Vous êtes sur la page 1sur 3

Linguagem, Pensamento e Discurso (Uma Relação Triádica)

Haverá ou não relação entre a linguagem, pensamento e discurso? Será que o pensamento pode dissociar-se da
linguagem? O discurso poderá ser o discurso sem o pensamento ou sem recurso à linguagem?

Há uma estreita e indissociável relação entre estas três realidades:

 A linguagem é um instrumento e meio ao serviço do pensamento. A linguagem é o suporte do pensamento.


É através da linguagem em que os seres humanos expressam os seus sentimentos. Este desenvolve-se
em correlação com o outro.
 A linguagem regula o pensamento. Sócom recurso à linguagem o ser humano pode formular conceitos,
juízos e raciocínios.
 Os seres humanos dispõem de uma linguagem, podendo expressar em forma de discurso, os seus
pensamentos aos outros e comunicar. E dessa forma, o homem conhece a realidade circundante.

A relação entre a linguagem, pensamento e discurso, deve-se ao facto de o discurso ser a manifestação do
pensamento e um acontecimento da linguagem.

Em filosofia, o termo discurso designa um conjunto de proposições que, articulados entre si formam um todo
coerente, isto é, lógico. Mas, tal discurso não tem apenas esta acepção lógica. Por isso que se diz que o mesmo é
pluridimensional.

As Dimensões Do Discurso Humano

 Dimensões fundamentais do discurso humano

As principais dimensões do discurso humano são: Sintáctica, semântica e pragmática. A importância destas três
dimensões foi particularmente destacada pelo americano Charles Morris.

Dimensão Sintáctica

Karl Otto Apel, define a sintáctica (sintaxe) como a dimensão que trata da relação interlinguística dos signos entre si.

Michel Mayer, define a sintáctica como a dimensão que estuda as relações internas que os signos mantêm entre si.

Portanto, a sintaxe se preocupa com a ordem das palavras.

Assim, entende-se que, as letras expostas ao acaso não formam uma palavra; palavras expostas ao acaso não
formam uma frase; frases expostas ao acaso não formam um texto nem um discurso.

Linguagem, Pensamento e Discurso (Uma Relação Triádica)

Haverá ou não relação entre a linguagem, pensamento e discurso? Será que o pensamento pode dissociar-se da
linguagem? O discurso poderá ser o discurso sem o pensamento ou sem recurso à linguagem?

Há uma estreita e indissociável relação entre estas três realidades:

 A linguagem é um instrumento e meio ao serviço do pensamento. A linguagem é o suporte do pensamento.


É através da linguagem em que os seres humanos expressam os seus sentimentos. Este desenvolve-se
em correlação com o outro.
 A linguagem regula o pensamento. Sócom recurso à linguagem o ser humano pode formular conceitos,
juízos e raciocínios.
 Os seres humanos dispõem de uma linguagem, podendo expressar em forma de discurso, os seus
pensamentos aos outros e comunicar. E dessa forma, o homem conhece a realidade circundante.
A relação entre a linguagem, pensamento e discurso, deve-se ao facto de o discurso ser a manifestação do
pensamento e um acontecimento da linguagem.

Em filosofia, o termo discurso designa um conjunto de proposições que, articulados entre si formam um todo
coerente, isto é, lógico. Mas, tal discurso não tem apenas esta acepção lógica. Por isso que se diz que o mesmo é
pluridimensional.

As Dimensões Do Discurso Humano

 Dimensões fundamentais do discurso humano

As principais dimensões do discurso humano são: Sintáctica, semântica e pragmática. A importância destas três
dimensões foi particularmente destacada pelo americano Charles Morris.

Dimensão Sintáctica

Karl Otto Apel, define a sintáctica (sintaxe) como a dimensão que trata da relação interlinguística dos signos entre si.

Michel Mayer, define a sintáctica como a dimensão que estuda as relações internas que os signos mantêm entre si.

Portanto, a sintaxe se preocupa com a ordem das palavras.

Assim, entende-se que, as letras expostas ao acaso não formam uma palavra; palavras expostas ao acaso não
formam uma frase; frases expostas ao acaso não formam um texto nem um discurso.

Princípio de identidade

Em termos de coisas:

 Uma coisa é que é.


 O que é, é; o que não é, não é.
 A é A (neste caso, o ‘’A’’ designa qualquer objecto do nosso pensamento).

Em termos de Proposições:

 Uma proposição é equivalente a sí mesma.

Principio de não contradição e negação das proposições

Em termos de coisas:

 Uma coisa não pode ser e não ser simultaneamente, segundo a mesma perspectiva.

Em termos de proposições:

 Uma proposição não pode ser verdadeira e falsa ao mesmo tempo, segundo uma mesma perspectiva.
 Uma proposição e a sua negação não podem ser simultaneamente verdadeiras.
 Duas proposições contraditórias não podem ser simultaneamente verdadeiras.

Princípio do terceiro excluído

Em termos de coisas:

 Uma coisa deve ser, ou então não ser; não há uma terceira possibilidade (o terceiro excluído).

Em termo de proposições:

 Uma proposição é verdadeira, ou então é falsa, não há outra possibilidade.


 Se encararmos uma proposição e a sua negação, uma é verdadeira e a outra é falsa; não há o terceiro
termo.
Princípio de identidade

Em termos de coisas:

 Uma coisa é que é.


 O que é, é; o que não é, não é.
 A é A (neste caso, o ‘’A’’ designa qualquer objecto do nosso pensamento).

Em termos de Proposições:

 Uma proposição é equivalente a sí mesma.

Principio de não contradição e negação das proposições

Em termos de coisas:

 Uma coisa não pode ser e não ser simultaneamente, segundo a mesma perspectiva.

Em termos de proposições:

 Uma proposição não pode ser verdadeira e falsa ao mesmo tempo, segundo uma mesma perspectiva.
 Uma proposição e a sua negação não podem ser simultaneamente verdadeiras.
 Duas proposições contraditórias não podem ser simultaneamente verdadeiras.

Princípio do terceiro excluído

Em termos de coisas:

 Uma coisa deve ser, ou então não ser; não há uma terceira possibilidade (o terceiro excluído).

Em termo de proposições:

 Uma proposição é verdadeira, ou então é falsa, não há outra possibilidade.


 Se encararmos uma proposição e a sua negação, uma é verdadeira e a outra é falsa; não há o terceiro
termo.