Vous êtes sur la page 1sur 5

RELATÓRIO

SEMINÁRIO DE ENGENHARIA CIVIL

Relatório apresentado para fins de avaliação da disciplina Seminário de Introdução ao Curso,


referente à palestra sobre Engenharia Civil.

1. INTRODUÇÃO......................................................................................04

2. CONCEITUAÇÃO ................................................................... ...........05

2.1 ÁREAS DE ATUAÇÃO DO ENGENHEIRO CIVIL. ...................06

2.2 O CURSO.............................................. ...........................................07

3. MERCADO DE TRABALHO.................................................................08

4. PERFIL DO ENGENHEIRO CIVIL.......................................................09

5. RECONHECIMENTO DA QUALIFICAÇÃO DO ENGENHEIRO.....10

6. CONCLUSÃO..........................................................................................11

1. INTRODUÇÃO

Compete ao Engenheiro Civil, desempenhar de atividades de engenharia, aplicando


conhecimentos científicos e tecnológicos necessários para o desenvolvimento de obras,
realizar projeto e gerenciamento de todas as etapas de uma construção ou reforma. O
Engenheiro Civil desenvolve o projeto, especificando as redes de saneamento do edifício e
definindo o material que será usado. Visando sempre a qualidade e a segurança da obra. A
Engenharia Civil engloba todo o processo de execução de obras de construção civil, bem
como no planejamento, projeto, implantação e controle de sistemas produtivos, visando à
integração dos fatores da produção, melhoria de produtividade, qualidade do produto e
otimização do processo.

O relatório tem como objetivo conhecer melhor o profissional de Engenharia Civil, suas
habilidades, competências, atribuições e principalmente seu campo de atuação profissional.

2. CONCEITUAÇÃO

A Engenharia Civil é o ramo da engenharia que projeta e executa obras como edifícios,
pontes, viadutos, estradas, barragens e outras obras da engenharia hidráulica fluvial e da
Hidráulica Marítima e da engenharia sanitária. Os termos Construção civil e Engenharia civil
foram originados de uma época em que só existiam apenas duas classificações para a
Engenharia sendo elas Civil e Militar. Cujo conhecimento, por exemplo, de Engenharia militar
era destinada apenas aos militares e a Engenharia civil destinada aos demais cidadãos. Com
o tempo, a Engenharia civil, que englobava todas as áreas, foi se dividindo, e hoje
conhecemos várias divisões, como a elétrica, mecânica, química, naval, entre outras.
Exemplos como Engenharia naval dão origem à construção naval, mas ambas eram
agrupadas apenas na grande área da civil.

O engenheiro civil projeta e acompanha todas as etapas de uma construção ou reformas.


Deve estudar as características dos materiais, do solo, incidência do vento, destino (ou
ocupação) da construção. Com base nesses dados, desenvolve o projeto, dimensionando e
especificando as estruturas, hidro sanitárias e gás, bem como os materiais a serem
utilizados. No gabinete de obra, chefia as equipes, supervisionando os prazos, os custos e o
cumprimento das normas de segurança, saúde e meio ambiente. Cabe-lhe garantir a
segurança da edificação, exigindo que os materiais empregados na obra estejam de acordo
com as normas técnicas em vigor. A Engenharia civil tem de alguma forma, relações com
todas as atividades humanas, notadamente com a Arquitetura.

5
2.1 ÁREAS DE ATUAÇÃO DO ENGENHEIRO CIVIL

• Construção urbana

Projetar, construir e reformar prédios e grandes instalações, como estádios esportivos,


shopping centers e aeroportos.

• Estruturas e fundações

Projetar e edificar fundações e estruturas de madeira, aço ou concreto, que dão apoio às
construções, calculando o material necessário e as dimensões da obra.

• Gerência de recursos prediais

Manter em ordem a infraestrutura de prédios e estabelecer padrões de qualidade, ocupação


e uso do espaço.

• Hidráulica e recursos hídricos

Projetar, gerenciar e executar obras de barragens, canais, reservatórios, sistemas de


irrigação, drenagem ou obras costeiras.

• Saneamento

Fazer o projeto e construir obras de saneamento básico, como redes de captação e


distribuição de água e estações de tratamento de água e esgotos.
• Transportes

Projetar e construir obras de infra-estrutura, como rodovias, ferrovias, viadutos, portos,


metrôs e viadutos.

Além das áreas básicas da Engenharia Civil, tais como: Geotécnica, Estradas e Pavimentação,
Cálculo Estrutural e Concreto, Hidráulica, Hidrologia, Saneamento e Sist. Urbanos,
Instalações Prediais e Técnicas de construção e Orçamentos.

2.2 O CURSO

Disciplinas como matemática, física, estatística, desenho e lógica são o forte do currículo.
Portanto o estudante tem de estar pronto para exercitar suas habilidades em cálculo e
desenho. Há atividades em laboratório e matérias das áreas de administração e economia
que ensinam técnicas e métodos de gerenciamento de projetos e equipes. Nos três anos
finais, você cursa disciplinas mais ligadas às áreas de especialização escolhidas: estruturas,
construção civil, hidráulica e saneamento, transportes ou geotecnia. Para obter o diploma, o
estágio é obrigatório. O curso tem duração média de 5 anos.

O curso de Engenharia Civil na destina-se à formação de profissionais com habilitação plena,


capazes de elaborar, desenvolver e executar projetos e obras civis. Compete ao engenheiro
civil o desempenho das atividades profissionais referentes à concepção, projeto, execução,
análise e viabilidade técnico-econômica, estudos e especificação de materiais, planejamento,
consultoria, pesquisa, vistoria, fiscalização, perícia, condução etc. de obras e serviços, como
edificações, pontes e grandes estruturas, sistemas de transportes, de abastecimento de água
e de saneamento, barragens e drenagem.

7
3. MERCADO DE TRABALHO

O mercado da engenharia civil vive um bom momento. Está aquecido em todo o país, e a
expectativa é melhorar ainda mais nos próximos anos.

(PAC), do governo federal, que abriu milhares de postos de trabalho na construção de


estradas, aeroportos, moradias, infraestrutura e planejamento urbano. E a previsão para
os próximos anos, apesar da atual crise financeira, é boa: com a Copa do Mundo de 2014 a
consequência natural é a criação de ainda mais empregos.

Além de botar a mão na massa, gerenciando canteiros de obras, o engenheiro civil é


solicitado para desenvolver atividades no escritório, fazendo cálculo de estruturas,
elaborando orçamentos e planejamentos e desenvolvendo projetos. Órgãos públicos e
ONGs que atuam em áreas relacionadas a saneamento básico e à infraestrutura em geral
também têm portas abertas. A maioria das vagas está na capital e no interior de São
Paulo, além de Rio de Janeiro, Espírito Santo, Pará e Goiás, mas há postos de trabalho em
todo o Brasil.

O bom momento atual é reflexo do crescimento da economia e de vários projetos do


governo federal que estão incentivando e aquecendo a área da construção.

Para os próximos anos, a demanda pelo profissional deve aumentar, já que dois grandes
eventos serão sediados no país: a Copa do Mundo, em 2014, e os Jogos Olímpicos, em
2016. "Serão grandes construções, como portos, canais, barragens, que levam de quatro a
cinco anos para ficar prontas. O mercado só tende a melhorar ainda mais.

Já o mercado imobiliário nos últimos anos segue influenciando a grande procura por esses
engenheiros. Escritórios de arquitetura também costumam contratar o profissional para
atuar no planejamento de projetos. Entre os setores apontados como promissores, está o
de petróleo e gás, que deverão receber investimentos em obras de grande porte, como
gasodutos, refinarias, plataformas, navios e estaleiros. Outras áreas com boa perspectiva
são energia e saneamento básico.

4. O PERFIL DO ENGENHEIRO CIVIL


O engenheiro civil é um profissional que atua como liberal ou como empregado, em
empresas decaráter privado ou em estatais. Na atividade profissional liberal, atua como
consultor, responsável técnico de projetos e de obras e perito em apoio judiciário, dentre
outras funções. Pode ainda militar na área docente e ter acesso a cargos públicos, via
concurso ou por indicação, dependendo do caso e da função.Deve apresentar formação em
ciências exatas, com o necessário conhecimento básico da causa científica, para que possa
elaborar uma rotina de cálculo estrutural e reconhecer os limites técnicos de fórmulas
empíricas e de programas para computadores, como exemplos de atividade de projeto.
Além de desenvolver senso crítico e espírito de trabalho em equipe em, por exemplo,
incorporação de projetos, quando normalmente é conhecido como “engenheiro de obras”.
O profissional pode desenvolver projetos, trabalhar no canteiro de obras ou ainda dedicar-se
à administração de recursos prediais, gerenciarem a infraestrutura e a ocupação de um
edifício. Entre os setores apontados por profissionais da área como muito promissores, está
o de petróleo e gás. "Essas áreas terão investimentos em obras de grande porte, como
gasodutos, refinarias, plataformas, navios e estaleiros", diz Henrique Andion, diretor da
construtora OAS. Segundo ele, muitas oportunidades de trabalho nos próximos anos
surgirão nos setores de energia e de saneamento básico. Para ter destaque nessa área,
entretanto, é preciso boa dose de dedicação. "O setor requer profissionais disponíveis a
todo o momento para viagens e muito trabalho", diz Henrique. "Também é preciso ter
carisma para trabalhar com pessoas, especialmente operários de obras, ser otimista,
perseverante e o principal: saber observar e entender a obra como um todo."

9
5. RECONHECIMENTO DA QUALIFICAÇÃO DO ENGENHEIRO

✓ CONFEA – Conselho Federal de Engenharia, Arquitetura e Agronomia são regido pela Lei
5.194 de 1966, e representa também os geógrafos, geólogos, meteorologistas, tecnólogos
dessas modalidades, técnicos industriais e agrícolas e suas especializações, num total de
2centenas de títulos profissionais. O Confea zela pelos interesses sociais e humanos de toda
a sociedade e, com base nisso, regulamenta e fiscaliza o exercício profissional dos que atuam
nas áreas que representa, tendo ainda como referência o respeito ao cidadão e à natureza.
Em seus cadastros, o Sistema Confea/Crea tem registrados 900 mil profissionais que
respondem por cerca de 70% do PIB brasileiro, e movimentam um mercado de trabalho cada
vez mais acirrado e exigente nas especializações e conhecimentos da tecnologia, alimentada
intensamente pelas descobertas técnicas e científicas do homem. O Conselho Federal é a
instância máxima à qual um profissional pode recorrer no que se refere ao regulamento do
exercício profissional.

✓ CREA - Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia, são Autarquias


Federais pela Lei nº5194/66 com objetivo principal de fiscalizar o exercício profissional dos
engenheiros, arquitetos, engenheiros agrônomos, geógrafos, meteorologistas, tecnólogos e
técnicos de nível médio das modalidades mencionadas, garantindo a sociedade que as obras
e serviços técnicos sejam executados por profissionais e empresas regularmente habilitados.
O CREA está presente em todas ascapitais dos estados. Outro objetivo é fazer com que
esteja sempre caracterizada a responsabilidade técnica pela execução das obras e serviços
afetos a essas profissões conforme determina a Lei 6496/77.

10
6.CONCLUSÃO

Na apresentação desse relatório tentamos trazer ao entendimento de todos um pouco da


Engenharia Civil, a sua atuação profissional e comportamento do mercado de trabalho, quais
as principais tendência de atuação, o mercado de trabalho, a formação básica e técnica do
engenheiro, mostramos a possibilidade de continuar a vida acadêmica, enfim mostramos em
linhas gerais as principais variáveis necessárias para a escolha de Cursar Engenharia Civil ao
final do curso de BCT. Percebemos a importância desse profissional para o desenvolvimento
da Sociedade, e de nossas atividades rotineiras, sendo uma excelente opção acadêmica e
profissional, possui um amplo e promissor mercado de trabalho e acima de tudo contribui
diretamente para o bem estar de todos.