Vous êtes sur la page 1sur 6

Analysis of Interoperability of Relays via

Teleprotection
Rafaella N. Meira Jamile P. Nascimento Hotoniones Silva
Mestranda do Programa de Pós- Doutoranda do Programa de Pós- Graduando do Curso de Graduação de
Graduação em Engenharia Graduação em Engenharia Engenharia Elétrica
Elétrica/PPgEE/COPELE Elétrica/PPgEE/COPELE Universidade Federal de Campina
Universidade Federal de Campina Universidade Federal de Campina Grande (UFCG)
Grande (UFCG) Grande (UFCG) Campina Grande, Paraíba, Brasil
Campina Grande, Paraíba, Brasil Campina Grande, Paraíba, Brasil hotoniones.silva@ee.ufcg.edu.br
rafaella.meira@ee.ufcg.edu.br jamile.nascimento@ee.ufcg.edu.br
Benemar A. Souza
Ramayanna L. A. Pereira Núbia S. D. Brito Professor D.Sc. do Departamento de
Graduanda do Curso de Graduação de Professora D.Sc. do Departamento de Engenharia Elétrica
Engenharia Elétrica Engenharia Elétrica Universidade Federal de Campina
Universidade Federal de Campina Universidade Federal de Campina Grande (UFCG)
Grande (UFCG) Grande (UFCG) Campina Grande, Paraíba,
Campina Grande, Paraíba, Brasil Campina Grande, Paraíba, Brasil benemar@dee.ufcg.edu.br
ramayanna.pereira@ee.ufcg.edu.br nubia@dee.ufcg.edu.br

Abstract—The analysis of the type of teleprotection scheme da troca de informações de estados lógicos dos relés,
that ensures the interoperability of the relays and allows the total possibilitando a comparação das suas respostas e determinação
extinction of failures with the shortest possible time delay is do sentido correto da falta. Isso resulta em redução considerável
investigated in this article. For this purpose, the CAPE Software, do tempo de extinção de falta, tanto no bloqueio contra faltas
which is dedicated to the protection studies of electrical systems, externas, quanto na eliminação de faltas internas em todo o
was used in the implementation of an electrical energy system of comprimento da linha [2-3]. Esse procedimento de trocas de
230 kV, in which distance relays assisted by teleprotection schemes informações entre os relés é denominado de teleproteção, cujas
were allocated at the terminals of one of the transmission lines. In diretrizes para os sistemas de proteção e de telecomunicações
the end, a methodology was developed that can be applied to
no Brasil são estabelecidas nos Procedimentos de Rede do
evaluate the interoperability of the relays, whose effectiveness has
ONS, em particular no Submódulo 2.6 [4].
been proven.
Os esquemas de proteção das LT adotados no Brasil são
Keywords— teleprotection, CAPE, distance relay fiscalizados pelo Manual de Fiscalização da Transmissão
I. INTRODUÇÃO elaborado pela Superintendência de Fiscalização dos Serviços de
Eletricidade (SFE), o qual exige que os conjuntos de
A demanda crescente por energia elétrica aliada às novas equipamentos instalados em todos os terminais das LT, devem
exigências do consumidor por um produto de qualidade tem ser idênticos (mesmo fabricante, marca e modelo), não sendo
demandado das empresas de energia elétrica, aprimoramento admissível à utilização de equipamentos diferentes [1]. Essa
contínuo das suas instalações e equipamentos. Neste sentido, o exigência visa garantir a interoperabilidade total entre IED
Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) encaminha (Intelligent Electronic Device) remotos.
anualmente à Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL),
o Plano de Modernização de Instalações (PMI), composto por O estudo dessas questões constitui o foco deste trabalho, no
revitalizações necessárias para manter a prestação de serviço qual se apresenta um estudo de análise da interoperabilidade de
adequado de energia elétrica das empresas de transmissão [1]. relés via esquemas de teleproteção, particularmente, os tipos
POTT (Permissive Overreach Transfer Tripping) e DCB
Atualmente, a grande maioria das linhas de transmissão (Directional Comparison Blocking), por meio da aplicação de
(LT) de alta tensão no Brasil, são protegidas por relés de faltas na LT protegida e em uma LT adjacente de um sistema-
distância, que apesar das suas reconhecidas qualidades, teste. O estudo realizado possibilitou o desenvolvimento de uma
possuem uma limitação: embora sua atuação seja considerada metodologia para se avaliar a interoperabilidade de relés, a qual
instantânea para a 1ª zona de proteção, na prática, seu alcance é descrita neste trabalho.
não consegue cobrir toda a LT. Graças aos avanços dos sistemas
de comunicação, essa limitação pôde ser superada, fazendo uso II. FUNDAMENTOS DO SISTEMA DE PROTEÇÃO
de links de comunicação rápidos e confiáveis entre os relés Um sistema de proteção é definido como sendo o conjunto
instalados em cada terminal da LT a ser protegida. de equipamentos e acessórios destinados a realizar a proteção
O canal de comunicação que se estabelece entre os relés, para curtos-circuitos e para outras condições de operação
permite que os esquemas de trip sejam interconectados através anormais em componentes do Sistema Elétrico de Potência

Os autores gostariam de agradecer a Coordenação de Aperfeiçoamento de


Pessoal de Nível Superior (CAPES) pelo suporte financeiro.
(SEP) [4]. Um diagrama de um sistema de proteção típico é O nome relé de distância se refere à proporcionalidade entre
apresentado na Fig. 1. o valor da impedância medida pelo relé e a distância em relação
ao ponto de medição:
RTC (2)
Z r = pZ L1 sec = pZ L1
RTP
sendo: Zr a impedância medida pelo relé; p um percentual
variável do comprimento total da LT a depender da localização
da falta; ZL1sec a impedância de sequência positiva da LT referida
ao secundário; ZL1 a impedância de sequência positiva da LT;
RTC a relação do TC; RTP a relação do TP.
Os relés de distância apresentam unidades responsáveis pelo
cálculo da impedância, levando em conta a característica da
falta. Existem as impedâncias calculadas utilizando as grandezas
entre fase e terra e entre fases [8]. Na Tabela I são apresentadas
Fig. 1. Diagrama esquemático de um sistema de proteção típico. as entradas empregadas para as unidades fase-terra e fase-fase
do relé de distância, sendo K0, o fator de compensação da
Seu princípio de funcionamento pode ser descrito da corrente de sequência zero, calculado como [9-10]:
seguinte forma: os transdutores de potencial e corrente reduzem
as magnitudes das grandezas envolvidas (tensão e corrente, Z L 0 − Z L1 (3)
K0 =
respectivamente) para níveis aceitáveis de leitura e acesso 3Z L1
seguro. Em seguida, essas informações são disponibilizadas ao
relé (elemento lógico do sistema de proteção), que se encarrega em que ZL0 e ZL1 são, respectivamente, as impedâncias de
de processá-las. Caso os valores das grandezas excedam valores sequência zero e positiva da LT.
pré-definidos, os contatos do relé são fechados. Neste instante,
a bobina de abertura do disjuntor é energizada, o que resulta na TABELA I. SINAIS DE ENTRADA PARA AS UNIDADES DE FASE-TERRA E
FASE-FASE DO RELÉ DE DISTÂNCIA.
abertura dos contatos principais do disjuntor e isolamento do
componente ou circuito sob falta [5]. Unidade Sinais de tensão Sinais de corrente
A. Proteção de Distância ZAT Va Ia + K03
ZBT Vb Ib + K03I0
Dentre as várias funções de proteção utilizadas para proteção ZCT Vc Ic + K03I0
de LT, a função de distância é sem dúvida, uma das mais ZAB Va - Vb Ia – Ib
utilizadas. Resumidamente, seu princípio de funcionamento é o ZBC Vb - Vc Ib – Ic
seguinte: o relé de distância mede a impedância de sequência ZCA Vc - Va Ic – Ia
positiva da LT a ser protegida entre o ponto de medição e o local B. Esquemas de Teleproteção
de falta, a partir dos valores fornecidos pelos transformadores
para instrumentos. Caso esse valor seja menor que um limiar pré- No sistema de proteção convencional, a 1ª zona de um relé
definido, o relé irá detectar que ocorreu uma falta e enviar o sinal de distância protege normalmente cerca de 80% da LT, sendo os
de trip para o disjuntor [6]. Tendo como base a razão entre os 20% restantes protegidos pela 2ª zona, que possui um atraso na
fasores tensão e corrente fornecidos pelos secundários dos atuação da ordem de 200 ms a 500 ms. Na prática, esse sistema
transformadores para instrumentos, computa-se então, a não é adequado para muitas LT, devido ao disparo retardado para
impedância aparente vista pelo relé conforme (1): falhas que venham a ocorrer a 40% do seu comprimento, o que
pode levar a instabilidade ou outros problemas, conforme
Vsec (1) ilustrado na Fig. 2 [7]. Para contornar essa situação, são
Zr = empregados os esquemas de proteção de distância com
I sec
comunicação lógica, chamados de esquemas de teleproteção, os
sendo: Zr a impedância medida pelo relé; Vsec a tensão fornecida quais são classificados em três tipos: disparo permissivo, disparo
pelo secundário do transformador de potencial (TP) e Isec, a direto ou de transferência e bloqueio [11].
corrente fornecida pelo secundário do transformador de corrente
(TC).
O relé deve operar caso a impedância aparente esteja dentro
da sua característica de operação, que consiste em uma figura
geométrica no plano R-X, também conhecido como diagrama
R-X, cujo eixo das abscissas representa a resistência R e o eixo
das ordenadas, a reatância X. Diversas figuras geométricas
podem ser utilizadas como por exemplo: círculos, retângulos,
elipses, bem como a combinação delas. A escolha da Fig. 2. Intersecção das zonas de atuação dos relés em ambos os terminais de
característica a ser usada depende do sistema a ser protegido e uma LT.
das características disponíveis nos relés [7].
Na prática, dispõem-se de seis esquemas básicos de 2) Esquema DCB (Fig.4)
teleproteção, definidos de acordo com a característica da zona Neste caso, o comando de disparo da unidade de
de impedância (subalcance, alcance limitado apenas dentro da sobrealcance possui um retardo de tempo associado ao período
LT protegida e sobrealcance, estendendo-se além da LT de espera no recebimento do sinal de bloqueio. Esse tempo,
protegida). Na Tabela II [12], apresentam-se as nomenclaturas tipicamente de 1 a 2 ciclos, é chamado de Tempo de
comumente usadas na literatura técnica para descrição desses Coordenação, T, o qual deve ser calculado para compensar os
esquemas. tempos do canal, de xpropagação do sinal e mais uma margem
de segurança. Se o sinal de bloqueio não chegar dentro do tempo
TABELA II. ESQUEMAS DE TELEPROTEÇÃO BASEADOS EM SINALIZAÇÃO. T, o comando de disparo da unidade de sobrealcance será
Cigré Outros Brasil liberado [3]. No entanto, conforme Fig. 4, essa atuação só é
Intertripping Direct Underreach permitida caso o relé não receba um sinal de bloqueio
Transferência Direta de
Underreach Distance Transfer Tripping
Disparo por Subalcance
proveniente da unidade de sobrealcance de 3ª zona do relé no
Protection (DUTT) terminal remoto [13].
Permissive Permissive Transferência
Underreach Distance Underreach Transfer Permissiva de Disparo
Protection Tripping (PUTT) por Subalcance
Permissive Permissive Overreach Transferência
Overreach Distance Transfer Tripping Permissiva de Disparo
Protection (POTT) por Sobrealcance
Accelerated
Underreach Distance Zone Acceleration Aceleração de Zona
Protection
Deblocking Directional
Comparação Direcional
Overreach Distance Comparison
por Desbloqueio
Protection Unblocking (DCUB)
Directional
Blocking Overreach Comparação Direcional
Comparison Blocking
Distance Protection por Bloqueio
(DCB)
Fig. 4. Diagrama lógico do esquema DCB.
Os esquemas de teleproteção por sinalização têm como
objetivo, fazer com que os relés em todos os terminais da LT III. MATERIAIS E MÉTODOS
protegida, comparem suas respostas e determinem o sentido Para avaliar a influência do uso de esquemas de teleproteção
correto da falta. Isto possibilitará acelerar o processo de tomada na interoperabilidade e velocidade da atuação de relés, utilizou-
de decisão do relé, tanto no bloqueio contra faltas externas se no estudo, relés de distância da Schweitzer, modelo SEL-
quanto na eliminação de faltas [3]. Neste trabalho foram 311C e o software CAPE (Computer-Aided Protection
utilizados os esquemas POTT e DCB, os quais são abordados a Engineering), conforme a metodologia apresentada no
seguir. fluxograma da Fig. 5 e detalhada a seguir.
1) Esquema POTT (Fig. 3)
Utiliza um elemento temporizado de 2ª zona para enviar um
sinal de disparo permissivo para o relé no terminal remoto da
LT, que por sua vez, enviará o comando de abertura ao
disjuntor, caso receba o sinal de disparo permissivo e seu
elemento de 2ª zona tenha detectado a falta [13]. Pode-se
utilizar uma lógica de ECO que permite a transmissão do sinal
de disparo quando o disjuntor local estiver antecipadamente
aberto [3].

Fig. 5. Metodologia proposta.

O CAPE é um software dedicado aos estudos de Proteção


de Sistemas Elétricos [14] e resumidamente, possui as seguintes
funcionalidades [15]:
Fig. 3. Diagrama lógico do esquema POTT.
• Capacidade de modelagem detalhada de SEP com base de atuação e atraso dos esquemas de teleproteção POTT e DCB,
em um banco de dados único em código aberto; estão dispostos na Tabela V.
• Suporte para análise e simulação. Visa solucionar Dentre os vários estudos simulados, selecionaram-se os
problemas de gerenciamento de dados, identificar estudos de caso apresentados na Tabela VI. Foram aplicadas
potencialidades, alternativas ou problemas da rede dos faltas nas LT1 e LT3 do sistema-teste, considerando cenários
dispositivos de proteção; com e sem teleproteção POTT e DCB, utilizando o relé SEL –
• Suporte para lidar com SEP de qualquer tamanho; 311C. Um resumo dos resultados obtidos é apresentado na
• Suporte para configuração complexa dos modernos Tabelas VII e a análise dos resultados a seguir.
relés digitais;
• Suporte para funções de coordenação de relés. TABELA V. AJUSTES DOS TEMPOS DE ATRASO E DE PICKUP DOS ESQUEMAS
POTT E DCB.
O software é composto por vários módulos, os quais
possuem funções específicas, que compartilham dados entre si, Tempo de
Tempo de atraso
Tempo de atraso atuação
através de uma base de dados comum. Neste trabalho foram Teleproteção
do canal para
do canal para para
utilizados os seguintes módulos: Database Editor, One-line transmissão
echo (ciclos) coordenação
Diagram, Short Circuit, Coordination Graphics e System (ciclos)
(ciclos)
Simulator. POTT 0,5 2 -
DCB 0,5 - 1
Para analisar o desempenho da atuação da proteção de
distância, modelou-se no CAPE, o sistema-teste de 230 kV TABELA VI. ESTUDO DE CASOS.
apresentado na Fig. 6, com base no sistema sugerido em [16],
para estudos de esquemas de proteção em LT. Basicamente, o Tipo de Impedância de falta /
Casos Linha Local da falta
falta impedância de terra
sistema consiste de duas LT paralelas (LT1 e LT2) de 150 km
25 km (16,67%) Zf = 5,00+ j 8,66 Ω/
que interligam as barras 1 e 2; uma terceira LT (LT3) também Ia AT LT3
da barra 2 Zg= 0 Ω
de 150 km, que interliga as barras 2 e 3; e dois equivalentes de 100 km (66,67%) Zf = 4,33 +j 2,50 Ω/
Thévenin (S1 e S2), os quais representam os SEP interligados Ib BT LT1
da barra 1 Zg= 0 Ω
às barras 1 e 3. Os parâmetros elétricos utilizados para 125 km (83,33%) Zf =8,66 + j 5,00 Ω/
IIa AB LT3
modelagem das LT e dos equivalentes de Thévenin são da barra 3 Zg= 0 Ω
apresentados nas Tabelas III e IV [17]. IIb BC LT1
75 km (50%) da Zf =0,71 + j 0,71 Ω/
barra 1 Zg= 0 Ω
125 km (83,33%) Zf = 2,50 + j4,33 Ω/
IIIa ABT LT3
da barra 2 Zg = 10 + j 0 Ω
10 km (6,67%) da Zf = 3,54 + j 3,54 Ω/ Zg
IIIb ACT LT1
barra 2 = 0,87 + j 0,50 Ω
50 km (33,33%) Zf = 1 + j 0 Ω/
IVa ABC LT3
da barra 3 Zg = 0 Ω
150 km (100%) da Zf = 8,66 + j 5 Ω/
IVb ABC LT1
barra 1 Zg =0 Ω
Fig. 6. Sistema- teste [17].
TABELA VII. RESULTADOS DA ATUAÇÃO DA PROTEÇÃO.
TABELA III. PARÂMETROS DAS LT.
Tempo de
Localização
Resistência Reatância Susceptância abertura
Sequência do relé: Função de
(Ω/km) (Ω/km) (µƱ/km) Caso Teleproteção total do
Barra 2/ distância
Zero 0,246349 1,33113 1,80723 disjuntor
Barra 3
Positiva 0,0937011 0,677849 2,42979 (s)
2 1ª zona de terra 0,074
-
TABELA IV. PARÂMETROS DOS EQUIVALENTES DE THÉVENIN. 3 2ª zona de terra 0,474
1ª zona de
2 0,074
Dados Equivalente POTT terra/ POTT
Ia
Tensão (p.u.) S1(1,00) S2(0,95) 3 POTT 0,082
Impedância Seq(zero) 6,1 + j16,7 4,1 + j14,7 1ª zona de
2 0,074
(Ω) Seq(pos) 2,7 + j8,4 1,7 + j6,4 DCB terra/ DCB
3 DCB 0,074
2 3ª zona de terra 1,074
A modelagem do sistema-teste foi feita no módulo One-Line -
3 - -
Diagram, no qual foram inseridos os relés SEL-311C nas barras 2 3ª zona de terra 1,074
2 e 3. Como sinais de entrada, foram utilizados os sinais de Ib POTT
3 - -
corrente e tensão secundários provenientes de um TC e de um 2 3ª zona de terra 1,074
DCB
TP, com relações de transformação 400 e 2000, 3 - -
respectivamente. -
2 1ª zona de fase 0,071
3 2ª zona de fase 0,471
Todos os cálculos dos ajustes e parametrizações basearam- IIa 1ª zona de fase/
2 0,071
se na Memória de Cálculo do relé SEL-311C [18]. Os tempos POTT POTT
3 POTT 0,079
2
1ª zona de fase/
0,071 distância de 3ª zona de fase do relé localizado na barra 2,
DCB DCB enviará o sinal de trip para o disjuntor localizado na
3 DCB 0,074 mesma barra, resultando na abertura total de seus
2 3ª zona de fase 1,071
-
3 - -
contatos em 1,071 s.
2 3ª zona de fase 1,071 • Caso IVb: comportamento semelhante ao do Caso IIb.
IIb POTT
3 - -
DCB
2 3ª zona de fase 1,071 2) Faltas localizadas na LT protegida (LT3): neste caso, a
3 - - falta está localizada fora da área de intercessão das primeiras
2 2ª zona de fase 0,471 zonas das barras 2 e 3.
-
3 1ª zona de fase 0,071
2 POTT 0,079 • Caso Ia: no sistema sem teleproteção, o relé localizado
POTT 1ª zona de fase/ na barra 2 identifica a falta por meio da atuação da
IIIa 3 0,071
POTT
função de distância de 1ª zona de terra, enviando o sinal
2 DCB 0,074
DCB 1ª zona de fase/ de trip para o disjuntor, que promove abertura total em
3 0,071 0,074 s. Por sua vez, o relé localizado na barra 3
DCB
2 3ª zona de fase 1,071 identifica a falta por meio da atuação da função de
-
3 2ª zona de fase 0,471 distância de 2ª zona de terra, enviando o sinal de trip
IIIb POTT
2 3ª zona de fase 1,071 para o disjuntor em 0,474 s. Dessa forma, o retardo na
3 2ª zona de fase 0,471 eliminação total da falta de 0,400 s, pode levar o sistema
2 3ª zona de fase 1,071 à instabilidade, dentre outros problemas. Por outro lado,
DCB
3 2ª zona de fase 0,471
2 1ª zona de fase 0,071
o sistema com teleproteção POTT promove a eliminação
-
3 1ª zona de fase 0,071 total da falta com retardo de 0,008 s, enquanto com
1ª zona de fase/ teleproteção DCB sem retardo.
2 0,071
POTT
POTT
1ª zona de fase/ • Caso IIa: semelhante ao Caso Ia, o sistema sem
IVa 3 0,071 teleproteção promove um retardo de 0,400 s para
POTT
1ª zona de fase/ eliminação total da falta. Por sua vez, o sistema com
2 0,071
DCB
DCB teleproteção POTT promove a eliminação total da falta
1ª zona de fase/ com retardo de 0,008 s, enquanto com teleproteção DCB
3 0,071
DCB
com retardo de 0,003 s.
2 3ª zona de fase 1,071
-
3 2ª zona de fase 0,471 • Caso IIIa: comportamento semelhante ao Caso IIa.
2 3ª zona de fase 1,071
IVb POTT
3 2ª zona de fase 0,471 3) Faltas localizadas na LT protegida (LT3): Com a falta
DCB
2 3ª zona de fase 1,071 localizada dentro da área de intercessão das primeiras zonas das
3 2ª zona de fase 0,471 barras 2 e 3.

1) Faltas localizadas na LT adjacente (LT1): o sistema com • Caso IVa: o sistema com e sem teleproteção comporta-se
e sem teleproteção se comportou da mesma forma, visto que os da mesma forma, visto que a falta foi identificada em
esquemas de teleproteção visam proteger a LT na qual estão primeira zona pelos relés localizados em ambos os
localizados e apenas ela. terminais da LT, com abertura total do disjuntor em 0,071
s.
• Caso Ib: se a proteção da LT adjacente não atuar, a
função de distância de 3ª zona de terra do relé localizado Dos resultados dispostos nas Tabela VII, pode-se afirmar
na barra 2, enviará o sinal de trip para o disjuntor que:
localizado na mesma barra, resultando na abertura total
de seus contatos em 1,074 s. Por sua vez, o relé localizado • Os relés atuaram de forma satisfatória em todos os casos;
na barra 3 não opera, visto que a falta foi aplicada fora da
• O uso dos esquemas de teleproteção POTT e DCB
sua zona de alcance.
possibilitou a extinção total das faltas, com pequeno ou
• Caso IIb: se a proteção da LT adjacente não atuar, a nenhum retardo, proporcionando maior eficiência ao
função de distância de 3ª zona de fase do relé localizado sistema de proteção e evitando possíveis problemas de
na barra 2, enviará o sinal de trip para o disjuntor estabilidade;
localizado na mesma barra, resultando na abertura total
• Em 75% dos casos de faltas localizadas na linha
de seus contatos em 1,071 s. Por sua vez, o relé localizado
protegida, o esquema DCB promoveu a eliminação total
na barra 3 não opera, visto que a falta foi aplicada fora da
da falta sem retardo ou com menor retardo que o esquema
sua zona de alcance.
POTT. Os 25% restantes referem-se ao caso IVa, em que
• Caso IIIb: se a proteção da LT adjacente não atuar, a a falta se localizou dentro da 1ª zona de ambos relés,
função de distância de 2ª zona de fase do relé localizado promovendo a eliminação da falta em ambos os terminais
na barra 3, enviará o sinal de trip para o disjuntor da LT, com mesma temporização em sistemas com ou
localizado na mesma barra, resultando na abertura total sem teleproteção. Portanto, o esquema DCB mostrou-se
de seus contatos em 0,471 s. Por sua vez, a função de mais eficiente que o POTT.
IV. CONCLUSÕES aplicando o padrão IEC 61850”. In: PAC World Latin America
Conference, Florianópolis, 2011.
É fato que a proteção de linhas de transmissão requer [4] ONS, Disponível em: http://www.ons.org.br. Acesso: junho/2017.
atenção especial quanto à escolha do esquema de proteção e dos [5] SÁ, J. A., COSTA, F. B., OLIVEIRA, N. L. S., BRITO, N. S. D., SOUZA,
ajustes dos relés de distância. Visando melhorar cada vez mais B. A., GURJÃO, E. C., CARMO, U. A., “Uso de um simulador em tempo
a eficiência do sistema de proteção, esse trabalho foi conduzido real no ensino de proteção de sistemas elétricos”. In: Congresso Brasileiro
de tal modo, a culminar com a análise da interoperabilidade de de Ensino de Engenharia, Fortaleza, 2010.
relés de distância via esquemas de teleproteção. [6] MASON, C. R, “The Art and Sciense of Protective Relaying”. John Wiley
& Sons, New York, USA: [s.n.], 1956.
Por meio da utilização do software CAPE, foi possível [7] ANDERSON, P. M, “Power system protection”. IEEE Press Series on
simular vários cenários de faltas na linha de transmissão Power Engineering. 1999.
protegida e em uma linha adjacente, permitindo dessa forma, [8] CAMPOS, A. K. X. S., FERNANDES, D., NASCIMENTO, J. P.,
obter bons resultados do comportamento do relé de distância NEVES, W. L. A., “Influência dos Erros Transitórios Apresentados pelos
SEL- 311C com e sem a utilização das teleproteções POTT e TC e TPC na Atuação de um Relé de Distância”, In: XI Conferência
Brasileira sobre Qualidade da Energia Elétrica – CBQEE, 2015.
DCB. Os resultados obtidos evidenciaram a importância do uso
de esquemas de teleproteção, visto que em 75% dos casos de [9] BLACKBURN, J. L., “Protective Relaying: Principles and Applications”.
New York, USA: Marcel Dekker Inc., 1998.
faltas localizadas na linha protegida:
[10] ZOCHOLL, S. E., “Three-phase Circuit Analysis and the Mysterious K0
• O esquema POTT promoveu a eliminação total da falta, Factor”. Schweitzer Engineering Laboratories, Inc., Pullman, Washington
USA, 1995.
com menor retardo que o sistema sem teleproteção;
[11] IEC, “International Electrotecnical Commission – IEC. Teleprotection
• O esquema DCB promoveu a eliminação total da falta Equipment of Power Systems”. Performance and Testing, IEC Standard
sem retardo ou com menor retardo que o sistema com [12] ORDAGCI, J.M., “Proteção de Linhas de Transmissão: Teleproteção”.
esquema POTT. CEPSE, Campinas, 2010.
[13] SILVA, K. M., “Estimação de fasores baseada na transformada wavelet
Os 25% restantes, em que a falta se localizou dentro da 1ª para uso na proteção de distância de LT”. Tese de Doutorado, UFCG,
zona de ambos relés, ocorreu a eliminação da falta em ambos os Campina Grande, 2009.
terminais da LT, com mesma temporização em sistemas com ou [14] CAPE, Disponível em: <http://www.electrocon.com/capeintro.html>
sem teleproteção. Acesso: Agosto/ 2017.
[15] ALBUQUERQUE, D. F. F., “Introdução ao uso do software CAPE”.
Para o estudo de caso realizado, pôde-se concluir que o Trabalho de Conclusão de Curso, Curso de Graduação em Engenharia
esquema de teleproteção DCB foi mais eficiente. Elétrica, Universidade Federal de Campina Grande, Campina Grande/PB,
2012.
Por fim, a metodologia desenvolvida permitiu a realização [16] IEEE Power System Relaying Committee, “EMTP Reference Models for
dos estudos de casos de forma organizada e eficiente. Transmission Line Relay Testing", 2004.
[17] LOPES, F., SOUZA Jr. F., SANTOS, W., NASCIMENTO, J., COSTA,
REFERÊNCIAS C., COSTA, F., NEVES, W., SOUZA, B., BRITO, N., FERNANDES Jr.,
[1] ANEEL, Disponível em: < http://www.aneel.gov.br>. Acesso: D., MORAES, S., “Uma Metodologia Baseada nos Programas ATP e
julho/2017. CAPE para Estudo e Validação de Funções de Proteção,” Congresso
Brasileiro de Automática, Belo Horizonte-MG, 2014.
[2] GERS, J. M. & HOLMES, E. J., “Protection of electricity distribution
networks”. IEEE Power and Energy Series, 2004. [18] SELINC, Disponível em em http://www.selinc.com.br. Acesso:
junho/2017.
[3] GUERRERO, C. A. V., SILVEIRA, P. M., COELHO, A. L. M.,
RAMALHO, G. R., “Uso do RTDS em testes de esquemas de teleproteção