Vous êtes sur la page 1sur 13

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E

TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO SUL – CAMPUS ERECHIM


CURSO SUPERIOR DE ENGENHARIA MECÂNICA

CHRISTOFER GOSTINSKI BIESEKI


GUILHERME LUAN FROZZA
JONATAN DAVI GAEDICHE
JOSIANE MOTTA
KAUÊ HEROLD PEDRA HUME

ESTRUTURAS DE MERCADO

Erechim
2018
CHRISTOFER GOSTINSKI BIESEKI
GUILHERME LUAN FROZZA
JONATAN DAVI GAEDICHE
JOSIANE MOTTA
KAUÊ HEROLD PEDRA HUME

ESTRUTURAS DE MERCADO

Trabalho da disciplina de Economia Aplicada a


Engenharia Mecânica, Curso de Engenharia
Mecânica, Área das Engenharias.
Instituto Federal de Educação, Ciência e
Tecnologia do Rio Grande do Sul – Campus
Erechim.
Professor: Carlos Frederico de Oliveira Cunha.

Erechim
2018
SUMÁRIO

1 INTRODUÇÃO ................................................................................... 3
2 ESTRUTURAS DE MERCADO ..................................................................... 4
2.1 Monopólio ........................................................................................................ 4
2.2 Oligopólio ........................................................................................................ 4
2.3 Concorrência Monopolista............................................................................. 5
2.4 Concorrência Perfeita..................................................................................... 5

3 CARACTERIZAÇÃO DA EMPRESA ............................................................. 7


4 METODOLOGIA ...................................................................................... 8
5 ANÁLISE DOS RESULTADOS .................................................................... 9
5 CONCLUSÃO ................................................................................... 10
6 ANEXOS........................................................................................... 11
7 REFERÊNCIAS ................................................................................ 12
3

1 INTRODUÇÃO
4

2 ESTRUTURAS DE MERCADO

2.1 Monopólio

2.2 Oligopólio
O oligopólio é uma estrutura de mercado que se define pela existência de
reduzido número de produtores/vendedores de um estabelecido bem ou serviço. Por
esse seu determinado aspecto os produtores oligopolistas acabaram por perceber que
agir de forma interdependente significa maior benefício do que ação independente,
pois se trata do fornecimento de um mesmo bem ou serviço.
Assim, por exemplo, se um determinado posto de gasolina oferece combustível
a 2X reais, e outro posto oferece a X, obviamente este lucrará mais que aquele, já que
os consumidores preferirão comprar a gasolina mais barata. Desse modo, ambos os
postos preferem combinar o preço da gasolina já que não compensa entrar na guerra
de preços, a qual quem acaba ganhando é o próprio consumidor.
Logo, neste modelo de estrutura de mercado, não existe incentivo para
competição nos preços, mas sim para a formação do Cartel, que é justamente a
prática de formação de preço não natural por um conjunto de empresas, sendo esta a
forma como o mercado oligopolista influencia na fixação do preço no mercado.
No Oligopólio, podem contar com produtos heterogêneos ou produtos
homogêneos. Se na concorrência monopolística era fácil entrar novos concorrentes,
nesse caso não há a possibilidade de entrada de novas firmas no mercado, pois há
um conjunto de custos que dificultam a entrada no mercado, o que é possível é entrar
em uma franja específica, mas para competir em âmbito maior, é mais difícil.
As firmas estabelecidas têm coletivamente poder de mercado, assim, se elas
se coordenarem elas podem definir o preço do mercado, mas pode ser que não se
coordenem e compitam fortemente, e pode inclusive variar, tendo momentos
coordenadas e momentos de alta competição.
O consumidor não tem poder de mercado, é apenas tomador de preço, e se as
empresas se coordenam e elevam o preço, não há nada que o consumidor possa
fazer. Há interdependência mútua na escolha de preço ou quantidade.
5

2.3 Concorrência Monopolista

2.4 Concorrência Perfeita

A Concorrência Perfeita é uma estrutura de mercado na qual há um grande


número de empresas que vendem para um grande número de consumidores. Dessa
forma, as empresas agem individualmente, observando o preço praticado no mercado
e decidindo a quantidade que irá ofertar a esse preço. Assim, nenhuma empresa
ou consumidor têm poder suficiente para influenciar o preço ou a quantidade
transacionada.
Nunes (2005) discorre que os principais pressupostos que representam uma
estrutura de concorrência perfeita são:
 Atomicidade do mercado: muitas empresas que produzem o mesmo produto
ou serviço e possuem as mesmas condições de acesso a informações,
tecnologia e fatores de produção.
 Existência de muitos consumidores e todos com a mesma informação
disponível sobre a oferta existente;
 Homogeneidade nos produtos ou serviços oferecidos;
 Inexistência de barreiras à entrada ou à saída de empresas no mercado;
 Não intervenção do Estado no mercado.

De acordo com Vasconcellos (2006), uma característica importante de um


mercado em concorrência perfeita é a inexistência do lucro extra, existindo apenas os
lucros normais associados à remuneração do empresário pela atividade realizada, ou
seja, seu custo de oportunidade, de acordo com a rentabilidade média do mercado
Isso se justifica pela transparência do mercado, pois se alguma atividade
apresentar lucros extraordinários, como não há barreiras para a entrada ou saída de
empresas no mercado, outras empresas apresentariam uma tendência a realizar essa
mesma atividade, causando um aumento da oferta e consequente queda dos preços
e dos lucros associados.
Também pode se observar, segundo Nunes (2015), que se uma empresa
estabelecer um preço mais elevado do que o preço de mercado, a grande informação
disponível para os clientes sobre a oferta existente e a homogeneidade dos bens
ocasionará a perda de sua clientela. Porém, se a empresa decidir praticar um preço
6

abaixo do preço de mercado, a inexistência de lucro extra a levará a abrir mão de seu
lucro normal, ou seja, sua remuneração considerada justa, levando a mesma
acumular prejuízos que se tornarão insustentáveis.
Segundo Vasconcellos (2005), é importante ressaltar que a concorrência
perfeita é uma situação hipotética, que não existe de forma exata na vida real, sendo
a situação real mais próxima que se conhece o mercado de produtos
hortifrutigranjeiros.
7

3 CARACTERIZAÇÃO DA EMPRESA

Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT) ou, simplesmente, Correios,


é uma empresa pública federal, responsável pela execução do sistema de envio e
entrega de correspondências no Brasil. Os Correios iniciaram suas atividades no
Brasil em 25 de janeiro de 1663.
A Constituição Federal do Brasil prevê a exclusividade da união sobre a entrega
de correspondências de interesse específico do destinatário e esse serviço só pode
ser prestado pelo operador encarregado, a ECT, como forma de financiar a prestação
dos serviços deficitários aos cidadãos. A legislação brasileira prevê o monopólio
somente nos serviços de: carta; cartão postal; correspondência agrupada e telegrama,
que representam cerca de 54,3% da receita apresentada no faturamento da empresa.
A empresa também oferece outros serviços, como o Sedex, criado em 1982,
um dos principais produtos da empresa e principal serviço de encomendas expressas
no Brasil, e o Banco Postal, pelo qual os Correios atuam na prestação de serviços
bancários básicos em todo o território nacional.
Os Correios iniciaram em 2011 um processo de modernização para enfrentar a
concorrência com a prestação de serviços mais ágeis e eficientes. Com a sanção da
Lei 12.490/11, a empresa teve seu campo de atuação ampliado, podendo a partir disso
atuar no exterior e nos segmentos postais de serviços eletrônicos, financeiros e de
logística integrada; constituir subsidiárias, adquirir controle ou participação acionária
em empresas já estabelecidas e firmar parcerias comerciais que agreguem valor a
sua marca e a sua rede de atendimento
Em Erechim, os Correios possuem 5 agências, sendo elas:
 AGC CAPO ERE – Agência de correios comunitária;
 AC ERECHIM – Agência de correios;
 AGF ALTO URUGUAI - Agência de correios franqueada;
 AGF BOA VISTA - Agência de correios franqueada;
 AGC JAGUARETE - Agência correio comunitária.
8

4 METODOLOGIA

Para verificar na prática como se caracteriza o funcionamento de uma estrutura


de mercado na forma de monopólio e como suas características são percebidas e
avaliadas pelos consumidores, realizou-se uma pesquisa com usuários dos Correios
da cidade de Erechim, Rio Grande do Sul.
A empresa em questão é a única empresa permitida pela legislação para
realizar a entrega de correspondências, cartas e cartões postais, tanto na cidade de
Erechim quanto no restante do país, o que caracteriza o mercado como um monopólio.
A fim de quantificar as opiniões dos consumidores dos serviços com relação a
qualidade dos mesmos realizou-se um questionário estruturado com perguntas
fechadas, presente no Apêndice A, através da ferramenta de Formulários Google,
disponibilizada gratuitamente pelo Google (a pesquisa está disponível no seguinte
link: https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSfq_oeKQlZhG3XPd-
Ara76XLmlbGQTRfBfXJGbwVK_HxPxfUg/viewform?usp=sf_link
9

5 ANÁLISE DOS RESULTADOS


10

5 CONCLUSÃO

Capítulo dedicado à descrição das conclusões do trabalho. O objetivo desse


capítulo é fornecer todas as conclusões necessárias para validar os objetivos gerais
e específicos.
11

6 ANEXOS

Inserir informações que achar necessário, e que não merecem mérito de


estarem inseridas no corpo do trabalho.
7 REFERÊNCIAS

NUNES, Paulo. Concorrência perfeita. Disponível em: <


http://knoow.net/cienceconempr/economia/concorrencia-perfeita/> Acesso em: 01 jun
2017.

VASCONCELLOS, Marco Antonio S. de; GARCIA, Manuel E. Fundamentos de


Economia. 5. ed. São Paulo: Saraiva, 2014.

TROSTER, Roberto Luis. Manual de economia. Estruturas de Mercado. 6. Ed. São


Paulo: Saraiva, 2014

O’SULLIVAN, Arthur. Introdução à economia: princípios e ferramentas. São Paulo:


2004

CORRADI, Jéssica Domingues. Estruturas de Mercado e a Influência na Fixação


do Preço. Disponível em:
<https://jessicacorradi.jusbrasil.com.br/artigos/342420214/estruturas-de-mercado-e-
a-influencia-na-fixacao-do-preco>. Acesso em: 15 maio 2018.

NASRALLA, Victor Waquil . Microeconomia: princípios básicos e estruturas de


mercado. Disponível em:
<https://vnasralla.jusbrasil.com.br/artigos/392005710/microeconomia-principios-
basicos-e-estruturas-de-mercado?ref=topic_feed>. Acesso em: 15 maio 2018.