Vous êtes sur la page 1sur 2

Atividade de Língua Portuguesa

Profª Sany Adriana

Leia um dos mais conhecidos sonetos de Luís Vaz de Camões.


Amor é fogo que arde sem se ver;
É ferida que dói e não se sente;
É um contentamento descontente;
É dor que desatina sem doer;
É um não querer mais que bem querer;
É solitário andar por entre a gente;
É nunca contentar-se de contente;
É cuidar que se ganha em se perder;
É querer estar preso por vontade;
É servir a quem vence, o vencedor;
É ter com quem nos mata lealdade.
Mas como causar pode seu favor
Nos corações humanos amizade,
Se tão contrário a si é o mesmo Amor?
Luís de Camões. Camões; Lírica. São Paulo: Cultrix, 1968. p. 123.
01- O texto lido é um soneto. Em seu caderno justifique essa afirmação.
02- Qual o objetivo do eu lírico desse poema?
03- Identifique as antíteses no texto lido e copie as no caderno.
04- Releia o poema e identifique os recursos que, em sua opinião, são responsáveis pelo ritmo do texto.
05- O soneto de Camões é elaborado por meio de sucessivos paradoxos que caracterizam o amor. Esse jogo de ideias
contrárias refere-se a vários aspectos: sensorial, sentimental e moral. Transcreva um verso que represente cada um
desses aspectos.
06- A que conclusão chega o eu poético no ultimo terceto?
07- Transcreva em seu caderno os versos em que o autor faz estas afirmações:
a) Quem ama só se sente feliz ao lado da pessoa amada.
b) Quem ama é leal e nem sempre recebe da pessoa amada a mesma consideração.
c) Quem ama renuncia à sua própria liberdade.
d) Quem ama tem sempre uma inquietação interior.
08- Que palavra, na última estrofe do texto, resume tudo o que o poeta quer dizer sobre o amor?
09- O grupo Legião Urbana adaptou e musicou o poema que acabamos de analisar, acrescentando os seguintes versos,
inspirados nos versículos bíblicos (I Coríntios: 13) ao início da música:
“Ainda que eu falasse a língua dos homens.
E falasse a língua dos anjos, sem amor eu nada seria.
É só o amor, é isso o amor.
Que conhece o que é verdade.
O amor é bom, não quer o mal.
Não sente inveja ou se envaidece.”
Como você justificaria a escolha do grupo por textos tão antigos?
10- “Amor é fogo” Em sua opinião, vale a pena “queimar-se”?
Leia um dos mais conhecidos sonetos de Luís Vaz de Camões. c) Quem ama renuncia à sua própria liberdade.
Amor é fogo que arde sem se ver; “É querer estar preso por vontade”.
É ferida que dói e não se sente; d) Quem ama tem sempre uma inquietação interior.
É um contentamento descontente; “É nunca contentar-se de contente”.
É dor que desatina sem doer;
08- Que palavra, na última estrofe do texto, resume tudo o
É um não querer mais que bem querer; que o poeta quer dizer sobre o amor?
É solitário andar por entre a gente; Contrário.
É nunca contentar-se de contente;
É cuidar que se ganha em se perder; 09- O grupo Legião Urbana adaptou e musicou o poema que
acabamos de analisar, acrescentando os seguintes versos,
É querer estar preso por vontade; inspirados nos versículos bíblicos (I Coríntios: 13) ao início da
É servir a quem vence, o vencedor; música:
É ter com quem nos mata lealdade. “Ainda que eu falasse a língua dos homens.
E falasse a língua dos anjos, sem amor eu nada seria.
Mas como causar pode seu favor É só o amor, é isso o amor.
Nos corações humanos amizade, Que conhece o que é verdade.
Se tão contrário a si é o mesmo Amor? O amor é bom, não quer o mal.
Luís de Camões. Camões; Lírica. São Paulo: Cultrix, 1968. Não sente inveja ou se envaidece.”
p. 123. Como você justificaria a escolha do grupo por textos tão
01- O texto lido é um soneto. Em seu caderno justifique essa antigos?
afirmação. Resposta pessoal do aluno: Considerar que o amor é
Trata-se de uma composição em forma fixa, constituída de universal e atemporal. Existirá enquanto existirem seres
dois quartetos e dois tercetos. humanos. Isso, além, é claro, da genialidade dos textos.

02- Qual o objetivo do eu lírico desse poema? 10- “Amor é fogo” Em sua opinião, vale a pena “queimar-
Definir o amor se”?
Resposta pessoal do aluno
03- Identifique as antíteses no texto lido e copie as no
caderno.
O texto é praticamente todo constituído de antítese.
Comente com os alunos o paradoxo contentamento
descontente

04- Releia o poema e identifique os recursos que, em sua


opinião, são responsáveis pelo ritmo do texto.
Espera-se que os alunos identifiquem, além de rimas e
aliterações (especialmente os fonemas /d/e/t/), a anáfora
(o verbo ser nas três primeiras estrofes.

05- O soneto de Camões é elaborado por meio de sucessivos


paradoxos que caracterizam o amor. Esse jogo de ideias
contrárias refere-se a vários aspectos: sensorial, sentimental
e moral. Transcreva um verso que represente cada um desses
aspectos.
A- fogo que arde sem se ver
ferida que dói e não se sente
dor que desatina sem doer
B- nunca contentar-se de contente
querer estar preso por vontade
C- É ter com quem nos mata lealdade.

06- A que conclusão chega o eu poético no ultimo terceto?


O eu-poético chega a conclusão de que o sentimento
amoroso tão paradoxal que não se explica como se
consegue implantar nos corações dos seres humanos.

07- Transcreva em seu caderno os versos em que o autor faz


estas afirmações:
a) Quem ama só se sente feliz ao lado da pessoa amada.
“É solitário andar por entre a gente”
b) Quem ama é leal e nem sempre recebe da pessoa amada a
mesma consideração.
“É ter com quem nos mata lealdade”.

Centres d'intérêt liés