Vous êtes sur la page 1sur 411

SUMÁRIO

INTRODUÇÃO
Módulo 1 - AMBIENTE
Aula 1 - A mente mestra – O conceito do Mastermind
Aula 2 - As três fontes de poder da mente mestra
Aula 3 - A importância do ambiente para definição da personalidade
Aula 4 – Como construir uma personalidade atraente
Aula 4 - Oito considerações importantes sobre a mente mestra
Aula 5 - As sete regras de ouro para você criar a sua própria mente
mestra

Módulo 2 - COMPORTAMENTOS
AULA 1 - as 16 leis do sucesso.
AULA 2 - os hábitos das pessoas que constroem riqueza.
AULA 3 - os componentes do Hábito Triangular.
AULA 4 - os hábitos das pessoas altamente eficazes.
AULA 5 - as pessoas de sucesso consideram seus hábitos óbvios.
AULA 6 - meritocracia – a teoria da causa e efeito para o sucesso
pessoal e profissional.
AULA 7 - pratica deliberada.
AULA 8 - o ponto da virada.

MÓDULO – 6 COMPETÊNCIAS

AULA 1 - Necessidades básicas dos seres humanos


AULA 2 - Empreendedorismo e habilidade gerenciais
AULA 3 - Estudo da trajetória de vida para empreender
AULA 4 - Performance e foco
AULA 5 - O estado de fluxo e produtividade
AULA 6 - Como criar relações intencionais
AULA 7 - Inteligência
AULA 8 - Inteligência emocional
AULA 9 - Competências metacognitivas para a carreira
AULA 10 - Atitudes inteligentes frente às adversidades
AULA 11 - Como ser mais persuasivo
AULA 12 - Habilidades do administrador
AULA 13 Como transformar uma vontade numa ideia empreendedora

Módulo 4 - MINDSET
AULA 1 - O que é mindset
AULA 2 - O mindset que atrapalha a riqueza
AULA 3 - Mindset de crescimento e pensamento otimista
AULA 4 - O pensamento alienado
AULA 5 - Mindset nos bancos escolares
AULA 6 - O mindset das pessoas ricas
AULA 7 - Pensar grande e transformar pensamentos em ação
AULA 8 - Mindset e a sua relação com o tempo

Módulo 5 - IDENTIDADE E PROPÓSITO


AULA 1 - Como eu descubro o meu propósito?

MÓDULO DINHEIRO (SEXTO)


Módulo 0 - RIQUEZA
Aula 1 – Onde tudo começou
Aula 2 - Existe algo que você não sabe
Aula 3 – O problema não é o dinheiro
Aula 4 – Nossos criadores
Aula 5 – Você está programado para o sucesso?
Aula 6 – reprogramação de sua biblioteca mental
Aula 7 – os milionários pensam a longo prazo
Aula 8 – Você é dono da sua própria vida
Aula 9 – Os milionários trabalham visando lucro
Aula 10 – Todos gostariam de ser ricos
Aula 11 – Os milionários assumem riscos calculados

Módulo 1 – REFLEXÕES DE UM BATALHADOR SEM


DINHEIRO
AULA 1 - O exemplo do arquiteto – planejamento no papel
AULA 2 – Ciclo financeiro das pessoas
AULA 3 – Tempo e dinheiro
AULA 4 – A importância do orçamento inteligente
AULA 5 – Pagar à vista ou à prazo
AULA 6 – Poupar X Investir

Módulo 2 – GANHA MAIS DO QUE PAGA

AULA 1 – Fundo de investimento


AULA 2 – Qualidade do bom investidor
AULA 3 – Conclusão do fundo de emergência

MÓDULO 3 – NÃO SE PREOCUPA MAIS COM O CURTO


PRAZO

AULA 1- Vale a pena investir no Brasil?


AULA 2- Aposentadoria
AULA 3 – Por que muitas pessoas não vão se aposentar bem
AULA 4 – Previdência: pensando no futuro
AULA 5 – Recapitulando – A estratégia de O primo rico
AULA 6 – Introdução à sucessão

MÓDULO FINAL

O CÓDIGO DA RIQUEZA
INTRODUÇÃO
O Código da Riqueza é um curso sobre as seis dimensões da
prosperidade pessoal, profissional e financeira. Trata-se de um compêndio com
as melhores práticas, ideias, teorias e resultados das pessoas mais bem
sucedidas do mundo. Durante todo esse treinamento você vai aprender com os
mais refinados conhecimentos retirados de experiências, livros e estudos
científicos que versam prioritariamente entender a fórmula do sucesso; ao qual
foi denominado de Código da Riqueza nesse treinamento.

Entende-se com riqueza não somente o montante de dinheiro que as


pessoas tem disponível no banco e nos seus fundo de investimentos. É muito
mais. Riqueza nesse contexto está dividida e explicada de maneira detalhada
em 6 macro áreas;

AMBIENTE. O local que você vive e convive. Esse ambiente tem total
relevância sobre o seu sucesso pessoal e profissional.
COMPORTAMENTO. Todos os seus comportamentos intrínsecos e
extrínsecos com relação a sua jornada para a riqueza.
COMPETÊNCIAS. Todas as suas habilidades e conhecimento. Como
você aprende, geri e expande suas competências para gerar vantagens
competitivas de mercado.
MINDSET. Como está estruturada a sua maneira de pensar e enxergar
o mundo ao seu redor.
IDENTIDADE E PROPÓSITO. Quem você é e qual legado você quer
deixar para a sociedade.
DINHEIRO. Como você age frente ao seu dinheiro, seu comportamento
e conhecimento com relação a sua vida financeira e sobre como você
age frente às oportunidades de investimentos.
AMBIENTE

DINHEIRO COMPORTAMENTO

O CÓDIGO
DA
RIQUEZA

IDENTIDADE e
COMPETÊNCIAS
PROPÓSTIVO

MINDSET

O curso possui vários exercícios práticos durante a sua jornada para que o
aluno possa identificar padrões que ele adota em busca da sua riqueza plena.
Testes e exercícios aparecem durante todo o processo de maneira sistemática.
É de fundamental importância que todos eles sejam realizados com atenção e
cuidado para uma análise e resultados precisos sobre o estado atual de cada
aluno que participar desse treinamento.

No início de cada módulo, o aluno deverá preencher a Roda do Código


da Riqueza. Trata-se de um exercício para medir o nível de satisfação ( de 0 a
10) de cada aluno para todas as seis macro áreas do Código da Riqueza.
Durante os módulos haverá dezenas de exercícios de fixação e ao final de
cada módulo outro exercício denominado: Plano de decisão e ação.

O Pano de Decisão e Ação será o responsável por fazer com que os


alunos reflitam sobre o conteúdo transmitido bem como desenvolva de maneira
específica seus planos de ação em cada uma das seis macro áreas. É uma
ferramenta de grande impacto. Faça com bastante atenção. Além disso,
recomendamos que você tenha um caderno para responder a todos os
exercícios propostos no Código da Riqueza.

Seja muito bem vindo ao maior treinamento de riqueza, sucesso e


finanças já desenvolvido no Brasil.

Bons estudos!
AMBIENTE
O AMBIENTE - palavras iniciais

O ambiente é um das mais poderosas ferramentas em busca de sucesso


profissional e pessoal para qualquer pessoa. Nenhuma indivíduo bem sucedido
convive com pessoas medíocres, muito pelo contrário. O ambiente em que
vivem determina em altíssima escala seus respectivos resultados. O ambiente
não deve ser enxergado como um local físico propriamente dito, ele mais do
que isso. O ambiente é composto pelas pessoas que ali estão. São elas os
agentes transformadores de qualquer ambiente. Não se trata de estar num
grande hotel, país ou sala comercial de alto padrão. O padrão são as pessoas.
Pessoas de alto desempenho, com propósitos semelhantes e atitude
condizentes.

É o conceito sobre a Mente Mestra e seu poder no ambiente que versa


esse módulo. Sem um ambiente propício, nenhuma pessoa conseguirá rumar
para um vida próspera, de riqueza como também não a conseguirá alcançar
nenhum resultado relevante sem a ajuda de outras pessoas.

Aulas do módulo. Esse módulo é composto por 5 aulas

Aula 1 - A mente mestra – O conceito do Mastermind


Aula 2 - As três fontes de poder da mente mestra
Aula 3 - A importância do ambiente para definição da personalidade
Aula 4 - Oito considerações importantes sobre a mente mestra
Aula 5 - As sete regras de ouro para você criar a sua própria mente
mestra
RODA DO CÓDIGO DA RIQUEZA -
AMBIENTE
Para o início desse módulo, você deverá preencher a RODA DO
CÓDIGO DA RIQUEZA – AMBIENTE. Trata-se de uma roda de 10 níveis
relacionados ao ambiente que você vive e as pessoas que convivem com você
nele. Você deverá colocar uma nota de 0 a 10 de acordo com o seu nível de
satisfação com relação a esse pilar. Os níveis são:

1. Inteligência. De uma nota de 0 a 10 para o seu nível de


satisfação sobre a inteligência das pessoas que você mais
convive com você. Elas são inteligentes? Como você considera o
capital intelectual das pessoas que mais convivem com você?
Você sempre aprende coisas novas que podem ser aplicadas no
seu dia a dia rumo a sua riqueza?

2. Sucesso. De uma nota de 0 a 10 para o seu nível de satisfação


sobre o sucesso das pessoas que estão nesse ambiente. Você as
considera bem sucedidas? Elas são a referencia nas atividades
profissionais que elas desenvolvem?

3. Ideias. De uma nota de 0 a 10 para o seu nível de satisfação


sobre as ideias que são apresentadas pelas pessoas desse
ambiente que você convive. Elas são reais, tangíveis, ou são
utópicas? As ideias podem melhorar, de verdade, a sociedade, ou
são ideias sem o menor senso de importância?

4. Mindset. De uma nota de 0 a 10 para o seu nível de satisfação


sobre a forma que as pessoas no seu dia a dia pensam. Elas tem
uma mentalidade de crescimento, vitoriosa e persistente, ou são
pessoas que pensam pequeno e de maneira medíocre? Avalie a
maneira de pensar sobre o sucesso dessas pessoas?
5. Finanças. De uma nota de 0 a 10 para o seu nível de satisfação
sobre o que você considera sucesso sobre as finanças das
pessoas que convivem com você. Elas são saudáveis
financeiramente? Costumam fazer investimentos ou são
gastadores? Essas pessoas aumentaram o patrimônio delas nos
últimos meses ou perderam? Avalie o perfil financeiro dessas
pessoas

6. Liderança. De uma nota de 0 a 10 para o seu nível de satisfação


sobre a liderança e autoliderança das pessoas que você convive.
São bons líderes, lideram a sua equipe para o sucesso? São
autorresponsáveis e não colocam a culpa nos outros ou sempre
destinam seus fracassos às circunstâncias e outras pessoas?

7. Influência. De uma nota de 0 a 10 para o seu nível de satisfação


sobre a influência do grupo. As pessoas que você mais convivem
são influenciadores, ou não exercem força nenhuma em outras
pessoas. São formadores de opinião e ou apenas são levados
facilmente pela opinião dos outros.

8. Realização. De uma nota de 0 a 10 para o seu nível de satisfação


sobre a capacidade de realização das pessoas que convivem com
você. Eles realizam o que propõem ou ficam apenas no plano das
ideias. Eles concretizam coisas importantes na vida deles e para
as pessoas mais próximas, ou desistem facilmente.

9. Conexões. De uma nota de 0 a 10 para o seu nível de satisfação


sobre as conexões que são estabelecidas no ambiente que você
frequenta. Você conhece novas pessoas constantemente ou é um
grupo que não aumenta o poder de conexões. É possível
desenvolver novos negócios e parcerias ou apenas um grupo
fechado que chegou ao seu limite de possibilidades de conexões?

10. Integridade. De uma nota de 0 a 10 para o seu nível de


satisfação sobre a integridade das pessoas que você convive.
Elas são confiáveis e tem o respeito de outras pessoas ou são
pessoas sem integridade e congruência entre suas falas e seus
atos?

Com o resultado desse exercício, você saberá onde precisa dar um


pouco mais de atenção e, consequentemente se sentir realizado e satisfeito
com a situação que se encontra. Essa técnica também ajuda com que você se
avalie rapidamente e reflita, logo no início desse módulo, em qual ponto da sua
vida você se encontra para essa área, para onde quer ir, quais as suas
prioridades e quais são os fatores que podem estar te impedido de realizar
seus objetivos com maior desempenho.

A partir de agora, é a sua vez de preencher a sua RODA DO CÓDIGO


DA RIQUEZA – AMBIENTE
AREAS PONTUAÇÃO
1 – INTELIGÊNCIA
2 – SUCESSO
3 – IDEIAS
4 – MINDSET
5 – FINANÇAS
6 – LIDERANÇA
7 – INFLUÊNCIA
8 – REALIZAÇÃO
9 – CONEXÃO
10 - INTEGRIDADE

MEDIA____________
_____________________

AULA 1
A MENTE MESTRA – O conceito do Mastermind (Aula 1)

O CÓDIGO DA RIQUEZA

Módulo - AMBIENTE

Capítulo – A MENTE MESTRA – O conceito do Mastermind

Aula - 01

Temas estruturantes da aula: Ao final dessa aula o aluno será capaz de entender o
que é a Mente Mestra e como grandes empresários e pessoas de sucesso no mundo
inteiro conseguiram seu sucesso por meio da associação correta e exata a pessoas de
sucesso, criando assim um conjunto e poderoso, denominado de a Mente Mestra

A Mente Mestra pode ser definida com a coordenação de conhecimento


e esforço, em um espírito de harmonia entre duas ou mais pessoas para
alcançar um propósito definido.

“É impossível que duas mentes se unam sem que crie,


consequentemente, uma terceira força invisível, intangível,
comparável a terceira mente” (Napoleon Hill).

“Uma vez que tenha definido o seu propósito, você precisará buscar a
aliança de uma ou mais pessoas, num espírito de absoluta harmonia, para
formar uma Mente Mestra. Ninguém pode obter grande prestígio, sucesso ou
abundância financeira sem tirar proveito da Mente Mestra. Ela é o princípio
através do qual uma pessoa pode utilizar harmoniozamente a inteligência,
educação, a experiência, o talento, a influência, o conhecimento especializado
e o capital de outras pessoas para a realização do seu propósito” (Napoleon
Hill).

Em 1905, Napoleon Hill teve a oportunidade de entrevistar Andriew


Carnegie, que na época já era um dos maiores empresários americanos e um
dos homens mais ricos do mundo. Hill, com apenas 23 anos queria saber a
qual fator Carnegie atribuía seu tremendo sucesso.

- Meu caro amigo, antes de responder á sua pergunta, gostaria de saber o


que você queri dizer com a palavra “sucesso” – respondeu Carnegie.

Hill, meio envergonhado, demorou a responder. Percebendo sua


hesitação, Carnegie continuou:

- Por “sucesso”, certamente, você se refere à minha riqueza, não é?

Hill consentiu.

- O dinheiro é o termo pelo qual a maioria das pessoas costuma medir o


êxito alcançado – respondeu Hill, meio que ainda inseguro.

- Muito bem. Se deseja saber como adquiri minha fortuna, se é a isso que
se chama de “sucesso”, responderei à sua pergunta dizendo que na
nossa empresa tínhamos uma Mente Mestra. Ela era composta por mais
de vinte pessoas, todas membros da minha equipe. Essa Mente Mestra
era formada por diretores, gerentes, contadores, químicos e outros
indivíduos especializados. Ninguém, entre as pessoas que compunham o
grupo, possuía, em particular, essa mente a que acabo de me referir. No
entanto, a soma da mente de todas essas pessoas, coordenada em um
espírito de cooperação harmoniosa, constituía a força que resultou no
acúmulo da minha fortuna, bem como na fortuna pessoa de cada membro
que integrava a minha equipe.

Ficou evidente a partir dessa conversa entre Carnegie e Hill que quatro
coisas ficam explicitas no conceito da Mente Mestra:
Primeira: Que todo o seu sucesso não resultou apenas do seu poder
pessoal.
Segunda: Que existia um grupo de pessoas trabalhando com ele em
prol de um proposito definido e de maneira harmônica.
Terceira: Que a soma de todas essas mentes criou um poder maior
ainda; o poder do efeito coletivo.
Quarta: Que esse poder coletivo, que ele chamava de Mente Mestre, é
a fonte de todo o seu sucesso.

Esse conceito foi divulgado por Napoleon Hill no livro "A Lei do Triunfo".
Ele presenciou alguns dos primeiros grupos de masterminds que ocorreram no
mundo.

Abaixo você pode ver uma imagem de 1915 desse primeiro mastermind
com Henry Ford, Thomas Edison, Harvey Firestone, o presidente Warren
Harding e outros.
Havia outros grupos que tinham membros como Rockefeller, Andrew Carnegie
e Theodore Roosevelt.
Sabe-se que Henry Ford começou sua carreira no mundo dos negócios
com a desvantagem da pobreza, com baixo nível de instrução e da ignorância.
Também se sabe que, dentro do incrivelmente curto período de dez anos, ele
superou suas deficiências e, em vinte e cinco anos, era um dos mais ricos da
América. Além disso, os avanços de Ford foram mais intensos depois que ele
se tornou amigo de Thomas Edison. Dessa forma é possível perceber o que
uma Mente Mestra é capaz de fazer. Indo um pouco mais a frente, pode-se
considerar o dato de que as realizações mais notáveis de Henry Ford
começaram a acontecer após ser apresentado a Harvey Firestone, John
Burrougs e Luther Burbank – todos grandes homens de capital intelectual.

É praticamente unanime a opinião de que Henry Ford foi um dos


homens mais bem informados do mundo empresarial e industrial. Sua riqueza
é indiscutível.

“O indivíduo assume a natureza, os hábitos e o poder do pensamento


daqueles a quem se associa em espírito de solidariedade e harmonia”
(Henry Ford)

Conclusões e gancho para a próxima aula

Nessa aula ficou evidente o poder absoluto da influencia das pessoas


em nossos sucessos. Elas são o motor de todo esse processo e que tramitam
em ambiente de alto desempenho.

Na próxima aula você irá aprender as 3 fontes de poder da Mente


Mestra e como ela tem total relação com o sucesso das pessoas.
AULA 2
AS TRÊS FONTES DE PODER DA MENTE MESTRA – (Aula 2)

O CÓDIGO DA RIQUEZA

Módulo - AMBIENTE

Capítulo – AS TRÊS FONTES DE PODER DA MENTE MESTRA

Aula - 02

Temas estruturantes da aula: Ao final dessa aula o aluno será capaz de entender as
3 fontes de poder da Mente Mestra e como ela tem total relação com o sucesso das
pessoas.

Essa aula se trata do poder da Mente Mestra. Uma boa definição para
poder é: o conhecimento organizado e inteligentemente direcionado. Poder na
acepção aqui utilizada refere-se ao esforço organizado, suficiente para que
o indivíduo transforme o desejo em seu equivalente monetário. O esforço
organizado acontece por meio da coordenação dos esforços de duas ou mais
pessoas que trabalham por um objetivo definido, em espírito de harmonia. Para
ganhar dinheiro é preciso poder. Para guardar dinheiro é preciso poder. E
como disse Francis Bacon, “conhecimento é poder”.

Segundo Napoleon Hill, o proponente da teoria da Mente Mestra, o


poder organizado poder ser estruturado na Inteligência Infinita, Experiência
Acumulada e na Experimentação e Pesquisa.
INTELIGÊNCIA INFINITA.

Essa fonte de conhecimento poder ser acessada por meio de dois níveis
de imaginação (a arte de criar a sua realidade em primeiro lugar por meio dos
pensamentos). Napoleon Hill defende que as coisas acontecem duas vezes, a
primeira no campo da imaginação, dentro da mente e a segunda no campo da
realização. A inteligência infinita pode ser dividida em duas partes: na
imaginação sintética e na imaginação criativa:

A imaginação sintética não cria, apenas trabalha sobre o material


acumulado pela experiência, educação e observação. É a faculdade
mais utilizada pelo inventor, com exceção do gênio que, quando não
pode observar um problema por meio da imaginação sintética, recorre a
imaginação criativa.

A imaginação criativa é outro ponto. Por meio dela as pessoas


estabelecem a conexão direta com a inteligência infinita. É a faculdade
pela qual são recebidos pressentimentos e as inspirações. É por meio
dessa faculdade que as ideias novas ou fundamentais são legadas ao
homem.

Tanto as faculdades da imaginação sintética e criativas são aguçadas


com o hábito e treinamento, como qualquer músculo do corpo que se
desenvolve pelo seu uso.

EXPERIÊNCIA ACUMULADA.

A experiência acumulada pela raça humana (ou aquela porção que foi
organizada e registrada) está em qualquer biblioteca e fontes de estudo
facilmente encontrado, sobretudo nas plataformas online. Uma parte dessa
experiência acumulada é transmitida por instituições de ensino ou cursos e
treinamentos com este. Essa experiência acumulada, também denominada de
conhecimento tácito e explícito, é um das maiores fontes de aprendizado para
qualquer pessoa. São as pessoas que detém esse conhecimento por meio de
suas experiências que a transferem para o maior grupo de pessoas possíveis.
Empreendedores a utilizam em grande escala no processo denominado Mente
Mestra.

EXPERIMENTAÇÃO E PESQUISA.

No campo da ciência, assim como em praticamente todos os setores da


vida, o ser humano reúne, classifica e organiza novos fatos diariamente. Essa é
a fonte a que se deve recorrer quando o conhecimento não estiver disponível
através da “experiência acumulada”. Mais uma vez, é importante usar a
imaginação criativa.

A análise das três principais fontes mencionadas logo revela a


dificuldade que uma pessoa teria caso dependesse apenas dos próprios
esforços para reunir o conhecimento e expressá-lo por meio de planos
definidos em termos de ação. Se seus planos forem abrangentes e de grandes
proporções, ela deve solicitar a cooperação de outros, de modo a incutir nele o
necessário elemento de poder.

“A gente se pregunta todos os dias como crescer sem


perder a essência. Eu acho que o mais importante para
isto acontecer são as pessoas. E não são as pessoas que
estão realmente a frente do negocio, mas todas as
pessoas que fazem parte da sua empresa. Essa essência
vai ter que ser espalhada. É a cultura da empresa. Então
esta essência que é verdadeira e tem que ser
verdadeira, e as pessoas sentem se isto é verdadeiro ou
não, ela tem que estar em 100% das pessoas.” (José
Cordeiro)
Conclusões e gancho para a próxima aula

Nessa aula foi possível entender com clareza o 3 grandes fontes de


poder da mente mestra; Inteligência Infinita, Experiência Acumulada e na
Experimentação e Pesquisa.

Na próxima aula você irá aprender entender o fator ambiente na


determinação da personalidade, estudos que evidenciam esse fato e sua
relação direta com as pessoas, inclusive as crianças.
EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO

1. Em quais áreas da vida você se percebe na zona de conforto?

Qual lição você aprende com essa pergunta

A partir dessa lição, o que você vai fazer?

2. Como será sua vida daqui a 1, 2 e 5 anos se você continuar na zona de conforto?

Qual lição você aprende com essa pergunta

A partir dessa lição, o que você vai fazer?


3. Se a partir de agora, todas as suas desculpas forem subitamente substituídas por
ações, como será sua vida?

Qual lição você aprende com essa pergunta

A partir dessa lição, o que você vai fazer?

4. Apesar de todas as dificuldades, liste o que você pode fazer para sair da zona de
conforto?

Qual lição você aprende com essa pergunta

A partir dessa lição, o que você vai fazer?


5. Você possui várias habilidades que desenvolveu durante toda a sua vida. Quais delas
você considera infalíveis para conquistar seus objetivos?

Qual lição você aprende com essa pergunta

A partir dessa lição, o que você vai fazer?

6. Qual a primeira coisa que você deve fazer para sair da zona de conforto?

Qual lição você aprende com essa pergunta

A partir dessa lição, o que você vai fazer?


7. Qual é o indício que você precisa perceber para entender que não está mais na zona
de conforto?

Qual lição você aprende com essa pergunta

A partir dessa lição, o que você vai fazer?

8. Qual é o maior motivo, dentro de você, que está impedindo que você alcance todos os
seus objetivos?

Qual lição você aprende com essa pergunta

A partir dessa lição, o que você vai fazer?


9. Se alguém tivesse o mesmo problema que você agora (em sair da zona de conforto),
qual conselho você daria a essa pessoa?

Qual lição você aprende com essa pergunta

A partir dessa lição, o que você vai fazer?

10. Quais atitudes e comportamentos que fariam, de verdade e com absoluta certeza,
diferença na sua vida?

Qual lição você aprende com essa pergunta

A partir dessa lição, o que você vai fazer?


AULA 3
A IMPORTÂNCIA DO AMBIENTE PARA DEFINIÇÃO DA PERSONALIDADE
(aula 3)

O CÓDIGO DA RIQUEZA

Módulo - AMBIENTE

Capítulo – A IMPORTÂNCIA DO AMBIENTE PARA DEFINIÇÃO DA


PERSONALIDADE

Aula - 03

Temas estruturantes da aula: Ao final dessa aula o aluno será capaz de entender o
fator ambiente na determinação da personalidade, estudos que evidenciam esse fato,
sobretudo em crianças e o poder da modelagem humana.

As pessoas bem sucedidas, mesmo com o maior dos desafios, maior


dos problemas a sua volta observam o mundo com perspectivas positivas, com
expectativas na solução dos problemas e nao focando apenas nos problemas.

Mas voce pode me perguntar: Isso tem a ver com a personalidade das
pessoas?

A resposta é sim. A personalidade tem um papel fundamental das


tomadas de decisões e como nos enxergamos as coisas. Aproveito para dizer
que personalidade é mais do que um fato genético, a personalidade é derivada
do ambiente em que vivemos e dos nossos hábitos.

A personalidade reúne todos os traços e características de uma pessoa


que a torna única. É na personalidade que ficam registradas todas as nossas
experiências, todas as situações e fatos que vivenciamos diariamente, em
todas os momentos e lugares.

Pesquisas sobre personalidade


Sabendo disso e principalmente que os traços de personalidade
poderiam nos informar quando e de qual forma uma pessoa iria agir em
determinada ocasião é que nos últimos 40 anos aproximadamente muitos
estudos de classificação da personalidade foram realizados.

Em todos eles, um padrão se repetiu, chegando até o consenso sobre


grandes dimensões da personalidade. O pesquisador Eysenck fez um
importante estudo da personalidade e concluiu que ela é determinada pelos
genes, porém a interação entre a pessoa e meio ambiente e o âmbito social
são fatores mais decisivos. Se o meio interno e principalmente externo são
fundamentais no desenvolvimento da personalidade, as pessoas das quais
convivemos, os lugares onde frequentamos, ou a forma como uma criança é
criada tem grande relevância. Ou seja, o meio ambiente que a pessoa está
inserida tem fundamental participação na sua personalidade, como
consequência, suas decisões.

“Esse fator ambiental influência tanto do ponto de vista


negativo, quando do ponto de vista positivo. É importante
saber diferenciar com sabedoria esses dois níveis de
influência” (Flávio Augusto)

Ambiente e personalidade de crianças

Nas crianças, por exemplo, o meio que me refiro pode ser: a criação dos
pais, a escola, o esporte, a recreação e etc. Perceba a relação. O meio
ambiente mais os genes determinam a personalidade. A personalidade
determina as atitudes. As atitudes determinam os resultados. Personalidade é
determinada pelos genes (não podemos mudar) e o ambiente em que vivemos.
Então a relação final fica:
Meio
Ambiente + Personalidade Atitudes Resultados
Genes

Assim fica evidente que escolher as pessoas e o meio onde iremos viver
ou passar grande parte da nossa vida é uma estratégia de sucesso vastamente
conhecida pelas pessoas que conhecem o poder da Mente Mestra e do fator
ambiente. Modelar as pessoas com atitudes positivas e uma personalidade
parecida com aquela que deseja adotar é um fator decisivo. Viver num
ambiente favorável, respirar um oxigênio onde só paira coisas positivas e
pessoas engrandecedoras é um dos caminhos para se obter a excelência.

De fato, uma ambiente propulsivo oferecerá melhores condições para o


sucesso. Nossa percepção, nosso estado de espírito estará melhor equipado
para desempenharmos desta maneira do que num ambiente nada estimulante.
Nossa forma de enxarmos o nosso mundo define as nossas escolhas e as
nossas escolhas definem os nosso resultados

Quando as pessoas desejam se tornam bem sucedidas, é muito comum


que elas copiam as palavras, gestos, atitudes de pessoas bem sucedidas. Esse
comportamento também é peercebido em crianças, aliás, fortemente visto
nelas. Esse é o conceito vastamente conhecido com modelagem humana.

Conclusões e gancho para a próxima aula

Nessa aula foi possível aprender sobre a influência do ambiente na


determinação da personalidade, estudos que evidenciam esse fato e sua
relação com a modelagem humana.
Na próxima aula você vai aprender de maneira prática sobre as oitos mais
importante considerações sobre a Mente Mestra e sua relação direta com a
riqueza expandida.
EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO

TESTE DOS 7 TIPOS DE PERSONALIDADE

Leia com atenção os 12 blocos de perguntas e respostas, escolha em cada


bloco, a resposta com a qual você mais se identifica (só vale uma resposta por
bloco).

1. Quando precisa tomar uma decisão rápida, você:

a. ( ) Toma no mesmo instante, seguindo o bom senso.

b. ( ) Toma no mesmo instante, seguindo sua intuição.

c. ( ) Tomo no mesmo instante, porque sabe que vai dar certo.

d. ( ) Prefere analisar o cenário, mesmo que isso demore um pouco.

e. ( ) Avalia quais as consequências para os que dependem de sua decisão.

f. ( ) Convoca, antes, uma reunião urgente entre os interessados.

g. ( ) Pede a outra pessoa que tome a decisão por você.

2. Você chega em casa cansado, depois de um dia estressante, e encontra


tudo fora do lugar. Então:

a. ( ) Chama os responsáveis pela bagunça, manda arrumar a casa e sai.

b. ( ) Manda alguém colocar as coisas em seus lugares e fica ali, para vigiar o
cumprimento da ordem.

c. ( ) Guarda tudo, sem se preocupar se está colocando nos lugares certos.


d. ( ) Arruma as coisas com cuidado, colocando-as em seus devidos lugares.

e. ( ) Chama as pessoas, fala da necessidade de uma casa organizada e pede-


lhes ajuda para arrumá-la.

f. ( ) Nem liga; dá de ombros e vai para seu quarto descansar.

g. ( ) Não entende por que fizeram aquilo com você.

3. Quando alguém o recrimina, você:

a. ( ) Acha que a pessoa está errada.

b. ( ) Explode e manda a pessoa sair de sua frente.

c. ( ) Procura mostrar que está com a razão.

d. ( ) Fica indignado, mas não demonstra.

e. ( ) Avalia se ela está mesmo com a razão.

f. ( ) Ouve o que a pessoa tem a dizer

g. ( ) Fica aborrecido por ter feito algo errado

4. Ao ser apresentado a uma pessoa, você:

a. ( ) Desconfia dela de imediato, mesmo sem conhecê-la.

b. ( ) Sabe que ela não pode ameaçar seu modo de vida.

c. ( ) Avalia criticamente suas roupas, seus gestos, o modo de falar.

d. ( ) Coloca-se à disposição para o que ela precisar.

e. ( ) Sorri com todo o seu charme e começa a conversar.

f. ( ) Trata-a com simpatia, mas não se dedica a conhecê-la melhor.

g. ( ) Compara-se a ele e acha-se inferior.


5. No trabalho, você recebe um elogio. Então:

a. ( ) Sorri, certo de que o elogio é mais do que merecido.

b. ( ) Não dá importância, só se interessa por sua própria opinião.

c. ( ) Fica feliz porque seu talento foi reconhecido.

d. ( ) Fica feliz, mas acha que poderia ter feito melhor.

e. ( ) Diz que seu sucesso deve-se também às pessoas que o cercam.

f. ( ) Fica sinceramente agradecido e demonstra essa gratidão.

g. ( ) Acha que a pessoa fez isso só pra agradar.

6. Em relação à sobrevivência, você:

a. ( ) Sempre foi independente.

b. ( ) Acha que quem depende dos outros é um fraco.

c. ( ) É tranquilo, pois sabe que nunca terá problemas com isso.

d. ( ) Procura dar sempre o melhor de si.

e. ( ) Faz questão de sustentar a casa.

f. ( ) Acha que o certo é dividir as despesas.

g. ( ) Fica inseguro, temendo não conseguir se sustentar sozinho.

7. Para ser feliz você precisa:

a. ( ) Ver as coisas acontecendo como planejou.

b. ( ) Ter tudo sob controle.

c. ( ) Estar sempre em ação.


d. ( ) Ter certeza de que fez tudo certo.

e. ( ) Saber que as pessoas precisam de você.

f. ( ) Estar tranquilo.

g. ( ) Sentir-se amparado.

8. Se pudesse voltar ao passado, você:

a. ( ) Faria tudo outra vez.

b. ( ) Teria mais poder para fazer as coisas.

c. ( ) Seria muito mais ativo.

d. ( ) Faria ainda melhor.

e. ( ) Ajudaria mais os outros.

f. ( ) Escolheria uma vida mais tranquila.

g. ( ) Seria outra pessoa.

9. Você fica aborrecido:

a. ( ) Quando as coisas não saem a seu gosto.

b. ( ) Quando algo o contraria.

c. ( ) Quanto está sem fazer nada.

d. ( ) Quando é obrigado a jogar conversa fora.

e. ( ) Quando percebe que sua ajuda não é necessária.

f. ( ) Quando assiste a uma discussão.

g. ( ) Por qualquer motivo.


10. Quando lhe pedem ajuda, você:

a. ( ) Ajuda, mas a seu modo.

b. ( ) Organiza tudo e estabelece o que cada um deve fazer.

c. ( ) Coloca-se à disposição no mesmo instante.

d. ( ) Avalia o que pode efetivamente fazer.

e. ( ) Diz “sim” sem pestanejar.

f. ( ) Faz o que pode para ajudar.

g. ( ) Ajuda, mesmo achando que não pode fazer muita coisa.

11. No comando da casa, você:

a. ( ) Sente-se muito à vontade.

b. ( ) Distribui tarefas para todos.

c. ( ) Tenta diminuir o estresse do convívio diário entre as pessoas.

d. ( ) Faz sempre mais do que pode.

e. ( ) Finge que está sempre tudo bem.

f. ( ) Toma decisões e estabelece regras levando em conta a opinião de todas


que moram na casa.

g. ( ) Sente que não nasceu para isso.

12. Diante de um fracasso, você:

a. ( ) Procura os responsáveis pela situação.

b. ( ) Busca o culpado pela falha e exige correção.

c. ( ) Reconhece seu erro e procura aprender com ele.


d. ( ) Inconformado, fica noites sem dormir.

e. ( ) Assume a responsabilidade.

f. ( ) Pensa: “tudo bem, a coisa não era mesmo muito importante”.

g. ( ) Fica arrasado e demora meses para se recuperar

TABELA DE PONTOS AVALIAÇÃO


Cada A vale 1 ponto 12 a 22 pontos – controlador
Cada B vale 6 pontos 23 a 32 pontos – Mediador
Cada C vale 7 pontos 33 a 43 pontos – Perfeccionista
Cada D vale 3 pontos 44 a 56 pontos – Protetor
Cada E vale 4 pontos 57 a 69 pontos – Carente
Cada F vale 2 pontos 70 a 79 pontos – Ditador
Cada G vale 5 pontos 80 pontos ou mais - Fazedor
Controlad Perfeccioni
Dependente Fazedor Mediador Protetor Ditador
or sta
Responsáv
Assertivo Retraído Ambicioso Receptivo Amoroso Mandão
el
Comunicativ
Confiante Imparcial Carente Aberto Gentil Autoritário
PERSONALIDADE

o
Autoritári
Objetivo Dependente Eficiente Sereno Confiável Decidido
o
Tem Não tem
Exigente Competente Paciente Sensível Ativo
iniciativas iniciativas
Líder Disciplinad
Quieto Líder Gentil Prestativo Explosivo
natural o
Forte Autocrítico Realizador Decidido Emocional
Despreten
Afetivo Popular Vaidoso
sioso
Afetuoso capaz de
Gosta de Observador Agradável e Gosta de e tomar
Esforçado
desafios e Intuitivo Educado harmonia compreen decisões
sivo rápidas
Gosta de
ser
PONTOS FORTES

reconheci Incapaz de Admite os É


Aprende Amoroso
do pelas cometer próprios cuidadoso Persistente
rápido e sincero
suas injustiças erros e afetuoso
habilidad
es
Muito
Equilibrado Evita
inteligente e Não é
para tomar Estimulador julgar e Solícito
bom dissimulado
decisões sabe ouvir
conselheiro
Ética e Compreende conservad
Transite
sabe bem as Talentoso e or nas Super
seguranç
respeitar limitações Esforçado questões sincero
a
os demais humanas familiares
Não aceita
Desejo Gosta de Precisa Acredita que
o mundo Procrastin
em Inseguro chamar se sentir só ele é o
como ador
ambição atenção querido certo
imperfeito
Quando
PONTOS DE MELHORIA

Quando se torna Costuma


Se apega às
descontrol Depende da Evita super magoar as
Adora pessoas
ado, se opinião tomar protetor, pessoas com
contrariar com
torna alheia iniciativas conviver excesso de
facilidade
arrogante com ele sinceridade
fica difícil
Raramente
ri e não Não gosta
Se faz de Teme a Tem
Egoísta gosta de de Teimoso
vítima rejeição rejeição
brincadeira mudanças
s
Teme a Acredita Tenta
Tem
fraqueza, Dificilment Se sente que só ele é fugir da
medo de Egoísta
obediênci e admite rejeitado capaz de realidade
falhar
a, os próprios fazer as correndo
submissã erros coisas o risco de
o aos acontecere cometer
outros m excessos
como uso
de drogas,
álcool ou
muito
trabalho
Teme
fracassar
por isso
não
expõe
suas
emoções
Aceite que Cooperar é
Precisa Olhe para
Aceite você vive Precisa ser Reconheça mais
reagir ao si com
suas num mais que você importante
negativis humildad
fraquezas mundo confiante tem valor que
mo e
imperfeito obedecer
O conflito
Aceite
faz parte Use suas
que as
da Receba qualidades:
pessoas
Aceite os Explore natureza dos liderança e
são
próprios Aprenda a melhor suas humana, outros o iniciativa
diferentes
erros e se valorizar próprias aceite as mesmo para
, criativas
limitações qualidades discussõe amor que estimular os
e nem
s como sabe dar que o
sempre
algo cercam
hostis
saudável.
Aceite as
DICAS

coisas que
não podem
ser Um
Vivencie
mudadas Esteja verdadeiro
as
que não Anote no atento líder
emoções Confie
prejudicam caderno os Tenha mais para não reconhece o
ao invés mais em
ninguém, seus calma exagerar erro, volte
de si mesmo
será um sucessos na atrás e
escondê-
grande proteção comece tudo
las
passo na de novo
direção da
tranquilida
de
Sinta-se útil
ensinando o Controle
que sabe a mais a
outras ansiedade
pessoas
AULA 4
COMO CONSTRUIR UMA PERSONALIDADE ATRAENTE

O CÓDIGO DA RIQUEZA

Módulo - AMBIENTE

Capítulo – COMO CONSTRUIR UMA PERSONALIDADE ATRAENTE

Aula - 04

Temas estruturantes da aula: Ao final dessa aula o aluno será capaz de entender os
20 níveis para se construir uma personalidade atraente e se destacar em qualquer
ambiente

Esse capítulo é uma descrição rápida e prática para as pessoas construírem


personalidade atraente e conseguirem se destacar em qualquer que seja o
ambiente em que estejam inseridas. Não importa se o local onde você vive e,
principalmente, trabalha seja abaixo de suas expectativas, com esse manual
prático de vinte comportamentos você irá conseguir construir uma
personalidade que chamará atenção das pessoas ao seu redor. Em outras
palavras, você será capaz de construir seu próprio ambiente e fazer com que
outras pessoa se aproxime de você por conta desses comportamentos.

1. ATITUDE MENTAL POSITIVA – A atitude mental positiva é um dos


fatores mais importantes para a criação da personalidade atraente. Ela
influencia no tom de voz, na expressão corporal, nas palavras emitidas
bem como nas emoções. Modificar seus pensamentos é um poderoso
elemento de construção de personalidade atraente.
2. RESILIÊNCIA – Capacidade de se adaptar às mudanças repentinas e
circunstanciais sem perder o sendo do equilíbrio.
3. SINCERIDADE DE PROPÓSITO – a sinceridade de propósito, ou a falta
dela, mostra-se tão evidente nas palavras e nos atos de todas as
pessoas que até os mais novos podem reconhecer sua presença. A
pessoa que não é sincera anuncia sua fraqueza em cada palavra que
diz, na expressão do rosto, nas conversas, no tipo de prestação
chegando nas formas menos perceptíveis de atitude humana.
4. RAPIDEZ DE DECISÃO – Observe os homens ao seu redor e perceba
que os indecisos não são nem populares, nem bem sucedidos. Vivemos
em um mundo em movimento rápido, e aqueles que não se movem
rapidamente não conseguem aumentar o ritmo.
5. CORTESIA – a cortesia é grátis. Custa somente o tempo necessário
para expressá-la no a diário com os outros. Talvez por conta de ser
gratuita que seja tão escassa. As pessoas cortês são aquelas que
geram um imã entre todas as outras ao seu redor.
6. TOM DE VOZ – a palavra falada é, em grande parte, o meio pelo qual
exprime a personalidade com maior frequência. Por isso o tom de voz
deve estar tão completamente sob controle que possa ser mantido para
transmitir um significado adicional
7. HÁBITO DE SORRIR – não cometa o erro de achar que o simples ato
de sorrir não é parte importante da personalidade e não esqueça que é
um hábito que pode ser diretamente associado à atitude mental. Se não
está seguro disso, tente sorrir quando estiver com raiva.
8. EXPRESSÃO DO ROSTO – Os seres humanos tem a capacidade de
julgar uma pessoa, em segundos, apenas pela expressão dos seus
rostos. Todos nós fazemos isso constantemente, conscientes ou não.
Além do mais, você diz muito sobre o que se passa na sua mente
através da expressão do seu rosto.
9. DIPLOMACIA – Há sempre uma hora certa e uma hora errada para
tudo. A diplomacia consiste no hábito de fazer e dizer a coisa certa no
momento certo. Veja alguns exemplos:

a) Descuido com o tom de voz, muitas vezes falando em tons rudes


e antagônicos que ofendem;
b) Fala fora de hora, quando o silêncio seria mais apropriado;
c) Interromper os outros que estão falando;
d) Sobrecarregar o pronome pessoal;
e) Ir aonde não foi convidado;
f) Presunção;
g) Questionar abertamente a solidez da opinião dos outros;
h) Recusar solicitações dos outros de forma arrogante
i) Usar linguagem profana e ofensiva;
j) Criticar a religião de outra pessoa;
10. TOLERÂNCIA – a pessoa tolerante é aquela que mantem a mente
aberta para novos fatos, conhecimentos e pontos de vista sobre todos
os assuntos. Tolerância e diplomacia estão ligadas e ambas são
relacionadas à atitude mental
11. FRAQUEZA DE CONDUTA E DE DISCURSO – todas as pessoas
desconfiam dos homens que recorrem à subterfúgios em vez de lidarem
francamente com suas adversidade diárias. Pessoas escorregadias são
o oposto de personalidade atraente.
12. SENSO DE HUMOR AGUÇADO – um sendo se humor bem
desenvolvido ajuda a pessoa a se tornar flexível e ajustável à diferentes
circunstâncias da vida. Também permite relaxar e tornar-se humana em
vez de permanecer fria e distante.
13. SENSO DE JUSTIÇA AGUÇADO – pode parecer banal lembrar as
pessoas de quem um individuo não pode esperar se tornar popular e
atraente se não lidar de maneira justa com os outros, mas a conhecida
deficiência nesse aspecto torna a discussão necessária. O senso de
justiça constrói um caráter fundamentado, sincero e sólido que, por si só,
é uma das maiores forças de atração.
14. ADEQUAÇAO DE PALAVRAS – entre as pessoas cultas talvez não haja
maior fonte de aborrecimento do que o uso descuidado da palavras.
Coloquialismos e gírias podem ser razoáveis às vezes, mas, quanto
menos usados, melhor. Nosso idioma é repleto de palavras que
possuem toda as nuances possíveis de significado. Portanto não há
desculpa válida para usar palavras que ofendam.
15. CONTROLE EMOCIONAL – Nossas emoções controlam as nossas
condutas. Para saber controlar nossas emoções devemos entender
quais são os sentimentos básicos humanos. De posse desse
conhecimento fica mais fácil sabermos em qual aspecto colocarmos
maior atenção. É importante ressaltar que o controle emocional está
mais aliado ao fato de não cometermos erros do que acertos. Portanto, o
primeiro passo é identificarmos os sentimentos para, logo após,
reconhecermos os sentimentos. As emoções negativas são:

a) Medo
b) Ciúme
c) Ódio e Inveja
d) Vingança e Malícia
e) Ganância
f) Superstição e Desconfiança
g) Raiva

As sete emoções positivas são:

a) Amor
b) Sexo
c) Esperança
d) Fé
e) Desejo
f) Otimismo
g) Lealdade

16. INTERESSE ALERTA – sem a capacidade de fixar o interesse em um


assunto ou pessoa e mantê-lo durante todo o tempo da ocasião,
nenhuma pessoa terá personalidade atraente.
17. DISCURSO EFICAZ – a pessoa que não consegue ficar de pé e falaz
com vigor e convicção sobre qualquer assunto dentro de sua área de
conhecimento fica em grande desvantagem para atrair pessoas. O
mesmo se aplica as pessoas que não conseguem se expressar com
convicção em conversas triviais e pequenas reuniões de grupo.
18. VERSATILIDADE – é quase desnecessário mencionar que as pessoas
que não tem compreensão geral do mundo em que vivem, incluindo pelo
menos um conhecimento superficial da natureza humana, raramente são
interessantes ou atraentes.
19. AFEIÇÃO GENUÍNA PELAS PESSOAS – É inevitável que a pessoa que
não gosta de outras pessoas são indivíduos malquistos, embora possa
nunca expressar abertamente seus sentimentos. Portanto, a pessoa que
deseja ter uma personalidade atraente deve prestar atenção não apenas
em seus atos, mas também nos seus pensamentos.
20. HUMILDADE – arrogância, ganância, vaidade e egoísmo nunca serão
encontrados no homem de personalidade agradável
AULA 5
OITO CONSIDERAÇÕES IMPORTANTES SOBRE A MENTE MESTRA –
(Aula 4)

O CÓDIGO DA RIQUEZA

Módulo - AMBIENTE

Capítulo – OITO CONSIDERAÇÕES IMPORTANTES SOBRE A MENTE MESTRA

Aula - 04

Temas estruturantes da aula: Ao final dessa aula o aluno será capaz de aprender
sobre as oitos mais importante considerações que ele deve saber sobre a Mente
Mestra e seu poder na construção do Código da Riqueza.

1. A mente Mestra é a coordenação de conhecimento e esforço entre


duas ou mais pessoas, em um espírito de absoluta harmonia, com a
finalidade de atingir um propósito definido.

2. Nenhuma pessoa é capaz de projetar sua influência no mundo sem a


aliança amistosa com outras pessoas.

3. Um grupo de mentes coordenadas em espírito de absoluta harmonia


produz mais energia do que a soma das mentes individuais.

4. Uma pessoa sobe ao nível de seus superiores ou desce ao nível de


seus inferiores de acordo com o comportamento daqueles que imita.

5. A Mente Mestra não é uma propriedade exclusiva dos ricos e


poderosos; qualquer pessoa pode usá-la e tirar proveito dela.
6. Ninguém que alcançará o poder necessário para obter um grande
sucesso se não for capaz de harmonizar outras mentes em torno do
seu propósito.

7. Procure a colaboração de pessoas que possuem o que lhe falta para


que você consiga realizar o seu propósito.

8. Não devemos ter medo das ideias novas: elas podem significar a
diferença entra o sucesso e o fracasso.

Conclusões e gancho para a próxima aula

Nessa aula foi possível versar sobre as oitos mais importante


considerações que ele que você deve saber sobre a Mente Mestra. Assunto de
total relevância e que dá bases para a próxima aula. Nela você vai poderá
aprender e aplicar as sete regras de ouro para criar a sua própria Mente
Mestra.
AULA 6
AS SEIS REGRAS DE OURO PARA VOCÊ CRIAR SUA PRÓPRIA MENTE
MESTRA – (Aula 5)

O CÓDIGO DA RIQUEZA

Módulo - AMBIENTE

Capítulo – AS SETE REGRAS DE OURO PARA VOCÊ CRIAR A SUA PRÓPRIA


MENTE MESTRA

Aula - 05

Temas estruturantes da aula: Ao final dessa aula o aluno será capaz de aprender as
sete regras de ouro para criar a sua própria Mente Mestra. Conceitos de fácil e rápida
aplicação.

Qualquer pessoa pode criar seu próprio grupo de Mente Mestra. E essa é uma
ótima notícia, além disso, esse poder é de exclusividade de todas as pessoas,
classe social e região. Está disponível para qualquer pessoa a qualquer
momento. Abaixo seguem as sete regras de ouro para você criar a sua
própria Mente Mestra e seguir rumo à riqueza.

1. O fator mais importante numa Mente Mestra é a missão comum entre


seus integrantes. E é aqui que entra o seu papel como líder. Para obter
sucesso, você precisa ser um líder. E liderar consiste em ter um
propósito e a capacidade de fazer com que as pessoas à sua volta
compreendam esse propósito a fim de que ele se torne uma meta
comum entre os membros da família. Esse é o ponto de partida da
Mente Mestra.
2. Você não pode realizar grandes feitos sozinho, mas também não pode
obter prestígio, sucesso e riqueza em abundância se estiver rodeado de
pessoas desleais, preguiçosas e incompetentes. Por isso, depois de ter
claro o que você quer, busque pessoas insanamente profissionais
naquilo que elas fazem para integrar sua Mente Mestra.

3. Logo após você definir um propósito claro e específico, monte um time


com duas ou mais pessoas que partilham desse mesmo propósito em
comum. Elas se tornarão uma pessoa só, uma mente só: uma Mente
Mestra muito mais poderosa do que a soma individual de todas que
integram. Essa Mente Mestra ganhará vida própria e passará a se
autoproteger para impedir sua dissolução, decidindo quem poderá entrar
nesse time de alto desempenho. Os resultados produzidos por um
grupo assim são mágicos e poderosos. Monte um time nesses padrões
do seu propósito. Não negocie com o padrão altíssimo de qualidade.

4. Alie-se a um grupo de quantas pessoas achar necessário à criação e


execução dos seus planos para a acumulação de riquezas – fazendo o
usos do princípio da Mente Mestra. O número de pessoas não importa,
mas sim a qualidade de cada uma delas, principalmente quando
somadas.

5. Antes de formar a sua aliança para a Mente Mestra, decida que


vantagens e benefícios você pode oferecer aos membros do grupo, em
troca da cooperação deles. Ninguém trabalha indefinidamente sem
alguma forma de compensação. Nenhuma pessoa inteligente irá,
tampouco, solicitar ou esperar que alguém trabalhe sem a compensação
adequada, embora ela nem sempre venha em forma de dinheiro.

6. Procure encontrar-se e reunir-se sempre com os membros do seu grupo


de Mente Mestra, pelo menos uma vez por semana, ou mais
frequentemente possível. Mesmo com algumas dificuldades presenciais,
procure fazer reuniões online. Não crie desculpas para isso. Esse
contato é de fundamental importância para o sucesso da equipe.

7. Mantenha-se em harmonia perfeita com cada um os membros do seu


grupo de Mente Mestra. Se houver desarmonia, o fracasso irá ocorrer. O
princípio da Mente Mestra só ocorre onde existe harmonia.

CONCLUSÕES FINAIS DO MÓDULO 1 - AMBIENTE

Esse foi o primeiro módulo do curso Código da Riqueza. Você pôde aprender
conceitos valiosos em cinco grandes áreas.

A mente mestra – O conceito do Mastermind;


As três fontes de poder da mente mestra;
A importância do ambiente para definição da personalidade;
Oito considerações importantes sobre a mente mestra;
As sete regras de ouro para você criar a sua própria mente mestra.

No Módulo 2 do Código da Riqueza você vai aprender sobre os


comportamentos e atitudes que determinam o nosso sucesso. Até lá.
TOMADA DE DECISÃO

Módulo: AMBIENTE

Perguntas para tomadas de decisão.

Responda essas perguntas com calma e de maneira específica. As suas


respostas revelarão o que você sabe, sente e entende como prioridade nesse
momento da sua vida. Os exercícios de fixação servirão como base
estruturante para as definições de objetivos e o seu plano de ação coerente a
partir dessa parte do programa de treinamento do Código da Riqueza.

1. Após a explicação dos conceitos apresentados nesse módulo, O QUÊ


VOCÊ SABE, AGORA?

2. Após as explicações dos conceitos apresentados nesse módulo, COMO


VOCÊ SE SENTE, AGORA?

3. Após as explicações dos conceitos apresentados nesse módulo, O QUE


É MAIS IMPORTANTE, AGORA
PLANO DE AÇÃO

O plano de ação do Código da riqueza deverá ser preenchido com atenção ao


final deste módulo. Ele representará todas as etapas responsáveis por uma
boa formulação e execução dos objetivos. Elas estão divididas nas seguintes
áreas:

Objetivo;
Evidência
Motivadores / ganhos
Sabotadores / perdas
Valores / relevância
Recursos
Estratégias
Ações
Primeiro passo
Responsabilidade
Comprometimento

O programa a seguir deverá ser descrito de maneira mais especifica possível


seguindo a estratégia S.M.A.R.T.

SPECIFIC (ESPECÍFICO)
MEASURABLE (MENSURÁVEL)
ACHIEVABLE (ALCANÇÁVEL)
RELEVANT (RELEVANTE)
TIME (PRAZO)
OBJETIVOS

O que você deseja especificamente? Qual o contexto?

ONDE

Onde você quer que isso aconteça?

QUEM

Quem participa desse objetivo?

QUANDO

Quando vai acontecer

EVIDÊNCIA

Qual é a evidência de que você conseguiu?


MOTIVADORES E GANHOS

O que você ganha com isso? Quais são os benefícios que você obterá?

SABOTADORES E PERDAS
O que você perde com isso? Este objetivo ou resultado afeta negativamente outras
pessoas do meio do qual você faz parte? (Se a respostas for sim, o que você precisa
alterar no seu objetivo para que afete apenas positivamente outras pessoas ou seu
meio?

VALORES/RELEVÂNCIA
Por que isso é importante para você? Quais os valores que você irá satisfazer com esta
meta? Por que isso é realmente importante para você?

RECURSOS
Do que vai precisar? (Recursos financeiros, conhecimentos, métodos, tempo,
habilidades, competências)

ESTRATÉGIAS
Quais as formas para conseguir isso? Quais serão suas estratégias? Você conhece
alguém que já fez isso? Como esta pessoa conseguiu?
AÇÕES

Quais são os passos para conseguir isso? Qual será seu plano de ações?

PRIMEIRO PASSO

Qual será o primeiro passo?

RESPONSABILIDADE
Depende de quem para que seu objetivo seja realizado? O que você pode fazer para
que esse objetivo dependa de você para ser iniciado hoje e mantido por você?

COMPROMETIMENTO
Qual o seu grau de comprometendo em realizar isso? O que você pode fazer para
aumentar seu grau de comprometimento?
COMPORTAMENTO
PALAVRAS INICIAIS

Falar sobre o riqueza é fantástico pelas inúmeras definições que


encontramos. Basicamente, o código da riqueza trata de versar sobre os
pilares mais sólidos de como as pessoas atingem seus objetivos. É esta a
melhor definição e sucesso e riqueza que utilizamos. Uma pessoa de sucesso
é aquela que define um objetivo e o alcança, simples assim.

Nesse módulo você vai ser convido a conhecer as maiores e melhores


atitudes e comportamentos que rodeiam as pessoas que dominam a riqueza
expandida. São eles os norteadores de todo o sucesso que atravessa séculos
e gerações. O poder infinito de transformar a vida por meio de atitudes e
comportamentos será expresso em oito aulas nesse módulo a seguir:

AULA 1 - as 16 leis do sucesso.


AULA 2 - os hábitos das pessoas que constroem riqueza.
AULA 3 - os componentes do Hábito Triangular.
AULA 4 - os hábitos das pessoas altamente eficazes.
AULA 5 - as pessoas de sucesso consideram seus hábitos óbvios.
AULA 6 - meritocracia – a teoria da causa e efeito para o sucesso
pessoal e profissional.
AULA 7 - pratica deliberada.
AULA 8 - o ponto da virada.

Seja bem vindo.


RODA DO CÓDIGO DA RIQUEZA - COMPORTAMENTO

Para o início desse módulo, você deverá preencher a RODA DO


CÓDIGO DA RIQUEZA – COMPORTAMENTO. Trata-se de uma roda de 10
níveis relacionados ao seu comportamento em todas as suas ações. Você
deverá colocar uma nota de 0 a 10 de acordo com o seu nível de satisfação
com relação a esse pilar. Os níveis são:

1. Proatividade. De uma nota de 0 a 10 para o seu nível de


satisfação para a sua proatividade. A sua capacidade de
antecipar problemas por meio de uma análise prévia e ação
diligente. Ou em meio de situações adversas, como você reage e
toma as atitudes, são proativas ou coniventes?

2. Foco. De uma nota de 0 a 10 para o seu nível de satisfação sobre


o seu foco. O quanto você se considera focado e o quanto você
considera eficaz a sua concentração em uma determinada tarefa.

3. Priorizar. De uma nota de 0 a 10 para o seu nível de satisfação


sobre suas atitudes frente as prioridades. Suas ações são
destinadas para os elementos importantes ou as circunstâncias
sempre ocupam seu tempo fazendo com que os itens importantes
sejam deixados de lado?

4. Escutar. De uma nota de 0 a 10 para o seu nível de satisfação


sobre sua conduta como ouvinte. Você tem escuta ativa e
eficiente ou possui dificuldade em ouvir as pessoas e as situações
que lhes são apresentadas?

5. Criatividade. De uma nota de 0 a 10 para o seu nível de


satisfação sobre sua criatividade. As pessoas do seu trabalho
podem contar com as suas ideias criativas para a criação de
soluções necessárias na empresa ou você é uma pessoa com a
baixa ou nenhuma criatividade?
6. Resolução. De uma nota de 0 a 10 para o seu nível de satisfação
sobre a sua capacidade em resolver todo e qualquer tipo de
problema. Você é considerado um bom solucionador de
problemas ou possui dificuldade para encontrar alternativas para
os problemas que aparecem?

7. Comprometimento. De uma nota de 0 a 10 para o seu nível de


satisfação sobre seu comprometimento. Você é o tipo de pessoa
que se compromete com um objetivo e vai até o fim ou desiste
rapidamente a medida que desanima, o tempo passa ou encontra
alguma dificuldade?

8. Resiliência. De uma nota de 0 a 10 para o seu nível de


satisfação sobre sua resiliência. Você se sente resiliente ou é
facilmente sede aos intemperes do dia a dia?

9. Economia. De uma nota de 0 a 10 para o seu nível de satisfação


sobre sua atitude economia frente ao seu dinheiro. Seu
comportamento é de uma pessoa economia ou esbanjadora?

10. Colaborativismo. De uma nota de 0 a 10 para o seu nível de


satisfação sobre sua capacidade de colaborar com as pessoas ao
seu redor. Você tem o espírito de colaboração ou é mais voltado
para fazer as tarefas sozinhos que conferem, mesmo se for muito
mais difícil e levar mais tempo, todo os louros para você? Trata-se
da capacidade que você tem de dividir as tarefas, compromissos
e méritos

Com o resultado desse exercício, você saberá onde precisa dar um


pouco mais de atenção e, consequentemente se sentir realizado e satisfeito
com a situação que se encontra. Essa técnica também ajuda com que você se
avalie rapidamente e reflita, logo no início desse módulo, em qual ponto da sua
vida você se encontra para essa área, para onde quer ir, quais as suas
prioridades e quais são os fatores que podem estar te impedido de realizar
seus objetivos com maior desempenho.
A partir de agora, é a sua vez de preencher a sua RODA DO CÓDIGO
DA RIQUEZA – COMPORTAMENTO

AREAS PONTUAÇÃO
1 – INTELIGÊNCIA
2 – SUCESSO
3 – IDEIAS
4 – MINDSET
5 – FINANÇAS
6 – LIDERANÇA
7 – INFLUÊNCIA
8 – REALIZAÇÃO
9 – CONEXÃO
10 - INTEGRIDADE

MÉDIA _______________________
AULA 1
AS 16 LEIS DO SUCESSO – Aula 1

O CÓDIGO DA RIQUEZA

Módulo - COMPORTAMENTO

Capítulo – AS 16 LEIS DO SUCESSO

Aula - 01

Temas estruturantes da aula: Ao final dessa aula o aluno será capaz de entender as
16 leis do sucesso produzidas por um dos maiores legados sobre comportamento
humano e sucesso já descritas na história. A lei do Triunfo de Napoleon Hill

Como já mencionado no módulo anterior – AMBIENTE - No começo do século XX,


um dos empresários mais bem-sucedidos dos Estados Unidos, Andrew Carnegie, decidiu
que queria saber quais eram as características comuns entre todos os grandes homens de
sucesso da época. Para isso, contratou um jovem chamado Napoleon Hill e deu a
ele a tarefa de estudar – durante 20 anos – sobre as 6 mil pessoas mais ricas e
poderosas do mundo e descobrir o que elas tinham em comum. Hill não só as
estudou como também entrevistou pessoalmente centenas delas, incluindo
Thomas Edson, Graham Bell, George Eastman, Henry Ford, John Rockfeller,
Theodore Roosevelt e Woodrow Wilson.

Logo após o trabalho apresentado à Andrew Carnegie, o rico conteúdo


foi transformado num curso, no qual Napoleon Hill definiu 16 leis que todas as
pessoas de sucesso seguiam, conscientemente ou não.

A partir de agora, você vai ser convidado a participar numa viagem sobre
as 16 leis mais poderosas sobre sucesso já descritas na história da
humanidade.
1. Associação com outras pessoas com o mesmo perfil de pensamento

A primeira lei revela que todos os grandes homens tiveram que se


associar a outras pessoas para conseguir realizar os seus objetivos. Napoleon
Hill afirmava que a união de duas ou mais mentes gerava um todo que era
maior do que a soma das partes, o que ele chamou de Master Mind.

2. Objetivo principal definido

Todas as pessoas de sucesso tinham um objetivo principal claramente


definido em suas mentes, muitas vezes ricos em detalhes.

3. Confiança em si próprio

Todos entrevistados demonstravam grande confiança em seu potencial.

4. Economia

As pessoas de sucesso controlavam suas finanças e tinham maior poder


de investimento do que as pessoas que não tinha sucesso.

5. Iniciativa e Liderança

Perfil claro de líder. Os entrevistados eram pessoas capazes de gerar


iniciativas através de suas ideias e liderá-las com eficácia.

6. Imaginação

Solucionavam problemas através do uso da imaginação e essa prática


era constante.

7. Entusiasmo

Grande parte das maiores personalidades de sucesso do mundo eram


absolutamente apaixonadas por seus objetivos. Entusiasmo este que era o
motor para os todos os momentos, sobretudo nas adversidades.

“O homem geralmente triunfa com mais facilidade num campo de esforços em que se
lança de corpo, alma e coração.” – Napoleon Hill
8. Autocontrole

O autocontrole é a capacidade de liderar a si mesmo. Não ser vítima das


mundanas ou de estados alterados de consciência, é de fato estar no comando
de sua própria vida.

9. Hábito de fazer mais do que a obrigação

Segundo Napoleon Hill, existem dois tipos de pessoas que estão


fadadas ao fracasso:

1. Aquelas que não fazem o que lhes é pedido;


2. Aquelas que só fazem o que lhes é pedido;

10. Personalidade atraente

Os negócios resultam das interações humanas. Cultivar uma


personalidade atraente é ser uma figura agradável, simpática e bem
apresentada. Não tem relação com de padrões de beleza e sim de
comportamentos.

11. Pensar com Exatidão

Trata-se do pensamento orientado diretamente para um objeto/objetivo.


Em outras palavras, as pessoas de sucesso possuem foco. É o pensamento
diretivo, resolutivo, focado.

12. Concentração

Apesar de ser mais difícil nos dias atuais manter-se concentrado, as


pessoas de sucesso possuem uma capacidade de concentração acima da
média, quando comparado às pessoas que não prosperam

13. Cooperação

Os homens de sucesso entendem que a cooperação é o melhor


caminho para a realização pessoal e profissional.
14. Fracasso

Esse item é curioso. Hill encontrou que todas as pessoas que atingiram
uma grande realização na vida, fracassaram algumas vezes antes, em outras
palavras, quebraram. O conceito por detrás do fracasso é que fracassar é uma
maneira de aprender a como não errar novamente.

15. Tolerância

Capacidade de tolerar as adversidades inerentes da vida. As pessoas


bem sucedidas possuem tolerância acima da média e esta os direcionam para
as suas metas.

16. Fazer ao outro aquilo que quer que seja feito a você mesmo

Essa é a lei conhecida como A Regra de Ouro. As pessoas de sucesso


conseguem tratar o outro como gostariam de serem tratados. É o conceito de
alteridade

Conclusões e gancho para a próxima aula

Nessa aula você pode aprender sobre as 16 leis do sucesso produzidas


por um dos maiores legados sobre comportamento humanos do mundo.

Na próxima aula você vai entender de maneira objetiva os hábitos e


rotinas diárias das pessoas que constroem riqueza em todos os aspectos de
suas vidas
AULA 2
OS HÁBITOS DAS PESSOAS QUE CONSTROEM RIQUEZA – Aula 2

O CÓDIGO DA RIQUEZA

Módulo - COMPORTAMENTO

Capítulo – OS HÁBITOS DAS PESSOAS QUE CONSTROEM RIQUEZA

Aula - 02

Temas estruturantes da aula: Ao final dessa aula o aluno será capaz de entender os
hábitos e rotinas diárias das pessoas que constroem riqueza em todos os aspectos de
suas vidas

Sobre o Hábito

“A qualidade dos nossos hábitos influencia diretamente a qualidade da


nossa vida.” (Charles Duhigg)

O hábito é um comportamento acionado pelo nosso cérebro a fim de,


basicamente, economizarmos energia, pois, se precisássemos de todo o poder
cerebral para executar a plenitude de nossas atividades, teríamos estafa
mental antes de chegarmos na hora do almoço, e isso não seria nada legal.

No Massachusetts Institute of Technology, o MIT, foram feitos


experimentos monitorando o cérebro de ratos que ficavam em um labirinto. Os
cientistas colocaram sensores que detectavam a atividade cerebral dos
ratinhos. Esse experimento foi simples: em determinado momento, os ratos
escutavam o barulho de um clique e uma portinha era aberta no labirinto. Se os
ratos fossem adiante e depois virassem pra esquerda, eles encontrariam
comida. Se eles fossem reto e virassem para a direita, não encontrariam nada.
Nas primeiras vezes em que os ratos eram colocados nessa situação, a
atividade cerebral estava bastante intensa. Os ratos ficavam fuçando,
cheirando, arranhando, olhando para tudo quanto é lugar.

Apenas visualizando o comportamento dos roedores, não era possível


concluir nada: parecia que os ratos estavam se movendo de forma aleatória,
porém, pelo monitoramento de atividade cerebral, era possível ver um nível alto
de processamento constante. Ou seja, o cérebro estava examinando diferentes
possibilidades para poder decidir.

Quando os cientistas colocavam os mesmos ratos no mesmo labirinto e


repetiam a situação de fazer o mesmo barulho do clique, abrindo a porta,
aconteceu algo interessante: Os ratos começaram a ficar mais eficientes. Eles
não precisavam ficar fungando, olhando, arranhando. Eles cometiam menos
erros de percurso. Quanto mais eles aprendiam a navegar no labirinto, sua
atividade cerebral começava a diminuir: eles entravam num modo automático,
pensando cada vez menos.

O hábito é a transformação de uma sequência de ações


em uma rotina automática

O rato está num labirinto. Escuta o clique. Sabe que é pra ir reto e virar
para a esquerda e encontrar a comida. Imagine se, ao invés de comida,
houvesse um gato com fome no final do labirinto: se o ratinho fosse todo
contente, sem pensar, e virasse para a esquerda, poderia virar jantar do gato.
Se eu começo a dirigir de forma displicente, sem pensar, posso acabar me
envolvendo num acidente de trânsito.

Com base nesse raciocínio, ao mesmo tempo em que é importante


saber entrar no piloto automático, também é igualmente importante saber o
momento de ficar alerta, com opinião crítica, analítica. Em outras palavras, o
cérebro precisa saber qual é a hora certa de confiar no piloto automático dos
hábitos. E a hora certa de ter um exame mais cuidadoso antes de decidir. Pelo
exame do cérebro dos ratos feito no MIT, houve uma descoberta importante: a
atividade cerebral do rato estava intensa até o momento do clique, depois
diminuiu enquanto o rato anda no modo automático pelo labirinto. Quando o
rato encontrou comida, o nível de atividade cerebral subiu. Esse pico final de
processamento mental é muito importante para continuarmos entendendo a
natureza do hábito.

Os componentes do Hábito Triangular

Para entendermos a composição dos hábitos, existem três pontos de


destaque (triangular). O primeiro componente é o GATILHO. No exemplo dos
ratos, o gatilho é o barulho de clique que faz com que o cérebro entenda que
pode entrar no modo automático e escolher qual hábito é o mais adequado
para usar. O segundo componente é a ROTINA. Trata-se da sequencia de
atividades que caracterizam como o hábito é percebido por um observador
(essas atividades podem ser físicas, intelectuais ou emocionais). E, como
terceiro componente, existe a RECOMPENSA. Ela vai ajudar a melhorar o
cérebro, indicando se esse tipo de sequencia triangular vale a pena ser usado
novamente no futuro.

Quanto mais repetimos a mesma sequência do Hábito Triangular, mais ela


fica automática. O gatilho e a recompensa ficam muito ligados a ponto de
criarmos antecipação e desejo. Com todos esses elementos, o hábito será
formado.
Charles Duhigg, em O Poder do Hábito, livro best seller sobre como
criamos e modificamos hábitos, afirma que, de acordo com os cientistas, não é
possível eliminar hábitos por completo. Como argumento, Duhigg baseia-se no
relato dos cientistas. Por exemplo, se eles mudam a localização da comida
depois que o hábito já se formou no cérebro do rato, isso faz com que o rato se
comporte de modo diferente. Mas, a partir do momento em que a comida volta
para o lugar antigo, BUM! O hábito volta com tudo.

A dica do livro é que nós temos que criar novas rotinas neurológicas, que
sejam mais poderosas, para sair da sequencia antiga do Habito Triangular
anterior. Em vez de tentar mudar um hábito antigo, nós precisamos mudar a
rotina. A chave principal é criar um novo desejo, um desejo tão incontrolável
que nos conduza a realizar a rotina desejada para aproveitar a recompensa. No
caso de hábitos antigos, geralmente, existe há muito tempo o desejo por uma
recompensa de uma rotina indesejada. Em vez de eliminar tal hábito, Duhigg
recomenda alcançar a mesma recompensa através de uma nova rotina.

O princípio geral para mudar hábitos tem a seguinte estrutura:

1. Identificar os componentes do Hábito Triangular


2. Fazer experimentos com recompensas
3. Isolar o gatilho
4. Ter um plano
Conclusões e gancho para a próxima aula

Nessa aula você pode aprender sobre hábitos e rotinas diárias das
pessoas que constroem riqueza em todos os aspectos de suas vidas

Na próxima aula você vai aprender sobre os três elementos que


determinam um hábito. Gatilho, Rotina e Recompensa, considerados o Hábito
Triangular
EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO

AUTOFEEDBACK

Qual é a frase que me identifica como pessoa?

Qual é o livro que faz todo sentido em minha vida?

Qual foi o filme que me influenciou na vida pessoal e profissional?

Quais meus pontos fortes?


Quais meus pontos de melhoria?

Quais minhas crenças fortalecedoras?

Quais minhas crenças limitantes?

Quais oportunidade enxergo na minha vida?


Quais são as dificuldades que enxergo na minha vida?

O que eu vim buscar no mundo?

O que as pessoas sentem e pensam quando me veem pela primeira vez?

Qual aprendizado que eu tive comigo mesmo nos últimos 12 meses?


AULA 3
OS COMPONENTES DO HÁBITO TRIANGULAR – (aula 3)

O CÓDIGO DA RIQUEZA

Módulo - COMPORTAMENTO

Capítulo – OS COMPONENTES DO HÁBITO TRIANGULAR

Aula - 03

Temas estruturantes da aula: Nessa aula o aluno será capaz de aprender sobre os
três elementos que determinam um hábito. Gatilho, Rotina e Recompensa,
considerados com os componentes do Hábito Triangular

A primeira coisa a fazer é lembrar-se da estrutura do Hábito Triangular, em


que temos o gatilho, seguido da rotina e da recompensa. Essa compreensão é
muito importante. O autoconhecimento é essencial, pois eu tenho que entender
o que acontece para poder realizar alguma mudança.

O hábito que Charles Duhigg identificou no livro é que, à tarde, ele ficava
com vontade de comer uns biscoitos de chocolate. Ele se levantava, ia para a
cantina, conversava com os amigos que estavam lá perto, comia o biscoito e
depois se sentia arrependido e cada vez mais obeso. Era um hábito que ele
queria mudar, mas sentia muita dificuldade. Nesse caso, ele tinha que entender
o gatilho:

Será que era fome?


Tédio?
Baixo nível de glicose?
Necessidade de mudar de atividade?

A recompensa é igualmente importante:

Seria ela o biscoito de chocolate?


A mudança de ambiente?
A distração?
O fato de interagir com os colegas?
O pico de energia com a glicose do biscoito?

Para entender de verdade, temos que fazer como um verdadeiro cientista:


realizar experimentos.

Fazer experimentos com recompensas

Falamos também que as recompensas são importantes por satisfazerem


desejos. Mas saber o que a gente realmente deseja não é algo fácil. A mente
racional tem muita dificuldade em dar uma resposta precisa, pois o desejo é
emocional. A melhor forma de descobrir qual é a recompensa desejada é
através de experimentos. Precisamos testar diferentes recompensas.

No caso do Charles Duhigg, ele fala que, se a pessoa quer ir pra cantina e
comer um biscoito de chocolate, é possível experimentar com rotinas diferentes
que trazem recompensas diferentes. Ao invés de ir pra cantina, ele recomenda
ir pra rua, dar uma volta no quarteirão e daí voltar para a mesa de trabalho sem
comer nada e prestar atenção em como nos sentimos.

Esse é um experimento que também pode sofrer variações.

Ir para a cantina, mas, em vez de comprar o biscoito, comprar uma


maçã e comer lá mesmo;
Ir para a cantina, comprar a maçã, mas voltar para a mesa de
trabalho e comer lá na mesa ao invés da cantina;
Tomar um café;
Em vez de cantina, ir para a mesa de trabalho de algum colega,
conversar um pouco e voltar.

Realizando vários experimentos, podemos entender melhor o que nós


desejamos. Será que é a pausa? Ou a caminhada? Ou algo doce? Ou a
interação com outras pessoas? O sentido de “prestar atenção” precisa ser
explicado. O que seria prestar atenção?

O livro dá uma dica importante, que envolve anotação. Ao retornar para o


lugar, pegamos um caderno, anotamos a data, anotamos qual atividade foi
realizada e, então, vamos escrever TRÊS SENSAÇÕES ou três ideias que
estão na nossa cabeça sobre aquela atividade específica.

Imagina que você foi dar uma volta no quarteirão em vez de ir à cantina
comprar o chocolate. Um exemplo de três conceitos, que sentimos ao retornar,
seria:

1. Estou relaxado

2. Vi flores

3. Não tenho fome.

Ao anotar três conceitos depois de realizar a nova rotina, temos como


começar a compreender melhor e encontrar alguns padrões.

Isolar o gatilho

Da mesma forma que eu tenho que realizar os experimentos para descobrir


qual é a verdadeira recompensa buscada, também preciso de um pouco mais
de esforço para entender qual é o gatilho. São cinco os principais tipos de
gatilho que iniciam a rotina do hábito:

1. Localização;
2. Horário;
3. Estado emocional;
4. Outras pessoas;
5. Ações anteriores.

Com esses gatilhos em mente, qual é a tarefa para anotarmos? Sempre


que a rotina estiver chegando, que no caso do exemplo do Duhigg, é aquele
desejo incontrolável de ir à cantina e comprar o biscoito de chocolate, nós
vamos parar um pouco, pensar e anotar:

1. Onde é que eu estou? (Localização)


2. Que horas são? (Horário)
3. O que estou sentindo agora? (Estado emocional)
4. Quem mais está ao meu lado?
5. Que ação eu acabei de realizar?

Depois de uns dez dias respondendo a essas cinco perguntas em um


caderno, nós vamos descobrir os padrões comuns, quais são os gatilhos que
acionam o nosso comportamento da rotina.

Ter um plano

Só depois de entendermos bem o nosso Hábito Triangular é que


poderemos começar a buscar modificar nosso comportamento. Vamos nos
preparar para saber o que fazer quando o gatilho chegar, e escolher um
comportamento, uma rotina melhor, que vai nos aproximar da recompensa e
dos resultados desejados. Este é um momento de estratégia. O hábito começa
devagarinho e daí conforme ele é repetido, pode se tornar algo automático e
poderoso.

Não quer dizer que será moleza trocar os hábitos de uma hora para
outra, mas vai ajudar muito seguir os passos acima: identificar os detalhes,
fazer experimentos, isolar o gatilho, e elaborar um plano. Tendo
perseverança, acreditando que é possível, e tendo um grande desejo de
mudar, as coisas vão lentamente chegando ao ponto em que faremos a nova
rotina automaticamente.
Conclusões e gancho para a próxima aula

Nesta aula você aprendeu sobre os três elementos que determinam um


hábito. Gatilho, Rotina e Recompensa, considerados o Hábito Triangular.

Na próxima aula apresentaremos os sete hábitos das pessoas altamente


eficazes descritos por uma das maiores autoridades em sucesso corporativo e
pessoal; Stephen Covey.

AULA 4
OS HÁBITOS DAS PESSOAS ALTAMENTE EFICAZES – (aula 4)

O CÓDIGO DA RIQUEZA

Módulo - COMPORTAMENTO

Capítulo – OS HÁBITOS DAS PESSOAS ALTAMENTE EFICAZES

Aula - 04

Temas estruturantes da aula: Nesta aula o aluno vai aprender os sete hábitos das
pessoas altamente eficazes descritos por uma das maiores autoridades em sucesso
corporativo e pessoal; Stephen Covey.

Os hábitos das pessoas altamente eficazes

Para Stephen Covey, no seu livro: Os Sete Hábitos das Pessoas


Altamente Eficazes; os sete hábitos são uma abordagem altamente integrada
que passa da dependência (você cuida de mim) para a independência (eu
cuido de mim mesmo) e para a interdependência (podemos fazer algo melhor
juntos). Os sete hábitos são:

1) Proatividade,

2) Comece com o objetivo em mente,

3) Primeiro o mais importante,

4) Pense em ganha-ganha,

5) Procure Primeiro Compreender, Depois ser Compreendido,

6) Sinergia e

7) Afine o Instrumento (Renovação)

Hábitos produtivos
Ser produtivo é fundamental. As pessoas produtivas valem mais,
economizam mais tempo, geram mais valor para uma empresa, negócio,
projeto, tarefa. Produtividade é foco de estudos em todo o mundo e aqui no
Brasil não é diferente. Aposto que seus pais, em algum momento da sua vida,
falaram veemente para você ter foco e se concentrar em uma tarefa específica.
Comigo não foi diferente.

Da mesma forma, eu também sou capaz de apostar que em vários


momentos da sua, da nossa vida, tentamos realizar várias tarefas ao mesmo
tempo, o que os norte-americanos chamam de multitasking, ou seja,
multitarefas. A má notícia é que, apesar de várias pessoas acreditarem que é
possível fazer muita coisa, com qualidade, isso está bem distante da realidade.
Somos péssimos em fazer várias tarefas ao mesmo tempo. Recebemos uma
avalanche de informações, muitas atribuições e pouco tempo para a execução.
Somos invadidos por situações que nos impedem de produzir bem, a oferta é
absolutamente muito maior que décadas atrás. Internet, aplicativos, conversas
e outras atividades são criadas para facilitar as nossas vidas. Ou seja, muita
oferta para fazermos muita coisa e não produzirmos nada, essa é a verdade.

Fazer uma lista de tarefas diárias é uma atitude eficazr e combate


veemente a baixa produtividade. É facílimo, basta anotar todas as suas tarefas
do dia, semana, mês numa folha de papel. Pronto, está feito.

Big Win, na sua tradução literal é a Grande Vitória. Se você tem problemas
em ser produtivo ou deseja melhor a produtividade eu sugiro a técnica BIG
WIN. Ela se refere a preparar uma lista de tarefas que devem ser feitas durante
um dia, todas anotadas numa folha de papel, de maneira bem simples. Mas,
dentre todas as listas de tarefas, existem a tarefa mais importante, a
determinante do dia, aquela que fará a diferença em todas as outras. Ou seja,
a tarefa Big Win.
Portanto, prepare sua lista de atividades diárias e, de bate pronto, estabeleça a
sua tarefa mais importante e não saia do foco antes de terminá-la. Não deixe
de para depois.

Conclusões e gancho para a próxima aula

Nesta aula foi possível abordar os sete hábitos das pessoas altamente
eficazes descritos por uma das maiores autoridades em sucesso corporativo e
pessoal; Stephen Covey.

Na próxima aula você será convidado a conhecer os 5 fatores que as


pessoas de sucesso consideram óbvias para fazerem negócios assertivos
EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO

TREINAMENTO

O que eu vou O que eu vou O que eu vou O que eu vou


ELIMINAR da REDUZIR da minha AUMENTAR nos COMEÇAR A
minha rotina e que rotina e que meus hábitos e que FAZER no meu dia
interfere interfere interfere que interferá
HÁBITOS Data
negativamente na negativamete na positivamentena positivamente na
concretização dos concretização dos concretização dos concretização dos
meus objetivos nos meus objetivo nos meus objetivo nos meus objetivo nos
próximos dias próximos dias próximos dias próximos dias

Dia 1
Dia 2
Dia 3
Dia 4
Dia 5
Dia 6
Dia 7
Dia 8
Dia 9
Dia 10
Dia 11
Dia 12
Dia 13
Dia 14
Dia 15
Dia 16
Dia 17
Dia 19
Dia 20
Dia 21
Dia 22
Dia 23
Dia 24
Dia 25
Dia 26
Dia 27
Dia 28
Dia 29
Dia 30
AULA 5

AS PESSOAS DE SUCESSO CONSIDERAM SEUS HÁBITOS ÓBVIOS –


(aula 5)

O CÓDIGO DA RIQUEZA

Módulo - COMPORTAMENTO

Capítulo – AS PESSOAS DE SUCESSO CONSIDERAM SEUS HÁBITOS


ÓBVIOS

Aula - 05

Temas estruturantes da aula: Nesta aula o aluno irá conhecer os cinco fatores
essenciais para se fazer negócio assertivo de maneira óbvia e rápida.

Outra proposta que consideramos ser importante apresentar sobre o


Código da Riqueza é como as pessoas de sucesso enxergam a obviedade em
seus comportamentos. Esse termo foi previamente descrito no livro Adams
Óbvio. A obra retrata a história real de um publicitário, que relata como obter
sucesso usando simplesmente o bom senso e o óbvio das situações e se
destacava como um empreendedor de visão otimista. Ele destaca a história
que perto do fim do último ano da escola o diretor teve uma ideia de trazer um
grande palestrante, James B. Oswald, presidente da famosa Oswald
Advertising Agency. Adams ficou tão entusiasmado com a palestra que decidiu
trabalhar naquela empresa de publicidade.

Decidido e motivado Adams procurou o tal presidente da consolidada


Oswald Advertising Agency. Ao chegar à frente do presidente Adams disse:
“decidi que quero trabalhar em propaganda e com o senhor. Pensei que o
óbvio a fazer era vir direto dizer-lhe isto. O senhor não parece acreditar que eu
possa a vir me tornar um bom homem de propaganda, de modo que vou ter de
dar um jeito e provar o contrário. Não sei ainda como vou fazer isso, mas vou
procurá-lo outra vez, assim que souber.” 20 anos depois, Oliver B. Adams é
vice presidente da Oswald Advertising Agency. Adams adquiriu este mérito
todo apenas usando o que ninguém tinha observado, o que estava na frente de
todos. Adams era objetivo, ele tinha a habilidade de buscar o óbvio de
todas as situações em que ele era exposto obtendo o sucesso das
empresas em que ele desenvolvia as campanhas de publicidade.

Por fim, o autor expressa cinco maneiras de testar o óbvio e que você
pode aplicar imediatamente na sua carreira:

1. “Este problema, depois de resolvido, será simples.”

Parafraseando que uma solução deve ser simples de ser resolvida, se for
complexa não será tão eficaz assim.

2. Esta solução é compatível com a natureza humana?

Remete que qualquer pessoa, em qualquer lugar e de qualquer natureza


deve compreender o que você fala com razoável facilidade.

3. Colocar a ideia no papel.

Capacidade de colocar no papel em poucas palavras a solução.

4. Ela “explode” na cabeça das pessoas?

Que desperte nas pessoas a frase “como não pensei nisso antes? Era tão
óbvio!”.
5. Saber reconhecer o momento certo.

E que tenha a sua aplicação no momento certo, perceber o timing de


aplicação mais apropriado.

É com essas cinco bases de aprendizado que as pessoas detém as


práticas mais bem sucedidas do mercado. E a boa notícia é que ela
pode ser aplicada a qualquer pessoa e a qualquer momento.

Conclusões e gancho para a próxima aula

Nesta aula foi possível abordar sobre os 5 fatores que as pessoas de


sucesso consideram óbvias para fazerem negócios assertivos.

Na próxima aula Nesta aula o aluno irá entender o fator principal do


comportamento das pessoas de sucesso, a relação entre causa e efeito e o
valor da sorte nas relações humanas.
AULA 6

MERITOCRACIA – A teoria da causa e efeito para o sucesso pessoal e


profissional – (aula 6)

O CÓDIGO DA RIQUEZA

Módulo - COMPORTAMENTO

Capítulo – MERITOCRACIA - A teoria da causa e efeito para o sucesso pessoa


e profissional

Aula - 06

Temas estruturantes da aula: Nesta aula o aluno irá entender o fator principal do
comportamento das pessoas de sucesso, a relação entre causa e efeito e o valor da
sorte nas relações humanas.

Nada na nossa vida, na sua vida acontece por acaso, sempre existe um
motivo que precede o acontecimento. Esse hábito, esse conceito é
fundamental no entendimento do seu caminho em busca dos seus objetivos. O
resultado e consequências das coisas que você adquire, que você conquista,
estão diretamente relacionados a um evento anterior. Todas as pessoas bem
sucedidas entendem e defende essa premissa; de que tudo tem uma
explicação prévia e que nada acontece por acaso.

Algumas teorias sobre esse conceito podem ser apresentadas. Na


filosofia ela é conhecida como a lei da CAUSA E DO EFEITO. É uma
argumentação usada pelos filósofos para abordar a teoria da Evolução dos
Seres vivos como solução da origem da vida. Esse conceito que aqui descrevo
e como você pode observar é bem antigo. Descarte, um filosofo francês
afirmou que:
"Não há nenhuma coisa existente da qual não se possa perguntar qual é a
causa."

Aristóteles afirmou que:

"Uma pedra de granito poderia se transformar numa estátua desde que


um escultor se dispusesse a esculpi-la."

Esse conceito de nada acontecer por acaso também foi fundamentado


em leis da física. A Terceira Lei de Newton diz que para cada ação existe
uma reação de mesma intensidade e sentido oposto. Simples assim. Se você
diz bom dia, com cordialidade, educação, se é solícito, bem humorado e de
bem com a vida, você receberá os mesmos votos.

Este é um dos pensamentos centrais das pessoas de sucesso; acreditar


que nada acontece por acaso. Acreditar que existe uma relação direta entre os
resultados que você conquista e suas atitudes. Desta forma, as atividades que
são unicamente relacionadas à “sorte”, por exemplo, sem uma explicação
coerente perdem sua força de argumentação.

A sorte

E por falar em sorte, é muito comum ouvirmos de pessoas que um


amigo ou conhecido tem muita sorte na vida. E para nossa felicidade, muitos
são os estudos que investigaram a Sorte, chegando à conclusão que ela existe
e pode ser explicada. A sorte se relaciona intimamente com a Lei da Causa e
Efeito ou Terceira Lei de Newton. Nos conceitos sobre sorte, podemos
identificar com certa facilidade mais explicações lógicas e científicas do que
pensamos.

Observe esse exemplo: é muito pouco provável alguém encontrar um


namorado (a) se não sair de casa. Sem estar perto de pessoas. Apesar desta
apresentação simplória, você ainda pode retrucar:

- Eu encontrei mina esposa numa conversa, meu marido num chat de internet e
isso quer dizer que tive sorte, embora ter permanecido de casa.
Exato! É isso mesmo que quero dizer. Contudo existe uma explicação ainda
mais ampla. A sorte não tem a ver com uma atitude cósmica e inexplicável. A
sorte é um evento relacionado à probabilidade. Você ligou seu computador,
notebook ou dispositivo com acesso à internet e entrou num local onde tem
acesso e possibilidade de conversa. Entenda que você aumentou sua
probabilidade para que isso ocorresse, neste caso, encontrar o marido.

Protagonismo Versus Sorte

Uma pesquisa de Richard Wiseman que reuniu 400 pessoas em todas


as áreas de atuação (algumas classificadas como muito sortudas e outras
como pessoas com pouca sorte) procurou entender sobre a sorte. A mais nova
tinha dezoito anos e a mais velha da pesquisa oitenta e quatro.

Veja só, a pesquisa foi conduzida durante quatro anos e os entrevistados


responderam tanto a questionários como foram entrevistados no laboratório de
Wiseman. O que Wiseman verificou é que existem diferenças básicas de
comportamento entre quem acredita que tem sorte e quem não é uma pessoa
sortuda. Logo após a sua pesquisa, o pesquisado conclui que a sorte não é um
dom com o qual nascemos, mas sim algo construído e ampliado por nos
mesmo ao longo da vida. Nas conclusões de Wiseman quatro características
tornaram-se semelhantes em todas as pessoas sortudas:

1. Pessoas com sorte constantemente encontram oportunidades casuais e


conhecem pessoas que tem um efeito benéfico em suas vidas. Em
contraste, pessoas azaradas raramente têm esses tipos de experiência;
2. Pessoas de sorte tomam boas decisões sem saber o porquê, usam sua
intuição. Pessoas de azar tendem ao fracasso e desespero;
3. Pessoas de sorte sonham alto, são ambiciosas e tem o dom de entender
melhor a verdade. Pessoas de azar são o contrário;
4. Pessoas de sorte têm a capacidade de transformar uma situação ruim,
uma adversidade em uma ação positiva. Pessoas de azar não têm essa
capacidade.
Portanto o quadrante da sorte fica da seguinte maneira

Gerar oportunidades constantes Usar a intuição

QUADRANTE DA SORTE

Transformar adversidade em uma ação


Ser otimista
positiva

Conclusões e gancho para a próxima aula

Nesta aula foi possível aprender sobre o fator principal do


comportamento das pessoas de sucesso, a relação entre causa e efeito e o
valor da sorte nas relações humanas.

Na próxima aula o aluno irá aprender sobre a prática deliberada e a sua


relação com o sucesso.
AULA 7
PRATICA DELIBERADA – (aula 7)

O CÓDIGO DA RIQUEZA

Módulo - COMPORTAMENTO

Capítulo – PRÁTICA DELIBERADA

Aula - 07

Temas estruturantes da aula: a prática deliberada e a sua relação com o sucesso é


o tema a ser abordado nessa aula.

Você já se perguntou como os Beatles e Mozart puderam ser gênios


musicais em suas composições? Como grandes esportistas atingem seus
desempenhos máximos com excelência? Como matemáticos, artistas e
cientistas alcançam expertises, mudando gerações e teorias? Como grandes
empresários conseguem vencer nos negócios e obter riqueza? Perguntas
como estas são interessantes de estudar e novamente existe um padrão que
se repete e responde com clareza a estas questões. Na literatura, também é
possível ter acesso a várias publicações sobre esse assunto. Estudos que
focaram na investigação dos motivos pelos quais algumas pessoas se
destacam das demais.

Vamos investigar três estudos clássicos sobre esse tema. As pesquisas


de Bloom, Csikszentmihalyi e Erickson. De maneira longitudinal, em
aproximadamente quatro anos esses pesquisadores avaliaram meninos e
meninas considerados talentos em suas respectivas áreas de conhecimento.
Foram selecionados indivíduos acima da média das áreas da música, ciência,
esporte, matemática e arte.

Conclusões de Bloom:
O apoio é o fator principal para o progresso em direção ao alto
desempenho;
A evolução do desempenho de cada criança depende da quantidade
de estímulos que recebe dos pais, professores de qualidade,
treinadores, mentores e de ambientes satisfatórios de
desenvolvimento.

Conclusões de Csikszentmihalyi:

Talento é desenvolvimento e não um fenômeno do tudo ou nada;


O talento está associado aos processos de experiências vivenciadas
no meio, não somente pelas heranças herdadas (código genético);
As condições históricas sempre influenciam no talento.
Uma pessoa talentosa sem estímulo suficiente pode não alcançar
alto nível de proficiência em determinada área.

Conclusões de Erickson:

Independente da predisposição genética, o desempenho de alto nível


depende da dedicação e dos esforços durante, no mínimo dez anos
ou dez mil horas.

Você conseguiu perceber o padrão entre os três estudos? Fica evidenciado


entre eles o poder significativo do ambiente, das pessoas, da estrutura e da
prática deliberada (anos e horas comprometidas com tarefas específicas).

De posse desses dados reflita sobre o seu sucesso e suas atitudes em relação
à sua riqueza. Responda as seguintes perguntas:

Eu convivo com pessoas e num ambiente que me incentiva para o


meu sucesso?
Como é o local onde eu nasci? Ele é propício para eu me
desenvolver e atingir os meus objetivos?
Quantas horas por dia eu me dedico, de maneira deliberada, para
atingir meus objetivos?
Quem são os meus mentores? Quais suas principais características?
Onde e como eu busco aumentar as minhas competências?
Como estão os livros, documentários e filmes que me ajudarão no
decorrer da minha carreira? Eu leio os livros e assintos os
documentários que queria e deveria?
Como é minha roda de amigos? Eu possuo um grupo de Mente
Mestra?
Eu possuo apoio das pessoas ao meu redor? Onde eu vou buscar
suporte para os meus projetos?
Eu desenvolvo atividades num estado de fluxo e prazer que nem
percebo o tempo passar?
Eu sou uma pessoa automotivada?

Essas e mais outras perguntas são chaves poderosas para você


entender o poder da prática deliberada em prol dos seus objetivos.
Responda com calma a todas essas perguntas.

Conclusões e gancho para a próxima aula

Nesta aula o aluno irá aprender sobre a prática deliberada e a sua


relação com o sucesso. Na próxima aula, o assunto será os três componentes
centrais do ponto de virada na carreira de qualquer profissional.
AULA 8
O PONTO DA VIRADA – Aula 8

O CÓDIGO DA RIQUEZA

Módulo - COMPORTAMENTO

Capítulo O PONTO DE VIRADA

Aula - 08

Temas estruturantes da aula: Nesta aula o aluno irá aprender os três componentes
centrais do ponto da virada na carreira de qualquer profissional e/ou empresa

O mercado é prospero e de muitas possibilidades. A era do pensamento


miserável acabou. Vivemos na era da abundância. Que tem o poder nas mãos
é você. Quem está no comando é você. E você pode me perguntar:

- como que eu fazer com que eu seja o protagonista da minha vida?

Você deverá utilizar a matriz de três elementos chaves, ou melhor, três


perguntas poderosas, propostas por Malcolm Gladwell em seu livro “O ponto da
virada” que são:

1. O que eu amo fazer?


2. O que eu sei sobre o que eu amo fazer?
3. Mais pessoas precisam do conhecimento sobre a minha paixão?

Essas três perguntas vão te guiar de maneira eficiente para os seus objetivos
profissionais e fazer com que você alcance seu ponto de virada na carreira.

O que você ama fazer, tem paixão ardente?


Qual o seu nível de conhecimento sobre a sua paixão?
Mais pessoas precisam do conhecimento sobre a sua paixão?

PAIXÃO

DEMANDA CONHECIMENTO

Paixão, conhecimento e demanda. São esses os três elementos


essenciais para o início de uma boa carreira de qualquer profissional.

Paixão, aquilo que você faria sem precisar ganhar dinheiro, está
alinhado com seu propósito de vida. Conhecimento; o quanto você sabe sobre
o que é apaixonado. É o conhecimento tácito sobre o assunto. Demanda; isso
é escalável? As pessoas precisam? O mercado exige esse conhecimento?

De posse desses conhecimentos em mãos, o você poderá começar a ter


uma diferente visão sobre a sua atividade profissional. Esse será um fator que
irá produzir os motivos intrínsecos mais sólidos em sua jornada, afinal, quem
vai trabalhar desmotivado quando faz o que ama, conhece profundamente o
assunto e as pessoas precisam disso?
EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO

Para você entender de maneira mais clara esse processo, pegue o papel
e caneta e faça o seguinte exercício.

Pergunta Nada Quase Médio O bastante Muito


nada
Eu amo o que eu
faço?
Eu faço o que eu
amo?
Qual meu nível de
conhecimento sobre
minha atividade
profissional?
Qual meu nível de
satisfação sobre seu
conhecimento?
O mercado exige o
que eu faço?
As pessoas me
enxergam como um
ponto de solução de
problemas?
Eu acredito no que
eu proponho?
As pessoas
precisam, de
verdade, de mim?
As pessoas
precisam, de
verdade, da minha
solução?

Comece respondendo essas perguntas que irão fazer com que você
tenha protagonismo em sua carreira e rume para a sua riqueza pessoal e
profissional.
Conclusões e gancho para a próximo módulo

Nesta aula o aluno aprendeu sobre os três componentes centrais do


ponto de virada na carreira de qualquer profissional.

CONCLUSÕES FINAIS DO MÓDULO 2 - COMPORTAMENTO

Esse foi o segundo módulo do curso Código da Riqueza. Você pôde aprender
conceitos valiosos em oito grandes áreas.

As 16 leis do sucesso.
Os hábitos das pessoas que constroem riqueza.
Os componentes do Hábito Triangular.
Os hábitos das pessoas altamente eficazes.
As pessoas de sucesso consideram seus hábitos óbvios.
Meritocracia – a teoria da causa e efeito para o sucesso pessoal e
profissional.
Pratica deliberada.
O ponto da virada.

No Módulo 3 do Código da Riqueza você vai aprender sobre as competências


e conhecimentos que levam ao sucesso. Até lá.
TOMADA DE DECISÃO

Módulo: COMPORTAMENTO

Perguntas para tomadas de decisão.

Responda essas perguntas com calma e de maneira específica. As suas


respostas revelarão o que você sabe, sente e entende como prioridade nesse
momento da sua vida. Os exercícios de fixação servirão como base
estruturante para as definições de objetivos e o seu plano de ação coerente a
partir dessa parte do programa de treinamento do Código da Riqueza.

4. Após a explicação dos conceitos apresentados nesse módulo, O QUÊ


VOCÊ SABE, AGORA?

5. Após as explicações dos conceitos apresentados nesse módulo, COMO


VOCÊ SE SENTE, AGORA?

6. Após as explicações dos conceitos apresentados nesse módulo, O QUE


É MAIS IMPORTANTE, AGORA
PLANO DE AÇÃO

O plano de ação do Código da riqueza deverá ser preenchido com atenção ao


final deste módulo. Ele representará todas as etapas responsáveis por uma
boa formulação e execução dos objetivos. Elas estão divididas nas seguintes
áreas:

Objetivo;
Evidência
Motivadores / ganhos
Sabotadores / perdas
Valores / relevância
Recursos
Estratégias
Ações
Primeiro passo
Responsabilidade
Comprometimento

O programa a seguir deverá ser descrito de maneira mais especifica possível


seguindo a estratégia S.M.A.R.T.

SPECIFIC (ESPECÍFICO)
MEASURABLE (MENSURÁVEL)
ACHIEVABLE (ALCANÇÁVEL)
RELEVANT (RELEVANTE)
TIME (PRAZO)
OBJETIVOS

O que você deseja especificamente? Qual o contexto?

ONDE

Onde você quer que isso aconteça?

QUEM

Quem participa desse objetivo?

QUANDO

Quando vai acontecer

EVIDÊNCIA

Qual é a evidência de que você conseguiu?


MOTIVADORES E GANHOS

O que você ganha com isso? Quais são os benefícios que você obterá?

SABOTADORES E PERDAS
O que você perde com isso? Este objetivo ou resultado afeta negativamente outras
pessoas do meio do qual você faz parte? (Se a respostas for sim, o que você precisa
alterar no seu objetivo para que afete apenas positivamente outras pessoas ou seu
meio?

VALORES/RELEVÂNCIA
Por que isso é importante para você? Quais os valores que você irá satisfazer com esta
meta? Por que isso é realmente importante para você?

RECURSOS
Do que vai precisar? (Recursos financeiros, conhecimentos, métodos, tempo,
habilidades, competências)

ESTRATÉGIAS
Quais as formas para conseguir isso? Quais serão suas estratégias? Você conhece
alguém que já fez isso? Como esta pessoa conseguiu?
AÇÕES

Quais são os passos para conseguir isso? Qual será seu plano de ações?

PRIMEIRO PASSO

Qual será o primeiro passo?

RESPONSABILIDADE
Depende de quem para que seu objetivo seja realizado? O que você pode fazer para
que esse objetivo dependa de você para ser iniciado hoje e mantido por você?

COMPROMETIMENTO
Qual o seu grau de comprometendo em realizar isso? O que você pode fazer para
aumentar seu grau de comprometimento?
COMPETÊNCIAS
PALAVRAS INICIAIS

Esse capítulo do curso o Código da Riqueza vai tratar de todas as


competências de devem ser aprensidas e desenvolvidas por qualquer
profissional.

Gestão do Conhecimento refere-se à criação, identificação, integração,


recuperação, compartilhamento e utilização do conhecimento dentro da empresa
por seus colaboradores. Tendo em vista as mudanças que ocorre rapidamente no
mundo, como a globalização da economia, o avanço tecnológico, o conhecimento
tornou-se valioso, bem com a gestão dele

Nesse módulo constam as seguintes aulas

AULA 1 - Necessidades básicas dos seres humanos


AULA 2 - Empreendedorismo e habilidade gerenciais
AULA 3 - Estudo da trajetória de vida para empreender
AULA 4 - Performance e foco
AULA 5 - O estado de fluxo e produtividade
AULA 6 - Como criar relações intencionais
AULA 7 - Inteligência
AULA 8 - Inteligência emocional
AULA 9 - Competências metacognitivas para a carreira
AULA 10 - Atitudes inteligentes frente às adversidades
AULA 11 - Como ser mais persuasivo
AULA 12 - Habilidades do administrador
AULA Como transformar uma vontade numa ideia empreendedora

Seja bem vindo.


RODA DO CÓDIGO DA RIQUEZA - COMPETÊNCIAS

Para o início desse módulo, você deverá preencher a RODA DO


CÓDIGO DA RIQUEZA – COMPETÊNCIAS. Trata-se de uma roda de 10
níveis relacionados às suas competências em todas as suas ações. Você
deverá colocar uma nota de 0 a 10 de acordo com o seu nível de satisfação
com relação a esse pilar. Os níveis são:

1. Comunicação. De uma nota de 0 a 10 para o seu nível de


satisfação com a sua comunicação. Você se sente em alto nível
para a forma como você se comunica ao falar, escrever e em
apresentações ou entende que precisa melhorar bastante?

2. Liderança. De uma nota de 0 a 10 para o seu nível de satisfação


sobre a suas competências com líder da sua equipe. Os seus
liderados te seguem, sua mensagem é clara e você exerce
influência positiva sobre a sua equipe e você, ou você entende
que precisa desenvolver esse pilar?

3. Gestão. De uma nota de 0 a 10 para o seu nível de satisfação


sobre forma de gestão. Como você se enxerga como
administrados e sua organização empresarial? É forte ou precisa
melhorar? Dê a sua nota.

4. Persuasão. De uma nota de 0 a 10 para o seu nível de satisfação


sobre sua capacidade persuadir e influenciar outras pessoas.

5. Venda. De uma nota de 0 a 10 para o seu nível de satisfação


sobre sua capacidade de fechar vendas. Você se sente um
profissional de alto nível nesse pilar ou entende que precisa
melhorar essa área de grande importância de mercado?

6. Performance. De uma nota de 0 a 10 para o seu nível de


satisfação sobre seus resultados. Você é um profissional de alta
performance? É sempre elogiado e recebe os maiores prêmios da
empresa pelos seus resultados ou essa é uma área que merece
mais atenção da sua parte?

7. Conexões. De uma nota de 0 a 10 para o seu nível de satisfação


sobre sua capacidade em gerar novas conexões. Desde pessoas
que possam ser clientes até as pessoas que possam ser
parceiros de negócios. Você sente que sua personalidade é
atraente ao nível de gerar sempre conexões duradouras?

8. Negócios. De uma nota de 0 a 10 para o seu nível de satisfação


sobre sua capacidade de fazer negócios. Você é uma pessoa que
apresenta competências que as pessoas querem se associar à
você para prospectar novas possibilidades de negócio ou esse é
um pilar que você precisa desenvolver?

9. Emocional. De uma nota de 0 a 10 para o seu nível de satisfação


sobre sua capacidade emocional. Você considera-se uma pessoa
que tem domínio sobre as suas emoções ou é dominado por elas
em situações importantes?

10. Mentoria. De uma nota de 0 a 10 para o seu nível de satisfação


sobre sua capacidade de oferecer feedback e treinamentos para
as pessoas ao seu redor ao pontos de ser considerado um
mentor, um consultor e um ponto de apoio. Você é visto como
mentor na sua empresa ou essa é uma área que você precisa
desenvolver?

Com o resultado desse exercício, você saberá onde precisa dar um


pouco mais de atenção e, consequentemente se sentir realizado e satisfeito
com a situação que se encontra. Essa técnica também ajuda com que você se
avalie rapidamente e reflita, logo no início desse módulo, em qual ponto da sua
vida você se encontra para essa área, para onde quer ir, quais as suas
prioridades e quais são os fatores que podem estar te impedido de realizar
seus objetivos com maior desempenho.
A partir de agora, é a sua vez de preencher a sua RODA DO CÓDIGO
DA RIQUEZA – COMPETÊNCIAS

AREAS PONTUAÇÃO
1 – INTELIGÊNCIA
2 – SUCESSO
3 – IDEIAS
4 – MINDSET
5 – FINANÇAS
6 – LIDERANÇA
7 – INFLUÊNCIA
8 – REALIZAÇÃO
9 – CONEXÃO
10 - INTEGRIDADE

MÉDIA _______________________
AULA 1
NECESSIDADES BÁSICAS DOS SERES HUMANOS

O CÓDIGO DA RIQUEZA

Módulo – COMPETÊNCIAS – Gestão do Conhecimento

Capítulo – NECESSIDADES BÁSICAS DOS SERES HUMANOS

Aula - 01

Temas estruturantes da aula: Nesse módulo o aluno vai aprender as necessidades


básicas dos seres humanos e como esse entendimento tem relação fundamental com
as atitudes rumo ao sucesso.

A famosa hierarquia de necessidades de Maslow, proposta pelo


psicólogo americano Abraham H. Maslow, baseia-se na ideia de que cada ser
humano esforça-se muito para satisfazer suas necessidades pessoais e
profissionais. É um esquema que apresenta uma divisão hierárquica em que as
necessidades consideradas de nível mais baixo devem ser satisfeitas antes
das necessidades de nível mais alto. Segundo esta teoria, cada indivíduo tem
de realizar uma “escalada” hierárquica de necessidades para atingir a sua
plena auto-realização.

A hierarquia de necessidades de Maslow

Para tanto, Maslow definiu uma série de cinco necessidades do serem


dispostas na pirâmide abaixo e explicadas uma a uma a seguir:
Auto-
realização
Estima

Sociais

Segurança

Fisiológicas

Onde existem as necessidades primárias (básicas) que são as fisiológicas e


as de segurança e as necessidades secundárias, que são as sociais, estima
e auto-realização. Abaixo a explicação de cada uma delas:

1 – Necessidades fisiológicas: São aquelas que relacionam-se com o ser


humano como ser biológico. São as mais importantes: necessidades de
manter-se vivo, de respirar, de comer, de descansar, beber, dormir, ter
relações sexuais, etc.

No trabalho: Necessidade de horários flexíveis, conforto físico, intervalos de


trabalho etc.

2 – Necessidades de segurança: São aquelas que estão vinculadas com as


necessidades de sentir-se seguros: sem perigo, em ordem, com segurança, de
conservar o emprego etc. No trabalho: emprego estável, plano de saúde,
seguro de vida etc.

No trabalho: Necessidade de estabilidade no emprego, boa remuneração,


condições seguras de trabalho etc.
3 – Necessidades sociais: São necessidades de manter relações humanas
com harmonia: sentir-se parte de um grupo, ser membro de um clube, receber
carinho e afeto dos familiares, amigos e pessoas do sexo oposto.

No trabalho: Necessidade de conquistar amizades, manter boas relações, ter


superiores gentis etc.

4 – Necessidades de estima: Existem dois tipos: o reconhecimento das


nossas capacidades por nós mesmos e o reconhecimento dos outros da nossa
capacidade de adequação. Em geral é a necessidade de sentir-se digno,
respeitado por si e pelos outros, com prestígio e reconhecimento, poder,
orgulho etc. Incluem-se também as necessidades de auto-estima.

No trabalho: Responsabilidade pelos resultados, reconhecimento por todos,


promoções ao longo da carreira, feedback etc.

5 – Necessidades de auto-realização: Também conhecidas como


necessidades de crescimento. Incluem a realização, aproveitar todo o potencial
próprio, ser aquilo que se pode ser, fazer o que a pessoa gosta e é capaz de
conseguir. Relaciona-se com as necessidades de estima: a autonomia, a
independência e o auto controle.

No trabalho: Desafios no trabalho, necessidade de influenciar nas decisões,


autonomia etc.

Aspectos a se considerar sobre a hierarquia de necessidades de Maslow

Para alcançar uma nova etapa, a anterior deve estar satisfeita, ao


menos parcialmente. Isto se dá uma vez que, quando uma etapa
está satisfeita ela deixa de ser o elemento motivador do
comportamento do ser, fazendo com que outra necessidade tenha
destaque como motivação.
Os 4 primeiros níveis destas necessidades podem ser satisfeitos por
aspectos extrínsecos (externos) ao ser humano, e não apenas por
sua vontade.

A necessidade de auto-realização nunca é saciada, ou seja, quanto


mais se sacia, mais a necessidade aumenta.

Acredita-se que as necessidades fisiológicas já nascem com o


indivíduo. As outras mostradas no esquema acima se adquirem com
o tempo.

As necessidades primárias, ou básicas, se satisfazem mais


rapidamente que as necessidades secundárias, ou superiores.

O indivíduo será sempre motivado pelas necessidades que se


apresentarem mais importantes para ele.

Outras necessidades adicionais

Dentre muitos estudos e análises, Maslow identificou duas necessidades


adicionais à pirâmide de necessidades já criada. Estas novas descobertas que
davam conta das pessoas que já possuíam todas as necessidades satisfeitas
(pouquíssimas pessoas) foram chamadas de cognitivas. São elas:

Necessidade de conhecer e entender: Está relacionada com os


desejos do indivíduo de conhecer e entender o mundo ao seu redor, as
pessoas e a natureza.

Necessidade de satisfação estética: Está relacionada às


necessidades de beleza, simetria e arte em geral. Ligada à necessidade
que o ser humano tem de estar sempre belo e em harmonia com os
padrões de beleza vigente.
Por que você tem que entender sobre a Pirâmide de Necessidades de
Maslow

A pirâmide das Necessidades Humanas de Maslow não foi colocada


nesse abre esse capítulo em vão. Esse, que será o maior módulo do Código
da Riqueza aborda sobre as competências que as pessoas devem
desenvolver no decorrer da sua vida em prol da riqueza. A pessoa que sabe e
dominar todas as necessidades dos seres humanos é aquela que está na
frente no quesito da inteligência emocional (que abordaremos ainda nesse
módulo com mais precisão)

Todas as pessoas devem ter em mente esses componentes para que


possam estabelecer de maneira mais efetiva sua vida pessoal e conduzir da
melhor maneira a sua vida profissional. Não trata-se apenas de um elemento
cognitivo, a Pirâmide das Necessidades Humanas é um relação entre corpo,
mente e espírito humano. O profissional de posse desse conhecimento saberá
entender e aplicar doses de soluções eficazes em sua vida. A pessoa será
capaz de:

Identificar um problema emocional

Gerenciar melhor as dúvidas e crises na empresas.

Aprender a recompensar os outros de maneira mais eficiente.

Prover os recursos mínimos para um boa prática profissional.

São inúmeras as possibilidade e vantagens de ser utilizar de maneira constante


os saberes dessa teoria de Maslow.
Conclusões e gancho para a próxima aula

Nesta aula foi possível aprender sobre as necessidades básicas dos


seres humanos e como esse entendimento tem relação fundamental com seu
sucesso a partir desse conhecimento.

Na próxima aula o aluno irá aprender sobre as vertentes que versam o


sucesso sobre o conceito de fundamental importância denominado
empreendedorismo.
AULA 2
EMPREENDEDORISMO E HABILIDADE GERENCIAIS

O CÓDIGO DA RIQUEZA

Módulo – COMPETÊNCIAS – Gestão do Conhecimento

Capítulo – EMPREENDENDORISMO E HABILIDADES GERENCIAIS

Aula - 02

Temas estruturantes da aula: Nesse módulo o aluno vai ter uma aula completa sobre
as vertentes que versam o sucesso no empreendedorismo

“Hoje vejo muitas pessoas que querem facilidade para


aprender e isso está errado. Você tem que escolher uma área
que você tem certa atração e enfrentar a dificuldade, em outras
palavras, tem que estudar muito. Tem que ter a atitude para
aprender. Não há como crescer profissionalmente e atingir um
nível razoável tirando o corpo fora do conhecimento. E isso
vale para qualquer profissão. Você pode ter algum dom, mas
você tem que estudar. Qualquer instrumentista tem que se
preparar várias horas por dia. Toda profissão requer isso. Você
quer ser um bom empresário você tem que estudar gestão,
todos os dias, como amor e com vigor. Hoje em dia o estudo é
fundamental para você conseguir ter sucesso na carreira. É
impensável sucesso sem conhecimento. Antigamente até foi
possível, hoje jamais. O mundo de hoje é muito exigente. A
tecnologia acelerou tudo e por isso todos os profissionais
precisam ter conhecimento elevado e muita dedicação aos
estudos.” (Bolívar)
Conceito de empreendedorismo e suas vertentes

O empreendedorismo é arte de colocar as ideias em ação. É mais do


que abrir uma empresa ou emitir notas fiscais. Você não precisa ser um dono
para ser empreendedor, apenas coloque a sua ideia em ação que você será
um empreendedor.

Colocar a ideia em ação requer conhecimento, visão e muita


coragem. Aliás, são inúmeros os profissionais que deixam de empreender por
falta de coragem. Existe um grande número de profissionais que pensam
bastante e agem pouco. O empreendedorismo requer uma boa dose de ação
corajosa, pois empreender nem sempre é fácil e traz retornos positivos.

Esse DNA que o todo profissional precisa ter pode ser melhor
solidificado com o conhecimento sobre empreender. Nesse capítulo trataremos
sobe esse assunto. No tripé do empreendedorismo, como mencionado acima,
está o conhecimento, visão e coragem. Aqui falaremos sobre esses três de
maneira integrada.

Os maiores profissionais são aqueles que conseguiram entender o valor


do empreendedorismo. Como mencionado anteriormente; empreender é
colocar uma ideia em ação, mas essa ideia deve resolver um problema. Uma
solução que resolve o problema do outro e pode ser escalada é uma grade
ideia. Gerar escala e impacto com a sua solução pode te elevar a um patamar
bem acima do que você mesmo jamais pensou. Isso é empreender. Mas não
se iluda, pois embora esse tripé ser os pontos fundamentais do processo, eles
apenas representam a ponta do iceberg. Se você ficou provocado com esse
assunto, então vamos lá.

Empreender no Brasil

Segundo dados da Endeavor Brasil (2016), apenas 1,5% das empresas


no Brasil são responsáveis por 50% dos novos postos de trabalho, o que
representa um total de 2,7 milhões de empregos. Ou seja, pouquíssimas
pessoas detém o grande pedaço do mercado de empregos no país. São as
poucas pessoas que fazem muito, do ponto de vista do empreender e gerar
emprego para as pessoas. Caso você seja um empregado CLT, provavelmente
faz parte dessa estatística.

Os grandes empreendedores possuem alguns pontos em comum:

Eles são visionários e tem brilho no olho;


São éticos;
Colocam a mão na massa;
São grandes líderes;
Dominam sobre assuntos que não aprenderam na faculdade;
Utilizam a inovação como ferramenta para vantagem competitiva;
São corajosos;
Estão sempre alerta às necessidades do mercado;
Transformam adversidades em oportunidades;

Mesmo com esse cenário, empreender no Brasil não é fácil. Você precisa,
além de entender do seu negócio, entender de negócio. Essa diferença é
crucial. Muitos profissionais quebraram rapidamente suas empresas pois:

Não começaram pequeno;


Não dominavam absolutamente nada do mercado;
Pediram empréstimo, não realizaram um planejamento e não
conseguiram pagar;
Não validaram a ideia;
Não mediram os riscos nem sequer os administraram;
Não fizeram planejamento estratégico;

Cinco características principais para se empreender com alta


probabilidade de crescimento no Brasil.
Os dados do SEBRAE mostram que grande parte das empresas fecham em
2 anos de atividade, principalmente pelos motivos supracitados. Além disso,
empreender no Brasil ainda requer um grande conhecimento técnico sobre o
produto e/ou serviço, estudos sobre viabilidade, impacto e analises situacionais
do mercado. Existem vários tributos aliados ao processo de empreender no
país e todos esses elementos devem ser estudados criteriosamente antes. A
Endeavor Brasil fez uma pesquisa com 55 empreendedores de alto impacto em
11 países e apresentou 5 características principais para se empreender com
alta probabilidade de crescimento no Brasil.

1. Começar com o que você conhece: Grande parte dos


empreendedores começaram e expandiram as suas empresas naquilo
que já dominavam e faziam anteriormente. 94% dos entrevistados
começaram no negócio que já realizam antes, de alguma forma e ainda
apresentaram três fatores em comum. O primeiro era que o negócio que
eles montaram já apresentavam relação com o negócio que eles faziam
como empregados. O segundo ponto era que o negócio necessitava de
habilidades que eles já tinham aprendido e o terceiro ponto foi que os
empreendedores tinham proximidade suficiente com os consumidores
para engajá-los muito cedo e com frequência.

2. Começar pequeno e sonhar grande: As startups mais admiradas dos


dias de hoje – os Facebooks, Googles e LinkedIns do mundo – são
empresas globais que começaram em mercados locais. Vejamos o
Facebook como exemplo. O Zuckerberg começou o Facebook em um
nível bastante local, testando o conceito original na Universidade de
Harvard. Com o tempo, o Facebook cresceu nacionalmente, e depois
globalmente. Hoje, a rede social tem mais de 1 bilhão de usuários ativos,
dos quais cerca de 80% vivem fora dos Estados Unidos. Esse é um
grande exemplo. A grande sacada é começar pequeno, mas planejar
grande e chegar rápido.
3. Não se prender ao plano de negócio: Parece um pouco difícil de
entender, mas alguns grandes empreendedores nunca fizeram um plano
de negócio. Esses empreendedores não se apegavam a um modelo
impresso em suas mesas de ação. Isso os engessava-os. Assim, eles
mantinham uma ideia central e uma capacidade de flexibilizá-la a
medida que as variáveis fosses entendidas, sem perder o foco no tema
central de suas empreitadas. Ainda de acordo com os dados da
Endeavor Brasil, 71% dos melhores empreendedores entrevistados
não escreveram um plano de negócio. Além disso, entre todos os
empreendedores entrevistados – tanto aqueles que escreveram um
plano em papel, quanto os que tinham um plano mental – 80% fizeram
mudanças nos seus planos de negócios na fase de startup. Esses
resultados mostram que os empreendedores precisam ter um conceito
bruto de estratégias para o futuro; mesmo assim, não devem colocar no
papel coisas que podem mudar em questão de minutos.

4. Procurar investimentos e ganhar conselhos: Ninguém consegue


fazer nada sozinho. Por isso grandes empreendedores sugerem que
você tenha um fundo de investimento e, sobretudo os conselhos de um
grande mentor. 66% dos empreendedores têm mais de um fundo de
investimento e 74% deles são orientados por grandes mentores.

5. A experiência te leva mais longe: Empreendedores precisam de


experiência, mas não muita. Apenas um pouco de experiência já faz
uma grande diferença. Esse conceito aponta para o fato do dever dos
professionais para o seu engajamento com a profissão logo cedo. A
importância do engajamento para estágios (enquanto estudante),
cursos, feiras, palestras, todo tipo de eventos, iniciações científicas,
concursos, etc., ou seja, o engajamento irá construir uma base sólida de
experiência e a mesma irá solidificar a capacidade de empreender no
futuro. Em outras palavras, falar com conhecimento de causa. 78%
dos mais impactantes empreendedores entrevistados, segundo a
Endeavor Brasil, começaram seus negócios antes dos 31 anos.
Além disso, os melhores empreendedores já tinham experiência com
negócios próprios: 58% tinham empreitado e 96% tinha alguma
experiência na área, seja na família ou na escola, mesmo sem, de fato,
terem iniciado um negócio.

Conclusões e gancho para a próxima aula

Nesta aula foi possível aprender sobre os pontos centrais sobre o


empreendedorismo e a sua importância nos negócios

Na próxima aula o aluno irá aprender sobre o maior estudo já realizado


no Brasil sobre a trajetória de vida das pessoas para empreender.
EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO

PERFIL DE COMPETÊNCIAS

HABILIDADES HABILIDADES HABILIDADES DE


PESSOAIS ORGANIZACIONAIS LIDERANÇA

Conexão emocional Administração Conciliação/Mediação


Capacidade de Decisão Análise de dados Planejamento
estratégico
Autoconfiança Planejamento Motivação
Empatia Fontes de recursos Persuasão
Controle emocional Tomada de decisões Influência
Resiliência Resolução de problemas Desenvolvimento de
confiança
Habilidade de Negociação Direcionamento
Comunicação
Autoestima Técnicas de Promoção de
apresentação aprendizado e mudança
Habilidades pessoais Delegação Visionar
Assertividade Flexibilidade Liderar
Alegria/Despreocupação Gerenciamento do Classificar valores
tempo
Persistência Gerenciamento de Realizar Coaching
sistemas

Liste três áreas de cada grupo que você se acha competente

Habilidades pessoas

Habilidades Organizacionais
Habilidades de liderança

1. Liste três áreas de cada grupo que você gostaria de desenvolver

Habilidades pessoas

Habilidades Organizacionais

Habilidades de liderança
2. De maneira gera, quais são as três habilidades que você é mais eficiente?

3. Quais são as habilidades que você é menos eficiente?


AULA 3
ESTUDO DA TRAJETÓRIA DE VIDA PARA EMPREENDER

O CÓDIGO DA RIQUEZA

Módulo – COMPETÊNCIAS – Gestão do conhecimento

Capítulo – ESTUDO DA TRAJETÓRIA DE VIDA PARA EMPREENDER

Aula - 03

Temas estruturantes da aula: Nessa aula o aluno irá aprender as sete maiores
descobertas para se empreender realizado pelo maior estudo do Brasil sobre esse
assunto

O estudo da trajetória de vida individual (análise do curso de vida)


ganhou um impulso considerável no campo das ciências sociais. Essa forma de
coleta de dados microindividual tem como objetivo identificar padrões e
semelhanças entre os diferentes cursos de vida dos diferentes indivíduos,
pessoas empreendedoras e não empreendedoras. Assim, é possível construir
perfis que nos ajudem a explicar um fenômeno. Segundo Tiago Matos em seu
livro “Vai Lá e Faz” existem sete características que definem uma pessoa no
seu quesito sobre empreender. São elas:

1. Amizades com grupos diferentes, nos primeiros anos de vida, aumentam


a chance de empreender.

2. Empreendedores receberam dos pais uma mensagem sobre segurança


diferente (que não é comum para a maioria).

3. O não empreendedor tradicional nunca acha que está pronto para


começar.
4. Você só enxerga oportunidade de empreender se você está seguro nos
quesitos: memória afetiva, capitalização e competência.

5. Existem cinco grandes formas de se relacionar com o


empreendedorismo.

6. Existe uma transformação de consciência na trajetória empreendedora.

7. O jeito mais fácil de encontrar o seu propósito é empreendendo. Mesmo


que seja um propósito claro.

Descoberta 1

Amizades com grupos diferentes nos primeiros anos de vida, aumentam


as chances de empreender

Os não-empreendedores tem, durante a infância e adolescência,


convivido com um círculo muito pequeno de amigos como trocas de colégio, de
endereço e/ou rotatividade nas atividades extracurriculares. O grupo dos
empreendedores tem comportamento diferente. Muitos círculos e muitos
círculos distintos entre si. Claro: num primeiro momento, não há como saber o
que é ovo e o que é galinha. O que é causa e o que é consequência.

Recentemente, Ushi Backes Gellner, da Universidade de Zurique, e


Petra Moog, da Universidade de Siegen, publicaram um estudo do que
acreditam indicar a diferença entre empreendedores e não empreendedores.
Enquanto os não empreendedores são especialistas, os empreendedores
são multidisciplinares – seu talento é justamente orquestrar os talentos dos
outros.

Descoberta 2
Empreendedores receberam dos pais uma mensagem sobre segurança
diferente (e que não é comum para a maioria.)

Pais sempre querem melhor para seus filhos. A diferença é como isso
acontece. Há os pais encorajadores: criam seus filhos com a ideia de que
eles devam se arriscar. Se as coisas não derem certo, tudo bem: a família
estará ali justamente para oferecer apoio emocional quando mais for preciso.
Neste caso, a segurança é ofertada o tempo todo. E funciona como um
estímulo à liberdade. “Faça do seu jeito. Se você errar, nós estaremos aqui
para ajudar.”

Há os pais superprotetores: criam seus filhos com a ideia de que eles


não devem se arriscar. E que isso é o que vai lhes garantir segurança. Neste
caso, a família se torna um limitador do espectro de liberdade. “Faça assim,
que você não vai errar”.

Por fim, há os pais indiferentes: se os filhos quiserem se arriscar, que


o façam. Mas serão os responsáveis pelos seus atos. Aqui, a segurança não é
ofertada. Pior: entra num contexto de ameaça. “Faça como quiser. Se você
errar, a culpa é sua e você é quem terá que se virar sozinho.”

Descoberta 3

O tradicional não empreendedor nunca acha que está pronto para


começar.

Se você já pensou em empreender, talvez tenha parado no meio do


caminho porque se deu conta que ainda não tinha dinheiro suficiente. Ou que
faltava conhecimento técnico. Ou que o seu networking de possíveis clientes
era menor do que o necessário. Ou que ainda não tinha chegado numa grande
ideia. E os impeditivos mais citados são justamente esses: conhecimento
técnico, capital, clientes e uma grande ideia. Sem isso, um não-
empreendedor vê a atitude de empreender como um grande risco.

Os empreendedores pensam exatamente ao contrário. Eles sabem que


não têm o conhecimento técnico necessário para começar. Eles sabem que a
grana é curta. Eles sabem que vão ter que correr atrás de clientes. Eles sabem
que a ideia ainda tem muitos furos. Mas eles também sabem que a melhor
forma de encontrar as soluções é com o sistema em movimento, não parado.

Descoberta 4

Você só enxerga oportunidade de empreender se você está seguro nos


quesitos afeto, dinheiro e competência.

Afetivo

Uma pessoa que se sentiu segura para errar ao longo da infância e da


adolescência, possui uma memória afetiva importante, que vai acompanhá- la
pelo resto da vida. Muitas vezes, essa sensação de segurança é real. Se a
pessoa realmente tiver problemas para montar um negócio, ela receberá apoio
da família e dos amigos. Ele será, de fato, acolhida.

Agora, muitas vezes, essa sensação é apenas uma sensação. Se as


coisas forem mal, a família e os amigos não terão condições de apoiá-lo. Ainda
que não seja verdade, o empreendedor que recebeu conforto suficiente na
educação familiar acaba carregando consigo esse sentimento como verdade.

Econômico

. Tão importante quanto saber o saldo real da sua conta bancária é


entender como você enxerga o que tem – e como vai se enxergar caso fique
sem nada. São esses os três grandes fatores que influenciam um possível
empreendedor quanto ao pilar financeiro: o poder simbólico, a capitalização
e o medo da escassez.

Poder simbólico - Eu não sou o que sou. Eu sou o que tenho. Por isso, preciso
ter para ser.

Capitalização – Basicamente o quanto de dinheiro você é detentor.


Medo da Escassez – Como que você enxerga o dinheiro que tem ao longo do
tempo.

Competência

Junte afeto, uma visão positiva do dinheiro e competência que você


estará apto a empreender.

Descoberta 5

Existem cinco grandes formas de se relacionar com o empreendedorismo

Existem cinco grandes grupos de empreendedores:

Grupo 1: os não empreendedores.

Grupo 2: os intraempreenedores

Grupo 3: os ex-empreendedores

Grupo 4: os empreendedores turning point

Grupo 5: os empreendedores desde sempre.

Não Empreendedores

São as pessoas que sempre trabalharam dentro de empresas ou órgãos


públicos e que não têm pretensão de mudar esse cenário. Esse tipo de
profissional tem um padrão bem distinto.

Em alguns casos, apesar de extremamente competentes, esses


profissionais não se enxergam prontos para realizar uma atividade
com autonomia.
Empreender não é uma oportunidade para ganhar mais – mas um
risco de perder o que se tinha conquistado.
Raramente são incentivados pelos pais.
Intra-empreendedores

Intraempreendedor é, como o próprio nome diz, um empreendedor que


atua dentro de um organismo constituído. Ele tem uma postura empreendedora
e age como dono. É comum ver num intraempreendedor características como
iniciativa, responsabilidade, comprometimento e liderança. O
intraempreendedor está sempre envolvido em projetos internos, mesmo que
eles não estejam previstos no seu escopo de trabalho.

Muitas vezes, o intraempreendedor cria, literalmente, um


empreendimento sob o teto da atual empresa. Algum tipo de organismo que
começa a andar sozinho e se transformar em algo maior. O intraempreedor
pode passar o resto da vida trabalhando dentro de uma estrutura. Mas o mais
comum é ele procurar o seu próprio caminho. Afinal de contas: todo
intraempreendedor é um potencial Turning Point.

Ex-empreendedores

O ex-empreendedor não é um perfil comum. Mas ele existe e, se você


pensar com atenção, talvez lembre de um amigo que empreendeu mas, mais
tarde, decidiu voltar a trabalhar numa empresa. O motivo dessa volta, como
você já sabe, pode ser afetivo, econômico ou de competência.

Por alguma razão, o ex-empreendedor não se sentiu plenamente seguro


com pelo menos um desses aspectos. Para dar fim à angústia, ele fez uma
negociação consigo mesmo. Abriu mão de parte da sua autonomia para ter, de
volta, a sensação de que algo voltou ao equilíbrio.

Turning point.

A clássica história do empreendedorismo.

“Eu trabalhava numa imobiliária e decidi abrir meu próprio negócio”,


“Eu trabalhava numa agência de viagens e decidi abrir meu próprio
negócio”,

Eu trabalhava num salão de beleza e decidi abrir meu próprio negócio.”

Em boa parte das vezes, vemos pessoas empreenderem em áreas onde


trabalharam durante anos e das quais têm um domínio técnico (o que as deixa
seguras no pilar da competência). Mas há também o empreendedor que busca
a realização de um antigo sonho.

“Eu trabalhava numa confeitaria, mas sempre quis ter uma agência de
viagens.”

“Eu trabalhava numa agência de viagens mas sempre quis ter um salão
de beleza”

“Eu trabalhava num salão de beleza, mas sempre quis ter uma
confeitaria”

Por isso o termo Turning Point: a carreira empreendedora só vem depois


de um tempo trabalhando dentro de uma empresa.

Empreendedores desde sempre

Há pessoas que simplesmente não se encaixam no perfil de funcionário.


Então, desde cedo, elas procuram alguma oportunidade para empreender. São
os empreendedores desde sempre.
Descoberta 6

Existe uma transformação na trajetória empreendedora

Existe uma transformação na consciência do empreendedor. Com o


tempo, ele diminuiu seu senso egoico e promove, cada vez mais, as ideias de
valor compartilhado e abundância.

Não empreendedor alienado - Infelizmente, ainda há muitos profissionais


alienados no mundo. Por mais que trabalhem em empresas sérias e
comprometidas, eles pensam apenas em si. A empresa é só um meio para
alimentar a sua ganância. E se ela tiver que pagar o preço para que ele se dê
bem, pode ter certeza: ele o fará.

Não empreendedor egoico - Semelhante ao anterior, mas agora com um


cúmplice: a empresa em que trabalha. Juntos, profissional e empresa
trabalham para que ambos e se deem bem. E só. O limite do interesse de
ambos vai até a porta da frente da companhia. Dali em diante, cada um com
seus problemas.

Empreendedor egoico - A ideia não é refletir, mas fazer a máquina girar.

“Não estou espalhando em colégios uma bebida cheia de açúcar que


aumenta a obesidade infantil. Só estou fazendo o meu trabalho. Saúde pública
é responsabilidade do governo”

“Não estou popularizando um equipamento que, além de produzir lixo,


polui o ambiente. Estou apenas fazendo o meu trabalho. Reciclagem é
responsabilidade do governo”

Enquanto um está apenas cumprindo ordens, o outro está apenas


tentando fazer o seu trabalho.

Não ex-intraempreendedor empático - Entretanto, há os profissionais que


conseguem enxergar além de si e trabalham por um ambiente saudável, em
que todos na empresa ganhem. Esse é o profissional empático.
O empático quer sucesso, mas não a qualquer custo. É o profissional
honesto, trabalhador e que goza de boa relação com a maioria dos colegas. É
o cara que veste a camiseta da empresa, mas que não deixa de falar quando
alguma situação desconfortável surge. Tem senso crítico e não compactua com
qualquer coisa que pedirem. Sabe dizer não. É admirado pelos que o cercam.
A dimensão do empático engloba ele mesmo, a empresa e os colegas. Todos
devem se dar bem.

Empreendedor empático - Há empreendedores que possuem um cuidado fora


de série com a equipe. Pagam bem, oferecem benefícios, se preocupam com o
ambiente de trabalho, dão feedback, promovem atividades de integração e
garantem prêmios para os fizeram acontecer. Para o Empreendedor Empático,
sucesso é quando essas três dimensões (empreendedor, empreendimento e
equipe) estão alinhadas.

Não ex- intraempreendedor filantropo - se o profissional filantropo for um


intraempreendedor, é bem possível que ele monte alguma iniciativa interna
para recolher o lixo, para o compartilhamento de caronas ou para doações de
sangue.

Empreendedor socialmente responsável - O correspondente a isso é o


empreendedor que investe em ações de responsabilidade social e ambiental.
Ele sabe que é importante cuidar de si, da empresa e da equipe. Mas que é
muito egoísmo não oferecer nada à sociedade. É muito egoísmo não estar em
paz com o meio ambiente.
Descoberta 7

O jeito mais fácil de encontrar o seu propósito é empreendendo (mesmo


que seja sem propósito).

Empreender é uma jornada de autoconhecimento. Você se coloca em


situações novas o tempo inteiro. O aprendizado é constante. Por simples
questão de sobrevivência, você começa a entender melhor quem você é.
Empreender é tipo uma terapia – mas sem aquela parte boa, de ficar deitado
no divã.

Conclusões e gancho para a próxima aula

Nesta aula foi possível aprender sobre as sete descobertas sobre a vida
de uma pessoa ao empreender. Na próxima aula o aluno irá aprender as
principais técnicas para ter foco e aumentar a sua performance.
EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO

1. Qual atitude você deveria tomar para aumentar seu pilar intelectual?

Qual lição você aprende com essa pergunta

A partir dessa lição, o que você vai fazer?

1. Quais conhecimentos você precisa adquirir para se transformar no melhor


profissional da sua área?

Qual lição você aprende com essa pergunta

A partir dessa lição, o que você vai fazer?


2. Você está satisfeito, de 0 a 10, com o seu nível de conhecimento atual?

Qual lição você aprende com essa pergunta

A partir dessa lição, o que você vai fazer?

3. Você está satisfeito com o número de cursos que faz e livros que lê por ano?

Qual lição você aprende com essa pergunta

A partir dessa lição, o que você vai fazer?


4. O quando você tem buscado para aprender coisas novas?

Qual lição você aprende com essa pergunta

A partir dessa lição, o que você vai fazer?

5. Quais foram os últimos dois livros que você leu? Quais aprendizados você
teve com eles?

Qual lição você aprende com essa pergunta

A partir dessa lição, o que você vai fazer?


6. Qual conhecimento você sente mais falta no dia a dia?

Qual lição você aprende com essa pergunta

A partir dessa lição, o que você vai fazer?

7. De 0 a 10, qual seu nível de satisfação com o tempo e qualidade dos seus
estudos em sua área de atuação?

Qual lição você aprende com essa pergunta

A partir dessa lição, o que você vai fazer?


8. Qual assunto você sempre mais prazer em estudar?

Qual lição você aprende com essa pergunta

A partir dessa lição, o que você vai fazer?

9. Qual assunto você domina mais? De 0 a 10, qual a relevância dele na sua área
de atuação?

Qual lição você aprende com essa pergunta

A partir dessa lição, o que você vai fazer?


10. O quanto você aplica no seu dia a dia os conhecimentos que adquire?

Qual lição você aprende com essa pergunta

A partir dessa lição, o que você vai fazer?

11. Qual foi o dia que você conseguiu algo grandioso graças a sua dedicação aos
seus estudos?

Qual lição você aprende com essa pergunta

A partir dessa lição, o que você vai fazer?


12. Qual foi o momento da sua vida que você mais se dedicou aos seus estudos?

Qual lição você aprende com essa pergunta

A partir dessa lição, o que você vai fazer?

13. Você considera o local e as pessoas que você convive com um grande centro
de estudos e conhecimento que a sua vida necessita?

Qual lição você aprende com essa pergunta

A partir dessa lição, o que você vai fazer?


AULA 4
PERFORMANCE E FOCO

O CÓDIGO DA RIQUEZA

Módulo – COMPETÊNCIAS – Gestão do Conhecimento

Capítulo – PERFORMANCE E FOCO

Aula - 04

Temas estruturantes da aula: Nessa aula você terá conhecimento dos itens e
técnicas mais eficaz para você encontrar e desenvolver seu foco

“Competitividade ajuda e atrapalha. A minha exigência de


perfeição sempre foi muito grande, desde videogames. O
desafio a conseguir a fazer sempre o que me propus sempre foi
muito forte pra mim. A competitividade é algo muito bacana,
pra mim sempre foi. Mas em alguns momentos, quando eu
perco a cabeça, ela me atrapalha. Ela me tira do sério. Mas eu
sou o que eu sou por conta da minha exigência comigo mesmo
e pelo nível de competividade que eu tenho. Esse sempre foi
um dos meus diferenciais. Sempre teve um fogo dentro de mim
que queria ver um tempo melhor na piscina”. (Cesar Cielo)

Muitas pessoas têm dificuldade de dizer não e facilidade para dizer sim.
A maioria delas gostaria veemente estar dizendo não ao invés de sim. Uma
pessoa que diz não, não é negativa ou mal humorada, ela é focada. Tem claro
o que precisa fazer para alcançar seus objetivos e o que não deve fazer. A
pessoa que sabe dizer não elenca as suas prioridades. Esse ranking de
prioridades é realizado da maneira bem direta pelos grandes líderes; “se isso é
importante eu foco, se isso não é importante eu desprezo”, é assim
basicamente que eles pensam. Para os norte americanos isso é denominado
de X Factor (Fator X). Em poucas palavras é a capacidade de focar e apenas
se comprometer com aquilo que é importante e está no plano de sucesso e
desprezar tudo aquilo que não é importante e que não tem relação com os
nossos objetivos.

Grandes atletas de classe internacional utilizam o poder do X Factor na


vida esportiva. Exemplos como Cesar Cielo e Thiago Pereira é a prova cabal
deste fenômeno. Eles, enquanto atletas, possuíam a extrema capacidade de
focar nos objetos e ação daquilo que consideravam importante e nada mais.

Por que as pessoas têm dificuldade em dizer não? Porque elas ainda não
valorizaram os tempos delas da maneira adequada. Cristhian Barbosa, autor
de livros renomados como Tríade do Tempo e Equilíbrio e Resultado diz que as
pessoas que não conseguem dizer não possuem uma lista de prioridades
claras.

. Pessoas que não sabem dizer não tem dificuldade em obter melhores
resultados por conta da sua agenda conturbada e foco dissipado. Elas não têm
equilibro e nem resultado. Ficam à mercê do sistema e das circunstâncias.
Pessoas que não sabem dizer não e que não valorizam seus tempos, sequer
têm uma lista de prioridades terão extrema dificuldade de cumprir prazos,
entregar tarefas e serem percebidas como produtivas. Dados mostram que:

99% dos brasileiros são procrastinadores;


90% das pessoas que passaram por uma cirurgia coronária não
mudam seu estilo de vida;
90% das estratégias falham por causa da má execução;
80% das pessoas enrolam no trabalho;

Desta forma e segundo o autor, as pessoas são classificadas na escala


hierárquica de resultados e equilíbrio da seguinte forma:
1. Sem resultado e sem equilíbrio: pessoas que não conseguem ser bem
sucedidas no trabalho e nas atividades que realizam e muito menos são
equilibradas, física e emocionalmente.

2. Sem resultado, com equilíbrio: Pessoa que raramente dão resultados


concretos, mas que levam a vida sem muitos problemas, com equilíbrio.

3. Com resultado, sem equilíbrio: Pessoas que dão resultado no trabalho,


exímios nas atividades que realizam, mas sem padrão de refeições,
horários e dias de trabalho, por exemplo.

4. Com resultado e equilíbrio: São aquelas pessoas que são


extraordinárias nas atividades que desempenham, sobretudo no trabalho
e ainda conseguem ter equilíbrio, dividir melhor o seu dia, dando espaço
para a família, saúde e lazer, por exemplo.

No começo do século vinte, o economista italiano; Vilfredo Pareto estudou a


economia italiana. Ele percebeu que 80% da riqueza da Itália pertenciam a
20% das pessoas. E mais; 20% dos trabalhadores faziam 80% do trabalho,
20% dos criminosos cometiam 80% dos crimes, 80% dos acidentes de carros
vinham por 20% dos motoristas, 80% das decisões eram tomadas em 20% do
tempo e, por exemplo, 20% dos clientes eram responsáveis por 80% da renda
das empresas.

Esse modelo funciona e é reconhecido até os dias de hoje como um dos


princípios da produtividade e foco. Faça uma lista dos 20% de atitude que você
tem e que te trazem vantagens e prejuízos na sua vida profissional e pessoal.
Você pode colocar vários intens.

20% de coisas que faço e 20% de coisas que faço


Itens me ajudam em 80% das e me prejudicam em 80%
vezes para: das vezes para:

Produtividade no trabalho
Estudos
Saúde Física
Saúde Mental
Tempo
Relacionamento Pessoal
Saúde Financeira
Relacionamento Íntimo
Liderança
Organização
Carreira
Realização de projetos

Conclusões e gancho para a próxima aula

Nesta aula foi possível aprender sobre foco e performance sobre dois
vieses; aquilo que você deve fazer e aquilo que você não deve fazer. Na
próxima aula o aluno irá aprender sobre a como performar ainda mais em
estado de fluxo e criatividade.
AULA 5
O ESTADO DE FLUXO E PRODUTIVIDADE

O CÓDIGO DA RIQUEZA

Módulo – COMPETÊNCIAS – Gestão do Conhecimento

Capítulo – O ESTADO DE FLUXO E A PRODUTIVIDADE

Aula - 05

Temas estruturantes da aula: Nessa aula o aluno irá entender a como performar a
mais e melhor em estado de fluxo e criatividade.

Essa teoria foi difundida num estudo clássico de Mihaly Csikszentmihalyi.


Basicamente esse psicólogo quis entender como músicos, atletas, advogados,
escritores, artistas executavam seus feitos acima da média, ou seja, de
maneira extraordinária. Nessa busca ele descobriu o Flow, ou Estado de Fluxo.
Um estado de desempenho extraordinário. Não satisfeito, além de pesquisar o
que esses caras faziam, fuçou tanto que conseguir identificar o padrão de
como isso acontecia. E foi além, ainda afirmou que é possível, de maneira
consciente, entrar nesse Flow. Mihaly percebeu sete características na sua
pesquisa. Viu que eles:

1. Permaneciam completamente envolvidos no que estavam fazendo, com


foco e concentração;

2. Tinham um sentimento de êxtase, de estar fora da realidade do dia a


dia;

3. Percebiam uma maior claridade interna, sabendo o que deveria ser feito
e quão bem estavam fazendo o que devia ser feito. Tinha uma espécie
de feedback imediato
4. Sabiam que a atividade era possível, que as habilidades eram
adequadas para a tarefa;

5. Perceberiam um sentimento de serenidade, sem preocupações e um


sentimento de estar crescendo além dos limites do ego;

6. Tinham uma ideia de estar além da dimensão temporal, totalmente


focados no momento presente. As horas pareciam passar como se
fossem minutos;

7. Percebia a motivação intrínseca, seja qual for o elemento que produzia o


flow. Ficam muito motivados.

Experimente utilizar essa técnica consciente, pelo menos duas semanas.


Você vai ficar surpreso com seus resultados.

Como gerenciar melhor as tarefas

Christian Barbosa, em seu livro, A Tríade do Tempo, categoriza as


atividades do dia a dia em três esferas: Importante, Urgente e Circunstancial.

Importante: é tudo aquilo que traz resultados efetivos em sua vida. Para
cada pessoa, possui um significado, mas atividades importantes são aquelas
que fazem a diferença na sua comunidade, no seu trabalho ou no meio das
pessoas com quem convive. Urgente: é toda tarefa que precisa ser executada
imediatamente, e que, se não for feita já, pode gerar algum tipo de problema.
Circunstancial: é qualquer tipo de atividade que você é levado a fazer em
função de uma situação, condição, ambiente ou de outra pessoa –
independentemente da sua vontade.

O brasileiro, por exemplo, dedica apenas 30% do seu tempo às


atividades importantes da sua vida. As mulheres têm maior foco entre as
urgências e as atividades importantes. Faça o teste você também.
EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO

Teste - Tríade do Tempo

1.Nunca - 2.Raramente - 3.Às vezes -


4.Quase sempre - 5.Sempre

PONTUAÇÃO
PERGUNTAS
1 2 3 4 5
Costumo ir a eventos, festas ou cursos, mesmo sem ter muita
1
vontade, para agradar meu chefe meus amigos ou família.
Não consigo realizar tudo que me propus fazer no dia e
2
preciso fazer hora extra e levar trabalho para casa
Quando recebo um novo e-mail, costumo dar uma olhada
para checar o conteúdo.
Costumo visitar com regularidade pessoas relevantes em
minha vida como amigos parentes, filhos.
É comum aparecer problemas inesperados no meu dia a
5
dia.
Assumo compromissos com outras pessoas ou aceito novas
6 posições na empresa, mesmo que não goste muito da nova
atividade, se for para aumentar meus rendimentos ou obter
Tenho um tempo definido para dedicar a mim mesmo e nele,
uma promoção.
posso fazer o que quiser.
8 Costumo deixar para fazer relatórios, imposto de renda,
compras de Natal, estudar para provas e outras tarefas perto
Nos dias de
do prazo descanso, costumo passar boa parte do dia
de entrega.
9 assistindo à televisão, jogando ou acessando a internet.
Faço um planejamento por escrito de tudo que preciso fazer
durante minha semana.
Posso afirmar que estou conseguindo realizar tudo que
gostaria em minha
vida e queparticipar
12 Costumo o tempo de
está passando
reuniões semnasaber
realidade
direitocorreta.
o conteúdo,
o porquê devo participar ou a que resultado aquele encontro
13 Consigo melhores resultados e me sinto mais produtivo
pode levar.
quando estou sob pressão ou com o prazo curto.
Quando quero alguma coisa, defino esse objetivo por escrito,
estabeleço prazos em minha agenda, monitoro os resultados
14
obtidos e os comparo com os esperados.
Leio muitos e-mails desnecessários, com piadas, correntes,
propagandas, apresentações, produtos e etc.
Estive atrasado com minhas tarefas ou reuniões nas
16
últimas semanas.
Faço esporte com regularidade, me alimento da forma
17
adequada e tenho o lazer que gostaria.
É comum reduzir meu horário de almoço ou até mesmo comer
18 enquanto trabalho para concluir um projeto ou tarefa.
CONJUNTO A CONJUNTO B CONJUNTO C

Pergunta Valor Pergunta V Pergunta Valor


1 4 2
3 7 5
6 10 8
9 11 13
12 14 16
15 17 18

Total A Total B Total C

TOTAL GERAL (soma de A, B e C):

Para finalizar, vamos descobrir a porcentagem de seu tempo em cada


tarefa da tríade. Veja as instruções a seguir, fazendo as contas com sua
calculadora, e anote a porcentagem de cada esfera no campo
correspondente da tríade:

Esfera da importância: Total B x 100


Total geral

Esfera da urgência: Total A x 100


Total geral

Esfera da circunstância: Total C x 100


Total geral

Logo após os resultados desse teste você deve pensar que deve organizar
melhor o seu tempo. Era exatamente esse o objetivo do exercício. Tempo é
muito importante. O único bem que se perdemos não conseguimos recuperar.
Existe uma técnica muito eficiente para gerenciar meu tempo e aumentar a
minha produtividade. Chama-se Técnica Pomodoro. Veja como funciona.
A Técnica Pomodoro é um método de gerenciamento de tempo
desenvolvido por Francesco Cirillo no final da década de 80. A técnica utiliza
um timer para dividir o trabalho em períodos de 25 minutos chamados de
Pomodoros.

Você foca numa única tarefa durante um Pomodoro e descansa no


intervalo. Não tem xixi, não tem cocô, não tem mensagem no whats, não tem
essa de beber água. Não tem nada. Você realiza apenas uma tarefa durante 25
minutos e pronto.

A técnica pode ser aplicada com esses cinco passos básicos:

1. Escolher a tarefa a ser executada;

2. Ajustar o Pomodoro (o timer) para 25 minutos;


3. Trabalhar na tarefa até que o alarme toque e apenas nela;
4. Fazer uma pausa curta (3 a 5 minutos);
5. A cada quatro "Pomodoros" fazer uma pausa mais longa (15-30
minutos)

Matriz Eisenhower

Essa técnica é muito eficaz e de fácil aplicação. Após estabelecer quais


serão as atividades a serem realizadas, siga esses cinco passos. Use
aplicativos para computadores e smartphones. Eles são fáceis de serem
encontrados e baixados.
O princípio do Eisenhower descreve como o presidente Dwight D.
Eisehower organizava sua carga de trabalho. A percepçãode Eisenhower era
de que você deveria se desfazer de todas aquelas listas de tarefas que
laboriosamente atualiza todos os dias e, em vez disso, concentra-se no que é
importante para você. Por definição, só o trabalho que o ajuda cumprir suas
metas é importante. Sua teoria sugere que você divida tarefas em quatro
grupos.
Conclusões e gancho para a próxima aula

Nesta aula foi possível aprender sobre os elementos que versam sobre o
foco e produtividade. Aprendemos sobre a tríade do tempo e como ser mais
produtivos. Na próxima aula o aluno irá aprender como criar relacionamentos
intencionais e obter ainda mais sucesso na sua vida.
AULA 6
COMO CRIAR RELAÇÕES INTENCIONAIS

O CÓDIGO DA RIQUEZA

Módulo – COMPETÊNCIAS – Gestão do Conhecimento

Capítulo – COMO CRIAR RELAÇÕES INTENCIONAIS

Aula - 06

Temas estruturantes da aula: Nessa aula o aluno irá aprender de maneira objetiva e
prática a como criar relacionamentos intencionais com todas as pessoas que deseja
conhecer.

É possível criar relacionamentos intencionais? É possível conhecer a


pessoa que eu sempre quis conhecer de maneira consciente e planejada? A
resposta é sim. São inúmeros os livros que tratam sobre esse assunto, mas
apenas se restringem a dizer o “o que” e não o “como”. Essa afirmação é
importante, mas apenas dizer o que fazer não basta. É importante mostrar
como fazer.

Existem estudos que falam sobre grau de influência, ou seja, quantas


pessoas são necessárias para você se conectar com aquelas que você deseja
conhecer e se relacionar. Há alguns anos atrás, logo que essa teoria foi criada
essa teoria por Stanley Milgram, eram necessárias seis pessoas entre você e
um super star, caso quisesse conhecer um, por exemplo. Hoje em dia é
teoricamente mais fácil e mais acessível, sobretudo por causa da facilidade do
acesso que a internet proporciona.

Mesmo assim, ainda é possível ser mais eficiente. Você pode mandar uma
mensagem para alguém, por mais acessível que seja, mas esse sujeito não te
responder. E você não quer errar nessa tacada. Para criar conexões da
maneira adequada, faça o seguinte:
1. Enumere cinco pessoas que você quer conhecer. Que são importantes
para a sua carreira, por exemplo. Tenha claro o motivo desse encontro,
já que elas não te conhecem. É importante ter isso bem claro.

2. Agora escolha a ordem em que quer conhecê-las. Procure começar


pelas mais fáceis (acesso) até as mais difíceis. Não necessariamente as
mais importantes ou menos importantes, apenas das mais fáceis e
acessíveis até as mais difíceis. Aquelas que moram perto de você, ou
estão próximas a você no trabalho.

3. Agora liste todas as pessoas que você conhece e que conheça essas
pessoas. Por exemplo, você quer conhecer um jogador de futebol. Faça
o percurso de trás para frente. Portanto conheça o melhor amigo dele.
Antes disso, uma pessoa que conheça o melhor amigo do jogador.
Antes, um contato que lhe apresente o amigo do amigo e assim por
diante. Venha da pessoa 5 (jogador de futebol) até a pessoa 1.

4. Feito esse processo de escala, inicie o relacionamento com essas


pessoas (mais fácil para o mais difícil) e tenha claro algo que pode
determinar seu fracasso ou seu sucesso; o motivo desse encontro.
Tome cuidado para não parecer vulgar nem interesseiro, eles sacam
rápido. Seja você, mas não desleixe nos detalhes. Esse encontro tem
que ter um motivo muito importante e especial. Pareça uma pessoa
confiável e agradável logo no início. Sem furar o bloqueio. Não dispare o
modo correr ou atacar do outro, fique atento. Caso contrário, você
apenas apertará mão do amigo do jogador, um selfie sem sorriso e
nada, além disso, já será um bônus. Ou seja, vinculo zero. Perdeu a
chance.

Faça um quadro mental ou anote num papel as pessoas que você


deve se relacionar. Repito, relacionar e não invadir espaço alheio.
Pegue um papel e uma caneta e faça como esse quadro
Pessoa 0 Pessoa 1 Pessoa 2 Pessoa 3 Pessoa 4 Pessoa 6

Você Nome Nome Nome Nome Jogador

Comece essa jornada de maneira branda, entenda o percurso e


como cada pessoa opera. Se relacione bem, seja agradável, gentil e
verdadeiro. Não tente parecer que você não é e cuidado com as
extravagâncias. Escute mais, fale de maneira apropriada. Tenha senso
de timing e aproveite as oportunidades. Você terá o seu momento de
falar e “aparecer”. A partir daí é a bola estará com você. Realize essa
jornada, esse processo. Ele funciona, pode acreditar.

Conclusões e gancho para a próxima aula

Nesta aula foi possível aprender sobre as teoria para criar conexões e
conhecer todas as pessoas que você precisa e deseja.

Na próxima aula o aluno irá aprender sobre a inteligência e todos os


seus vieses.
AULA 7
INTELIGÊNCIA

O CÓDIGO DA RIQUEZA

Módulo – COMPETÊNCIA – Gestão do Conhecimento

Capítulo – INTELIGÊNCIA

Aula - 07

Temas estruturantes da aula: Nesta aula o aluno será capaz de estudar sobre a
inteligência e todos os seus vieses amplamente descritos ao redor do mundo. Além
disso, será exposto em como a desenvolvê-la em todos os aspectos de sua vida.

Inteligência é uma grandeza?

Desde sua criação, os testes de inteligência têm recebido críticas


frequentes, em particular a partir da década de 70. Segundo seus críticos, eles
quase sempre se resumem a medir aptidões linguísticas e lógico-matemáticas
do indivíduo, deixando de fora uma série de outras habilidades que também
podem constituir manifestações de inteligência. De uns tempos para cá, o fato
da ideia de inteligência como grandeza estar sendo questionada pelos
estudiosos colocou o esse tema no foco das atenções do público em geral. E
não é raro encontrar em diferentes contextos, em jornais e revistas populares
expressões do tipo inteligência emocional, inteligência coletiva, inteligência
artificial, inteligência múltipla ou inteligência criadora.

Para os pesquisadores e críticos da concepção de uma inteligência


única, que pode ser medida há evidências persuasivas da existência de
diversas competências intelectuais humanas, indicando que a inteligência
consiste em algo muito mais amplo que apenas a capacidade de dar respostas
curtas para perguntas curtas. Para esses estudiosos, os testes de Ql serviriam
apenas para medir a competência de um indivíduo para resolver testes de QI.
Nessas tendências mais atuais, a inteligência não é algo que “se tem” ou “não
se tem”, nem é alguma coisa que uma pessoa possa ter mais ou menos, mas,
sobretudo algo que se vai fazendo e desfazendo em situações individuais e
sociais, sem as quais ela se resumiria a uma 'propriedade virtual'.

Pelas novas concepções, a inteligência faz muitas coisas, além de


computar informações: inventa projetos, pensa em valores, dirige a aplicação
da energia pessoal, constrói critérios, avalia e realiza tarefas. As reflexões
recentes acerca da inteligência parecem confirmar uma tendência a acreditar
que não existe uma inteligência única, uniforme, igual para todos, mas sim uma
multiplicidade de inteligências. É nesse contexto que situamos a teoria
proposta por Howard Gardner. A teoria das inteligências múltiplas de Gardner.

A teoria das inteligências múltiplas foi proposta, na década de 80, por


Howard Gardner, psicólogo e pesquisador da universidade de Harvard, nos
Estados Unidos. Gardner baseou sua teoria em muitas ideias diferentes, mas a
principal delas sustenta que as pessoas manifestam as mais distintas
habilidades para compor uma música, construir um computador ou uma ponte,
organizar uma campanha política, produzir um material de construção de alta
complexidade. Para Gardner, as pessoas possuem capacidades diferentes,
das quais se valem para criar algo, resolver problemas e produzir bens sociais
e culturais, dentro de seu contexto.

A teoria de Gardner pressupõe que:

Há mais de uma inteligência: ele inicialmente propôs sete, mas é


possível que existam outras.
As inteligências podem ser estimuladas: o contexto social, a escola, a
oportunidade de explorar e realizar atividades diferentes são fatores que
podem interferir no desenvolvimento das inteligências.
As inteligências se combinam de forma única em cada pessoa: cada
pessoa nasce com todas as inteligências que se desenvolverão durante
sua vida, de modo único.
Não há como padronizar: as combinações das inteligências são únicas,
tal como as impressões digitais.
A teoria de Gardner afirma que a inteligência é responsável por nossas
habilidades para criar, resolver problemas e fazer projetos, em uma
determinada cultura. Segundo ele, cada indivíduo possui alguns tipos
diferentes de capacidade, que caracterizam sua inteligência.

A inteligência como habilidade para criar: como seres humanos,


podemos inventar e descobrir. Sempre pensamos em fazer coisas de
um modo novo, sob um ângulo diferente. Portanto, a capacidade
criadora que nos move é uma característica própria da inteligência
humana.
A inteligência como habilidade para resolver problemas: muitas de
nossas atividades cotidianas requerem tomadas de decisão, a busca
dos melhores caminhos ou a superação de dificuldades. A resolução de
problemas está presente em todos esses casos, e o que nos habilita a
resolvê-los são nossas diferentes capacidades cognitivas.
A inteligência como habilidade para contribuir em um contexto cultural:
um indivíduo pode ser capaz de usar sua inteligência para criar e
resolver problemas de acordo com seu contexto social. Por exemplo: no
Brasil, a habilidade de reconhecer e nomear diferentes tipos de neve, ou
toda a gama de suas colorações, pode ser um mero exercício técnico.

Um pouco mais sobre a teoria das Múltiplas Inteligências

Vejamos quais as inteligências propostas por Gardner, e como elas se


caracterizam.

Inteligência linguística: se manifesta na habilidade para lidar criativamente


com as palavras, em diferentes níveis de linguagem (semântica, sintaxe), tanto
na expressão oral quanto na escrita (no caso de sociedades letradas).
Particularmente notável em poetas e escritores, também é desenvolvida por
oradores, jornalistas, publicitários e vendedores, por exemplo.
Inteligência lógico-matemática: como diz o nome, é característica de
pessoas que são boas em lógica, matemática e ciências. É a inteligência que
determina a habilidade para o raciocínio lógico-dedutivo e para a compreensão
de cadeias de raciocínios, bem como a capacidade de solucionar problemas
envolvendo números e elementos matemáticos. É a competência mais
diretamente associada ao pensamento científico e, portanto, à ideia tradicional
de inteligência. Cientistas, advogados, físicos e matemáticos são exemplos de
profissionais nos quais essa inteligência se destaca.

Inteligência musical: envolve a capacidade de pensar em termos musicais,


reconhecer temas melódicos, ver como eles são transformados, seguir esse
tema no decorrer de um trabalho musical e, mais ainda, produzir música. É a
inteligência que permite a alguém organizar sons de maneira criativa, a partir
da discriminação de elementos como tons, timbres e temas. As pessoas que
apresentam esse tipo de inteligência, como por exemplo, muitos músicos
famosos da música popular brasileira, em geral não dependem de aprendizado
formal para exercê-la.

Inteligência espacial: corresponde à habilidade de relacionar padrões,


perceber similaridades nas formas espaciais e conceituar relações entre elas.
Inclui também a capacidade de visualização no espaço tridimensional e a
construção de modelos que auxiliam na orientação espacial ou na
transformação de um espaço. Um mestre de xadrez usa imagens visuais e a
inteligência espacial para planejar suas estratégias. A inteligência espacial não
depende da visão, pois crianças cegas, usando o tato, podem desenvolver
habilidades nessa área. A inteligência espacial estaria presente em arquitetos,
pilotos de Fórmula-1 e navegadores, por exemplo.

Inteligência corporal cinestésica: é uma das competências que as pessoas


acham mais difícil aceitar como inteligência. Cinestesia é o sentido pelo qual
percebemos nosso corpo - movimentos musculares, peso e posição dos
membros etc. Então, a inteligência cinestésica se refere à habilidade de usar o
corpo todo, ou partes dele, para resolver problemas ou moldar produtos.
Envolve tanto o autocontrole corporal quanto a destreza para manipular
objetos. Atores, mímicos, dançarinos, malabaristas, atletas, cirurgiões e
mecânicos têm uma inteligência corporal cinestésica bem-desenvolvida.

Inteligência interpessoal: inclui a habilidade de compreender as outras


pessoas: como trabalham, o que as motiva, como se relacionar eficientemente
com elas. Esse tipo de inteligência é a que sobressai nos indivíduos que têm
facilidade para A teoria de Gardner o relacionamento com os outros, tais como
terapeutas, professores, líderes políticos, atores e vendedores. São pessoas
que usam a habilidade interpessoal para entender e reagir às manifestações
emocionais das pessoas a sua volta. Nas crianças e nos jovens tal habilidade
se manifesta naqueles que são eficientes ao negociar com seus pares, que
assumem a liderança, ou que reconhecem quando os outros não se sentem
bem e se preocupam com isso.

Inteligência intrapessoal: é a competência de uma pessoa para se


autoconhecer e estar bem consigo mesma, administrando seus sentimentos e
emoções a favor de seus projetos. Significa dimensionar as próprias qualidades
de trabalho de maneira efetiva e eficaz, a partir de um conhecimento apurado
de si próprio, ou seja: reconhecer os próprios limites, aspirações e medos e
utilizar esse conhecimento para ser eficiente no mundo. Os terapeutas são um
exemplo de alguém capaz de refletir sobre suas emoções e depois transmiti-las
para os outros; essa capacidade também aparece em líderes políticos.
Devemos pensar nessas sete inteligências pelo menos como sete habilidades
que caracterizam nossa espécie e que se desenvolveram ao longo do tempo.
De maneira geral, todos nós temos parcelas expressivas de cada uma delas,
mas o que nos diferencia é a maneira pela qual elas se configuram, ou o perfil
de nossos pontos fortes e fracos. Além disso, uma inteligência nunca se
manifesta isolada, no comportamento humano.
Cada tarefa, ou cada função, envolve uma combinação de inteligências.
O principal desafio da educação é, portanto, entender as diferenças no perfil
intelectual dos alunos e formar uma ideia de como desenvolvê-la.

O grande valor da teoria das inteligências múltiplas reside na introdução


de critérios de análise que os pesquisadores podem usar para debater o
conceito de inteligência. Recentemente, Gardner apresentou uma oitava
inteligência, a naturalista, relacionada com a sensibilidade para o meio
ambiente. Alguém que é sensível ao mundo natural, como por exemplo, um
jardineiro, um fazendeiro ou um paisagista, possui essa inteligência bem-
desenvolvida. O pesquisador brasileiro Machado (1995) propôs a inteligência
pictórica, correspondente à capacidade de reproduzir ou criar, pelo desenho,
objetos, situações reais ou imaginárias e sentimentos.

Trata-se da inteligência responsável pela organização de elementos


visuais de forma harmônica, estabelecendo relações estéticas entre eles; ela
se destaca em pintores, artistas plásticos, desenhistas, ilustradores e
chargistas. Alguns princípios fundamentais podem ser destacados na teoria
das inteligências múltiplas:

O número de competências que pode ser associado à inteligência não é


definitivo, não é o centro da teoria. O fundamental consiste em perceber
o caráter múltiplo da inteligência e a possibilidade de vermos suas
manifestações como uma teia de relações tecidas entre todas as
dimensões possíveis, e não mais sob a perspectiva de algo que possa
ser medido ou como um conjunto de habilidades isoladas.

Apesar das distinções, as inteligências interagem. Nada seria feito, ou


nenhum problema se resolveria, se as distinções e a independência
impedissem as inteligências de trabalhar em conjunto. Gardner
considera, por exemplo, que seria difícil resolver um problema de
matemática sem utilizar também as dimensões linguística e espacial.
Mais que isso, ele afirma que cada papel cultural assumido pelo
indivíduo na sociedade, seja qual for o grau de sofisticação, requer uma
combinação de inteligências.
A inteligência não é única e não pode ser medida. Gardner afirma que
sua teoria se contrapõe a esse modo de pensar a inteligência porque
questiona o conceito tradicional, uma vez que tem uma "visão pluralista
da mente". Essa visão reconhece muitas facetas diferentes e separadas
do conhecimento e da percepção humana, acreditando que as pessoas
têm forças e estilos de aprendizagem e conhecimento diferenciados, e
até contrastantes. Esses aspectos jamais poderão ser medidos ou
padronizados e são desenvolvidos em uma combinação entre fatores
biológicos, culturais, sociais e tecnológicos, ao longo de toda a vida de
cada pessoa. As contribuições para a educação.

Aplicação Prática na vida profissional

São inúmeras as possíveis contribuições de uma teoria como a das


inteligências múltiplas para a atividade profissional. Da organização do trabalho
do à reflexão acerca do planejamento das atividades profissionais. No entanto,
antes de analisar os reflexos dessa teoria na prática profissional é preciso
pensar a respeito dos conceitos anteriores de inteligência e de sua utilização
no mercado de trabalho.

As diversas concepções anteriores de inteligência valorizavam apenas


as inteligências linguística e lógicomatemática e se baseavam na crença de
que a inteligência humana é totalmente determinada por fatores hereditários.
Assim, ao se adotar a concepção de inteligências múltiplas, é inevitável que
sejam desencadeadas profundas mudanças na profissional. A crença de que a
inteligência era apenas hereditária, algo único e passível de medição, exerceu
grande influência nas até nas questões de ensino escolar, especialmente após
a fase da apologia dos testes, em diferentes partes do mundo.

A partir da teoria de as escolas passaram a adotar uma concepção de


crianças que são realmente inteligentes. Assim, as escolas adotaram um
currículo essencial e selecionaram um conjunto de fatos que todos, igualmente,
deveriam conhecer. Durante muitos anos os estudos da inteligência
desenvolvidos pelos pesquisadores se valiam de testes que, aplicados em
grande escala no sistema educacional, serviam de base para classificar os
alunos. Os indivíduos que não obtinham boas avaliações nos testes escolares
eram classificados como atrasados, fracos, lentos ou pouco inteligentes.

A escola não se preocupava em detectar as causas do fracasso de


determinados indivíduos, fracasso esse considerado inevitável devido a sua
falta de inteligência. Afinal, como se poderiam auxiliar pessoas que, pelo que
se supunha, haviam nascido pouco ou medianamente inteligentes, a superar
suas dificuldades? Os melhores alunos, aqueles com quociente de inteligência
(Ql) mais alto, estariam predestinados a ter sucesso na vida, seguir as
melhores carreiras profissionais e ir para as melhores universidades. O que
não é verdade, pois são inúmeros os exemplos de pessoas bem sucedidas que
sequer terminaram o ensino formal.

A prática das inteligências múltiplas ganhou grande repercussão a partir


de então no aspecto profissional

Conclusões e gancho para a próxima aula

Nesta aula foi possível aprender sobre o conceito das inteligências


múltiplas e as sua relação com o sucesso no mercado de trabalho.

Na próxima aula o aluno irá aprender sobre a inteligência emocional.


AULA 8
INTELIGÊNCIA EMOCIONAL

O CÓDIGO DA RIQUEZA

Módulo – COMPTETÊNCIAS – Gestão do Conhecimento

Capítulo – INTELIGÊNCIA EMOCIONAL

Aula - 01

Temas estruturantes da aula:

A definição de Inteligência Emocional (IE) já demonstra as possibilidades


que ela pode abrir para você, apresentando-se como a capacidade de
conhecer e controlar melhor as emoções para alcançar objetivos, seja no
âmbito pessoal ou no profissional. Como, cada vez mais, compreende-se que o
quociente emocional possui um papel fundamental no crescimento das
pessoas, desenvolvê-lo pode ser a chave para o sucesso. Uma pessoa com
baixa Inteligência Emocional enfrenta problemas que inevitavelmente afetam
suas relações e dificultam seu crescimento e o desenvolvimento de uma vida
saudável. Isso em todos os sentidos. As características de alguém que não tem
controle sobre suas emoções passam pelo não reconhecimento de suas
fraquezas, a desconfiança de emoções próprias, a incapacidade de entender o
outro, a inconstância e a falta de desenvolvimento de metas.

Essas pessoas normalmente não sabem o que querem, desenvolvem


sintomas de bipolaridade — sem efetivamente sofrerem desse mal — e perdem
sensibilidade no trato com amigos e até com familiares e parceiros afetivos. A
verdade é que, por mais que uma decisão deva ser tomada mais friamente,
pela análise prática de resultados, é praticamente impossível dissociar
totalmente a emoção de ações que exigem o esforço da razão. O ser humano
tem a predisposição de ativar a emoção em todo e qualquer ato. Assim, quem
possui um maior controle desse âmbito e encontra recursos para ser prudente,
intuitivo e racional, acaba levando uma grande vantagem nos diversos
ambientes que frequenta. Desenvolver a Inteligência Emocional, de forma a
estimular seu conhecimento e fazer com que você trace como irá alcançar seus
objetivos, fará com que sua vida se torne mais leve e rica de boas relações.
Pronto para dar os primeiros passos em direção a essa maratona emocional
pra lá de proveitosa? Então confira agora mesmo nosso material!

Saiba, desde já, que os benefícios de se possuir uma Inteligência


Emocional bem desenvolvida vão muito além de ter condições de tomar
decisões sem ser por puro impulso, uma vez que todos os setores da sua vida
serão modificados a partir do momento em que você conseguir aumentar seu
quociente emocional. Com esse esforço, suas relações afetivas serão mais
verdadeiras e saudáveis, além de você encontrar equilíbrio e motivação na sua
carreira, traduzindo o empenho em competências relacionadas à
autopercepção, ao autocontrole, à motivação, à empatia e às práticas sociais
adequadas. Desenvolver a Inteligência Emocional fará com que hábitos já
enraizados que o prejudicam sejam revistos e eliminados, de modo que você
consiga criar novos costumes, já sob toda uma nova perspectiva de vida. A
pessoa que possui boa Inteligência Emocional consegue se conhecer melhor e
entender melhor o que outras pessoas estão sentido. A partir disso fica mais
fácil se encontrar no que diz respeito a aspectos profissionais e ter mais
sucesso e satisfação com seu trabalho. Um pesquisa apontou, por exemplo,
que pessoas que têm alta Inteligência Emocional administram
departamentos que ganham até 20% a mais do que profissionais que não
desenvolveram essa capacidade. O equilíbrio na vida pessoal também se
desenvolve significativamente, com a pessoa conseguindo se relacionar melhor
com aqueles que a cercam. Mas como exatamente desenvolver a Inteligência
Emocional? Pois a seguir explicaremos quais são os 5 passos básicos que
ajudam a exercitar essa capacidade.
Cinco passos para desenvolver sua inteligência emocional

1 - Conheça-se

Antes de mais nada, lembre-se de que é o primeiro passo que vai


determinar o rumo para as próximas etapas. Assim, o básico consiste em
entender que não adianta se lançar a novas fases, com complexos desafios
profissionais e pessoais, se você não se conhece. Essa é uma fase essencial
para que você encontre equilíbrio. Assim, busque o autoconhecimento,
investigando suas ações e reações, sendo sempre muito sincero consigo
mesmo. Só assim será possível avaliar suas habilidades e pontos a serem
melhorados.

Tente entender como você reage em cada situação, o que sente e como
poderia agir de outra forma, caso perceba ser preciso mudar. Estude suas
emoções, analisando quando e como elas surgem para determinar como
afetam suas decisões. Elas comprometem sua vida pessoal e profissional?
Lembra de casos em que você agiu totalmente dominado pelas emoções?
Quais foram as consequências? Procure essas respostas, pois elas serão
muito úteis no processo de autoconhecimento. Durante esse percurso, lembre-
se sempre de que a sinceridade é simplesmente essencial nessa fase,
possibilitando que você tenha condições de avaliar suas habilidades sem
mascarar defeitos e problemas que já estão incutidos nas situações.

2 - Gerencie-se

Autocontrole: essa é a palavra-chave nesse passo. Por isso a fase


anterior, do autoconhecimento, era tão importante, já que só conseguimos
encontrar o controle sobre nossas ações se nos conhecermos bem, se
pudermos antecipar decisões baseadas em nossas emoções. Com isso em
mente, pense antes de agir evitando tomar uma decisão — qualquer que seja
ela — por impulso. Assim você evita as explosões desnecessárias que podem
vir a gerar arrependimentos posteriores. Administre seus impulsos, cada um
deles, para que tenha condições de se adaptar às diversas situações que se
apresentam no seu dia a dia. Como parte do autogerenciamento, lembre quais
foram as consequências que você teve que enfrentar quando agiu de forma
impulsiva e explosiva. Reflita o mal que foi causado, tanto para você como para
seu interlocutor na ocasião. Diante desse cenário, pense sobre qual teria sido a
melhor reação, como poderia ter agido para evitar o problema e alcançar um
resultado melhor. Nessa etapa será preciso acrescentar um modo de agir: a
capacidade de se adaptar às diferentes situações, mesmo aquelas das quais
você discorda e que vão contra suas posições e seu modo de viver atuais. O
segredo é ter flexibilidade nos momentos de pressão. Somente com a mudança
de comportamento será possível atingir os objetivos desejados.

3 - Motive-se

Levantar religiosamente todo dia para trabalhar e não ter motivação para
realizar suas tarefas é um daqueles sacrifícios dolorosos, não é mesmo? Afinal,
por que dedicar seu tempo a propósitos que aparentemente não têm um
objetivo maior e não despertam seu interesse? Guarde o seguinte: ter uma
motivação é um poderosíssimo agente modificador. Você vai ver como fazer
com que o despertador da rotina se transforme em um levante rumo à
esperança, permitindo que você imagine o dia como uma sequência de
infindáveis oportunidades será um momento de virada na sua vida.

A motivação serve como propósito para a ação, para andar em direção


ao objetivo que se pretende alcançar. Somente com isso bem claro é que você
conseguirá reunir forças para superar obstáculos e fracassos. Assim, manter o
foco é essencial para não se dispersar e desanimar quando surgirem os
primeiros obstáculos. O que você pode fazer de diferente para superar os
entraves é saber se motivar, encontrar formas de ter o melhor comportamento
diante dos percalços.

Para começar, não tenha medo do fracasso, pois ele é um resultado


temporário. Foque sua mira no futuro, trabalhando sempre em busca do
sucesso. Saber lidar com a falha é decisivo para alcançar seus desejos, sejam
eles quais forem. Para encontrar motivação, pergunte-se constantemente sobre
o que precisa fazer para atingir seu objetivo, sem ter medo de perder ou ganhar
e o que pode fazer para superar os obstáculos.

Uma vida sem motivação, em que a pessoa se entrega facilmente aos


desafios e se deixa levar por uma rotina sem propósito, eventualmente levará à
depressão. Para evitar essa rota cheia de percalços, rumo a lugar nenhum,
certifiquese do seu objetivo e construa um caminho positivo até ele.

4 - Conheça as outras pessoas

Olhar para dentro de si mesmo, compreender-se e saber analisar suas


reações são atitudes que certamente o ajudarão a passar por este passo. O
fato é que não vivemos isolados em uma ilha, por isso precisamos interagir
com outras pessoas, muitas vezes completamente diferentes de nós. Sabendo
que não existe certo ou errado, o fundamental é entender que devemos nos
preocupar em reduzir as tensões desnecessárias especialmente para evitar
conflitos.

A discussão fora do tom raramente leva a algum ponto produtivo. Perde-


se tempo, cria-se um ambiente constrangedor e o objetivo é jogado de lado por
conta de interpretações que muitas vezes podem ser facilmente contornadas
com uma leve mudança de atitude. Entender como as pessoas próximas se
sentem e se comportam ajuda a aumentar sua Inteligência Emocional. E como
precisamos do outro para realizar um bom trabalho e para apresentar
resultados que ajudem na busca de determinado objetivo, a melhor postura é a
de cooperação.

Da mesma forma, na vida pessoal, saber como as pessoas que estão ao


redor se sentem faz com que os relacionamentos se fortifiquem Portanto,
compreender os sentimentos das outras pessoas é o primeiro passo para criar
uma proximidade maior e conquistar a confiança de alguém, fazendo com que
a relação seja mais balanceada. No trabalho, observe como sua equipe age e
reage a determinadas situações. E o mesmo vale para as pessoas do seu
convívio social. Busque compreender as diferenças e se colocar no lugar do
outro. Não se esqueça de que construir seu caminho rumo a uma meta
significa ajudar o outro a também alcançar a dele. Um bom jeito de conhecer
bem as outras pessoas é listar qualidades, talentos, padrões de
comportamento e dificuldades. Avalie se seu julgamento interno não passa de
uma ideia preconcebida e aproveite o momento para eliminar os preconceitos e
ser mais sensível no trato com os outros.

5 - Gerencie outras pessoas

Liderar não é tarefa fácil. Saber gerenciar conflitos e personalidades


diversas, administrar disputas internas, construir alianças positivas e colaborar
com o trabalho de todos são tarefas essenciais para alcançar um nível mais
alto do quociente emocional. Você sabia que as habilidades de liderança
devem ser desenvolvidas a partir de nossas próprias emoções?

No aspecto pessoal, precisamos entender como nos relacionamos para


saber lidar com o outro, certo? A capacidade de compreender emoções
permitirá que ajamos para criar um relacionamento mais aberto e saudável,
principalmente nos momentos mais tensos. Ao saber como as emoções podem
aflorar, estaremos ajudando a fortalecer os laços afetivos e profissionais. A
essa altura do seu desenvolvimento emocional, você certamente se deparará
com pessoas difíceis, que podem desestabilizar o ambiente, preferindo desafiar
gratuitamente o estado das coisas, sem nenhum objetivo positivo. É o
momento mais determinante para que você aplique o aprendizado, colocando
em teste sua Inteligência Emocional. Encare e siga em frente.
As competências da inteligência emocional

Competências Internas Competências Externas

Autoconfiança Desenvolvimento de outras


Autoavaliação pessoas
Controle emocional Liderança
Autoconsciência Influencia
Pensamento lúcido Comunicação
Adaptabilidade Gestão de conflitos
Otimismo Espírito de equipe
Iniciativa Colaborativismo
Empatia

Conclusões e gancho para a próxima aula

Nesta aula foi possível aprender sobre inteligência emocional e sua


poderosa ação na vida de todos os profissionais

Na próxima aula o aluno irá aprender sobre as a metacognição e sua


relação com o sucesso.
AULA 9
COMPETÊNCIAS METACOGNITIVAS PARA A CARREIRA

O CÓDIGO DA RIQUEZA

Módulo – COMPETÊNCIAS – Gestão do Conhecimento

Capítulo – COMPETÊNCIAS METACOGNITIVAS PARA A CARREIRA

Aula - 09

Temas estruturantes da aula: Nessa aula o aluno irá aprender sobre as


competências metacognitivas para a carreira de qualquer profisisonal.

O termo estratégia metacognitiva refere-se ao conhecimento do próprio


conhecimento. Utilizá-la implica desenvolver capacidade de avaliação,
organização e regulação do conhecimento adquirido. Supõe ainda a
capacidade de entender que competências são necessárias para se resolver
um problema, seja ele relacionado a números ou palavras. As metacognições
podem ser consideradas cognições de segunda ordem: pensamentos sobre
pensamentos, conhecimentos sobre conhecimentos, reflexões sobre
ações.

Os processos metacognitivos podem ser chamados de processos de


autocontrole e devem incluir exercícios que possibilitem organizar uma tarefa,
ajustá-la durante seu desenvolvimento, e rever seus resultados. Em outras
palavras é a capacidade de identificar as melhores estratégias capazes de
promover uma aprendizagem mais duradoura e que leva a resultados mais
eficazes.

Os conteúdos da metacognição foram divididos em três campos:


aprender a aprender, aprender a ensinar, aprender a conhecer.
Aprender a aprender – autodidatismo

Aprender a aprender torna-se fundamental e uma sociedade que


apresente aos profissionais modernos o desafio da aquisição e da atualização
constante de novos conhecimentos.

Aprender a ensinar – didatismo

É aprender a como ensinar. Muitos dos grandes profissionais são bons


professores. Lógico, do jeito deles, não importa, mas a mensagem é
transmitida.

Aprender a conhecer – construtivismo

É aprender a como conhecer. Esse processo metacognitivo confere ao


individuo a possibilidade de desenvolver o seu conhecimento por meio da sua
construção em vez de apenas assimilá-lo pronto, finalizado. Trata-se de
preparar o ser humano para produzir conhecimento numa perspectiva e não
apenas assimilá-lo e aplica-los. Sabe aquelas pessoas que aprendem
sozinhas? Pois bem, é sobre isso que se trata essa inteligência.

Conclusões e gancho para a próxima aula

Nesta aula foi possível aprender sobre os tipos de metacognição e a


necessidade de desenvolvê-la no mundo atual

Na próxima aula o aluno irá aprender sobre como proceder frente as


adversidades com inteligência
AULA 10
ATITUDES INTELIGENTES FRENTE ÀS ADVERSIDADES

O CÓDIGO DA RIQUEZA

Módulo – COMPETÊNCIAS – Gestão do Conhecimento

Capítulo – ATITUDES INTELIGENTES FRENTE ÀS ADVERSIDADES

Aula - 10

Temas estruturantes da aula: Nessa aula o aluno poderá aprender a como se


comportar de maneira inteligente frente as adversidades corriqueira as da vida.

Segundo Napoleon Hill em seu livro “Quem pensa enriquece” ele cita
que existem 30 motivos para que as pessoas fracassem por falta de
capacidade a ação frente às adversidades. Abaixo estão relacionados.

1. Bagagem hereditária desfavorável. Pouco – ou nada – pode fazer com


aqueles que nasceram com uma inteligência diferente e por essa razão
que essa a Mente Mestra faz um papel de absoluta força nesse aspecto.
Um ponto importante é de que das 30 causas essa é a única que é
impossível de ser facilmente corrigida pelo próprio indivíduo.

2. Falta de um propósito de vida definido. De cada 100 pessoas


analisadas por Napoleon Hill, 98 pessoas - do grupo que se
consideradas medíocres – não possuíam objetivos.

3. Falta de ambição de estar acima da mediocridade. Não há esperança


para que seja indiferente a ponto de não fazer questão de crescer na
vida, pagando o preço correspondente.

4. Formação insuficiente. Nível universitário não é garantia de sucesso, a


formação sim todas as pessoas fracassadas possuem formação
insuficientes, sejam elas de maneira formal ou informal. Nenhuma
pessoa é paga pelo que sabe, mas sim por aquilo que faz com que
sabe.

5. Falta de autodisciplina. A disciplina é fruto de todos os vencedores. As


pessoas medíocres não conseguem ter autodisciplinas para as suas
tarefas. Autodisciplinas é fruto do autocontrole e de pensar com
exatidão.

6. Saúde frágil. Ninguém consegue um grande sucesso sem uma boa


saúde. A doença tem muitas causas controláveis, como estas;

a) Consumo em excesso de alimentos poucos saudáveis


b) Hábito de pensar negativamente
c) Mau uso ou excesso de sexo
d) Falta de exercício físico
e) Pouca oxigenação devido a dificuldades respiratórias
f) Hábitos do tabaco de excesso de bebidas alcóolicas

7. Influencias ambientais desfavoráveis durante a infância. Nascer e


conviver em ambientes desfavoráveis com as oportunidades de suceder
na vida.

8. Procrastinação. Hábitos de deixar tudo para depois e se deixar levar


pelas circunstâncias.

9. Falta de persistência. A maioria das pessoas que fracassam começam


as coisas, mas não terminam. O fracasso não consegue enfrentar a
persistência.

10. Personalidade negativa. Nenhuma pessoa bem sucedida tem


personalidade negativa.a cooperação faz parte do sucesso e ninguém
quer cooperar com uma pessoa de personalidade negativa.
11. Falta de controle do desejo sexual. A energia sexual é o mais
poderoso dos estímulos à ação. Por ser a mais poderosa das emoções,
o sexo deve ser controlado, pela transmutação, e direcionado para
outros canais.

12. Desejo incontrolável de ganhos fáceis. O instinto que leva as pessoas


a arriscar também leva as pessoas ao fracasso. Não existem ganhos
sem nenhum esforço. O sucesso não aceita desaforo.

13. Falta de um poder de decisão bem definido. Pessoas bem sucedidas


tomam decisões rapidamente e levam tempo para mudar de ideia.
Aqueles que fracassam custam a tomar decisões, mas mudam de ideia
fácil e frequentemente. Procrastinação e indecisão são irmãs gêmeas.

14. Um ou mais dos seis medos básicos. Medo da pobreza, críticas,


doença, perder o amor de alguém, velhice e medo da morte.

15. Escolha errada do parceiro (ou parceira). Essa é uma causa comum
do fracasso. No casamento, o contato é muito próximo. Se não houver
uma relação de harmonia, é provável que acabe mal. Além disso, essa
forma de fracasso é marcada pela infelicidade e pela tristeza, destruindo
todos os sinais de ambição.

16. Excesso de cautela. O excesso de cautela é tão prejudicial quanto a


falta dela. Ambas as situações devem ser evitadas. A vida é cheia de
oportunidades e devemos estar abertos a todas elas.

17. Escolha equivocada de sócios. Muitas pessoas fazem sociedade com


amigos como sendo o primeiro critério. Ter uma relação amigável é de
fundamental importância para uma boa sociedade, mas apenas isso não
é o suficiente. E é ai que a maioria das pessoas erram. Procure sócios
inteligentes, entusiasmados, comprometidos e com conhecimento,
sobretudo, que você não tenha para gerar um efeito de adição no seu
negócio. Apenas ser amigo não basta.

18. Superstição e preconceito. Superstição é uma forma de medo e um


sinal de ignorância. As pessoas bem sucedidas mantem a mente aberta
e não tem medo do que quer que seja.

19. Escolha equivocada da profissão. Ninguém pode ter sucesso em uma


atividade de que não gosta. Escolha fazer algo que se comprometa de
corpo e alma. Gostar dessa atividade vai ser necessário.

20. Falta de esforço concentrado. Quem faz muitas coisas não faz bem
nenhuma. Concentre seus esforço numa atividade definida.

21. Hábito de gastar indiscriminadamente. O gastador não chega ao


sucesso por seu medo da pobreza. Habitue-se a economizar
sistematicamente uma porcentagem que ganhar. Uma boa conta
bancária oferece base de segurança. Sem dinheiro o indivíduo tem que
se dar por feliz com o que lhe é oferecido.

22. Falta de entusiasmo. Sem entusiasmo é impossível ser convincente.


Além disso, o entusiasmo contagia, e aquele que o possui sob controle
costuma ser bem recebido em todos os grupos.

23. Intolerância. A pessoa que “fecha” sua mente para determinados


assuntos raramente progride. Intolerância significa recusar em adquirir
novos conhecimentos.

24. Imoderação. As formas mais prejudiciais de imoderação estão ligadas á


comida, à bebida e às atividades sexuais. O exagero em qualquer
desses aspectos é desastroso para o sucesso.
25. Incapacidade de cooperar. É grande o número de indivíduos que
perdem o emprego em grandes oportunidades na vida por não saberem
cooperar. São mais numerosos do que os que perdem o emprego e
oportunidades por todas as outras razões juntas. Quanto vem informado,
nenhum homem de negócios ou líder tolera tal deficiência.

26. Poder não conquistado por esforço próprio. (filhos de famílias ricas e
outros que herdam dinheiro que nada fizeram para ganhar.) na maior
parte das vezes, o poder nas mãos de quem não conquistou aos poucos
é desastroso para o sucesso. A riqueza instantânea é mais perigosa do
que a pobreza.

27. Desonestidade intencional. Honestidade não é sinônimo de virtude,


mas sim de obrigação. Mesmo assim, ainda existem muitas pessoas
desonestas. Mas não há esperança para aquele que é desonesto por
opção. Mais cedo ou mais tarde ele será vítima da própria reputação.

28. Egoísmo de verdade. Essas características funcionam com um sinal


vermelho para manter as pessoas afastadas. São desastrosas para o
sucesso.

29. Arriscar em vez de pensar. As pessoas, em sua maioria, por preguiça


ou indiferença, deixam de tomar conhecimento de fatos que lhes
permitam fazer julgamento acertado; preferem agir com base em
palpites ou julgamentos apressados.

30. Falta de capital. Essa é uma forma de fracasso evidente para quem se
aventura nomeio de um negócio, por exemplo, sem capital suficiente. É
necessário ter uma reserva para os percalços no caminho e os erros
comuns para sustentar os iniciantes até estabelecerem uma boa
reputação.

Portanto é importante saber que desejar dinheiro é uma coisa e merecer


dinheiro é outra coisa. E existem muitas pessoas que confundem uma coisa da
outra. As suas necessidades financeiras nada tem a ver com o seu valor. O
valor é estabelecido pela capacidade de oferecer serviços de qualidade ou
capacitar outros a fazer isso. Desse jeito, o mais importante agora é fazer uma
autoanálise.

Para tanto sugerimos um questionário de avaliação 360 graus. Esse


questionário tem como objetivo traçar um perfil de autoanálise importante para
você balizar onde se encontra e te ajudará a se posicionar para onde pretende
ir.

1. Alcancei a meta que estabeleci para esse ano? (você deve


estabelecer uma meta anual, como parte do seu objetivo de vida)
2. Ofereci serviços da melhor qualidade possível, ou poderia ter feito
melhor?
3. Ofereci serviços na maior quantidade possível?
4. Mantive sempre uma conduta de harmonia e cooperação?
5. Permiti que o hábito de deixar tudo para depois prejudicasse minha
eficiência? Em caso positivo, em que medida?
6. Melhorei minha personalidade? Em que aspectos?
7. Fui persistente, levando as tarefas até o fim em todas as ocasiões?
8. Tomei decisões rápidas e definitivas?
9. Tomei que um ou mais dos seis medos básicos prejudicassem minha
eficiência?
10. Agi com excesso ou falta de cautela?
11. Mantive um relacionamento agradável com meus sócios? Em caso
de resposta negativa, a responsabilidade por isso é parcialmente ou
inteiramente minhas?
12. Desperdicei energia por falta de concentração de esforços?
13. Demonstrei receptividade e tolerância em relação a todas as
questões?
14. Em que melhorei minha capacidade de servir?
15. Tive atitudes intempestivas?
16. Expressei, secreta ou abertamente, alguma forma de egoísmo?
17. Minha conduta em relação aos parceiros despertou neles o respeito
por mim?
18. Minhas decisões foram baseadas em suposições ou em raciocínio e
análises cuidadosas?
19. Segui o hábito de administrar com equilíbrio o tempo, as despesas e
os ganhos?
20. Quanto tempo dediquei a esforços inúteis e que poderia ter sido mais
bem aproveitado?
21. Como posso reorganizar meu tempo e mudar meus hábitos, de modo
a ser mais eficiente no próximo ano?
22. Tomei alguma atitude contrária à minha consciência?
23. Em que situações ofereci serviços em maior quantidade e de melhor
qualidade em relação ao pagamento que recebi?
24. Fui injusto com alguém? Em caso positivo, de que maneira?
25. Se eu tivesse comprado os meus serviços durante este ano, qual
seria o meu grau de satisfação?
26. Estou seguindo a minha vocação? Em caso de resposta negativa,
por quê?
27. Aqueles a quem presto serviços estão satisfeitos? Em caso de
resposta negativa, por quê?
28. Qual é o minha avaliação atual em relação ao meu sucesso?

Conclusões e gancho para a próxima aula

Nesta aula foi possível aprender sobre a como proceder de maneira


inteligente frente às adversidades.

Na próxima aula o aluno irá aprender a como gerenciar melhor sua


carga de trabalho.
AULA 11
COMO SER MAIS PERSUASIVO

O CÓDIGO DA RIQUEZA

Módulo – COMPETÊNCIAS – Gestão do Conhecimento

Capítulo – COMO SER MAIS PERSUASIVO

Aula - 11

Temas estruturantes da aula: Nessa aula o aluno irá aprender a reconhecer o seis
elementos da persuação

Você pode ser popular por algo que não te ofereça retorno ou até
mesmo traga consequências negativas, principalmente por atos cometidos
erroneamente, apesar de centenas de milhares de pessoas notaram. O
sucesso não te trás popularidade negativa. Obviamente não! As pessoas de
sucesso, na simples expressão, são populares porque são um sucesso naquilo
que realizam. Nossas mensagens fixam na mente das pessoas por seis
motivos, segundo Jonah Berger, em seu livro, Contágio, por que as coisas
pegam.

Princípio 1: Moeda Social – O que nos fazemos e o que isso impacta na vida
das pessoas. Qual a impressão delas sobre aquilo que fazemos para nós e
para a sociedade ao nosso redor. Pessoas adoram compartilhar conteúdo que
de fato, ajudam e inspiram outras em suas vidas.

Princípio 2: Gatilhos - Gatilhos são estímulos inconsciente, são estalos que


incitam as pessoas a pensarem em coisas relacionadas. Por exemplo: Rio de
Janeiro remete à Pão de Açúcar e Cristo Redentor. Brasil à Carnaval e Futebol,
e assim por diante.

Princípio 3: Emoção - Quando nos importamos, compartilhamos. Conteúdo


naturalmente contagiante em geral evoca algum tipo de emoção. Coisas
emocionais com frequência são compartilhadas.
Princípio 4: Público -. Tornar nossas ideias mais públicas. Precisamos planejar
iniciativas que se anunciem por si mesmos e criem resíduo comportamental
que perdure mesmo depois de as pessoas terem adotado a ideia.

Princípio 5: Valor prático – É útil o que você me diz para mim? Consigo
transferir para a minha vida, para a minha realidade? Mostre-me o como! Esses
elementos contagiam as pessoas e são rapidamente transformados em
sucesso.

Princípio 6: Histórias – Contar histórias, as pessoas adoram histórias,


sobretudo aquelas que parecem com as histórias de vida delas

Conclusões e gancho para a próxima aula

Nesta aula foi possível aprender sobre os seis elementos que fazem
uma mensagem tocar as pessoas com muito mais profundidade.

Na próxima aula o aluno irá aprender sobre todas as habilidades do


administrador de empresas
AULA 12
HABILIDADES DO ADMINISTRADOR

O CÓDIGO DA RIQUEZA

Módulo – COMPETÊNCIAS – Gestão do Conhecimento

Capítulo – HABILIDADES DO ADMINISTRADOR

Aula - 12

Temas estruturantes da aula: nessa aula o aluno terá a oportunidade de conhecer os


aspectos mais importantes na habilidade de um administrador.

Existem três tipos de habilidades que o Administrador precisa desenvolver:

Habilidade técnica: capacidade de usar procedimentos, técnicas e


conhecimentos de um campo de especialização.
Habilidade humana: capacidade de trabalhar com outras pessoas,
motivá-las e entendê-las, seja como indivíduos ou como membros de um
grupo.
Habilidade conceitual: capacidade de coordenar e integrar os interesses
e as atividades de uma organização; implica ver a organização como um
todo e entender como a dinâmica das partes afeta as demais.

Todo administrador precisa dessas três habilidades, mas sua importância


relativa depende principalmente do nível que o Administrador ocupa na
organização. Ou seja, na medida em que se atingem os níveis mais altos da
organização, diminui-se a necessidade de habilidades técnicas. No entanto,
aumenta-se a necessidade de habilidades conceituais. Os níveis inferiores
requerem habilidade técnica dos supervisores para lidar com problemas
operacionais concretos e cotidianos.
Competências do Administrador

As habilidades do administrador acima descritas requerem competências


pessoais distintas. Qualidade de quem é capaz de analisar uma situação,
apresentar soluções e resolver assuntos ou problemas. Para ser bem sucedido,
o Administrador precisa desenvolver três competências duráveis:

Conhecimento: Saber. Possuir ideias, experiências e aprendizagens;


buscar informações, manter-se atualizado, reciclar-se constantemente
para não se tornar obsoleto ou ultrapassado.
Perspectiva: Saber fazer. Ter a capacidade de colocar o conhecimento
em ação, desenvolver uma maneira prática de aplicar o conhecimento
na solução de problemas e situações; ter uma visão pessoal sobre as
coisas.
Atitude: Saber fazer acontecer. Possuir comportamento ativo e
proativo; dar ênfase na ação e no fazer acontecer; possuir espírito
empreendedor e de equipe; ser um líder.

Papéis do Administrador

Além das quatro atividades principais desempenhadas pelos


administradores nas organizações, planejar, organizar, controlar e liderar,
esses profissionais assumem uma variedade muito maior de papéis para levar
a organização a seus objetivos estabelecidos.

Papéis interpessoais - É a capacidade de possuir relações


interpessoais sadias e duradoras com as pessoas. Mostra como o
administrador interage com as pessoas, influencia seus subordinados e
colaboradores, trabalha com os colegas e superiores e relaciona-se com
todas as outras pessoas de sua rede de contatos.
Papéis informacionais - É a capacidade de obter, processar e divulgar
informações. O gestor deve desempenhar atividades para manter e
desenvolver a sua rede de informações. Ele deve reservar parte do seu
tempo para trocar informações com outras pessoas dentro e fora das
organizações. O bom gestor é aquele que sabe trabalhar com a
informação de forma a transformá-la em algum diferencial para a
organização.
Papéis Decisórios - Envolve eventos e situações em que o
administrador precisa tomar decisões, ou seja, fazer escolhas ou
opções, utilizando de habilidades humanas e conceituais. As
informações auxiliam o administrador nas tomadas de decisão. Quanto
mais informações o administrador possuir sobre uma determinada
situação, maiores serão as chances de se tomar uma decisão acertada.

O desafio da Administração

A Administração é um fenômeno universal no mundo moderno. O


Administrador deve estar atento a eventos presentes e passados, bem como às
previsões futuras para ampliar seu horizonte. As mudanças do mundo
contemporâneo desafiam os gestores em meio a um cenário de ambiguidades
e incertezas, dentre as quais podemos listar:

Enfrentar a competição estrangeira (Globalização);


Pensar além das preocupações locais e imediatas;
Buscar novos meios para aproveitar talentos e recursos;
Repensar o relacionamento entre chefe e subordinado. Para
enfrentar esses desafios, os Administradores devem estar atentos
para atender a algumas necessidades, a fim de atingir seus
objetivos. Vamos ver agora alguns exemplos dessas necessidades.

Necessidades do Administrador

Necessidade de Visão - Diagnosticar oportunidades de crescimento e


expansão, dar boas-vindas às mudanças e tentar resolver os problemas antes
que eles aconteçam; ser flexíveis e desenvolver uma visão ampla de sua
empresa, dos objetivos organizacionais e do que deve ser feito para alcançá-
los.
Necessidade de Ética - A Ética estuda os direitos e os benefícios dos
envolvidos direta ou indiretamente em uma ação. A ação das organizações e
as decisões de seus administradores provocam efeitos sobre os outros. Daí a
necessidade de julgar se as práticas empresariais estão sendo éticas.

Necessidade de Diversidade Cultural - Aproveitar os recursos e os talentos


de segmentos anteriormente negligenciados em nossa força de trabalho.

Necessidade de Treinamento - Talentos podem ser desenvolvidos e


potencializados por meio de treinamento. Sintetizando, a qualidade de gerentes
bem sucedidos se materializa da seguinte forma:

Vontade de administrar esforços e recursos;


Capacidade de influenciar o comportamento/desempenho de outros
(poder);
Compreender e lidar com as reações emocionais de outras pessoas
(empatia). Portanto, para aprender a ser um bom Administrador, é
necessário que:
Se permitam simulações: casos para estudos, jogos de empresas e
outras.
Aprenda a ser um bom subordinado e descubra as relações de suas
tarefas com os demais integrantes da empresa;
Observe seu gerente e aprenda com suas atitudes, positivas ou
negativas. » Haja sempre de acordo com seus princípios.

Relações humanas

O comportamento humano, a motivação das pessoas, a liderança e a


comunicação na organização podem afetar positiva ou negativamente o
desempenho de uma empresa. A teoria das relações humanas nasceu da
discussão do comportamento das pessoas em seu ambiente de trabalho.
Dessa forma, a Teoria das Relações Humanas dá ênfase nas pessoas que
trabalham ou participam das organizações. A preocupação dessa teoria é o
papel dessas pessoas e dos grupos sociais nas organizações. Alguns
pesquisadores conseguiram comprovar fatos de fundamental importância.

Hawthorne - Comprovou a preponderância do fator psicológico sobre o fator


fisiológico: a eficiência dos operários é afetada por condições psicológicas.
Verificou também que, quando o operário pretende ser leal aos companheiros e
à empresa, essa lealdade, dividida entre o grupo e a organização, traz conflito,
tensão, inquietação e descontentamento. É o poder dos grupos informais.

Elton Mayo apoiou sua teoria em cinco pontos:

1. Motivação:
A motivação humana procura explicar por que as pessoas se comportam
de determinada maneira.
Ela é a tensão persistente que leva à ação, visando à satisfação de uma
necessidade.
Uma das formas para despertar nas pessoas a motivação é o Clima
Organizacional. Quanto melhor o Clima Organizacional, maior a
satisfação das necessidades dos empregados.

2. Liderança:
A liderança é o processo em que uma pessoa é capaz, por suas
características individuais, de entender as necessidades da
organização e obter o envolvimento e a participação dos
colaboradores para alcançar os objetivos dessa organização.
A liderança é necessária em todos os tipos de organização e pode
assumir feições diferenciadas. A Escola das Relações Humanas
propõe várias teorias que categorizam os tipos de lideranças
adotados pelas empresas, os quais são:

Liderança Autocrática: O líder centraliza as decisões e impõe ordens ao grupo.

Liderança Liberal: O líder delega totalmente as decisões ao grupo e não


controla o comportamento dele, deixando-o à vontade.
Liderança Democrática ou Consultiva: O líder conduz e orienta o grupo e
incentiva a participação das pessoas nas decisões.

3. Comunicação:
A comunicação é um processo interativo e de entendimento de uma
mensagem entre um emissor e um receptor.
Para a Teoria das Relações Humanas, a comunicação é importante
no relacionamento entre as pessoas e na explicação das orientações
para os objetivos organizacionais.
Fluxo de comunicação: via de mão dupla entre chefes e
subordinados.

4. Organização Informal:
Surge nas organizações em consequência do conjunto de interações
e relacionamentos espontâneos entre as pessoas.
Os grupos informais definem regras de comportamentos,
recompensas ou sanções sociais, objetivos e escala de valores,
crenças e expectativas.

5. Dinâmica de Grupo:
Cada membro do grupo influencia e é influenciado pelos outros
membros.
Características do grupo:
– Finalidade ou objetivo comum;
– Estrutura dinâmica de comunicações;
– Coesão interna.

Conclusões e gancho para a próxima aula

Nesta aula foi possível aprender sobre o complexo e apaixonante mundo


do Administrador.

Na próxima aula o aluno irá aprender a como transformar uma vontade


em uma ideia
EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO

COMO MEDIR SUA CONDUTA COMO LÍDER

1. Numa escala de 0 - 10, qual é a nota que você se dá no quesito


relacionamento com sua equipe?
_______________________________________________________________
_______________________________________________________________
_______________________________________________________________
_______________________________________________________________

2. Você respeita a equipe? A equipe respeita você? Quais comportamentos e


atitudes evidenciam esse respeito?
_______________________________________________________________
_______________________________________________________________
_______________________________________________________________
_______________________________________________________________

3. Você e a equipe têm as mesmas metas em comum? Como você sabe?


Quais as ações que confirmam sua percepção?
_______________________________________________________________
_______________________________________________________________
_______________________________________________________________
_______________________________________________________________

4. A equipe entende suas necessidades de informação, aprendizagem e apoio


encorajador?
_______________________________________________________________
_______________________________________________________________
_______________________________________________________________
_______________________________________________________________

5. Para que a equipe precisa de você? Qual a palavra que melhor descreve
você enquanto líder da equipe?
_______________________________________________________________
_______________________________________________________________
_______________________________________________________________
_______________________________________________________________

6. Qual é o equilíbrio mais apropriado para essa equipe quanto ao manejo dos
altos e baixos?
_______________________________________________________________
_______________________________________________________________
_______________________________________________________________
_______________________________________________________________

7. Sobre quais tópicos você e a equipe evitam conversar?


_______________________________________________________________
_______________________________________________________________
_______________________________________________________________
_______________________________________________________________

8. Quais decisões e atitudes você mais tenta adiar? Que prejuízos isso traz
para a equipe/empresa?
_______________________________________________________________
_______________________________________________________________
_______________________________________________________________
_______________________________________________________________

9. O que você poderia parar de fazer para melhorar o desempenho da equipe?


_______________________________________________________________
_______________________________________________________________
_______________________________________________________________
_______________________________________________________________
10. O que você poderia começar a fazer para incrementar o desempenho da
equipe?
_______________________________________________________________
_______________________________________________________________
_______________________________________________________________
_______________________________________________________________

11. O que você pode continuar a fazer para otimizar o desempenho da equipe?
_______________________________________________________________
_______________________________________________________________
_______________________________________________________________
_______________________________________________________________

12. Que dose de liderança essa equipe necessita?


_______________________________________________________________
_______________________________________________________________
_______________________________________________________________
_______________________________________________________________

13. Que estilo de liderança seria mais adequado ao perfil da sua equipe?
_______________________________________________________________
_______________________________________________________________
_______________________________________________________________
_______________________________________________________________

14. Se você pudesse escolher a equipe ideal, como seria?


_______________________________________________________________
_______________________________________________________________
_______________________________________________________________
_______________________________________________________________
15. O que você pode fazer para que a equipe atual se transforme nessa equipe
ideal? Que tipo de investimentos (ou permissões) você precisa fazer para
chegar a esta equipe ideal?
_______________________________________________________________
_______________________________________________________________
_______________________________________________________________
_______________________________________________________________

16. O que a equipe pensa, sente, expressa, vê sobre sua liderança?


_______________________________________________________________
_______________________________________________________________
_______________________________________________________________
_______________________________________________________________

17. Tem mais alguma coisa que se você dissesse ou refletisse agora poderia
lhe ajudar para estar mais próximo de sua equipe?
_______________________________________________________________
_______________________________________________________________
_______________________________________________________________
_______________________________________________________________

18. Qual o tipo de liderança que você exerce?


_______________________________________________________________
_______________________________________________________________
_______________________________________________________________
_______________________________________________________________
19. Quais os três melhores momentos de sua vida profissional que
verdadeiramente você se sentiu um SUPER LÍDER ou o LÍDER IDEAL?
_______________________________________________________________
_______________________________________________________________
_______________________________________________________________
_______________________________________________________________

20. Identifique os comportamentos que colocados em prática, tornam você um


“líder de excelência”.
_______________________________________________________________
_______________________________________________________________
_______________________________________________________________
AULA 13

COMO TRANSFORMAR UMA VONTADE NUMA IDEIA EMPREENDEDORA

O CÓDIGO DA RIQUEZA

Módulo – COMPETÊNCIAS – Gestão do Conhecimento

Capítulo – COMO TRANSFORMAR UMA VONTADE EM UMA IDEIA


EMPREENDEDORA

Aula - 13

Temas estruturantes da aula: Nessa aula o alunos será guiado pela etapas de
transformar uma vontade em uma ideia empreendedora de grande valor.

São oito perguntas diretas, sem rodeios. Se você conseguir respondê-


las de forma concisa, parabéns. Você tem uma ideia empreendedora. Se você
estiver meio enrolado, melhor dar alguns passos para trás e pensar mais. Essa
confusão costuma acontecer quando você ainda não saiu da Vontade. Muito
importante: não se preocupe com as outras etapas do processo. Fique apenas
focado em preencher as sete perguntas. Elas já exigirão bastante de você.

A) PROBLEMA

Qual é o problema você está resolvendo? Um negócio não começa


pela ideia. Começa resolvendo um problema. Se você não resolve nenhum
problema, por que as pessoas irão até você?

Toda iniciativa empreendedora começa resolvendo um problema. Se


não há problema a ser resolvido, existe uma grande chance da ideia não
vingar.
Einstein já dizia: “Se tivesse uma hora para resolver um problema e
minha vida dependesse dessa solução, eu passaria 55 minutos definindo a
pergunta certa a se fazer”

Se você investir energia num problema que todos já identificaram, terá


que ter uma ótima solução. Agora, se você encontrar um problema inédito, a
primeira ideia já basta.

Lembre-se que um negócio nunca começa pela ideia. Sempre pelo


problema. Identificar problemas não é difícil. Olhe para o seu dia-a-dia e eles
aparecerão. O difícil é fugir da tentação de correr para a solução antes de
desenhar bem o problema.

B) QUEM

Quem costuma ter esse tipo de problema? Em que situação? Escolha


um público-alvo. O maior erro é achar que todos vão consumir o que você está
vendendo. Quando você fala com todo mundo, não fala com ninguém.

A pergunta dois é, basicamente, uma continuação da primeira. Já que


ter um problema é fundamental, precisamos fazer uma outra pergunta. Não
queremos um problema hipotético. Precisamos do problema de quem está na
trincheira, no dia a dia. Precisamos enxergar uma demanda latente. Pessoas
que estão loucas para comprar o que você tem para oferecer. E só não
compram porque ainda não existe.

C) IDEIA

Explique em 140 caracteres. Não se preocupe em descrever todos os


seus diferenciais. O importante aqui é definir em poucas palavras.

Aqui, o importante é ser conciso.


Se você precisa de mais de 140 caracteres para explicar, atenção. É
possível que você esteja cometendo o segundo erro mais comum dos
empreendedores iniciantes: complicar demais a ideia antes mesmo dela existir.

Existe uma dica, repetida exaustivamente entre programadores


experientes, que diz: em vez de adicionar funcionalidades, tire. E é isso
mesmo. Se você quiser solucionar todos os problemas do mundo com a sua
ideia, você não estará resolvendo nenhum. Concentre-se numa coisa que seja
relevante e você já terá muito. Outro ponto importante é que, ao sintetizá-la,
você conseguirá explicar o seu negócio de maneira muito mais rápida e
eficiente.

Acredite: dificilmente alguém vai comprar aquilo que não entender. Um


pitch tem que captar a atenção do espectador (seja um cliente, seja um
investidor, seja um parceiro estratégico) na primeira frase.

D) DINHEIRO

Como você vai ganhar dinheiro? Evite respostas complexas. Se você tem
uma floricultura, a resposta esperada é: Vendendo fores.

E) NOTÍCIA

O que você vai fazer que ninguém nunca fez? Certamente existem
várias ideias parecidas com a sua no mundo. Algumas inclusive já estão
rodando há algum tempo. O que você tem de especial que ninguém tem? O
que será uma pequena – ou grande – notícia do seu business?

Eu acredito em empreendedorismo, mas acredito ainda mais em


empreendedorismo criativo. Por isso acho essa pergunta tão importante.

No início do business, você terá poucos recursos. O boca-a-boca é


fundamental. Mas só existe boca-a-boca se existe notícia. Qual é a notícia da
sua ideia? O que as pessoas vão comentar? Lembre-se: Se um cachorro
morde um homem, não é notícia. Se um homem morde um cachorro, é. E você
tem que saber fazer isso muito bem. Veja esse exemplo de notícia em formato
de texto.

Segundo David Ogilvy, autor de confissões de um publicitário “A


headline é o elemento mais importante na maioria dos anúncios. É o que
decide se o leitor irá ler o texto”.
O anúncio acima contém o que é indiscutivelmente considerado o título
mais famoso de todos os tempos. Mas por que é isso? Para responder a isso,
devemos pensar criticamente sobre a mensagem subjacente aqui e o que a
Ogilvy está tentando transmitir aos leitores.

Imagine esse cenário: é 1958, os americanos vivem em uma era próspera


da pós-guerra há anos e o automóvel é o símbolo final do status de rolamento.
O pessoal da Rolls-Royce se aproxima de Ogilvy para promoção. O que David
poderia fazer para persuadir os compradores para um Rolls-Royce versus a
série de outras opções de luxo? Em essência, um carro de luxo é apenas um
carro de luxo, certo? Todos afirmam serem rápidos, confortáveis e clássicos.
Ogilvy reconheceu as semelhanças entre todas as ofertas de automóveis de
luxo e procurou uma característica notável. “Um benefício que falasse com
público”. Mas qual o benefício que a elite superior desejaria mais? O grande
marketeiro sabia que uma fuga do mundo barulhento e empobrecido é algo que
a classe alta deseja notoriamente. Ou, em outras palavras, desejam paz e
tranquilidade. Então, simplesmente tirando uma citação do redator do Editor
Técnico em The Motor, ele teve sua manchete:

“A 60 milhas por hora,a coisa mais alta que você vai conseguir ouvir
no novo Rolls Royce vem do relógio de ponteiro”

Eureka! Ele havia anunciado o ouro. E os ricos e famosos finalmente


tiveram uma opção para escapar da média, o mundo cotidiano das classes
baixas, enquanto dirigiam de mansão para casa de praia.

F) VOCÊ

Por que você é a pessoa certa para botar em prática essa ideia? Se só
você reúne as qualidades para montar um negócio assim, você dificilmente
será copiado. Por isso, ao juntarmos as cinco respostas anteriores com a sua
personalidade, temos que encontrar alguma conexão.

Pense comigo: se você não é a pessoa certa para botar em prática essa
ideia, por que você quer botar em prática essa ideia? A jornada
empreendedora é dura, longa e demanda muita entrega. Vai exigir muito
estômago, pulmão e todo o seu coração. Além disso: se você não é a pessoa
ideal para tirar essa ideia do papel, qualquer outro player (talvez, com muito
mais recursos) pode fazer um produto parecido e dinamitar o seu sonho. O que
você tem, que ninguém mais tem, e que justifica a sua presença nesse
negócio?

G) RECURSOS

O que precisa para começar? Provavelmente, a pergunta mais


importante. E ela é bem literal: o que você precisa para começar. Uma cozinha
industrial? Um post no Facebook?

O objetivo com essa pergunta é criarmos o menor caminho possível


entre a Matriz da Ideia e o início do seu PMV (produto mínimo viável).

H) IMPACTO POSITIVO

Ela faz o mundo um lugar melhor? Por quê? Se não faz, porque você
quer construir essa iniciativa? Toda empresa, na sua declaração de Missão,
Visão e Valores, está ajudando o mundo a ser um lugar melhor. E olhar para
esse impacto com atenção, cuidado – mas, principalmente, responsabilidade.

Veja mais sobre impacto positivo


Segundo a Singularity University se você está diretamente ligado a uma dessas
áreas, você (muito provavelmente) está gerando impacto positivo.

SOBREVIVÊNCIA: água, comida e pobreza - Um bilhão de pessoas


vivem sem água. Sem água e comida, elas se veem presas à miséria e
lutam para sobreviver.
BÁSICO: saúde - Só com água é possível começar a pensar em
saneamento básico. E só com saneamento é que é possível pensar em
saúde.
CIDADANIA: educação e segurança - Apenas com saúde é que a
pessoa pode pensar em se educar e aumentar o seu grau de cidadania.
Quando isso acontece, os índices de violência despencam.
CONSCIÊNCIA: energia e meio ambiente - E, só a partir daí, é que ela
começa a pensar em entrar na economia, promovendo o uso de
energias limpas e o cuidado ao meio ambiente.

Conclusões e gancho para a próximo módulo


Nesta aula o aluno aprendeu sobre como, a partir de uma vontade, é
possível criar uma ideia empreendedora.

CONCLUSÕES FINAIS DO MÓDULO 3 - COMPETÊNCIAS

Esse foi o terceiro módulo do curso Código da Riqueza. Você pôde aprender
conceitos valiosos em treze grandes áreas.

Necessidades básicas dos seres humanos


Empreendedorismo e habilidade gerenciais
Estudo da trajetória de vida para empreender
Performance e foco
O estado de fluxo e produtividade
Como criar relações intencionais
Inteligência
Inteligência emocional
Competências metacognitivas para a carreira
Atitudes inteligentes frente às adversidades
Como ser mais persuasivo
Habilidades do administrador
Como transformar uma vontade numa ideia empreendedora

No Módulo 4 do Código da Riqueza você vai aprender a mentalide de


sucesso, mais conhecido com Mindset Até lá.
TOMADA DE DECISÃO

Módulo: COMPETÊNCIAS

Perguntas para tomadas de decisão.

Responda essas perguntas com calma e de maneira específica. As suas


respostas revelarão o que você sabe, sente e entende como prioridade nesse
momento da sua vida. Os exercícios de fixação servirão como base
estruturante para as definições de objetivos e o seu plano de ação coerente a
partir dessa parte do programa de treinamento do Código da Riqueza.

7. Após a explicação dos conceitos apresentados nesse módulo, O QUÊ


VOCÊ SABE, AGORA?

8. Após as explicações dos conceitos apresentados nesse módulo, COMO


VOCÊ SE SENTE, AGORA?

9. Após as explicações dos conceitos apresentados nesse módulo, O QUE


É MAIS IMPORTANTE, AGORA
PLANO DE AÇÃO

O plano de ação do Código da riqueza deverá ser preenchido com atenção ao


final deste módulo. Ele representará todas as etapas responsáveis por uma
boa formulação e execução dos objetivos. Elas estão divididas nas seguintes
áreas:

Objetivo;
Evidência
Motivadores / ganhos
Sabotadores / perdas
Valores / relevância
Recursos
Estratégias
Ações
Primeiro passo
Responsabilidade
Comprometimento

O programa a seguir deverá ser descrito de maneira mais especifica possível


seguindo a estratégia S.M.A.R.T.

SPECIFIC (ESPECÍFICO)
MEASURABLE (MENSURÁVEL)
ACHIEVABLE (ALCANÇÁVEL)
RELEVANT (RELEVANTE)
TIME (PRAZO)
OBJETIVOS

O que você deseja especificamente? Qual o contexto?

ONDE

Onde você quer que isso aconteça?

QUEM

Quem participa desse objetivo?

QUANDO

Quando vai acontecer

EVIDÊNCIA

Qual é a evidência de que você conseguiu?


MOTIVADORES E GANHOS

O que você ganha com isso? Quais são os benefícios que você obterá?

SABOTADORES E PERDAS
O que você perde com isso? Este objetivo ou resultado afeta negativamente outras
pessoas do meio do qual você faz parte? (Se a respostas for sim, o que você precisa
alterar no seu objetivo para que afete apenas positivamente outras pessoas ou seu
meio?

VALORES/RELEVÂNCIA
Por que isso é importante para você? Quais os valores que você irá satisfazer com esta
meta? Por que isso é realmente importante para você?

RECURSOS
Do que vai precisar? (Recursos financeiros, conhecimentos, métodos, tempo,
habilidades, competências)

ESTRATÉGIAS
Quais as formas para conseguir isso? Quais serão suas estratégias? Você conhece
alguém que já fez isso? Como esta pessoa conseguiu?
AÇÕES

Quais são os passos para conseguir isso? Qual será seu plano de ações?

PRIMEIRO PASSO

Qual será o primeiro passo?

RESPONSABILIDADE
Depende de quem para que seu objetivo seja realizado? O que você pode fazer para
que esse objetivo dependa de você para ser iniciado hoje e mantido por você?

COMPROMETIMENTO
Qual o seu grau de comprometendo em realizar isso? O que você pode fazer para
aumentar seu grau de comprometimento?
MINDSET
PALAVRAS INICIAIS

O assunto desse módulo de aula é Mindset. Como a nossa mente está


orientada para as nossas atitudes. Todos os nossos pensamentos (conscientes
ou não) são definidos pela nossa estrutura mental.

Composto por oito aulas, esse módulo vai fazer uma abordagem
profunda sobre esse aspecto tão poderosos e ainda pouco conhecido da mente
humana. Abaixo estão relacionadas as aulas:

AULA 1 - O que é mindset


AULA 2 - O mindset que atrapalha a riqueza
AULA 3 - Mindset de crescimento e pensamento otimista
AULA 4 - O pensamento alienado
AULA 5 - Mindset nos bancos escolares
AULA 6 - O mindset das pessoas ricas
AULA 7 - Pensar grande e transformar pensamentos em ação
AULA 8 - Mindset e a sua relação com o tempo

Seja bem vindo.


RODA DO CÓDIGO DA RIQUEZA - MINDSET

Para o início desse módulo, você deverá preencher a RODA DO


CÓDIGO DA RIQUEZA – MINDSET. Trata-se de uma roda de 8 níveis
relacionados ao ambiente que você vive e as pessoas que convivem com você
nele. Você deverá colocar uma nota de 0 a 10 de acordo com o seu nível de
satisfação com relação a esse pilar. Os níveis são:

1. Você. De uma nota de 0 a 10 para o que você pensa sobre você


mesmo. Você acredita no seu potencial, em você e na sua força
de vontade? Seu ideais são fortes e convincentes o suficiente
para vencer todos os obstáculos? Você é uma pessoa com a
mentalidade inabalável ou seus medos e anseios te dominam?
2. Pessoas. De uma nota de 0 a 10 para o que você pensa sobre as
pessoas no Brasil? Elas são justas, batalhadoras e com ótimas
intenções ou o brasil é um pais onde as pessoas são os maiores
problemas da nossa sociedade? Coloque um nota que represente
a sua opinião sobre a média.
3. Matéria prima. De uma nota de 0 a 10 para o que você pensa
sobre a matéria prima que temos no Brasil. Nossos recursos
ambientais e físicos são abundantes ou precários? Diga o que
você pensa sobre esse pilar?
4. Educação. De uma nota de 0 a 10 para explicar como você
pensa sobre a educação no Brasil. Ela é prospera ou precária em
sua opinião?
5. Negócios. De uma nota de 0 a 10 para o que você pensa sobre
negócios. É bom empreender no Brasil ou você acredita que é um
pais burocrático e que oferece poucas oportunidades de negócios
nos diversos setores?
6. Emprego. De uma nota de 0 a 10 para o que você pensa sobre
emprego no Brasil. Existe em abundância ou estamos vivendo um
momento de escassez de oportunidades de emprego?
7. Economia. De uma nota de 0 a 10 para o que você pensa sobre
a economia brasileira. Ela é forte e está em processo de
crescimento ou para você é fraca e está em decadência?
8. Tecnologia. De uma nota de 0 a 10 para o que você pensa sobre
a nossa produção tecnológica. Somos um país que inova e cria
tecnologia para melhorar a vida dos brasileiros ou temos que
importar tecnologia por conta da nossa incapacidade de
desenvolvê-la?

Com o resultado desse exercício você entenderá melhor como pensa em


relação aos 8 pilares envolvidos no mindset das pessoas.

A partir de agora, é a sua vez de preencher a sua RODA DO CÓDIGO


DA RIQUEZA – MINDSET
AREAS PONTUAÇÃO
1. VOCÊ
2. PESSOAS
3. MATÉRIA PRIMA
4. EDUCAÇÃO
5. NEGÓCIOS
6. EMPREGO
7. ECONOMIA
8. TECNOLOGIA

MÉDIA ______________________
AULA 1
O QUE É MINDSET

O CÓDIGO DA RIQUEZA

Módulo - MINDSET

Capítulo O QUE É MINDSET

Aula - 01

Temas estruturantes da aula: Nesta aula o aluno irá aprender o conceito sobre
Mindset e como ele orienta os nossas atitudes e resultados

Mindset é o conjunto de ideias, crenças e valores de uma pessoa possui


e que pode ser traduzida como modelo mental predominante. Esse modelo é
responsável pela maneira como o indivíduo compreende, enxerga e julga tudo
o que acontece em sua vida, motivando suas decisões e atitudes. Trata-se da
percepção que cada um tem da realidade em que está inserido, norteando sua
vida. Esse conceito foi extensamente proposto por Carol S. Dweck, professora
de Psicologia, da Universidade de Stanford, Ela considera que o mindset é a
psicologia do sucesso. As pessoas possuem dois tipos de mindset; fixo e ou
de crescimento.

“Nosso Mindset explica e, muito, o nosso modo otimista ou pessimista de


ver a vida e se portar diante dela”.

O Mindset Fixo é aquele faz com que os indivíduos acreditem que se


não nascem com determinadas capacidades e dons, naturalmente, não
poderão desenvolvê-los ao longo de sua existência. Estas pessoas tem a
tendência de ter pensamentos mais pessimistas, tanto no âmbito profissional
quanto no pessoal. Por outro lado, no mindset de crescimento, as pessoas
acreditam que seus talentos e habilidades podem sim, ser desenvolvidos, se
forem pacientes, focados e trabalhados de maneira deliberada. Profissionais
com este perfil são aqueles que estão destinados ao sucesso, pois buscam
incessantemente, vencer suas limitações e aprimorar seus conhecimentos.

Embora os estudos e a atenção da população acadêmica, de modo


geral, estar bastante relacionada nas ultimas décadas para o desenvolvimento
de múltiplas inteligências (Howard Gardner) e Inteligência emocional (Daniel
Goleman), existem outras vertentes que se concentram em ensinar, de maneira
sistemática o mindset de crescimento nas escolas. Segundo o livro “O que as
escolas não nos ensinar” de João Cristofolini, existem sete habilidades que são
deixadas de lado e que fazem parte, indiscutivelmente, dos elementos
formadores do sucesso de qualquer individuo, e portanto, deveriam ser
ensinadas de maneira formal em todos os bancos escolares. Dentre elas estão
as habilidades sobre empreendedorismo, marketing e vendas, liderança,
educação financeira, saúde e espiritualidade e principalmente, aprender
sobre como utilizar a mente, ou seja, mindset.

O mindset exerce uma força poderosa em nossas mentes, sobretudo no


que se diz respeito aos vieses inconscientes e cognitivos. Diversos estudos e
pesquisas já foram desenvolvidos para entender o completo funcionamento de
nossa mente, desde as ideias iniciais de Freud, filosofias orientais,
psicanalistas, cientistas, neurociência moderna, revistas, etc. A revista Super
Interessante apresentou uma reportagem de capa com o tema “O mundo
secreto do subconsciente”, a qual entre vários assuntos mostra que a emissora
inglesa BBC perguntou a sete dos maiores experts do mundo em cérebro e
cognição, de quatro grandes universidades (Oxford, Montreal, Columbia e
Londres) sobre o tamanho do subconsciente e do consciente em nossa mente.
Pelas estimativas dos especialistas, a consciência ocupa no máximo 5% do
cérebro. Todo o resto, 95%, é o reino do inconsciente. Esse fenômeno acomete
a vida de todos os indivíduos, inclusive e principalmente enquanto são jovens.
Não é muito incomum crianças ouvirem, por exemplo, esses conceitos sobre
dinheiro logo no começo de suas vidas e que determinam a sua forma de
pensar.

Somos pobres, mas felizes;


A casa é de pobre, mas é limpinha;
Não temos dinheiro para comprar isso;
Você acha que dinheiro dá em árvores?;
Você acha que sou feito de dinheiro?;
Os ricos são gananciosos;
Não somos ricos;
Você nasceu eu uma família pobre e será pobre também;
Nunca vou ficar rico;
Só se eu ganhar na Mega-sena;
O dinheiro não é importante;
Pessoas ricas não são felizes;
Você prefere ser rico ou feliz?;
Estude bastante para conseguir um bom emprego, meu filho;
O governo é sempre culpado;
Nesse país não dá pra ganhar dinheiro;
Estamos trabalhando bastante para conseguir trocar de carro e pagar
nossa casa;

Esse tipo de forma de pensar retrata definitivamente o pensamento de


mindset fixo que é inserido na mente de muitos brasileiros. Em contrapartida,
as pessoas que tem mindset de crescimento tem uma relação bastante distinta.
Veja as diferenças:

Pessoas de mindset fixo reclamam da falta de dinheiro. Pessoas


de mindset de crescimento conversam sobre como ganhar mais
dinheiro.
Pessoas de mindset fixo pensam pequeno. Pessoas de mindset
de crescimento pensam grande.
Pessoas de mindset fixo passam horas e horas assistindo a TV.
Pessoas de mindset de crescimento leem livros e revistas sobre
prosperidade e sucesso.
Pessoas de mindset fixo não gostam do que fazem. Pessoas de
mindset de crescimento fazem o que gostam (amam).
Pessoas de mindset fixo invejam pessoas ricas. Pessoas de
mindset de crescimento admiram pessoas ricas.
Pessoas de mindset fixo visualizam problemas e dificuldades em
tudo. Pessoas de mindset de crescimento visualizam soluções
e oportunidades em cada aparente problema.
Pessoas de mindset fixo deixam o medo as bloquear. Pessoas
de mindset de crescimento usam o medo a seu favor.
Pessoas de mindset fixo têm medo do risco. Pessoas de
mindset de crescimento aprendem a controlar seus riscos e
arriscar sempre.

“O pior inimigo das pessoas é ela mesma. E as pessoas,


às vezes, pensam: ‘isso não é pra mim’, ‘eu não consigo
fazer isso’ o outro tem mais verdade do que eu.
Pensamos não sermos capazes de fazer as coisas
acontecerem. E este é o pior inimigo” (Sérgio Furio)

Conclusões e gancho para a próxima aula

Nesta aula o aluno aprendeu sobre as diferenças brutais entre os dois


tipos de Mindset e como essa relação determina o poder do nosso
subconsciente

Na próxima aula, o assunto será sobre o Mindset que atrapalha a


prosperidade
AULA 2
MINDSET QUE ATRAPALHA A RIQUEZA

O CÓDIGO DA RIQUEZA

Módulo - MINDSET

Capítulo – O MINDSET QUE ATRAPALHA A RIQUEZA

Aula - 02

Temas estruturantes da aula: Nesta aula o aluno irá aprender todos os principais
pontos sobre Mindset Fixo que atrapalha as pessoas a se tornarem ricas

A seguir estão relacionados alguns trechos de atitude mentais que


rejeitam a prosperidade do livro “A prosperidade em suas mãos” de Yoshihico
Iuassaca. Esses trechos se referem ao Mindset fixo que atrapalham as
pessoas de se tornarem ricas.

Inveja de pessoas ricas. A palavra inveja vem do latim “não querer ver”. Ao
não querer ver pessoas ricas, você está rejeitando a própria riqueza. Você não
precisa ter inveja de pessoas ricas, não precisa ter inveja de seu vizinho
porque ele trocou de carro, foi promovido, ou está ganhando mais, a inveja só
vai fazer com que a prosperidade se afaste cada vez mais de você. Mude sua
atitude mental de inveja para admiração, procure entender o que estas pessoas
estão fazendo, o que estão pensando, onde estão andando, com quem estão
saindo. A riqueza e o sucesso são infinitos, felizmente seu vizinho não precisa
ser um fracassado para você ser um sucesso, e vice-versa, ambos podem ser
um sucesso, por isso não há motivos para ter inveja.

Pensamentos negativos. Comece a observar o comportamento e o reflexo


das pessoas a seu redor, veja se as pessoas que mantêm sempre
pensamentos negativos e que reclamam de tudo e de todos atraem coisas
boas ou negativas para si. Observe o mesmo comportamento em pessoas
bem-sucedidas. Você não precisa reinventar nada, não precisa estudar nada
para isso, basta simplesmente observar os dois tipos de comportamento e
escolher qual você quer seguir, simples assim.

Ver o concorrente como inimigo. É muito comum não só entre empresas,


mas principalmente entre pessoas, da mesma empresa, da mesma família etc.
“Aquele cara roubou minha vaga”, “Aquele cara abriu um negócio na frente do
meu”, “Esse novo rapaz que entrou na empresa agora vai me prejudicar”.
Tenha certeza de uma coisa, concorrente não só não é seu inimigo como é sua
maior ferramenta para o sucesso. Isso mesmo, você não leu errado. Se não
existissem concorrentes muitas pessoas estariam no mesmo lugar até hoje,
muitos negócios estariam atuando da mesma forma há anos e décadas,
inúmeras invenções, descobertas e melhorias no mundo não teriam surgido. É
o concorrente ou oponente que nos faz reinventar a cada dia, que faz nossa
criatividade ir a busca de coisas novas, que faz nos esforçarmos ainda mais no
trabalho, é isso que faz o mundo girar. Agradeça a seu concorrente, agradeça
a pessoa que está “concorrendo” com a mesma vaga ou posição que a sua, ela
fará você extrair o máximo de capacidade que possui.

Viver com a mão fechada. Vamos estudar mais à frente sobre educação
financeira. Assim como temos muitas pessoas que não conseguem controlar
suas finanças e vivem acima de suas situações financeiras atuais, existe o
oposto que cultiva o dinheiro como uma raridade. E as duas atitudes, os dois
opostos em excesso, prejudicam sua situação financeira e mental.

Pagar as contas se queixando. Quer uma experiência melhor do que esta?


Observe o semblante, os pensamentos e conversas das pessoas que estão na
fila do banco. É incrível! Ainda acho que esse deve ser um dos lugares mais
poluídos mentalmente por metro quadrado. Cuidado você que transita
frequentemente por lá, ou que trabalha por lá, é hora de mudar esse quadro.
Agora pense um pouquinho, você já viu algum mendigo de fato, na fila de um
banco, pagando as parcelas de seu veículo, casa ou viagem do final de ano?
Provavelmente não, ou não seria um mendigo. Só tem conta para pagar quem
tem crédito, só tem crédito quem supostamente tem condições de pagar e só
tem condições de pagar quem tem dinheiro. Ou você prefere estar na posição
do mendigo, sem ter mais nada para pagar pelo resto da vida? É possível, você
que escolhe. Sugiro começar a agradecer a cada vez que for pagar alguma
coisa. Vai pagar a parcela do carro, agradeça por ter a oportunidade de
comprar e ter aquele veículo, vai pagar a escola de seu filho, agradeça por ter
oportunidade de fazer isso, vai pagar sua dívida, agradeça pela oportunidade
que teve, e pelo aprendizado, espero.

Trabalhar sempre em benefício próprio. Veremos a seguir que sucesso e


prosperidade estão totalmente relacionados também com a quantidade de
pessoas que seu trabalho, produto, serviço ou ideia beneficiarão, quanto mais,
melhor.
Culto à pobreza honrada. O ser humano, em especial o brasileiro, até mesmo
por sua história, de colonizadores e descendentes, parece ter orgulho ou até
mesmo necessidade de se mostrar um coitado. E querer se mostrar um coitado
é o maior fracasso que você pode ter. Querer que as pessoas tenham pena de
você, ou mostrar que porque nasceu em uma família pobre, ou em uma cidade
x ou y, não pode ter sucesso. Não importa sua situação atual e sim onde você
quer estar. E mais, grande parte dessas pessoas que cultivam a pobreza
honrada já possuem muita coisa, nunca vi um mendigo ter honra da pobreza, é
muito mais comum ver isso em pessoas de classe média, que não são pobres,
mas também por algum motivo não conseguiram ainda sair do meio e migrar
para o outro lado.

Para Iuassaca as atitudes mentais que atraem a prosperidade são:

Manter sempre o pensamento “já sou rico”


Falar e pensar somente em prosperidade
Agradecer o que já tem
Gostar de seu trabalho e de sua profissão
Conclusões e gancho para a próxima aula

Nesta aula o aluno aprendeu sobre as atitudes mentais que declinas as


pessoas para a aproximação da sua riqueza. Todas elas são destruidoras de
sonhos

Na próxima aula, o assunto será o Mindset de crescimento e o


pensamento otimista.
AULA 3
MINDSET DE CRESCIMENTO E PENSAMENTO OTIMISTA

O CÓDIGO DA RIQUEZA

Módulo - MINDSET

Capítulo – MINDSET DE CRESCIMENTO E PENSAMENTO OTIMISTA

Aula - 03

Temas estruturantes da aula: Nesta aula o aluno irá aprender todos os pensamentos
alavancadores que determinam crenças positivas que levam ao sucesso

O sucesso também depende do otimismo. Ser otimista é imaginar a todo


instante, mentalizar a todo segundo sobre o que queremos, sobre a vida que
desejamos. Psicólogo e professor, Martin Seligman é um dos maiores
pesquisadores sobre Otimismo. Em seu Livro: Aprenda a Ser Otimista, o autor
investiga a relação dos otimistas e pessimistas e o porquê, diante de um
mesmo fato, pessoas reagem de modo diferente, principalmente diante das
adversidades.

Pesquisas apontam que as pessoas podem aprender a ficar passivas e


deprimidas diante de acontecimentos incontroláveis. O interessante é que, se
podem aprender a ficar pessimistas, o reverso também é possível, ou seja,
podem da mesma forma aprenderem a ficar otimistas. Dessa forma, aprender a
ser otimista, por meio da modificação do estilo explicativo, se torna num
importante aliado para nosso bem estar físico e, sobretudo mental. Seligman,
aponta, por exemplo, que as mulheres sofrem duas vezes mais de
depressão do que os homens porque elas têm a tendência de ruminar
sobre os acontecimentos, meditar sobre eles, contemplando-os, enquanto os
homens tendem, ao invés de refletir, a agir.
Carlos Wizzard em seu livro: Desperte o Milionário que há em Você; como
gerar prosperidade mudando suas atitudes e postura mental afirma que
existem sete desculpas mortais para os negócios:

1 – Aqui nada dá certo;


2 – A concorrência é muito grande;
3 – É preciso pagar muitos impostos;
4 – Falta dinheiro;
5- Existem crises e incertezas;
6 – Não tenho sorte.

A sétima desculpa, segundo Carlos, é aquela que nós estamos acostumados


a falar a nós mesmos.

A mudança do pessimismo para o otimismo envolve, de acordo com a


terapia cognitiva ou psicologia positiva a mudança do estilo explicativo, ou seja,
é preciso mudar a maneira como você vê as coisas. A boa nova é que sua
eficácia está no fato de não requerer medicamentos e poder ser utilizada sem
moderação. É a capacidade de se autogerir, como sugere Napoleon Hill.

O otimismo também é utilizado nos esportes. Pesquisas comprovam que


equipes e atletas otimistas conseguem resultados superiores sobre os que são
pessimistas. Além disso, os benefícios do pensamento otimista encontram
respaldos científicos em áreas como a saúde, impactando de maneira
significativa o sistema imunológico e na política. Nas eleições presidenciais
norte-americanas, por exemplo, concluiu-se que candidatos mais otimistas
venciam as disputas, na maioria dos casos.

Será que então, existe uma fórmula, uma rota, um caminho para se
vencer o pessimismo? Pode parecer uma pergunta pouco óbvia, mas
Seligman, afirma que sim.
Os princípios básicos para vencer o pessimismo, e mudar o estilo explicativo
de forma permanente para otimismo, envolvem uma técnica chamada ACCCE.
Onde:

 A – Adversidade: Capacidade de entender que está ocorrendo uma


adversidade;

 C – Crença: crença, nossa interpretação da realidade;

 C – Consequências: registro do que aconteceu;

 C- Contestação: consiste em argumentar contra as suas crenças


limitantes sobre o ocorrido;

 E – Energização: que ocorre à medida em que você consegue controlar


as crenças negativas, se sentindo melhor.

O ACCCE não tem relação com métodos de autoajuda, com pouca ou


nenhuma evidência científica, e sim o contrário. É uma ferramenta validade
cientificamente através dos estudos longitudinais.

O otimismo está presente em nossas vidas em outras formas também. Uma


pesquisa revelou que 52% delas acreditam que o valor mais admirável em
uma pessoa é sua determinação. É possível ser uma pessoa determinada
ser pessimista? Resposta óbvia não é?

Não há dúvidas que o otimismo pode ser aprendido, treinado e incorporado


em nossas vidas, característica esta que os melhores no que fazem possuem e
que todos nós temos a capacidade de desenvolver. Embora o otimismo ser
uma ferramenta eficaz, é importante frisar que não é a solução de todos os
males, contudo é mais um dos componentes para o sucesso.

Os pensamentos são elementos transformadores. Os pensamentos são as


condições iniciais de tudo, são os elementos construtores, as bases que
alicerçam os sonhos de todos nós. Tudo nasce com o pensamento. O
pensamento atrai. Se pensarmos coisas boas atrairemos coisas boas e o
inverso também se aplica, ao pensamos coisas ruins, atrairemos coisas ruins.

Sobre o pensamento existem estudos e teorias bem aceitos. Uma delas e


bem conhecida pela maioria das pessoas é a Lei da Atração. Esta lei possui
várias definições, mas popularmente foi utilizada pelo Novo Pensamento ou
Movimento Novo Pensamento que é um movimento espiritual que apareceu
nos EUA no final do século XIX e que enfatiza crenças metafísicas. Ou seja,
são tentativas de descrever os fundamentos, as condições, as leis, a estrutura
básica, as causas ou princípios dos seres vivos em geral.

Um dos temas centrais da Leia da Atração é o conceito de que os


pensamentos das pessoas (conscientes ou não) determinam a sua
materialização. Ela diz que se nós colocarmos um pensamento muito forte em
algo que desejamos isso geralmente irá acontecer da mesma forma que se
empenharmos nossos esforços mentais em grande escala em algo que não
desejamos, isso também irá acontecer. É o princípio onde o pensamento e a
mente ditam a concretização e materialização dos desejos.

Muitos dos modernos seguidores dizem que a Lei da Atração tem suas
raízes na Física Quântica. Essa lei ficou tão famosa na utima década que foi
persussora do best seller – o livro “O Segredo”do qual diz:

“Os pensamentos possuem uma energia que atrai energias semelhantes.”

Para controlar esta energia, os proponentes da teoria dizem que as pessoas


devem ter bem esclarecido quatro coisas:

1. Saber o que você quer;


2. Pensar no que querem com bastante convicção;
3. Sentir e se comportar como se o objeto de seus desejos está a caminho;
4. Estarem abertos para recebê-lo.

Assim e segundo essa teoria o Universo irá manifestar os desejos da


pessoa. É importante ressaltar que nada acontecerá apenas pensando e
meditando com toda a força do planeta. A Lei da Atração não é nada sem os
outros hábitos que foram abordados anteriormente. Sem ação, cautela, esforço
e empenho, por exemplo, seus objetivos não serão concretizados.

Como medir a força dos nossos pensamentos? É possivel saber se


caminhamos com mais ou menos força no nosso pensar? Não, é impossivel!
Desta forma, muitos cientistas ainda refutam a teoria, exatamente pela
impossibilidade de medição direta. Apesar disso, as pessoas de sucesso
concordam 100% com esta proposta quântica, de que tudo começa com o
pensamento e que o mesmo tem o poder da transformação de atitutes. Meditar,
mentalizar, visualizar, não apenas é uma prática, como um hábito sistemático
das pessoas de sucesso.

Mais uma vez é possível mencionar essa prática nos esportistas de alto
nível. Eles possuem a capacidade de se concentrarem, simularem suas
competições antes mesmo de competirem. Essa rotina, segundo grande
atletas, fizeram toda a diferença nas suas vidas esportivas.

Conclusões e gancho para a próxima aula

Nesta aula o aluno aprendeu sobre a importância de ter um pensamento


positivo e que isso pode e deve ser treinado todo os dias.

Na próxima aula, o assunto terá acesso ao mais proeminentes aspectos


do pensamento alienado
AULA 4
O PENSAMENTO ALIENADO

O CÓDIGO DA RIQUEZA

Módulo - MINDSET

Capítulo – PENSAMENTO ALIENDADO

Aula - 4

Temas estruturantes da aula: Nesta aula o aluno irá aprender

Infelizmente, a minoria das pessoas tem clareza sobre seus


pensamentos e como conquistar seus objetivos de maneira consciente e
duradoura. Poucas são as pessoas que tem discernimento sobre os seus
pensamentos e como se posicionar no protagonismo de suas próprias vidas.
Todos aqueles que pensam e agem de maneira positiva e não esperam que os
resultados seja fruto do acaso são os agentes transformadores do seu destino.
São eles que definem como irão viver suas vidas e escrevem seus próprios
destinos. Todas as outras pessoas podemos chamar de alienadas. Indivíduos
que mantém um pano negro bem diante dos seus olhos.

Como identificar uma pessoa alienada

A primeira coisa que você notará em um alienado é a sua total falta


de propósito sobre a vida.
A sua falta de autoconfiança será evidente.
Ele nunca conquistará nada através do pensamento e do esforço.
Ele gasta tudo o que ganha e gasta ainda mais se consegue crédito.
Ele ficará doente ou debilitado por alguma causa real ou imaginária,
e clamará aos céus ao sofrer a menos dor física.
Ele terá pouca ou nenhuma imaginação.
Ele não terá entusiasmo nem iniciativa para começar qualquer coisa
que não seja forçado a fazer e expressará claramente a sua fraqueza
pegando o atalho de tudo que puder.
Ele terá um temperamento explosivo e total falta de controle sobre
suas emoções.
A sua personalidade será sem magnetismo e não atrairá nenhuma
pessoa à sua volta.
Ele terá muitas opiniões sobre muitas coisas, mas nenhum tipo de
conhecimento apurado sobre nada.
Ele normalmente diz saber tudo de tudo, mas não é bom em nada.
Ele se negará a cooperar com aqueles que estão à sua volta, mesmo
aqueles que possam depender de seu trabalho para comida e abrigo.
Ele cometerá os mesmos erros, várias e várias vezes, nunca tirando
proveito do fracasso.
Ele terá uma mente limitada e intolerante em todos os aspectos,
sempre pronto a crucificar todos aqueles que estiverem em
desacordo com ele.
Ele esperará tudo dos outros, mas estará disposto a dar pouco, ou
nada, em troca.
Ele começa várias coisas, mas não termina nada.
Ele será taxativo na condenação do seu governo, mas ele nunca lhe
dirá definitivamente como a gestão pode ser melhorada.
Ele nunca tomará decisões sobre nada, se puder evita-las, e, se for
forçado a decidir, tem grande possibilidade de que ele reverta suas
decisões na primeira oportunidade.
Ele comerá muito e se exercitará muito pouco.
Ele beberá bebida de álcool, se alguém pagar para ele.
Ele apostará muito.
Ele criticará outros que estiverem sendo bem-sucedidos em suas
careiras.
Em poucas palavras, o alienado trabalhará duro para não pensar,
enquanto outros trabalharão para ter uma vida boa.
Ele contará uma mentira, antes de admitir sua ignorância em
qualquer assunto.
Se ele trabalhar para outros, ele os criticará pelas suas costas e os
elogiará na sua frente.

Como identificar uma pessoa não alienada

Os sinais de um não alienado são esses:

Ele está sempre engajado em fazer algo definido, através de algum


plano muito bem organizado e detalhado, o qual também é definido.
Ele tem um objetivo maior na vida, no qual ele está sempre
trabalhando, e muitos outros menores objetivos, todos os quais o
levam ao seu esquema estratégico central.
O tom da sua oz, a rapidez do seu passo, o brilho dos seus olhos, a
rapidez de suas decisões claramente marcam-no como uma pessoa
que sabe exatamente o que quer e está determinada a consegui-lo,
não importa quanto tempo possa levar ou o preço que tenha que
pagar.
Se você fizer questionamentos a ele, ele lhe dará respostas diretas e
nunca cairá em contradições nem evasões ou subterfúgios, seja qual
for o assunto.
Ele fará muito favores a outros, mas quase não aceita favores em
troca.
Ele sempre será achado de frente para o campo de batalha, não
importa se for jogando um jogo ou lutando uma guerra.
Se ele não souber as respostas, ele dirá francamente que não sabe.
Ele possui uma ótima memoria.
Ele nunca oferece um álibi para suas deficiências.
Ele nunca culpa os outros por seus erros, mesmo que eles mereçam.
Ele costuma ser conhecido como um guerreiro, mas em tempos
modernos é chamado de Midas.
Você o encontrará administrando o maior negócio da cidade,
morando na melhor rua, dirigindo o melhor automóvel e fazendo sua
presença ser sentida onde quer que ele esteja.
Ele é uma inspiração para todos aqueles que entram em contato com
sua mente.
A característica mais marcante que distingue um não alienado é esta:
ele possui uma mente totalmente sua e a usa para alcançar todos os
seus objetivos.

Você já deve ter visto a foto de um elefante preso a uma estaca no chão.
Um animal absurdamente forte, de três toneladas, mas que está preso a um fio
de vara. E o bichano fica ali, inerte. Você também sabe que ele poderia, se
quisesse, soltar a corda em segundos, apenas com um solavanco. E por que
isso não acontece? Simples, por condicionamento. Ele foi, desde filhote,
condicionado a não conseguir fazer isso. Desde pequeno foi ensinado ao
elefante que ele não poderia sair daquele lugar. Ele bem que tentou no início,
mas como era insuficiente a sua força, cansava rapidamente. Com tentou
várias vezes sem sucesso, o elefantinho se convenceu que era incapaz de sair
daquela estaca de madeira amarrada numa corda. Logo que cresceu, com uma
força descomunal, ele ainda estava convencido de que não era capaz. Foi
treinado para ser incapaz de sair daquela boba prisão.

A diferença entre nós e o elefante é quase nenhuma. Somos condicionados


durante a vida toda para situações que nos encorajam e desencorajam. A única
“pequeníssima” diferença é que nós temos um poder muito maior do que o do
elefante e de todos outros animais; o poder do pensamento e raciocínio.

Conclusões e gancho para a próxima aula

Nesta aula o aluno aprendeu sobre os pensamentos perigosos que


alienam as pessoas.

Na próxima aula, o assunto será o Mindset nos bancos escolares


AULA 5

MINDSET NOS BANCOS ESCOLARES

O CÓDIGO DA RIQUEZA

Módulo - MINDSET

Capítulo – MINDSET NOS BANCOS ESCOLARES

Aula - 05

Temas estruturantes da aula: Nesta aula o aluno irá aprender como as escolas
pensam e agem e como essa relação tem profunda influência nos alunos desde então.

“O aluno fica 12 anos na escola e sai sem saber a falar em


público, sem falar inglês, sem saber escrever, sem noção de
primeiros socorros, sem a menor ideia sobre direito do
consumidor. As escolas ficam ensinando a diferença entre
adjunto nominal e complemento nominal e não as ferramentas
que são básicas para ele viver uma vida de maneira mais
próspera” (Flávio Augusto)

Uma fraqueza do sistema escolar é que ele não estabelece na mente


das crianças nem a importância da definição de propósito e nem tenta ensinar
aos jovens como pensarem de maneira libertadora. O maior objetivo da maioria
das escolas é forçar os estudantes a abarrotar as suas memórias com fatos,
em vez de ensiná-los como organizar e fazer um uso prático desses fatos.
Esse sistema de acumulação da memória faz com que a atenção dos
estudantes seja centrada apenas em tirar boas notas, mas deixa de lado a
questão mais importante, que seria a do uso desse conhecimento nos assuntos
práticos da vida. Esse sistema gradua estudantes e forma diplomados, cujas
mentes estão vazias de autodeterminação.

O sistema escolar partiu já de um mau começo. As escolas começaram


a sua história como instituições de “aprendizado de alto nível”, tendo sido
criadas inteiramente para aqueles poucos afortunados cujas famílias os
destinavam para a educação. Assim, todo o sistema escolar foi desenvolvido
começando pelo topo até chegar à parte de “baixo” da sociedade. Não é de se
estranhar que esse sistema negligencie a ensinar às crianças a importância da
definição de propósito, quando o próprio sistema literalmente desenvolveu-se
através da indefinição. Uma proposta mais adequada para mudanças radicais
que sofremos é:

Reverter o presente sistema dando às crianças o privilégio de liderar


nos seus trabalhos escolares, em vez de seguir regras ortodoxas
estabelecidas somente para compartilhar conhecimento abstrato.
Deixar os instrutores servirem como estudantes e permitir que os
estudantes ajam como instrutores.

Tanto quanto possível, organizar todos os trabalhos das escolas em


métodos definidos através dos quais os estudantes possam aprender
fazendo e direcione o trabalho da classe de tal forma que todo
estudante esteja engajado em alguma forma de trabalho prático,
conectado com os problemas diários da vida.

As ideias são o começo de todas as realizações humanas. Ensinar


todos os estudantes como reconhecer ideias práticas, que podem ser
de grande benefício para ajuda-los a adquirir o que quer que seja
que a vida exija deles.

Ensinar os estudantes como fazer uma administração efetiva do


tempo e, sobretudo, ensine a verdade de que o tempo é o ativo mais
valioso disponível para todos os seres humanos, e também o mais
barato.

Ensinar o estudante os motivos básicos pelos quais todas as


pessoas são influenciadas, e mostrar a eles como usar esses
motivos para adquirir as necessidades e os luxos da vida.

Ensiná-las sobre práticas saudáveis de alimentação, o quanto comer,


e qual a relação existente entre uma boa alimentação e um corpo
saudável.

Ensiná-las a verdadeira natureza e a função da emoção, das


relações afetivas entre homem e mulher.

Ensiná-las a importância de serem definitivos em todas as coisas,


começando com a escolha de um grande propósito definido para a
vida.

Ensiná-las o princípio do hábito, e de que este pode ser bom ou mau,


usando as experiências do dia a dia como exemplo para elas.

Ensiná-las como hábitos tornam-se permanentes através do ritmo


hipnótico e as influenciar a adotar, enquanto ainda estão no inicio
dos anos escolares, hábitos que as levarão a ter pensamentos
independentes.

Ensiná-las a diferença entre derrota temporária e fracasso. E ensinar


a elas como procurar pela semente de uma vantagem equivalente
que toda derrota traz consigo.

Ensiná-las a importância de expressarem seus próprios


pensamentos sem medo, como também a aceitar ou rejeitar, por sua
própria vontade, todas as ideias dos outros, reservando para si
mesmas, sempre, o privilégio de as submeterem ao seu próprio
julgamento.

Ensiná-las a tomarem decisões prontamente e a mudá-las, mesmo


que sejam todas, vagarosamente e com relutância e nunca sem uma
razão definida.

Ensiná-las que o cérebro humano é o instrumento com o qual se


recebe da grande fonte central da natureza a energia que é
especializada em pensamentos definidos; de que o cérebro não
pensa, mas serve com o um instrumento para a interpretação dos
estímulos que causam o pensamento.

Ensiná-las o valor da harmonia em suas próprias mentes e que é


possível somente através do autocontrole.

Ensiná-las a natureza e o valor de ter autocontrole.

Ensiná-las que existe uma lei de retornos crescentes que pode e


deve ser colocada em operação, com um hábito, mostrando que se
deve sempre prestar mais e melhores serviços do que é esperado
delas.

Ensiná-las a que tudo o que elas fazem para e por outros, elas
acabam fazendo para si mesmas.

Ensiná-las a não terem opiniões, a não ser que sejam formadas por
fatos ou crenças que possam ser razoavelmente aceitas com
verdadeiros fatos.

Ensiná-las que cigarros, bebidas, drogas e o relações


inconsequentes a destroem a força de vontade e acabam levando ao
hábito da alienação. Não proíba esses males – apenas explique para
elas.
Ensiná-las sobre o perigo de acreditar em qualquer coisa meramente
porque os seus pais, os seus instrutores religiosos ou qualquer outra
pessoa tenha dito fazê-lo.

Ensiná-las a encararem fatos, sejam eles agradáveis ou


desagradáveis, sem recorrer a subterfúgios ou sem oferecer-lhes
álibis.
Ensiná-las a encorajarem o uso do seu sexto sentido, através do qual
as ideias apresentam-se em suas mentes de fontes desconhecidas,
e a examinar tais ideias cuidadosamente.

Ensiná-las a definição de propósito, amparada por planos definidos


persistentemente e continuamente aplicados.

Ensiná-las que o espaço que elas ocupam no mundo é medidos pela


qualidade e pela quantidade de serviço útil que elas prestam para o
mundo.

Ensiná-las que não existe nenhum problema que não tenha uma
solução apropriada, e que a solução, na maior parte das vezes, pode
ser encontrada nas circunstâncias que criaram o problema.

Ensiná-las que as suas únicas limitações reais são aquelas impostas


por si mesmas ou que elas permitem que outros estabeleçam em
suas próprias mentes.

Ensiná-las que tudo que um homem pode imaginar e acreditar ele


pode alcançar.

Ensiná-las que todas as escolas e todos os livros de textos são


elementos essências que podem ser úteis no desenvolvimento de
suas mentes, mas que a única escola de real valor é a grande
universidade da vida, onde se tem o privilegio de aprender pela
experiência.
Ensiná-las a serem verdadeiras consigo mesmas em todos os
momentos e, considerando-se que elas não podem satisfazer a
todos, elas devem ter sempre em mente que precisam satisfazer-se
a si mesmas.

Essas são grandes e transformadoras mudanças que deveriam acontecer


no sistema escolar. A maneira mais certa e mais rápida para forçar a
aplicação dessas ideias práticas no sistema escolar é, primeiro, introduzi-
las através de escolas privadas e estabelecer uma exigência para o uso
nas escolas públicas, de tal forma que os administradores dessas escolas
sintam-se compelidos a empregá-las.

“Essa questão de missão e propósito deveria ser o ponto mais


importante do ensino médio. O sistema educacional deveria
dar atenção total em desenvolver essa reflexão nos alunos
para que eles possam encontrar o seu lugar no espaço e de
fato fazer a diferença. Eu penso que o sistema educacional, ao
ensinar de maneira programada sobre propósito e missão de
vida, faria com que os alunos se dedicassem muito mais a
desenvolverem suas missões de vida.” (Flávio Augusto)

Conclusões e gancho para a próxima aula

Nesta aula o aluno aprendeu e entendeu o poder da mentalidade nas


escolas e estudou algumas ideias que foram sugeridas para melhorar esse
processo.

Na próxima aula, o assunto será o que as pessoas ricas pensam sobre o


sucesso.
AULA 6
O MINDSET DAS PESSOAS RICAS

O CÓDIGO DA RIQUEZA

Módulo - MINDSET

Capítulo – O MINDSET DAS PESSOAS RICAS

Aula - 06

Temas estruturantes da aula: Nesta aula o aluno irá aprender de maneira clara e
objetiva o pensamento das pessoas mais ricas do mundo.

Em 1869, Galton publicou seu primeiro estudo cientifico sobre as origens


do alto desempenho. Ele preparou listas de figuras conhecidas da ciência, do
atletismo, da música, da poesia e do direito, entre outras áreas, e reuniu sobre
elas todas as informações biográficas possíveis. As pessoas mais eminentes,
concluiu Galton, destacavam-se em três aspectos: demonstram uma aptidão
incomum, combinada com um empenho excepcional e a capacidade de
trabalho árduo.

Depois de ler as primeiras cinquentas páginas do livro de Galton,


Charles Darwin, que era seu primo, escreveu uma carta que dizia estar
surpreso pelo fato de o talento figurar na lista de qualidades essenciais. “Em
certo sentido, você transformou um adversário num convertido”, escreveu
Darwin. “Porque sempre insisti que, salvo os idiotas, os homens não
diferem muito em intelecto, apenas em empenho e trabalho duro; e ainda
creio que está seja uma diferença de eminente importância”.

Cabe ressaltar que de modo geral, os biógrafos de Darwin não dizem


que ele tinha uma inteligência sobre humana. É claro que ele era inteligente,
mas suas ideias não lhe atravessavam como um raio. Ele era, de certa forma,
um trabalhador diligente. Sua própria autobiografia corrobora essa visão: “Não
tenho rapidez de apreensão que é tão notável em homens inteligentes.
Minha capacidade de acompanhar uma argumentação prolongada e
puramente abstrata é limitada. Em determinado aspecto minha memória é
tão ruim que nunca fui capaz de reter uma única data ou um verso de
poesia por mais do que alguns dias”.

Já fazem anos que diversas pesquisas de âmbito mundial perguntam: o


que é mais importante para o sucesso: talento ou esforço? Os americanos, por
exemplo, têm duas vezes mais de probabilidade de optar pelo esforço. O
mesmo vale quando a pergunta é capacidade atlética. E quando perguntados
“Se você fosse contratar um novo funcionário, qual dentre as qualidades
seguintes consideraria mais importante?”, os americanos optam por “ser
esforçado” quase cinco vezes mais do que “ser inteligente”.

Segundo o relatório “A guerra pelo talento”, produzida pela McKinsey, as


empresas que se destacam são aquelas que promovem agressivamente os
funcionários mais talentosos, ao mesmo tempo em que, com a mesma energia,
se desfazem daqueles menos aptos. Em tais empresas, enormes disparidades
salariais não só se justificam como também são aconselháveis. Por quê?
Porque um ambiente competitivo, no qual o vencedor fica com todos os louros,
incentiva os mais talentosos a permanecer na empresa e os menos talentosos
a buscar outro emprego.

Segundo um dos maiores estudos conduzidos sobre o que pensam e como


agem as pessoas de sucesso, a pesquisadora Angela Duckworth, abordou o
conceito da garra. As empresas e, sobretudo, as pessoas que trabalham para
as empresas vencedoras, pensam e agem de maneira diferente, arrojada e
defendem o conceito de que ter garra é um dos maiores indicadores do
sucesso de qualquer indivíduo ou corporação. Segunda a autora, a garra
pode ser dividida em quatro partes:

Propósito: o que faz a paixão amadurecer é convicção que seu


trabalho é importante.
Esperança: uma espécie de perseverança que enfrenta as
adversidades.
Prática: uma forma de perseverança ao fazer melhor as coisas a
cada dia que passa.
Interesse: a garra começa quando a pessoa tem interesse

Além disso, Duckworth propôs um teste, logo abaixo, para medir a garra das
pessoas e que você também pode aplicar.
EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO

Leia cada frase e, à direita, marque o retângulo que lhe pareça mais
indicado. Não reflita demais sobre as frases. Em vez disso, compare a si
mesmo com “as pessoas em geral” – e não somente com colgas de trabalho,
amigos ou parentes.

Nada a ver Não muito Um Bastante Totalment


PERGUNTAS comigo a ver pouco a a ver e a ver
comigo ver comigo comigo
comigo
Novas ideias e novos projetos às 5 4 3 2 1
vezes me distraem dos anteriores
Obstáculos não me desestimulam. Eu 1 2 3 4 5
não desisto com facilidade
Muitas vezes eu defino um objetivo, 5 4 3 2 1
mas depois prefiro buscar outro
Sou um trabalhador muito esforçado 1 2 3 4 5
Tenho dificuldade para manter o foco 5 4 3 2 1
em projetos que exigem mais de
alguns meses para terminar
1 2 3 4 5
Eu termino tudo que começo
Meus interesses mudam de ano para 5 4 3 2 1
ano
1 2 3 4 5
Sou dedicado. Nunca desisto
Já estive obcecado durante algum 5 4 3 2 1
tempo por certa ideia ou projeto, mas
depois perdi o interesse.
Já superei obstáculos para conquistas 1 2 3 4 5
um objetivo importante

Para calcular sua pontuação toTal de garra, some todos os pontos dos
retângulos que você marcou e divida por dez. a pontuação máxima nessa
escala é cinco (com muita garra); a mais baixa é um (sem garra). Você pode
usar o quadro a seguir a fim de verificar como sua pontuação se compara com
uma grande amostra de adultos americanos. Por exemplo, se sua pontuação é
de 4,1, você tem mais garra do que 70% dos adultos em nossa amostra.
Percentual Pontuação de garra

10% 2,5
20% 3
30% 3,3
40% 3,5
50% 3,8
60% 3,9
70% 4,1
80% 4,3
90% 4,5
95% 4,7
99% 4,9

Obs: Tenha em mente que sua pontuação é um reflexo de como você


se vê agora. Seu grau de garra nesse momento da vida pode ser diferente e
quando você era mais jovem. E se você fizer o teste de novo mais tarde, talvez
obtenha uma pontuação diferente.

Conclusões e gancho para a próxima aula

Nesta aula o aluno aprendeu sobre a importância da garra nas


realizações humanas. Na próxima aula, o assunto irá aprender a como pensar
grande e a como transformar seus pensamentos em ações.
AULA 7
PENSAR GRANDE E TRANSFORMAR PENSAMENTOS EM AÇÃO

O CÓDIGO DA RIQUEZA

Módulo - MINDSET

Capítulo – PENSAR GRANDE E TRANSFORMAR PENSAMENTOS EM AÇÃO

Aula - 07

Temas estruturantes da aula: Nesta aula o aluno irá aprender as maneiras e


técnicas para aprender a pensar grande e a como, a partir desse pensamento, colocar
essas ideias em ação.

Toda e qualquer coisa criada pelo ser humano teve origem no


pensamento. A imaginação é a arma das pessoas que detém o código da
riqueza. Imaginação somada a ação muda o mundo. A proporção não é a
mesma, ou seja, 50% para cada uma. Nós acreditamos numa relação muito
menos equilibrada onde a imaginação ocupa um lugar muito menor quando
comparada com o poder da realização, mas é o ponto de partida. Sem a
capacidade de pensar, pensar grande, imaginar grande, nenhum grande feito
pode ser produzido na terra. Portanto, primeiro vem o pensamento, as ideias e
os planos e, em seguida, a transformação “disso tudo’ em realidade.

Primeiro vem a ideia;


Depois, a convicção de que é possível executá-la
A seguir, vem a organização dessa ideia em planos;
Por fim, a transformação da ideia em ações concretas.

Tudo é criado duas vezes na nossa vida. A primeira por meio da criação
mental e a segunda na criação física. Pensar grande e em escala é a virtude
das pessoas que tem a vocação e se desenvolveram para o sucesso. Logo em
seguida, deve haver a ação deliberada para tornar o pensamento em ação.
Como disse Bill Gate: “Eu não tenho que ter a melhor ideia. Eu tenho que tê-la
primeiro”

O poder sobre esse fundamento é que ninguém pode nos tirar o poder e
o privilégio de usar nossa imaginação e pensamento de escala para criar,
visualizar e buscar meios de nos tornarmos quem queremos ser. E isso é
absolutamente poderoso. Saber que podemos pensar em algo que pode mudar
definitivamente o rumo de nossas vidas é incrível. Todas as pessoas de
sucesso são excelentes visualizadores. Eles não se limitam nem criam amarras
para as suas ideias. Eles as liberam como pássaros livres para voar.

Maneiras de pensar – O Pensamento Industrial

As quatro formas de pensamento industrial são: Linear, Repetitivo,


Segmentado e Previsível

Pensamento Industrial: Linear.

Hoje, com distanciamento histórico, é fácil entender o pensamento


industrial. Ele é linear. Etapas por etapas em linha reta. Primeiro vem a etapa
um, depois vem a etapa dois, depois a três. E assim por diante. A própria
ascensão dentro da indústria responde a mesma maneira de pensar. Do chão
de fábrica você passa a supervisor, de supervisor a gerente, de gerente a
diretor e de diretor a dono. O combustível do pensamento industrial é uma
linha, e sempre será.

Pensamento Industrial: Repetitivo.

Cada pessoa realiza uma única tarefa, e se torna um especialista


naquela função. Esse é o pensamento repetitivo. Quanto mais vezes executar
a mesma ação, mais hábil ela se tornará e mais rapidamente passará o produto
adiante. E como nos primórdios da Revolução Industrial 80% do trabalho era
manual/mecânico, se torna óbvio pensar que velocidade determinava
quantidade. Ou seja, mais velocidade, maior lucro, maior o sucesso.

Pensamento Industrial: Segmentado.

Cada tarefa é feita por uma pessoa ou por um grupo de pessoas. Elas
são separadas em sessões ou departamentos e ficam responsáveis por uma
parte específica do processo. Não há fluxo entre grupos, a não ser entre
aqueles que têm conexão direta por força da linha de montagem. Se você está
na quarta etapa do processo, terá interação com os grupos três (anterior) e
cinco (posterior). Nunca com os outros. Como herança desse processo, ficou a
rígida departamentalização das empresas de hoje. Especialistas de uma área
ficam agrupados numa mesma sala, isolados, e interagem muito pouco com as
diversas etapas do trabalho. O fluxo é artificial e pouco orgânico.

Pensamento Industrial: Previsível.

Como a linha de montagem é toda fracionada, assim que a matéria-


prima entra no departamento, é possível saber exatamente como ela será
recebida. E como as tarefas são específicas, será possível saber como elas
serão entregues. Esse é típico elemento da gestão de processos. É tudo muito
previsível.

Pensamento digital

“O futuro vai passar pela internet. Porque é ali que


você vai conseguir comparar produtos de uma
maneira muito mais rápida, você não depende só de
um produto ou de alguém ofertando aquilo que ela
gostaria. A internet não, ela abre espaço para tudo.
Isso vai facilitar cada vez mais e não tem mais volta.”
(Celso Plácido)

As quatro formas de pensamento digital são: Pensamento não linear,


multidisciplinar, conectado e exponencialmente imprevisível.

Pensamento Digital: Não Linear.

Não linear porque os assuntos se misturam e se recombinam.


Recebemos uma mensagem pelo WhatsApp, respondemos pelo Facebook,
recebemos a tréplica por e-mail. Um artigo na timeline nos leva para um vídeo
no youtube que nos leva para um livro que nos devolve novamente para o
artigo – agora, em outro ponto.

Se o capitulo dois está chato, pulamos. Começamos uma coisa e


terminamos em outra, sem necessariamente seguir uma ordem. Criamos o
nosso próprio storytelling. “E o que era para ser formatado e linear, abriu
espaço para a autocuradoria e a customização – de um jeito que nenhum de
nós poderia prever” (Tiago Matos)

Pensamento Digital: Multidisciplinar.

Como explicou com maestria o estudo We All Want to Be Young, da


empresa de pesquisas Box1824, vivemos numa época em que não basta
aceitar as diferenças. Celebramos as diferenças. Se na infância nós éramos
estereotipados e rotulados, hoje nos aceitamos como seres hipercomplexos.

Cada pessoa pode ser muitas coisas ao mesmo tempo, porque essa é a
natureza humana. Atualmente você, ao perguntar qual é a profissão de algúem,
pode receber a seguinte resposta: “Sou escritor, ator, empreendedor,
naturalista, filósofo e cientista”. É multi e é normal. Está cada vez mais gerando
estranheza alguém dizer que é professor, apenas.
Zygmunt Bauman no livro Liquid Modernity relfete como pensávamos de
um jeito sólido e passamos a conviver numa realidade mais fluida. A família,
que tinha seu formato predefinido, com pai, mãe e filhos, se liquefez e deu
espaço para casais do mesmo sexo, filhos adotados e produções
independentes de mães solteiras. A sexualidade, que era sólida, com dois
lados bem distintos (hétero e homo), se liquefez e criou diversos tons de cinza.

Cabe ressaltar que multidisciplinaridade não é multitasking. Está bem


distante disso. Multidisciplinaridade é a capacidade de realizar várias atividades
diferentes, que exigem skills diferentes. Se alguém quiser, de fato, fazer algo
bem feito deverá o fazê-lo com concentração e dedicação, uma coisa por vez.
É possível fazer tudo, mas não ao mesmo tempo. Multidisciplinaridade não é
um polvo. É um camaleão.

Pensamento Digital: Conectado.

Qual foi a última vez que você passou 24h a mais de dez metros do seu
celular, tablet ou computador? Pense bem, porque é bem possível que você
não lembre. Nos tornamos híbridos. Parte de nós ainda é humana, ainda é
orgânica. Mas parte de nós já se tornou máquina. Somos uma interface
conectada, que entra em desespero se estamos sem sinal de wi-f ou se
simplesmente esquecemos o telefone no carro. Andamos com carregadores e
baterias externas. Esses somos nós; hiperconectados.

Pensamento Digital: Exponencialmente Imprevisível.

No mundo digital, você nunca sabe de onde vem o tiro. Lembre-se:


estamos falando de um mundo não linear, multidisciplinar e conectado.
Celebridades internacionais que nascem em segundos, fenômenos de massa
que ascendem em minutos, crowdfundings milionários que se bancam em
poucas horas. Essa curva, exponencial, que é a cara da tecnologia nos últimos
cem anos, é a cara da internet. Mas não há dúvidas: esse é um dos quadrantes
que melhor define os tempos atuais. Pensamento não linear, multidisciplinar,
conectado e exponencialmente imprevisível.
“Não existe mindset certo ou errado. O que existe é
mindset adequado ou não adequado para um objetivo” (Conrado
Adolpho)

Como pensar fora da caixa

Pensar fora da caixa só tem um objetivo; solucionar um problema. Você já


deve ter tido a experiência de estar numa reunião onde as pessoas ficam
devaneando, pensando fora da caixa para solucionar um problema e não
resolvem nada. Em muitos casos essas reuniões podem ser chamadas de
perda de tempo. Eu diria sexo dos anjos. Sabe por quê? Porque pensar fora da
caixa sem pensar dentro dela é complicado e não funcional.

O pensamento criativo é muito importante para solucionar problemas. Walt


Disney foi mestre nisso. Era mestre na arte de solucionar problemas com a sua
criatividade. Embora uns caras acharem, logo no início de sua carreira, que ele
era tosquinho e sem criatividade. Ledo Engano. O Walt Disney foi tão craque
nisso que criou um modelo de pensar fora da caixa chamado Estratégia
Disney. Muitas empresas o utilizam.

Contudo, para dar certo, certo de verdade, não de mentira, a utilização da


criatividade para solucionar um problema, é necessária mais do que ficar
viajando na maionese numa ducha quente. É necessária a mentalidade crítica
e o espírito realizador nesse processo. Aí, sabe o que o sujeito vai ter de fazer?
Volta para a caixa. Olha o que o professor e psicólogo da Universidade de
British Columbia, Dr. Peter Suedfield disse sobre isso: “Pessoas que querem
pensar fora da caixa são melhores em pensar dentro dela”.

Para pensar fora da caixa a pessoa tem que ser criativa e bastante crítica.
Aliás, mais crítica do que criativa. Sabe por quê? Porque senão vai ficar
viajando num mundo de fantasias. Voe, mas voe com os pés no chão. Só isso?
Não, tem que ter a capacidade de realização. Em outras palavras; o
pensamento estratégico. Tem que ter olho treinado e sentir o cheiro de longe,
tanto das oportunidades quanto das roubadas. Sabemos bem que sonhar não
custa nada, fazer custa muito.

Portanto é importante você ter claro quatro pontos para pensar bem fora da
caixa.

1. A ordem. O estado da arte dos sistemas complexos. Eu preciso saber


qual é o estado da arte do que quero resolver e assim pensar de
maneira estratégia a fim de quebrar o Status Quo;

2. O caos. Eu preciso saber o que é caótico e o motivo dele (causa e


efeito). Assim saberei propor novas saídas para chegar à ordem
novamente. Sabe aqueles caras que negam algumas teorias, mas não
tem a menor ideia do que elas são? Pois bem, esses são incompetentes
inconscientes. Tem que saber como o caos foi instalado.

3. O antigo. Saber como era esse processo há anos atrás. Como era o
modelo antes da evolução para saber identificar tendências. Tem que
navegar na linha do tempo. Tem que voltar. Tem que imergir.

4. O novo. Entender o mercado e o comportamento dele, incluindo


pessoas, processos e estrutura. Tendências é a regra.

Junte tudo e bem-vindo ao pensar fora da caixa. Lembre-se: pensar fora da


caixa é pensar, não viajar fora da caixa.

Como aprender a pensar grande

Pense como as pessoas de sucesso pensam. Como? Modelando-as.


Modelagem é um dos conceitos mais tradicionais da programação
Neurolinguísitca. Basicamente trata-se da arte de verificar os padrões de
linguísticas da outra pessoa e repeti-los constantemente. Modelagem é treino.
Condiciona igual aos músculos cardiorrespiratórios.

O exercício abaixo é uma ideia para você praticar. Faça o seguinte:


Selecione as cinco pessoas que você mais se inspira e complete o quadro
abaixo:

O ritmo das coisas está mudando muito rápido. Existem 4


peças de tecnologia, que quando você as juntar, o ritmo de
mudança é mil vezes mais rápido, o processo é três mil vezes
mais habilidoso do que qualquer coisa que já vimos da última
revolução industrial no século 1800 . Essas 4 peças são: a
internet móvel, mídias sociais, Big Data e a tecnologia na
nuvem. Essas 4 coisas estão revolucionando indústrias e
empresas em todos os lugares. (SHEHERAZADE S. REHMAN)
EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO

Pessoas Como eles Um adjetivo O que eu Como atingir Em quanto Como


que eu pensam para eles em quero modelar esse objetivo tempo saberei
me sobre suas apenas uma nessa pessoa (plano de quero que
inspiro carreiras palavra ação) atingir consegui
esse
objetivo

Utilize o quadro a seguir para modelar as pessoas de sucesso, mas não


qualquer uma, aquela que você considera ser bem sucedida, de verdade.
Elenque os seus gigantes. Pode ser um professor, coordenador, dono, gestor,
executivo, investidor, não importa, apenas você deve colocar o nome das cinco
primeiras pessoas que veem a sua cabeça quando você pensa sobre sucesso
profissional. Logo em seguida escreva como elas pensam, como elas
entendem o mercado, negócio, profissão, vida, produtividade, plano de carreira.
Escreva sem limites de linhas, deixe a sua mente fluir nessa parte. Passe para
a próxima coluna. Nela você deverá escrever como enxerga essas pessoas em
apenas uma palavra. Pode ser determinada, focada, inteligente, resiliente,
vendedora, etc. Agora escreva na coluna quatro o que você quer modelar
nessa pessoa, uma caracteristica que talvez você não tenha ou que precisa
melhorar. Em quanto tempo vcê quer chegar nesse nível é o prócimo passo.
Diga uma data, seja específico. Por fim, coloque um indicador de desempenho.
Seja claro. Esse indicador precisa ser mensurável. Dinheiro, cargo, viagem,
bens materiais, número de pessoas. Esse item deve ser mensurável. Ou seja,
objetivo, nada de pensamentos subjetivos.

Fique a maior parte do seu tempo ao lado dos seus gigantes. Convida com
eles, modele suas ações, entenda sua mentalidade. Você vai aprender a ser
como eles. Você vai aprender a pensar grande.

Conclusões e gancho para a próxima aula

Nesta aula o aluno aprendeu a importante lição de como aprender a


pensar grande e colocar suas ideias em ação.

Na próxima aula e ultima será possível versarmos sobre os


pensamentos e a sua relação com o tempo.
AULA 8
MINDSET E A SUA RELAÇÃO COM O TEMPO

O CÓDIGO DA RIQUEZA

Módulo - MINDSET

Capítulo – PENSAMENTO E SUA RELAÇÃO COM O TEMPO

Aula - 08

Temas estruturantes da aula: Nesta aula o aluno irá aprender a relação do mindset
no tempo da vidas das pessoas

Como vimos, nossa maneira de pensar determina quem somos, pois são
preditoras de nossas ações e hábitos. Contudo, devemos nos atentar aos
padrões de pensamento baseados nos períodos de tempo. Segundo o
pesquisador Paulo Vieira, existem três tipos de pessoas: as depressivas, as
ansiosas e as bem sucedidas quando se refere a relação ao pensamento e
sua relação no tempo.

Modelo da depressão: Pessoa que vive do passado e tende a se cercar de


negatividade.

MODELO DA DEPRESSÃO

10% Passado, Memória,


10% Esperança
Presente, Ação, Amor

Futuro, Visão, Fé
80%
Modelo da Ansiedade: Pessoa que se dedica ao passado, mas a maior
parte do seu pensamento reside no futuro.

MODELO DA ANSIEDADE

Passado, Memória,
25% Esperança
Presente, Ação, Amor
55%
20% Futuro, Visão, Fé

Modelo do sucesso: Pensamento em grande parte voltado para o presente e


apenas pouca faixa para passado e futuro

MODELO DO SUCESSO

10% Passado, Memória,


25% Esperança
Presente, Ação, Amor

Futuro, Visão, Fé
65%

Essas competências de foco temporal desempenham papel fundamental


nos resultados de todo e qualquer profissional moderno. Todos nós devemos
aprender com os nossos erros do passado, conseguir enxergar o nosso futuro
e onde queremos estar nos próximos anos, mas, de maneira contundente,
estar prioritariamente focado no presente, pois o passado não existe mais, o
futuro ainda não chegou, portanto também não existe. O que realmente existe
e podemos controlar é o presente.
“Aquilo que você sinceramente acredita torna-se realidade. Você não
acredita no que você vê, você vê aquilo em que já escolheu acreditar.”
(Bryan Tracy)

Conclusões e gancho para a próxima aula

Nesta aula o aluno aprendeu as relações do pensamento no tempo e


como isso interfere nos resultados humanos

A seguir listamos algumas das frases mais contundentes de Anthony


Robbins sobre Mindset

FRASES DE ANTHONNY ROBBINS SOBRE MENTALIDADE

Nascido no estado da Califórnia, nos Estados Unidos, Anthony, ou


simplesmente Tony Robbins, é um consagrado palestrante motivacional,
escritor, empresário e coach. Reconhecido mundialmente por seu trabalho com
a psicologia do máximo desempenho pessoal, progresso profissional e
organizacional, Robbins é um dos principais responsáveis por popularizar a
Programação Neurolinguística (PNL).

“Nos momentos de decisão que o seu destino é traçado”


“O encontro da preparação com a oportunidade gera o que chamamos de
sorte”

“Nada tem mais poder sobre mim do que aquele que eu atribuo aos meus
pensamentos conscientes.”

“Se você faz o que sempre fez, você obterá o que você sempre obteve”

“Se não pode, você deve, e, se deve, você pode”

“Se essa coisa, que parecia tão impossível era só uma limitação em sua mente,
então que outras ‘impossibilidades’ são também realmente muito possíveis?”

“Assuma o controle das suas emoções mais consistentes e comece


conscientemente e deliberadamente a remodelar a sua experiência diária de
vida.”

“A vida não passa de um jogo em que todas as respostas existem; você só


precisa encontrar as perguntas certas para vencer.”

“Perguntas de alto nível criam uma vida de alto nível. Pessoas bem sucedidas
fazem melhores perguntas, e como resultado, obtêm melhores respostas.”

“Saiba que são suas decisões, e não suas condições, que determinam seu
destino.”

“Estudos têm demonstrado que as pessoas mais bem-sucedidas tomam


decisões depressa porque não têm dúvidas a respeito dos seus valores e do
que realmente desejam para suas vidas”

“Tome decisões com freqüência. Quanto mais decisões você toma, melhores
elas são. Os músculos se fortalecem com o uso, e o mesmo acontece com os
seus músculos de tomar decisões. Libere seu poder agora mesmo, tomando
alguma decisão que venha adiando. Não vai acreditar na energia e na
animação que isso criará em sua vida!
O importante não é onde você começa, mas sim as decisões que toma sobre o
lugar a que está determinado a alcançar.”

“Uma razão porque tão poucos de nós conseguimos o que realmente


desejamos é que nunca dirigimos o nosso foco; nunca concentramos o nosso
poder”

“Penso que uma das razões mais simples é que a maioria de nós não
reconhece o que significa tomar uma decisão de verdade..... Em vez de tomar
decisões, ficamos enunciando preferências.... Tomar uma decisão verdadeira
significa se comprometer em atingir um resultado, e cortar qualquer outra
possibilidade”

“O segredo do sucesso é aprender como usar a dor e o prazer, em vez de


deixar que usem você. Se fizer isso, estará no controle de sua vida. Se não
fizer, é a vida que controla você.”

“Embora preferíssemos acreditar que é o intelecto que nos guia, são nossas
emoções - as sensações que vinculamos aos pensamentos - que realmente
nos guiam.”

“Porque se não dirigirmos nossos pensamentos, cairemos sob a influência


daqueles que nos condicionariam para nos comportarmos como desejam”

“Não somos impulsionados pela realidade, mas sim por nossa percepção da
realidade”

CONCLUSÕES FINAIS DO MÓDULO 4 - MINDSET

Esse foi o segundo terceiro do curso Código da Riqueza. Você pôde


aprender conceitos valiosos em oito grandes áreas.

O que é mindset
O mindset que atrapalha a riqueza
Mindset de crescimento e pensamento otimista
O pensamento alienado
Mindset nos bancos escolares
O mindset das pessoas ricas
Pensar grande e transformar pensamentos em ação
Mindset e a sua relação com o tempo

No Módulo 5 e último do Código da Riqueza você vai aprender sobre como


criar sua identidade e definir de maneira clara o seu propósito de vida

TOMADA DE DECISÃO

Módulo: MINDSET

Perguntas para tomadas de decisão.

Responda essas perguntas com calma e de maneira específica. As suas


respostas revelarão o que você sabe, sente e entende como prioridade nesse
momento da sua vida. Os exercícios de fixação servirão como base
estruturante para as definições de objetivos e o seu plano de ação coerente a
partir dessa parte do programa de treinamento do Código da Riqueza.
10. Após a explicação dos conceitos apresentados nesse módulo, O QUÊ
VOCÊ SABE, AGORA?

11. Após as explicações dos conceitos apresentados nesse módulo, COMO


VOCÊ SE SENTE, AGORA?

12. Após as explicações dos conceitos apresentados nesse módulo, O QUE


É MAIS IMPORTANTE, AGORA

PLANO DE AÇÃO

O plano de ação do Código da riqueza deverá ser preenchido com atenção ao


final deste módulo. Ele representará todas as etapas responsáveis por uma
boa formulação e execução dos objetivos. Elas estão divididas nas seguintes
áreas:

Objetivo;
Evidência
Motivadores / ganhos
Sabotadores / perdas
Valores / relevância
Recursos
Estratégias
Ações
Primeiro passo
Responsabilidade
Comprometimento

O programa a seguir deverá ser descrito de maneira mais especifica possível


seguindo a estratégia S.M.A.R.T.

SPECIFIC (ESPECÍFICO)
MEASURABLE (MENSURÁVEL)
ACHIEVABLE (ALCANÇÁVEL)
RELEVANT (RELEVANTE)
TIME (PRAZO)

OBJETIVOS

O que você deseja especificamente? Qual o contexto?

ONDE

Onde você quer que isso aconteça?


QUEM

Quem participa desse objetivo?

QUANDO

Quando vai acontecer

EVIDÊNCIA

Qual é a evidência de que você conseguiu?

MOTIVADORES E GANHOS

O que você ganha com isso? Quais são os benefícios que você obterá?

SABOTADORES E PERDAS
O que você perde com isso? Este objetivo ou resultado afeta negativamente outras
pessoas do meio do qual você faz parte? (Se a respostas for sim, o que você precisa
alterar no seu objetivo para que afete apenas positivamente outras pessoas ou seu
meio?

VALORES/RELEVÂNCIA
Por que isso é importante para você? Quais os valores que você irá satisfazer com esta
meta? Por que isso é realmente importante para você?

RECURSOS
Do que vai precisar? (Recursos financeiros, conhecimentos, métodos, tempo,
habilidades, competências)

ESTRATÉGIAS
Quais as formas para conseguir isso? Quais serão suas estratégias? Você conhece
alguém que já fez isso? Como esta pessoa conseguiu?

AÇÕES

Quais são os passos para conseguir isso? Qual será seu plano de ações?
PRIMEIRO PASSO

Qual será o primeiro passo?

RESPONSABILIDADE
Depende de quem para que seu objetivo seja realizado? O que você pode fazer para
que esse objetivo dependa de você para ser iniciado hoje e mantido por você?

COMPROMETIMENTO
Qual o seu grau de comprometendo em realizar isso? O que você pode fazer para
aumentar seu grau de comprometimento?
IDENTIDADE
E
PROPÓSITO
PALAVRAS INICIAIS

O que é propósito? É a mesma coisa que legado?

Legado é o que você quer deixar para o mundo. Propósito é por que
você quer atingir esse legado. Hoje em dia, muita gente fala de propósito e
pouca gente fala de legado. Inclusive, muita gente usa essas duas palavras
como sinônimos. Não são.

Propósito é a sua missão como ser humano. É o seu norte. Legado é o


que fica dessa história. O propósito está mais associado ao mundo interior: é
uma conversa com você mesmo. Já o legado está mais conectado com o
mundo exterior, e às heranças (não necessariamente financeiras) que você
deixa para quem fica.

É possível ter um belo propósito e não deixar nenhum legado. É possível


deixar um belo legado sem ter um propósito totalmente claro. O propósito é o
sentido por trás do plano. O legado é o resultado desse plano. O
empreendedorismo é a energia motriz para botar o plano em prática. Por isso
que os três precisam estar muito bem alinhados.

Esse é o assunto central do quinto e ultimo módulo do Código da


Riqueza. Entre e desfrute.
RODA DO CÓDIGO DA RIQUEZA – IDENTIDADE E PROPÓSITO

Para o início desse módulo, você deverá preencher a RODA DO


CÓDIGO DA RIQUEZA – IDENTIDADE E PROPÓSITO. Trata-se de uma roda
de 6 níveis relacionados ao ambiente que você vive e as pessoas que
convivem com você nele. Você deverá colocar uma nota de 0 a 10 de acordo
com o seu nível de satisfação com relação a esse pilar. Os níveis são:

1. Missão. De uma nota de 0 a 10 para o quanto você tem claro a


sua missão nesse mundo. Você tem bem estabelecido qual a sua
missão nessa passagem na terra ou ainda é nebulosa?
2. Motivos. De uma nota de 0 a 10 para o quanto você tem claro os
seus motivos e os por quês você acorda todos os dias.
3. Característica. De uma nota de 0 a 10 para o quanto você tem
claro quais são as principais características que te determinam.
Isso é claro para você ou ainda é nebuloso, parece confuso?
4. Contribuição. De uma nota de 0 a 10 para o seu nível de
satisfação sobre a sua contribuição no mundo. As pessoas e a
sociedade são melhores com a sua presença, com seus
conhecimentos ou você não faz nenhuma diferença ou questão
de fazer diferença no mundo?
5. Legado. De uma nota de 0 a 10 para o seu nível de satisfação
sobre o legado que você está construindo para a sociedade. Você
tem bem claro e estabelecido esse pilar ou ainda não é um ponto
de atenção seu?
6. Sucessores. De uma nota de 0 a 10 para o seu nível de
satisfação sobre o nível e qualidade dos sucessores que você
está desenvolvendo. As pessoas que convivem com você se
tornam melhores e vão continuar a expandir os ensinamentos que
você passou para elas para toda a sociedade ou esse conceito
ainda não está muito bem desenvolvido em você?

Com o resultado desse exercício, você saberá onde precisa dar um


pouco mais de atenção e, consequentemente se sentir realizado e satisfeito
com a situação que se encontra. Essa técnica também ajuda com que você se
avalie rapidamente e reflita, logo no início desse módulo, em qual ponto da sua
vida você se encontra para essa área, para onde quer ir, quais as suas
prioridades e quais são os fatores que podem estar te impedido de realizar
seus objetivos com maior desempenho.

A partir de agora, é a sua vez de preencher a sua RODA DO CÓDIGO


DA RIQUEZA – IDENTIDADE E PROPÓSITO
AREAS PONTUAÇÃO
1 – INTELIGÊNCIA
2 – SUCESSO
3 – IDEIAS
4 – MINDSET
5 – FINANÇAS
6 – LIDERANÇA
7 – INFLUÊNCIA
8 – REALIZAÇÃO
9 – CONEXÃO
10 - INTEGRIDADE

MÉDIA ______________________
AULA 1
COMO EU DESCUBRO O MEU PROPÓSITO?

O CÓDIGO DA RIQUEZA

Módulo – IDENTIDADE E PROPÓSITO

Capítulo – COMO EU DESCUBRO O MEU PROPÓSITO

Aula - 01

Temas estruturantes da aula: Nesse módulo o aluno vai aprender a como criar seu
propósito de vida e entender o valor da sua identidade no processo de toda a sua
existência

“Muitas organizações estão no século 21 funcionando como no século


19. Há organizações que os chefes, nem é o líder, grita e as pessoas
acatam e acham que isto é normal. Não é normal. As pessoas precisam
ser motivadas para muito além daquilo que elas recebem
monetariamente. Nós temos visto uma nova geração que não se engaja
somente pelo o que ela ganha monetariamente. Então eu começo a ver
empresas que se preocupam com o propósito das pessoas que
trabalham dentro delas. Estas organizações serão diferentes das que a
gente tinha no século passado.” (Maria Flávia Bastos)

Essa é uma pergunta muito difícil de ser respondida e a maioria das


pessoas no mundo todo também não tem a resposta. .

Descobrir o propósito é como descobrir um enigma. Você pode passar


dias, anos até ter a resposta certa. Mas depois de descobri-la, você não tem
como esquecê-la, ignorá- la, muito menos negá-la. E felizmente é um caminho
sem volta.

Aqui vão algumas perguntas que podem ajudar você a encontrar o seu
propósito:

Qual é o legado que você quer deixar para o mundo?


Quando você morrer, o que você quer que esteja escrito na sua
lápide?
Qual é a contribuição que você quer dar para o planeta?

O ponto de partida de todo prestígio, sucesso e riqueza está na definição


de um propósito. Enquanto as pessoas não tiverem um propósito de partida
para suas vidas, irão dissipar mais energia e pensamentos do que deveriam.
Todas as pessoas que conhecem o código da riqueza têm propósitos de vida
bem claros em suas mentes. Essas pessoas utilizam 4 passos que podem ser
explicados da seguinte maneira.

1. Elas definem claramente o que elas querem;


2. Elas agem quase que obsessivamente para realizar o que
definiram no passo 1;
3. A ação obsessiva em torno desse propósito cria um esforço
organizado que, com o tempo, se transforma em poder pessoal;
4. Elas usam esse poder pessoal para realizar o desejo que elas
definiram e conquistar o sucesso que elas desejam na vida.

Sem um propósito definido, geralmente, passamos o dia ocupado com


coisas triviais e sem importância, esquecendo-nos daquilo que é essencial e
que poderia colaborar para o desenvolvimento do nosso poder pessoal. Veja
esse conto:

“Um professor, diante de sua classe de filosofia, sem dizer uma só


palavra, pegou um pote de vidro, grande e vazio, e começou a enchê-lo com
pedras. Em seguida, perguntou aos seus alunos se o frasco estava cheio e
imediatamente todos disseram que sim. O professor então pegou uma caixa de
bolas de gude e esvaziou-a dentro do pote. As bolas de gude encheram todos
os vazios entre as pedras. O professor voltou a perguntar se o frasco estava
cheio e voltou a ouvir de seus alunos que sim. Em seguida, pegou uma caixa
de areia e esvaziou-a dentro do pote. A areia preencheu os espaços vazios que
ainda restavam e ele perguntou novamente aos alunos, que responderam que
o pote agora estava cheio. O professor pegou um copo de água e o derramou
sobre o pote umedecendo a areia. Os estudantes riam da situação, quando o
professor falou: "Quero que entendam que o pote de vidro representa nossas
vidas. As pedras são os elementos mais importantes, por isso elas vem
primeiro e ocupam grande parte do espaço disponível. Logo em seguida vem o
que é menos importante” (Anônimo). É sobre isso que se trata o propósito de
vida.

O Diagrama do Propósito.

Oportunidades

Paixões

Propósito

Com esse diagrama você pode utilizar essa estratégia de desenvolver


seu propósito de duas maneiras; de dentro para fora e fora para dentro.

De dentro pra fora


Primeiro defina seu propósito, depois identifique o que te traz mais
paixão (aliado ao seu propósito) e por fim encontre as oportunidades a partir
disso.

De fora para dentro

No modelo de fora para dentro é o inverso. Você pode realizar uma


atividade da qual percebeu uma oportunidade no mercado, aprender a gostar
dela e por fim, desenvolver um propósito por meio desse processo.

Os dois caminhos funcionam muito bem


EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO
1. Para você o que é ter uma vida cheia de riquezas?

Qual lição você aprende com essa pergunta

A partir dessa lição, o que você vai fazer?

2. Como está a sua vida hoje em relação a como você enxerga as suas riquezas?

Qual lição você aprende com essa pergunta

A partir dessa lição, o que você vai fazer?

3. Quais são os valores essenciais mais importantes da sua vida?


Qual lição você aprende com essa pergunta

A partir dessa lição, o que você vai fazer?

4. Relacione suas cinco maiores virtudes e seus cinco maiores pontos a derem
melhorados?

Qual lição você aprende com essa pergunta

A partir dessa lição, o que você vai fazer?

5. Na sua trajetória de vida houveram diversas histórias marcantes. Qual é a que você
considera a mais importante vitória de toda a sua vida?
Qual lição você aprende com essa pergunta

A partir dessa lição, o que você vai fazer?

6. O que você quer que seja escrito na lua lápide?

Qual lição você aprende com essa pergunta

A partir dessa lição, o que você vai fazer?

7. Quando você se olha no espelho, o que você vê?


Qual lição você aprende com essa pergunta

A partir dessa lição, o que você vai fazer?

8. O que é a vida para você?

Qual lição você aprende com essa pergunta

A partir dessa lição, o que você vai fazer?

9. Se você descobrisse que viveria apenas por mais alguns poucos anos, quais atitudes
tomaria agora?
Qual lição você aprende com essa pergunta

A partir dessa lição, o que você vai fazer?

10. Qual o principal conselho que você daria sobre a vida para uma pessoa mais nova que
você?

Qual lição você aprende com essa pergunta

A partir dessa lição, o que você vai fazer?

Níveis neurológicos e construção da identidade


“A gratidão é a base de todas as coisas. Pessoas já me
ajudaram e eu já ajudei mais de 150 pessoas
profissionalmente. Eu sempre lutei, trabalhei, lutei,
lutei e cresci e atingi um patamar que eu jamais
imaginava. Agora eu ajudei muita gente e ajudei a mim.
E o grande orgulho que eu tenho é que eu nunca
prejudiquei ninguém” (Milton Neves)

A pirâmide dos níveis neurológicos foi desenvolvida por Robert Dilts um


dos criadores da Programação Neurolinguística (PNL) e adaptada por mestres
do desenvolvimento humano como BerndIsert do Metaforum e José Roberto
Marques do Instituto Brasileiro de Coaching (IBC) e tem como objetivo ilustrar a
hierarquia neurológica do ser humano para compreensão e importância do
desenvolvimento de missão, propósito, visão, valores e legado, a fim de dar
significado e sentido na vida de cada um e, com isso, potencializar resultados e
realizar sonhos de uma forma completamente alinhada e congruente.

A pirâmide do processo evolutivo por José Roberto Marques é uma


adaptação da pirâmide dos níveis neurológicos e é composta por sete níveis:
Ambiente, Comportamento, Capacidades e Habilidades, Crenças e
Valores, Afiliação e Legado de acordo com a imagem.

O conhecimento desse processo é uma ferramenta poderosa para o


todo e qualquer profissional que deseja entender o funcionamento da máquina
da humana e sua dicotomia entre razão e emoção.
Ambiente: (primeiro nível)
O primeiro nível ambiente se refere a lugares e pessoas com quem
convivemos, tem relação com tudo que está fora e causa movimentos internos.

Comportamento: (segundo nível)


Representa as nossas ações, e como nos comportamos no nosso dia-a-
dia, tem relação com a ação e reação que temos do impacto do ambiente
externo a que estamos inseridos.

Capacidades e habilidades: (terceiro nível)


Este nível está relacionado com as capacidades e habilidades que
temos em fazer as coisas.

Crenças e valores: (quarto nível)


Este nível está relacionado com os porquês das coisas, e guia as nossas
ações diárias. Tudo que fazemos é para satisfazer nossos valores pessoais e
tudo que acreditamos está relacionado com as nossas crenças, que são uma
verdade pessoal para nós e não uma verdade universal. De acordo com Henry
Ford “Se você acredita que pode ou se pensa que não pode, de qualquer forma
você está certo.” Nosso sistema de crenças e valores nos dá permissão e
motivação para ousarmos novas posições em nossas vidas.

Identidade: (quinto nível)


No nível de identidade existe relação com as perguntas Quem sou eu?
Qual a minha missão de vida? Quais são os meus papéis? Como sou
enquanto: pai, filho, líder, empresário, etc.

Afiliação: (sexto nível)


O sexto nível, o de afiliação, está relacionado com a indagação: Com
quem compartilho meus sucessos, intimidades, pontos de melhoria e sonhos?
Tem relação do “eu” dentro do grupo ao qual eu pertenço. Nosso sistema de
afiliação nos dá a sensação de pertencimento ao universo. A vida é muito
maior quando somos capazes de aglutinar ideias, ideais, sonhos e objetivos em
comum com diversas pessoas dentro e fora do nosso círculo familiar.

Legado

O legado está relacionado com o eu mais profundo, com a


espiritualidade, a visão e propósito. Traz a reflexão sobre nosso
desenvolvimento espiritual, nos convidando a ter uma visão ampliada do
mundo, um propósito, e a construção de um legado, que nada mais é do que a
memória que deixaremos no universo. A consciência de que fazemos parte de
algo muito maior, sobre a nossa relação com o universo e com que existe fora
de mim. Minha integração corpo, alma e espírito. O legado está referenciado
com a Indagação: Quem mais pilota a sua vida?
Está ligado no senso do significado de vida, do pensamento sistêmico e da
visão holística.
Ao caminhar ao topo da pirâmide, transparecemos nossos valores,
transformando nossas crenças, impactando nossas habilidades e capacidades,
mudando nossos comportamentos, e transformando nosso ambiente. Ao
provocarmos mudanças nos níveis superiores da pirâmide alteramos tudo que
está abaixo. Com isso são nos níveis de Legado, Afiliação, e Identidade que
realmente provocam mudanças na vida das pessoas: missão, visão e
propósito.

“Você trabalha com gente. Você tem que cuidar para


que eles também tenham sucesso. Você ter sucesso
não é só você ganhar um salário, é você crescer a cada
dia, você ser feliz naquilo que você faz, você ser
respeitado. Eu acho que as empresas têm que ir no
máximo de produtividade que é possível fazer,
cuidando das pessoas, do ponto de vista de cuidá-las,
para elas poderem fazer outras atividades. Se você
fizer a automação sem fazer um treinamento, um
reposicionamento das pessoas no mercado ela pode
ser catastrófica. Por outro lado, se você não fizer a
automação em algo que pode te deixar mais
produtivo, pode te tirar do mercado.” (Guilherme
Loureiro)
EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO

EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO PARA DEFINIÇÃO DE


VISÃO PESSOAL FUTURA

Imagine-se alcançando um resultado em sua vida, você na sua plenitude


e no futuro claro e bem real que você deseja profundamente. Faça esse
exercício durante cinco minutos de olhos fechados e com a respiração
controlada. Você pode usar um timer para te ajudar a controlar o tempo. Logo
em seguida, responda as seguintes perguntas:

1. Auto Imagem: Se você fosse exatamente o tipo de pessoa que deseja ser,
quais seriam suas qualidades?
_______________________________________________________________
_______________________________________________________________
_______________________________________________________________

2. Tangíveis: Que coisas materiais você gostaria de ter?


_______________________________________________________________
_______________________________________________________________
_______________________________________________________________

3. Lar: Qual é seu ambiente de moradia ideal?


_______________________________________________________________
_______________________________________________________________
_______________________________________________________________

4. Saúde: Qual é o seu desejo em termos de saúde, aptidão física, atletismo ou


qualquer coisa a ver com o seu corpo?
_______________________________________________________________
_______________________________________________________________
_______________________________________________________________

5. Relações: Que tipo de relacionamentos você gostaria de ter com seus


amigos?
_______________________________________________________________
_______________________________________________________________
_______________________________________________________________

6. Trabalho: Qual a sua situação ideal em termos de profissão ou vocação?


Que impacto você gostaria que seus esforços tivessem?
_______________________________________________________________
_______________________________________________________________
_______________________________________________________________

7. Projetos pessoais: O que você gostaria de criar como aprendizado


individual, viagens, leituras, etc.?
_______________________________________________________________
_______________________________________________________________
_______________________________________________________________

8. Comunidade: Qual é a visão para a sociedade em que você vive? Descreva


esse propósito?
_______________________________________________________________
_______________________________________________________________
_______________________________________________________________

9. Outros: O que mais em qualquer outra área da vida você gostaria de criar?
_______________________________________________________________
_______________________________________________________________
_______________________________________________________________
10. Propósito de vida: Imagine que sua vida tem um propósito único – que se
realiza através do que você faz, das suas relações e do modo como você vive.
Descreva esse propósito.
_______________________________________________________________
_______________________________________________________________
_______________________________________________________________
TOMADA DE DECISÃO

Módulo: IDENTIDADE E PROPÓSITO

Perguntas para tomadas de decisão.

Responda essas perguntas com calma e de maneira específica. As suas


respostas revelarão o que você sabe, sente e entende como prioridade nesse
momento da sua vida. Os exercícios de fixação servirão como base
estruturante para as definições de objetivos e o seu plano de ação coerente a
partir dessa parte do programa de treinamento do Código da Riqueza.

13. Após a explicação dos conceitos apresentados nesse módulo, O QUÊ


VOCÊ SABE, AGORA?

14. Após as explicações dos conceitos apresentados nesse módulo, COMO


VOCÊ SE SENTE, AGORA?

15. Após as explicações dos conceitos apresentados nesse módulo, O QUE


É MAIS IMPORTANTE, AGORA
PLANO DE AÇÃO

O plano de ação do Código da riqueza deverá ser preenchido com atenção ao


final deste módulo. Ele representará todas as etapas responsáveis por uma
boa formulação e execução dos objetivos. Elas estão divididas nas seguintes
áreas:

Objetivo;
Evidência
Motivadores / ganhos
Sabotadores / perdas
Valores / relevância
Recursos
Estratégias
Ações
Primeiro passo
Responsabilidade
Comprometimento

O programa a seguir deverá ser descrito de maneira mais especifica possível


seguindo a estratégia S.M.A.R.T.

SPECIFIC (ESPECÍFICO)
MEASURABLE (MENSURÁVEL)
ACHIEVABLE (ALCANÇÁVEL)
RELEVANT (RELEVANTE)
TIME (PRAZO)
OBJETIVOS

O que você deseja especificamente? Qual o contexto?

ONDE

Onde você quer que isso aconteça?

QUEM

Quem participa desse objetivo?

QUANDO

Quando vai acontecer

EVIDÊNCIA

Qual é a evidência de que você conseguiu?


MOTIVADORES E GANHOS

O que você ganha com isso? Quais são os benefícios que você obterá?

SABOTADORES E PERDAS
O que você perde com isso? Este objetivo ou resultado afeta negativamente outras
pessoas do meio do qual você faz parte? (Se a respostas for sim, o que você precisa
alterar no seu objetivo para que afete apenas positivamente outras pessoas ou seu
meio?

VALORES/RELEVÂNCIA
Por que isso é importante para você? Quais os valores que você irá satisfazer com esta
meta? Por que isso é realmente importante para você?

RECURSOS
Do que vai precisar? (Recursos financeiros, conhecimentos, métodos, tempo,
habilidades, competências)

ESTRATÉGIAS
Quais as formas para conseguir isso? Quais serão suas estratégias? Você conhece
alguém que já fez isso? Como esta pessoa conseguiu?
AÇÕES

Quais são os passos para conseguir isso? Qual será seu plano de ações?

PRIMEIRO PASSO

Qual será o primeiro passo?

RESPONSABILIDADE
Depende de quem para que seu objetivo seja realizado? O que você pode fazer para
que esse objetivo dependa de você para ser iniciado hoje e mantido por você?

COMPROMETIMENTO
Qual o seu grau de comprometendo em realizar isso? O que você pode fazer para
aumentar seu grau de comprometimento?
MÓDULO DINHEIRO
RIQUEZA
PALAVRAS INICIAIS

Esse capítulo do curso o Código da Riqueza vai tratar de todas as


competências de devem ser aprendidas e desenvolvidas por qualquer
profissional.

Dinheiro a todo os comportamentos e conhecimentos que uma pessoa pode


ter sobre ele. Costuma-se dizer que o dinheiro é tímido, ou seja, é preciso atraí-lo.
Além disso e não obstantes, ele não aceita desaforo. Em outras palavras, o
dinheiro pode ser utilizado para o bem como para o mal. As pessoas ricas
entenderam que ele não é o fim, mas o meio para a realização de várias coisas
grandiosas na vida das pessoas e na sociedade. Entendimento sobre como
aumenta-lo, comportamentos frente ao dinheiro para criar a riqueza serão um dos
aspectos mais tratados nesse capítulo.

Esse é um módulo especial, dividido em 4 submódulos descritos a seguir:

MÓDULO DINHEIRO (SEXTO)


Módulo 0 - RIQUEZA
Aula 1 – Onde tudo começou
Aula 2 - Existe algo que você não sabe
Aula 3 – O problema não é o dinheiro
Aula 4 – Nossos criadores
Aula 5 – Você está programado para o sucesso?
Aula 6 – reprogramação de sua biblioteca mental
Aula 7 – os milionários pensam a longo prazo
Aula 8 – Você é dono da sua própria vida
Aula 9 – Os milionários trabalham visando lucro
Aula 10 – Todos gostariam de ser ricos
Aula 11 – Os milionários assumem riscos calculados
Módulo 1 – REFLEXÕES DE UM BATALHADOR SEM
DINHEIRO
AULA 1 - O exemplo do arquiteto – planejamento no papel
AULA 2 – Ciclo financeiro das pessoas
AULA 3 – Tempo e dinheiro
AULA 4 – A importância do orçamento inteligente
AULA 5 – Pagar à vista ou à prazo
AULA 6 – Poupar X Investir

Módulo 2 – GANHA MAIS DO QUE PAGA

AULA 1 – Fundo de investimento


AULA 2 – Qualidade do bom investidor
AULA 3 – Conclusão do fundo de emergência

MÓDULO 3 – NÃO SE PREOCUPA MAIS COM O CURTO


PRAZO

AULA 1- Vale a pena investir no Brasil?


AULA 2- Aposentadoria
AULA 3 – Por que muitas pessoas não vão se aposentar bem
AULA 4 – Previdência: pensando no futuro
AULA 5 – Recapitulando – A estratégia de O primo rico
AULA 6 – Introdução à sucessão

Seja bem vindo.

RODA DO CÓDIGO DA RIQUEZA – DINHEIRO


Para o início desse módulo, você deverá preencher a RODA DO
CÓDIGO DA RIQUEZA – DINHEIRO. Trata-se de uma roda de 10 níveis
relacionados ao ambiente que você vive e as pessoas que convivem com você
nele. Você deverá colocar uma nota de 0 a 10 de acordo com o seu nível de
satisfação com relação a esse pilar. Os níveis são:

1. Comportamento. De uma nota de 0 a 10 para seu nível de


satisfação sobre seu comportamento frente ao seu dinheiro. Você
tem o domínio total sobre seu dinheiro ou deixa que ele o domina.
Você sabe exatamente como agir frente a todo dinheiro que você
ganha ou é um ignorante nesse aspecto? Como se sente em
relação a esse pilar?
2. Planejamento. De uma nota de 0 a 10 para seu nível de
satisfação sobreo seu planejamento financeiro. Ele é claro,
tangível e como metas e prazos bem estabelecidos? Ou você não
tem nenhum planejamento, de verdade, financeiro?
3. Conhecimento. De uma nota de 0 a 10 para seu nível de
satisfação sobre o seu conhecimento em como manejar todo o
dinheiro que você recebe e produz. Você tem conhecimento
técnico sobre investimentos e de modo geral em como gerar e
aumentar a sua riqueza? Ou você não tem o conhecimento que
acredita ser fundamental para esse processo?
4. Investimentos. De uma nota de 0 a 10 para seu nível de
satisfação sobre os seus investimentos. Você faz investimentos
inteligentes ou não tem a menor ideia de como fazê-lo? Você é
um bom investidor ou um mal investidor. Elenque com as notas
de 0 a 10 o seu nível de satisfação com relação a esse pilar
fundamental
5. Poupança. De uma nota de 0 a 10 para seu nível de satisfação
sobre a quantidade de dinheiro que você poupa e poupou até
agora? Como que você entende os seus rendimentos que estão
guardados por você, estão bons, ruins, excelentes? Ou você é
uma pessoa que não guarda nenhum dinheiro e não conseguiu
gerar nenhuma poupança até agora, no presente momento?
6. Consumo. De uma nota de 0 a 10 para seu nível de satisfação
sobre a forma e qualidade do seu consumo. Como você utiliza
seu dinheiro? Você consomo de maneira criteriosa ou sem
nenhuma noção coerente? Você é um bom consumidor,
inteligente, estratégico e procura as melhores oportunidades,
quando de fato necessidade? Ou você é um consumidor
compulsivo? Compra todas as vezes que lhe são oferecidos um
produto ou serviço? Elenque o seu nível de satisfação em relação
a esse aspecto pessoal de consumo do seu dinheiro.
7. Mentalidade. De uma nota de 0 a 10 para seu nível de satisfação
sobre como você pensa sobre dinheiro. Você tem uma
mentalidade aberta para ficar rico ou é a pessoa que não quer
ficar pobre. Você acredita que a riqueza pode ajudar muitas
pessoas ou aquelas que são ricas começam a ter problemas por
conta do seu dinheiro? Como anda sua satisfação quando o
assunto é dinheiro?
8. Patrimônio. De uma nota de 0 a 10 para seu nível de satisfação
sobre o seu patrimônio constituído? Você está satisfeito com tudo
que criou até agora ou seu nível para esse pilar ainda continua
baixo?
9. Aposentadoria. De uma nota de 0 a 10 para seu nível de
satisfação sobre como você vai se aposentar. Está claro para
você quando e como vai ser sua aposentadoria? Isso te agrada
em qual nível de 0 a 10?
10. Estado Atual. De uma nota de 0 a 10 para seu nível de
satisfação sobre seu estado atual financeiro. Você está feliz e
satisfeito com os seus rendimentos mensais e anuais? Coloque
abaixo de 0 a 10 seu nível de satisfação com relação esse pilar
de fundamental importância.

Com o resultado desse exercício, você saberá onde precisa dar um


pouco mais de atenção e, consequentemente se sentir realizado e satisfeito
com a situação que se encontra. Essa técnica também ajuda com que você se
avalie rapidamente e reflita, logo no início desse módulo, em qual ponto da sua
vida você se encontra para essa área, para onde quer ir, quais as suas
prioridades e quais são os fatores que podem estar te impedido de realizar
seus objetivos com maior desempenho.

A partir de agora, é a sua vez de preencher a sua RODA DO CÓDIGO


DA RIQUEZA – DINHEIRO
AREAS PONTUAÇÃO
1 – COMPORTAMENTO
2 – PLANEJAMENTO
3 – CONHECIMENTO
4 – INVESTIMENTOS
5 – POUPANÇA
6 – CONSUMO
7 – MENTALIDADE
8 – PATRIMÔNIO
9 – APOSENTADORIA
10 – ESTADO ATUAL

MÉDIA ______________________
AULA 1
Aula 1 - Onde Tudo Começou

O CÓDIGO DA RIQUEZA

Módulo - RIQUEZA

Capítulo – ONDE TUDO COMEÇOU

Aula - 01

Temas estruturantes da aula. Nessa aula você poderá aprender a origem de toda a
estrutura financeira das pessoas

A minoria é rica financeiramente, e a maioria é pobre. Mas, isso tudo tem uma
origem, que aconteceu recentemente, e pode servir de reflexão para darmos
um ponto de partida na mudança e transformação de nossas vidas. A culpa
não é sua, não é minha, não é de ninguém. É de seus pais, avós, e assim por
diante. Em um passado recente, nossos pais não tinham condições de ensinar
muita coisa para nós sobre o planejamento financeiro. A maior parte da vida
deles teve uma realidade bem diferente da nossa. Eles viveram uma época em
que o forte crescimento das cidades brasileiras tornou o investimento em
imóvel o único caminho viável para o enriquecimento.

Logo depois disso, veio a inflação. Ela era tão descontrolada que era
impossível qualquer tipo de futurologia com o assunto, e por isso não era
possível confiar seu próprio dinheiro ou aposentadoria aos grandes bancos,
que eram muito frágeis na época pela falta de previsibilidade e governança
muito menos transparente do que hoje. Antigamente, também não existiam
informações financeiras tão acessíveis e baratas - na verdade, de graça - ao
nosso dispor.
A era da informação revolucionou o modo de consumir notícias.
Antigamente, tínhamos jornais, que eram desatualizados dentro de seu próprio
tempo, e propagandeavam notícias que já tinham ocorrido. Hoje, tudo é
gratuito, online e 100% digital. Hoje a educação financeira em escolas e
universidades é precária, mas antigamente, isso era ainda pior. O ensino
estava passando por uma grande revolução, e a educação doméstica nunca
esteve na grade obrigatória do MEC. Aliás, muitos pais hoje nem sequer
tiveram ensino. Além de tudo, recentemente passamos pelo boom da classe
média.
A classe média no passado tinha outro nível financeiro. Muitas pessoas
hoje tiveram um passado extremamente pobre e ascendeu nas últimas
décadas. Isso tudo contribuiu para pais e avós que passaram por uma restrição
financeira muito grande. Eles abriram mão de muita coisa que queriam quando
mais novos. Porém, boa parte da nova classe média decidiu compensar a
infância que passou tentando satisfazer o desejo alheio e o próprio de forma
totalmente irresponsável, gastando mais do que devia, ou gastando algo que
nem saberia se poderia ou não ser gasto. Um gasto totalmente inconsequente.

Como hoje esses pais são mais velhos, eles têm uma renda, e muito
superior da que tinham, diga-se de passagem. Por isso, como dizem, os
brinquedos ficam mais caros, e assim, como passamos a maior parte do tempo
tentando ganhar dinheiro, acordando cedo e dormindo tarde, criamos uma
ilusão de que podemos compensar qualquer momento com a compra de algum
bem. Dessa maneira, as pessoas ao nosso redor que não tinham luxo e tinham
carinho, hoje tem luxo de sobra e falta de carinho.

Em um ciclo sem fim, trabalhamos para ganhar dinheiro, ganhamos


dinheiro para agradar, tentamos agradar para compensar algo que nos faltava,
e trabalhamos para ganhar dinheiro.
Conclusões e gancho para a próxima aula

Nessa aula ficou evidente a origem de toda a estrutura financeira das


pessoas no Brasil e no mundo. Na próxima aula você irá aprender sobre os
pontos centrais sobre dinheiro e que a maioria das pessoas não sabem.
AULA 2
Aula 2 - Existe Algo que você não sabe
O CÓDIGO DA RIQUEZA

Módulo - RIQUEZA

Capítulo – EXISTE ALGO QUE VOCÊ NÃO SABE

Aula - 02

Temas estruturantes da aula: Nessa aula você vai aprender a forma como os ricos
pensam e direcionam seus esforços mentais

No livro "Os Segredos da Mente Milionária", do T. Harv Eker, que aliás, é e


sempre foi uma de minhas grandes fontes de inspiração, ele começa o livro
dizendo que quando pequeno, alguém muito muito rico disse pra ele o
seguinte: "Harv, se as coisas não estão indo como você gostaria, isso quer
dizer apenas que há algo que você não sabe." Hoje, o Harv é um cara
multimilionário e disseminador do assunto. Mas, por que ele conseguiu
alcançar o ápice do sucesso, assim como muitos outros que estavam na
situação dele? Simples, por que essa frase está correta. Existe algo que você
não sabe, ou ao menos, não sabia até agora: Os Ricos pensam quase todos da
mesma forma, e tudo o que você precisa fazer, é copiar o modo de pensar
deles. Eles pensam de um jeito completamente das outras pessoas, e o
pensamento que eles têm, é o que determina as ações deles, e logo, os
resultados que aparecem como consequência disso tudo.

Você deve estar se perguntando .. tá, mas por que eles pensam diferente?
Bom, eu vou dissecar esse assunto para você.
Mas por enquanto, eu quero te dizer que na jornada de atingir a riqueza plena,
tanto financeira quanto espiritual, o pensamento no curto prazo pode te impedir
de chegar lá. Em algum ponto da vida, todos nós pensamos apenas no curto
prazo, e esse é o grande problema. Se você olha apenas para o curto prazo,
você se desvia do seu rumo de longa distância para simplesmente suprir algum
desejo imediato. Se imagine em um shopping. Você precisa comprar ingressos
para a sessão das 20h00 no cinema. Naturalmente, o shopping é feito para nos
fazer olhar vitrines e nos desviar do caminho. Quanto mais tempo no shopping,
mais dinheiro deixamos nas lojas. Se você se desvirtuar, vai facilmente perder
o horário do cinema - e ainda, vai gastar mais dinheiro do que previa.

O que nos faz pensar no curto prazo ou longo é sempre a nossa mente. Ela
está constantemente nos sabotando. Afinal, fomos criados para suprir
necessidades imediatas.

Eu preciso terminar esse projeto e vou trabalhar até de noite em casa! Mas
nossa, como eu quero assistir um episódio daquela série. Acho que vou assistir
só um. Quando vemos, um desencadeamento de acontecimentos nos faz ficar
acordado até mais tarde, ter um desempenho medíocre na produção do
projeto, acordar cansado no outro dia, e logo, desencadear uma série de dias
trabalhando como um zumbi.

Com muito estudo, experiência em negócios e muitos clientes atendidos,


aprendi algumas coisas com os ricos. A principal delas, é que é muito
importante ter ferramentas de qualidade para trabalhar. Mas mais importante
do que isso, é ter uma consciência que siga no mesmo padrão de qualidade
dessas ferramentas externas.

Imagine o seguinte exemplo: Minha mãe, com uma panela e meia dúzia de
ingredientes faz uma paella. Já eu, não saberia nem ao menos ligar o fogão
direito. Mesmo se eu tivesse ferramentas mais desenvolvidas. Ou seja, o
grande segredo dos ricos está na consciência. Está nos pensamentos. Está na
mente. A combinação entre os pensamentos e as ferramentas causa um
resultado matador. Você vai entender com o tempo, mas o segredo não está
em aprender. O segredo está em desaprender.
Você já conheceu alguém na sua empresa ou família, que já era bem mais
velho que você, e quando você propôs alguma ideia nova (geralmente
envolvendo trabalho), essa pessoa vivia repetindo que isso não faz sentido,
pois na época dela isso dava certo, e etc? Esses profissionais geralmente
ficam ultrapassados em tempos de constante mudança como o de hoje. Mas o
problema não é que eles não conseguem aprender. É que eles não conseguem
desaprender conceitos antigos, para dar espaço para aprendizados novos.

Você já notou que alguns indivíduos ganham rios de dinheiro e depois perdem
tudo ? O motivo, quase sempre, é a consciência. É o pensamento. É a
programação interna que esse indivíduo tem. Por fora, que é o que vemos,
parece que foi má sorte, parece que o mercado não ajudou, parece que alguém
deu um golpe nesse indivíduo.. mas não. A causa é interna. Se alguém ganhar
dinheiro e não estiver preparado internamente para receber isso, o mais
provável é que esse dinheiro tenha um final trágico.

As pessoas não costumam enriquecer pelo pensamento pré-moldado, que não


tem a programação correta.

Quer um exemplo prático? Quem ganha muito dinheiro na loteria geralmente


perde tudo que ganhou. Sabe o BBB? Recentemente, vi um estudo em que
apenas 1 dos últimos mais de 10 ganhadores ainda tinham o dinheiro que
ganharam. Isso acontece pois eles não estavam preparados para receber tudo
isso. Geralmente, acreditamos que precisamos apenas ter educação financeira,
conhecimento técnico. Mas não é isso. Não adianta termos as ferramentas
corretas, se não estivermos preparados internamente.

Agora, já viu os casos de quem veio do nada e cresceu com o próprio esforço?
Geralmente esses mantém (e até aumentam) seu patrimônio. Para essas
pessoas, fadadas a serem muito bem sucedidas, às vezes elas podem até
perder todo o patrimônio que construíram, mas não perdem a sua essência
interior. Eles constroem seu patrimônio com a mesma velocidade que
perderam. O Donald Trump é um exemplo. Ele era bilionário. Quebrou. Virou
Bilionário de novo. Não estamos falando de ser milionário. Estamos falando do
bi.

Quase sempre, as pessoas vivem no mundo exterior. O que os olhos vêem, o


coração sente. As pessoas mal-sucedidas costumam deixar a vida os levar. //
Algo que ví na prática, é que as leis da natureza são aplicáveis de forma direta
a riqueza. Sempre. Para citar apenas um desses exemplos, imagine uma
árvore no parque Ibirapuera. Se essa árvore gerar frutos podres, do que vai
adiantar simplesmente tirá-los, e esperar eles crescerem novamente? Nada.
Para você mudar os resultados, é preciso plantar uma nova semente, e assim,
esperar essas raízes se fortalecerem, para então, os resultados virem de novo.

Fez sentido para você ? Se imagine então tentando a mesma coisa todos os
dias e não atingindo seus resultados. Isso vai adiantar de alguma coisa? Não.
Você precisa ir lá na essência. Mexer na sua consciência, e aí sim, esperar
resultados diferentes.

E para finalizar, o mais importante: Dinheiro é o sintoma, assim como a


riqueza, a saúde, o sucesso. Eles não são a essência. Eles são a
consequência.

Conclusões e gancho para a próxima aula

Nessa aula ficou evidente a maneira como os ricos e os pobres pensam,


e consequentemente agem com os seus recursos financeiros. Na próxima aula
você irá aprender com mais profundidade que o problema não é o dinheiro.
AULA 3
Aula 3 - O Problema não é O Dinheiro

O CÓDIGO DA RIQUEZA

Módulo - RIQUEZA

Capítulo – O PROBLEMA NÃO É O DINHEIRO

Aula - 03

Temas estruturantes da aula: Nessa aula você vai aprender que o problema não
é o dinheiro, mas apenas o sintoma

Você tem algum amigo que sempre diz que é um problema não ter dinheiro?
Que a falta de dinheiro é muito ruim? O quem sabe, você reclame desse
mesmo ponto? Vamos lá, tenho que te falar a verdade: O problema não é a
falta de dinheiro. A falta de dinheiro é só um sintoma. É só um resultado. A
riqueza (ou a falta dela) não é um problema. A riqueza (ou a falta dela) é só o
resultado. É o sintoma do que está acontecendo internamente. É um sintoma
do que está acontecendo, por consequência de nossos atos. E nossos atos,
são o que estão acontecendo por consequência de nossos sentimentos.
Nossos sentimentos são o que estão acontecendo por causa de nossos
pensamentos. Nossos pensamentos são a raiz, a semente. Ou seja, o
resultado é apenas o sintoma de nosso modelo de pensamentos.

A única maneira de interferir no resultado de forma sustentável é regredindo, e


voltando ali para onde tudo começou. Nos pensamentos e nas influências que
recebemos para formar nosso modelo de pensamento e riqueza.

Você já deve ter pensado em algum momento de sua vida que queria ser
muito rico. Ao menos, já ouviu, pelo menos umas 100 vezes alguém falando
que também queria ser. Mas sinto lhe dizer outra verdade: Querer, não é
poder. Além de querer, você tem que ser, e principalmente, executar. Para a
execução, chamamos isso de ação. A ação é um fato muito importante no
processo de atingir os objetivos. Devemos executar todas as ações que
pudermos para que nossas intenções, ou seja, nosso querer, se tornem
realidade.

Lembra que eu disse que o mais importante, é reconstruir seu modelo de


pensamento, para aí sim, interferir no seu resultado? Então. Todos nós, já
temos um plano de pensamentos fincado no sub-consciente. Mas eu vou
explicar melhor da seguinte forma. Pense da seguinte forma. Alguém que já foi
traído no relacionamento, inúmeras vezes, passa a desconfiar de seu parceiro.
Se seu parceiro chega em casa mais tarde do que deveria, o que esse alguém
vai pensar? As chances são altas de essa pessoa acreditar que o parceiro o
está traindo novamente. Essa pessoa, já tem em seu sub-consciente, um
pedacinho dele dizendo: "Não confie nas pessoas, elas vão te trair". Ou seja,
essa pessoa está programada a pensar dessa forma, por influências externas.
Isso não veio de dentro, mas agora, esses conceitos estão enraizados em seu
sub-consciente. Se essa pessoa, não retirar esse arquivo da traição de seu
sub-consciente, ela sempre vai acreditar que alguém a está enganando.

Imagine, por exemplo, alguém que está querendo emagrecer. Todos nós
sabemos, que se essa pessoa mudar sua alimentação, criar hábitos saudáveis,
e começar a frequentar a academia, as chances são bem altas de que esse
indivíduo vai melhorar bastante seu aspecto corporal. Você já quis ter um corpo
mais bonito? Alguém da sua família, já quis ter uma saúde melhor? Eu aposto
que sim. Mas por que esse resultado nunca veio? Você sabe qual a ações
precisaria tomar. Então por que isso nunca aconteceu? A resposta é,
novamente, simples. Você quer mais ter um belo corpo, ou quer mais,
aproveitar aqueles deliciosos almoços no fast food, aquelas deliciosas massas
no jantar, e aquelas bebidas maravilhosas no happy hour? O que você quer
mais? A questão não é o que você quer. É o que você quer mais. Pois lembre-
se: Querer, não é poder.
Para você mudar os seus resultados, novamente, você não precisa mudar suas
ações. Você precisa mudar os seus sentimentos. E para mudar seus
sentimentos, você precisa mudar seus pensamentos. Para mudar seus
pensamentos, você precisa desaprender os arquivos negativos que estão no
seu sub-consciente, e ensiná-lo, tudo que é pertinente para o atingimento de
seus resultados. E aí, como em um efeito cascata, o pensamento vai conduzir
o seu sentimento, que vai conduzir a sua ação, que vai conduzir o seu
resultado.

Você deve estar se perguntando: Como eu faço isso? Simples, aprenda a


desaprender. Aprende a interpretar seus pensamentos. Mas então, como se
forma o modelo de dinheiro que está no seu sub-consciente? Que molda seus
pensamentos? É simples. O que existe hoje, no programação de seus
pensamentos e de sua mente, não é o que você realmente acha que faz
sentido, e nem o que você aprende e vive no dia-a-dia, por mais que isso tenha
algum tipo de interferência. O modelo de dinheiro que está lá, se forma de tudo
que você recebeu de informação no passado, quando era criança,
principalmente.

Você, assim como, como meus amigos, como meus pais, como meus colegas
de trabalho, como minha família, todos nascemos ignorantes no quesito
riqueza e dinheiro. Mas você acha que alguém ligou? Não. Nunca fomos
ensinados na escola. Nunca fomos ensinados na faculdade. Nunca seremos
ensinados, até que algo nos motive a ir atrás desse assunto. No meu caso, foi
quando eu quebrei na bolsa. Isso me motivou a ir atrás desse assunto. Por
isso, nossos arquivos de riqueza, que estão ali dentro de nossa cabeça, são
vazios. São moldados pelos ensinamentos que tivemos de como as outras
pessoas lidaram com o dinheiro na nossa frente, do que nossos pais nos
falaram sobre dinheiro, e de todas as crenças que fomos construindo ao longo
da vida. O conjunto de todas essas inserções dentro de nosso pensamento,
nos levou a ter um condicionamento, em que independente da situação, nós
sempre tenderemos a tomar decisões não no presente, e sim baseados no que
já vivemos, mesmo que inconscientemente.

Por exemplo: Certa vez, tive um funcionário que era um excelente profissional,
mas que tinha hábitos de consumo bem aquém da sua realidade financeira. Ele
gastava mais do que recebia. Quando ele se deparava com um terno, o sub-
consciente dele, dizia o seguinte:

"Cara, compre esse terno. Ele vai ficar sensacional em você.", e ele ia lá, e
comprava. Mas dentro da cabeça dele, nunca algo dizia o seguinte: "Cara, esse
terno é muito lindo. Vamos economizar por alguns meses, e aí o compramos.".
Para ele, ele achava que tomava a decisão de compra na hora. Ele achava que
pensava racionalmente. Mas não, isso não acontecia. Mas por que não
acontecia? Isso não acontecia, pois dentro do seu sub-consciente, ali onde
estão as informações e inserções que ele teve ao longo da vida, na abinha
"dinheiro", não tinha nada dizendo "Se você não pode comprar, não compre".
Ele não tinha esse arquivo de riqueza dentro da mente dele. Como ele não
tinha esse pensamento inserido em sua mente, ele nunca deixaria de comprar
algo por não ter dinheiro.

No caso dele, ele não teve pai, e a mãe, para tentar suprir essa personalidade
dentro de casa, continuava o bancando financeiramente sempre que ele
precisava. Desde pequeno. Como ele sempre pode comprar tudo sem se
preocupar com isso, ele nunca recebeu esse valioso aprendizado: "Se não
pode, não compre.". Logo, em qualquer situação, o pensamento dele o iria
sabotar, e iria gerar um sentimento de gerar uma satisfação imediata. E aí, a
ação dele seria óbvia, ele iria comprar.

O resultado no longo prazo, você já deve imaginar. Quando faltar dinheiro, ele
vai achar que esse é o problema, a falta de dinheiro. Mas nós, saberemos
sempre, que a falta de dinheiro, foi o sintoma.
CRENÇAS DISFUNCIONAIS COM RELAÇÃO AO DINHEIRO

Dinheiro Riquezas e Consequências Identidade


Pessoas Ricas de Riqueza Financeira

Dinheiro não Pessoas ricas são Se eu tiver muito Eu sou um


cresce em árvore gananciosas dinheiro, as fracasso
pessoas verão financeiro
Um bom emprego Pessoas ricas são somente meu
é o único caminho arrogantes dinheiro e não Eu nunca consigo
para a segurança meu verdadeiro o que preciso
financeira Pessoas ricas são eu
diferentes de Eu nunc consigo o
Mulheres nunca pessoas como eu Seu eu for rico, as que eu quero
deveriam ganhar pessoas tentarão
mais do que seus Não é espiritual pegar meuEu não mereço
parceiros ter muito dinheiro dinheiro ser rico. Pessoas
como eu se
Quem quer que Não é seguro ter Não é certo para esforçam
tenha dinheiro é muito dinheiro mim ganhar mais financeiramente
mal ou egoísta dinheiro que meus
Riqueza corrompe pais e meus Eu não sou
Pessoas como eu irmãos esperto o
nunca enriquecem É nobre ser pobre suficiente para
Se eu for rico, eu ganhar muito
Para ganhar não me dinheiro
dinheiro, muito relacionarei mais
dinheiro, você tem com meus amigos Dinheiro escorre
que trabalhar pelos meus dedos
muito duro. Se eu for rico, não
posso ser Eu nunca serei
Dinheiro é a raiz espiritual rico
de todo o mal
CRENÇAS FUNCIONAIS COM RELAÇÃO AO DINHEIRO

Dinheiro Riquezas e Consequências Identidade


Pessoas Ricas de Riqueza Financeira

Dinheiro oferece Pessoas ricas são Com um fluxo de Eu sou um


oportunidades de generosas caixa saudável, sucesso
crescimento eu ainda posso financeiro
Pessoas ricas ser mais criativo e
Segurança desfrutam da vida espiritual Estou
financeira pode financeiramente
ser alcançada de Riqueza e Com dinheiro confortável
muitas formas bondade andam mais do que o
juntas suficiente, eu Eu mereço ser
Dinheiro e posso ter mais rico
criatividade nos Ter mais do que o escolhas
permite ajudar os suficiente é o Eu tenho tudo o
outros melhor padrão Com dinheiro que preciso para
para dominar mais do que construir uma
Dinheiro vai para suficiente, eu forte base
pessoas que A riqueza de uma posso satisfazer financeira
respeitam e pessoa pode mais facilmente
cuidam deles ajudar outros que minhas Eu sou espero o
estão em necessidades e suficiente para
Dinheiro pode nos desvantagem ajudar aos outros ganhar mais
ajudar a superar dinheiro
circunstâncias
difíceis da vida Eu confio em mim
mesmo para
cuidar do meu
dinheiro

Meus sonhos se
tornar realidade.

Conclusões e gancho para a próxima aula

Nessa aula ficou evidente que o dinheiro não é o problemas, mas sim o
sintona. Na próxima aula você irá aprender sobre os criadores da riqueza
AULA 4
Aula 4 - Nossos Criadores

O CÓDIGO DA RIQUEZA

Módulo - RIQUEZA

Capítulo – NOSSOS CRIADORES

Aula - 04

Temas estruturantes da aula. Nessa aula você vai aprender de onde nascem as
nossas ações derivadas do nosso modelo mental

Nunca se esqueça da fórmula básica de nosso modelo mental de riqueza: O


Pensamento comanda seu sentimento, o sentimento comanda sua ação, e sua
ação comanda seu resultado. O segredo é desaprender o que você já
aprendeu que deve ser descartado de seu pensamento, e aprender hábitos de
riqueza, que vão te guiar ao caminho correto. Dando um passo para trás, é
muito importante entender como os pensamentos que temos hoje, foram parar
lá.

A maioria deles, está enraizado por nossa infância. Eu vou te dizer uma
realidade: Ou você cuida de seu dinheiro como quem te criou, ou você é o
extremo oposto. Ao menos, na maioria das vezes. E aí te pergunto: Como seus
pais tratavam do assunto dinheiro com você? Eles falavam sobre isso? Você foi
educado financeiramente para tomar boas decisões? Seus pais reclamavam na
frente de você, sobre o dinheiro? O dinheiro sempre foi um dos males na mesa
de jantar? Você teve uma vida farta e gastadora, aquém da realidade que sua
família tinha? Tudo isso moldou de certa forma quem você é.

Vou te dar o meu exemplo: Fui criado em uma família, cujo pai é um grande
empresário. Nunca vi alguém conduzir reuniões como meu pai conduzia.
Nunca vi alguém conseguir tantos negócios novos, tantos clientes novos e
tantos resultados absurdamente positivos, como meu pai. Na mesma
proporção, eu também nunca vi alguém ser tão gastador quanto ele. Certa
vez, compramos um apartamento sem ter o dinheiro necessário. Ele fez isso
para agradar a mim, meu irmão e minha mãe. Mas, o que você faria nessa
situação? Se não pudesse, você gastaria mais do que tem, para agradar sua
família? Ele fez. Naturalmente, faltava uma informação importante nos arquivos
de dinheiro que meu pai tinha na mente. Faltava aquilo: "Não gaste o que você
não tem".

Ou seja, meu pai era programado para ganhar dinheiro. Muito dinheiro. Assim
como o pai dele também era. Todos ganharam muito dinheiro. Mas, qual foi a
consequência disso? Através desses exemplos, eu recebi uma informação que
moldou em boa parte quem eu fui durante muito tempo: "Gaste com o que você
quiser.". Naturalmente, eu também sempre fui um ganhador de dinheiro.
Sempre fui bem sucedido em todas as áreas de negócio que entrei. E apenas
de alguns baixos e tropeços, todos os fracassos que eu tive, me ajudaram a
atingir o sucesso em cada momento de minha carreira. Mas, minha
programação interna, estava pronta para me fazer ganhar dinheiro, e não para
acumulá-lo, administrá-lo e fazê-lo trabalhar para mim. Eu precisei desaprender
esse hábito que tive na infância, para aprender uma nova e importante lição:
"Administre bem suas necessidades."

Durante essa jornada, em que eu sempre tive tudo, nós tivemos algumas
passagens negativas. Quando comecei a ganhar consciência de minha vida, e
a da vida financeira de minha família, comecei a entender, que mesmo tendo
tudo, nós não tínhamos muito patrimônio líquido. E por isso, eu cresci com uma
mentalidade de "gastar com o que eu quiser", alinhado com o sentimento de
culpa pelo gasto. Mas mesmo assim, eu o fazia, para satisfazer o prazer
momentâneo, que eu cresci tendo como parte de minha vida. Novamente, eu
tive que desaprender esse conceito de dinheiro, em que "gastar era algo ruim",
e aprendi um novo, que "gastar, quando planejado, te dá um prazer imenso".
Assim, passei a valorizar meus gastos, e meus momentos gastando, sempre
foram muito mais plenos. Não se tratava mais de algo imediato. E algo
relacionado com o curto prazo. Agora estávamos falando da plenitude.
Estamos falando da longevidade.

No meu caso, eu incorporei esses conceitos na minha mente. Mas em alguns


casos, as pessoas fazem exatamente o oposto. Um amigo meu, Roberto, teve
um pai que trabalhou em uma empresa multinacional por muitos anos. O pai
dele, nunca estava em casa para ele. Quando estava em casa, estava
estressado. Quando estava com os filhos, descontavam nele, reclamava do
emprego que ele tinha quase todos os dias, e mesmo assim, jogava na cara da
família, que trabalhava duro por eles, em todos os jantares e almoços de
família - mas sempre se sentindo superior. O meu amigo, por conta desse
hábito, associou o trabalho a algo negativo. E de tabela, também passou a
odiar dinheiro. A consequência desses pensamentos internos dele, o fez
acreditar que ter uma rotina muito mais leve, dentro do pseudo-conforto ao qual
ele se submete, o traria muito mais felicidade. Na cabeça dele, essa seria uma
vida mais equilibrada. Porém, só na teoria. Na prática, ele não tinha contato
com gente, passava grande parte dos seus dias na internet, não construiu
riqueza (até agora), e acredita que o dinheiro e o trabalho são os grandes
vilões da história. Esse é um exemplo prático, de como alguém pode assumir
comportamentos completamente adversos por traumas de infância, sem nem
mesmo perceber o real motivo.

A questão, porém, é que quem olha de fora, vê nesse meu amigo, um cara
muito tranquilo, cheio de paz, e feliz. Porém, quem realmente o entende, e
consegue entrar nos pensamentos dele, vê que no fundo, ele é alguém que
tem medo de ir além, de agregar valor para as pessoas, que acaba tendo
resultados medíocres no dia-a-dia, e que não faz o bem para ninguém - nem
para ele mesmo. Mas, por que será que é importante entender que existe uma
relação gigantesca com o porquê temos alguns arquivos como esses em
nossas mentes? A resposta é simples: Por que entender nossos arquivos de
riqueza, nos permite nos conscientizar de que devemos manter certos hábitos,
e tirar outros. A conscientização é o primeiro passo para a reprogramação de
nossas mentes. Essa reprogramação funciona da seguinte forma: Primeiro, nos
conscientizamos. Aqui, entendemos quais arquivos de dinheiro foram inputados
em nossos pensamentos. Depois, nós passamos pela fase do entendimento.
Aqui, nós entendemos como alguns hábitos nos afetam.

O hábito de ser um grande ganhador de dinheiro, que peguei do meu pai, eu


quero manter. Porém, o de gastar tudo que não posso, eu não quero. Nessa
etapa, eu entendo o que faz e o que não faz sentido manter. Depois, vem o
terceiro passo, que é a dissociação. A dissociação é o passo em que
percebemos que esse tipo de comportamento que temos hoje, na realidade,
não faz parte do presente. Esses comportamentos são apenas reflexo do
passado. São pensamentos que não são nossos. Nós não os escolhemos. O
presente nos dá a opção de pensar diferente. De sermos diferentes. De sermos
quem a gente realmente quer, e não quem somos hoje por reflexo do passado.
O quarto passo, é o passo da escolha. Agora, que já sabemos de onde vieram
nossos pensamentos, já entendemos os impactos deles em nossas vidas, e já
nos desassociamos dos negativos, é a hora de escolher apagar de nossas
memórias esses pensamentos ruins, e decidir que vamos passar por uma
transformação de mindset. Vamos começar a modelar nossos pensamentos
para a riqueza, através de nosso entendimento do presente, e não do passado,
através de influência de nossa criação e vida até aqui.

Conclusões e gancho para a próxima aula

Nessa aula você aprendeu que nossa forma de pensar modela nos
sentimentos e como consequências as nossas ações. Na próxima aula você irá
aprender a programar sua mente para o sucesso.
AULA 5
Aula 5 - Você está programado para o Sucesso?

O CÓDIGO DA RIQUEZA

Módulo - RIQUEZA

Capítulo – VOCÊ ESTÁ PROGRAMADO PARA O SUCESSO?

Aula - 05

Temas estruturantes da aula: O tema a ser abordado nessa aula é sobre como
programa a nossa mente para uma mentalidade de abundância financeira.

Quando falamos de você, me responda: Você está programado para Gastar o


seu dinheiro, ou para economizá-lo? Está programado para administrá-lo bem,
ou administrá-lo mal? Veja, se você é uma pessoa que está programada para
ter rendimentos baixos, ou até para ganhar pouco, você provavelmente vai
atrair uma pessoa que também tenha esse modelo de pensamento. Logo,
nunca atingirão a plenitude da sua eficiência, e nunca atingirão a riqueza plena.
Se você está programado para ganhar, por exemplo, R$ 36.000,00 por ano, e
de repente, ganhar R$ 200.000,00 porque algo deu muito certo, você não
estará preparado para isso. Você vai achar que isso é muito dinheiro, e
inconscientemente, nos próximos anos você pode perder esse dinheiro, ou vai
ganhar menos para compensar. Afinal de contas, sua programação mental diz
que você é um cara que recebe R$ 36 mil por ano.

Parece brincadeira, né? Mas O que acontece se eu pedir para você correr 15
quilômetros na São Silvestre? Se você não se preparou fisicamente e
mentalmente, você não vai conseguir. Mas se eu pedir para você andar 1 km
sem parar, você vai conseguir, né? Se eu pedir para você gerenciar a fazenda
do meu tio, com muitos animais, você vai conseguir? Provavelmente, não. Mas
se eu te der tempo para se preparar, e você realmente o fizer, você vai
conseguir. Se eu te largar na academia, e pedir para levantar 50kg no supino,
você vai conseguir? Não, pois você não está preparado. Mas se você malhar
bastante, vai conseguir. Se eu te largar no meio da multidão e te pedir para
fazer amigos, você vai conseguir? Se for uma pessoa introvertida, talvez não.
Mas se você perder o medo e se preparar, você vai criar coragem para fazer
alguns amigos. Se eu te der 10 mil reais para administrar, você vai conseguir?
Acho que sim. Mas se eu te der 100 milhões de reais, você vai conseguir?
Talvez não. Talvez você nem saiba por onde começar, se preocupe com
impostos, com aplicações, com estruturações empresariais para blindar seu
dinheiro, diversificações ... Veja então que tudo é uma questão de preparo. Se
você não se preparar para ganhar mais, não vai ganhar. Se ganhar, vai
devolver.

É importante traduzir isso que acabei de falar, em duas partes: Caixa de


Ferramentas Interna e Caixa de Ferramentas Externa. Não adianta você ter
uma consciência, se não tiver o estudo necessário e ferramentas para executar
alguma coisa. Para você investir no mercado, você precisa entender a
diferença entre CDI e Poupança. Precisa saber como fazer uma boa alocação
de ativos, como escolher entre Tesouro Direto e CDB, e assim por diante. Isso
é o que chamamos de caixa de ferramentas externa. Porém, é como um
iceberg. O conhecimento externo é só a ponta do Iceberg, e a caixa de
ferramentas interna é a maior parte dele, que fica submersa. Ninguém vê, mas
é a parte mais relevante do iceberg. O exterior não vive sem o interior e vice-
versa. Porém, é necessário entendermos que são igualmente importantes.

É importante adquirirmos consciência, e entender que nós somos hoje o que


queremos ser, baseando-se em decisões no presente, e não o que somos por
influência de nosso passado. Quem não conseguir entender isso e abrir mão
dos pensamentos que foram inputados em nossas mentes, nunca conseguirá
controlar os próprios pensamentos. Essas pessoas vão deixar os sentimentos
controlarem os pensamentos, e não os pensamentos controlarem os
sentimentos. Imagine que nós precisamos ser o gravador, e não a gravação.
Ous eja, nós podemos gravar o que quisermos, e não termos as gravações que
ouvimos por aí.
É importante termos esse discernimento para podermos de fato controlar
nossos desejos e medos. A maioria das pessoas hoje é ignorante no assunto
riqueza, e por isso deixam-se guiar pelo medo de tomar decisões erradas, e
pelo desejo de consumo. Fazer isso pode te tornar o maior refém de sua
situação atual, e o maior inimigo da mudança de seu pensamento.

Conclusões e gancho para a próxima aula

Nessa aula você aprendeu sobre os recursos internos e externos que


moldam seus pensamentos e atitudes para o sucesso. Na próxima aula você
irá aprender a como reprogramar a sua biblioteca mental.
AULA 6
Aula 6 - Reprogramação de sua Biblioteca Mental

O CÓDIGO DA RIQUEZA

Módulo - RIQUEZA

Capítulo – REPROGRAMAÇÃO DE SUA BIBLIOTECA MENTAL

Aula - 06

Temas estruturantes da aula. Nessa aula você vai aprender a como reprogramar
a sua biblioteca mental.

Sempre é válido relembrar. Seus pensamentos conduzem os seus


sentimentos, seus sentimentos conduzem as suas ações, e suas ações
conduzem a seus resultados. Porém, de onde vêm seus pensamentos? Vem
do que você viveu até aqui. Logo, sua cabeça é uma sala de arquivos, e dentro
desses arquivos, temos várias abas. Quando nos submetemos a alguma
situação ligada a dinheiro, instantaneamente nossa mente recorre a aba
"dinheiro" e busca algo que já vivemos relacionado a essa situação. Nosso
cérebro está moldado para nos ajudar a sobreviver, e não a atingir o sucesso.
Logo, ele quer nos prover conforto, e logo, tomamos decisões erradas
pautadas em nos manter na zona de conforto.

O problema é que o seu conjunto de pensamentos o trouxe até aqui, e por isso,
imagino que você queira algo melhor. Para atingir algo melhor, precisamos
fazer 2 coisas: 1) Retirar os pensamentos danosos ao nosso patrimônio líquido,
e 2) Incluir pensamentos que nos levem a prosperidade.

Te convido a refletir agora, antes de partir para a próxima aula, sobre por que o
seu comportamento financeiro é assim. Será que você tem pensamentos que
podem te levar as ruinas? Te convido também a se transformar em uma
esponja. Em uma esponja pois sempre que você enxergar um comportamento
ligado a riqueza com alguém, você deve imediatamente incluir isso em sua
consciência. Você incluir na sua cabeça o que você quiser, e você tira o que
você quiser. É você que controla o que entra e o que sai. Antes não era, mas
agora é. Nas próximas aulas, te darei alguns bons arquivos de riqueza para
incluir em sua mente.

Conclusões e gancho para a próxima aula

Nessa aula você aprendeu a refletir sobre os dois pontos mais


importantes sobre o pensamento: Retirar os pensamentos danosos ao nosso
patrimônio líquido, e 2) Incluir pensamentos que nos levem a prosperidade. Na
próxima aula você irá aprender as lições da forma de pensar dos milionários
em longo prazo.
EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO

COMO SOMOS PROGRAMADOS

A maneira como somos programados na infância está relacionado a tudo que


vimos em nossas casas e famílias sobre dinheiro durante nossos primeiros 12
anos de vida (Paulo Vieira)

 Como se comportavam seus pais em relação ao dinheiro?


 Eles cuidavam bem ou mal das finanças?
 O salário deles era suficiente para o mês ou faltava e todo fim de mês
eram momentos de tensão e discórdia? Eles perdiam o que tinham e a
vida era uma sequência de altos e baixos?
 O dinheiro fluía naturalmente ou era sempre difícil e suado?

Faça o exercício a seguir e entenda a relação do dinheiro e sua correlação com


os agentes familiares (você, pai, mãe ou pai e mãe substitutos)

RELAÇÃO DE PADRÕES NEGATIVOS DE Eu Pai Mãe Pai e


PAI E MÃE Mãe
Sub.

Planejador que não realiza


Pessimista
Acomodado
Confuso e desesperado para ter dinheiro ou
negócios
Sem compromisso com o dinheiro, trabalho ou
negócio
Sem foco em ter ou possuir algo de valor
Fracassado ou azarento
Impulsivo com negócios ou dinheiro
Irresponsável financeiro ou profissional
Oportunista ou sem caráter
Perdulário, gastador
O bom samaritano para os outros e não para a
família
Frouxo, sem ousadia financeira e profissional
Sem foco, sem meta, sem objetivos
financeiros e profissional
Arranja desculpas para o fracasso
Não termina o que começa
Gosta de vida fácil
Se escora nos outros financeiramente:
cônjuge, pais, familiares
Tenta tirar proveito de tudo e de tudo e de
todos para se dar bem
Só quer sombra e água fresca
Tudo é uma piada e não leva trabalho e
dinheiro a sério
Despreparado e incapaz de prosperar
Desistente
Egoísta e egocêntrico
Individualista
Inseguro, acomodado
Introvertido, tímido profissional
Não se dá valor e por isso não sabe cobrar
pelo que faz
Não faz nada realmente bem feito
Perfeccionista em excesso
Só trabalha e não usufrui
Só pensa em dinheiro
Sucesso, dinheiro e trabalho vale mais que
pessoas e filhos
Em vez de amor, só dá dinheiro e presentes
A vida é difícil e dinheiro não dá em árvores
Não cuida ne dá valor ao dinheiro ou aos bens
Odeia dinheiro e os ricos
Apático, desinteressado na vida profissional e
nas finanças
Omisso nos gastos e nas finanças
Pessimista profissional e financeiro
Evita desafios e confrontos financeiros e
profissionais
Não saber dizer não
Procura agradar a todos e esquece os
próprios objetivos e necessidades
Covarde profissional e financeiro
Desconfia de tudo e de todos
Medo da crítica e do fracasso
Medo da pobreza
Medo de não sustentar a família e honrar as
contas
Medo de arriscar
Medo do fracasso
Medo do futuro financeiro e profissional
Medo do sucesso
Não se acha merecedor
Não se acha capaz de ter sucesso
Antecipa o pior
Complexado e se acha perseguido e julgado
Sempre com pressa para trabalhar e sem
tempo para as pessoas
Traído pelo sócio e parceiros; passado para
trás
Repleto de negócios fracassados
Ganancioso, busca o sucesso a qualquer
custo; saúde, família, filho
Charlatão
Extravagante, exibicionista ou megalomaníaco
Esnobe, vaidoso e elitista
Narcisista e obcecado por si
Mentiroso ou hipócrita
Arrogante, prepotente e dono da verdade
Aparenta ter o que não tem e ser o que não é
Compra amor com o dinheiro
Dá mais valor as coisas materiais do que às
pessoas
Complacente e corre riscos financeiros e
profissionais desnecessários
Dependente financeiro dos outros
Passivo, submisso, complacente
Desvaloriza a si mesmo
Estressado com o dinheiro e com o trabalho
Odeia o que faz e como se sente em relação a
isso
Mal remunerado ou sub-remunerado
Bajulador das pessoas e de sucesso ou
aproveitador
Vive mergulhado em dívidas
Constantemente desempregado ou com o
negócio quebrado
Cobradores na porta
Humilhados pela falta de dinheiro
Trocados pelo dinheiro ou pelo trabalho
Não posso, não tenho dinheiro para isso
São os homens/mulheres que mandam,
podem ou tem dinheiro

E agora?
1. Após preencher o exercício de padrões, pense no modo de ser e nos
hábitos de seus pais em relação ao dinheiro, bens e riqueza.
2. Escreve a sobre o efeito negativo que a repetição desses padrões tem
causado em sua vida financeira atual
3. Para cada padrão negativo identificado escreva a maneira que você
decide se comportar a partir de hoje em diante, independentemente da
forma como seus pais se comportavam.
AULA 7
Aula 7 - Os Milionários Pensam a Longo Prazo

O CÓDIGO DA RIQUEZA

Módulo - RIQUEZA

Capítulo – OS MILIONÁRIOS PENSAM A LONGO PRAZO

Aula - 07

Temas estruturantes da aula. Nessa aula você vai ser conduzido ao modelo
mental dos milionários a longo prazo.

O autor Keith Cameron Smith separa a sociedade em 5 tipos de pessoas: As


muito pobres, as pobres, a classe média, os ricos e os muito ricos. A definição
dele para cada uma dessas classes é surpreendentemente simples, mas faz
muito sentido. Ele diz que cada um desses 5 grupos raciocina sobre dinheiro
de uma forma diferente. No caso dos muito pobres, o pensamento está voltado
para cada dia. No caso dos pobres, o pensamento está voltado para a semana.
A classe média pensa no mês. Os ricos, pensam no horizonte do ano, e os
muito ricos, no horizonte de décadas.

Isso é muito inteligente, pois o grupo dos pobres e dos muito pobres, vivem
uma sensação de escassez violenta. Eles só querem sobreviver. É um instinto
natural. Na cabeça da classe média, que já tem uma fonte de renda razoável,
eles querem conforto. Já os ricos, querem liberdade, e por isso chegam lá. Eu,
particularmente, sou um apreciador do mindset de que a energia existe, e que
de alguma forma, quanto mais você busca alguma coisa, quanto mais otimista
você é, maiores são as chances de você conseguir alcançar o que se busca.
Se você quer a liberdade, você terá uma chance maior de alcançá-la. Se você
quer apenas o conforto, também vai alcança-lo,e naturalmente, se apenas luta
para sobreviver, vai fazer isso da mesma forma.
A cabeça dos pobres gira em torno da escassez. Como eles vivem, e na
maioria das vezes tiveram uma origem pautada na escassez, eles tem a
mentalidade de que não é possível ter dinheiro o bastante para alcançar uma
vida superior a que eles vivem.

Os milionários, e as pessoas mais ricas, sabem que isso não é verdade, e se


permitem pensar mais longe. O pensamento de longo prazo é benéfico em
outras áreas da nossa vida também. Na saúde física, por exemplo, se você não
olhar para o longo prazo, não adianta ir para a academia e se exercitar para ter
um corpo saudável. O resultado não vem rápido, mas o benefício é importante
para uma vida plena no futuro. É sempre aquela história da colheita...você hoje
é o resultado do seu planejamento dos último anos, e não das suas ações no
presente.

As pessoas de classe média se preocupam com as contas do mês. A atenção


toda é dirigida as faturas de cartão de crédito mensais, aluguel, prestações de
carro, e por aí vai. Pensar em termos anuais mostra que a pessoa começa a se
preocupar com finanças, investimentos e responsabilidades fiscais - esse
pensamento é das pessoas ricas.

O pensamento em décadas é o que distingue os milionários. Esse tipo de


pensamento reflete o alinhamento com planos de negócios mais lucrativos,
maiores e com resultados mais consistentes. Como você quer sua vida daqui
10 anos? Reflita sobre isso. Não ter uma visão clara sobre seu objetivo, é ter,
por consequência, um pensamento focado no curto prazo. E
consequentemente, um mindset focado na escassez te faz focar apenas na
sobrevivência, e não na busca pela liberdade. O que eu vi, por experiência
própria, é que quem constrói fortunas, desenvolve a disciplina de adiar o
sentimento de satisfação. Os bem sucedidos fazem hoje o que os outros não
fazem, para que no amanhã, tenham o que os outros não tem. Conquistar mais
liberdade é o objetivo dos indivíduos ricos e dos milionários. Afinal de contas,
se você não tiver objetivos, do que adianta ter dinheiro?
Conclusões e gancho para a próxima aula

Nessa aula ficou claro as diferenças entre o pensamentos das pessoas


pobres e as milionárias com relação da sua aplicação de dinheiro no tempo. Na
próxima aula você irá aprender a conduzir de maneira protagonista a sua vida.
AULA 8

Aula 8 - Você é dono da sua Própria Vida?

O CÓDIGO DA RIQUEZA

Módulo - RIQUEZA

Capítulo – VOCÊ É DONO DA SUA PR´RPRIA VIDA

Aula - 08

Temas estruturantes da aula. Nessa aula você vai aprender a como conduzir a
sua mentalidade financeira e ser o protagonista da sua própria vida

Você já reparou que na maioria das vezes, nas filas das lotéricas estão as
pessoas com menos dinheiro? Costumam ser as pessoas com menos dinheiro
que gastam mais com jogos de azar, na esperança de que a vida as faça
algum milagre. Na maioria das vezes, as pessoas pobres se vitimizam. Elas
costumam se sentir "coitadas, ferradas e pobres" na frente dos outros, e logo,
elas só atraem isso para elas mesmas. Se tornam ou se mantem pessoas
pobres e ferradas.

A grande questão, porém, é que essas pessoas não são as vítimas. Elas se
colocam nesse papel por querer receber atenção e alguém que passe a mão
em suas cabeças. Geralmente, essas pessoas creditam todos os problemas a
outras pessoas. O Brasil está em crise .. a empresa não valoriza o funcionário
.. os clientes querem pagar muito barato, ninguém valoriza a profissão.. meu
chefe é péssimo .. minha equipe é um lixo. Você já se deparou com alguém
assim? Tudo está errado, menos essa pessoa mesmo.

Algo que também acontece muito é procurar justificativas para tudo. Dia
desses, falei com uma dona de casa, que tem funcionária para limpar a casa,
que não tem filhos em casa para cuidar, e tem pouquíssimas tarefas por que
ela não estudava para poder ter liberdade e ser mais produtiva, já que era isso
que ela queria. Ela dizia que não tinha tempo. Mas a verdade não é essa. Esse
tipo de mentalidade é muito comum. Você já ouviu alguém falando, por
exemplo, que o dinheiro não é tão importante assim, mas que a felicidade é?
Bom .. eu tenho sócios. Se eu falar pros meus sócios que eles não são
importantes, o que vai acontecer? Vou perdê-los, com certeza. Se você falar
isso pra sua noiva ou namorada então, vixi .. você vai a perder rapidinho. Logo,
a mesma lógica se aplica ao dinheiro. Se você não o considerar parte vital em
sua vida, ele também vai embora. Ainda mais se você fizer pouco caso. Aliás,
você já reparou que geralmente quem fala isso não costuma ter dinheiro? rs. E
aquela tradicional: "O Dinheiro não é mais importante que o Amor?" ... bom, o
que é mais importante, seu pai ou sua mãe? Seu irmão ou sua irmã? Seu noivo
ou seu pai? São duas coisas diferentes. Não dá para comparar. Ambas são
extremamente importantes, e você não pode viver plenamente sem ter os dois.
O dinheiro é muito importante nas áreas que lhe dizem respeito, e inútil em
outros aspectos da vida.

Outro hábito absurdamente errado, e que vai de total desencontro com a


riqueza, é reclamar de se mesmo o tempo todo. Veja, se alguém reclama o
tempo todo, todas as energias dessa pessoa estão focadas em algo ruim. Algo
improdutivo, algum negativo, algo que não gera resultado. E
consequentemente, se você só foca nisso, é isso que terá. Funcionamos como
um imã. Se focarmos em coisas ruins, atrairemos obviamente, coisas ruins.

As pessoas que não tem sucesso costumam ter uma lógica inversa: Elas
reclamam porque a vida delas é ruim. Mas veja, que na realidade, a vida delas
é ruim porque elas reclamam. Entendeu a diferença? Se você quer resultados,
se quer plenitude e sucesso financeiro, fuja desse tipo de gente. Você não
deve ficar perto delas, pois isso é contagioso. Imagine que essa pessoa tem
conjutivite. Você ficaria perto de alguém assim? Não, pois isso pega. Por outro
lado, já parou pra pensar como muita gente se junta para ficar reclamando,
falando mal dos outros, reclamando da própria vida e por aí vai? É .. isso
acontece pois todos querem ter a sua vez de reclamar. É um ciclo vicioso com
um final triste, mas todos querem contar a sua história. Tenha em mente que
não existe no mundo uma VÍTIMA verdadeiramente rica.

Eu tenho um grande amigo, cuja namorada tem esse exato problema. Ela se
vitimiza o tempo todo. E o que ela ganha com isso, claro, é atenção. O
problema, é que com o passar do tempo, essa pessoa é capaz de fazer coisas
idiotas, como ficar chorando o tempo todo, apenas para chamar atenção. Com
o tempo, isso vai se potencializando, e as cenas se tornam ridículas. Você tem
algum amigo assim?

Por isso, tenha em mente que: Ou você é a vítima, ou alguém rico. Você
decide. Toda vez que você ver que está se vitimando, ou que está com
pensamentos negativos, crie um gesto que te lembre do quanto isso é
prejudicial para você. No meu caso, eu copio um gesto ensinado pelo T. Harv
Eker, em que eu passo meu dedo no meu pescoço, para me lembrar que esse
tipo de pensamento pode representar minha degola financeira.

Para resumir, tire de seu arquivo de riqueza a vitimizaçao, e inclua o hábito de


construir sua própria a vida, sem depender de nada. Ter crenças, como a
religião, é algo inclusive bom nesse caso. A fé e a energia estão intimamente
ligadas, e costumam se potencializar.

Conclusões e gancho para a próxima aula

Nessa aula ficou evidente o poder se não sermos vítimas da nossa


própria vida e sim protagonistas dela. Na próxima aula você irá aprender a
visão dos milionários em relação aos seus lucros.
EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO

1. Você se sente financeiramente seguro com o seu futuro?

Qual lição você aprende com essa pergunta

A partir dessa lição, o que você vai fazer?

2. O dinheiro que você ganha é suficiente para você, para sua família e para poupar?

Qual lição você aprende com essa pergunta

A partir dessa lição, o que você vai fazer?


3. O que você precisa fazer de diferente para aumentar sua renda em 50%?

Qual lição você aprende com essa pergunta

A partir dessa lição, o que você vai fazer?

4. Em relação a seu patrimônio pessoal ou poupança formada, você tem uma meta a ser
alcançada até o final desse ano?

Qual lição você aprende com essa pergunta

A partir dessa lição, o que você vai fazer?


5. Você sabe em quanto tempo poderá se aposentar?

Qual lição você aprende com essa pergunta

A partir dessa lição, o que você vai fazer?

6. Qual é a sua renda mensal?

Qual lição você aprende com essa pergunta

A partir dessa lição, o que você vai fazer?


7. Como você estará daqui a um ano se mantiver a renda mensal que tem hoje?

Qual lição você aprende com essa pergunta

A partir dessa lição, o que você vai fazer?

8. Como é seu comportamento com o seu dinheiro? Você é gastador, poupador ou


investidor?

Qual lição você aprende com essa pergunta

A partir dessa lição, o que você vai fazer?


9. O assunto dinheiro já causou algum problema dentro da sua casa ou nas suas relações
pessoais? Como foi? Como se sente?

Qual lição você aprende com essa pergunta

A partir dessa lição, o que você vai fazer?

10. Qual o sentimento que a palavra “contas” te traz?

Qual lição você aprende com essa pergunta

A partir dessa lição, o que você vai fazer?


11. Quais ações você pode tomar para melhorar sua vida financeira?

Qual lição você aprende com essa pergunta

A partir dessa lição, o que você vai fazer?

12. Você possui dívidas de cartão de crédito, cheque especial, com agiota, banco ou
amigos? Quais?

Qual lição você aprende com essa pergunta

A partir dessa lição, o que você vai fazer?


13. Quais despesas você tem hoje e que são dispensáveis?

Qual lição você aprende com essa pergunta

A partir dessa lição, o que você vai fazer?

14. Você investe em conhecimento? Quanto da sua renda é destinada para esse pilar
fundamental?

Qual lição você aprende com essa pergunta

A partir dessa lição, o que você vai fazer?


15. O que de fato está errado com a sua vida fincanceira?

Qual lição você aprende com essa pergunta

A partir dessa lição, o que você vai fazer?

16. O que mais precisa de sua atenção nas finanças?

Qual lição você aprende com essa pergunta

A partir dessa lição, o que você vai fazer?


17. O que de fato tem te entristecido financeiramente?

Qual lição você aprende com essa pergunta

A partir dessa lição, o que você vai fazer?

18. O quanto você se sente capaz de lidar sozinho com o seu dinheiro?

Qual lição você aprende com essa pergunta

A partir dessa lição, o que você vai fazer?


AULA 9

Aula 9 - Os milionários trabalham visando o lucro

O CÓDIGO DA RIQUEZA

Módulo - RIQUEZA

Capítulo – OS MILIONÁRIOS TRABALHAM VISANDO LUCRO

Aula - 09

Temas estruturantes da aula: nessa aula você vai aprender a visão perspectiva
dos milionários em relação ao lucro.

Dia desses eu estava conversando com um amigo meu, empreendedor, dono


de uma empresa no segmento financeiro também, e ele se deparou com um
problema operacional. Ele recebia informações de uma grande corretora, e ela
mudou o "Modus operandi" dela. Ou seja, as informações que ela passava para
essa empresa do meu amigo não vinham mais da forma que ele estava
costumado a receber informações. Por isso, ele começou a perder muito tempo
para adequar essas informações ao padrão que ele precisava. O que ele fez,
então, foi simples: contratou um estagiário. Ele pagava R$ 1.500,00 para o
estagiário, e me dizia que "o valor da hora dele é muito menor do que o meu", e
por isso, ele gerava mais dinheiro do que custava para a empresa. Esse
estagiário, nunca ficaria rico se continuasse nessa empreitada. Óbvio que é
uma fase para muitas pessoas, mas para outras, o estagiário viraria analista, o
analista viraria gerente, e assim iria encarecendo o valor de sua hora. Mas por
trás, sempre teria alguém dizendo a mesma coisa: "Ele gera mais dinheiro do
que ele custa", pois se não o fizesse, esse cara nem estaria empregado, não
é?
Indo mais além, certa vez eu ouvi que o empreendedorismo tem suas
oportunidades e riscos, mas muito mais oportunidades. Aí eu sempre me
questionei: "Poxa, mas por que então todos não viram empreendedores?", e
um guru que tenho até hoje, me disse o seguinte na época: "Cada um tem seu
brilho. E o brilho da maioria é executar.". Além disso, temos uma cultura que
nos prepara para ganhar salários pela vida toda. Então, por que nos
preocupar? Vamos aproveitar essa maré de ganhar lucros, e não salário.

Mas voltando dessa reflexão, é raro um assalariado conquistar a liberdade


financeira. Os milionários, por outro lado, trabalham visando o lucro. O salário
nada mais é do que o pagamento que recebemos pela atividade que
realizamos. Já olucro, é o resultado de agregar valor em alguma coisa, e
vendê-la por um preço maior do que esse bem ou serviço custou.

Pode notar, que geralmente as pessoas mais ricas estão na área de vendas!
Para pra pensar .. quantas pessoas ricas você conhece de fato, e dessas,
quantas trabalham pelo lucro, e quantas pelo salário? Não me leve a mal ..
trabalhar pelo salário também enriquece, mas o caminho é diferente. O
caminho assalariado te dá mais estabilidade, mas também te traz mais
dependência do sistema. Você se vê em uma encruzilhada e obrigado a
cumprir com sua obrigação para com seu contratante por muitos e longos anos.

A diferença, é que se você fizer tudo corretamente, investir bem, gastar


consciente, você vai chegar lá. A vida de alguém que trabalha pelo lucro pode
ter um desfecho bem triste, caso o manejo com o dinheiro seja feito da forma
errada. E acredite, conheço inúmeros casos de pessoas que fizeram isso.

Eu tenho um amigo, que foi muito subjugado durante a faculdade. Fizemos


faculdade juntos, e ele sempre foi diferente dos outros. Quando eu digo
diferente, eu me refiro aos padrões. Ele nunca seguiu os padrões. Sempre foi
um cara rejeitado pelas empresas, e nunca conseguiu um bom emprego. Por
outro lado, todos os nossos colegas, foram para multinacionais. Tinham um
caminho de muito sucesso a trilhar, e seus salários iriam subindo ano a ano.
Esse meu amigo, por sua vez, continuava "estagnado", sem salário para
crescer, e muitos negócios embrionários para tocar. Todos os negócios dele
quebraram. Enquanto isso, os amigos já eram efetivados, tinham cargos de
gerência, davam entrada nos seus primeiros apartamentos, ficaram noivos, e
tinham um futuro de contas a pagar e de dinheiro suficiente para cobrir essas
dívidas - caso se mantivessem no emprego. Meu amigo, continuava lá,
estagnado, sem dinheiro, e tocando o mundo das boas ideias. Todas
quebraram, novamente. Enquanto isso, meus amigos subiam de cargo,
chegavam aos 6 dígitos de salário por ano, tinham reajustes acima da inflação
e começavam a guardar dinheiro já pensando no futuro.

Você reparou como eles que trabalhavam pelu salário sempre estiveram na
frente? O crescimento era grande, e eles sabiam o que ia acontecer. Aí, de
repente, uma ideia desse meu amigo deu certo. Ele montou um negócio online
de recrutamento e seleção. O negócio bombou, da noite pro dia. Mais de 200
mil usuários cadastrados, mais de 1.000 empresas pagantes e um negócio
avaliado acima do milhão. Do dia pra noite, ele deu certo.// Agora, por que ele
deu certo? Existem vários fatores para isso, claro, mas o primordial foi: Ele
trabalhou pelo lucro, e não pelo salário. Hoje, o patrimônio desse cara aumenta
de forma exponencial. Enquanto os assalariados tem seus reajustes de 10% ao
ano e aumentos salariais, o meu amigo aumenta em 200- 300 ou até 400% ao
ano o tamanho de seu negócio.

A conclusão aqui é: Você tem dois caminhos para ficar rico.. o primeiro, é o
convencional. Mas para você ficar rico da forma convencional, você precisa
manejar bem seu patrimônio. A segunda forma, é trabalhando pelo lucro, e
também manejando bem seu patrimônio. Não existe caminho certo ou errado,
mas é fato que a maioria das pessoas que nos espelhamos, que estão lá no
topo, são os que olham para o lucro.

Conclusões e gancho para a próxima aula

Nessa aula foi apresentada as maneiras possíveis de adquirir riqueza,


sempre baseadas na lucratividade. Na próxima aula você irá aprender a
diferença entre desejo e ação
AULA 10
Aula 10 - Todos Gostariam de ser Ricos

O CÓDIGO DA RIQUEZA

Módulo - RIQUEZA

Capítulo – TODOS GOSTARIAM DE SER RICOS

Aula – 10

Temas estruturantes da aula: as diferenças marcantes entre desejo e ação serão


retratadas nessa aula.

Eu sou fã de serie, e estava assistindo Walking Dead um dia desses. Em um


episódio chave, aparece um tal de Negan. Ele é um carrasco. Ele pega o
porrete dele e bate tanto na cabeça de um japonês, que ele morre de uma
forma muito trágica. Instantaneamente, eu pensei: "Nossa, eu abomino esse
cara. Eu nunca seria esse cara." Veja, eu nunca vou ser esse cara, pois sou
totalmente contra isso. E aí eu te pergunto: Qual a desvantagem de ser Rico?
Existe? A resposta para essa pergunta é muito importante. Você pode fazer 2
coisas aqui: 1) Argumentar de várias formas diferentes, dizendo que ser rico é
péssimo, que não dá para ser feliz, que isso é negativo, que junto com o
dinheiro vem tudo que é ruim. Ou 2) Você pode acreditar que se existe alguma
desvantagem, é tão ridícula perto das vantagens que não vale a pena nem
citar.

Se você argumentar que existem muitas desvantagens, e que ter dinheiro


geralmente é algo ruim, pense comigo. Como você se tornaria algo que
considera ruim ou negativo? Você simplesmente não é, ou não vai ser rico.
Isso é óbvio. Você não pode ser o que abomina. Você se afasta disso, mesmo
que inconscientemente. Por outro lado, se você só vê vantagem e admiração
nas pessoas bem sucedidas, você tende a trazer isso para perto de você, pois
seus esforços e pensamento estão nessa direção.

Veja, todos querem ter dinheiro para fazer o que quiser. Mas o rico de verdade,
é inabalável. Ele busca incansavelmente esse resultado. Ele vê o sucesso e a
riqueza como algo bom. Ele não olha para isso como algo ruim. E como ele se
foca totalmente nisso, o universo entrega de volta o dinheiro para ele. É assim
que funciona. Mas se esse cara está sempre pensando: "Nossa, todos os ricos
são gananciosos. Eu não quero ser ganancioso.", logo, o universo vai
entender: "Ele não quer ser rico. Não é isso que ele quer.

Vamos entender o seguinte .. "Querer ser rico" é apenas o primeiro estágio de


ser rico. Depois de querer ser rico, você precisa escolher ser rico. Quando você
escolhe, você decide ser rico. Aliás, sabe o que significa decidir? Isso vem do
latim. A palavra decisão significa eliminar todas as outras alternativas. Depois
de escolher ser rico, você tem que se comprometer com ser rico, e aqui, é o
nível máximo. Quando você se compromete, você não mede esforços. Aqui,
você está disposto a fazer o que for necessário para atingir seus objetivos.
Você consegue entender a diferença? Quando você se compromete, você está
disposto a fazer tudo. Mas quando você apenas quer, você não coloca isso
como prioridade, e nem estaria disposto a fazer certos sacrifícios que as
pessoas bem sucedidas fazem. É isso que diferencia a pessoa que quer ser
rica, e a pessoa que quer. Querer, todos queremos. Mas o que você quer mais,
ser rico, ou ter todos os finais de semana disponíveis daqui até a eternidade,
além de um horário de saída bem definido e pouco stress no curto prazo? Você
decide.

Conclusões e gancho para a próxima aula

O objetivo dessa aula foi a abordagem entre desejo e decisão de ser rico
e seus componentes mais marcantes. Na próxima aula você irá aprender e
entender como os milionários assumem riscos calculados.
AULA 11
Aula 11 - Os milionários assumem riscos calculados

O CÓDIGO DA RIQUEZA

Módulo - RIQUEZA

Capítulo – OS MILINÁRIOS ASSUMEM RISCOS CALCULADOS

Aula - 11

Temas estruturantes da aula: nessa aula você vai aprender as técnicas que os
milionários usam para calcularem os riscos de seus investimentos.

Nunca podemos dispensar o risco. O risco tem os dois lados da moeda. A


recompensa e a incerteza do resultado. Nunca devemos olhar para o insucesso
como um fracasso eterno. Ele não passa de um fracasso temporário, que mais
se assemelha com uma vitória do que com uma derrota, pelo tanto de
informação que aprendemos e provavelmente não cometeremos essa falha de
novo.

Quando falamos da classe média, eles geralmente ficam presos a rotina do


trabalho e da competição destrutiva e altamente uniforme, pois obviamente,
eles não aceitam tomar riscos. O único jeito, e mais efetivo, de sair desse ciclo
sem fim, é assumindo riscos. Nunca devemos esquecer que se removermos os
riscos de nossas vidas, também vamos eliminar as oportunidades. Mas o que
poucos refletem, é que arriscar-se não significa se jogar em algum lugar de
olho fechado. Os bem sucedidos calculam os riscos que assumem. Mas aí nos
questionamos .. Como exatamente podemos calcular esse tipo de coisa?
Simples; obtendo conhecimento, e depois exercitando a consequência mais
pesada do fracasso.
Obviamente, não é porque os bem sucedidos se arriscam, que eles não tem
medo. Isso não tem ligação nenhuma. O medo é comum. A diferença é como
cada um enfrenta esses medos. Enquanto a classe média se sente subjugada
pelo medo, os milionários superam o medo. Os bem sucedidos não investem o
dinheiro deles em qualquer coisa e ficam apenas esperando os resultados.
Eles mensuram os cenários e acreditam com convicção em alguma direção.

Sempre que você tiver alguma situação nova, deve se questionar sobre o:

O melhor cenário possível;


O pior cenário possível e;
Qual o desfecho mais provável.

Naturalmente, se você for capaz de viver com o pior desfecho possível, e se


existir uma alta probabilidade de ocorrer o melhor dos cenários, é só seguir em
frente. O problema, é que geralmente temos medo do fracasso e da rejeição

Porém, a questão não é se alguém terá um resultado, e sim quando isso


acontecerá. As pessoas precisam entender que todos que deram certo erraram
várias vezes. Michael Jordan, que é o recordista ultra-blaster, sempre diz que
deve o sucesso dele as inúmeras cestas que ele errou. Eu, em outras
proporções, antes de fazer o que eu amo, que é estar no mercado financeiro
tentando cumprir meu objetivo, passei por mais de 10 empresas. As pessoas
bem sucedidas entendem que errar faz parte do processo, e por isso, não há
motivo para temer o fracasso. Temos que olhar para isso como algo
engrandecedor, e não assustador - e acredita, você tem vários amigos, com
certeza, que tem medo de sair da rotina pelo simples medo de fracassar e não
poder voltar a "segura rotina" que eles possuíam, não é?

O problema, é que os conformados, depois de uma derrota, param de arriscar,


e claro, quem para de arriscar, para de ter oportunidade. Eu gosto sempre de
usar o exemplo do futebol .. se você só joga para não perder, o que acontece?
Você fica na zaga o jogo inteiro, e por isso, não vai ganhar um jogo No máximo
empatar. E empatar não leva ninguém a nenhum lugar. Precisamos sempre
jogar pra ganhar, ter conhecimento, rabiscar possíveis cenários, e aproveitar as
oportunidades.

Conclusões e gancho para a próxima aula

Nessa aula ficou claro a maneira que os milionários utilizam para


calcular os riscos que eles mesmo se colocam em posição de tomar. Na
próxima módulo o assunto central será as reflexões de um batalhador sem
dinheiro.
TOMADA DE DECISÃO

Módulo: RIQUEZA

Perguntas para tomadas de decisão.

Responda essas perguntas com calma e de maneira específica. As suas


respostas revelarão o que você sabe, sente e entende como prioridade nesse
momento da sua vida. Os exercícios de fixação servirão como base
estruturante para as definições de objetivos e o seu plano de ação coerente a
partir dessa parte do programa de treinamento do Código da Riqueza.

16. Após a explicação dos conceitos apresentados nesse módulo, O QUÊ


VOCÊ SABE, AGORA?

17. Após as explicações dos conceitos apresentados nesse módulo, COMO


VOCÊ SE SENTE, AGORA?

18. Após as explicações dos conceitos apresentados nesse módulo, O QUE


É MAIS IMPORTANTE, AGORA
PLANO DE AÇÃO

O plano de ação do Código da riqueza deverá ser preenchido com atenção ao


final deste módulo. Ele representará todas as etapas responsáveis por uma
boa formulação e execução dos objetivos. Elas estão divididas nas seguintes
áreas:

Objetivo;
Evidência
Motivadores / ganhos
Sabotadores / perdas
Valores / relevância
Recursos
Estratégias
Ações
Primeiro passo
Responsabilidade
Comprometimento

O programa a seguir deverá ser descrito de maneira mais especifica possível


seguindo a estratégia S.M.A.R.T.

SPECIFIC (ESPECÍFICO)
MEASURABLE (MENSURÁVEL)
ACHIEVABLE (ALCANÇÁVEL)
RELEVANT (RELEVANTE)
TIME (PRAZO)
OBJETIVOS

O que você deseja especificamente? Qual o contexto?

ONDE

Onde você quer que isso aconteça?

QUEM

Quem participa desse objetivo?

QUANDO

Quando vai acontecer

EVIDÊNCIA

Qual é a evidência de que você conseguiu?


MOTIVADORES E GANHOS

O que você ganha com isso? Quais são os benefícios que você obterá?

SABOTADORES E PERDAS
O que você perde com isso? Este objetivo ou resultado afeta negativamente outras
pessoas do meio do qual você faz parte? (Se a respostas for sim, o que você precisa
alterar no seu objetivo para que afete apenas positivamente outras pessoas ou seu
meio?

VALORES/RELEVÂNCIA
Por que isso é importante para você? Quais os valores que você irá satisfazer com esta
meta? Por que isso é realmente importante para você?

RECURSOS
Do que vai precisar? (Recursos financeiros, conhecimentos, métodos, tempo,
habilidades, competências)

ESTRATÉGIAS
Quais as formas para conseguir isso? Quais serão suas estratégias? Você conhece
alguém que já fez isso? Como esta pessoa conseguiu?
AÇÕES

Quais são os passos para conseguir isso? Qual será seu plano de ações?

PRIMEIRO PASSO

Qual será o primeiro passo?

RESPONSABILIDADE
Depende de quem para que seu objetivo seja realizado? O que você pode fazer para
que esse objetivo dependa de você para ser iniciado hoje e mantido por você?

COMPROMETIMENTO
Qual o seu grau de comprometendo em realizar isso? O que você pode fazer para
aumentar seu grau de comprometimento?
REFLEXÕES DE UM
BATALHADOR SEM
DINHEIRO
AULA 1
Aula 1 - O exemplo do Arquiteto - Planejamento no Papel

O CÓDIGO DA RIQUEZA

Módulo - RIQUEZA

Capítulo – O EXEMPLO DO ARQUITETO – PLANEJAMENTO NO PAPEL

Aula - 01

Temas estruturantes da aula. Nessa aula você vai aprender a como colocar o
planejamento de maneira estruturada no papel.

Ninguém tem um plano financeiro para a vida. Imagine um arquiteto falando


com o seu cliente:

- Qual o tamanho da casa que você quer?,


- Média.
- Pô, mas média não adianta.
- Quantos quartos você quer?
- Três.
- Tamanho?
- Grande.
- Quão grande?
-Não sei.

É importante ter isso preparado. Quando estamos falando de um planejamento


de investimentos, você precisa ter todos os seus objetivos, metas e caminho no
papel. Não adianta ter na cabeça. Quando deixamos isso na cabeça,
claramente achamos que sabemos, mas não sabemos. Apenas mentalizamos
o todo, mas não mentalizamos os detalhes. Os detalhes são importantes. Se
esse rapaz no exemplo não tivesse um arquiteto, ele nunca conseguiria
dimensionar o que ele realmente quer. Porém, nos investimentos, isso é bem
diferente. Se você não tiver o conhecimento, as pessoas podem te enganar. E
aliás, você não precisa de ninguém, caso você domine o mundo das
investimentos e aplicações.

Conclusões e gancho para a próxima aula

Nessa aula ficou claro a importância de colocarmos de maneira tangível


os objetivos no papel para alinharmos os nossos objetivos. Na próxima aula
você irá aprender o ciclo financeiro das pessoas.
AULA 2
Aula 2 - Ciclo Financeiro das Pessoas

O CÓDIGO DA RIQUEZA

Módulo - RIQUEZA

Capítulo – CICLO FINANCEIRO DAS PESSOAS

Aula - 02

Temas estruturantes da aula. Nessa aula você vai aprender o cinco ciclos
financeiros das pessoas

Eu acredito que existem cinco fases financeiras das pessoas, e com certeza
você está em alguma delas. É importante você entender em qual fase você
está, para entender qual é o seu próximo passo a ser dado. Então vamos lá:

A primeira fase, é a fase da pessoa endividada. Nessa fase, o investidor


geralmente não consegue investir dinheiro, ou ele investe, mas em
contrapartida tem saldo devedor em algum lugar, o que não faz muito sentido,
pois nenhum investimento vai te render mais do que você pagaria em juros
para alguém. Geralmente, a pessoa tem dívidas ou não sabe consumir crédito
consciente, e para avançar de fase, ela precisa aprender a gastar melhor,
comprar barato, usar crédito consciente e não desperdiçar o dinheiro. O grande
problema, é que as vezes parece impossível sair desse buraco, mas não existe
uma regra mágica. O segredo é: fazer sacrifícios, gastar o mínimo possível, e
tentar aumentar receitas. Vamos falar mais sobre isso jaja.

A segunda fase financeira das pessoas é a fase em que essa pessoa se torna
um pequeno investidor, ganhando mais do que gasta, mas ainda não tem nada
ou tem pouco guardado. É aquele que está começando a Formar Patrimônio.
Para essa pessoa evoluir de fase, ela precisa aprender como Investir esse
dinheiro que sobra sem risco e melhor do que a maioria das pessoas sem
perder tempo. Depois de algum tempo investindo e formando o que chamamos
de fundo de emergência, que seria uma espécie de "fundo reserva", em que
você deixa dinheiro aplicado para poder se auto-financiar e não depender de
terceiros, o investidor pode evoluir de fase.

A terceira fase é aquela na qual o investir já não se Preocupa mais com o Curto
Prazo, pois já tem o Fundo de Emergência, ou dinheiro suficiente investido
para poder pensar no futuro. Para o investidor poder evoluir de fase, ele
precisa conseguir Fazer Planos com Tranquilidade, Investir para o longo prazo
e antecipar o futuro. Ou seja, essa fase é uma das mais longas,
financeiramente falando. Aqui, o investidor vai ter que criar toda a sua
aposentadoria, se colocar no norte certo, e além de tudo, vai traçar seus
objetivos e metas até alcança-los. Depois de alcançar tudo isso, o investidor
terá um patrimônio formado e passará de fase.

A quarta fase, é aquela na qual o investidor já está com o patrimônio formado,


então ele já não se preocupa mais com o dinheiro atual, sabe que vai se
aposentar bem, mas se preocupa com a família. Para ele evoluir de fase, ele
precisa saber o que fazer para garantir condições básicas da família (vivo ou
morto).

A quinta fase, é a fase da liberdade financeira plena e o atingimento do auge


da maturidade financeira na vida. Ou seja, financeiramente, todos os objetivos
ja foram alcançadas, o investidor já sobreviveu por tudo que teria de passar,
tem toda vida financeira estruturada, mas talvez não tenha mais objetivo. Para
ele continuar a ter uma vida plena, ele precisa continuar tendo objetivos. É
assim que eu vejo o ciclo das fases financeiras durante a vida. Prefiro chamar
de fases, pois alguém de 20 anos pode estar passando pela mesma fase que
alguém de 50 anos está agora.

Porém, o importante é entender o que você precisa fazer para evoluir e buscar
o próximo degrau.
Conclusões e gancho para a próxima aula

Nessa aula você aprendeu os ciclos financeiros das pessoas. Na


próxima aula você irá aprender a relação importante entre tempo e dinheiro.
AULA 3
Aula 3 - Tempo É Dinheiro

O CÓDIGO DA RIQUEZA

Módulo - RIQUEZA

Capítulo – TEMPO E DINHEIRO

Aula - 03

Temas estruturantes da aula. Nessa aula você vai aprender a relação importante
entre tempo e dinheiro.

Se imagine indo viajar, pra qualquer lugar que você goste. Imagine que a
distância até lá é de 100Km, e para isso, basta ir reto. Totalmente reto. Vamos
supor que o seu carro ande a 100km por hora. Isso significa que você vai
chegar lá em 1 hora, né? Mas e se você parasse no meio do caminho, e
ficasse parado 10 minutos. Você ia demorar mais 10 minutos para chegar lá,
obviamente, né? Porém, e se você errasse o caminho, e andasse 10KM para
trás. Qual seria a distância agora, e qual seria o impacto disso tudo na sua
viagem? Bom, você teria aumentado em 10KM sua viagem, que anteriormente
era de 100KM, e se tornou 110KM. Mas o principal, é que agora ficou mais
difícil chegar lá. O pior de tudo, é que você perdeu MUITO tempo, pois além de
ter de percorrer os 10KM que você andou errado, indo para trás, também tem
que percorrer mais 10KM apenas para chegar ao ponto de partida.

O que eu quero dizer aqui, é que tempo é dinheiro, e se nós fazemos escolhas
erradas, nos endividamos, não guardamos dinheiro, e assim por diante, nós
acabamos demorando muito mais para chegar em nosso objetivo. No caso do
dinheiro, quando vamos à direção oposta, o exemplo é muito mais agressivo
que o do carro, pois nós não só andamos para trás. Nós andamos para trás e
pagamos mais juros. E Além de tudo isso, o nosso objetivo fica cada vez mais
longe, por causa do custo do dinheiro, ou o que chamamos de inflação. Cada
decisão errada que tomamos nos coloca mais longe de todos os nossos
objetivos.

Vou exemplificar o porque de eu concordar que tempo é dinheiro. Vamos supor


que seu objetivo seja chegar em 1 milhão em 30 anos. Para isso, você
precisaria investir quase R$ 880,00 reais por mês, que daria R$ 10.586,40 por
ano. Se você ficar 1 ano sem investir, sabe quanto vai ter lá na frente? Quase
R$ 924 mil reais. Ou seja, por abrir mão de praticamente 10 mil reais em
aplicação agora, você pagou o preço de quase R$ 80 mil reais no futuro.
Agora, vá imaginando o que não acontece no decorrer de nossas vidas,
quando não levamos o dinheiro a serio. É importante a gente entender que o
dinheiro tem um custo pelo tempo, e por isso as decisões precisam ser
acertadas.

Conclusões e gancho para a próxima aula

Nessa aula você aprendeu a relação importante do dinheiro no tempo e


como isso tem papel fundamental na construção de riqueza. Na próxima aula
você irá aprender a importância do orçamento inteligente.
EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO
Para identificar em que tipo de ciclo você está vivendo e a intensidade desse ciclo, apenas responda SIM ou NÃO a
cada pergunta.

PARTE 1 – Enquanto responde às perguntas, some 1 ponto para cada resposta SIM e subtraia 1 ponto para cada
resposta NÃO.

CICLO - PROSPERIDADE - SOBREVIVÊNCIA – FRUSTAÇÃO SIM NÃO

Você saberia citar, em 10 segundos, quais são as três coisas mais importantes da sua vida, excetuando seus
familiares?
1
Você saberia citar, em 10 segundos, três metas muito importantes que você espera alcançar nos próximos cinco
anos?
2
Você se sente satisfeito com seu estilo de vida e de seu padrão de consumo atual?
3
Em relação ao seu patrimônio pessoa ou sua poupança formada, você tem uma meta a será lançada até o fim deste
ano?
4
Sua poupança vem crescendo consistentemente nos últimos dois anos?
5
Você se sente satisfeito com a distribuição de seu tempo entre as atividades profissionais, lazer e de convívio social e
familiar?
6
Se você ou seu companheiro (a) morrer hoje, os dependentes estarão razoavelmente protegidos, a ponto de
conseguirem se manter pelo menos três anos?
7
Sua rotina diária - tanto de trabalho quanto pessoal - é razoavelmente organizada, sem gerar em você o sentimento
de estar sempre realizando tarefas urgentes?
8
Você tem facilidade em eliminar sua rotina diária de atividades pouco relevantes para você e que tomem tempo,
como frequentar reuniões e eventos indesejados e ler emails e mensagens sem conteúdo realmente produtivo?
9
Você saberia dizer com razoável precisão quais são seus compromissos e tarefas para os próximos três dias?
10
Quando você cria uma lista de tarefas a serem executadas em determinado dia, você consegue realizar
satisfatoriamente ao menos 90% do que está planejado?
11
Você se sente confortável ao tomar decisões extremamente relevantes em sua vida, como contratar um plano de
saúde ou selecionar a escola de seu filho?
12
Você gosta de sua atividade profissional a ponto de frequentemente sentir-se apaixonado pelo resultado daquilo
que faz
13
Suas condições de saúde podem se consideradas equivalentes ou acima da média para as pessoas da sua idade?
14
Você pratica exercícios físicos regularmente?
15
Você consegue manter uma dieta que possa ser considerável saudável?
16
Você sabe em quanto tempo poderá ser aposentar?
17
Você está convicto de quem, quando se aposentar, poderá manter seu atual padrão de vida sem depender de filhos
ou da ajuda de amigos?
18
Suas contas a pagar costumam estar sempre em dia?
19
Sua formação profissional e educacional é suficiente para as atividades que pretende desempenhar nos próximos
dois anos?
20
TOTAL DE PONTOS DA PARTE 1: ________________________ (a)

PARTE 2– Enquanto responde às perguntas, o procedimento é inverso da PARTE 1. Some 1 ponto para cada
resposta NÃO e subtraia 1 ponto para cada resposta SIM.

SIM NÃO

Você costuma sentir inveja das conquistas de conhecidos, como uma promoção, um carro novo ou uma
21 interessante viagem de férias?

22 Você se sente uma pessoa com falta de sorte?

Você se irrita quando um plano que lhe interessa muito não dá certo, como a necessidade de adiar férias já
23 programadas, a ponto de descontar sua revolta em pessoas queridas?

É frequente o sentimento de que é insuficiente o tempo que você dedica a si mesmo, a seu relacionamento ou
24 seus filhos?

Você culpa a correria do dia a dia e do trabalho pelo fato de ainda não ter conquistado objetivos muito
25 importantes para você?

26 Você se sente triste nas noites de domingo, ou desmotivado na segunda-feira de manhã?

27 Você sente sintomas frequentes de estresse/

28 Suas dívidas vêm crescendo nos últimos meses, a ponto de preocupá-los?

Se alguma pessoa em quem você confia lhe aponta uma importante necessidade de mudança pessoal, você se
29 sente resistente a mudar seus hábitos?

Quando está em casa ou em outra situação longe do trabalho, você se sente um peixe fora d'água, nervoso por não
30 estar em atividade produtiva?

TOTAL DE PONTOS DA PARTE 2: ________________________ (b)

Agora some os totais de pontos obtidos na PARTE 1 e na PARTE 2

SUA PONTUAÇÃO PESSOAL = (a) + (b) = ________________PONTOS

Veja na tabela a seguir, qual o tipo de ciclo correspondente a sua situação pessoal, de acordo com o total de pontos
objetivos acima.

Total de Pontos Seu Ciclo Pessoal

De +11 a +30 CICLO DA PROSPERIDADE

Quanto mais próximo de +30 for seu resultado, mais é sua capacidade de
prosperar na vida. Não se acomode, busque a excelência, pois a
recompensa vale a pena.

De -10 a +10 CICLO DA SOBREVIVÊNCIA


Nessa situação, você tem duas missões: administrar os aspectos de risco,
para não despencar para o Ciclo da Frustação, e começar a agir para
começar a dar produtividade sua vida. Afinal, sua tendência atual é e
apenas se consolidar onde está.

De -30 a + 11 CICLO DA FRSUTAÇÃO

Quanto mais próximo de -30 for seu resultado, maior é sua necessidade
de parar tudo, se organizar e mudar as regras se deu jogo. Se não fizer
isso, estará colocando em risco cada vez mais aquilo que ainda não
perdeu na vida.
AULA 4
Aula 4 - A Importância do Orçamento Inteligente

O CÓDIGO DA RIQUEZA

Módulo - RIQUEZA

Capítulo – A IMPORTÂNCIA DO ORÇAMENTO INTELIGENTE

Aula - 04

Temas estruturantes da aula

Um orçamento inteligente é aquele que te permite saber o que vai acontecer


com o seu dinheiro ao final do mês, porém no começo dele e que transforme
todas as imprevisibilidades e ocorrências previsíveis. Por isso, vamos falar
sobre o seu orçamento hoje. Afinal de contas, o que é o seu orçamento? De
forma simples, é uma planilha, um caderno, um aplicativo, ou qualquer coisa
que te dê previsão de todas as entradas, saídas e que você consiga projetar o
seu futuro. É muito importante você conseguir olhar para seu orçamento e já
saber o que vai acontecer com seu patrimônio líquido mais pra frente. E já que
falamos em patrimônio líquido, o que realmente isso significa? Isso significa
que se você ganhar R$ 10.000,00 por mês e gastar R$ 10.000,00, de nada
adiantou todo o seu esforço. Isso significa que você terminou o mês onde você
começou, e por isso, não criou patrimônio. Você apenas viveu, seja bem ou
seja mal, mas não construiu nada para o futuro. O objetivo é sempre criar
patrimônio, ativos que te rendam dinheiro, e não dívidas ou hábitos de
consumo extremamente prejudiciais a sua longevidade. Veja que muita gente
vive o ano inteiro, e ao somar todos os custos com as receitas, o resultado fica
zerado.

O orçamento inteligente não é o orçamento completo ou cheio de cores. O


orçamento inteligente é o orçamento simples. Para criar seu orçamento, você
só precisa de 2 coisas: Tudo que entra, e tudo que sai. É simples assim. Eu
sou totalmente contra aquelas planilhas gigantes no Excel, por um motivo muito
simples: Quantas pessoas, ou até você mesmo, já tentaram usar alguma
planilha de gastos, e quantas dessas pessoas continuam a utilizando depois de
6 meses? Por esse simples motivo. É chato usar a mesma planilha sempre. E
geralmente, existem tantas ramificações na projeção de finanças pessoais e
tantas peculiaridades, que com o tempo você quer mexer em alguma coisa. Por
isso, eu volto a dizer, você só precisa de duas coisas: Lançar tudo que ganha e
tudo que gasta. Tanto faz onde você faça isso! Eu digo isso, pois pouco
importa se você mantém o registro de tudo que você gasta, se você separa
isso por categoria e afins. O importante mesmo é gastar menos e separar
dinheiro para investir. É sempre esse o objetivo.

Eu volto a dizer, que o orçamento inteligente não é aquele no qual você lança
tudo que gasta, separa em categorias, faz gráficos bonitinhos e tudo o mais. É
aquele em que você lança o que gasta, vê que está gastando demais, e então
para de gastar, até chegar ao nível de eficiência máxima, e começa a poupar.
Aí, depois de disciplinado, você apenas se mantem fazendo a mesma coisa.

Mas veja, só para finalizar, eu sou contra planilhas bonitas e gigantescas. Mas
sou totalmente a favor de lançar tudo que você gasta. Eu mesmo, faço isso,
mas utilizo um aplicativo para tal.

Conclusões e gancho para a próxima aula

Nessa aula você aprendeu a controlar e administrar todas as suas


entradas e saídas do seu dinheiro. Na próxima aula você irá aprender as
diferenças entre pagar à vista ou à prazo.
AULA 5
Aula 5 - Pagar à Vista ou a Prazo

O CÓDIGO DA RIQUEZA

Módulo - RIQUEZA

Capítulo – PAGAR À VISTA OU A PRAZO

Aula - 05

Temas estruturantes da aula. Nessa aula você irá aprender e identificar as


melhores práticas de compras à vista ou à prazo.

Saber diferenciar uma compra à vista, ou a prazo, que é a mesma coisa que
uma compra parcelada, é muito importante para ter os juros sempre
trabalhando para nós, ao invés de contra nós. Antes de mais nada, se entenda
vendendo alguma coisa, e se imagine não precisando se preocupar em ter o
dinheiro rapidamente. Apenas se preocupe em ter o maior lucro possível. Você
vende celulares, e está vendendo um celular bem legal, que está sendo
negociado à vista, na loja, por R$ 1.200,00. O consumidor tem a chance de
comprar ele em 12 parcelas de R$ 130,00, ou em uma única parcela de R$
1.200,00. O que você preferiria? Receber R$ 1.200,00 à vista, ou 12 parcelas
de R$ 130,00? Bom, a resposta parece óbvia, você quer receber 12 parcelas
de R$ 130,00, pois no final das contas, isso vai dar exatamente R$ 1.560,00.
Mas como podemos ter a certeza dos cálculos?

É necessário entender essa fórmula: M = C (1 + i)^n .

O M é o valor do produto parcelado, que é de R$ 1.560,00.


O "C" é o valor do produto à vista, em R$ 1.200,00.
O "n" é o número de parcelas, que é 12.
Logo, 1.560 / 1.200 = (1+i)^12 .......... 1,3 = (1+i)^12 .... raiz12 (1,3) = 1+i ........
1,022 - 1 = i ...... 0,022 ou 2,2% ao mês.

Ou seja .. a taxa que o lojista está cobrando é 2,2% ao mês. Se você conseguir
investimento maior que 2,2% ao mês, vale a pena parcelar, pois seu dinheiro
investido te trará mais retorno. Se você não conseguir, não faz mais sentido.

Vamos ver agora outro exemplo, em que não vale a pena parcelar. Você vai a
uma loja de relógios, e quer comprar um relógio de R$ 2.000,00. à vista, ele
está R$ 2.000,00, mas parcelado em 6 vezes, ele está custando R$ 350,00 por
mês. O que vale mais a pena? Vamos calcular.

M = C (1+i)^n
2.100 = 2.000 ( 1 +i) ^6
1,05 = (1+i)^6
raiz6 (1,05) = 1+i .... 1,008 = 1+i
.0,008 = i ou 0,8% ao mês.

Você consegue uma aplicação que renda mais que 0,8% ao mês? Vale
lembrar, que nesse caso, como o preço está travado, você não precisa
descontar a inflação de sua aplicação, mas sim apenas o IR, que será
descontado de qualquer forma.

Agora, a clássica; vale a pena pagar algo no cartão ao invés de pagar à vista,
se ele tiver o mesmo preço? Poxa, claro! Se você tiver dinheiro para pagar isso
só daqui um mês, você pode deixar seu dinheiro trabalhando para você. Show,
ne? Então é isso aí .. sempre que for em alguma loja, faça essa conta, pois
com certeza no longo prazo os juros terão trabalhado para você, e não para os
lojistas.

Conclusões e gancho para a próxima aula


Nessa aula você aprendeu a como calcular os juros em aplicações e
pagamos parcelados. Assim fica mais fácil você ter elementos para as tomadas
de decisão. Na próxima aula você irá aprender sobre poupar X investir.
AULA 6
Aula 6 - Poupar x Investir

O CÓDIGO DA RIQUEZA

Módulo - RIQUEZA

Capítulo – POUPAR X INVESTIR

Aula - 06

Temas estruturantes da aula. Nesta aula você vai aprender as diferenças entre
poupar e investir.

Muitas vezes algum amigo me diz que está poupando dinheiro, e isso é
totalmente diferente de investir dinheiro. Por exemplo: Sabe a poupança? O
rendimento dela é tão baixo, que hoje não podemos chamá-lo de investimento
Chamamos isso de simplesmente poupar. Daí o nome poupança. A diferença
entre ambos é que em um, você está simplesmente guardando dinheiro (ou
poupando), e no outro, você está aumentando o seu patrimônio líquido (ou
investindo).

Em um exemplo prático, se você poupar todo mês R$ 500,00, ao final de 10


anos você terá quanto ? R$ 60.000,00. Já se você investir a uma taxa média de
1%, você terá R$ 115 mil. A diferença é brutal! Porém, pouca gente realmente
investe. É comum deixar o dinheiro parado na conta, sem aplicá-lo. É comum
deixá-lo parado por muito tempo antes que você tome uma decisão. E o pior, é
que geralmente a poupança incentiva o consumo, pois quando você vê o
dinheiro ali parado, se sente no poder de comprar algo mais caro. Porém, é
sempre importante entender que ser um poupador é uma fase, que
posteriormente se transforma em ser investidor. Por isso, entendendo a
diferença da projeção no longo prazo, você quer ser um investidor. O poupador
não faz seu dinheiro trabalhar para você, e muito menos, se sente motivado a
consumir. Quando estamos falando do longo prazo, algo próximo dos 30 anos,
seguindo o mesmo exemplo dos R$ 500,00 por mês, estamos falando de R$
1.7MM investindo, e meros R$ 180 mil poupados. Foco!

Conclusões e gancho para a próxima aula

Nessa aula você aprendeu as diferenças entre poupar e investir. No


próximo módulo você irá aprender as técnicas de se ganhar mais do que se
gasta.
TOMADA DE DECISÃO

Módulo: REFLEXÕES DE UM BATALHADOR SEM DINHEIRO

Perguntas para tomadas de decisão.

Responda essas perguntas com calma e de maneira específica. As suas


respostas revelarão o que você sabe, sente e entende como prioridade nesse
momento da sua vida. Os exercícios de fixação servirão como base
estruturante para as definições de objetivos e o seu plano de ação coerente a
partir dessa parte do programa de treinamento do Código da Riqueza.

19. Após a explicação dos conceitos apresentados nesse módulo, O QUÊ


VOCÊ SABE, AGORA?

20. Após as explicações dos conceitos apresentados nesse módulo, COMO


VOCÊ SE SENTE, AGORA?

21. Após as explicações dos conceitos apresentados nesse módulo, O QUE


É MAIS IMPORTANTE, AGORA
PLANO DE AÇÃO

O plano de ação do Código da riqueza deverá ser preenchido com atenção ao


final deste módulo. Ele representará todas as etapas responsáveis por uma
boa formulação e execução dos objetivos. Elas estão divididas nas seguintes
áreas:

Objetivo;
Evidência
Motivadores / ganhos
Sabotadores / perdas
Valores / relevância
Recursos
Estratégias
Ações
Primeiro passo
Responsabilidade
Comprometimento

O programa a seguir deverá ser descrito de maneira mais especifica possível


seguindo a estratégia S.M.A.R.T.

SPECIFIC (ESPECÍFICO)
MEASURABLE (MENSURÁVEL)
ACHIEVABLE (ALCANÇÁVEL)
RELEVANT (RELEVANTE)
TIME (PRAZO)
OBJETIVOS

O que você deseja especificamente? Qual o contexto?

ONDE

Onde você quer que isso aconteça?

QUEM

Quem participa desse objetivo?

QUANDO

Quando vai acontecer

EVIDÊNCIA

Qual é a evidência de que você conseguiu?


MOTIVADORES E GANHOS

O que você ganha com isso? Quais são os benefícios que você obterá?

SABOTADORES E PERDAS
O que você perde com isso? Este objetivo ou resultado afeta negativamente outras
pessoas do meio do qual você faz parte? (Se a respostas for sim, o que você precisa
alterar no seu objetivo para que afete apenas positivamente outras pessoas ou seu
meio?

VALORES/RELEVÂNCIA
Por que isso é importante para você? Quais os valores que você irá satisfazer com esta
meta? Por que isso é realmente importante para você?

RECURSOS
Do que vai precisar? (Recursos financeiros, conhecimentos, métodos, tempo,
habilidades, competências)

ESTRATÉGIAS
Quais as formas para conseguir isso? Quais serão suas estratégias? Você conhece
alguém que já fez isso? Como esta pessoa conseguiu?
AÇÕES

Quais são os passos para conseguir isso? Qual será seu plano de ações?

PRIMEIRO PASSO

Qual será o primeiro passo?

RESPONSABILIDADE
Depende de quem para que seu objetivo seja realizado? O que você pode fazer para
que esse objetivo dependa de você para ser iniciado hoje e mantido por você?

COMPROMETIMENTO
Qual o seu grau de comprometendo em realizar isso? O que você pode fazer para
aumentar seu grau de comprometimento?
GANHA MAIS DO
QUE GASTA
AULA 1
Aula 1 - Fundo de Emergência

O CÓDIGO DA RIQUEZA

Módulo - RIQUEZA

Capítulo – FUNDO DE EMERGÊNCIA

Aula - 01

Temas estruturantes da aula. Nessa aula você vai aprender a utilizar o seu fundo
de emergência.

O primeiro passo de todo investidor é formar o fundo de emergência. O


segundo passo de todo investidor é formar a aposentadoria;
O terceiro passo de todo investidor é formar a carteira de investimentos.

Se você tiver um evento inesperado, você precisa ter um fundo de emergência


para resgatar dinheiro;
Você precisa ter um dinheiro para curto prazo, com alta liquidez;
As vezes TER o dinheiro, não significa que você pode usá-lo, pois
investimentos a longo prazo podem te prejudicar caso você tenha alguma
necessidade;
Se você é um CLT, recomenda-se 6 meses de custo investido no fundo de
emergência;
Se você não é um CLT, recomenda-se 12 meses de custo;
No curto prazo, você pode aplicar em: Fundo DI, Tesouro SELIC, CDB e
Compromissada;
Se a taxa de tesouro for alta, vale mais a pena investir em Fundos DI. Se a
taxa for baixa, vale a pena investir no Tesouro SELIC.

Conclusões e gancho para a próxima aula


Nessa aula você aprendeu a como gerenciar melhor os seus fundos
financeiros. Na próxima aula você irá aprender as qualidade do bom investidor.
AULA 2
Aula 2 - Qualidades do Bom Investidor

O CÓDIGO DA RIQUEZA

Módulo - RIQUEZA

Capítulo – QUALIDADE DO BOM INVESTIDOR

Aula - 02

Temas estruturantes da aula. Nesta aula você vai aprender as sete qualidades do
bom investidor.

1) Conhecimento Técnico: Mas não é o mais essencial. Saber o básico já


é importante.
2) Já ter perdido dinheiro: É inevitável. Nada te faz aprender mais rápido
do que isso.
3) Saber a hora de parar.
4) Não mudar de investimentos toda hora.
5) Saber o que está acontecendo com o seu dinheiro (se tiver um
assessor ou gerente, você precisa saber. Se alguém te perguntar, você
precisa saber responder, por exemplo, onde está seu capital, e porque).
6) Saber a diferença entre Especular e Investir
7) Ser organizado Financeiramente

Conclusões e gancho para a próxima aula

Nessa aula foi apresentado as sete qualidades do bom investidor. Na


próxima aula você irá aprender a conclusão do fundo de emergência.
AULA 3
Aula 3 - Conclusão do Fundo de Emergência

O CÓDIGO DA RIQUEZA

Módulo - RIQUEZA

Capítulo – CONCLUSÃO DO FUNDO DE EMERGÊNCIA

Aula - 01

Temas estruturantes da aula. Nessa aula você vai aprender mais sobre o fundo
de emergência

Vamos recapitular. Quando você está fazendo seu planejamento financeiro, é


importante lembrar que temos 4 passos importantes.

Finanças Pessoais. Você precisa se reorganizar, refletir e executar. Depois


disso, podemos avançar para a segunda etapa, que é planejar o fundo de
emergência. Novamente, você só pode avançar de passo no planejamento se
tiver completado a etapa atual, pois é uma questão de prioridade. Não adianta
investirmos para o longo prazo se nem o curto prazo temos estruturado, certo?
Sendo assim, vamos recapitular a etapa do Fundo de Emergência.

Temos dois caminhos aqui: CLT e Autônomo. Depois da prioridade de curto


prazo, qual a prioridade? Se aposentar, pois você não vai ter tempo de correr
atrás da aposentadoria, quando estiver muito velho. Certo?

Conclusões e gancho para a próxima aula

Nessa aula você aprendeu mais sobre fundo de emergência. No próxima


módulo você vai aprender a pensar em longo prazo.
TOMADA DE DECISÃO

Módulo: GANHA MAIS DO QUE GASTA

Perguntas para tomadas de decisão.

Responda essas perguntas com calma e de maneira específica. As suas


respostas revelarão o que você sabe, sente e entende como prioridade nesse
momento da sua vida. Os exercícios de fixação servirão como base
estruturante para as definições de objetivos e o seu plano de ação coerente a
partir dessa parte do programa de treinamento do Código da Riqueza.

22. Após a explicação dos conceitos apresentados nesse módulo, O QUÊ


VOCÊ SABE, AGORA?

23. Após as explicações dos conceitos apresentados nesse módulo, COMO


VOCÊ SE SENTE, AGORA?

24. Após as explicações dos conceitos apresentados nesse módulo, O QUE


É MAIS IMPORTANTE, AGORA
PLANO DE AÇÃO

O plano de ação do Código da riqueza deverá ser preenchido com atenção ao


final deste módulo. Ele representará todas as etapas responsáveis por uma
boa formulação e execução dos objetivos. Elas estão divididas nas seguintes
áreas:

Objetivo;
Evidência
Motivadores / ganhos
Sabotadores / perdas
Valores / relevância
Recursos
Estratégias
Ações
Primeiro passo
Responsabilidade
Comprometimento

O programa a seguir deverá ser descrito de maneira mais especifica possível


seguindo a estratégia S.M.A.R.T.

SPECIFIC (ESPECÍFICO)
MEASURABLE (MENSURÁVEL)
ACHIEVABLE (ALCANÇÁVEL)
RELEVANT (RELEVANTE)
TIME (PRAZO)
OBJETIVOS

O que você deseja especificamente? Qual o contexto?

ONDE

Onde você quer que isso aconteça?

QUEM

Quem participa desse objetivo?

QUANDO

Quando vai acontecer

EVIDÊNCIA

Qual é a evidência de que você conseguiu?


MOTIVADORES E GANHOS

O que você ganha com isso? Quais são os benefícios que você obterá?

SABOTADORES E PERDAS
O que você perde com isso? Este objetivo ou resultado afeta negativamente outras
pessoas do meio do qual você faz parte? (Se a respostas for sim, o que você precisa
alterar no seu objetivo para que afete apenas positivamente outras pessoas ou seu
meio?

VALORES/RELEVÂNCIA
Por que isso é importante para você? Quais os valores que você irá satisfazer com esta
meta? Por que isso é realmente importante para você?

RECURSOS
Do que vai precisar? (Recursos financeiros, conhecimentos, métodos, tempo,
habilidades, competências)

ESTRATÉGIAS
Quais as formas para conseguir isso? Quais serão suas estratégias? Você conhece
alguém que já fez isso? Como esta pessoa conseguiu?
AÇÕES

Quais são os passos para conseguir isso? Qual será seu plano de ações?

PRIMEIRO PASSO

Qual será o primeiro passo?

RESPONSABILIDADE
Depende de quem para que seu objetivo seja realizado? O que você pode fazer para
que esse objetivo dependa de você para ser iniciado hoje e mantido por você?

COMPROMETIMENTO
Qual o seu grau de comprometendo em realizar isso? O que você pode fazer para
aumentar seu grau de comprometimento?
NÃO SE
PREOCUPA MAIS
COM O CURTO
PRAZO
AULA 1
Aula 1 - Vale a Pena Investir no Brasil?

O CÓDIGO DA RIQUEZA

Módulo - RIQUEZA

Capítulo – VALE A PENA INVESTIR NO BRASIL?

Aula - 01

Temas estruturantes da aula. Nessa aula você vai aprender sobre as


oportunidades de se investir no Brasil.

Você pode ter uma visão de que o Brasil é muito incerto. De que temos muitas
crises aqui, e de que o nosso grande problema é a imprevisibilidade. Sim, você
está certo. Porém, existe outro lado da moeda. O lado em como o Brasil
evoluiu, e o lado em quanto o Brasil ainda tem para crescer. Se isso acontecer,
é bom estarmos na posição correta para nosso dinheiro se aproveitar disso,
né?

Vamos separar o Brasil em 2 partes. De 1973 até 1994, e de 1994 até hoje. De
1973 até 1994, o Brasil teve seis padrões monetários diferentes, ou seja, teve
seis tipos de moeda diferentes, também teve seis presidentes da república, e
acredite se quiser, 17 presidentes do banco central.

De 1994 até 2016, tivemos apenas um padrão monetário, 4 presidentes da


república (contando o temer), e 9 presidentes do banco central. Em 1994, a
inflação estava na casa dos 916% ao ano. Em 2015, a inflação estava em
9,49% ao ano, e em 2016, a inflação caiu para quase 6%. Isso significa
estabilidade. O Brasil não é nem um pouco estável se compararmos aos EUA.
Porém, o Brasil de hoje é muito mais estável que o país de 20 anos atrás, e
tenho certeza que o Brasil de hoje é muito menos estável do que o de 20 anos
pra frente. Como o conceito de investir, na minha opinião, tem a ver com longo
prazo. Investir no Brasil pode trazer bons frutos.

O histórico do juro real nos faz tirar algumas conclusões. Na década de 90, o
capital dobrava em mais ou menos 4 anos. Ou seja, o dinheiro rendia
aproximadamente 20% ao ano. Isso é um absurdo de bom! Porém, lá para
2010, a taxa de juros real era de mais ou menos 3-4%. Parece ruim, se
compararmos com o que era. Porém, comparando com o mundo, o Brasil
sempre figura entre as maiores taxas de juros reais do mundo. Na maioria das
vezes, temos a maior taxa de juros do planeta. Para você ter uma ideia, a taxa
de juros dos EUA geralmente figura abaixo de 1%, e no Japão, muitas vezes a
taxa de juros é até negativa.

O Brasil tem sofrido bastante em termos de câmbio. Por isso, o Brasil tem
ficado mais atrativo do ponto de vista dos investidores. Eu estava em uma
conferência nos Estados Unidos recentemente, e eles estavam falando que o
Brasil nunca esteve tão barato. Porém, resta a dúvida política. O Brasil é tão
incerto a ponto de não receber capital estrangeiro? Provavelmente sim. Mas é
justamente isso que gera esse upside tão positivo. O Brasil está depreciado,
tem uma economia doméstica fortíssima, um grande mercado interno e uma
moeda que favorece a exportação. Toda essa revolução política que vem
acontecendo é boa para a economia. Não é para menos que no ano de
chacoalhões políticos, que foi 2016, a bolsa subiu na casa dos 40% no ano. O
mercado antecipa os movimentos, e logo depois de uma catástrofe, vem
aquele momento de alta bonito. Talvez o Brasil não tenha os melhores
fundamentos buscados pelo investidor, mas como a maioria de vocês que está
assistindo esse vídeo mora por aqui, o menor risco possível para vocês é
investir por aqui, no tesouro, na pior das hipóteses. Ainda assim, a taxa de
juros é a maior do planeta.

Tudo é uma questão de ponto de vista. Você pode investir em um país como o
Japão, e ter uma taxa negativa. Em um país como os EUA, e ter uma
rentabilidade próxima de zero, ou no Brasil, que ainda tem muito upside. Risco,
mas upside. Vale sempre lembrar que uma economia recessiva com, com uma
moeda depreciada e juros altíssimos nos torna ativos com preço muito atrativo.
Flavio Augusto, que escreveu Geração de Valor e é empreendedor, inclusive já
tendo vendido a Wise Up por 800 milhões de dólares, sempre disse que o
cenário no Brasil é muito desafiador. É um contexto altamente competitivo para
o empresário, pois tudo está desfavorável. Os impostos, o custo Brasil, o
mindset .. Mas isso torna o Brasil um excelente oasis para o empreendedor que
está disposto a dar algo a mais, que é competitivo, que tem qualidade. Por
isso, eu sigo otimista. Se o Brasil andar bem, as ações vão dar muito dinheiro.
Se andar mal, as taxas de juros rentabilizarão o capital acima de qualquer
economia.

Conclusões e gancho para a próxima aula

Nessa aula você aprendeu a fazer uma análise mais profunda sobre
investir no Brasil. Na próxima aula você irá aprender detalhes sobre
aposentadoria.
AULA 2
Aula 2 – Aposentadoria

O CÓDIGO DA RIQUEZA

Módulo - RIQUEZA

Capítulo – APOSENTADORIA

Aula - 02

Temas estruturantes da aula. Nessa aula você vai aprender mais detalhes sobre
a aposentadoria.

Não pense nessa segunda etapa caso você não tenha completado a primeira,
que é a do Fundo de Emergência. A coisa mais importante que você deve ter
em mente, é que precisa ter sua reserva. Se algo acontecer, precisa ter de
onde tirar. Por isso, não se sinta tentado a investir em algo que renda mais,
caso ainda não tenha isso
guardado. O seu segundo objetivo é pensar na aposentadoria. Você precisa se
preparar para se aposentar um dia, pois se não pensar nisso agora,
provavelmente não
terá tempo para correr atrás disso no futuro! Sendo assim, é a sua segunda
prioridade.

O primeiro a se fazer, é identificar uma renda mensal que te atenda no futuro.


Caso você queira se aposentar (ou ter uma renda extra) com R$ 5.000,00 por
mês no futuro, você deve pegar esse valor mensal, e transformar em anual. Ou
seja, você multiplica esses R$ 5.000,00 por 12, resultando em R$ 60.000,00 de
salário anual. Guarde o número R$ 60 mil. Você precisa descobrir em quantos
anos você pretende se aposentar. Ou seja, se você tem 30 anos e pretende se
aposentar com 60 anos, então faltam 30, certo? Guarde esse número. Como já
identificamos que você precisa ter uma renda de R$ 60.000,00 por ano,
precisamos agora descobrir quanto de patrimônio precisamos ter para apenas
com os rendimentos, você receber esse valor de R$ 60.000,00 por ano, né? O
que você precisa fazer agora é uma conta bem simples: Multiplique esses R$
60.000,00 por 100 e divida por 4 (não se preocupe como cheguei nisso!!!! O
"100" e o "4" sempre devem ser utilizados, pois representam uma rentabilidade
real de 4%). Ou seja .. se multiplicarmos R$ 60.000,00 por 100, teremos
R$ 6.000.000,00, e se dividirmos por 4, teremos R$ 1.5000.000,00. Esse valor,
de R$ 1.500.000,00 é o seu grande objetivo para se aposentar.

Se você tiver esse número, consegue garantir uma renda mensal de R$


60.000,00 por ano, e consequentemente, R$ 5.000,00 por mês!
Porém, agora que você já tem o seu grande objetivo de aposentadoria, precisa
descobrir o quanto você precisa investir por mês para chegar
nesse objetivo, certo? Para facilitar o cálculo, baixe a planilha que vou deixar
de material de suporte e a preencha. Ela te dará o número exato que você
deve investir por mês
focando na sua aposentadoria.

Se você calculou isso corretamente, você chegou ao número de R$ 28.074,39


ao ano. Isso significa que você precisa guardar esse dinheiro
por ano para chegar ao seu resultado, ou R$ 2.339,53 por mês.

Agora você chegou no número que a gente queria. O número é o R$ 2.339,53.


Esse valor é, de forma resumida, o quanto você precisa investir por mês para
chegar no seu objetivo de aposentadoria. Você deve enfrentar isso como um
custo mensal, e não
como um investimento. Agora, você tem 2 cenários.

i. Se sobrar menos dinheiro do que o necessário por mês para investir ou igual
(R$ 2.339,53 ou menos), você investe
mensalmente nos investimentos abaixo;

ii. Se sobrar mais dinheiro do que o necessário por mês, você investe para a
aposentadoria, e o restante, aplica na etapa 3 da
sua montagem de carteira, que é a etapa "objetivos". Aplicações sugeridas
para essa finalidade (Aposentadoria):

a) Tesouro IPCA+ (Tesouro Direto) para prazos mais longos: Comprar títulos
atrelados a inflação te garantem um retorno real para o
longo prazo. Você pode colocar tudo nesse tipo de aplicação, ou variar entre as
outras disponíveis abaixo.

b) Previdência Privada: Qualquer uma com taxa zero de carregamento que


tenha uma rentabilidade histórica superior a 95% do CDI; c) Ações.

Conclusões e gancho para a próxima aula

Nessa aula você aprendeu a como se preparar para a sua


aposentadoria. Na próxima aula você irá aprender mais detalhes sobre
aposentadoria.
AULA 3
Aula 3 - Por que muitas pessoas não vão se aposentar bem

O CÓDIGO DA RIQUEZA

Módulo - RIQUEZA

Capítulo – POR QUE MUITAS PESSOAS NÃO VÃO SE APOSENTAR BEM

Aula - 03

Temas estruturantes da aula. Mais detalhes sobre a aposentadoria serão


apresentados nessa aula.

A maioria das pessoas teme a aposentadoria, pois imaginam que será uma
época de vacas magras e dificuldades financeiras. Parece que quando
finalmente se tem tempo para aproveitar a vida, vem o fantasma das contas
para assombra-lo.
Mas algumas pessoas se aposentam bem e outras não. Há um motivo para
isso e não há segredos. A chave de aposentar-se bem é planejamento.
Nossa sociedade tem uma cultura de imediatismos. Cada vez mais pensamos
no curtíssimo prazo e acabamos deixando o futuro para lá. E isso rege não
somente nosso estilo de vida, mas também nosso estilo de consumo. A taxa de
poupança média do brasileiro é de 8%, ou seja, se consome 92% da renda no
Brasil.

Esses números nada mais são do que o reflexo do consumismo imediatista em


nossas vidas.
Além de uma cultura imediatista, outro problema enfrentado para pelos
brasileiros é a falta de educação financeira. Falta, para as famílias brasileiras,
planejamento. Além disso, falta conhecimento básico financeiro para que após
o planejamento, se faça bons investimentos para garantir um bom futuro.
Quando questionado a respeito de seus investimentos, o brasileiro médio
normalmente não conhece ou produto ou seus rendimentos, mas acredita ser
um bom investimento. Normalmente essa crença vem de dois pilares, também
culturais, do Brasil. O primeiro é a comodidade que o banco oferece como a
aplicação no banco é quase osmótica, o banco não precisa fazer nenhum
esforço para captar o seu dinheiro. Desta forma ele pode te oferecer uma
menor rentabilidade e ficar com maior lucro. Outro pilar é confiabilidade e
solidez que os grandes bancos passam no Brasil, muitas vezes refletido na
figura do gerente “que jamais te venderia maus investimentos”. Essa analise
rasa pode te deixar muitas vezes com o “mico na mão”.
Além do nível de poupança do país ser baixo, o dinheiro normalmente é mal
investido, comprometendo, consequentemente, o seu futuro.

Outro grande problema da população brasileira é a dependência da previdência


social para a aposentadoria. Muitos brasileiros não planejam o futuro, pois
contam com a previdência social. Esse pode ser um grande erro, a previdência
não garante uma boa aposentadoria e conforme apontam as pirâmides etárias
o déficit previdenciário esta cada vez maior (com a população jovem e ativa
cada vez menor e uma maior expectativa de vida deixando o topo da
população não ativa menor).

Para que não enfrente esses problemas, É muito importante que se faça um
planejamento, que pode ser feito através de uma planilha e que nela se
coloquem todos seus gastos. Seus investimentos não podem ser baseados no
“dinheiro que sobra”, pois a tendência é que não sobre. É necessário que o
montante mensal a ser investido entre como um custo fixo. Dessa forma é mais
fácil de condicionarmos o montante para sua finalidade de poupança e não de
gasto.

Outra coisa que é muito importante é que a poupança não pode ser vista como
algo que te priva de gastar. Como disse anteriormente temos uma ânsia pelo
consumo imediato, isso deve ser controlado, parte do nosso dinheiro deve ser
poupada no presente visando o gasto futuro. Não é uma privação do consumo,
mas um adiamento do mesmo.
Aliando um bom planejamento, com bons produtos do mercado não há como
não se aposentar bem.
É preciso refletir – Seus investimentos atuais podem não te aposentar
As vezes imaginamos que só o cara sem dinheiro, ou que o investidor
medíocre não se aposentará. Mas não é bem assim .. vejo muita gente com
dinheiro investindo seu dinheiro seguindo as orientações dos gerentes de
banco, e isso pode não acabar bem.

No Itaú Personallite, que é referência aqui no Brasil entre os bancos mais


sólidos, você encontra os melhores (quando digo melhores, realmente são os
melhores do banco) fundos de renda fixa rendendo algo próximo dos 95% do
CDI.

Fundos com mínimo de R$ 50 ml, R$ 250 mil e até R$ 500 mil.. Esses fundos
são classificados entre os melhores fundos de investimentos no Itaú, com mais
de 200.000 cotistas, tem um rendimento como esse. Porém, vamos nos atentar
aos fatos .. Todos os fundos de renda fixa possuem a incidência do come-
cotas. Não se preocupe, eu vou falar sobre o come-cotas mais para frente. O
que você precisa saber agora é que ele impacta o seu rendimento pois é como
se você pagasse seu imposto de renda sobre o fundo todo o mês. Isso impacta
em aproximadamente 5% do CDI o seu investimento.

Se um fundo te remunera em 95% do CDI, na verdade ele te remunera em


quase 90% do CDI. Vamos imaginar que a taxa de juros no mercado esteja
próxima dos 14% e que a inflação esteja em 8%. Se a taxa de juros está em
14%, e seu fundo rende 90% disso, seu rendimento será de +12,60%, certo?

Além disso, precisamos tirar o imposto de renda. Levando em consideração


que ele seja de 15%, você que deduzir -1,89% do rendimento, significando que
seu rendimento liquido vai ser de +10,71%. Se a inflação for de 8%, na verdade
te sobra +2,71% de rendimento nesse caso. E aí eu te pergunto, essa
rentabilidade é suficiente para você se aposentar bem? Isso significa que se
você tiver 1 milhão, vai receber líquido R$ 2.258,33 por mês se quiser se
aposentar de forma vitalícia.
Obviamente, começamos de uma das melhores aplicações no banco. Vamos
falar agora do investimento mais tradicional de todos: A Poupança. Como ela
vem rendendo historicamente, é possível que ela tenha uma valorização de
7,5% ao ano. Se a inflação for de 8%, você vai ter um prejuízo de 0,5% todos
os anos!

Agora vamos falar de previdência. Se você tiver uma previdência, é bem


possível que se enquadre onde a maioria dos investidores estão enquadrados.
Puxei 6 dos principais fundos de previdência da Brasilprev – seguradora do
Banco do Brasil – para você ver como estão os rendimentos deles, e a
rentabilidade média ficou em +80,9%. Isso significa que se fôssemos utilizar o
exemplo dos 14% de rentabilidade e 8% de inflação, o rendimento líquido e
acima da inflação seria de +1,6%! Será que isso te garantiria uma
aposentadoria tranquila? Possivelmente é difícil. Por isso, não importa o quão
você acredite que está investindo bem, você mesmo precisa fazer esse cálculo.
Agora, eu gostaria que você refletisse um pouco sobre as suas aplicações e
que tirasse suas próprias conclusões.

Dê uma olhada em sua previdência, em seus fundos, em seus ativos, e faça


esse tipo de cálculo. Se você tiver dificuldades para achar todas essas
informações, questione seu gerente qual foi a rentabilidade dos últimos 12
meses de cada aplicação. Você vai poder ter uma noção de quanto o seu
investimento está ou não bom, de acordo com a dificuldade que o gerente terá
de te passar todos os números.

Se ele começar a se justificar antes de qualquer coisa, ou dizendo que o banco


está com algumas aplicações melhores, não dê ouvidos. Será apenas mais um
papinho dele (ou de qualquer um que estiver na outra ponta).
Conclusões e gancho para a próxima aula

Nessa aula você aprendeu mais técnicas de como se programar para


uma aposentadoria. Na próxima aula você irá aprender a como organizar a
previdência.
AULA 4
Aula 4 - Previdência: Pensando no Futuro

O CÓDIGO DA RIQUEZA

Módulo - RIQUEZA

Capítulo – PREVIDÊNCIA: PENSANDO NO FUTURO

Aula - 04

Temas estruturantes da aula. Nessa aula você vai aprender a como preparar a
sua previdência.

Por falar com investidores todos os dias, eu fico pasmo com a distância entre o
senso comum, e o que acontece na prática. Não entendeu? Todo mundo sabe
que se preparar para qualquer coisa que está por vir te dá grandes vantagens.
Isso acontece em absolutamente tudo! Acontece em uma reunião que você vai
fazer no seu trabalho, em um churrasco mal planejado, com os seus
investimentos, ou até comigo, escrevendo esse texto agora! Então eu te
pergunto: Por que ninguém se prepara para o futuro? A resposta aqui iria ficar
bem extensa. Vamos então focar no por que você deve se preocupar com o
futuro, ok?

Juros Compostos

“Os Juros compostos são considerados a força mais poderosa do Universo”

Pareceria exagero, se não tivesse vindo de Albert Einstein essa frase. Não vou
entrar no mérito de concordar ou não, mas realmente ele está certo em dar um
peso tão grande a isso tudo. Vou provar numericamente que o prazo trabalha
por você com os juros compostos.
Se você investisse R$ 500,00 por mês, teria os respectivos resultados:

• 1 ano: R$ 6.341,25;
• 10 anos: R$ 115.019,34;
• 20 anos: R$ 494.627,68;
• 30 anos: R$ 1.747.482,06;
• 40 anos: R$ 5.882.386,25;
• 50 anos: R$ 19.529.169,86;
• 60 anos: R$ 64.568.835,58 ..

Para eu atingir os mesmos R$ 64.568.835,58 em metade do tempo, eu não


teria que investir R$ 1.000,00, que seria o dobro do valor. Eu teria que investir
36x mais que os R$ 500,00! Teria que aportar R$ 18.474,82 mensalmente
durante 30 anos !!! Vamos parar por aqui? Acho que provei meu ponto ..

A ideia aqui não é te convencer a investir por 60 anos. Apenas para te mostrar
que os juros compostos estão do seu lado quando se pensa no longo prazo.
Entendeu o que quis dizer? O fator tempo é o mais importante na fórmula dos
juros compostos, e é por isso que você nunca pode esquecer:
“é mais importante começar cedo do que aportar muito”

Tenho Pouco dinheiro. Não consigo começar a investir desde cedo


Isso não é verdade. Muitas pessoas cometem esse mesmo erro, e vão acabar
pagando por isso lá na frente. Cada mês que passa sem você guardar dinheiro,
aumenta o “preço” do próximo, pois para se ter o mesmo valor, você precisaria
fazer um aporte bem maior.

Imagine que na época em que você era um estagiário e estava começando a


carreira, você não poupou 100 reais por mês durante 10 anos. Você teria
acumulado um valor de R$ 23.003,86. Se agora você consegue guardar R$
300,00 por mês, vai demorar 5 anos para poder chegar no MESMO valor que
você já teria há 5 anos atrás. Entende que aqui a questão não é o dinheiro, e
sim a lógica?

Faça o dinheiro trabalhar para você, e não trabalhe pelo dinheiro.

A classe dos médicos é bem popular dentre os investidores que já ajudei. Vou
contar aqui duas histórias de médicos com histórias similares, que ganham
próximo da mesma faixa salarial dando plantões, mas que possuem uma
diferença financeira gigantesca.

Roberta: Sempre teve um padrão de vida acima do que deveria, e atualmente


possui uma renda mensal próxima dos R$ 30.000,00, com um patrimônio
acumulado de R$ 40.000,00.

Mauricio: Sempre poupou parte (pequena) do seu salário, e atualmente possui


uma renda mensal proveniente do trabalho próxima dos R$ 30.000,00 com um
patrimônio acumulado de R$ 2.500.000,00.

Nesse caso, podemos fazer algumas ponderações:

1) Ambos hoje possuem o mesmo salário, mas o Mauricio possui um


patrimônio tão grande, que pode gerar uma renda adicional próxima da renda
proveniente do salário dele;

2) Mauricio poderia diminuir seu ritmo de trabalho que ainda manteria o


mesmo padrão de vida;

3) A Roberta provavelmente nunca mais vai conseguir atingir o padrão de


patrimônio de Mauricio;

4) Para acumular esses recursos, o Mauricio provavelmente não abriu mão


de mais do que 10% de seu salário mensal;

5) Se acontecer alguma coisa com Roberta e ela ficar impossibilitada de


trabalhar, é o bom ter um seguro. Caso contrário, ela vai passar por grandes
dificuldades financeiras.

Pensar na Aposentadoria:

É uma obrigação
Dizem que a nossa idade produtiva no mercado de trabalho é até os 55 anos.
Isso significa que a partir dos 55 anos seu rendimento cai bastante, e você já
pode ser substituído por outros profissionais mais baratos por aí. Se você não
formou sua previdência até esse ponto, você pode estar prestes a enfrentar um
problema – e dos grandes. Temos o costume de sermos imediatistas e por
essa questão, apenas percebemos alguma coisa quando vira uma
necessidade... Quer uma prova disso?

Conclusões e gancho para a próxima aula

Nessa aula você aprendeu a observar diferenças comuns entre pessoas


que se programam e outras não para o seu futuro. Na próxima aula você irá
recapitular a estratégia do “O Primo Rico”.
AULA 5
Aula 5 - Recapitulando - Estratégia do O Primo Rico

O CÓDIGO DA RIQUEZA

Módulo - RIQUEZA

Capítulo – RECAPITULANDO – ESTRATÉGIA DO O PRIMO RICO

Aula - 05

Temas estruturantes da aula. Recapitulando a estratégia de “O Primo Rico”

Etapa 1 - Fundo de Emergência

O seu primeiro objetivo é descobrir exatamente quanto você precisa ter de


dinheiro guardado com a finalidade de fundo de emergência. Em resumo, o
fundo de emergência é a parcela de curto prazo do seu dinheiro. É aquela
parte que você precisa ter disponível para uma emergência ou para um evento
inesperado. Recomenda-se que caso você tenha um emprego/geração de
renda estável, que você junte 6 vezes o seu custo e destine para o seu fundo
de emergência. Caso seja algo autônomo ou você seja um empresário,
recomenda-se 12 vezes o seu custo mensal.

Caso você seja um funcionário de uma empresa, e tenha um custo de R$


3.000,00, você precisaria então destinar 6 x R$ 3.000,00 = R$ 18.000,00 para
seu fundo de emergência. Ou seja, você só deve sair dessa etapa quando tiver
R$ 18.000,00 investidos em algum investimento que te proporcione alta
liquidez (ou seja, que você consiga resgatar facilmente). Para isso, você
precisa investir mensalmente em alguma aplicação para essa finalidade, ou
que simplesmente aplique seu patrimônio aí, e o excedente vai para o passo.
Aplicações sugeridas para essa finalidade:

Fundos DI e Fundos de Renda Fixa – mais recomendado para quem


consegue realizar um aporte inicial de R$ 3.000,00, e depois aportes
recorrentes de R$ 100,00 para cima;
Tesouro SELIC – Mais recomendado para quem não tem nenhum
patrimônio, e quer iniciar com aplicações menores, de R$ 100,00 em
diante, já que não exige patrimônio mínimo.

Etapa 2 – Aposentadoria

Não pense nessa segunda etapa caso você não tenha completado a
primeira. A coisa mais importante que você deve ter em mente, é que
precisa ter sua reserva. Se algo acontecer, precisa ter de onde tirar. Por
isso, não se sinta tentado a investir em algo que renda mais, caso ainda
não tenha isso guardado.
O seu segundo objetivo é pensar na aposentadoria. Você precisa se
preparar para se aposentar um dia, pois se não pensar nisso agora,
provavelmente não terá tempo para correr atrás disso no futuro! Sendo
assim, é a sua segunda prioridade.

O primeiro a se fazer, é identificar uma renda mensal que te atenda no


futuro. Caso você queira se aposentar (ou ter uma renda extra) com R$
5.000,00 por mês no futuro, você deve pegar esse valor mensal, e
transformar em ANUAL. Ou seja, você multiplica esses R$ 5.000,00 por 12,
resultando em R$ 60.000,00 de “salário” anual. Guarde o número “R$
60.000,00”;
Você precisa descobrir em quantos anos você pretende se aposentar. Ou
seja.. se você tem 30 anos e pretende se aposentar com 60 anos, então
faltam 30, certo? Guarde esse número.

Como já identificamos que você precisa ter uma renda de R$ 60.000,00 por
ano, precisamos agora descobrir quanto de patrimônio precisamos ter para
APENAS com os rendimentos, você receber esse valor de R$ 60.000,00 por
ano, né? O que você precisa fazer agora, é uma conta bem simples:
Multiplique esses R$ 60.000,00 por 100 e divida por 4 (não se preocupe
como cheguei nisso!!!! O “100” e o “4” sempre devem ser utilizados, pois
representam uma rentabilidade real de 4%). Ou seja .. se multiplicarmos R$
60.000,00 por 100, teremos R$ 6.000.000,00, e se dividirmos por 4, teremos
R$ 1.5000.000,00.

Esse valor, de R$ 1.500.000,00 é o seu grande objetivo para se aposentar.


Se você tiver esse número, consegue garantir uma renda mensal de R$
60.000,00 por ano, e consequentemente, R$ 5.000,00 por mês! Porém,
agora que você já tem o seu grande objetivo de aposentadoria, precisa
descobrir o quanto você precisa investir por mês para chegar nesse
objetivo, certo? Para facilitar o cálculo, baixe essa planilha e a preencha.
Ela te dará o número exato que você deve investir por mês focando na sua
aposentadoria. É só clicar aqui!

Se você calculou isso corretamente, você chegou ao número de R$


28.074,39 ao ano. Isso significa, que você precisa guardar esse dinheiro por
ano para chegar ao seu resultado, ou R$ 2.339,53 por mês.
a. Agora você chegou no número que a gente queria. O número é o R$
2.339,53. Esse valor é, de forma resumida, o quanto você precisa investir
por mês para chegar no seu objetivo de aposentadoria. Você deve enfrentar
isso como um custo mensal, e não como um investimento. Agora, você tem
2 cenários
i. Se sobrar menos dinheiro do que o necessário por mês para investir ou
igual (R$ 2.339,53 ou menos), você investe mensalmente nos investimentos
abaixo;

ii. Se sobrar mais dinheiro do que o necessário por mês, você investe para
a aposentadoria, e o restante, aplica na etapa 3 da sua montagem de
carteira. Aplicações sugeridas para essa finalidade (Aposentadoria):

a) Tesouro IPCA+ (Tesouro Direto) para prazos mais longos: Comprar


títulos atrelados a inflação te garantem um retorno real para o longo prazo.
Você pode colocar tudo nesse tipo de aplicação, ou variar entre as outras
disponíveis abaixo;

b) Previdência Privada: Qualquer uma com taxa zero de carregamento que


tenha uma rentabilidade histórica superior a 95% do CDI;
c) Ações

d) FII

Etapa 3 – Investimentos (Aquisições)

Caso você tenha recursos para aplicar mensalmente um capital superior ao


necessário para você se aposentar (no item 2 acima, que seria no caso os
“R$ 2.339,53”), você pode prosseguir para essa etapa. Aqui, você
simplesmente aloca os recursos que excedem os R$ 2.339,53 para um
prazo entre o Fundo de Emergência e a Aposentadoria (pode-se chamar de
“Médio Prazo” ou “Parcela de Investimentos”). Aqui, o objetivo é você
investir para poder comprar imóveis, viagens, carros, empreendimentos e
etc. Caso você tenha uma sobra de receita de R$ 3.000,00 no mês, você
desconta o valor destinado para a aposentadoria, que seriam os R$
2.339,53, e sobra-se R$ 660,47. Esse valor seria destinado para a parte dos
investimentos. Investimentos Sugeridos para essa finalidade:

c. Tesouro IPCA+ (para prazos entre 5 – 10 anos);

d. CDBs para 2 – 3 anos (os que tiverem as maiores taxas);

e. LCI/LCA para 2 – 3 anos (os que tiverem as maiores taxas).

f. Como os mínimos para essas aplicações costumam ser mais altos,


acumule recursos em um dos fundos DI, e só depois de ter o valor todo,
resgate e o aplique em um título com rendimentos maiores, como os citados
acima.

Conclusões e gancho para a próxima aula

Nessa aula você recapitulou a estratégia de “O Primo Rico”. Na próxima


e ultima aula você irá aprender a introdução à sucessão.
AULA 6
Aula 6 - Introdução à Sucessão

O CÓDIGO DA RIQUEZA

Módulo - RIQUEZA

Capítulo – INTRODUÇÃO AO SUCESSO

Aula - 06

Temas estruturantes da aula: Introdução à Sucessão

Sucessão é a possibilidade de transferência do patrimônio de alguém logo


após sua morte. Há diferentes vertentes de pensamento. Há quem acredite
que não faz sentido você deixar patrimônio depois da morte, mas há quem
acredite que faz sentido passar seu legado adiante. Para quem acredita que
faz sentido passar o legado adiante, é importante saber que ninguém quer mais
o seu dinheiro do que o governo. O governo vai te taxar de tudo que é jeito .. e
para isso, é importante você preparar sua passagem de patrimônio ainda em
vida, pois depois, tudo isso fica muito mais caro.

No Brasil, o custo de transmissão de herança varia de 8% a 15%, dependendo


do Estado. E isso, sem contar com os custos de um advogado. Existe muito
debate sobre o ITCMD, e é provável que o ITCMD suba para 20%. Ou seja, só
nesse imposto específico, deverá cobrar 20% sobre todo o seu patrimônio, sem
contar outros impostos envolvidos.

Se imagine na seguinte situação: Você faleceu, e deixou 5 milhões. Seus filhos,


que não tem educação financeira e nem maturidade para lidar ainda com o
dinheiro, recebe esse dinheiro em patrimônio. Quase tudo estava imobilizado.
Ou seja, eles precisam pagar o ITCMD e vários outros impostos, fora o imposto
de renda sobre os bens e várias outras coisas. Eles precisam pagar, digamos
1,5 milhões. Bom, eles não tem esse valor. Aí, eles precisam pagar as custas
de um advogado, que obviamente, vai enfiar a faca pois sabe que não há outra
saída. Ele então combina que 20% do que sobrar será dele, fora os custos do
processo. Você imagina a bola de neve que vai rolando?

Bom, o objetivo dessa aula, não é te ensinar exatamente como fazer o seu
planejamento de sucessão, mas indicar 2 coisas:

1) Te fazer enxergar que isso precisa ser planejado em vida, se você não
quiser problemas para seus beneficiários e
2) Um dos melhores produtos para sucessão é a Previdência Privada e o
Seguro de Vida Resgatável.
TOMADA DE DECISÃO

Módulo: NÃO SE PREOCUPA MAIS COM O CURTO PRAZO

Perguntas para tomadas de decisão.

Responda essas perguntas com calma e de maneira específica. As suas


respostas revelarão o que você sabe, sente e entende como prioridade nesse
momento da sua vida. Os exercícios de fixação servirão como base
estruturante para as definições de objetivos e o seu plano de ação coerente a
partir dessa parte do programa de treinamento do Código da Riqueza.

25. Após a explicação dos conceitos apresentados nesse módulo, O QUÊ


VOCÊ SABE, AGORA?

26. Após as explicações dos conceitos apresentados nesse módulo, COMO


VOCÊ SE SENTE, AGORA?

27. Após as explicações dos conceitos apresentados nesse módulo, O QUE


É MAIS IMPORTANTE, AGORA
PLANO DE AÇÃO

O plano de ação do Código da riqueza deverá ser preenchido com atenção ao


final deste módulo. Ele representará todas as etapas responsáveis por uma
boa formulação e execução dos objetivos. Elas estão divididas nas seguintes
áreas:

Objetivo;
Evidência
Motivadores / ganhos
Sabotadores / perdas
Valores / relevância
Recursos
Estratégias
Ações
Primeiro passo
Responsabilidade
Comprometimento

O programa a seguir deverá ser descrito de maneira mais especifica possível


seguindo a estratégia S.M.A.R.T.

SPECIFIC (ESPECÍFICO)
MEASURABLE (MENSURÁVEL)
ACHIEVABLE (ALCANÇÁVEL)
RELEVANT (RELEVANTE)
TIME (PRAZO)
OBJETIVOS

O que você deseja especificamente? Qual o contexto?

ONDE

Onde você quer que isso aconteça?

QUEM

Quem participa desse objetivo?

QUANDO

Quando vai acontecer

EVIDÊNCIA

Qual é a evidência de que você conseguiu?


MOTIVADORES E GANHOS

O que você ganha com isso? Quais são os benefícios que você obterá?

SABOTADORES E PERDAS
O que você perde com isso? Este objetivo ou resultado afeta negativamente outras
pessoas do meio do qual você faz parte? (Se a respostas for sim, o que você precisa
alterar no seu objetivo para que afete apenas positivamente outras pessoas ou seu
meio?

VALORES/RELEVÂNCIA
Por que isso é importante para você? Quais os valores que você irá satisfazer com esta
meta? Por que isso é realmente importante para você?

RECURSOS
Do que vai precisar? (Recursos financeiros, conhecimentos, métodos, tempo,
habilidades, competências)

ESTRATÉGIAS
Quais as formas para conseguir isso? Quais serão suas estratégias? Você conhece
alguém que já fez isso? Como esta pessoa conseguiu?
AÇÕES

Quais são os passos para conseguir isso? Qual será seu plano de ações?

PRIMEIRO PASSO

Qual será o primeiro passo?

RESPONSABILIDADE
Depende de quem para que seu objetivo seja realizado? O que você pode fazer para
que esse objetivo dependa de você para ser iniciado hoje e mantido por você?

COMPROMETIMENTO
Qual o seu grau de comprometendo em realizar isso? O que você pode fazer para
aumentar seu grau de comprometimento?
MÓDULO FINAL – O CÓDIGODA RIQUEZA

Desenvolver um código que estabeleça em qual nível de riqueza foi uma tarefa
bastante difícil. Exigiu muito esforço de toda equipe, desde as entrevistas até
todo o material científico estudado.

Não temos a pretensão de dizer que está é uma fórmula definitiva, embora ter
nos dado muita tranquilidade para afirmar que é de total coerência.

Ela também já foi testada e validada em centenas de alunos.

Para saber em qual nível você se encontra do código da riqueza, você deve
preencher a seguinte equação:

CR = (NA + NC + NP + AD) – (M + S) * 2
Legendas

CR – Código da Riqueza

NA – Nível de Atitude

Qual é o seu nível de atitude (de 0 a 10)? Você acredita que suas atitudes são
empreendedoras, arrojadas e direcionadas para a sua riqueza? Desde o
ambiente em que você vive, pessoas e sua capacidade de se autoliderar.

NC – Nível de Conhecimento

Qual é o seu nível de conhecimento (de 0 a 10)? Você acredita que seus
conhecimentos e competências são equivalentes ao desejo que você tem de
ter riqueza? Você tem priorizado os melhores professores, cursos, locais, aulas
e processos para cada vez mais aumentar seus conhecimentos?

NP – Nível de propósito/missão
Qual é o seu nível de satisfação (de 0 a 10) para seu propósito e ações? Quais
objetivos você pretende realizar na sua vida nos próximos anos? Você tem
clareza quais são? Você já traçou o plano para cada um deles? Você tem claro
qual é o seu papel no mundo e na vida das pessoas? O legado que quer
construir e os sucessores que quer deixar?

AD – Atitude frente ao Dinheiro

Qual é o seu nível de satisfação (de 0 a 10) para a sua atitude frente ao
dinheiro? Você tem exato controle sobre ele? Você o domina e tem de maneira
absolutamente clara qual a função do dinheiro na sua vida?

M – Medo

Qual é o seu nível de satisfação (de 0 a 10) para seus medos? Quais são seus
maiores medos? Você tem agido na direção dos seu sonhos ou dos seus
medos?

S – Saúde

Qual é o seu nível de satisfação (de 0 a 10) para a sua saúde? Como você
avalia seu desempenho físico e mental? Você pratica atividades físicas
regularmente? Você costuma tem um hábito alimentar saudável
constantemente? Seus exames clínicos estão em dia? Você sentiu alguma dor
no corpo no último mês? Sua condições de saúde estão adequadas para uma
pessoa da sua idade?
RESULTADOS

RIQUEZA
PLENA
(de 68 a 100
pontos)

RICO
(de 58 a 66
pontos)

FOCADO NA
MISSÃO (de 46 a 56
pontos)

INCOMODADO
(de 34 a 44 pontos)

ZONA DE CONFORTO
(de 21 a 32 pontos)

SOBREVIVENTE
(até 20 pontos)
Filosofia do Sucesso

Terminamos o curso do Código da Riqueza, após muitos conteúdo


importantes com um poema escrito a mais de 100 anos sobre sucesso
chamado de “A filosofia do Sucesso” de Napoleon Hill.

Se você pensa que é um derrotado,


você será derrotado.
Se não pensar “quero a qualquer custo!”
Não conseguirá nada.
Mesmo que você queira vencer,
mas pensa que não vai conseguir,
a vitória não sorrirá para você.

Se você fizer as coisas pela metade,


você será fracassado.
Nós descobrimos neste mundo
que o sucesso começa pela intenção da gente
e tudo se determina pelo nosso espírito.

Se você pensa que é um malogrado,


você se torna como tal.
Se almeja atingir uma posição mais elevada,
deve, antes de obter a vitória,
dotar-se da convicção de que
conseguirá infalivelmente.

A luta pela vida nem sempre é vantajosa


aos fortes nem aos espertos.
Mais cedo ou mais tarde, quem cativa a vitória
é aquele que crê plenamente
Eu conseguirei!

Muito Obrigado e Parabéns!


REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

1. BARBOSA, C. Tríade do Tempo. Sextante, 2011


2. ___________. Equilíbrio e Resultado, Sextante, 2012
3. ___________, CERBASI, G. Mais tempo, mais dinheiro. Estratégias
para uma vida mais equilibrada. Sextante, 2014
4. BEDARD K, DHUEY. The Persistence of Early Childhood Maturity:
International Evidence of Long-Run Age Effects. The Quarterly Journal of
Economics 121 (4), 2006
5. BERGER, J. O poder da influência. As forças invisíveis que moldam o
nosso comportamento. HSM, 2017.
6. BLANCHARD. K., DIAZ-ORTIZ. C. One minute Mentoring. How to find
and work with a mentor and why you’ll benefit from being one. Banchard
Family partnership, 2017.
7. BLOOM, B. S. Developing talento in Young people. New York:
Ballantines (1985
8. BRABA, S., P, Propósito; a coragem de ser quem somos. Sextante
2016.
9. BOWDON-BUTLER., T. 50 mestres do sucesso. Dividores de águas
para sabedoria professional e pessoal. Universo dos livros, 2013
10. BUCKINGHAM. M., CLIFTON D. Descubra Seus Pontos Fortes.
Sextante, 2008
11. CERBASI, G. Investimentos Inteligentes. Sextante, 2013
12. CHARAM R. Know-how. As 8 competências que separam os que fazem
dos que não fazem. Campus, 2007.
13. COLLINS, J. Empresas Feitas Para Vencer, HSM Editora , 2001
14. CORTELLA M. S., Pensar Bem Nos Faz Bem. Vozes, 2013.
15. COVEY. S. Os Sete Hábitos das Pessoas Altamente Eficazes; Best
Seller, 2005
16. CSIKSZENTMIHALYI, M., RATHUNDE, K., WHALEN, S. Talented
teenagers: the roots os success and failure. New York: Cambridge
(1993)
17. DEWECK. C. Mindset. A nova psicologia do sucesso. Objetiva, 2017.
18. DOBELLI R. A arte de pensar claramente. Objetivo, 2014
19. DUCASSE F. CHAMALIDIS., M. Cabeça de campeão. Como a
psicologia forma vencedores na vida e no esporte. Alta performance,
Casa da Palavra, 2009.
20. DUHIGG.C,. O Poder do Hábito, Objetiva, 2012.
21. DUCKWORTH. A. Garra. O poder da paixão e da perseverança;
Intrínseca. 2016
22. EKER, T. H. Os segredos da mente milionária, Sextante 2013
23. ERICSSON, K. ANDERS, KRAMPE, RALF. TESCH-RÖMER,
CLEMENS. The role of deliberate practice in the acquisition of expert
performance. Psychological Review, 100, No 3, p. 363-406, 1993.
24. EPSTEIN T. DILTS R. Ferramentas para sonhadores; estratégias para a
criatividade e a estrutura da inovação. Rocco, 2004.
25. FERRISS, T. Tools of titans. Teh tactics, routines, and habits of
billionaries, icons and world-class perfomers. Houghton Mifflin Harcourt,
2017
26. GARDNER, H. Múltiplas Inteligências; a teoria na prática, Artmed, 1995
27. GERBER M. O mito do empreendedor. Fundamento, 2011
28. GLADWELL. M BLINK; a decisão num piscar de olhos, Rocco, 2005
29. ____________. Fora de série; Outliers. Sextante, 2008
30. ____________. O ponto da virada. Sextante, 2009
31. ____________. Davi e Golias: a arte de enfrentar gigantes. Sextante,
2014
32. GOLEMAN, D. Inteligência Emocional. Objetiva, 1995
33. ____________. Foco; a atenção e seu papel fundamental para o
sucesso. Objetiva, 2014
34. GUNTHER M. O fator Sorte. Best Business, 2013
35. JORDAN M. Nunca deixe de tentar. Sextante, 2009
36. KYOSAKI R. Pai rico, pai pobre, Campus, 2001
37. KOGON K., MERRILL., A., KRETLY, P. 5 escolhas; o caminho para a
produtividade extraordinária. HSM, 2016
38. HILL, N. Quem pensa enriquece, Fundamento, 2009
39. ______. A lei do triunfo. JOSE OLYMPIO, 2014
40. ______. Só é pobre quem quer. Fundamento. 2014.
41. ______.Mais esperto que o diabo. O mistério revelado da liberdade e do
sucesso. Citadel, 2017
42. ______COMO AUMENTAR SEU PRÓPRIO SALÁRIO: Napoleon Hill
Fundation, 2017
43. LOEHR J. E SCHAWARTZ T. Envolvimento Total; gerenciando energia
e não tempo. Campus BB. 2003
44. LONGO, R. M. QUIROZ, C. SANTOS, P., CAMACHO. F., PAULINELLO,
R., FEDELE, D., gestão do conhecimento; a mudança de paradigmas no
século XXI, Senac, 2016.
45. HUNTER, JAMES C. O MONGE E O EXECUTIVO. Sextante, 2004
46. MANAS J. Napoleon on Project Management: Timeless Lessons in
Planning, Execution, and. Leadership Paperback –2008
47. MARQUES R. Coaching de carreira. Construindo profissionais de
sucesso. Ser mais 2013.
48. MATOS, T. Vail á e faz. Como empreender na era digital e tirar as ideias
do papel. Belas Artes, 2017
49. MCGRATH J., BATES. B. 89 teorias de gestão que todo gestor deve
saber. Saraiva, 2014.
50. MASLOW A. H. Motivation and personality. 2ª ed. New York: Harper and
Row, 1970.
51. MONTGOMERY. C. A. The Strategist: Be the Leader Your Business
Needs. New York: HarperCollins, 2012.
52. PETRY. J. O óbvio que ignoramos. Como simples atitudes podem fazer
você obter sucesso em tudo que realiza. Academia 2016
53. ________. As 16 leis do sucesso. Faro Editorial 2017
54. PINK P. Motivação 3.0; os novos fatores motivacionais para o
desenvolvimento para a realização pessoal e profissional. Elsevier, 2010
55. SANTOS JR. J., M., Como posso te ajudar; respostas rápidas para
perguntas importantes. Book Express, 2016
56. SELIGMAN M. Florescer, Objetiva, 2011
57. SHCWARTZ B. O paradoxo da Escolha, Girafa, 2003
58. The essencial manager’s handbook. Teh ultimate visual guide to
successful management. Penguim Rnadon House, 2016.
59. TU K. Super times; os segredos de sete equipes vencedoras para um
desempenho fora de série. Portfólio Peguin, 2013.
60. UPDEGRAFF. R. Adams Óbvio. Editora de Cultura, 2002
61. VIEIRA P. O Poder da Ação. Gente, 2015.
62. VIEIRA P. Fator de Enriquecimento, 2017
63. WITHMORE J., Coaching para aprimorar o desempenho. Os princípios e
a prática do coaching e da liderança. Clio 2012.
64. WISEMAN R. The Luck Factor: The Four Essential
Principles Paperback – August 18, 2004