Vous êtes sur la page 1sur 7

SARAU LITERÁRIO: INVENTAR UMA NAÇÃO

Cleber de Oliveira Rodrigues1 - Grupo Marista


Eixo – Alfabetização, Leitura e Escrita
Agência Financiadora: não contou com financiamento
Resumo
O presente trabalho propõe-se relatar o processo pedagógico de articulação curricular da área
de Linguagens no primeiro trimestre letivo do ano de 2017. O projeto “Sarau Literário 2017:
Inventar uma Nação” é o desdobramento do currículo da área de linguagens e seus respectivos
componentes curriculares. Um percurso curricular ressignificado pela participação autônoma
integrada aos saberes, linguagens e culturas do território, contextualizado à conjuntura
política e social, nos quais estão inseridos os interlocutores dos processos educativos.
Descrevemos o evento pedagógico-cultural planejado com professores e educandos para
produzir, discutir: literatura, expressão corporal, música, dança, releituras das obras da cultura
nacional e estrangeira, bem como se apropriar da leitura, escrita e pesquisa. Assim, expressa
linguagens e literaturas utilizadas pelos jovens para ler, interpretar e interagir com a
sociedade. Qual a nação brasileira imaginada e sonhada por estudantes jovens do Ensino
Médio, em sua maioria, inseridos em contextos de vulnerabilidade social? Está próxima do
cenário oficial apresentado pela mídia e pelo poder público? Essencialmente o Sarau
Literário: inventar uma nação instigou o imaginário social a partir da realidade vivida em seu
cotidiano. As produções literárias favoreceram a potencializaram a liberdade artística, cultural
e social, pois aos expressar seus pensamentos na fala ou escrita faz o sujeito perceber-se
cidadão e agente de social capaz de interagir com a sua realidade. O texto tem a intenção de,
minimamente, dar visibilidade à postura investigativa e crítica, além da ampliação das
práticas pedagógicas via projetos interdisciplinares, fortalecidos na participação, autoria,
pesquisa e investigação dos educandos desenvolvidos no Ensino Médio do Centro
Educacional Marista São José - SC.
Palavras-chave: Literatura. Linguagens. Poesia. Leitura. Escrita.

Introdução

O projeto Sarau Literário tem como objetivo contribuir para que os educandos
conheçam e utilizem elementos constitutivos da linguagem de forma reflexiva e funcional.
Compreender nas práticas pedagógicas atividades para o desenvolvimento global do
individuo tais como processo de socialização consciente e crítico, exercício de convivência
democrática, atividade artística com preocupação de organização estética e experiências que

1Bacharel em Biblioteconomia/UFSC (2008), Especializações em Juventude, Religião e Cidadania/FAJE-MG


(2009), Gestão de Processos Pastorais/PUC-PR (2015) e Coordenação Pedagógica/FAEL-PR (2016). Atual
coordenador pedagógico do Ensino Médio no Centro Educacional Marista São José/SC. E-mail
crodrigues@solmarista.org.br

ISSN 2176-1396
19465

façam parte de seus contextos é um grande desafio. “É a escola que deve potencializar o
acesso à literatura. Saber apreciar, comentar e fazer juízo crítico devem ser igualmente
fomentados na experiência escolar” (PCN’S, 1997, p. 57).
Com origem no termo latino serus (entardecer), a palavra “sarau” faz referencia aos
eventos literários e poéticos realizados no fim do dia. Popular no século XIX, os saraus são
resgatados e reinventados pelas escolas, com a intenção fortalecer a identidade da comunidade
escolar, promovendo a integração de todos, inclusive dos pais de educandos.
O sarau de literário é capaz de ressignificar as práticas pedagógicas, também pode ser
uma estratégia didática, pois a cadência ritmada que apresenta desperta maior interesse pela
leitura e escrita, favorecendo o processo de ensino e aprendizagem dos educandos. É nessa
perspectiva que a Área de Linguagens do Ensino Médio do Centro Educacional Marista tem
dinamizado o Sarau Literário Marista com os educandos das três séries.
O Sarau Literário do Centro Educacional Marista São José é um evento pedagógico e
cultural planejado para discutir: literatura, expressão corporal, música, explanar sobre as obras
da cultura nacional e estrangeira e ampliar o repertório sobre estilos literários e autores que
marcaram a história de uma linguagem artística e sua influência. É uma oportunidade para
favorecer e potencializar a cooperação entre os interlocutores do processo educativo e desse
modo a valorização do território.

O Relato de experiência

“O Brasil está em estado de emergência,


Colocamos na U.T.I,
Mas o S.U.S está em decadência...
Já faltando sapiência(...)
(Educandos: Eliseu, Emellin, Maurício, Jennifer – 202)

A partir dos temas escolhidos, durante as aulas e organizados em grupos, os educandos


pesquisam, leem, releem, escrevem e reescrevem os textos escolhidos. Nas aulas, os
educandos apresentam os materiais, destacam os aspectos considerados mais relevantes,
biografias, principais obras e legado materiais e imaterial. Assim, seguem o itinerário de
pesquisa e sistematização para a releitura e reescrita de seus textos. Por fim, organizam e
elaboram apresentações artístico-culturais resultantes do processo desenvolvido em sala de
aula.
19466

Todas as apresentações são compartilhadas com a comunidade educativa.


Colaborativamente, tudo se faz com a participação dos educandos que interagem entre si,
visando ao aprendizado da convivência, tão em baixa na sociedade moderna. A atividade
Sarau Literário realizada com os educandos já faz parte do calendário escolar e transita por
todas as séries do Ensino Médio.
O “Sarau Literário 2017: Inventar uma Nação” propõe-se a socializar os processos do
projeto de Articulação Curricular da Área de Linguagens no 1º trimestre de 2017 no Ensino
Médio. Envolveu os componentes curriculares: Arte, Educação Física, Língua Portuguesa e
Inglês, além da Jornada Ampliada (atividades de contraturno, com enfoque nas linguagens).
As atividades foram coordenadas pelos professores: Daniel Pedro Sussumi, Daniel
Wallace de Souza Lima, Marcelo Spitzner, Carlos Pedro Gomes, Luiz Carlos Silva e Éden
Silvana Demari e João Maria da Costa, acompanhadas pelo coordenador pedagógico, Cleber
de Oliveira Rodrigues.
Na perspectiva freiriana, na qual “o papel do educador não é apenas ensinar os
conteúdos, mas também ensinar a pensar certo”, Freire (1996 p 14.), a esse propósito ele diz
ainda que “o professor que pensa certo deixa transparecer aos educandos a beleza de intervir e
conhecer o mundo”.
Figura 1 – Oficinas sobre cultura popular

Fonte: Arquivo do CEM São José


No desenvolvimento do projeto promoveram-se leituras de fragmentos de obras
literárias, seminários ao redor dos temas e subtemas, produção layout e customização de
vasos, construção de estruturas sustentáveis com bambus, atividades realizadas no horário
regular e contra turno (jornada ampliada). Nessa perspectiva a aprendizagem deve contemplar
19467

os conhecimentos de cada um de modo relacional e contextualizado, como nos indicam as


Matrizes Curriculares da Área de Linguagens:

Esses projetos devem ter como ponto de partida as diversas manifestações das
linguagens e seus significados, permitindo a compreensão de cada uma em função
do espaço-tempo em que ocorrem, isto é, observando aspectos sociais, regionais e
culturais que contextualizam sua presença na sociedade. As crianças e os jovens têm
uma característica muito particular de produzir sentido em suas atividades. Envolvê-
los nas práticas de ensino e de aprendizagem é uma das formas de alcançar o
conhecimento. (UMBRASIL, 2016, p.32)

Assim, para iniciar o projeto foi indispensável à discussão em sala de aula, levantando
os interesses dos educandos em relação ao assunto. Propuseram-se pesquisas a fim de se
coletar material para o desenvolvimento do projeto.
Figura 2 – Pesquisa e reescrita de textos

Fonte: Arquivo do CEM São José


Portanto, implicou discutir com os educandos, afim de que entendessem o porquê de
se estar realizando leituras, cujas interpretações poderiam significar para eles novos saberes
que, por sua vez, revelam novas realidades e estabelecem relações de sentido diante do
mundo, enfim, experiências e esclarecimentos vitais para a promoção de seu
desenvolvimento.
O tema e as atividades teceram não só um debate amplo sobre a conjuntura da política
nacional, mas as fragilidades do território e como tudo isso pode ser traduzido no processo de
arte educação e transformado. E ao pensarmos sobre a arte - literatura no contexto
contemporâneo, vejamos o quanto é importante despertar o prazer da leitura, pois ela é capaz
de ampliar a criticidade e a sensibilidade do sujeito frente ao mundo em que vive.
19468

A montagem de poemas adaptativos possibilitou abordar os conceitos de poesia e


desenvolver a criatividade, dando aos educandos a oportunidade de produzirem novos textos a
partir de textos originais.
No contexto escolar, segundo Soares (2009, p. 128), “o letramento é um processo,
mais que um produto. Assim, as escolas podem avaliar e medir a obtenção de habilidades, de
conhecimentos, de usos sociais e culturais da leitura e da escrita, de maneira progressiva em
vários pontos do contínuo”.
Para a autora, a leitura contribui em todas as dimensões do processo cultural. Ainda
que necessite de uma instrução estruturada, ou seja, a decodificação das letras, a leitura de
textos é uma experiência prática e contínua que nos permite obter um conhecimento de nós
mesmos e do mundo através do olhar do outro. Ou seja, a linguagem é o ponto que entremeia
a relação de conhecimento entre nós e o outro.
Nessa perspectiva, o projeto Sarau Literário: 2017 ‘Inventar uma Nação’, organizou-se
em diferentes movimentos que buscaram propiciar a ampliação das leituras, oficinas de escrita
e reescrita a construção do Sarau Literário.
Figura 3 – Oficina de produção textual

Fonte: Arquivo do CEM São José

A partir das reflexões iniciais, multiplica-se e valoriza o conhecimento sobre o mundo


da leitura e, sobretudo, as formas de incentivar o ato de ler.
Contamos também com a participação da comunidade escolar para organização de
todas as etapas: direção, coordenação, bibliotecária, bem como com os agentes envolvidos
diretamente no projeto, professores e educandos.
Além de oficinas sobre cultura popular, integrantes da atividade: ler, discutir e
produzir poemas e músicas (individualmente e coletivo) relacionadas às temáticas, tradução
de poemas, a partir do currículo e na perspectiva interdisciplinas, em cada componente
19469

curricular trouxe produções textuais: individuais e coletiva, socialização textos, atividades e


dinâmicas valorizando, leitura, escrita, interpretação, expressão corporal e técnica de
respiração.

Apresentações

Durante o evento realizado em 26/04/2017, no período noturno, as apresentações


foram intercaladas, durante a as apresentações entre 19h00min e 20h00min, educandos dos
terceiros anos apresentaram para os segundos e primeiros anos (subtema: Memória,
Ocupação, Cultura – Política), das 20h00min horas às 21h00min horas os educandos dos
segundos anos apresentaram para os primeiros e terceiros (subtema: Mito, Independência,
Invenção) e das 21h00min às 22h00min educandos dos primeiros anos apresentaram para os
colegas dos segundos e terceiros anos (Subtemas: Gênero, Raça, Direito Civis; Mito,
Independência, Invenção; Memória, Ocupação, Cultura – Política).
A intencionalidade pedagógica do projeto Sarau Literário 2017: Inventar uma Nação
foi o caminho percorrido com a perspectiva de fortalecer a leitura, escrita, rescrita,
interpretação de mundo e revelando que o conhecimento não se faz de maneira isolada e
colocando os educandos como protagonistas do processo de ensino aprendizagem. A prática
como resposta do trabalho foi apresentação dos textos de autoria dos próprios educandos e
todo o processo foi registrado pelas oficinas da Jornada Ampliada para montagem de
materiais pedagógicos.

Conclusão

Desenvolver o currículo da área de linguagens pautado em obras literárias e poéticas é


muito significativo. Além de ser propícia oportunidade para aperfeiçoar e dinamizar as aulas
interdisciplinares de literatura, leitura e escrita, potencializa a produção do conhecimento
supera as exigências do professor ou de conhecimentos previamente sistematizados.
Com isso, divulgam-se as produções textuais e artísticas, a importância dos textos
literários para nossas vidas e, principalmente, evidencia o fundamental saber/aprender a
trabalhar coletivamente, pensar e agir no e com o grupo.
19470

Na perspectiva interdisciplinar, os professores das áreas de linguagens articulam


conhecimentos e experiências construídos em sua formação inicial, em sua formação
continuada e no exercício da docência.
O Sarau concluiu o itinerário interdisciplinar do primeiro trimestre letivo, proposto
pelo currículo da área de linguagens, nos três anos do ensino médio, Assim, direta ou
indiretamente, envolveu toda comunidade educativa à refletir sobre os contextos atuais.

REFERENCIAS

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais:


introdução aos parâmetros curriculares nacionais. Brasília: MEC/SEF, 1997. 126 p.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo:
Paz e Terra, 1996.

SOARES, Magda. Letramento: um tema em três gêneros. 3. ed., Belo Horizonte: Autêntica,
2009. 128 p.

UNIÃO MARISTA DO BRASIL – UMBRASIL: Matrizes curriculares de educação básica


do Brasil Marista: área de linguagens, códigos e suas tecnologias / [organizador] União
Marista do Brasil. – Curitiba : PUCPRess, 2016.