Vous êtes sur la page 1sur 9

Tabela Comparativa das Frequências das

Cordas dos Instrumentos Violino, Viola, Cello


e Contra Baixo
por: Prof.Luiz Netto

ONDAS SENOIDAIS
Tabela Comparativa de Freqências

Em relação ao violino, a viola é um pouco maior, com alcance mais grave. Considerando o
violino o soprano das cordas, a viola é o contralto, o cello o tenor – barítono e finalmente, o
contrabaixo os baixos.

As quatro cordas do violoncelo são


afinadas em quintas, uma oitava
abaixo da viola.

O violoncelo tem a maior extensão


dinâmica de todos os instrumentos
de cordas, tanto no piano quanto
no forte; sua extensão em altura é
também bastante ampla, cobrindo
quase quatro oitavas. As notas
mais graves são escritas na clave
de fá e as mais agudas, na clave de
dó na quarta linha (clave de tenor)
e até na clave de sol.
Multi-instrumentista Prof. Ivan Meyer

O CONTRABAIXO

Tessitura Sonora – Voz humana – Instrumentos


TESSITURA MUSICAL
Na música, tessitura refere-se ao conjunto de notas usadas por um determinado instrumento
musical, com a qualidade necessária à sua execução. No caso da voz humana, refere-se ao conjunto
de notas que um cantor consegue articular sem esforço de modo a que o timbre saia com a
qualidade necessária. A tessitura tem, portanto, uma abrangência menor que a extensão. Enquanto
que a extensão representa todas as notas fisicamente realizáveis, a tessitura refere-se às notas mais
frequentemente utilizáveis.
Em termos de grafia, a tessitura representa-se pelas notas mais grave e mais aguda ligadas por um
hifen, com a indicação numérica da oitava a que pertencem. Exemplo: Dó2 – Dó4.
Por vezes, numa partitura para coro ou voz solista, indica-se a nota mais grave e a nota mais aguda
das partes vocais, a que se dá o nome de âmbito.
Tessitura Monofônica: única linha melódica sem acompanhamento, como o canto gregoriano;
Tessitura Polifônica ou Contrapontística: duas ou mais linhas melódicas executadas ao mesmo
tempo;
Tessitura Homofônica: única linha melódica com acompanhamento de acordes.
Partitura de Orquestra: aparece na ordem dos quatro naipes (madeiras-metais-percussões-cordas),
se houver harpa, vem entre percussão e coras e se houver vozes e instrumentos solistas, se encontra
acima das cordas.
Partituras e Partes: cada músico possui apenas a “parte” da partitura total da música que irá
executar.
Ária: significa “ar” do italiano. É canção para solista, normalmente, ópera, oratório ou obra vocal
longa.
Arieta: ária de duração curta em óperas cômicas.
Cânon: obra musical em que os intérpretes usam a mesma linha de notas, começando em tempos
diferentes, mas a música se encaixa no final. Uma voz segue a outra que segue a outra e assim por
diante.
Cânone: plural de cânon.
Libreto: palavra italiana que significa livrinho, é a peço ou texto de uma obra.
Movimento: seção independente de uma obra mais extensa, como um concerto, sonata, suíte ou
sinfonia.
Recitativo: são passagens, na ópera, meio faladas e meio cantadas, com acompanhamento simples
de acordes ou notas longas sustentadas.
Afonia: perda momentânea da voz.
Bocca Chiusa: cantar com a boca fechada
Cantiga: ária popular ou versos musicados.
Cantinela: pequena canção.
Bel Canto: é a arte de cantar árias de uma ópera.
Cavatina: pequeno trecho de ópera em uníssono geralmente intercalado em um recitativo.
Falsete: acontece quando as cordas vocais tentam alcançar sons agudos “na voz de peito” e saem
sons finos, dizemos que a voz gira.
Mezza –Voce: significa meia voz.
Pontos de partida para equalização
Eu acho que o ponto de partida para fazer uma equalização é conhecer as frequências, sem isso fica
muito difícil equalizar um instrumento ou voz. Claro que nada substitui o ouvido humano, mas
juntando isto à teoria fica mais fácil, veja na imagem as frequências fundamentais e harmônicas dos
principais instrumentos:

Tabela de frequência dos instrumentos e vozes

Mas e o tal Ponto de Partida, o que é isso?


Ponto de partida é uma configuração já pronta, ou um ajuste programado, esses ajustes e
configurações são conhecidos como presets. O preset não pode ser usado como uma configuração
final, já a equalização vai depender de muita coisa, coisas como instrumento, microfone, sala,
equipamento e softwer de gravação e etc.
Bom, esse presets são facilmente encontrados na internet e a maioria dos plugins de equalização já
vem com alguns presets. Mas o ideal é você fazer os seus presets de acordo com as suas gravações,
e para isso é necessário saber algumas coisas sobre as freqüências e o equilíbrio das frequências.
É interessante também evitar que os instrumentos embolem na mixagem, ou seja, se dois
instrumentos trabalham na mesma freqüência, tente atenuar certa freqüência em um e acentuar no
outro. Por exemplo: sabemos que o baixo e o bumbo trabalham na mesma região de freqüência,
então para não embolar eu procuro acentuar as freqüências por volta de 60hz no bumbo e atenuar
essa mesma frequência no baixo, e acentuo por volta de 80hz no baixo e atenuo a mesma freqüência
no bumbo, o ideal é que um instrumento complete o outro.
Vamos ver então como algumas freqüências atuam na equalização:
Entre 50hz e 60hz
Pancada no bumbo.
O “Boom” no contrabaixo.
Entre 100hz e 200hz
Punch em caixa de bateria.
Acentuar muito pode deixar o som sujo.
Atenuar demais pode deixar a mix opaca.
Entre 200hz e 500hz
Geralmente, acentuando-se essa região, conseguimos corpo em guitarras, piano e vocais.
Se acentuar muito, o som pode ficar sujo.
Se atenuar demais, pode ficar magro.
Entre 500hz e 1000hz
Esta região é onde encontramos o corpo de muitos instrumentos, por isso ela é complicada para se
conseguir uma boa equalização.
Se acentuar muito, pode deixar a voz nasal.
Se atenuar muito, pode deixar o som sem presença, magro.
2khz
Deixa guitarras e vocais mais agressivos, além de dar mais clareza.
Se acentuar muito, pode deixar o som irritante.
Se atenuar muito, pode deixar o som suave e sem impacto.
Entre 5khz e 10khz
Acentuando, conseguimos clareza e mais vida aos instrumentos.
Se acentuarmos muito, podemos deixar o som áspero e irritante.
Se atenuarmos muito, deixamos o som sem presença.
16 kHz
Região muito usada em pratos, para dar brilho.
Muito acentuada, pode deixar o som artificial.
Muito atenuada, deixa o som abafado.
Bom, era isso.
Abs!