Vous êtes sur la page 1sur 5

UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS

CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE PALMAS

ENGENHARIA CIVIL

JOÃO MARCOS LOPES RIOS

O PAPEL DO ESTADO NAÇÃO E A RECONFIGURAÇÃO DOS DIREITOS DOS


CIDADÃOS

PALMAS

2018
JOÃO MARCOS LOPES RIOS

O PAPEL DO ESTADO NAÇÃO E A RECONFIGURAÇÃO DOS DIREITOS DOS


CIDADÃOS

Pesquisa teórica apresentado como requisito


parcial para obtenção de aprovação na disciplina
de políticas públicas, no curso de Engenharia
Civil, na Universidade Federal do Tocantins, sob
orientação da professora Leandra Oliveira Santos .

PALMAS

2018
O PAPEL DO ESTADO NAÇÃO E A RECONFIGURAÇÃO DOS DIREITOS DOS
CIDADÃOS

Um Estado-nação é constituído por uma massa de cidadãos que se considera parte de uma
mesma nação. Sob essa perspectiva, podemos afirmar que todas as sociedades modernas são
Estados-nações, isto é, todas as sociedades modernas estão organizadas sob o comando de um
governo instituído que controla e impõe suas políticas.

Cidadania é a condição de cidadão que aqueles que detêm o direito de participação na vida
política de um Estado possuem, não existia para a grande maioria dos indivíduos que integrava os
Estados tradicionais. A maior parte da população demonstrava pouco ou nenhum interesse nos
assuntos referentes aos seus governantes. Os direitos políticos, ou o poder de exercer influência
sobre assuntos políticos, eram reservados apenas para uma pequena parcela da população. Em
contrapartida, nos Estados-nações modernos, a maior parte das pessoas que vive sob a jurisdição
de um sistema político é cidadã, partilhando de direitos e deveres assegurados por seu governo,
tendo ainda o poder de interferência e influência nas decisões políticas de seu interesse.

O sentimento de nacionalismo é um dos pontos mais característicos de um Estado-nação.


Esse sentimento está atrelado a um conjunto de símbolos e convicções vistos como traços
representativos de uma determinada identidade nacional. O nascimento de um sentimento
nacionalista tornou-se uma das principais fontes de força unificante e mobilizadora. Línguas em
comum, religiosidade e símbolos foram usados como pontos de aglomeração de povos, que
passaram a se ver representados por sua nacionalidade.

Ao estado-nação compete garantir que cada cidadão individual duma nação em específico
seja tratado de igual forma perante a lei. A cidadania como um contrato entre o EstadoNação e os
indivíduos membros depende do triângulo: Indivíduo, Estado e Nação.

A cidadania moderna vincula-se intimamente à ideia de direitos individuais e de pertença


a uma comunidade particular, colocando-se, portanto, no centro de debate contemporâneo. Assim,
no contexto actual, assiste-se a uma dessacralização da relação entre cidadania e nacionalidade

A compreensão que temos do funcionamento do Estado é de uma instituição organizada


política, jurídica e socialmente, que se posiciona por meio da constituição Federal da República
formulada e dirigida pelo governo que tem o poder soberano para gerir as políticas criadas e
ordenadas neste governo, as quais são de supremacia para garantir a democracia.
Pode-se dizer que para a boa relação do Estado e da cidadania é necessário a efetivação da
Democracia, que consiste em um regime de governo onde o poder de tomar decisões políticas está
com os cidadãos direta ou indiretamente, através da escolha popular, as eleições

O modelo de identidade do estado-nação pressupõe uma estreita ligação entre ambos os


seus elementos: Estado e Nação. Ou seja, a organização política de um determinado território
delimitado por uma fronteira implica, simultaneamente, a existência de uma nação – um grupo
coeso e homogéneo que partilha de valores, práticas e com objetivos comuns.

Conclui-se com este estudo, que para compreender a estrutura do Estado Democrático de
Direito e a cidadania é necessário entender que o exercício da liberdade e a prática da democracia
são elementos fundamentais e são amplos institutos que devem ser amparados e respeitados por
todos.

A expansão dos direitos do cidadão requer, hoje, que o Estado passe a ocupar o seu devido
lugar no cenário nacional. Isso significa que a sociedade civil deve exigir a presença do Estado em
áreas de onde ele tem estado ausente e a sua retirada de processos onde sua ação é indevida.

Pode-se afirmar enfim, que a participação da sociedade, a existência dos movimentos


sociais e sua plena atividade, os tornam instrumentos fortemente constituídos, repletos de
possibilidades de transformação e capazes de fomentar políticas públicas que atendam as
necessidades individuais e coletivas de um povo, instrumentalizando as lutas por direitos sociais e
pela soberania popular na garantia dos direitos constitucionais visando o pleno exercício da
cidadania e a governabilidade do Estado.
REFERÊNCIAS

MUNDO EDUCAÇÃO. Conceito de Estado-nação. Disponível em: <


https://mundoeducacao.bol.uol.com.br/sociologia/conceito-estado-nacao.htm > Acesso em: 04
de Junho de 2018.

ACADEMIA.EDU. Estado-Nação e Cidadania. Disponível em: <


https://www.google.com.br/search?biw=1366&bih=662&ei=UUoVW9XZCIj4wgS8y4KQCQ
&q=estado+na%C3%A7%C3%A3o+e+CIDADANIA&oq=estado+na%C3%A7%C3%A3o+e
+CIDADANIA&gs_l=psy-
ab.3..0i22i30k1l3.481675.485547.0.485918.27.17.0.0.0.0.260.2251.0j9j4.13.0....0...1c.1.64.psy-
ab..17.10.1698...0j35i39k1j33i22i29i30k1.0.mbYa2omOWHg > acesso em: 04 de Junho de
2018.