Vous êtes sur la page 1sur 17

Título: c 



     


Total de Membros: 972


Total de Mensagens: 11699
Total de Tópicos: 1014
Total de visualizações: 2229784

    

   
    !  " #$   
c %%&'    ()*&(*&(

Título: c  
Enviado por: '  em   ()*&(*&(

A Paz do Senhor Jesus amados irmãos.

Creio ter criado esse tópico na sessão correta (acredite, foi o melhor
que achei pro assunto!) mas, se estiver no lugar errado, peço que o
coloquem no lugar correto. :)

A minha dúvida, SIMPLES, é essa:

É correto termos teatro em nossas igrejas? É correto o teatro para


trazer uma mensagem, uma palavra, uma idéia? É correto o teatro
para se evangelizar, se pregar, exortar a igreja?

Qual a opinião de voces?


Mais importante: O que a Palavra do Senhor diz sobre isso?

Fiquem na Paz!

Título: o &c  


Enviado por: o    +  em   ()&*&*

Teatro na igreja é uma prática trazida pelos famosos projetos


evangelísticos, tipo Jocum. Eles chamam de equipes de artes e
acreditam pregar o evangelho de maneira criativa, eles estudam
teatro e técnicas de evangelização. Algun s chamam de ministério
criativo.
A idéia parece nobre: usar o teatro para levar a mensagem salvadora
do nosso Senhor Jesus Cristo.

Pra começar o evangelismo é arminiano.


 , %$o-o.'-/0 1
, 23     
Por esta perspectiva teatral e circense, a igreja ideal é semelhante ao
circo de Soleil.
Sem falar que, teatro puxa coreografia para dentro da igreja, as
³pastoretes´ ficam abrindo escala de frente aos irmãozinhos, mas isto
é outro caso.

Já presenciei casos que o pastor-palhaço se veste de anjo ou diabo


faz a peça e depois vai pregar caracterizado! É ridículo!
Já soube de casos que o pastor se fantasia de Moisés faz a peça e
depois prega fantasiado! Isto é uma grande palhaçada!

Certo pastor, numa época de natal, trouxe um grande coral para


cantar num momento de culto dominical e não houve pregação por
causa do tempo e da falta de prioridade, perguntei porque não houve
pregação (se a pregação é o centro do culto público), ele respondeu
que o coral cantou a Palavra, não era tão necessário a pregação de
púlpito. Particularmente, eu não entendi quase nada que o coral
cantava, não houve uma linha exegética nem homilética. Entendia
trechos bem audíveis, mas não sai edificado pela Palavra como ele
defendeu. ± Cito isto como exemplo porque considero que o teatro
faça a mesma coisa, não contribui.

Título: o &c  


Enviado por:  em   4)&5&5(

Neto,

Se a "peça" teatral for EM, ou seja, dentro do edificio da igreja, creio


ser inadmissível, essa é claro é minha opinião pessoal. Baseado nas
Escrituras, nãi acho que encenar uma peça seja também algo válido
fora do edifico, pois Jesus o sumo -pregador não se utilizou de peças
teatrais para evangelizar, Paulo, Pedro e demais apostolos muito
menos, por isso não creio que seja um artificio válido.

Título: o &c  


Enviado por: '  em   ))6&(&((

Existe a possibilidade de se pregar o evangelho VERDADEIRO pelo


teatro? Digo, algo SÉRIO, que traga convicção de pecado,
arrependimento, Salvação... Existe?
Vcs já ouviram falar?

Vou ser sincero aos irmãos. Eu faço parte, como líder, de um


ministério de Teatro na minha igreja desde 2006.
Mas desde o inicio deste ano, 2008, estou sendo tocado p elo Senhor
de que isso não é correto. E estou, a tempos, inclinado a sair.

Por isso pedi a opiniao dos irmãos.

Título: o &c  


Enviado por:  em   ))&&*

??? Perguntas que não querem calar ???

Essas peças são enc enadas em todo culto, ou apenas em datas


festivas?

Quantas pessoas se converteram REALMENTE pelas tuas encenações?

Essas peças tomam tempo que deveria ser dedicado a pregação?

Título: o &c  


Enviado por: o    +  em   6)&(&55

Neto, tem artigos excelentes que falam sobre entretenimento vs


pregação nas revistas da Fiel:
http://www.editorafiel.com.br/feparahoje.php
(http://www.editorafiel.com.br/feparahoje.php)

Tenho certeza que vc encontrará um que fale ao seu coração e


mente, procure com calma são muitos artigos, se vc não encontrar eu
posso te ajudar.

Título: o &c  


Enviado por: '  em   )6&(5&4

Irmão Ednaldo:

Essas peças eram encenadas em datas variadas. Às vezes em cultos


normais, ou em dias especiais (como dia das mães, Natal), já fizemos
peças pro aniversário do nosso pastor até! :-\
E nunca, nunca tivemos uma conversão. E o que mais me
incomodava era que as pessoas nos viam como um "entretenimento"
para a igreja. Minhas intenções eram boas, mas esse tipo de reação
me dizia que algo estava errado.

A ultima peça que eu apresentei na minha igreja era uma onde o


personagem principal era Josué. As minhas idéias, minha
espiritualidade e meu compromisso com a Palav ra já estavam mais
maduros. Era uma peça que falava muito sobre comprometimento,
seriedade, PECADO. Era realmente um sermão.  ,
3   ... Além disso, mesmo depois da ÓTIMA mensagem,
que eu criei querendo trazer a reflexão ao coração dos irmãos, qual
foi a reação? Quando sai da igreja, o pessoal me abraçava e dizia "E
aê Josué!"
Aliás, cada nova peça que a gente fazia me dava novos apelidos...

(Sim, hoje eu acho 7 ...)

Hoje vejo como isso é errado, e já estou decidido a parar. Amadureci


e percebi que, só pq meu pastor gosta e aprova, não quer dizer que o
SENHOR aprova...

(Raniere, querido irmão, vou baixar os estudos e ler em casa. Eu uso


LAN HOUSE! Um grande abraço e obrigado.)

Título: o &c  


Enviado por: o    +  em   )&)&*

E aê Josué! (brincadeira ;D)


Neto, eu odeio o dia em que me escolheram pra cristo (mínusculo
mesmo!) num acampamento de jovens pa IPB, eu não tinha a menor
noção do rídiculo e do erro. Fantasiaram -me de Jesus, ainda bem que
não tiraram foto! :P

Essas peças e filmes da Paixão de Cristo têm envolvido muita gente,


parece até que isso nos une aos católicos romanos!
Tudo não passa de emocionalismo barato!

Graças a Deus pelo seu despertar para essas coisas. Seja


perseverante e nade contra a maré pq as pessoas que gostavam de
vc fazendo peça teatral não vão gostar quando vc pregar a verdade.
Vão querer te fantasiar de judas!

Título: o &c  


Enviado por:  em   )*&&4

Espero que tenham pulado a cena da circuncisão em Gilgal .


(Brincadeirinha também!! :D - Quem disse que o só o Raniere pode?)

Citação de: Neto em Outubro 10, 2008, 09:45:06


Irmão Ednaldo:

Essas peças eram encenadas em datas variadas. Às vezes em cultos normais, ou


em dias especiais (como dia das mães, Natal), já fizemos peças pro aniversário do
nosso pastor até! :-\
E nunca, nunca tivemos uma conversão. E o que mais me incomodava era que as
pessoas nos viam como um "entretenimento" para a igreja. Minhas intenções eram
boas, mas esse tipo de reação me dizia que algo estava errado.

Essa tua citação me lembra um livro do Martin Lloyd -Jones "Sincero


mas errado". Acho que o grande problema é exatamente o que
disseste, que as pessoas viam isso como entretenimento e não como
algo a ser levado a sério, as pessoas estão acostumadas a verem
encenadas peças ficcionais, então são levadas a crer que qualquer
peça é ficção, mesmo uma que retrate o evangelho. Devemos ser
sérios na proclamação do Evangelho.

P.S. Furo de Reportagem, uma foto do Raniere encenando "cristo",


pensou que não tinham fotografado, né? :D , vejam os jovens ao
fundo :D

(http://img.photobucket.com/albums/v85/jumento/011/mao.jpg)
Título: o &c  
Enviado por: o    +  em   )(&&56

kkkkkkkkkk ;D

O pessoal vai acreditar que sou eu!

Quero dizer que não cheguei a ser crucificado, portanto não sou eu!

Apareci já ressurreto! (quanta irreverência!)

Título: o &c  


Enviado por: '  em   )6&&)

Citação de: Raniere Menezes em Outubro 10, 2008, 02:08:03


E aê Josué! (brincadeira ;D)

Neto, eu odeio o dia em que me escolheram pra cristo (mínusculo mesmo!) num
acampamento de jovens pa IPB, eu não tinha a menor noção do rídiculo e do erro.
Fantasiaram-me de Jesus, ainda bem que não tiraram foto! :P

Essas peças e filmes da Paixão de Cristo têm envolvido muita gente, parece até que
isso nos une aos católicos romanos!
Tudo não passa de emocionalismo barato!

Graças a Deus pelo seu despertar para essas coisas. Seja perseverante e nade
contra a maré pq as pessoas que gostavam de vc fazendo peça teatral não vão
gostar quando vc pregar a verdade. Vão querer te fantasiar de judas!

Irmão, o filme "Paixão de Cristo" é errado? ???


Acredite ou não, já estão começando a jogar algumas pedras em
mim... Já começaram a até me chamar de Incrédulo (é sério). E sou
mesmo. Não creio no Livre-Arbrítrio...
Ah, mais uma coisa. Coreografia na igreja é errado?

" 
Um sermão do Spurgeon me inspirou muito com relação ao teatro
cristão.
Não sei se vc já leu. É esse:
http://www.monergismo.com/textos/chspurgeon/bodes_spurgeon.ht
m

Agora vou fazer uma pergunta difícil meus irmãos.


  83 9'0o: ;% 2 ;<
-Uma zombaria com a seriedade profunda de Sua Palavra?
-Um modo imaturo, caído e fraco de se levar a sua Palavra?
-Uma Heresia?
-Tôlerancia à irreverencia na Sua Igreja?

O que vcs acham?

Título: o &c  


Enviado por: o    +  em   )&&

Neto, leia depois vc me diz alguma coisa:

http://www.cacp.org.br/midia/artigo.aspx?lng=PT-
BR&article=1253&menu=16&submenu=1
(http://www.cacp.org.br/midia/artigo.aspx?lng=PT-
BR&article=1253&menu=16&submenu=1)

Boa leitura!

Título: o &c  


Enviado por: o    +  em 26&5&5

Quero compartilhar um breve artigo sobre: c    


=  &1 ,  >      
 2 <

Trecho do artigo:

É muito comum hoje em dia, nas mais variadas reuniões de


igreja, assistir encenações teatrais. Até que ponto se pode
valer dessas coisas sem ferir os ensinos bíblicos? E os
³ministérios´ de teatros que encenam Cristo chamando os
pecadores para a salvação?

Em geral os evangélicos detestam a ideia de ter uma imagem


fotográfica ou de escultura que represente Cristo, mas
convivem numa boa com atores fantasiados de Jesus. Não
será pecaminoso representar Jesus numa peça de teatro?

Creio que existam razões para afirmar que o teatro cristão,


onde encenam Jesus, não é bíblico.

$ 
7 &http://frasesprotestantes.blogspot.com/2010/03/teatro-
cristao-encenar-jesus-cristo-e.html
Estamos nos aproximando de mais uma semana chamada santa, e os
jornais não dão outra notícia. Tem Gezus apanhando em centenas de
cidades. Creio que esse artigo pode ser útil para alguns.

Título: o &c  


Enviado por:  , em 2&*)&5(

Pitaco meu ;D:

^   
   

 


Se eu não sei como Moisés era fisicamente nem o que ele falava ou
falaria, exceto o que está registrado nas Escr ituras, como posso
atribuir a Moisés um rosto e palavras que não sei se ele de fato disse
ou diria (falo isso, pois muitas peças colocam palavras que não estão
registradas nas Escrituras)?

Creio que representações de personagens bíblicos incorre no pecado


da falsidade/mentira ou ainda no juízo precipitado, no qual falta
elementos para afirmar que   
a representação de Moisés e
de suas palavras em uma peça seja verdadeira! (Usei Moisés como
exemplo, poderia ser qual(is)quer personagem(ns)).


 
     




 
     



^   !   


 
  
 




O Raniere já mostrou isso em seu blog: Frases Protestantes, cujo link


já foi citado neste tópico do fórum:
Citação de: Raniere Menezes em Março 07, 2010, 09:52:52
$ 7 &http://frasesprotestantes.blogspot.com/2010/03/teatro -
cristao-encenar-jesus-cristo-e.html

(Acho que o Raniere vai ter que mudar o nome do blog, pois pela
extensão esse texto não se enquadra em "frases protestantes" - tá
mais pra "artigo protestante" ;D. Estou só fazendo graça, viu,
Raniere. Não achei de forma alguma o seu artigo inoportuno para o
seu blog, muito pelo contrário! ;)).

Agora confesso que por enquanto não sou contrário a atividade na


Igreja que tenha peça com personagens fictícios que falem do
Evangelho. Por exemplo, encenar uma peça envolvendo dois amigos
de escola, sendo que um é cristão e outro não e que o cristão fale do
Evangelho para o não-cristão (exemplo bem tosquinho, mas foi o que
consegui pensar no momento... :().

Mas fique registrado: sou contra peças no culto!

O culto é um momento solene e deve ser voltado para Deus, com o


foco na exposição da Palavra de Deus e não em representações
artísticas.

Título: o &c  


Enviado por: o    +  em 2))&&5)

Citação de: albertofng em Março 07, 2010, 11:38:54

Mas fique registrado: sou contra peças no culto!

O culto é um momento solene e deve ser voltado para Deus, com o foco na
exposição da Palavra de Deus e não em representações artísticas.

EXATAMENTE! ESTE É PONTO FUNDAMENTAL! PEÇA EM "CULTO" É


CIRCO! (isso eu tinha que dizer em caixa alta! :P)

Título: o &c  


Enviado por: '  em 2)6&*4&)

Caros Irmãos,

Na minha igreja o púlpito é um lugar de respeito e seriedade. Por


melhor que forem as intenções, NUNCA se deve fazer DANÇAS,
PSEUDO-SHOWS ou PEÇAS TEATRAIS no templo. Essa é a posição do
nosso pastor e a apoio completamente, pois não é uma "mania" dele,
mas algo que tem embasamento bíblico. Em nenhuma passagem
vemos danças e batucadas DENTRO do templo. Essas coisas não são
feitas para honrar à Deus, mais para honrar o ORGULHO HUMANO. E
o Culto no Templo é para Deus e não para o homem !!!

Quando isso não é respeitado, se chega a absurdos como este


abaixo:

(http://3.bp.blogspot.com/_IoEXtRXfk0E/S1-
uo8auX8I/AAAAAAAAACs/Ha3nr5QWDC0/s320/Sonho+de+Natal.jpg)

'    ?      3 9@A/c9


2  /AB'-o'coc $/  
c?  ? =CDDDD
    90E?   %?  
F G FF 8 $H$3 
   FF 81 3   F   
 9  3    ;;

E tudo isso foi feito com toda a pompa, reconhecimento público e


aplausos dos visitantes da "igreja". Isto tudo foi divulgados nas TVs
locais, como um grande ESPETÁCULO DE NATAL.

Que digam que isso tudo foi um ESPETÁCULO TEATRAL. Mas não
venham chamar esse "evento" de Método Evangelístico ou Culto à
Deus, que não É !!!! E o fato de fazerem isso tudo DENTRO DO
TEMPLO, incorre em DESRESPEITO à Deus.

 %   3 $1


"-'o

Fiquem na paz.

Título: o &c  


Enviado por: $  em 2&(&4

Citação de: Neto em Outubro 04, 2008, 03:43:04


A Paz do Senhor Jesus amados irmãos.

Creio ter criado esse tópico na sessão correta (acredite, foi o melhor que achei pro
assunto!) mas, se estiver no lugar errado, peço que o coloquem no lugar correto.
:)

A minha dúvida, SIMPLES, é essa:

É correto termos teatro em nossas igrejas? É correto o teatro para trazer uma
mensagem, uma palavra, uma idéia? É correto o teatro para se evangelizar, se
pregar, exortar a igreja?

Qual a opinião de voces?


Mais importante: O que a Palavra do Senhor diz sobre isso?

Fiquem na Paz!

Caros irmão , entrei por acaso , e depearei com um assunto que muito me diz
respeito , com conhecimento rpofundo da área pois sou diretor de teatro e acredito
sim no teatro como meio de evangelização, pois as artes cênicas é uma ferramenta
de linguagem riquissima pois envolve o visual o auditivo e mais o psiquico reflexivo
. Temos várias passagens nabíblia sobre o uso do teatro como mensagem de Deus
ao Homem ( os profetas falavam em enecenações Jeremias, Ezequiel... ) o próprio
Cristo em parábolas, temos sim que abrir nossas cabeças para o bom e agrádavel
aos olhos do Senhor . Muitos cultos apregação também fogem a " palavra para
proferir a palavra humana, para agradar a homens ou atacar homens... O grande
Paulo , afirmava que me fiz ... para ganhar , temos que estar atentaos para
contextualização e não mundanização .... mas temso que tomar muito cuidado para
não nos tornarmos legalistas..

abraços Pb Marcos

Título: o &c  


Enviado por: o    +  em 2&*&((

2 Timóteo 4:2 % %3  #% 3 


   %   I    
 

Paulo conhecia muito bem o teatro grego e romano, mas não há


razões para usá-los.

A pregação exige homilética, hermeneutica -- exegese, contexto,


história, gramática, enfim. -- O teatro é uma fumaça!

A fé vem pelo ouvir da pregação.

O teatro não prega, encena.

Se a pregação foge da verdade o problema é do pregador com Deus.

Ser bíblico não pode ser sinônimo de legalismo.

O teatro pode até comover, mas não move. O Espírito Santo atua em
harmonia com as Escrituras.

Neemias 8:3 E leu no livro, diante da praça, que está fronteira à


Porta das Águas, desde a alva até ao meio -dia, perante homens e
mulheres e os que podiam entender; e todo o povo tinha os ouvidos
atentos ao Livro da Lei.
Neemias 8:5 Esdras abriu o livro à vista de todo o povo, porque
estava acima dele; abrindo-o ele, todo o povo se pôs em pé.
' )&)/  /     
 I%2!    3     3  
Neemias 8:18 Dia após dia, leu Esdras no Livro da Lei de Deus,
desde o primeiro dia até ao último; e celebraram a festa por sete
dias; no oitavo dia, houve uma assembléia solene, segundo o
prescrito.

A Lei não foi somente lida, mas também explicada para garantir a
compreensão do significado. Há uma necessidade de uma exposição
fiel das Escrituras por parte de pessoas aptas para isso.

Efésios 4:11        %%  


%%,  %    %% 
  

Poucos versículos após, no mesmo contexto, está escrito:

14 %3    #     


%    %   
%  ?? % > 3  + 


Esdras, Neemias e Paulo não deixaram nenhum vestígio pedagógico


teatral.

Título: o &c  


Enviado por: o    +  em 2&)&*(

No tempo da Igreja Primitiva havia conhecimento do teatro grego e


romano, e a Igreja não abraçou a ideia, pois considerava uma ideia
pagã. Não há referências de teatro cristão por muitos séculos até a
Igreja Medieval papista. Onde se propagou a ideia pedagógica da
paixão de Cristo. Padres e monges romanistas encenavam a paixão
para a massa analfabeta. Mas a partir da Reforma, graças a Deus, o
teatro medieval perdeu a força. A Reforma trouxe Bíblia impressa ao
povo e alfabetização (escolas).

Não é a toa que o teatro retornou, agora, nas igrejas evangélicas e


grupos evangelísticos, estamos viv endo novamente um tipo de
medievalismo. O povo cada vez lê menos e há mais superstições,
paganismo e idolatria no evangelicalismo contemporaneo.

Título: o &c  


Enviado por: o    +  em )&&

'     7D  2! 


,  8? D

(http://www.flickr.com/photos/4599390481_8139900c2a.jpg)

Quem quiser provar que teatro é bíblico por favor demonstre.


Título: o &c  
Enviado por: '  em )&5&*

Raniere, essa foto que você mostrou não está parecendo a "oração do
pecador"?

Eu imagino esses jovens chegando nesse senhor e dizendo "o senhor


quer fazer uma oração para Jesus entrar no seu coração?" :-\

e chamam isso de evangelismo é porque não sabem o que é o


Evangelho.

Título: o &c  


Enviado por: o    +  em (&4&(4

E Paulo NÃO disse em Romanos 10.14:

Como, porém, invocarão aquele em quem não creram? E como crerão


naquele de quem nada ouviram? E como ouv irão, se não há quem
pregue?       ?8 ?<

Imagine Paulo dizendo a Timóteo:

"Timóteo, meu filho, faça teatro, pois a letra mata e te faz delirar,
faça teatro, em tempo e fora de tempo, as pessoas entenderão
melhor e você fará muitos discípulos" (Versão BNLI - Bíblia na
Linguagem dos Ímpios).

Título: o &c  


Enviado por: o    +  em (&*5&

E Paulo não disse:

A fé vem pela pregação, e a pregação, pelo teatrinho!

Título: o &c  


Enviado por: o    +  em *&*&*

Um dos argumentos dos defensores do teatro religioso é que Cristo


ensinava por parábolas, será que é bem assim? Vejamos um texto
teológico que desfaz esse argumento:
A   % 2 

O uso de estórias é amiúde recomendado na pregação por duas


razões: tornar a mensagem mais acessível e segurar a atenção e
interesse da audiência. Posto que estaremos em breve tratando da
alegada necessidade de fazer com que os sermões fiquem
interessantes, aqui nos dirigiremos somente à primeira razão,
mormente demonstrando que estórias muitas vezes impedem a
comunicação.

[...]

A Bíblia contém estórias que não contradizem o exposto acima,


conquanto muito do que nela está deva ser apropriadam ente
chamado de história, não de estórias. A questão é o papel das
narrativas na pregação. Como será provado pela Escritura dentro em
pouco, % 2    I%  F7%
       % 2  
   %%  Na pregação nós
expomos a revelação verbal de Deus, em vez de seguir a forma de
apresentação daquela. Só porque a Bíblia contém muitos poemas,
provérbios e salmos não significa que o ministro deva pregar nessas
formas literárias.

Marcos 4.33 pode parecer a alguns inconsistente com o que tem sido
dito até aqui com respeito às estórias: ³Com muitas parábolas
semelhantes Jesus lhes anunciava a palavra, tanto quanto podiam
receber´. O versículo faz-nos reconhecer que há um sentido no qual
as parábolas podem ser entendidas sem explicação extensa, mas
falta ver que sentido é esse.

Primeiro, devemos ler tanto o versículo 33 como o 34: ³Com muitas


parábolas semelhantes Jesus lhes anunciava a palavra, tanto quanto
podiam receber. Não lhes dizia nada sem usar alguma parábola.
Quando, porém, estava a sós com os seus discípulos, explicava -lhes
tudo´. De cara podemos concluir que as multidões não entendiam
tudo o que podia ser inferido das parábolas dele, senão ele não as
precisaria explicar aos seus discípulos. Jesus fala em parábolas às
multidões, que podiam entendê-las num certo sentido, contudo,
depois ele se voltava para os seus discípulos e as explicava em
particular, de maneira que o último grupo podia entendê -las num
sentido ou numa dimensão não aplicável àquelas.

Muitos comentaristas são tão ávidos em asseverar que Jesus deseja


que as multidões compreendam o que ele diz, todavia, a exegese
deles de Marcos 4.33 não consegue levar em conta o versículo 34 e
outras passagens que negam que as parábolas fossem fáceis de
entender. Larry Hurtado relega Marcos 4.12 e 33 a algum tipo de
³ironia profética´. Matthew Henry é melhor: ³« ele buscou suas
comparações daquelas coisas que eram familiares a eles... em
condescendência à capa cidade deles; contudo, ele não os conduziu
ao mistério das parábolas...´.

John Gill observa que Jesus ³condescendeu com a fraqueza deles,


acomodou-se às capacidades deles... fez uso das símiles mais
simples; e tomou suas comparações das coisas mais conhec idas e
óbvias na natureza´. Entretanto, ³falou a palavra a eles em
parábolas, como se fossem capazes de ouvir, mas sem que esses as
entendessem; e desse jeito, com o propósito de que não pudessem
entender´. %8      % 
 ,        %  % 
      

Mateus 13.1-23 segue o mesmo padrão ² Jesus conta a parábola do


semeador nos versículos 3 -9 e explica o significado dela aos
discípulos nos versículos 18 -23. No versículo 10, eles perguntam a
Jesus: ³Por que falas ao povo por parábolas?´ Em vez de dizer que as
parábolas são conducentes para o entendimento, Jesus responde: ³A
vocês foi dado o conhecimento dos mistérios do Reino dos céus, 
   ... Por essa razão eu lhes falo por parábolas: µPorque
vendo, eles não veem e, ouvindo, não ouvem nem entendem¶. Neles
se cumpre a profecia de Isaías: µAinda que estejam sempre ouvindo,
vocês nunca entenderão; ainda que estejam sempre vendo, jamais
perceberão¶´ (vv. 11,13-14).

Seja qual fosse o entendimento que as multidões podiam receber, as


parábolas tinham a intenção de ocultar delas ³o conhecimento dos
mistérios do Reino dos céus´. Tal entendimento é dado somente
àqueles a quem Cristo escolhe concedê -lo. À luz disso, Marcos 4.33
apenas quer dizer que as multidões eram capazes de compreender o
superficial das parábolas e, no máximo, alguns princípios
elementares.

Elas estão aptas a entender as próprias estórias literais, porém, não


notam todas ou a maioria das verdades teológicas que elas querem
comunicar. Um entendimento mais completo foi dado aos discípulos
em privado mediante explicações claras. Por exemplo, a audiência
geral pode ter entendido que o semeador semeou as sementes no
solo, mas somente umas poucas p essoas receberam a interpretação
de que isso significa o ministro pregar a palavra de Deus. Não
obstante, alguns são capazes de compreender em maior grau as
parábolas quando as insinuações são por demais óbvias: ³Quando os
chefes dos sacerdotes e os farise us ouviram as parábolas de Jesus,
compreenderam que ele falava a respeito deles´ (Mateus 21.45).

Entre as obras contemporâneas, um parecer superior sobre Marcos


4.33 é o seguinte: ³Havia um velamento (ou desvelamento muito
parcial) diante das multidões e um desvelamento (mas somente
entendimento parcial) aos discípulos. Esse é o padrão ilustrado no
capítulo 4 e presumido por todo o evangelho de Marcos´. Outro
estudioso observa que ³... a parábola é um enigma... velando o
entendimento deles como a Escritura tinha profetizado... A eles Jesus
permaneceu um enigma provocativo...´.

As parábolas são em geral difíceis de entender, mas as multidões


conseguem deduzir algumas ideias básicas delas. Por outro lado, os
discípulos recebem instruções diretas, contudo, a inaptidão espiritual
deles os obsta do entendimento pleno do que Jesus disse. Só essa
interpretação explica todos os dados bíblicos sobre o assunto, ao
passo que as outras não conseguem levar em conta a afirmação de
Jesus de que as parábolas tinham o objet ivo explícito de impedir a
iluminação espiritual.

[...]

Explicando a morte sacrificial do Messias aos seus discípulos abatidos,


Jesus, no estado pós-ressurreição (Lucas 24.17), prova a proposição
³o Cristo [tinha que] sofrer estas coisas, para entrar na sua glória´
(v. 26),  %       2!  % 
%  J-9FKF/"  % &
L 2% 1 %,  I% M? 
3  %     N(v. 27).

O versículo 45 diz: ³Então ele lhes abriu o entendimento, para que


pudessem compreender as Escrituras´. $   
3 <    ,7   #  
     %  % 1 
 3       + %  9  
% 2  %    %  8 
%    O        
   , I   1 ? %
I :P

O %      +   2 


  1 +1   ,   
      1 3  
     2   .3   1
   ,    , 2  
 % 2    %  1
  2 3 1%    
 1  8Qc9 ? P
Logo, o fato de que a Bíblia contém muitas narrativas não significa
que devemos adotar um tal procedimento em nossa pregação;
apenas significa que devemos prelecionar sobre o significado dessas
estórias. Os apóstolos prelecionaram e escreveram de maneira clara
sobre o significado e as implicações das narrativas bíblicas, e também
expuseram sobre novas revelações dadas a eles através de inspiração
especial;    +      %
  7

Sabe-se que o Apocalipse foi escrito pelo apóstolo João e está cheio
de elementos figurados. Quanta gente o entende? Se um ministro
prega sobre o Apocalipse, ele deve dar explicações claras e literais de
suas passagens, não de usar um apocalipse para explicar outro.

Por outro lado, os apóstolos disseram a Jesus que o mero discurso é


mais fácil de entender do que as estórias, parábolas e figuras de
linguagem (João 16.29,30). Portanto, apesar de Jesus ter suas
próprias razões para empregar parábolas, se um orador quer
realmente ser entendido, deve limitar seu uso de estórias.
Certamente ele deve expor sobre as narrativas e parábolas bíblicas e
até mesmo sobre os apocalipses de Daniel e João, mas isso utilizando
prédica clara para explicar as estórias e figuras de linguagem,  
  % I%  

Trechos do livro O Ministério da Palavra, Vincent Cheung, Ed.


Monergismo (lançamento).

Mas... alguém ainda vai dizer... "mas é uma questão cultural e


didática"... ;) ;D

Título: o &c  


Enviado por: o    +  em *&*)&(5

Será que a intenção do teatro é ocultar o conhecimento?

Powered by SMF 1.1.10 | SMF © 2006-2009, Simple Machines LLC


p