Vous êtes sur la page 1sur 42

//primeira palavra

MATEUS E O SERMÃO DO MONTE

U
ma leitura do Evangelho de Mateus denuncia
que seu principal propósito é apresentar Jesus
como o Messias prometido de Deus para o seu
povo. Além disso, demonstra que esse Messias
deu continuidade à história de Israel, mas uma continui-
dade diferente, em que Israel não era mais o centro do
reino de Deus e, sim, o próprio Jesus.

Ser povo de Deus, a partir do evento Jesus, não é mais


uma questão de sangue, mas de rendição ao propósito
redentor de Deus.

O Evangelho de Mateus deseja demonstrar a verdadei-


ra relação entre os cristãos e os judeus. Neste caso, Je-
sus se tornou o cumprimento completo da lei do Antigo
Testamento.

Esse Evangelho, mais do que qualquer outro, teve uma


utilidade clara e distinta na igreja onde surgiu, sendo utili-
zado como manual de instrução para discipular os novos
crentes. Mateus foi também usado como instrumento de
defesa, diante das acusações dos judeus, além de servir
como fonte de leitura no culto regular, fazendo as vezes
de ferramenta litúrgica.

É neste contexto que se insere o grande Sermão do Mon-


te. Por meio dele é possível acessar de forma rápida os
principais aspectos da mensagem de Jesus. Ao registrá-
lo, Mateus oferece um verdadeiro manual de vida cristã
para as igrejas que nasceriam pelo decorrer dos séculos.

Um bom período de estudos.

//ALUNO .1

Atitude Aluno 3T17_CORR 170417.indd 1 18/04/2017 16:34:01


//primeira palavra

MATEUS E O SERMÃO DO MONTE

U
ma leitura do Evangelho de Mateus denuncia
que seu principal propósito é apresentar Jesus
como o Messias prometido de Deus para o seu
povo. Além disso, demonstra que esse Messias
deu continuidade à história de Israel, mas uma continui-
dade diferente, em que Israel não era mais o centro do
reino de Deus e, sim, o próprio Jesus.

Ser povo de Deus, a partir do evento Jesus, não é mais


uma questão de sangue, mas de rendição ao propósito
redentor de Deus.

O Evangelho de Mateus deseja demonstrar a verdadei-


ra relação entre os cristãos e os judeus. Neste caso, Je-
sus se tornou o cumprimento completo da lei do Antigo
Testamento.

Esse Evangelho, mais do que qualquer outro, teve uma


utilidade clara e distinta na igreja onde surgiu, sendo utili-
zado como manual de instrução para discipular os novos
crentes. Mateus foi também usado como instrumento de
defesa, diante das acusações dos judeus, além de servir
como fonte de leitura no culto regular, fazendo as vezes
de ferramenta litúrgica.

É neste contexto que se insere o grande Sermão do Mon-


te. Por meio dele é possível acessar de forma rápida os
principais aspectos da mensagem de Jesus. Ao registrá-
lo, Mateus oferece um verdadeiro manual de vida cristã
para as igrejas que nasceriam pelo decorrer dos séculos.

Um bom período de estudos.

//ALUNO .1

Atitude Aluno 3T17_CORR 170417.indd 1 18/04/2017 16:34:01


ISSN 1984-8633

LITERATURA BATISTA
ANO CXI – NO 443

Atitude Aluno é uma revista que destina-se


aos jovens (18 a 35 anos), contendo lições
para a Escola Bíblica Dominical, artigos gerais,
passatempos bíblicos e outras matérias que
promovem o aperfeiçoamento do jovem nas
mais diferentes áreas AUTOR DOS
ESTUDOS DA EBD
Copyright © Convicção Editora
Todos os direitos reservados Os estudos deste
Proibida a reprodução deste texto total ou
período foram
parcial por quaisquer meios (mecânicos, escritos pelo PR.
eletrônicos, fotográficos, gravação, estocagem LENILDO CIRNE DE
em banco de dados etc.), a não ser em breves MEDEIROS JÚNIOR. É
citações, com explícita informação da fonte
bacharel em teologia
Publicado com autorização pelo Seminário
por Convicção Editora Teológico Batista do
CNPJ (MF): 08.714.454/0001-36 Sul do Brasil e em
Endereços
Comunicação Social.
Caixa Postal, 13333 – CEP: 20270-972 É membro da PIB
Rio de Janeiro, RJ do Recreio, Rio de
Telegráfico – BATISTAS Janeiro, RJ.
Eletrônico – literatura@batistas.com

Editor
Sócrates Oliveira de Souza

Coordenação Editorial
Solange Cardoso de Abreu d’Almeida (RP/16897)

Redação
Valtair Afonso Miranda

Produção Editorial
Oliverartelucas NOTA DA REDAÇÃO
Produção e Distribuição
Os artigos assinados
Convicção Editora
são de inteira
Tel.: (21) 2157-5567
responsabilidade de seus
Rua José Higino, 416 – Prédio 16
Sala 2 – 10 Andar – Tijuca autores, não refletindo,
Rio de Janeiro, RJ necessariamente, as
CEP 20510-412 opiniões do corpo
literatura@conviccaoeditora.com.br redatorial da revista.

//ALUNO

Atitude Aluno 3T17_CORR 170417.indd 2 18/04/2017 16:34:02


//sumário

//EBD
LIÇÃO 1 – O caráter do cristão ................................................................................................... 9
LIÇÃO 2 – A diferença que o cristão faz .................................................................................... 14
LIÇÃO 3 – Cristo, a lei e o ódio ................................................................................................... 18
LIÇÃO 4 – Fidelidade e honestidade ......................................................................................... 22
LIÇÃO 5 – Vingança e amor ........................................................................................................ 27
LIÇÃO 6 – Uma vida cristã autêntica ......................................................................................... 31
LIÇÃO 7 – A oração cristã e sua prática .................................................................................... 35
LIÇÃO 8 – O perigo da ambição material ................................................................................. 40
LIÇÃO 9 – Confiando na direção de Deus ................................................................................ 44
LIÇÃO 10 – O cristão e a plenitude do reino ............................................................................ 48
LIÇÃO 11 – Cuidados necessários no viver cristão .................................................................. 52
LIÇÃO 12 – A persistência na oração ........................................................................................ 56
LIÇÃO 13 – As opções que a vida oferece ................................................................................ 60

//SEMPRE EM ATITUDE
Leitura bíblica ............................................................................................................................... 4
Tema da EBD ................................................................................................................................ 5
Encontro com a poesia ................................................................................................................ 86

//CRESCIMENTO JOVEM
Estudo bíblico – Esperança no limiar das trevas ...................................................................... 65
Sermão – Tenha bom ânimo ...................................................................................................... 76
Liderança jovem – Os dez mitos da carreira profissional ....................................................... 82
Para pensar – Não amar o mundo ............................................................................................ 92

//ALUNO .3

Atitude Aluno 3T17_CORR 170417.indd 3 18/04/2017 16:34:02


»LEITURA
BÍBLICA

Semana 1 Semana 2 Semana 3


SEG Mateus 5.1,2 SEG Mateus 5.13 SEG Mateus 5.17
TER Mateus 5.3,4 TER Mateus 5.14 TER Mateus 5.18
QUA Mateus 5.5,6 QUA Mateus 5.15 QUA Mateus 5.19
QUI Mateus 5.7,8 QUI Mateus 5.16 QUI Mateus 5.20
SEX Mateus 5.9,10 SEX Ezequiel 16.4 SEX Mateus 5.21
SÁB Mateus 5.11 SÁB João 3.19-21 SÁB Mateus 5.22
DOM Mateus 5.12 DOM João 8.12 DOM Mateus 5.23-26

Semana 4 Semana 5 Semana 6


SEG Mateus 5.27,28 SEG Mateus 5.38 SEG Mateus 6.1
TER Mateus 5.29 TER Mateus 5.39 TER Mateus 6.2
QUA Mateus 5.30 QUA Mateus 5.340 QUA Mateus 6.3
QUI Mateus 5.31,32 QUI Mateus 5.341 QUI Mateus 6.4
SEX Mateus 5.33 SEX Mateus 5.42 SEX Mateus 6.5
SÁB Mateus 5.34-36 SÁB Mateus 5.43-45 SÁB Mateus 6.6
DOM Mateus 5.37 DOM Mateus 5.46-48 DOM Mateus 6.16-18

Semana 7 Semana 8 Semana 9


SEG Mateus 6.5 SEG Mateus 6.19 SEG Mateus 6.25
TER Mateus 6.6 TER Mateus 6.20 TER Mateus 6.26
QUA Mateus 6.7 QUA Mateus 6. 21 QUA Mateus 6.27
QUI Mateus 6.8 QUI Mateus 6.22 QUI Mateus 6.28
SEX Mateus 6.9,10 SEX Mateus 6.23 SEX Mateus 6.29
SÁB Mateus 6.11-13 SÁB Mateus 7.6 SÁB Mateus 6.30
DOM Mateus 6.14,5 DOM Provérbios 6.9 DOM Filipenses 4.6,7

Semana 10 Semana 11 Semana 12 Semana 13


SEG Mateus 6.31 SEG Mateus 7.1 SEG Mateus 7.7 SEG Mateus 7.13
TER Mateus 6.32 TER Mateus 7.2 TER Mateus 7.8 TER Mateus 7.14
QUA Mateus 6.33 QUA Mateus 7.3 QUA Mateus 7.9 QUA Mateus 7.15
QUI Mateus 6.34 QUI Mateus 7.4 QUI Mateus 7.10 QUI Mateus 7.16-20
SEX João 16.33 SEX Mateus 7.5 SEX Mateus 7.11 SEX Mateus 7.21-23
SÁB Mateus 11.28 SÁB Mateus 7.6 SÁB Mateus 7.12 SÁB Mateus 7.24-27
DOM Salmo 55.6 Provérbios DOM Isaías 64.4 DOM Mateus 7.28,29
DOM
25.11

4. //ALUNO

Atitude Aluno 3T17_CORR 170417.indd 4 18/04/2017 16:34:03


//tema da EBD

SERMÃO DO MONTE
ORIENTAÇÕES ATUAIS PARA A VIDA CRISTÃ
Rogério Ferreira de Araújo
São Gonçalo, RJ

Quando estamos andando numa es- Mesmo alguns jovens que argumentam
trada, seja de carro ou mesmo a pé, que não gostam de ouvir sermão pre-
ninguém gosta muito das subidas. cisam parar extasiados diante da men-
Elas cansam e forçam até o automó- sagem do grande Mestre. Esse sermão
vel, dependendo de quão íngreme foi proclamado com amor a fim de nos
seja a subida. orientar para o exercício da vida cristã.
A vida cristã é de certa forma pare- Ele foi chamado Sermão da Montanha
cido com essa experiência: com mui- ou do Monte, como em algumas ver-
tas curvas e subidas vertiginosas. sões da Bíblia. Como o próprio nome
.13 Precisamos, seguindo a orientação diz, ele nos leva a “subir degrau por
.14 bíblica, estar alertas e vigilantes du- degrau” nos percalços da vida coti-
.15 rante todo o percurso, para evitar
.16-20
diana, na difícil tarefa de viver a vida
acidentes de caminhada. cristã num mundo decaído. É um
.21-23
.24-27 Jesus nos presenteou no Evangelho de prazer estudar essas exortações fei-
.28,29 Mateus uma das mais concisas e cla- tas pelo Mestre há tantos anos, mas
ras mensagens da Palavra do Deus. tão atuais.

//ALUNO .5

Atitude Aluno 3T17_CORR 170417.indd 5 18/04/2017 16:34:05


O Sermão do Monte e o Salmo 1 pos- estava anunciando não era deste
suem muito em comum se conside- mundo; segundo, a preocupação de
rarmos a mensagem transmitida e as Jesus sempre foi restabelecer a re-
características dos dois textos. lação dos homens e mulheres com
Deus.
A primeira leitura do Salmo 1 apre-
senta um padrão de conduta que O Sermão do Monte apresenta um
aparentemente é exigido de alguém padrão de conduta inatingível para o
que deseja ser bem-aventurado. Da ser humano porque Jesus apresenta
mesma forma, o Sermão do Monte aos seus ouvintes o espírito da lei.
que Jesus ensinou a seus discípulos Quanto mais alguém se aplica em
diante de uma grande multidão apre- cumpri-la, sempre estará aquém.
senta algumas características perti- Para complicar, se o ser humano tro-
nentes a quem é bem-aventurado. peçar em um único quesito, trope-
çará em toda a lei.
Jesus apresentou em seu discurso
um padrão de conduta muito alto, Além do obstáculo do espírito da lei,
até mesmo para quem estava acos- que é impossível satisfazer, a jus-
tumado a cumprir a Lei de Moisés. tiça, que é exigida dos seus ouvin-
tes, deveria ser maior do que a dos
Os ouvintes do Mestre estavam acos-
fariseus. Como conseguir esse feito?
tumados a ouvir: “Não matarás”, po-
A única justiça à altura de Deus é a
rém, Jesus completa: “(…) qualquer
justiça que vem dele por intermédio
que, sem motivo, se encolerizar con-
de Cristo.
tra o seu irmão, estará sujeito a julga-
mento” (Mt 5.22). Eles estavam acos- O Sermão do Monte serve para de-
tumados a ouvir: “Não adulterarás”, monstrar o quanto o ser humano
e Jesus complementa: “Qualquer que está fadado à derrota quando se
olhar para uma mulher com intenção utiliza da lei para alcançar a salva-
impura, no coração já cometeu adul- ção. Jesus é o caminho de acesso a
tério com ela” (Mt 5.28). Deus, ou melhor, é por intermédio
de Cristo que Deus procura a recon-
Jesus endureceu o seu discurso quan-
ciliação com o homem. Mas a perse-
to ao divórcio, aos juramentos, à
verança é mais que necessária para
retribuição da lei, ao amor aos ini-
manter-se nos caminhos que o Mes-
migos, à prática da justiça etc.
tre separou para cada um. Caso con-
O que Jesus queria evidenciar com o trário, ao primeiro sinal de proble-
seu discurso? Estava estabelecendo mas haverá desistência.
mais um código de ética? Queria um
O Sermão do Monte mostra com to-
novo padrão de conduta?
das as letras que, por meio da lei, o
Não. Jesus não estava estabelecendo ser humano não consegue salvar-se.
um código de conduta do seu reino. Para ser salvo, a pessoa precisa to-
Primeiro, porque o reino que Jesus mar a sua cruz e seguir atrás de Je-

6. //ALUNO

Atitude Aluno 3T17_CORR 170417.indd 6 18/04/2017 16:34:05


sus. Precisa se conformar com Cristo
na sua morte. E, ao ressurgir, será
uma nova criatura, gerada pelo Pai
celestial, em verdadeira justiça e san-
tidade.
A bem-aventurança não decorre do
suposto código de conduta que pen-
sam que o Sermão do Monte pro-
move. A bem-aventurança vem da
união com Cristo (Mt 5.10-11), pois
somente será perseguido aqueles
que são participantes do reino de
Jesus.
São bem-aventurados os que se tor-
naram filhos de Deus, uma vez que,
por meio de Cristo, a pessoa obtém a
paz que excede a todo entendimento
(Mt 5.9). A paz que Jesus faz referên-
cia não é a politicamente correta, a
paz que muitos desejam no mundo.
É a paz entre o ser humano e Deus,
quando a inimizade é cessada.
São bem-aventurados aqueles que
podem ver Deus: somente os nasci-
dos de novo têm coração puro, que
decorre da nova natureza e vida con-
cedida por Deus (Mt 5.8).
São bem-aventurados os misericor-
diosos, os famintos, os mansos, os
que choram e os pobres. Em mo-
mento algum Jesus estipula que para
ser salvo alguém precisa cumprir os
parâmetros exigidos pela lei.
Aqueles que estão em Cristo jamais
andarão segundo o conselho dos ím-
pios. Por quê? Porque um é o cami-
nho dos ímpios e outro é o caminho
dos justos. Isto não quer dizer que os
justos estarão isolados ou que é ne-
cessário isolar-se do mundo.

//ALUNO .7

Atitude Aluno 3T17_CORR 170417.indd 7 18/04/2017 16:34:08


Quem crê entra pela porta que é abençoada e feliz se seguirmos as
Cristo. Está em um caminho que devidas regras da fé em nosso Se-
leva a Deus. O caminho do justo ja- nhor e Salvador Jesus Cristo.
mais cruzará o caminho dos ímpios.
O sermão parece passear de forma
Estes dois caminhos estão em dire-
panorâmica, mas nem por isso su-
ções opostas. O caminho do justo é
perficial, sobre diversos aspectos da
conhecido pelo Senhor, que livra o
vida que nos pega, constantemente,
ser humano de toda condenação. O
de surpresa. É algo complexo ser um
caminho dos ímpios conduz ao juízo
servo fiel ao Mestre, tendo em vista
das obras, em que todos quantos fo-
as diversidades que passamos e os
rem apresentados estarão condena-
que estão a nossa volta.
dos desde a queda de Adão.
O sermão fala sobre o amor de Deus
O cuidado que devemos ter ao ex-
por nós, como um pai amoroso que
por o conteúdo do Salmo 1 e do Ser-
não nos dará pedra (Mt 7.9) nem
mão do Monte é o de não instituir
serpente (Mt 7.10) se pedirmos pão
padrões de conduta. Precisamos ex-
(Mt 7.7) ou peixe (Mt 7.10); que de-
por o cuidado de Deus para com to-
seja que amemos o próximo de ver-
das as pessoas.
dade e não sejamos egoístas, mas
O padrão que Paulo instituiu é bem misericordiosos (Mt 5.7), não julgar
claro: “Portai-vos de modo que não os outros sem olhar antes para o que
deis escândalo nem aos judeus, nem fazemos (Mt 7.2), caso contrário po-
aos gregos, nem à igreja de Deus” (1Co deremos ser julgados também. En-
10.32). Desde que os cristãos cum- fim, um verdadeiro aprendizado para
pram com as suas obrigações legais a vida cristã que Jesus nos presenteia
na sociedade e tenham um padrão de nesse período. Leia, estude e, acima
conduta apropriado à sociedade na de tudo, viva o que estudou para que
qual está inserido, não devemos im- haja profundas mudanças em sua
por regras, com o risco de estar pri- vida como um todo e não apenas de
vando alguém da graça de Cristo. palavras nem de pensamentos.
O Sermão do Monte nos faz apren- Boa leitura e bom estudo do Sermão
der a seguir os passos do Mestre e do Monte. As palavras dessa passa-
suas orientações ali descritas. Tudo gem da Bíblia podem não ter sido es-
parece ser escrito para nós e não critas exclusivamente para você, mas
para os povos daquela época. É algo bem que poderiam. Elas são atuais
impressionante. A atualidade das pa- e perfeitas para o que precisamos
lavras de Jesus é algo que deve per- para uma vida mais íntegra e sob a
mear nossa vida e estar em nossos graça do Senhor.
corações.
Por essas e outras razões, aproveite
Cristo nos convida a subir por essa cada pedacinho dessa porção do
montanha junto com ele e vislum- grande banquete que é o estudo da
brar o quanto a vida cristã pode ser Bíblia.
8. //ALUNO

Atitude Aluno 3T17_CORR 170417.indd 8 18/04/2017 16:34:08


1
//EBD

L I Ç Ã O

O CARÁTER
DO CRISTÃO TEXTO BÍBLICO

MATEUS 5.1-12

TEXTO ÁUREO

MATEUS 5.12
»PRA COMEÇAR

O que é ser cristão no mundo de hoje? Quais os fundamentos


para um jovem saber o que é certo e o que é errado nas escolhas
que tem que fazer, nas importantes decisões a tomar, durante
toda a sua caminhada pela vida? Como descobrir o melhor ca-
minho a seguir? Caminho que nem sempre é o mais curto, mas
que tem o alvo mais recompensador?
Estudar o Sermão do Monte é uma fonte cristã e bíblica, con-
densada, didática, atemporal e inesgotável de respostas para
perguntas assim. Por isso, nesta série de estudos bíblicos, va-
mos percorrê-lo com toda a atenção, sempre buscando enten-
der suas lições mais importantes para o seguidor de Jesus nos
tempos atuais.

//ALUNO .9

Atitude Aluno 3T17_CORR 170417.indd 9 18/04/2017 16:34:08


{}
»COMENTANDO
O TEXTO BÍBLICO

O QUE É SER BEM-AVENTURADO? O orgulhoso, o arrogante, o prepo-


tente e presunçoso não consegue
Ser bem-aventurado é ser feliz de
reconhecer sua dependência de
verdade, de uma forma completa,
Deus; sempre acha que sua capaci-
porém, não egoísta ou ensimesma-
dade é que vai levá-lo aonde quer.
da. A felicidade plena inclui a depen-
Mas aquele que confia única e exclu-
dência total de Deus, a realização de
sivamente em Deus para tudo, mes-
sua vontade, o bem do próximo e a
mo tendo consciência de seu valor
capacidade de alegrar-se e ter paz,
e não desprezando suas qualidades
em meio a toda e qualquer situação,
e dons, que recebeu naturalmente
independentemente das circunstân-
de Deus, este será abençoado com
cias, sejam elas positivas ou nega-
a verdadeira felicidade. O jovem que
tivas, contenham acontecimentos
se apropria desta verdade pratica a
agradáveis ou trágicos.
humildade e sempre reconhece a
O estado de bem-aventurança é co- mão de Deus nos resultados e con-
mo alcançar o próximo nível da vi- quistas de sua vida. É feliz pois se
da cristã. É realizar de fato todo o garante em Deus pra tudo na vida.
potencial da espiritualidade bíbli-
ca genuína, na prática da vida diá-
ria, tanto em relação a você mesmo, OS QUE CHORAM
quanto ao próximo e às coisas ma- Uma aparente contradição, não
teriais ao seu redor. é? Mas é possível explicar por que
quem recebe o consolo efetivo e
eficaz de Cristo é aquele que chora.
OS HUMILDES DE ESPÍRITO
Nesta bem-aventurança, Jesus fala
A primeira bem-aventurança tem
de uma atitude espiritual, não dire-
como alvo estimular o discípulo a
tamente de uma prática ou expe-
não se garantir demais em si mes-
riência corporal. Nem sempre os
mo, nos seus recursos, aptidões, ca-
mencionados aqui derramam lá-
racterísticas, dons etc., mas confiar
grimas.
no poder e na orientação de Deus. A
tristeza, o fracasso e a solidão cons- O que na verdade experimentam é
tituem-se o resultado final da vida sua convicção de pecado, seu dis-
do que faz o contrário disso. tanciamento da vontade de Deus,

10. //ALUNO

Atitude Aluno 3T17_CORR 170417.indd 10 18/04/2017 16:34:08


dor não seja menor. Circunstâncias
e situações externas não podem de-
Circunstâncias e
terminar se alguém é feliz ou não. A
situações externas felicidade verdadeira está para além
não podem do que acontece ao redor. Não é rir
determinar se da desgraça, mas manter a sereni-
dade e a esperança mesmo na hora
alguém é feliz ou da pior dor que experimentar.
não. A felicidade
verdadeira está OS MANSOS
para além do que
Nesta parte, o que Jesus ensina é
acontece ao redor como tratar o outro e como rea-
gir durante o relacionamento com
as pessoas. Conflitos sempre acon-
e o que vem daí é força para buscar
tecem em relacionamentos inter-
o que quer o Senhor e uma conse-
pessoais, mas os que alcançam
quente gratidão pelo que Deus fez.
resultados positivos – “herdarão a
É um motor de vida cristã autêntica
terra” – são aqueles que passam
e tem como resultado uma alegria
por tais situações sem agressões
que vai além daquilo que o mundo
ou excessos, mas com mansidão.
oferece.
Isso não quer dizer falta de firmeza,
O versículo também deve ser aplica- mas apresentar sua posição e man-
do à necessidade de ter sensibilida- ter a harmonia e o equilíbrio, mes-
de com a dor alheia, com a situação mo sendo ofendido ou contrariado.
do mundo, dos seus irmãos e da A mansidão também é qualidade
sociedade em geral. Quem assim no relacionamento com Deus, pois
age alcança resultados espirituais faz a pessoa ter mais facilidade de
expressivos em seu serviço cristão submeter-se à vontade do Senhor.
onde estiver. Por fim, o texto leva a Paciência, bondade, longanimida-
pensar que o choro sempre virá pra de, caminhar a segunda milhar, são
qualquer um, mais dia menos dia. várias palavras e expressões na Bí-
Seja pelo motivo principal exposto blia que expressam essa realidade
acima, seja por uma situação adver- espiritual.
sa na vida.
Toda pessoa deve estar preparada OS QUE TÊM FOME E
para o choro e lembrar deste versí- SEDE DE JUSTIÇA
culo da Bíblia para ter a certeza de
que Deus a consolará. Motivo pelo As bem-aventuranças anteriores e o
qual conseguirá passar pelo “vale contexto do lugar onde Jesus estava
árido” com mais conforto, embora a ajudam a compreender melhor este

//ALUNO .11

Atitude Aluno 3T17_CORR 170417.indd 11 18/04/2017 16:34:08


versículo. Primeiro, porque quando
temos a humildade de reconhecer
que nada somos diante de Deus e
O que você quer
choramos, passando pelo equilíbrio de melhor pra sua
da mansidão, chegamos a ponto de vida deve ser o que
querer um mundo melhor e ir atrás
desse objetivo com intensidade. você quer para o
Esta forma intensa também é expli-
próximo. Busque
cada tanto pela situação socioeco- intensamente o
nômica da maioria da audiência de que é certo para
Jesus quanto pela aridez e falta de
água naquelas terras, o que facilita- agradar a Deus
va o entendimento das expressões e ao próximo
“fome e sede”. Quem passou por
estas duras experiências entende
que Jesus falava de algo fortíssimo,
intenso e arrasador. mesmo é o conceito-chave para o
Essa busca da justiça deve ser como entendimento da palavra justiça. O
a busca de saciar a pior fome e a que você quer de melhor pra sua
mais terrível sede. Deve nos mover vida deve ser o que você quer para
pela vida, entre as pessoas, sempre o próximo. Busque intensamente
buscando o benefício de todos. o que é certo para agradar a Deus
Assim, amar o próximo como a si e ao próximo. Você será saciado.

{} »A LIÇÃO
EM FOCO

Nesta passagem, Jesus ensina aos discípulos mais próximos, mais chega-
dos. Mas ele não deseja apenas que eles saibam o que é ser um seguidor
de Cristo ou o que é certo fazer em uma ou outra situação; ele quer mes-
mo é que o obedeçam.
O Sermão do Monte é popular, muitos conhecem e até gostam de ler este
texto bíblico. Mas tal popularidade e conhecimento nem sempre se tradu-
zem em prática e obediência.
Ainda mais que os mandamentos, princípios e diretrizes de vida ali relacio-
nados por Cristo revelam-se desafiadores ao extremo para qualquer pes-
12. //ALUNO

Atitude Aluno 3T17_CORR 170417.indd 12 18/04/2017 16:34:09


soa, mesmo para aquele mais fiel e comprometido com o seu Senhor. Há
até alguns que consideram o Sermão do Monte algo para ser tratado co-
mo referência inatingível.
O Sermão do Monte é mais que isso. É uma fonte de referência de vida pa-
ra ser colocada em prática. O que é ali descrito deve ser obedecido, deve
virar um estilo de vida, mas isso não vai acontecer da noite para o dia, nem
de uma década para outra.
O que Jesus nos ensina por meio dos conceitos, princípios e mandamentos
do Sermão do Monte fundamenta o caráter do cristão, é para ser feito re-
alidade na vida diária, gradualmente, com o apoio do Espírito Santo. Com
uma ressalva: é algo que vai acontecendo ao longo da vida. É um alvo atin-
gível na plenitude do Espírito e contando com a graça do Senhor que re-
nova-se a cada manhã. Sabendo sempre que, quando não conseguirmos,
Jesus é o nosso advogado junto ao Pai. E “se confessarmos os nossos pe-
cados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de to-
da a injustiça” (1Jo 1.9).

. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

»PRA TOMAR
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.

UMA ATITUDE
. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

As lições valiosas nas bem-aventuranças


de Jesus compõem um maravilhoso rotei-
ro do caráter cristão. Busque refletir sobre
o que significa cada uma delas. Se puder,
converse com outros jovens pessoalmente
e nas redes sociais: #AtitudeSermãodoMon-
te. Estude e procure praticar em sua vida,
um passo depois do outro, com o apoio do
Santo Espírito e confiança na graça do Se-
nhor Jesus.

//ALUNO .13

Atitude Aluno 3T17_CORR 170417.indd 13 18/04/2017 16:34:09


2
//EBD

L I Ç Ã O

TEXTO BÍBLICO

MATEUS 5.13-16
A DIFERENÇA QUE
TEXTO ÁUREO

MATEUS 5.16 O CRISTÃO FAZ


“As bem-aventuranças pintam um retrato compreensivo do dis-
cípulo cristão. Primeiro, vemo-lo de joelhos diante de Deus, re-
»PRA COMEÇAR

conhecendo sua pobreza espiritual e chorando por causa dela.


Isso o torna manso ou gentil em todos os seus relacionamentos,
considerando que a honestidade o compele a permitir que os ou-
tros pensem dele aquilo que, diante de Deus, já confessou. Mas,
longe dele aquiescer em seu pecado, pois ele tem fome e sede de
justiça; anseia crescer na graça e na bondade. Vemo-lo, depois,
junto aos outros, lá fora, na comunidade humana. Seu relacio-
namento com Deus não o faz fugir da sociedade nem o isola do
sofrimento do mundo. Pelo contrário, permanece no meio deste,
demonstrando misericórdia àqueles que foram golpeados pela
adversidade e pelo pecado. Ele é transparente e sincero em todos
os seus relacionamentos e procura desempenhar um papel tão
construtivo como pacificador. Mas ninguém lhe agradece pelos
esforços; antes, é hostilizado, injuriado, insultado e perseguido
por causa da justiça que defende e por causa do Cristo com o
qual se identifica. Tal é o homem ou a mulher que é bem-aventu-
rado, isto é, que tem a aprovação de Deus e alcança realização
própria como ser humano” (John R. W. Stott).

14. //ALUNO

Atitude Aluno 3T17_CORR 170417.indd 14 18/04/2017 16:34:09


»COMENTANDO
O TEXTO BÍBLICO

A INFLUÊNCIA DO CRISTÃO NO propriedades principais são as de


MUNDO dar sabor aos alimentos e preservá-
los da deterioração. Também quer
Neste segundo estudo que fazemos
que sejamos como a luz para clare-
do Sermão do Monte, o tema é a in-
ar os caminhos do nosso próximo
fluência do cristão no mundo. Jesus
e acabar com as trevas nas áreas
usou duas metáforas muito interes-
santes para abordar este assunto: sal do mundo que pudermos alcançar.
e luz. Ele disse que os cristãos são o
“sal da terra” e a “luz do mundo”. Is-
to nos leva a algumas abrangentes O QUE SIGNIFICA SER SAL DA
reflexões. TERRA?
Começamos pela pergunta que não A “salinidade” do discípulo de Jesus
pode ser calada diante da missão refere-se à sua coerência e compro-
que recebemos de Jesus. Você é sal misso com a vontade de Deus, seja
da terra e luz do mundo hoje? Ser por meio de pensamentos, palavras
cristão faz com que você tenha al- e atos. Consiste em ser diferente dos
guma influência especial, ou faça al- não-cristãos, em pensar e agir con-
guma diferença positiva e efetiva na forme aquilo que Cristo ensinou e vi-
vida das pessoas ao seu redor no lu- venciou nas bem-aventuranças, por
gar onde você está? exemplo, não importando o quanto
Estas difíceis perguntas merecem uma aquilo o torne estranho ou desloca-
resposta sincera. Mas, para respondê- do do que a maioria faz. Ser pareci-
las, é preciso entender melhor o que do com Jesus e manter-se assim ao
Jesus está querendo dizer. longo de toda a vida, sem deixar se
contaminar pelas impurezas do per-
curso, isto é ser sal, e é o que faz
SUA MISSÃO crescer em força e qualidade a in-
fluência do cristão sobre as pesso-
O cristão é chamado pelo Senhor
as e a sociedade em geral. Até que
para realizar uma missão no mun-
ponto o sal que você é como cristão
do: amar o próximo, proclamar o
salga realmente?
evangelho, servir e fazer discípulos.
Jesus quer que sejamos, para os ou- O sal conserva, purifica, tempera.
tros e por que não dizer para a so- Estas são ações que se transportam
ciedade em geral, como o sal, cujas facilmente, no significado e em com-
//ALUNO .15

Atitude Aluno 3T17_CORR 170417.indd 15 18/04/2017 16:34:09


paração, com o tipo de influência do
cristão no mundo. A sociedade tem As pessoas estão
necessidade urgente desta ação. As sofrendo com a
pessoas estão sofrendo com a dete- deterioração moral
rioração moral e ética da sociedade
e ética da sociedade
em geral. O mundo precisa ser puri-
ficado das ações, visões, concepções,
em geral. O mundo
atitudes e motivações malignas. Preci- precisa ser purificado
sa da ação que transforma situações das ações, visões,
sem gosto ou amargas da vida em no- concepções, atitudes
vidade com sabor agradável.
e motivações
malignas
O QUE É SER LUZ DO MUNDO?
A luz que você é, jovem cristão, es-
tá realmente brilhando? Qual a in- O PERIGO DA IRRELEVÂNCIA
tensidade de tal brilho? Mesmo que Quando o sal perde sua capacida-
você seja como a luz das estrelas, de de salgar, aí está o risco maior,
que parecem pequeninas, mas são pois “para nada mais presta”, é jo-
de forte brilho e guiam a muitos gado fora e é pisado por todos que
pelos seus caminhos à distância. passam. Ou quando a luz não bri-
Mesmo que sua luz seja como a de lha, ela é inútil. É como aquele que
uma pequena vela no meio da es- está num quarto escuro e tem luz
curidão, o importante é não parar ali num abajur, mas ele está cober-
de brilhar e exercer a função que to com um edredom escuro. Nada é
recebeu. iluminado, torna-se inútil a luz ace-
sa naquelas condições, não é mes-
Lidere pelo exemplo onde você esti- mo? É disso que fala Jesus, mas de
ver. Aquilo que você faz. Suas ações um outro tipo de luz, que acaba com
e reações. Como você pensa e age. outro tipo de trevas.
Atitudes e decisões. Tudo isso faz de
você luz para aqueles ao seu redor. Num tempo sem refinarias e trata-
mento, provavelmente retirado do
Tenha certeza de uma coisa: estão Mar Morto, o sal continha cloreto de
observando você e querem, no ínti- sódio, que era o que lhe dava toda
mo, que você seja confiável, querem aquela salinidade, mas também car-
acreditar no que você diz, querem regava outras impurezas. O cloreto
alguém para seguir os passos. Em de sódio, por ser muito solúvel, podia
alguns casos, falta você querer tam- sumir e transformar o sal num mon-
bém tamanha responsabilidade e te de pó sem qualquer utilidade. Era
pedir a Deus auxílio para fazer a essa a situação que Jesus se referia
vontade dele e ajudar o próximo. para ilustrar seu ensino.
16. //ALUNO

Atitude Aluno 3T17_CORR 170417.indd 16 18/04/2017 16:34:09


{} »A LIÇÃO
EM FOCO

Como ser sal e luz? Coerência com a Palavra de Deus, obediência ao Se-
nhor, compromisso com a vontade divina. Também ajudando outras pes-
soas e falando de Jesus e do evangelho para elas. Agindo assim, somos sal
da terra e luz do mundo.
Como ser sal e luz? “Chegando junto”, como diria o grande e saudoso pastor
Mauro Israel Moreira da PIB de São Gonçalo, RJ que, em um de seus livros
deu o caminho: “O testemunho maior do nosso amor é a nossa própria vi-
da, a maneira como cuidamos uns dos outros, como amamos o nosso pró-
ximo. A Palavra de Deus deixa bem claro que não há outra maneira pela
qual o mundo possa nos reconhecer como discípulos do Senhor”.

. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

»PRA TOMAR .
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.

UMA ATITUDE
. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

Uma dica final: se você não sabe avaliar o ní-


vel em que se encontra nesta abençoada es-
cala de Jesus do sal e luz, faça a si mesmo a
seguinte pergunta: As pessoas que poderiam
se beneficiar da ação do sal e da luz mencio-
nados no texto bíblico manifestam-se de que
maneira a meu respeito?

//ALUNO .17

Atitude Aluno 3T17_CORR 170417.indd 17 18/04/2017 16:34:10


3
//EBD

L I Ç Ã O

TEXTO BÍBLICO

MATEUS 5.17-26 A DIFERENÇA QUE


O CRISTÃO FAZ
TEXTO ÁUREO

MATEUS 5.20
»PRA COMEÇAR

O Senhor Jesus, no Novo Testamento, faz uso de textos do An-


tigo Testamento, valorizando-o. Mas Cristo, algumas vezes,
deu às Escrituras uma nova e mais abrangente interpretação.
Pensar “fora da caixa” dos doutores da lei, dos escribas e fa-
riseus, era tudo que um judeu do primeiro século não faria,
pelas consequências que enfrentaria caso o fizesse. Mas Jesus
podia fazer. Mesmo encarnado, Jesus é Deus. O texto que estu-
damos nesta lição é um dos principais no papel de transcender
aquilo que religiosos formais convencionaram entender.

18. //ALUNO

Atitude Aluno 3T17_CORR 170417.indd 18 18/04/2017 16:34:10


»COMENTANDO
O TEXTO BÍBLICO

CRISTO E A LEI cálogo ao nos levar a usar um outro


Jesus não cancelou a lei; ao contrá- jogo de lentes para enxergar além
rio, veio para cumpri-la. Isso quer do conceito original e convencional.
dizer que Cristo levou adiante e Ele ensinou que o homicídio tem ou-
concluiu tudo o que Deus preten- tras formas, mais interiores, algumas
dia no início. sutis e outras que só acontecem na
mente humana, que devem ser con-
O valor do texto das Escrituras per- sideradas tão pecaminosas quanto
manece, mas deve ser lido e enten- o ato violento cabal do homicídio.
dido por meio de Jesus e pelo filtro
dos ensinos do Novo Testamento. O Odiar, irar-se com seu irmão sem
Filho de Deus apresentou-nos uma motivo justo, desprezar, agredir
nova forma de observar como al- verbalmente, insultar, caluniar, tu-
guns trechos do Antigo Testamen- do isso faz da pessoa que pratica
to se aplicam aos seus discípulos, igualmente culpada pela transgres-
inclusive, nos dias de hoje. são do mandamento que proíbe o
assassinato.
Os sacrifícios de animais, por exem-
plo, terminam, pois tornam-se ob- Não se encolerizar, não agredir...
viamente desnecessários após tudo nem que seja “só” com palavras. É
estar consumado na morte de Je- o que manda o ensino de Cristo. As
sus na cruz do Calvário. Mas muitos palavras que ele usa para exemplifi-
princípios morais veterotestamentá- car esta parte do sermão são muito
rios devem ser estudados e obser- interessantes para nossa reflexão.
vados, pois Jesus os manteve sem Na língua falada por Jesus, o ara-
mudanças. Outros mandamentos maico, “raca” era uma ofensa contra
do Antigo Testamento devem ser a inteligência da pessoa, como se o
entendidos com as lentes da nova chamasse de “cabeça-oca”; e “tolo”
aliança em Cristo e do texto bíblico podia referir-se ao caráter dela, co-
neotestamentário. mo alguém que não vale nada. De
uma certa forma, o que se preten-
de ensinar é que, mesmo o insulto
NÃO MATARÁS... NÃO ODIARÁS aparentemente sem força, mas que
Jesus deu sentido mais profundo ao expressa ira, tem o peso de “assas-
mandamento “não matarás” do De- sinato” na avaliação divina.
//ALUNO .19

Atitude Aluno 3T17_CORR 170417.indd 19 18/04/2017 16:34:10


Outra lição nesta passagem bíblica NÃO À CÓLERA
é sobre a importância de uma pes- É claro que há um tipo de ira que é
soa cristã buscar sempre reconci- humana, normal e não pecamino-
liar-se com seus desafetos o mais sa. Mas esta ira aceitável é do tipo
rápido possível. Esse ensinamen- que demora acontecer e vai embo-
to só poderia estar no contexto do ra rápido. Efésios 4.26 complemen-
“não matarás” ampliado de Jesus. É ta: “Irai-vos, e não pequeis (…) não se
possível “matar” uma pessoa apenas ponha o sol sobre a vossa ira”. Em
na mente. Como? Desprezando-a, ig- outras palavras, aprendemos com
Jesus no Sermão do Monte que de-
norando-a, não pensando mais nela,
vemos tomar muito cuidado com
fazendo de conta que ela não exis-
este sentimento: irar-se sem moti-
te. Entretanto, o Novo Testamen- vo justo e de forma exagerada, al-
to exige uma conduta bem distinta gumas vezes, inclusive, desejando
disso: “Se alguém disser que ama a a morte da outra pessoa, é tão pe-
Deus, e odiar o seu irmão, é menti- caminoso quanto assassiná-la real-
roso” (1Jo 4.20). mente, na avaliação do Senhor.

20. //ALUNO

Atitude Aluno 3T17_CORR 170417.indd 20 18/04/2017 16:34:10


{} »A LIÇÃO
EM FOCO
Você já percebeu que, nestas passagens bíblicas do Sermão do Monte, Jesus
nos fornece uma sequência extraordinária? Primeiro, com as bem- aventu-
ranças, ele estimula os indivíduos à busca da essência necessária do cará-
ter cristão para ser pleno, abençoado e abençoador. Depois, apresenta o
desafio de ser sal da terra e luz do mundo com efetividade real e contínua.
E, agora, ele passa a explicar melhor a estratégia, a necessidade de coerên-
cia e o conteúdo da mensagem a ser proferida.
Sabendo que você existe para glorificar a Deus, seu Criador e Pai celestial, te-
nha em mente que uma das principais maneiras de fazer essa sua função ori-
ginal acontecer é ensinando “todo o propósito de Deus” para o seu próximo,
servindo-o no amor de Cristo e na unção do Espírito Santo. E para que este
ensino ganhe qualidade e eficácia, é extremamente importante que você en-
tenda a Bíblia com mais profundidade (assim como Cristo fez, ao realizar sua
pregação), mantendo a reverência, humildade diante da Palavra divina e a ca-
pacidade de fazer a devida aplicação de cada texto à vida de sua “audiência”.
Você é chamado a pregar o evangelho a toda a criatura, lembra-se disso? Você
tem a missão de fazer discípulos, não é mesmo? Portanto, disponha-se, estu-
de com afinco e busque pensar “fora da caixa”, do ponto de vista humano, mas
segundo a vontade de Deus, pedindo para ser usado por ele no seu dia a dia.

. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

»PRA TOMAR .
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.

UMA ATITUDE
. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

Cada dia é oportunidade de aprender mais da


ética das Escrituras Sagradas, de obedecer e
praticar a lei de Deus, de “exceder a justiça dos
escribas e fariseus”, indo além de máscaras e
rótulos externos forjados e, por fim, de fazer
esta oração, em amor: “Eis-me aqui, envia-me,
usa-me”. Já fez isso hoje?

//ALUNO .21

Atitude Aluno 3T17_CORR 170417.indd 21 18/04/2017 16:34:11


ISSN 1984-8633

LITERATURA BATISTA
ANO CXI – NO 443

Atitude Aluno é uma revista que destina-se


aos jovens (18 a 35 anos), contendo lições
para a Escola Bíblica Dominical, artigos gerais,
passatempos bíblicos e outras matérias que
promovem o aperfeiçoamento do jovem nas
mais diferentes áreas AUTOR DOS
ESTUDOS DA EBD
Copyright © Convicção Editora
Todos os direitos reservados Os estudos deste
Proibida a reprodução deste texto total ou
período foram
parcial por quaisquer meios (mecânicos, escritos pelo PR.
eletrônicos, fotográficos, gravação, estocagem LENILDO CIRNE DE
em banco de dados etc.), a não ser em breves MEDEIROS JÚNIOR. É
citações, com explícita informação da fonte
bacharel em teologia
Publicado com autorização pelo Seminário
por Convicção Editora Teológico Batista do
CNPJ (MF): 08.714.454/0001-36 Sul do Brasil e em
Endereços
Comunicação Social.
Caixa Postal, 13333 – CEP: 20270-972 É membro da PIB
Rio de Janeiro, RJ do Recreio, Rio de
Telegráfico – BATISTAS Janeiro, RJ.
Eletrônico – literatura@batistas.com

Editor
Sócrates Oliveira de Souza

Coordenação Editorial
Solange Cardoso de Abreu d’Almeida (RP/16897)

Redação
Valtair Afonso Miranda

Produção Editorial
Oliverartelucas NOTA DA REDAÇÃO
Produção e Distribuição
Os artigos assinados
Convicção Editora
são de inteira
Tel.: (21) 2157-5567
responsabilidade de seus
Rua José Higino, 416 – Prédio 16
Sala 2 – 10 Andar – Tijuca autores, não refletindo,
Rio de Janeiro, RJ necessariamente, as
CEP 20510-412 opiniões do corpo
literatura@conviccaoeditora.com.br redatorial da revista.

//ALUNO

Atitude Aluno 3T17_CORR 170417.indd 2 18/04/2017 16:34:02


//sumário

//EBD
LIÇÃO 1 – O caráter do cristão ................................................................................................... 9
LIÇÃO 2 – A diferença que o cristão faz .................................................................................... 14
LIÇÃO 3 – Cristo, a lei e o ódio ................................................................................................... 18
LIÇÃO 4 – Fidelidade e honestidade ......................................................................................... 22
LIÇÃO 5 – Vingança e amor ........................................................................................................ 27
LIÇÃO 6 – Uma vida cristã autêntica ......................................................................................... 31
LIÇÃO 7 – A oração cristã e sua prática .................................................................................... 35
LIÇÃO 8 – O perigo da ambição material ................................................................................. 40
LIÇÃO 9 – Confiando na direção de Deus ................................................................................ 44
LIÇÃO 10 – O cristão e a plenitude do reino ............................................................................ 48
LIÇÃO 11 – Cuidados necessários no viver cristão .................................................................. 52
LIÇÃO 12 – A persistência na oração ........................................................................................ 56
LIÇÃO 13 – As opções que a vida oferece ................................................................................ 60

//SEMPRE EM ATITUDE
Leitura bíblica ............................................................................................................................... 4
Tema da EBD ................................................................................................................................ 5
Encontro com a poesia ................................................................................................................ 86

//CRESCIMENTO JOVEM
Estudo bíblico – Esperança no limiar das trevas ...................................................................... 65
Sermão – Tenha bom ânimo ...................................................................................................... 76
Liderança jovem – Os dez mitos da carreira profissional ....................................................... 82
Para pensar – Não amar o mundo ............................................................................................ 92

//ALUNO .3

Atitude Aluno 3T17_CORR 170417.indd 3 18/04/2017 16:34:02


»LEITURA
BÍBLICA

Semana 1 Semana 2 Semana 3


SEG Mateus 5.1,2 SEG Mateus 5.13 SEG Mateus 5.17
TER Mateus 5.3,4 TER Mateus 5.14 TER Mateus 5.18
QUA Mateus 5.5,6 QUA Mateus 5.15 QUA Mateus 5.19
QUI Mateus 5.7,8 QUI Mateus 5.16 QUI Mateus 5.20
SEX Mateus 5.9,10 SEX Ezequiel 16.4 SEX Mateus 5.21
SÁB Mateus 5.11 SÁB João 3.19-21 SÁB Mateus 5.22
DOM Mateus 5.12 DOM João 8.12 DOM Mateus 5.23-26

Semana 4 Semana 5 Semana 6


SEG Mateus 5.27,28 SEG Mateus 5.38 SEG Mateus 6.1
TER Mateus 5.29 TER Mateus 5.39 TER Mateus 6.2
QUA Mateus 5.30 QUA Mateus 5.340 QUA Mateus 6.3
QUI Mateus 5.31,32 QUI Mateus 5.341 QUI Mateus 6.4
SEX Mateus 5.33 SEX Mateus 5.42 SEX Mateus 6.5
SÁB Mateus 5.34-36 SÁB Mateus 5.43-45 SÁB Mateus 6.6
DOM Mateus 5.37 DOM Mateus 5.46-48 DOM Mateus 6.16-18

Semana 7 Semana 8 Semana 9


SEG Mateus 6.5 SEG Mateus 6.19 SEG Mateus 6.25
TER Mateus 6.6 TER Mateus 6.20 TER Mateus 6.26
QUA Mateus 6.7 QUA Mateus 6. 21 QUA Mateus 6.27
QUI Mateus 6.8 QUI Mateus 6.22 QUI Mateus 6.28
SEX Mateus 6.9,10 SEX Mateus 6.23 SEX Mateus 6.29
SÁB Mateus 6.11-13 SÁB Mateus 7.6 SÁB Mateus 6.30
DOM Mateus 6.14,5 DOM Provérbios 6.9 DOM Filipenses 4.6,7

Semana 10 Semana 11 Semana 12 Semana 13


SEG Mateus 6.31 SEG Mateus 7.1 SEG Mateus 7.7 SEG Mateus 7.13
TER Mateus 6.32 TER Mateus 7.2 TER Mateus 7.8 TER Mateus 7.14
QUA Mateus 6.33 QUA Mateus 7.3 QUA Mateus 7.9 QUA Mateus 7.15
QUI Mateus 6.34 QUI Mateus 7.4 QUI Mateus 7.10 QUI Mateus 7.16-20
SEX João 16.33 SEX Mateus 7.5 SEX Mateus 7.11 SEX Mateus 7.21-23
SÁB Mateus 11.28 SÁB Mateus 7.6 SÁB Mateus 7.12 SÁB Mateus 7.24-27
DOM Salmo 55.6 Provérbios DOM Isaías 64.4 DOM Mateus 7.28,29
DOM
25.11

4. //ALUNO

Atitude Aluno 3T17_CORR 170417.indd 4 18/04/2017 16:34:03


//tema da EBD

SERMÃO DO MONTE
ORIENTAÇÕES ATUAIS PARA A VIDA CRISTÃ
Rogério Ferreira de Araújo
São Gonçalo, RJ

Quando estamos andando numa es- Mesmo alguns jovens que argumentam
trada, seja de carro ou mesmo a pé, que não gostam de ouvir sermão pre-
ninguém gosta muito das subidas. cisam parar extasiados diante da men-
Elas cansam e forçam até o automó- sagem do grande Mestre. Esse sermão
vel, dependendo de quão íngreme foi proclamado com amor a fim de nos
seja a subida. orientar para o exercício da vida cristã.
A vida cristã é de certa forma pare- Ele foi chamado Sermão da Montanha
cido com essa experiência: com mui- ou do Monte, como em algumas ver-
tas curvas e subidas vertiginosas. sões da Bíblia. Como o próprio nome
.13 Precisamos, seguindo a orientação diz, ele nos leva a “subir degrau por
.14 bíblica, estar alertas e vigilantes du- degrau” nos percalços da vida coti-
.15 rante todo o percurso, para evitar
.16-20
diana, na difícil tarefa de viver a vida
acidentes de caminhada. cristã num mundo decaído. É um
.21-23
.24-27 Jesus nos presenteou no Evangelho de prazer estudar essas exortações fei-
.28,29 Mateus uma das mais concisas e cla- tas pelo Mestre há tantos anos, mas
ras mensagens da Palavra do Deus. tão atuais.

//ALUNO .5

Atitude Aluno 3T17_CORR 170417.indd 5 18/04/2017 16:34:05


O Sermão do Monte e o Salmo 1 pos- estava anunciando não era deste
suem muito em comum se conside- mundo; segundo, a preocupação de
rarmos a mensagem transmitida e as Jesus sempre foi restabelecer a re-
características dos dois textos. lação dos homens e mulheres com
Deus.
A primeira leitura do Salmo 1 apre-
senta um padrão de conduta que O Sermão do Monte apresenta um
aparentemente é exigido de alguém padrão de conduta inatingível para o
que deseja ser bem-aventurado. Da ser humano porque Jesus apresenta
mesma forma, o Sermão do Monte aos seus ouvintes o espírito da lei.
que Jesus ensinou a seus discípulos Quanto mais alguém se aplica em
diante de uma grande multidão apre- cumpri-la, sempre estará aquém.
senta algumas características perti- Para complicar, se o ser humano tro-
nentes a quem é bem-aventurado. peçar em um único quesito, trope-
çará em toda a lei.
Jesus apresentou em seu discurso
um padrão de conduta muito alto, Além do obstáculo do espírito da lei,
até mesmo para quem estava acos- que é impossível satisfazer, a jus-
tumado a cumprir a Lei de Moisés. tiça, que é exigida dos seus ouvin-
tes, deveria ser maior do que a dos
Os ouvintes do Mestre estavam acos-
fariseus. Como conseguir esse feito?
tumados a ouvir: “Não matarás”, po-
A única justiça à altura de Deus é a
rém, Jesus completa: “(…) qualquer
justiça que vem dele por intermédio
que, sem motivo, se encolerizar con-
de Cristo.
tra o seu irmão, estará sujeito a julga-
mento” (Mt 5.22). Eles estavam acos- O Sermão do Monte serve para de-
tumados a ouvir: “Não adulterarás”, monstrar o quanto o ser humano
e Jesus complementa: “Qualquer que está fadado à derrota quando se
olhar para uma mulher com intenção utiliza da lei para alcançar a salva-
impura, no coração já cometeu adul- ção. Jesus é o caminho de acesso a
tério com ela” (Mt 5.28). Deus, ou melhor, é por intermédio
de Cristo que Deus procura a recon-
Jesus endureceu o seu discurso quan-
ciliação com o homem. Mas a perse-
to ao divórcio, aos juramentos, à
verança é mais que necessária para
retribuição da lei, ao amor aos ini-
manter-se nos caminhos que o Mes-
migos, à prática da justiça etc.
tre separou para cada um. Caso con-
O que Jesus queria evidenciar com o trário, ao primeiro sinal de proble-
seu discurso? Estava estabelecendo mas haverá desistência.
mais um código de ética? Queria um
O Sermão do Monte mostra com to-
novo padrão de conduta?
das as letras que, por meio da lei, o
Não. Jesus não estava estabelecendo ser humano não consegue salvar-se.
um código de conduta do seu reino. Para ser salvo, a pessoa precisa to-
Primeiro, porque o reino que Jesus mar a sua cruz e seguir atrás de Je-

6. //ALUNO

Atitude Aluno 3T17_CORR 170417.indd 6 18/04/2017 16:34:05


sus. Precisa se conformar com Cristo
na sua morte. E, ao ressurgir, será
uma nova criatura, gerada pelo Pai
celestial, em verdadeira justiça e san-
tidade.
A bem-aventurança não decorre do
suposto código de conduta que pen-
sam que o Sermão do Monte pro-
move. A bem-aventurança vem da
união com Cristo (Mt 5.10-11), pois
somente será perseguido aqueles
que são participantes do reino de
Jesus.
São bem-aventurados os que se tor-
naram filhos de Deus, uma vez que,
por meio de Cristo, a pessoa obtém a
paz que excede a todo entendimento
(Mt 5.9). A paz que Jesus faz referên-
cia não é a politicamente correta, a
paz que muitos desejam no mundo.
É a paz entre o ser humano e Deus,
quando a inimizade é cessada.
São bem-aventurados aqueles que
podem ver Deus: somente os nasci-
dos de novo têm coração puro, que
decorre da nova natureza e vida con-
cedida por Deus (Mt 5.8).
São bem-aventurados os misericor-
diosos, os famintos, os mansos, os
que choram e os pobres. Em mo-
mento algum Jesus estipula que para
ser salvo alguém precisa cumprir os
parâmetros exigidos pela lei.
Aqueles que estão em Cristo jamais
andarão segundo o conselho dos ím-
pios. Por quê? Porque um é o cami-
nho dos ímpios e outro é o caminho
dos justos. Isto não quer dizer que os
justos estarão isolados ou que é ne-
cessário isolar-se do mundo.

//ALUNO .7

Atitude Aluno 3T17_CORR 170417.indd 7 18/04/2017 16:34:08


Quem crê entra pela porta que é abençoada e feliz se seguirmos as
Cristo. Está em um caminho que devidas regras da fé em nosso Se-
leva a Deus. O caminho do justo ja- nhor e Salvador Jesus Cristo.
mais cruzará o caminho dos ímpios.
O sermão parece passear de forma
Estes dois caminhos estão em dire-
panorâmica, mas nem por isso su-
ções opostas. O caminho do justo é
perficial, sobre diversos aspectos da
conhecido pelo Senhor, que livra o
vida que nos pega, constantemente,
ser humano de toda condenação. O
de surpresa. É algo complexo ser um
caminho dos ímpios conduz ao juízo
servo fiel ao Mestre, tendo em vista
das obras, em que todos quantos fo-
as diversidades que passamos e os
rem apresentados estarão condena-
que estão a nossa volta.
dos desde a queda de Adão.
O sermão fala sobre o amor de Deus
O cuidado que devemos ter ao ex-
por nós, como um pai amoroso que
por o conteúdo do Salmo 1 e do Ser-
não nos dará pedra (Mt 7.9) nem
mão do Monte é o de não instituir
serpente (Mt 7.10) se pedirmos pão
padrões de conduta. Precisamos ex-
(Mt 7.7) ou peixe (Mt 7.10); que de-
por o cuidado de Deus para com to-
seja que amemos o próximo de ver-
das as pessoas.
dade e não sejamos egoístas, mas
O padrão que Paulo instituiu é bem misericordiosos (Mt 5.7), não julgar
claro: “Portai-vos de modo que não os outros sem olhar antes para o que
deis escândalo nem aos judeus, nem fazemos (Mt 7.2), caso contrário po-
aos gregos, nem à igreja de Deus” (1Co deremos ser julgados também. En-
10.32). Desde que os cristãos cum- fim, um verdadeiro aprendizado para
pram com as suas obrigações legais a vida cristã que Jesus nos presenteia
na sociedade e tenham um padrão de nesse período. Leia, estude e, acima
conduta apropriado à sociedade na de tudo, viva o que estudou para que
qual está inserido, não devemos im- haja profundas mudanças em sua
por regras, com o risco de estar pri- vida como um todo e não apenas de
vando alguém da graça de Cristo. palavras nem de pensamentos.
O Sermão do Monte nos faz apren- Boa leitura e bom estudo do Sermão
der a seguir os passos do Mestre e do Monte. As palavras dessa passa-
suas orientações ali descritas. Tudo gem da Bíblia podem não ter sido es-
parece ser escrito para nós e não critas exclusivamente para você, mas
para os povos daquela época. É algo bem que poderiam. Elas são atuais
impressionante. A atualidade das pa- e perfeitas para o que precisamos
lavras de Jesus é algo que deve per- para uma vida mais íntegra e sob a
mear nossa vida e estar em nossos graça do Senhor.
corações.
Por essas e outras razões, aproveite
Cristo nos convida a subir por essa cada pedacinho dessa porção do
montanha junto com ele e vislum- grande banquete que é o estudo da
brar o quanto a vida cristã pode ser Bíblia.
8. //ALUNO

Atitude Aluno 3T17_CORR 170417.indd 8 18/04/2017 16:34:08


1
//EBD

L I Ç Ã O

O CARÁTER
DO CRISTÃO TEXTO BÍBLICO

MATEUS 5.1-12

TEXTO ÁUREO

MATEUS 5.12
»PRA COMEÇAR

O que é ser cristão no mundo de hoje? Quais os fundamentos


para um jovem saber o que é certo e o que é errado nas escolhas
que tem que fazer, nas importantes decisões a tomar, durante
toda a sua caminhada pela vida? Como descobrir o melhor ca-
minho a seguir? Caminho que nem sempre é o mais curto, mas
que tem o alvo mais recompensador?
Estudar o Sermão do Monte é uma fonte cristã e bíblica, con-
densada, didática, atemporal e inesgotável de respostas para
perguntas assim. Por isso, nesta série de estudos bíblicos, va-
mos percorrê-lo com toda a atenção, sempre buscando enten-
der suas lições mais importantes para o seguidor de Jesus nos
tempos atuais.

//ALUNO .9

Atitude Aluno 3T17_CORR 170417.indd 9 18/04/2017 16:34:08


{}
»COMENTANDO
O TEXTO BÍBLICO

O QUE É SER BEM-AVENTURADO? O orgulhoso, o arrogante, o prepo-


tente e presunçoso não consegue
Ser bem-aventurado é ser feliz de
reconhecer sua dependência de
verdade, de uma forma completa,
Deus; sempre acha que sua capaci-
porém, não egoísta ou ensimesma-
dade é que vai levá-lo aonde quer.
da. A felicidade plena inclui a depen-
Mas aquele que confia única e exclu-
dência total de Deus, a realização de
sivamente em Deus para tudo, mes-
sua vontade, o bem do próximo e a
mo tendo consciência de seu valor
capacidade de alegrar-se e ter paz,
e não desprezando suas qualidades
em meio a toda e qualquer situação,
e dons, que recebeu naturalmente
independentemente das circunstân-
de Deus, este será abençoado com
cias, sejam elas positivas ou nega-
a verdadeira felicidade. O jovem que
tivas, contenham acontecimentos
se apropria desta verdade pratica a
agradáveis ou trágicos.
humildade e sempre reconhece a
O estado de bem-aventurança é co- mão de Deus nos resultados e con-
mo alcançar o próximo nível da vi- quistas de sua vida. É feliz pois se
da cristã. É realizar de fato todo o garante em Deus pra tudo na vida.
potencial da espiritualidade bíbli-
ca genuína, na prática da vida diá-
ria, tanto em relação a você mesmo, OS QUE CHORAM
quanto ao próximo e às coisas ma- Uma aparente contradição, não
teriais ao seu redor. é? Mas é possível explicar por que
quem recebe o consolo efetivo e
eficaz de Cristo é aquele que chora.
OS HUMILDES DE ESPÍRITO
Nesta bem-aventurança, Jesus fala
A primeira bem-aventurança tem
de uma atitude espiritual, não dire-
como alvo estimular o discípulo a
tamente de uma prática ou expe-
não se garantir demais em si mes-
riência corporal. Nem sempre os
mo, nos seus recursos, aptidões, ca-
mencionados aqui derramam lá-
racterísticas, dons etc., mas confiar
grimas.
no poder e na orientação de Deus. A
tristeza, o fracasso e a solidão cons- O que na verdade experimentam é
tituem-se o resultado final da vida sua convicção de pecado, seu dis-
do que faz o contrário disso. tanciamento da vontade de Deus,

10. //ALUNO

Atitude Aluno 3T17_CORR 170417.indd 10 18/04/2017 16:34:08


dor não seja menor. Circunstâncias
e situações externas não podem de-
Circunstâncias e
terminar se alguém é feliz ou não. A
situações externas felicidade verdadeira está para além
não podem do que acontece ao redor. Não é rir
determinar se da desgraça, mas manter a sereni-
dade e a esperança mesmo na hora
alguém é feliz ou da pior dor que experimentar.
não. A felicidade
verdadeira está OS MANSOS
para além do que
Nesta parte, o que Jesus ensina é
acontece ao redor como tratar o outro e como rea-
gir durante o relacionamento com
as pessoas. Conflitos sempre acon-
e o que vem daí é força para buscar
tecem em relacionamentos inter-
o que quer o Senhor e uma conse-
pessoais, mas os que alcançam
quente gratidão pelo que Deus fez.
resultados positivos – “herdarão a
É um motor de vida cristã autêntica
terra” – são aqueles que passam
e tem como resultado uma alegria
por tais situações sem agressões
que vai além daquilo que o mundo
ou excessos, mas com mansidão.
oferece.
Isso não quer dizer falta de firmeza,
O versículo também deve ser aplica- mas apresentar sua posição e man-
do à necessidade de ter sensibilida- ter a harmonia e o equilíbrio, mes-
de com a dor alheia, com a situação mo sendo ofendido ou contrariado.
do mundo, dos seus irmãos e da A mansidão também é qualidade
sociedade em geral. Quem assim no relacionamento com Deus, pois
age alcança resultados espirituais faz a pessoa ter mais facilidade de
expressivos em seu serviço cristão submeter-se à vontade do Senhor.
onde estiver. Por fim, o texto leva a Paciência, bondade, longanimida-
pensar que o choro sempre virá pra de, caminhar a segunda milhar, são
qualquer um, mais dia menos dia. várias palavras e expressões na Bí-
Seja pelo motivo principal exposto blia que expressam essa realidade
acima, seja por uma situação adver- espiritual.
sa na vida.
Toda pessoa deve estar preparada OS QUE TÊM FOME E
para o choro e lembrar deste versí- SEDE DE JUSTIÇA
culo da Bíblia para ter a certeza de
que Deus a consolará. Motivo pelo As bem-aventuranças anteriores e o
qual conseguirá passar pelo “vale contexto do lugar onde Jesus estava
árido” com mais conforto, embora a ajudam a compreender melhor este

//ALUNO .11

Atitude Aluno 3T17_CORR 170417.indd 11 18/04/2017 16:34:08


versículo. Primeiro, porque quando
temos a humildade de reconhecer
que nada somos diante de Deus e
O que você quer
choramos, passando pelo equilíbrio de melhor pra sua
da mansidão, chegamos a ponto de vida deve ser o que
querer um mundo melhor e ir atrás
desse objetivo com intensidade. você quer para o
Esta forma intensa também é expli-
próximo. Busque
cada tanto pela situação socioeco- intensamente o
nômica da maioria da audiência de que é certo para
Jesus quanto pela aridez e falta de
água naquelas terras, o que facilita- agradar a Deus
va o entendimento das expressões e ao próximo
“fome e sede”. Quem passou por
estas duras experiências entende
que Jesus falava de algo fortíssimo,
intenso e arrasador. mesmo é o conceito-chave para o
Essa busca da justiça deve ser como entendimento da palavra justiça. O
a busca de saciar a pior fome e a que você quer de melhor pra sua
mais terrível sede. Deve nos mover vida deve ser o que você quer para
pela vida, entre as pessoas, sempre o próximo. Busque intensamente
buscando o benefício de todos. o que é certo para agradar a Deus
Assim, amar o próximo como a si e ao próximo. Você será saciado.

{} »A LIÇÃO
EM FOCO

Nesta passagem, Jesus ensina aos discípulos mais próximos, mais chega-
dos. Mas ele não deseja apenas que eles saibam o que é ser um seguidor
de Cristo ou o que é certo fazer em uma ou outra situação; ele quer mes-
mo é que o obedeçam.
O Sermão do Monte é popular, muitos conhecem e até gostam de ler este
texto bíblico. Mas tal popularidade e conhecimento nem sempre se tradu-
zem em prática e obediência.
Ainda mais que os mandamentos, princípios e diretrizes de vida ali relacio-
nados por Cristo revelam-se desafiadores ao extremo para qualquer pes-
12. //ALUNO

Atitude Aluno 3T17_CORR 170417.indd 12 18/04/2017 16:34:09


soa, mesmo para aquele mais fiel e comprometido com o seu Senhor. Há
até alguns que consideram o Sermão do Monte algo para ser tratado co-
mo referência inatingível.
O Sermão do Monte é mais que isso. É uma fonte de referência de vida pa-
ra ser colocada em prática. O que é ali descrito deve ser obedecido, deve
virar um estilo de vida, mas isso não vai acontecer da noite para o dia, nem
de uma década para outra.
O que Jesus nos ensina por meio dos conceitos, princípios e mandamentos
do Sermão do Monte fundamenta o caráter do cristão, é para ser feito re-
alidade na vida diária, gradualmente, com o apoio do Espírito Santo. Com
uma ressalva: é algo que vai acontecendo ao longo da vida. É um alvo atin-
gível na plenitude do Espírito e contando com a graça do Senhor que re-
nova-se a cada manhã. Sabendo sempre que, quando não conseguirmos,
Jesus é o nosso advogado junto ao Pai. E “se confessarmos os nossos pe-
cados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de to-
da a injustiça” (1Jo 1.9).

. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

»PRA TOMAR
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.

UMA ATITUDE
. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

As lições valiosas nas bem-aventuranças


de Jesus compõem um maravilhoso rotei-
ro do caráter cristão. Busque refletir sobre
o que significa cada uma delas. Se puder,
converse com outros jovens pessoalmente
e nas redes sociais: #AtitudeSermãodoMon-
te. Estude e procure praticar em sua vida,
um passo depois do outro, com o apoio do
Santo Espírito e confiança na graça do Se-
nhor Jesus.

//ALUNO .13

Atitude Aluno 3T17_CORR 170417.indd 13 18/04/2017 16:34:09


2
//EBD

L I Ç Ã O

TEXTO BÍBLICO

MATEUS 5.13-16
A DIFERENÇA QUE
TEXTO ÁUREO

MATEUS 5.16 O CRISTÃO FAZ


“As bem-aventuranças pintam um retrato compreensivo do dis-
cípulo cristão. Primeiro, vemo-lo de joelhos diante de Deus, re-
»PRA COMEÇAR

conhecendo sua pobreza espiritual e chorando por causa dela.


Isso o torna manso ou gentil em todos os seus relacionamentos,
considerando que a honestidade o compele a permitir que os ou-
tros pensem dele aquilo que, diante de Deus, já confessou. Mas,
longe dele aquiescer em seu pecado, pois ele tem fome e sede de
justiça; anseia crescer na graça e na bondade. Vemo-lo, depois,
junto aos outros, lá fora, na comunidade humana. Seu relacio-
namento com Deus não o faz fugir da sociedade nem o isola do
sofrimento do mundo. Pelo contrário, permanece no meio deste,
demonstrando misericórdia àqueles que foram golpeados pela
adversidade e pelo pecado. Ele é transparente e sincero em todos
os seus relacionamentos e procura desempenhar um papel tão
construtivo como pacificador. Mas ninguém lhe agradece pelos
esforços; antes, é hostilizado, injuriado, insultado e perseguido
por causa da justiça que defende e por causa do Cristo com o
qual se identifica. Tal é o homem ou a mulher que é bem-aventu-
rado, isto é, que tem a aprovação de Deus e alcança realização
própria como ser humano” (John R. W. Stott).

14. //ALUNO

Atitude Aluno 3T17_CORR 170417.indd 14 18/04/2017 16:34:09


»COMENTANDO
O TEXTO BÍBLICO

A INFLUÊNCIA DO CRISTÃO NO propriedades principais são as de


MUNDO dar sabor aos alimentos e preservá-
los da deterioração. Também quer
Neste segundo estudo que fazemos
que sejamos como a luz para clare-
do Sermão do Monte, o tema é a in-
ar os caminhos do nosso próximo
fluência do cristão no mundo. Jesus
e acabar com as trevas nas áreas
usou duas metáforas muito interes-
santes para abordar este assunto: sal do mundo que pudermos alcançar.
e luz. Ele disse que os cristãos são o
“sal da terra” e a “luz do mundo”. Is-
to nos leva a algumas abrangentes O QUE SIGNIFICA SER SAL DA
reflexões. TERRA?
Começamos pela pergunta que não A “salinidade” do discípulo de Jesus
pode ser calada diante da missão refere-se à sua coerência e compro-
que recebemos de Jesus. Você é sal misso com a vontade de Deus, seja
da terra e luz do mundo hoje? Ser por meio de pensamentos, palavras
cristão faz com que você tenha al- e atos. Consiste em ser diferente dos
guma influência especial, ou faça al- não-cristãos, em pensar e agir con-
guma diferença positiva e efetiva na forme aquilo que Cristo ensinou e vi-
vida das pessoas ao seu redor no lu- venciou nas bem-aventuranças, por
gar onde você está? exemplo, não importando o quanto
Estas difíceis perguntas merecem uma aquilo o torne estranho ou desloca-
resposta sincera. Mas, para respondê- do do que a maioria faz. Ser pareci-
las, é preciso entender melhor o que do com Jesus e manter-se assim ao
Jesus está querendo dizer. longo de toda a vida, sem deixar se
contaminar pelas impurezas do per-
curso, isto é ser sal, e é o que faz
SUA MISSÃO crescer em força e qualidade a in-
fluência do cristão sobre as pesso-
O cristão é chamado pelo Senhor
as e a sociedade em geral. Até que
para realizar uma missão no mun-
ponto o sal que você é como cristão
do: amar o próximo, proclamar o
salga realmente?
evangelho, servir e fazer discípulos.
Jesus quer que sejamos, para os ou- O sal conserva, purifica, tempera.
tros e por que não dizer para a so- Estas são ações que se transportam
ciedade em geral, como o sal, cujas facilmente, no significado e em com-
//ALUNO .15

Atitude Aluno 3T17_CORR 170417.indd 15 18/04/2017 16:34:09


paração, com o tipo de influência do
cristão no mundo. A sociedade tem As pessoas estão
necessidade urgente desta ação. As sofrendo com a
pessoas estão sofrendo com a dete- deterioração moral
rioração moral e ética da sociedade
e ética da sociedade
em geral. O mundo precisa ser puri-
ficado das ações, visões, concepções,
em geral. O mundo
atitudes e motivações malignas. Preci- precisa ser purificado
sa da ação que transforma situações das ações, visões,
sem gosto ou amargas da vida em no- concepções, atitudes
vidade com sabor agradável.
e motivações
malignas
O QUE É SER LUZ DO MUNDO?
A luz que você é, jovem cristão, es-
tá realmente brilhando? Qual a in- O PERIGO DA IRRELEVÂNCIA
tensidade de tal brilho? Mesmo que Quando o sal perde sua capacida-
você seja como a luz das estrelas, de de salgar, aí está o risco maior,
que parecem pequeninas, mas são pois “para nada mais presta”, é jo-
de forte brilho e guiam a muitos gado fora e é pisado por todos que
pelos seus caminhos à distância. passam. Ou quando a luz não bri-
Mesmo que sua luz seja como a de lha, ela é inútil. É como aquele que
uma pequena vela no meio da es- está num quarto escuro e tem luz
curidão, o importante é não parar ali num abajur, mas ele está cober-
de brilhar e exercer a função que to com um edredom escuro. Nada é
recebeu. iluminado, torna-se inútil a luz ace-
sa naquelas condições, não é mes-
Lidere pelo exemplo onde você esti- mo? É disso que fala Jesus, mas de
ver. Aquilo que você faz. Suas ações um outro tipo de luz, que acaba com
e reações. Como você pensa e age. outro tipo de trevas.
Atitudes e decisões. Tudo isso faz de
você luz para aqueles ao seu redor. Num tempo sem refinarias e trata-
mento, provavelmente retirado do
Tenha certeza de uma coisa: estão Mar Morto, o sal continha cloreto de
observando você e querem, no ínti- sódio, que era o que lhe dava toda
mo, que você seja confiável, querem aquela salinidade, mas também car-
acreditar no que você diz, querem regava outras impurezas. O cloreto
alguém para seguir os passos. Em de sódio, por ser muito solúvel, podia
alguns casos, falta você querer tam- sumir e transformar o sal num mon-
bém tamanha responsabilidade e te de pó sem qualquer utilidade. Era
pedir a Deus auxílio para fazer a essa a situação que Jesus se referia
vontade dele e ajudar o próximo. para ilustrar seu ensino.
16. //ALUNO

Atitude Aluno 3T17_CORR 170417.indd 16 18/04/2017 16:34:09


{} »A LIÇÃO
EM FOCO

Como ser sal e luz? Coerência com a Palavra de Deus, obediência ao Se-
nhor, compromisso com a vontade divina. Também ajudando outras pes-
soas e falando de Jesus e do evangelho para elas. Agindo assim, somos sal
da terra e luz do mundo.
Como ser sal e luz? “Chegando junto”, como diria o grande e saudoso pastor
Mauro Israel Moreira da PIB de São Gonçalo, RJ que, em um de seus livros
deu o caminho: “O testemunho maior do nosso amor é a nossa própria vi-
da, a maneira como cuidamos uns dos outros, como amamos o nosso pró-
ximo. A Palavra de Deus deixa bem claro que não há outra maneira pela
qual o mundo possa nos reconhecer como discípulos do Senhor”.

. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

»PRA TOMAR .
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.

UMA ATITUDE
. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

Uma dica final: se você não sabe avaliar o ní-


vel em que se encontra nesta abençoada es-
cala de Jesus do sal e luz, faça a si mesmo a
seguinte pergunta: As pessoas que poderiam
se beneficiar da ação do sal e da luz mencio-
nados no texto bíblico manifestam-se de que
maneira a meu respeito?

//ALUNO .17

Atitude Aluno 3T17_CORR 170417.indd 17 18/04/2017 16:34:10


3
//EBD

L I Ç Ã O

TEXTO BÍBLICO

MATEUS 5.17-26 A DIFERENÇA QUE


O CRISTÃO FAZ
TEXTO ÁUREO

MATEUS 5.20
»PRA COMEÇAR

O Senhor Jesus, no Novo Testamento, faz uso de textos do An-


tigo Testamento, valorizando-o. Mas Cristo, algumas vezes,
deu às Escrituras uma nova e mais abrangente interpretação.
Pensar “fora da caixa” dos doutores da lei, dos escribas e fa-
riseus, era tudo que um judeu do primeiro século não faria,
pelas consequências que enfrentaria caso o fizesse. Mas Jesus
podia fazer. Mesmo encarnado, Jesus é Deus. O texto que estu-
damos nesta lição é um dos principais no papel de transcender
aquilo que religiosos formais convencionaram entender.

18. //ALUNO

Atitude Aluno 3T17_CORR 170417.indd 18 18/04/2017 16:34:10


»COMENTANDO
O TEXTO BÍBLICO

CRISTO E A LEI cálogo ao nos levar a usar um outro


Jesus não cancelou a lei; ao contrá- jogo de lentes para enxergar além
rio, veio para cumpri-la. Isso quer do conceito original e convencional.
dizer que Cristo levou adiante e Ele ensinou que o homicídio tem ou-
concluiu tudo o que Deus preten- tras formas, mais interiores, algumas
dia no início. sutis e outras que só acontecem na
mente humana, que devem ser con-
O valor do texto das Escrituras per- sideradas tão pecaminosas quanto
manece, mas deve ser lido e enten- o ato violento cabal do homicídio.
dido por meio de Jesus e pelo filtro
dos ensinos do Novo Testamento. O Odiar, irar-se com seu irmão sem
Filho de Deus apresentou-nos uma motivo justo, desprezar, agredir
nova forma de observar como al- verbalmente, insultar, caluniar, tu-
guns trechos do Antigo Testamen- do isso faz da pessoa que pratica
to se aplicam aos seus discípulos, igualmente culpada pela transgres-
inclusive, nos dias de hoje. são do mandamento que proíbe o
assassinato.
Os sacrifícios de animais, por exem-
plo, terminam, pois tornam-se ob- Não se encolerizar, não agredir...
viamente desnecessários após tudo nem que seja “só” com palavras. É
estar consumado na morte de Je- o que manda o ensino de Cristo. As
sus na cruz do Calvário. Mas muitos palavras que ele usa para exemplifi-
princípios morais veterotestamentá- car esta parte do sermão são muito
rios devem ser estudados e obser- interessantes para nossa reflexão.
vados, pois Jesus os manteve sem Na língua falada por Jesus, o ara-
mudanças. Outros mandamentos maico, “raca” era uma ofensa contra
do Antigo Testamento devem ser a inteligência da pessoa, como se o
entendidos com as lentes da nova chamasse de “cabeça-oca”; e “tolo”
aliança em Cristo e do texto bíblico podia referir-se ao caráter dela, co-
neotestamentário. mo alguém que não vale nada. De
uma certa forma, o que se preten-
de ensinar é que, mesmo o insulto
NÃO MATARÁS... NÃO ODIARÁS aparentemente sem força, mas que
Jesus deu sentido mais profundo ao expressa ira, tem o peso de “assas-
mandamento “não matarás” do De- sinato” na avaliação divina.
//ALUNO .19

Atitude Aluno 3T17_CORR 170417.indd 19 18/04/2017 16:34:10


Outra lição nesta passagem bíblica NÃO À CÓLERA
é sobre a importância de uma pes- É claro que há um tipo de ira que é
soa cristã buscar sempre reconci- humana, normal e não pecamino-
liar-se com seus desafetos o mais sa. Mas esta ira aceitável é do tipo
rápido possível. Esse ensinamen- que demora acontecer e vai embo-
to só poderia estar no contexto do ra rápido. Efésios 4.26 complemen-
“não matarás” ampliado de Jesus. É ta: “Irai-vos, e não pequeis (…) não se
possível “matar” uma pessoa apenas ponha o sol sobre a vossa ira”. Em
na mente. Como? Desprezando-a, ig- outras palavras, aprendemos com
Jesus no Sermão do Monte que de-
norando-a, não pensando mais nela,
vemos tomar muito cuidado com
fazendo de conta que ela não exis-
este sentimento: irar-se sem moti-
te. Entretanto, o Novo Testamen- vo justo e de forma exagerada, al-
to exige uma conduta bem distinta gumas vezes, inclusive, desejando
disso: “Se alguém disser que ama a a morte da outra pessoa, é tão pe-
Deus, e odiar o seu irmão, é menti- caminoso quanto assassiná-la real-
roso” (1Jo 4.20). mente, na avaliação do Senhor.

20. //ALUNO

Atitude Aluno 3T17_CORR 170417.indd 20 18/04/2017 16:34:10


{} »A LIÇÃO
EM FOCO
Você já percebeu que, nestas passagens bíblicas do Sermão do Monte, Jesus
nos fornece uma sequência extraordinária? Primeiro, com as bem- aventu-
ranças, ele estimula os indivíduos à busca da essência necessária do cará-
ter cristão para ser pleno, abençoado e abençoador. Depois, apresenta o
desafio de ser sal da terra e luz do mundo com efetividade real e contínua.
E, agora, ele passa a explicar melhor a estratégia, a necessidade de coerên-
cia e o conteúdo da mensagem a ser proferida.
Sabendo que você existe para glorificar a Deus, seu Criador e Pai celestial, te-
nha em mente que uma das principais maneiras de fazer essa sua função ori-
ginal acontecer é ensinando “todo o propósito de Deus” para o seu próximo,
servindo-o no amor de Cristo e na unção do Espírito Santo. E para que este
ensino ganhe qualidade e eficácia, é extremamente importante que você en-
tenda a Bíblia com mais profundidade (assim como Cristo fez, ao realizar sua
pregação), mantendo a reverência, humildade diante da Palavra divina e a ca-
pacidade de fazer a devida aplicação de cada texto à vida de sua “audiência”.
Você é chamado a pregar o evangelho a toda a criatura, lembra-se disso? Você
tem a missão de fazer discípulos, não é mesmo? Portanto, disponha-se, estu-
de com afinco e busque pensar “fora da caixa”, do ponto de vista humano, mas
segundo a vontade de Deus, pedindo para ser usado por ele no seu dia a dia.

. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

»PRA TOMAR .
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.

UMA ATITUDE
. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

Cada dia é oportunidade de aprender mais da


ética das Escrituras Sagradas, de obedecer e
praticar a lei de Deus, de “exceder a justiça dos
escribas e fariseus”, indo além de máscaras e
rótulos externos forjados e, por fim, de fazer
esta oração, em amor: “Eis-me aqui, envia-me,
usa-me”. Já fez isso hoje?

//ALUNO .21

Atitude Aluno 3T17_CORR 170417.indd 21 18/04/2017 16:34:11