Vous êtes sur la page 1sur 16

I.

As interações sociais
Quando duas ou mais pessoas estão em contato entre si e estabelecem uma
comunicação, ocorre uma ação recíproca entre elas, isto é, suas ideias,
sentimentos ou atitudes provocarão reações umas nas outras acontecendo uma
modificação no comportamento de todos. Quando isso ocorre dizemos então que
existe uma interação social entre elas.
Dessa forma, segundo Reinaldo Dias em seu livro “Fundamentos de
Sociologia Geral” (2006), podemos definir a grosso modo interação social como
sendo a ação recíproca de ideias, atos ou sentimentos entre pessoas, entre grupos
de pessoas. A interação implica modificação do comportamento das pessoas ou
grupos que dela participam.
Na interação social, as ações de uma pessoa dependem das ações de
outros, e vice-versa, é o resultado de influências mútua. Para que a interação social
se dê, é necessário que haja contato social entre os indivíduos. O simples contato
físico não basta. Importante é que como resultado desse contato e da comunicação
que se estabelece entre eles, ocorre uma modificação de comportamento das
pessoas envolvidas.
Os passageiros de um ônibus estão próximos fisicamente, mas nem sempre
estão interagindo, sendo assim não constituem objeto de estudo sociológico. Há
uma discussão entre alguns autores sobre o papel desempenhado pelo meios
físicos de comunicação como: o livro, a televisão e outros meios modernos de
comunicação social. As diferenças formas que a interação social pode assumir nós
denominamos de relação social.
As relações sociais podem ser de vários tipos: culturais, econômicas,
religiosas, politicas, pedagógicas, familiares etc.
As relações do padre com os fies são do tipo religiosa, as relações dos
indivíduos numa conversa partidária são politicas, a que existe entre o professor e
os seus alunos é pedagógica e assim por diante.
Comunicação Social

A comunicação social tem como objetivo estudar os fenômenos que ocorrem


graças à relação entre a sociedade e os meios de comunicação de massa. Os
meios de comunicação social são objetos de estudo da comunicação social e
consistem em sistemas mecânicos de emissão e transmissão de mensagens para
um público vasto, disperso e heterogêneo. A designação abrange essencialmente
os órgãos de informação de massas das áreas da imprensa periódica, rádio,
televisão, teatro, propaganda e cinema. A internet é uma ferramenta que veio
revolucionar a área da comunicação social, permitindo que vários tipos de
conteúdos sejam criados e compartilhados com uma velocidade incrível. A
comunicação como parte do comportamento humano é de grande relevância, é a
essência do Homem, o templo onde habita a linguagem e sociabilidade. Comunicar
é pôr em comum, é aproximar distâncias. Por esse motivo, a comunicação social
assume uma elevada importância, já que estuda a comunicação humana e a
interação entre pessoas dentro da sociedade.

Comunicação e Sociedade

Os meios de comunicação de massa passam a fazer e ser parte um tanto


significante na vida dos indivíduos. Dessa forma, eles tendem a ser muitos
influentes em todas, ou quase todas, as decisões tomadas no meio social.

Podemos dizer que a relação entre a sociedade e a mídia (meios de


comunicação de massa) se dá a partir do momento em que o público recebe a
mensagem transmitida pelos MCM, dando autoridade aos mesmos de dizer o que é
e o que não é verdade. Assim, o público passaria a ver a mídia como o chamado
“Quarto Poder”.

Comunicação e sociedade pode ser um tema de grande relevância para


futuras discussões, em qualquer lugar que seja, por conta de sua grande
importância no funcionamento da sociedade, uma vez que é necessário pelo
menos entender a relação entre a sociedade e a mídia pra sabermos a força do
poder desta última e entender, também, o quão grande pode ser influente os
discursos midiáticos em qualquer decisão tomada pela sociedade num todo.
Cooperação e competição

A cooperação consiste sempre numa ação comum para realizar determinado


fim. Ou dito de outro modo, é uma forma de interação, em que diferentes indivíduos
ou grupos trabalham juntos para um fim comum.

Temos como exemplos de cooperação: a formação de uma cooperativa, um


mutirão para a limpeza de um terreno, um aluno emprestar uma caneta a outro
para realizarem a prova. A divisão do trabalho é uma forma importante de
cooperação, e pressupõe que cada indivíduo ou grupo realiza um trabalho diferente
para a manutenção da sociedade como um todo.

Já a competição, podemos dizer que é um processo social que ocorre com


os indivíduos ou grupos sociais, e que consiste na disputa consciente ou
inconsciente por bens e vantagens sociais limitadas em número e oportunidades –
os bens escassos.

Os indivíduos ou grupos podem competir por alimentos, dinheiro, empregos,


prestígios, afeto de outras pessoas, por um pedaço de terra e por uma infinidade de
motivos. Quando a competição se torna altamente consciente, e há hostilidade
deliberada, a competição se torna rivalidade. Da rivalidade pode ser gerado o
conflito.

De modo geral, a competição apresenta utilidade para a sociedade ou para


determinados grupos sócias quando é regulada de algum modo, ou formal (leis,
regulamentos, decretos) ou informalmente (pelos costumes, tradições).

Temos como exemplos de competição: os campeonatos de futebol, a disputa


de rapazes pela mesma garota, a disputa comercial entre as diferentes nações, a
disputa entre diferente lias pela preferência dos consumidores.
II. Conflitos sociais

Conflitos sociais são as diferenças de opiniões, pensamentos, caráteres a


ações que as pessoas têm que aparecem na rotina da sociedade de forma a gerar
determinadas contraposições de ideias.
Conflito é tudo aquilo que não está de acordo, que não "bate"!
Socialmente falando, é tudo o que vivemos, olhamos de certa forma a um ponto de
vista diferente e não aceitamos a realidade

Conflito surge quando há a necessidade de escolha entre situações que


podem ser consideradas incompatíveis. Todas as situações de conflito são
antagônicas e perturbam a ação ou a tomada de decisão por parte da pessoa ou de
grupos.

Na sociedade os conflitos podem ser considerados com o suposto ‘dualismo’


que há na sociedade. Este dualismo manifesta-se através das opiniões aderidas
pelas pessoas em questões ideológicas, filosóficas e tudo o que tange a
abordagem de formulação de opiniões e crenças sobre o que pode ser definido
como certo e o que é errado. Desta forma cabe a nós decidirmos qual
posicionamento tomar e respeitar a opinião do próximo. O conflito, no entanto, pode
ter efeitos negativos como positivos, mas em certos casos e circunstâncias, como
fator motivacional da atividade criadora.

O conflito em algumas escolas da sociedade é enxergado como o


desequilíbrio de forças do sistema social que deveria estar em repouso, isto é,
equilibrado, quanto à forças que o compõe. Segundo esta teoria, não se enxerga
mais o grupo como uma relação harmônica entre órgãos, não suscetíveis de
interferência externa.
Os conflitos, para ter uma solução pacífica, devem ter todos os meios
possíveis de banal azadamente negociação de controvérsias, estas, precisam ser
executadas com diplomacia, bons ofícios, arbitragem e conciliação.
Tipos de conflitos

Próprios: decorrem das relações de direito material. Podem ser nos


relacionamentos interpessoais, na forma em como as pessoas e grupos se
relacionam, na maioria das vezes são prejudiciais à organização e aos grupos, pois
as organizações estão cada vez mais diversificando seu capital intelectual em
termos de idade, raça, sexo, orientação sexual, e etnia, gerando divergências de
valores gerais. individuais ou coletivos. Este se subdivide em duas espécies: de
natureza jurídica (a controvérsia envolve a aplicação ou interpretação de uma
norma pré existente, estatal ou não) ou econômica (poder normativo da justiça do
trabalho; ex: aumento salarial);

Impróprios: aqueles que pressupõe a existência de uma relação de direito


material, mas não envolvem seus sujeitos ou interesses (conflitos de outra
dimensão). Ex: empregado quer se desfiliar do Sindicato, mas este não permite.

Conflitos em ambiente de trabalho

Conflitos em ambiente de trabalho, podemos dizer que de fato é necessário


que ambas as partes saibam de sua existência. Isso significa que, ao perceber
suas ideias distintas podem causar um conflito, isso está relacionado à percepção,
pode haver diversos tipos de consequências e grau de intensidade diferentes.

Exemplificamos dois tipos de conflitos em ambiente de trabalho:

– Conflitos funcionais: esse conflito é importante para as mudanças pessoais,


grupais e sociais, pois ele combate a estagnação da concordância constante, além
de promover o interesse pelo desafio

– Conflito de relacionamentos: baseado nas relações interpessoais, o conflito de


relacionamentos influencia diretamente na execução de tarefas, uma vez que a
hostilidade e as diferenças na personalidade prejudicam a compreensão e,
consequentemente, a realização de atividades.
Consequência dos conflitos

Sejam eles positivos ou negativos, os conflitos podem ser considerados úteis


pelo papel que desempenham na vida das pessoas, portanto é possível constatar
que nenhuma organização está livre de conflitos, pois praticamente toda a empresa
sofre e se beneficia com eles. Os conflitos são responsáveis por sérias ameaças à
estabilidade da organização, mas também podem agir de maneira construtiva
estimulando o potencial de inovação

O manejo de situações de conflito é essencial para as pessoas


e as organizações como fonte geradora de mudanças, pois das tensões
conflitivas, dos diferentes interesses das partes envolvidas é que nascem
oportunidades de crescimento mútuo.

A administração moderna deve encarar o conflito como uma força constante


dentro da organização e procurar administrá-la para que estes atuem de maneira
construtiva através das técnicas da administração de conflitos.

III. Meios para superar os conflitos

Devemos aceitar os conflitos como realidades do nosso mundo social e


acabam por impedir a estagnação e promove novas ideias e novos ideais, podendo
a sua consequência representar um modo mais adequado e dinâmico de integrar a
sociedade.

Para que haja uma superação dos conflitos não basta o simples contato
entre grupos hostis, implica essencialmente um contacto que envolve cooperação,
entre ajuda e a interdependência de modo a construir um maior sucesso na
finalidade visada. É importante que por cooperação entendamos uma ação
conjunta e concentrada que envolve a colaboração dos envolvidos para se atingir
um objetivo comum
.
Nas páginas a seguir veremos 5 métodos para superar os conflitos.
Adaptação

A adaptação é a ação e o efeito de adaptar ou de se adaptar, um verbo que


faz referência ao fato de acomodar ou ajustar uma coisa a outra. O conceito tem
diferentes acepções dependendo daquilo a que é aplicado: por exemplo, a
adaptação é fazer com que um determinado objeto ou mecanismo cumpra várias
funções para as quais tenha sido concebido/construído.
Por outro lado, a adaptação de uma obra artística ou científica refere-se ao facto de
adequar a mesma para publicá-la ou divulgá-la junto de um público diferente do
inicial ou através de uma forma diferente do original.

Acomodação

É o processo pelo qual o indivíduo ou grupos se ajustam a uma situação


conflitiva sem terem admitido mudanças importantes nos motivos que deram
origem ao conflito. Consiste em criar acordos temporários entre os oponentes. A
acomodação pode ter vida curta ou perdurar durante séculos.

A acomodação é o processo pelo qual os indivíduos ou grupos aceitam uma


determinada situação para encerrar um quadro conflitivo. A acomodação só
encobre ou provoca a diminuição do conflito, não o elimina. Somente com a
assimilação desaparece a situação de conflitos.

Assimilação

É um processo que implica que os indivíduos ou grupos alterem


profundamente suas maneiras de pensar, sentir e agir. É um processo longo e
complexo, que garante uma solução permanente para os conflitos. Constitui um
processo de difusão cultural mútua através do qual grupos e pessoas passam a
partilhar de uma cultura comum.
A assimilação é o processo que surge se a acomodação teve êxito ou
perdurou, o que poderá afetar, os hábitos e costumes daqueles que se
acomodaram. A assimilação é um processo profundo e durável, no qual os valores
e as atitudes são partilhados por pessoas ou grupos que eram diferentes, e que se
tornam semelhantes.
Aculturação

Porém, segundo o historiador francês Nathan Watchel, aculturação é todo


fenômeno de interação social que resulta do contato entre duas culturas, e não
somente da sobreposição de uma cultura a outra. Já Alfredo Bosi, em Dialética da
colonização, afirma que esse fenômeno provém do contato entre sociedades
distintas e pode ocorrer em diferentes períodos históricos, dependendo apenas da
existência do contato entre culturas diversas, constituindo-se, assim, um processo
de sujeição social.
Aculturação é o conjunto das mudanças resultantes do contato, de dois ou
mais grupos de indivíduos, representante de culturas diferentes, quando postos em
contato direto e contínuo.
A aculturação é o resultado dos contatos, de natureza constante, que
implicam geralmente na transmissão de certos elementos da cultura de uma
sociedade para a outra. A transmissão de elementos de uma cultura vai sempre
precedida por uma relação, que implica na aceitação de alguns e na rejeição de
outros elementos culturais.

Socialização

Socialização é o ato ou efeito de socializar, ou seja, de tornar social, de


reunir em sociedade. É a extensão de vantagens particulares, por meio de leis e
decretos, à sociedade inteira. É o processo de integração dos indivíduos em um
grupo.

Em Sociologia, socialização é o processo pelo qual o indivíduo, no sentido


biológico, é integrado numa sociedade. Através da socialização o indivíduo
desenvolve o sentimento coletivo da solidariedade social e do espírito de
cooperação., adquirindo os hábitos que o capacitam para viver numa sociedade.
IV. Os agrupamentos sociais

Constituição

Grupo social: a reunião de duas ou mais pessoas, interagindo umas


com as outras, e por isso capazes de ação conjunta, visando atingir um objetivo
comum.

Principais grupos sociais:


Grupo familiar – família;
Grupo vicinal – vizinhança;
Grupo educativo – escola;
Grupo religioso – igreja;
Grupo de lazer – clube;
Grupo profissional – empresa;
Grupo político – Estado, partidos políticos;

Formas de agrupamentos sociais

Agregados sociais: é uma reunião de pessoas que mantém entre si o


mínimo de comunicação e de relações sociais. Podemos destacar a multidão, o
publico, e a massa.
MULTIDÃO:
Ex: um grupo de pessoas observando um incêndio.
Características da multidão:
• FALTA DE ORGANIZAÇÃO: não possui um conjunto de normas.
• ANONIMATO: não importa quem faz parte da multidão.
• OBJETIVOS COMUNS: os interesses, as emoções, e os atos têm o mesmo
sentido.
• INDIFERENCIAÇÃO: todos são iguais perante a multidão, não há espaço para
manifestar as diferenças individuais.
• PROXIMIDADE FISICA: os componentes da multidão ficam e contato direto e
temporário uns dos outros.
Classificação dos agrupamentos sociais

Grupos primários – predominam os contatos primários, mais pessoais, diretos,


como a família, os vizinhos, etc.
Grupos secundários – são mais complexos, como as igrejas e o estado, em que
predominam os contatos secundários, neste caso, realizam-se de forma pessoal e
direta – mas sem intimidade – ou de maneira indireta como cartas, telegramas,
telefonemas, etc.
Grupos intermediários – são aqueles que se alternam e se complementam as
duas formas de contatos sociais (primários e secundários). Ex: escola.

Mecanismo de sustentação dos agrupamentos sociais

Toda a sociedade tem uma série de forças que mantém os grupos sociais.
As principais são a liderança, as normas e sanções sociais, os valores sociais e os
símbolos sociais.
Liderança:

É a ação exercida por um líder, aquele que dirige o grupo. Há dois tipos:
Liderança institucional - autoridade varia de acordo com a posição social ou do
cargo que ocupa no grupo. Ex: gerente de uma fábrica, pai de família, etc.
Liderança pessoal – autoridade varia das qualidades pessoais do líder
(inteligência, poder de comunicação, atitudes). Ex: Getúlio Vargas, Adolf Hitler, etc.

Norma e sanções sociais:

Normas sociais: regras de conduta de uma sociedade, que controlam e


orientam o comportamento das pessoas. Indica o que é “permitido” e “proibido”.

Sanção social: é uma recompensa ou uma punição que o grupo determina


para os indivíduos de acordo co o seu comportamento social. É aprovativa quando
vem sob a forma de aceitação, aplausos, honras, promoções. É reprovativa quando
vem sob a forma de punição imposta ao individuo que desobedece a alguma norma
social. Ex: insulto, zombaria, prisão, pena de morte.
CENTRO DE ENSINO DR. GERALDO MELO

NAYRON FELIPE DA COSTA BRITO

MATEUS MORAIS FERREIRA

PESQUISA BIBLIOGRÁFICA SOBRE AS INTERÇOES SOCIAIS E A


ESTRUTURA SOCIAL

SÃO LUÍS

2016
NAYRON FELIPE DA COSTA BRITO

MATEUS MORAIS FERREIRA

PESQUISA BIBLIOGRÁFICA SOBRE AS INTERAÇÕES SOCIAS E A


ESTRUTURA SOCIAL

Pesquisa realizada, com o objetivo de


entender os problemas sociais,
apresentada à disciplina de Sociologia
ministrada pela Profª. Sheila do 1º ano
do ensino médio

SÃO LUÍS

2016
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

DIAS, Reinaldo. Fundamentos de sociologia geral. Campinas/SP: Editora Alínea,


1997.

Sociologia em ação, Blogger. Disponível


em:<http://sociologiaecia.blogspot.com.br/2011/07/1-ano-resumo-de-agrupamentos-
sociais.> Acesso em 8 de dezembro de 2016.

Slide Share, In. Disponível em:<http://pt.slideshare.net/hap99/sociologia-interao-


social>. Acesso em 28 de novembro de 2016.
APRESENTAÇÃO

O presente trabalho é fruto de uma pesquisa bibliográfica realizada para


ajudar a entender as interações sociais e os problemas que encontramos na
sociedade a todo instante.
O principal objetivo desse trabalho é entender como se desenvolvem as
interações sociais, os problemas sociais e as formas de superar ou até mesmo
eliminar tais problemas – são elas: adaptação, acomodação, assimilação,
aculturação e a socialização.
Para isso, propomos uma leitura deste trabalho com embasamento teórico na
obra de Reinaldo Dias, Fundamentos de sociologia geral, a qual vai nos explicar
todos esses fenômenos sociais.
SUMÁRIO

I. As interações sociais: comunicação e competição.

I.I. As interações sociais…………………………………………………...………6

I.II. Comunicação social….........…………………………………………………..7

I.III. Comunicação e sociedade…………………………………………………...7

I.IV. Cooperação e competição…………………………………………..…..…...8

II. Os conflitos sociais.

II.I. Conceito de conflito social…………….………………………...…………….9

II.II. Tipos de conflitos……………………………………………………………..10

II.III. Consequências dos conflitos……………………………………………….11

III. Meios para superar o conflitos.

III.I. Adaptação……………………………………………………………………..12

III.II. Acomodação………………………………………………………………….12

III.III. Assimilação…………………………………………………………………..12

III.IV. Aculturação…………………………………………………………………..13

III.V. Socialização………………………………………………………………….13

IV. Os agrupamentos sociais.

IV.I. Constituição…………………...……………………………………………...14

IV.II. Formas…………………………………………………………...…………..14

IV.III. Classificação………………………………………………………………..15

IV.IV. Mecanismo e sustentação………………………………………………...15

• Referências bibliográficas……………………………………………………….16
“Sem a cultura, e a liberdade relativa que ela pressupõe,
a sociedade, por mais perfeita que seja, não passa de
uma selva. É por isso que toda a criação autêntica é um
dom para o futuro”.

-Albert Camus