Vous êtes sur la page 1sur 6

Estruturas Pedagógicas

Área disciplinar de Biologia e Geologia


Ano Letivo 2017 / 2018
Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares
Direção de Serviços da Região Centro

Ficha de Trabalho de Biologia e Geologia – 10º ano Junho / 2018

Nas respostas aos itens de escolha múltipla, selecione a opção que completa corretamente a afirmação ou a opção que
contém os termos que completam corretamente os espaços em branco na afirmação.

Grupo I
1 - A figura 1 representa uma reação da planta da videira ao contacto com uma superfície.

Esse tipo de movimento como reação das plantas é


conhecido como...
A. gravitropismo.
B. fototropismo.
C. quimiotropismo.
D. fotonastia.
E. tigmotropismo.

Fig. 1

2 - Os tropismos observados em plantas superiores são crescimentos induzidos por hormonas vegetais e direcionados por
influência de fatores ambientais. A curvatura do caule em direção à luz e da raiz em direção ao solo são exemplos típicos de
fototropismo e gravitropismo ou geotropismo positivos, respetivamente. Tais movimentos ocorrem como resultado da
concentração diferencial de fito-hormonas como as ______nas diferentes estruturas da planta.
Um teor mais elevado desta fito-hormona, no caule, _________ o crescimento celular, o qual_____ a curvatura do
caule em direção à luz.
A. citoquininas (…) promove (…) induz D. auxinas (…) bloqueia (…) inibe
B. auxina (…) induz (…) provoca E. citoquininas (…) impede (…) bloqueia
C. giberelinas (…) inibe (…) impede

3 - Selecione a alternativa que avalia corretamente as seguintes afirmações relativas à hormona auxina.
I. É produzida principalmente no meristema apical da raiz.
II. O seu principal efeito é promover o crescimento das raízes e dos caules.
III. Inibe o desenvolvimento das gemas laterais.
IV. Estimula o crescimento e amadurecimento dos frutos.
V. Promove a dominância apical.

A. As afirmações I, II, III e V são verdadeiras e a IV é falsa.


B. As afirmações I, III e IV são verdadeiras e as II e V são falsas.
C. As afirmações III e IV são verdadeiras e as I, II e V são falsas.
D. As afirmações II, III, IV e V são verdadeiras e a I é falsa.
E. As afirmações I, III e V são verdadeiras e as II e IV são falsas.

4 - Para se obter a ramificação do caule de uma planta, como a azália por exemplo, deve-se…
A. aplicar adubo com alto teor de fosfato na planta, de modo a estimular a síntese de clorofila e maior produção de
ramos.
B. aplicar hormona auxina nas gemas laterais, de modo a estimular o seu desenvolvimento e consequente produção
de ramos laterais.
C. manter a planta por algum tempo no escuro, de modo a estimular a produção de gás etileno, um indutor de
crescimento caulinar.
D. cortar as pontas dos ramos, de modo a eliminar as gemas apicais que produzem auxinas que são hormonas
inibidoras do desenvolvimento das gemas laterais.
E. cortar as pontas das raízes, de modo a evitar o seu desenvolvimento e permitir um maior crescimento das outras
partes da planta.
5 - Classifique as afirmações seguintes, relativas a hormonas vegetais, como verdadeiras (V) ou falsas (F).
____ A. O etileno é uma hormona encontrada em todas as partes do vegetal, principalmente no ápice da raiz. Esta hormona
inibe a multiplicação e o crescimento das células, estimula a dormência de gemas e sementes e promove a abscisão de
folhas, flores e frutos.
____ B. As citoquininas são hormonas responsáveis pela multiplicação celular, retardam a abscisão e promovem o
desenvolvimento de gemas laterais.
____ C. As giberelinas são hormonas presentes em quase todos os órgãos das plantas, sendo mais abundantes nas sementes
jovens. São responsáveis pelo alongamento do caule, crescimento das folhas, floração, desenvolvimento dos frutos e
interrupção da dormência.
____ D. O ácido abscísico é responsável pelo amadurecimento e pela abscisão dos frutos, além de promover a floração e a
abscisão de folhas e flores.
____ E. O ácido abscísico inibe a germinação das sementes e o desenvolvimento das gemas laterais.

6 - Para se fazer uma cerca viva podam-se os ápices das plantas. Esta técnica, desenvolvida pelos agricultores muito antes de
se conhecer as hormonas vegetais, consiste em ...
A. impedir a produção de auxinas pelas gemas apicais, que inibem o desenvolvimento das gemas laterais.
B. estimular a dormência das gemas laterais.
C. estimular a produção de auxina para manter a dominância apical.
D. impedir a quebra da dormência das gemas laterais.
E. estimular a dominância apical.

7 - De entre as hormonas vegetais conhecidas, o etileno é uma das principais responsáveis pelo amadurecimento dos frutos.
Para evitar que os frutos amadureçam durante o transporte, um produtor que queira exportar bananas para outro local
distante, deve...
A. transportá-los em carros frigoríficos com baixas temperaturas e altas concentrações de CO 2.
B. transportá-los sob efeito de temperaturas elevadas e com altas concentrações de O 2.
C. diminuir a concentração de CO2 no interior dos carros frigoríficos.
D. manter os veículos de transporte à temperatura ambiente.
E. colocar alguns frutos já maduros entre os outros ainda verdes.

8 - O crescimento e o desenvolvimento das plantas são controlados por interações de fatores externos e internos. Entre
esses fatores internos, destacam-se as
hormonas vegetais, em especial, as auxinas. O
gráfico da figura 2 ilustra a influência da
concentração de auxinas no crescimento de
diferentes partes das plantas.

Fig. 2

Com base na análise do gráfico e considerando o mecanismo de ação das auxinas, classifique, como verdadeira (V) ou falsa
(F), as afirmações seguintes.
____ A. Na concentração II de auxinas ocorre o aumento máximo do tamanho das raízes.
____ B. Na concentração IV o desenvolvimento das gemas é estimulado.
____ C. As auxinas, quando em altas concentrações, pode ser usada como herbicida.
____ D. O aumento da concentração das auxinas, a partir do ponto I, estimula o crescimento da planta, sendo V o valor da
concentração ótima para o crescimento máximo.

9 - Um agricultor impediu a polinização de um pessegueiro e, de seguida, aplicou sobre os estigmas das flores uma pasta de
lanolina misturada com auxinas e giberelinas. Após algum tempo observou a...
A. formação de sementes sem embriões.
B. abscisão das flores.
C. formação de frutos normais com sementes.
D. formação de frutos sem sementes.
E. ausência de frutificação.
10 - A figura 3 representa três lotes de coleóptilos tratados diferentemente.

Fig. 3

Horas depois de preparada a experiência, comparam-se os coleóptilos dos lotes I e II aos do lote III. Os prováveis resultados
obtidos são:

Opção Lote I Lote II


A. Cessa o crescimento Crescimento igual ao do lote III
B. Cessa o crescimento Cessa o crescimento
C. Cresce e curva-se para a direita Cresce e curva-se para a direita
D. Cresce e curva-se para a direita Crescimento igual ao do lote III
E. Crescimento igual ao do lote III Cresce e curva-se para a direita

11 - Quando se poda uma roseira observa-se um rápido crescimento das gemas laterais para a formação de ramos
vegetativos. Isto ocorre porque as gemas laterais...
A. passam a produzir menos auxinas.
B. intensificam a produção de etileno e giberelinas.
C. recebem menos citoquininas.
D. passam a receber mais auxinas.
E. recebem menos auxinas.
12 - Sabe-se que as hormonas vegetais são substâncias orgânicas, simples ou complexas; que atuam em baixíssimas
concentrações estimulando, inibindo ou modificando, de algum modo, processos fisiológicos específicos; e que atuam à
distância, ou não, do seu local de síntese.
Estabeleça a correspondência correta entre as hormonas I, II. III, IV e V e as respetivas funções.
I. Auxina III. Ácido abscísico V. Citoquinina
II. Giberelina IV. Etileno

A. Crescimento celular e expansão dos gomos laterais


B. Amadurecimento de frutos
C. Estimulação da germinação de sementes
D. Alongamento de caule e tropismos
E. Inibição da germinação de sementes

13 - Desenvolvendo a parte experimental da sua experiência, um biólogo estudou a floração de diversas espécies, entre elas
o crisântemo (planta de dia curto - PDC) e a cevada (planta de dia longo – PDL). Após submeter as plantas a diferentes
intervalos de exposição à luz, o biólogo obteve os seguintes resultados:

Resposta de florescimento
PDC PDL
A Floresce Não Floresce
B Não Floresce Floresce
C Não Floresce Floresce
D Não Floresce Floresce
Fig. 4

Com base na análise dos resultados é correto afirmar-se que...


A. uma PDL, para florescer, precisa de receber um fotoperíodo de luz maior em cada ciclo de 24 horas.
B. os crisântemos florescem quando submetidos a noites curtas.
C. a cevada floresce quando submetidas a noites longas.
D. uma PDC, para florescer, precisa de longos períodos de luz em cada ciclo de 24 horas.
E. uma PDC é uma planta de noite curta, enquanto que uma PDL é uma planta de noite longa.

14 - A reação dos estomas ao ácido abscísico (ABA) pode ser descrita da seguinte forma: o ABA é transportado das raízes
para as folhas, via xilema, e um aumento do ABA é detetado pela membrana plasmática das células-guarda dos estomas,
provocando uma perda de turgescência e o fecho dos estomas.
Este processo ocorre quando há baixa disponibilidade de água no solo, que leva a uma alcalinização do pH da seiva bruta. O
pH mais alcalino da seiva bruta favorece um aumento de concentração de ABA. O aumento do sinal de ABA, junto das
células-guarda, inicia uma série de reações, que passam pelo aumento da concentração de Ca 2+ no citoplasma das células-
guarda que provoca a inativação do transporte ativo de protões (H +) para o exterior das células-guarda e de iões potássio
(K+) para o seu interior. Esta inativação leva a uma redução do potencial osmótico e à perda de turgescência destas células
com um consequente aumento do potencial hídrico das células vizinhas.

14.1 - Quando a seiva bruta apresenta um pH alcalino, os iões K + atravessam a membrana das células-guarda para o seu
____ por ____. Com a perda de turgidez das células-guarda, o seu potencial hídrico _____e a pressão osmótica______
A. exterior (…) transporte ativo (…) diminui (…) aumenta.
B. exterior (…) difusão (…) diminui (…) aumenta.
C. exterior (…) difusão (…) aumenta (…) aumenta.
D. interior (…) difusão (…) aumenta (…) diminui.
E. interior (…) difusão (…) diminui (…) aumenta.

14.2 - Explique a vantagem da pulverização de plantas com ABA em situações de seca prolongada.

Grupo II
(Extraído e adaptado do Exame Nacional de Biologia e Geologia, 1ª fase, 2016)
As auxinas são fito-hormonas responsáveis pelo crescimento das
plantas, sintetizadas preferencialmente nos ápices caulinares. Estas
fito-hormonas estão envolvidas no aumento de plasticidade da
parede celular e na subsequente deposição de materiais, que leva à
expansão das células vegetais. As auxinas induzem o aumento da
concentração de H+ na parede celular, que promove a separação das
fibras de celulose e a inclusão de novos polímeros; seguidamente,
as células absorvem água, o que faz aumentar o seu comprimento,
levando a um alongamento dos tecidos.
Em 1926, Frits Went conseguiu demonstrar experimentalmente os
efeitos de uma substância, a que deu o nome de auxina, no
crescimento de coleóptilos1de Avena sativa, na ausência de luz.
A Figura 5 traduz esquematicamente parte do procedimento
experimental seguido por Frits Went e os resultados que obteve.

Baseado em R. Moore et al., Botany, 2.ª ed., New York, McGraw-Hill, 1998

Nota: 1 Coleóptilo – estrutura de proteção das primeiras folhas,


resultante da germinação das cariopses («sementes») das
gramíneas.
2
Ágar – substância utilizada para tornar os meios de cultura
gelatinosos.
Fig. 5

1 - Formule a hipótese que Frits Went pretendeu confirmar com a atividade experimental descrita.

2 - Para a validade da demonstração do efeito da auxina nesta experiência, foi fundamental


A. o recurso a coleóptilos de Avena sativa.
B. o uso de blocos de ágar impregnados com auxina.
C. a sua realização na ausência de luz.
D. a medição do alongamento das células do coleóptilo.

3 - Considere as seguintes afirmações referentes à osmose numa célula vegetal.


I) A entrada de água na célula deve-se ao facto de o meio intracelular estar hipotónico.
II) A entrada de água provoca um aumento da pressão de turgescência.
III) A entrada de água ocorre contra o gradiente de concentração de solutos.

A. II e III são verdadeiras; I é falsa. C. I e III são verdadeiras; II é falsa.


B. II é verdadeira; I e III são falsas. D. I é verdadeira; II e III são falsas.
4 - Os efeitos das auxinas
A. são independentes quer da concentração destas hormonas quer do local onde atuam.
B. são independentes da concentração destas hormonas, mas dependem do local onde atuam.
C. dependem da concentração destas hormonas e não dependem do local onde atuam.
D. dependem quer da concentração destas hormonas quer do local onde atuam.

5 - Indique como procederia para demonstrar experimentalmente que a curvatura do coleóptilo não se deveu à ação do
ágar, tendo como referência a situação experimental apresentada.

PROPOSTA DE CORREÇÃO

Grupo I
1 - Opção E. 2 - Opção B. 3 - Opção E.
4 - Opção D.
5 - A - F; B - V; C - V; D - F; E - V.
6 - Opção A. 7- Opção A.
8 - A - V; B - F; C - V; D – F.
9 - Opção D. 10 - Opção D. 11- Opção E. 12. A-V; B-IV; C-II; D-I; E-III. 13- Opção A

14) 14.1- Opção B.


14.2- Tópicos de resposta:
- Em situações de secas prolongadas a disponibilidade de água nos solos é muito baixa e por isso, não é resposta a água
perdida por transpiração.
- A pulverização das plantas com ABA vai provocar o fecho dos estomas e, por isso, menor quantidade de água será perdida
por transpiração havendo apenas perdas pela cutícula.
- As menores perdas de água protegem a planta da desidratação em caso de seca.

Grupo II
1 - A curvatura (ou o alongamento, ou o crescimento) do coleóptilo (ou das células ou dos tecidos do coleóptilo) resulta da
influência de uma substância (ou de uma hormona ou da auxina) produzida no ápice.
2 - Opção C
3 - Opção A.
4 - Opção D.
8 - Tópicos de resposta
• referência à utilização de ágar que não tenha estado em contacto com o ápice de um coleóptilo
OU
referência à destruição (ou à inibição) da auxina produzida nos ápices;
• referência à colocação do bloco de ágar num coleóptilo sem ápice.
OU
• referência à remoção do ápice do coleóptilo;
• referência à recolocação do ápice do coleóptilo.
OU
• referência à extração da auxina do ápice;
• referência à injeção posterior de auxina num coleóptilo sem ápice.
OU
• referência à utilização de uma substância permeável (ou gelatinosa) distinta do ágar e que tenha estado em contacto com
o ápice do coleóptilo;
• referência à colocação posterior dessa substância num coleóptilo sem ápice