Vous êtes sur la page 1sur 1

33ª Jornada Acadêmica Integrada

EDUCAÇÃO PERMANENTE E APOIO INSTITUCIONAL: A FORÇA


DE TRABALHO EM SAÚDE NA ZONA LESTE DE SANTA MARIA
Loro, Ricardo1(EX); Reis, R.¹ (EX); Reetz, F.¹ (EX); Heinzelmann, R.² (CO); Righi, L.2(O)
1Acadêmico do Curso de Medicina, Universidade Federal de Santa Maria; 2Saúde
Coletiva, Universidade Federal de Santa Maria

A força de trabalho em saúde (FTS) inclui os profissionais servidores, contratados,


terceirizados, empregados temporários, enfim, todos aqueles que direta e indiretamente estão
trabalhando para o cumprimento da missão da Secretaria de Saúde que é, em última
Instância, prestar o cuidado em saúde à população. Os dados e informações das equipes e
seus componentes são importantes instrumentos para conhecer a situação de saúde do
território. Essa e outras informações contribuem para se ter um dimensionamento da força
de trabalho existente, sua distribuição, necessidades de provimento e de capacitação. Nesse
contexto o Programa Educação Permanente (EP) e Apoio Institucional em Saúde (AIS) -
que articula ações de extensão em gestão e co-gestão em saúde no departamento de Saúde
Coletiva da Universidade Federal de Santa Maria-UFSM – apurou os dados de FTS na
região leste de Santa Maria. A fim de saber o estado atual das equipes das Unidades Básicas
de Saúde (UBS) e das unidades de Estratégia Saúde de Família (ESF), quantidade de
funcionários para usar como informação na gestão e co-gestão da Atenção Primária em
Saúde (APS). O levantamento foi feito pelo Site da prefeitura de Santa Maria, IBGE, site do
Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES). As equipes são formadas por
diversos profissionais. A ESF Wilson Paulo Noal é composta por 4 ACS, 1 Auxiliar em
Saúde Bucal da ESF, 1 enfermeiro ESF, 1 técnico de enfermagem ESF, 1 médico ESF, 1
dentista ESF, totalizando uma equipe de 9 profissionais. A ESF SAO JOSE é composta é
composta por 8 ACS, 1 auxiliar em saúde bucal da ECS, 3 enfermeiros ESF, 3 enfermeiros
residentes, 2 técnicos de enfermagem ESF, 2 médicos ESF sendo 1 bolsista, 3 destistas ESF
sendo 2 residentes, 1 ginecologista, 1 psicólogo residente, 1 fisioterapeuta residente, 1 E. F.
residente, 1 assistente social residente, totalizando uma equipe de 29 profissionais. A
unidade de saúde Wilson Paulo Noal é composta por 1 médico, 1 auxiliar em saúde bucal, 1
enfermeiro, 2 técnicos de enfermagem, totalizando uma equipe de 5 profissionais. A unidade
de saúde Walter Aita é composta por 1 enfermeiro, 2 dentistas sendo 1 residente, 2 auxiliares
de enfermagem, 1 ginecologista obstetra, 1 técnico em enfermagem, totalizando uma equipe
de 7 profissionais. A unidade de saúde São Francisco é composta por 1 enfermeiro, 2
auxiliares de enfermagem, 1 dentista, 2 auxiliares em saúde bucal, totalizando uma equipe
de 5 profissionais. A ESF Maringá é composta por 1 médico ESF, 3 enfermeiros residentes,
1 psicólogo residente, 2 nutricionistas residentes, 1 residente fonoaudiólogo, 2 EF sendo 1
residente e 1 ESF, 4 ACS, 1 técnico de enfermagem, 1 terapeuta ocupacional residente,
totalizando uma equipe de 16 profissionais. Essas informações permitem delinear,
inicialmente, o perfil das equipes e identificar prioridades dos gestores para sua gestão no
SUS. Assim, como, perceber que as equipes são diversas em sua composição de profissões,
tanto em número quanto em funções. A desigualdade de profissionais fica clara de uma
unidade para outra, enquanto umas tem médicos gerais, ginecologistas, psicólogos,
nutricionista, dentistas, enfermeiros, técnicos de enfermagem e saúde bucal; outras tem
apenas, médico geral, enfermeiros e técnicos de enfermagem.
Palavras chaves: Apoio Institucional; Gestão do Ensino superior; Educação Permanente em
Saúde;
Trabalho sem apoio financeiro.

33ª Jornada Acadêmica Integrada - JAI


Universidade Federal de Santa Maria, 22 a 26 de Outubro de 2018