Vous êtes sur la page 1sur 8

201

Color profile: Generic CMYK printer profile Composite Default screen

201 Color profile: Generic CMYK printer profile Composite Default screen Introdução Aplicações de lógica A linguagem

Introdução

Aplicações de lógica

A linguagem matemática faz parte da nossa rotina mesmo sem nos darmos conta dis- so. Por exemplo, quando estamos andando em uma rua com trânsito intenso e quere- mos atravessá-la, somente poderemos fazê-lo, com segurança, se o sinal estiver verde, ou seja: “Se o sinal estiver verde, então podemos atravessar.” Vários problemas do cotidia- no podem ser codificados em linguagem matemática e assim podemos utilizar o que aprendemos para solucionar problemas dos mais variados tipos.

Problemas de linguagem matemática (equivalências e condicional)

Para aplicação da linguagem matemática em problemas contextualizados, precisamos primeiramente identificar as sentenças moleculares. Feito isso, podemos utilizar as ta- belas verdade ou as sentenças equivalentes para facilitar a resolução dos problemas. A utilização de algumas sentenças equivalentes pode ajudar na resolução de diversos problemas, transformando-os em problemas menores ou trazendo à tona algumas in- formações que antes passaram despercebidas.

Duas equivalências muito úteis são:

~(p q) eq ~ p ~ q

e

~(p q) eq ~ p ~ q

.

Essas equivalências são chamadas de Leis De Morgan. Outros exemplos de equivalências úteis são aquelas que reduzem as sentenças do tipo p q e p q às sentenças que possuam apenas os conectivos ~, ou , tais como

p ⇒ q eq ~ p ∨ q
p ⇒ q eq ~ p ∨ q

e

p q eq (~ p q) (~ q p)

.

Uma das sentenças moleculares mais comuns nos problemas de linguagem são as sen- tenças do tipo p q (condicionais). Vamos relembrar a tabela verdade de p q:

p

q

p q

 

VVV

 
 

VFF

 
 

FVV

 
 

FFV

 
201 Color profile: Generic CMYK printer profile Composite Default screen Introdução Aplicações de lógica A linguagem

Linha de Apoio

2la13m-3.ps

C:\Arquivos-D1\Arquivos-2013\linha de apoio\2la13s-Ead\2la13m-3.vp ter a-feira, 3 de setembro de 2013 13:41:05

1

201

Color profile: Generic CMYK printer profile Composite Default screen

Analisando a tabela verdade, podemos tirar algumas informações que podem ser úteis

em muitos problemas.

Lembre-se, quando escrevemos p q queremos dizer que, se p for verdadeiro, então

q será necessariamente verdadeiro – caso isso não aconteça, a sentença será falsa.

Assim, se p for verdadeiro e q falso, podemos concluir que p q é falso. Observe que

este é o único caso em que p q é falso.

Vamos analisar o caso em que p é falso e q é verdadeiro. Observando a tabela, vemos

que se q for verdadeiro então p q também é verdadeiro, independente do valor lógi-

co de p. Mas, se q for falso, nada podemos afirmar sobre a condicional p q e devemos

então analisar o problema para tentar encontrar informações sobre p, para então po-

dermos tirar a conclusão sobre a veracidade ou falsidade da condicional.

Cuidados com as recíprocas das condicionais

Considere a sentença “Se chover, então o chão ficará molhado” verdadeira.

Observe que no contexto da sentença, caso ocorra chuva, o chão necessariamente fica-

rá molhado. Porém, caso o chão esteja molhado, não podemos concluir que choveu,

pois o chão pode estar molhado por outros motivos além da chuva.

Há uma equivalência muito útil para os problemas que envolvem condicionais chama-

da contrapositiva, onde temos que p q eq ~ q ~ p. Observe que dizer que “se p é

verdadeiro então q é verdadeiro” é equivalente a dizer que “se q é falso então p é falso”.

Exercício resolvido 1

Partindo de duas ou mais declarações, pode-se obter uma nova declaração unindo as

primeiras por meio de conectivos (expressões como e, ou, se

...

então

...).

Essa nova decla-

ração é chamada de tautologia quando for sempre verdadeira, independentemente

das declarações que a formaram serem verdadeiras ou falsas. Assim, a declaração “O

céu é azul ou o céu não é azul” é um exemplo de tautologia.

Mostre que a afirmação “Se Paulo é brasileiro e tem mais de 18 anos, então ele nasceu

na Bélgica ou tem mais de 15 anos” é uma tautologia.

resolução:

Sejam as sentenças:

p: Paulo é brasileiro;

q: Paulo tem mais de 18 anos;

r : Paulo nasceu na Bélgica;

s: Paulo tem mais de 15 anos.

A afirmação pode ser simbolizada por ( pq

⇒∨rs).

)(

Porém, ( pq )( ⇒∨

r

s ) eq ~( p q ) ( r s ) eq ~ p ~ q r s eq ~p r (~q s )ea

sentença ~q s (Paulo não tem mais de 18 anos ou tem mais de 15 anos) é uma tauto-

logia e, consequentemente, a declaração é uma tautologia.

  • 2 Linha de Apoio

2la13m-3.ps

C:\Arquivos-D1\Arquivos-2013\linha de apoio\2la13s-Ead\2la13m-3.vp ter a-feira, 3 de setembro de 2013 13:41:05

201 Color profile: Generic CMYK printer profile Composite Default screen Analisando a tabela verdade, podemos tirar

201

Color profile: Generic CMYK printer profile Composite Default screen

Problemas de raciocínio lógico:

Não existem técnicas específicas para resolver esse tipo de problema já que, em sua

maioria, são únicos. É muito importante ler o enunciado com atenção para compreen-

der o contexto geral do problema e assim procurar associar situações lógicas correlatas

para chegarmos à conclusão do problema.

Exercício resolvido 2

Três amigos, José, João e Pedro, foram ao mercado com suas mulheres: Maria, Catarina

e Ana. Não se sabe quem é casado com quem. Isso pode ser descoberto com base nos

seguintes dados: cada uma dessas seis pessoas pagou, por cada objeto comprado, tan-

tos reais quantos objetos comprou. Cada homem gastou 48 reais a mais do que sua

mulher. Além disso, José comprou 9 objetos a mais que Catarina e João 7 objetos a

mais que Maria. Quem é casado com quem?

resolução:

Se cada homem comprou x objetos, gastou x 2 reais. Se sua mulher comprou y objetos,

então gastou y 2 reais. Assim: x

2

y

2

=

48 (

)(

−⋅+

xyxy

) =

48.

Sendo x e y números naturais, tem-se que x y e x + y são pares e xyxy +>− .

Decompondo 48 em dois fatores nessas condições, temos as possibilidades:

48 =⋅ 2 24 =⋅ 4 12 =⋅ 6 8. Logo, obtemos os sistemas:

x

1

y

1

=

2

x

1

+

y

1

=

24

x

x

= 4 x − y = 6 2 2 3 3 = 12 x + y
=
4
x
− y
= 6
2
2
3
3
=
12
x
+
y
= 8
2
2
3
3

y

+ y

Resolvendo-os, obtém-se x 1 = 13, y 1 = 11, x 2

= 8, y 2

=

4, x 3

= 7 e y 3

= 1.

Portanto, José comprou 13 objetos e Catarina, 4. Da mesma forma, João comprou 8 ob-

jetos e Maria, 1. Os casais são José e Ana, João e Catarina, Pedro e Maria.

Exercício resolvido 3

Quando entrevistados por um grande jornal, três analistas proferiram as seguintes de-

clarações, referindo-se a um período de determinado mês na economia:

Analista 1: se o índice da bolsa de valores sobe, então o preço do dólar em reais cai.

Analista 2: se o preço do dólar em reais cai, então o saldo (% ) da balança comercial di-

minui.

Analista 3: se o saldo (%) da balança comercial diminui, então o preço do barril de pe-

tróleo sobe.

201 Color profile: Generic CMYK printer profile Composite Default screen Problemas de raciocínio lógico: Não existem

Linha de Apoio

2la13m-3.ps

C:\Arquivos-D1\Arquivos-2013\linha de apoio\2la13s-Ead\2la13m-3.vp ter a-feira, 3 de setembro de 2013 13:41:05

3

201

Color profile: Generic CMYK printer profile Composite Default screen

Na mesma página em que publicou essas declarações, o jornal apresentou o seguinte

quadro, com dados sobre esse mesmo período:

Mês

Passado

Atual

Preço do dólar em reais

R$2,25

R$2,30

Índice da bolsa de valores

42.500

39.750

Saldo da balança comercial

28%

23%

Preço do barril de petróleo

$56

$52

Se as informações do quadro são verdadeiras, então é (são) necessariamente falsa(s)

apenas a(s) declaração(ões):

a)

dos analistas 1 e 2.

  • b) c) do analista 1.

dos analistas 2 e 3.

d)

do analista 2.

  • e) do analista 3.

resolução:

Conforme o quadro, o saldo (%) da balança comercial diminui e o preço do barril de pe-

tróleo também diminui, contrariando o analista 3.

Uma afirmação equivalente à do analista 1 é “se o preço do dólar em reais aumenta, en-

tão o índice da bolsa de valores cai”, o que é confirmado pelo quadro.

Como nada podemos afirmar a respeito da veracidade ou falsidade da afirmação do

analista 2 e de sua recíproca, não podemos afirmar que sua declaração é necessaria-

mente falsa.

 

Logo apenas a declaração do analista 3 é necessariamente falsa.

 

Exercícios

01.

(IBMEC) Se a afirmação

“Se não é verdade eu dizer que eu não saiba onde ela não está,

então ela não sabe dizer onde eu não estou.”

é falsa, então:

 

a)

eu sei onde ela não está e ela sabe onde eu não estou.

b)

eu sei onde ela está e ela sabe onde eu não estou.

c)

eu sei onde ela não está e ela sabe onde eu estou.

d)

eu sei onde ela está e ela sabe onde eu estou.

e)

eu não sei onde ela não está e ela não sabe onde eu não estou.

02.

(IBMEC) Considere as duas sentenças a seguir.

(1) Se o filme já começou, então o telefone está desligado.

(2) O telefone está desligado se, e somente se, o cidadão é educado.

Sabendo que a sentença 1 é falsa e a sentença 2 é verdadeira, é correto concluir que:

a)

o filme já começou, o telefone não está desligado e o cidadão é educado.

b)

o filme já começou, o telefone está desligado e o cidadão é educado.

c)

o filme já começou, o telefone não está desligado e o cidadão não é educado.

  • 4 Linha de Apoio

2la13m-3.ps

C:\Arquivos-D1\Arquivos-2013\linha de apoio\2la13s-Ead\2la13m-3.vp ter a-feira, 3 de setembro de 2013 13:41:05

201 Color profile: Generic CMYK printer profile Composite Default screen Na mesma página em que publicou

201

Color profile: Generic CMYK printer profile Composite Default screen

d)

o filme não começou, o telefone está desligado e o cidadão é educado.

e)

o filme não começou, o telefone não está desligado e o cidadão não é educado.

03.

(IBMEC) Para responder a essa questão, considere que todo indivíduo que contrai

dengue apresenta febre alta e dores musculares.

 

Carlos e Sílvio deram entrada num hospital, com suspeita de dengue. Carlos apresenta-

va febre alta e dores musculares, enquanto Sílvio se queixava de dores musculares, mas

não apresentava febre. A partir dessas informações, pode-se concluir que:

a)

Carlos e Sílvio certamente contraíram dengue.

 

b)

Carlos certamente contraiu dengue, e Sílvio pode ou não ter contraído a doença.

c)

Carlos certamente contraiu dengue, e Sílvio certamente não contraiu a doença.

d)

Carlos pode ou não ter contraído dengue, o mesmo ocorrendo com Sílvio.

e)

Carlos pode ou não ter contraído dengue, e Sílvio certamente não contraiu a doença.

04.

(IBMEC) Para que a afirmação

 
 

“Em todo vestibular para ingresso no Ibmec São Paulo,

há pelo menos uma questão de lógica.”

 

seja falsa:

 

a)

é necessário que não haja qualquer questão de lógica em todo vestibular do Ibmec

São Paulo.

 

b)

é necessário que não haja qualquer questão de lógica no vestibular de junho de

2007 do Ibmec São Paulo.

 

c)

é necessário que não haja qualquer questão de lógica nos vestibulares do Ibmec São

Paulo de junho de 2007 para frente.

 

d)

é suficiente que haja somente uma questão de lógica no vestibular de junho de 2007

do Ibmec São Paulo.

 

e)

é suficiente que haja pelo menos um vestibular do Ibmec São Paulo em que não haja

qualquer questão de lógica.

 

05.

(IBMEC) Dois jogadores (J e K ) irão disputar o seguinte jogo:

 

cada um deve marcar, na sua vez, um X sobre um dos pontos da linha abaixo;

ganha o jogo quem marcar um X que forma, junto com outros dois que já estejam

marcados, uma sequência de pelo menos três pontos consecutivos marcados com X.

 
d) o filme não começou, o telefone está desligado e o cidadão é educado. e) o
d) o filme não começou, o telefone está desligado e o cidadão é educado. e) o
d) o filme não começou, o telefone está desligado e o cidadão é educado. e) o
d) o filme não começou, o telefone está desligado e o cidadão é educado. e) o
d) o filme não começou, o telefone está desligado e o cidadão é educado. e) o
 
 

A

B

C

D

E

Se J começar o jogo, para que ele não dê a K chances de ganhar, J deve iniciar marcando

um X sobre o ponto indicado por:

 

a)

A

b) B

c) C

d) D

e) E

06.

Num país com hábitos bárbaros, havia o costume de matar os prisioneiros de guer-

ra depois de os ter submetido a um interrogatório proforma. A tradição impunha, toda-

via, que se enforcasse o prisioneiro se este dissesse a verdade e que se decapitasse se

mentisse. Um prisioneiro, sabedor dessa regra, achou meio de escapar à morte. Que

respondeu ele no interrogatório?

201 Color profile: Generic CMYK printer profile Composite Default screen d) o filme não começou, o

Linha de Apoio

2la13m-3.ps

C:\Arquivos-D1\Arquivos-2013\linha de apoio\2la13s-Ead\2la13m-3.vp ter a-feira, 3 de setembro de 2013 13:41:05

5

201

Color profile: Generic CMYK printer profile Composite Default screen

07. (IBMEC) Numa noite das férias escolares, Leo, Gil e Bia disputaram diversas partidas

de um jogo pela internet. Em cada partida, apenas um deles fazia a jogada inicial, os

três disputavam, mas apenas um ganhava, sem empates. Eles combinaram que o ven-

cedor da noite seria aquele que acumulasse três partidas ganhas. Foi uma noite bastan-

te competitiva, dado que:

I. Ninguém que tenha feito a jogada inicial de uma partida, o que conferia vantagem ao

jogador que o fizesse, conseguiu ganhar a respectiva partida.

II. Leo fez a primeira jogada inicial, depois foi a vez de Gil, seguido de Bia, voltando a Leo

e repetindo-se essa sequência até alguém ser o vencedor da noite.

III. O ganhador da primeira partida não conseguiu ser o vencedor da noite.

IV. Ninguém conseguiu ganhar duas partidas consecutivas.

Conclui-se corretamente das informações anteriores que:

  • a) Gil ganhou a terceira partida e foi o vencedor da noite.

  • b) Bia ganhou a segunda partida e foi a vencedora da noite.

  • c) Leo ganhou a terceira partida e foi o vencedor da noite.

  • d) Gil não ganhou a primeira partida e não foi o vencedor da noite.

  • e) Bia não ganhou a quarta partida e não foi a vencedora da noite.

08. (IBMEC) A comissão organizadora de um congresso deverá montar o horário das

palestras conforme a disponibilidade dos oito palestrantes convidados. Ocorrerão

duas palestras por dia, uma das 8h00min às 10h00min e outra das 10h30min às

12h30min, de 2ª a 5ª feira. A tabela a seguir mostra as disponibilidades de horário dos

oito palestrantes convidados.

Palestrante

Disponibilidade

Sr. Alberto

2ª, 3ª, 4ª ou 5ª, sempre das 8h00min às 10h00min

Sra. Beatriz

3ª ou 5ª, em qualquer dos dois horários

Sr. Cláudio

3ª, 4ª ou 5ª, sempre das 8h00min às 10h00min

Sra. Denise

4ª, em qualquer dos dois horários

Sr. Evandro

2ª ou 4ª, em qualquer dos dois horários

Sra. Fabiana

2ª ou 5ª, sempre das 10h30min às 12h30min

Sr. Gilberto

2ª ou 5ª, sempre das 10h30min às 12h30min

Sra. Helena

3ª, 4ª ou 5ª, sempre das 8h00min às 10h00min

  • a) Complete a tabela a seguir, com o dia e o horário da palestra de cada convidado, de

modo que todas as disponibilidades sejam respeitadas, e que:

as palestras do senhor Alberto e da senhora Beatriz, que tratam de assuntos

relacionados, ocorram no mesmo dia;

as palestras dos senhores Gilberto e Helena, que também tratam de assuntos

relacionados, ocorram no mesmo dia.

  • 6 Linha de Apoio

2la13m-3.ps

C:\Arquivos-D1\Arquivos-2013\linha de apoio\2la13s-Ead\2la13m-3.vp ter a-feira, 3 de setembro de 2013 13:41:05

201 Color profile: Generic CMYK printer profile Composite Default screen 07. (IBMEC) Numa noite das férias

201

Color profile: Generic CMYK printer profile Composite Default screen

 

2ª feira

3ª feira

4ª feira

5ª feira

8h00min às

       

10h00min

10h30min às

       

12h30min

b) Uma semana antes do evento, alegando problemas pessoais, o sr. Evandro disse que

só poderia ministrar sua palestra na 4ª feira, das 10h30min às 12h30min. De quantas

maneiras distintas o horário das palestras poderá ser montado respeitando todas as

disponibilidades fornecidas e também a solicitação do sr. Evandro? Justifique sua res-

posta. (Neste item, não é necessário satisfazer as condições exigidas no item (a).)

  • 09. Fatigados pelas suas discussões e pelo calor excessivo de verão, três filósofos ador-

meceram sob uma árvore da academia. Durante o sono, um brincalhão pintou-lhes os

rostos. Ao acordarem, cada um começou a rir do infortúnio dos outros dois. Mas, de re-

pente, um dos filósofos deixou de rir, compreendendo que o seu rosto também estava

pintado. Qual foi o seu raciocínio?

Respostas

  • 01. a Só existe uma maneira da implicação ser falsa: “não é verdade eu dizer que

eu não saiba onde ela está” é verdadeira e “ela não sabe dizer onde eu não estou” é fal-

sa. Então, eu sei onde ela não está e ela sabe onde eu não estou.

  • 02. c Sejam p, q e r as seguintes sentenças:

p: o filme já começou.

q: o telefone está desligado.

r: o cidadão é educado.

Sabendo que a sentença (1), p q, é falsa, concluímos que p é verdadeira e q é falsa. Sa-

bendo que q é falsa e que a sentença (2), q r , é verdadeira, concluímos que r é falsa.

  • 03. e Como Carlos apresentava febre alta e dores musculares, ele pode ou não ter

contraído dengue. Já Sílvio, que apresentava apenas dores musculares, certamente

não contraiu a doença.

  • 04. e Supondo que a variável x indique os vestibulares para ingresso no Ibmec

São Paulo e y indique as questões desses vestibulares, então a afirmação pode ser re-

presentada simbolicamente por (x )(y ) (y é de lógica).

A negação de tal afirmação é ~ (x )(y ) (y é de lógica) eq. (x )(y ) (y não é de lógica),

ou seja, para a afirmação ser falsa, é necessário e suficiente que exista pelo menos um

vestibular do Ibmec São Paulo em que não haja qualquer questão de lógica.

  • 05. c O jogador K, para que J não ganhe o jogo, deve marcar um X deixando pelo

menos 2 pontos entre sua marca e a que J assinalou.

A única maneira disso não ocorrer é o jogador J marcar um X no ponto C no começo do

jogo.

201 Color profile: Generic CMYK printer profile Composite Default screen 2ª feira 3ª feira 4ª feira

Linha de Apoio

2la13m-3.ps

C:\Arquivos-D1\Arquivos-2013\linha de apoio\2la13s-Ead\2la13m-3.vp ter a-feira, 3 de setembro de 2013 13:41:05

7

201

Color profile: Generic CMYK printer profile Composite Default screen

06.

Respondeu: “Vão me decapitar”. Não o podiam então decapitar (porque a resposta

seria verdadeira, e, por isso, devia ser enforcado), nem enforcar (porque a resposta,

nesse caso, não seria verdadeira, pelo que deveria ser decapitado.)

 

07.

b Das afirmações do enunciado, sendo L: Leo, G: Gil e B: Bia, temos as seguin-

tes possibilidades de sequências dos vencedores:

 

G; B; L; B; L; G; B;

 

G; B; L; G; B; L; B.

Donde concluímos que Bia ganhou a 2ª partida e foi a vencedora da noite.

08.

a)

 

2ª feira

3ª feira

4ª feira

5ª feira

8h00min às

       
 

10h00min

Evandro

Alberto

Cláudio

Helena

10h30min às

       
 

12h30min

Fabiana

Beatriz

Denise

Gilberto

Se as palestras de Helena e Gilberto ocorrem no mesmo dia, então deverão ocorrer na

5ª feira. Assim, a palestra de Beatriz deverá ser ministrada na 3ª feira às 10h30min. Logo

a palestra de Alberto será na 3ª feira às 8h00min e, como consequência, o sr. Evandro

ministrará sua palestra na 2ª feira às 8h00min. Então, a palestra de Denise será na 4ª feira

às 10h30min. Finalmente, a palestra de Cláudio será na 4ª feira às 8h00min e a de Fabia-

na será na 2ª feira às 10h30min.

 

b) Se o sr. Evandro só pode ministrar a palestra na 4ª feira às 10h30min, então a sra. De-

nise deve ministrar a palestra na 4ª feira às 8h00min, a sra. Beatriz deve ministrar a pa-

lestra na 3ª feira às 10h30min e o sr. Alberto deve ministrar a palestra na 2ª feira às

8h00min. As palestras de 3ª e 5ª feira com início às 8h00min serão ministradas uma

pelo sr. Cláudio e uma pela sra. Helena, enquanto as palestras de 2ª e 5ª com início às

10h30min serão ministradas uma pela sra. Fabiana e outra pelo sr. Gilberto. Há duas es-

colhas possíveis para montar o horário dos pares Cláudio/Helena e Fabiana/Gilberto.

Logo há 22⋅ = 4 maneiras possíveis de montar o horário das palestras respeitando to-

das as disponibilidades fornecidas e a solicitação do sr. Evandro.

 

09.

Sejam A, B e C os três filósofos. A pensa: “B ri, portanto julga que tem o rosto limpo.

Mas, se o meu estivesse limpo também, B deveria espantar-se por C se rir, porque C não

teria então motivo para tal. Como B não se espanta, é porque ele crê que C se ri de mim;

logo, eu tenho o rosto limpo”.

  • 8 Linha de Apoio

2la13m-3.ps

C:\Arquivos-D1\Arquivos-2013\linha de apoio\2la13s-Ead\2la13m-3.vp ter a-feira, 3 de setembro de 2013 13:41:05

201 Color profile: Generic CMYK printer profile Composite Default screen 06. Respondeu: “Vão me decapitar”. Não