Vous êtes sur la page 1sur 86

Livro Eletrônico

Aula 00

Psicologia para Concursos - Curso Regular 2018

Professor: Marina Beccalli

00000000000 - DEMO

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli Aula 00

AULA OO - DEMONSTRATIVA

SUM£RIO P£GINA
SUM£RIO
P£GINA
  • 1. ApresentaÁ„o

01

  • 2. Cronograma do curso

06

  • 3. …tica profissional

08

  • 4. ApresentaÁ„o do CÛdigo de …tica

09

  • 5. PrincÌpios fundamentais

13

  • 6. Das responsabilidades do psicÛlogo

15

  • 7. Das disposiÁıes gerais

32

  • 8. ResoluÁ„o de questıes

35

  • 9. Resumo

61

  • 10. Lista de questıes

63

  • 11. Gabarito

83

APRESENTA« O

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli に Aula 00 AULA OO - DEMONSTRATIVA

Caro aluno,

… com grande alegria que lhe dou boas-vindas a este curso regular de PSICOLOGIA, que ser· composto por:

- curso escrito (em PDF), formado por 21 aulas em que explico o conte˙do teÛrico, alÈm de apresentar questıes resolvidas.

Prof. Marina Beccalli

1

www.estrategiaconcursos.com.br

00000000000 - DEMO

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli に Aula 00 - fÛrum de d˙vidas ,

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli Aula 00

- fÛrum de d˙vidas, em que vocÍ pode entrar em contato direto conosco quando julgar necess·rio.

Em cada aula teremos a exposiÁ„o da teoria seguida da resoluÁ„o e coment·rios de questıes de provas sobre o assunto. Nos coment·rios, pode haver explicaÁıes novas. Dessa forma, teoria e questıes se complementam. Ao final, disponibilizarei um resumo e a lista de questıes trabalhadas na aula seguidas do gabarito. Caso haja alguma d˙vida em relaÁ„o ao conte˙do, vocÍ est· convidado a compartilh·-la no fÛrum de d˙vidas. A possibilidade de interaÁ„o com o professor È um dos diferenciais dos cursos em PDF; portanto, n„o hesite em us·-la. VocÍ nunca estudou Psicologia para concursos? N„o tem problema, este curso tambÈm È para vocÍ. Isto porque vocÍ estar· adquirindo um material bastante completo, onde vocÍ poder· trabalhar em aulas escritas, e resolver uma grande quantidade de exercÌcios, sempre podendo aprender com as resoluÁıes das questıes e tirar d˙vidas atravÈs do fÛrum. Mesmo sem ter estudado este conte˙do antes, vocÍ pode conseguir um Ûtimo desempenho na sua prova. Se vocÍ se encontra nesta situaÁ„o, ser· preciso investir um tempo maior, dedicar-se bastante ao nosso curso.

Dito isso, ressalto as caracterÌsticas principais do curso:

Conte˙do teÛrico completo e atualizado, apresentado de forma clara e objetiva;

Grande variedade de questıes resolvidas e comentadas;

Contato direto com o professor via fÛrum para retirada de d˙vidas; Resumo de todas as aulas, apresentado na forma de tÛpicos e esquemas.

Prof. Marina Beccalli

2

www.estrategiaconcursos.com.br

00000000000 - DEMO

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli に Aula 00 Enfim, espero que vocÍ aproveite

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli Aula 00

Enfim, espero que vocÍ aproveite o curso, tire as suas d˙vidas, estude bastante e, na hora da prova, consiga ter um Ûtimo desempenho. Todo o esforÁo empregado nessa fase de preparaÁ„o ser· recompensado com a alegria que acompanha a aprovaÁ„o, momento que esperamos compartilhar com vocÍ!

Antes de comeÁar o curso, acho importante falar um pouco da minha trajetÛria profissional, e especialmente sobre o que do meu percurso est· relacionado a este curso que te ofereÁo aqui no EstratÈgia Concursos. Sou formada pela Universidade Federal do EspÌrito Santo, tendo concluÌdo minha graduaÁ„o em Psicologia no inÌcio de 2016. Antes de ser psicÛloga, iniciei o curso de Jornalismo, raz„o (entre outras) pela qual fui buscar uma an·lise. Foi aÌ que comecei a me interessar bastante pela psicologia e especialmente pela psican·lise. ApÛs uma outra aprovaÁ„o em vestibular, e ter cursado o curso, deparei-me com a importante quest„o de que ·rea seguir. Tenho experiÍncia com a clÌnica psicanalÌtica, especialmente em relaÁ„o ao p˙blico infanto-juvenil e a casos mais graves, envolvendo questıes de sa˙de mental e, muitas vezes, questıes que envolvem outros campos, como o Judici·rio e a AssistÍncia Social. Exatamente por isso, n„o quis seguir apenas a clÌnica individual tradicional: eu queria levar minha escuta de psicÛloga para atuar em articulaÁ„o com outros campos de saberes. No final de 2016, fiz a primeira prova de concurso da minha vida (pois nunca antes disso tinha pensado em entrar para o mundo dos "concurseiros"): foi a prova do TRF 2 Regi„o. Como vocÍs devem saber, n„o s„o muitos os materiais especÌficos disponÌveis para concursos de psicologia, muito menos ainda materiais especÌficos para cada edital. Foi atravÈs de um amigo que estava estudando para o cargo de Oficial de JustiÁa que conheci o material do EstratÈgia Concursos. Fiquei apaixonada! O material era extremamente organizado, com conte˙do escrito, esquemas e muitas questıes. SÛ que fiquei decepcionada porque

Prof. Marina Beccalli

3

www.estrategiaconcursos.com.br

00000000000 - DEMO

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli に Aula 00 eles disponibilizavam o curso apenas

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli Aula 00

eles disponibilizavam o curso apenas para a parte de conhecimentos gerais, e n„o havia material especÌfico para Psicologia. O que aconteceu foi o seguinte: na minha primeira prova, um concurso de Tribunal Federal, eu tive 85% de acerto na parte de conhecimentos gerais estudando com o material do EstratÈgia Concursos. E na parte especÌfica de psicologia, que era minha ·rea, eu tive pouco mais de 60%. Eu achei muito estranho, j· que nunca na minha vida tinha estudado para concurso, muito menos para matÈrias como Direito Constitucional e Direito Administrativo. Logo depois, em marÁo de 2017, abriu edital para o cargo de psicÛlogo do TJSP. Depois do TRF 2 Regi„o, eu fui procurar o material do EstratÈgia Concursos para estudar. Mas outra vez eles ofereceram curso especÌfico apenas para a parte de conhecimentos gerais, n„o havia material para o conte˙do program·tico de Psicologia. Estudei com o EstratÈgia nas matÈrias que eles ofereceram e comprei outros materiais de Psicologia. Fiz a prova e o resultado foi surpreendente: tive a 6 maior nota na prova objetiva! SÛ que aconteceu a mesma coisa que na prova anterior: na parte de conhecimentos gerais tive muito mais acertos do que na parte de conte˙do especÌfico. Quando o EstratÈgia Concursos me fez o convite para elaborar um curso especÌfico para a preparaÁ„o de concursos em Psicologia, eu fiquei extremamente feliz. Sei o quanto faz diferenÁa na preparaÁ„o um material de qualidade, e o estudo para concurso exige ferramentas que sejam confi·veis, que sejam elaboradas de forma objetiva, sintetizada e com foco no que È cobrado em provas. Para ter um bom desempenho, n„o basta conhecer as teorias e os conte˙dos: vocÍ precisa ver como eles s„o cobrados nas provas e aprender a responder de acordo com os enunciados. Eu sei que na Psicologia n„o estamos acostumados a ser muito objetivos, mas para ser aprovado vocÍ vai precisar entender o raciocÌnio que envolve a resoluÁ„o das questıes. Selecionei questıes que te

Prof. Marina Beccalli

4

www.estrategiaconcursos.com.br

00000000000 - DEMO

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli に Aula 00 ajudar„o a fixar os conte˙dos

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli Aula 00

ajudar„o a fixar os conte˙dos de forma a otimizar o seu tempo e o seu estudo. Para finalizar esta apresentaÁ„o, quero que vocÍ tenha em mente que o primeiro passo para o sucesso È entender que todo processo precisa de muita dedicaÁ„o. Ao estudar para concursos, È necess·rio escolher o melhor material de estudo, pois essa decis„o, junto com seu esforÁo, È o que vai determinar sua aprovaÁ„o.

Quer tirar alguma d˙vida antes de adquirir o curso? Deixo abaixo meus contatos:

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli に Aula 00 ajudar„o a fixar os conte˙dos

E-mail: marinapbeccalli@gmail.com

Facebook:

Marina Beccalli

Prof. Marina Beccalli

5

www.estrategiaconcursos.com.br

00000000000 - DEMO

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli Aula 00

CRONOGRAMA DO CURSO

Para cobrir

o

conte˙do, nosso curso ser· dividido em

20 aulas

escritas, alÈm desta aula demonstrativa. Segue abaixo o calend·rio

previsto:

Abordagens teÛricas

27/01/2018

DisponÌvel em

AULA 02

DisponÌvel em

08/01/2018

DisponÌvel em

17/01/2018

AULA 01

AULA 00
AULA 00

…tica profissional e CÛdigo de …tica do PsicÛlogo

AvaliaÁ„o psicolÛgica, psicodiagnÛstico e elaboraÁ„o de documentos

Abordagens teÛricas 27/01/2018 DisponÌvel em AULA 02 DisponÌvel em 08/01/2018 DisponÌvel em 17/01/2018 AULA 01 AULA

Teorias e tÈcnicas Psicoter·picas

06/02/2018

AULA 03

DisponÌvel em

25/02/2018

22/04/2018

LideranÁa/assÈdio moral/grupos nas organizaÁıes

AULA 10

AULA 04

DisponÌvel em

16/02/2018

Psicopatologias

AULA 05

DisponÌvel

DisponÌvel em

Transtornos de humor e de ansiedade

AULA 06

DisponÌvel em

06/03/2018

Abuso de subst‚ncias e transtornos de personalidade

AULA 07

DisponÌvel em

24/03/2018

15/03/2018

Tratamento e prevenÁ„o de dependÍncia quÌmica

AULA 08

DisponÌvel em

AULA 09

DisponÌvel em

03/04/2018

TransformaÁıes no mundo de trabalho

Psicologia da Sa˙de

DisponÌvel em

12/04/2018

Cultura organizacional/clima organizacional

AULA 11

Abordagens teÛricas 27/01/2018 DisponÌvel em AULA 02 DisponÌvel em 08/01/2018 DisponÌvel em 17/01/2018 AULA 01 AULA
Abordagens teÛricas 27/01/2018 DisponÌvel em AULA 02 DisponÌvel em 08/01/2018 DisponÌvel em 17/01/2018 AULA 01 AULA

Prof. Marina Beccalli

6

www.estrategiaconcursos.com.br

00000000000 - DEMO

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli に Aula 00 AULA 15 DisponÌvel em 30/05/2018

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli Aula 00

AULA 15

DisponÌvel em

30/05/2018

OrientaÁ„o, acompanhamento e readaptaÁ„o de profissionais

AULA 13

DisponÌvel em

11/05/2018

CondiÁıes e organizaÁ„o do trabalho

Conflitos nas organizaÁıes/motivaÁ„o/avaliaÁ„o de desempenho

02/05/2018

DisponÌvel em

AULA 12
AULA 12

Treinamento e desenvolvimento

AULA 14

DisponÌvel em

20/05/2018

Psicologia do desenvolvimento

Teoria Geral dos Sistemas e adoÁ„o

18/07/2018

DisponÌvel em

AULA 20

ViolÍncia, abuso e alienaÁ„o

08/07/2018

DisponÌvel em

DisponÌvel em

28/06/2018

AULA 16

DisponÌvel em

09/06/2018

Pesquisa e intervenÁ„o nas organizaÁıes

AULA 17

DisponÌvel em

18/06/2018

Psicologia JurÌdica

AULA 18

AULA 19

Psicologia do desenvolvimento Teoria Geral dos Sistemas e adoÁ„o 18/07/2018 DisponÌvel em AULA 20 ViolÍncia, abuso
Psicologia do desenvolvimento Teoria Geral dos Sistemas e adoÁ„o 18/07/2018 DisponÌvel em AULA 20 ViolÍncia, abuso
AULA 15 DisponÌvel em 30/05/2018 OrientaÁ„o, acompanhamento e readaptaÁ„o de profissionais AULA 13 DisponÌvel em 11/05/2018
AULA 15 DisponÌvel em 30/05/2018 OrientaÁ„o, acompanhamento e readaptaÁ„o de profissionais AULA 13 DisponÌvel em 11/05/2018

Sem mais, vamos comeÁar?

Prof. Marina Beccalli

7

www.estrategiaconcursos.com.br

00000000000 - DEMO

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli Aula 00

…TICA PROFISSIONAL

A profiss„o

de psicÛlogo foi

criada no

Brasil

a

partir

da

lei

n

4.119/62, que estabelece as normas para a oferta de cursos de graduaÁ„o em psicologia. Com a publicaÁ„o da Lei 5.766/71 e do Decreto 79.822/77 foram criados o Conselho Federal e os Conselhos Regionais de Psicologia, com o intuito de orientar, disciplinar e fiscalizar o exercÌcio da profiss„o. Com a criaÁ„o dos conselhos, o exercÌcio da profiss„o passou a ser permitido apenas a quem possuÌsse a Carteira de Identidade Profissional, emitida pelo Conselho Regional de Psicologia da respectiva jurisdiÁ„o. Quando se fala em Ètica profissional, podemos pensar no conjunto de normas pelas quais um indivÌduo deve orientar seu

comportamento profissional. O CFP elaborou o CÛdigo de …tica Profissional do PsicÛlogo, atendendo ‡s demandas sociais e norteado por elevados padrıes tÈcnicos, buscando um adequado exercÌcio profissional do psicÛlogo com seus pares e com a sociedade. O CÛdigo È o terceiro elaborado e foi aprovado em 2005, a partir de uma construÁ„o coletiva. Ele visa estabelecer um padr„o de conduta que fortaleÁa o reconhecimento social da categoria. AlÈm de conhecer o CÛdigo de …tica, o profissional precisa estar a par das resoluÁıes e cartilhas editadas pelo CFP. Essas ResoluÁıes tÍm como objetivo normatizar o exercÌcio da profiss„o:

Determinando regras quanto ‡ conduta profissional na prestaÁ„o do cuidado;

Definindo critÈrios para a utilizaÁ„o de instrumentos e tÈcnicas na pesquisa e no exercÌcio profissional;

Prof. Marina Beccalli

8

www.estrategiaconcursos.com.br

00000000000 - DEMO

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli に Aula 00 • Marcando o posicionamento do

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli Aula 00

Marcando o posicionamento do Conselho Federal de Psicologia em relaÁ„o a temas de relev‚ncia social;

Norteando a conduta profissional de acordo com princÌpios de respeito ‡s individualidades, ao direito ‡ vida e ‡ sa˙de, do direito ‡ cidadania e ‡ dignidade da pessoa humana.

APRESENTA« O DO C”DIGO DE …TICA

Um CÛdigo de …tica profissional, por estabelecer padrıes esperados

de determinada categoria profissional, procura incentivar a autorreflex„o de cada indivÌduo sobre sua pr·tica, de modo a responsabiliz·-lo, pessoal e coletivamente, por aÁıes e consequÍncias no exercÌcio profissional. O objetivo de um cÛdigo de Ètica profissional n„o È de normatizar a tÈcnica do trabalho e sim a de assegurar, dentro de valores relevantes para a sociedade, um padr„o de conduta que fortaleÁa

o reconhecimento social daquela categoria. Expressa uma concepÁ„o de homem e de sociedade que baliza as formas das relaÁıes entre os indivÌduos e se baseia no respeito ao sujeito humano e seus direitos fundamentais. Um cÛdigo de Ètica n„o pode ser visto como um conjunto est·tico de normas imut·veis no tempo. … necess·rio reflex„o e avaliaÁ„o contÌnuas. … o terceiro cÛdigo de Ètica dos psicÛlogos no Brasil e busca atender ao contexto legal, principalmente apÛs a promulgaÁ„o da ConstituiÁ„o de 1988, conhecida como ConstituiÁ„o Cidad„. Foi construÌdo por meio de espaÁos de discuss„o sobre a Ètica da profiss„o, suas responsabilidades, com a participaÁ„o direta dos psicÛlogos e aberto ‡ sociedade.

Prof. Marina Beccalli

9

www.estrategiaconcursos.com.br

00000000000 - DEMO

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli に Aula 00 Este CÛdigo pautou-se pelo objetivo

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli Aula 00

Este CÛdigo pautou-se pelo objetivo geral se aproximar mais de um instrumento de reflex„o do que de um conjunto de normas a serem seguidas pelo psicÛlogo e se pauta nos seguintes PrincÌpios:

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli に Aula 00 Este CÛdigo pautou-se pelo objetivo
  • a. Valorizar os princÌpios fundamentais como grandes eixos que devem orientar a relaÁ„o do psicÛlogo com a sociedade, a profiss„o, as entidades profissionais e a ciÍncia, pois esses eixos atravessam todas as pr·ticas e estas demandam uma contÌnua reflex„o sobre o contexto social e institucional.

b. Abrir

espaÁo para

a

discuss„o, pelo

psicÛlogo, dos limites e

interseÁıes relativos aos direitos individuais e coletivos, quest„o crucial para as relaÁıes que estabelece com a sociedade, os colegas de profiss„o e os usu·rios ou benefici·rios dos seus serviÁos.

  • c. Contemplar a diversidade que configura o exercÌcio da profiss„o e a crescente inserÁ„o do psicÛlogo em contextos institucionais e em equipes multiprofissionais.

  • d. Estimular reflexıes que considerem a profiss„o como um todo e n„o em suas pr·ticas particulares, uma vez que os principais dilemas Èticos n„o se restringem a pr·ticas especÌficas e surgem em quaisquer contextos de atuaÁ„o.

Espera-se que o CÛdigo seja capaz de mostrar para a sociedade as responsabilidades e deveres do psicÛlogo, oferecer diretrizes para sua formaÁ„o e critÈrios para suas aÁıes, contribuindo para o fortalecimento a ampliaÁ„o do significado social da profiss„o.

***** Vamos ver como esses assuntos s„o cobrados em prova?

Prof. Marina Beccalli

10

www.estrategiaconcursos.com.br

00000000000 - DEMO

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli に Aula 00 1. (SEPLAG/MG – IBF –

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli Aula 00

1. (SEPLAG/MG IBF 2013) O CÛdigo de …tica È um importante instrumento para uma categoria profissional, na medida em que contribui para promover uma reflex„o acerca de questıes relativas ao exercÌcio profissional. Assinale a alternativa correta em relaÁ„o ao atual CÛdigo de …tica do PsicÛlogo:

  • (A) Pautou-se pelo princÌpio geral de aproximar-se de um conjunto de normas a serem seguidas pelo psicÛlogo.

  • (B) Na sua construÁ„o, buscou-se valorizar os princÌpios fundamentais como grandes eixos que devem orientar a relaÁ„o do psicÛlogo com a sociedade, a profiss„o, as entidades profissionais e a ciÍncia.

  • (C) … o quarto cÛdigo da categoria no Brasil, e entrou em vigor em
    2005.

  • (D) Conta apenas com as responsabilidades do psicÛlogo, do qual È exigido o cumprimento de uma sÈrie de questıes relativas ‡ pr·tica profissional.

COMENT£RIO

  • (A) INCORRETA. O CÛdigo de …tica Profissional traz normas fundamentais para a profiss„o, mas tambÈm traz uma concepÁ„o sobre o homem, as relaÁıes entre indivÌduos, servindo como um instrumento de reflex„o.

  • (B) CORRETA. A produÁ„o do CÛdigo de …tica Profissional e suas discussıes observaram questıes tÈcnicas, bem como questıes de ordem social e filosÛfica, de forma que ele aborda a relaÁ„o do psicÛlogo com a sociedade, com a profiss„o, com as entidades profissionais e com a ciÍncia.

  • (C) INCORRETA. Esta atual vers„o È a terceira, em vigor desde 27 de agosto de 2005.

Prof. Marina Beccalli

11

www.estrategiaconcursos.com.br

00000000000 - DEMO

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli に Aula 00 (D) INCORRETA. O CÛdigo de

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli Aula 00

  • (D) INCORRETA. O CÛdigo de …tica Profissional tem discussıes que trazem uma autorreflex„o exigida de cada um frente a sua pr·tica, para que haja uma responsabilizaÁ„o, de maneira pessoal e coletiva, por aÁıes e suas consequÍncias no exercÌcio profissional, indo alÈm das suas responsabilidades de psicÛlogo.

2. (HEPP IBFC 2014) Tendo em vista o atual CÛdigo de …tica do PsicÛlogo, pode-se considerar que, em sua construÁ„o, buscou-se a aproximaÁ„o de um:

  • (A) Instrumento de reflex„o do profissional.

  • (B) Conjunto de normas a serem seguidas pelo psicÛlogo.

  • (C) Conjunto de padrıes de conduta especÌficos para cada pr·tica particular do psicÛlogo, uma vez que os principais dilemas Èticos se restringem a pr·ticas especÌficas.

  • (D) Instrumento que possa ser utilizado como modelo para aÁıes especÌficas, principalmente na ·rea de atuaÁ„o clÌnica, escolar, organizacional e hospitalar.

COMENT£RIOS:

Apesar das tÈcnicas que envolvem cada profiss„o, o CÛdigo de …tica do PsicÛlogo traz aspectos de reflex„o, devido ao momento do paÌs e ‡

Psicologia como profissional.

uma ·rea

recente de desenvolvimento cientÌfico e

  • (A) CORRETA. AlÈm das caracterÌsticas tÈcnicas e dos padrıes esperados quanto ‡s pr·ticas da categoria profissional, tambÈm È miss„o do CÛdigo de …tica do PsicÛlogo ser um instrumento de reflex„o quanto a valores universais, e de acordo com o momento social e cultural do paÌs.

Prof. Marina Beccalli

12

www.estrategiaconcursos.com.br

00000000000 - DEMO

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli に Aula 00 (B) INCORRETA. O CÛdigo de

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli Aula 00

  • (B) INCORRETA. O CÛdigo de …tica do PsicÛlogo n„o se restringe apenas a um conjunto de normas a serem seguidas, tendo, alÈm disso, uma caracterÌstica reflexiva.

  • (C) INCORRETA. Os dilemas Èticos n„o se limitam apenas a pr·ticas especÌficas e o CÛdigo n„o se restringe a elas, pois tambÈm se refere a condutas que tÍm relaÁ„o com vis„o de mundo e de contexto sociocultural.

  • (D) INCORRETA. O CÛdigo de …tica do PsicÛlogo n„o dispıe apenas sobre as ·reas clÌnicas, escolares, organizacionais e hospitalares. Ele regulamenta a profiss„o como um todo, incluindo as especificidades da pr·tica, e tambÈm fala sobre limites individuais e coletivos na relaÁ„o com responsabilidade e compromisso com a promoÁ„o da cidadania.

PRINCÕPIOS FUNDAMENTAIS

Os PrincÌpios Fundamentais s„o os eixos que norteiam os artigos deste CÛdigo de Ètica. Leia e memorize.

  • I. O psicÛlogo basear· seu trabalho no respeito e na promoÁ„o da liberdade, da dignidade, da igualdade e da integridade do ser

humano, apoiado nos valores que embasam a DeclaraÁ„o Universal dos Direitos Humanos. II. O psicÛlogo trabalhar· visando promover a sa˙de e a qualidade de

vida das pessoas e das coletividades e contribuir· para a eliminaÁ„o de quaisquer formas de negligÍncia, discriminaÁ„o, exploraÁ„o, violÍncia, crueldade e opress„o. III. O psicÛlogo atuar· com responsabilidade social, analisando crÌtica e historicamente a realidade polÌtica, econÙmica, social e cultural. IV. O psicÛlogo atuar· com responsabilidade, por meio do contÌnuo aprimoramento profissional, contribuindo para o

Prof. Marina Beccalli

13

www.estrategiaconcursos.com.br

00000000000 - DEMO

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli に Aula 00 desenvolvimento da Psicologia como campo

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli Aula 00

desenvolvimento da Psicologia como campo cientÌfico de conhecimento e de pr·tica.

  • V. O psicÛlogo contribuir· para promover a universalizaÁ„o do

acesso da populaÁ„o ‡s informaÁıes, ao conhecimento da ciÍncia psicolÛgica, aos serviÁos e aos padrıes Èticos da profiss„o. VI. O psicÛlogo zelar· para que o exercÌcio profissional seja

VII.

efetuado com dignidade, rejeitando as situaÁıes em que a Psicologia esteja sendo aviltada. O psicÛlogo considerar· as relaÁıes de poder nos contextos em que atua e os impactos dessas relaÁıes sobre as suas atividades profissionais, posicionando-se de forma crÌtica e em conson‚ncia com os demais princÌpios deste CÛdigo.

***** Vejamos como esse assunto j· foi cobrado em prova.

3. (TRT 12 REGI O

FCC

2013) Acerca

do

CÛdigo de

…tica

Profissional do PsicÛlogo, È INCORRETO afirmar que o psicÛlogo:

  • (A) Contribuir· para promover a universalizaÁ„o do acesso da populaÁ„o ‡s informaÁıes, ao conhecimento da ciÍncia psicolÛgica, aos serviÁos e aos padrıes Èticos da profiss„o.

  • (B) Zelar· para que o exercÌcio profissional seja efetuado com austeridade, mesmo quando levado a tolerar e aceitar situaÁıes em que a Psicologia esteja sendo aviltada.

  • (C) Atuar· com responsabilidade, por meio do contÌnuo aprimoramento profissional, contribuindo para o desenvolvimento da Psicologia como campo cientÌfico de conhecimento e de pr·tica.

  • (D) Trabalhar· visando a promover a sa˙de e a qualidade de vida das pessoas e das coletividades e contribuir· para a eliminaÁ„o de

Prof. Marina Beccalli

14

www.estrategiaconcursos.com.br

00000000000 - DEMO

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli に Aula 00 quaisquer formas de discriminaÁ„o, negligÍncia,

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli Aula 00

quaisquer formas de discriminaÁ„o, negligÍncia, exploraÁ„o, violÍncia, crueldade e opress„o.

  • (E) Atuar· com responsabilidade social, analisando crÌtica e historicamente a realidade polÌtica, econÙmica, social e cultural.

COMENT£RIOS:

  • (A) CORRETA. O CÛdigo dispıe que o psicÛlogo contribua para a universalizaÁ„o do acesso da populaÁ„o ‡s informaÁıes e conhecimentos da profiss„o.

  • (B) INCORRETA. O CÛdigo fala que o profissional deve rejeitar situaÁıes em que a Psicologia esteja sendo aviltada.

  • (C) CORRETA. O CÛdigo defende uma atuaÁ„o com responsabilidade e contÌnuo aprimoramento por parte do psicÛlogo.

  • (D) CORRETA. O CÛdigo dispıe que o psicÛlogo trabalhar· visando a promover a sa˙de e a qualidade de vida das pessoas e das coletividades e contribuir· para a eliminaÁ„o de quaisquer formas de negligÍncia, discriminaÁ„o, exploraÁ„o, violÍncia, crueldade e opress„o.

  • (E) CORRETA. O CÛdigo determina que haja, por parte do profissional, uma an·lise crÌtica e histÛrica da realidade polÌtica, econÙmica, social e cultural.

DAS RESPONSABILIDADES DO PSIC”LOGO

Este tÛpico cai bastante em provas, fique atento!

Art. 1 - S„o deveres fundamentais dos psicÛlogos:

  • (a) Conhecer, divulgar, cumprir e fazer cumprir este CÛdigo (preste atenÁ„o: caso cometa falta Ètica, o profissional n„o poder· alegar que

Prof. Marina Beccalli

15

www.estrategiaconcursos.com.br

00000000000 - DEMO

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli に Aula 00 n„o conhecia seus deveres, pois

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli Aula 00

n„o conhecia seus deveres, pois todo psicÛlogo tem o dever de conhecer a legislaÁ„o que regulamenta a profiss„o);

  • (b) Assumir responsabilidades profissionais somente por atividades para as quais esteja capacitado pessoal, teÛrica e tecnicamente

(preste atenÁ„o: caso o psicÛlogo seja chamado a prestar um serviÁo para o qual n„o esteja capacitado, dever· recusar-se tendo como argumento o dever previsto no Art.1 b do CÛdigo de …tica Profissional do PsicÛlogo);

  • (c) Prestar serviÁos psicolÛgicos de qualidade, em condiÁıes de

trabalho dignas e apropriadas ‡ natureza desses serviÁos, utilizando princÌpios, conhecimentos e tÈcnicas reconhecidamente fundamentados na ciÍncia psicolÛgica, na Ètica e na legislaÁ„o

profissional (Perceba: o CÛdigo associa a prestaÁ„o do serviÁo de qualidade ‡ necessidade de condiÁıes adequadas de trabalho. Por exemplo, podemos pensar em um lugar em que n„o haja um espaÁo apropriado para a escuta do paciente, o que faz com que o som vaze e o sigilo seja comprometido. Com base no CÛdigo, o profissional poder· solicitar um espaÁo adequado para a prestaÁ„o do serviÁo. J· na outra parte fica claro que o profissional pode utilizar somente tÈcnicas ou

instrumentos que tenham fundamentaÁ„o com a Ètica da profiss„o, alÈm de comprovado embasamento cientÌfico e estejam de acordo com o CÛdigo);

  • (d) Prestar serviÁos profissionais em situaÁıes de calamidade p˙blica ou de emergÍncia, sem visar benefÌcio pessoal;

  • (e) Estabelecer acordos de prestaÁ„o de serviÁos que respeitem os direitos do usu·rio ou benefici·rio dos serviÁos de Psicologia;

  • (f) Fornecer, a quem de direito, sobre os encaminhamentos apropriados, a partir da prestaÁ„o de serviÁos psicolÛgicos e fornecer, sempre que solicitado, os documentos pertinentes ao bom termo do trabalho;

Prof. Marina Beccalli

16

www.estrategiaconcursos.com.br

00000000000 - DEMO

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli に Aula 00 (g) Informar, a quem de

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli Aula 00

  • (g) Informar, a quem de direito, os resultados decorrentes da prestaÁ„o de serviÁos psicolÛgicos e fornecer, sempre que solicitado, os documentos pertinentes ao bom termo do trabalho;

  • (h) Zelar para que a comercializaÁ„o, aquisiÁ„o, doaÁ„o, emprÈstimo, guarda e forma de divulgaÁ„o do material privativo do psicÛlogo sejam feitas conforme os princÌpios deste CÛdigo;

  • (i) Ter, para como o trabalho dos psicÛlogos e de outros profissionais, respeito, consideraÁ„o e solidariedade e, quando solicitado, colaborar com estes, salvo impedimento por motivo relevante;

  • (j) Sugerir serviÁos de outros psicÛlogos, sempre que, por motivos justific·veis, n„o puderem ser continuados pelo profissional que os assumiu inicialmente, fornecendo ao seu substituto as informaÁıes necess·rias ‡ continuidade do trabalho;

  • (k) Levar ao conhecimento das inst‚ncias competentes o exercÌcio ilegal ou irregular da profiss„o, transgressıes a princÌpios e diretrizes deste CÛdigo ou da legislaÁ„o profissional.

***** Vamos ver como o tema j· apareceu em prova?

4. (UFJF

COPESE

2013) De

acordo

com

o

CÛdigo de

…tica

Profissional, s„o deveres fundamentais do psicÛlogo, EXCETO:

  • (A) Prestar serviÁos profissionais em situaÁıes de calamidade p˙blica ou de emergÍncia, sem visar ao benefÌcio pessoal.

  • (B) Fornecer, a quem de direito, na prestaÁ„o de serviÁos psicolÛgicos, informaÁıes concernentes ao trabalho a ser realizado e ao objetivo pessoal.

  • (C) Ter, para com o trabalho dos psicÛlogos e de outros profissionais, respeito, consideraÁ„o e solidariedade e, quando solicitado, colaborar com estes, salvo impedimento por motivo relevante.

Prof. Marina Beccalli

17

www.estrategiaconcursos.com.br

00000000000 - DEMO

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli に Aula 00 (D) Desviar para serviÁo particular

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli Aula 00

  • (D) Desviar para serviÁo particular ou de outra instituiÁ„o, visando ao benefÌcio prÛprio, pessoas ou organizaÁıes com a qual mantenha qualquer tipo de vÌnculo profissional.

COMENT£RIOS:

  • (A) CORRETA. Prestar serviÁos profissionais em situaÁıes de calamidade p˙blica È um dos deveres fundamentais do psicÛlogo.

  • (B) CORRETA. O fornecimento de serviÁos psicolÛgicos a quem de direito È dever fundamental.

  • (C) CORRETA. Ter respeito, consideraÁ„o e solidariedade È dever fundamental do psicÛlogo e a colaboraÁ„o com colegas e outros profissionais somente n„o ocorrer· por motivo relevante.

  • (D) INCORRETA. Ao psicÛlogo È vedado desviar para serviÁo particular ou de outra instituiÁ„o, visando ao benefÌcio pessoal, pessoas ou organizaÁıes atendidas por instituiÁ„o com a qual mantenha qualquer tipo de vÌnculo profissional.

Art. 2 : Ao psicÛlogo È vedado:

  • a) Praticar ou ser conivente com quaisquer atos que caracterizem a negligÍncia, discriminaÁ„o, exploraÁ„o, violÍncia, crueldade ou opress„o.

  • b) Induzir a convicÁıes polÌticas, filosÛficas, morais, ideolÛgicas, religiosas, de orientaÁ„o sexual ou a qualquer tipo de preconceito, quando do exercÌcio de suas funÁıes profissionais;

  • c) Utilizar ou favorecer o uso de conhecimento e a utilizaÁ„o de pr·ticas psicolÛgicas como instrumentos de castigo, tortura ou qualquer forma de violÍncia;

  • d) Acumpliciar-se com pessoas ou organizaÁıes que exerÁam ou favoreÁam o exercÌcio ilegal da profiss„o de psicÛlogo ou de qualquer outra atividade profissional;

Prof. Marina Beccalli

18

www.estrategiaconcursos.com.br

00000000000 - DEMO

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli に Aula 00 e) Ser conivente com erros,

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli Aula 00

  • e) Ser conivente com erros, faltas Èticas, violaÁ„o de direitos, crimes ou contravenÁıes penais praticados por psicÛlogos na prestaÁ„o de serviÁos profissionais;

  • f) Prestar serviÁos ou vincular o tÌtulo de psicÛlogo a serviÁos de atendimento psicolÛgico cujos procedimentos, tÈcnicas e meios n„o estejam regulamentados ou reconhecidos pela profiss„o;

  • g) Emitir documentos sem fundamentaÁ„o e qualidade tÈcnico-cientÌfica;

  • h) Interferir na validade e fidedignidade de instrumentos e tÈcnicas psicolÛgicas, adulterar seus resultados ou fazer declaraÁıes falsas;

0

  • i) Induzir qualquer pessoa ou organizaÁ„o a recorrer a seus serviÁos;

  • j) Estabelecer com a pessoa atendida, familiar ou terceiro, que tenha vÌnculo com o atendido, relaÁ„o que possa interferir negativamente nos objetivos do serviÁo prestado;

    • k) Ser perito, avaliador ou parecerista em situaÁıes nas quais seus vÌnculos pessoais ou profissionais, atuais ou anteriores, possam afetar a qualidade do trabalho a ser realizado ou a fidelidade aos resultados da avaliaÁ„o;

    • l) Desviar para serviÁo particular ou de outra instituiÁ„o, visando benefÌcio prÛprio, pessoas ou organizaÁıes atendidas por instituiÁ„o com a qual mantenha qualquer tipo de vÌnculo profissional;

    • m) Prestar serviÁos profissionais a organizaÁıes concorrentes de modo

que possam resultar em prejuÌzo para as partes envolvidas,

decorrentes de informaÁıes privilegiadas;

n) Prolongar, desnecessariamente, a prestaÁ„o de serviÁos profissionais;

o) Pleitear ou receber comissıes, emprÈstimos, doaÁıes ou vantagens

outras de qualquer espÈcie, alÈm dos honor·rios contratados assim

como intermediar transaÁıes financeiras;

p) Receber, pagar remuneraÁ„o ou porcentagem por encaminhamento de

serviÁos;

Prof. Marina Beccalli

19

www.estrategiaconcursos.com.br

00000000000 - DEMO

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli に Aula 00 q) Realizar diagnÛsticos, divulgar procedimentos

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli Aula 00

q) Realizar diagnÛsticos, divulgar procedimentos ou apresentar resultados

de serviÁos psicolÛgicos em meios de comunicaÁ„o, de forma

expor pessoas, grupos ou organizaÁıes.

*****

Vamos ver como esses assuntos s„o cobrados prova?

5. (SESACRE FUNCAB 2013) As alternativas abaixo apresentam o

que È vetado ao psicÛlogo no exercÌcio profissional, de acordo com o

artigo 2 do CÛdigo de …tica Profissional do PsicÛlogo, EXCETO:

  • (A) Induzir qualquer pessoa ou organizaÁ„o a recorrer a seus serviÁos.

  • (B) Emitir documentos sem fundamentaÁ„o e qualidade tÈcnico cientÌfica.

  • (C) Induzir a convicÁıes polÌticas, filosÛficas, morais, ideolÛgicas, religiosas, de orientaÁ„o sexual, quando do exercÌcio de suas funÁıes profissionais.

  • (D) Prestar serviÁos profissionais em situaÁıes de calamidade p˙blica ou de emergÍncia.

  • (E) Prestar serviÁos ou vincular o tÌtulo de psicÛlogo a serviÁos de atendimento cujos procedimentos n„o estejam reconhecidos pela profiss„o.

COMENT£RIO:

  • (A) CORRETA. Ao psicÛlogo È vedado pelo artigo 2 do CÛdigo de …tica Profissional induzir qualquer pessoa ou organizaÁ„o a recorrer a seus serviÁos.

Prof. Marina Beccalli

20

www.estrategiaconcursos.com.br

00000000000 - DEMO

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli に Aula 00 (B) CORRETA. O trabalho do

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli Aula 00

  • (B) CORRETA. O trabalho do psicÛlogo deve se pautar na Ètica e na qualidade tÈcnico-cientÌfica, aspectos que tambÈm devem ser observados na emiss„o de documentos.

  • (C) CORRETA. O psicÛlogo n„o deve induzir convicÁıes polÌticas, filosÛficas, morais, ideolÛgicas, religiosas, nem de orientaÁ„o sexual.

  • (D) INCORRETA. Um dos deveres fundamentais do psicÛlogo È prestar serviÁos profissionais em situaÁıes de calamidade p˙blica ou de emergÍncia sem visar ao benefÌcio pessoal.

  • (E) CORRETA. Alguns procedimentos e tÈcnicas n„o s„o reconhecidos pelo CFP. … vedado ao psicÛlogo prestar serviÁos ou vincular o seu tÌtulo a serviÁos de atendimento cujos procedimentos n„o estejam reconhecidos pelo CÛdigo e pelo Conselho Federal de Psicologia. Como exemplo, podemos citar o reiki e a aromaterapia.

Art.3 - O psicÛlogo, para ingressar, associar-se ou permanecer em

uma organizaÁ„o considerar· a miss„o, a filosofia, as polÌticas, as

normas e as pr·ticas nela vigentes e sua compatibilidade com os

princÌpios e regras deste CÛdigo.

Par·grafo ⁄nico: Existindo incompatibilidade, cabe ao psicÛlogo

recusar-se a prestar serviÁos e, se pertinente, apresentar den˙ncia ao

Ûrg„o competente.

Art.4 - Ao fixar a remuneraÁ„o pelo seu trabalho, o psicÛlogo:

a) Levar· em conta a justa retribuiÁ„o aos serviÁos prestados e as

condiÁıes do usu·rio ou benefici·rio;

b) Estipular· o valor de acordo com as caracterÌsticas da atividade e

o comunicar· ao usu·rio ou benefici·rio antes do inÌcio do trabalho a

ser realizado;

Prof. Marina Beccalli

21

www.estrategiaconcursos.com.br

00000000000 - DEMO

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli に Aula 00 c) Assegurar· a qualidade dos

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli Aula 00

  • c) Assegurar· a qualidade dos serviÁos oferecidos independentemente do valor acordado.

Art.5

-

O psicÛlogo, quando participar de greves ou paralisaÁıes,

garantir· que:

  • a) As atividades de emergÍncia n„o sejam interrompidas;

b)

Haja

prÈvia

comunicaÁ„o

da

paralisaÁ„o

aos

usu·rios

ou

benefici·rios dos serviÁos atingidos pela mesma.

Art.6 - O psicÛlogo, no relacionamento com profissionais n„o-

psicÛlogos:

  • a) Encaminhar· a profissionais ou entidades habilitados e

qualificados demandas que extrapolem seu campo de atuaÁ„o;

  • b) Compartilhar· somente informaÁıes relevantes para qualificar

o serviÁo prestado, resguardando o car·ter confidencial das

comunicaÁıes, assinalando a responsabilidade, de quem as receber,

de preservar o sigilo.

Art.7 - O psicÛlogo poder· intervir na prestaÁ„o de serviÁos

psicolÛgicos que estejam sendo efetuados por outro profissional,

nas seguintes situaÁıes:

  • a) A pedido do profissional respons·vel pelo serviÁo;

  • b) Em caso de emergÍncia ou risco ao benefici·rio ou usu·rio do serviÁo, quando dar· imediata ciÍncia ao profissional;

  • c) Quando informado expressamente, por qualquer uma das partes, da interrupÁ„o volunt·ria e definitiva do serviÁo;

  • d) Quando se tratar de trabalho multiprofissional e a intervenÁ„o fizer parte da metodologia adotada.

Prof. Marina Beccalli

22

www.estrategiaconcursos.com.br

00000000000 - DEMO

***** PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli に Aula 00 Vejamos questıes sobre os

*****

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli Aula 00

Vejamos questıes sobre os assuntos.

6. (SEPLAG/MG IBFC 2013) De acordo com o atual CÛdigo de …tica

do PsicÛlogo, este poder· intervir na prestaÁ„o de serviÁos psicolÛgicos

que estejam sendo efetuados por outro profissional nas seguintes

situaÁıes:

  • I- A pedido do profissional respons·vel pelo serviÁo.

    • II- Em caso de emergÍncia ou risco ao usu·rio do serviÁo, quando n„o

ser· necess·rio dar imediata ciÍncia ao profissional.

III Quando informado expressamente, por qualquer das partes, da

interrupÁ„o volunt·ria e definitiva do serviÁo.

IV Quando se tratar de trabalho multiprofissional e a intervenÁ„o fizer

parte da metodologia adotada.

Est„o corretas as afirmativas:

  • (A) Apenas I e IV est„o corretas.

  • (B) Apenas I e II est„o corretas.

  • (C) Apenas II e III s„o falsas.

  • (D) Apenas II È falsa.

COMENT£RIO:

  • I. CORRETA. Poder· o psicÛlogo intervir na prestaÁ„o de serviÁos psicolÛgicos quando estejam sendo efetuados por outro profissional, a pedido do profissional respons·vel pelo serviÁo.

II.

INCORRETA. Em caso de emergÍncia ou risco ao usu·rio do

serviÁo, poder· o psicÛlogo intervir na prestaÁ„o de serviÁos

psicolÛgicos, mas dar· imediata ciÍncia ao profissional

acompanhante.

Prof. Marina Beccalli

23

www.estrategiaconcursos.com.br

00000000000 - DEMO

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli に Aula 00 III. CORRETA. Dado o car·ter

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli Aula 00

III. CORRETA. Dado o car·ter de interrupÁ„o volunt·ria e definitiva do

serviÁo, apÛs informaÁ„o expressa, poder· o psicÛlogo intervir na

prestaÁ„o de serviÁos psicolÛgicos anteriormente prestados por

outro colega.

IV. CORRETA. Dentre as atividades do psicÛlogo est· o trabalho

multiprofissional. Quanto ‡ metodologia adotada, poder· o

profissional intervir na prestaÁ„o de serviÁos psicolÛgicos que

estejam sendo efetuados por outro colega.

RESPOSTA: D

7. (TRE/CE FCC 2012 O art.4 do CÛdigo de …tica Profissional do

PsicÛlogo informa que, ao fixar a remuneraÁ„o pelo seu trabalho, o

psicÛlogo levar· em conta a justa retribuiÁ„o aos serviÁos prestados e as

condiÁıes do usu·rio ou benefici·rio, estipular· o valor de acordo com as

caracterÌsticas da atividade e o comunicar· ao usu·rio ou benefici·rio

antes do inÌcio do trabalho a ser realizado e assegurar· a qualidade dos

serviÁos oferecidos:

  • (A) Respeitando os valores aplicados pelo mercado de sa˙de.

  • (B) Por meio do valor acordado.

  • (C) Respeitando as tabelas de valores indicadas pelo Conselho Regional de Psicologia do qual faz parte.

  • (D) Respeitando a mÈdia dos valores estabelecidos pelas tabelas de valores indicadas pelo Conselho Regional de Psicologia do qual faz parte.

  • (E) Independentemente do valor acordado.

COMENT£RIOS:

Prof. Marina Beccalli

24

www.estrategiaconcursos.com.br

00000000000 - DEMO

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli に Aula 00 (A) INCORRETA. O psicÛlogo levar·

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli Aula 00

  • (A) INCORRETA. O psicÛlogo levar· em conta a justa retribuiÁ„o aos serviÁos prestados e as condiÁıes do usu·rio ou benefici·rio, n„o se pautando apenas no mercado de sa˙de.

  • (B) INCORRETA. O valor acordado n„o ser· o determinante da qualidade dos serviÁos oferecidos.

  • (C) INCORRETA. Os valores da tabela disponibilizada pelo CFP s„o Valores de ReferÍncia Nacional de Honor·rios dos PsicÛlogos, e devem servir de base sem desconsiderar o que regula o CÛdigo de …tica quanto ‡ observ‚ncia das condiÁıes do usu·rio ou benefici·rio.

  • (D) INCORRETA. Os Valores de ReferÍncia Nacional de Honor·rios dos PsicÛlogos s„o regulamentados pelo Conselho Federal de Psicologia. Os indicativos de valores de honor·rios cobrados s„o apenas um par‚metro, cabendo a cada profissional definir, de acordo com o usu·rio dos seus serviÁos, as modificaÁıes e valores a serem cobrados.

  • (E) CORRETA. A qualidade dos serviÁos ofertados ser· assegurada independentemente do valor acordado.

Art.8 - para realizar o atendimento n„o eventual de crianÁa,

adolescente ou interdito, o psicÛlogo dever· obter autorizaÁ„o de ao

menos um de seus respons·veis, observadas as determinaÁıes da

legislaÁ„o vigente:

ß1 - no caso de n„o se apresentar um respons·vel legal o atendimento

dever· ser efetuado e comunicado ‡s autoridades competentes;

ß2 - o psicÛlogo responsabilizar-se-· pelos encaminhamentos que se

fizerem necess·rios para garantir a proteÁ„o integral do atendido.

Art.9 - … dever do psicÛlogo respeitar o sigilo profissional a fim de

proteger, por meio da confidencialidade, a intimidade das pessoas, grupos

ou organizaÁıes, a que tenha acesso no exercÌcio profissional.

Prof. Marina Beccalli

25

www.estrategiaconcursos.com.br

00000000000 - DEMO

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli に Aula 00 Art.10 - Nas situaÁıes em

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli Aula 00

Art.10 - Nas situaÁıes em que se configure conflito entre as

exigÍncias decorrentes do disposto no Art.9 e as afirmaÁıes dos

princÌpios fundamentais deste CÛdigo, excetuando-se os casos previstos

em lei, o psicÛlogo poder· decidir pela quebra de sigilo, baseando

sua decis„o na busca do menor prejuÌzo.

Art.11 - quando requisitado a depor em juÌzo, o psicÛlogo poder·

prestar informaÁıes, considerando o previsto neste CÛdigo.

OBSERVA« O IMPORTANTE: o sigilo È um DEVER do psicÛlogo. No

entanto, em certas situaÁıes, È permitido revelar algumas informaÁıes,

devendo restringir-se a expor apenas os elementos estritamente

necess·rios.

*****

Vamos ver como o assunto j· foi cobrado em prova?

8. (TJ/PE FCC 2012) Segundo o CÛdigo de …tica Profissional do

PsicÛlogo, o psicÛlogo, quando requisitado a depor em juÌzo:

  • (A) n„o poder· prestar informaÁıes dado que È dever do psicÛlogo respeitar o sigilo profissional (Art. 9o).

  • (B) poder· prestar informaÁıes, considerando o previsto no CÛdigo de …tica Profissional do PsicÛlogo (Art. 11).

  • (C) n„o poder· prestar informaÁıes, dado que o psicÛlogo deve garantir a proteÁ„o integral do atendido (Art. 8o par·grafo 2o).

Prof. Marina Beccalli

26

www.estrategiaconcursos.com.br

00000000000 - DEMO

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli に Aula 00 (D) poder· prestar somente informaÁıes

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli Aula 00

  • (D) poder· prestar somente informaÁıes se forem sobre indivÌduo(s) maior(es) de 18 anos, com antecedente infracional (Art. 10, par·grafo ˙nico).

  • (E) n„o poder· prestar informaÁıes no caso de atendimento a crianÁas e adolescentes, dado que para fazÍ-lo, dependeria da autorizaÁ„o dos pais do(s) menor(es) por escrito (Art. 13).

COMENT£RIOS:

… importante ressaltar que dados estritamente relevantes para outros

profissionais e que garantam a proteÁ„o integral do atendido podem ser

compartilhados, no que tange ‡ sua relev‚ncia para o caso, e ainda com

base no princÌpio da busca de menor prejuÌzo.

  • (A) INCORRETA. O CÛdigo dispıe que o psicÛlogo poder· depor em

juÌzo, limitando-se a informaÁıes relevantes ao caso e com base no

princÌpio da busca do menor prejuÌzo.

  • (B) CORRETA. O psicÛlogo poder· depor em juÌzo, compartilhando apenas informaÁıes relevantes ao caso, resguardando informaÁıes confidenciais e assinalando a quem receber a informaÁ„o sobre a preservaÁ„o do sigilo.

  • (C) INCORRETA. O atendimento n„o eventual de crianÁa, adolescente e interdito deve ocorrer com a autorizaÁ„o de pelo menos um dos respons·veis. H· a possibilidade de que o psicÛlogo revele informaÁıes pertinentes ao caso, mas sempre de forma respons·vel e de forma a garantir a proteÁ„o integral do atendido.

  • (D) INCORRETA. O psicÛlogo pode decidir quebrar o sigilo na busca do menor prejuÌzo, mas essa quebra n„o est· relacionada ao fato de serem os indivÌduos maiores de 18 anos e com antecedentes infracionais.

Prof. Marina Beccalli

27

www.estrategiaconcursos.com.br

00000000000 - DEMO

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli に Aula 00 (E) INCORRETA. No atendimento de

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli Aula 00

  • (E) INCORRETA. No atendimento de crianÁa, adolescente e interdito, pode haver tambÈm a quebra do sigilo, desde que se busque o princÌpio do menor prejuÌzo e se faÁa de forma respons·vel.

Art.12 Nos documentos que embasam as atividades em equipe

multiprofissional, o psicÛlogo registrar· apenas as informaÁıes

necess·rias para o cumprimento dos objetivos do trabalho.

Art.13 No atendimento ‡ crianÁa, ao adolescente ou ao interdito, deve

ser comunicado aos respons·veis o estritamente essencial para se

promoverem medidas em seu benefÌcio.

Art.14 A utilizaÁ„o de quaisquer meios de registro e observaÁ„o da

pr·tica psicolÛgica obedecer· ‡s normas deste CÛdigo e a legislaÁ„o

profissional vigente, devendo o usu·rio ou benefici·rio, desde o

inÌcio, ser informado.

Art. 15 Em caso de interrupÁ„o do trabalho do psicÛlogo, por quaisquer

motivos, ele dever· zelar pelo destino dos seus arquivos confidenciais.

ß1 - Em caso de demiss„o ou exoneraÁ„o, o psicÛlogo dever·

repassar todo o material ao psicÛlogo que vier a substituÌ-lo, ou

lacr·-lo para posterior utilizaÁ„o pelo psicÛlogo substituto.

ß2 - Em caso de extinÁ„o do serviÁo de Psicologia, o psicÛlogo

respons·vel informar· ao Conselho Regional de Psicologia, que

providenciar· a destinaÁ„o dos arquivos confidenciais.

Art. 16 O psicÛlogo, na realizaÁ„o de estudos, pesquisas e atividades

voltadas para a produÁ„o de conhecimento e desenvolvimento

tecnologias:

de

Prof. Marina Beccalli

28

www.estrategiaconcursos.com.br

00000000000 - DEMO

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli に Aula 00 a) Avaliar· os riscos envolvidos

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli Aula 00

  • a) Avaliar· os riscos envolvidos, tanto pelos procedimentos, como pela divulgaÁ„o dos resultados, com o objetivo de proteger as pessoas, grupos, organizaÁıes e comunidades envolvidas;

  • b) Garantir· o car·ter volunt·rio da participaÁ„o dos envolvidos, mediante consentimento livre e esclarecido, salvo nas situaÁıes previstas em legislaÁ„o especÌfica e respeitando os princÌpios deste CÛdigo;

  • c) Garantir· o anonimato das pessoas, grupos ou organizaÁıes, salvo interesse manifesto destes;

  • d) Garantir· o acesso das pessoas, grupos ou organizaÁıes aos resultados das pesquisas ou estudos, apÛs seu encerramento, sempre que assim o desejarem.

******

Vamos ver mais uma quest„o?

9. (SESACRE FUNCAB 2014) De acordo com o CÛdigo de …tica do

PsicÛlogo, o psicÛlogo, na realizaÁ„o de estudos, pesquisas e atividades

voltadas para a produÁ„o de conhecimento dever·, EXCETO:

  • (A) Avaliar os riscos envolvidos.

  • (B) Garantir o car·ter volunt·rio da participaÁ„o dos envolvidos.

  • (C) Garantir o anonimato das pessoas.

  • (D) Garantir o acesso dos envolvidos aos resultados da pesquisa.

  • (E) Prestar serviÁos a organizaÁıes concorrentes.

COMENT£RIO:

  • (A) CORRETA. Os riscos envolvidos devem ser avaliados nas pesquisas e nas atividades voltadas para a produÁ„o de conhecimento, com o objetivo de proteger as pessoas, grupos, organizaÁıes e comunidades envolvidas.

Prof. Marina Beccalli

29

www.estrategiaconcursos.com.br

00000000000 - DEMO

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli に Aula 00 (B) CORRETA. O car·ter volunt·rio

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli Aula 00

  • (B) CORRETA. O car·ter volunt·rio È essencial quanto ‡ participaÁ„o dos envolvidos nos estudos e nas pesquisas, devendo os participantes assinarem o termo de consentimento livre e esclarecido, que garante a participaÁ„o espont‚nea.

  • (C) CORRETA. AlÈm da participaÁ„o volunt·ria, o CÛdigo fala da garantia de anonimato das pessoas, grupos ou organizaÁıes, salvo interesse manifesto destes.

  • (D) CORRETA. ApÛs o encerramento e sempre que desejarem, as pessoas, grupos ou organizaÁıes envolvidas na pesquisa devem ter a garantia de acesso aos resultados.

  • (E) INCORRETA. Prestar serviÁos profissionais a organizaÁıes concorrentes de forma a gerar dano a alguma das partes envolvidas, devido a informaÁıes privilegiadas, È pr·tica vedada ao psicÛlogo.

Art. 17 Caber· aos psicÛlogos docentes ou supervisores esclarecer,

informar, orientar e exigir dos estudantes a observ‚ncia dos princÌpios e

normas contidas neste CÛdigo.

Art. 18 O psicÛlogo n„o divulgar·, ensinar·, emprestar· ou vender· a

leigos instrumentos e tÈcnicas psicolÛgicas que permitam ou facilitem o

exercÌcio ilegal da profiss„o.

Art.19 O psicÛlogo, ao participar

de

atividade em veÌculos de

comunicaÁ„o, zelar· para que as informaÁıes prestadas disseminem o

conhecimento a respeito das atribuiÁıes, da base cientÌfica e do papel

social da profiss„o.

Art.20 O psicÛlogo, ao promover publicamente seus serviÁos, por

quaisquer meios, individual ou coletivamente:

a) Informar· seu nome completo, o CRP e seu n˙mero de registro;

Prof. Marina Beccalli

30

www.estrategiaconcursos.com.br

00000000000 - DEMO

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli に Aula 00 b) Far· referÍncia apenas a

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli Aula 00

  • b) Far· referÍncia apenas a tÌtulos ou qualificaÁıes profissionais que possua;

  • c) Divulgar· somente qualificaÁıes, atividades e recursos relativos a tÈcnicas e pr·ticas que estejam reconhecidas ou regulamentadas na profiss„o;

  • d) N„o utilizar· o preÁo do serviÁo como forma de propaganda;

  • e) N„o far· previs„o taxativa de resultados;

  • f) N„o far· autopromoÁ„o em detrimento de outros profissionais;

  • g) N„o propor· atividades que sejam atribuiÁıes privativas de outras categorias profissionais;

  • h) N„o far· divulgaÁ„o sensacionalista das atividades profissionais.

*****

Segue mais uma quest„o para vermos como o tema j· apareceu

em prova.

10. (TRT 19 REGI O FCC- 2014) O artigo 20 do CÛdigo de …tica

Profissional do PsicÛlogo informa como o psicÛlogo deve agir ao promover

publicamente seus serviÁos, por quaisquer meios, individual ou

coletivamente. Dentre as disposiÁıes existentes neste artigo, encontra-se

que o psicÛlogo:

  • (A) Far· previs„o taxativa sobre os resultados do trabalho.

  • (B) Informar· o preÁo do serviÁo como forma de propaganda.

  • (C) Far· referÍncia apenas a tÌtulos ou qualificaÁıes profissionais que possua.

  • (D) Utilizar· de autopromoÁ„o para diferenciar-se mercadologicamente dos outros profissionais da ·rea de sa˙de.

  • (E) Relatar· casos de sucesso e aproveitar· a oportunidade para apresentar depoimentos de seus clientes.

COMENT£RIO:

Prof. Marina Beccalli

31

www.estrategiaconcursos.com.br

00000000000 - DEMO

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli に Aula 00 (A) INCORRETA. Ao psicÛlogo È

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli Aula 00

  • (A) INCORRETA. Ao psicÛlogo È vedado fazer previsıes taxativas de resultados do seu trabalho, tendo em vista que a Psicologia parte do princÌpio da singularidade e toda previs„o taxativa seria contr·ria a isto.

  • (B) INCORRETA. O psicÛlogo, ao promover publicamente os seus serviÁos, n„o utilizar· os preÁos cobrados por eles como forma de propaganda.

  • (C) CORRETA. Para promoÁ„o p˙blica de seus serviÁos È permitido que o profissional se utilize dos seus tÌtulos e qualificaÁıes profissionais.

  • (D) INCORRETA. … vetado ao psicÛlogo autopromoÁ„o em prejuÌzo de outros profissionais de quaisquer ·reas de atuaÁ„o.

  • (E) INCORRETA. O psicÛlogo n„o far· divulgaÁ„o sensacionalista das atividades profissionais e, por isso, n„o deve utilizar casos de sucesso para a promoÁ„o p˙blica dos seus serviÁos.

DAS DISPOSI«’ES GERAIS

As transgressıes deste CÛdigo constituem infraÁ„o disciplinar

com a aplicaÁ„o das seguintes penalidades, na forma dos dispositivos

legais ou regimentais:

AdvertÍncia;

Multa;

Censura p˙blica;

Suspens„o do exercÌcio profissional por atÈ 30 dias, ad

referendum do Conselho Federal de Psicologia;

CassaÁ„o do exercÌcio profissional, ad referendum do

Conselho Federal de Psicologia.

Prof. Marina Beccalli

32

www.estrategiaconcursos.com.br

00000000000 - DEMO

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli に Aula 00 Art.22 – As d˙vidas na

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli Aula 00

Art.22 As d˙vidas na observ‚ncia deste CÛdigo e os casos omissos

ser„o resolvidos pelos Conselhos Regionais de Psicologia, ad referendum

do Conselho Federal de Psicologia.

Art.23

Competir·

ao

Conselho

Federal

de

Psicologia firmar

jurisprudÍncia

quanto

aos

casos omissos e

fazÍ-la

incorporar a este

CÛdigo.

Art.24 O presente CÛdigo poder· ser alterado pelo Conselho Federal de

Psicologia, por iniciativa prÛpria ou da categoria, ouvidos os Conselhos

Regionais de Psicologia.

Art. 25 Este CÛdigo entra em vigor em 27 de agosto de 2005.

Este CÛdigo de …tica Profissional È fruto de amplos debates ocorridos

entre os anos de 2003 e 2005, envolvendo:

15 fÛruns regionais de …tica, que culminaram com o II FÛrum

Nacional de …tica;

Os trabalhos de uma comiss„o de psicÛlogos e professores

convidados;

Os trabalhos da Assembleia das PolÌticas Administrativas e

Financeiras do Sistema Conselhos de Psicologia, APAF, sob

responsabilidade do Conselho Federal de Psicologia.

*****

Vamos ver como o assunto È cobrado?

11. (FGV- AL/MT 2013) Segundo o CÛdigo de …tica do PsicÛlogo,

assinale a alternativa que indica o procedimento correto.

Prof. Marina Beccalli

33

www.estrategiaconcursos.com.br

00000000000 - DEMO

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli に Aula 00 (A) Em caso de condenaÁ„o

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli Aula 00

  • (A) Em caso de condenaÁ„o por ato indevido, o CÛdigo prevÍ a suspens„o do direito de exercÌcio por 60 dias.

  • (B) Um psicÛlogo resolveu dar inÌcio ao atendimento e formaÁ„o de outros profissionais segundo uma tÈcnica ainda n„o regularizada no Brasil. O psicÛlogo, considerando a seriedade de seu trabalho e o curto do investimento, resolve dar continuidade ao seu trabalho.

  • (C) Um psicÛlogo atuou em uma instituiÁ„o de internaÁ„o de menores durante dois anos e, por entrar em conflito com seu superior, foi demitido. Considerando a demiss„o uma afronta a seu trabalho, resolve destruir todo o material arquivado.

  • (D) Cabe ao psicÛlogo avaliar as situaÁıes em que È necess·rio quebrar o sigilo profissional.

  • (E) Um grupo de profissionais, com o objetivo de angariar mais clientes, fizeram importante investimento em propaganda, cobrando preÁos abaixo do mercado e enfatizando esse aspecto nos cartazes e panfletos distribuÌdos.

COMENT£RIOS:

  • (A) INCORRETA. O CÛdigo prevÍ a suspens„o por 30 dias.

  • (B) INCORRETA. Ao psicÛlogo È vedado utilizar tÈcnicas n„o reconhecidas pelo CÛdigo e pelo CFP.

  • (C) INCORRETA. … dever do psicÛlogo zelar pela guarda do material que envolveu seu trabalho.

  • (D) CORRETA. O psicÛlogo pode decidir pela quebra do sigilo profissional, mas sempre levando em conta a busca pelo menor

  • (E) INCORRETA. … vedado ao psicÛlogo utilizar-se do preÁo dos serviÁos como forma de propaganda.

Prof. Marina Beccalli

34

www.estrategiaconcursos.com.br

00000000000 - DEMO

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli に Aula 00 RESOLU« O DE QUEST’ES 12.

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli Aula 00

RESOLU« O DE QUEST’ES

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli に Aula 00 RESOLU« O DE QUEST’ES 12.

12. (HEPP IBFC- 2014) CÛdigos de …tica profissionais s„o

fundamentais para o estabelecimento de padrıes esperados quanto ·s

pr·ticas referendadas por uma respectiva categoria profissional e pela

sociedade. Assinale a alternativa INCORRETA a respeito do atual CÛdigo

de …tica do PsicÛlogo:

  • (A) Foi aprovado em 2005.

  • (B) … o terceiro da categoria profissional no Brasil.

  • (C) Seu processo de construÁ„o ocorreu num perÌodo inferior a seis meses, e contou com a participaÁ„o de alguns profissionais da categoria de psicÛlogos, que puderam representar os demais e a sociedade.

  • (D) Conta com os princÌpios fundamentais, as responsabilidades do psicÛlogo e as disposiÁıes gerais.

COMENT£RIO

Prof. Marina Beccalli

35

www.estrategiaconcursos.com.br

00000000000 - DEMO

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli に Aula 00 (A) CORRETA. Em 2005, foi

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli Aula 00

  • (A) CORRETA. Em 2005, foi aprovado o CÛdigo de …tica Profissional do PsicÛlogo, que entrou em vigor no dia 27 de Agosto de 2005 e revogou a ResoluÁ„o do CFP n 002/87.

  • (B) CORRETA. O CÛdigo de …tica Profissional È o terceiro. Ele foi construÌdo a partir de diversos espaÁos de discuss„o sobre as responsabilidades e compromissos com a promoÁ„o da cidadania.

  • (C) INCORRETA. A construÁ„o do CÛdigo de …tica ocorreu durante trÍs anos, em todo o paÌs, e ainda contando com a participaÁ„o direta dos psicÛlogos, sedo um processo aberto ‡ sociedade.

  • (D) CORRETA. O CÛdigo de …tica Profissional È divido em: PrincÌpios Fundamentais, Responsabilidades do PsicÛlogo e DisposiÁıes Gerais.

13. (TRT 18 REGI O FCC- 2013) Segundo o CÛdigo de …tica

Profissional do PsicÛlogo (Art. 3 ), o psicÛlogo, para ingressar, associar-se

ou permanecer em uma organizaÁ„o, considerar· a miss„o, a filosofia, as

polÌticas, as normas e as pr·ticas nela vigentes e sua compatibilidade com

os princÌpios e regras deste CÛdigo de …tica. Existindo incompatibilidade,

cabe ao psicÛlogo:

  • (A) Denunciar os colegas, mas manter-se no emprego para gerar transformaÁıes.

  • (B) Manter a prestaÁ„o de serviÁos de serviÁos, respeitando as limitaÁıes do empregador.

  • (C) Permanecer calado e subserviente atÈ que possa deslocar-se para outro emprego.

  • (D) Recusar-se a prestar serviÁo e, se pertinente, apresentar den˙ncia ao Ûrg„o competente.

  • (E) Ficar no emprego para obter informaÁıes e depois advertir o empregador.

Prof. Marina Beccalli

36

www.estrategiaconcursos.com.br

00000000000 - DEMO

COMENT£RIOS: PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli に Aula 00 (A) INCORRETA. Cabe ao

COMENT£RIOS:

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli Aula 00

  • (A) INCORRETA. Cabe ao psicÛlogo zelar pelo cumprimento do CÛdigo de …tica e ter respeito, consideraÁ„o e solidariedade para com outros psicÛlogos e para com outros profissionais, n„o cabendo permanecer na organizaÁ„o, caso a miss„o, a filosofia, as polÌticas, as normas e as pr·ticas vigentes sejam incompatÌveis com os princÌpios e regras do CÛdigo.

  • (B) INCORRETA. Tendo em vista a incompatibilidade da miss„o, filosofia, polÌticas, normas e das pr·ticas vigentes na organizaÁ„o com os princÌpios Èticos da profiss„o, o psicÛlogo n„o deve manter- se na organizaÁ„o.

  • (C) INCORRETA. Entre os deveres do psicÛlogo, est· o de prestar serviÁos de qualidade em condiÁıes dignas e apropriadas. Ao permanecer calado e subserviente quanto ao fato de perceber incompatibilidade da miss„o, polÌtica, filosofia, normas e das pr·ticas vigentes na organizaÁ„o atÈ que possa deslocar-se para outro emprego, o psicÛlogo estar· cometendo falta Ètica.

  • (D) CORRETA. … legÌtima a recusa por parte do psicÛlogo em prestar serviÁos ao perceber a incompatibilidade da miss„o, filosofia, pr·ticas e das normas vigentes na organizaÁ„o, cabendo, se pertinente, apresentar den˙ncia ao Ûrg„o competente.

  • (E) INCORRETA. Cabe ao psicÛlogo considerar e avaliar a miss„o, a filosofia, as polÌticas, as normas e as pr·ticas vigentes na organizaÁ„o e sua compatibilidade com os princÌpios e regras presentes no CÛdigo de …tica antes de ingressar ou permanecer na organizaÁ„o. Caso sejam incompatÌveis, cabe ao profissional recusar-se em prestar serviÁos e n„o permanecer, apresentando den˙ncia, se pertinente, ao Ûrg„o competente.

14. (HEPP

IBFC

2014)

Na

pr·tica do trabalho do psicÛlogo,

eventualmente podem ocorrer situaÁıes em que exista a necessidade de

intervenÁ„o na prestaÁ„o de serviÁos psicolÛgicos que estejam sendo

Prof. Marina Beccalli

37

www.estrategiaconcursos.com.br

00000000000 - DEMO

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli に Aula 00 efetuados por outro profissional tambÈm

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli Aula 00

efetuados por outro profissional tambÈm da ·rea da Psicologia. SituaÁıes

como estas s„o permitidas, de acordo com o atual CÛdigo de …tica da

categoria, nas seguintes condiÁıes:

I Quando se tratar de trabalho multiprofissional e a intervenÁ„o fizer

parte da metodologia adotada.

II Quando informado expressamente, obrigatoriamente por ambas as

partes, da interrupÁ„o volunt·ria e definitiva do serviÁo.

III A pedido do profissional respons·vel pelo serviÁo.

IV Em caso de emergÍncia ou risco ‡ pessoa atendida, n„o

necessitando, neste caso, de imediata ciÍncia do profissional respons·vel

pelo acompanhamento do caso.

Est„o corretas as alternativas:

  • (A) I e III s„o corretas.

  • (B) Somente I È correta.

  • (C) II, III e IV s„o corretas.

  • (D) Todas s„o corretas.

COMENT£RIOS:

I CORRETA. O psicÛlogo poder· intervir quando se tratar de um

trabalho multiprofissional e a intervenÁ„o fizer parte da metodologia.

II INCORRETA. A interrupÁ„o volunt·ria e definitiva deve ser

informada por uma das partes e não “obrigatoriamente por ambas as

partes”.

III CORRETA. O profissional respons·vel pelo serviÁo pode solicitar que

haja intervenÁ„o na prestaÁ„o de serviÁos psicolÛgicos que estejam sendo

efetuados por outro profissional.

IV INCORRETA. Em caso de emergÍncia ou risco ao benefici·rio ou

usu·rio do serviÁo, o CÛdigo prevÍ a intervenÁ„o de outro profissional

Prof. Marina Beccalli

38

www.estrategiaconcursos.com.br

00000000000 - DEMO

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli に Aula 00 psicÛlogo, mas deve-se acompanhante. dar

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli Aula 00

psicÛlogo, mas deve-se

acompanhante.

dar

imediata ciÍncia do

fato

RESPOSTA: A

ao profissional

15. (SESACRE FUNCAB 2014) De acordo com o CÛdigo de …tica do

PsicÛlogo, o psicÛlogo, na realizaÁ„o de estudos, pesquisas e atividades

voltadas para a produÁ„o de conhecimento, dever·. Marque a alternativa

INCORRETA.

  • (A) Avaliar os riscos envolvidos.

  • (B) Garantir o car·ter volunt·rio da participaÁ„o dos envolvidos.

  • (C) Garantir o anonimato das pessoas.

  • (D) Garantir o acesso dos envolvidos aos resultados da pesquisa.

  • (E) Prestar serviÁos a organizaÁıes concorrentes.

COMENT£RIOS:

  • (A) CORRETA. O CÛdigo de …tica afirma que dever„o ser avaliados os

ricos envolvidos com o objetivo de proteger pessoas, grupos,

organizaÁıes e comunidades ligadas ‡ pesquisa.

  • (B) CORRETA. O car·ter volunt·rio de participaÁ„o dos envolvidos na

pesquisa È feito pela assinatura do consentimento livre e

esclarecido e tratado no CÛdigo.

  • (C) CORRETA. O CÛdigo traz garantia do anonimato das pessoas,

grupos ou organizaÁıes participantes das pesquisas, salvo se o

participante apresentar interesse manifesto em contr·rio.

  • (D) CORRETA. Sempre que desejarem, È garantido o acesso das pessoas, grupos ou organizaÁıes aos resultados das pesquisas ou

estudos, mesmo apÛs seu encerramento.

  • (E) INCORRETA. O CÛdigo pontua ser vetado ao psicÛlogo prestar

serviÁos profissionais a organizaÁıes concorrentes de modo que

Prof. Marina Beccalli

39

www.estrategiaconcursos.com.br

00000000000 - DEMO

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli に Aula 00 possam resultar em prejuÌzo para

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli Aula 00

possam resultar em prejuÌzo para as partes envolvidas, decorrentes

de informaÁıes privilegiadas.

16. (UFJF COPESE 2013) O

CÛdigo de …tica Profissional do

PsicÛlogo, aprovado pelo Conselho Federal de Psicologia, em resoluÁ„o

que

entrou

em

vigor

em

fundamentais, EXCETO:

27/08/2005,

tem

entre

seus princÌpios

  • (A) O psicÛlogo basear· o seu trabalho no respeito e na promoÁ„o da liberdade, da dignidade, da igualdade e da integridade do ser humano, apoiado nos valores que embasam a DeclaraÁ„o Universal dos Direitos Humanos.

  • (B) O psicÛlogo considerar· as relaÁıes de poder nos contextos em que atua e os impactos dessas relaÁıes sobre as suas atividades profissionais, posicionando-se de forma crÌtica.

  • (C) O psicÛlogo contribuir· para promover a universalizaÁ„o do acesso da populaÁ„o ‡s informaÁıes, ao conhecimento da ciÍncia psicolÛgica e aos serviÁos e aos padrıes Èticos da profiss„o.

  • (D) O psicÛlogo assumir· responsabilidades profissionais somente para atividades para as quais esteja capacitado e pelas quais receber· sal·rio digno.

COMENT£RIOS:

  • (A) CORRETA. A DeclaraÁ„o Universal dos Direitos Humanos descreve os direitos humanos b·sicos, como os princÌpios da liberdade, dignidade, igualdade e integridade da pessoa humana.

  • (B) CORRETA. O CÛdigo versa sobre as relaÁıes de poder e sobre o psicÛlogo posicionar-se de forma crÌtica quanto aos impactos destas na sua atuaÁ„o.

  • (C) CORRETA. Cabe ao psicÛlogo contribuir para a promoÁ„o da universalizaÁ„o do acesso a informaÁ„o quanto aos direitos fundamentais do ser humano.

Prof. Marina Beccalli

40

www.estrategiaconcursos.com.br

00000000000 - DEMO

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli に Aula 00 (D) INCORRETA. O profissional deve

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli Aula 00

  • (D) INCORRETA. O profissional deve desempenhar e assumir responsabilidades em atividades para as quais estiver capacitado pessoal, teÛrica e tecnicamente.

17. (TJ/AM FGV 2013)

De

acordo

com

o

CÛdigo de

…tica

dos

PsicÛlogos brasileiros, assinale a alternativa correta.

  • (A) O psicÛlogo deve prestar serviÁos ‡ comunidade em situaÁıes de emergÍncia ou calamidade sem usufruir benefÌcio pessoal.

  • (B) O psicÛlogo, no exercÌcio da profiss„o, n„o possui atribuiÁ„o de comunicar aos Ûrg„os competentes irregularidades observadas.

  • (C) O psicÛlogo n„o È respons·vel por arquivar resultados do seu trabalho.

  • (D) O psicÛlogo poder· sugerir a derivaÁ„o de um paciente atendido numa instituiÁ„o para sua clÌnica privada sempre que for conveniente.

  • (E) O psicÛlogo n„o È obrigado a fornecer os resultados de seu atendimento.

COMENT£RIOS:

  • (A) CORRETA. … dever fundamental do psicÛlogo prestar serviÁos ‡ comunidade sem usufruir benefÌcio pessoal.

  • (B) INCORRETA. … dever fundamental do profissional comunicar aos Ûrg„os competentes os casos de exercÌcio ilegal da profiss„o, alÈm de irregularidades e transgressıes observadas.

  • (C) INCORRETA. O psicÛlogo È respons·vel por arquivar resultados do seu trabalho.

  • (D) INCORRETA. … vedado ao profissional desviar para pessoas para serviÁo particular ou de outra instituiÁ„o com a qual mantenha qualquer tipo de vÌnculo profissional.

Prof. Marina Beccalli

41

www.estrategiaconcursos.com.br

00000000000 - DEMO

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli に Aula 00 (E) INCORRETA. … dever informar

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli Aula 00

  • (E) INCORRETA. … dever informar a quem de direito os resultados decorrentes da prestaÁ„o de serviÁos psicolÛgicos, transmitindo somente o necess·rio para a tomada de decisıes que afetem o usu·rio ou benefici·rio.

18. (SEPLAG CESGRANRIO 2011) Considere a situaÁ„o em que

uma greve de profissionais da sa˙de paralise as atividades de um

equipamento de sa˙de mental. Considere as afirmativas abaixo acerca

das obrigaÁıes Èticas que cabem a um psicÛlogo que trabalha nesse

serviÁo.

I O psicÛlogo deve garantir a continuidade dos atendimentos pelos

quais j· era respons·vel antes do indicativo de greve.

II O psicÛlogo deve garantir que as atividades de emergÍncia n„o sejam

interrompidas.

III O psicÛlogo deve avisar previamente aos usu·rios que haver· a

paralisaÁ„o dos serviÁos.

… correto apenas o que afirma em:

  • (A) I

  • (B) II

  • (C) III

  • (D) I e II

  • (E) II e III

COMENT£RIOS:

I INCORRETA. … possÌvel a participaÁ„o do psicÛlogo em greves ou

paralisaÁıes, sendo garantido, entretanto, o atendimento nos serviÁos de

emergÍncias e devendo os usu·rios do serviÁo serem avisados

antecipadamente.

Prof. Marina Beccalli

42

www.estrategiaconcursos.com.br

00000000000 - DEMO

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli に Aula 00 II – CORRETA. O CÛdigo

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli Aula 00

II CORRETA. O CÛdigo trata especificamente sobre a n„o interrupÁ„o

das atividades de emergÍncia.

III CORRETA. … necess·rio que haja prÈvia comunicaÁ„o da paralisaÁ„o

aos usu·rios ou benefici·rios dos serviÁos atingidos pela greve ou

paralisaÁ„o dos serviÁos.

RESPOSTA: E

19. (TJ/AM FGV 2013) Um psicÛlogo foi convidado para ser perito

de um caso de impedimento por problemas mentais. No decurso do

processo, descobriu que um dos familiares do paciente, diretamente

envolvido com o caso, era amigo de inf‚ncia, embora n„o houvesse um

convÌvio atual sistem·tico. Sobe o caso descrito, assinale a afirmativa

correta.

  • (A) O CÛdigo de …tica n„o tem orientaÁ„o especÌfica para tais situaÁıes.

  • (B) O profissional deveria procurar o amigo informando que era um dos peritos, mas que n„o sabia das circunst‚ncias antes de ter o processo em m„os.

  • (C) O profissional deveria se afastar do caso, pedindo sua substituiÁ„o.

  • (D) O profissional n„o deveria se comunicar com o amigo antes da decis„o final.

  • (E) O profissional deveria consultar outro psicÛlogo.

COMENT£RIOS:

  • (A) INCORRETA. O CÛdigo tem orientaÁıes especÌficas para tais situaÁıes.

  • (B) INCORRETA. O profissional n„o deve estabelecer com a pessoa atendida, familiar ou terceiro que tenha vÌnculo com o atendido, relaÁ„o que possa interferir negativamente nos objetivos do serviÁo prestado.

  • (C) CORRETA. … vedado ao psicÛlogo ser perito, avaliador ou parecerista em situaÁıes nas quais seus vÌnculos pessoais ou

Prof. Marina Beccalli

43

www.estrategiaconcursos.com.br

00000000000 - DEMO

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli に Aula 00 profissionais, atuais ou anteriores, possam

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli Aula 00

profissionais, atuais ou anteriores, possam afetar a qualidade do

trabalho a ser realizado ou a fidelidade aos resultados da avaliaÁ„o.

O profissional dever· se afastar do caso.

  • (D) INCORRETA. … vedado ao psicÛlogo prestar serviÁos de perito, avaliador ou parecerista caso tenha tido vÌnculos pessoais ou profissionais, atuais ou anteriores, que possam afetar a qualidade de seu trabalho.

  • (E) INCORRETA. O psicÛlogo estar· impedido de realizar a atividade, pois È vedado prestar serviÁos de perito, avaliador ou parecerista caso tenha tido vÌnculos pessoais ou profissionais, atuais ou anteriores na situaÁ„o avaliada. Dever· se afastar do caso, pedindo sua substituiÁ„o por outro colega psicÛlogo.

20. (TRT 9 REGI O FCC 2010) Segundo o CÛdigo de …tica

Profissional do PsicÛlogo, Art.3 , o psicÛlogo, para ingressar, associar-se

ou permanecer em uma organizaÁ„o, considerar·:

  • (A) Que n„o pode prestar serviÁos profissionais a organizaÁıes concorrentes, resultando em benefÌcios para as partes envolvidas.

  • (B) A justa retribuiÁ„o aos serviÁos prestados e as condiÁıes do usu·rio ou benefici·rio.

  • (C) Que as atividades de emergÍncia em greves n„o sejam interrompidas.

  • (D) PrÈvia comunicaÁ„o da paralisaÁ„o aos usu·rios ou benefici·rios dos serviÁos atingidos pela instituiÁ„o.

  • (E) A miss„o, a filosofia, as polÌticas, as normas e as pr·ticas nela vigentes e sua compatibilidade com os princÌpios e regras do referido cÛdigo.

COMENT£RIOS:

Prof. Marina Beccalli

44

www.estrategiaconcursos.com.br

00000000000 - DEMO

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli に Aula 00 (A) INCORRETA. Quem trata da

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli Aula 00

  • (A) INCORRETA. Quem trata da prestaÁ„o de serviÁos profissionais a organizaÁıes concorrentes È o Art.2 .

  • (B) INCORRETA. O art.4 trata sobre a fixaÁ„o de remuneraÁ„o pelo seu trabalho.

  • (C) INCORRETA. O art.5 discorre sobre a participaÁ„o do psicÛlogo em greves e paralisaÁıes e fala sobre a n„o interrupÁ„o das atividades de emergÍncia.

  • (D) INCORRETA. … necess·ria a prÈvia comunicaÁ„o da paralisaÁ„o aos usu·rios ou benefici·rios dos serviÁos atingidos em casos de greve ou paralisaÁıes.

  • (E) CORRETA. O art.3 fala sobre ingressar, associar-se ou permanecer em uma organizaÁ„o. Havendo incompatibilidade entre a miss„o, a filosofia, as polÌticas, as normas e as pr·ticas vigentes e o CÛdigo de Ètica, caber· ao profissional recusar-se a prestar serviÁos.

21. (TRT 9 REGI O FCC 2010) O CÛdigo de …tica Profissional do

PsicÛlogo aponta, no art.15 que, em caso de demiss„o ou exoneraÁ„o, o

psicÛlogo dever· repassar todo o material ao psicÛlogo que vier a

substituÌ-lo, ou lacr·-lo para posterior:

  • (A) Encaminhamento ‡s outras especialidades.

  • (B) IncineraÁ„o do material.

  • (C) UtilizaÁ„o pelo psicÛlogo substituto.

  • (D) Encaminhamento ao juiz.

  • (E) VerificaÁ„o de sua adequaÁ„o.

COMENT£RIOS:

  • (A) INCORRETA. O material de uso exclusivo do psicÛlogo n„o ser· encaminhado ‡s outras especialidades. Se houver extinÁ„o do serviÁo de Psicologia, dever· o Profissional informar ao Conselho

Prof. Marina Beccalli

45

www.estrategiaconcursos.com.br

00000000000 - DEMO

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli に Aula 00 Regional de Psicologia para que

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli Aula 00

Regional de Psicologia para que este se encarregue do destino dos

arquivos confidenciais.

  • (B) INCORRETA. O CÛdigo de …tica n„o menciona incineraÁ„o dos materiais.

  • (C) CORRETA. Em caso de demiss„o ou exoneraÁ„o, o CÛdigo de …tica afirma que o material ser· repassado ao profissional psicÛlogo substituto.

  • (D) INCORRETA. Os documentos feitos pelo psicÛlogo n„o devem ser compartilhados por outros profissionais, nem mesmo por juiz.

  • (E) INCORRETA. N„o h· referÍncia no CÛdigo em relaÁ„o ‡ verificaÁ„o de adequaÁ„o.

22. (SESA/ES CESPE 2013) Assinale a opÁ„o correta referente ao

CÛdigo de …tica Profissional dos PsicÛlogos.

  • (A) Constitui princÌpio fundamental estabelecido pelo CÛdigo de …tica Profissional dos PsicÛlogos a promoÁ„o da sa˙de e de qualidade de vida dos indivÌduos e das coletividades, devendo o psicÛlogo ser neutro em quaisquer formas de violÍncia e de discriminaÁ„o.

  • (B) O profissional da psicologia dever· atuar com responsabilidade social e econÙmica, estando a par dos contextos histÛricos e sociais. Cabe ao profissional, ainda, a an·lise crÌtica das realidades social, cultural e individual na tomada de decis„o.

  • (C) O psicÛlogo dever· atuar com responsabilidade no desenvolvimento da psicologia como campo cientÌfico de conhecimento e de pr·tica.

  • (D) O profissional de Psicologia dever· promover a universalizaÁ„o do acesso da populaÁ„o ‡s informaÁıes e aos serviÁos, n„o cabendo sua contribuiÁ„o no que tange ao conhecimento das especificidades da ciÍncia psicolÛgica.

  • (E) Constitui princÌpio fundamental estabelecido pelo CÛdigo de …tica Profissional dos PsicÛlogos o trabalho fundamentado no respeito e na promoÁ„o da liberdade, da dignidade, da igualdade e da

Prof. Marina Beccalli

46

www.estrategiaconcursos.com.br

00000000000 - DEMO

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli に Aula 00 integridade do ser humano, apoiado

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli Aula 00

integridade do ser humano, apoiado nos valores que embasam o

artigo 5 da ConstituiÁ„o Federal.

COMENT£RIOS:

  • (A) INCORRETA. O psicÛlogo dever· trabalhar para eliminar quaisquer formas de negligÍncia, discriminaÁ„o, exploraÁ„o, violÍncia, crueldade e opress„o.

  • (B) INCORRETA. O profissional atuar· com responsabilidade social, analisando crÌtica e historicamente a realidade polÌtica, econÙmica, social e cultural, n„o havendo menÁ„o sobre a responsabilidade econÙmica.

  • (C) CORRETA. … necess·rio o contÌnuo aprimoramento profissional, de maneira que a atuaÁ„o respons·vel contribua para o desenvolvimento da Psicologia como campo cientÌfico de conhecimento e de pr·tica.

  • (D) INCORRETA. O profissional, alÈm de promover a universalizaÁ„o do acesso da populaÁ„o ‡s informaÁıes e aos serviÁos, deve contribuir para o conhecimento das especificidades da ciÍncia psicolÛgica.

  • (E) INCORRETA. O trabalho fundamentado no respeito e na promoÁ„o da liberdade, da dignidade, da igualdade e da integridade do ser humano est· presente na DeclaraÁ„o Universal dos Direitos Humanos.

23. (TJ/PR UFPR 2013) Quanto ‡ documentaÁ„o que est· sob sua

responsabilidade, produzida ao longo de seu exercÌcio profissional em

uma instituiÁ„o jurÌdica, o psicÛlogo deve pautar sua atuaÁ„o no CÛdigo

de …tica do PsicÛlogo (CFP, 2005). Em relaÁ„o ‡ atitude adequada que o

psicÛlogo deve assumir, de forma que resguarde o CÛdigo de …tica, no

que diz respeito tanto a sua relaÁ„o com a instituiÁ„o como ‡

documentaÁ„o, em caso de demiss„o, exoneraÁ„o ou extinÁ„o de sua

funÁ„o, È correto afirmar:

Prof. Marina Beccalli

47

www.estrategiaconcursos.com.br

00000000000 - DEMO

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli に Aula 00 (A) A partir do ingresso

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli Aula 00

  • (A) A partir do ingresso em uma instituiÁ„o jurÌdica, o psicÛlogo deve

considerar as polÌticas, as normas e regras vigentes, sem prejudicar o

andamento das decisıes tomadas. Portanto, em relaÁ„o aos seus arquivos

confidenciais, caso o serviÁo de Psicologia seja extinto com sua demiss„o,

ele deve avisar ao Conselho Regional de Psicologia, para que este

providencie a destinaÁ„o desses documentos.

  • (B) Em caso de extinÁ„o do serviÁo de Psicologia, o psicÛlogo respons·vel

decidir· sobre o destino de seus arquivos confidenciais e avisar· o

Conselho Regional de Psicologia sobre a extinÁ„o de seu cargo,

registrando uma den˙ncia sobre a impossibilidade de dar continuidade

aos casos atendidos.

  • (C) Tanto no caso de demiss„o e exoneraÁ„o como no caso de extinÁ„o

do cargo, È de responsabilidade do psicÛlogo a guarda de seus arquivos

confidenciais durante cinco anos, podendo decidir pelo repasse ou n„o das

informaÁıes sob sua guarda para a instituiÁ„o ou psicÛlogo que ir·

substituÌ-lo.

  • (D) A documentaÁ„o produzida pelo psicÛlogo em uma instituiÁ„o jurÌdica,

normalmente, s„o os prontu·rios aos quais todos tÍm acesso, pois

contÍm informaÁıes importantes para os casos que est„o sendo

avaliados. Sendo assim, caso o psicÛlogo n„o esteja mais na instituiÁ„o,

qualquer outro profissional da equipe poder· ficar respons·vel pelas

informaÁıes.

COMENT£RIOS:

  • (A) CORRETA. Ao ser extinto o serviÁo de psicologia em que trabalha, o psicÛlogo dever· informar ao Conselho Regional de Psicologia, para que este providencie a destinaÁ„o dos documentos.

  • (B) INCORRETA. N„o existe previs„o no cÛdigo sobre den˙ncia em relaÁ„o ‡ impossibilidade de continuidade dos casos.

Prof. Marina Beccalli

48

www.estrategiaconcursos.com.br

00000000000 - DEMO

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli に Aula 00 (C) INCORRETA. O psicÛlogo tem

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli Aula 00

  • (C) INCORRETA. O psicÛlogo tem o dever de repassar as informaÁıes necess·rias ao entendimento do caso para a instituiÁ„o ou psicÛlogo que venha a substituÌ-lo.

  • (D) INCORRETA. Os documentos produzidos pelo psicÛlogo n„o s„o de livre acesso a outros profissionais, devendo o psicÛlogo inclusive resguardar o car·ter sigiloso das informaÁıes e assinalar a responsabilidade para pessoa que tiver acesso a eles posteriormente, caso saia do serviÁo.

24. (TJ/SP VUNESP- 2012) De acordo com o ß 2. , do Art. n. 8 do

CÛdigo de …tica Profissional do PsicÛlogo (ResoluÁ„o CFP n. 010/05), o

psicÛlogo responsabilizar-se-· pelos encaminhamentos que se fizerem

necess·rios para garantir a proteÁ„o integral do atendido. Esse artigo diz

respeito, especificamente, ao atendimento n„o eventual de

  • (A) acidentados, trabalhadores e grupos em risco.

  • (B) pacientes hospitalares, idosos e usu·rios de drogas.

  • (C) crianÁas, adolescentes ou interdito.

  • (D) estrangeiros, indÌgenas e mulheres.

  • (E) aposentados, pensionistas e pessoas em situaÁ„o de rua.

COMENT£RIOS:

O CÛdigo traz consideraÁıes, especificamente, em relaÁ„o ao atendimento

n„o eventual de crianÁas, adolescentes ou interdito.

RESPOSTA: C

25. (TRE/BA CESPE 2017) Assinale

a

opÁ„o

que apresenta

princÌpio fundamental do CÛdigo de …tica Profissional do PsicÛlogo.

  • (A) A promoÁ„o da sa˙de e da qualidade de vida das pessoas, porÈm sem impactar a coletividade

Prof. Marina Beccalli

49

www.estrategiaconcursos.com.br

00000000000 - DEMO

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli に Aula 00 (B) pr·tica profissional digna e

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli Aula 00

  • (B) pr·tica profissional digna e fundamentada nos preceitos religiosos e

espirituais seguidos pelo paciente

  • (C) neutralidade profissional, ainda que com negligenciamento da

realidade social, econÙmica e cultural do paciente

  • (D) atuaÁ„o respons·vel, com aprimoramento contÌnuo do profissional

  • (E) prevenÁ„o da pr·tica de automedicaÁ„o por meio da restriÁ„o de

acesso ao conhecimento da ciÍncia psicolÛgica por p˙blico leigo.

COMENT£RIOS:

  • (A) INCORRETA. A promoÁ„o da sa˙de e da qualidade de vida das pessoas deve sim impactar a coletividade.

  • (B) INCORRETA. A pr·tica do psicÛlogo n„o deve se fundamentar nem induzir a pr·ticas religiosas e espirituais.

  • (C) INCORRETA. O psicÛlogo deve considerar a realidade econÙmica, social e cultural do paciente.

  • (D) CORRETA. O psicÛlogo deve atuar de maneira respons·vel, com o contÌnuo aprimoramento profissional.

  • (E) INCORRETA. O psicÛlogo deve levar ao conhecimento de todos as especificidades da psicologia.

26. (TRT 2 REGI O FCC 2014) O psicÛlogo, quando participar de

greves ou paralisaÁıes, segundo o CÛdigo de …tica Profissional do

PsicÛlogo, deve

(A) garantir que as atividades de emergÍncia n„o sejam interrompidas.

(B) garantir que o pleito da greve ou paralisaÁ„o esteja alinhado aos

pressupostos b·sicos mencionados no Art. 1 dos princÌpios fundamentais

do CÛdigo de …tica do Profissional PsicÛlogo.

(C) assegurar que todos os usu·rios dos serviÁos de assistÍncia ‡ sa˙de

mental sejam atendidos.

Prof. Marina Beccalli

50

www.estrategiaconcursos.com.br

00000000000 - DEMO

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli に Aula 00 (D) promover de forma crÌtica

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli Aula 00

(D) promover de forma crÌtica pleitos que defendam os direitos de sua

categoria.

(E) comunicar ao Conselho Federal de Psicologia sobre seu desacordo

sobre alguns itens da pauta da greve ou paralizaÁ„o.

COMENT£RIOS:

  • (A) CORRETA. Quando houver greves ou paralisaÁıes, o psicÛlogo deve garantir que as atividades de emergÍncia n„o sejam interrompidas.

  • (B) INCORRETA. N„o h· previs„o quanto a isso no CÛdigo.

  • (C) INCORRETA. O psicÛlogo deve assegurar que as atividades de emergÍncia n„o sejam interrompidas. N„o h· menÁ„o a pacientes de sa˙de mental.

  • (D) INCORRETA. N„o h· tal previs„o no CÛdigo.

  • (E) INCORRETA. TambÈm n„o h· tal previs„o no CÛdigo.

27. (TJ/AP FCC 2014) Consta no CÛdigo de …tica Profissional do

PsicÛlogo, em seu Art. 21, que as transgressıes dos preceitos do CÛdigo

constituem infraÁ„o disciplinar com a aplicaÁ„o de penalidades, na forma

de dispositivos legais ou regimentais, dentre elas, a

  • (A) censura privada.

  • (B) multa.

  • (C) permiss„o do exercÌcio profissional por somente 30 dias.

  • (D) cassaÁ„o de documentos.

  • (E) pris„o.

COMENT£RIOS:

  • (A) INCORRETA. O CÛdigo prevÍ a censura p˙blica.

  • (B) CORRETA. H· previs„o de multa no CÛdigo.

Prof. Marina Beccalli

51

www.estrategiaconcursos.com.br

00000000000 - DEMO

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli に Aula 00 (C) INCORRETA. A previs„o È

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli Aula 00

  • (C) INCORRETA. A previs„o È de suspens„o do exercÌcio profissional por 30 dias.

  • (D) INCORRETA. N„o h· tal previs„o no CÛdigo.

  • (E) INCORRETA. N„o h· tal previs„o no CÛdigo.

28. (TRF 2 REGI O FCC 2012) O CÛdigo de …tica Profissional do

PsicÛlogo prevÍ que, quando requisitado a depor em juÌzo, o psicÛlogo

  • (A) poder· prestar informaÁıes, considerando o previsto no referido

CÛdigo.

  • (B) n„o est· obrigado a comparecer ‡ audiÍncia.

  • (C) deve indicar bibliografia que esclareÁa previamente alguns pontos ao

juiz.

  • (D) pode apenas responder a quesitos.

  • (E) deve sempre entregar por escrito seus achados e conclusıes sobre

o caso.

COMENT£RIOS:

  • (A) CORRETA. … legÌtimo o depoimento em juÌzo do psicÛlogo, devendo o profissional prestar apenas as informaÁıes necess·rias e pertinentes ao caso em quest„o.

  • (B) INCORRETA. Em cumprimento ‡ decis„o judicial, deve o psicÛlogo comparecer ‡ audiÍncia.

  • (C) INCORRETA. O CÛdigo traz as relaÁıes do psicÛlogo com seus pares e com outros profissionais. Deve ser resguardado o car·ter confidencial da informaÁ„o, sendo compartilhada apenas informaÁıes necess·rias. N„o deve o psicÛlogo esclarecer previamente nem indicar bibliografia, mas apenas trazer informaÁıes pertinentes ao caso.

  • (D) INCORRETA. Tendo em vista a busca pelo menor prejuÌzo, fica facultada ao profissional a possibilidade, em caso de quebra de

Prof. Marina Beccalli

52

www.estrategiaconcursos.com.br

00000000000 - DEMO

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli に Aula 00 sigilo, de falar sobre informaÁıes

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli Aula 00

sigilo, de falar sobre informaÁıes relevantes, n„o sendo

especificado somente sobre quesitos.

  • (E) INCORRETA. Os documentos escritos devem seguir as regras de tratar somente de informaÁıes pertinentes ao caso.

29. (TJ/MS PUC PR 2017) Com base no disposto no CÛdigo de …tica

Profissional do PsicÛlogo, marque a alternativa que N O representa um

dever desse profissional.

  • (A) Pleitear ou receber comissıes, emprÈstimos, doaÁıes ou vantagens

outras de qualquer espÈcie, alÈm dos honor·rios contratados.

  • (B) Assumir responsabilidades profissionais somente por atividades para

as quais esteja capacitado pessoal, teÛrica e tecnicamente.

  • (C) Prestar serviÁos profissionais em situaÁıes de calamidade p˙blica ou

de emergÍncia, sem visar benefÌcio pessoal.

  • (D) Informar, a quem de direito, os resultados decorrentes da prestaÁ„o

de serviÁos psicolÛgicos, transmitindo somente o que for necess·rio para

a tomada de decisıes que afetem o usu·rio ou benefici·rio.

  • (E) Ter, para com o trabalho dos psicÛlogos e de outros profissionais,

respeito, consideraÁ„o e solidariedade, e, quando solicitado, colaborar,

salvo impedimento por motivo relevante.

COMENT£RIOS:

  • (A) CORRETA. … pr·tica vedada ao psicÛlogo.

  • (B) INCORETA. … um dos deveres fundamentais.

  • (C) INCORRETA. … um dos deveres fundamentais.

  • (D) INCORRETA. … um dos deveres fundamentais.

  • (E) INCORRETA. … um dos deveres fundamentais.

30. (DPE/RS FCC -2017) Mariana, psicÛloga com alguns anos de

formaÁ„o clÌnica, possui dois sobrinhos, filhos de sua ˙nica irm„ Miriam.

Certo dia, em uma conversa familiar, Miriam informou a toda a famÌlia

que as crianÁas est„o sofrendo muito com a separaÁ„o conjugal dela e do

Prof. Marina Beccalli

53

www.estrategiaconcursos.com.br

00000000000 - DEMO

marido. Miriam foi casada com Ricardo relacionamento, o casal decidiu se separar. PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES

marido. Miriam foi casada

com

Ricardo

relacionamento, o casal decidiu se separar.

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli Aula 00

e,

apÛs

doze

anos

de

Comunicaram essa decis„o aos filhos de 5 e 7 anos e resolveram que

seriam pais amigos e presentes, o que motivou a opÁ„o pela guarda

compartilhada. No entanto, apÛs 1 ano da separaÁ„o, Ricardo entrou com

uma aÁ„o judicial de revers„o da guarda para unilateral, sob a alegaÁ„o

que Miriam n„o estava dando permiss„o total para seu acesso aos filhos.

O juiz determinou perÌcia psicolÛgica e o ex-casal Miriam e Ricardo, de

comum acordo, sugeriu que o trabalho fosse realizado pela psicÛloga

Mariana, pois ela conhecia melhor do que ninguÈm as crianÁas, a histÛria

do casal e poderia tambÈm oferecer melhores custos para a famÌlia que,

naquele momento, atravessava dificuldades financeiras.

Levando-se em consideraÁ„o o CÛdigo de …tica Profissional do PsicÛlogo

divulgado pelo Conselho Federal de Psicologia È correto afirmar que

  • (A) A ponderaÁ„o do custo-benefÌcio deve ser imperiosa para o juiz na aceitaÁ„o do nome da perita indicada pelas partes.

  • (B) Mariana n„o poder· assumir o encargo de ser perita ou avaliadora da situaÁ„o, pois possui vÌnculos pessoais com a famÌlia solicitante.

  • (C) a vinculaÁ„o prÈ-existente entre Mariana e a famÌlia, que ora lhe solicita a avaliaÁ„o, trar· maior clareza, profundidade e agilidade na an·lise que ser· apresentada ao juiz e, portanto, a tarefa pericial deve ser imediatamente iniciada por ela.

  • (D) a psicÛloga Mariana n„o possui a especialidade solicitada na perÌcia, qual seja, avaliaÁ„o de famÌlia em sofrimento e, portanto, necessitar· solicitar um prazo maior ao juiz para a realizaÁ„o do trabalho.

  • (E) Mariana poder· apenas formular quesitos, entreg·-los aos advogados das partes e, posteriormente, quando tiver conhecimento do laudo protocolado, respondÍ-los com o cuidado de indicar seu n˙mero de registro profissional.

Prof. Marina Beccalli

54

www.estrategiaconcursos.com.br

00000000000 - DEMO

COMENT£RIOS: PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli に Aula 00 (A) INCORRETA. Na situaÁ„o

COMENT£RIOS:

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli Aula 00

  • (A) INCORRETA. Na situaÁ„o descrita, Mariana est· impedida a ser perita ou avaliadora da situaÁ„o, pois possui vÌnculos pessoais que afetam a qualidade dos resultados da avaliaÁ„o. Portanto, o juiz n„o deve aceitar sua indicaÁ„o.

  • (B) CORRETA. Est· de acordo com previs„o do CÛdigo de …tica.

  • (C) INCORRETA. O CÛdigo veda ser perito ou parecerista em situaÁıes em que haja vÌnculos pessoais, pois podem afetar a qualidade do trabalho.

  • (D) INCORRETA. N„o existe tal previs„o no CÛdigo.

  • (E) INCORRETA. Mariana est· impedida de atuar no caso.

31. (TJ/PR UFPR 2017) A ResoluÁ„o CFP n 010/2005, aprova o

CÛdigo de …tica Profissional do PsicÛlogo (CEPP), sendo possÌvel

encontrar:

“Toda profissão define-se a partir de um corpo de pr·ticas que busca

atender demandas sociais, norteado por

elevados padrıes tÈcnicos e pela existÍncia de normas Èticas que

garantam a adequada relaÁ„o de cada profissional

com seus pares e com a sociedade como um todo.”

Analise as afirmativas a seguir.

I. No atendimento ‡ crianÁa, ao adolescente ou ao interdito, deve ser

comunicado aos respons·veis o estritamente essencial para se

promoverem medidas em seu benefÌcio.

II. O psicÛlogo, no relacionamento com profissionais n„o psicÛlogos,

compartilhar· somente informaÁıes relevantes para qualificar o serviÁo

prestado, resguardando o car·ter confidencial das comunicaÁıes.

III. Quando requisitado a depor em juÌzo, o psicÛlogo n„o poder· prestar

informaÁıes, considerando a obrigatoriedade

de manutenÁ„o do sigilo.

Prof. Marina Beccalli

55

www.estrategiaconcursos.com.br

00000000000 - DEMO

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli に Aula 00 IV. A utilizaÁ„o de quaisquer

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli Aula 00

IV. A utilizaÁ„o de quaisquer meios de registro e observaÁ„o da pr·tica

psicolÛgica obedecer· ‡s normas vigentes,

devendo o usu·rio ou benefici·rio, desde o inÌcio, ser informado.

V. Nos documentos que embasam as atividades em equipe

multiprofissional, o psicÛlogo registrar· todas as informaÁıes

referentes ao trabalho desenvolvido.

Assinale a alternativa que corresponde ‡s afirmativas CORRETAS.

  • A) II, III e IV.

    • B) I, II e IV.

    • C) III e IV.

    • D) I, III e V.

    • E) II, IV e V.

COMENT£RIOS:

I CORRETA. De acordo com o CÛdigo.

II CORRETA. De acordo com o CÛdigo.

III INCORRETA. Quando requisitado a depor em juÌzo, o psicÛlogo

poder· decidir pela quebra do sigilo.

IV CORRETA. De acordo com o CÛdigo.

V INCORRETA. O psicÛlogo registrar· apenas as informaÁıes

necess·rias ao trabalho.

RESPOSTA: B

32. (MPE/AC FMP CONCURSOS 2013) As transgressıes dos

preceitos do CÛdigo de …tica constituem infraÁ„o disciplinar com a

aplicaÁ„o das seguintes penalidades, na forma dos dispositivos legais ou

 

regimentais:

(A)

Aviso.

(B)

AdvertÍncia.

(C)

Multa ou multa com censura p˙blica, sendo esta ˙ltima ad

referendum do Conselho Regional de Psicologia.

Prof. Marina Beccalli

56

www.estrategiaconcursos.com.br

00000000000 - DEMO

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli に Aula 00 (D) Suspens„o do exercÌcio profissional,

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli Aula 00

  • (D) Suspens„o do exercÌcio profissional, por atÈ trinta dias, ad referendum do Conselho Regional de Psicologia.

  • (E) CassaÁ„o do exercÌcio profissional, ad referendum do Conselho Regional de Psicologia.

COMENT£RIOS:

  • (A) INCORRETA. Aviso n„o constitui uma penalidade.

  • (B) CORRETA. A advertÍncia È prevista no CÛdigo de …tica.

  • (C) INCORRETA. Multa constitui uma penalidade, n„o devendo ter, porÈm, ad referendum do Conselho Federal de Psicologia.

  • (D) INCORRETA. A suspens„o do exercÌcio profissional por atÈ trinta dias È do Conselho Federal de Psicologia.

  • (E) INCORRETA. O CÛdigo fala cassaÁ„o do exercÌcio profissional, ad referendum do Conselho Federal de Psicologia.

33. (IAMSPE QUADRIX 2017) De acordo com o CÛdigo de …tica

profissional dos psicÛlogos, ao promover publicamente seus serviÁos, por

quaisquer meios, individual ou coletivamente, dever·:

  • (A) Avaliar os riscos envolvidos, tanto pelos procedimentos quanto pela divulgaÁ„o dos resultados, com o objetivo de proteger as pessoas, os grupos, as organizaÁıes e as comunidades envolvidas.

  • (B) Informar seu nome completo, CRP e seu n˙mero de registro.

  • (C) Garantir o anonimato das pessoas, dos grupos ou das organizaÁıes, salvo se a divulgaÁ„o das identidades constituir interesse manifesto destes.

  • (D) Garantir o car·ter volunt·rio da participaÁ„o dos envolvidos, mediante consentimento livre e esclarecido, salvo nas situaÁıes previstas em legislaÁ„o especÌfica e respeitando-se os princÌpios deste CÛdigo.

Prof. Marina Beccalli

57

www.estrategiaconcursos.com.br

00000000000 - DEMO

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli に Aula 00 (E) Garantir o acesso das

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli Aula 00

  • (E) Garantir o acesso das pessoas, dos grupos ou das organizaÁıes aos resultados das pesquisas ou dos estudos apÛs seu encerramento, sempre que assim o desejarem.

COMENT£RIOS:

  • (A) INCORRETA. Tal recomendaÁ„o refere-se ‡ divulgaÁ„o de resultados de estudos ou pesquisas.

  • (B) CORRETA. Ao divulgar publicamente seus serviÁos, o psicÛlogo informar· seu nome completo, CRP e n˙mero de registro.

  • (C) INCORRETA. Tal recomendaÁ„o refere-se ‡ divulgaÁ„o de resultados de estudos ou pesquisas.

  • (D) INCORRETA. Tal recomendaÁ„o refere-se ‡ divulgaÁ„o de resultados de estudos ou pesquisas.

  • (E) INCORRETA. Tal recomendaÁ„o refere-se ‡ divulgaÁ„o de resultados de estudos ou pesquisas.

34. (IAMSPE

QUADRIX 2017) Segundo

o

CÛdigo de

…tica

profissional dos PsicÛlogos (ResoluÁ„o CFP n 10/2005), È vedado ao

psicÛlogo

  • (A) Estipular o valor de acordo com as caracterÌsticas da atividade e o comunicar ao usu·rio ou benefici·rio antes do inÌcio do trabalho a ser realizado.

  • (B) Induzir a convicÁıes polÌticas, religiosas, filosÛficas, morais, de orientaÁ„o sexual ou a qualquer tipo de preconceito quando do exercÌcio de suas funÁıes profissionais.

  • (C) Participar de greves ou paralisaÁıes.

  • (D) Encaminhar a profissionais ou instituiÁıes habilitados e qualificados demandas que extrapıem seu campo de atuaÁ„o.

Prof. Marina Beccalli

58

www.estrategiaconcursos.com.br

00000000000 - DEMO

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli に Aula 00 (E) Intervir na prestaÁ„o de

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli Aula 00

  • (E) Intervir na prestaÁ„o de serviÁos psicolÛgicos que estejam sendo efetuados por outro profissional, a pedido do profissional respons·vel pelo serviÁo.

COMENT£RIOS:

  • (A) INCORRETA. Trata-se de dever fundamental.

  • (B) CORRETA. … uma das vedaÁıes prevista o CÛdigo.

  • (C) INCORRETA. Ao psicÛlogo È permitido participar de greves ou paralisaÁıes, desde que os serviÁos de emergÍncia n„o sejam interrompidos.

  • (D) INCORRETA. Trata-se de dever fundamental.

  • (E) INCORRETA. … uma das previsıes de situaÁıes em que o psicÛlogo poder· intervir no serviÁo de outro psicÛlogo.

35. (IAMSPE QUADRIX 2017) O CÛdigo de …tica profissional dos

psicÛlogos estabelece padrıes esperados quanto ‡s pr·ticas referendadas

pela respectiva categoria profissional. Nesse sentido, È correto afirmar

que o psicÛlogo

  • (A) Assegure a qualidade dos serviÁos oferecidos independentemente do valor acordado.

  • (B) Deve comunicar todas as informaÁıes da sess„o aos respons·veis

no atendimento ‡ crianÁa.

  • (C) Esteja impedido de prestar informaÁıes quando requisitado a depor em juÌzo, mesmo considerando-se o previsto no CÛdigo de …tica profissional dos psicÛlogos.

  • (D) Esteja dispensado de zelar por seus arquivos confidenciais em caso de interrupÁ„o do trabalho por quaisquer motivos.

  • (E) Possa divulgar a identidade das pessoas envolvidas em caso de pesquisas.

Prof. Marina Beccalli

59

www.estrategiaconcursos.com.br

00000000000 - DEMO

COMENT£RIOS: PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli に Aula 00 (A) CORRETA. O psicÛlogo

COMENT£RIOS:

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli Aula 00

  • (A) CORRETA. O psicÛlogo deve garantir a qualidade do serviÁo independentemente do valor acordado.

  • (B) INCORRETA. O psicÛlogo deve comunicar somente o estritamente necess·rio para os respons·veis.

  • (C) INCORRETA. O psicÛlogo poder· prestar informaÁıes quando for intimado a depor em juÌzo, desde que buscando o princÌpio do menor prejuÌzo.

  • (D) INCORRETA. O psicÛlogo tem o dever de zelar pelos materiais que estejam em sua guarda, devendo dar a eles o encaminhamento previsto pelo CÛdigo.

  • (E) INCORRETA. O psicÛlogo dever· garantir o anonimato das pessoas envolvidas nos casos de pesquisa, salvo interesse manifesto destas.

36. (TJ/PI FGV 2015) Renata È psicÛloga do Tribunal de JustiÁa,

lotada numa Vara de Inf‚ncia e Juventude. Contudo, nas horas vagas,

ela atua numa organizaÁ„o sem fins lucrativos, que orienta e atende

famÌlias em processo de adoÁ„o. Em geral, ao perceber as dificuldades

das pessoas atendidas no tribunal, Renata costuma sugerir o

encaminhamento para essa organizaÁ„o onde ela trabalha. De acordo

com o CÛdigo de …tica profissional do psicÛlogo:

  • (A) n„o h· infraÁ„o Ètica, por se tratar de organizaÁ„o sem fins

lucrativos;

  • (B) n„o h· infraÁ„o Ètica, desde que o encaminhamento esteja de acordo

com o melhor interesse da crianÁa;

  • (C) n„o h· infraÁ„o Ètica, contanto que as pessoas sejam atendidas por

outros psicÛlogos da Vara de Inf‚ncia e Juventude onde Renata est·

lotada;

  • (D) h· infraÁ„o Ètica somente no caso de Renata atender ou supervisionar

na organizaÁ„o as mesmas pessoas que encaminhou do Tribunal;

Prof. Marina Beccalli

60

www.estrategiaconcursos.com.br

00000000000 - DEMO

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli に Aula 00 (E) h· infraÁ„o Ètica caso

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli Aula 00

  • (E) h· infraÁ„o Ètica caso o desvio para a organizaÁ„o vise o benefÌcio

prÛprio da Renata.

COMENT£RIOS:

  • (A) INCORRETA. A infraÁ„o Ètica n„o deixa de se caracterizar por se tratar se organizaÁ„o sem fins lucrativos.

  • (B) INCORRETA. O melhor interesse da crianÁa n„o descaracteriza a infraÁ„o Ètica.

  • (C) INCORRETA. As pessoas serem atendidas por outros psicÛlogos n„o descaracteriza a infraÁ„o Ètica.

  • (D) INCORRETA. N„o h· previs„o no CÛdigo sobre isso.

  • (E) CORRETA. O CÛdigo prevÍ infraÁ„o Ètica no caso de psicÛlogo desviar paciente para instituiÁ„o com a qual mantenha vÌnculo de trabalho visando ao benefÌcio pessoal.

*******

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli に Aula 00 (E) h· infraÁ„o Ètica caso

Pessoal, a aula de hoje foi um breve aquecimento para o nosso curso.

N„o deixe de aproveitar o resumo que vem logo em seguida e tambÈm a

lista de questıes. Espero que tenha se animado a prosseguir no curso.

Bons estudos!

AbraÁo,

Prof. Marina Beccalli

Prof. Marina Beccalli

61

www.estrategiaconcursos.com.br

00000000000 - DEMO

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli に Aula 00 E-mail: marinapbeccalli@gmail.com Facebook: Marina Beccalli

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli Aula 00

E-mail: marinapbeccalli@gmail.com

Facebook:

Marina Beccalli

RESUMO

Os CÛdigos de …tica estabelecem normas sobre as pr·ticas de uma

determinada categoria profissional considerando tambÈm as regras gerais

da sociedade. Em 27 de agosto de 1962, a Lei 4.119 regulamentou a

profiss„o de psicologia no Brasil. A ResoluÁ„o 002/87 do Conselho Federal

de Psicologia (CFP), que entrou em vigor em 20 de agosto de 1987,

aprovou a primeira vers„o do CÛdigo de …tica Profissional, momento em

que a profiss„o comemorava 25 anos no Brasil.

O CÛdigo de …tica de 2005 È o terceiro no Brasil. Incentiva a autorreflex„o

de cada profissional sobre sua pr·tica, levando-o a assumir as

responsabilidades sobre suas condutas e atitudes no exercÌcio da

profiss„o. Apresenta normas e diretrizes para uma conduta profissional

que leve em consideraÁ„o o respeito ao sujeito e aos seus direitos

fundamentais. N„o busca normatizar a atuaÁ„o dos psicÛlogos,

apresentando uma ˙nica forma de agir, mas sim assegurar um padr„o de

conduta que fortaleÁa o reconhecimento social da profiss„o.

Foi baseado em valores da DeclaraÁ„o Universal dos Direitos Humanos e

nos valores socioculturais que refletem a realidade do Brasil. N„o pode

ser visto como uma referÍncia est·tica e atemporal: as sociedades e as

profissıes est„o sempre mudando.

Prof. Marina Beccalli

62

www.estrategiaconcursos.com.br

00000000000 - DEMO

ARTIGOS DO C”DIGO DE …TICA PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli に Aula 00

ARTIGOS DO C”DIGO DE …TICA

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli Aula 00

Art.1 : deveres fundamentais do psicÛlogo, como exercer a profiss„o

de modo Ètico, prestando serviÁos de qualidade, respeitando os

direitos do usu·rio inclusive quanto ao compartilhamento de

informaÁıes.

Art.2 : trata do que È vedado ao psicÛlogo, como ser conivente com

qualquer ato que caracterize negligÍncia ou discriminaÁ„o; induzir a

convicÁıes polÌticas ou religiosas, filosÛficas ou morais, ideolÛgicas ou

de orientaÁ„o sexual; emitir documentos que n„o estejam em

conson‚ncia com a devida qualidade tÈcnico-cientÌfica; desviar pessoas

ou organizaÁıes para serviÁo particular ou outra instituiÁ„o; receber ou

pagar remuneraÁ„o ou porcentagem por encaminhamento de serviÁos.

Art.3 e 4 : versam sobre o profissional estar em conson‚ncia com as

polÌticas e normas da instituiÁ„o na qual trabalha, observando o que

traz o CÛdigo, inclusive quanto ‡ fixaÁ„o da remuneraÁ„o.

Art.5 : permite a participaÁ„o em paralisaÁıes e greves, desde que

haja prÈvia comunicaÁ„o aos usu·rios do serviÁo e que as atividades

de emergÍncia n„o sejam interrompidas.

Art.6 e 7 : trata do relacionamento com outros profissionais

psicÛlogos e de outras ·reas.

Art.8 : fala sobre o atendimento de crianÁas, adolescentes e interditos.

Art.9 : versa sobre o sigilo profissional.

Art.10 : trata da quebra do sigilo baseando-se na busca do menor

prejuÌzo.

Art.11 : trata da prestaÁ„o de informaÁıes em juÌzo.

Art.12 : fala sobre os registros que embasam as atividades em equipe.

Art.13 : dispıe sobre a comunicaÁ„o do estritamente necess·rio aos

respons·veis por crianÁas e adolescentes atendidos.

Art.14 : fala sobre os registros e observaÁıes a serem comunicados

aos usu·rios.

Art.15 : dispıe sobre a interrupÁ„o do trabalho do psicÛlogo.

Art.16 e 17 : regulamenta a realizaÁ„o de estudos e pesquisas e

atividades voltadas para a produÁ„o de conhecimento.

Art.18 : versa sobre o psicÛlogo zelar pelo n„o compartilhamento dos

instrumentos exclusivos da profiss„o.

Art.19 : dispıe sobre a participaÁ„o do psicÛlogo em atividades em

veÌculos de comunicaÁ„o.

Art.20 : trata sobre a divulgaÁ„o p˙blica do trabalho do psicÛlogo e

seus cuidados.

Art.21 : aplicaÁ„o das penalidades em caso de faltas disciplinares.

Prof. Marina Beccalli

63

www.estrategiaconcursos.com.br

00000000000 - DEMO

• Art.22 a 25 : trata da competÍncia do CFP. PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof.

Art.22 a 25 : trata da competÍncia do CFP.

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli Aula 00

• Art.22 a 25 : trata da competÍncia do CFP. PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof.

1. (SEPLAG/MG IBF 2013) O CÛdigo de …tica È um importante

instrumento para uma categoria profissional, na medida em que contribui

para promover uma reflex„o acerca de questıes relativas ao exercÌcio

profissional. Assinale a alternativa correta em relaÁ„o ao atual CÛdigo de

…tica do PsicÛlogo:

  • (A) Pautou-se pelo princÌpio geral de aproximar-se de um conjunto de normas a serem seguidas pelo psicÛlogo.

  • (B) Na sua construÁ„o, buscou-se valorizar os princÌpios fundamentais como grandes eixos que devem orientar a relaÁ„o do psicÛlogo com a sociedade, a profiss„o, as entidades profissionais e a ciÍncia.

  • (C) … o quarto cÛdigo da categoria no Brasil, e entrou em vigor em
    2005.

Prof. Marina Beccalli

64

www.estrategiaconcursos.com.br

00000000000 - DEMO

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli に Aula 00 (D) Conta apenas com as

PSICOLOGIA TEORIA E QUEST’ES COMENTADAS Prof. Marina Beccalli Aula 00

  • (D) Conta apenas com as responsabilidades do psicÛlogo, do qual È exigido o cumprimento de uma sÈrie de questıes relativas ‡ pr·tica profissional.

2. (HEPP IBFC 2014) Tendo em vista o atual CÛdigo de …tica do

PsicÛlogo, pode-se considerar que, em sua construÁ„o, buscou-se a

aproximaÁ„o de um:

  • (A) Instrumento de reflex„o do profissional.

  • (B) Conjunto de normas a serem seguidas pelo psicÛlogo.

  • (C) Conjunto de padrıes de conduta especÌficos para cada pr·tica particular do psicÛlogo, uma vez que os principais dilemas Èticos se restringem a pr·ticas especÌficas.

  • (D) Instrumento que possa ser utilizado como modelo para aÁıes especÌficas, principalmente na ·rea de atuaÁ„o clÌnica, escolar, organizacional e hospitalar.

3. (TRT 12 REGI O

FCC

2013) Acerca

do

CÛdigo de

…tica

Profissional do PsicÛlogo, È INCORRETO afirmar que o psicÛlogo:

  • (A) Contribuir· para promover a universalizaÁ„o do acesso da populaÁ„o ‡s informaÁıes, ao conhecimento da ciÍncia psicolÛgica, aos serviÁos e aos padrıes Èticos da profiss„o.

  • (B) Zelar· para que o exercÌcio profissional seja efetuado com austeridade, mesmo quando levado a tolerar e aceitar situaÁıes em que a Psicologia esteja sendo aviltada.