:
Cortez Editora, 1996.
NÓVOA, Antonio (org.). Vida de professores. Lisboa: Porto Editora, 1995.
______________; FINGER, Matthias (orgs.). O método (auto)biográfico e a
formação. Lisboa: Ministério da Saúde, 1988.
OLIVEIRA, Margarida Dias (org). Como se formam os professores de
História: vivências e experiências de iniciação à docência. Natal, EDFURN,
2009.
PAIM, Elison Antônio. Do formar ao fazer-se professor. In MONTEIRO, Ana
Maria, MAGALHÃES, Marcelo de Souza (orgs.). Ensino de História: sujeitos,
saberes e práticas. Rio de Janeiro: Mauad X; FAPERJ, 2007.
PERRENOUD, Philippe. A prática reflexiva no ofício de professor:
profissionalização e razão pedagógica. Porto Alegre: Artmed Editora, 2002.
_____________. Formar professores em contextos sociais em mudança.
Revista Brasileira de Educação. Set./Out./Nov./Dez. 1999, p. 5-19.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

PICONEZ, Stela Bertholo (org.). A prática de ensino e o estágio


supervisionado. Campinas, SP: Papirus, 1991.
PIMENTA, Selma Garrido (org.). Saberes pedagógicos e atividade docente.
São Paulo, Cortez, 1999.
______________; GHEDIN, Evandro (orgs.). O professor reflexivo no
Brasil: gênese e crítica de um conceito. São Paulo, Cortez, 2005.
______________. O estágio na formação do professor: unidade teoria e
prática? São Paulo, Cortez, 1997.
PINSKY, Jaime et alii. O Ensino da História e a Criação do Fato. São Paulo:
Contexto, 1988.
REVISTA BRASILEIRA DE HISTÓRIA. Memória, História e Historiografia:
Dossiê Ensino de História. São Paulo: Marco Zero/ ANPUH, v 13, n°s 25/26,
1992/1993.
ROCHA, Helenice; REZNIK, Luís e MAGALHÃES, Marcelo de Souza (orgs). A
história na escola: autores, livros e leituras. Rio de Janeiro: Editora da FGV,
2009.
RÜSEN, Jörn. História Viva. Teoria da História I: os fundamentos da ciência
histórica. Brasília: Editora da UnB, 2001.
____________. História Viva. Teoria da História III: os fundamentos da
ciência histórica. Brasília: Editora da UnB, 2001.
SAMARA, Eni de Mesquita; TUPY, Ismênia S. S. truzzi. História &
documento e metodologia de pesquisa. Belo Horizonte. Autêntica Editora,
2010.
SCHMIDT, Maria Auxiliadora; BARCA, Isabel (orgs). Aprender História:
perspectivas da educação histórica. Ijuí-RS: Editora Unijuí, 2009.
_____________; CAINELLI, Marlene. Ensinar história. São Paulo: Scipione:
2004.
SILVA, Thelma N. M. Bittencourt; RABELLO, Heloísa de J. O Ensino da
História. Niterói: UFF, 1992.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

SOUZA, Elizeu Clementino de (org.). Autobiografias, histórias de vida e


formação: pesquisa e ensino. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2006.
TARDIF, Maurice. Saberes docentes e formação profissional. Petrópolis,
RJ: Vozes, 2002.
ZABALA, Antoni. A prática educativa: como ensinar. Porto Alegre:
Artmed,1998.
ZABALDA, Miguel a. Diários de aula: um instrumento de pesquisa e
desenvolvimento profissional. Porto Alegre: Artemed, 2004.
ZAMBONI, Ernesta; FONSECA, Selva Guimarães. Espaços de formação do
professor de História. Campinas, SP: Papirus, 2008.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

ABREU, Martha Campos; FILHO, Silvio de Almeida Carvalho (orgs). Dossiê


Ensino da História da África e da Cultura afro-brasileira. Revista História
Hoje, v. 1, nº 1, 2012.
ANDRÉ, Marli. Etnografia da prática escolar. Campinas, SP: Papirus, 1995.
BITTENCOURT, Circe; BERGAMASCHI, Maria Aparecida (orgs). Dossiê
Ensino de História Indígena. Revista História Hoje, v. 1, nº 2, 2012.
CALDEIRA, Anna Maria Salgueiro. A apropriação e construção do saber
docente e a prática cotidiana. Caderno de Pesquisa. São Paulo, n. 95, no.
1995.
FORQUIN Jean-Claude. Escola e cultura. As bases epistemológicas do
conhecimento escolar. Porto Alegre: Artes Médicas, 1993.
FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática
educativa. São Paulo: Paz e Terra, 2006.
HERNANDEZ, Fernando. Transgressões e mudanças na educação: os
projetos de trabalho. Porto Alegre: Artmed, 1998.
HERNANDEZ, Leila Leite. A África na sala de aula: visita à história
contemporânea. 4ª Ed. São Paulo: Selo Negro, 2008.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

MONTEIRO, Ana Maria. Professores de História: entre saberes e práticas.


Rio de Janeiro: Mauad X, 2007.
MOREIRA, Antonio Flávio. O currículo como política cultural e a formação
docente. In SILVA, Tomaz Tadeu; MOREIRA, Antonio Flávio (orgs.).
Territórios contestados: o currículo e os novos mapas políticos e culturais.
Petrópolis, RJ: 1995.
PROENÇA, M. C. Ensinar, Aprender História, Questões de Didática
Aplicada. Lisboa: Livros do Horizonte, 1990.
REVISTA BRASILEIRA DE HISTÓRIA. História em Quadro-Negro: Escola,
Ensino e Aprendizagem. São Paulo: Marco Zero/ ANPUH, v 13, n°s 25/26,
1992/1993.
SACRISTÁN, J. Gimeno e GÓMEZ, A. I. Pérez. Compreender e transformar
o ensino. Porto Alegre, ArtMed: 1998.
TARDIF, Mauric; LESSARD, Claude. O trabalho docente. Elementos para
uma teoria da docência como profissão de interações humanas. Petrópolis,
RJ: Vozes, 2005.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

Código da Disciplina: 0805


Nome da Disciplina: História da América III
Carga Horária: 60 h/a
Número de créditos: 03
Categoria: Obrigatória
Pré-requisito: 0630(História da América II)

EMENTA

Refletir sobre os principais temas da história das Américas tais como: a relação
entre a crise de 1929, nos Estados Unidos da América, e a Grande Depressão
da década de 1930 percebendo seus desdobramentos na América Latina. As
transformações econômicas, políticas e sócio-culturais e o advento do
populismo na América Latina no século XX. Os Estados Unidos e a América
Latina na II Guerra Mundial e no Pós Guerra. As influencias das Revoluções
socialistas e as ditaduras civis-militares na América Latina. Os Estados
Unidos da crise da década de 1970 à atualidade. o processo de
redemocratização na América Latina e o neoliberalismo.

OBJETIVO GERAL

Identificar e caracterizar como a historiografia abordou as principais mudanças


econômicas, políticas e sócio-culturais nas sociedades americanas ocorridas
entre a década de 1930 e a primeira década do século XXI. Assim como a
crise das oligarquias e a consolidação do modelo de dependência econômica
na América Latina. Discutir os conceitos de “populismo”, revolução socialista,
“ditadura civil-militar” e democracia, na América Latina. Destacar e analisar as
relações imperialistas dos Estados Unidos com a América Latina.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA
BETHELL, Leslie (org.). História da América Latina: de 1870 a 1930. São
Paulo: Edusp, 2001. v. 4.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

BETHELL, Leslie (org.). História da América Latina: de 1870 a 1930. São


Paulo: Edusp, 2001. v. 5.
BETHELL, Leslie (org.). História da América Latina após 1930. São Paulo:
Edusp, 2005. vol. 6
BETHELL, Leslie (org.). História da América Latina após 1930. São Paulo:
Edusp, 2005. vol. 7.
KARNAL, Leandro (org.). História dos Estados Unidos: das origens ao
século XXI. São Paulo: Contexto, 2007.
GUAZZELLI, César; WASSERMAN, Cláudia; PRADO, Luiz Fernando.
História contemporânea da América Latina. Porto Alegre: EDUFRGS, 1993,
3 v.
Bibliografia complementar
AGGIO, Alberto. Democracia e socialismo: a experiência chilena. São
Paulo: Annablume, 2002.
AGUILAR CAMÍN, Héctor; MEYER, Lorenzo. À Sombra da revolução
mexicana: história mexicana contemporânea, 1910-1989. São Paulo:
EdUSP, 2000.
AGUIRRE ROJAS, Carlos A. América Latina: história e presente.
Campinas: Papirus, 2004.
AYERBE, Luis Fernando. A Revolução Cubana. São Paulo, UNESP, 2004.
_____. Estados Unidos e América Latina. São Paulo: UNESP, 2002.
APTHER, Hebert. Uma Nova Historia dos Estados Unidos: A Era Colonial.
Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1967.

____________ A Revolução Americana. Rio de Janeiro: Civilização


Brasileira, 1969.
BRADBURY, Malcom et TEMPERLEY, Haward. (edit.) Introdução aos
estudos americanos. Rio de Janeiro: Forense s;d.
CHASTEEN, John Charles. América Latina: uma história de sangue e
fogo. Rio de Janeiro: Campus, 2001.
CHAUNU, Pierre. A America e as Américas. Lisboa – Rio de Janeiro: Ed.
Cosmos, 1969.
COGGIOLA, Osvaldo. Governos militares na América Latina. São Paulo:
Contexto, 2001.
FICO, Carlos . O grande irmão: da Operação Brother Sam aos anos de
chumbo. O governo dos Estados Unidos e a ditadura militar brasileira. 1. ed.
Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2008.
FICO, Carlos ; FERREIRA, Marieta de M. ; ARAUJO, Maria Paula ;
QUADRAT, Samantha. V. Ditadura e Democracia na América Latina. 1.
ed. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 2008.
FOHLEN, Claude. América anglo-saxônica: de 1815 à atualidade. São
Paulo: EdUSP, 1981.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

GUAZZELLI, César; WASSERMAN, Cláudia; PRADO, Luiz Fernando.


História contemporânea da América Latina. Porto Alegre: EDUFRGS, 1993,
3 v.
HALPERIN DONGUI, T. História da América Latina. Rio de Janeiro: Paz e
Terra, 2006.
HUBERMAN, Leo. Historia da Riqueza dos EUA (Nos, o povo). 4a ed., São
Paulo: Brasiliense, 1987.
IANNI, Octávio. A Formação do Estado Populista na América Latina. Rio
de Janeiro: Civilização Brasileira, 1975.
LOPEZ, Luiz Roberto. História da América Latina. Porto Alegre: Mercado
Aberto, 1989.
KARNAL, Leandro. Estados Unidos: A Formação da Nação. São Paulo:
Contexto, 2001.
MOOG, Vianna. Bandeirantes e pioneiros. 3a ed., Porto Alegre: Globo, 1956.
MOREIRA, Luiz Felipe V.; QUINTEROS, Marcela C.; SILVA, André Luiz R.
As relações internacionais da América Latina. Petrópolis, Vozes, 2010.
MORISON, Samuel Eliot et. COMMAGER, Henry Steele. Historia dos
Estados Unidos da America. TOMO II São Paulo: Melhoramentos, s;d.
MORSE, Richard M. O Espelho de Prospero. São Pauo: Cia das Letras,
1988.
NEVINS, Allan; COMMAGER, H. S. Breve história dos Estados Unidos.
São Paulo: Alfa-Omega, 1986.
NUNES, Américo. As revoluções do México. São Paulo: Perspectiva,
1999.
PAHISSA, Ângela Moyano e MARQUEZ, Jesus Velasco (orgs) Coletânea do
Instituto Mora. México, 1988.
PECEQUILO, Cristina S. A política externa dos Estados Unidos. Porto
Alegre: EdUFRGS, 2003.
PRADO, Maria Ligia Coelho. O populismo na América Latina. São Paulo:
Brasiliense, 1985.
PRADO, Maria Ligia C.; SOARES, Gabriela P.; COLOMBO, Sylvia.
Reflexões sobre a democracia na América Latina. São Paulo: Senac,
2007.
PINSK, Jaime et alli (org) Historia da América através de textos. 6a ed. São
Paulo: Editora Contexto, 1990.
RIBEIRO, Darcy. As Américas e a Civilização: Processo de Formação e
Causas do Desenvolvimento Cultural Desigual dos Povos Americanos.
Rio de Janeiro: Editora Civilização Brasileira, 1970.
ROUQUIÉ, Alain. O Estado militar na América Latina. São Paulo: Alfa-
Omega, 1984.
SADER, Eder. A Revolução Cubana. São Paulo: Scritta, 1995
_____. Um rumor de botas (ensaios sobre a militarização do Estado na
América Latina). São Paulo: Polis, 1982.
SELLERS, Charles et alli. Uma Reavaliação da Historia dos Estados
Unidos. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1990.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

SYRETT, Harold C. Documentos Históricos dos Estados Unidos. São


Paulo: Cultrix, 1980.

Código da Disciplina: 0737


Nome da Disciplina: História do Brasil III
Carga Horária: 60 h/a
Número de créditos: 03
Categoria: Obrigatória
Pré-requisito: 0632 (História do Brasil II)

EMENTA

Estudar a formação, consolidação e características da sociedade brasileiras


nas primeiras décadas da chamada República Velha ou República
Oligárquica, sua estrutura política– federalismo, regionalismo e coronelismo;
sua política agrícola e industrial; o trabalhador do campo e os movimentos
sociais rurais; o trabalhador na industrial e os movimentos operários; a Crise
das oligarquias e Revolução de 1930.

OBJETIVOS

Perceber como a historiografia abordou a implantação da Ordem Republicana,


do governo militar à política dos governadores, o sistema eleitoral
(mandonismo e coronelismo); as políticas para o café e a industrialização.
Analisar e compreender os Movimentos sociais no campo (religiosidade e
revoltas) e o movimento operário. Refletir o contexto da década de 1920,
observando a crise da república oligárquica, o tenentismo, o nascimento do
Partido Comunista, o movimento modernista e as disputas intra-oligárquicas.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

BIBLIOGRAFIA BÁSICA
CARVALHO, José Murilo. Cidadania no Brasil: o longo caminho. Rio de
Janeiro: Civilização Brasileira, 2001.
CARVALHO, José Murilo de, Os bestializados: o Rio de Janeiro e a
república que não foi. São Paulo, Companhia das Letras, 1991.
_____. A formação das almas: o imaginário da república no Brasil. São
Paulo, Companhia das Letras, 1990.
FAUSTO, Boris. História Geral da Civilização Brasileira. Rio de Janeiro,
Bertrand Brasil, 1990.
FEREIRA, Jorge & DELGADO, Lucília de Almeida Neves. O Brasil
Republicano. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003,4 Vols.
LESSA, Renato. A invenção republicana. São Paulo, Vértice/Rio de
Janeiro, IUPERJ, 1988.
MARTINS, José de Souza. O poder do atraso. São Paulo: HUCITEC, 1994,
pp. 95-144.
SEVCENKO, Nicolau. Literatura como Missão. São Paulo: Cia das Letras,
2003.

Bibliografia complementar
BOSI, Alfredo. História concisa da literatura brasileira. São Paulo, Cultrix,
1994.
_____, “As letras na Primeira República”, in: Boris Fausto (org.). História
Geral da Civilização Brasileira, v. 9. Rio de Janeiro, Bertrand Brasil, 1990.
CARONE, Edgar. A República Velha (Instituições e Classes Sociais). São
Paulo: Difel, 1970.
_____________. A República Velha (Evolução Política). São Paulo: Difel,
1971.
_____________. Movimento Operário no Brasil (1877 – 1944). São Paulo:
Difel, 1979.
_____________. Socialismo e Anarquismo no Início do Século. Petrópolis:
Vozes, 1996.
COSTA, Emília Viotti da. Da Monarquia à República. São Paulo: Brasiliense,
1977.
FAORO, Raymundo. Os Donos do Poder. Porto Alegre: Globo, 1958.
FAUSTO Boris. Trabalho Urbano e Conflito Social (1890 – 1920). São Paulo:
Difel, 1976.
____________. Revolução de 30. São Paulo: Brasiliense, 1972.
FERREIRA, Jorge (Org.). As Repúblicas no Brasil: política, sociedade e
cultura. 1. ed. Niteroi: EDUFF, 2011.
FERREIRA, Jorge (Org.) ; REIS FILHO, Danial Aarão (Org.). As esquerdas
no Brasil. 1. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2007. 3 Volumes.
HARDMAN, Francisco F. & LEONARDI. V. História da Indústria e do
Trabalho no Brasil. São Paulo: Ed. Global, 1986.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

LAPA, José Roberto do Amaral (org.). História política da república. São


Paulo, Papirus, 1990.
LEAL, Vitor Nunes. Coronelismo, enxada e voto. São Paulo, Alfa-Omega,
1975.
LESSA, Renato. A invenção republicana. São Paulo: Vértice, 1987.LUZ,
Nícia Vilela. A Luta pela Industrialização no Brasil. São Paulo: Alfa-Ômega,
1975.
MARAN, Sheldon L. Anarquistas, Imigrantes e o Movimento Operário. Rio
de Janeiro: Paz & Terra, 1982.
OLIVEIRA, Lúcia Lippi. A questão nacional na Primeira República. São
Paulo, Brasiliense, 1990.
PINHEIRO, Paulo Sérgio. “O proletariado industrial na Primeira República”,
in: Boris Fausto (org.), op. cit.
PRESTES, Anita Leocádia, “O tenentismo – fruto da crise da República
Velha”, in: A Coluna Prestes. São Paulo, Brasiliense, 1990.
QUEIRÓZ, Maria Isaura Pereira. Mandonismo Local na Vida Política
Brasileira. São Paulo: Alfa-Ômega, 1975.
SCHWARTZ, Lilian M. O Espetáculo das Raças. São Paulo: Companhia Das
Letras, 1995.
SILVA, S. e SZMRECSÁNYI, T. (org.) História Econômica da Primeira
República, São Paulo, Hucitec, 1996,
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

Código da Disciplina: 0735


Nome da Disciplina: História da Amazônia III
Carga Horária: 60 h/a
Número de créditos: 03
Categoria: Obrigatória
Pré-requisito: 0628 (História da Amazônia II)

EMENTA

Estudo das tensões políticas oligárquicas locais ocorridas nas primeiras


décadas da I República. Manifestações da Rebelião de 1924 na Amazônia.
Trabalho, cidade e classes sociais na Amazônia republicana. Estadonovismo
na Amazônia. Formas de manifestação sociais, políticas, artísticas e culturais
na Amazônia no contexto do regime militar. Estudo das transformações
advindas das políticas do governo brasileiro na Amazônia contemporânea.

OBJETIVO GERAL

Compreender o processo histórico de retração da economia da borracha e


suas implicações nos âmbitos sociais politicos. Analisar as transformações de
toda ordem advindas no contexto da Amazônia contemporânea.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

AGUIAR, José Vicente de Souza. Manaus: praça, café, colégio e cinema


nos anos 50 e 60. – Manaus: Editora Valer / Governo do Estado do Amazonas,
2002.
ANDRADE, Moacir. Antologia Bibliográfica de Personalidades Ilustres do
Amazonas. Manaus : Imprensa Oficial do Estado, 1995.
BATISTA, Djalma. O Complexo da Amazônia. Rio de Janeiro, Ed.
Conquista, 1974.
DAOU, Ana Maria. A Belle Époque na Amazônia. Rio de Janeiro: Jorge
Zahar, 2000.
DIAS, Edinea Mascarenhas. A Ilusão do Fausto – Manaus 1890-1920.
Manaus: Valer 1999.
LOBO, Narciso Júlio Freire. A Tônica da Descontinuidade (cinema e
política em Manaus na década de 60). Manaus : UA, 1994.
MARTINELLO, Pedro. A Batalha da Borracha na Segunda Guerra Mundial.
Rio Branco: EDUFAC, 2004.
MELLO, Thiago de. Manaus, amor e memória. Rio de Janeiro : Philobiblion,
1984.
OLIVEIRA, José Aldemir de. Manaus 1920-1967: a cidade doce e dura em
excesso. EDUA, 2003.
PINHEIRO, Maria Luiza Ugarte. A Cidade Sobre os Ombros. Manaus: EDUA,
1999.
PINHEIRO, Luís Balkar Sá Peixoto. Visões da Cabanagem. Manaus: Valer,
2001.
REIS, Arthur C. Ferreira. Amazônia e a Cobiça Internacional. São Paulo:
Companhia Editora Nacional, 1960.
SAMPAIO, Patrícia Maria Melo. Os Fios de Ariadne. Manaus: EDUA, 1997.
SANTOS, Eloína Monteiro dos. A Rebelião de 1924 em Manaus, 2ª Ed.,
Manaus, SUFRAMA, Gráfica Lorena, 1990.
__________________________ Uma Liderança Política Cabocla. Manaus.
Ed. da Universidade do Amazonas, 1997.
SANTOS, Roberto. História Econômica da Amazônia (1800-1920). São
Paulo: T. A. Queiroz, 1980.
WEINSTEIN, Bárbara. A Borracha na Amazônia: expansão e decadência
(1850-1920). São Paulo: HUCITEC/ EDUSP, 1993.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

Código da Disciplina: 0753


Nome da Disciplina: Prática do Ensino de História e Estágio Supervisionado II
Carga Horária: 180 h/a
Número de créditos: 08
Categoria: Obrigatória
Pré-requisito: 0751 (Prática do Ensino de História e Estágio Supervisionado I)

EMENTA

Aspectos teórico-práticos do planejamento de ensino da História, em seus


componentes básicos, no Ensino Médio: objetivos, conteúdos, metodologias,
recursos e estratégias de avaliação. Estágio Supervisionado: observação,
participação e regência.

OBJETIVOS GERAIS

Apontar os aspectos teórico-práticos do planejamento de ensino da História,


descrevendo seus componentes básicos no Ensino Médio e, a articulação
destes às concepções de ensino e aprendizagem refletidas nos recursos e
estratégias de avaliação, superando as dicotomias forma/ conteúdo do Estágio
Supervisionado (observação, participação e regência) junto à escola, disciplina
história e contexto sócio- cultural dos alunos.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

ABUD, Kátia Maria; SILVA, André Chaves de Melo; ALVES, Ronaldo Cardoso.
Ensino de História. São Paulo: Cengage Learning, 2010.
ANDRÉ, Marli. O papel da pesquisa na formação e na prática dos
professores. Campinas, SP: Papirus, 2001.
BITTENCOURT, Circe (Org.) O Saber Histórico na Sala de Aula. São Paulo:
Contexto, 1997.
CAIMI, Flávia Eloísa. Aprendendo a ser professor de história. Passo Fundo:
Editora Universidade de Passo Fundo, 2008.
CANDAU, Vera Maria (org). Didática, currículo e saberes escolares. Rio de
Janeiro: DP&A, 2002.
______________(org.). Cultura, linguagem e subjetividade no ensinar e
aprender. Rio de Janeiro: DP&A, 2000.
______________. Cotidiano escolar e cultura(s): encontros e desencontros.
In: CANDAU, Vera Maria (org.). Reinventar a escola. Petrópolis, RJ: Vozes,
2000.
CARDENOS CEDES. A Prática do Ensino em História. 4ª Ed. Campinas:
Papirus, 1994.
CARVALHO, Anna Maria Pessoa de. Os estágios nos cursos de
licenciaturas. São Paulo: Cengage Learning, 2012.
Educação & Sociedade. Dossiê Saberes Docentes. São Paulo, n. 74, abril
2001.
FERRO, Marc. A Manipulação da História no Ensino e nos Meios de
Comunicação. São Paulo: Ibrasa, 1993.
FONSECA, Selva Guimarães. Caminhos da História Ensinada. Campinas:
Papirus, 1996.
______________. Didática e prática do ensino de história. Campinas, SP:
Papirus, 2003.
______________. Ser professor no Brasil. Campinas, SP: Papirus, 1997.
FRANCO, Maria Laura. O Livro Didático de História no Brasil. São Paulo:
Global, 1982.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

GAUTHIER, Clermont et al. Por uma teoria da pedagogia. Pesquisas


contemporâneas sobre o saber docente. Ijuí, RS: Ed. Unijuí, 1998.
GERALDI, Corinta; FIORENTINI, Dario e PEREIRA, Elisabete (orgs.).
Cartografias do trabalho docente: professora(a)-pesquisador(a). Campinas,
SP: Mercado de Letras, 1998.
GRINBERG, Keila; LAGÔA, Ana Maria Mascia; GRINBERG, Lúcia. Oficinas
de história: projeto curricular de Ciências Sociais e de História. Belo
Horizonte: Dimensão, 2000.
JENKINS, Keith. A História repensada. Tradução de Mario Vilela. Revisão
Técnica de Margareth Rago. São Paulo, Contexto, 2001.
JOSSO, Marie-histine. Experiências de vida e formação. São Paulo: Cortez,
2004.
KARNAL, Leandro (org). História na sala de aula: conceitos, práticas e
propostas. São Paulo: Contexto, 2008.
LÜDKE, M. (coord.). O professor e a pesquisa. Campinas, Papirus, 2001.
MIRANDA, Sonia Regina. Sob o signo da memória. Cultura escolar, saberes
docentes e história ensinada. São Paulo: Editora da UNESP; Juiz de Fora:
EDUFJF, 2007.
MONTEIRO, Ana Maria; MAGALHÃES, Marcelo de Souza; GASPARELLO,
Arlette (orgs). Ensino de História: sujeitos, saberes e práticas. Rio de Janeiro:
Mauad X; FAPERJ, 2007.
NEVES, Maria Aparecida M. Ensinando e Aprendendo História. São Paulo:
EPU, 1985.
NIKITIUK, Sônia L. (Org.). Repensando o Ensino da História. São Paulo:
Cortez Editora, 1996.
NÓVOA, Antonio (org.). Vida de professores. Lisboa: Porto Editora, 1995.
______________; FINGER, Matthias (orgs.). O método (auto)biográfico e a
formação. Lisboa: Ministério da Saúde, 1988.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

OLIVEIRA, Margarida Dias (org). Como se formam os professores de


História: vivências e experiências de iniciação à docência. Natal, EDFURN,
2009.
PAIM, Elison Antônio. Do formar ao fazer-se professor. In MONTEIRO, Ana
Maria, MAGALHÃES, Marcelo de Souza (orgs.). Ensino de História: sujeitos,
saberes e práticas. Rio de Janeiro: Mauad X; FAPERJ, 2007.
PERRENOUD, Philippe. A prática reflexiva no ofício de professor:
profissionalização e razão pedagógica. Porto Alegre: Artmed Editora, 2002.
_____________. Formar professores em contextos sociais em mudança.
Revista Brasileira de Educação. Set./Out./Nov./Dez. 1999, p. 5-19.
PICONEZ, Stela Bertholo (org.). A prática de ensino e o estágio
supervisionado. Campinas, SP: Papirus, 1991.
PIMENTA, Selma Garrido (org.). Saberes pedagógicos e atividade docente.
São Paulo, Cortez, 1999.
______________; GHEDIN, Evandro (orgs.). O professor reflexivo no
Brasil: gênese e crítica de um conceito. São Paulo, Cortez, 2005.
______________. O estágio na formação do professor: unidade teoria e
prática? São Paulo, Cortez, 1997.
PINSKY, Jaime et alii. O Ensino da História e a Criação do Fato. São Paulo:
Contexto, 1988.
REVISTA BRASILEIRA DE HISTÓRIA. Memória, História e Historiografia:
Dossiê Ensino de História. São Paulo: Marco Zero/ ANPUH, v 13, n°s 25/26,
1992/1993.
ROCHA, Helenice; REZNIK, Luís e MAGALHÃES, Marcelo de Souza (orgs). A
história na escola: autores, livros e leituras. Rio de Janeiro: Editora da FGV,
2009.
RÜSEN, Jörn. História Viva. Teoria da História I: os fundamentos da ciência
histórica. Brasília: Editora da UnB, 2001.
____________. História Viva. Teoria da História III: os fundamentos da
ciência histórica. Brasília: Editora da UnB, 2001.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

SAMARA, Eni de Mesquita; TUPY, Ismênia S. S. truzzi. História &


documento e metodologia de pesquisa. Belo Horizonte. Autêntica Editora,
2010.
SCHMIDT, Maria Auxiliadora; BARCA, Isabel (orgs). Aprender História:
perspectivas da educação histórica. Ijuí-RS: Editora Unijuí, 2009.
_____________; CAINELLI, Marlene. Ensinar história. São Paulo: Scipione:
2004.
SILVA, Thelma N. M. Bittencourt; RABELLO, Heloísa de J. O Ensino da
História. Niterói: UFF, 1992.
SOUZA, Elizeu Clementino de (org.). Autobiografias, histórias de vida e
formação: pesquisa e ensino. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2006.
TARDIF, Maurice. Saberes docentes e formação profissional. Petrópolis,
RJ: Vozes, 2002.
ZABALA, Antoni. A prática educativa: como ensinar. Porto Alegre:
Artmed,1998.
ZABALDA, Miguel a. Diários de aula: um instrumento de pesquisa e
desenvolvimento profissional. Porto Alegre: Artemed, 2004.
ZAMBONI, Ernesta; FONSECA, Selva Guimarães. Espaços de formação do
professor de História. Campinas, SP: Papirus, 2008.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

ABREU, Martha Campos; FILHO, Silvio de Almeida Carvalho (orgs). Dossiê


Ensino da História da África e da Cultura afro-brasileira. Revista História
Hoje, v. 1, nº 1, 2012.
ANDRÉ, Marli. Etnografia da prática escolar. Campinas, SP: Papirus, 1995.
BITTENCOURT, Circe; BERGAMASCHI, Maria Aparecida (orgs). Dossiê
Ensino de História Indígena. Revista História Hoje, v. 1, nº 2, 2012.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

CALDEIRA, Anna Maria Salgueiro. A apropriação e construção do saber


docente e a prática cotidiana. Caderno de Pesquisa. São Paulo, n. 95, no.
1995.
FORQUIN Jean-Claude. Escola e cultura. As bases epistemológicas do
conhecimento escolar. Porto Alegre: Artes Médicas, 1993.
FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática
educativa. São Paulo: Paz e Terra, 2006.
HERNANDEZ, Fernando. Transgressões e mudanças na educação: os
projetos de trabalho. Porto Alegre: Artmed, 1998.
HERNANDEZ, Leila Leite. A África na sala de aula: visita à história
contemporânea. 4ª Ed. São Paulo: Selo Negro, 2008.
MONTEIRO, Ana Maria. Professores de História: entre saberes e práticas.
Rio de Janeiro: Mauad X, 2007.
MOREIRA, Antonio Flávio. O currículo como política cultural e a formação
docente. In SILVA, Tomaz Tadeu; MOREIRA, Antonio Flávio (orgs.).
Territórios contestados: o currículo e os novos mapas políticos e culturais.
Petrópolis, RJ: 1995.
PROENÇA, M. C. Ensinar, Aprender História, Questões de Didática
Aplicada. Lisboa: Livros do Horizonte, 1990.
REVISTA BRASILEIRA DE HISTÓRIA. História em Quadro-Negro: Escola,
Ensino e Aprendizagem. São Paulo: Marco Zero/ ANPUH, v 13, n°s 25/26,
1992/1993.
SACRISTÁN, J. Gimeno e GÓMEZ, A. I. Pérez. Compreender e transformar
o ensino. Porto Alegre, ArtMed: 1998.
TARDIF, Mauric; LESSARD, Claude. O trabalho docente. Elementos para
uma teoria da docência como profissão de interações humanas. Petrópolis,
RJ: Vozes, 2005.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

Código da Disciplina:
Nome da Disciplina: História das Religiões
Carga Horária: 60 h/a
Número de créditos: 04
Categoria: Optativa
Pré-requisito: não há

EMENTA

O discurso religioso e a construção de sentido. Trajetória histórica das


principais religiões. As implicações culturais, sociais e históricas do
comportamento religioso. As principais linhas de análise do fenômeno
religioso. Transformações contemporâneas do campo religioso.

OBJETIVOS
 Discutir a formação e a trajetória histórica das religiões, bem como seus
aspectos discursivos e seus sistemas explicativos.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

 Apresentar os debates atuais acerca das teorias, dos métodos e das fontes
utilizadas pelos historiadores e cientistas sociais no estudo das religiões.
 Debater as transformações contemporâneas no campo religioso,
especialmente no na América Latina e no Brasil.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

ALVES, Rubem. O que é religião. 3. ed. São Paulo: Ars Poética, 1996.
CALIMAN, Cleto (org.). A sedução do Sagrado: o fenômeno religioso na
virada do milênio. Petrópolis: Vozes, 1998.
CROATO, S. J. As linguagens da experiência religiosa – uma introdução à
experiência religiosa. São Paulo: Paulinas, 1994.
ELIADE, Mircea. História das Crenças e das Ideias Religiosas. Rio de
Janeiro: Jorge Zahar Editores, 1978-1984. 4 volumes.
______. O sagrado e o profano: a essência das religiões. Tradução de
Rogério Fernandes. São Paulo: Martins Fontes, 1991.
MATA, Sérgio da. História & Religião. Belo Horizonte: Autêntica, 2010.
GAARDER, Jostein; HELLERN, Victor & NOTAKER, Henry. O livro das
religiões. Tradução de Isa Mara Lando. São Paulo: Cia das Letras, 2000.
REHFELD, Walter I. Tempo e Religião. A experiência do homem bíblico. São
Paulo: Perspectiva: USP, 1988.
WILGES, Irineu. Cultura Religiosa. As religiões no mundo. 11º ed. Petrópolis:
Vozes, 2000.
Bibliografia complementar
ALVES, Rubem. Religião e Repressão. São Paulo: Loyola, 2005.
______. Dogmatismo e Tolerância. São Paulo: Loyola, 2004.
ARMSTRONG, Karen. Uma história de Deus. Quatro milênios de busca do
Judaísmo, Cristianismo e Islamismo. Tradução de Marcos Santarrita. São
Paulo: Cia das Letras, 2008.
______. Em nome de Deus. O fundamentalismo no Judaísmo, no
Cristianismo e no Islamismo. Tradução de Hildegard Feist. São Paulo: Cia das
Letras, 2009.
______. Em defesa de Deus: o que a religião realmente significa. Tradução
de Hildegard Feist. São Paulo: Cia das Letras, 2011.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

ARNOULD, Jacques. Darwin, Teilhard de Chardin e Cia. A Igreja e a


evolução. Tradução: Benôni Lemos. São Paulo: Paulus, 1999.
BASTIDE, Roger. Elementos de sociologia religiosa. São Bernardo do
Campo: Instituto Ecumênico de Pós-Graduação em Ciências da Religião,
1990.
BINGEMER, Maria Clara L. (org.). O impacto da modernidade sobre a
religião. São Paulo: Loyola, 1992.
BERGER, Peter L.. O dossel sagrado: elementos para uma teoria sociológica
da religião. Tradução de José C. Barcelos. São Paulo: Paulinas, 1985.
(Coleção Sociologia e Religião).
BERGER, Peter & LUCHMANN, Thomas. Modernidade, pluralismo e crise
de sentido: a orientação do homem moderno. Tradução de Edgar Orth. 2º ed.
Petrópolis: Vozes, 2005.
BOURDIEU, Pierre. “Sociólogos da crença e crenças de sociólogos”. In:
Coisas Ditas. Tradução de Cássia R. da Silveira e Denise Moreno Pegorim.
São Paulo: Brasiliense, 1990. pp. 108-114.
______. “Gênese e estrutura do campo religioso”. In: A Economia das Trocas
Simbólicas. Organização e tradução de Sérgio Miceli. 6º ed. São Paulo:
Perspectiva, 2005.
BUARQUE, Virgínia Albuquerque de Castro & ALVES, Herinaldo Oliveira. “A
especificidade do religioso na história das Igrejas cristãs: uma interface entre
História e Teologia”. In: Revista Brasileira de História das Religiões.
Florianópolis: UFSC, ano I, n. 3, janeiro de 2009. pp. 79-94.
CAIRE-JABINET, Marie-Paule. “O período Medieval: uma História Cristã”. In:
Introdução à Historiografia. Tradução de Laureano Pelegrin. Bauru: Edusc,
2003. pp. 17-48.
CARNEIRO, Edison. As culturas negras no novo mundo. 4º ed. São Paulo:
Ed. Nacional, 1979.
CHALLAYE, Félicien. As grandes religiões. Tradução de Alcântara Silveira.
6º ed. São Paulo: IBRAS, 1981.
COMBY, Jean. Para ler a História da Igreja. 2º ed. Tradução de Maria Stela
Gonçalves e Adail V. Sobral. São Paulo: Loyola, 2001. 2 volumes.
COUTROT, Aline. “Religião e política”. In: RÉMOND, René (org.). Por uma
história política. 2º ed. Tradução de Dora Rocha. Rio de Janeiro: FVG, 2003.
pp. 331-364.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

DANIÉLOU, Jean. “História sagrada e História profana”. In: Sobre e Mistério


da História. Tradução de Maria Laura Philbert. São Paulo: Herder, 1964.
DEBRAY, Regis. Deus: um itinerário – material para a história do eterno no
ocidente. Tradução de Jônatas Batista Neto. São Paulo: Companhia das
Letras, 2004.
DELUMEAU, Jean & MELCHOIR-BONNET, Sabine. De Religiões e de
Homens. Tradução de Nadyr de Salles Penteado. São Paulo: Loyola, 2000.
DUPRONT, Alphonse. “A religião: Antropologia religiosa”. In: LE GOFF,
Jacques (org.). História: novas abordagens. Tradução de Henrique Mesquita.
Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1976. pp. 83-105.
DURKHEIM, Emile. As formas elementares da vida religiosa. Tradução de
Paulo Neves. São Paulo: Martins Fontes, 1996.
ELIADE, Mircea. Origens, história e sentido na religião. Lisboa: Edições 70,
1989.
______. Mito e Realidade. Tradução de Pola Civelli. 5º ed. São Paulo:
Perspectiva, 2000.
EVANS-PRITCHARD, Edward E. Antropologia Social da Religião. Rio de
Janeiro: Campus, 1978.
FEUERBACH, Ludwig. Preleções sobre a essência da religião. Tradução de
José da Silva Brandão. Campinas: Papirus, 1989.
FILORAMO, Giovanni & PRANDI, Carlo. As ciências das religiões. Tradução
de José Maria de Almeida. São Paulo: Paulus, 1999.
GEERTZ, Clifford. “O beliscão do destino: a religião como experiência, sentido,
identidade e poder”. In: Nova luz sobre a antropologia. Tradução de Vera
Ribeiro. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2001. pp. 149-165.
GIUMBELLI, Emerson. O fim da religião: dilemas da liberdade religiosa no
Brasil e na França. São Paulo: Attar Editorial: CNPq, 2002.
GOMES, Francisco José Silva. “A Religião como objeto da História”. In: LIMA,
Lana L. da Gama (et. al.). História e Religião. Rio de Janeiro: Mauad, 2002.
pp. 13-24.
HERVIEU-LÉGER, Danièle. O Peregrino e o Convertido: a religião em
movimento. Tradução de João Batista Kreuch. Petrópolis: Vozes, 2008.
HUXLEY, Thomas Henry. Escritos sobre ciência e religião. Tradução de
Jézio Gutierre. São Paulo: UNESP, 2009.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

JACOB, C. R. (et. al.). Atlas da Filiação Religiosa e Indicadores Sociais no


Brasil. Rio de Janeiro: PUC-RIO; São Paulo: Loyola, 2003.
JULIA, Dominique. “A religião: história religiosa”. In: LE GOFF, 1976, op. cit.
pp. 106-131.
KÜNG, Hans. A Igreja Católica. Tradução de Adalgisa Campos da Silva. Rio
de Janeiro: Objetiva, 2002.
______. Religiões do mundo: em busca de pontos comuns. Tradução de
Carlos A. Pereira. Campinas: Verus, 2004.
LAGRÉE, Michel. Religião e Tecnologia: a benção de Prometeu. Tradução
de Viviane Ribeiro. Bauru: EDUSC, 2002. (Coleção Ciências Sociais).
LÖWY, Michael. A Guerra dos Deuses. Religião e política na América Latina.
Tradução de Vera Lúcia Mello Joscelyne. Petrópolis: Vozes, 2000.
LUNEAU, René & MICHEL, Patrick (org.). Nem todos os caminhos levam a
Roma: mutações atuais do catolicismo. Tradução de Guilherme Teixeira.
Petrópolis: Vozes, 1999.
MARTINA, Giacomo. História da Igreja. Tradução de Orlando Soares
Moreira. São Paulo: Loyola, 1996-2005. 4 volumes.
MARTINO, Luís Mauro Sá & SOUZA, Beatriz Muniz (org.) Sociologia da
Religião e Mudança Social. São Paulo: Paulus, 2004.
PIERUCCI, A. Flávio. “Fundamentalismo e integrismo: o nome a as coisas”. In:
Revista da USP. São Paulo: USP, n. 13, 1992. pp. 144-156.
RATZINGER, Joseph & D’ARCAIS, Paolo Flores. Deus existe? Tradução de
Sandra Martha Dolinsky. Rio de Janeiro: Planeta, 2009.
RÉMOND, René (org.). As grandes descobertas do Cristianismo. Tradução
de Paulo Gaspar de Meneses. São Paulo: Loyola, 2005.
RORTY, Richard & VATTIMO, Gianni. O futuro da Religião. Solidariedade,
caridade e ironia. Organização de Santiago Zabala. Tradução de Paulo
Ghiraldelli e Eliana Aguiar. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 2006.
SANCHIS, Pierre (org.). Fiéis e cidadãos: percursos do sincretismo no Brasil.
Rio de Janeiro: UERJ, 2001.
SIEPIERSKI, Paulo (org.). Religião no Brasil: enfoques, dinâmicas e
abordagens. São Paulo: Paulinas, 2003.
TEIXEIRA, Faustino (org.). Sociologia da religião: enfoques teóricos.
Petrópolis: Vozes, 2003.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

______ & MENEZES, Renata (org.). As religiões no Brasil. Continuidades e


rupturas. Petrópolis: Vozes, 2006.
______ (org.). Catolicismo Plural: dinâmicas contemporâneas. Petrópolis:
Vozes, 2009.
VERNANT, Jean Pierre. O Universo, os Deuses, os Homens. Tradução de
Rosa Freire D’Aguiar. São Paulo: Cia das Letras, 2000.
WEBER, Max. A Ética Protestante e o Espírito do Capitalismo. Tradução
de Vinicius Eduardo Alves. São Paulo: Centauro, 2001.

Código da Disciplina: criar


Nome da Disciplina: TCC I
Carga Horária: 60 h/a
Número de créditos: 04
Categoria: Obrigatória
Pré-requisito: não há

EMENTA

Discussões sobre a natureza do conhecimento científico. Tópicos de pesquisa


em Ciências Humanas, Ciências Sociais e Ciências da Educação. Elaboração
do tema proposto para elaboração do Trabalho de Conclusão de Curso
(Monografia ou artigo científico). Orientações individuais de pesquisa, com
ênfase especial para a revisão bibliográfica e para a fundamentação teórica.
Discussão e escolha da metodologia utilizada na pesquisa/trabalho de campo.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

OBJETIVOS
 Preparar os alunos para o desenvolvimento do Trabalho de Conclusão de
Curso (Monografia ou artigo científico).
 Acompanhar individualmente os graduandos nas várias etapas da pesquisa
que resultará no TCC, com ênfase na escolha do tema, discussão
bibliográfica e escolha e aplicação da metodologia escolhida/adequada.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA
DEMO, Pedro. Metodologia científica em Ciências Sociais. São Paulo:
Atlas, 1985.
ECO, Humberto. Como se faz uma tese. Tradução de _. 23º ed. São Paulo:
Perspectiva, 2010.
GIL, Antonio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 5º ed. São Paulo:
Atlas, 2010.
LAKATOS, E. M.; MARCONI, M. A. Fundamentos de metodologia científica.
São Paulo: Atlas, 1985.
MINAYO, M. C. S. (et al). Pesquisa social: teoria, método e criatividade.
Petrópolis: Vozes, 1994.
Bibliografia complementar
ALBUQUERQUE JÚNIOR, Durval Muniz. História. A arte de inventar o
passado. Bauru: Edusc, 2007.
AMADO, Janaína & FERREIRA, Marieta de Morais (org.). Usos e Abusos da
História Oral. 7º ed. Rio de Janeiro: FGV, 2005.
BLOCH, Marc. Apologia da História ou o Ofício do Historiador. Tradução
de André Telles. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2001.
BOUTIER, Jean & JULIA, Dominique. Passados Recompostos: campos e
canteiros da História. Tradução de Marcella Mortara e Anamaria Skinner. Rio
de Janeiro: UFRJ, 1998.
BRAUDEL, Fernand. Reflexões sobre a História. Tradução de Eduardo
Brandão. São Paulo: Martins Fontes, 1992.
CALVINO, Ítalo. Por que ler os clássicos. Tradução de Nilson Moulin. São
Paulo: Cia das Letras, 1993.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

CARDOSO, Ciro Flamarion & VAINFAS, Ronaldo (org.). Domínios da


História: ensaios de Teoria e Metodologia. Rio de Janeiro: Campus, 1997.
CATROGA, Fernando. Memória, história e historiografia. Lisboa: Quarteto,
2001.
CERTEAU, Michel de. A escrita da História. Tradução de Maria de Lourdes
Menezes. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1982.
CHAUVEAU, Agnes & TÉTART, Philippe (org.). Questões para a história do
tempo presente. Tradução de Ilka Stern Cohen. São Paulo: Edusc, 1999.
DOSSE, François. História e Ciências Sociais. Tradução Fernanda Abreu.
Bauru: Edusc, 2004.
FREITAS, Marcos César de (org.). Historiografia Brasileira em Perspectiva.
São Paulo: Contexto, 1998.
HARTOG, François. Evidências da História: o que os historiadores veem.
Tradução de Guilherme J. de Freitas Teixeira. Belo Horizonte: Autêntica, 2011.
KUNH, Thomas. A Estrutura das Revoluções Científicas. Tradução de
Beatriz Vianna Boeira e Nelson Boeira. 3ª ed. São Paulo: Perspectiva, 1994.
LE GOFF, Jacques & NORA, Pierre. História: Novos Problemas, Novos
Objetos e Novas Aborda-gens. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1979.
______. História e Memória. Tradução de Bernardo Leitão. 4º ed. Campinas:
UNICAMP, 1996.
MORIN, Edgar. “Inter-poli-transdiscipliridade”. In: A cabeça bem-feita.
Repensar a reforma, reformar o pensamento. 15º ed. Tradução de Eloá
Jacobina. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2008. pp. 105-116.
REVEL, Jacques (org.). Jogos de Escalas: a experiência da microanálise.
Tradução de Dora Rocha. Rio de Janeiro: FGV, 1998.
SARLO, Beatriz. Tempo Passado. Cultura da memória e guinada subjetiva.
Tradução de Rosa Freire D’Aguiar. São Paulo: Cia das Letras; Belo Horizonte:
UFMG, 2007.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

Código da Disciplina: 0839


Nome da Disciplina: História do Brasil IV
Carga Horária: 60 h/a
Número de créditos: 03
Categoria: Obrigatória
Pré-requisito: 0737 (História do Brasil III)

EMENTA

Estudo das características da sociedade brasileira por meio da revisão crítica


da historiografia sobre os seguintes temas: A Revolução de 30; a Era Vargas
(o corporativismo, a legislação trabalhista e os movimentos sociais, com
destaque no integralismo e no comunismo); o Estado Novo (autoritarismo,
1937-1945, a questão nacional e as políticas culturais); o Nacionalismo, o
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

populismo e o desenvolvimentismo do Período Democrático; O Golpe Civil-


Militar de 1964; os Governos Militares; a Abertura Política; a
Redemocratização; o Neo-Liberalismo, a integração regional e Globalização
no Brasil.

OBJETIVO GERAL

Refletir sobre a Revolução de 1930 e o Estado Novo, com suas implicações


econômica, política e cultural, analisando o período entre 1945 e 1964,
enfatizando o trabalhismo, o nacionalismo, o desenvolvimentismo e Golpe
Civil-Militar, construir um amplo panorama dos principais aspectos da História
do Brasil Contemporâneo, discutindo conceitos como Ditadura Civil-Militar, as
esquerdas revolucionárias, abertura política, cultura, Movimentos sociais
contemporâneos, Globalização e trabalho.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

ABREU, Alzira Alves de et alii. Dicionário histórico, biográfico brasileiro


pós 1930. Rio de Janeiro: Editora FGV/CPDOC, 2001, 5v.
CARVALHO, José Murilo. Cidadania no Brasil: o longo caminho. Rio de
Janeiro: Civilização Brasileira, 2001.
FAUSTO, Boris. História Geral da Civilização Brasileira. Rio de Janeiro,
Bertrand Brasil, Vols. VIII e IX, 1990.
FEREIRA, Jorge & DELGADO, Lucília de Almeida Neves. O Brasil
Republicano. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003,4 Vols.
GOMES, Ângela de Castro. A Invenção do Trabalhismo. São Paulo, Rio de
Janeiro: Vértice/IUPERJ, 1988.
Bibliografia complementar
ARAÚJO, Angela M. C. (org.). Do corporativismo ao neoliberalismo:
Estado e
trabalhadores no Brasil e na Inglaterra. São Paulo, Boitempo, 2002.
ARAUJO, Maria Paula N. A utopia fragmentada: as novas esquerdas no
Brasil e no mundo na década de 1970. Rio de Janeiro: Editora da FGV,
2000.
BENEVIDES, Maria Vitória de Mesquita. O Governo Kubitschek:
desenvolvimento
econômico e estabilidade política - 1956-1961. Rio de Janeiro, Paz e
Terra, 1979.
BERTONHA, João Fábio. Fascismo, nazismo, integralismo. São Paulo,
Ática, 2001.
BOITO JUNIOR, Armando. O sindicalismo de Estado no Brasil. São Paulo,
Hucitec, 1991.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

BORGES, Vavy Pacheco. Tenentismo e Revolução. São Paulo: Brasiliense,


1988.
CARDOSO, Fernando Henrique e FALETO, Enzo. Dependência e
Desenvolvimento na América Latina: Ensaio de Interpretação
Sociológica. Rio de Janeiro: Editora Guanabara, 1970.
CARDOSO, Mirian Limoeiro. Ideologia do Desenvolvimentismo: Brasil JK.
Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1978.
CAPELATO, Maria Helena R. Multidões em Cena – propaganda política
no varguismo e no peronismo. Campinas: Papirus, 1998.
CAREIRO, Maria Luiza Tucci. Minorias silenciadas: história da censura
no Brasil. São Paulo: Edusp, 2001.
CARNEIRO, M. Luiza Tucci. Livros Proibidos, idéias malditas: O Deops e
as minorias silenciadas. São Paulo, Ed. Estão Liberdade; Arquivo do
estado/SEC, 1997.
CARNEIRO, Maria L. Tucci. O anti-semitismo na era Vargas. São Paulo:
Brasiliense,
1988.
CARONE, Edgard. O Estado Novo (1937-1945). São Paulo: Difel, 1977.
CARONE, Edgard. O PCB (1922-1943). São Paulo, Difel, 1982.
CARONE, Edgard. O tenentismo. São Paulo, Difel, 1975.
D’ARAUJO, Maria Celina. Sindicatos, carisma e poder: o Partido
Trabalhista Brasileiro de 1945 a 1965. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio
Vargas, 1996.
D’ARAÚJO, Maria Celina et alii. Visões do golpe: a memória militar sobre
1964. Rio de Janeiro: Relume-Dumará, 1994.
DELGADO, Lucília Neves de A. O Comando Geral dos Trabalhadores no
Brasil: 161-1964. Petrópolis, Vozes, 1986.
FAUSTO Boris. Revolução de 30. São Paulo: Brasiliense, 1972.
FERREIRA, Jorge (Org.). As Repúblicas no Brasil: política, sociedade e
cultura. 1. ed. Niteroi: EDUFF, 2011.
FERREIRA, Jorge. João Goulart. Uma biografia. Rio de Janeiro: Civilização
Brasileira, 2011.
FERREIRA, Jorge. Trabalhadores do Brasil. O imaginário popular (1930-
1945). 1. ed. Rio de Janeiro: 7 Letras, 2011.
FERREIRA, Jorge; GOMES, Angela de Castro. Jango. As múltiplas faces.
1. ed. Rio de Janeiro: Editora da Fundação Getúlio Vargas, 2007.
FERREIRA, Jorge (Org.) ; REIS FILHO, Danial Aarão (Org.). As esquerdas
no Brasil. 1. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2007. 3 Volumes.
FERREIRA, Jorge. A democracia no Brasil (1945-1964). 1. ed. São Paulo:
Editora Atual, 2006.
FERREIRA, Jorge. O imaginário trabalhista. Getulismo, PTB e cultura
política popular (1945-1964). 1. ed. Rio de Janeiro: Editora Civilização
Brasileira, 2005.
FICO, Carlos; ARAUJO, Maria Paula; GRIN, Mônica. (Org.). Violência na
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

História: memória, trauma e reparação. 1. ed. Rio de Janeiro: Ponteio,


2012.
FICO, Carlos ; ARAUJO, Maria Paula . 1968, 40 Anos Depois: História e
Memória. Rio de Janeiro: 7 Letras, 2009.
FICO, Carlos . O grande irmão: da Operação Brother Sam aos anos de
chumbo. O governo dos Estados Unidos e a ditadura militar brasileira. 1. ed.
Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2008.
FICO, Carlos ; FERREIRA, Marieta de M. ; ARAUJO, Maria Paula ;
QUADRAT, Samantha. V. Ditadura e Democracia na América Latina. 1.
ed. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 2008.
FICO, Carlos. Além do golpe: versões e controvérsias sobre 1964 e a
ditadura militar. 1. ed. Rio de Janeiro: Record, 2004.
FICO, Carlos (Org.) ; ARAUJO, Maria Paula (Org.). 40 Anos do Golpe de
1964: ditadura militar e resistência no Brasil. 1. ed. Rio de Janeiro:
7Letras; Faperj, 2004.
FICO, Carlos . Como eles agiam. Os subterrâneos da Ditadura Militar:
espionagem e polícia política. Rio de Janeiro: Record, 2001.
FICO, Carlos . Reinventando o otimismo: ditadura, propaganda e
imaginário social no Brasil (1969-1977). Rio de Janeiro: Editora Fundação
Getúlio Vargas, 1997.
GOMES, Ângela de Castro. A Invenção do Trabalhismo. São Paulo, Rio de
Janeiro: Vértice/IUPERJ, 1988.
GOMES, Ângela Maria de Castro. Cidadania e direitos do trabalho. Rio de
Janeiro:
Zahar, 2002.
GORENDER, Jacob. Combate nas trevas. São Paulo: Ática, 1987.
HABERT, Nadine. A década de 70 - Apogeu e crise da ditadura militar
brasileira. São
Paulo: Ática, 1994.
HAMPHREY, John. Fazendo o milagre. Controle capitalista e luta
operária na
indústria automobilística brasileira. Petrópolis: Vozes, 1982.
IANNI, Octávio. A Formação do Estado Populista na América Latina. Rio
de Janeiro: Civilização Brasileira, 1975.
LEITE LOPES, J. (org.). Cultura & identidade operária. São Paulo, Marco
Zero, s/d.
HARDMAN, Francisco F. & LEONARDI. V. História da Indústria e do
Trabalho no Brasil. São Paulo: Ed. Global, 1986.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

Código da Disciplina: 0857


Nome da Disciplina: Prática do Ensino de História e Estágio Supervisionado III
Carga Horária: 60 h/a
Número de créditos: 04
Categoria: Obrigatória
Pré-requisito: 0753 (Prática do Ensino de História e Estágio Supervisionado II)

EMENTA
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

Ensino e Pesquisa: analise e reflexão teórica acadêmica das práticas


pedagógicas do professor de História no Ensino Fundamental e Médio.
Elaboração de artigo científico acadêmico. Socialização das produções
acadêmicas no Seminário Científico Cultural de Estágio.

OBJETIVO GERAL

Investigar as reflexões e problematizações sobre o conteúdo escolar


ministrado, os conteúdos e procedimentos metodológicos construídos para o
momento dos Estágios Supervisionados: observação, participação e regência
destacando elementos e indicativos para a produção de análise acadêmica
motivados pela reflexão da experiência e socialização de práticas educativas
a serem partilhadas entre os pares, tendo a escola como local privilegiado,
onde acontece o processo de formação e autoformação.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA
ANDRÉ, Marli (org.). O papel da pesquisa na formação e na prática dos
professores. Campinas: Papirus, 2001.
CANDAU, Vera Maria (org.). Ensinar e aprender: sujeitos, saberes e
pesquisa. Rio de Janeiro: DP&A, 2002.
DINIZ PEREIRA, Júlio Emílio; ZEICHNER, Kenneth M. (orgs.). A pesquisa na
formação e no trabalho docente. Belo Horizonte: Autêntica, 2002, p. 11 - 42.
FÉLIX, Loiva Otero. História e memória: a problemática da pesquisa. Passo
Fundo: EDIUPF, 1998.
FENELON, Dea. Pesquisa em história: perspectivas e abordagens. In:
FAZENDA, Ivani (org.). Metodologia da pesquisa educacional. 10. ed. São
Paulo: Cortez, 2006, p. 119 - 136.
GHEDIN, Evandro; BORGES, Heloisa da Silva. Educação do Campo- A
epistemologia de um horizonte de formação. Manaus; UEA edições, 2007.
MIGNOT, Ana Chrystina Venâncio; CUNHA, Maria Teresa Santos (orgs.).
Práticas de memória docente. São Paulo: Cortez, 2003.
MIGUEL, Maria Elizabeth B.; CORREA, Rosa L. T. (orgs.). A educação
escolar em perspectiva histórica. Campinas, SP: Autores Associados, 2005.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

MIRANDA, Sonia Regina. Sob o signo da memória. Cultura escolar, saberes


docentes e história ensinada. São Paulo: Editora da UNESP; Juiz de Fora:
EDUFJF, 2007.
MONTEIRO, Ana Maria et al (orgs.). Ensino de história: sujeitos, saberes e
práticas. Rio de Janeiro: Mauad X: FAPERJ, 2007.
MOREIRA, Marco Antônio; MASINI, Elcio F. Salzano. Aprendizagem
significativa: a teoria de David Ausubel. São Paulo: Centauro, 2001.
OLIVEIRA, Margarida Dias; CAINELLI, Marlene; OLIVEIRA, Almir Félix de
(orgs.). Ensino de História: múltiplos ensinos em múltiplos espaços. Natal:
EDFURN, 2008.
PIMENTA, Selma Garrido (org.). Saberes pedagógicos e atividade docente.
São Paulo, Cortez, 1999.
SACRISTÁN, Gimeno. Educar e conviver na cultural global: as exigências
da cidadania. Porto Alegre: Artmed, 2002.
SCHIMIDT, Maria Auxiliadora; BARCA, Isabel (orgs.). Aprender História:
perspectivas da educação histórica. Ijuí, RS: Editora Unijuí, 2009.
SILVA, Marcos A. da. História: o prazer em ensino e pesquisa. São Paulo:
Brasiliense, 2003.
SILVA, Tomaz Tadeu; MOREIRA, Antonio Flávio (orgs.). Territórios
contestados: o currículo e os novos mapas políticos e culturais. Petrópolis,
RJ: 1995
SOUZA, Rosa de Fátima. A cultura escolar em debate. Questões
conceituais, metodológicas e desafios para a pesquisa. Campinas, SP:
Autores Associados, 2005.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

A bibliografia complementar será composta por indicações do professor de


acordo com os temas dos artigos científicos acadêmicos que serão elaborados
pelos alunos da disciplina em cada semestre.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

Código da Disciplina: CRIAR


Nome da Disciplina: LIBRAS
Carga Horária: 60 h/a
Número de créditos: 04
Categoria: Obrigatória
Pré-requisito: não há
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

EMENTA
A disciplina de LIBRAS busca oportunizar aos estudantes acadêmicos a
formação diferenciada na área da Educação especial através das
fundamentações teóricas: Legislação, Evolução Histórica, Os contextos da
educação inclusiva, A cultura Surda: Surdo e Surdez, cultura e comunidade
surda, noções da lingüística aplicada à LIBRAS; além de proporcionar
condições necessárias para a aquisição da LIBRAS a nível básico.
OBJETIVO GERAL
Proporcionar subsídios teóricos e práticos que fundamente a atividade
Docente na área do surdo e da surdez e compreender as transformações
educacionais,
considerando os princípios sócio-antropológicos e as novas perspectivas da
educação relacionadas à comunidade surda.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA
CAPOVILLA, Fernando C. & Raphael, Walkiria D. Dicionário: Língua de
Sinais Brasileira – LIBRAS. Vol. I e II. 2. ed. São Paulo: Editora da
Universidade de São Paulo, 2001.
STAINBACK, S. e Stainback, W. Inclusão – um guia para educadores. Porto
Alegre: Artmed, 1999.
THOMA, Adriana da S. & Lopes, Maura C. (org.). A invenção da Surdez –
cultura, alteridade, identidade e diferença no campo da educação. 2. ed.
Santa Cruz do Sul: EDUNISC, 2005.
SÁ, Nídia R. Limeira de. Cultura, Poder e Educação de Surdos. São Paulo:
Paulinas, 2006.
Brasil. MEC. Saberes e Práticas da inclusão – Desenvolvendo
competências para o atendimento às necessidades educacionais
especiais de alunos surdos. SEEP/Brasília/DF, 2005

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

MANTOAN, M. T. Égler. A integração de Pessoas com Deficiência:


contribuições para uma reflexão sobre o tema. São Paulo: Memnon:
Editora SENAC, 1997.
FELTRIN, Antônio E. Inclusão Social na Escola – Quando a pedagogia se
encontra com a diferença. São Paulo: Paulinas, 2004.
SKLIAR, Carlos (org.). A Surdez: um olhar sobre as diferenças. 3. ed. Porto
Alegre:
Mediação, 2005.
Revista:– A revista do Educador. Ciranda da Inclusão
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

Código da Disciplina: criar


Nome da Disciplina: História e Literatura
Carga Horária: 60 h/a
Número de créditos: 04
Categoria: Optativa
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

Pré-requisito: não há

EMENTA

Literatura como fonte para a produção do conhecimento histórico: teoria e


metodologia. História, literatura e memória. Estudo da Literatura brasileira,
Latino Americana e Africana.

OBJETIVOS

 Discutir as relações entre verdade e verossimilhança, tempo histórico e


tempo narrativo a partir de olhares transdisciplinares.
 Discutir a questão da História, Literatura e Memória.
 Analisar o diálogo entre História e Literatura verificando a especificidade da
ficção na qual se originou a História assim como da ficção que orienta a
Literatura.
 Considerar a Literatura como acontecimento e como discurso inscrito nas
estruturas do mundo.
 Entrar em contato com a produção literária brasileira, latinoamericana e
africana.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

AGUIAR, Flávio, MEIHJ, José Carlos S., Vasconcelos, Sandra G. T. Gêneros


de Fronteira: Cruzamentos entre o histórico e o literário. Vários
organizadores. São Paulo: Xamã, 1997.
BAKHTIN, Mikhail. Estética da Criação Verbal. Tradução de Paulo Bezerra.
São Paulo: Martins Fontes, 2000.
CAVALLO, Guglielmo & CHARTIER, Roger (org.). História da Leitura no
mundo Ocidental. Tradução de Fúlvia M. L. Moretto. São Paulo: Ática, 1998.
CERTEAU, Michel de. A Invenção do Cotidiano. 1. Artes de Fazer. 15º ed.
Tradução de Ephraim Ferreira Alves. Petrópolis: Vozes, 2008.
CHALHOUB, Sidney & PEREIRA, Leonardo A. (org.). A História contada.
Capítulos de História Social da Literatura no Brasil. Rio de Janeiro: Nova
Fronteira, 1998.
CHARTIER, Roger. “História e Literatura”. In: Topoi. Rio de Janeiro: UFRJ, n.
01, jan-dez. de 2000. pp. 197-216.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

GUINZBURG, Carlo. O Fio e os Rastros: verdade, falso, fictício. Tradução


de Rosa Freire d’Aguiar e Eduardo Brandão. São Paulo: Cia das Letras, 2007.
Bibliografia complementar
ADORNO, Theodor. Notas de Literatura. Tradução de Celeste Aida Galeãoe
Idalina Azevedo da Silva. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1971.
BAKHTIN, Mikhail. Problemas da Poética de Dostoievski. Tradução de
Paulo Bezerra. Rio de Janeiro: Forense-Universitária, 1981.
______. Questões de Literatura e de Estética. Tradução de Aurora F.
Bernardini e outros. São Paulo: UNESP: Hucitec, 1988.
BARTHES, Roland. Michelet. Tradução de Eduardo de Sousa. São Paulo: Cia
das Letras, 1991.
______. O Grão da Voz. Tradução de Ana Maria Skiner. Rio de Janeiro:
Francisco Alves, 1995.
BLANCHOT, Maurice. O espaço Literário. Tradução de . Rio de Janeiro:
Rocco, 1987.
______. A Parte do Fogo. Tradução de Ana Maria Scherer. Rio de Janeiro:
Rocco, 1997.
BLOCH, Marc. Apologia da História ou o Ofício do Historiador. Tradução
de André Telles. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2001.
BRAUDEL, Fernand. História e Ciências Sociais. Tradução de Carlos Braga
e Inácia Canela. Lisboa: Editorial Presença, 1972.
BURKE, Peter (org.). A Escrita da História: novas perspectivas. Tradução
de Magda Lopes. São Paulo: Unesp. 1992.
CANDIDO, Antonio. Literatura e sociedade. Rio de Janeiro: Ouro sobre Azul,
2002.
CHALHOUB, Sidney. Machado de Assis Historiador. São Paulo: Cia das
Letras, 2003.
CHARTIER, Roger. A Aventura do Livro: do Leitor ao Navegador:
conversações com Jean Lebrun. Tradução de Reginaldo Carmello Correa de
Moraes. São Paulo: Unesp, 1998.
______. Cultura Escrita, Literatura e História. Tradução de Heloísa Jahn.
Porto Alegre: Artmed, 2001.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

CERTEAU, Michel de. História e Psicanálise: entre ciência e ficção.


Tradução de Guilherme João de F. Teixeira. Belo Horizonte: Autêntica, 2011.
DARNTON, Robert. O Grande Massacre de Gatos e outros episódios da
história cultural francesa. Tradução de Sonia Coutinho. Rio de Janeiro:
Graal, 1986.
______. Os best-sellers proibidos na França pré-revolucionária. Tradução
de Hildegard Feist. São Paulo: Cia das Letras, 1988.
DELEUZE, Gilles. Proust e os Signos. Tradução de Márcio V. Barbosa. Rio
de Janeiro: Forense Universitária, 1987.
DOSSE, François. A História em Migalhas: dos Annales à nova História.
Tradução de A. Silva Ramos. São Paulo: Unicamp, 1992.
ECO, Umberto. Pós-escrito ao Nome da Rosa. Tradução de Letiza Zini
Antunes e Álvoro Lorencini. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1985.
______. Seis Passeios pelos Bosques da Ficção. Tradução de Hildegard
Fiest. São Paulo: Cia das Letras, 1994.
FEBVRE, Lucien. Combates pela História. Tradução de Leonor Martinho
Simões e Gisela Moniz. 3º ed. Lisboa: Editorial Presença, 1989.
GUINZBURG, Carlo. Mitos, Emblemas e Sinais: morfologia e história.
Tradução de Frederico Carotti. São Paulo: Cia das Letras, 1999.
HEIDEGGER, Martim. A Origem da Obra de Arte. Tradução de José
Francisco E. M. Lisboa: Edições 70, 1990.
JAUSS, Hans Robert. A História da Literatura como Provocação a Teoria
Literária. Tradução de Sérgio Tollaroli. São Paulo: Ática, 1994.
LIMA, Luiz Costa (et. al.). A Literatura e o Leitor. Rio de Janeiro: Paz e Terra,
2002.
LE GOFF, Jacques; NORA, Pierre (org.). História: Novos Problemas, Novas
Abordagens, Novos Objetos. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1976. 3
volumes.
MALARD, Letícia. Literatura e dissidência política. Belo Horizonte: UFMG,
2006.
MANGUEL, Alberto. Uma História da Leitura. São Paulo: Cia das Letras,
1997.
______. No Bosque do Espelho. São Paulo: Cia das Letras, 2000.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

______. Análise de Discurso: Princípios e Procedimentos. Campinas:


Pontes, 1999.
PESAVENTO, Sandra Jatay. “Fronteira e Ficção: diálogos da História com a
Literatura”. In: Simpósio Nacional da Associação Nacional de História.
História: fronteiras. São Paulo: Humanitas: ANPUH, 1999.
______. “O mundo como texto: leituras da História e da Literatura”. In: História
da Educação. Pelotas: UFPEL, n. 14, setembro de 2003. pp. 31-45.
______. “História & literatura: uma velha-nova história”. In: Nuevo Mundo
Mundos Nuevos [Online]. Publicado em 28 de janeiro de 2006. Disponível em
«http://nuevo mundo.revues.org/1560». Consulta em 19 de abril de 2013.
SEABRA, Silvana. “De vizinhas tricoteiras a companheiras distantes? Alguns
apontamentos sobre o debate entre História e Literatura”. In: Locus: Revista
de História. Juiz de Fora: UFJF, v.17, n.1, 2011. pp. 17-37.
TOSH, John. A busca da História: objetivos, métodos e as tendências no
estudo da história moderna. Tradução de Jacques A. Wainberg. Petrópolis:
Vozes, 2011.
WHITE, Hayden. Metahistória: a imaginação histórica do século XIX.
Tradução de José Laurêncio de Melo. São Paulo: Edusp, 1992.
_______. Trópicos do discurso: ensaios sobre a crítica da cultura. Tradução
de Antonio de Pádua Danesi. São Paulo: Edusp, 1994.

Código da Disciplina: criar


Nome da Disciplina: História e Cultura Popular
Carga Horária: 60 h/a
Número de créditos: 04
Categoria: Optativa
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

Pré-requisito: não há

EMENTA

A diversidade e a riqueza das práticas e representações culturais populares.


As interfaces com a cultura de massa e/ou indústria cultural. A religiosidade
popular. Os significados constitutivos das relações entre História e Cultura. A
cultura material e imagética e suas múltiplas dimensões simbólicas. Estudo da
historiografia sobre o tema.

OBJETIVO

Discutir as astúcias presentes nas práticas culturais populares que subvertem


as estratégias de dominação, tendo em vista a bibliografia específica já
produzida sobre a temática com seus impasses e perspectivas.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA
BURKE, Peter. O que é História Cultural? Rio de Janeiro: Zahar Editor, 2005.
CANCLINI, Nestor Garcia. Culturas Híbridas. São Paulo: Edusp, 2000.
CERTEAU, Michel. A invenção do cotidiano: artes de fazer. Petrópolis/RJ:
Vozes,1994.
GINZBURG, Carlo. O fio e os rastros: verdade, falso, fictício. Tradução de
Rosa Freire d’Aguiar e Eduardo Brandão. - São Paulo: Companhia das
Letras, 2007
BAKHTIN, M. A cultura popular na Idade Média e no Renascimento: o
contexto de François Rabelais. São Paulo - Brasília: HUCITEC-EDUNB,
1993.
BOSI, Alfredo (org.). Cultura Brasileira: temas e situações. São Paulo: Ática,
1992.
BRAGA, Sérgio Ivan Gil (Org.). Cultura popular, patrimônio imaterial e
cidades. - Manaus: EDUA, 2007.
_____________________(Org). Culturas populares em meio urbano.
Manaus: Valer/ADUA, 2012.
__________________. Os bois bumbás de Parintins. Rio de Janeiro:
FUNARTE, 2002.
CHAUÍ, Marilena. Conformismo e Resistência: aspectos da cultura popular
no Brasil. 6.ed. São Paulo: Brasiliense, 1994.
ORTIZ, R. Românticos e folcloristas. Cultura Popular. São Paulo: Olho
D’Água, 1992.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

Código da Disciplina: criar


Nome da Disciplina: TCC II
Carga Horária: 60 h/a
Número de créditos: 04
Categoria: Obrigatória
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

Pré-requisito: criar

EMENTA

Acompanhamento e orientação da elaboração Trabalho de Conclusão de


Curso - artigo científico ou monografia. Finalização da pesquisa e construção
dos textos. Apresentação pública do TCC.

OBJETIVOS
 Formar alunos capazes de integrar a pesquisa em sua prática docente e em
sua vida social, ampliando o conhecimento dos alunos acerca dos
procedimentos a serem aplicados em uma pesquisa científica.
 Construção conjunta entre o orientador e o discente do Trabalho de
Conclusão de Curso, acompanhado dos debates sobre teoria, método e
construção narrativa em História.
 Apresentar e socializar com a comunidade acadêmica o Trabalho de
Conclusão de Curso (monografia ou artigo científico).
 Intensidade

BIBLIOGRAFIA BÁSICA
ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS (ABNT). NBR 6023:
2002. Informação e documentação – Referências – Elaboração. Rio de
Janeiro, 2002.
______. NBR 15287: 2005. Informação e documentação – Projeto de
pesquisa – Apresentação. Rio de Janeiro, 2005.
DEMO, Pedro. Metodologia científica em ciências sociais. São Paulo:
Atlas, 1985.
Todas as do TCC 1
SILVA, Obdália Santana Ferraz. “Entre o plágio e a autoria: qual o papel da
universidade”. In: Revista Brasileira de Educação. São Paulo: ANPED, v. 13,
n. 38, maio/ agosto de 2008. pp. 357-368.
TACHIZAWA, T.; MENDES, G. Como fazer monografia na prática. Rio de
Janeiro: FGV, 1999.
Bibliografia complementar
ALBUQUERQUE JÚNIOR, Durval Muniz. História. A arte de inventar o
passado. Bauru: Edusc, 2007.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

AMADO, Janaína & FERREIRA, Marieta de Morais (org.). Usos e Abusos da


História Oral. 7º ed. Rio de Janeiro: FGV, 2005.
BLOCH, Marc. Apologia da História ou o Ofício do Historiador. Tradução
de André Telles. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2001.
BOUTIER, Jean & JULIA, Dominique. Passados Recompostos: campos e
canteiros da História. Tradução de Marcella Mortara e Anamaria Skinner. Rio
de Janeiro: UFRJ, 1998.
BRAUDEL, Fernand. Reflexões sobre a História. Tradução de Eduardo
Brandão. São Paulo: Martins Fontes, 1992.
CALVINO, Ítalo. Por que ler os clássicos. Tradução de Nilson Moulin. São
Paulo: Cia das Letras, 1993.
CARDOSO, Ciro Flamarion & VAINFAS, Ronaldo (org.). Domínios da
História: ensaios de Teoria e Metodologia. Rio de Janeiro: Campus, 1997.
CATROGA, Fernando. Memória, história e historiografia. Lisboa: Quarteto,
2001.
CERTEAU, Michel de. A escrita da História. Tradução de Maria de Lourdes
Menezes. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1982.
CHAUVEAU, Agnes & TÉTART, Philippe (org.). Questões para a história do
tempo presente. Tradução de Ilka Stern Cohen. São Paulo: Edusc, 1999.
DOSSE, François. História e Ciências Sociais. Tradução Fernanda Abreu.
Bauru: Edusc, 2004.
FREITAS, Marcos César de (org.). Historiografia Brasileira em Perspectiva.
São Paulo: Contexto, 1998.
HARTOG, François. Evidências da História: o que os historiadores veem.
Tradução de Guilherme J. de Freitas Teixeira. Belo Horizonte: Autêntica, 2011.
KUNH, Thomas. A Estrutura das Revoluções Científicas. Tradução de
Beatriz Vianna Boeira e Nelson Boeira. 3ª ed. São Paulo: Perspectiva, 1994.
LE GOFF, Jacques & NORA, Pierre. História: Novos Problemas, Novos
Objetos e Novas Aborda-gens. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1979.
______. História e Memória. Tradução de Bernardo Leitão. 4º ed. Campinas:
UNICAMP, 1996.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

MORIN, Edgar. “Inter-poli-transdiscipliridade”. In: A cabeça bem-feita.


Repensar a reforma, reformar o pensamento. 15º ed. Tradução de Eloá
Jacobina. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2008. pp. 105-116.
REVEL, Jacques (org.). Jogos de Escalas: a experiência da microanálise.
Tradução de Dora Rocha. Rio de Janeiro: FGV, 1998.
SARLO, Beatriz. Tempo Passado. Cultura da memória e guinada subjetiva.
Tradução de Rosa Freire D’Aguiar. São Paulo: Cia das Letras; Belo Horizonte:
UFMG, 2007.

Código da Disciplina: criar


Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

Nome da Disciplina: História Local e Regional


Carga Horária: 60 h/a
Número de créditos: 04
Categoria: Optativa
Pré-requisito: não há

EMENTA

Estudo da História Local e Regional como campo de investigação histórica:


fontes de pesquisa, análise de temas relevantes, pressupostos e metodologia.
Identidade(s), patrimônio material, imaterial e história local/regional. O estudo
da história da Amazônia a partir da perspectiva regional, nacional e mundial.

OBJETIVOS
 Refletir sobre as fontes e a metodologia para a escrita da história local e
regional.
 Discutir a reconstrução da história local e regional.
 Investigar sobre patrimônio material e imaterial e identidade local.
BIBLIOGRAFIA BÁSICA
BOSI, Ecléa. Memória e Sociedade: Lembranças de Velhos. 2 ed. São
Paulo: Edusp, 1987.
BURKE, Peter (org). A escrita da História: novas perspectivas. São Paulo:
Unesp, 1992.
CHESNEAUX. Jean. Devemos fazer tábula rasa do passado? São Paulo:
Ática: 1995.
FENELON, Déa R. São Paulo: Patrimônio histórico-cultural e referências
culturais. Projeto História, São Paulo, maio de 1999.
FERNANDES, José R. Oriá. Um lugar na escola para a História Local.
Ensino em Re-vista. Uberlândia. V. 4, n. 1, p. 43-51, jan./dez.1995.
HELLER, Agnes. O cotidiano e a história. Rio de Janeiro. Paz e Terra, 1985.
HOBSBAWN, Eric. Sobre História. São Paulo: Companhia das Letras, 1998.
MINAYO, M. C. de F. (org.) Pesquisa social: teoria, método e criatividade.
Petropolis, RJ: Vozes, 1994.
NEVES, Joana. “História local e construção da identidade social”.
Saeculum - Revista de História, João Pessoa, Departamento de História da
Universidade Federal da Paraíba, n. 3, jan./dez. 1997, p.27.
NORA, Pierre. Entre Memória e História: a problemática dos lugares. In:
História e Cultura. Projeto História.São Paulo: 1993.
PEREIRA, Lígia Maria Leite. Algumas Reflexões sobre histórias de vida,
biografias e autobiografias. In: História Oral, 3, 2000.
PESAVENTO, Sandra J. Muito Além do Espaço: por uma História cultural
do urbano.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

Estudos Históricos, Rio de Janeiro, v.8, n. 16, p.279-290, 1995.


SAMUEL, Raphael. História Local e História Oral. Revista Brasileira de
História. História em Quadro-Negro: escola, ensino e aprendizagem. São
Paulo: ANPUH/Marco Zero, 1990.

Bibliografia complementar
SCHMIDT, M.A.; GARCIA, T.M.F.B. Recriando histórias de Campina
Grande do Sul. Curitiba: UFPR/PMCGS, 2003.
RÜSEN, Jörn. Razão Histórica: Teoria da História: Fundamentos da
ciência histórica. [trad. Estevão de Rezende Martins] Brasília: Editora da Unb,
2001.
THOMPSON, Paul. A voz do passado. História Oral. Rio de Janeiro: Paz e
Terra, 1992.
ZAMBONI, ERNESTA. O Ensino de História local e História oral. IN: História
- Série argumento. 1993.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

Código da Disciplina: criar


Nome da Disciplina: História do pensamento social brasileiro
Carga Horária: 60 h/a
Número de créditos: 04
Categoria: Optativa
Pré-requisito: não há
EMENTA

Através das discussões de autores como Sérgio Buarque de Holanda, Gilberto


Freire, Oliveira, Paulo Prado, Florestan Fernandes, Manoel Bomfim, Roger
Bastide, Oliveira Vianna, entre outros discutir os condicionantes para o
desenvolvimento do pensamento social brasileiro, em torno de temas centrais
como o autoritarismo, cultura, raça, nação, entre outros.

OBJETIVOS
 Discutir a obra de autores formadores do pensamento social brasileiro.
 Refletir sobre temas como autoritarismo, cultura, raça e nação.
 Debater sobre as diferentes imagens do Brasil e do “ser brasileiro” a partir dos
respectivos autores.
BIBLIOGRAFIA BÁSICA
BOMFIM, Manoel. A América Latina: Males de Origem. 4. Ed. Rio de
Janeiro, Rio de Janeiro: Topbooks, 1993.
BOMFIM, Manuel. O Brasil nação: realidade da soberania brasileira. 2a.ed.,
Rio de Janeiro: Topbooks, 1996.
CHAUÍ, Marilena. Brasil: o mito fundador e sociedade autoritária. São
Paulo: Editora Fundação Perseu Abramo, 2006.
HOLANDA, Sérgio Buarque de Holanda. Raízes do Brasil. Edição
Comemorativa 70 anos. São Paulo: Cia das Letras, 2006.
FERNANDES, Florestan. A integração do negro na sociedade de classes.
(3 vls.) São Paulo: Ática, 1978.
____________________. O negro no mundo dos brancos. 2. edição. São
Paulo: Global, 2007.
FREIRE, Gilberto. Casa Grande e Senzala. 34. Ed. Rio de Janeiro: record,
1998.
IANNI, Octavio. Escravidão e Racismo. 2.ed. São Paulo: Hucitec, 1988.
_____________. As metamorfoses do escravo. 2.ed. São Paulo;
LEITE, Dante Moreira. Caráter Nacional Brasileiro História de Uma
Ideologia. 4 ed., São Paulo: Livraria Pioneira Editora, 1983.
PÉCAULT, Daniel. Os intelectuais e a política: entre o povo e nação. São
Paulo: Ática, 1990.
PAULO PRADO. Retrato do Brasil.Ensaio sobre a tristeza do Brasileira.
PRADO JÚNIOR, Caio. Formação do Brasil Contemporâneo: Colônia. São
Paulo: Brasiliense, 1999.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

ROMERO, Silvio. História da literatura brasileira. Rio de Janeiro: Livraria


José Olympio, 1943, (tomo I).
SODRÉ, Nelson Verneck. História da literatura brasileira – seus
fundamentos econômicos. Rio de Janeiro: Livraria José Olimpio Editora,
1960.
______________________. O que se deve ler para conhecer o Brasil.
Editora Bertrand Brasil, 1997.
SCHAWARCZ, Lília Moritiz; Queiroz, Renato da Silva (org.). Raça e
diversidade. São Paulo: EDUSP.

Bibliografia complementar
SCHAWARCZ, Lilina Moritiz. O espetáculo das raças. Cientistas,
Instituições e questões raciais no Brasil (1870-1930). São Paulo: Cia das
Letras.
SKIDMORE, Tomas. Uma história do Brasil. FIKER, Raul (trad.) São Paulo:
Paz e Terra, 1998.

STEINER, George. Depois de Babel: questões de linguagem de tradução.


Curitiba: Editora da UFPR, 2005.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

Código da Disciplina:
Nome da Disciplina: Educação Indígena
Carga Horária: 60 h/a
Número de créditos: 04
Categoria: optativa
Pré-requisito: Não há

EMENTA
Fundamentos Gerais da Educação Escolar Indígena. Educação como processo
cultural e político. Incorporação dos processos próprios de aprendizagem e
implementação de currículos específicos, respeitando a identidade étnica, valorização
da língua e da ciência das comunidades indígenas. Legislação específica.

OBJETIVO
Conhecer e pesquisar a história de vários povos indígenas brasileiros, com ênfase
para as políticas indigenistas em diferentes momentos históricos, reconhecendo
mudanças e permanências. Respeitar a diversidade cultural dos povos indígenas,
tendo em vista os processos de educação indígena escolar como alteridade.
Contribuir para o enriquecimento das discussões pedagógicas melhoria da educação
escolar indígena.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA
Conhecer e pesquisar a história de vários povos indígenas brasileiros, com ênfase
para as políticas indigenistas em diferentes momentos históricos, reconhecendo
mudanças e permanências. Respeitar a diversidade cultural dos povos indígenas,
tendo em vista os processos de educação indígena escolar como alteridade.
Contribuir para o enriquecimento das discussões pedagógicas melhoria da
educação escolar indígena.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

BOSI, Alfredo. Dialética da Colonização. São Paulo: Companhia das Letras, 1992.
FERREIRA, Mariana Kawall Leal. Da origem dos homens à conquista da escrita:
um estudo sobre povos indígenas e educação escolar no Brasil. São Paulo:
USP, 1992. (Dissertação de Mestrado).

FRANCHETTO, Bruna. 1995. O papel da educação escolar na domesticação das


línguas indígenas pela escrita. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos,
75(179-181):1985, pp. 409-421.

GASPARELLO, Arlette Medeiros. Construções de identidades: a pedagogia da


nação nos livros didáticos da escola secundária brasileira. São Paulo: Iglu,
2004.

GOMES, Mércio Pereira. Os índios e o Brasil. Petrópolis: Vozes, 1988.

GRUPIONI, Luís Donisete Benzi. A educação escolar indígena no plano nacional de


educação. Subsídio para o I Encontro Nacional de Coordenadores de Projetos
na Área da Educação Indígena, Comitê Nacional de Educação Escolar
Indígena/MEC, Brasília, 1997
JUNQUEIRA, Carmen. Antropologia indígena: uma nova introdução. 2ª ed., São
Paulo: EDUC, 2008.
OLIVEIRA FILHO, João Pacheco de; SANTOS, Glademir Sales; RUBIM, Altaci
Correa. Antropologia e Educação na Amazônia. Manaus: Universidade do Estado
do Amazonas, 2010.
RAMOS, Alcida Rita. Sociedades Indígenas. São Paulo: Ática, 1986.
RAMOS, Arthur. Introdução à Antropologia Brasileira. Rio de Janeiro: Casa do
Estudante do Brasil, 1947.
SILVA, Aracy Lopes da. A questão da educação indígena. São Paulo: Brasiliense,
1981.
____________________. (Org.). A questão indígena na sala de aula: subsídios
para professores de 1ª e 2ª graus. São Paulo: Editora Brasiliense, 1997.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR
ARGÜELLO, Carlos A.: 2002. Etno conhecimento na escola indígena. in Cadernos de
Educação Escolar Indígena – nº 1, vol 1. Projeto de formação de professores indígenas.
Unemat – Barra do Bugres (MT) – Brasil, pp. 92-99.
BRANDÃO, Carlos Rodrigues: 1981. Educação popular: contribuição ao debate da
educação do índio. in A Questão da Educação Indígena. Ed Brasiliense – São Paulo
– Brasil, pp. 152-161.
CAVALCANTI, Marilda do Couto & Tereza M. Maher: 1993. Interação trascultural na
formação do professor índio. in Lingüística Indígena e Educação na América Latina. Ed.
da Unicamp – Campinas – São Paulo, pp. 217-230.
TOMMASINO, Kimiye. As várias formas de inserção dos índios na sociedade nacional: os
Kainggãng e os Guarani do estado do Paraná. Relatório final. Londrina: Universidade
Estadual de Londrina, 1986.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

Código da Disciplina: criar


Nome da Disciplina: História Contemporânea II
Carga Horária: 60 h/a
Número de créditos: 04
Categoria: Optativa
Pré-requisito: criar

EMENTA
A Primeira Guerra Mundial. A revolução Russa, a Revolução Chinesa e o
comunismo no século XX. Os regimes totalitários. A Segunda Guerra Mundial.
O pós-guerra. A descolonização do mundo afro-asiático e a formação do
Terceiro Mundo. A crise do capitalismo nos anos setenta. O fim da URSS. As
relações internacionais após o fim da Guerra Fria

OBJETIVOS
Divisar os elementos que tornam particular o período contemporâneo na
história, com ênfase nas dimensões da cultura, da sociedade,
comportamento e mentalidade do mundo ocidental nos séculos XIX e XX.
 Compreender e relacionar os acontecimentos aos processos históricos do período
em questão para a afirmação de uma nova ordem mundial e seus desdobramentos
até os dias atuais. Identificar os reflexos das transformações do mundo
contemporâneo no Brasil e sua inserção na ordem mundial a partir do século XIX.
BIBLIOGRAFIA BÁSICA
GRESPAN, Jorge. Revolução Francesa e Iluminismo. São Paulo:
Contexto, 2008.
HOBSBAWM, Eric. A Era dos Extremos- o breve século XX: 1914-1991.
São Paulo: Companhia das Letras, 2008.
________________. A Era do capital: 1848-1875. Rio de Janeiro: Paz e
Terra, 2007.
________________. A Era dos impérios: 1875-1914. Rio de Janeiro: Paz e
Terra, 2007
HENIG, Ruth. As origens da Primeira Guerra Mundial. São Paulo: Ática,
1991.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR
BEZERRA, Holien Gonçalves. A Revolução Chinesa. São Paulo: Atual,
1986.
COGGIOLA, Osvaldo (org.). Segunda Guerra Mundial: um balanço
histórico. São Paulo: Xamã, 1995.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

MANTOUX, P.. A Revolução Industrial no século XVIII. São Paulo:


Hucitec, 1998.
FILHO, Daniel; FERREIRA, Jorge; ZENHA, Celeste (Org.) O SÉCULO XX. O tempo
das incertezas: da formação do capitalismo à primeira guerra mundial. – Rio de
Janeiro: Civilização Brasileira, 2003.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

Código da Disciplina: criar


Nome da Disciplina: História Moderna II
Carga Horária: 60 h/a
Número de créditos: 04
Categoria: Optativa
Pré-requisito: criar

EMENTA
O movimento Iluminista. A crise do Antigo Regime. Revolução Industrial e
Revolução Francesa.

OBJETIVO
Identificar os principais acontecimentos históricos que marcaram o ocaso do
antigo regime, analisando as ideias que movimentaram, de maneira geral,
tais acontecimentos.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA
ANDERSON, Perry. Linhagens do Estado absolutista. Tradução João R. Martins
Filho, 2. Reimpressão da 3. Ed. de 1994, São Paulo, Brasiliense, 2004.

ARRUDA, José Jobson de Andrade. A grande revolução inglesa, 1640-1780.


Revolução inglesa e revolução industrial na construção da sociedade moderna.
São Paulo, Departamento de História-USP/Hucitec, 1996.

ASHTON, T. S. A revolução industrial 1760-1830. Tradução, notas e índice


cronológico Jorge de Macedo, 6. edição, Lisboa, Europa-América, 1995.

BRAUDEL, Fernand. Civilização material, economia e capitalismo. Séculos XV-


XVIII. Tradução Telma Costa, 3ª tiragem, 3 vols., São Paulo, Martins Fontes, 2005.

CHAUNU, Pierre. A civilização da Europa das luzes. 2 vols., tradução Manuel João
Gomes, Lisboa, Editorial Estampa, 1985.

FLORENZANO, Modesto. As revoluções burguesas. 7. Edição, São Paulo, Editora


Brasiliense, 1986.

GÉRARD, Alice, A revolução francesa (mitos e interpretações). Tradução Sérgio


Joaquim de Almeida, São Paulo, Editora Perspectiva, s.d.

HAZARD, Paul. Crise da consciência europeia, tradução e notas Óscar de Freitas


Lopes. Lisboa, Edições Cosmos, 1948 (1ª edição Paris, 1934).

_______. O pensamento europeu no século XVIII, 3. Ed. Lisboa, Editorial Presença,


1989.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

HOBSBAWM, Eric J. A era das revoluções: Europa 1789-1848. Tradução Maria


Tereza L.Teixeira e Marcos Penshel, 5.ed. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1982.

HOBSBAWM, Eric J. Da revolução industrial inglesa ao imperialismo. Tradução


Donalson M. Garschagen, 5ª edição, Rio de Janeiro, Forense Universitária, 2000.

LEFEBVRE, Georges. A Revolução Francesa. Tradução de Ely B. de M. Pati, 3ª


edição, São Paulo, IBRASA, 1989.

MANTOUX, Paul. A revolução industrial no século XVIII. Estudos sobre os


primórdios da grande indústria moderna na Inglaterra Tradução de Sonia Rangel,
São Paulo, UNESP/ Hucitec, 2002.

MARAVALL, José Antonio. Estudios de historia del pensamiento español: siglo


XVIII, Madri, Centro de Estudios Políticos y Constitucionales, 1999.

MOTA, Carlos Guilherme. 1789-1799: a Revolução Francesa, 2. edição revista e


ampliada, São Paulo, Perspectiva, 2007.

RIOUX, Jean-Pierre. A revolução industrial. Tradução António Pinto Ribeiro, 3.


edição,Lisboa, Publicações Dom Quixote, 1978.

RUDÉ, George. A multidão na história. Estudos dos movimentos populares na


França e na Inglaterra 1730-1848. Tradução Waltensir Dutra, Rio de Janeiro,
Campus, 1991.

THOMPSON, E. P. Costumes em comum. Estudos sobre a cultura popular


tradicional ,tradução Rosaura Eichemberg, São Paulo, Companhia das Letras, 1998.

REVOR-ROPER, H. R. “As origens religiosas do Iluminismo” in Religião,


Reforma e Transformação Social. Tradução Maria do Carmo Cary, Lisboa, Editorial
Presença /Martins Fontes, 1981, pp. 147-176.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

Código da Disciplina: 0239


Nome da Disciplina: História da Educação
Carga Horária: 60 h/a
Número de créditos: 04
Categoria: Optativa
Pré-requisito: Não há

EMENTA
Introdução ao estudo da História da Educação. A educação nas sociedades
sem escrita. Educação na Antigüidade e a constituição do humanismo
clássico. Educação cristã e secular na Idade Média. Educação nos tempos
modernos e sua articulação histórico-social com o Renascimento, Reforma e
Contra-Reforma. Estudo da Educação Brasileira em seu desenvolvimento
histórico-social e seus condicionantes políticos, econômicos e culturais.

OBJETIVOS
 Caracterizar os diversos momentos de desenvolvimento da educação, desde os
povos sem escrita a sociedade moderna.
BIBLIOGRAFIA BÁSICA
ARANHA, M. L. A. História da educação. São Paulo: Moderna, 1989.
COTRIM, Gilberto & PARISI, Mário. Fundamentos da educação: história e
filosofia da educação. São Paulo: Nacional, 1976.
CURY, Carlos Jamil. Ideologia e educação brasileira: católicos e liberais.
São Paulo: Cortez e Moraes, 1978.
DEBESSE, Maurice & MIALARET, Gaston. Tratado das ciências
pedagógicas: história da pedagogia. São Paulo: Nacional / EDUSP, 1977.

GADOTTI, Moacir. História das idéias pedagógicas. São Paulo: Ática, 1993.
LARROYO, Francisco. História geral da pedagogia. São Paulo: Mestre Jou,
1974.
LUZURIAGA, Lourenzo. História da educação e da pedagogia. São Paulo:
Nacional,. 1976.
MANACORDA, Mário Aliguiero. História da educação: da antiguidade aos
nossos dias. São Paulo: Cortez, 1989.
MARROU, Henry. História da educação na antiguidade. São Paulo: Loyola,
1979.
NOSELLA, Paolo & BUFFA, Esther. A educação negada: introdução ao
estudo da educação contemporânea. São Paulo, Cortez, 1991.
RIBEIRO, Maria Luiza. História da educação brasileira: organização escolar.
São Paulo: Moraes, 1986.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

ROMANELLI. Otaíza de Oliveira. História da educação no Brasil. Porto


Alegre: Vozes, 1988.
SEVERINO, Antônio Joaquim. Educação, ideologia e contra-ideologia. São
Paulo: EPU, 1986.
XAVIER, Maria Elizabeth Sampaio Prado et al. História da educação: a
escola no Brasil. São Paulo: FTD, 1994
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

Código da Disciplina: 0052


Nome da Disciplina: História Oral e Memória
Carga Horária: 60 h/a
Número de créditos: 04
Categoria: Optativa
Pré-requisito: Não há

EMENTA
Memória e História conceitos e perspectivas de compreensão. Interação e
apropriação de métodos. Perspectivas de estudos no campo cultural. A
identidade e a memória. Matrizes de entendimento do trabalho com a
memória: A história Oral, A história de vida, A biografia, A ego história.
OBJETIVOS
 Discutir os elementos básicos envoltos nas relações entre a História e a
memória.
BIBLIOGRAFIA BÁSICA
BLOCH, Marc. Apologia da história, ou o ofício do historiador. Rio de
Janeiro: Jorge Zahar, 2002.
BURKE, Peter. A história como memória social. In: O mundo como teatro.
Estudos de Antropologia histórica. São Paulo: Difel, 1992, p. 235-251.
CHOAY, Françoise. A alegoria do patrimônio. São Paulo: Estação
Li,erdade.
UNESP, 2001.
NASCIMENTO, Francisco Alcides do (org.). História, Cidade e Memória.
Teresina 150 anos. Teresina: EDUFPI, 2004.
HALBWACHS, Maurice. Memória coletiva e Memória Individual. In:
Memória
Coletiva. São Paulo: Vértice, Editora Revista dos Tribunais, 1990. p. 25-52
LE GOFF, Jaques. Memória. In: História e Memória. 5 ed. Campinas,SP:
Editora da UNICAMP, 2003.
MENESES, Ulpiano T. Becerra. O Museu na Cidade/A Cidade no Museu:
para uma abordagem histórica dos museus de cidade. Revista Brasileira
de História, São Paulo, v. 5, n 8/9, p. 197-220, set, 1984.

Bibliografia Complementar:
NASCIMENTO, Francisco Alcides do. Em busca de uma cidade perdida.
In:
PESAVENTO, Sandra Jatahy. História e História Cultural. Belo Horizonte,
MG: Autêntica, 2004. ( História & ... Reflexões).
POLLAK, Michael. Memória, Esquecimento, Silêncio. In: Estudos
Históricos. Rio de Janeiro, v. 2, n. 3, p. 3-15, 1989.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

Código da Disciplina: Criar


Nome da Disciplina: História da Arte
Carga Horária: 60 h/a
Número de créditos: 04
Categoria: Optativa
Pré-requisito: Não há

EMENTA
A arte como documento para pensar a História. Religião e política na produção
artística: Pré-História, Antigo Oriente e Sociedades Pré-Colombianas. Dimensões
sobre a vida pública e privada através da arte: gregos e romanos. Valores artísticos
entre cristãos, bizantinos, islâmicos, românicos e góticos. O mundo moderno: Faces
e obras urbanas: Renascimento, Barroco e Romântico. Modernidade e Pós-
Modernidade na arte. As imbricações relativas entre História e Arte no transcorrer da
evolução da sociedade; a recepção da obra de arte pelo viés histórico Diversidade
cultural, tendências e embates da arte no Brasil.

OBJETIVO
Conhecer e discutir a relação entre arte e história. Estudar o surgimento e a
afirmação do campo de conhecimento específico da História da arte, assim
como as diversas formas de escrita histórica sobre a arte. Identificar e
problematizar a especificidade da arte e sua relação com a cultura. Realizar o
mapeamento e a análise crítica acerca das principais escolas artísticas que balizaram
o desenvolvimento estético da cultura ocidental, de modo a compreender as
modificações ocorridas na arte através de diferentes cenários históricos.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA
ARGAN, Giulio Carlo. História da Arte como História da Cidade. São Paulo, Martins
Fontes, 1992.
_______________. Guia de história da arte. São Paulo: Editorial Estampa. 1994.
BAZIN, Germain. História da História da Arte. São Paulo: Martins Fontes, 1989.
____________. História da história da arte. São Paulo: Martins Fontes, 1989
BENJAMIN, Walter. Magia e técnica, arte e política. São Paulo, Brasiliense, 1985.
BURKE, Peter. Testemunha ocular: história e imagem. Bauru: EDUSC, 2004.
JIMENEZ, Marc. O que é estética? São Leopoldo: Ed. Unisinos, 1999.
LITTLE, Stephen. Para entender a arte. São Paulo: Globo, 2011.
LESSING, G. E. Laocoonte ou Sobre as Fronteiras da Pintura e da Poesia. São
Paulo, Iluminuras, 1998.
NOVAES, Adauto. O olhar. São Paulo. Cia. das letras, 1998.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

PANOFSKY, E. Significado nas Artes Visuais. São Paulo, Perspectiva, 1979.


STANGOS, Nikos. Conceitos da arte moderna. São Paulo: Zahar Editores, 1994.
WÖLLFLIN, H. Conceitos Fundamentais da História da Arte. São Paulo, Martins
Fontes, 1984.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

Código da Disciplina:
Nome da Disciplina: Cultura Amazônica
Carga Horária: 60 h/a
Número de créditos: 04
Categoria: Optativa
Pré-requisito: Não há

EMENTA
Identidade e cultura. A produção cultural e as modalidades de organização dos
espaços. A diversidade das manifestações socioculturais em meio urbano e
rural na Amazônia: festas, festejos e eventos populares e religiosos, e suas
relações sistêmicas envolvendo a tradição e a modernidade. Arte, folclore,
mitologia e literatura.

OBJETIVOS
Apresentar a Amazônia como espaço sociocultural inventado e construído por
diferentes perspectivas.
Analisar a construção sociocultural da Amazônia, tendo em vista os complexos
processos de migração, assimilação e diversidade étnico-cultural na região.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA
AVÉ-LALLEMANT, Robert. No Rio Amazonas (1859). Trad. Eduardo de Lima Castro.
Belo Horizonte: Itatiaia; São Paulo: Universidade de São Paulo, 1980.
BATISTA, Djalma. O Complexo da Amazônia (análise do processo de
desenvolvimento). Rio de Janeiro: Conquista, 1976. (Temas brasileiros, 20)
BENCHIMOL, Samuel. Amazônia: formação social e cultural. Manaus: Valer, 1999.
BRAGA, Sérgio Ivan Gil. Os bois-bumbás de Parintins. Rio de Janeiro:
EDUA/FUNARTE, 2002.
____________________. (Org.) Cultura popular, patrimônio imaterial e cidades.
Manaus: EDUA, 2007.
____________________.(Org.)Culturas populares em meio urbano. Manaus:
Valer/EDUA, 2012.
CANCLINI, Nestor Garcia. Culturas Híbridas. São Paulo: Edusp, 2000.
CERTEAU, Michel. A invenção do cotidiano: artes de fazer. Petrópolis/RJ: Vozes,
1994.
CHARTIER, Roger. A História Cultural: entre práticas e representações. Lisboa:
DIFEL, 1990.
GONDIM, Neide. A invenção da Amazônia. Manaus: Valer, 2007.
KRÜGER, Marcos Frederico. Amazônia: mito e literatura. Manaus: Governo do
Estado do Amazonas, 1977.
LOUREIRO, João de Jesus Paes. Cultura Amazônia: uma poética do Imaginário.
Belém: CEJUP, 1995.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

SOUZA, Márcio. A Expressão amazonense: do colonialismo ao


neocolonialismo. São Paulo: Alfa- Omega, 1978. (Biblioteca Alfa-Omega de
Cultura Universal, 5.série 1ª.)
_____________.Breve história da Amazônia. 2.ed. São Paulo: Marco Zero, 1994.

WAGLEY, Charles. Uma comunidade amazônica: estudo do homem nos


trópicos. Belo Horizonte: Itatiaia, 1988.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR
PEREIRA, Manuel Nunes. Moronguêtá, um Decameron indígena. 2.ed. Rio de
Janeiro: Civilização Brasileira; Brasília, INL, 1980. 2.v. (Retratos do Brasil,50-50a)
PORRO, Antonio. As Crônicas do rio Amazonas. Tradução, introdução e notas
etno-históricas sobre as antigas populações indígenas da Amazônia. Petrópolis:
Vozes, 1922. (História,14)
SANTOS, Francisco Jorge dos. Além da conquista: guerras e rebeliões indígenas
na Amazônia Pombalina. Manaus: EDUA, 1999.
SILVA, Marilene Corrêa da. O Paiz do Amazonas. Manaus: Editora Valer/Governo
do Estado do Amazonas/UniNorte, 2004.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

Código da Disciplina: criar


Nome da Disciplina: História e Gênero
Carga Horária: 60 h/a
Número de créditos: 04
Categoria: Optativa
Pré-requisito: Não há

EMENTA
A configuração do campo. A produção historiográfica. A história das
mulheres. A categoria gênero e sua relação com as categorias classe e
raça/etnia. As
feminilidades e as masculinidades.
OBJETIVO
 Estudar as relações entre a História e gênero, alargando as possibilidades de
interpretação dessa categoria.
BIBLIOGRAFIA BÁSICA
BADINTER, Elisabeth. XV: sobre a identidade masculina. Rio de Janeiro:
Editora Nova Fronteira, 1993.
BELLINI, Ligia. A coisa obscura: mulher, sodomia e inquisição no Brasil
colonial. São Paulo: Editora Brasiliense, 1989.
CARDOSO, Ciro Flamarion & VAINFAS, Ronaldo (orgs). Domínios da História:
ensaios de teoria e metodologia. Rio de Janeiro, Campus. 1997.
CASTELO BRANCO, Pedro Vilarinho. Mulheres Plurais: a condição feminina
em Teresina na primeira república. Teresina: FCMC, 1996.
DEL PRIORE, Mary (Org.) História das mulheres no Brasil. São Paulo:
Contexto/UNESP, 1997.
______. Ao sul do corpo: condição feminina, maternidades e mentalidades no
Brasil Colônia. Rio de Janeiro: José Olympio; Brasília-DF: EDUNB, 1993.
LOURO, Guacira Lopes. Gênero, sexualidade e educação. Petrópolis; Vozes,
1997.
MARCÍLIO, Maria Luiza (Org.) Família, mulher, sexualidade e igreja na História
do Brasil. São Paulo: Edições Loyola, 1993.
NOLASCO, Socrátes. O mito da masculinidade. Rio de Janeiro, Rocco, 1997.
PERROT, Michelle. Mulheres públicas. São Paulo: UNESP, 1997.

Bibliografia Complementar:
SAMARA, Eni de Mesquita; SOIHET, Rachel e MATOS, Maria Izilda S. de.
Gênero em debate; trajetórias e perspectivas na historiografia
contemporânea. São Paulo: EDUC, 1997.
Vainfas, Ronaldo. Casamento, amor e desejo no Ocidente Cristão. São
Paulo.
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em História

Editora Ática, 1986.


______. (org.) História e sexualidade no Brasil. Rio de Janeiro, Edições
Graal, 1986.
VAITSMAN, Jeni. Flexíveis e Plurais; Identidade, casamento e família em
circunstâncias pós-modernas. Rio de Janeiro: Rocco, 1994.