Vous êtes sur la page 1sur 11

Introdução à Eletricidade – Cargas Elétricas americano, por vo

os termos eletric
1. Preliminares negativa para as
resinosa, respecti
A história da Eletricidade começa na
Antigüidade. Os gregos notaram que o Para entendermos
âmbar, quando atritado, adquiria a ocorre num proce
propriedade de atrair pequenos pedaços As barras de plástico repelem-se após vidro e seda ou e
de palha. terem sido atritadas com lã. devemos ter algu
respeito de carga
Vamos ilustrar essa propriedade através Finalmente, aproximamos a barra de da matéria. É do
de exemplos. plástico atritada com lã do bastão de capítulo.
vidro atritado com seda. Observamos,
Consideremos dois bastões de vidro e agora, uma atração
com entre eles.
Esses experimentos realizados o
um pedaço de seda. Vamos, com esses 2. Carga Elétrica
vidro, seda, plástico e lã podem ser
objetos, realizar o seguinte experimento:
repetidos com muitos outros materiais.
inicialmente, cada bastão de vidro é A matéria é formada por átomos, que por sua vez são
Chegaremos sempre às seguintes
constituídos por um pequeno núcleo central e por
atritado com o pedaço de seda. Em
conclusões: uma eletrosfera.
seguida, um dos bastões de vidro é
suspenso por um fio e o outro bastão de
1) corpos feitos doA.mesmo
Núcleomaterial,
vidro é aproximado do primeiro.
quando atritados pelo mesmo
Observamos que os dois bastões de vidro
processo, sempre se repelem;
repelem-se.
É a parte central do átomo, em que se localiza
2) corpos feitospraticamente
de materiaistoda a massa do átomo e onde
diferentes, atritados por processos
encontramos várias partículas, das quais, do ponto
diferentes, podem atrair-se
de vista ou repelir-destacamos duas: prótons
da Eletricidade,
se. e nêutrons.

Os bastões de vidro e as barras


• Prótons: de que apresentam a
partículas
plástico, quandopropriedade
atritados com a seda e carga elétrica, ou seja,
denominada
Os bastões de vidro repelem-se após a lã, respectivamente,
trocamadquirem
entre si, ou uma
com outras partículas, ações
terem sido atritados com a seda. propriedade que não possuíam
elétricas de antes
atração oudarepulsão. Os prótons são
fricção: eles passam a se atrair
partículas ou a sede carga elétrica positiva.
portadoras
repelir quando colocados
Vamos, agora, repetir o experimento com convenientemente um em presença
• Nêutrons: do que apresentam carga
partículas
outro. Nessas condições,
elétrica dizemos
nula que
, ou seja, os trocam ações elétricas de
não
duas barras de plástico atritadas com um
atração ou de repulsão.
bastões de vidro e as barras de plástico
pedaço de lã ou pele de animal.
estão eletrizados
Observamos que as duas barras de
B. Eletrosfera
plástico repelem-se, da mesma maneira
que os bastões de vidro do experimento Verificamos, então, através de
experiências, que os corpos eletrizados
anterior.
É uma região
podem ser classificados em doisdo espaço
grandesem torno do núcleo onde
gravitamaopartículas menores, denominadas
grupos: um semelhante
elétrons. Os elétrons possuem massa desprezível
eletricidade vítrea
semelhante ao quando comparada à dos prótons ou dos nêutrons.
resinosa.
• Elétrons: partículas que, como os prótons,
apresentam
Benjamin Franklin, políticoaepropriedade
escritor denominada carga
elétrica, isto é, trocam ações elétricas de atração A tabela abaixo apresenta a massa e a quantidade
ou repulsão. Os elétrons são partículas portadoras de carga elétrica das principais partículas
de carga elétrica negativa. atômicas:

Quantização da Quantidade de Carga Elétrica

Q – quantidade de carga elétrica


e – carga elétrica elementar
3. Quantidade de Carga Elétrica
n – nº de elétrons em falta ou em excesso
Aos corpos, ou às partículas, que apresentam a
propriedade denominada carga elétrica , podemos
associar uma grandeza escalar denominada
quantidade de carga elétrica , representada pelas Exercícios Resolvidos
letras Q ou q , e que no Sistema Internacional de
Unidades (SI) é medida em coulomb (C). 01. Determine a quantidade de carga elétrica
associada a 500 elétrons.
A quantidade de carga elétrica positiva do próton e
a quantidade de carga elétrica negativa do elétron Resolução: Sendo a quantidade de carga elétrica
são iguais em valor absoluto, e correspondem à do elétron dada por: e = –1,6 · 10 –19 C
menor quantidade de carga elétrica encontrada na
natureza, até os dias atuais. Essa quantidade é Assim, a quantidade de carga elétrica associada a
representada pela letra e e é chamada de 500 elétrons é dada por:
quantidade de carga elétrica elementar.
Q= n . e Q = 500 (- 1,6 .10 -19)
Em 1909, a quantidade de carga elétrica elementar Q = - 8,0 · 10-17 C
foi determinada experimentalmente por Millikan.
O valor obtido foi: 02. Determine a quantidade de carga elétrica de
um corpo formado por um mol de íons de fosfato.

Resolução: Sabemos que um mol de íons de


fosfato possui, aproximadamente, 6 · 1023 íons de
fosfato, e que cada íon de fosfato possui 3 elétrons
Nessas condições, podemos escrever as em excesso. Assim, temos:
quantidades de carga elétrica do próton e do
elétron como sendo: Q=n.(-e)
Q = - 6 . 10 23 . 3 . 1,6 . 10 -19
q p = + e = +1,6 · 10 –19 C Q = - 2,9 . 105 C
q e = – e = –1,6 · 10 –19 C

Para o nêutron temos qn = 0. 03. Um íon de bário possui 56 prótons, 76


nêutrons e 54 elétrons. Determine a quantidade de
carga elétrica desse íon.
Dizemos que existe uma corrente elétrica quando
Resolução: Como o íon de bário possui 56 portadores de cargas elétricas (positivos e/ou
prótons e 54 elétrons, apresenta uma carga negativos) se movimentam numa direção
elétrica positiva com um excesso de carga elétrica preferencial em relação às demais.
correspondente a +2e.
Exemplos
Assim, temos: Q = n · e
Q = + 2 ( 1,6 · 10–19 )
Q = + 3,2 · 10–19 C – Metais: portadores de cargas elétricas elétrons.

1. Propriedades Elétricas dos Materiais

Os materiais existentes podem ser divididos em


dois grandes grupos quanto à mobilidade dos
portadores de cargas elétricas no seu interior:
condutores e isolantes.

A. Condutores – Soluções Eletrolíticas: portadores de cargas


elétricas íons positivos e negativos.

São materiais que apresentam portadores de cargas


elétricas (elétrons ou íons) quase livres, o que
facilita a mobilidade dos mesmos em seu interior.
São considerados bons condutores, materiais com
alto número de portadores de cargas elétricas
livres e que apresentam alta mobilidade desses
portadores de cargas elétricas.

Observação – Condutor ideal é todo material em


que os portadores de cargas elétricas existentes se
movimentam livres, sem qualquer oposição do meio
natural. – Gases: portadores de cargas elétricas íons e
elétrons.
B. Isolantes

Os materiais isolantes se caracterizam por não


apresentar portadores de cargas elétricas livres
para movimentação. Nesses materiais, a
mobilidade dos portadores de cargas elétricas é A. Direção e Sentido da Corrente Elétrica
praticamente nula, ficando os mesmos
praticamente fixos no seu interior.
No estudo da corrente elétrica, dizemos que sua
Exemplos: borracha, madeira, água pura, etc direção é a mesma da dos portadores de cargas
elétricas, sejam positivos ou negativos. Com
2. Corrente Elétrica relação ao sentido, adotamos o sentido
convencional: o sentido da corrente elétrica é o
mesmo do movimento dos portadores de cargas
elétricas positivas ou, por outro lado, sentido de cargas elétricas, através de uma superfície, por
contrário ao do movimento dos portadores de unidade de tempo.
cargas elétricas negativas.
A unidade de intensidade de corrente elétrica no
Sistema Internacional é o ampère (A).

É muito freqüente a utilização de submúltiplos do


ampère (A):

4. Gráfico de i x t

Quando a intensidade de corrente elétrica (i) varia


com o tempo, é costume apresentarmos o seu
comportamento através de um diagrama horário: i
x t.

3. Intensidade de Corrente Elétrica i

Indicando por Q a carga total, em valor absoluto,


que atravessa a superfície (S) do condutor, no
intervalo de tempo t, definimos intensidade
média de corrente elétrica (im), nesse intervalo de
tempo, pela relação:
Intensidade de corrente variável com o tempo

Nesses casos, para obtermos a intensidade média


de corrente elétrica (im), devemos, inicialmente,
determinar a carga elétrica total ( Q)
correspondente ao intervalo de tempo de nosso
interesse. A carga elétrica total ( Q) é dada,
numericamente, pela área sob a curva entre os
instantes t1 e t2, conforme mostrado na figura a
seguir.
A intensidade de corrente elétrica (i) é uma
grandeza escalar que fornece o fluxo de portadores
Resolução: A carga elétrica total, Q ,
correspondente ao intervalo de tempo de 0 a 4,0 s,
é dada pela área do trapézio mostrada na figura a
seguir.
Resumo

1. Materiais

2. Corrente elétrica

3. Intensidade

02. Na figura abaixo, suponhamos que


1 · 1020 íons sulfato e 2 · 1020 íons hidroxônio se
movimentem por segundo. Determinar a
intensidade da corrente elétrica no interior da
solução aquosa de ácido sulfúrico (H2SO4).
Exercícios Resolvidos

01. Determinar a intensidade média de corrente


elétrica no intervalo de tempo de 0 a 4,0 s,
conforme o gráfico abaixo.
Em geral, o valor nominal é expresso pela potência
máxima e sua correspondente diferença de
potencial (P; U). Às vezes, o valor nominal é
expresso pela potência máxima e sua
correspondente intensidade de corrente elétrica (P;
i).

Exemplos: ferro elétrico (1 000 W; 120 V);


chuveiro elétrico (3 800 W ; 220 V) e motor
elétrico (1 000 W ; 5 A C.A.).

Resolução: No interior da solução, a intensidade


de corrente elétrica ( i ) total é a soma das
intensidades de correntes de íons H3O+ e SO4-2 .
Assim, temos:

Ao colocarmos um determinado aparelho elétrico


em funcionamento, devemos observar alguns
pontos básicos:

1) Se a rede elétrica, na qual o aparelho vai ser


ligado, apresentar uma ddp menor que a ddp
nominal do aparelho, este funcionará em
condições abaixo do normal. Assim, temos:

Tensão Elétrica

Leitura Complementar
Aparelho

Condição de Funcionamento de Aparelhos


Elétricos

Todos os aparelhos elétricos trazem impressos seus Sendo:


valores nominais que correspondem às condições UAPLIC. < UNOM.
normais de funcionamento e, além disso, têm o
caráter de informar os valores máximos
admissíveis para os mesmos. O aparelho funcionará desenvolvendo uma
potência abaixo da potência nominal, ou seja, o
funcionamento do aparelho é abaixo do normal. isolante, os resistores de carvão são constituídos
basicamente de grafite comprimida, revestida por
uma camada isolante de cerâmica. O seu valor
2) Sendo a ddp da rede elétrica igual à ddp nominal é apresentado por faixas coloridas (código
nominal do aparelho, este funciona em condições de cores), que obedecem ao seguinte critério:
normais. partindo da extremidade, as duas primeiras cores
formam um número com dois algarismos; a
terceira cor corresponde ao expoente da potência
UAPLIC. = UNOM. funcionamento normal de 10 que multiplica o número inicial; a quarta cor
corresponde à tolerância que mostra,
percentualmente, a faixa de valores em que pode
3) Finalmente, se a ddp da rede elétrica for maior variar a resistência do resistor. Assim, temos:
que a ddp nominal do aparelho elétrico, este
sofrerá superaquecimento, podendo, em função do
tempo de funcionamento, fundir, o que significa
queima do aparelho. Portanto, temos:

Racionando com a corrente elétrica fornecida pela


rede elétrica em lugar da ddp, podemos resumir: Código de Cores
Preto – 0
Verde – 5
Marrom – 1
Azul – 6
Vermelho – 2
Violeta – 7
Laranja – 3
Cinza – 8
Amarelo – 4
Branco – 9
Resistores (I)

Leitura Complementar

Tipos de Resistor Tolerância:

Na prática, são muito comuns os resistores de Prata – 10%


carvão e os de fio. Ouro – 5%
Sem faixa – 20%

Exemplo

Consideremos um resistor de carvão com as


Enquanto os resistores de fio são constituídos por seguintes faixas coloridas:
um fio metálico enrolado sobre um suporte
Determine o valor da resistência elétrica desse 2) a resistência elétrica é inversamente
resistor, utilizando o código de cores dado no item proporcional à área da secção transversal do fio.
acima.

Resolução

As duas primeiras cores: vermelho (2) e preto (0)


formam o número 20. A terceira cor, laranja (3),
corresponde ao expoente da potência de dez: 103; a
quarta cor, prata (10%), indica a tolerância. Assim,
a resistência elétrica do resistor vale:

R = (20 · 103 ± 10%) ohms ou R = (20 000 ± 2


000) , ou seja, o valor da resistência elétrica do Com base nas análises acima, podemos escrever
resistor está compreendido dentro do intervalo de que:
18 000 a 22 000 ohms.
. Segunda Lei de Ohm

Para condutores em forma de fios, verificamos,


experimentalmente, que a resistência elétrica do
condutor depende do comprimento do fio , da
área de sua secção transversal ( A ) e do tipo de
material que constitui o condutor .

Onde é o fator de proporcionalidade (uma


grandeza característica do material com que é feito
o condutor, denominada resistividade, que só
depende da temperatura, não dependendo da forma
ou dimensão do condutor).

Analisando, separadamente, cada uma dessas No Sistema Internacional, temos as seguintes


dependências, temos: unidades:

1) a resistência elétrica R é diretamente


proporcional ao comprimento do fio;
b) Potenciômetro Circular

2. Aplicações de Resistores

A. Reostatos

Por definição, reostatos são dispositivos tais que


podemos variar a sua forma ou as suas dimensões, Como o cursor C pode variar ao longo do resistor
de modo a obter uma resistência variável. de A até B, ao ligarmos o circuito nos pontos A e
C, obtemos uma resistência variável com o
Os reostatos podem ser divididos em duas classes. comprimento do resistor.

Variação Contínua Variação Descontínua

O reostato de variação contínua, comumente O reostato de variação descontínua somente pode


denominado potenciômetro, apresenta uma assumir determinados valores decorrentes do fato
resistência que pode assumir qualquer valor entre de sua construção ser feita a partir de um conjunto
zero e um, dado o valor máximo específico. Este de resistores com resistências bem determinadas.
tipo de reostato é constituído basicamente por um
condutor de um determinado comprimento e um Exemplo
cursor que se move ao longo do condutor. Nestas
condições, variando-se a posição do cursor,
variamos o comprimento do condutor e, portanto,
a sua resistência elétrica.

Exemplos

a) Potenciômetro Linear

A variação se dá em função da mudança do


número de resistores associados ao circuito.
C. Fusíveis Elétricos

Nos circuitos elétricos, os reostatos são


representados conforme as figuras abaixo:
O fusível elétrico é um elemento utilizado nos
circuitos elétricos como segurança. Trata-se de um
condutor (resistor) que age como um elemento de
proteção aos demais elementos de um circuito.
Para isto, o fusível suporta, no máximo, um
determinado valor de corrente elétrica; acima deste
valor, o calor produzido por efeito Joule é tal que
funde (derrete) o fusível.

O material empregado nos fusíveis tem, em geral,


B. Lâmpadas Incandescentes baixa temperatura de fusão. Alguns materiais
utilizados são: o chumbo, que apresenta
temperatura de fusão da ordem de 327 °C; o
estanho, com temperatura de fusão da ordem de
As lâmpadas de incandescência são as lâmpadas 232 °C; ou ligas desses metais.
de filamento, criadas no século passado pelo
americano Thomas Edison. O fio de metal é montado em um cartucho ou em
uma peça de porcelana. O fusível é construído de
maneira a suportar a corrente máxima exigida por
um circuito para o seu funcionamento. Assim,
podemos ter fusíveis de 1 A ; 2 A ; 10 A ; 30 A, etc.

Em circuitos elétricos, os fusíveis são


representados pelo símbolo a seguir:

Os filamentos destas lâmpadas são geralmente de


tungstênio, o qual permite um aquecimento até
temperaturas muito altas, da ordem de 2 500 °C,
sem atingir o ponto de fusão. Portanto, nessas
lâmpadas, temos o efeito Joule (transformação de
energia elétrica em energia térmica) e, quando a
temperatura ultrapassa 500 °C, aproximadamente,
o filamento da lâmpada começa a irradiar luz.

Normalmente, nos circuitos elétricos, as lâmpadas


são representadas pelo símbolo indicado na figura
abaixo:
a) Determine a resistência elétrica de 200 m desse
fio a 20 °C.

b) Qual a resistência elétrica desse fio a 100 °C?

Resolução

a) A resistência é dada por . Assim, temos:

b) A resistência desse fio a 100 °C é dada por:

R = R0 (1 + )
R = 1,0 (1 + 4 . 10-3 . 80)
R = 1,32

Resumo

Exercício Resolvido

No comércio, os fios condutores são conhecidos


por números de determinada escala. A mais usada
é a AWG (American Wire Gage). Um fio muito
usado em instalações domiciliares é o número 12
AWG. Sua secção reta é de 3,3 mm2. A
resistividade do cobre é de
1,7 · 10–8 · m, sendo = 4 · 10–3 °C–1, ambos a 20
°C.