Vous êtes sur la page 1sur 37

Lista de Eletromagnetismo

Escola Olı́mpica
Gabriel O. Alves

Revisão: Pedro Alves

Contato: escola.olimpica@outlook.com,
gabriel alves47@hotmail.com, Grupo do Facebook:
https://www.facebook.com/groups/402050929927944/
Página: https://www.facebook.com/escolaolimpica
Site: https://olimpicaescola.wordpress.com/
Conteúdo
1 Formulário 3

2 Problemas 7

3 Guia 16

4 Dicas 20

5 Gabarito 24

6 Soluções 25
1 Formulário Cálculo do campo a partir do po-
tencial:
Eletrostática
E = −∇V
Lei de Coulomb:
Potencial a partir do campo elétrico:
1 q1 q2
F= r̂
4πε0 r2
Z
V = − E · dl
Campo elétrico produzido pela carga
q1 :
Equação de Poisson para o poten-
1 1 q1 cial:
E= F= r̂
q2 4πε0 r2 ρ
∇2 V = −
ε0
q2
Equação de Laplace (caso especial
−F
da equação de Poisson, quando ρ =
0):

F
q1 ∇2 V = 0
Energia eletrostática:
Lei de Gauss:
I U (r) = qV (r)
q
ΦE = E · dS =
S ε0
Z
1
U= ρ(r)V (r)dv
E 2 V

n̂ Potencial a partir do momento de


∆S
dipolo p:
p·r
V (r) =
4πε0 r3
Força exercida sob um dipolo em
Equação de Poisson: um campo elétrico E:
ρ
∇·E= F = ∇(p · E)
ε0
Potencial coulombiano: Torque:
1 q
V (r) = τE = p × E
4πε0 r

Escola Olı́mpica 3
1 FORMULÁRIO

Magnetismo
dF = i(dl × B)
Corrente elétrica:
Momento de dipolo magnético:
dq
i=
dt
m = iS
Densidade de corrente:
Torque magnético:
j = ρv
τB = m × B
di
= j · n̂ A lei de Ampère:
dS
Conservação de carga elétrica:
I
B · dl = µ0 i
C
∂ρ
∇·j=− Para B produzido no vácuo por
∂t
Para correntes estacionárias: correntes estacionárias:

∇·j=0 ∇·B=0
Segunda lei de Ohm, sendo ρ a re-
sistividade: ∇ × B = µ0 j
l Lei de Biot-Savart:
R=ρ
S
dl × r̂
I
µ0 i
B=
4π C r2
l
Lei da indução:
S
dΦB
E =−
dt
j = σE Indutância:

Força de Lorentz: Φ
L=
i
F = q(E + v × B) Indutância mútua, sendo ij a cor-
Fluxo magnético: rente em j e Φi,j o flixo do condutor
Z j na região delimitada pelo condutor
ΦB = B · dS i:
S
Força magnética sobre um elemento Φi,j
Li,j =
de corrente: ij

Escola Olı́mpica 4
Dielétricos e materiais mag- Circuitos
néticos Primeira lei de Ohm:
Polarização dielétrica:
V = Ri
dp Efeito Joule:
P=
dv
dW
P = =Vi
dt
P = χε0 E
Tensão no capacitor:
Relação entre susceptibilidade e cons- q
tante dielétrica: V =
C
Energia eletrostática armazenada
κ=χ+1 no capacitor:
Densidade volumétrica de cargas 1
de polarização: U = CV 2
2
Tensão no indutor:
ρp = −∇ · P
di
V =L
Vetor deslocamento: dt
Energia magnética armazenada no
D = ε0 E + P = κE indutor:

Magnetização: 1
U = Li2
2
dm Leis de Kirchoff:
M=
dv
• A soma das d.d.p. P
ao longo de
Campo H:
uma malha é nula nj=0 Vj = 0
B
H= −M
µ0
V2

∇ · H = −∇ · M
V1 V3
Lei de Ampère para o campo H: V4

∇×H=j V1 − V2 + V3 − V4 = 0

Escola Olı́mpica 5
1 FORMULÁRIO

• A soma algébrica das correntes


que entram e saem em um nó é 1
S = (E × B)
0 (Adotando sinais opostos para µ0
correntes
Pn que entram e saem) Lei da conservação de energia ele-
i
j=0 j = 0 tromagnética (para ρ = 0 e j = 0):
∂U
∇·S=−
∂t
i1 i2
Condições de contorno
i3
σ + σp
i1 − i2 + i3 = 0 ∇ · E = n̂ · (E2 − E1 ) =
ε0

Ondas eletromagnéticas σ
∇ · D = n̂ · (D2 − D1 ) =
ε0
Equações de Maxwell no vácuo:
n̂ × (E2 − E1 ) = 0
ρ
∇·E=
ε0
∇·B=0
∂E
∇ × B = µ 0 j + ε0 µ 0
∂t
∂B
∇×E=−
∂t
Equação de ondas unidimensional
(Sendo x̂ a direção de propagação ):

∂ 2f 1 ∂ 2f
− =0
∂x2 v 2 ∂t2
Velocidade da luz no vácuo:
1
c= √
ε0 µ 0
Densidade de energia eletromagnética
no vácuo:

1 1
U = (ε0 E2 + B2 )
2 µ0
Vetor de Poynting:

Escola Olı́mpica 6
2 Problemas
Exercı́cio 1 : (Curso de Fı́sica Básica Vol. 3 - M. H. Nussenzveig)
Um fio retilı́neo muito longo (trate-o como infinito) está eletrizado com uma
densidade linear de carga λ. Calcule a força que atua sobre uma carga
puntiforme Q colocada a uma distância ρ do fio.

Q
ρ

Exercı́cio 2 : (Problems in General Physics - I. E. Irodov ) A intensi-


dade do campo elétrico depende apenas das coordenadas x e y, de acordo
(xî+y ĵ)
com a lei E = a (x 2 +y 2 ) , onde a é constante e î e ĵ representam os versores

dos eixos x e y respectivamente. Encontre o fluxo através da esfera de raio


R com centro na origem.

Exercı́cio 3 : (Seletiva OIF 2015 - Adaptada) Um anel delgado de raio


R tem ao longo de sua circunferência uma densidade linear de carga positiva
λ. Um elétron pode se movimentar livremente no eixo z do anel. Determine
a equação do movimento e a frequência de oscilação do elétron nas proximi-
dades do anel.

Exercı́cio 4 : (300 Creative Physics Problems with Solutions - Lászlo


Holics) Uma longo cilindro de raio R possui uma cavidade de raio r. Os
eixos do cilindro e da cavidade são paralelos, separados por uma distância d.
O cilindro possui densidade volumétrica de carga uniforme ρ, e a constante
dielétrica relativa do material vale 1. Encontre a expressão do campo elétrico
no interior da cavidade.

Figura 1: Fonte: 300 Creative Physics Problems with Solutions

Escola Olı́mpica 7
2 PROBLEMAS

Exercı́cio 5 : (Curso de Fı́sica Básica Vol. 3 - M. H. Nussenzveig) Uma


distribuição de carga esfericamente simétrica tem densidade volumétrica de
carga dada por

ρ(r) = ρ0 exp(−r/a) (0 ≤ r < ∞)


onde ρ0 é uma constante e r é a distância à origem.
a) Calcule a carga total da distribuição
b) Calcule o campo elétrico num ponto qualquer do espaço

Exercı́cio 6 : (Curso de Fı́sica de Berkeley Vol.2, E. M. Purcell - Adap-


tada) Calcule a energia potencial U de uma uma esfera de raio a e carga Q,
com densidade volumétrica de carga uniforme.

Exercı́cio 7 : (Problems in General Physics - I. E. Irodov ) Encontre


o potencial V na borda de um disco de raio R de densidade superficial de
carga σ.

Exercı́cio 8 : (Guide to Physics Problems - S.B. Cahn) Uma carga pon-


tual e é colocada a uma distância R do centro de uma esfera metálica de raio
a, com R > a. A esfera é isolada e eletricamente neutra.

a
e
O R

a) Encontre o potencial eletrostático na superfı́cie da esfera


b) Encontre a força agindo na carga

Exercı́cio 9 : (Major American Universities Ph.D. Qualifying Questions


and Solutions - Yung-Kuo Lim - Problems and Solutions on Electromag-
netism) Uma esfera de metal de raio a é cercada por uma esfera metálica
concêntrica de raio interno b, onde b > a. O espaço entre as esferas é pre-
enchido por um material cuja condutividade σ varia com a intensidade do
campo elétrico E de acordo com a relação σ = kE, sendo K constante. É
mantida uma diferença de potencial V entre as duas esferas. Qual é a cor-

Escola Olı́mpica 8
rente que flui entre elas?

Exercı́cio 10 : (Major American Universities Ph.D. Qualifying Questi-


ons and Solutions - Yung-Kuo Lim - Problems and Solutions on Electromag-
netism) A atmosfera terrestre é um condutor elétrico porque contém porta-
dores de cargas livres que são produzidas por ionização de raios cósmicos.
Dado que a densidade de cargas livres é constante no tempo e no espaço e é
independente a posição horizontal,

a) Determine as equações e condições de contorno para computar o campo


elétrico da atmosfera em função da altitude se o campo próximo da superfı́cie
é constante no tempo e vertical, não varia horizontalmente e tem uma mag-
nitude de 100V /m. Você pode assumir que a superfı́cie terrestre é perfeita-
mente plana, caso o deseje,
b) Faça uma estimativa de como a condutividade depende da altitude
c) Resolva as equações do item a)

Exercı́cio 11 : (Princı́pios de Eletrodinâmica Clássica - J. Frenkel) Con-


sidere um capacitor formado por duas placas paralelas de área S, que estão
separadas por um distância d. Se o alinhamento das placas for perturbado de
modo que sobre uma borda a separação seja d + δ e sobre a borda oposta seja
d − δ, onde δ  d, mostre que a capacitancia se torna, aproximadamente,

δ2
 
Sε0
C= 1+ 2
d 3d

δ
δ
d

Exercı́cio 12 : (Major American Universities Ph.D. Qualifying Questi-


ons and Solutions - Yung-Kuo Lim - Problems and Solutions on Electromag-
netism) Um capacitor de placas paralelas com separação d entre as placas é
preenchido com uma camada de material 1, com constante dielétrica ε1 , con-
dutividade σ1 e espessura d1 , e com uma camada de material 2, com ε1 , σ1
e d2 . O capacitor está submetido a uma diferença de potencial V constante.
Despreze os efeitos das bordas.

a) Qual é o campo elétrico nos materiais (1) e (2)?

Escola Olı́mpica 9
2 PROBLEMAS

b) Qual é a corrente que flui através do capacitor? Qual é sua direção?


c) Qual é a densidade superficial total de carga na interface entre 1 e 2?
d) Qual é a densidade superficial de carga livres na interface entre 1 e 2?

Exercı́cio 13 : (Guide to Physics Problems - S.B. Cahn) a) Considere


duas esferas dielétricas sólidas de raio a, separadas por uma distância R
(R  a). Uma das esferas tem carga q, e a outra é neutra. As dimensões
lineares do sistema são multiplicadas por um fator 2. Agora, qual deve ser a
carga da primeira esfera de modo que a força entre as esferas continue cons-
tante?
b) Considere agora um anel condutor feito de um fio fino, onde d é o diâmetro
do fio e D é o diâmetro do anel (novamente D  d). Uma carga Q aplicada
ao anel é o suficiente para que ele se quebre devido à repulsão eletrostática.
Assim como no item a), as escalas são multiplicadas por dois. Com que carga
o novo anel vai se romper?

Exercı́cio 14 : (Aptitude Test Problems in Physics - S.S. Krotov) Dois


capacitores de placas paralelas são dispostos perpendicularmente ao eixo co-
mum. A separação d entre os capacitores é muito maior que a distância l de
separação entre as placas e seu tamanho. Os capacitores tem cargas q1 e q2 ,
respectivamente. Encontre a força F de interação entre os capacitores.

Figura 2: Fonte: S.S. Krotov

Exercı́cio 15 : (Major American Universities Ph.D. Qualifying Questi-


ons and Solutions - Yung-Kuo Lim - Problems and Solutions on Electromag-
netism) Um fio cilı́ndrico de permeabilidade µ é percorrido por uma corrente
estacionária I. Se o raio do fio é R, encontre os campos B e H dentro e fora
do fio.

Exercı́cio 16 : (Princı́pios de Eletrodinâmica Clássica - J. Frenkel) A bo-


bina de Helholtz é um dispositivo usado para produzir um campo magnético
altamente uniforme em laboratório. Este consiste de duas espiras circulares
de raio a, encaixadas coaxialmente com separação h. Mostre que a melhor

Escola Olı́mpica 10
homogeneidade do campo ocorre quando h é igual a a. Calcule também a
magnitude do campo.

Exercı́cio 17 : (D. J. Griffths - Introduction to Electrodynamics - Adap-


tada) Mostre que a força no circuito 2 devido ao circuito 1 (Na figura), pode
ser escrita como:

Figura 3: Fonte: D. J. Griffthss

I I
µ0 r̂
F2 = − i1 i2 dl1 · dl2
4π r2

Exercı́cio 18 : (Exame Unificado de Fı́sica) Uma espira condutora re-


tangular (comprimento a, largura b e resistência R situa-se nas vizinhanças
de um fio reto inifinitamente longo que é percorrido por uma corrente i para a
direita, conforme a figura. A espira afasta-se do fio com velocidade constante
~v , de forma que a distância do centro da espira ao fio é dada por s(t) = s0 +vt.
Calcule:

Escola Olı́mpica 11
2 PROBLEMAS

Figura 4: Fonte: Exame do segundo semestre de 2015

a) o módulo do campo magnético produzido pela corrente num ponto situado


a uma distância s do fio. Indique a direção e o sentido do campo na religião
delimitada pela espira para um dado valor de s(t)
b) o fluxo magnético na região delimitada pela espira para um dado valor de
s(t)
c) a força eletromotriz induzida na espira para uma certa distância s(t)
d) a corrente indizida na espira, iind

Exercı́cio 19 : (Guide to Physics Problems - S.B. Cahn) Um fio circular


de raio a é isolado de um fio infinito reto e longo na direção tangencial.
Encontre a indutância mútua.

Exercı́cio 20 : (Aptitude Test Problems in Physics - S.S. Krotov) Duas


longas bobinas cilı́ndricas de enrolamento uniforme e de mesmo comprimento
e aproximadamente mesmo raio tem indutâncias L1 e L2 . As bobinas estão
coaxialmente inseridas uma na outra e são conectadas a um gerador de cor-
rente conforme a figura. A direção da corrente no circuito é indicada pelas
setas. Determine e indutância equivalente L de tal composição.

Escola Olı́mpica 12
Exercı́cio 21 : (200 Puzzling Physics Problems) A mola mostrada na
figura possui N voltas, comprimento x0 e constante elástica k. Qual é a
variação de comprimento da mola quando uma corrente i0 flui por ela?

Exercı́cio 22 : (Physics by Example: 200 Problems and Solutions - W.


G. Rees) Uma anel metálico de seção transversal de 2.5cm2 e permeabilidade
relativa de 1500 e raio médio de 40cm é enrolando uniformemente com 3000
voltas de fio. Se uma corrente de 1.6A passa através do fio, encontre o campo
médio B e magnetização no anel.

Exercı́cio 23 : (Curso de Fı́sica Básica Vol. 3 - M. H. Nussenzveig) Um


capacitor de placas paralelas é formado por dois discos circulares de raio a
separados por uma distância d  a. As placas estão ligadas a um gerador
AC que produz uma carga no capacitor Q = Q0 sin(ωt). Admita que o campo
E entre as placas é uniforme, desprezando fuga de linhas de força, e tome o
eixo z ao longo do eixo do capacitor. Calcule o campo B entre as placas, a
uma distância ρ do eixo.

Exercı́cio 24 : (Curso de Fı́sica Básica Vol. 3 - M. H. Nussenzveig)


Um fio condutor retilı́neo cilı́ndrico muito longo, de condutividade σ e raio
a, transporta uma corrente constante, de densidade j = σE uniformemente
distribuı́da sobre a seção transversal. Tome o eixo do cilindro como eixo z.
a) Calcule B na superfı́cie do fio
b) Calcule o vetor de Poynting S na superfı́cie do fio
c) Mostre que o fluxo de S através da superfı́cie de um trecho de compri-
mento l do fio é igual á a energia dissipada em calor pelo efeito Joule nesse

Escola Olı́mpica 13
2 PROBLEMAS

trecho, por unidade de tempo. Note que essa energia flui do espaço em torno
do fio para dentro dele.

Exercı́cio 25 : (Exame Unificado de Fı́sica) O campo elétrico de uma


onda plana monocromática no vácuo é dado por

E(z, t) = (E1 x̂ + E2 ŷ)ei(kz−ωt)

onde x̂ e ŷ são os versores cartesianos nas direções x e t, respectivamente,


e E1 e E2 são constantes.
a) Encontre a indução magnética B(z, t)
b) Mostre que o campo elétrico e a indução magnética são ortogonais entre
si
c) Calcule o vetor de Poynting da onda

Exercı́cio 26 : (Curso de Fı́sica Básica Vol. 3 - M. H. Nussenzveig)


Calcule a impedância do circuito da figura entre os pontos 1 e 2 à frequência
ω e mostre que, se as constantes de tempo τC e τL forem iguais, a impedância
será independente da frequência.

L R

1 2

R
C

Exercı́cio 27 : (Electricity and Magnetism - E. M. Purcell, D.J Morin -


Adaptada) a) Calcule a constante de amortecimento e a frequência angular
ω0 das oscilações livres e a constante de amortecimento para o circuito RLC
série:

Escola Olı́mpica 14
Figura 5: Fonte: Purcell, Morin

b) Faça o mesmo para o circuito RLC paralelo:

Figura 6: Fonte: Purcell, Morin

c) Se ambos os circuitos possuem o mesmo L, C e o mesmo fator de


qualidade Q, qual é a relação entre R e R0 ?

Escola Olı́mpica 15
3 GUIA

3 Guia
Livros recomendados
Livros-texto:

• Curso de Fı́sica Básica - Vol.3 - Eletromagnetismo - Moysesés H. Nus-


senzveig

• Introduction To Electrodynamics - David J. Griffths

• Electricity and Magnetism - Edward M. Purcell, David J. Morin (Caso


você não encontre a edição mais recente, utilize a antiga: Electricity
and Magnetism - Berkeley Physics Course - Vol. 2 - Edward M. Purcell,
contudo esta versão utiliza o sistema CGS de unidades)

• Electromagnetism - John C. Slater

• A Student’s Guide to Maxwell Equations - Daniel Fleisch

• I. E. Irodov - Basic laws of electromagnetism

Livros de exercı́cios:

• Aptitude Test Problems in Physics - S.S. Krotov

• A Guide to Physics Problems - Part 1- Mechanics, Relativity, and Elec-


trodynamics - Sidney B. Cahn

• 200 Puzzling Physics Problems

• Major American Universities Ph.D. Qualifying Questions and Solutions


- Yung-Kuo Lim - Problems and Solutions on Electromagnetism

• Problems in General Physics - I. E. Irodov

• Physics by Example: 200 Problems and Solutions - W. G. Rees

• 300 Creative Physics Problems with Solutions - Lászlo Holics

Escola Olı́mpica 16
Lista de problemas das OIFs
IPhO
Utilize este site para encontrar problemas da IPhO por tópicos:

• http://www.raunvis.hi.is/~martin/ipho/ipho_web/problems/

Clique no assunto que você deseja na primeira fileira da tabela e os pro-


blemas serão organizados na ordem desejada. Faça isso para procurar por
problemas de eletromagnetismo! Chamamos atenção para o seguinte proble-
mas:

• 1967 - Problema 2: Malha infinita de resistores. É um exercı́cio clássico,


que apresenta um raciocı́nio que pode ser utilizado em muitos outros
problemas. http://www.raunvis.hi.is/~martin/ipho/ipho_problems/
ipho_1967_T2-P.pdf

• 1996 - Problema 2: Estudo do movimento de um elétron dentro de um


cilindro condutor. Trabalha com alguns conceitos elementares de relati-
vidade e com força de lorentz. http://www.raunvis.hi.is/~martin/
ipho/ipho_problems/ipho_1996_T2-P.pdf

• 2005 - Problema 2: Um bom problema de magnetismo. http://www.


raunvis.hi.is/~martin/ipho/ipho_problems/ipho_2005_T2-P.pdf

• 1983 - Problema 3: Um bom exercı́cio sobre circuitos RLC. http://


www.raunvis.hi.is/~martin/ipho/ipho_problems/ipho_1983_T2-P.
pdf

• 1985 - Problema 2: Um exercı́cio sobre o Efeito Hall. http://www.


raunvis.hi.is/~martin/ipho/ipho_problems/ipho_1985_T2-P.pdf

• 2003 - Problema 2: Problema sobre cristais piezoelétricos, trabalha


com diversos conceitos. http://www.raunvis.hi.is/~martin/ipho/
ipho_problems/ipho_2003_T2-P.pdf

• 2013 - Problema 2: http://ipho.phy.ntnu.edu.tw/problems-and-solutions/


2013/ipho2013-theoretical-problem-2.pdf

• 2012 - Problema 1.c: http://ipho.phy.ntnu.edu.tw/problems-and-solutions/


2012/2012-08-09%20IPhO2012_Theoretical_problems.pdf

• 2011 - Problema 2: http://ipho.phy.ntnu.edu.tw/problems-and-solutions/


2011/IPhO2011_Th_Q2.pdf

Escola Olı́mpica 17
3 GUIA

• 2011 - Problema 3: http://ipho.phy.ntnu.edu.tw/problems-and-solutions/


2011/IPhO2011_Th_Q3.pdf

• 2010 - Problema 1: Um bom problema de eletrostática. Trabalha


com o método de carga imagem. http://ipho.phy.ntnu.edu.tw/
problems-and-solutions/2010/IPhO_2010_Theo_Problem%201.pdf

APhO
• 2013 - Problema 1: Cálculo de potenciais, campo elétrico, correntes e
campo magnético. http://apho.phy.ntnu.edu.tw/download/past_
APhO_roblems/2013%20APhO/1.%20Theoretical%20Problem%201.pdf

• 2012 - Problema 1: Um bom problema de magnetismo. Estudo do mo-


vimento de um imã em um tubo metálico. http://apho.phy.ntnu.
edu.tw/download/past_APhO_roblems/2012%20APhO/2012%20APhO%20Theory%
20Prob%201%20Question.pdf

• 2011 - Problema 1: http://apho.phy.ntnu.edu.tw/download/past_


APhO_roblems/2011%20APhO/%28T1%29%20shockley%20question.pdf

• 2010 - Problema 2: Trata de campos magnéticos, dissipação de ener-


gia e oscilações em um circuito RLC: http://apho.phy.ntnu.edu.tw/
download/past_APhO_roblems/2010%20APhO/2010%20APhO%20Theoretical%
20Question%202_Question.pdf

• 2009 - Problema 2: Trata de conceitos de magnetismo e indutância:


http://apho.phy.ntnu.edu.tw/download/past_APhO_roblems/2009%
20APhO/2009%20APhOTheoretical%20Problems.pdf

• 2008 - Problema 2: Estudo de um cristal iônico. O problema trabalho


com diferentes tipos de potenciais. http://apho.phy.ntnu.edu.tw/
download/past_APhO_roblems/2008%20APhO/APhO2008_theory_prob2.
pdf

• 2006 - Problema 3.b: http://apho.phy.ntnu.edu.tw/download/past_


APhO_roblems/2006%20APhO/APhO2006_theory_prob3.pdf

• 2005 - Problema 2: Movimento de uma partı́cula em um campo magnético.


http://apho.phy.ntnu.edu.tw/download/past_APhO_roblems/2005%
20APhO/APhO2005_theo_prob.pdf

• 2003 - Problema 2: http://apho.phy.ntnu.edu.tw/download/past_


APhO_roblems/2003%20APhO/APhO2003_theory_prob3.pdf

Escola Olı́mpica 18
• 2001 - Problema 2: Movimento de um dipolo elétrico em um campo
magnético. Problema interessante para treinar conceitos básicos de
cálculo vetorial. http://apho.phy.ntnu.edu.tw/download/past_APhO_
roblems/2001%20APhO/APhO2001_theory_prob_2.pdf

OIbF
• 2010 - Problema 3: http://www.sbfisica.org.br/~oibf/wp-content/
uploads/2013/07/provas/oibf_xv_teorica_2010.pdf

• 2008 - Problema 1: www.sbfisica.org.br/~oibf/wp-content/uploads/


2013/07/provas/oibf_xiii_teorica1_2008.pdf

• 2008 - Problema 3: http://www.sbfisica.org.br/~oibf/wp-content/


uploads/2013/07/provas/oibf_xiii_teorica3_2008.pdf

• 2006 - Problema 2: http://www.sbfisica.org.br/~oibf/wp-content/


uploads/2013/07/provas/oibf_xi_teorica_2006.pdf

Romanian Masters of Physics


• 2012 - Problema 1: http://rmph.lbi.ro/2012/index.php?id=problems_
physics

Estonian-Finnish Olympiad in Physics


• 2015 - Problemas 8 e 9: http://www.ioc.ee/~kalda/ipho/es/e-s-2015-eng.
pdf

• 2014 - Problemas 1 e 3: http://www.ioc.ee/~kalda/ipho/es/est-fin_


2014eng.pdf

• 2013 - Problemas 4 e 8: http://www.ioc.ee/~kalda/ipho/es/es2013_


eng.pdf

• 2012 - Problemas 4 e 7: http://www.ioc.ee/~kalda/ipho/es/es2012_


eng.pdf

• 2011 - Problemas 2,3 e 4: http://www.ioc.ee/~kalda/ipho/es/es2011_


eng.pdf

Escola Olı́mpica 19
4 DICAS

4 Dicas

Exercı́cio 1 : Calcule a contribuição de um elemento infinitesimal dz


do fio, e integre de −∞ até ∞ (A integral deverá convergir). Além disso,
por argumentos de simetria, mostre que somente a componente vertical da
contribuição dos elementos inifinitesimais contribui com a força resultante.

Q
ρ r
dz
z

Exercı́cio 2 : Tente usar coordenadas esféricas!


Exercı́cio 3 : Para calcular a carga do anel tente encontrar a contri-
buição de carga dq de um arco infinitesimal do anel, a partir dos parâmetros
dados. Em seguida identifique as forças agindo no elétron e monte a EDO
de segunda ordem que descreve o movimento do elétron.
Exercı́cio 4 : Dica 1: Utilize o princı́pio da superposição
Dica 2: Suponha que há um cilindro menor na cavidade de densidade de
carga de sinal sinal contrário, em seguida utilize a lei de Gauss para calcular
o campo gerado pelo cilindro de carga negativa. Por fim, utilize o princı́pio
da superposição e relacione o campo do cilindro original, o campo do cilin-
dro de carga negativa e o que campo dentro da cavidade que você pretende
encontrar. Não se esqueça de deixar os campos em notação vetorial, para
encontrar a direção correta do campo na cavidade.
Exercı́cio 5 : a) Encontre a carga de uma casca esférica muito fina de
Espessura
z}|{
2
depois integre. Considere que a casca tem um volume dV = |{z}4πr dr .
Area
Lembre-se que dQ(r) = p(r)dV (r).
b) Use a Lei de Gauss e o resultado do item anterior.
Exercı́cio 6 : Tente adotar uma solução análoga ao item anterior!
Exercı́cio 7 : Tente utilizar a geometria desta figura:

Escola Olı́mpica 20
θ dr
r

Ou seja, coloque a origem na borda do disco, em seguida calcule a con-


tribuição dos pontos que estão a uma mesma distância r da origem!
Exercı́cio 8 : Utilize o método das cargas imagens. Pesquise caso não o
conheça!
Exercı́cio 9 : Tente encontrar a corrente a partir da densidade de cor-
rente e da relação dada no enunciado para a condutividade. Também tente
relacionar o potencial com o campo elétrico.
Exercı́cio 10 : a) Utilize a equação de continuidade b) A função mais
elementar que descreve a densidade de partı́culas na atmosfera é uma expo-
nencial decrescente (Da forma: n(z) = n0 e−mgz/kT , sendo T a temperatura
da atmosfera), a partir daı́, encontre uma expressão análoga para a con-
dutividade. Lembre-se que a condutividade é inversamente proporcional à
frequência de colisões, que por sua vez é proporcional a densidade do meio,
ou seja, como a expressão para a condutividade vai mudar? c) Combine
todos os resultados anteriores.
Exercı́cio 11 : Dica 1: Tente dividir o capacitor entre vários capaci-
tores infinitesimais. Deste modo o capacitor vai ser constituı́do por vários
capacitores menores de placas paralelas, e a capacitância de cada capacitor
infinitesimal será dC ∝ dx/y, sendo dx a largura de cada capacitor e y a
distâcia entre as placas infinitesimais.
Dica 2: Caso você tenha encontrado uma expressão para a capacitância,
mas ainda assim ela não está igual àquela pedida pelo enunciado, tente usar
Taylor e expanda a expressão para um polinômio!
Exercı́cio 12 : a) A corrente i deve ser a mesma em ambos os materiais,

Escola Olı́mpica 21
4 DICAS

assim como a densidade de corrente j. Tente relacioná-la com o campo


elétrico a as propriedades dos meios, assim você encontra uma das duas
equações necessárias para resolver o problema.
b) Idem
c) Utilize as condições de contorno
d) Idem
Exercı́cio 13 : Escreva a força em termos do momento de dipolo da
esfera e do campo elétrico.
Exercı́cio 14 : Dica 1: Trate os capacitores como dipolos
Dica 2: Calcule o campo elétrico produzido por um dos capacitores, em
seguida, relacione a força d einteração com o momento de dipolo do outro
capacitor e o módulo do campo elétrico naquele ponto
Exercı́cio 15 : Utilize a lei de Ampère. Para um ponto interno ao fio,
isto é, para r < R, a corrente é i(r) < I. Você pode calculá-la a partir da
densidade de corrente.
Exercı́cio 16 : Calcule o campo utilizando Biot-Savart. Dê preferência
por coordenadas cilı́ndricas. Para mostrar que a melhor homogenidade do
campo ocorre nessa situação, calcule o campo magnético para uma distância
z qualquer, no eixo das espiras, e veja como a derivada e a segunda derivada
se comportam, conforme a distância z é alterada.
Exercı́cio 17 : Dica 1: Utilize Biot-Savart para encontrar a intensidade
do campo magnético, em seguida calcule a força sob um elemento de corrente
pela expressão dF = i(dl × B).
Dica 2: Utilize a indentidade vetorial A × B × C = (A · C)B − (A · B)C
Dica 3: Note que dl2 · r̂ = dr .Além disso, você provavelmente encontrou um
termo extra na integral. Você pode mostrar que este termo vale 0, demonstre
isso por meio do teorema fundamental do gradiente!
Dica 4: A integral de linha que você quer calcular é de um caminho fe-
chado, como o ponto de inı́cio é o mesmo ponto de término, pelo teorema
fundamental do gradiente a integral se anula.
Exercı́cio 18 : Este exercı́cio pode ser resolvido a partir da Lei de
Lenz! Calcule o campo magnético a uma distância ρ do fio por meio da
lei de Ampère e utilize coordenadas cilı́ndricas para trabalhar com o campo
magnético, assim, calcular o fluxo será fácil.
Exercı́cio 19 : Calcule o campo magnético produzido pelo fio reto a uma
distância x, em seguida calcule o fluxo do campo através da área delimitada
pelo fio circular, para isso, a divida em tiras infinitesimais de espessura dx,
paralelas ao fio, e integre.
Exercı́cio 20 : Tente resolver o problema por meio da geometria das
bobinas. Lembre-se que o fluxo é proporcional ao número de voltas N .
Exercı́cio 21 : Tente relacionar a energia potencial elástica com a ener-

Escola Olı́mpica 22
gia magnética do sistema!
Exercı́cio 22 : Use a lei de Ampère para o encontrar o campo H e utilize
expressões para relacionar H, B e M a partir dos parâmetros dados.
Exercı́cio 23 : Encontre a corrente de deslocamento no capacitor e use
a lei de Ampère
Exercı́cio 24 : a) Use a lei de Ampère
b) Utilize coordenadas cilı́ndricas e lembre-se da relação entre os versores no
produto vetorial (Eles devem obedecer a regra da mão direita)
c) Utilize a segunda lei de Ohm para calcular a resistência de um trecho de
comprimento l do fio, em seguida calcule a potência dissipada pelo efeito
Joule.
Exercı́cio 25 : a) Utilze as equações de Maxwell! b) Utilize alguma
operação da álgebra vetorial que te permita calcular o ângulo entre dois
vetores.
Exercı́cio 26 : Utileze a fórmula para calcular a reatância do indutor e
do capacitor, em seguida calcule a impedância total a utilizando as formuals
para configurações série e paralelo. Além disso, lembre-se que as constantes
RC e RL são, respectivamente:tauC = RC e τL = L/R.
Exercı́cio 27 : Utilize as duas leis de Kirchoff e monte a EDO de segunda
ordem. Suponha que a solução é da forma eiλt .

Escola Olı́mpica 23
5 GABARITO

5 Gabarito

Exercı́cio 1 :F = 2πε 0ρ
Exercı́cio 2 : Φ = πRa
eλ 2 eλ
Exercı́cio 3 : mÿ = − 2R 2 y, ω = 2mR2
Q
Exercı́cio 4 : E = 2ε0 d
h  i
3 2ρ0 a3 −r/a 1 r2 r
Exercı́cio 5 : a) Q = 8πρ0 a b) E(r) = ε0 r2
1−e 2 a2
+ a
+2
3 Q2
Exercı́cio 6 : U = 5 4πε0 a
σR
Exercı́cio 7 : V = πε0
1 e 1 e a 2 3 (2R2 −a2 )
Exercı́cio 8 : a) V = 4πε 0 R
b) F = − 4πε0 R
3 (R2 −a2 )2
2
Exercı́cio 9 : i = 4πKv
ln ( ab )
Exercı́cio 10 : a) dj/dz = 0, E(0) = 100V /m b) σ = σ0 exp mgz

kT
c)
mgz
E = E0 exp − kT , onde E0 = 100V /m
Exercı́cio 12 : a) E1 = d1 σV2 +d σ2
2 σ1
, E2 = d1 σV2 +dσ1
2 σ1
b) J = σ1 E1 , perpen-
ε0 (σ1 −σ2 )V (σ1 ε2 −σ2 ε1 )
dicular as placas c) σt = d1 σ2 +d2 σ1 d) σl = d1 σ2 +d2 σ1

Exercı́cio 13 : a) q 0 = 4 2q b) Q0 = 4Q
2
Exercı́cio 14 : F = 23 qπε1 q02dl4
µ0 i i
Exercı́cio 15 : Para r > R: B(r) = 2πr ϕ̂ e H(r) = 2πr ϕ̂, para r < R:
µ0 ir ir
B(r) = 2πR 2 ϕ̂ e H(r) = 2πR2
ϕ̂
2
Exercı́cio 16 : B = 2 µ0 ia h 2 3

(a +( 2 ) ) 2
s0+vt+ b
 
µ0 i
Exercı́cio 18 : a) B = 2πs ϕ̂ b) Φ = µ2π 0 ia
ln s +vt− 2b c) E = µ2π0 i (s + b +vt)(s
ab
b v
0 2 0 2 0 − 2 +vt)
µ0 i ab
d) iind = 2πR (s0 + 2b +vt)(s0 − 2b +vt)
v
Exercı́cio 19 : L12 = µ0 a √
Exercı́cio 20 : L = L1 + L2 + 2 L1 L2
µ πI02 N 2 R2
Exercı́cio 21 : ∆x ≈ 0 2kx 2
0
Exercı́cio 22 : B = 3.6T , M = 2.9 × 106 Am−1
Exercı́cio 23 : B = µ02πQ0 ρω a2
cos (ωt)ϕ̂
2
Exercı́cio 24 : a) B(a) = 2 ϕ̂ b) S = − |j2σ| aρ̂
µ0 |j|a

Exercı́cio 25 : a) B(z, t) = ωz (E2 x̂ − E1 ŷ)ei(kz−ωt) c) S = 1 k


µ0 ω
(E12 +
E22 )e2i(kz−ωt) k̂
1 1 1 1 1
Exercı́cio 26 : Z
= Z1
+ Z2
= R+ωLi
+ 1 ,
R− ωC i
quando τR = τL a
q
C
impedância vale: Z = L
q q
R2 ω0 L
Exercı́cio 27 : a) ω0 = 1
LC
− 4L
b) ω0 = 1
LC
− 1
4R2 C 2
c) R0 R = ω00 C

Escola Olı́mpica 24
6 Soluções
Exercı́cio 1 : Para resolver o problema, você deve calcular a contribuição
de um trecho infinitesimal de comprimento dz do fio, a uma distância z do
centro. Como o fio possui densidade linear de carga λ, a carga de um trecho
infinitesimal vale dq = λdz. Além disso, lembre-se que pela simetria do
problema, as componentes horizontais da força de atração se cancelam (Para
todo ponto a na posição z, há um ponto na posição −z, cuja componente
horizontal tem mesma intensidade mas direção contrária). Deste modo a
força que atua sobre a carga puntiforme devido a um trecho inifinitesimal do
fio é:

1 Qdq
dFy = sin θ
4πε0 r2

Q
ρ r
θ dz
z

p
Como dq = λdz, r2 = ρ2 + z 2 e sin θ = ρ/ (ρ2 + z 2 ), a expressão anterior
fica:

Qλρ dz
dF =
4πε0 (ρ2 + z 2 ) 23
Agora basta integrar de −∞ até ∞:

Qλρ ∞
Z
dz
F =
4πε0 −∞ (ρ2 + z 2 ) 23
A integral acima pode ser resolvida por meio de uma substituição trigo-
nométrica, basta fazer:

z = ρ tan θ
E portanto:

dz
= ρ sec2 θ

Deste modo a integral fica:

Escola Olı́mpica 25
6 SOLUÇÕES

ρ sec2 θdθ
Z Z Z Z
dz 1 1 1 1
3 = 3 = dθ = 2 cos θdθ = sinθ+C
(ρ2 + z2) 2 2 2 2
(ρ + ρ sec θ) 2 ρ2 sec θ ρ ρ2

Como:
z
sin θ = p
z + ρ2
2

Segue que:
" #
∞ ∞
Z
dz 1 z 2
3 = 2
p = 2
−∞ (ρ2 + z 2 ) 2 ρ z 2 + ρ2 −∞ ρ

Finalmente:
Z ∞
Qλρ dz Qλρ 2
F = 3 =
4πε0 −∞ (ρ2 + z 2 ) 2 4πε0 ρ2


F =
2πε0 ρ
Exercı́cio 5 : a) Para calcular a carga total, você pode calcular a con-
tribuição de uma casca esférica de volume:

dV = Adr = 4πr2 dr
Deste modo, a contribuição de uma casca esférica de raio r é:

dQ = ρ(r)dV = 4πρr2 e−r/a dr

r
dr

Integrando de 0 até ∞ encontramos a carga total da distribuição:

Escola Olı́mpica 26
Z ∞
dQ = ρ(r)dV =⇒ Q = 4πρ r2 e−r/a dr
0

Você pode calcular essa integral por meio de duas integrais por partes
consecutivas:
Z Z
2 −r/a 2 −r/a
r e dr = −ar e + 2a re−r/a dr

Z  Z 
2 −r/a 2 −r/a −r/a −r/a
r e dr = −ar e + 2a −are +a e
Z
r2 e−r/a dr = −ar2 e−r/a + 2a −are−r/a − a2 e−r/a


Z
r2 e−r/a dr = −ar2 e−r/a − 2a2 re−r/a − 2a3 e−r/a + C

Portanto:

∞  ∞
Z
2 −r/a 2 −r/a 2 −r/a 3 −r/a

Q = 4πρ0 r e dr = 4πρ0 −ar e − 2a re − 2a e

0 0

Claramente todos os termos tendem a 0 quando r → ∞, deste modo:

Q = 8πρ0 a3
b) Você pode encontrar o campo elétrico pela lei de Gauss, utilizando o
resultado do item anterior (Lembre-se que as cargas exteriores ao ponto em
questão não contribuem com o campo elétrico:
I
Q
E · dS =
S ε0

Q(r)
4πr2 E(r) =
ε
Para encontrar Q(r) basta utilizar a integral do exercı́cio anterior, de 0
até r:

 r

1  2 −r/a 2 −r/a 3 −r/a
E(r) = 4πρ0 −ar e − 2a re − 2a e
4πr2
0

Após simplificar a expressão obtemos:

Escola Olı́mpica 27
6 SOLUÇÕES

2ρ0 a3
  2 
−r/a 1r r
E(r) = 1−e + +1
ε0 r 2 2 a2 a

Exercı́cio 11 : Divida o capacitor em vário capacitores infinitesimais de


placas paralelas. A capacitância de cada um desses capacitores vale:

εdS
C=
y

δ
δ
y

dx

y representa a distância entre as placas e dS representa a área do capacitor


de espessura infinitesimal. dS pode ser escrito como dS = S.dx/l, onde l
representa a largura do capacitor. Deste modo a expressão anterior fica:

εS dx
dC =
l y
x e y podem ser relacionados atráves de um vı́nculo. Veja a seguinte
figura:


y0
x
l

Ou seja, por semelhança de triângulos fica fácil ver que:

y0 x 2δ
= =⇒ y 0 = x
2δ l l
E a distância y entre as placas, em função de x, é:


y = y0 + d − δ = x+d−δ
l

Escola Olı́mpica 28
y0
d−δ y d−δ

Assim, a expressão da capacitância fica:


εS dx
dC = 2δ
l l
x +d−δ
Como o capacitor é composto com capacitores infinitesimais em paralelo,
e a capacitância equivalente de capacitores paralelos é Ceq = C1 +C2 +· · ·+Cn ,
basta integrar de 0 até l para encontrar a capacitância total:

εS l
Z
dx
C= 2δ
l 0 l x+d−δ
   l
εS l 2δ
C= ln x + d − δ
l 2δ l 0
 
εS l d+δ
C= ln
l 2δ d−δ
!
εS l 1 + dδ
C= ln
l 2δ 1 − dδ
Por fim, basta expandir o logaritmo por uma série de Taylor:
δ 2 δ 3
     
δ δ d d
ln 1 + = − + ...
d d 2 3
e,
δ 2 δ 3
     
δ δ d d
ln 1 − =− − − ...
d d 2 3
Portanto:

δ 2 δ 3 δ 2 δ 3
! ! !
δ            
1+ d δ δ δ d d δ d d
ln δ
= ln 1 + −ln 1 − = − + ... − − − − ...
1− d
d d d 2 3 d 2 3
!
δ
δ δ3
 
1+ d
ln δ
≈2 +
1− d
d d3

Escola Olı́mpica 29
6 SOLUÇÕES

A capacitância é então:

δ δ3
 
εS l
C= 2 +
l 2δ d d3

δ2
 
εS
C= 1+ 2
d d
Exercı́cio 16 : Primeiro, calcule a intensidade do campo magnético no
eixo de uma só espira, a uma distância z, por meio da lei de Biot e Savart:

z r
θ dB
θ
a
dl

Figura 7: Representação da espira. O vetor dl é tangencial à espira, deste


modo, a contribuição dB de um elemento infinitesimal da figura tem a direção
mostrada na figura, pois o vetor dB deve ser perpendicular tanto a dl quanto
a r̂, que é o versor na direção de r.

dl × r̂
Z
µ0 i
B=
4π r2
Como as componentes horizontais se cancelam, por simetria, deve-se con-
siderar somente a componente vertical. Além disso, um arco infinitesimal da
espira vale dl = adϕ, onde ϕ representa o ângulo que ”percorre”a espira :
Z
µ0 i cos θ adϕ
B=
4π r2
Como r = cte.:

µ0 ia cos θ 2π
Z
µ0 ia
B= 2
dϕ = cos θ
4πr 0 2r2

Como cos θ = a/r e r = a2 + z 2 , o campo magnético vale:

µ0 ia2
B= 3 ẑ
2(a2 + z 2 ) 2

Escola Olı́mpica 30
a

z P h

Figura 8: Procuramos a intensidade do campo magnético no ponto P

Agora, a partir da expressão anterior, vamos encontrar o ponto de maior


homogeneidade. Para isto, iremos procurar o valor de z para o qual a deriv-
cada de B com respeito à z se anula:
−5/2
dB/dz = 0 =⇒ z a2 + z 2 = 0 =⇒ z = 0

Deste modo, a primeira derivada do campo só se anula no plano da espira,


ou seja, quando não há separação entre elas, assim, devemos encontrar um
valor de z para o qual a segunda derivada é nula:
− 72 a
d2 B/dz 2 = 0 =⇒ (a2 − 4z 2 ) a2 + z 2 =⇒ z =
2
Ou seja, a maior homogeneidade ocorre quando z = a/2. A separação
entre as espiras é, portanto:

h=a

E o campo magnético no ponto desejado vale:

µ0 ia2
B= 2 3 ẑ
(a2 + h2 ) 2

Exercı́cio 18 : a) O campo magnético B, a uma distância s, pode ser


encontrado a partir da lei de Ampère:
I
B · dl = µ0 i

Z 2π
Bs dϕ = µ0 i
0

Escola Olı́mpica 31
6 SOLUÇÕES

B
s

Figura 9: Representação das linhas do campo magnético

µ0 i
B= ϕ̂
2πs
b) O fluxo em um trecho infinitesimal da espira é:

µ0 i
dΦ = BdA = adx
2πx

b
s− 2 x
b
s+ 2
dx

Z s+a/2
µ0 ia dx
Φ=
2π s−a/2 x
Resolvendo a integral e fazendo s(t) = s0 + vt:
!
µ0 ia s0 + vt + 2b
Φ= ln
2π s0 + vt − 2b

c) A e.m.f induzida pode ser encontrada a partir da Lei de Lenz:


!
dΦ µ0 ia 1 1
E =− =− − v
dt 2π s0 + 2b + vt s0 − 2b + vt

Escola Olı́mpica 32
µ0 i ab
E= v
2π (s0 + 2 + vt)(s0 − 2b + vt)
b

d) Pela primeira Lei de Ohm:

E = Ri
Portanto:

µ0 i ab
iind = v
2πR (s0 + 2 + vt)(s0 − 2b + vt)
b

Exercı́cio 23 : A corrente de deslocamento na região é dada por:

∂ΦE
i d = ε0
∂t
E pela lei de Ampère:
I
∂ΦE
B · dl = µ0 id = µ0 ε0
C ∂t
O fluxo do campo elétrico é:
Z
Φ = E · dS = Eπρ2

E como o capacitor é formado por placas paralelas, o campo elétrico vale:

V Q Q Q
E= = = =
d Cd ε0 A επa2
Portanto:

ρ2 dQ ρ2 d(sin (ωt))
I
∂ΦE
B · dl = µ0 ε0 = µ0 2 = µ0 2 Q0
C ∂t a dt a dt
O campo B entre as placas vale então:

ρ2 d(sin (ωt))
B2πρ = µ0 Q0
a2 dt

µ0 Q0 ρω
B= cos (ωt)ϕ̂
2π a2
Exercı́cio 24 : a)

Escola Olı́mpica 33
6 SOLUÇÕES

I
B · dl = µ0 i = µ0 |j|πa2 =⇒ 2πaB(a) = µ0 |j|πa2 ϕ̂

µ0 |j|a
B(a) = ϕ̂
2
b) O vetor de Poynting é:
1
S= (E × B)
µ0
Pelo resultado do item anterior:

1 µ0 |j|a
S= (E × ϕ̂)
µ0 2
1 µ0 |j|a
S= ((|E|ẑ) × ( ϕ̂))
µ0 2
1 µ0 |j|a
S= |E| (ẑ × ϕ̂)
µ0 2 | {z }
ρ̂

Como |E| = |j|/σ:

|j 2 |
S=− aρ̂

c) A resistência de um trecho de comprimento l do fio é, pela segunda Lei
de Ohm:
ρl
R=
A
A potência dissipada nesse trecho vale:
ρl
P = V i2 = Ri2 = (|j|A)2
A
Como ρ = 1/σ:

|j|2 A
P = l
σ
De acordo com o exercı́cio anterior, o vetor de Pointing é:

|j 2 |
S=− aρ̂

Escola Olı́mpica 34
Veja que ele é radial, ou seja, é normal à superfı́cie do cilindro. O fluxo
do vetor S é portanto:

|j 2 |a |j 2 |πa2
ΦS = S · A = 2πal = 2l
2σ σ

|j|2 A
ΦS = l
σ
Ou seja:

ΦS = P
Exercı́cio 25 : Por meio da equação:

∂B
∇×E=−
∂t
É possı́vel encontrar o campo magnético B pois já foi dado o campo
elétrico, basta calcular seu rotacional:

E(z, t) = (E1 x̂ + E2 ŷ)ei(kz−ωt)


x̂ ŷ ẑ
∂ ∂ ∂

∇×E=

∂x ∂y ∂z
E1 ei(kz−ωt) E2 ei(kz−ωt) 0
Calculando a determinante:

∂(ei(kz−ωt) ) ∂(ei(kz−ωt) )
∇ × E = E2 x̂ − E1 ŷ
∂z ∂z
∂B
∇×E=− = zE2 ei(kz−ωt) x̂ − zE1 ei(kz−ωt) ŷ
∂t
Integrando:

z
B(z, t) = (E2 x̂ − E1 ŷ)ei(kz−ωt)
ω
b) Para mostrar que os campos são ortogonais entre si basta mostrar que
o produto escalar entre E e B é nulo. Assim:

E · B = (E1 ei(kz−ωt) )(E2 ei(kz−ωt) ) + (E2 ei(kz−ωt) )(−E1 ei(kz−ωt) )

Escola Olı́mpica 35
6 SOLUÇÕES

Portanto:

E · B = e2i(kz−ωt) (E1 E2 − E1 E2 )

E·B=0
c) O vetor de Poynting é:
1
S= (E × B)
µ0

x̂ ŷ ẑ
1 i(kz−ωt) i(kz−ωt)

S = E1 e E2 e 0
µ0 z
E ei(kz−ωt) − ωz E1 ei(kz−ωt) 0
ω 2

Calculando a determinante obtém-se:

1 k 2
S= (E + E22 )e2i(kz−ωt) k̂
µ0 ω 1
Exercı́cio 26 : A impedância do trecho do circuito composto pelo resis-
tor e pelo indutor em série é:

Z1 = R + ωLi
Já para o segundo trecho, composto pelo resistor e pelo capacitor:
1
Z2 = R − i
ωC
A impedância do circuito é a impedância equivalente de Z1 e Z2 em
paralelo, portanto:

1 1 1 1 1
= + = + 1
Z Z1 Z2 R + ωLi R − ωC i
Se as constantes de tempos forem iguais, vale a relação:
r
L L
τC = τL =⇒ RC = =⇒ R =
R C
A impedância é então:
1 1 1
=q +q
Z L
+ ωLi L
− 1
i
C C ωC

Escola Olı́mpica 36
q  q 
L L 1
C
+ ωLi C
− ωC
i
Z= q q
L
C
+ ωLi + CL − ωC1
i
r
C
Z=
L
Que é independente da frequência.

Escola Olı́mpica 37