Vous êtes sur la page 1sur 7

Segurança em Aeroportos.

QXD 30/05/13 18:15 Page 52

OPINIÃO

Segurança
aeroportuária
Por sua própria natureza, um aeroporto é uma instalação que apresenta em potencial para ações de atentado no Acima Por suas característi-
diversos riscos de segurança. Num aeroporto, há que se prevenir — ou Brasil por parte do terrorismo fundamen- cas, os aeroportos são alvos
talista islâmico e anti-americano. Os aten- convidativos e compensado-
em casos extremos, reprimir — ocorrências que vão desde as mais tados às Torres Gêmeas também fizeram res para ações criminosas
simples, como violações, extravio ou subtração de bagagens e roubos a com que a proteção da infra-estrutura aero- (Foto: D. Carneiro).
mão armada, até o contrabando e o terrorismo. portuária viesse para a ordem do dia, e o pe-
ríodo que se seguiu foi muito bom para a indústria da segurança sob o ponto
n VINICIUS D. CAVALCANTE de vista comercial. Contudo, a aquisição de equipamentos nem sempre poderá
remediar todas as vulnerabilidades físicas de projetos produzidos numa época

P
or mais que possa parecer impensável, as próprias pessoas que circulam em que aas ameaças eram muito menos sérias.
num aeroporto podem ser alvo de um ataque a tiros, nos moldes do que Há pouco mais de trinta anos, as pessoas frequentavam terraços abertos, e
foi perpetrado um Mumbai em 2008. Quando se pensa na segurança de em alguns casos ficavam a poucos metros dos aviões. A área de embarque era se-
uma instalação aeroportuária, há que se definir rigorosos procedimentos de parada do saguão por um simples portão aberto, onde as pessoas ingressavam
segurança perimetral, identificação de pessoal e veículos, controle de acessos, sem passar por uma revista minuciosa. Hoje, tal cenário é apenas uma recorda-
identificação e escaneamento de passageiros e bagagens, identificação, acom- ção do passado — mesmo nos aeroportos brasileiros, onde a segurança sempre
panhamento em trânsito e guarda de cargas (prevendo-se inclusive medidas foi muito mais relaxada do que nos seus congêneres do exterior. A globalização
adicionais de segurança para cargas de alto valor ou consideradas perigosas), etc. das ameaças, que tiveram seu ápice no 11 de setembro, justificou uma padroni-
Há que se prevenir também a perspectiva do acesso não autorizado às aerona- zação de segurança, dispendiosa e de rigor jamais visto anteriormente.
ves (tanto por eventuais clandestinos quanto por ladrões, sabotadores ou ter- Em tempos de paz, administramos os riscos de atentados levando em con-
roristas), estabelecendo controles rígidos nos portões de acesso ao pátio e sideração inúmeros fatores, e não unicamente a boa técnica de segurança. Hoje,
vigilância constante das próprias aeronaves e terminais de carga. os protocolos e manuais de segurança são constantemente revisados em face da
Embora não costumemos levar isso em consideração, o risco de ações ter- audácia e da extrema gravidade dos acontecimentos que a crônica cotidiana
roristas também está presente no Brasil. Com a nossa enorme extensão de fron- reporta tanto no exterior quanto no Brasil. Pela fragilidade de nossa segurança
teiras e os fraquíssimos controles sobre quem entra e sai do país, grupos para fazer frente a tais situações, não devem pairar dúvidas de que ações cri-
terroristas podem usar nosso território como uma forma de chegar às aerona- minosas espetaculares ou atentados terroristas em nosso país — ainda que, no
ves estrangeiras, ou mesmo para voar daqui para seus países–alvo. Nos aero- caso destes últimos, possam guardar dimensões menores — teriam seu êxito
portos brasileiros operam grandes empresas aéreas norte-americanas, que praticamente assegurado e poderiam vitimar uma quantidade proporcional-
transportam grande quantidade de passageiros nacionais e estrangeiros. Desde mente muito maior de vidas. Quer na segurança quer na atividade de inteli-
o dia 11 de setembro de 2001, tais companhias passaram à qualidade de alvos gência, devemos prioritariamente procurar aprender com os erros dos outros;

52 SEGURANÇA & DEFESA


Segurança em Aeroportos.QXD 30/05/13 18:15 Page 53

e pensar assim se insere no conceito Acima e ao lado Os equipa-


de profissionalismo da segurança. mentos de escaneamento
Ninguém pode afiançar que esta ou corporal por raio-X per-
aquela ação não possa vir a acome- mitem a detecção de
ter-nos no Brasil. E riscos para aero- qualquer material proibido
portos são o que não falta! que o indivíduo esteja ten-
tando esconder por baixo
da roupa (Foto: Repiscan).
Riscos
A preocupação internacional
relativamente recente quanto ao uso terrorista de mísseis antiaé-
reos portáteis contra aeronaves comerciais faz com que também
eventualmente se deva avaliar a vulnerabilidade de um aeroporto
a ações dessa natureza. Já em 1973, a polícia italiana frustrou um
plano palestino para abater uma aeronave israelense utilizando
mísseis soviéticos SA-7, fornecidos pela Síria. Ao perceberem que
haviam sido detectados, os terroristas abandonaram os mísseis nas
cercanias da pista do aeroporto de Roma e fugiram. Em 1978, na
Rodésia, guerrilheiros operando a partir da Zâmbia, também com
o SA-7, lograram derrubar uma aeronave Viscount, matando tri-
pulantes e passageiros. Tais mísseis antiaéreos disparados do ombro
foram utilizados pela UNITA contra aeronaves da ONU em An-
gola (em 1998 e 1999), pelos rebeldes Tutsi contra um Boeing 727 no Congo, e dessas armas fabricadas desde 1970, empregadas em combates em todos os
quase derrubaram o avião que transportava o presidente do Afeganistão em continentes e eventualmente entregues a grupos irregulares, fica difícil assegu-
maio de 1992. rar que não possam ser utilizadas em atentados terroristas. Fontes do Departa-
A possibilidade de atacar aeronaves comerciais tanto no procedimento de mento de Estado dos Estados Unidos estimam que, desde a década de 70, mais
pouso quanto na decolagem, atingindo-as numa altitude que pode chegar até de 40 aeronaves civis já teriam sido atingidas por mísseis e que, dessas, pelo
6.000m, faz com que, para assegurar a proteção de aviões contra tais mísseis menos 25 foram destruídas, resultando em mais de 600 mortes.
portáteis, se devesse estabelecer um perímetro de segurança que, em certos O temor de que mísseis antiaéreos portáteis de fabricação chinesa, perten-
casos, corresponde a um retângulo de 10km x 80km. Com mais de 700.000 centes às forças armadas bolivianas, viessem a cair em mãos erradas, fez com que

SEGURANÇA & DEFESA 53


Segurança em Aeroportos.QXD 30/05/13 18:15 Page 54

Acima “O público deve ser os americanos convencessem elementos letalidade e destruição que o disparo de um míssil antiaéreo. A criminalidade
compreensivo e entender que do “establishment” de defesa do país an- brasileira, sobretudo no Rio de Janeiro se notabiliza pelo uso de metralhadoras
os inconvenientes de um dino a entregar tais engenhos aos Estados médias e pesadas nos calibres. 30 Springfield, fuzis no calibre .30 ou
exame cuidadoso pela segu- Unidos para desativação. Ainda que os ar- 7,62x51mm, 7,62x39mm, 5,56x45mm ou ainda o devastador .50, já encontra-
rança são algo lamentável, roubos nacionalistas se levantem contra a dos em armas capturadas em Minas Gerais, na Bahia, Rio de Janeiro e Paraná.
mas necessário, se queremos
entrega do único componente de defesa Algumas destas ocorrências envolvendo disparos de arma de fogo contra aero-
sobrepujar criminosos e terro-
ristas” (Foto: US Dept. of Ho- antiaérea moderno daquele país, verda- naves já motivaram a alteração dos procedimentos de pouso em determinados
meland Security, Barry Bahler). deiro crime de lesa-pátria, não podemos aeroportos. Não se deve esquecer que, quando uma aeronave é atingida por
esquecer que arsenais militares saqueados, um tiro, o atrito gerado entre o revestimento do projétil e partes da estrutura da
da Marinha e do Exército bolivianos, são a aeronave (principalmente longarinas) poderá ocasionar uma centelha que, em
fonte de onde comprovadamente provém centenas de fuzis e metralhadoras contato com combustível, pode gerar resultados catastróficos. No caso do pro-
(com a respectiva munição) capturados aos traficantes de drogas, sobretudo cedimento de pouso o perigo se agrava, pois no interior dos tanques (normal-
no Rio de Janeiro. mente posicionados no interior das asas), existirão quantidades significativas de
Em 2002, escutas telefônicas policiais num presídio de segurança máxima gases, o que facilita a ocorrência de explosão. Esse risco se agrava no caso de dis-
apontaram que o narcotraficante brasileiro Fernando Beira-Mar estaria nego- paros com projéteis traçantes. É importante lembrar que ainda há outros siste-
ciando a compra de um míssil antiaéreo Stinger. Ainda que analistas houves- mas passíveis de incêndio ou explosão nas aeronaves (hidráulico e de oxigênio,
sem apontado que se tratava de um blefe do bandido, fontes de inteligência dão por exemplo), o que exige um elevado grau de atenção no tocante a essas peri-
conta de que as FARC já disporiam de mísseis terra-ar portáteis e que já os te- gosas influências de agentes externos.
riam empregado com sucesso pelo menos uma vez. A circunvizinhança de um Além do perigo de ações terroristas contra os passageiros ou contra as aero-
aeroporto, com grande áreas de mata, ladeado por favelas, por mar, ou por vias naves em si, há histórico de grandes roubos em aeroportos brasileiros, perpe-
rodoviárias expressas para acesso ou fuga (como acontece no Rio de Janeiro) se trados por grupos numerosos e bem armados. Em Brasília, em julho de 2000,
constitui num facilitador para quem pretenda intentar contra aeronaves co- foram roubados 61 quilos de ouro na pista do aeroporto; em Congonhas, numa
merciais, a exemplo do que foi ocorreu no Quênia (contra um avião de passa- mesma semana, uma joalheria foi roubada e o hangar de uma companhia aérea
geiros israelense, em novembro de 2002) ou no Iraque (contra um Airbus foi duas vezes invadido para roubo de caixas eletrônicos. Também em Congo-
cargueiro em Bagdá, em novembro de 2003). nhas, quinze homens invadiram a pista para roubar três milhões de reais; numa
Esse tipo de área circunvizinha, difícil de guarnecer, permite que até mesmo ação bem coordenada, criminosos entraram no aeroporto, renderam os guar-
simples morteiros improvisados (como os que o Exército Republicano Irlandês das de vigilância e derrubaram uma grade de proteção com uma pick-up, a fim
disparou contra o Aeroporto de Heathrow e que as FARC também usaram na de alcançar a pista.
Colômbia), sejam empregados contra as aeronaves estacionadas ou contra as Em que pesem os esforços das autoridades, vemos freqüentemente nos jor-
instalações de passageiros, de estocagem de combustível, etc. nais o exemplo dos armamentos sofisticados que o dinheiro sujo das drogas
No Brasil, não tivemos caso de aeronaves atacadas com mísseis. Entretanto, faz surgir à revelia da repressão dos órgãos de segurança. Além disso, o plane-
nossa aviação vem convivendo com o perigo dos disparos de armas de fogo, que jamento dos criminosos pode se beneficiar do know-how técnico proporcio-
conceitualmente podem, dependendo da situação, levar ao mesmo resultado de nado por maus policiais e maus militares, bem como pelo intercâmbio com

54 SEGURANÇA & DEFESA


Segurança em Aeroportos.QXD 30/05/13 18:15 Page 55

guerrilheiros e terroristas de nacionalidade estrangeira, que podem ajudar a Esses recursos de segurança eletrônica, em- Acima O acesso de veículos ao
reproduzir aqui o que é perpetrado no exterior. bora de instalação dispendiosa, permitem Aeroporto Ben Gurion, em Tel
No Paraguai, em 2000, homens armados utilizando uniformes militares uma grande economia de efetivos de Aviv, é fortemente controlado
roubaram doze milhões de dólares de uma remessa que seria enviada a Nova guarda, possibilitando que, em caso de (Foto: Hi-Tech Solutions).
Iorque. Em Hearthrow, aeroporto de Londres, em 2002, as medidas rígidas de qualquer tentativa de entrada não autori-
segurança impostas após 11 de setembro não foram suficientes para evitar que zada (por escalada, corte ou transposição de área sensorizada), se possa enviar
um furgão com três milhões de dólares fosse roubado por homens armados , rapidamente para o local um grupo de pronta resposta.
no interior de uma área restrita do aeroporto. Vários tipos de sensores perimetrais podem ser empregados para cobrir
Ainda que a presente política de segurança pública lhes venha minando o grandes áreas lineares. Sensores ativos de raios infravermelhos que podem ser
poderio, a verdade é que, dispondo de um suprimento aparentemente inesgo- instalados aos pares, no topo dos muros e grades, criam uma barreira invisível
tável de armamento pesado e variado — incluindo até lançadores de foguete an- capaz de detectar intrusões. Sistemas de detecção por microondas operam
ticarro, capazes de perfurar espessas blindagens de aço —, os criminosos como pequenos radares e são muito utilizados no interior das cercas duplas de
brasileiros podem realmente atacar qualquer local que lhes pareça atrativo ou instalações prisionais. Cabos microfônicos são normalmente acoplados a cer-
que, em determinado momento, abrigue algo de que lhes valha a pena apro- cas e indicam o local onde a mesma sofra qualquer vibração atípica. Outro re-
priar-se. curso que acompanha toda extensão de uma área murada ou cercada e permite
a detecção de qualquer intrusão é o sistema de detecção por cabo magnético en-
Proteção perimetral terrado (na realidade dois cabos, em paralelo). Os cabos são enterrados no solo
Uma das primeiras providências na organização de um bom sistema de e criam um campo invisível que permite identificar quando e em que ponto se
segurança para uma instalação é protegê-la de violações ou acessos não auto- passa sobre ele. Esse sistema, que em algumas instalações até prescinde de uma
rizados, o que deve ser feito através de um eficiente sistema de proteção peri- cerca física, normalmente surpreende os intrusos desavisados, que, sem detec-
metral. A colocação de uma cerca tem por função proteger o local contra tar a presença de guardas ou de câmeras, jamais imaginam que terão sua pre-
acessos não autorizados, canalizando o fluxo de pessoas para que ingressem na sença notada.
instalação por locais determinados. No caso de um aeroporto, essa proteção No âmbito do funcionamento da instalação aeroportuária, também é im-
deve ser forte e resistente o suficiente para impedir ou dificultar sua violação por portante a disposição de acessos e os círculos de segurança. Talvez o exemplo
vândalos, delinquentes ou terroristas. Também estão envolvidos aspectos como mais bem sucedido e rigoroso seja o do Aeroporto Ben Gurion, em Tel Aviv. A
a iluminação da área, o sensoreamento e a detecção de ocorrências, a vigilân- 3km do aeroporto, em cada estrada de acesso, existem postos de controle com
cia por circuito fechado de televisão, assim como um serviço de guarda, etc. seguranças armados, que monitoram e inspecionam o tráfego de veículos que
Cercar a área de um aeroporto é sempre trabalhoso e caro, e via de regra demandam o aeroporto. Considerando que, em Israel, no momento que uma
envolve a adoção de muros, gradeamentos ou alambrados. Independentemente passagem de avião é vendida a informação do agente de viagens é comparti-
de sua constituição, a cerca deve ser suficientemente alta para impedir sua fácil lhada para uma verificação de segurança junto aos arquivos da polícia, dos ser-
transposição, sendo recomendada a altura mínima de 3,00m. Complemen- viços de inteligência e da Interpol, a polícia (e consequentemente a segurança
tando a proteção, são empregadas concertinas de arame perfuro-cortante, de- aeroportuária) saberá sobre a provável ameaça antes mesmo da pessoa chegar
vendo também ser utilizados sensores que indiquem uma tentativa de intrusão. ao aeroporto ou em quaisquer dos círculos externos de segurança. Alguém

SEGURANÇA & DEFESA 55


Segurança em Aeroportos.QXD 30/05/13 18:15 Page 56

geiro mal intencionado. O pessoal de segurança não


pode se prender a estereótipos. É importante buscar
os alvos num ambiente de pessoas normais, bem tra-
jadas, mas cujo comportamento possa traduzir
algum indício de anormalidade. Não se trata apenas
de se fixar em semblantes fechados, indumentária
destoante ou volumes mal disfarçados sob a roupa; é
necessário perceber aqueles cuja linguagem corpo-
ral suscite desconfiança ou detalhes que passariam
despercebidos a observadores desatentos.
Em dezembro de 2001, o inglês Richard Reid,
que tentou explodir um avião com um sapato
bomba, aparentava sinais de nervosismo e embarcou
em Paris num vôo transatlântico para Miami sem
bagagem de mão! No Natal de 2009, Umar Farouk
Abdulmutallab, um nigeriano sobre o qual já havia
suspeição quanto a atividades terroristas, comprou
sua passagem em dinheiro e viajou de Amsterdam
para Detroit sem bagagem. O artefato explosivo, que
Acima Detalhe dos sobre quem paire alguma suspeita dificilmente ele não conseguiu ativar, estava costurado em suas roupas de baixo e calças. Ainda
cabos magnéticos en- chegará à área interna do terminal. Os estaciona- não existia equipamento para escaneamento corporal no aeroporto e seus ex-
terrados no solo, con- mentos são segregados, e veículos não inspecio- plosivos, sem acionadores metálicos típicos, não poderiam ser detectados por
forme descrito no texto nados não podem se aproximar dos terminais. Há um arco detector de metais.
(Foto: autor). guardas armados nos acessos e as bagagens sus- Hoje são comuns aparelhos de raios-X que, ao inspecionar bagagens, proje-
peitas podem ser inspecionadas antes mesmo de tam para o operador imagens coloridas do interior dos objetos inspecionados.
adentrar o prédio. No interior do saguão, agentes de segurança uniformizados e Diante da necessidade de agilizar os processos de busca pessoal em aeroportos, é
à paisana circulam entre os passageiros. No check-in, as bagagens são novamente cada vez maior a quantidade de instalações que dispõem de caríssimos pórticos
inspecionadas nos raios–X e, em caso de quaisquer dúvidas, são abertas e sub- escaneadores, capazes de revistar o corpo dos passageiros e verificar se os mesmos
metidas a testes específicos para a detecção de explosivos. Não se pode descuidar, transportam qualquer tipo de equipamento ou material proibido. Operando por
principalmente quando consideramos que, da forma que muitos aeroportos do meio de raios-X ou por ondas milimétricas, tais equipamentos projetam uma
mundo inteiro estão configurados, os passageiros que desembarcam ou que estão imagem da silhueta ressaltando metais, cerâmicas, vidros, líquidos, gelatinosos e
em uma conexão podem facilmente passar materiais para os que vão embarcar compostos orgânicos, permitindo rapidamente ao computador identificar ma-
e que já passaram por uma triagem. teriais proibidos e revelá-los ao operador.
A cobertura por circuito fechado de televisão é indispensável para prover Espectômetros de mobilidade de íons, como o ITEMISTER, são equipa-
toda a segurança física da instalação aeroportuária, e possibilita acompanhar toda mentos que, a partir da emanação de micro-partículas dos diversos tipos de ex-
a movimentação de pessoas e veículos em áreas públicas e restritas, o embarque plosivos e de drogas, podem indicar a presença de tais substâncias nos volumes
e o desembarque de passageiros e cargas, o trânsito de bagagem entre as esteiras, mais insuspeitos. Normalmente, o inspetor, ao desconfiar de algum objeto, esfrega
os carrinhos de transporte e as aeronaves, permitindo também às autoridades nele um tipo de feltro indicador estéril para coletar sua mostra e depois deposita
aduaneiras combater o contrabando e a evasão tributária. A adoção de um mo- o material no equipamento analisador. Em menos de 10 segundos se pode obter
derno sistema de circuito fechado de TV, com ampla cobertura de câmeras fixas uma resposta. Uma opção barata aos espectômetros, capaz de ser operada prati-
e móveis, tanto em áreas internas quanto externas, permite exercer grande con- camente me qualquer local, é o kitde Sprays Detectores de Explosivos, fabricado
trole sobre as áreas observadas, registrando em vídeo digital toda movimentação em Israel. Ele consiste num conjunto de três latas de aerosol, podendo detectar
nos setores e pontos monitorados, detectando possíveis situações de risco, além tanto TNT e TNB como também explosivos como SEMTEX H, RDX, C4 e ou-
de permitir uma identificação de modus-operandi e de autoria, no caso da cons- tros compostos contendo nitratos. Trata-se de um recurso com uma relação
tatação posterior de alguma irregularidade ou ato ilícito. custo/benefício altamente compensadora, podendo ser usado tanto na busca
Num aeroporto, o sistema de circuito fechado de televisão deverá prover como na investigação pós-explosão.
ampla visualização das áreas de pista, cabeceiras, parqueamento de aeronaves Coibir a sabotagem com bombas em aeronaves é difícil, mas não impossível!
(tudo sem ângulos cegos) assim como permitir acompanhar o trânsito de veícu- O rádio-gravador com explosivos responsável pela destruição do Boeing 747 da
los auxiliares e comboios de carga durante toda a sua circulação (detectando even- Pan Am em Lockerbie (Escócia, dezembro de 1988) não havia passado sequer
tuais paradas indevidas, manuseio irregular de cargas, etc). Como todos os pelos raios-X, e estava no interior de uma bagagem desacompanhada. De qual-
sistemas vitais de segurança da instalação aeroportuária, também o circuito fe- quer forma, ainda que mecanismos explosivos possam ser revelados por raios-X,
chado de televisão deve contar com suprimento de energia de emergência por um suicida não precisará de um cinturão bomba se puder dispor de um pequeno
gerador autônomo, do tipo No-Break. A vantagem na adoção de um sistema de frasquinho de nitroglicerina. Tal explosivo, que pode ser mantido estável numa
circuito fechado de televisão permanentemente monitorado consiste em pro- temperatura baixa e dissimulado de diversas formas, só com muita sorte vai ser
porcionar informação em tempo real à chefia da segurança, facultando a possi- detectado. Hoje, informes de inteligência dão conta que terroristas estariam bus-
bilidade de se tomar decisões que intervenham na minimização de um evento cando desenvolver implantes-bomba para dificultar ainda mais a detecção de tais
indesejável de fraude, furto, roubo ou mesmo em casos de terrorismo. artefatos.

Detecção de armas e explosivos Considerações finais


Num aeroporto, é importante investir na capacidade de detectar um passa- É essencial antecipar-se ao perigo. Qualquer planejamento de segurança visa

56 SEGURANÇA & DEFESA


Segurança em Aeroportos.QXD 30/05/13 18:15 Page 57

salvaguardar, contra um conjunto de ameaças pre-


visíveis, aquilo que é objeto de proteção. Via de
regra, só se pode fazer frente ao perigo ou adversi-
dade previamente identificados. Quando somos
surpreendidos pelo inesperado, há uma tendência
a improvisar soluções que nem sempre garantirão
a nossa incolumidade ou a continuidade de nossas
operações. O ideal sempre será não deixar aconte-
cer, e por isso há que se antever as possibilidades
de perigo, estabelecendo medidas para evitar que
tais adversidades aconteçam ou que, em caso ex-
tremo, permitam enfrentá-las com maiores chan-
ces de êxito.
Como em todo planejamento de segurança,
dever-se-á tentar prever e ensaiar a atuação dos
funcionários em caso de emergências, como ten-
tativas de ataque/invasão, incêndio, evacuação mé-
dica, distúrbios civis, etc. Como fazer em caso de
incêndio? Como proceder se alguém ficar aciden-
talmente preso num elevador? Como operar em segurança no caso de greve? naves, certos tipos de roubos, furtos e eventuais Acima Cabos magnéticos
Como agir se, no meio de uma “ocupação pacífica” das instalações por um grupo sabotagens, agora ele deve estar também capa- enterrados no solo criam
reivindicatório numeroso, houver uma tentativa de tomar a maior autoridade citado a dissuadir e a confrontar situações de um um campo invisível que
presente como refém? Como e por quais caminhos se pode evacuar o edifício? É risco muitíssimo mais grave, como o roubo a permite identificar quando
absolutamente imprescindível que todos (e não apenas os seguranças) saibam o partir de uma entrada forçada por numeroso e em que ponto se
passa sobre ele
que fazer nessas horas de emergência. A verdadeira segurança não é fruto de grupo armado, o sequestro de múltiplas aerona- (Foto: MicroTrack).
ações amadorísticas ou improvisadas, mas sim de um planejamento escrupuloso ves, o ataque contra o público por pistoleiros, ou
e de um trabalho contínuo, levado a cabo por profissionais disciplinados e bem mesmo um grande atentado a bomba.
treinados, em franca colaboração com o público interno consciente de seu papel. Profissionalmente, precisamos nos capacitar para lidar com ocorrências dessa
Em nosso país, ainda que procedimentos de segurança costumem ser bas- natureza. É mister mudar a maneira pela qual pensamos a nossa segurança. Cri-
tante negligenciados sob as mais diversas alegações, torna-se de grande impor- minosos ou terroristas, inteligentes e motivados, não se detêm ante um punhado
tância que possamos estar preparados para atuar em face de ações criminosas de de guardas com formação profissional precária e armados de revólveres calibre
ousadia e sofisticação crescentes. A situação em que hoje nos encontramos é ex- .38”. Portões fechados, muros altos, cercas, grades, detectores, alarmes e câmeras
tremamente benéfica para criminosos e terroristas, que descortinam grande li- de circuitos fechados de TV só se constituem em obstáculo intransponível para
berdade para suas ações. Na atual conjuntura, o êxito de qualquer atentado (ou as pessoas honestas. O reforço no policiamento ostensivo, com cães, veículos, he-
mesmo de um roubo espetacular) aqui dependerá apenas da sorte ou da mínima licópteros ou o emprego de grupos de forças especiais, policiais e militares, talvez
competência particular de seus executores. seja o aspecto mais visível da proteção contra criminosos e terroristas, porém não
Para nós, brasileiros, casos como os que hoje impressionam a opinião pú- se sobrepõe a um bom planejamento, ao emprego dos equipamentos adequa-
blica mundial podem beirar a ficção, mas não esqueçamos de que, embora a se- dos, bem como ao discernimento, treinamento e adestramento dos profissionais
gurança procure melhorar com o passar dos anos,
o problema é que de uma maneira geral existe uma
forte tendência natural (inclusive por parte das SEGURANÇA PERIMETRAL
próprias autoridades) de se menosprezar aquilo
que não se vê e "só muito raramente acontece", ou RECURSO MATERIAL VANTAGENS DESVANTAGENS
"só ocorre em outros países"; e são justamente essas
falhas as maiores responsáveis pelos êxitos dos cri- - Maior resistência contra - Alto custo por metro
minosos e terroristas quando do cometimento de uma entrada forçada (princi- - Dificultam a visibilidade in-
Muros palmente no caso dos muros terna ou externa
suas ações. O lado preocupante da “globalização”
de concreto)
para a segurança reza que aquilo de adverso que - Violação mais difícil
hoje acontece no exterior, poderá ser repetido
amanhã (ainda que com menor grau de sofistica- - Resistência - Alto custo
ção), contra "alvos" que estejamos protegendo no - Permitem visualização nos - Passíveis de corrosão pela
Brasil. Grades dois sentidos (interno e ex- exposição no ambiente
O ataque às Torres Gêmeas e todo o histórico terno)
de atentados que o sucedeu, bem como todas as - Violação mais difícil
informações e a crônica delitiva do nosso crime
organizado, alteraram radicalmente os parâmetros - Opção de mais baixo custo - Pouca resistência
- Fácil instalação - Violação mais fácil
que norteiam a segurança das instalações aero- Alambrados - Permitem visualização nos
portuárias. Se antes todo o plano de segurança dois sentidos (interno e ex-
existente (isso quando ele de fato existia aqui) es- terno)
tava voltado para prevenir o apresamento de aero-

SEGURANÇA & DEFESA 57


Segurança em Aeroportos.QXD 30/05/13 18:15 Page 58

Acima Exemplo de que estivermos empregando no Brasil, a fim de ver- Acima Kit EXPRAY, com muito bem suas ações, observando vulnerabili-
sensor infravermelho dadeiramente nos garantir num mundo muito mais três latas de spray, para dades e anotando os erros, tanto daqueles que
ativo (Foto: autor). inseguro do que aquele com que sonhávamos para o identificação de explosi- são encarregados de proteger quanto daqueles
século XXI. vos (Foto: Plexus Scientific que desfrutam dos esquemas de proteção. Como
Na busca incessante por maior segurança, todo auxílio é bem-vindo. Um Corporation). os responsáveis pelas ações adversas também se
bom exemplo é o fato de que em 2004 as autoridades e policiais britânicos en- aperfeiçoam, o público deve ser compreensivo e
carregados da segurança do aeroporto de Heathrow engajaram o apoio da co- entender que os inconvenientes de um exame cuidadoso pela segurança são algo
munidade dos “spotters”, entusiastas da aviação que assiduamente lamentável, mas necessário, se queremos sobrepujar criminosos e terroristas.
frequentam aeroportos para tomar fotos e anotar matrículas e movimentos. Hoje, de maneira geral, nós apenas tendemos a fingir que temos a se-
Pela sua atividade, conhecem a rotina do funcionamento e portanto estão gurança que nos serve, mas essa tranquilidade ilusória só durará até mo-
habilitados a detectar sem dificuldades algo que seja “fora do comum”. Assim, mento que o destino nos proporcione um revés suficientemente grande
foram cadastrados e convidados a colaborar com a segurança, comunicando para não permitir que se ludibrie
às autoridades qualquer atividade suspeita ou incomum. a todos os que, na mídia e na opi-
Abaixo A presença nos aeroportos
Em todo modal aeronáutico é importante que as pessoas se sintam seguras, nião pública, certa ou errada- brasileiros de grandes empresas aé-
mas tal sensação, indispensável para a execução das rotinas de deslocamentos e mente sempre continuarão a reas norte-americanas pode se
mesmo do trabalho de pessoas em aeronaves e aeroportos, apenas perdurará até cobrar as cabeças de quem quer constituir num chamariz para o ter-
a primeira ocorrência adversa, que demonstrará a inadequação da segurança em que detenha responsabilidade rorismo fundamentalista islâmico e
si. Terroristas e criminosos não costumam deixar-se enganar, até por planejarem pela segurança. n anti-americano (Foto: D. Carneiro).

58 SEGURANÇA & DEFESA