Vous êtes sur la page 1sur 5

Ideia geral para o projeto de mestrado.

Rogerio Galdino Trindade

Objetivos:
1. Considerar e compreender o conceito de “história”.
I. Entender a história do conceito e desenvolver um panorama sobre seu significado junto a
tradição ocidental.
II. Pesquisar e desenvolver uma estrutura simples, mas que forneça uma visão geral sobre
as figuras centrais que perpassam o entendimento do conceito de História como Ciência:
Giambattista Vico, Voltaire, Kant, Hegel, Leopold von Ranke e outros pensadores
relacionados.
III. Elaborar a partir dai um entendimento geral sobre o estado da História na Alemanha
durante o século XIX, sem ignorar a estrita ligação do conceito com o século precedente.

2. Entender o contexto no qual a discussão heideggeriana se insere e procurar realçar as ideias


gerais desta discussão a fim de desenvolver uma compreensão satisfatória do conceito de
“historicidade”.
I. Analisar em “Ser e Tempo” e literatura pertinente a compreensão do filósofo do conceito
de historicidade e a relação disso com uma compreensão peculiar do filósofo com a
tradição.
II. Procurar entender e explicitar em obras do filósofo e afins a sua compreensão da
História e contextualizá-la da melhor forma possível.
III. Investigar de forma mais detalhada o método fenomenológico-hermenêutico.

3. Compreender o conceito de “Período Histórico” e investigar se algumas das conclusões


obtidas por mim através do meu projeto de conclusão de curso procedem:
I. Até que ponto se pode falar de uma “interpretação existencial” para algo como um
período histórico?
II. Existe uma forma de nos aproximarmos propriamente de algo como um período? E esta
aproximação está subordinada a que? Trata-se de uma literatura histórica? Romantismo?
III. Fornece a fenomenologia alguma sustentação para uma aproximação do período
histórico a partir de sua “vida” e não apenas de sua estrutura passada?
IV. O que significa reconstruir o “modo de ver” ou a “cultura” de um passado? Está essa
reconstrução realmente isenta de falsas interpretações e é capaz de mostrar a histórica
como ela realmente aconteceu?
V. Não é uma limitação do histórico que ele, mesmo se referindo ao passado, só possa
aparecer como o que é junto no presente e para o futuro?

Cronograma:

13/08/18 – Início das Aulas.


03/02/19 – Depósito do projeto completo.

Esse período até fevereiro podemos elaborar juntos o projeto de pesquisa e com isso a
bibliografia necessária.

Bibliografia:

Primária:
BUCKHARDT, Jacob. Reflexiones sobre la historia universal (1905). Trad. de Wenceslao
Roces. Buenos Aires: Fondo de Cultura Economica, 1999. [Situação: PDF – completo.]
DILTHEY, Wilhelm. Introdução as Ciências Humanas. Tradução de Marco Antônio
Casanova. Rio de Janeiro, Editora Forense: 2010. [Situação: Biblioteca do CCHLA.]
HEIDEGGER, Martin. El Concepto de Tiempo (Tratado de 1924). Tradução de Jesús
Adrian Escudero. Barcelona: Herder Editorial, S.A., 2008. [Situação: Impresso.]
HEIDEGGER, Martin. Os Problemas Fundamentais da Fenomenologia. Petrópolis:
Editora Vozes, 2012. [Situação: Impresso.]
HEIDEGGER, Martin. Que é uma coisa? Trad. Carlos Morujão. Lisboa: Edições 70, 2002.
[Situação: Impresso.]
HEIDEGGER, Martin. Ser e Tempo. Tradução de Marcia de Sá Cavalcante Schback. Rio de
Janeiro: Vozes, 2006. [Situação: Impresso.]
HEIDEGGER, Martin. Tiempo e Historia. Trad. Jesús Adrian Escudero. Madrid: Editorial
Trotta, S.A., 2009. [Situação: Impresso.]
KANT, Immanuel. Idéia de uma História Universal de um ponto de vista cosmopolita.
Trad. Rodrigo Naves e Ricardo R. Terra. São Paulo: Brasiliense, 1986. [Situação: Cópia emprestada
por Ana Thereza.]
KANT, Immanuel. Começo conjectural da história humana. Trad. Edimilson Menezes.
São Paulo: Editora da Unesp, 2009. [Situação: Cópia emprestada por Ana Thereza.]
NIETZSCHE, Friedrich. Considerações extemporâneas. In: Coleção Os Pensadores.
Tradução de Rubens Rodrigues Torres Filho. São Paulo: Editora Nova Cultural, 1999. [Situação:
Impresso. - Adquirir a edição “Escritos sobre a História”.]
VICO, G. Princípios de (uma) Ciência Nova: acerca da natureza comum das nações. 3ª
ed. São Paulo: Abril Cultural, 1984. (Os Pensadores). [Situação: PDF.]
Correspondencia: Dilthey e Conde York. [Situação: Em italiano na internet, mas não
consigo fazer o download.]

Secundária:

Introdutórios ao conceito de história:


Artigos e textos curtos:
GILDEHURS, Mark T. History and Historians: A Historiographical Introduction. (12 pgs).
[Situação: Impresso.]
FUNKESTEIN, Amos. Collective Memory and Historical Consciouness. (12 pgs).
[Situação: Impresso.]
GADAMER, Hans-Georg. Epistemological Problems of the Human Sciences. (45 pgs).
[Situação: Impresso.]
ELDRED, Michael. The Time of History: Hegel, Heidegger, Derrida, Marx. (Disponível em:
https://www.arte-fact.org/untpltcl/tmhstry1.html#7.0) [Situação: Impresso.]
Introdução a Filosofia da História de Hegel. (Dísponível em:
http://m.sparknotes.com/philosophy/hegelphilhist/summary/) [Situação: Impresso.]
GADAMER, Hans-Georg. “El problema de la historia em la reciente filosofía alemana
(1943). In: Verdad y Metod II. [Situação: Cópia emprestada por Ana Thereza.]
VINCENTINI, Max.Vico e a História como ciência. [Situação: PDF.]
Livros:
COLLINGWOOD, Robin George. The idea of history. [Situação: PDF.] Tradução
portuguesa de Alberto Freire. Lisboa: Editorial Presença, S/D. [Situação: Impresso.]

Outros:

BAMBACH, Charles. Heidegger, Dilthey and the Crisis of Historicism. Ithaca: Cornell
University Press, 1995. [Situação: Impresso.]
BARASH, Jeffrey. Heidegger and the problem of Historical Meaning (1988). [Situação:
145 reais na cultura.]
HOWARD, Thomas Albert. Religion and the Rise of Historicism W. M. L. de Wette,
Jacob Burckhardt, and the Theological Origins of Nineteenth-Century Historical
Consciousness. New York: Cambridge University Pres, 2000. [Situação: PDF – completo.]
KISIEL, Theodore. The Genesis of Heidegger’s Being and Time. L.A.: University of
California Press, 1995. [Situação: Impresso.]
PÖGGELER, Otto. A via do pensamento de Martin Heidegger. Trad. de Jorge Telles de
Menezes. Lisboa: Instituo Piaget, 2001. [Situação: Biblioteca do CCHLA.]
SCHNÄDELBACH, Hebert. Filosofia em Alemania (1831 – 1933). Tradução de Pepa
Linares. Madrid: Ediciones Cátedra, 1991. [Situação: Impresso.]
VATTIMO, Gianni. Introduzione a Heidegger. Roma: Editori Laterza, 1991. [Situação:
Biblioteca Central.]
VEESER, H. Aram (Org.). The New Historicism. New York: Taylor & Francis, 1998.
[Situação: PDF – completo.]
RUIN, Hans. ENIGMATIC ORIGINS: Tracing the Theme of Historicity through
Heidegger's Works . [Situação: PDF – completo.]

Ainda não procurados:

BERNSTEIN, Richard J. Beyond Objectivism and Relativism: Science, Hermeneutics,


and Praxis. University of Pennsylvania Press, 1983.
CAPUTO, John D. (org.). The Early Heidegger’s Philosophy of Life. New Yorck:
Fhordam University Press, 2012.
EINSTEIN, Albert. “On the present crisis in Theoretical Physics” (1921).
FUKAYMA, Francis. O fim da história e o último homem (1992).
GADAMER, Hans-Georg. Verdade e Método (1960).
GELDSETZER, Luz. “Die Philosofie de Philosophiegeschichte in 19” (1968).
HUSSERL, Edmund. The Crisis of The European Sciences. Tradução de David Carr.
Evaston: Northwestern University Presse, 1970.
LESSING, Theodor. History as Bestowal of Meaning on the Meaningles (1919).
LYOTARD, Jean-François. The postmodern condition (1979).
MURRAY, Michael (ed.). Heidegger and Modern Philosophy. Ann Arbor, Mich.:
University Microfilms International, 1993.
SPENGLER, Oswald. Decline of the West (1918).
VATTIMO, Gianni. “The End of Modernity: Nihilism and Hermeneutics in Post-Modern
Culture” (1988).
VATTIMO, Gianni. The end of Modernity.
WINDELBAND, Wilhelm. “History and Natural Science” In: History and Theory, Vol. 19,
No. 2 (Feb., 1980), pp. 165-168.
FIKER, R. Vico, o precursor. São Paulo: Editora Moderna, 1994. (Coleção Logos).