Vous êtes sur la page 1sur 4

O ENSINO DA LINGUA INGLESA NAS ESCOLAS PÚBLICAS DE PARNAÍBA E A

NECESSIDADE DO MERCADO DE TRABALHO LOCAL

Robson Santos da Silva

RESUMO

A partir da premissa que a Língua Inglesa é um importante componente curricular, foi desenvolvida
uma breve pesquisa nos cenários ensino-aprendizagem da mesma e sua utilização no mercado de
trabalho parnaibano. Levando em conta que o ensino do idioma citado ainda é marginalizado nas
escolas públicas e não é explorado todo o potencial de inclusão social e profissional de tal língua.

Palavras-chave: Língua Inglesa, Escolas Públicas, Parnaíba.

INTRODUÇÃO

Esse trabalho busca evidenciar, de modo geral, as orientações encontradas nos Parâmetros
Curriculares Nacionais (PCNs) em relação ao ensino da língua inglesa e o que realmente
acontece nas salas de aulas das escolas municipais de Parnaíba. Os Parâmetros Curriculares
Nacionais são as orientações básicas e indispensáveis criadas pelo Ministério da Educação
que orientam o ensino de todas as disciplinas nas escolas públicas brasileiras. Segundo os
PCNs (2006, p. 5), “o objetivo deste material é contribuir para o diálogo entre professor e
escola sobre a prática docente.” Servem, portanto, como uma forma de orientar escolas e
professores sobre o que deve ser ensinado, quais as formas de ensinar, o que se deve levar em
consideração, etc. É imprescindível que o professor se valha deste recurso para pautar sua
prática pedagógica. De acordo com Chalita (2004, p. 30) “os novos valores, divulgados pela
mídia, definem situações e não comportamentos”. Os jovens e a sociedade como um todo
estão voltados para a busca de bens materiais, ao que esse mesmo autor chama de “crise
moral”. Esses problemas podem ser amenizados com uma educação voltada aos interesses do
aluno, que se preocupe em fazer com que o educando sinta prazer em estar na escola, que se
empenhe em conquistar o conhecimento. Os PCNs servem de base, um instrumento para
reflexão por parte dos professores e das escolas. Seria impossível pensar que através de um
documento como este, haveria unidade no ensino brasileiro. Isto nunca acontecerá e nem é
objetivo do Ministério da Educação. O que se quer é que os educadores sintam-se estimulados
a refletir sobre sua atuação e aprimorá-la, para que realmente se possa falar sobre escola de
qualidade. Esse trabalho também busca relacionar o ensino da Língua Inglesa nas escolas
públicas municipais com o mercado de trabalho parnaibano.

O ensino da Língua Inglesa encontra-se ainda marginalizado. Em observações feitas em


algumas escolas públicas de Parnaíba foi visto que a Língua Estrangeira (LE) enfrenta as
mesmas dificuldades de seis, sete anos atrás, segundo a perspectiva de Rodrigues (2009). Fica
mais evidente tal marginalização pela falta de recursos didáticos necessários para o ensino e a
aprendizagem como livro didático, CDs, acesso à internet e etc. A formação dos professores
influi diretamente no processo de ensino-aprendizagem. Os mesmos sentem-se despreparados
para lecionar ao sair das universidades. Perrenoud(2002) critica a qualidade da formação dos
docentes. A formação continuada dos professores é uma das medidas que podem ajudar a
mudar esse cenário. Segundo Souza (2010), a sociedade vem sofrendo modificações devido à
globalização da informação, o que faz com que se deva repensar as formas de aprender e
ensinar a LE. Neste sentido, o autor afirma que a primeira questão a se abordar é o modelo
universitário que se conjuga em aulas teóricas e posteriores estágios para a “aplicação” dos
conhecimentos. Essa maneira de formar professores apresenta sérios problemas, citados por
Tardif (2002, apud Souza, 2010): idealização de uma lógica disciplinar que fragmenta o
ensino e a falta de consideração da realidade dos alunos (“espíritos virgens”).

Os PCNs abordam todos os pontos relevantes sobre o ensino da Língua Estrangeira. Neles são
citados diversos métodos de abordagem, contribuições de um ensino voltado para os
interesses dos alunos. Muito mais que apenas uma aula de regras gramaticais, as aulas de
inglês podem ser extremamente ricas, à medida que abrem espaço para que o estudante possa
construir sua carga cultural e linguística. Os PCNs (BRASIL, 2006, p. 91) ressaltam que:

[...] a disciplina Línguas Estrangeiras na escola visa a ensinar um


idioma estrangeiro e, ao mesmo tempo, cumprir outros compromissos
com os educandos, como, por exemplo, contribuir para a formação de
indivíduos como parte de suas preocupações educacionais.

Atualmente, o mercado de trabalho nacional exige que seja de domínio dos candidatos pelo
menos um idioma estrangeiro, de preferência inglês. Parnaíba tem em um de seus pontos
fortes o turismo. Levando isso em conta, foi pesquisada a necessidade do mercado parnaibano
por candidatos aos empregos no ramo turístico que dominam a Língua Inglesa.

METODOLOGIA

Foi tomada como base para a pesquisa a escola Senador Alberto Silva. Essa escola foi
escolhida por conta de seu destaque organizacional em relação às outras escolas municipais da
cidade Parnaíba. Durante uma semana dois professores de Língua Inglesa que lecionam na
escola foram observados e, ao final, entrevistados. A coleta de dados iniciou-se em 22 de
junho e encerrou-se dia 26 de junho.

A pesquisa continuou com uma breve análise do mercado de trabalho local. O ramo turístico
de Parnaíba é um dos mais evidentes, por isso foi abordado por esta pesquisa. No período de
23 à 25 de junho, foram entrevistados os gerentes de três hotéis locais a cerca de seus métodos
de seleção na contratação de novos funcionários.

RESULTADOS

Durante a observação na escola foi notado um engessamento no processo de aprendizagem.


Foi visto que o interesse dos docentes era de repassar as regras gramaticais e o significado das
palavras sem se preocupar com o conteúdo cultural da língua, nem em que o idioma iria
implicar na vida social e profissional dos discentes. Os professores entrevistados não têm
grande conhecimento sobre os PCNs, que foi notado durante as observações de suas aulas em
que não foram aplicadas quase nenhuma das orientações citadas nos PCNs de Língua
Estrangeira. Em um dos casos, o professor afirmou que nunca tinha ouvido falar sobre os
Parâmetros Curriculares Nacionais.

Durante a pesquisa de mercado, todos gerentes entrevistados afirmaram que o domínio da


Língua Inglesa é muito necessário, mas que a escassez de pessoas com essa qualificação no
mercado local é grande. Segundo eles, praticamente todos os candidatos que procuram
emprego nas empresas pesquisadas não possuem qualificação alguma relacionada à Língua
Inglesa e que são obrigados à procurar outra qualificação que destaque um candidato em
relação à outro.

CONCLUSÃO

O ensino da Língua Inglesa nas escolas parnaibanas, levando em conta que essa pesquisa foi
realizada em uma escola que é relativamente organizada, ainda é deficiente. Como
consequência dessa deficiência, há escassez de pessoas com qualificações em tal idioma. Isso
dificulta o trabalho de seleção das empresas relacionadas ao turismo em Parnaíba e reflete na
qualidade de atendimento das mesmas. A Língua Inglesa, querendo ou não, tem importante
papel na inclusão dos indivíduos, tanto socialmente quanto profissionalmente.

THE TEACHING OF ENGLISH LANGUAGE ON PARNAÍBAS’S PUBLIC


SCHOOLS AND THE NEED LOCAL LABOR MARKET

ABSTRACT

Coming from the premise that the English language is an important curricular component, was
developed a little research about teaching-learning of English Language and it use in the Parnaíba’s
labor market. Considering the teaching of English is still marginalized on public schools and is not
explored the full potential of social and professional inclusion.

Key-words: English Language, Public Schools, Parnaíba.

REFERÊNCIAS

AGUIAR, Germaine Elshout de. O ensino de língua inglesa. Teresina: EDUFPI, 2002. 152p.

CHALITA, Gabriel. Educação: a solução está no afeto. 17 ed. São Paulo: Gente, 2004.

PCNs. Ministério da Educação e Cultura. Parâmetros Curriculares Nacionais, 2006.


Disponível online: http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/book_volume_01_internet.pdf.
Acesso em 22 de julho de 2015.
PERRENOUD, Phillipe. As competências para ensinar no século XXI: a formação dos
professores e o desafio da avaliação. Porto Alegre: Artmed Editora, 2002.

RODRIGUES, B. G. Formação de professores de língua Inglesa em um curso de letras com


Habilitação única em inglês. 2007. 274 f.. Dissertação (Doutorado em Lingüística Aplicada) -
Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. São Paulo, 2007.

SOUZA, Antonio Escandiel de. O perfil do profissional de língua estrangeira. In: Antologia
em prosa e verso XII. Santa Maria: Associação Santa-Mariense de Letras, 2006.