Vous êtes sur la page 1sur 8

Universidade Federal do Vale do São Francisco – UNIVASF

Colegiado de Engenharia Elétrica

Prática 03 – OSCILOSCÓPIO

FABIANO AMORIM

Realização da prática: 22/01/2018.

Prof. Helinando Pequeno de Oliveira

JUAZEIRO- BAHIA-BRASIL
JANEIRO DE 2018
Sumário
INTRODUÇÃO ................................................................................................................................................ 3
OBJETIVO........................................................................................................................................................ 4
MATERIAIS E MÉTODOS ............................................................................................................................. 4
RESULTADOS E DISCUSSÕES ................................................................................................................. 5
CONCLUSÃO .................................................................................................................................................. 7
REFERÊNCIAS ............................................................................................................................................... 8

2
INTRODUÇÃO

O Osciloscópio é um dos mais aperfeiçoados e versáteis instrumentos de medição.


Consiste basicamente em um tubo de raios catódicos que possibilita entre outras
coisas medidas de corrente de tensão elétrica através das deflexões de um estreito
feixe eletrônico. Na posição em que o feixe incide sobre uma tela fluorescente, ele
produz um ponto luminoso. Através dos deslocamentos deste ponto, podem ser
feitas medidas bastante precisas de tempo e de tensão, como também ser
produzidos gráficos estabilizados de tensões periódicas.
O osciloscópio torna visível o sinal e possibilita a análise da sua forma, podendo ser
considerado um aperfeiçoamento do multímetro, pois fornece indicações do
comportamento de uma tensão ou corrente ao longo tempo.

Figura 1 - Osciloscópio.
Os componentes eletrônicos de um osciloscópio, além do Tubo de Raios Catódicos
(CRT), são:
Amplificador Vertical: é o amplificador do sinal aplicado às placas horizontais,
permitindo adaptar a amplitude do sinal à escala da tela do osciloscópio.
Amplificador Horizontal: amplifica da mesma maneira o sinal de entrada nas placas
verticais, e pode amplificar o sinal de varredura também.
Gerador de Varredura: gera uma diferença de potencial vt, que aumenta linearmente
dentro do período T, escolhido para a varredura. Alterando-se o período se altera a
velocidade horizontal do feixe sobre a tela. A frequência da varredura é escolhida
para haver uma sincronização com a função de entrada a fim de observar de forma
estática o sinal de entrada.
Fonte de alimentação: fornece alimentação ao canhão eletrônico e demais
componente do osciloscópio.

3
Medidas do Osciloscópio:
Frequência – não é possível determinar a frequência diretamente através do
osciloscópio, primeiro encontra-se o período, a partir dele, calcula-se a sua inversa
para obter o valor do período.
DDP – em corrente contínua (DC), um traço horizontal estará cortando a divisão
vertical; em corrente alternada (AC), uma onda senoidal estará cortando a divisão
vertical.
Defasagem – diferença de fase entre dois sinais de mesma frequência.

OBJETIVO

Familiarizar com o manejo e ajustes dos controles de um osciloscópio.


Conhecer o comportamento das ondas formadas.
Medir tensão, período e frequência.
Analisar e definir os acoplamentos AC e DC.

MATERIAIS E MÉTODOS

Materiais:
 02 - Cabos banana-banana;
 02 - Ponta de Prova;
 Capacitor;
 Osciloscópio;
 Placa Protoboard;
 Resistor;

Montando o circuito RC:


A montagem do circuito se deu conforme demostrado na figura 2 abaixo.

4
Figura 2 - Imagem do circuito na placa Protoboard.

RESULTADOS E DISCUSSÕES

Após a montagem do circuito, e sintonização do comportamento dos valores na


forma gráfica, para melhor visualizar o fenômeno ocorrido, mostra-se na imagem
abaixo os comportamentos dos sinais elétricos no circuito.

Figura 3 - Ondas formadas pela ddp que passam no capacitor e no resistor nos
canais 01 e 02 do osciloscópio.
O osciloscópio é um instrumento de medida eletrônico que cria um gráfico
bidimensional visível de uma ou mais diferenças de potencial. O eixo horizontal do
monitor representa o tempo, tornando o instrumento útil para mostrar sinais
periódicos. O eixo vertical mostra a tensão.
Para a prática em questão nós consideramos três tipos de gráficos diferentes, os
quais são:

5
Figura 4 - Onda Senoidal.

Figura 5 - Onda Triangular.

Figura 6 - Onda Quadrada.

Na figura 3, mostram-se os gráficos das ondas senoidais, que foram gerados a partir
do capacitor e do resistor, onde a ddp de ambos foram de 50 V, lembrando que, o
osciloscópio é digital, portanto, os valores não necessitam serem calculados como
no analógico. Portanto, temos como valor do período de 21 V.
Quando analisamos a saída no modo DC, o dispositivo mede a tensão de corrente
continua e quando está em modo AC, significa que a tensão, em função do tempo, é
medida através de uma corrente alternada.

6
CONCLUSÃO

Pode-se concluir que, com a realização do experimento, o osciloscópio é um


instrumento que pode ser utilizado para medição da ddp em função da corrente
continua, gerando gráfico representado por uma linha reta, como também para
corrente alternada, gerando ondas que podem ser quadráticas, triangulares e
senoidais.
Sendo assim, o experimento foi importante, pois a corrente alternada gerada por
uma voltagem senoidal é o tipo de corrente utilizada na geração de energia elétrica.
Com isso, podem-se determinar parâmetros importantes de uma onda, como
período, a frequência, a ddp de pico, (pico a pico), parâmetros de bastante
relevância para o funcionamento de aparelhos elétricos utilizados diariamente.

7
REFERÊNCIAS

HALLIDAY, David. RESNICK, Robert. WALKER, Jearl. Fundamentos de Física.


8ed. Editora: LTC, Rio de Janeiro, 2008, v3.

SEARS, Francis Weston; ZEMANSKY, Mark Waldo; YOUNG, Hugh D.; FREEDMAN,
Roger A. Física. 12. ed. São Paulo, 2008. 329 p.

TIPLER, Paul A. Física moderna. 3. ed. Rio de Janeiro, 2006. 515 p.