Vous êtes sur la page 1sur 1

O Antiintelectualismo - Resumo

O antiintelectualismo na filosofia é aquilo que se opõe a razão e ao julgamento da


percepção dos sentidos. Como por exemplo, o ceticismo que diz que o verdadeiro
conhecimento estar além da capacidade humana e que a razão a percepção dos sentidos e
outros meios que podem ser utilizados para alcançar o conhecimento são enganadores e
inadequados. E a intuição e o misticismo que não utiliza a razão nem o julgamento através da
percepção dos sentidos para se obter o conhecimento. Na filosofia tanto a incredulidade como
a fé é uma atitude anti-intelectual.
O antiintelectualismo na religião diz que as verdades religiosas não podem ser obtidas por
meio da razão humana. Abandonando a atividade intelectual e o estudo. E acredita que o
conhecimento obtido pela intuição e misticamente é correto. Diferente da definição na
filosofia uma atitude anti-intelectual na religião é aquilo que se opõe ao conhecimento obtido
através das experiências místicas. O autor fala que uma atitude anti-intelectual na religião
ignora varias coisas e começa a argumentar defendendo a razão. Conclui dizendo que a
verdade e a experiência religiosa nunca repousaram sobre uma única coluna. Há muitas
colunas que dão respaldo à verdade e ao desenvolvimento espiritual e uma dessas colunas é o
intelecto, por meio de sua capacidade de testar e pesquisar.
A definição de misticismo diz que o ser humano pode entrar em contato com as realidades
divinas e o ser divino. Por meio do Espírito Santo ou outra autoridade divina. Esse contato
pode ser interno com o eu superior ou externo com um anjo, um santo, um espirito, com
Deus, Cristo ou Espírito Santo. Todas as religiões estão baseadas no misticismo. O misticismo é
de onde vêm as verdades espirituais básicas. Mas ela não deve ser usada isoladamente.
Mostra a ciência como um meio alternativo de se obter verdades sobre Deus. Mostra o
intelecto como um dos melhores presentes de Deus e diz que não podemos ignora-lo.
Diz que a maioria dos movimentos religiosos rebaixa a função do intelecto na fé religiosa.
Dizendo ao homem o que ele pode e o que ele não pode escolher. Fala que Deus criou o
homem com varias capacidades como a racional, à intuitiva e à mística. Fala também que
existe mais de um meio para se aproximar de Deus. E um desses meio é a razão. Mostra quatro
caminhos pelo qual o homem pode aproximar-se da espiritualidade. O caminho do amor, o
caminho do trabalho, o caminho do conhecimento e intelecto, e o caminho místico. Diz que a
fé religiosa é apenas um dos caminhos. É um erro dizer que esse é o único caminho ou o
preferido.
Diz que a maturidade espiritual é obtida por quem já percorreu todos os caminhos na vida.
O caminho do amor, o do trabalho, o do intelecto e o místico. Fala que cada caminho contribui
para a maturidade da pessoa. As pessoas que não entendem assim são limitadas. Ele pensa ser
absurdo pensar que só há um caminho ou o melhor caminho. O autor do artigo parece
acreditar na reencarnação e na preexistência da alma.

O autor do artigo estar errado. Jesus, o Pai e o Espírito Santo é Deus, não existem vários
modos de alguém se aproximar de Deus só existe um modo que é por meio de Jesus. Por meio
da fé aceitando a Jesus como Senhor e salvador de sua vida, se afastando do pecado, ai sim
podemos nos aproximar de Deus. O autor do artigo diz que a fé religiosa é apenas um caminho
para se aproximar de Deus. Que há vários modos de alguém aproximar-se da espiritualidade. E
isto é mentira.

Aluno: Leandro Mendonça Justino


Serie: 1° Turma: B
Professor: Walson Sales

Centres d'intérêt liés