Vous êtes sur la page 1sur 9

​ Por: Rafael Ribeiro, CNPI-T | Thiago Salomão, CNPI-P

16 de agosto de 2018

Ibovespa
-1,94%​ 77.077
Resistências:​ 78.602 / 80.300 / ​81.300
Suportes:​ ​76.500​ / 75.950 / 74.200

Após mais de 2 mil pontos de alta em dois dias, veio a correção de 1.500 pontos nesta
quarta-feira (15). Ibovespa agora está no meio do caminho entre o suporte dos ​75.950
pontos (mínima de segunda-feira) e ​79.291 pontos ​(MMA 200 períodos), que foi o
suporte perdido no começo do mês e destravou a sequência de quedas. Esse é o patamar
de curto prazo do índice, pois daí ele pode bater e voltar a cair (sinalizando um
“pullback”) com alvo inicial em ​76.500 pontos ​e até ​74.200 pontos​, ou então romper e ir
em busca dos ​80.300/81.300​ p​ ontos​.

1
​ Por: Rafael Ribeiro, CNPI-T | Thiago Salomão, CNPI-P

Dólar Futuro
+0,92%​ ​3.910,0
Resistências:​ 3.938 / ​3.962​ / 3.982
Suportes:​ 3.868 / ​3.833​ / 3.823

Volátil como sempre, o dólar não podia fechar de forma mais indefinida: ele fechou alta
de quase 1%, mas praticamente no meio do caminho entre a máxima e a mínima do dia,
em 3.910,0 pontos. Um ponto importante: a resistência de ​3.938 ​pontos mostrou sua
força neste pregão. Em tendência de alta no curto prazo, os ​3.938 pontos seguem como
principal resistência antes de buscar os alvos em ​3.962/3.982 pontos​.

2
​ Por: Rafael Ribeiro, CNPI-T | Thiago Salomão, CNPI-P

Petrobras (PETR4)

-4,65%​ R$19,05
Resistências:​ R$20,35 / R$21,07 / ​R$21,55
Suportes:R$18,80​ / R$18,40 / R$ 17,85

 
PETROBRAS despencou com força, volume, fechando na mínima e 10 centavos abaixo do
suporte de curto prazo. Tendência de baixa querendo se materializar, mas antes disso
temos o suporte master em ​R$ 18,38​. Respeitando esse patamar, podemos pensar em
novas compras, mas Para quem quer ir às compras, um “zigue-zague” seguido de
rompimento dos R$ 21,55 pode engatilhar mais um swing com alvo inicial em R$ 22,30
(aproximadamente 7,5% de lucro bruto).

3
​ Por: Rafael Ribeiro, CNPI-T | Thiago Salomão, CNPI-P

Vale (VALE3)

-4,45%​ R$50,41
Resistências:​ R$53,65 / R$54,87 / ​R$55,37
Suportes:​ ​R$50,24​ / R$49,75 / R$ 47,45

 
Ação despencou 4,5% e fechou levemente acima do suporte de curto prazo em R$
50,24. A perda desse patamar confirma o fim da tendência de alta de curto prazo, que já
ficou em xeque após o rompimento para baixo da média móvel de 21 dias, atualmente
em R$ 51,30. O respeito aos R$ 50,24 pode ser o primeiro passo para uma nova
oportunidade de compra com alvo em ​R$ 53,65​ e mais longo em ​R$ 55,37​.

4
​ Por: Rafael Ribeiro, CNPI-T | Thiago Salomão, CNPI-P

Itaú Unibanco (ITUB4)

-0,67%​ R$44,17
Resistências:​ R$44,18 / ​R$44,77​ / R$45,65
Suportes: ​R$42,68 / R$42,45 / ​R$41,72 

A “torcida” pra ver ITUB4 voltar para ​R$ 41,74 (último topo rompido) e abrir nova
compra deveria ficar mais difícil, e de fato a ação subiu novamente. Momento ainda é de
indefinição: muito ruim para voltar às compras (ela está entre as duas resistências
destacadas ontem: R$ 44,18 e R$ 44,77), embora o fechamento na máxima indique que
o movimento deve prosseguir até o teste das médias móveis; ao mesmo tempo, sem
atrativo para fazer uma venda contra tendência.

5
​ Por: Rafael Ribeiro, CNPI-T | Thiago Salomão, CNPI-P

Gerdau (GGBR4)

-4,79%​ R$15,52
Resistências:​ R$16,65 / R$17,53 / ​R$18,46
Suportes:​ R$15,39 / ​R$15,01​ / R$14,62

Alerta aos comprados! Primeiro suporte perdido com força e fechando na mínima,
zeragem com a perda do próximo suporte em ​R$ 15,01​. Aos comprados, lembrando:
objetivo inicial ​R$ 17,54​ antes do “final target” em ​R$ 18,46​.

6
​ Por: Rafael Ribeiro, CNPI-T | Thiago Salomão, CNPI-P

B3 (B3SA3)
-0,60%​ R$ 23,19
Resistências:​ R$23,60 / R$24,29 / ​R$24,99
Suportes:​ ​R$22,40​ / R$21,75 / ​R$21,32

 
Compra segue! ​O preço de entrada foi ruim (R$ 23,28), o que diminuiu o potencial
máximo de retorno do trade para 7,4% (primeiro objetivo: ​R$ 24,25; ​objetivo final: ​R$
25,00​). Stop curto em ​R$ 22,38​, levemente abaixo da mínima de segunda-feira e que
daria uma perda 3,87%.

7
​ Por: Rafael Ribeiro, CNPI-T | Thiago Salomão, CNPI-P

Gráfico do Dia: Via Varejo (VVAR11) - parte 2


+0,53%​ R$ 22,90
Resistências:​ R$21,37 / R$22,16 / ​R$24,55
Suportes:​ ​R$20,42​ / R$19,80 / ​R$19,45

Até ontem, eu tinha dito que entrar na ​Via Varejo agora não tinha um bom risco-retorno,
então o “mundo ideal” seria uma correção negativa para a faixa entre R$ 20,42 e R$
19,45 (por onde passam as retrações de Fibonacci), para que a entrada seja mais atrativa
para o alvo final de ​R$ 24,53 e o risco limitado na mínima de segunda-feira (​R$ 19,23​).
Isso aconteceu, agora é hora de esperar um candle positivo nesta quinta-feira (16).
para dar compra.

8
​ Por: Rafael Ribeiro, CNPI-T | Thiago Salomão, CNPI-P

O analista responsável é Thiago Salomão (CNPI-P EM-1399).


DISCLAIMER:
Este relatório de análise foi elaborado analistas credenciados pelo CNPI indicados acima de acordo com todas as exigências previstas na
Instrução CVM nº 483, de 6 de julho de 2010, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria
decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações
contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. Os analistas signatários deste
relatório e a Infostocks Informações e Sistemas Ltda. (“InfoMoney”) não se responsabilizam por qualquer decisão tomada pelo cliente com
base no presente relatório. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises
e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação a InfoMoney e que estão sujeitas a modificações sem
aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por
receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela InfoMoney. O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e
pelo cumprimento da Instrução CVM nº 483/10 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o
responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório.
Os analistas indicados no relatório estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o
Analista de Valores Mobiliários. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de
qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu
perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a
determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou
diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade
divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser
significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da InfoMoney, podendo também
ser divulgado no site da InfoMoney. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que
seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da InfoMoney.
A InfoMoney e os analistas credenciados se eximem de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham
a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias
de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre
outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta
forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário
macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar
os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é
indicado para investidores de perfil moderado e agressivo. Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um
título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O
investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados
futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições
de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento,
podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo.
Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. A InfoMoney faz parte do grupo XP. Apesar de as Sociedades
XP estarem sob controle comum, os executivos responsáveis pelo InfoMoney são totalmente independentes e as notícias, matérias e opiniões
veiculadas no InfoMoney não são, sob qualquer aspecto, direcionados e/ou influenciados por relatórios de análise produzidos por áreas
técnicas da XP Investimentos CCTVM S.A. ou qualquer outra empresa do Grupo XP, nem por decisões comerciais e de negócio de tais
sociedades, sendo produzidos de acordo com o juízo de valor e as convicções próprias da equipe interna da InfoMoney.