Vous êtes sur la page 1sur 50

GUIA DO

INSTRUTOR

ROBÓTICA I
VOLUME 2
MAKER ROBOTICS
Guia do Instrutor: Robótica
Introdução
O desenvolvimento da robótica surgiu da necessidade de se aperfeiçoar processos de fabricação, no sentido de melhorar a
qualidade dos produtos. Com o passar dos anos, a robótica foi abrangendo diversas outras áreas, chegando até às nossas casas.
É importante entender que um robô é qualquer tipo de sistema que controle um processo, seja um carro autônomo, uma
linha de produção ou até mesmo um elevador.

Apresentação do Guia do Instrutor


Esperamos que, com este material, você possa desenvolver com seus alunos os conceitos e práticas essenciais para quem
decide atuar nas áreas compreendidas pela Robótica.
Assim, este livro foi desenvolvido para ajudá-lo a proporcionar uma base teórica e prática aos alunos, para formar profissionais
capazes de exercer atividades relacionadas à tecnologia, mecânica, elétrica, eletrônica e programação.
Os conteúdos aqui presentes possibilitam que você consiga desenvolver em aula todos os conceitos básicos relacionados ao
material de Robótica Educacional. O material foi desenvolvido criteriosamente para que você consiga trabalhar os conteúdos
de maneira simples e agradável, possibilitando ao aluno melhor interação com a aula.

Boa aula!

Objetivo
•• Conceituar o que é robótica aos alunos;
•• Conceituar todos os dispositivos usados em robótica;
•• Aplicação e prática dos conceitos estudados.

Orientações ao Instrutor
Este manual está dividido de acordo com as aulas que serão ministradas por você. Nele, você encontrará a melhor forma
de trabalhar em aula cada conteúdo do curso. Para que você possa aproveitar bem o material, observe algumas instruções:

•• Observe os pontos importantes abordados em cada aula para conhecer dicas que te auxiliarão no desenvolvimento
dos conteúdos;
•• Nos conteúdos complementares, você encontrará sugestões, como links de vídeos ou textos, que complementam o
material e poderão te auxiliar no desenvolvimento das aulas;
•• Em cada aula são apresentadas estratégias para auxiliar o aluno no desenvolvimento das atividades;
•• No TPD, você também encontrará dicas e estratégias para auxiliar os alunos.

Ficha Técnica

•• Classificação
Crianças, adolescentes, jovens e adultos.

•• Público-alvo
Estudantes e profissionais que desejam adquirir conhecimentos na área de Robótica ou desenvolver habilidades motoras e
de raciocínio rápido.

•• Pré-requisitos do Instrutor
Formação Mínima: Técnico em Informática; Professor de Matemática, Física, estudantes de Engenharia da Computação,
Ciência da Computação ou formando na área de Tecnologia.

Formação Ideal: Estudante de Ciência da Computação ou Engenharia.

•• Pré-requisitos do aluno
Estudantes a partir de 9 anos alfabetizados.

Guia do Instrutor: Robótica


3
• Formato
Aulas práticas em laboratório específico com participação efetiva de alunos e instrutor.

• Material de apoio
Apostila do aluno, material do professor e laboratório específico.

• Carga horária
O primeiro módulo do curso de Robótica possui duração de 64h e foi dividido em duas apostilas, cada uma com 32h de
duração. A recomendação de aulas semanais é de 2h de duração.

• Informações Técnicas
• Sala de aula;
• Kits de robótica para cada 3 alunos;
• Kits de 3 chaves Philips e 3 chaves de boca 7mm para cada 3 alunos;
• 1 notebook/PC para cada 3 alunos;
• 1 jogo de pilhas AA para cada 3 alunos.

• Software
• Maker MRT 5;
• Sistema Operacional Windows 7, Windows 8 ou Windows 10.

Atenção Instrutor
O Guia do Instrutor serve de apoio para a preparação e execução das aulas, porém, não substitui as instruções da apostila
do aluno. Portanto, além deste guia, acompanhe atentamente as orientações da apostila do aluno e realize com antecedência
todas as construções propostas das aulas.

s
Anotaçõe

______________________________________________________
______________________________________________________
______________________________________________________
______________________________________________________
______________________________________________________
______________________________________________________
______________________________________________________
______________________________________________________
______________________________________________________

Guia do Instrutor: Robótica


4
Aula 1 Placa MRTduino

Carga horária
Conforme o plano de aula, esta aula terá duração de 2h00 e deverá ser conduzida de acordo com as orientações pedagógicas.

Objetivos de aprendizagem
Ao final da aula, você deverá garantir que o aluno tenha subsídios para:

• Conhecer o básico da programação no novo software MRTduino;


• Conhecer a placa MRTduino;
• Conhecer e entender a diferença dos pinos da placa.

Orientações pedagógicas
Para atender os objetivos de aprendizagem, você deverá conduzir o processo de ensino considerando a organização
didática apresentada a seguir:

• 15 minutos para aula expositiva sobre os conceitos fundamentais, exemplos e processos;


• 75 minutos para atividade proposta e dúvidas;
• 15 minutos para experimentação do projeto criado;
• 15 minutos para uma explanação geral da aula, desmontagem do projeto e prévia da próxima aula.

Tópicos de estudos
Todos os tópicos a seguir, conforme Livro do Aluno, devem ser trabalhados de forma dinâmica, criativa, com embasamento
teórico e prático voltado ao mercado de trabalho.

• Diferenças entre a antiga placa e a nova placa;


• Novas Características no software MRTduino;
• Vantagens dos novos pinos da placa.

Pontos importantes
• Para garantir ao aluno um aprendizado significativo, resgate os principais conceitos de cada tópico abordado na aula;
• Neste momento, é importante que você utilize dicas e sugestões para reforçar os temas trabalhados, oferecendo
também exemplos que possibilitem a relação entre teoria e prática.

Guia do Instrutor: Robótica


5
As diferenças entra a antiga placa e a nova placa
•• Instrutor, introduza aos alunos a nova placa, apresentando as mudanças que ocorrerão nos projetos com o uso da mesma,
comente também sobre sua compatibilidade com Arduino, e como isso pode abrir um leque de opções de montagem para o
kit.

Características novas no software MRTduino


•• Apresente ao aluno o novo software que será usado, o MRTduino, comentando e mostrando a mudança drástica na
forma de programação desse software em relação ao software usado na primeira apostila, mesmo ambos trabalhando na
programação em blocos;
•• Mostre e explique os grupos de blocos do software, como “Operators” e “Control”, suas características, e porque cada
bloco tem sua própria categoria.

Vantagens dos novos pinos da placa


•• Apresente os novos pinos presente na placa MRTduino, juntamente com os novos componentes Arduino que serão usados
durante o módulo, explicando o básico do funcionamento de cada um, e mostrando as possibilidades presentes ao relacionar
os componentes do kit com o Arduino.

Exercícios
As perguntas têm por objetivo fixar os principais conceitos abordados durante a aula. Para isso, viabilize o tempo necessário
para o aluno responder às perguntas, acompanhando-os nas dúvidas. Para correção das perguntas, considere as respostas
a seguir:

1. Assinale a alternativa que corresponde à descrição correta do funcionamento do sensor ultrassônico.

a) ( ) O sensor ultrassônico trabalha com emissão e recepção de luz infravermelha para calcular sua
distância em relação a algum objeto ou para detectar a presença de alguma coisa à sua frente.
b) ( ) O sensor ultrassônico utiliza ondas sonoras auditivas para os seres humanos somente para
identificar se há a presença de algum objeto à sua frente.
c) ( X ) O sensor ultrassônico utiliza ondas sonoras não auditivas para os seres humanos para calcular sua
distância em relação a algum objeto ou para detectar a presença de alguma coisa à sua frente.
d) ( ) O sensor ultrassônico trabalha com emissão e recepção de luz infravermelha somente para
identificar se há a presença de algum objeto à sua frente.

2. Qual das alternativas a seguir NÃO representa uma aplicação do sensor ultrassônico?

a) ( ) Contador de objetos.
b) ( ) Medidor de distância.
c) ( X ) Separador de bolinhas pretas e brancas.
d) ( ) Verificador de presença de alarmes.
e) ( ) Monitoração de nível de preenchimento de silos.

3. Sobre a programação do robô, indique qual alternativa contém uma explicação INCORRETA sobre o
funcionamento do bloco indicado.

a) ( ) Bloco “MRT Program”: responsável pela inicialização do programa indicando que será utilizado na
plataforma MRT.
b) ( ) Bloco “Forever”: sistema de repetição que permite à programação ser executada constantemente
enquanto estiver ligada.
c) ( ) Bloco “If [ ] then”: responsável por verificar uma condição específica e, se ela for realizada, então
executaro código incluso no bloco.
d) ( X ) Bloco “LED Port1 On”: desliga o LED na entrada 1.

Guia do Instrutor: Robótica


6
4. Na conexão do sensor ultrassônico na placa, observam-se 4 pinos para a conexão no sensor. Qual deles é
responsável por enviar as ondas ultrassônicas?

a) ( ) GND c) ( X ) Trig
b) ( ) Echo d) ( ) Vcc

5. Ainda sobre as conexões do sensor ultrassônico, qual o pino responsável por receber o sinal transmitido?

a) ( ) GND c) ( ) Trig
b) ( X ) Echo d) ( ) Vcc

Projeto: Carro com Sensor de Estacionamento


Este é o momento de unir teoria e prática. Para isso, você deverá estimular o aluno a chegar em um resultado significativo
de aprendizado. É necessário que você seja um orientador do processo de desenvolvimento desta atividade.

Conteúdos Complementares
Essa aula não possui conteúdo complementar.

Referências do Guia do Instrutor


Criados com direitos autorais próprios.

Guia do Instrutor: Robótica


7
Aula 2 Uso de sensores
em empresas

Carga horária
Conforme o plano de aula, esta aula terá duração de 2h00 e deverá ser conduzida de acordo com as orientações pedagógicas.

Objetivos de aprendizagem
Ao final da aula, você deverá garantir que o aluno tenha subsídios para:

• Conhecer o funcionamento e objetivo de diferentes sensores;


• Conhecer as aplicações e usos dos sensores na área empresarial.

Orientações pedagógicas
Para atender os objetivos de aprendizagem, você deverá conduzir o processo de ensino considerando a organização
didática apresentada a seguir:

• 15 minutos para aula expositiva sobre os conceitos fundamentais, exemplos e processos;


• 75 minutos para atividade proposta e dúvidas;
• 15 minutos para experimentação do projeto criado;
• 15 minutos para uma explanação geral da aula, desmontagem do projeto e prévia da próxima aula.

Tópicos de estudos
Todos os tópicos a seguir, conforme Livro do Aluno, devem ser trabalhados de forma dinâmica, criativa, com embasamento
teórico e prático voltado ao mercado de trabalho.

• O que são sensores;


• Existem mais de uma utilidade para um sensor;
• Funções que os sensores podem realizar em um processo industrial.

Pontos importantes
• Para garantir ao aluno um aprendizado significativo, resgate os principais conceitos de cada tópico abordado na aula;
• Neste momento, é importante que você utilize dicas e sugestões para reforçar os temas trabalhados, oferecendo
também exemplos que possibilitem a relação entre teoria e prática.

O que são sensores


• Instrutor, inicie a aula explicando aos alunos os conceitos de sensores, e os diferentes tipos de sensores existentes:
de movimento, temperatura, infravermelho, entre outros.

Guia do Instrutor: Robótica


8
Funções que um sensor pode exercer
•• Apresente ao aluno as aplicações de um sensor, assim como seu uso no cotidiano das pessoas;
•• Dê como exemplo os interruptores de uma casa, que são sensores de toque configurados para acender uma luz quando
ativadas, ou mesmo as portas de shopping com sensores de aproximação, que abrem as portas automaticamente quando
chegamos perto.

Exercícios
As perguntas têm por objetivo fixar os principais conceitos abordados durante a aula. Para isso, viabilize o tempo necessário
para o aluno responder às perguntas, acompanhando-os nas dúvidas. Para correção das perguntas, considere as respostas
a seguir:

1. Quando o projeto é ativado sem nenhuma bolinha, ele ainda assim vira para um dos lados. Por que isso
acontece?

a) ( ) Porque na programação já foi definido um lado para ele virar caso não encontre nenhuma bolinha.
b) ( ) Porque como nada foi definido quanto a isso, ele escolhe um lado aleatório para virar.
c) ( X ) Ele vira para o lado da bolinha preta porque ela não é vista pelo sensor de infravermelho, logo, ao
deixar o sensor com essa bolinha ou sem nada, ele vira para o mesmo lado.
d) ( ) Ele vira para o lado da bolinha branca porque ela não é vista pelo sensor de infravermelho, logo,
ao deixar o sensor com essa bolinha ou sem nada, ele vira para o mesmo lado.

2. Na programação, é usado o bloco “Wait” como delay no seu robô. Quais seriam as consequências se esse
bloco fosse retirado da programação?

a) ( ) O robô funcionaria normalmente porque o delay não afeta em nada o funcionamento.


b) ( X ) O robô não funcionaria porque, no mesmo momento em que ele virasse, voltaria para a posição
inicial.
c) ( ) O robô funcionaria, porém os lados de cada bolinha acabariam invertidos.
d) ( ) O robô não funcionaria, pois após virar para um lado, não viraria mais para o outro.

3. Assinale a alternativa ERRADA sobre o funcionamento dos sensores.

a) ( X ) Os sensores são componentes eletrônicos que podem ser ativados e desativados como um LED.
b) ( ) Os sensores sempre são programados de forma digital.
c) ( ) Os sensores sempre são programados de forma analógica.
d) ( ) Os sensores são os componentes eletrônicos responsáveis por verificar condições específicas
programadas para ativar componentes como os LEDs.

4. Quando foi montada a base do projeto, foram colocados dois parafusos grandes de um dos lados da placa.
Por que isso foi necessário?

a) ( X ) O parafuso foi colocado para dar inclinação ao projeto e, assim, as bolinhas rolarem em direção
ao sensor.
b) ( ) O parafuso foi colocado para dar estabilidade ao projeto e, portanto, ele não caia com tanta
facilidade.
c) ( ) O parafuso é meramente estético para que o projeto pareça mais simétrico.
d) ( ) O parafuso foi colocado para que seja possível conectar o botão na base da estrutura.

Guia do Instrutor: Robótica


9
5. Qual seria o resultado se fosse utilizado o separador com uma bolinha de outra cor, como azul ou verde?

a) ( X ) A bolinha seria direcionada para o lado das bolinhas brancas.


b) ( ) A bolinha seria direcionada para o lado das bolinhas pretas.
c) ( ) O robô não viraria para nenhum dos lados.
d) ( ) O robô viraria primeiro para um lado e depois para o outro.

Projeto: Separador de Esferas


Este é o momento de unir teoria e prática. Para isso, você deverá estimular o aluno a chegar em um resultado significativo
de aprendizado. É necessário que você seja um orientador do processo de desenvolvimento desta atividade.

Conteúdos Complementares
Você, Instrutor, deve agregar novos conhecimentos sobre os assuntos desta aula. Conheça algumas sugestões de conteúdo:

•• https://www.citisystems.com.br/sensor-voce-sabe-que-quais-tipos/
•• https://pt.wikipedia.org/wiki/Sensor

Referências do Guia do Instrutor


Criados com direitos autorais próprios.

Guia do Instrutor: Robótica


10
Aula 3 Pilhas e baterias

Carga horária
Conforme o plano de aula, esta aula terá duração de 2h00 e deverá ser conduzida de acordo com as orientações pedagógicas.

Objetivos de aprendizagem
Ao final da aula, você deverá garantir que o aluno tenha subsídios para:

• Conhecer o funcionamento e a estrutura da pilha;


• Conhecer o funcionamento e a estrutura da bateria;
• Entender as principais diferenças entre pilhas e baterias.

Orientações pedagógicas
Para atender os objetivos de aprendizagem, você deverá conduzir o processo de ensino considerando a organização
didática apresentada a seguir:

• 15 minutos para aula expositiva sobre os conceitos fundamentais, exemplos e processos;


• 75 minutos para atividade proposta e dúvidas;
• 15 minutos para experimentação do projeto criado;
• 15 minutos para uma explanação geral da aula, desmontagem do projeto e prévia da próxima aula.

Tópicos de estudos
Todos os tópicos a seguir, conforme Livro do Aluno, devem ser trabalhados de forma dinâmica, criativa, com embasamento
teórico e prático voltado ao mercado de trabalho.

• O que são pilhas;


• O que são baterias.

Pontos importantes
• Para garantir ao aluno um aprendizado significativo, resgate os principais conceitos de cada tópico abordado na aula;
• Neste momento, é importante que você utilize dicas e sugestões para reforçar os temas trabalhados, oferecendo
também exemplos que possibilitem a relação entre teoria e prática.

O que são pilhas e baterias


• Instrutor, inicie a aula explicando aos alunos os conceitos de pilhas e baterias, e explique sobre o funcionamento de ambas;
• Para isso, explore diversos exemplos de robôs e aparelhos que utilizam-se de baterias e pilhas como fonte de energia;
• Informe aos alunos a importância das pilhas e baterias como fonte de energia, e as principais diferenças entre elas.

Guia do Instrutor: Robótica


11
Pilhas e baterias primárias e secundárias
•• Explique aos alunos sobre as pilhas e baterias primarias e secundarias, dizendo que as secundarias são as recarregáveis,
e as primarias não.

Exercícios
As perguntas têm por objetivo fixar os principais conceitos abordados durante a aula. Para isso, viabilize o tempo necessário para
o aluno responder às perguntas, acompanhando-os nas dúvidas. Para correção das perguntas, considere as respostas a seguir:

1. Sobre as entradas positivas e negativas dos LED’s, qual a função de cada uma delas?

a) ( X ) O polo negativo recebe a energia da placa e o polo positivo indica o canal da placa em que ele está
sendo conectado.
b) ( ) O polo positivo recebe a energia da placa e o polo positivo indica o canal da placa em que ele está
sendo conectado.
c) ( ) Ambos os polos recebem a energia.
d) ( ) Um polo recebe a energia e o outro indica o canal da placa em que está sendo conectado, mas não
faz diferença qual é positivo e qual é negativo.

2. Na programação, em vez de usar o “Repeat 1”, o que poderia ser feito para que o código só fosse executado
uma vez?

a) ( ) Usar o bloco “Forever” no lugar.


b) ( X ) Excluir o bloco “Repeat 1” e deixar apenas seu código interno.
c) ( ) Utilizar um “Delay” no final do código.
d) ( ) Utilizar um bloco “Repeat 2”.

3. Qual a função designada aos 3 LED’s no projeto?

a) ( ) Simular os faróis do carro.


b) ( ) Iluminar o carrinho em alguma passagem escura.
c) ( X ) Indicar a quantidade de bateria simulada no carrinho.
d) ( ) Indicar a quantidade de bateria real do case conectado à placa MRTduino.

4. Qual dessas fontes de energia é mais potente?

a) ( ) Pilha b) ( X ) Bateria

5. Qual a função dos jumpers em conjunto aos componentes Arduino?

a) ( ) Eles servem como resistores para adaptar a energia recebida da placa para os componentes
Arduino.
b) ( X ) Servem apenas como extensor para conectar os pinos dos componentes na placa, podendo ser
colocados em qualquer parte do projeto.
c) ( ) São componentes essenciais para o funcionamento de qualquer componente, pois não funcionam
se conectados diretamente à placa.
d) ( ) Os jumpers configuram os componentes Arduino para serem usados no software sem
incompatibilidades.

Guia do Instrutor: Robótica


12
Projeto: Carrinho de brinquedo
Este é o momento de unir teoria e prática. Para isso, você deverá estimular o aluno a chegar em um resultado significativo
de aprendizado. É necessário que você seja um orientador do processo de desenvolvimento desta atividade.

Conteúdos Complementares
Você, Instrutor, deve agregar novos conhecimentos sobre os assuntos desta aula. Conheça algumas sugestões de conteúdo:

•• http://brasilescola.uol.com.br/quimica/qual-diferenca-entre-pilhas-baterias.htm
•• http://mundoeducacao.bol.uol.com.br/quimica/diferenca-entre-pilhas-baterias.htm

Referências do Guia do Instrutor


Criados com direitos autorais próprios.

Guia do Instrutor: Robótica


13
Aula 4 Sensor de vibração

Carga horária
Conforme o plano de aula, esta aula terá duração de 2h00 e deverá ser conduzida de acordo com as orientações pedagógicas.

Objetivos de aprendizagem
Ao final da aula, você deverá garantir que o aluno tenha subsídios para:

• Conhecer mais a fundo o sensor de vibração;


• Aprender o funcionamento e utilidades do sensor de vibração.

Orientações pedagógicas
Para atender os objetivos de aprendizagem, você deverá conduzir o processo de ensino considerando a organização
didática apresentada a seguir:

• 15 minutos para aula expositiva sobre os conceitos fundamentais, exemplos e processos;


• 75 minutos para atividade proposta e dúvidas;
• 15 minutos para experimentação do projeto criado;
• 15 minutos para uma explanação geral da aula, desmontagem do projeto e prévia da próxima aula.

Tópicos de estudos
Todos os tópicos a seguir, conforme Livro do Aluno, devem ser trabalhados de forma dinâmica, criativa, com embasamento
teórico e prático voltado ao mercado de trabalho.

• Como funciona o sensor de vibração;


• Utilidades desse sensor.

Pontos importantes
• Para garantir ao aluno um aprendizado significativo, resgate os principais conceitos de cada tópico abordado na aula;
• Neste momento, é importante que você utilize dicas e sugestões para reforçar os temas trabalhados, oferecendo
também exemplos que possibilitem a relação entre teoria e prática.

Como funciona o sensor de vibração


• Instrutor, inicie a aula apresentando aos alunos o sensor de vibração do kit. Explique como funciona o sensor, dê
exemplos do seu uso no dia a dia, em seguida, explique rapidamente a estrutura que forma o sensor de vibração.

Guia do Instrutor: Robótica


14
Exercícios
As perguntas têm por objetivo fixar os principais conceitos abordados durante a aula. Para isso, viabilize o tempo necessário para
o aluno responder às perguntas, acompanhando-os nas dúvidas. Para correção das perguntas, considere as respostas a seguir:

1. Como funciona a programação do sensor de vibração no software?

a) ( X ) O software interpreta os valores analógicos recebidos pelo sensor e, por intermédio de um valor
predeterminado, define se existe ou não vibração.
b) ( ) O software recebe diretamente o valor digital do sensor, podendo usar esse valor diretamente
para as condições da programação.
c) ( ) No software, é possível programar o sensor tanto com seu valor analógico como com o digital.
d) ( ) O modo como ele vai ser programado depende de qual porta foi usada na placa MRTduino.

2. Como funciona a programação do sensor de vibração no software?

a) ( ) O sensor é formado por diversos materiais eletrônicos e gera diferentes frequências quando
inclinado em um ângulo diferente do original.
b) ( ) O sensor é construído com materiais piezoelétricos que geram energia elétrica conforme são
balançados, e essa energia é usada para medir os valores de vibração recebidos.
c) ( X ) O sensor é construído com materiais piezoelétricos que possuem a capacidade de gerar uma
tensão quando submetidos a um esforço mecânico.

3. Por que na conexão do sensor de vibração não se utilizou nenhum pino de GND para a recepção da energia?

a) ( ) Porque o sensor de vibração em específico não necessita da recepção de energia.


b) ( ) Porque nenhum dos componentes MRT precisa da recepção de energia.
c) ( X ) Porque o pino do GND já está incluso nos 3 pinos do sensor na placa.
d) ( ) O sensor precisa de uma entrada GND, logo é necessário uma conexão externa ao sensor para a
passagem da energia

4. Qual o funcionamento correto do bloco “If ... else” no programa?

a) ( ) O código no “If” é executado se a condição for realizada; e se ela for realizada, o bloco “else” é
executado logo em seguida também.
b) ( ) O código no “If” é executado se a condição não for realizada; e o bloco “else” é executado se a
condição do “If” for realizada.
c) ( ) Se a condição do “If” for realizada, o usuário poderá escolher se executará o código do “If” ou
do “else”.
d) ( X ) O código do “If” é executado se a condição for realizada; se não for, então o código no bloco “else”
é executado.

5. No projeto, o sensor de vibração foi fixado na base da casa. Quais seriam as consequências se ele fosse
fixado no telhado da casa?

a) ( X ) Nenhuma, pois como a estrutura é fixa, a vibração será a mesma em qualquer parte dela.
b) ( ) O sensor não funcionaria com tanta precisão como na base, pois a vibração perde energia durante
o trajeto da base para o telhado.
c) ( ) O sensor não funcionaria, pois a vibração não chegaria ao telhado da casa em nenhuma situação.
d) ( ) Ele funcionaria normalmente, porém a programação precisaria ser adaptada.

Guia do Instrutor: Robótica


15
Projeto: Sensor de vibração (alarme de terremoto)
Este é o momento de unir teoria e prática. Para isso, você deverá estimular o aluno a chegar em um resultado significativo
de aprendizado. É necessário que você seja um orientador do processo de desenvolvimento desta atividade.

Conteúdos Complementares
Você, Instrutor, deve agregar novos conhecimentos sobre os assuntos desta aula. Conheça algumas sugestões de conteúdo:

•• https://www.mecanicaindustrial.com.br/634-o-que-e-um-sensor-piezoeletrico/
•• https://pt.wikipedia.org/wiki/Sensor_piezoel%C3%A9trico

Referências do Guia do Instrutor


Criados com direitos autorais próprios.

Guia do Instrutor: Robótica


16
Aula 5 Variáveis

Carga horária
Conforme o plano de aula, esta aula terá duração de 2h00 e deverá ser conduzida de acordo com as orientações pedagógicas.

Objetivos de aprendizagem
Ao final da aula, você deverá garantir que o aluno tenha subsídios para:

• Entender o funcionamento dos radares;


• Entender o que são variáveis;
• Aprimorar seu conhecimento de programação no software MRTduino.

Orientações pedagógicas
Para atender os objetivos de aprendizagem, você deverá conduzir o processo de ensino considerando a organização
didática apresentada a seguir:

• 15 minutos para aula expositiva sobre os conceitos fundamentais, exemplos e processos;


• 75 minutos para atividade proposta e dúvidas;
• 15 minutos para experimentação do projeto criado;
• 15 minutos para uma explanação geral da aula, desmontagem do projeto e prévia da próxima aula.

Tópicos de estudos
Todos os tópicos a seguir, conforme Livro do Aluno, devem ser trabalhados de forma dinâmica, criativa, com embasamento
teórico e prático voltado ao mercado de trabalho.

• O que são e para que servem as variáveis;


• Como são usadas as variáveis em radares;
• Importância das variáveis nas programações em geral.

Pontos importantes
• Para garantir ao aluno um aprendizado significativo, resgate os principais conceitos de cada tópico abordado na aula;
• Neste momento, é importante que você utilize dicas e sugestões para reforçar os temas trabalhados, oferecendo
também exemplos que possibilitem a relação entre teoria e prática.

O que são variáveis


• Instrutor, inicie a aula explicando aos alunos os conceitos de variáveis. Explique como elas são criadas e seu
funcionamento no sistema do computador ou do robô;
• Exemplifique as variáveis como pequenas caixas vazias dentro de um sistema, com a capacidade de armazenar
qualquer valor que lhe for atribuído.

Guia do Instrutor: Robótica


17
Como são usadas as variáveis em radares
•• Apresente ao aluno o funcionamento básico dos radares, utilizando sensores para suas medições;
•• Dê como exemplo, os radares de velocidades usados em pistas, e os diferentes jeitos de utilizar sensores para fazer
esse cálculo.

Importância das variáveis nas programações


•• Explique a aplicação real das variáveis nos robôs e máquinas. Mostre como ela é usada para receber os diferentes valores
de cada sensor, e como ele é capaz de usar esse valor para tomar decisões, de acordo com o que a máquina precisa fazer;
•• Exemplifique casos diferentes do uso das variáveis.

Exercícios
As perguntas têm por objetivo fixar os principais conceitos abordados durante a aula. Para isso, viabilize o tempo necessário para
o aluno responder às perguntas, acompanhando-os nas dúvidas. Para correção das perguntas, considere as respostas a seguir:

1. Qual das funções abaixo NÃO depende da variável para funcionar?

a) ( ) Identificar se a contagem foi iniciada.


b) ( ) Identificar se o carro estava ou não acima da velocidade permitida por meio de uma contagem
feita na variável.
c) ( ) Acender o LED verde ou vermelho, dependendo da situação.
d) ( X ) Identificar alguma presença no radar.

2. Explique como funcionaria o sistema do radar se fossem utilizados dois sensores infravermelhos.
Resposta: Se o sistema utilizasse dois sensores infravermelhos, o sistema precisaria contar o tempo, a partir do momento em
que o carro foi localizado pelo primeiro sensor, até o momento em que entra no alcance do segundo. Com essas informações,
dividindo a distância percorrida de um sensor ao outro pelo tempo decorrido, poderíamos encontrar a velocidade média do
carro, e assim o programa julgaria se a velocidade ultrapassa o limite ou não.

3. Qual a importância dos radares de velocidade nas pistas?

a) ( X ) São essenciais para manter a segurança nas pistas, multando e evitando que a prática de
ultrapassar a velocidade limite das estradas torne-se um costume.
b) ( ) Não são importantes, trata-se de apenas uma medida simples para cuidar de alguns problemas
que causam muitos acidentes no trânsito.

4. Na programação, são usados dois tipos diferentes de if: o “If” normal e o “if...else”. Qual a diferença entre eles?

a) ( ) No “If” usa-se apenas uma condição para comparar, no “If...else” pode-se usar mais de uma
condição em conjunto.
b) ( X ) O “If” apenas executa seu código se a condição for realizada, se ela não se cumprir, nada acontece.
Já no “If...else”, há também um espaço para um código se a condição não se encaixar no if.
c) ( ) O “If...else” apenas executa seu código se a condição for realizada, se ela não se cumprir, nada
acontece. Já no “If”, há também um espaço para um código se a condição não se encaixar no if.
d) ( ) No “If...else” usa-se apenas uma condição para comparar, no “If” pode-se usar mais de uma
condição em conjunto.

Guia do Instrutor: Robótica


18
5. O que é uma variável para a programação?

a) ( X ) É como uma caixa vazia no programa, onde é possível preenchê-la com qualquer valor desejado
durante a programação e usá-la em quaisquer condições ou para dar valor em componentes.
b) ( ) É um número específico que precisa ser definido no começo da programação e que manterá seu
valor até o final do programa, podendo ser usado ao longo do código.
c) ( ) Variáveis são todos os blocos de comandos usados na programação, como o bloco de motor ou o
LED.
d) ( ) É um número que vai aumentando com o tempo.

Projeto: Radar de velocidade de trânsito


Este é o momento de unir teoria e prática. Para isso, você deverá estimular o aluno a chegar em um resultado significativo
de aprendizado. É necessário que você seja um orientador do processo de desenvolvimento desta atividade.

Conteúdos Complementares
Você, Instrutor, deve agregar novos conhecimentos sobre os assuntos desta aula. Conheça algumas sugestões de conteúdo:

•• http://www.dicasdeprogramacao.com.br/o-que-e-variavel-e-constante/
•• https://pt.wikipedia.org/wiki/Vari%C3%A1vel_(programa%C3%A7%C3%A3o)

Referências do Guia do Instrutor


Criados com direitos autorais próprios.

Guia do Instrutor: Robótica


19
Aula 6 Esteira (Lagarta)

Carga horária
Conforme o plano de aula, esta aula terá duração de 2h00 e deverá ser conduzida de acordo com as orientações pedagógicas.

Objetivos de aprendizagem
Ao final da aula, você deverá garantir que o aluno tenha subsídios para:

• Conhecer mais profundamente a diferença entre esteira e lagarta;


• Entender o uso de cada uma delas.

Orientações pedagógicas
Para atender os objetivos de aprendizagem, você deverá conduzir o processo de ensino considerando a organização
didática apresentada a seguir:

• 15 minutos para aula expositiva sobre os conceitos fundamentais, exemplos e processos;


• 75 minutos para atividade proposta e dúvidas;
• 15 minutos para experimentação do projeto criado;
• 15 minutos para uma explanação geral da aula, desmontagem do projeto e prévia da próxima aula.

Tópicos de estudos
Todos os tópicos a seguir, conforme Livro do Aluno, devem ser trabalhados de forma dinâmica, criativa, com embasamento
teórico e prático voltado ao mercado de trabalho.

• O que são Esteiras;


• O que são Lagartas.

Pontos importantes
• Para garantir ao aluno um aprendizado significativo, resgate os principais conceitos de cada tópico abordado na aula;
• Neste momento, é importante que você utilize dicas e sugestões para reforçar os temas trabalhados, oferecendo
também exemplos que possibilitem a relação entre teoria e prática.

O que são esteiras e lagartas


• Instrutor, inicie a aula explicando aos alunos o que é uma esteira, e apresente a eles a esteira do kit. Mostre exemplos
do uso de esteiras, como em caixas de supermercado ou em linhas de produção;
• Em seguida, mostre uma das principais utilizações da esteira: a lagarta. Dê exemplos de veículos que fazem uso da
lagarta e mostre suas vantagens e desvantagens em relação as rodas convencionais.

Guia do Instrutor: Robótica


20
Exercícios
As perguntas têm por objetivo fixar os principais conceitos abordados durante a aula. Para isso, viabilize o tempo necessário para
o aluno responder às perguntas, acompanhando-os nas dúvidas. Para correção das perguntas, considere as respostas a seguir:

1. Como o programa utiliza a variável para inverter a direção do bondinho?

a) ( ) Ele diminui a velocidade do motor.


b) ( ) Ele acelera a velocidade do motor.
c) ( X ) Ele inverte a polaridade do motor.
d) ( ) Ele desliga o motor.

2. Quais as vantagens da utilização da lagarta no lugar das rodas convencionais?


Resposta: Maior estabilidade em terrenos inclinados, elevada força de tração, e não furam nem rasgam como os pneus
convencionais.

3. Quais as desvantagens da utilização da lagarta no lugar das rodas convencionais?


Resposta: Baixa velocidade, mais complexo que as rodas convencionais, e a perda de um único segmento da lagarta pode
causar a imobilização total do veículo.

4. Descreva o funcionamento e o percurso do bondinho montado na aula.


Resposta: A partir do momento em que o robô é ligado, ele começa seu movimento até um dos lados, quando chega lá,
o sensor verifica sua chegada, faz uma pausa para embarque e desembarque de passageiros, e então segue de volta para o
outro lado, repetindo assim o processo.

5. Na aula de hoje, você viu que a esteira do kit tem outras utilizações além da montagem de lagartas; descreva
outras utilidades dessa peça.
Resposta: Com os seguimentos conectados, é possível também utilizá-la como esteira, ou trilho como nesse projeto.

Projeto: Bondinho
Este é o momento de unir teoria e prática. Para isso, você deverá estimular o aluno a chegar em um resultado significativo
de aprendizado. É necessário que você seja um orientador do processo de desenvolvimento desta atividade.

Guia do Instrutor: Robótica


21
Conteúdos Complementares
Você, Instrutor, deve agregar novos conhecimentos sobre os assuntos desta aula. Conheça algumas sugestões de conteúdo:

• https://pt.wikipedia.org/wiki/Lagarta_(mec%C3%A2nica)

Referências do Guia do Instrutor


Criados com direitos autorais próprios.

s
Anotaçõe

______________________________________________________
______________________________________________________
______________________________________________________
______________________________________________________
______________________________________________________
______________________________________________________
______________________________________________________
______________________________________________________
______________________________________________________

Guia do Instrutor: Robótica


22
Aula 7 Mecanismos para
levantar peso

Carga horária
Conforme o plano de aula, esta aula terá duração de 2h00 e deverá ser conduzida de acordo com as orientações pedagógicas.

Objetivos de aprendizagem
Ao final da aula, você deverá garantir que o aluno tenha subsídios para:

• Conhecer os mecanismos para levantar peso;


• Entender o funcionamento de mecanismos como alavancas e manivelas.

Orientações pedagógicas
Para atender os objetivos de aprendizagem, você deverá conduzir o processo de ensino considerando a organização
didática apresentada a seguir:

• 15 minutos para aula expositiva sobre os conceitos fundamentais, exemplos e processos;


• 75 minutos para atividade proposta e dúvidas;
• 15 minutos para experimentação do projeto criado;
• 15 minutos para uma explanação geral da aula, desmontagem do projeto e prévia da próxima aula.

Tópicos de estudos
Todos os tópicos a seguir, conforme Livro do Aluno, devem ser trabalhados de forma dinâmica, criativa, com embasamento
teórico e prático voltado ao mercado de trabalho.

• O que são Manivelas;


• O que são Alavancas;
• Qual o uso desses mecanismos.

Pontos importantes
• Para garantir ao aluno um aprendizado significativo, resgate os principais conceitos de cada tópico abordado na aula;
• Neste momento, é importante que você utilize dicas e sugestões para reforçar os temas trabalhados, oferecendo
também exemplos que possibilitem a relação entre teoria e prática.

O que são manivelas e alavancas e onde a usamos


• Instrutor, inicie a aula explicando aos alunos a importância de mecanismos para levantar pesos muito grandes para
construções e diferentes tarefas;
• Para isso, explore as ferramentas criadas ao longo dos anos para facilitar esse trabalho, citando as alavancas e manivelas;
• Explique o funcionamento de cada uma delas, juntamente com exemplos de uso de cada um, pensando em como
seriam determinadas tarefas sem a ajuda de tais mecanismos.

Guia do Instrutor: Robótica


23
Exercícios
As perguntas têm por objetivo fixar os principais conceitos abordados durante a aula. Para isso, viabilize o tempo necessário para
o aluno responder às perguntas, acompanhando-os nas dúvidas. Para correção das perguntas, considere as respostas a seguir:

1. Explique porque a força exercida por alguém em um sistema com uma e com duas polias são diferentes.
Resposta: A estrutura da polia facilita o trabalho para levantar ou puxar determinados pesos, e cada polia colocada em um
sistema diminui o esforço necessário para deslocar o objeto, logo, com duas polias, se torna mais fácil mover um objeto do
que em um sistema com apenas uma polia.

2. Quais as principais diferenças entre manivelas e alavancas?


Resposta: A manivela é um sistema auxiliar às polias, uma estrutura que faz o papel de puxar um certo objeto, mas ao
invés desse movimento, giramos a manivela.
A alavanca é um sistema mais simples e não depende de nenhuma polia, nela usamos um ponto de apoio, uma estrutura
para fazermos a força no objeto e, utilizando a distância dessa estrutura para o ponto de apoio, usamos a vantagem mecânica
para diminuir o esforço necessário.

3. O que seria uma alavanca Interfixa?

a) ( X ) Alavanca cujo Ponto de Apoio está localizado entre a Força Potente e a Força Resistente.
b) ( ) Alavanca cuja Força Potente está localizada entre o Ponto de Apoio e a Força Resistente.
c) ( ) Alavanca cuja Força Resistente está localizada entre o Ponto de Apoio e a Força Potente.

4. Sobre a alavanca, é INCORRETO afirmar que:

a) ( ) Quanto maior a distância entre a Força Potente e o Ponto de Apoio, menor será a força exercida.
b) ( ) Todos os tipos de alavancas têm em comum a utilização de uma força menor para gerar uma força
maior do outro lado da alavanca.
c) ( ) A alavanca Interfixa é a mesma usada em uma tesoura.
d) ( X ) A alavanca Interpotente é a alavanca que gera maior força entre todas as outras.

5. Cite 5 exemplos do uso de alavancas e manivelas no seu dia a dia.


Resposta: Janela do carro, vara de pescar, martelo, tesoura e carriola.

s
Anotaçõe

______________________________________________________
______________________________________________________
______________________________________________________
______________________________________________________
______________________________________________________
______________________________________________________
______________________________________________________
______________________________________________________
______________________________________________________

Guia do Instrutor: Robótica


24
Projeto: Portão de manivelas
Este é o momento de unir teoria e prática. Para isso, você deverá estimular o aluno a chegar em um resultado significativo
de aprendizado. É necessário que você seja um orientador do processo de desenvolvimento desta atividade.

Conteúdos Complementares
Você, Instrutor, deve agregar novos conhecimentos sobre os assuntos desta aula. Conheça algumas sugestões de conteúdo:

•• https://pt.wikipedia.org/wiki/Alavanca

Referências do Guia do Instrutor


Criados com direitos autorais próprios.

Guia do Instrutor: Robótica


25
Aula 8 Fontes de energia

Carga horária
Conforme o plano de aula, esta aula terá duração de 2h00 e deverá ser conduzida de acordo com as orientações pedagógicas.

Objetivos de aprendizagem
Ao final da aula, você deverá garantir que o aluno tenha subsídios para:

• Saber o que são fontes de energia;


• Conhecer as fontes de energia;
• Saber diferenciar fontes renováveis de fontes não renováveis.

Orientações pedagógicas
Para atender os objetivos de aprendizagem, você deverá conduzir o processo de ensino considerando a organização
didática apresentada a seguir:

• 15 minutos para aula expositiva sobre os conceitos fundamentais, exemplos e processos;


• 75 minutos para atividade proposta e dúvidas;
• 15 minutos para experimentação do projeto criado;
• 15 minutos para uma explanação geral da aula, desmontagem do projeto e prévia da próxima aula.

Tópicos de estudos
Todos os tópicos a seguir, conforme Livro do Aluno, devem ser trabalhados de forma dinâmica, criativa, com embasamento
teórico e prático voltado ao mercado de trabalho.

• O que são fontes de energia;


• O que são fontes renováveis;
• O que são fontes não renováveis.

Pontos importantes
• Para garantir ao aluno um aprendizado significativo, resgate os principais conceitos de cada tópico abordado na aula;
• Neste momento, é importante que você utilize dicas e sugestões para reforçar os temas trabalhados, oferecendo
também exemplos que possibilitem a relação entre teoria e prática.

O que são fontes de energia


• Instrutor, inicie a aula explicando aos alunos a definição de fontes de energia, conceituando que são métodos de gerar
eletricidade através de recursos naturais ou artificiais;

Guia do Instrutor: Robótica


26
•• Exemplifique e apresente o funcionamento de algumas fontes de energia muito utilizadas, como a hidrelétrica e a energia
eólica, e apresente a importância da energia que elas geram, sendo responsáveis por manter uma cidade inteira abastecida
de eletricidade.

Fontes de energia renováveis e não renováveis


•• Apresente as diferenças de fontes renováveis e não renováveis, sua associação com os recursos naturais ou artificiais, e
seu impacto no meio ambiente e no meio onde vivemos.

Exercícios
As perguntas têm por objetivo fixar os principais conceitos abordados durante a aula. Para isso, viabilize o tempo necessário para
o aluno responder às perguntas, acompanhando-os nas dúvidas. Para correção das perguntas, considere as respostas a seguir:

1. Qual a grande desvantagem do uso de energia eólica como fonte de energia?

a) ( ) Sustentabilidade. c) ( ) Grande emissão de poluentes.


b) ( X ) Custo dos equipamentos. d) ( ) Altos impactos ambientais.

2. Qual dessas fontes de energia NÃO é renovável?

a) ( ) Energia eólica. c) ( ) Energia hidrelétrica.


b) ( ) Energia solar. d) ( X ) Energia nuclear.

3. Explique por que não seria possível a montagem dessa programação sem o uso de uma variável.
Resposta: Porque é a variável que identifica se o gerador está carregado ou não para abastecer a cidade.

4. Escolha uma fonte de energia que você conheça e explique o seu funcionamento.
Resposta: A fonte de energia eólica trabalha utilizando hélices, que são movidas através da força do vento, gerando força
para um gerador.

5. Qual a vantagem do uso das fontes de energia não renováveis sobre as renováveis?
Resposta: São em geral, mais baratas na implementação, manutenção e transporte, além de possuírem elevado
rendimento energético.

Guia do Instrutor: Robótica


27
Projeto: Usina hidrelétrica
Este é o momento de unir teoria e prática. Para isso, você deverá estimular o aluno a chegar em um resultado significativo
de aprendizado. É necessário que você seja um orientador do processo de desenvolvimento desta atividade.

Conteúdos Complementares
Você, Instrutor, deve agregar novos conhecimentos sobre os assuntos desta aula. Conheça algumas sugestões de conteúdo:

•• http://brasilescola.uol.com.br/geografia/fontes-energia.htm
•• https://www.todamateria.com.br/fontes-de-energia/
•• http://www.suapesquisa.com/cienciastecnologia/fontes_energia.htm

Referências do Guia do Instrutor


Criados com direitos autorais próprios.

Guia do Instrutor: Robótica


28
Aula 9 Programação

Carga horária
Conforme o plano de aula, esta aula terá duração de 2h00 e deverá ser conduzida de acordo com as orientações pedagógicas.

Objetivos de aprendizagem
Ao final da aula, você deverá garantir que o aluno tenha subsídios para:

• Conhecer mais a fundo o conceito de programação;


• Conhecer o conceito de algoritmo;
• Entender as diferenças da programação em blocos para programação em linha;
• Aprimorar as habilidades e entendimento da lógica de programação.

Orientações pedagógicas
Para atender os objetivos de aprendizagem, você deverá conduzir o processo de ensino considerando a organização
didática apresentada a seguir:

• 15 minutos para aula expositiva sobre os conceitos fundamentais, exemplos e processos;


• 75 minutos para atividade proposta e dúvidas;
• 15 minutos para experimentação do projeto criado;
• 15 minutos para uma explanação geral da aula, desmontagem do projeto e prévia da próxima aula.

Tópicos de estudos
Todos os tópicos a seguir, conforme Livro do Aluno, devem ser trabalhados de forma dinâmica, criativa, com embasamento
teórico e prático voltado ao mercado de trabalho.

• Para que serve a programação;


• Diferença da programação em linha para a programação em blocos;
• O que é algoritmo.

Pontos importantes
• Para garantir ao aluno um aprendizado significativo, resgate os principais conceitos de cada tópico abordado na aula;
• Neste momento, é importante que você utilize dicas e sugestões para reforçar os temas trabalhados, oferecendo
também exemplos que possibilitem a relação entre teoria e prática.

O que é um algoritmo
• Instrutor, inicie a aula explicando aos alunos os conceitos de algoritmo como uma forma de organizar a programação,
uma linha de pensamentos para sequenciar os passos para resolver uma tarefa.

Guia do Instrutor: Robótica


29
Para que serve a programação
• Para finalizar, apresente aos alunos a importância da programação na área da robótica. Explique também a aplicação da
programação, em uma empresa por exemplo, mostrando como cada componente eletrônico nele tem uma programação diferente;
• Pegando como base uma empresa qualquer, defina possíveis programações de cada máquina. (Ex: um alarme de incêndio
– programação: quando um sensor de temperatura verifica um valor em graus maior que o normal e o programado, seu
sistema é ativado, disparando um alarme, e mandando uma mensagem de aviso para o chefe da empresa).

Exercícios
As perguntas têm por objetivo fixar os principais conceitos abordados durante a aula. Para isso, viabilize o tempo necessário para
o aluno responder às perguntas, acompanhando-os nas dúvidas. Para correção das perguntas, considere as respostas a seguir:

1. Como a programação foi feita para não ser muito grande, ela tem alguns furos no código. Analisando-o, o
que pode ser feito para “passar de fase” sem fazer a mesma sequência?
Resposta: Como a programação verifica apenas a partir da soma dos botões, é possível passar de fase apenas clicando nos
botões indicados, não necessariamente na ordem em que foi passada.

2. Explique o funcionamento das variáveis “soma” e “soma2” para o funcionamento do código.


Resposta: A “soma” calcula a soma dos valores das cores que foram acesas quando o programa começa, quando é sua vez
de tentar acertar a sequência, a “soma2” acumula a soma dos valores dos botões clicados.

3. Como você faria a programação se fosse necessário que a sequência fosse sempre a mesma, apenas
aumentando a cada rodada?
Resposta: Pode ser feito uma nova variável para armazenar cada escolha do usuário, ou fazer funções para cada caso, o
que seria muito trabalhoso.

4. Por que todo componente eletrônico Arduino tem que ser conectado a algum GND?
Resposta: Porque ele é responsável pela transmissão de energia entre o componente e a placa.

5. Existiria diferença no funcionamento do projeto se todos os IR’s fossem substituídos por outros botões?
Resposta: Não, isso só não foi feito devido ao kit conter apenas 2 botões.

s
Anotaçõe

______________________________________________________
______________________________________________________
______________________________________________________
______________________________________________________
______________________________________________________
______________________________________________________
______________________________________________________
______________________________________________________
______________________________________________________

Guia do Instrutor: Robótica


30
Projeto: Genius
Este é o momento de unir teoria e prática. Para isso, você deverá estimular o aluno a chegar em um resultado significativo
de aprendizado. É necessário que você seja um orientador do processo de desenvolvimento desta atividade.

Conteúdos Complementares
Você, Instrutor, deve agregar novos conhecimentos sobre os assuntos desta aula. Conheça algumas sugestões de conteúdo:

•• https://pt.wikipedia.org/wiki/Programa%C3%A7%C3%A3o_de_computadores

Referências do Guia do Instrutor


Criados com direitos autorais próprios.

Guia do Instrutor: Robótica


31
Aula 10 Automação
industrial

Carga horária
Conforme o plano de aula, esta aula terá duração de 2h00 e deverá ser conduzida de acordo com as orientações pedagógicas.

Objetivos de aprendizagem
Ao final da aula, você deverá garantir que o aluno tenha subsídios para:

• Conhecer os conceitos de Automação Industrial;


• Entender o funcionamento e a importância das máquinas em diversas empresas.

Orientações pedagógicas
Para atender os objetivos de aprendizagem, você deverá conduzir o processo de ensino considerando a organização
didática apresentada a seguir:

• 15 minutos para aula expositiva sobre os conceitos fundamentais, exemplos e processos;


• 75 minutos para atividade proposta e dúvidas;
• 15 minutos para experimentação do projeto criado;
• 15 minutos para uma explanação geral da aula, desmontagem do projeto e prévia da próxima aula.

Tópicos de estudos
Todos os tópicos a seguir, conforme Livro do Aluno, devem ser trabalhados de forma dinâmica, criativa, com embasamento
teórico e prático voltado ao mercado de trabalho.

• O que é automação industrial;


• A importância das máquinas nos dias de hoje.

Pontos importantes
• Para garantir ao aluno um aprendizado significativo, resgate os principais conceitos de cada tópico abordado na aula;
• Neste momento, é importante que você utilize dicas e sugestões para reforçar os temas trabalhados, oferecendo
também exemplos que possibilitem a relação entre teoria e prática.

O que é Automação Industrial


• Instrutor, inicie a aula explicando aos alunos os conceitos Automação industrial e sua crescente importância ao longo
dos anos;
• Informe aos alunos sobre as principais máquinas utilizadas em indústrias, e seu funcionamento;
• Questione aos alunos como seriam as indústrias sem a automação industrial.

Guia do Instrutor: Robótica


32
Exercícios
As perguntas têm por objetivo fixar os principais conceitos abordados durante a aula. Para isso, viabilize o tempo necessário para
o aluno responder às perguntas, acompanhando-os nas dúvidas. Para correção das perguntas, considere as respostas a seguir:

1. Quais componentes nesse projeto podem ser substituídos por componentes Arduino?
Resposta: O LED e o sensor IR pode ser substituído pelo ultrassônico.

2. Explique como foi possível, por meio da programação, o funcionamento da serra inteligente.
Resposta: A programação da serra inteligente usa o sensor IR ao lado da mesa para constantemente verificar a presença
de alguma mão, e assim que essa presença é confirmada, a serra automaticamente se desliga, evitando acidentes.

3. Se não houvesse variáveis no programa, o que ainda seria possível fazer do projeto? E como?
Resposta: A configuração de ligar e desligar a serra ainda funcionaria.

4. Faça testes com diferentes materiais frágeis, como papel e isopor, e descubra em quais materiais sua serra
tem mais efeito; depois descreva a experiência.
Resposta pessoal.

5. No projeto, os botões podem facilmente ser substituídos pelos IR. Explique por que o contrário não
é possível.
Resposta: Os botões têm a única função de ativar e desativar mecanismos, e os IR’s podem fazer esse trabalho, porém os
botões não podem verificar presenças a sua frente como o IR.

Projeto: Serra de mesa


Este é o momento de unir teoria e prática. Para isso, você deverá estimular o aluno a chegar em um resultado significativo
de aprendizado. É necessário que você seja um orientador do processo de desenvolvimento desta atividade.

Guia do Instrutor: Robótica


33
Conteúdos Complementares
Você, Instrutor, deve agregar novos conhecimentos sobre os assuntos desta aula. Conheça algumas sugestões de conteúdo:

• https://pt.wikipedia.org/wiki/Automa%C3%A7%C3%A3o_industrial

Referências do Guia do Instrutor


Criados com direitos autorais próprios.

s
Anotaçõe

______________________________________________________
______________________________________________________
______________________________________________________
______________________________________________________
______________________________________________________
______________________________________________________
______________________________________________________
______________________________________________________
______________________________________________________

Guia do Instrutor: Robótica


34
Aula 11 Inteligência
artificial

Carga horária
Conforme o plano de aula, esta aula terá duração de 2h00 e deverá ser conduzida de acordo com as orientações pedagógicas.

Objetivos de aprendizagem
Ao final da aula, você deverá garantir que o aluno tenha subsídios para:

• Conhecer o conceito de inteligência artificial;


• Entender as aplicações da área de IA.

Orientações pedagógicas
Para atender os objetivos de aprendizagem, você deverá conduzir o processo de ensino considerando a organização
didática apresentada a seguir:

• 15 minutos para aula expositiva sobre os conceitos fundamentais, exemplos e processos;


• 75 minutos para atividade proposta e dúvidas;
• 15 minutos para experimentação do projeto criado;
• 15 minutos para uma explanação geral da aula, desmontagem do projeto e prévia da próxima aula.

Tópicos de estudos
Todos os tópicos a seguir, conforme Livro do Aluno, devem ser trabalhados de forma dinâmica, criativa, com embasamento
teórico e prático voltado ao mercado de trabalho.

• O que é IA;
• Onde podemos usar a IA a nosso favor.

Pontos importantes
• Para garantir ao aluno um aprendizado significativo, resgate os principais conceitos de cada tópico abordado na aula;
• Neste momento, é importante que você utilize dicas e sugestões para reforçar os temas trabalhados, oferecendo
também exemplos que possibilitem a relação entre teoria e prática.

O que é IA
• Instrutor, inicie a aula explicando aos alunos os conceitos de Inteligência Artificial (IA) e suas características como a
capacidade de raciocínio, aprendizagem, reconhecimento de padrões, entre outras;
• Apresente também o campo de pesquisa acadêmico voltado para o estudo da IA, definida como a ciência e engenharia
de produzir máquinas inteligentes.

Guia do Instrutor: Robótica


35
Uso da IA a nosso favor
• Instrutor, apresente aos alunos exemplos no dia a dia da aplicação da Inteligência Artificial e sistemas com o mesmo
conceito e, explique as vantagens do seu uso.

Exercícios
As perguntas têm por objetivo fixar os principais conceitos abordados durante a aula. Para isso, viabilize o tempo necessário para
o aluno responder às perguntas, acompanhando-os nas dúvidas. Para correção das perguntas, considere as respostas a seguir:

1. Explique por que às vezes é necessário programar o motor com um valor negativo para avançar.
Resposta: A polaridade do motor depende muito do lado em que ela é fixada na estrutura, sendo assim, a “frente” do
motor pode variar em alguns projetos.

2. Explique qual seria a diferença no resultado final se o sensor IR fosse substituído pelo ultrassônico Arduino.
Resposta: Nenhuma, o ultrassônico pode preencher tranquilamente a função do IR nesse projeto.

3. Resuma brevemente o que é inteligência artificial para você.


Resposta: Inteligência artificial é uma programação ou robô que pode fazer certas coisas por conta própria, pode aprender.
De certa forma é um sistema autônomo em alguns sentidos.

4. Quais outros usos podem ser feitos para um robô que desvia de objetos, além do cortador de grama?
Resposta: Um robô aspirador por exemplo, seria muito útil com essa função, podendo andar pela casa e limpar toda sujeira
que encontrar.

5. Descreva possíveis implementos no cortador de grama autônomo, com os componentes do kit, que poderiam
deixálo mais funcional.
Resposta: Ele poderia utilizar um outro sensor IR na parte de traz do robô para verificar se existe grama para ser cortada,
podendo assim desligar o cortador enquanto nenhuma grama for avistada.

Projeto: Cortador de grama autônomo


Este é o momento de unir teoria e prática. Para isso, você deverá estimular o aluno a chegar em um resultado significativo
de aprendizado. É necessário que você seja um orientador do processo de desenvolvimento desta atividade.

Guia do Instrutor: Robótica


36
Conteúdos Complementares
Você, Instrutor, deve agregar novos conhecimentos sobre os assuntos desta aula. Conheça algumas sugestões de conteúdo:

• https://www.salesforce.com/br/products/einstein/ai-deep-dive/

Referências do Guia do Instrutor


Criados com direitos autorais próprios.

s
Anotaçõe

______________________________________________________
______________________________________________________
______________________________________________________
______________________________________________________
______________________________________________________
______________________________________________________
______________________________________________________
______________________________________________________
______________________________________________________

Guia do Instrutor: Robótica


37
Aula 12 Contrapeso

Carga horária
Conforme o plano de aula, esta aula terá duração de 2h00 e deverá ser conduzida de acordo com as orientações pedagógicas.

Objetivos de aprendizagem
Ao final da aula, você deverá garantir que o aluno tenha subsídios para:

• Conhecer a importância do contrapeso;


• Conhecer a aplicação do mecanismo de contrapeso.

Orientações pedagógicas
Para atender os objetivos de aprendizagem, você deverá conduzir o processo de ensino considerando a organização
didática apresentada a seguir:

• 15 minutos para aula expositiva sobre os conceitos fundamentais, exemplos e processos;


• 75 minutos para atividade proposta e dúvidas;
• 15 minutos para experimentação do projeto criado;
• 15 minutos para uma explanação geral da aula, desmontagem do projeto e prévia da próxima aula.

Tópicos de estudos
Todos os tópicos a seguir, conforme Livro do Aluno, devem ser trabalhados de forma dinâmica, criativa, com embasamento
teórico e prático voltado ao mercado de trabalho.

• O que são contrapesos;


• Como funcionam os contrapesos.

Pontos importantes
• Para garantir ao aluno um aprendizado significativo, resgate os principais conceitos de cada tópico abordado na aula;
• Neste momento, é importante que você utilize dicas e sugestões para reforçar os temas trabalhados, oferecendo
também exemplos que possibilitem a relação entre teoria e prática.

O que é um Contrapeso
• Instrutor, inicie a aula explicando aos alunos os conceitos básicos de contrapeso. Explique que ele serve de peso
equivalente para equilibrar estruturas frequentemente utilizadas em guindastes e elevadores;
• Explique como é formado a estrutura de um contrapeso e como é calculado seu peso.

Guia do Instrutor: Robótica


38
Exercícios
As perguntas têm por objetivo fixar os principais conceitos abordados durante a aula. Para isso, viabilize o tempo necessário para
o aluno responder às perguntas, acompanhando-os nas dúvidas. Para correção das perguntas, considere as respostas a seguir:

1. Descreva quais propriedades de uma variável permitem que o desafio seja completado.
Resposta: A propriedade que permite atribuir diferentes valores à variável durante a execução.

2. Por que, se o guindaste descer muito, em certo momento ele começará a subir?
Resposta: Porque em algum momento do percurso, o barbante vai acabar, e então ele começará a se enrolar na
outra direção.

3. Você acredita que o projeto poderia ser montado com um motor DC no lugar do servomotor? Explique quais
mudanças seriam necessárias no projeto e na programação.
Resposta: Seria mais difícil, pois o motor precisaria girar bem pouco para cada lado, e o controle do motor para movimentos
assim é bem ruim.

4. Resuma o que você aprendeu sobre o funcionamento e a aplicação de contrapesos em máquinas.


Resposta: O contrapeso é essencial para o equilíbro de determinadas estruturas como o guindaste e ajuda na força para
outras máquinas, como o elevador.

5. Quais as possíveis consequências da não utilização de contrapesos em máquinas como o guindaste e


o elevador?
Resposta: Resultaria do mal funcionamento nelas, no guindaste poderia causar um desastre e a máquina acabar quebrando,
e o elevador não teria força para exercer seu trabalho.

Projeto: Guindaste
Este é o momento de unir teoria e prática. Para isso, você deverá estimular o aluno a chegar em um resultado significativo
de aprendizado. É necessário que você seja um orientador do processo de desenvolvimento desta atividade.

Guia do Instrutor: Robótica


39
Conteúdos Complementares
Você, Instrutor, deve agregar novos conhecimentos sobre os assuntos desta aula. Conheça algumas sugestões de conteúdo:

• https://pt.wikipedia.org/wiki/Contrapeso

Referências do Guia do Instrutor


Criados com direitos autorais próprios.

s
Anotaçõe

______________________________________________________
______________________________________________________
______________________________________________________
______________________________________________________
______________________________________________________
______________________________________________________
______________________________________________________
______________________________________________________
______________________________________________________

Guia do Instrutor: Robótica


40
Aula 13 Tecnologia
no cotidiano

Carga horária
Conforme o plano de aula, esta aula terá duração de 2h00 e deverá ser conduzida de acordo com as orientações pedagógicas.

Objetivos de aprendizagem
Ao final da aula, você deverá garantir que o aluno tenha subsídios para:

• Conhecer as facilidades proporcionadas pela tecnologia no cotidiano;


• Conhecer a evolução da tecnologia com o passar do tempo.

Orientações pedagógicas
Para atender os objetivos de aprendizagem, você deverá conduzir o processo de ensino considerando a organização
didática apresentada a seguir:

• 15 minutos para aula expositiva sobre os conceitos fundamentais, exemplos e processos;


• 75 minutos para atividade proposta e dúvidas;
• 15 minutos para experimentação do projeto criado;
• 15 minutos para uma explanação geral da aula, desmontagem do projeto e prévia da próxima aula.

Tópicos de estudos
Todos os tópicos a seguir, conforme Livro do Aluno, devem ser trabalhados de forma dinâmica, criativa, com embasamento
teórico e prático voltado ao mercado de trabalho.

• Como seria a sociedade sem tecnologia;


• As principais tecnologias que facilitam a nossa vida;
• Como você vê a evolução da tecnologia no futuro.

Pontos importantes
• Para garantir ao aluno um aprendizado significativo, resgate os principais conceitos de cada tópico abordado na aula;
• Neste momento, é importante que você utilize dicas e sugestões para reforçar os temas trabalhados, oferecendo
também exemplos que possibilitem a relação entre teoria e prática.

A sociedade sem tecnologia


• Instrutor, inicie a aula questionando aos alunos como eles acreditam que seria a sociedade sem a tecnologia;
• Informe aos alunos as facilidades que a tecnologia proporcionou para as pessoas nos dias de hoje e até mesmo no
seu surgimento.

Guia do Instrutor: Robótica


41
Principais tecnologias que facilitam nossas vidas
• Discuta com os alunos sobre quais vocês acreditam ser as principais tecnologias que revolucionaram a vida das pessoas,
quais acreditam que não seria possível viver sem hoje em dia.

Exercícios
As perguntas têm por objetivo fixar os principais conceitos abordados durante a aula. Para isso, viabilize o tempo necessário para
o aluno responder às perguntas, acompanhando-os nas dúvidas. Para correção das perguntas, considere as respostas a seguir:

1. Quais componentes eletrônicos foram utilizados neste projeto?


Resposta: Motores, servomotores e sensor ultrassônico.

2. Explique como foi o processo por meio de programação e o funcionamento da garra ao separar o lixo.
Resposta: Ao localizar o lixo, a garra desce, fecha, sobe novamente, solta o lixo e volta a posição inicial.

3. Quais os problemas enfrentados para completar o desafio dessa aula? Descreva-os.


Resposta: É possível que haja alguns conflitos por excesso de componentes eletrônicos, as vezes um componente ou outro
pode não funcionar com perfeição.

4. Qual a finalidade deste projeto e em que ele poderá ajudar?


Resposta: Uma garra é um robô muito útil para várias funções, além de recolher lixo, ele pode ser programado para pegar
alguma coisa por você, ou levar e trazer coisas pela sua casa.

5. Que tipos de materiais o robô poderá retirar do local?


Resposta: Qualquer material que caiba em sua garra e que não seja muito pesado para ele carregar.

Projeto: Garra coletora de lixo

Este é o momento de unir teoria e prática. Para isso, você deverá estimular o aluno a chegar em um resultado significativo
de aprendizado. É necessário que você seja um orientador do processo de desenvolvimento desta atividade.

Guia do Instrutor: Robótica


42
Conteúdos Complementares
Você, Instrutor, deve agregar novos conhecimentos sobre os assuntos desta aula. Conheça algumas sugestões de conteúdo:

• http://www.grupoescolar.com/pesquisa/evolucao-da-tecnologia.html
• https://www.oficinadanet.com.br/post/11764-processo-de-evolucao-tecnologica

Referências do Guia do Instrutor


Criados com direitos autorais próprios.

s
Anotaçõe

______________________________________________________
______________________________________________________
______________________________________________________
______________________________________________________
______________________________________________________
______________________________________________________
______________________________________________________
______________________________________________________
______________________________________________________

Guia do Instrutor: Robótica


43
Aula 14 LCD

Carga horária
Conforme o plano de aula, esta aula terá duração de 2h00 e deverá ser conduzida de acordo com as orientações pedagógicas.

Objetivos de aprendizagem
Ao final da aula, você deverá garantir que o aluno tenha subsídios para:

• Conhecer o funcionamento de um LCD;


• Entender a diferença entre um LCD monocromático e colorido;
• Entender o básico sobre os pinos do LCD;
• Conhecer sua aplicação.

Orientações pedagógicas
Para atender os objetivos de aprendizagem, você deverá conduzir o processo de ensino considerando a organização
didática apresentada a seguir:

• 15 minutos para aula expositiva sobre os conceitos fundamentais, exemplos e processos;


• 75 minutos para atividade proposta e dúvidas;
• 15 minutos para experimentação do projeto criado;
• 15 minutos para uma explanação geral da aula, desmontagem do projeto e prévia da próxima aula.

Tópicos de estudos
Todos os tópicos a seguir, conforme Livro do Aluno, devem ser trabalhados de forma dinâmica, criativa, com embasamento
teórico e prático voltado ao mercado de trabalho.

• O que é um LCD;
• Como funciona o LCD internamente;
• A diferença entre um LCD monocromático e colorido.

Pontos importantes
• Para garantir ao aluno um aprendizado significativo, resgate os principais conceitos de cada tópico abordado na aula;
• Neste momento, é importante que você utilize dicas e sugestões para reforçar os temas trabalhados, oferecendo
também exemplos que possibilitem a relação entre teoria e prática.

Guia do Instrutor: Robótica


44
O que é um LCD
• Instrutor, inicie a aula explicando aos alunos o que é um LCD, explique que o LCD é um componente eletrônico que serve
como um visor, sendo possível transmitir mensagens de texto através dele;
• Explique aos alunos sobre a formação do LCD e como ele faz uso de cristais líquidos para sua iluminação;
• Apresente ao alunos as diferenças entre LCD monocromático e colorido, e as diferenças entre LCD de matriz passiva e
ativa. Explique também aos alunos, tecnologias que utilizam o LCD, como a televisão.

Exercícios
As perguntas têm por objetivo fixar os principais conceitos abordados durante a aula. Para isso, viabilize o tempo necessário para
o aluno responder às perguntas, acompanhando-os nas dúvidas. Para correção das perguntas, considere as respostas a seguir:

1. Descreva como funcionam os LCDs.


Resposta: Os LCD funcionam a partir de cristais líquidos no seu interior, que reagem com correntes elétricas, gerando a
imagem que vemos.

2. Explique a diferença entre LCDs matriz passiva e matriz ativa.


Resposta: As telas de matriz passiva apresentam um ângulo de visão mais restrito, e um tempo maior é necessário para
a imagem ser atualizada.

3. O que são LCDs monocromáticos?


Resposta: O LCD monocromático tem somente as cores preto e branco.

4. Descreva o processo de programação do LED durante o desenvolvimento do projeto.


Resposta: Primeiramente é preciso iniciar o LCD na sua configuração correta, depois limpar a tela do LCD, ativar as luzes,
e então escrever a mensagem que você quiser.

5. Como o robô faz para contar quantos visitantes passaram no final do expediente?
Resposta: Quando a catraca roda, um sensor IR do outro lado dela identifica quando a catraca gira, e assim aumenta 1
no valor da variável dos visitantes.

s
Anotaçõe

______________________________________________________
______________________________________________________
______________________________________________________
______________________________________________________
______________________________________________________
______________________________________________________
______________________________________________________
______________________________________________________
______________________________________________________

Guia do Instrutor: Robótica


45
Projeto: Catraca
Este é o momento de unir teoria e prática. Para isso, você deverá estimular o aluno a chegar em um resultado significativo
de aprendizado. É necessário que você seja um orientador do processo de desenvolvimento desta atividade.

Conteúdos Complementares
Você, Instrutor, deve agregar novos conhecimentos sobre os assuntos desta aula. Conheça algumas sugestões de conteúdo:

•• https://pt.wikipedia.org/wiki/LCD
•• https://www.tecmundo.com.br/televisao/2058-como-funcionam-as-telas-de-lcd-.htm

Referências do Guia do Instrutor


Criados com direitos autorais próprios.

Guia do Instrutor: Robótica


46
Aula 15 Câmbio manual

Carga horária
Conforme o plano de aula, esta aula terá duração de 2h00 e deverá ser conduzida de acordo com as orientações pedagógicas.

Objetivos de aprendizagem
Ao final da aula, você deverá garantir que o aluno tenha subsídios para:

• Conhecer os mecanismos que fazem o funcionamento do câmbio de carro;


• Entender o funcionamento mecânico das marchas.

Orientações pedagógicas
Para atender os objetivos de aprendizagem, você deverá conduzir o processo de ensino considerando a organização
didática apresentada a seguir:

• 15 minutos para aula expositiva sobre os conceitos fundamentais, exemplos e processos;


• 75 minutos para atividade proposta e dúvidas;
• 15 minutos para experimentação do projeto criado;
• 15 minutos para uma explanação geral da aula, desmontagem do projeto e prévia da próxima aula.

Tópicos de estudos
Todos os tópicos a seguir, conforme Livro do Aluno, devem ser trabalhados de forma dinâmica, criativa, com embasamento
teórico e prático voltado ao mercado de trabalho.

• Como funciona o mecanismo de câmbio do carro;


• Como as marchas funcionam.

Pontos importantes
• Para garantir ao aluno um aprendizado significativo, resgate os principais conceitos de cada tópico abordado na aula;
• Neste momento, é importante que você utilize dicas e sugestões para reforçar os temas trabalhados, oferecendo
também exemplos que possibilitem a relação entre teoria e prática.

Funciona do mecanismo de câmbio do carro


• Instrutor, inicie a aula explicando aos alunos os conceitos de câmbio e como funciona sua transmissão;
• Explique que o sistema é formado por um conjunto de engrenagens que permitem ao condutor regular a velocidade
e torque do motor.

Guia do Instrutor: Robótica


47
Funcionamento das marchas
•• Fale aos alunos que as marchas são as configurações do carro para multiplicar a força e velocidade do motor, dando as
rodas o que é necessário em cada situação, quando acelerar, desacelerar, declives, etc.

Exercícios
As perguntas têm por objetivo fixar os principais conceitos abordados durante a aula. Para isso, viabilize o tempo necessário para
o aluno responder às perguntas, acompanhando-os nas dúvidas. Para correção das perguntas, considere as respostas a seguir:

1. O que acontece com o LCD se não for utilizado o bloco de limpar o LCD antes de apresentar outra mensagem?
Resposta: Ele mantem a mensagem anterior, então se a nova mensagem não ocupar mais caracteres que a anterior, ele
acaba por juntar algumas palavras.

2. Qual das etapas da programação foi a mais difícil? Descreva as dificuldades enfrentadas.
Resposta pessoal.

3. Quais funções de um câmbio de carro de verdade não é possível ser programada?


Resposta: O controle real da tração e velocidade do motor.

4. Explique por que o LCD requer o uso de tantos blocos na sua inicialização e o que cada um deles faz.
Resposta: Cada bloco tem uma função diferente para a utilização do LCD, e como algumas são usadas posteriormente
também, então eles ficam em blocos separados.

5. Quais as diferenças entre o câmbio manual e o automático?


Resposta: O câmbio manual precisa ser trocado pelo motorista, enquanto o automático é alterado pelo próprio carro.

Projeto: Carro com marcha


Este é o momento de unir teoria e prática. Para isso, você deverá estimular o aluno a chegar em um resultado significativo
de aprendizado. É necessário que você seja um orientador do processo de desenvolvimento desta atividade.

Guia do Instrutor: Robótica


48
Conteúdos Complementares
Você, Instrutor, deve agregar novos conhecimentos sobre os assuntos desta aula. Conheça algumas sugestões de conteúdo:

•• https://autovideos.com.br/como-funciona-cambio-manual-carro-aprenda-tudo-videos-ilustrados/
•• http://www.carrosinfoco.com.br/carros/2015/10/funcionamento-e-tipos-de-caixas-de-marchas-para-sistemas-de-
transmissao-automotivos/

Referências do Guia do Instrutor


Criados com direitos autorais próprios.

Guia do Instrutor: Robótica


49