Vous êtes sur la page 1sur 11

30/03/2016

Plano de aula

ZOOTECNIA I (Suínos) • Reprodução

Msc. Fabrício Faleiros de Castro


Departamento de Zootecnia
fabricio_faleiros@hotmail.com

Ciclo reprodutivo
REPRODUÇÃO

Cobrição Parto Desmama


Reposição Gestação Lactação IDC
114 dias 21 dias 7-10 dias

IMPORTÂNCIA DA REPRODUÇÃO IMPORTÂNCIA DA REPRODUÇÃO

• Conciliar conhecimentos
• Custo relativo dos reprodutores
- Características da espécie
• Influência direta na produtividade do rebanho
(aspectos produtivos e reprodutivos) Órgãos reprodutivos

• Base genética Fisiologia reprodutiva

Categorias (marrã, porca, cachaço)

1
30/03/2016

IMPORTÂNCIA DA REPRODUÇÃO IMPORTÂNCIA ECONÔMICA

• Conciliar conhecimentos • Fêmea


Gestação – 114 d x 2,2 kg = 251 kg ração
- Técnicas de manejo para  produtividade Lactação – 21 d x 6 kg = 126 kg ração
Pré-Gestação – 7 d x 3 kg = 21 kg ração
Detecção de cio
Total = ± 400 kg ração

Monta natural vs IA
Se desmamar 10 leitões = 400 : 10 = 40 kg
ração/leitão
Manejo/preparo marrãs, etc...

Aspectos reprodutivos dos suínos Aspectos reprodutivos dos suínos

• Sus domesticus: • O suíno macho produz mais sêmen que o touro e o


cavalo, no entanto, a concentração de espermatozóide
• Multípara do tipo poliestral;
por unidade de volume é muito baixa.
• Apresenta cios com intervalos médios de 21 dias;
• Animais altamente prolíferos;
• Pode produzir mais de 30 leitões/porca/ano em 2 a 2,5
partos/porca/ano;
• Atividade reprodutora precoce (7-8 meses de idade ou com 120
– 130 kg de peso vivo).

9 10

- Volume total do ejaculado – em média de 150 a 300 mL –


sujeito a variações individuais e condições ambientais; Smital (2009) – comparou 230.705 coletas de sêmen, de
2.712 cachaços de 7 raças diferentes e de cruzamentos
- O cachaço apresenta volume aceitável de ejaculado após,
entre elas: observou diferença (P < 0,05) na produção
pelo menos, 3 dias de descanso, atingindo volume normal,
espermática – variou de 92 x 109 a 116 x 109 sptz;
após 5 dias;
- verificou, também, que a produção
- Encontrou-se diferenças entre raças quanto ao volume da
espermática aumentou rapidamente acompanhando a
fração rica – em média de até 95 mL;
idade do macho, durante os 3 primeiros anos de vida,
atingindo valor máximo aos 3,5 anos, declinando
- O volume total do ejaculado aumenta com a idade, mas a
concentração de sptz diminui; posteriormente.

2
30/03/2016

Aspectos reprodutivos dos suínos Fatores que influenciam o aparecimento da Puberdade


e Cio em leitoas
• Puberdade:
– Idade na qual os machos emitem espermatozóides • Alimentação • Mistura de lotes
viáveis e as fêmeas óvulos férteis.

• Idade da puberdade: • Idade e peso • Estresse


– Machos: 5 a 7 meses; Fêmeas: 4 a 7 meses.
• Transporte • Densidade na baia

• Cruzamentos • Indução hormonal

• Efeitos Climáticos • Presença do macho


13

EFEITO - CACHAÇO
EFEITO - CACHAÇO
Tabela - Efeito da idade do macho sobre habilidade de estimular a
puberdade em marrãs.

Idade à Tratamento Intervalo (dias) entre Idade à puberdade


Puberdade (dias) exposição e (dias)
Estímulo Auditivo + contato 163 puberdade
Sem macho 39 203
Estímulo auditivo 183 Macho 6 meses 42 206
Sem contato com o cachaço 198 Macho 11 meses 18 182
Macho 24 neses 19 182

EFEITO - CACHAÇO IDADE À PUBERDADE

• Maximizar o efeito do cachaço • Média de 5,5 a 6 meses


• Rotação de machos
• Tempo mínimo de 15 mim diários de contato
• Utilizar machos com idade superior a 11 meses

• Fazer a passagem do macho 2X ao dia. IDADE PUBERDADE ≠ IDADE REPRODUÇÃO

3
30/03/2016

Parâmetros mínimos necessários para a 1a


IDADE DE REPRODUÇÃO cobertura

• Fêmea Genética Peso (kg) Idade (dias) ET mm

 7 a 8 meses Topigs 125 – 135 220 – 230 11 – 13


JSR 130 – 150 220 – 230 18 – 22
 120-140 kg
Seghers 130 220 – 230 16 – 18
3º cio
Agroceres 130 – 145 220 – 230 16 – 18
DB Danbred 120 – 135 210 – 220 15 – 17

Fonte: Suinocultura Industrial

Reposição
Manejo reprodutivo - Marrãs

• Aquisição de marrãs
=> ± 20 – 25% a mais
que o programado

•Aclimatação – contato
com os machos

• Alojamento – 6 a 10
fêmeas por baia
22

Reposição
Reprodução

• Taxa de ovulação Vs gordura

• Gordura N° de óvulos formados/liberados

• Leitões nascidos

23

4
30/03/2016

IDADE DE REPRODUÇÃO
FREQUÊNCIA DE UTILIZAÇÃO DOS MACHOS

• Macho Idade em meses Vezes na semana


 7 a 8 meses 8 – 10 2
 140 kg
10 – 12 2-4
 Tabela de utilização
12 – 15 5-6

2X no dia somente machos adultos, 8h de intervalo

CICLO ESTRAL
Funções do cachaço em uma granja
• Fases:
1 – Realizar cobertura
Proestro
2 – Fornecer esperma para IA
Estro
3 – Auxiliar na detecção do cio
Metaestro
4 – Estimular o aparecimento do cio
Diestro

5
30/03/2016

PROESTRO ESTRO OU CIO

• 2 dias • 2 a 3 dias
• Crescimento e maturação dos folículos do ovários  • Ovulação
FSH
• Cio  folículos maduros
• Preparo do aparelho reprodutivo para a prenhez.
• Receptividade sexual

SINAIS DO CIO

• Fêmea procura o macho;


• Vulva  entumecida e avermelhada
•  de apetite
• Orelhas levantadas
• Grunhidos
• Montam e deixam-se montar
• Ficam imóveis à pressão na linha dorso-lombar
• Corrimento vaginal

Características da fêmea em cio Características da fêmea em cio

6
30/03/2016

Passagem do cachaço
Exposição
das fêmeas
ao macho

Pontos de estímulo na fêmea

ESTRO OU CIO

• Duração – 2 a 3 dias

• Periodicidade – 21 em 21 dias

• Ovulação – 1/3 final do cio, cerca de 36 a 40 horas


após o início dos sintomas

• Taxa de ovulação – 15 a 20 óvulos

7
30/03/2016

Tipos de Cio
Cobrição / Inseminação Artificial
• Normal – ocorre de 21 em 21 dias, caso a fêmea não
esteja em gestação ou lactação Fêmeas adultas

• Silencioso – ocorre em 1,5% das fêmeas. Há ovulação 0 12 24 36 48 60 72 Horas


mas os sintomas não são exteriorizados Início do cio
DURAÇÃO DO CIO

• Cio Pós Parto – ocorre aproximadamente 60 horas 1ª Cob. 2ª Cob.Ovulação


após o parto, não ocorre ovulação
Ovulação: 36 horas após o início do cio (15 a 18 óvulos)
Vida útil dos óvulos: 8 a 10 horas
Vida útil dos espermatozóides: ± 30 horas
44

Fatores que podem influenciar a taxa


Cobrição / IA ovulatória:

Marrãs
- idade: ↓ com o aumento da idade da porca.
- nível nutricional: níveis de energia (flushing).
Início do cio 0 12 24 36 48 60 Horas
- raça: umas possuem taxas maiores que outras.
- outros fatores: clima, manejo...
DURAÇÃO DO CIO

1ª Cob. 2ª Cob.Ovulação

Ovulação: 24 horas após o início do cio (13 a 15 óvulos)


Vida útil dos óvulos: 8 a 10 horas
Vida útil dos espermatozóides: 30 horas
45 46

Cobrição – Monta Natural Inseminação Artificial


– Frequência de utilização do macho

 Machos jovens (7-10meses)  2 serviços por semana – Vantagens:


 Machos adultos (>10meses)  6 serviços por semana – manejo e o estresse da porca que não se desloca até o
 Não usar o reprodutor mais de 2 vezes por dia cachaço
– o número de machos
– controle sanitário
– possibilita o uso do sêmen de cachaços testados e pré
selecionados

– Desvantagens:
– quantidade de instalações (laboratório)
– gastos com mão de obra especializada

47 48

8
30/03/2016

Inseminação Artificial Cobrição / IA

• Características principais do sêmen destinado a IA:


- Volume: 100 mL
- Concentração espermática/dose: 3 x 109
- Temperatura de conservação: 16-18° C
- Viabilidade espermática: 3 a 5 dias após diluição
- Depende do diluente

49 50

Gestação Gestação

• Desde a fecundação até a liberação dos fetos "parto".


• Dura em média 114 dias, podendo ser menor(1 a 2
dias) nas primíparas.

Cobertura Parto Desmama


Reposição Gestação Lactação IDC
114 dias 21 dias 7 dias

51 52

METAESTRO DIESTRO

• Pós-ovulatória  2 dias • 14 dias


• Desenvolvimento corpos lúteos  LH • Corpos lúteos maduros  prod. progesterona
• Útero  recebe óvulos fertilizados  embriões
• Fêmea não-prenhe  luteólise e recomeço do ciclo

9
30/03/2016

Flushing Flushing
• Aporte de energia para a fêmea 10 dias antes da
data prevista do cio Efeito do tipo de alimentação sobre a fertilidade de marrãs

Tipo de alimentação N° Ovulações N° Embriões


• Objetivo:
• Aumentar a taxa de ovulação
Restrita (2kg) 14,4 11,2
• Utilizar CHO como fonte de energia
Flushing 17,5 13,9
• Funciona para marrãs e fêmeas magras

CONTROLE DE RETORNO AO CIO


DIAGNÓSTICO DE GESTAÇÃO
Momento de controle de retorno (dias após a
 Palpação Retal – 78% entre 25 e 28 dias e 90% entre 30 Forma de Controle inseminação)
e 60 dias 15 - 25 26 - 37
Grau de exatidão (%)
 Ultra-som – 93,7% aos 24 dias de gestação Observação sem auxílio do 28,4 4,6
cachaço
 Testes hormonais Observação e auxílio do 41,7 26,2
cachaço em caso de dúvida
 Controle de retorno ao cio Passagem do cachaço 1 vez/dia 51,4 25,5

Passagem do cachaço 2 vezes 84,4 9,2


/dia

FLUTUAÇÕES DE PESO DURANTE A GESTAÇÃO


Manejo na Gestação e mortalidade
embrionária
Ganho de peso: Gestação • Gestação - 2/3 da vida reprodutiva da fêmea

• Celas individuais até 40 dias após a cobertura/IA


– Matriz – entre 35 e 45 kg • Toda a gestação
• Controle individual da alimentação
• Menor mortalidade embrionária
– Marrã – entre 45 e 60 kg • Ambiente calmo

• Baias coletivas
• Agrupar fêmeas de acordo com o peso corporal
Perda de peso: Parição ± 30 kg
• Celas individuais – proibido BRF 2026
• Baias coletivas

10
30/03/2016

MORTALIDADE EMBRIONÁRIA FATORES QUE AFETAM A MORTALIDADE EMBRIONÁRIA

- Alimentação
- Aos 25 dias de gestação – 16 a 25%

- Aos 40 dias de gestação – 18 a 35%


- Idade da porca

- Ao término da gestação – cerca de 40% - Fatores ambientais

- Fatores infecto-contagiosos

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Obrigado

Fabrício Faleiros de Castro


Departamento de Zootecnia
fabricio_faleiros@hotmail.com
(16) 9 8167 7319

11