Vous êtes sur la page 1sur 24

MOVIMENTOS DE REFORMA DA EDUCAÇÃO DOS

PROFISSIONAIS DE SAÚDE

Profª Ana Karina


Que mudanças ocorreram ao longo do tempo?
Reformas da Educação dos profissionais de Saúde
 Relatório de Flexner (1910)

 Influenciou a prática médica mundial;


 Segmentação em ciclos: Básico e profissional;
 Ensino baseado em disciplinas ou especialidades;
 Ambientado na maior parte dentro dos hospitais. PAGLIOSA; ROS, 2008; GONZALEZ; ALMEIDA, 2010.
Modelo Flexneriano
 Modelo biomédico  Centrado na doença e no hospital;
 Doença – Processo natural, biológico;
 Visão biologista;
 Desconsidera aspectos sociais, culturais e psicológicos;
 No Brasil – Passou a ser implantado da década de 40;
 Influência nos cursos de Medicina, Odontologia e Enfermagem.

PAGLIOSA; ROS, 2008; CYRINO; GODOY; CYRINO, 2014.


Como ocorre a formação dos profissionais de saúde
atualmente?
Ainda sofremos
influências do
modelo
flexneriano?
Relembrando...

Integralidade Universalidade

Equidade

Princípios do SUS
Movimentos importantes
Década de 50 – Movimentos pró-mudanças
Proposta da reforma  Medicina Comunitária e
preventivista e da Integração Docente
Medicina Integral Assistencial (IDA)

Década de 50 – América latina


 surgimento dos
departamentos de Medicina
Preventiva, em Cali (Colômia)
e Ribeirão Preto (Brasil).
A formação do profissional de saúde deve ser voltada para a integralidade do cuidado à
saúde e não mais centrada na doença. CYRINO; GODOY; CYRINO, 2014
Medicina Comunitária
 Buscava uma medicina simplificada;
 Inclusão diferenciada das camadas sociais marginalizadas pelo processo de
desenvolvimento;
 Estímulo à participação comunitária.

“Médicos de pés descalços” na China

 Cursos populares formativos na práxis médica;


 Focava na atenção primária à saúde e controle
de epidemias.

GONZALEZ; ALMEIDA, 2010.


Reunião de Alma-Ata (1978)
 Avanços  Atenção primária à saúde;
 Surgimento da Reforma Sanitária no Brasil;
 Passou-se a discutir como inserir o trabalho universitário no serviço de saúde.

Passa a ter nova conotação: “trata-se de articulação,


trata-se de aprendizagem e trata-se de abordagem
integral dos problemas de saúde.” (CHAVES, 1994, p. 6).
GONZALEZ; ALMEIDA, 2010.
8ª Conferência Nacional de Saúde (1986)
 Expansão da integração universidade e atenção primária;
 Primeira em que a população teve voz ativa e participou intensamente das
discussões;
 Conceito ampliado de saúde:

Proteção

Promoção

Recuperação

PAGLIOSA; ROS, 2008.


Brasil – Décadas de 1980 e 1990
 Criação de um sistema universal, o Sistema Único de Saúde (SUS);
 Obstáculos na consolidação do SUS:

Assistência curativa Hospitalar Superespecializada

GONZALEZ; ALMEIDA, 2010.


Brasil – Décadas de 1980 e 1990
 Após a criação do SUS (Constituição Federal de 1988);
 Ainda havia limitação e o “currículo mínimo” vigente enfatizava o modelo
biomédico, priorizando o uso da tecnologia, com enfraquecimento da relação
profissional de saúde/paciente.

Programa de Integração
Centros de Saúde Escola
Docente Assistencial (IDA)

Início do desenvolvimento da Medicina Comunitária/


Ensino voltado para Atenção primária à Saúde GONZALEZ; ALMEIDA, 2010.
Superando o desafio com a formação profissional
 Um desafio como este demanda a necessidade de quatro grandes vetores
desafiantes:

Formação Atenção A qualificação e o comprometimento dos


profissionais de saúde tornam-se mais que
simples necessidades, transformam-se em
Gestão Participação aspectos vitais para a real consolidação do SUS

GONZALEZ; ALMEIDA, 2010.


Fatores limitantes do IDA
 Ausência da comunidade na sigla IDA e nas estruturas de poder da IDA.

 Programa UNI - “uma nova iniciativa em


educação das profissões da saúde: união
com a comunidade”;
 Objetivos: Mudar a formação dos
profissionais de saúde;
 Repensar a Universidade – torna-la relevante
para a sociedade.
GONZALEZ; ALMEIDA, 2010.
Programa UNI
 O Programa UNI representou a conjunção de três movimentos que já
estavam em marcha isoladamente.
Integração Docente-Assistencial (Universidade-Serviços)
Universidade

Serviços Extensão Universitária (Universidade Comunidade)

Comunidade
Atenção Primária à Saúde (Serviços-Comunidade)

ALMEIDA; FEUERWERKER; LLANOS, 1999.


Rede IDA x Projetos UNI
 A Rede IDA e os Projetos UNI são grandes exemplos de movimentos pró-
mudança na formação superior dos profissionais de saúde;

GONZALEZ; ALMEIDA, 2010.


Movimento Rede Unida (1997)
 Voltado para a elaboração de propostas inovadoras para a formação e
desenvolvimento dos profissionais de saúde;

Rede
UNI IDA
UNIDA

GONZALEZ; ALMEIDA, 2010.


Rede Unida
 A Rede UNIDA consiste em um movimento que reúne pessoas, projetos e
instituições comprometidos com os movimentos de mudanças na formação, o
desenvolvimento dos profissionais de saúde e a construção de um sistema de
saúde equitativo e eficaz, com forte participação social;

Visa:
 Potencializar as capacidades de
produzir mudanças;
 Movimentos articulados
Diretrizes curriculares nacionais (DCNs)

 A construção das DCNs – diretrizes curriculares nacionais dos cursos de


graduação da área da saúde – ocorreu entre 2001 e 2004;
 Participação de professores, alunos, residentes, gestores, trabalhadores da
saúde, usuários dos serviços e comunidade.

FINALIDADE
Construir um perfil acadêmico e profissional com
competências, habilidades e conteúdos de acordo com
as necessidades atuais das populações, bem como
para atuarem com qualidade e resolutividade no SUS.
Diretrizes curriculares nacionais (DCN)
 Propostas de mudança na formação dos profissionais de saúde:

Ter profissionais mais críticos, capazes de aprender a aprender;


Capacidade de trabalhar em equipe;
Levar em conta a realidade social para prestar atenção humana e de qualidade.
Educação Permanente em Saúde
 Política Nacional de Educação Permanente em Saúde (EPS) – 2004;
 Compreende um processo de aprendizagem que promove a reflexão sobre as
práticas do cotidiano;

Gestores Formadores

Controle
Profissionais
social
“Que nosso saber científico sirva para dar conta da singularidade que o
momento do encontro cuidador pressupõe”
Atividade
 Vídeos sobre campanhas publicitárias.