Vous êtes sur la page 1sur 3

Como ter...

Ter habilidades sociais


e conhecer regras
Como ter...boas maneiras no ambiente de trabalho boas maneiras no
de etiqueta podem dar
ambiente um belo empurrão na
de trabalho sua carreira
Por Letícia Colombini

Você é considerado um profissional competente e possui um


currículo brilhante, impecável. É pró-ativo, orientado para
resultados e tem uma constante preocupação em se manter
atualizado. Então, por que cargas d’água vive sendo preterido nas
promoções? Por que não consegue convencer os recrutadores a
contrata-lo? Por qual razão sua carreira não decola?
Por quê? Por quê? É possível que esteja se preocupando
demais em desenvolver suas capacidades técnicas e dando pouca
atenção a suas habilidades sociais. “Para conseguir avançar nos
níveis internos, é preciso mais do que a simples disposição para
o trabalho”, diz o consultor americano John Molloy, autor do livro
Molloy’s Live for Success. “As habilidades sociais são um pré-
requisito determinante para o sucesso no mundo corporativo”
As empresas estão dando um peso cada vez maior às suas
atitudes, à sua postura e ao seu modo de proceder. Saber como
agir nas mais variadas situações do dia-a-dia de trabalho e driblar
as saias-justas representa uma vantagem competitiva e tanto. Isso
leva a crer que você tem educação, bom senso e traquejo e,
portanto, está preparado para representar a empresa em qualquer
ocasião. Não dê ouvidos se alguém lhe disser que se preocupar
com a etiqueta é algo fútil ou secundário. Dominar o código de
comportamento em vigor no mundo dos negócios faz bem, sim,
para sua vida profissional. A vida profissional exige uma etiqueta
correta em inúmeras ocasiões. Muitas delas, delicadas.
Obviamente não é possível prever todas. Selecionamos algumas das mais freqüentes:

ARRASE NA ENTREVISTA!

Poucas são as situações em que seu cuidado com a etiqueta e sua postura são tão minuciosamente observados
quanto numa entrevista de trabalho. A primeira providência é chegar ao encontro com 15 ou 20 minutos de
antecedência. Ao entrar na sala do recrutador, permaneça em pé até que lhe convidem a sentar. Na hora dos
cumprimentos, faça contato visual, sorria, dê um aperto de mão firme (mas não do tipo “quebra-nozes”) e deixe seu
interlocutor dar início à conversa. Não fique balançando o pé nem passe a mão no rosto. Fica proibido fumar e fazer
observações negativas sobre seu antigo (ou atual) empregador. Também pega mal tocar em assuntos relacionados
a dinheiro até que todos os aspectos referentes ao emprego tenham sido discutidos. Ao se despedir, agradeça que
o tenham recebido.

A PRIMEIRA IMPRESSÃO

Nessa hora é fundamental agir com naturalidade, sutileza e presença de espírito. Você terá tempo suficiente
para conhecer seu interlocutor e certificar-se de que foi mesmo um prazer. Dar longos abraços, tapinhas nas costas
e beijinhos no rosto das pessoas é antiprofissional. O ideal é estender a mão direita com firmeza (mas sem exagero)
e acompanhar o cumprimento com um sorriso amável. Quem toma a iniciativa de cumprimentar? Em geral, o primeiro
-1- Revista Especial VOC S/A
a avistar o outro. Detalhe: homens sempre se levantam para cumprimentar.
Mulheres, não. Num restaurante, se por acaso avistar um conhecido,
acene discretamente. Permaneça sentado.

A ARTE DA CONVERSAÇÃO

Usar as palavras com habilidade é essencial no mundo dos


negócios. Você pode ser um profissional brilhante, mas se comete
erros gramaticais, de pronúncia e de vocabulário, engole palavras,
tem uma inflexão falsa terá dificuldade em persuadir os outros a
aceitar suas idéias. Falar demais, interromper seu interlocutor para
contradizê-lo ou sufocá-lo com opiniões categóricas e sair distri-
buindo conselhos sem que ninguém os tenha pedido tudo isso deve
ser abolido da conversação. Não exagere no tom de voz e maneire
nos gestos. Saiba ouvir, evite excesso de familiaridade (ou de
franqueza), fofocas, reclamações e indiscrições. Também não há
quem agüente mau humor, puxa-saquismo e autopromoção. Tem
mais: fuja de gírias, expressões estrangeiras e, claro, palavrões e
piadas de mau gosto.

MODOS À MESA

O almoço de negócios funciona como um teste sobre


suas habilidades sociais. Vai convidar um cliente para um almoço de
negócios? Ofereça algumas opções de restaurante e uma ou duas datas. Dê preferência a um lugar conveniente
para ambos. Na manhã do dia D, você ou sua secretária devem confirmar o encontro. Quem convida chega antes,
um tipo de delicadeza que faz toda a diferença no mundo dos negócios. O tema central do almoço deve ser abordado
sem pressa, não antes da chegada do primeiro prato. Comece tratando de amenidades, para descontrair o ambiente.
A partir daí, cabe ao anfitrião começar a falar de negócios. Nessa hora, é bom não chamar a atenção para si mesmo.
Nada de levantar a voz para conversar ou chamar o garçom, gesticular demais, deixar o celular ligado ou fazer
brindes ruidosos. Quem convida paga. Ao receber a conta, não a estude como se fosse um contrato. Procure manter
um ar neutro e não comentar o valor.

AO TELEFONE

Estima-se que 75% dos negócios sejam feitos por telefone, um instrumento de comunicação fundamental no
mundo corporativo. Seu mau uso significa perda de tempo, de oportunidades e, por tabela, de muito dinheiro. Ao
fazer uma ligação, o certo é identificar a si mesmo e a sua empresa. No decorrer da conversa, habitue-se a
pronunciar o nome do interlocutor de tempos em tempos a idéia é estabelecer um relacionamento mais pessoal. É
preciso ser rápido e objetivo ao prestar informações. Se por acaso a linha cair, a responsabilidade de retomar a
ligação é de quem telefonou. Ainda: qualquer ruído estranho é deselegante, pois sugere que sua atenção está em
outro lugar. Portanto, não fale ao telefone com cigarro ou comida na boca, não masque chicletes, nem digite no
computador. Responda às mensagens na secretária eletrônica no prazo máximo de 24 horas.

PILOTE BEM SEU CELULAR

Não há como contestar. O uso de celular serve para aumentar a produtividade e resolver emergências.
Por outro lado, não há nada mais chato que ouvi-lo tocar em lugares públicos e na hora errada. Para os
usuários, a solução é simples: ao fazer uma visita, participar de almoços e reuniões ou assistir à palestras,
desligue o aparelho ou deixe-o no modo vibra-call. Se por acaso esquecer e ele tocar, peça desculpas e
desligue-o, rapidamente, sem atender.
ONDE HÁ FUMAÇA....

Sem entrar no mérito do hábito de fumar, que a ciência desaprova, a etiqueta tem regras muito estritas para
Como ter...boas maneiras no ambiente de trabalho os fumantes. O ponto central é praticar seu vício sem incomodar as pessoas que o cercam. Ficam proibidas,
portanto, baforadas no elevador, numa sala sem cinzeiros e, principalmente, à mesa, enquanto os outros estiverem
comendo. Num almoço de negócios, se você fuma e seu convidado não, a solução educada é fazer a reserva na
área de não-fumantes. Antes de acender o cigarro, trate de perguntar às pessoas se elas se importam que você
fume.

COM QUE ROUPA EU VOU?

As pessoas reagem instantaneamente à aparência das outras e, até certo ponto, isso se dá pela
maneira como estão vestidas. Boa aparência significa, antes de mais nada, ter discernimento para saber
adequar o visual à sua atividade profissional e às diversas situações de trabalho. Algumas empresas têm
códigos sobre o assunto. Se a sua não tem, trate de observar como os colegas e executivos se vestem. É
sempre um bom referencial. Claro que há modelos que nunca devem ser usados: microssaia e barriga de
fora, para mulheres; camiseta regata, ternos e gravatas chamativas, para homens. Além disso, é bom
manter suas roupas sempre limpas e bem passadas, e seus sapatos brilhando.

GENTILEZAS VIRTUAIS

A explosão do uso do e-mail talvez tenha sido a mudança mais drástica dos últimos tempos no que
diz respeito à comunicação no mundo corporativo. Para demonstrar eficiência e elegância no ambiente
virtual, procure usar uma linguagem direta, clara e objetiva, sem formalismos ou expressões rebuscadas.
Evite usar no cabeçalho saudações barrocas como “ilustríssimo” ou “excelentíssimo”. Um simples “caro
fulano” ou um “bom dia” já estão de bom tamanho. Na despedida, prefira expressões como “atenciosamente”
ou “um abraço”. Não se esqueça de, no fim, mencionar seu nome completo, seu cargo e o nome da empresa.

ATENÇAO, RETARDATÁRIOS

Quando alguém chega tarde a um compromisso, aqueles que


esperam raramente se satisfazem com desculpa esfarrapada. Além de
deselegante, atrasos freqüentes podem deixar você com fama de
profissional pouco sério ou até de irresponsável. Portanto, trate de
disciplinar-se. Se você prevê um atraso significativo a um encontro de
negócios, avise com antecedência - e, ao chegar, desculpe-se. Se vive
numa cidade caótica, já deveria estar acostumado com a regra número
um de qualquer cidadão cosmopolita: saia mais cedo.

O TROCA-TROCA DE CARTÕES

A troca de cartões é parte de um ritual de saudação. Em geral,


ela é feita no início da reunião, quando as pessoas ainda não se
conhecem. Uma dica é deixá-Ios à vista, caso o nome de um dos
participantes lhe escape. Quando o encontro é informal, trocam-se
cartões na despedida. Mas, atenção: ofereça-os so- mente se houver
interesse para um contato futuro. Evite sair distribuindo-os a esmo
especialmente para profissionais mais graduados que você. Espere até
que lhe peçam.

-3- Revista Especial VOC S/A