Vous êtes sur la page 1sur 16

ÉTICA GERAL E PROFISSIONAL

Avaliação Parcial: CCJ0042_SM_201402070462 V.1


Aluno(a): TAIANÁ NOBRE DA ROSA Matrícula: 201402070462
Acertos: 10,0 de 10,0 Data: 10/05/2018 17:48:58 (Finalizada)

1a Questão (Ref.:201402740385) Acerto: 1,0 / 1,0


Atualmente, uma pessoa - que não é Advogado - pode defender os seus
interesses em juízo pessoalmente, isto é, sem constituir um Advogado?

(c) Só pode fazê-lo para impetração do habeas corpus, bem como na


Ação Popular, na Reclamação Trabalhista, nos Juizados Especiais
Cíveis e Criminais e no Mandado de Segurança
(b) Só pode fazê-lo para impetração do habeas corpus;
(a) Não pode, em hipótese alguma;
(d) Só pode fazê-lo nos casos de impetração de habeas corpus, de
Reclamacão Trabalhista, dos Juizados Especiais (Cíveis e Criminais) e
da Justiça de Paz.

2a Questão (Ref.:201403130767) Acerto: 1,0 / 1,0


(XIX Exame Unificado/2016/adaptada) - Alexandre, advogado que exerce a
profissão há muitos anos, é conhecido por suas atitudes corajosas, sendo
respeitado pelos seus clientes e pelas autoridades com quem se relaciona por
questões profissionais. Comentando sua atuação profissional, ele foi inquirido,
por um dos seus filhos, se não deveria recusar a defesa de um indivíduo
considerado impopular, bem como se não deveria ser mais obediente às
autoridades, diante da possibilidade de retaliação. Sobre o caso apresentado,
observadas as regras do Estatuto da OAB, assinale a opção correta indicada
ao filho do advogado citado.

A atitude do advogado caracteriza a inépcia profissional.


O advogado Alexandre deve recusar a defesa de cliente cuja atividade
seja impopular.
As causas impopulares aceitas por Alexandre devem vir sempre
acompanhadas de apoio da Seccional da OAB
Nenhum receio de desagradar uma autoridade deterá o advogado
Alexandre.
O temor à autoridade pode levar à negativa de prestação do serviço
advocatício por Alexandre.
3a Questão (Ref.:201402939877) Acerto: 1,0 / 1,0
Victor nasceu no Estado do Rio de Janeiro e formou-se em Direito no Estado
de São Paulo. Posteriormente, passou a residir, e pretende atuar
profissionalmente como advogado, em Fortaleza, Ceará. Porém, em razão de
seus contatos no Rio de Janeiro, foi convidado a intervir também em feitos
judiciais em favor de clientes nesse Estado, cabendo-lhe patrocinar seis
causas no ano de 2015. Diante do exposto, assinale a opção correta.

A inscrição principal de Victor deve ser realizada no Conselho Seccional


de São Paulo, já que a inscrição principal do advogado é feita no
Conselho Seccional em cujo território se localize seu curso jurídico. Além
da principal, Victor terá a faculdade de promover sua inscrição
suplementar nos Conselhos Seccionais do Ceará e do Rio de Janeiro,
onde pretende exercer a profissão.
A inscrição principal de Victor deve ser realizada no Conselho Seccional
do Ceará. Afinal, a inscrição principal do advogado deve ser feita no
Conselho Seccional em cujo território ele pretende estabelecer o seu
domicílio profissional. Além da principal, Victor deverá promover a
inscrição suplementar no Conselho Seccional do Rio de Janeiro, já que
esta é exigida diante de intervenção judicial que exceda cinco causas por
ano.
Nenhuma das alternativas anteriores
A inscrição principal de Victor deve ser realizada no Conselho Seccional
do Rio de Janeiro, pois o Estatuto da OAB determina que esta seja
promovida no Conselho Seccional em cujo território o advogado exercer
intervenção judicial que exceda três causas por ano. Além da principal,
Victor poderá promover sua inscrição suplementar nos Conselhos
Seccionais do Ceará e de São Paulo.
A inscrição principal de Victor deve ser realizada no Conselho Seccional
do Ceará. Isso porque a inscrição principal do advogado deve ser feita
no Conselho Seccional em cujo território pretende estabelecer o seu
domicílio profissional. A promoção de inscrição suplementar no Conselho
Seccional do Rio de Janeiro será facultativa, pois as intervenções
judiciais pontuais, como as causas em que Victor atuará, não configuram
habitualidade no exercício da profissão.

4a Questão (Ref.:201403134945) Acerto: 1,0 / 1,0


"O Exame de Ordem será regulamentado por Provimento editado pelo
Conselho Federal".
Sobre o Exame de Ordem, assinale a alterntativa incorreta:

Há uma falsa ideia do senso comum segundo a qual o sucesso nesse


exame resultaria em uma suposta inscrição automática nos quadros da
OAB.
Um dos requisitos para o ingresso nos quadros da OAB é a aprovação
no Exame de Ordem.
Após obter aprovação no Exame de Ordem, o indivíduo deve verificar os
demais incisos do artigo 8° do EOAB.
O artigo 8° do EOAB (c/c o provimento nº 144/2011) elenca todas as
condições necessárias para o pedido de inscrição como advogado.
Os magistrados ou membros do Ministério Público (quando
aposentados) podem solicitar sua inscrição nos quadros da OAB,
cumprindo todos os demais requisitos, inclusive o Exame de Ordem.

5a Questão (Ref.:201403089043) Acerto: 1,0 / 1,0


Um advogado, por motivos pessoais, não mais deseja continuar patrocinando
uma causa. Nesse caso, com relação ao procedimento correto perante o seu
cliente, ele deve:

comunicar ao cliente a desistência do mandato e funcionar no processo


nos dez dias subseqüentes, se necessário.
comunicar ao autor a desistência do mandato e indicar outro advogado
para substituí-lo.
fazer um substabelecimento sem reservas de poderes para outro
advogado e depois comunicar tal fato ao cliente.
renunciar ao mandato e continuar representando o autor até ele
constituir um novo advogado.
não é dado ao advogado o direito de renunciar ao mandato que lhe foi
conferido.

6a Questão (Ref.:201403134960) Acerto: 1,0 / 1,0


Sobre a prestação de contas, assinale a alternativa descontextualizada com o
que está expresso no art. 12 do CED.

Nem sempre o advogado deverá prestar contas, uma vez que isso
dependerá de cada causa trabalhada.
A prestação de contas é um dever e direito do advogado, sob pena de
ação de exigir contas, na forma do art. 550 a 553, do CPC, sem prejuízo
das sanções disciplinares perante a OAB, prevista no art. 34, inciso XXI
do EOAB.
Se a prestação do serviço advocatício chegou ao fim, deve-se restituir
os documentos, prestar contas de eventuais valores recebidos em seu
nome, despesas realizadas no curso do processo, sem prejuízo de
outros esclarecimentos.
A conclusão ou desistência da causa, tenha havido, ou não, extinção do
mandato, obriga o advogado a devolver ao cliente bens, valores e
documentos que lhe hajam sido confiados e ainda estejam em seu poder,
bem como a prestar-lhe contas, pormenorizadamente, sem prejuízo de
esclarecimentos complementares que se mostrem pertinentes e
necessários.
A parcela dos honorários paga pelos serviços até então prestados não
se inclui entre os valores a ser devolvidos.

7a Questão (Ref.:201402735606) Acerto: 1,0 / 1,0


Renato, advogado em início de carreira, é contactado para defender os
interesses de Rodrigo que está detido em cadeia pública. Dirige-se ao local
onde seu cliente está retido e busca informações sobre sua situação,
recebendo como resposta do servidor público que estava de plantão que os
autos do inquérito estariam conclusos com a autoridade policial e, por isso,
indisponíveis para consulta e que deveria o advogado retornar quando a
autoridade tivesse liberado os autos para realização de diligências. À luz das
normas aplicáveis,

o acesso aos autos, no caso, depende de procuração e de prévia


autorização da autoridade policial.
no caso de réu preso, somente com autorização do juiz pode o
advogado acessar os autos do inquérito policial.
o advogado, diante do seu dever de urbanidade, deve aguardar os atos
cabíveis da autoridade policial.
o acesso aos autos de inquérito policial é direito do advogado, mesmo
sem procuração ou conclusos à autoridade policial.

8a Questão (Ref.:201403055009) Acerto: 1,0 / 1,0


O Estatuto do Ordem dos Advogados do Brasil, prevê que "Não há hierarquia:
apenas entre advogados e juízes, sendo que os promotores são
superiores a estes.
apenas entre advogados e promotores.
entre advogados, juízes e promotores.
apenas entre juízes, defensores e promotores, uma vez que os
advogados estão em nível hierárquico inferior.
apenas entre juízes e promotores, uma vez que os advogados estão em
nível hierárquico inferior.

9a Questão (Ref.:201403145268) Acerto: 1,0 / 1,0


Nas recomendações do Código de Ética para a publicidade feita por
advogados, permite-se:

o uso de um conteúdo com finalidade informativa, contendo os títulos e


qualificações do profissional.
o uso de ilustrações e desenhos com cores discretas.
o uso de pequena fotografia, desde que acompanhada do símbolo da
OAB.
o uso de frases de efeito para captação de clientela.
a menção a cargo público anteriormente exercido.

10a Questão (Ref.:201403134519) Acerto: 1,0 / 1,0


(XXI Exame Unificado/Adaptada) - Janaína é procuradora do município de
Oceanópolis e atua, fora da carga horária demandada pela função, como
advogada na sociedade de advogados Alfa, especializada em Direito
Tributário. A profissional já foi professora na universidade estadual Beta,
situada na localidade, tendo deixado o magistério há um ano, quando tomou
posse como procuradora municipal. Atualmente, Janaína deseja imprimir
cartões de visitas para divulgação profissional de seu endereço e telefones.
Assim, dirigiu-se a uma gráfica e elaborou o seguinte modelo:

- no centro do cartão, consta o nome e o número de inscrição de Janaína na


OAB. Logo abaixo, o endereço e os telefones do escritório. No canto superior
direito, há uma pequena fotografia da advogada, com vestimenta adequada.
Na parte inferior do cartão, estão as seguintes inscrições procuradora do
município de Oceanópolis, advogada da Sociedade de Advogados Alfa e ex-
professora da Universidade Beta. A impressão será feita em papel branco com
proporções usuais e grafia discreta na cor preta.

Considerando a situação descrita, assinale a afirmativa correta.


Os cartões de visitas pretendidos por Janaína não são adequados às
regras referentes à publicidade profissional. São vedados: o emprego de
fotografia pessoal e a referência ao cargo de procurador municipal. Os
demais elementos poderão ser mantidos.
Os cartões de visitas pretendidos por Janaína, pautados pela discrição e
sobriedade, são adequados às regras referentes à publicidade
profissional pois não há qualquer vedação no Código de Ética e
Disciplina.
Os cartões de visitas pretendidos por Janaína não são adequados às
regras referentes à publicidade profissional. São vedados: o emprego de
fotografia e a referência ao cargo de magistério que Janaína não mais
exerce. Os demais elementos poderão ser mantidos.
Os cartões de visitas pretendidos por Janaína não são adequados às
regras referentes à publicidade profissional. São vedados: a referência
ao cargo de magistério que Janaína não mais exerce e a referência ao
cargo de procurador municipal. Os demais elementos poderão ser
mantidos
Os cartões de visitas pretendidos por Janaína, pautados pela discrição e
sobriedade, são adequados às regras referentes à publicidade
profissional.

ÉTICA GERAL E PROFISSIONAL

Avaliação Parcial: CCJ0042_SM_201402070462 V.1


Aluno(a): TAIANÁ NOBRE DA ROSA Matrícula: 201402070462
Acertos: 10,0 de 10,0 Data: 10/05/2018 18:12:36 (Finalizada)

1a Questão (Ref.:201402738720) Acerto: 1,0 / 1,0


O termo advocatus refere-se em direito romano a um terceiro chamado para
falar em favor de outrem para defender interesses. Nesse sentido, sobre as
atividades privativas da advocacia é correto afirmar:

a postulação perante órgão do judiciário, resguardadas as exceções


legais e judiciais;
a defesa técnica em processo administrativo disciplinar;
a impetração de habeas corpus apenas em tribunais superiores
a impetração de habeas corpus em qualquer instância ou tribunal;
a postulação a qualquer órgão do poder judiciário e aos juizados
especiais;
2a Questão (Ref.:201402740385) Acerto: 1,0 / 1,0
Atualmente, uma pessoa - que não é Advogado - pode defender os seus
interesses em juízo pessoalmente, isto é, sem constituir um Advogado?

(c) Só pode fazê-lo para impetração do habeas corpus, bem como na


Ação Popular, na Reclamação Trabalhista, nos Juizados Especiais
Cíveis e Criminais e no Mandado de Segurança
(a) Não pode, em hipótese alguma;
(b) Só pode fazê-lo para impetração do habeas corpus;
(d) Só pode fazê-lo nos casos de impetração de habeas corpus, de
Reclamacão Trabalhista, dos Juizados Especiais (Cíveis e Criminais) e
da Justiça de Paz.

3a Questão (Ref.:201402729768) Acerto: 1,0 / 1,0


¿Exame para exercer advocacia é comum em outros países. Japão, Estados
Unidos e França também exigem estágio profissional antes de autorizar o
bacharel a advogar (Priscilla Borges, iG Brasília. 28/09/2011 17:56). Atuar
como advogado em alguns países europeus, Japão e Estados Unidos não é
tarefa simples. As regras variam um pouco entre eles, mas os candidatos
precisam apresentar diploma de curso superior em Direito, passar por exames,
fazer estágios e, em alguns casos, residência na área. Há os que exigem
também a aprovação em provas para atuar em cada tipo de tribunal. Poucos
são os que liberam a atuação do profissional assim que ele se forma. (...)¿ No
Brasil, o Exame de Ordem

É um dos requisitos para obtenção de inscrição perante a OAB,


podendo ser prestado pelos que estiverem em situação de
incompatibilidade com o exercício da advocacia.
Deve ser prestado pelo advogado com mais de dez anos de habilitação
para que comprove que permanece a aptidão para o exercício
profissional.
É realizado em três etapas: prova de conhecimentos gerais, prova de
conhecimento específico e prova oral que visa a aferir a oratória do
candidato.
A exigência do Exame de Ordem foi recentemente declarada
inconstitucional pelo STF.
É um dos requisitos para obtenção da inscrição perante a OAB,
devendo ser prestado apenas por quem tenha concluído o curso de
Direito.
4a Questão (Ref.:201402735318) Acerto: 1,0 / 1,0
Sobre o exercício das atividades privativas da advocacia, é INCORRETO
afirmar que:

O estagiário de advocacia, regularmente inscrito, pode praticar, em


conjunto com advogado e sob responsabilidade deste, atos privativos de
advocacia.
O patrocínio de interesses de terceiros junto ao INPI, constituindo
advocacia, somente é permitido aos inscritos nos quadros da OAB.
Se a procuração outorga poderes ao estagiário regularmente inscrito na
OAB, é válida a intimação pela imprensa feita apenas em seu nome.
Não se conhece de recurso subscrito apenas por estagiário de Direito,
nem pode este subscrever, sozinho, emenda à petição inicial.
o estagiário poderá assinar sozinho petição de juntada de documentos.

5a Questão (Ref.:201402738877) Acerto: 1,0 / 1,0


Paulo, advogado regularmente inscrito na OAB/PR, descobriu que seu
potencial cliente João omitira-lhe o fato de já ter constituído o advogado
Anderson para a mesma causa. Na situação apresentada, supondo-se que
não se trate de medida judicial urgente e inadiável nem haja motivo justo que
desabone Anderson, Paulo deve

B) denunciar João ao Conselho Federal por litigância de má-fé.


D) denunciar Anderson ao Tribunal de Ética da OAB por omissão
culposa, estando este sujeito a censura
C) notificar Anderson por intermédio da Comissão de Ética e Disciplina
da OAB para que este se manifeste no prazo de quinze dias corridos e,
caso Anderson não se manifeste, continuar defendendo os interesses de
João em consonância com os preceitos éticos da advocacia.
A) recusar o mandato, de acordo com imposições éticas, haja vista a
existência de outro advogado já constituído

6a Questão (Ref.:201402939957) Acerto: 1,0 / 1,0


O advogado Márcio, sócio de determinado escritório de advocacia, contratou
novos advogados para a sociedade e substabeleceu, com reserva em favor
dos novos contratados, os poderes que lhe haviam sido outorgados por
diversos clientes. O mandato possuía poderes para substabelecer. Um dos
clientes do escritório, quando percebeu que havia novos advogados
trabalhando na causa, os quais não eram por ele conhecidos, não apenas
resolveu contratar outro escritório para atuar em sua demanda como ofereceu
representação disciplinar contra Márcio, afirmando que o advogado não agira
com lealdade e honestidade. A esse respeito, assinale a afirmativa correta.

Nenhuma das alternativas anteriores


A representação oferecida deve ser enquadrada como infração
disciplinar, pois o advogado deve avisar previamente ao cliente acerca
de todas as petições que apresentará nos autos do processo, inclusive
sobre as de juntada de substabelecimentos.
A representação oferecida deve ser enquadrada como infração
disciplinar, pois o substabelecimento do mandato,com ou sem reserva
de poderes, deve ser comunicado previamente ao cliente.
A representação oferecida não deve ser enquadrada como infração
disciplinar, pois apenas o substabelecimento do mandato sem reserva
de poderes deve ser comunicado previamente ao cliente.
A representação oferecida não deve ser enquadrada como infração
disciplinar, pois o substabelecimento do mandato,com ou sem reserva
de poderes, é ato pessoal do advogado da causa.

7a Questão (Ref.:201402734814) Acerto: 1,0 / 1,0


Às 15h15, o advogado Armando aguardava, no corredor do fórum, o início de
uma audiência criminal designada para as 14h30. A primeira audiência do dia
havia sido iniciada no horário correto, às 13h30, e a audiência da qual
Armando participaria era a segunda da pauta daquela data. Armando é
avisado por um serventuário de que a primeira audiência havia sido
interrompida por uma hora para que o acusado, que não se sentira bem,
recebesse atendimento médico, e que, por tal motivo, todas as demais
audiências do dia seriam iniciadas com atraso. Mesmo assim, Armando
informa ao serventuário que não iria aguardar mais, afirmando que, de acordo
com o EAOAB, tem direito, após trinta minutos do horário designado, a se
retirar do recinto onde se encontre aguardando pregão para ato judicial. A
partir do caso apresentado, assinale a opção correta.

Armando não poderia se retirar do recinto, pois a autoridade que


presidiria o ato judicial do qual Armando participaria estava presente.
Armando poderia se retirar do recinto, pois o advogado tem o direito de
não aguardar por mais de trinta minutos para a realização de ato
judicial.
Armando poderia se retirar do recinto, pois não deu causa ao atraso da
audiência.
Armando nãp possui a prerrogativa, porque inexiste essa situação para
o advogado.
Armando não poderia se retirar do recinto, pois a prerrogativa por ele
invocada não é válida para audiências criminais.

8a Questão (Ref.:201402943052) Acerto: 1,0 / 1,0


Mévio, advogado de longa data, pretendendo despachar uma petição em
processo judicial em curso perante a Comarca Y, é surpreendido com aviso
afixado na porta do cartório de que o magistrado somente receberia para
despacho petições que reputasse urgentes, devendo o advogado dirigir-se ao
assessor principal do juiz para uma prévia triagem quanto ao assunto em
debate. À luz das normas estatutárias, é correto afirmar que:

a triagem realizada por assessor do juiz permite melhor eficiência no


desempenho da atividade judicial e não colide com as normas
estatutárias.
a duração razoável do processo é princípio que permite a triagem dos
atos dos advogados e o exercício dos seus direitos estatutários.
como há hierarquia entre magistrados e advogados, o advogado só
poderá despachar com assessores.
o advogado tem direito de dirigir-se diretamente ao magistrado no seu
gabinete para despachar petições sem prévio agendamento.
a organização do serviço cartorário é da competência do juiz, que pode
estabelecer padrões de atendimento aos advogados.

9a Questão (Ref.:201403115192) Acerto: 1,0 / 1,0


(XXI Exame Unificado OAB/27/11/2016/ADAPTADA) - Florentino, advogado
regularmente inscrito na OAB, além da advocacia, passou a exercer também
a profissão de corretor de imóveis, obtendo sua inscrição no conselho
pertinente. Em seguida, Florentino passou a divulgar suas atividades, por meio
de uma placa na porta de um de seus escritórios, com os dizeres: Florentino,
advogado e corretor de imóveis. Sobre o tema, assinale a afirmativa correta.

É permitido a Florentino exercer paralelamente a advocacia e a


corretagem de imóveis, desde que não sejam prestados os serviços de
advocacia aos mesmos clientes da outra atividade. Além disso, é
permitida a utilização da placa empregada, desde que seja discreta,
sóbria e meramente informativa.
É vedado a Florentino exercer paralelamente a advocacia e a
corretagem de imóveis.
É permitido a Florentino exercer paralelamente a advocacia e a
corretagem de imóveis, inclusive em favor dos mesmos clientes.
Também é permitido empregar a aludida placa, desde que seja discreta,
sóbria e meramente informativa.
Não no caso narrado qualquer vedação legal, podendo Florentino
anunciar todos os seus serviços, inclusive a corretagem de imóveis.
É permitido a Florentino exercer paralelamente a advocacia e a
corretagem de imóveis. Todavia, é vedado o emprego da aludida placa,
ainda que discreta, sóbria e meramente informativa

10a Questão (Ref.:201403135035) Acerto: 1,0 / 1,0


No art. 39 do CED de 2015, encontramos a observação segundo a qual a
publicidade profissional do advogado tem caráter meramente informativo e
deve priorizar a discrição e sobriedade da profissão, não podendo configurar
captação de clientela ou mercantilização da profissão. Este Capítulo VIII do
Código de Ética que trata dos artigos 39 a 46 devem ser lidos em conjunto
com o Provimento 94/2000.

Com base no que foi mencionado, o que não deverá conter na publicidade
informativa:

I - Dimensões ou estrutura do escritório.

II - Informações errôneas/enganosas.

III - Título acadêmico não conhecido.

IV - Ofertas de serviços/convocação em relação a casos concretos.

Estão corretas:

Somente I e II
Somente I, II e III
I, II, III e IV
Somente I, II e IV
Somente II e III

ÉTICA GERAL E PROFISSIONAL


Avaliação Parcial: CCJ0042_SM_201402070462 V.1
Aluno(a): TAIANÁ NOBRE DA ROSA Matrícula: 201402070462
Acertos: 10,0 de 10,0 Data: 10/05/2018 18:38:55 (Finalizada)

1a Questão (Ref.:201403130767) Acerto: 1,0 / 1,0


(XIX Exame Unificado/2016/adaptada) - Alexandre, advogado que exerce a
profissão há muitos anos, é conhecido por suas atitudes corajosas, sendo
respeitado pelos seus clientes e pelas autoridades com quem se relaciona por
questões profissionais. Comentando sua atuação profissional, ele foi inquirido,
por um dos seus filhos, se não deveria recusar a defesa de um indivíduo
considerado impopular, bem como se não deveria ser mais obediente às
autoridades, diante da possibilidade de retaliação. Sobre o caso apresentado,
observadas as regras do Estatuto da OAB, assinale a opção correta indicada
ao filho do advogado citado.

A atitude do advogado caracteriza a inépcia profissional.


As causas impopulares aceitas por Alexandre devem vir sempre
acompanhadas de apoio da Seccional da OAB
O advogado Alexandre deve recusar a defesa de cliente cuja atividade
seja impopular.
O temor à autoridade pode levar à negativa de prestação do serviço
advocatício por Alexandre.
Nenhum receio de desagradar uma autoridade deterá o advogado
Alexandre.

2a Questão (Ref.:201402942270) Acerto: 1,0 / 1,0


Não estão sujeitos ao regime estabelecido pela Lei 8.906/94:

Os membros das Consultorias Jurídicas dos Estados, do Distrito Federal


e dos Municípios;
Da Procuradoria da Fazenda Nacional
Os Integrantes da Advocacia Geral da União;
Os integrantes das Procuradorias da Justiça;
Os vinculados à Defensoria Pública

3a Questão (Ref.:201403053939) Acerto: 1,0 / 1,0


A inscrição suplementar do advogado somente é obrigatória:

caso o profissional passe a atuar com habitualidade em Estados


(Conselhos Seccionais) diversos ao de sua inscrição principal, exigindo-
se uma atuação mínima de 6 causas
para advogados com mais de 5 (cinco) anos de profissão.
para ex-magistrados e ex-promotores de justiça
para os advogados estrangeiros
para os bacharéis em Direito que tiverem requerido sua inscrição em
determinado Estado da federação e, até 1 ano depois, tenham mudado
seu domicílio profissional

4a Questão (Ref.:201402675831) Acerto: 1,0 / 1,0


Um advogado regularmente inscrito na OAB-PA foi contratado por uma
empresa no Maranhão, para representá-la em diversas ações judiciais em
curso naquele estado. Considerando que também continuará a exercer a
advocacia no Pará, assinale a opção correta acerca da situação de tal
advogado junto à OAB-MA e quanto ao exercício da sua profissão.

O advogado pode representar a empresa no Estado do Maranhão, sem


necessidade de promover qualquer inscrição e nem de comunicar a
OAB-MA sua intervenção.
O advogado deverá transferir sua inscrição para a OAB-MA.
O advogado deverá promover uma inscrição suplementar na OAB-MA
O advogado deverá comunicar à OAB-MA sua intervenção profissional
naquele estado, não devendo, entretanto, promover nenhuma inscrição
nessa Seccional

5a Questão (Ref.:201403134093) Acerto: 1,0 / 1,0


Assinale a única alternativa correta sobre a figura da renúncia do mandato
advocatício:

o advogado não poderá renunciar sem o prévio consentimento do cliente.


o mandante tem prazo de dez dias para nomeação de outro advogado,
a contar da data em que foi cientificado da renúncia;
se o mandante constituir novo advogado nos autos, após cinco dias a
contar da cientificação da renúncia, ambos os advogados permanecerão
representando o mandante pelos cinco dias restantes;
se o advogado notificar o mandante da renúncia do mandato, no nono
dia a contar da efetiva renúncia, este terá prazo de um dia para nomear
substituto;
o advogado não pode renunciar ao mandato antes do trânsito em julgado
da decisão do processo.

6a Questão (Ref.:201402729760) Acerto: 1,0 / 1,0


A renúncia ao mandato, conforme orientação do Código de Ética e Disciplina
implica em

Comunicação do motivo da renúncia, exclusivamente, ao Juiz do


processo.
Nenhuma das respostas acima.
Ampla divulgação do motivo da renúncia.
Omissão do motivo da renúncia.
Comunicação do motivo da renúncia à Comissão de Prerrogativas da
OAB.

7a Questão (Ref.:201402952302) Acerto: 1,0 / 1,0


Morgano, advogado recém-formado e inscrito na OAB, com aprovação no
Exame de Ordem logo após a colação de grau, é contratado para defender
cliente em audiência de instrução e julgamento. No recinto forense, depara-se
com um tablado onde estão alocados a mesa ocupada pelo juiz e ao seu lado
o representante do Ministério Público. Curioso pela situação e ainda
inexperiente, questiona se tal arquitetura é comum nos demais recintos e a
razão de o advogado estar em plano inferior aos demais agentes do processo.
Como resposta, recebe a informação de que a disposição física foi
estabelecida em respeito à hierarquia entre magistrados e membros do
Ministério Público, que devem permanecer em posição superior à dos
advogados das partes. Diante do narrado, à luz das normas estatutárias, é
correto afirmar que

advogados, membros do Ministério Público e magistrados não têm


relação de hierarquia entre si.
a hierarquia é inerente à atividade desenvolvida pelos advogados, que
atuam de forma parcial em defesa dos seus clientes.
os membros do Ministério Público nos atos processuais são
hierarquicamente superiores aos advogados.
Não há alternativa correta nesta questão.
como dirigente do processo, o magistrado subordina a atuação dos
advogados como forma de disciplina da audiência.

8a Questão (Ref.:201402761312) Acerto: 1,0 / 1,0


Em conseqüência de acidente de veículos provocado por JOSÉ DA SILVA,
este pagou a CARLOS ALBERTO, em composição amigável, a quantia de
R$6.000 (seis mil reais) pelos danos materiais causados no veículo de Carlos
Alberto, que deu quitação do que lhe era devido. Passados 4(quatro) meses,
CARLOS ALBERTO consultou o Advogado ANTÔNIO BENÍCIO e este,
mesmo sabendo daquele pagamento e na condição de Advogado de Carlos
Alberto, ingressou em Juízo com uma Ação de Ressarcimento de danos por
acidente de veículos em face de JOSÉ DA SILVA, pleiteando a indenização
de R$6.000,00(seis mil reais) pelos danos materiais causados no veículo de
Carlos Alberto. Pergunta-se:

Antônio Benício cometeu um patrocínio infiel.


Antônio Benício cometeu uma inépcia profissional;
Antônio Benício cometeu uma fraude processual;
Antônio Benício praticou tergiversação.
Antônio Benício praticou uma lide temerária;

9a Questão (Ref.:201402161957) Acerto: 1,0 / 1,0


EXAME DE ORDEM Assinale a assertiva INCORRETA conforme o Estatuto
da Advocacia e a Ordem dos Advogados do Brasil (Lei no 8.906/1994).

Nenhuma das opções


Estão impedidos de exercer a advocacia os parlamentares em todos os
níveis.
A incompatibilidade com a advocacia permanece mesmo que o ocupante
de cargo ou função de direção em órgão da Administração Pública direta
solicite uma licença sem vencimentos.
A incompatibilidade determina a proibição total, e o impedimento, a
proibição parcial do exercício da advocacia.
Os docentes de cursos jurídicos em universidades públicas não podem
advogar contra a fazenda que os remunere.
10a Questão (Ref.:201403115192) Acerto: 1,0 / 1,0
(XXI Exame Unificado OAB/27/11/2016/ADAPTADA) - Florentino, advogado
regularmente inscrito na OAB, além da advocacia, passou a exercer também
a profissão de corretor de imóveis, obtendo sua inscrição no conselho
pertinente. Em seguida, Florentino passou a divulgar suas atividades, por meio
de uma placa na porta de um de seus escritórios, com os dizeres: Florentino,
advogado e corretor de imóveis. Sobre o tema, assinale a afirmativa correta.

É permitido a Florentino exercer paralelamente a advocacia e a


corretagem de imóveis, desde que não sejam prestados os serviços de
advocacia aos mesmos clientes da outra atividade. Além disso, é
permitida a utilização da placa empregada, desde que seja discreta,
sóbria e meramente informativa.
É permitido a Florentino exercer paralelamente a advocacia e a
corretagem de imóveis. Todavia, é vedado o emprego da aludida placa,
ainda que discreta, sóbria e meramente informativa
É permitido a Florentino exercer paralelamente a advocacia e a
corretagem de imóveis, inclusive em favor dos mesmos clientes.
Também é permitido empregar a aludida placa, desde que seja discreta,
sóbria e meramente informativa.
Não no caso narrado qualquer vedação legal, podendo Florentino
anunciar todos os seus serviços, inclusive a corretagem de imóveis.
É vedado a Florentino exercer paralelamente a advocacia e a
corretagem de imóveis.