Vous êtes sur la page 1sur 29

DREAMBOX

Manual de configuração para iniciados

Maio de 2008

Por Zenet

Versão 1.4 1
1. Introdução
A Dreambox é o Rolls Royce dos descodificadores satélite por causa da sua
flexibilidade, uma vez que assenta em sistema operativo Linux, permitindo ter um
manancial de suporte de teams para desenvolvimento desta box como nenhum outro
descodificador o tem. Por isso é um descodificador com uma comunidade de adeptos
tão grande e que continua a crescer.

A sua flexibilidade dá capacidades quase infinitas e está na linha da frente no que


toca às novidades que vão aparecendo no mundo satélite. Quem tem uma Dreambox
não se arrepende nunca!

Partes deste manual foram compiladas, transcritas e pirateadas de outros


documentos do género e de informação recolhida na internet.

 O conteúdo do manual pode mudar, vou tentar mantê-lo o mais actual possível.

 Todos os testes foram feitos com com Gemini 4.30 e Dreambox 500s e WinXP
inglês com SP 2.

 Há 1001 maneiras diferentes de fazer a mesma coisa, é como o bacalhau. Neste


manual estão exemplificadas as formas ou mais seguras ou mais simples, de
forma a serem facilmente entendidas por quem está a começar.

 Este manual pode ser divulgado e distribuido desde que seja referênciado o autor
e ao fórum Dragteam

Para os mais impacientes que querem começar já a ver tv podem seguir os


capítulos: 2 – Instalação da Imagem, 3 – Instalação da Cam e 4 - Chaves.

Atenção: Ver TV sem pagar é crime. Este manual destina-se apenas para
efeitos de investigação e o autor não se responsibiliza por quaisquer danos
que a sua aplicação possa causar a terceitos.

Versão 1.4 2
2. Instalação da Imagem

Material necessário

 Software Dreamup para enviar a imagem para a Dreambox;


 Cabo série rs232 null modem (cruzado)
 Imagem que se pretende instalar em formato img, gravada no pc.

Passos

1. Fazer backup dos ficheiros que se pretende guardar da instalação antiga;

2. Desligar a Dreambox da corrente;

3. Ligar o cabo rs232 entre a Dreambox e o PC e desligar o cabo de rede;

3. Abrir o Dreamup no pc, escolher a porta COM a usar com «network» desactivada;

4. Carregar em «Ligar»

5. Quando aparecer a mensagem “Conection prepared – now switch on the


dreambox” pode ligar-se a Dreambox à corrente eléctrica e aparece depois a
mensagem “ok-connection established”;

6. Carrega-se em seguida no botão «Flash» para se escolher o ficheiro da nova


imagem a instalar e depois começar o processo de transferência;

7. Ao fim de alguns minutos recebem a mensagem “Flash update finished”.


A imagem está instalada e já podes ver canais livres (FTA - Free To Air Satellite).

Versão 1.4 3
3. Configuração de rede

Ter a Dreambox ligada à rede e por sua vez ligada à internet é uma grande
vantagem, já que a maioria das operações de actualização se fazem através do PC,
por rede. Por outro lado permite a ligação a um router que por sua vez se liga à
internet. É atravéz da ligação à internet que a Dreambox atinge todo o seu potencial,
quer para os downloads de actualizações (CAMs, Plugins, etc) quer por outros
motivos, que vamos ver no Capítulo 6.
NOTA: Se usarem um cabo de rede entre o pc e a dream, este cabo tem que ser cruzado.

1º Ir a Setup->Expert Setup 2º Dentro do Expert Setup escolher


Communication Setup

3º Introduzir as configurações através do comando


Não escolher DHCP

IP da dream da
mesmaver próximo
capítulo gama do IP do
Dns do provider de
internet (se não se souber
255.255.255.0 (a
por o IP do router)
mesma Netmack do
router)

IP do router

Escolher “Enable Netmask”

Por fim fazer “Save”, sair do menu e fazer reboot à Dreambox

Pode-se testar a ligação através de telnet no pc, fazendo:


Ping <ip_da_dreambox>

E também se pode testar a ligação à internet, indo a:


Blue Panel->Addons->Download and install e depois tentar fazer o dload de uma
Cam por explo (a ver no próximo capítulo)

Versão 1.4 4
4. Instalar uma CAM

CAM = Conditional Access Module = A Decoder used in a Digital CI


type satellite receiver there are many types of CAMs since different
encryptions are used by different Television service providers
A escolha da CAM
Existem muitas CAMs disponíveis para a Dreambox. A utilização de cada CAM é da
escolha esclusiva do utilizador. A utilização de uma ou outra CAM depende do gosto
de cada utilizador e do que uma CAM faz que outra não faz. Por isso convém estar
atento às novidades (frequentes) acerca de novas versões de CAMs e às suas novas
funcionalidades.
Haver várias CAMs é bom porque fomenta a competitividade entre as várias teams
que desenvolvem o software querendo superar-se entre si e com isso ganhamos nós.

As CAMs mais usadas:

NewCS MGcamd Evocamd Camd3 CCcam Newcamd Radegast Gbox1

A boa prática aconselha a quem se está a iniciar que comece pela Camd3.
Normalmente a última versão de cada CAM pública está disponível para dload
através da própria Dreambox.

Instalar a CAM
1. Instalação Automática - A CAM pode ser instalada de forma automática através
da própria Dreambox com ligação à internet. Para isso vai-se a Blue Panel-
>Addons->Download and install->cams. Escolhe-se a CAM que se pretende e OK.
De seguida não esquecer mudar para a CAM pretendida no Blue Panel e de
reiniciar a CAM no botão verde.
1 2

3 4

1
Gbox – Cam não pública por disposição do seu autor. A discussão sobre esta CAM
não deve ser feita em fórum aberto, havendo nos bons fóruns zonas reservadas para
tal.

Versão 1.4 5
2. Instalação Manual - A CAM pode ser instalada do PC via FTP 2. Os ficheiros que
se instalam manualmente costumam estar compactados no formato bz2. Copia-
se o ficheiro neste formato para a pasta /tmp da Dreambox e de seguida em Blue
Panel->addons->manual install escolher o ficheiro a instalar.

Nota: pode instalar-se mais que uma CAM, deve-se no entanto estar atento
ao espaço restante de memória na Dreambox

2
O FTP - File Transfer Protocol (Protocolo de Transferência de Arquivos), ver capítulo
10

Versão 1.4 6
5. Chaves
Estando a imagem e a CAM instaladas só falta pormos as chaves para “abrir” os
canais codificados.

Em função da CAM escolhida o ficheiro de chaves varia. Vamos pegar como exemplo
a Camd3.

1. Para esta CAM o ficheiro de chaves é o camd3.keys e a sua localização na


Dreambox é em /var/keys. Assim, basta-nos enviar por FTP ou DCC este ficheiro
para a pasta correcta.

2. Reinicia-se a CAM (no Blue Panel - > botão verde) vamos ao canal que queremos
ver e Abre-te Sésamo, canal aberto.

Escolher a CAM

Reiniciar a CAM

Versão 1.4 7
Localização dos ficheiros correspondentes a cada CAM:

Radegas
NewCS MGcamd Evocamd Camd3 CCcam Newcamd gbox
t
/var/keys /var/
/var/keys /var/keys
/var/keys Autoupdate. SoftCam.Key, (tuxbox)/scce /var/keys
SoftCam.Ke Key    
constantcw SoftCam.K
seca,nagra,v
ia,
Keys /var/keys AutoRoll.Key
y& ey &
directory AutoRoll.Ke
camd3.keys &   keylist, ppua, AutoRoll.K
irdeto,conax

y & ey
rsakeylist &
Keylist.txt crypto
constant.cw tpscrypt
Program /var/bin
newcamd  
files   /var/bin
/var/bin

/var/bin
/var/bin /var/bin
/var/bin CCcam.ppc cardserv   rdgd
camd.rdgd /var/bin
mgcamd.pp evocamd.pp
500/70x0 newcs.ppc camd3 capmtserver. gbox
c c
/ ppc cardspider   netpilot

600/56xx betadserv
Program
/usr/bin /usr/bin
/usr/bin /usr/bin
files   /usr/bin
newcs.mips
mgcamd.mi evocamd.mi
camd3 CCcam.mips
- -
/usr/bin
gbox
ps ps

7025
/var/tuxbox/  
/ /var/keys / /var/keys
Config
var/tuxbox/con
/var/keys /var/keys camd3.config /var/etc
config/newcam /var/etc gbox_cfg  
fig d radegast.c
files newcs.xml
mg_cfg camd_cfg camd3.users CCcam.cfg newcamd.conf, fg
newcamd.conf camd3.servers cardserv.cfg   softcam.cfg

betad.cfg

/var/keys
/var/tuxbox/  
CS client newcamd.li /var/keys /var/etc
- st  /var/keys /var/etc / /var/keys
Config
file
newcamd-
client.txt
camd3.config CCcam.cfg config/newcam
radegast.c
fg
cwshare.cfg  
d
peer.cfg
newcamd.conf
/var/keys/
  /var/keys seca_hash.bin
Autoupdate. seca2_hash_00
AU files /var/keys
Key  70.bin
/var/keys
/var/scce/ /var/keys/
AutoRoll.Key
AutoRoll.Ke seca2_mask_00
y /var/scce/ 70.bin
camd3.keys

** -> Podem ainda utilizar plugins como Satankey ou Hacksat para actualizar os
vários ficheiros de Keys pela internet de uma só vez.

Versão 1.4 8
6. Cardsharing
O que é o Card Sharing (partilha de cartões)?
Card sharing é um método pelo qual receptores independentes obtêm acesso
simultâneo a uma rede de televisão pagante, usando um cartão de subscrição de TV
legítimo. O acesso entre descodificadores é feito pela Internet. O GBOX e o Cccam
são os protocolos de CardSharing mais utilizados, podendo-se fazer CS com outras
CAMs, tais como Camd3, Evocamd, Mgcamd...

Passos:
1. Criar conta de DNS dinâmico
2. Instalação da CAM na Dreambox
3. Configurar os ficheiros de configuração
4. Configurar o Inadyn
5. Abrir a porta no router

6.1 Conta de dns dinâmico

Como os IPs dos providers de internet caseira são dinâmicos, é necessário criarmos
um endereço de DNS que é actualizado periódicamente com o nosso endereço de IP.
Assim temos um endereço fixo que nos representa no formato:
Explo. hostname.dyndns.org.
Pode-se escolher qualquer servidor de dns público, a título exemplificativo vou usar o
DynDNS (www.dyndns.com).

Clicar em
Create Account

Versão 1.4 9
Passamos a introduzir os dados da nossa conta:

Basta preencher
esta parte

Mais esta:

Versão 1.4 10
Depois ir a «My Services» e clicar em “Create New Hostname”

1º Escolher um 2º Escolher um
hostname à escolha domínio à escolha

3º Criar a conta e guardar os teus


dados (vais precisar deles)

Versão 1.4 11
6.2 Instalação e configuração do GBOX na Dreambox
Exemplo para versão 2.1b:

1. Copiar o gbox na Dreambox pelo DCC


//var/bin => gbox
//var/keys => cwshare.cfg,gbox.cfg
//var/script => gbox_cam.sh

2. Alterar os atributos aos ficheiros com o DCC


//var/bin/gbox => 755
//var/scripts/gbox_cam.sh => 755

3. Configurar o ficheiro cwshare da seguinte forma

Endereço de DNS que criaste

M: { teudns.dns.com { TUAPASSWORD }}
8 caracteres 0-9 e A a F
I: { 3 }EXPLICAR ISTO
N: { 00 01 03 00 4000 6000 }
X: { 10 }
Distância a que
passamos os cards locais
D: { dnsdoamigo.dns.com { 1111 2222 { PASSAMIGO { A2 A3 }}}}
D: . . . . . . . Distância a que
D: . . . . . . . passamos os cards
virtuais

Porta que abriste no Porta do amigo


router

Nota: ter sempre atenção a espaços ou chavetas a mais ou a menos que


podem impedir o GBOX de arrancar

3. O ficheiro gbox_cfg deves editar com o DCC e nas linhas O: e L: deves colocar o
endereço de IP da Dreambox. Na linha Z: deves colocar o endereço de IP do PC,
caso pretendas fazer trace das comunicações com os teus peers.

Notas
 Para que o GBOX arranque é preciso haver pelo menos uma dline no ficheiro
cwshare.
 Podes usar softwares para verificares o estado do gbox, dos teus peers e cards
que recebes, através do software gboxsharecontrol para o PC ou o gboxsuite
como plugin para a dream.

Versão 1.4 12
6.3 Instalação e configuração do Cccam na Dreambox
1 – Instalação automática

Para fazer Cardsharing com Cccam fazemos dload e install da última versão através
da própria Dreambox (como já explicado atrás). Tudo deverá ficar instalado
automaticamente.
• Ir a Blue Panel->Addons->Download and Install->Cams

Além da CAM devemos fazer dload e instalação do ficheiro de configuração


Cccam.cfg
• Ir a Blue Panel->Addons->Download and Install->Cam configs e fazer
dload da última versão do ficheiro de configuração, à data a 2.0.5

2 – Instalação manual

Para uma instalação manual os ficheiros deverão ficar instalados nas seguintes
localizações dentro da Dreambox:

Cccam.ppc - /var/bin com atributos 755


Cccam.sh - /var/script com atributos 755
Cccam.cfg - /var/etc com atributos 644

3 – Configuração do ficheiro Cccam.cfg


Nste ficheiro de configuração poderemos controlar todos os aspectos relacionados
com o Cccam.

A porta que está definida por defeito no Cccam é a porta 12000, pelo que deverá ser
esta a porta a abrir no router em modo UDP.

4 – A troca de lines

O Cccam funciona de forma um pouco diferente do gbox (melhor)


No Cccam temos sempre a noção de server e cliente, pelo que podemos ser apenas
server, ou apenas cliente, ou as duas coisas.

Vamos ser cliente de um server:


O nosso server amigo vai dar-nos uma linha C que vamos adicionar ao nosso
Cccam.cfg. Esta linha deverá ter a seguinte configuração:

C: dnsdoamigo.dns.com 12000 user password

Depois de adicionarmos esta linha ao nossos Cccam.cfg e gravarmos o ficheiro, a


partir daqui devemos estar já a receber cartões e a ver TV com canais encriptados.

Versão 1.4 13
Se quisermos ser server e partilhar os nossos cards com os nossos peers:
Temos que criar no Cccam.cfg uma linha F para cada cliente que se ligará a nós. Esta
linha é definida por nós e terá a seguinte configuração:

F: useramigo passamigo

De seguida podemos dar a linha C aos nossos clientes, baseada no user e passwd
que constam na linha F que criámos. Assim, a linha C que iriamos dar ao nosso
cliente seria:
C: meudns.dns.com 12000 useramigo passamigo

Resumindo
Se quisermos ser simultaneamente server e cliente para cada peer, que é o mais
comum, temos que:
1 - criar sempre uma linha F e colocar no nosso Cccam.cfg
2 - criar uma linha C baseada na linha F que criámos, que damos ao nosso amigo
para por no seu Cccam.cfg
3 – receber a linha C do nosso amigo e colocar no nosso Cccam.cfg

Configuração avançada

– Configurar a linha F - À frente de cada linha F podemos por alguns parametros


que nos permitem limitar os hops a que recebemos os nossos cards, ou quais os
cards que não queremos receber, etc

Uma linha F poderá ter a seguinte configuração:


F: <username> <password> <uphops> <shareemus> <allowemm>
( { caid:id(:downhops), caid:id(:downhops), ... } { caid:id:sid, caid:id:sid, ... }
{ begintime-endtime, ... }

Exemplo:
F: user1 pass1 2 0 0 { 0:0:2 }
Com esta configuração o user1 vai receber todos os nossos cards até uma
distância de 2 hops, não recebe Emus de nós e não está autorizado a enviar-nos
EMM. Pode ainda fazer reshare 1 nível abaixo do seu.

– Configurar a linha C – Também podemos configurar a forma como nos


conectamos aos nossos server em cada linha C

Configuração da linha C:
C: <hostname> <port> <username> <password> <wantemus>
( { caid:id(:uphops), caid:id(:uphops), ... } )

Exemplo:
– C: dnsdoamigo.dns.com 12000 user1 pass1 no { 0:0:2 }
Não usamos o EMU do do nosso peer e só queremos receber cards até 2 hops

O Cccam é muito versátil em termos de configuração e aconselho que se leia o


ficheiro /var/etc/Cccam.cfg com atenção, de forma a optimizar a performance do
sistema com mais configurações.

Versão 1.4 14
6.4 Inadyn

Para que o endereço de DNS dinâmico possa ser actualizado com regularidade com o
nosso IP dinâmico, podemos usar o serviço Inadyn da Dreambox.
Chegamos até lá por Blue Panel->Extras/Settings->Inadyn

Username da
conta Dyndns Intervalo de tempo para
a actualização do IP.
(Se mudar 1 vez por dia é
Password da muito, portanto 90 min é mais
que suficiente)
conta Dyndns

Hostname criado, do
tipo: nome.dyndns.org

NOTA: Alguns routers tem também a capacidade de actualização de várias contas de


DNS dinâmico. Investiga se essa capacidade está disponível no teu router, livrando
assim a Dreambox de ter mais um processo a correr.

6.5 Port forwarding – Abrir as portas do router

Para que o GBOX possa comunicar com o GBOX dos teus peers, é preciso abrir uma
porta no router que vai receber os pedidos TCP e UDP dos teus peers e encaminhá-
los para a Dreambox. Para tal é necessário definir uma porta à escolha (no exemplo é
a 8555) e encaminhá-la para o endereço de IP da Dreambox.

No caso do Cccam o processo é idêntico e no exemplo dado foi usada a porta 12000,
que deverá ser aberta no router em modo UDP e reencaminhada para o IP da nossa
dreambox

Neste explo. usa-se um router Edimax, mas o processo é equivalente para os outros
routers. Vê no manual do teu router como fazer.

Versão 1.4 15
No final fazer reboot à Dreambox e testar abrir um canal encriptado que saibamos
estar a receber de uma das nossas dlines.

Visualizar estado da CAM e dos shares:

GBOX
Para controlar o GBOX podemos usar por exemplo o gboxsuite para instalar na
Dreambox, ou o GBOX Share Control para instalar no PC e ver que cards estamos a
receber, além de outras informações úteis.

CCCAM
No caso do Cccam podemos usar o Cccamphpinfo, instalado no PC que nos dará
todas as informações que precisamos. Em alternativa e de forma ainda mais fácil,
podemos usar o webif da própria Cccam pondo no browser http://IP_DREAM:16001

Versão 1.4 16
7. Montar disco externo no PC

Uma vez que a Dreambox 500 não dispõe de disco rígido interno, temos que
socorrer-nos dos disco rígido do nosso PC que está ligado em rede, de forma a
podermos usar espaço magnético de arquivo e leitura.

O Linux tem uma maneira diferente de DOS/Win para manipular os periféricos. Não
há volumes separados como A: ou C:; um disco, seja um floppy ou não, torna-se uma
parte do sistema local de ficheiros através de uma operação chamada “mounting''

Vamos então montar o nosso disco rigido de um sistema operativo Windows


na nossa Dreambox. Começamos pelas configurações no lado do PC:

1. Primeiros precisamos de criar um user no Windows que terá permissões de


acesso à nossa pasta partilhada. O user terá o nome <dream> com password
<dream>. No Painel de controle do Windows vamos a “User Accounts”...

Clicamos no icon “User Accounts”

Clicamos em “Ceate a new account”

Digitamos o nome do user <dream>

Versão 1.4 17
Basta escolher uma
conta do tipo limitada

O user <dream> está criado e neste momento falta-nos atribuir-lhe uma password.
Voltamos à página de “User Accounts” e clicamos no icon ca conta criada.

Clicar em “Create a password”

Escolher a password
<dream> e confirmar

Versão 1.4 18
2. Criar uma pasta no windows que pretendemos partilhar. Explo. “Server”.
Podem ser usados discos externos, tipo USB, identificados com outra letra
qualquer, tipo D: ou E:.

3. Dentro da pasta “Server” criar outra pasta chamada “movie” (é nesta pasta que
vão ficar os filmes gravados a partir da dreambox).
Podem ainda ser criadas outras pastas, como “musica”, “filmes”, ... de forma a
termos organizado o nosso repositório multimídia.

4. Com o botão do lado direito do mouse sobre “Server” escolhemos “Sharing and
Security...”

Escolher “Share this folder”

Escolher “Dreambox” como


nome para a partilha

Clicar em “Permissions” para


dar permissão de acesso ao
user “Dream” que criámos
antes.

Versão 1.4 19
Clicar em “Add”

Escrever o nome do user que


criámos: <dream>

Novamente na janela anterior,


escolher Alow “Full Control”
para que este user tenha acesso
de leitura e escrita na pasta
partilhada

Do lado do PC está tudo feito!

Versão 1.4 20
Para montar o disco externo, do lado da Dreambox é preciso fazer as
seguintes configurações:

1. Ir a Menu->Setup->Expert Setup->Comunications Setup:

Escolher
“mounts”

2º Preencher a informação como se segue:

3º Depois de tudo preenchido carregar no botão verde (mount) e deverá aparecer


uma mensagem a dizer que o mount foi bem sucedido (espera-se que o pc esteja
ligado com a pasta já partilhada).

4º Carregar no botão amarelo (save) para guardar as configurações.

Versão 1.4 21
7.1 Picons em disco de rede

Acabei de testar com sucesso a utilização de picons alojados em disco de rede


(solução muito útil para quem tem dm500 )

Então é assim:
1º Montar disco externo, tal como explicado no manual do zenet
2º Criar pasta "picon" debaixo da pasta partilhada no pc. Copiar todos os picons lá
para dentro (não esquecer que cada picon tem que ter o nome exactamente igual ao
do canal, letras maiúsculas e minúsculas interessa)
3º Ir a Blue Panel->Extras/Setup->general
4º Em "Picon Place" escolher "/var/mnt/hdd/picon"
5º exit e já está

(testes feitos com backup gemini 4.2 com skin Black Matrix PtW)

Versão 1.4 22
7.2 Gravar filmes no disco
Podemos pôr um filme a gravar simplesmente usando o Enigma Web Interface. Para
tal abre-se uma janela de browser com o endereço de IP da Dreambox, ao que nos é
pedido o login (por defeito: user <root> e password <dreambox>).

Deverá aparecer uma página do tipo:

Escolhemos o canal
que pretendemos e
depois basta clicar
no botão de gravar.

Para parar depois


no botão de stop

=> Os filmes são gravados na pasta \Server\movie.

Os filmes gravados no disco pela Dreambox têm o formato TS (Transport Stream). É


um formato desenhado para fazer streaming de videos MPEG em rede e por satélite.
O software freeware Videolan - VLC Media Player consegue ler estes formatos, quer
no PC quer na Dreambox.
( http://www.videolan.org )

Versão 1.4 23
7.3 Ver programas previamente gravados

Para ver no PC os filmes gravados e que se encontram em formato .TS podemos usar
o software VLC para Windows que devemos instalar no PC. Em alternativa podemos
ver os filmes na Dreambox a partir do modo “File” no Menu.

1º No PC
Ir à pasta \Server\movie que criámos anteriormente e abrir o ficheiro (formato .TS)
com o VLC.

2º Na Dream
Ir ao modo ficheiro e à pasta “Recorded Movies” e lá dentro vamos encontrar os
nossos filmes previamente gravados:

Versão 1.4 24
7.4 Ouvir mp3 pela Dreambox
Esta capacidade funciona muito bem, sem problemas. Não é necessário o cliente VLC
instalado na Dreambox, basta ter ligação ao disco externo onde estão os nossos
ficheiros de música mp3.

1º Ir a Setup->Modo Ficheiros 2º Navegar nas pastas

3º Escolher o ficheiro mp3 a ouvir com o botão OK.

NOTA: Teoricamente o procedimento para ver JPEGs é o mesmo, embora com a


versão Gemini 4.10 não tenha tido sucesso e o procedimento chega a bloquear a
Dreambox.

Versão 1.4 25
8. Streaming de video

1. No PC
No Enigma Web Interface clicar em WEB-X-TV

Irá abrir-se uma nova janela, onde devemos escolher o canal que queremos ver,
clicamos no icon do VLC e deve aparecer a seguinte imagem. Clicando no cone deve
aparecer o que está a passar na tv.

Nem sempre funciona muito bem esta capacidade, deverá tentar-se em vários canais
e abrir e fechar o browser até se conseguir ver o strazming de video em condições.

2. Na Dreambox
(Utiliza-se o cliente VLC para Dreambox, mas por ainda estar muito instável a última
versão, deixo para uma próxima revisão do manual)

Versão 1.4 26
9. FTP

FTP significa File Transfer Protocol (Protocolo de Transferência de Arquivos), e é


uma forma bastante rápida e versátil de transferir arquivos (também conhecidos
como ficheiros), sendo uma das mais usadas na internet.
A transferência de dados em redes de computadores envolve normalmente
transferência de arquivos e acesso a sistemas de arquivos remotos (com a mesma
interface usada nos arquivos locais). O FTP (RFC 959) é baseado no TCP, mas é
anterior à pilha de protocolos TCP/IP, sendo posteriormente adaptado para o
TCP/IP. É o padrão da pilha TCP/IP para transferir arquivos, é um protocolo
genérico independente de hardware e do sistema operacional e transfere arquivos
por livre arbítrio, tendo em conta restrições de acesso e propriedades dos
mesmos.

Transferência de ficheiros
A transferência de arquivos dá-se entre um computador chamado "cliente"
(aquele que solicita a conexão para a transferência de dados) e um servidor
(aquele que recebe a solicitação de transferência, neste caso a nossa Dreambox).
O usuário, através de software específico (veja uma lista de softwares ao final
deste documento), pode selecionar quais arquivos enviar ao servidor. Para
conectar-se ao servidor, o utilizador informa um nome de utilizador (ou
username, em inglês) e uma senha (password). Informa também o nome correto
do servidor ou seu endereço IP.
Se os dados foram informados corretamente, a conexão pode ser estabelecida,
utilizando-se um "canal" de comunicação, chamado de porta (port). Tais portas
são especificações numéricas que, no caso da comunicação FTP, é representada
pelo número 21.

Lista de clientes FTP

 SmartFTP
 Cute FTP
 FTP via Web
 Filezilla
 Core FTP
 WS FTP
 LeechFTP
 gFTP
 FireFTP

 DCC (Software “multiusos” que permite várias tarefas com a Dreambox


nomeadamente o FTP)

FTP remoto: Para se pder fazer ftp remoto, através da Internet, é necessário abrir a
porta 21 do router e encaminhar esta porta para o endereço IP da Dreambox.

Versão 1.4 27
10. Telnet

Telnet é um protocolo cliente-servidor de comunicações usado para permitir a


comunicação entre computadores ligados numa rede (exemplos: rede local / LAN,
Internet), baseado em TCP.
O protocolo Telnet também permite obter um acesso remoto a um computador.

Como fazer telnet com a nossa Dreambox através do nosso PC?

1. Numa janela de DOS (ou usando um software como o putty), escrever telnet
<IP_DA_DREAMBOX>

2. Vai-nos ser pedido o login. Por defeito é username root e password


dreambox.

A partir daqui estamos dentro da Dreambox e podemos fazer tudo o que fazemos
com o DCC, mas utilizando os comandos Linux.

Alguns comandos Linux que podem auxiliar no dia a dia:

reboot - faz reboot à box


ll - o mesmo que <dir> do msdos
cat <nome_ficheiro> | more - visualiza o conteúdo do ficheiro
Explo: ver peers do GBOX online: cat /tmp/share.onl o código 0 ou 1 no início
indica se estão online ou off

cd - como no msdos serve para mudar de pasta. Não esquecer que as barras são
ao contrário /

top - como o task manager do windows. vêem-se os serviços a correr e estado da


memoria, ...

Versão 1.4 28
Edição de ficheiros. Usa-se o editor do linux vi
comandos básicos para desenrascar:
h j k l - cursor
x - apagar caracter
i - escrever
:q! - sair sem gravar
:wq - grava e sai

chmod <expressão_permissões> <ficheiro> – permite alterar as permissões de


um ficheiro

Cada ficheiro tem um conjunto de 3 números que lidos da esquerda para a direita
estão associados a USER - GROUP - EVERYONE e que têm a seguinte
interpretação:
0 = --- No permission
1 = --X Execute only
2 = -W- Write only
3 = -WX Write and execute
4 = R-- Read only
5 = R-X Read and execute
6 = RW- Read and write
7 = RWX Read, write and execute

Assim, para alterar as permissões de um ficheiro para 755 faz-se por explo:
chmod 755 /var/bin/ficheiro

• Mostrar quem está online no gbox: cat /var/tmp/share.onl


• Mostrar todos os cards dist1 no gbox: grep "dist:1" /var/tmp/share.info

Telnet remoto: Para se pder fazer telnet remoto, através da Internet, é


necessário abrir a porta 23 do router e encaminhar esta porta para o endereço IP
da Dreambox.

Versão 1.4 29