Vous êtes sur la page 1sur 5

1

A Oração do Pai Nosso Mt 6.13

NÃO NOS DEIXE CAIR EM TENTAÇÃO

Introdução:

Esta é a sexta e última petição e é a terceira relacionada com os seres


humanos.

Vimos anteriormente os temas: Santificado seja o nome de Deus, Venha o


Teu Reino e Seja feita a Tua Vontade, todas relacionadas com Deus
(vertical).

Nesta segunda parte (horizontal), vimos que Jesus nos ensina a pedir que
Deus nos forneça o pão de cada dia, ou seja a nossa provisão, a perdoar
os nossos ofensores (perdão).

Nesta sexta petição ele nos ensina a orar a respeito da nossa proteção.

Quinta Petição: Não nos deixe cair em Tentação, mas livra-nos do mal.
Na petição anterior vimos que o cristão necessita da bênção de Deus para
o alimento diário, ele também depende diariamente de Deus para não cair
nas tentações e ciladas do diabo.

Pergunta 106 do Breve catecismo comentado (ler)

Tentação
Tentação: Um experimento, teste, provação.
DEFINIÇÕES:
1. Testar a fidelidade, integridade, virtude e constância;

2. Uma cilada ao pecado que se levanta dos desejos e circunstâncias


externas. Também uma tentação interna ao pecado;

3. Usado para falar da condição mental pela qual somos inclinados ao


pecado, ou por um lapso de fé ou santidade;

4. Adversidade, aflição, problema, enviados por Deus servindo para testar


ou provar o caráter, fé e santidade de uma pessoa.
2

A tentação e a provação têm a mesma palavra no original do NT


(peiramos). Assim sendo, não é correto afirmar que a tentação é do Diabo
e que a provação é de Deus.

PERGUNTA 1
O que queremos dizer quando falamos em ser tentados a pecar?
Queremos dizer que somos fortemente atraídos ao mal do pecado

A tentação como um poder de sedução para com o pecado é um termo


muito amplo.

Pode se referir a todas as variadas tentações externas: as atrações do


mundo, as enganosas solicitações de Satanás, os argumentos e seduções
dos não-regenerados,

bem como todas as tentações internas que brotam dos desejos


pecaminosos que permanecem em nós (inveja, luxúrias, imaginações
impuras, cobiça, pensamentos de vingança injusta, etc.).

Todas essas forças podem agir numa variedade quase infinita de formas.

Cair em tentação é um prejuízo tão grande para a nossa vida


espiritual que Jesus nos ensinou a orar, dizendo: “... E não nos
deixes cair em tentação” (Lc 11.4; cf. Mt 6.13).

Quando cedemos à tentação deixamos de desfrutar, por um


momento, daquela preciosa comunhão com Deus. E Jesus não
quer que isso aconteça conosco.

PERGUNTA 2
De onde vem as tentações?
Elas vem de dentro e de fora de nós. De dentro vem porque o coração é
inclinado ao mal. De fora vem de satanás que é chamado o tentador na
bíblia (Mt 4.3)

Podemos citar três fontes de tentação.

O diabo, que procura o ponto fraco do homem e tenta seduzi-lo para


fazer cair em tentação.

Por isso Paulo orienta em 1 Pedro 5:8 “Sede sóbrios e vigilantes. O


diabo, vosso adversário, anda em derredor, como leão que
ruge procurando alguém para devorar”.
3

A carne também é fonte de tentação, por isso a as escritura nos


recomenda: “Fazei, pois, morrer a vossa natureza terrena: prostituição,
impureza, paixão lasciva, desejo maligno e a avareza, que é idolatria”
(Cl 3:5).

E o mundo, lugar para onde muitos são atraídos, é também fonte de


tentação.

Por isso devemos atender ao que João disse: “Não ameis o mundo nem as
coisas que há no mundo. Se alguém amar o mundo, o amor do Pai não
está nele” (1Jo 2:15).

PERGUNTA 3
É possível os cristãos serem tentados e arrastados para o pecado?
Sim, é possível os cristãos andarem na carne, não estarem alertas aos
artifícios do diabo e não conhecerem a imundície do seu coração.

O CRENTE entra no pecado aos pouquinhos. Isso porque não observa a


sinalização que o adverte do perigo.

Faz vista grossa a esses sinais porque, embora não deseje precipitar-se no
abismo da desgraça da imoralidade, quer sentir pelo menos um pouco a
gostosura dos seus prazeres.

Assim, avançando sinal após sinal, deixa a vida pegar embalo no caminho
errado até ao ponto de não conseguir mais fazer a manobra de frear para
evitar o desastre.

Diz, então, que “caiu no pecado”, quando este, de fato, há tempo já estava
no seu caminho.

PERGUNTA 4
Somos capazes de resisti a tentação do pecado por nós mesmos.
R. Não! Nós somos incapazes de resistir a elas pelas nossas próprias
forças.

É preciso confiarmos no poder do Senhor e pedir-lhe graça para resistir


ao diabo em nossa vida.

Paulo diz que Deus nos dá o Espírito: “que também vos dá o seu Espírito
Santo” (1Ts 4.11).

Aqui a idéia da dádiva do Espírito Santo é de ajudar o crente a vencer as


tentações e resistir à imoralidade. Ele habita o corpo de cada crente com
o objetivo de santificá-lo.
4

Se formos guiados e dirigidos pelo Espírito jamais satisfaremos os


desejos da carne. Somente o Espírito pode nos ajudar a não pecar. (Gl
5.17-20).

Paulo declara: “Acaso, não sabeis que o vosso corpo é santuário do


Espírito Santo, que está em vós, o qual tendes da parte de Deus, e que
não sois de vós mesmos? Porque fostes comprados por preço. Agora,
pois, glorificai a Deus no vosso corpo” (1Co 6.19-20).

Jesus mesmo falou em João 15 “sem mim nada podeis fazer”

PERGUNTA 5
As tentações do diabo são irresistível para os crentes?

R. Não! Suas tentações não são irresistíveis. A palavra de Deus nos diz
que podemos resistir a elas e há exemplo na bíblia de crentes que foram
capacitados pela graça de Deus a resistir as tentações de satanás.

Sujeitai-vos, portanto, a Deus; mas resisti ao diabo, e ele fugir· de vós


(Tiago 4.7)

Este é um mandamento divino. Um dever que o Senhor colocou sobre


nós.

Nossa primeira responsabilidade no que concerne a este mandamento È


dar-lhe nossa melhor atenção, gravá-lo em nossos corações, ponderar seus
termos, desejar e resolver obedecê-lo.

Provavelmente, alguns dirão: Eu quero, mas não sei como. Então, nossa
segunda responsabilidade referente a este mandamento é reconhecer este
fato, pedindo a Deus que nos ilumine e nos ensine como obedecê-lo.

PERGUNTA 6
Qual é o significado quando pedimos que Deus nos guarde de sermos
tentados a pecar e nos livre do mal?
R. Estamos pedindo que Ele nos guarde de cair na tentação, se for da sua
vontade.

Entretanto se cairmos na tentação estamos pedindo que ele nos recupere


dela e que Ele domine em nossa vida e faça que a nossa queda resulte em
algo para sua glória.
5

Portanto, Quando oramos: “Não nos deixes cair em tentação,


mas livra-nos do mal”, estamos pedindo: Resistência contra o
maligno, contra o pecado que habita em nós, contra o
perverso mundo em que vivemos.

Se DESEJAMOS vencer a tentação não amemos o mundo:

“15 Não ameis o mundo nem as coisas que há no mundo. Se alguém amar o
mundo, o amor do Pai não está nele; 16 porque tudo que há no mundo, a
concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida,
não procede do Pai, mas procede do mundo. 17 Ora, o mundo passa, bem
como a sua concupiscência; aquele, porém, que faz a vontade de Deus
permanece eternamente” (1 Jo 2.15-17).

Lembremo-nos: Cair em tentação é um processo


gradativo, quando se anda no conselho dos ímpios, se detém no
caminho dos pecadores, e se assenta na roda dos
escarnecedores (Sl 1.1).

Não esqueçamos que Deus não tenta. Deus não nos conduz ao pecado,
mas testa e prova seu povo. Abraão foi testado (posto à prova) por Deus
no sacrifício de Isaac, revelando sua confiança em Deus.

Jó foi também testado (posto à prova) no sofrimento que enfrentou,


revelando também sua confiança na justiça divina.

Jesus foi levado pelo Espírito ao deserto para ser tentado pelo Diabo.
Tudo resultou para a glória de Deus.

Que o Senhor Deus nos abençoe em Cristo Jesus.

Amém!