Vous êtes sur la page 1sur 20

DISCIPULADO SEM FRONTEIRAS

Orientando Vidas em Amor

APOSTILA 4 – PRINCÍPIOS CRISTÃOS


AULA 19 – PRINCÍPIO BÍBLICO DA ADORAÇÃO & LOUVOR (PARTE 4)
INTRODUÇÃO: DIFERENCIANDO TERMOS CORRELATOS (I):
Após estudarmos a realidade da adoração atual envolvendo a problemática espiritual e a definição
de adoração bíblica, nesta aula, iremos tratar inicialmente da diferenciação dos termos abaixo
relacionados e inseridos na adoração, através de duas formas de análise para que possamos
enriquecer nosso conteúdo sobre a adoração e podermos relacionar, então, adoração e louvor.

(1ª PARTE): ATOS QUE ENVOLVEM ADORAÇÃO, MAS TAMBÉM, DIFERENCIADOS DO


LOUVOR PORQUE NECESSARIAMENTE PODEM NÃO ENVOLVER MÚSICA: (bendizer, exaltar,
exultar,jubilar,glorificar,engrandecer,celebrar, aclamar (aplaudir/bater palmas), saudar e dançar*.
OBSERVAÇÃO: CONCEITO DE MÚSICA:Arte e ciência de combinar sons de modo agradável ao
ouvido, podendo ser qualquer composição escrita, executada por conjunto de músicos ou apenas sons.

1) O ATO DE BENDIZER:
a) NO DICIONÁRIO: (Do latim benedicere) – significa dizer bem de; elogiar, gabar, abençoar.

b) NO HEBRÁICO E ARAMÁICO - ANTIGO TESTAMENTO:


* Krb barak - abençoar, ajoelhar (em reconhecimento), saudar com louvor (Sl.103:1);
* Krb b@rak (aramaico) - abençoar, ajoelhar (em reconhecimento) – (Dn.2:19);
* hrkb
hrkb B@rakah – bênção; (fonte de) bênção; prosperidade; louvor de Deus; um dom, presente;
acordo de paz (Ne.9:5);

c) NO GREGO – NOVO TESTAMENTO:


* eulogew eulogeo - louvar, celebrar com louvores; invocar bênçãos; consagrar algo com solenes
orações; fazer prosperar, tornar feliz, favorecer (1 Co.14:16);
* eulogia eulogia - louvor, enaltecimento, gratidão: de Cristo ou Deus em discurso elegante,
linguagem polida e num sentido negativo, linguagem ardilosamente adaptada para cativar o ouvinte:
fala clara, discursos de excelente qualidade; também invocação de bênção, graça divina, consagração,
bênção (concreta), benefício (1 Pe.3:9);

d) CARACTERÍSTICAS DO ATO DE BENDIZER NO ANTIGO E NOVO TESTAMENTOS:


* Deus é Bendito por causa de si mesmo e de seus feitos (Gn.9:26; Gn.14:20; Gn.24:27;
Gn.24:48; Ex.18:10; Jz.5;9; Rt.4:14; 1 Sm.25:32; 1 Sm.25:39; 2 Sm.18:28; 2 Sm.22:47; 1 Rs.1:48; 1
Rs.5:7; 1 Rs.8:15; 1 Rs.8:56; 1 Rs.10:9; 1 Cr.16:36; 2 Cr.2:12; 2 Cr.6:4; 2 Cr.9:8; 2 Cr.31:8; Ed.7:27;
Jó.1:21; Sl.28:6; Sl.31:21; Sl.41:13; Sl.63:4; Sl.66;20; Sl.68:19; Sl.68:35; Sl.72:18-19; Sl.89:52; Sl.96:2;
Sl.103:1-2; Sl.103:20-22; Sl.104:1; Sl.104:35; Sl.113:2; Sl.115:18; Sl.119:12; Sl.124:6; Sl.134:1-2;
Sl.135:19; Is.65:16; Jr.4:2; Ez.3:12; Dn.2:20; Dn.3:28; Rm.1:25b; 2 Co.1:3; 2 Co.11:31; Ef.1:3; Tg.3:9a;
1 Pe.1:3); Forma clara de bendição ao Messias (Sl.18:46; Sl.72:15; Sl.118:26; Sl.144:1; Mt.21:9;
Mc.11:9; Lc.1:68; Lc.19:38; Jo.12:13; Rm.9:5; Mc.11:10);
* As pessoas (homens e mulheres) poderão ser benditas pelos homens e por Deus como
Israel pela graça de Deus e pelo fruto da obediência, súplica, sujeição ao Senhor e por boas
obras, tornado em ordenança no NT (Gn.12:3; Gn.14:19; Gn.18:18; Gn.22:18; Gn.24:31; Gn.26:4;
Gn.26:29; Gn.27:29; Gn.27:33; Gn.28:14; Nm.22:12; Nm.24:9; Dt.7;14; Dt.28:3-6; Dt.33:20; Dt.33:24;
Jz.5:24; Jz.17:2; Rt.2:19-20; Rt.3:10; 1 Sm.15:13; 1 Sm.23:21; 1 Sm.25:33; 1 Sm.26:25; 2 Sm.2:5; 2
Sm.7:29; Ne.11:2; Sl.115;15; Pv.5:18; Is.19:25; Is.61:9; Is.65:23; Jr.17:7; Mt.5:44; Mt.25:34; Lc.1:28;
Lc.1:42; Lc.6:28; At.3:25; 1 Co.4:12; 1 Co.4:16; Gl.3:8-9; 1 Pe.3:9).
* O material poderá ser abençoado por amor ao povo do Senhor (Dt.33:13).
* Benditos tornados “malditos” pela ausência de bendizer autêntico e existência de dúvidas
quanto a Cristo: (Sl.10:3; Sl.49:16-19; Sl.62:4; Pv.30:11; Is.66:3; Jr.20:14; Mt.23:39; Mc.14:61;
Lc.13:35; Rm.1:25a; Tg.3:9b);

www.discipuladosemfronteiras.com 1
DISCIPULADO SEM FRONTEIRAS
Orientando Vidas em Amor

e) DIFERENCIAÇÃO ENTRE BENDIZER E ADORAR: Bendizer faz parte da adoração a Deus,


significando reconhecer Deus e manifestar gratidão em meio à adoração.

2) O ATO DE EXALTAR
a) NO DICIONÁRIO: (Do latim exaltare.) - Tornar alto; erguer, levantar, elevar; tornar sublime,
grandioso; erguer, sublimar, engrandecer; louvar, elogiar; celebrar, afamar, como num mau sentido
Irritar-se, exasperar-se, enfurecer-se. vangloriar-se, gloriar-se, gabar-se, envaidecer-se, jactar-se.

b) NO HEBRÁICO E ARAMÁICO - ANTIGO TESTAMENTO:


* Mwr ruwm – erguido, levantado, estar nas alturas (2 Sm.22:47);
* hbg gabahh – ser elevado,alto(no bom sentido)–(Is.5:16);
* Mwq quwm – levantar, cumprir, estabelecer (2 Sm. 23:1);
* asn nasa’ ou hon nacah – erguer levantar, tomar (1 Sm.2:8);
* hbg gobahh – mau sentido soberba (2 Cr.32:26)
* bgs sagab - estar inacessivelmente alto, num luigar seguro (Is. 2:11);
* ldg gadal - crescer, tornar-se grande ou importante, promover, tornar poderoso, louvar,
magnificar, realizar coisas grandes (Sl.55:12);
* Nwyle ‘elyown – superior, o mais alto, altíssimo, como o nome de Deus (1 Rs.9:8);
* Mmr ramam – elevado, levantado (Jó. 24:24);
* Ntn nathan - dar, pôr, estabelecer (Dt.26:19)
* llh halal – brilhar,louvar,ser considerado louvável, ser elogiado, ser digno de louvor (1 Cr.16:4);
* Nnr ranan–dominar,grito de alegria por conquista (Sl.51:14);
* asntm mithnasse’ - aquele que se exalta (1 Cr.29:11);
* awh hava’ ou hwh havah (aramaico) - vir a acontecer, tornar-se, ser, estar (Dn.5:19);

c) CONCEITO DE EXALTAÇÃO NO NOVO TESTAMENTO:


* uqow hupsoo – elevado às alturas; elevado ao extremo da opulência e prosperidade, à
dignidade, honra e felicidade (At.2:33);
* epairw epairo–levanta,eleva,erguido em dignidade(2 Co.11:20).
* kauchsiv kauchesis – ato de gloriar-se (2 Co.7:14);

d) CARACTERÍSTICAS DA EXALTAÇÃO NO ANTIGO E NOVO TESTAMENTOS:


* Deus é Exaltado e se exalta por causa de si mesmo e de seus feitos (Ex.15:2; 1 Sm.2:1;
Sl.7:6; Sl.57:5; Sl.57:11; Sl.66:17; Sl.89:16; Sl.94:2; Sl.97:9; Sl.99:5; Sl.99:9; Sl.107:32; Sl.108:5;
Sl.113:4; Sl;118:16; Sl.145:1; Is.2:11; Is.2:17; Is.5:16; Is.26:11; Is.33:3; Is.33:5; Is.33:10; Mq.5:9; Forma
clara de exaltação ao Messias (1 Sm.2:10; 2 Sm.22:47; Sl.18:46; Sl.46:10; Sl.89:19; Sl.89:24; Is.42:1-
2; Is.52:13; At.2:33; Fp.2:9); * As pessoas (homens e mulheres) poderão ser exaltadas pelos
homens e por Deus como Israel pela graça de Deus e pelo fruto da obediência, súplica, sujeição
ao Senhor e por boas obras. (Nm.24:7; Dt.28:1; 1 Sm.2:7-8; 2 Sm.5:12; 2 Sm.22:49; 1 Cr.14:2; 1
Cr.25:5; 1 Cr.29:11; 2 Cr.17:6; 2 Cr.32:23; 2 Cr.32:26; Et.3:1; Et.5:11; Et.10:2; Jó.5:11; Jó.22:29;
Jó.36:7; Sl.3:3; Sl.4:6; Sl.18:48; Sl.28:9; Sl.30:1; Sl.34:3; Sl.37:34; Sl.75:6-7; Sl.75:10; Sl.89:17;
Sl.92:10; Sl.110:7; Sl.112:9; Pv.4:7-8; Pv.11:11; Pv.14:34; Is.40:4; Ez.21;26; Os.13:1; Zc.14:10;
Mt.23:12; Lc.14:11; At.13:17; Rm.11:13; 2 Co.11:7; 2 Co.12:7; Tg.1:9; Tg.4:10; 1 Pe.5:7); * Exaltar de
forma inapropriada de exaltação pessoal ou não exaltação a Deus: (Ex.9:17; Dt.32:27; 1 Rs.9:8-9;
2 Cr.7:21-22; 2 Cr.26:16; 2 Cr.32:25; Jó.17:4; Jó.24:24; Sl.12:8; Sl.13:2; Sl.66:7; Sl.89:42; Sl.140:8;
Pv.17:19; Pv.18:12; Pv.19:18; Pv.30:32; Is.2:12; Is.3:16-17; Is.14:13; Jr.51:3; Lm.2:17; Ez.31:14;
Dn.5:20; Os.11:7; Zc.12:7; Lc.18:14; 2 Co.11:20);
e) DIFERENCIAÇÃO ENTRE EXALTAR E ADORAR:
Exaltar a Deus faz parte da sua adoração, mas não significa exaltar-se a si mesmo na
adoração, como se merecesse algo da parte de Deus pelo ato de adorar; significa priorizar e
colocar a Deus acima de si mesmo.

3) O ATO DE EXULTAR:
a) NO DICIONÁRIO: (latim exsultare.) – significa sentir e manifestar grande júbilo ou alvoroço;
jubilar-se; alegrar-se ou regozijar-se ao extremo.

www.discipuladosemfronteiras.com 2
DISCIPULADO SEM FRONTEIRAS
Orientando Vidas em Amor

b) NO HEBRÁICO - ANTIGO TESTAMENTO:


* lyg giyl ou (por permuta) lwg guwl - alegrar, exultar, estar contente; se alegrar ou tremer (de
medo)- Sl.16:9);
* zle ‘alaz - exultar, jubilar, triunfar (Sl.28:7);
* Ule ‘alats - regozijar-se, exultar (Pv.11:10);
* lhu tsahal - relinchar, gritar estridentemente (homens em comparação com cavalos) em
angústia ou em espírito abrilhantado por vitória (Is.12:6);
* zyle ‘alliyz - exultante, jubilante (Is.32:13);
* xup patsach – como levar a romper ou explodir, irromper, exclamar, quebrar (Is.54:1);
* xms samach - regozijar-se, estar alegre (arrogantemente ou religiosamente (Zc.2:10);
* ewr ruwa‘ - gritar, bradar, tocar (trombeta); dar um brado de guerra ou grito de alarme na batalha
em triunfo (sobre inimigos); aclamar (com motivação religiosa), clamar de angústia ou exprimir um grito
em triunfo de alegria pelo inimigo destruído (Zc.9:9);
* Nnr ranan – dominar; grito retumbante (de entoar, de alegria, exaltação, tristeza), como gritar alto
(em convocações, exortação de sabedoria) (Sl.32:11);
* sws suws ou sys siys - regozijar, demonstrar alegria (Is.66:10);
* dgn nagad – indica contar, tornar conhecido, declarar, anunciar, relatar, expor, publicar, declarar,
proclamar, admitir, reconhecer, confessar, publicar como mensageiro (Sl.75:9);
* Nnr rannen de ranan – indicando grito, brado (Is.35:2);

c) NO GREGO – NOVO TESTAMENTO:


rhgnumi rhegnumi ou rhssw rhesso - rasgar, romper ou estourar, rebentar, quebrar; partir em
* rhgnumi
pedaços - irromper em alegria, de infantes ou pessoas mudas começando a falar; assemelhar-se num
sentido negativo, agitar-se como se contorce, convulsiona como possessão e/ou epilepsia) (Gl.4:27);
* agalliaw agalliao de agan (muito) - exultar, regozijar-se extremamente, estar cheio de alegria,
ter alegria excessiva (Mt.5:12);
* skirtaw skirtao semelhante a skairo (saltar) - saltar (Lc.6:23);
* anakuptw anakupto (sentido de reverter quadro) levantar ou erguer-se do próprio corpo, da
própria alma e ser elevado ou exaltado (Lc.21:28);
* eufrainw euphraino - alegrar, animar; estar satisfeito, ser feliz, regozijar-se (Ap.18:20);
* kauchsiv kauchesis - ato de gloriar-se (1 Ts.2:19);
* makarismov makarismos - declaração de bem-aventurança; proferir uma declaração de bem-
aventurança sobre alguém; anunciar alguém abençoado (Gl.4:15);
* kauchma kauchema - aquilo do que alguém se gloria ou pode gloriar-se, motivo ou base para
gloriar-se; jactância ou vanglória (Hb.3:6);
* agalliasiv agalliasis - exultação, extremo prazer, alegria (Em festas, as pessoas eram ungidas
com o "óleo de alegria". Paulo, em Hb 1:9, faz referência a esta cerimônia inicial de unção, e a usa
como um emblema do poder e da majestade divina para a qual o Filho de Deus foi exaltado) (Jd.1:24).

d) CARACTERÍSTICAS DO ATO DE EXULTAR NO ANTIGO E NOVO TESTAMENTOS:


* Exultação em Deus e exultação pelo Messias (1 Sm.2:1; Sl.5:11; Sl.71:23; Sl.81:1; Sl.92:4;
Sl.98:6; Sl.149:5; Is.12:6; Is.13:3; Zc.2:10; Zc.9:9; Jo.8:56;
* As pessoas (homens e mulheres) poderão se exultar em Deus como Israel pela graça de
Deus. (1 Cr.16:32; Et.8:15; Jó.3:22; Pv.11:10; Pv.23;16; Pv.28:12; Is.9:3; Is.24:14; Is.26:19; Is.35:1;
Is.42:11; Is.44:23; Is.49:13; Is.52:8-9; Is.61:7; Is.65:14; Is.65:18-19; Jr.31:12; Hc.3:18; Sf.3:14; Mt.5:12;
Lc.6:23; At.2:26);
* Exultar de forma inapropriada: (Jó.31:29; Is.23:7; Is.23:12; Is.24:8; Os.9:1; Sf.3:11; Jo.14:28);

e) DIFERENCIAÇÃO ENTRE EXULTAR E ADORAR:


Exultar em Deus faz parte da adoração, significa manifestar grande alegria pela presença
de Deus e não do que sua presença oferece, como exemplo, bênçãos e milagres que Ele opera.

4) O ATO DE JUBILAR:
a) NO DICIONÁRIO: (Do latim jubilu) - Grande contentamento; alegria intensa.

www.discipuladosemfronteiras.com 3
DISCIPULADO SEM FRONTEIRAS
Orientando Vidas em Amor

b) NO HEBRÁICO E ARAMÁICO - ANTIGO TESTAMENTO:


* Nnr ranan – dominar; grito retumbante (de entoar, de alegria, exaltação, tristeza), como gritar alto
(em convocações, exortação de sabedoria) (Lv.9:24);
* ewr ruwa‘ - gritar, bradar, tocar (trombeta); dar um brado de guerra ou grito de alarme na batalha
em triunfo (sobre inimigos); aclamar (com motivação religiosa), clamar de angústia ou exprimir um grito
em triunfo de alegria pelo inimigo destruído (Ed.3:11);
* hewrt t@ruw‘ah - alarme, aviso, som de tempestade, grito ou toque de guerra, alerta, toque
(para marcha) ou de alegria (com motivação religiosa em geral (1 Sm.4:6).
* hxms simchah - alegria, satisfação, prazer, alegria (referindo-se a Deus como feliz resultado
em assunto prazeroso (1 Sm.18:6);
* hnnr r@nanah - grito retumbante, brado (de alegria) (Jó.3:7);
* Nwss sasown ou Nss sason - alegria, contentamento, exultação, exultação, gozo (Sl.51:8);
* lyg giyl - um júbilo, um círculo, idade (Sl.65:12);
* hnr rinnah - grito retumbante referindo-se a rogo, súplica em proclamação, louvor (Sl.107:22);
* Nnr rannen - forma intensiva - grito, brado (Sl.132:16);
* xup patsach - levar a romper ou explodir, irromper, exclamar (Is.52:9);
* lwq qowl ou lq qol - significando chamar em voz alta - voz, ruído, som (de instrumento) com
leveza, ou grito sem valor (Jr.30:19);
* ddyh heydad - significa gritar - brado (do inimigo) (Jr.48:33);
* vwsm masows - exultação, alegria, regozijo (Lm.5:15);

c) NO GREGO – NOVO TESTAMENTO:


* cara chara - alegria, satisfação; a alegria recebida de você por causa ou ocasião de alegria de
pessoas que são o prazer de alguém (Mt.2:10);
* cairw chairo - regozijar-se, estar contente; ficar extremamente alegre; estar bem, ter sucesso;
em cumprimentos, saudação! No começo das cartas: fazer saudação, saudar (Lc.15:5);

d) CARACTERÍSTICAS DO ATO DE JUBILAR NO ANTIGO E NOVO TESTAMENTOS:


* Jubilar em Deus, pela sua presença (Arca, Templo e pelo Messias (1 Sm.4:5-6; 2 Sm.6:15; 1
Cr.15:28; 2 Cr.15:14; Ed.3:12-13; Sl.33:3; Sl.47:5; Sl.66:1; Sl.100:1; Ct.3:11; Sf.3:17; Lc.24:52);
* As pessoas (homens e mulheres) poderão jubilar em Deus como Israel pela graça de
Deus. (Jó.8:21; Jó.33:26; Sl.51:8; Sl.118:15; Pv.11:10; Is.35:10; Is.44:23; Is.48:20; Is.49:13; Is.51:11;);
* Jubilar de forma inapropriada - falta de júbilo: (Jó.3:7; Jó.20:5; Is.16:9-10; Jr.48:33).

e) DIFERENCIAÇÃO ENTRE JUBILAR E ADORAR:


Jubilar em Deus faz parte da adoração, significa manifestar grande alegria pela presença de
Deus como forma de proclamação de sua presença.

5) O ATO DE GLORIFICAR:
a) NO DICIONÁRIO: (Do latim eclesial glorificare.) - Prestar glória ou homenagem; dar glória,
honrar. GLÓRIA: Honra ou louvor dado a coisas (1Sm 4.21-22), a pessoas (Lc 2.32) ou a Deus (Sl
29.1; Lc 2.14). A majestade e o brilho que acompanham a revelação da presença e do poder de Deus
(Sl 19.1; Is 6.3; Mt 16.27; Jo 1.14; Rm 3.23). E o estado do novo corpo ressuscitado, espiritual e imortal,
em que os salvos serão transformados e o lugar onde eles viverão (1Co 15.42-54; Fp 3.21; Cl 3.4).

b) GLORIFICAR NO HEBRÁICO E ARAMÁICO - ANTIGO TESTAMENTO:


* dbk kabad ou dbk kabed - ser importante, digno, ser glorioso, honrado, abundante como
pesado, denso e numeroso (Ex.14:4);
* rda ‘adar - ser grande, majestoso, largo, nobre (poético) – (Ex.15:11);
* ldg gadal - crescer, tornar-se grande ou importante, promover, tornar poderoso, louvar,
magnificar, realizar coisas grandes (Sl.35:27);
* rap pa’ar - glorificar, embelezar, adornar, como quem obtém glória para si mesmo, repassando
os ramos na colheita –tradição judaica (Is.49:3);

www.discipuladosemfronteiras.com 4
DISCIPULADO SEM FRONTEIRAS
Orientando Vidas em Amor

hdy yadah - jogar, atirar, lançar de si o mal, como atirar (flechas), lançar ao chão, derrubar,
*hdy
dando graças, louvor, agradecimento, confessando o nome de Deus e o pecado (Sl.18:49);
* llh halal - brilhar (fig. do favor de Deus), luzir como louvado, ser considerado louvável, ser
elogiado, ser digno de louvor (Is.38:18);
* rdh hadar (aramaico) - glorificar a Deus (Dn.5:23);

c) GLORIFICAR NO GREGO – NOVO TESTAMENTO:


* doxazw doxazo - pensar, supor, ser da opinião; exaltar, magnificar, celebrar, honrar, conferir
honras, ter em alta estima, adornar com lustre, vestir com esplendor, tornar excelente, renomado, tornar
a dignidade e o valor de alguém ou de algo manifesto e conhecido (Jo.8:54);
* endoxazw edoxazo - glorificar, adornar com glória (2 Ts.1:10);
* sundoxazw sundoxazo – aprovar, concordar, glorificar com alguém (Rm.8:17);
* exomologew exomologeo – confessar, professar, reconhecer aberta e alegremente para a honra
de alguém: celebrar, dar louvor e prometer publicamente que fará algo, concordar, comprometer-se
com alguém (Rm.15:9);
A PALAVRA GLÓRIA NO ANTIGO TESTAMENTO:
* dwbk kabowd raramente dbk kabod - honra, abundância, riqueza, honra, esplendor,
dignidade, reputação, reverência (Gn.45:13);
* hrapt tiph’arah ou trapt tiph’ereth - beleza, esplendor, refinamento (como roupas, jóias),
posição, renome, qual atributo de Deus ou à nação de Israel, podendo indicar ostentação (Dt.26:19);
* xun netsach ou xun netsach - eminência, perpetuidade, força, vitória, duradouro, eternidade na
duração da vida, resistência em tempo, perpétuo, contínuo, eterno (1 Sm.15:29);
* ybu ts@biy - proeminência; beleza, glória, honra como o cabrito montês (2 Sm.1:19);
* dwh howd - esplendor, majestade, vigor (1 Cr.16:27);
* Nwag ga’own - exaltação, majestade, orgulho, excelência (Sl.47:4);
* ze ‘oz ou zwe ‘owz - poder, força material ou física e/ou pessoal ou social ou política (Sl.68:34);
* rdh hadar - ornamento, esplendor, honra, majestade (Sl.90:16);
* hrdh hadarah - adorno, glória, ornamentos santos (culto público) ou glória (do rei) (Pv.14:28);
* dox checed – indicando bondade, benignidade, fidelidade (Is.40:6);
* * rap pa’ar - glorificar, embelezar, adornar, como quem obtém glória para si mesmo,
repassando os ramos na colheita –tradição judaica (Is.61:3);
hn noahh significando lamentar pela glória distinta (Ez.7:11);
*hn
* harm mar’eh - vista, aparência, visão, fenômeno, aspecto, aparência como o que é visto; uma
visão sobrenatural (Ez.8:4);
* rqy y@qar (aramaico) - honra, estima (Dn.2:37);
* trda ‘addereth - glória, esplendor, magnificência (de uma videira, pastores) protetor como
manto, capa feita de pele seleta de animais ou de material fino qual veste de profeta (Zc.11:3);
A PALAVRA GLÓRIA – NOVO TESTAMENTO:
* kleov kleos - rumor, boato de uma glória, louvor (1 Pe.2:20);
* doxa doxa - opinião, julgamento, ponto de vista, estimativa, que resulta em louvor, honra, e
glória qual esplendor, brilho dos anjos, da lua, sol, estrelas como magnificência, excelência,
preeminência, dignidade, graça, majestade que pertence a Deus supremo governador, majestade no
sentido da perfeição absoluta da divindade de Cristo - Messias no seu interior absolutamente perfeito
ou em excelência pessoal para a qual Cristo foi elevado aos céus depois de ter concluído sua obra na
terra e também, a condição de gloriosa bem-aventurança a qual os cristãos verdadeiros entrarão depois
do retorno do seu Salvador do céu. (Ap.21:26).
OBSERVAÇÃO: O ATO DE GLORIAR-SE NO NOVO TESTAMENTO: (Trazer glória a si).
* kauchma kauchema - aquilo do que alguém se gloria ou pode gloriar-se, motivo ou base para
vangloriar-se (Rm.4:2);
kauchsiv kauchesis - ato de gloriar-se (Rm.15:17);
* kauchsiv
* kaucaomai kauchaomai - gloriar-se (com ou sem razão) por causa de algo em algo (2 Co.10:8);
d) CARACTERÍSTICAS DA GLÓRIA – INCLUINDO O ATO DE GLORIFICAR E O GLORIAR-SE
EM SI E/OU NO SENHOR) NO ANTIGO E NOVO TESTAMENTOS: * Referindo-se à Glória celestial,
de Deus e para Deus ajudando seu povo (Ex.14:18; Ex.15:1; Ex.15:6; Ex.15:21; Ex.16:10; Ex.24:16-
17; Ex.28:2; Ex.28:40; Ex.29:43; Ex.33:18; Ex.33:22; Ex.40:34; Lv.9:6; Lv.9:23; Lv.10:3; Nm.14:10;

www.discipuladosemfronteiras.com 5
DISCIPULADO SEM FRONTEIRAS
Orientando Vidas em Amor

Nm.14:21; Nm.16:42; Nm.20:6; Nm.27:20; Dt.5:24; 1 Sm.2:8; 1 Rs.8:11; 1 Cr.16:10; 1 Cr.16:24; 1


Cr.16:28; 1 Cr.16:29; 1 Cr.22:5; 1 Cr.29:12; 2 Cr.5:14; 2 Cr.7:1; 2 Cr.7:2; Sl.3:3; Sl.5:11; Sl.8:1; Sl.8:5;
Sl.16:9; Sl.19:1; Sl.21:5; Sl.24:7-10; Sl.26:8; Sl.29:1-3; Sl.29:9; Sl.34:2; Sl.45:3; Sl.47:4; Sl.50:15;
Sl.57:5; Sl.57:11; Sl.62:7; Sl.63:2; Sl.63:11; Sl.64;10; Sl.72:19; Sl.73:24; Sl.76:4; Sl. 79:9; Sl.84:11;
Sl.85:9; Sl.86:9; Sl.89:17; Sl.90:16; Sl.91:15; Sl.96:3,6-8; Sl.97:6; Sl.102:15-16; Sl.104:1; Sl.104:31;
Sl.105:3; Sl.107:32; Sl.108:5; Sl.111:3; Sl.112:9; Sl.113:4: Sl.115:1; Sl.138:5; Sl.145:5; Sl.145:11-12;
Sl.149:5; Pv.25:2; Is.2:10; Is.2:19; Is.2:21; Is.4:2; Is;4:5; Is.6:3; Is.11:10; Is.24:14-15; Is.24:23; Is.28:5;
Is.33:21; Is.40:5; Is.41:16; Is.42:21; Is.43:7; Is.44:23; Is.45:25; Is;46:13; Is.48:16; Is.49:3; Is.49:5;
Is.55:5; Is.58:8; Is.59:19; Is.60:1-2; Is.60:19; Is.60:21; Is.63:1; Is.63:12; Is.63:15; Is.66:5; Is.66:11;
Is.66:18; Is.66:19; Jr.4:2; Jr.9:24; Jr.13:16; Ez.1:28; Ez.3:12; Ez.3:23; Ez.8:4; Ez.9:3; Ez.10:4; Ez.10:18-
19; Ez.11:22-23; Ez.28:22; Ez.39:13; Ez.39:21; Ez. 43:2-5; Ez.44;4; Hc.2:14; Ag.1:8; Zc.2:5; Zc.2:8;
(Forma clara de exaltação do Messias, exaltado por Deus - em algumas passagens em que Jesus
faz o milagre quem é exaltado diretamente na passagem é Deus e não Jesus, porém o Senhor
Jesus é exaltado pelo Pai que através Dele se realizasse as suas maravilhas). Mt.5:16; Mt.6:13;
Mt.9:8; Mt.15:31; Mt.16:27; Mt.19:28; Mt.24:30; Mt.25:31; Mc.2:12( tb glorificam aDeus pelo acontecido);
Mc.8:38; Mc.10:37; Mc.13:26; Lc.2:9; Lc.2:14; Lc.2:32; Lc.5:25; Lc.5:26; Lc.7:16; Lc.9:26; Lc.9:31-32;
Lc.13:13; Lc.13:17; Lc.17:15; Lc.17:18; Lc.19:38; Lc.21:27; Lc.23:47; Lc.24:26; Jo.1:14; Jo.2:11;
Jo.7:18; Jo.7:39; Jo.8:54; Jo.9:24; Jo.11:4; Jo.11:40; Jo.12:16; Jo.12:23; Jo.12:28; Jo.12:41; Jo.13:31-
32; Jo.14:13; Jo.15:8; Jo.16:14; Jo.17:1,4,5; Jo.17:10; Jo.17:22; Jo.17:24; Jo.21:19; At.2:20; At.3:13;
At.4:21; At.7:2; At.7:55; At.11:18; At.13:48; At.21:20; Rm.2:7; Rm.3:7; Rm.3:23; Rm.4:20; Rm.5:2;
Rm.5:11; Rm.6:4; Rm.8:17,18,21,30; Rm.9:23; Rm.11:36; Rm.15:6-7; Rm.15:17; Rm.16:27; 1 Co.1:31;
1 Co.2:8; 1 Co.6:20; 1 Co.10:31; 1 Co.11:7; 1 Co.15:43; 2 Co.1:20; 2 Co.3:8-11; 2 Co.3:18; 2 Co.4:3-
4,6; 2 Co.4:15,17; 2 Co.8:19; 2 Co.8:23; 2 Co.9:13; 2 Co.10:17; 2 Co.11;10; Gl.1:5; Gl.1:24; Ef.1:17-18;
Ef.3:16; Ef.3:21; Fp.2:11; Fp.3:3; Fp.4:20; Cl.1:27; Cl.3:4; 1 Ts.2:12; 1 Ts.2:19; 2 Ts.1:4; 2 Ts.1:10; 2
Ts.1:12; 2 Ts.2:14; 2 Ts.3:1; 1 Tm.1:11; 1 Tm.1:17; 1 Tm.3:16; 2 Tm.2:10; 2 Tm.4:18; Tt.2:13; Hb.1:3;
Hb.2:7,9,10; Hb.3:3,6; Hb.5:5; Hb.9:5; Hb.13:21; Tg.2:1; 1 Pe.1:11; 1 Pe.1:21; 1 Pe.2:12; 1
Pe.4:11,13,14,16; 1 Pe.5:1,4,10,11; 2 Pe.1:3,17; 2 Pe.3:18; Jd.1:24-25; Ap.1:6; Ap.4:9,11; Ap.5:12,13;
Ap.11:13; Ap.14:7; Ap.15:8; Ap.18:1; Ap.19:1,7; Ap.21:11,23,24,26). * Referindo-se à glória dos
homens (pessoal) e da terra (material) (Gn.31:1; Gn.45:13; Dt.33:17; 1 Rs.3:13; 1 Cr.29:28; 2 Cr.17:5;
2 Cr.18:1; Et.1:4; Et.5:11; Jó.31:26; Sl.57:8; Sl.87:3; Sl.106:5; Pv.4:9; Pv.14:28; Pv;17:6; Pv.19:1;
Pv.20:29; Is.17:3; Is.20:5; Is.24:16; Is.25:3; Is.26:15; Is.35:2; Is.60:7; Is.60:9; Is.60:13; Is.61:6; Is.62:2;
Is.62:3; Is.63:14; Is.66;12; Ez.16:12-14; Ez.20:6; Ez.27:25; Dn.2:37; Dn.4:36-37; Dn.5:18; Dn.11:16;
Dn.11:20; Dn.11:41; Os.14:6; Am.8:7; Mq.1:15; Ag.2:3, 7-9; Mt.4:8; Mt.6:2; Mt.6:29; Lc.12:27; Jo.5:41;
Jo.7:18; Jo.8:50; Rm.2:10; Rm.2:17; Rm.5:3; 1 Co.2:7; 1 Co.15:31; 1 Co.15:40-41; 2 Co.1:12-14; 2
Co.3:7; 2 Co.5:12; 2 Co.7:14; 2 Co.8:24; 2 Co.9:1-4; 2 Co.10:8; 2 Co.10:13; 2 Co.11:12,16-18, 30; 2
Co. 2 Co.12:5,6,9,11(são todos os capítulos ou?); Ef.3:13; Fp.1:26; Fp.3:21; Fp.4:19; Cl.1:11; 1 Ts.2:6;
1 Ts.2:20; Tg.1:9; 1 Pe.1:8; 1 Pe.1:24). * Impedimentos à Glória, forma inapropriada ou envolvendo
castigo da parte de Deus (Gn.49:6; Ex.14:4; Ex.14:17; Ex.16:7; Nm.14:22; Nm.16;19; Dt.28:58;
Js.7:19; Jz.7:2; 1 Sm.4:21-22; 1 Sm.6:5; 2 Rs.14;10; 2 Cr.25:19; 2 Cr.32:27; Jó.40:10; Sl.4:2; Sl.7:5;
Sl.10:3; Sl.49:6-7; Sl.49:16-17; Sl.52:1; Sl.78:61; Sl.89:44; Sl.94:4; Sl.97:7; Sl.106:20; Pv.25:6;
Pv.25:27; Pv.28:12; Is.3:8; Is.8:7; Is.10:3; Is.10:15-16; Is.10:18; Is.13:19; Is.16:14; Is.17:4; Is.21:16;
Is.22:18; Is.23:9; Is.28:1; Is.28:4; Jr.2:11; Jr.9:23; Jr.13:18; Jr.13:20-21; Jr.17:12; Jr.22:18; Jr.48:2;
Jr.48:18; Jr.49:4; Jr.51:41; Lm.2:1; Ez.7:20; Ez.20:15; Ez.24:21; Ez.24:25; Ez.25:9; Ez.26:20; Ez.31:18;
Dn.4:30; Dn.5:20; Dn.5:23; Dn.11:45; Os.9:11; Os.10:5; Mq.2:9; Hc.2:16; Zc.11:3; Zc.12:7; Mt.4:8;
Lc.4:6; Jo.12:43; At.12:23; Rm.1:21; Rm.1:23; Rm.2:23; Rm.4:2; Rm.11:18; 1 Co.1:29; 1 Co.3:21; 1
Co.4:7; 1 Co.9:15-16; 2 Co.4:3-4; 2 Co.5:12b; 2 Co.10:15-16; Gl.6:4,13-14; Ef.2:8-9; Fp.2:16; Fp.3:19; 2
Ts.1:9; Tg.3:5; Tg.3:14; Tg.4:16; 1 Pe.2:20; Ap.16:9; Ap.18:7).
e) DIFERENCIAÇÃO ENTRE GLORIFICAR E ADORAR:
Glorificar a Deus faz parte da adoração, significa honrar sua presença em
comprometimento de confessar o nome do Senhor e o seu pecado diante DELE, entregando-se
ao seu julgamento.
f) DIFERENCIAÇÃO ENTRE GLORIAR E ADORAR:
Gloriar-se em Deus faz parte da adoração, significa honrar a presença de Deus em si
mesmo, como alcançado e reconhecedor da graça divina que justifica, redime e santifica,
sabendo que está em posição espiritual diferente dos ímpios que rejeitam a Deus e a Cristo.

www.discipuladosemfronteiras.com 6
DISCIPULADO SEM FRONTEIRAS
Orientando Vidas em Amor

6) O ATO DE ENGRANDECER:
a) NO DICIONÁRIO: (Tornar maior e elevar em dignidade, honra, etc.).

b) O SER GRANDE, NO HEBRÁICO E ARAMÁICO - ANTIGO TESTAMENTO:


* lwdg gadowl ou (forma contrata) ldg gadol - grande (em magnitude e extensão), número,
intensidade, alto (em som), velho(idade),importância,distinto entre homens, o próprio Deus (Ex.14:31);
* br rab - muito grande, abundante, bastante, maior, muito, excessivamente qual chefe (Ex.34:6);
* Uyma ‘ammiyts ou (forma contrata) Uma ‘ammits - forte, poderoso (Jó.9:4);
* rybk kabbiyr - poderoso, grande, forte, vários, muito (Jó.36:5);
* aygs saggiy’ - grande (referindo-se a Deus) (Jó.37:23);
* bwj towb – grande em bondade, amável, excelente, rico, considerado valioso, apropriado,
conveniente, correto bem moral (Sl.109:21);
* rbg gabar - prevalecer, ser forte, ser poderoso, ser valente, ser grande (Sl.117:2);
* Mue ‘atsam - ser grande, numeroso, poderoso o qual não se pode entender (Sl.139:17);
* br rob - numeroso, abundante, grandeza (Is.40:26);
* br rab (aramaico) – grande; (fig. de poder) (Dn.2:45);
* dam m@‘od - extremamente, muito em poder, força, abundância grande quantidade, força,
abundância, grandemente, muito (expressões idiomáticas mostrando magnitude ou grau) extremamente
em abundância, em grau elevado, excessivamente denotando a grandeza divina (Ex.19:18);
* ldg godel – grandeza; magnitude, magnificência (Nm.14:19);
hlwdg g@duwlah ou (forma contrata) hldg g@dullah ou (menos preciso) hlwdg g@duwllah
*hlwdg
- grandeza referindo-se à grandeza de Deus (como um atributo) (2 Sm.7:21);
* hbg gobahh - altura, exaltação, grandeza (Jó.40:10);
* ryda ‘addiyr ad-deer’ Deus é grandioso, grande, majestoso acima de todos e de tudo (Is.33:21);

b.1) O ATO DE ENGRANDECER, NO HEBRÁICO E ARAMÁICO - ANTIGO TESTAMENTO:


* htp pathah – ser simples,sujeito,deixando-se persuadir, como forma de engrandecer (Gn.9:27);
* bhy yahab - dar, prover, vir, pôr, colocar, atribuir (glória) (Dt.32:3);
* ldg gadal – o que faz crescer, tornar-se grande ou importante, promover, tornar poderoso,
louvar, magnificar, realizar coisas grandes (Ml.1:5);
* hbr rabah - ser ou tornar-se grande, ser ou vir a ser muitos, ser ou tornar-se muito, ser ou vir a
ser numeroso (2 Sm.22:36);
* Mwr ruwm - criar (filhos), fazer crescer, levantar, erguer, exaltar, enaltecer (Is.1:2);

c) O SER GRANDE, NO GREGO – NOVO TESTAMENTO:


* megav megas (incluindo as formas prolongadas, feminino megale, plural megaloi (grande, de
forma externa ou aparência sensível das coisas (ou de pessoas), referindo-se ao espaço e suas
dimensões, com referência a massa e peso, limite e extensão: largo, espaçoso; medida e altura: longo;
estatura e idade: grande, velho; de número e quantidade: numeroso, grande, abundante, também se
referindo às afeições e emoções da mente, de eventos naturais que afetam poderosamente os
sentidos: violento, poderoso, forte pela habilidade, virtude, autoridade, poder e importância, excelente,
digno como a majestade de Deus (Mt.4:16);
* poluv polus - numeroso, muito, grande (Mc.13:26);
* ikanov hikanos de hiko [hikano ou hikneomai - chegar) – bastante, suficiente em habilidade,
adequado, próprio (At.22:6);
* thlikoutov telikoutos o feminino thlikauth telikaute - de tão grande proporção, em grandes
quantidades como algo eterno (Hb.2:3);
* phlikov pelikos - que denota magnitude num sentido ético: quão distinto (Hb.7:4);

c.1) O ATO DE ENGRANDECER, NO GREGO – NOVO TESTAMENTO:


* megalunw megaluno -tornar grande, magnificar, tornar distinto, julgar e declarar grande; estimar
muito, exaltar, louvar, celebrar, obter glória e louvor (Lc.1:46);

www.discipuladosemfronteiras.com 7
DISCIPULADO SEM FRONTEIRAS
Orientando Vidas em Amor

d) CARACTERÍSTICAS DO ATO DE ENGRANDECER PELA GRANDEZA DE DEUS NO


ANTIGO E NOVO TESTAMENTOS:* Referindo-se à grandeza de Deus em seus atributos e atos
(Ex.15:7; Ex.15:16; Ex.34:6; Nm.14:18-19; Dt.3:24; Dt.4:7; Dt.4:37; Dt.5:22; Dt.5:24; Dt.7:21; Dt.9:26;
Dt.9:29; Dt.10:17; Dt.11:2; Js.7:9; 1 Sm.4:8; 1 Sm.12:22; 2 Sm.7:21-22; 1 Rs.8:42; 1 Cr.17:19; 2
Cr.6:32; Ed.5:8; Ne.1:5; Ne.1:10; Ne.4:14; Ne.8:6; Ne.9:17; Ne.9:27; Ne.9:31-32; Jó.5:9; Jó.9:10;
Jó.23:6; Jó.31:26; Jó.36:5; Jó.36:26; Jó.37:5; Jó.37:23; Sl.5;7; Sl.21:5; Sl.31:19; Sl.47:2; Sl.48:2;
Sl.57:10; Sl.65:9; Sl.66:3; Sl.69:13; Sl.76:1; Sl.77:13; Sl.79:11; Sl.86:10; Sl.86:13; Sl.86:15; Sl.92:5;
Sl.95:3; Sl.99:2; Sl.103:8; Sl.103:11; Sl.135;5; Sl.138:5; Sl.145:8; Sl.147:5; Is.12:5-6; Is.28:29; Is.55:7;
IS.63:1; Jr.10:6; Jr.27:5; Jr.32:18; Jr.32:19; Jr.36:7; Jr.44:26; Lm.3:23; Lm.3:32; Ez.36:23; Dn.2:45;
Dn.4:3; Dn.9:4; Os.8:12; Jl.2:13; Jn.4:2; Na.1:3; Zc.9:17; Ml.1:11; Ml.1:14; Forma clara de exaltação
ao Messias Mt.4:16; Mt;9:36; Mt.24:30; Mt.27;50; Mc.1:41; Mc.5:19-20; Mc.13:26; Mc.15:37; Lc.1:15;
Lc.1:32; Lc.1:49; Lc.7:16; Lc.8:39; Lc.21:27; Lc.22:44; Lc.23:46; At.2:11; At.4:33; At.8:13; At.14:27;
At.15:4; At.15;12; At.18:28; At.22:6; Ef.1:19; Ef.5:32; 1 Ts.2;2; 1 Tm.3:16; Tt.2:13; Hb.2:3; Hb.4:14;
Hb.13:20; 1 Pe.1:3; 2 Pe.1:4; 1 Jo.3:1; Ap.11:17; Ap.15:3; Ap.19:6; Ap.20:11).

e) DIFERENCIAÇÃO ENTRE ENGRANDECER E ADORAR:


Engrandecer a Deus faz parte da adoração, significa entender a grandeza de Deus,
sujeitando-se, debaixo do seu poderio como filho e servo, que o estima e declara sua majestade;

7) O ATO DE CELEBRAR:
a) NO DICIONÁRIO: (Do latim Celebrare - Acolher com festejos, comentários, demonstrações
ruidosas; Comemorar, festejar; Fazer realizar com solenidade; promover, patrocinar).

b) NO HEBRÁICO E ARAMÁICO - ANTIGO TESTAMENTO:


* hse ‘asah - fazer, realizar, atender a, pôr em ordem; observar, celebrar (Dt.16:1);
* vdq qadash - consagrar, santificar, preparar, dedicar, apresentar-se sagrado (Is.30:29);
* ggx chagag - realizar uma festa, realizar um festival, fazer peregrinação, realizar uma festa de
peregrinação, celebrar, dançar, cambalear como quem rodopia (Na.1:15);
* llh halal -brilhar (fig. do favor de Deus); digno de gloria (2 Sm.14:25);
* rkz zakar - lembrar, recordar, trazer à mente, mencionar, registrar, fazer memorial (Ex.20:24);
* hdy yadah - lançar-se ao chão, dar graças, louvar, confessar o nome de Deus (Sl.33:2);
* ewr ruwa‘ - gritar, dar um grito, bradar, tocar (trombeta); gritar em triunfo (sobre inimigos) e
aclamar (com motivação religiosa) - (Sl.47:1);
* ryv shiyr ou rwv shuwr (1Sm 18.6) - idéia de cantores ambulantes –cantar no sentido de
celebrar (Jó.36:24);
* rpo caphar - contar, relatar, recontar, narrar, declarar como homem sábio, escriba (Is.43:21);
* dbe ‘abad (aramaico) - fazer, realizar, ser transformado como algo feito, elaborado, realizado,
executado, cumprido para Deus (Ed.6:16);
* tbv shabath – guardar, observar sábado no sentido de celebrar o descanso de Deus
(Lv.23:32);
* Nnr ranan - dar grito retumbante (alegria, exaltação, como quem faz soar, entoar de júbilo)
(Sl.20:5);
* hgh hagah - proferir, falar, meditar, inventar, imaginar, refletir, proferir (Sl.35:28);
* hne ‘anah - falar, testificar, responder como testemunha; cantar, exprimir de forma melodiosa e
habitar perante sua presença (Sl.119:172);
* tma ‘emeth - firmeza, fidelidade, verdade; certeza, credibilidade; estabilidade, constância;
confiabilidade como a doutrina ética (Sl.71:22);
* bjy yatab - ser bom, ser agradável, estar bem, estar satisfeito, contente, jubilar (1 Rs.1:47);

c) NO GREGO – NOVO TESTAMENTO:


ginomai ginomai - tornar-se; existir; receber a vida e assim, aparecer na história, aparecer no
* ginomai
cenário para Deus (Mt.26:2);
* poiew poieo - produzir, construir, formar, modelar, tornar pronto, preparar, agir corretamente,
fazer e, também, instituir, a celebração da páscoa como quem cumpre uma promessa (Mt.26:18);
* eortazw heortazo - guardar um dia de festa, celebrar uma festa (1 Co.5:8);

www.discipuladosemfronteiras.com 8
DISCIPULADO SEM FRONTEIRAS
Orientando Vidas em Amor

d) CARACTERÍSTICAS DO ATO DE CELEBRAR NO ANTIGO E NOVO TESTAMENTOS:


* Referindo-se à celebrar a Deus em seus atributos e atos (Ex.5:1; Ex.10:9; Ex.12:14;
Ex.12:48; Ex.20:24; Ex.23:14; Ex.31:16; Lv.23:32; Lv.23:39; Lv.23:41; Nm.9:2-6;10-14; Nm.29:12;
Dt.16:1,10,13,15; Js.5:10; Jz.21:19; 1 Rs.8:65; 2 Rs.23:21; 2 Rs.23:22-23; 2 Cr.7:8-9; 2 Cr.30:1-5; 2
Cr.30:23; 2 Cr.35:1,16-19; Ed.3:4; Ed.6:19; Ed.6:22; Ne.8:18; Sl.30:4; Sl.66:1; Sl.68:26; Sl.100:1;
IS.30:29; Na.1:15; Zc.14:16-19; Forma e exaltação ao Messias Mt.22:2; Mt.26:18; Hb.11:28);

e) DIFERENCIAÇÃO ENTRE CELEBRAR E ADORAR:


Celebrar a Deus faz parte da adoração, significa ter uma disposição e ação para festejar o
ato de Cristo e o amor de Deus e o amparo do Espírito Santo como uma promessa a cumprir, de
forma constante, envolvendo sua vida por completo.

8) O ATO DE ACLAMAR (APLAUDIR / BATER PALMAS):


a) NO DICIONÁRIO: (Aplaudir ou aprovar entusiasticamente por meio de brados ou aplausos;
saudar calorosamente; reconhecer solenemente; levantar clamor em sinal de glorificação a Deus).

b) NO HEBRÁICO E ARAMÁICO - ANTIGO TESTAMENTO:


* arq qara’ - idéia de dirigir-se a uma pessoa ao encontrá-la - chamar, clamar, gritar (por socorro),
invocar (o nome de Deus) – (2 Sm.12:28);
* ewr ruwa‘ - gritar, dar um grito, bradar, tocar (trombeta); gritar em triunfo (sobre inimigos) e
aclamar (com motivação religiosa) - (Sl.66:1);
* xup patsach - levar a romper ou explodir, irromper, exclamar (Sl. 98:4);
* hewrt t@ruw‘ah - alarme, aviso, som como toque ou alarme de guerra, sendo grito de alegria
(com motivação religiosa) (Nm.23:21);
* hevt t@shu’ah – (Mau sentido) - barulho, gritaria (Zc.4:7);
* hur ratsah - estar contente,ser favorável, aceitar favoravelmente, saldar (aplaudir) – (Sl. 49:13);

b.1) BATER PALMAS NO HEBRÁICO E ARAMÁICO - ANTIGO TESTAMENTO:


* qpo caphaq ou qps saphaq (1Rs 20.10; Jó 27.23; Is 2.6) - bater palmas, que neste caso não
indica aplaudir (Nm.24:10);
* hkn nakah - bater palmas, aplaudir com força (2 Rs.11:12);
* eqt taqa‘ - bater palmas, fazer soar, manifestar comprometimento (Sl.47:1);
* axm macha’ – bater palmas de alegria e de júbilo (Sl.98:8);

c) CARACTERÍSTICAS DO ATO DE ACLAMAR (APLAUDIR / BATER PALMAS) NO ANTIGO E


NOVO TESTAMENTOS:
* Refere-se a aclamar a Deus pelos atributos,atos (Nm.23:21; Sl.47:1; Zc.4:7; Sl.98:8; Is.55:12);
* Bater palmas (outros motivos): (Nm.24:10; 2 Rs.11:12; Jó.27:23; Jó.34:37; Lm.2:15; Na.3:19;

d) DIFERENCIAÇÃO ENTRE APLAUDIR E ADORAR:


Só há uma correlação direta entre aplaudir e adorar a Deus, no sentido de procurar
despertar outros e manifestar comprometimento e alegria pela sua presença, no sentido de,
entendendo o significado de palmas (das mãos), inclinar, prostrar e reconhecer a Deus através
obras de nossas mãos; no grego, mãos simbolizam a idéia de cavidade para apertar, indicando
ajuda ou ação de alguém, simbolizando a força, atividade, poder de Deus em criar, sustentar,
preservar, castigar, determinar e controlar os destinos dos seres humanos.
O Salmo 47:1 é uma das poucas citações bíblicas referindo-se a pessoas aplaudindo e não
especifica que se possa ou não aplaudir durante um culto de adoração. Ele tem seu paralelo com
“aclamai a Deus com voz de júbilo”, já que gritando a Deus ou ruído gozoso é simplesmente cantar,
igualmente bater palmas também denota uma figura de linguagem numa expressão idiomática de gozo
que o salmista teve que escolher para que rimasse com a outra expressão de gozo durante o canto.
Há um grande perigo do ato de bater palmas durante o culto de adoração possa mudar o
teor da música e do canto e passar a ser entretenimento, pois os músicos ou vocalistas não
necessitam ser aplaudidos, já que não atuam para os homens, senão para Deus, cantando “a

www.discipuladosemfronteiras.com 9
DISCIPULADO SEM FRONTEIRAS
Orientando Vidas em Amor

glória de Seu nome”, fazendo “gloriosa Sua adoração” (Salmo 66.2), e não para a glória do
homem; quando não há um propósito de estar na presença de Deus, adorando-o, o bater palmas
significa apenas barulho carnal.

9) O ATO DE SAUDAR:
a) NO DICIONÁRIO: (Dar testemunho exterior de respeito ou adesão, dando sinais de alegria).

b) NO HEBRÁICO E ARAMÁICO - ANTIGO TESTAMENTO:


* lav sha’al ou lav sha’el - inquirir, consultar (referindo-se à divindade, oráculo), bem como
indagar, indagar cuidadosamente sobre algo a alguém ou sobre alguém (1 Sm.30:21);
* Krb barak – ajoelhar, abençoar (2 Rs.10:15);

c) NO GREGO – NOVO TESTAMENTO:


* aspazomai aspazomai - aproximar-se e saudar alguém, cumprimentar, dar cumprimentos de
boas vindas, desejar o bem, receber alegremente, dar boas vindas como quem vai ao encontro de
outra; daqueles que visitam alguém para vê-lo por um pouco, partindo logo depois; pagar respeitos a
um pessoa distinta ao visitá-la; daqueles que cumprimentam alguém que encontram no caminho
(apesar de que no Oriente, cristãos e muçulmanos não se cumprimentavam um ao outro); uma
saudação era feita não meramente por um pequeno gesto e poucas palavras, mas geralmente por
abraços e beijos, uma viagem freqüentemente atrasava por causa das saudações. (Lc. 1:40);
* legw lego - dizer, falar, apontar com palavras, intentar, chamar pelo nome (Mc. 14:45);

d) CARACTERÍSTICAS DO ATO DE SAUDAR NO ANTIGO E NOVO TESTAMENTOS:


* Envolvendo o Messias: (Mt.26:49; Mt.28:9);
* Envolvendo a Igreja (Rm.6:16; Rm.16:22; 1 Co.16:20; 2 Co.13:12; Fp.4:21).

e) DIFERENCIAÇÃO ENTRE SAUDAR E ADORAR: Só há uma correlação direta entre saudar


e adorar a Deus, no sentido de procurar consultar e indagar sobre Cristo a Ele mesmo (quando
estava em carne) e em sua presença, a igreja o adorava, mas quando não há este entendimento
sobre estar na presença de Cristo, significa apenas palavras vãs.

10) RELACIONANDO OS ATOS DA 1ª. PARTE (bendizer, exaltar, exultar, jubilar, glorificar,
engrandecer, celebrar, aclamar (aplaudir/bater palmas), saudar) COM ADORAÇÃO E O LOUVOR:
NUMA ADORAÇÃO A DEUS, DEVEMOS, PODEMOS E PRECISAMOS:
a) Bendizer a Deus (reconhecendo-o e manifestando-lhe gratidão) - ainda que isso não seja
louvor - Bendizer e louvar como atos distintos: (1 Cr.16:36; 1 Cr.29:10; 2 Cr.5:13; Ne.9:5; Sl.66:8;
Sl.100:4; Sl.106:48; Sl.115:18; Sl.135:20-21; Sl.145:2; Sl.145;10; Dn.4:34; Lc.24:53);

b) Exaltar a Deus (priorizando e colocando a Deus acima de nosso EGO) - ainda que isso
não seja louvor - Exaltar e louvar como atos distintos (Dt.26:19; Ne.9:5; Sl.21:13; Sl.27:6; Sl.118:28;
Sl.148:13-14; Is.25:1);

c) Exultar em Deus (manifestando grande alegria pela presença acima das bênçãos que Ele
oferece) - ainda que isso não seja louvor - Exultar e louvar como atos distintos (Sl.68:4; Sl.98:4;
Jr.31:7);

d) Jubilar em Deus (manifestando grande alegria pela presença de Deus, proclamando sua
presença) - ainda que isso não seja louvor - Jubilar e louvar como atos distintos (Sl.27:6;
Jr.30:19);

e) Glorificar a Deus (em sua presença, em comprometimento de confessar o nome do


Senhor e o seu pecado diante dEle, entregando-se ao seu julgamento) - ainda que isso não seja
louvor - Glorificar e louvar como atos distintos (Ex.15:11;Dt.26:19; 1 Cr.29:13; 2 Cr.7:3; Ne.9:5;
Sl.22:23; Sl.30:12; Sl.50:23; Sl.66:2; Sl.71:8; Sl.75:1; Sl.86:12; Sl.108:1; Sl.148:13; Sl.149:9; Is.38:18;

www.discipuladosemfronteiras.com 10
DISCIPULADO SEM FRONTEIRAS
Orientando Vidas em Amor

Is.42:8; Is.42:12; Is.61:3; Is.64:11; Jr.13:11; Jr.30:19; Jr.33:9; Dn.4:34; Hc.3:3; Lc.2:20; Lc.18:43;
Rm.15:9; Ef.1:6; 12,14; Fp.1:11; 1 Pe.1:7).

f) Nos gloriar em Deus (em sua presença, como alcançados reconhecedores da sua graça
que nos justifica, redime e santifica, sabedores de nossa posição espiritual diferente dos ímpios
que rejeitam a Deus e a Cristo) - ainda que isso não seja louvor – (1 Cr.16:35; Sl.44:8; Sl.106:47);

g) Engrandecer a Deus (entendendo a grandeza de Deus, sujeitando-se, debaixo do seu


poderio como filho e servo, que o estima e declara sua majestade) - ainda que isso não seja
louvor - Engrandecer e louvar como atos distintos (Dt.10:21; 1 Cr.16:25; Sl.22:25; Sl.35:18; Sl.43:4;
Sl.48:1; Sl.96:4; Sl.99:3; Sl.109:30; Sl.112:1; Sl.117:2; Sl.145:3; Sl.150:2; Is.63:7; Ap.19:5).

h) Celebrar a Deus (tendo uma disposição e ação para festejar o ato de Cristo e o amor de
Deus e o amparo do Espírito Santo como uma promessa a cumprir, de forma constante,
envolvendo nossa vida por completo) - ainda que isso não seja louvor – Celebrar e louvar como
atos distintos (1 Cr.16:4; 1 Cr.23:30; 2 Cr.30:21; Sl.35:18; Sl.95:2; Rm.15:11).

i) Aplaudir a Deus (procurando despertar outros e manifestar comprometimento e alegria


pela sua presença, no sentido de, entendendo o significado de palmas (das mãos), inclinar,
prostrar e reconhecer a Deus através obras de nossas mãos) – sem referência ao louvor;

j) Saudar a Deus (consultando e indagando sobre Cristo a Ele mesmo, pelo Espírito Santo)
- sem referência ao louvor.

11) ALGUMAS VERDADES INSERIDAS NA PRÁTICA DA ADORAÇÃO:


a) HÁ UMA SERIEDADE ESPIRITUAL DEVIDA À ADORAÇÃO:
As pessoas imaginam que, se elas freqüentarem um culto religioso, forem reverentes em
seu comportamento, participarem do período de hinos, ouvirem respeitosamente o pregador, e
contribuírem com ofertas, então realmente adoraram a Deus. Pobres almas iludidas... Um
engano que é levado adiante pelo falso-profeta e explorador do dia.
Contra toda esta ilusão, temos as palavras de Cristo em João 4.24, que são surpreendentes em
seu caráter restritivo e pungente: “Deus é Espírito, e importa que os que o adoram o adorem em espírito
e em verdade” Para podermos adorar a Deus verdadeiramente temos que estar "em espírito", movidos
e feito por aquela nova natureza nascida de Deus no crente. Isto seria visto naquele que é separado do
mundo e obediente à Palavra de Deus.
A adoração verdadeira está dividida em dois pontos (espírito e verdade) devemos entender
que um não existe sem o outro. Importa a Deus que os que O adoram O adorem tanto em
espírito quanto em verdade. Quando adoramos o Senhor somente em um ponto, estamos
adorando incorretamente.
A Bíblia é a única regra de fé e ordem para o crente e isso também vale para a adoração. Tendo a
adoração verdadeira - em espírito e em verdade - o Cristão pode adorar durante um dilúvio,
peregrinação no deserto, na fornalha, na cova dos leões, em prisões ou exilado em uma ilha.
É necessário estarmos em Cristo e Ele em nós é isso se evidencia em uma vida obediente,
pois a adoração verdadeira nunca pode agir contrariamente aos ensinamentos de Cristo ou
exemplificar outra vida se não a de Cristo. Excluir a obediência da Palavra de Deus (Cristo) seria
uma abominação para Deus, bem como substituir as Escrituras Sagradas por algo diferente.
Uma sensível atenção, um estudo constante, uma meditação contínua em conjunto com
uma obediência temente à verdade, a Palavra de Deus, é essencial para uma adoração
verdadeira; é certo que podemos ser menos espirituais que Cristo, mas de nenhum jeito
podemos ser tão espirituais para que a obediência à verdade torne-se desnecessária:

CARACTERÍSTICAS DESSA SÉRIA REALIDADE ESPIRITUAL:O QUE DEVEMOS SABER:


* Devemos saber que Deus tem um Plano para as nações, onde Ele deve ser cultuado de
modo exclusivo, em uma totalidade, numa linguagem de amor num sacrifício pessoal e constante,
implicando numa relação de profundo amor ao Senhor e ao próximo (I João 4:20).

www.discipuladosemfronteiras.com 11
DISCIPULADO SEM FRONTEIRAS
Orientando Vidas em Amor

* Devemos saber que todo adorador é um canal do amor divino, por isso Deus procura
pessoas por meio dos quais o seu amor e a sua glória possam fluir, abençoando, curando e enchendo a
terra, como a resposta para essa procura de Deus.
* Devemos saber que a adoração é uma reação, onde os adoradores devem ser íntimos de
Deus, com maturidade em apresentação diante de Deus, tomando uma atitude em relação à cultura
secular, se renovando do que provém do conhecimento da palavra, possuindo identidade cristã
genuína.
* Devemos saber que a adoração envolve amar a Deus acima de tudo, expressando gratidão,
obediência, confiança, alimentando a mente para se proteger contra a tentação, buscando a maneira a
escolha de literatura e música que não afetem de maneira negativa a espiritualidade, assumindo o
compromisso de aplicar o amor de Deus em tudo o que realizar.
* Devemos saber que a adoração envolve se aprofundar na amizade com Deus, na
preocupação constante de agradá-lo e de aprender diante DELE em como se doar, se oferecendo
completamente a Deus como sacrifício vivo dedicado ao seu serviço, pois Deus não quer ter comunhão
com seus filhos apenas nos cultos, mas em todos os momentos de suas vidas. Deus quer que seus
filhos transformem o ato de adorar num estilo de vida, ou seja, uma vida de contínua adoração. A
relação do adorador com Deus deve ser renovada e estreitada dia após dia.
* Devemos saber que precisamos conhecer Sua natureza e caráter, para adorá-lo de maneira
mais significativa: - Em Meditação - A meditação nos prepara para gozarmos da comunhão com Deus.
É o tempo que usamos a imaginação para trazer à mente tudo o que Deus já fez e fará por nós. A
meditação produz a expectativa que alimenta a esperança do adorador, que resulta num culto alegre e
de celebração. Conseqüentemente, nossos cultos na igreja devem ser elaborados visando também
expectativas dos ouvintes: participação e entusiasmo.
- Em Reconhecimento - Reconhecer a nossa inferioridade e a superioridade de Deus, colocando-
nos à Sua inteira disposição. A idéia básica é a de submissão. O gesto de curvar-se diante de uma
pessoa e ir até o ponto de beijar os seus pés;
- Em Serviço - Como o corpo entregue a Deus como sacrifício vivo, santo e agradável. Ofertar a
Ele toda a nossa potencialidade, capacidade, inteligência, energia, experiência e dedicação. Servir,
como reconhecimento da transformação que Ele operou em minha vida. Ele merece o melhor do meu
serviço, como forma de gratidão.
- Em Reverência – Em reverente preocupação de fazer o que agrada a Deus, e fugir do que
agrada ao diabo. Temos de reconhecer não apenas a Sua bondade, como também Sua severidade
(Romanos 11:22 - considerai a bondade e a severidade de Deus). Reconhecer Sua justiça (Hebreus
10:31) - terrível coisa é cair nas mãos do Deus vivo). A santidade de Deus nos estimula a obedecê-lo (I
Pedro 1:16 - sede santos, porque Eu Sou santo).
- Em Sacerdócio - Adorar é realizar serviço sacerdotal (do grego: "leitourgeo"). O serviço dos
sacerdotes no templo foi superado com o sacrifício de Cristo, o Sumo-Sacerdote, na cruz (Hebreus
7:26-28). Paulo oferecia seu serviço pastoral às igrejas, como uma oferta aceitável a Deus (Romanos
15:16). A obtenção de fundos para os carentes da igreja de Jerusalém chama-se "leitourgia" (2 Co 9:12)
. Os cristãos, quando servem aos irmãos, motivados pelo amor a Deus, exercem a "leitourgia" (Atos
13:2). Quem serve a Deus serve a igreja e vice-versa.

b) A ALMA HUMANA TEM SEDE DE DEUS: Toda pessoa normal no âmbito intelectual, moral e
espiritual sabe ou sente que o ser humano não deve sua existência ao acaso. Sabe e sente que existe
um Ser superior, Criador de todas as coisas. Ao mesmo tempo, essas pessoas se sentem atraídas;
consciente ou inconscientemente, para esse Ser superior que lhes inspira reverência, amor e o desejo
de prestar-Lhe adoração. Não é suficiente ir à casa de Deus, adorar a Deus e prestar-Lhe culto; é
necessário que essa adoração e culto sejam oferecidos a Deus e sejam aceitos por Ele, pois muitos
adoram ídolos e falsos deuses por não conhecerem ao Deus verdadeiro da Bíblia.
Nós adoramos a Deus porque Deus nos criou para adorá-lo. Adoração está no centro da
nossa existência; no coração da nossa razão de ser. Deus nos criou para ser sua imagem - uma
imagem que refletiria sua glória. Toda a criação foi trazida a existir para refletir a glória divina.

c) HÁ APARENTES MOTIVOS ENSINADOS PARA A ADORAÇÃO:

www.discipuladosemfronteiras.com 12
DISCIPULADO SEM FRONTEIRAS
Orientando Vidas em Amor

* Porque traz felicidade (Mas algumas vezes a adoração não nos faz feliz); * Porque nos dá um
senso de auto-realização (Mas não adoramos porque ela nos traz auto-realização); * Porque temos
por fim a construção de uma família sólida (Mas nem sempre a família permanece unida à doutrina).
A verdadeira adoração está acima de todas as coisas, sendo prioritária à glória de Deus.

d) SOMOS ORDENADOS POR DEUS A ADORÁ-LO:


Os quatro primeiro versículos dos dez mandamentos dizem respeito à adoração. O primeiro
mandamento nos diz, "Não terás outros deuses diante de mim". Jesus nos diz que o primeiro e maior
mandamento é que nós amemos a Deus com todo o nosso coração, toda nossa mente, e toda a nossa
alma. O ponto é que nossa adoração, nossa mais profunda devoção, nosso mais ardente amor deve
ser dirigido a Deus antes do que para nós mesmos. Mesmo antes de amar a nós mesmos ou nossos
vizinhos ou alguma outra causa humana digna, nós devemos nos devotar a Deus.

e) A ADORAÇÃO EFICAZ DEVE SER PRESTADA SOMENTE POR AQUELES QUE


NASCERAM DE NOVO, MEDIANTE A FÉ, PELO RESULTADO DA DECISÃO ENVOLVENDO A
AÇÃO DO ESPÍRITO SANTO: A adoração feita por pecadores carnais não regenerados é carnal.
Somente um coração regenerado pode cantar a nova canção (Salmos 40:3).
Para se adorar a Deus, Deus deve ser conhecido: e Ele não pode ser conhecido a não ser por
Cristo. Muito pode ser ensinado e crido sobre um “Deus” teórico ou teológico, mas Ele não pode ser
conhecido à parte do Senhor Jesus. Ele disse “Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem
ao Pai, senão por mim.” (João 14.6). Portanto, é uma crença artificial pecaminosa, uma ilusão fatal,
uma farsa maligna, levar pessoas não-regeneradas a imaginarem que elas podem adorar a Deus.
Enquanto o pecador permanece longe de Cristo, ele é “inimigo” de Deus, um filho da ira.
Como então poderia ele adorar a Deus? Enquanto permanece em seu estado não-regenerado ele
está “morto em seus pecados e delitos”. Como, então, ele pode adorar a Deus?

f) A ADORAÇÃO ADEUS ENVOLVE A PRESENÇA DO ESPÍRITO SANTO:


Os verdadeiros adoradores adoram o Pai em espírito" disse Jesus e, portanto, unicamente através
da iluminação que o Espírito Santo concede a nossas mentes, e os sentimentos dela produzidos em
nossos corações é que nossa adoração pode ser edificante para nós e agradável a Deus.

g) A ADORAÇÃO DEVE SER ESTRUTURADA PELAS ESCRITURAS: Os verdadeiros


adoradores adoram... em verdade", disse Jesus. A Bíblia nos revela a Deus a Quem devemos adorar e
como devemos fazê-lo: "com reverência e santo temor". As Escrituras produzem a atmosfera e
fornecem os temas, as orações, os louvores e a pregação. Dessa forma, possuímos um padrão para
conhecer o que é certo e o que é errado em tudo o que é falado e cantado. Desfrutamos, também, uma
maravilhosa liberdade de todas as tradições e artefatos que são introduzidos por homens não
espirituais, na inútil tentativa de "tornar" a adoração mais "importante" e "significativa".

h) A ADORAÇÃO DEVE SER CENTRADA EM DEUS (TRINDADE):


Não é centralizada na "inspiração", tampouco nos sentimentos; O Pai pode ser adorado através
do Filho e o objeto de nossa adoração é a Divindade como um todo: Pai, Filho e Espírito Santo.

A QUEM ADORAMOS?
Existem muitas pessoas que adoram a adoração; mais envolvidas com o produto, com a
música, com o cantar do que com o ser um adorador. E isso acontece porque a igreja tem o foco
errado de quem é o alvo da nossa adoração. O que Deus quer ampliar em nossa vida como
adoradores é a quem nós adoramos.
Quando Jesus responde a Satanás na tentação do deserto, Ele diz “ao Senhor teu Deus adorarás
e somente a Ele darás culto”. Aqui Jesus define a quem adoramos: “só ao Senhor teu Deus”. E quando
a Bíblia enfoca “só o Senhor teu Deus” ela está incluindo a Trindade: o Pai, o Filho e o Espírito Santo.
O verdadeiro adorador deve ter uma frase em seu coração toda vez que entra na presença
de Deus: "Senhor, como posso serví-Lo esta noite, onde posso ser útil?".
Diante deste fato, devemos cuidar para não cometer dois erros fundamentais:
* Adorar o deus errado de maneira certa ou Adorar o Deus certo de maneira errada!

www.discipuladosemfronteiras.com 13
DISCIPULADO SEM FRONTEIRAS
Orientando Vidas em Amor

Quão maravilhoso é poder adorar o Deus certo de maneira certa! Isto depende de você! Eu te
desafio a estreitar o teu relacionamento com Deus todos os dias e a buscar conhecê-Lo mais e mais.
Gaste seu precioso tempo com Ele, e exercite a tua adoração continuamente, seja cantando,
orando, lendo a Palavra, e outros.
Deus procura pessoas que tenham este modo de vida, Ele procura adoradores que o adorem
"...em espírito e em verdade:
• Tendo visão da Majestade Divina (Isaías 6:1-4);
• Tendo visão de nossa própria finitude e pecaminosidade (Isaías 6:5);
• Tendo confissão e recebimento de perdão (Isaías 6:6-7);
• Tendo consagração (Isaías 6:8).

i) A verdade é que a adoração deve surgir a partir de um contínuo andar com Deus:
Quem dificilmente pensa em Deus durante a semana, não está apto a adorá-lo corretamente no
domingo. Na verdadeira adoração, devemos confessar nossa tristeza santa pela negligência com a
glória do Senhor, o qual deve ser adorado a cada dia em todos os momentos da vida.

j) A ADORAÇÃO DEVE REQUERER PREPARAÇÃO:


Não há "adoração instantânea" sem buscar a presença do Senhor, sem uma preparação da
mente para Deus, ela deve ser encorajada a uma oração ardorosa para a bênção da presença do
Senhor, acompanhada pela meditação; por isso devemos vigiar no nosso tempo de vida.

9 ELEMENTOS DE UMA ADORAÇÃO (NA ADORAÇÃO DE ABRAÃO: Gn.22:1-19):


* Prova - a adoração envolve uma prova. Deus prova o nosso amor assim como provou o de
Abraão (versículo 1): "Depois destas cousas, pôs Deus Abraão à prova..."
* Obediência - Abraão obedeceu a Deus com prontidão. Quando Deus nos diz para fazer
alguma coisa, devemos fazer na hora! Quando Deus nos chama, o "eis-me aqui" deve ser instantâneo
(versículo 1): "...e este (Abraão) respondeu: Eis-me aqui".
* Relacionamento - Devemos gastar tempo com o Senhor. Devemos estar dispostos a
conhecê-Lo e conhecer a sua voz. Quando o Diabo falou com Jesus, ele imediatamente reconheceu a
voz do Diabo. Devemos saber se é Deus que está falando ou não!
* Processo - Deus muitas vezes nos tira do lugar onde estamos para nos ensinar algo, uma
lição. Ele nos faz ir a um congresso ou fazer uma viagem para falar conosco (versículo 2): "Prosseguiu
Deus: Toma agora teu filho; o teu único filho, Isaque, a quem amas; vai à terra de Moriá, e oferece-o ali
em holocausto sobre um dos montes que te hei de mostrar".
* Oferta - Devemos trazer ofertas a Deus. Quando Ele nos pede alguma coisa, por mais
importante que seja, devemos ofertar com amor, como aconteceu com Abraão (versículo 2): "...e
oferece-o ali em holocausto...". É importante ressaltar que dízimo não é oferta, é sim obrigação!
* Preparação - Devemos estar preparados para estar na presença de Deus.
* Separação - Devemos nos separar das pessoas que podem nos impedir de adorar a Deus
(versículo 5): "E disse Abraão a seus moços: Ficai-vos aqui com o jumento, e eu e o mancebo iremos
até lá; depois de adorarmos, voltaremos a vós".
* Disposto a sofrer - Devemos estar dispostos a sofrer, dar a vida pela causa de Cristo.
Abraão amava muito seu filho Isaque.
* Confiança em Deus - Devemos estar dispostos a ter absoluta confiança em Deus e nunca
duvidar Dele. Versículo 5: "Então, disse (Abraão) a seus servos: Esperai aqui, com o jumento; eu e o
rapaz iremos até lá e, havendo adorado, voltaremos para junto de vós". Como Abraão poderia dizer isto
se ele sabia que iria imolar Isaque no altar? Porque Abraão estava tão convicto de que iria voltar com
Isaque? Parece-nos que Abraão já sabia o que estava no coração de Deus e já sabia que ia acontecer
e assim como Abraão devemos ter absoluta confiança no Pai, independente das circunstâncias.

k) A ADORAÇÃO DEVE SER UM PRODUTO DA PERSPECTIVA DA GRANDEZA DE DEUS E


DE NOSSA PEQUENEZ:
A adoração deve ser efetuada pelos humildes servos ao grandioso Deus. Devemos ser muito
cuidadosos para não abrigar pensamentos que inferiorizam a nossa adoração!

www.discipuladosemfronteiras.com 14
DISCIPULADO SEM FRONTEIRAS
Orientando Vidas em Amor

Expressões depreciativas, tais como as que descrevem adoração como "sanduíche de hinos", só
encorajam a atitude que revela que nossa adoração é formal, exterior e sem liberdade e que, se nós
estivéssemos realmente adorando, então deveríamos ter barulho, liderança espontânea e excitação?

l) A ADORAÇÃO NÃO DEVE SER MERAMENTE EXTERIOR (DEVE SER UM ESTILO DE VIDA
SANTIFICADO COM DISCERNIMENTO DE ESPÍRITO): Temos o exemplo da obediência de Abraão,
Daniel e Paulo. Muitas pessoas ficam sempre sentadas na ponta dos bancos imaginando quem será o
próximo a dizer ou fazer algo inesperado, mas não concentram seus pensamentos centralizados em
Deus. Não se esquecem de si mesmas e não se conscientizam da necessidade de um amadurecimento
para desfrutarem a nova aliança da comunhão com o Senhor e com todo o povo de Deus.
*Obstáculos a Adoração: falta de segurança de salvação; falha em julgar-se pela Palavra e
mundanismo. Avalie-se: - Será que Deus aceitou o meu louvor e a adoração?
- Havia unção na ministração? - Será que o espírito de sensualidade opera em meu vestir,
em minha dança? - Será que há espírito de soberba e vaidade em minha vida?

m) A ADORAÇÃO NO ANTIGO E NOVO TESTAMENTOS COMBATEM O MESMO MAL DA


IDOLATRIA:
As provas dos jovens hebreus em Babilônia e as tentações de Jesus no deserto são equivalentes:
* Prova do Apetite: Os jovens hebreus (Dn.1) e tentação de Jesus (Mt. 4:3 e 4);
* Prova da Revelação: Os jovens hebreus (Dn.2) e tentação de Jesus (Mt. 4:5-7);
* Prova da Adoração: Os jovens hebreus (Dn.3) e tentação de Jesus (Mt.4:8-10);

CUIDADO COM OS ÍDOLOS: Ao ouvirmos a palavra idolatria, nós muitas vezes pensamos
em “santinhos”, amuletos; mas idolatria é qualquer coisa que fique entre nós e Deus; qualquer
coisa que tira do foco do “quem é digno de adoração”.
Os ídolos deste mundo (sistema mundano financeiro atual) hoje roubam o coração, roubam à
alma, roubam o espírito, estão roubando o coração de toda uma geração. É preciso que estes ídolos
sejam acusados, retirados, para que o foco de a quem devemos adorar seja ampliado na vida da igreja.

UMA TRISTE REALIDADE:


A nossa intenção quando vamos cultuar a Deus é nos apresentar a Ele, e não esperarmos
que Ele se apresente a nós. O Senhor quer ver a nossa intenção em dar-Lhe louvor e não em receber
alguma bênção. É triste vermos as pessoas indo à igreja com o propósito de serem servidas por Deus,
esperando receber poder, cura, prosperidade, e outros.
O pior é que muitos lêem a Bíblia, oram fervorosamente e cantam louvores, para tentar
convencer a Deus que são merecedores de tais bênçãos.
Quando desejamos adorar e cultuar a Deus, devemos estar dispostos a servi-Lo e não ser
servidos por Ele. Como já estudamos anteriormente, adoração é doação, é oferta! Adoração é oferta do
que temos e somos e não a busca do que vamos receber.
Até que ponto deixaremos a cultura e a preferência pessoal incitarem uma adoração fora da
verdade da Palavra , num impulso humano?
A liturgia bíblica é teocêntrica e não antropocêntrica (Ap.14:7). É dirigida a Deus. Nela não há
espaço para a glória do homem, pois Deus é o alvo, o objeto exclusivo da adoração (Mt.4:10). Deve-se,
portanto, destiná-la mais ao deleite de Deus do que do homem. No culto bíblico, Deus é a audiência
primária.
Até que ponto deixaremos a emoção se destacar acima da razão? Se, por um lado, não se
pode eliminar o lugar da emoção, por outro, se deve mantê-la em equilíbrio, a fim de não se obstruir o
canal através do qual Deus se comunica com o homem: a mente.

A RELIGIOSIDADE BRASILEIRA:
Uma pesquisa recente constatou que 99% dos brasileiros acreditam em Deus, mas a
religiosidade atual é descomprometida. Nela, a Escritura tende a perder sua autoridade
normativa, diante da proposta de preservação da cultura e da individualidade do adorador.

www.discipuladosemfronteiras.com 15
DISCIPULADO SEM FRONTEIRAS
Orientando Vidas em Amor

Num contraste entre o judaísmo, que enfatizava a lei e a disciplina num esforço de reprimir a
natureza humana; e a religiosidade pagã, que encoraja a permissividade e apresenta os próprios
deuses como expressão dos desejos e das paixões humanas.
Na pós-modernidade, com a ascensão do misticismo, o ser humano parece querer libertar-
se do conceito de um Deus santo, das normas da igreja e da imposição da ética, para voltar a ser
ele mesmo. Assim desimpedido, o adorador assume sua original e primitiva natureza – pagã.
O próprio racionalismo preparou caminho para a ascensão do paganismo ao minar a autoridade
da Bíblia com a afirmação da inexistência de Deus, valorizando a cultura como meio adequado de
expressão dos sentimentos religiosos.
É inútil dizer aos adoradores como devem se comportar se não estão cientes da santidade
e da presença de Deus. Como é inútil dizer que manifestem entusiasmo, se não receberam o
impacto da proclamação dos atos de Deus.

OS DOIS EXTREMOS DA ADORAÇÃO A DEUS: a) o formalismo - que sacramenta o modo de


adorar a Deus, anulando um contato vital com Deus. Ex.: Igreja de Éfeso - Perdeu o primeiro amor, caiu
no formalismo. b) uma espontaneidade excessiva - que encoraja a liberdade, desprezando qualquer
forma, criando confusão e desordem. Ex.: Igreja de Corinto-Amando a liberdade perdeu a santificação.

FALSAS VISÕES DE DEUS REPASSADAS POR CERTOS TIPOS DE ADORAÇÕES:


O policial Onipresente - transforma sua própria consciência em Deus.
Tal pai, Tal Deus - uma transferência da imagem paterna.
O idoso antiquado - Deus como um velho "Papai Noel".
O manso e suave - Deus, bonzinho e que não repreende.
O Deus dos 100% - quer de nós perfeição absoluta.
O Deus do escapismo - busca a Deus somente na hora dos problemas.
O Deus capturado - Igrejas que "capturam" Deus para suas 4 paredes, achando que são objetos
exclusivos do Seu amor.
O Deus Diretor-Presidente - O que é grande demais e dono do ministério para se importar com...
O Deus "de segunda-mão" - conhecemos a Ele pelo que os outros nos dizem.
O Deus "da desilusão" - o culpado por uma oração não respondida, da tragédia imerecida, deus
que é "desmancha-prazeres".
O Deus "Negativo" - pessoas que têm um "masoquismo espiritual", achando que Deus não lhe
permitirá serem expansivos, alegres e bem sucedidos.
Imagem Projetada - enxergam a Deus através da imagem que têm de si próprios.
O Deus "da barganha" - só obedecem a Ele em troca de benefícios.
Quando temos uma visão deturpada sobre Deus, nossa adoração será distorcida.

12) QUESTIONAMENTOS A SEREM LEVANTADOS SOBRE O TEMA “ADORAÇÃO ATUAL”:


A) SOBRE A MAIOR VERDADE SOBRE A ADORAÇÃO NA ATUALIDADE:
Há uma distância enorme entre o adorado o os seus adoradores - Quando começamos a
conhecer quem Deus é, assustamo-nos com o quão pequenos somos diante dEle. Isso deveria ser
mais que suficiente para nos fazer tremer diante DELE em adoração.
* Há uma distância Quantitativa entre Deus e Seus Adoradores - Embora as relações de
conversação entre Deus e Seu povo sejam cordiais e, de fato, há uma conversação, um diálogo;
contudo, não devemos pensar que os que conversam são iguais em essência e em santidade.
É importante que se tenha em mente que quando nos aproximamos de Deus, para responder em
fé à sua convocação para a adoração, ainda persiste uma grande distância entre os adoradores e
Aquele que é o "objeto" do nosso culto.
* Há uma distância Qualitativa entre Deus e Seus Adoradores - Além da diferença quantitativa
entre Deus e os homens que O adoram, há uma grande diferença moral entre eles, uma diferença de
qualidade. Quando estamos no culto, temos que nos portar como criaturas finitas e qualitativamente
menores, mesmo a despeito do fato de hoje sermos chamados Seus filhos.
A nossa filiação não diminui a nossa distância DELE. Essa distância ainda existe, e precisamos
ter plena consciência dela, especialmente quando O adoramos, pois Deus é celestial e nós, terrenos.

www.discipuladosemfronteiras.com 16
DISCIPULADO SEM FRONTEIRAS
Orientando Vidas em Amor

B) SOBRE O ASPECTO DA ADORAÇÃO NA IGREJA, HOJE:


Hoje em dia, há muitos ventos de mudanças com a introdução de elementos estranhos no culto e
isso demonstra a necessidade de orientação e reflexão, pois adoração não deve ser efetuada para
trazer ou produzir satisfação às pessoas e sim, para glorificar a Deus.

C) SOBRE O SIGNIFICADO DA ADORAÇÃO A DEUS:


O consenso dos estudiosos define adoração como uma resposta do ser humano redimido à
iniciativa salvadora de Deus, pois a Bíblia não contém definições específicas, mas registra a vivência de
homens e mulheres que deram ao Senhor uma resposta comprometida, permanente, dinâmica e
prazerosa, num cultuar mediante ações concretas.

D) SOBRE OS PRINCIPAIS ELEMENTOS DA ADORAÇÃO:


No diálogo ou encontro divino-humano, os ingredientes fundamentais são a revelação do Criador
e a resposta da criatura, mas há também a "proclamação" (pregação) e "aclamação" (louvor), onde, na
proclamação, a Palavra de Deus é recebida, lida, pregada e cantada e a resposta é expressa em
cântico, louvor, oração, dádivas e confissão.

E) SOBRE AS INFLUÊNCIAS NEGATIVAS QUE AFETAM A ADORAÇÃO:


A influência da cultura secular e humanista, ou da espiritualidade mística, sentimental e subjetiva
se mostra no apego às formas simples, carentes de verdadeira espiritualidade, à comodidade egoísta e
despreocupada de cultos improvisados e de conteúdo pobre, onde, aparentemente, parece haver mais
um interesse em assuntos psicológicos e sociais que nos grandes temas da Bíblia.
Geralmente se prioriza mais a confraternização e a satisfação das necessidades humanas em
detrimento da reflexão, reverência e instrução e o mais gritante é que alguns cultos e programas
evangelísticos, apoiados na música cristã contemporânea, estão se tornando excessivamente
emocionais e carentes do fundamento objetivo da Palavra de Deus.

F) SOBRE AS INFLUÊNCIAS POSITIVAS QUE AFETAM A ADORAÇÃO:


Em geral, muitas pessoas tendem a rejeitar o formalismo e o cerimonialismo, percebendo que o
culto é algo mais do que o sermão e que os elementos precedentes não são apenas "preliminares" de
pouco valor, mas uma parte importante do culto.
Muitas igrejas estão recuperando o lugar do louvor, e compreendendo o valor da adoração para
experiência religiosa. Sente-se a necessidade de cultos mais participativos, espontâneos e vitais.
O intelectualismo da pregação tradicional está dando lugar à pregação que fala ao homem total,
para que haja uma resposta que seja traduzida em um estilo de vida que glorifique a Deus.

G) SOBRE OS MITOS NA ADORAÇÃO:


Às vezes, por exemplo, cremos que a reverência significa silêncio e quietude. Não podemos negar
o valor desses elementos, em momentos de reflexão e oração. Porém, no sentido bíblico, a reverência
está mais relacionada a uma atitude de fidelidade e obediência à vontade divina do que permanecer
nos bancos sem dar resposta alguma.

H) SOBRE O USO DE ELETRÔNICA NAS IGREJAS:


Há uma tendência de se substituir o uso dos hinos por projeção dos cânticos em telões; o hinário
tem a vantagem de estar sempre disponível para enriquecer o culto pessoal, familiar, ou na igreja.
Contém muitos e variados hinos, com letras substanciosas e melodias provadas pelo tempo.
Dão sentido de unidade e identidade.
Devemos considerar os estilos e o conteúdo das músicas religiosas atuais, pois há muitos
cânticos espirituais, inspiradores, belos e adequados, mas outros carecem dessas virtudes, sendo, às
vezes, não muito rítmicos, seculares, sentimentais e até sensuais.
Alguns são difíceis de aprender e inadequados para o canto na igreja e há muitos cânticos com
ênfase mais na experiência que no conteúdo doutrinário, inundando as igrejas com musicas
freqüentemente pobres de valor e significado, centralizadas no homem ou dizendo pouco sobre Deus e
Sua Palavra. Podemos integrar hinos tradicionais e cânticos contemporâneos, mas temos de escolher
esses cânticos com base na sua riqueza poética e adequação de sua música à espiritualidade bíblica.

www.discipuladosemfronteiras.com 17
DISCIPULADO SEM FRONTEIRAS
Orientando Vidas em Amor

I) SOBRE AS NOVAS TECNOLOGIAS NOS CULTOS:


A tecnologia pode dar um grande apoio ao culto e à evangelização. Oferece ferramentas úteis
para despertar o interesse, chamar a atenção e gravar a mensagem na mente dos ouvintes.
As projeções, transmissões via satélite e outros recursos estão sendo uma bênção para muitas
pessoas. Porém, existe o perigo do mau uso ou do abuso da tecnologia no culto.
Pregação é a transmissão da mensagem de Deus aos homens, através do pregador.
Portanto, a Bíblia não deve ser substituída pelo computador, ainda que o computador contenha a
Bíblia. Os simbolismos aqui são importantes, e a Escritura não deve ser desprezada.
O pregador pode repassar ou ressaltar parte de sua mensagem com projeções, mas não deve
perder o contato visual com os ouvintes nem limitar-se à rigidez dos textos, símbolos e imagens.
As músicas gravadas podem ser tecnicamente ótimas, mas como o culto é a oferta do crente a
Deus, devemos ser cuidadosos. Os textos e a voz devem ser preservados acima do volume dos sons.
Mesmo que não tenha a perfeição de músicos profissionais, um instrumento executado ao vivo sempre
será melhor do que uma gravação.

J) SOBRE O QUE PODEMOS MODIFICAR PARA TORNAR O CULTO MAIS SIGNIFICATIVO:


Devemos incluir tudo o que contribua para a revelação de Deus e de Sua vontade, bem como aquilo
que permita ao crente responder positivamente ao Céu e suas demandas.
Tudo o mais que interferir nesses objetivos ou que distraia os adoradores deve ser descartado.
Também devemos deixar de lado o mero entretenimento, a busca superficial de satisfação
espiritual e o exibicionismo. Como por exemplo: Um boletim informativo e um bom comunicador
substituem muito bem os anúncios longos e heterogêneos.

K) SOBRE AS FORMAS BÍBLICAS MAIS APROPRIADAS PARA RESPONDER A DEUS:


Mediante atos que dêem testemunho de nossa admiração, nosso reconhecimento, entrega,
devoção, alegria e esperança. A Bíblia mostra que podemos expressar tal adoração, entre outras
coisas, por meio da oração, ofertas, serviços, vida obediente e a observância da Palavra de Deus.

L) SOBRE O PAPEL DA MÚSICA COMO ARTE NA IGREJA:


Nem toda música considerada sacra ou religiosa pode ser aceitável para um cristão,
especialmente a que evoca associações seculares ou convida à conformidade com as normas
mundanas. A música cristã deve ser apropriada no que tange à qualidade, autenticidade, criatividade,
aos valores e ao equilíbrio, com a seleção de boas letras, conteúdo rico, boa composição e o
permanente desafio de escolher o melhor para Deus.

M) SOBRE COMO HARMONIZAR OS ESTILOS DE CULTO E MÚSICA:


A música é a arte de combinar os sons e o tempo. Atualmente, a música da igreja é a arte de
combinar os critérios; uma tarefa nada simples. Devemos reconhecer que os estilos de culto e de
música não fazem necessariamente a espiritualidade nem o crescimento da igreja.
É o espírito de Deus quem importa; o clima espiritual percebido em cada serviço e, sobretudo, a
fidelidade às instruções divinas. Uma forma de desenvolver uma adoração relevante é lembrar a
qualidade espiritual da igreja.
A Bíblia descreve a igreja como um corpo e exige que cuidemos de sua unidade e integridade.
Pastores e líderes da igreja necessitam estudar mais o tema da adoração e louvor na Bíblia, pois
raramente a liderança da igreja recebe instruções a respeito disso.
Há uma necessidade urgente de instrução e capacitação. Necessitamos pregar mais sobre a
adoração e discutir mais constantemente o tema.
Devemos ensinar os irmãos a fazerem o culto pessoal e familiar diário. Os novos conversos
precisam conhecer a importância do culto e o significado de suas atividades e cerimônias.
Necessitamos ensinar sobre como orar, testemunhar, estudar a Bíblia e pregar de forma eficaz.

N) SOBRE COMO HAMONIZAR O EVANGELISMO E A ADORAÇÃO:


Equilíbrio é sempre o desafio. A clareza nos objetivos da igreja e seu culto é outra necessidade.
Será que pode haver cultos exclusivamente de adoração ou de evangelização?
O culto a Deus deve integrar três objetivos bíblicos: adoração, edificação e evangelização.

www.discipuladosemfronteiras.com 18
DISCIPULADO SEM FRONTEIRAS
Orientando Vidas em Amor

O descuido também é perigoso. Podemos descuidar da evangelização, da adoração ou do


crescimento da igreja. O culto da igreja é dirigido a Deus, aos crentes e ao mundo, porque louva, nutre
e apela. Quando a adoração é autêntica, os membros se sentem inspirados e animados a participar na
pregação. Porém, não devemos nos esquecer de que o propósito último da vida e da igreja é a
adoração a Deus.

O) QUAL O ASPECTO MAIS PREOCUPANTE DA ADORAÇÃO:


A relação entre o silêncio e o ruído; o silêncio da indiferença e a falta de participação, assim como
o ruído da informalidade e da confusão disfarçada de fervor e entusiasmo.
Há a adoração irrelevante, sem inspiração; o ritualismo que às vezes persiste, e certas
manifestações distorcidas de espiritualidade, como as que são propostas pelos movimentos muito
espirituais. Será que não estamos perdendo a bênção de um encontro significativo com Deus?

P) SOBRE A CONFRATERNIZAÇÃO NO MOMENTO DE ADORAÇÃO:


A confraternização é necessária; é bíblica. A comunhão é um imperativo do Novo Testamento.
Portanto, a igreja deve prover oportunidades para o desenvolvimento e fortalecimento da amizade,
dos vínculos afetivos e de solidariedade. Porém, nem sempre vamos conseguir isso criando espaços
para abraços, cumprimentos e beijos na hora do culto. Existem outros momentos que favorecem melhor
a espontaneidade, o aprofundamento fraternal.
O formalismo e a indiferença são tão negativos como o descuido, a desordem e a perda de senso
do que é sagrado. Os cultos devem ser fraternos e ao mesmo tempo, respeitosos, organizados e
solenes, pois é a reunião de homens e mulheres na presença de Deus.

Q) SOBRE A ADORAÇÃO COMO ATO DE REVERÊNCIA NO CULTO A DEUS:


Se os crentes, ao entrarem na Igreja, o fizessem com a devida reverência, lembrando-se de que
se acham ali na presença do Senhor, seu silêncio redundaria num testemunho eloqüente.
Os cochichos, risos e conversas, que se poderiam admitir em qualquer outro lugar, não devem ser
sancionados na casa em que Deus é adorado.
Não há dúvida de que se amarmos a Deus, teremos reverência, e reverência significa mais do que
dar louvores ou ajoelhar-nos quando oramos.
Na verdade, não podemos reverenciar a Deus sem obedecer-Lhe. Muitos aceitam facilmente a
Jesus como salvador, mas nem todos querem aceitá-Lo como o Senhor de suas vidas, até por que a
Palavra nos indica que devemos confessá-lo como Senhor para que recebamos a Salvação(Rm
10:9,10).
A Bíblia deixa claro qual é o dever do homem: “Teme a Deus e guarda os seus mandamentos;
porque isto é o dever de todo homem (Ec.12:13):
- Devemos ser reverentes diante de Deus porque somos criaturas.
- Devemos ser reverentes porque reconhecemos nossa situação pecaminosa.
- Devemos ser reverentes porque apesar de termos pecado, a cruz de Cristo nos alcançou e
esse infinito amor nos constrange.
- Devemos ser reverentes quanto ao nome de Deus porque ele representa seu caráter.
- Como humanos devemos: Temer, obedecer, para que um dia possamos vê-lo face a face.

R) PROMOVENDO A GENUINA ADORAÇÃO PELO AMOR:


O Criador-Pastor inspira a genuína adoração (Sl.95:6 e 7).
O Cordeiro é o centro da genuína adoração (Ap.5:8-14 ; 14:1-3).
O Filho do Homem desejava a adoração genuína (Jo.2:13-16).
O ensino de Cristo promove a genuína adoração (Cl.3:16).
Uma adoração que se realiza sem objetivo de expressar o nosso amor a Deus falha
completamente (Rm.11:36). Deixa de ser culto a Deus, pois carece da essência, que é o amor.
Seu mandamento requer de nós que O amemos de todo coração e alma (Mt. 22:37).
A adoração da igreja cumprirá seu objetivo se o louvor, a oração, a mensagem e a música
atraírem o coração para a beleza de Deus, revelada na criação, na redenção e na regeneração, através
de Cristo. Quando adoramos, só devemos ficar satisfeitos se expressarmos amor ou se nosso culto
revelar toda a preciosidade do Senhor.

www.discipuladosemfronteiras.com 19
DISCIPULADO SEM FRONTEIRAS
Orientando Vidas em Amor

* Amor Integral de Mente - A adoração deve ocupar a mente de maneira a envolver a meditação
e consciência do homem. Amar a Deus com entendimento (Mc.12:30). Caso contrário, a adoração
torna-se uma mera satisfação de ter se apresentado diante de Deus (como o empregado que bate seu
cartão no relógio de ponto da fábrica). Apresentou-se no culto e está livre por mais uns dias. Fez seu
ato sacrificial, saboreou o alívio da missão cumprida e agora está pronto para receber a proteção divina.
Precisamos que o Espírito derrame Seu amor em nosso íntimo (Rm.8:14; 5:5) e nos conceda o
"Espírito de Sabedoria e de Revelação no pleno conhecimento dEle" (Ef 1:17-18), para adorá-Lo com
consciência total (Jo 4:23-24).
* Amor com todo nosso esforço - Em Marcos 12:30, o mandamento requer toda a força do
adorador. O termo "força" ("ischuos") implica no corpo físico desenvolver sua capacidade, talento e
força de ação. Significa "gastar suas energias físicas em atos de amor a Deus".
Aquele que ama a Deus com todo o seu coração, não necessita de prescrições para saber
quando, onde e quanto deve serví-Lo, adorá-Lo e cultuá-Lo. Porque a união sincera com Deus,
juntamente com a prontidão de obedecê-Lo, conduz a louvá-Lo através do seu ser e a glorificá-Lo por
meio de todos os seus atos."
* Amor como passo de busca - A adoração requer que procuremos a Deus voluntariamente,
sintamos a necessidade de estar perto DELE.
Nossa alma deve sentir a necessidade de comunhão com Deus, assim como nosso físico
manifesta o apetite por alimentos (Sl.42:1; Sl.84:2).
Quando nos falta este desejo de estar com Deus, a adoração que prestamos não passa de uma
"fachada espiritual", de uma religiosidade externa.
* Amor com Auto-avaliação e arrependimento - Adoração sem arrependimento não agrada ao
Senhor. Ele Se agrada do culto que Lhe é prestado por um espírito quebrantado e um coração contrito
(Sl.51:16-17). Arrependimento não é apenas sentir pesar por termos errado.
Trata-se de uma mudança de atitude ("metanoia" - transformação de mente).
O Espírito de Deus nos ajuda a descobrir os pecados mais secretos, para depois confessá-los e
sermos perdoados (I Jo.1:9), pois abriremos caminhos para a adoração.
* Amor com fé - "Sem fé é impossível agradar a Deus, porquanto é necessário que aquele que se
aproxima de Deus creia que Ele existe e que recompensa os que O buscam” (Hb.11:6).
A palavra "aproximar-se" no texto é um termo técnico para adoração, isto é, "aproximar-se a Deus
em adoração, com certeza de que Ele existe e não falhará comigo", conforme Hb.11:1.
Adorar com fé é fazê-lo confiando em suas promessas. Quando adoramos a Deus com fé,
agradamos ao Seu coração. Esta alegria não é estática, aumenta à medida que O adoramos. Quando
prestamos culto a Deus devemos perguntar: – "Deus está satisfeito com o culto a Ele oferecido?"

S) OS EFEITOS DE UMA ADORAÇÃO A DEUS:


Traz Segurança - A adoração fortalece a confiança íntima (Fp.4:6-7). É uma "terapia" que levanta
nossos olhos para o horizonte e nos faz andar confiantes e esperançosos (Sl.37:5; Pv. 3:5-6).
Traz Comunhão - A adoração nos aproxima de Deus e das pessoas (I Jo.1:3). Faz desaparecer
as barreiras entre os irmãos (At.2:4).
Traz Visão Transformada - Quando vivemos na presença de Deus, temos nossa visão do mundo
mudada. O resultado da íntima comunhão com Deus, cria em nós o desejo de colocar a honra de Deus
acima da própria segurança física.
Produz Evangelização - Um culto digno do Senhor faz crescer em nós o desejo de testemunhar
de Jesus Cristo e anunciar as boas novas. Jesus convidou os discípulos a seguirem-NO (Mt.4:19;
Mc.1:17; Lc.5:10), mas os enviou sem obrigá-los a ir (At.1:8). A comunhão com Ele e o Seu poder
motivou toda a realização da tarefa missionária.
Produz Caráter - Ao adorarmos, Deus nos ajuda a andar no seu Espírito, pelo desejo da busca
da santificação em desejo crescente do adorador para ser transformado na imagem do Deus diante do
qual nos curvamos.
OBSERVAÇÃO:Na próxima, estudaremos sobre o conceito de louvor e música,
relacionando com o termo adoração, o qual já foi exaustivamente estudado até agora. Na (2ª
parte), estudaremos sobre louvor em suas formas variantes: canto (salmodiar - entoar cântico -
canto - hinos) e dançar**).

www.discipuladosemfronteiras.com 20

Centres d'intérêt liés